Page 1

Caminhando Historico de Frei Bruno Em 08 de setembro de l876, nasceu na Alemanha, na cidade de Düsseldor, um menino que iria trilhar o caminho da santidade. Suas mãos derramaram bênçãos espalhando sementes de “Paz e Bem” por onde seus pés pisaram. Filho de Hubert Linden e Cecília Goelden, no batismo recebeu o nome do pai: Humberto (em português). Bruno foi o nome que recebeu ao entrar na Ordem Franciscana....

Pag. 03

1°Festa de Frei Bruno A 1ª edição foi um sucesso, cerca de 4 mil pessoas participaram da Festa... Pag. 04

Testumunhas de Frei Bruno Testemunhos vivos sobre a vida e o legado de Frei Bruno...

Pag. 04


2 Editorial Paz e Bem! Da parte de Deus nosso Pai e de seu Filho Jesus, a graça e a paz estejam sempre com vocês. Com grande alegria estamos colocando nas mãos de vocês esta primeira edição do Jornal de nossa paróquia. Deus enviou seu Filho Jesus a este mundo com a missão de comunicar a Boa Notícia do Evangelho. Por isso, toda a iniciativa que tem o intuito de levar às pessoas a mensagem de fé torna-se continuação da missão do próprio Cristo. Este há de ser um espaço nosso, da nossa vida, da nossa fé. Frei Bruno, caminhando incansavelmente pelas nossas estradas, tornou-se um comunicador de Deus. Nada mais inspirador de que nosso jornal se chamasse “CAMINHANDO”: olhando para o passado, inspirados nos grandes testemunhos de fé, firmamos nossos passos no presente, caminhando corajosamente rumo ao futuro a ser construído. Nesta edição podemos, nas proximidades da celebração da morte de Frei Bruno, conhecer um pouco mais de sua vida. Na caminhada rumo a Beatificação de Frei Bruno não queremos apenas que a Igreja o apresente como modelo de vida ao mundo, mas que nós, ao conhecer suas virtudes, também nos tornemos mais santos e santas. “Nosso Frei Bruno de Deus... que sua santa presença conosco aqui prossiga e em seu nome nos atenda com as graças lá do céu!” Frei Alex Sandro Ciarnoscki, ofm «

Minuto de Sabedoria «

Não cri que. Procure antes colaborar com todos, sem fazer crí cas. A crí ca fere e ninguém gosta de ser ferido. A criatura que gosta de cri car, aos poucos, se vê isolada de todos. Se vir alguma coisa errada, fale com amor e carinho, procurando ajudar. Mas, sobretudo, procure corrigir os outros, através de seu próprio exemplo.« (Carlos Torres Pastorino)

Cantinho do Leitor !

os n a v e Escr

Prezado Amigo Leitor Pensando em você, criamos este Can nho do Leitor. Nosso intuito é que você possa par lhar e compar lhar conosco ideias, sugestões, pensamentos, opiniões, enfim, interagir de forma eficaz e efe va. Para tanto, disponibilizamos um e‐mail de contato: nospassosdefreibruno@gmail.com Ou você também poderá entregar pessoalmente na secretaria paroquial. Seja nosso colaborador! Par cipe! Ajude‐nos! Escreva‐nos! Juntos faremos a diferença!

“Isto vos mando, que vos ameis uns aos outros”. (João 15,17)


Historico de Frei Bruno Em 08 de setembro de l876, nasceu na Alemanha, na cidade de Düsseldor, um menino que iria trilhar o caminho da santidade. Suas mãos derramaram bênçãos espalhando sementes de “Paz e Bem” por onde seus pés pisaram. Filho de Hubert Linden e Cecília Goelden, no batismo recebeu o nome do pai: Humberto (em português). Bruno foi o nome que recebeu ao entrar na Ordem Franciscana. Teve três irmãs mais velhas que ele: Cecília, Ana Catarina e Humbertina. Seu pai era operário de fábrica e sua mãe, filha de agricultores. Ingressou no seminário de Harreveld, na Holanda, no início de l892, como seminarista. E no dia 13 de maio de l894 foi recebido no noviciado, com o nome de Frei Bruno. Era grande em toda a província e no seminário em Harreveld, o espírito missionário, cultivado com equilíbrio e entusiasmo. Terminados os primeiros seis meses de noviciado, o Ministro Provincial permitiu aos que quisessem ser missionários no Brasil terminarem o noviciado em Salvador, na Bahia. No dia 20 de junho de l894, uma expedição numerosa partiu de Hamburgo, de navio, com destino ao Brasil. Eram ao todo 52 pessoas: padres, religiosos, irmãos leigos e 24 noviços, dentre eles Frei Bruno, que abraçou tão plenamente a missão, optando por nunca mais retornar à sua terra natal. As dificuldades enfrentadas pelos missionários eram muitas: distâncias, falta de estradas, dificuldade de comunicação, doenças e outras. Nos anos de l894 a meados de l895 aconteceu um grande surto de febre amarela em Salvador. Quarenta frades foram atingidos, tendo morrido uma dezena deles, com idade entre 17 e 28 anos. Frei Bruno passou ileso pela peste. Frei Bruno fez os estudos de Filosofia em Salvador, no Convento São Francisco. A partir de l898 estudou em Petrópolis, no Rio de Janeiro, no Instituto Franciscano de Teologia, na época recém inaugurado e em pleno funcionamento até os dias de hoje. Em Petrópolis Frei Bruno recebeu o subdiaconato no dia 24 de fevereiro de l900; o diaconato no dia 1º de maio do mesmo ano e o sacerdócio no dia 1º de maio de l901, na Igreja Sagrado Coração de Jesus, das mãos de Dom Francisco do Rego Maia, Bispo de Petrópolis. Seu jovem coração ardia na ânsia de ir ao encontro dos irmãos necessitados, curar suas feridas e animá-los no seguimento de Jesus. Assim começou sua caminhada de servo de Deus. De 1901 ao final de l902 permaneceu em Petrópolis-RJ; em l902 foi transferido para Gaspar-SC; em l907 retornou para Petrópolis até l909, quando foi transferido para São José-SC. No dia 13 de junho de l918 foi transferido para Nãome-Toque-RS, onde junto com mais dois freis fundaram a primeira residência franciscana no Rio Grande do Sul, numa colônia com alemãs, italianos e brasileiros, onde permaneceu por 7 anos e meio. Diz a crônica escrita por Frei Bruno:

3

“Nossa casa é igual a dos outros moradores, uma pequena casa de taboas, pobre e modesta, bem dentro do espírito de São Francisco de Assis” (p.51). E acrescenta: “já nas primeiras noites tivemos que sair a cavalo para atender aos doentes”. Em l926 Frei Bruno foi transferido para RodeioSC, onde permaneceu por 19 anos; dali foi para Esteves Junior, em l945 e no mesmo ano foi transferido para Xaxim-SC, onde chegou como pároco, com seus 70 anos, com grandes desafios os quais foram por ele abraçados com muita coragem e determinação. Sua permanência na Paróquia São Luiz Gonzaga, de l945 a l955, coincide com o período das grandes construções. Em l947 foi lançada a pedra fundamental da matriz, que foi inaugurada em l951. Também foi construída a casa paroquial e o salão comunitário. Várias comunidades foram criadas e organizadas nestes anos com seu apoio e seu incentivo. Durante esta vida de total dedicação aos irmãos e irmãs, Frei Bruno foi se debilitando fisicamente, com duas hérnias que o impediam de andar a cavalo e de carro. Com seus oitenta anos e devido aos problemas cardíacos, precisava de um descanso. Foi então transferido para Luzerna-SC, sem nenhum cargo, para repouso. Logo mudou-se para Joaçaba-SC, onde continuou seu apostolado visitando pessoas, atendendo confissões, respondendo cartas, ajudando presidiários e empregadas domésticas a terem vida mais digna. No dia 25 de fevereiro de l960, o guardião (Frei responsável pela fraternidade) voltando de uma missa encontrou-o morto no quarto. Tinha 83 anos, 65 de vida religiosa e 58 de sacerdote. Sua caminhada nesta terra foi de inteira dedicação aos mais necessitados e de entrega total a vontade de Deus. Sua fidelidade a vocação escolhida faz com que seja lembrado como: “padre incansável”, “missionário zeloso”, “homem santo”, aquele que encontrou a perfeita alegria doando sua vida por amor a Deus e aos irmãos e irmãs. Redação: Iraci Lopes Dalla Rosa Fonte: Frei Clarêncio Neotti.

E Jesus lhe disse: “Eu irei e lhe darei saúde”. (Mateus 8,7)


4 a

1 Festa de Frei Bruno Por Janquieli Ceruti Nos dias 22 e 23 deste mês estamos celebrando a 2ª festa em honra a Frei Bruno, em nossa Paróquia São Luiz Gonzaga de Xaxim. A celebração festiva mantém vivo o trabalho realizado por Frei Bruno em sua passagem pelo município e vai de encontro aos desejos dos fiéis, que mesmo sem a concretização do processo de beatificação, já o consideram Santo, motivados pela história de vida do líder religioso e pelos milagres recebidos em seu nome. Para reforçar ainda mais a presença de Padre Bruno, forma carinhosa como os fiéis o chamam, Frei Bruno foi homenageado com estátua em tamanho real, fixada ao lado da Igreja Matriz e inaugurada na 1ª Festa de Frei Bruno, que aconteceu nos dias 02 e 03 de março do ano passado. A 1ª edição foi um sucesso, cerca de 4 mil pessoas participaram da Festa, seja durante a missa, na inauguração da estátua ou na churrascada. O Salão Paroquial ficou lotado de fiéis, pessoas de todas as idades, muitas que nem conheceram o líder religioso, mas que foram orientadas nas famílias e na Igreja, e passaram a respeitar e a crer em Frei Bruno. O modo com que a comunidade abraçou a Festa certificou ainda mais o que já se sabia, Frei Bruno é exemplo de santidade e de bons valores para todos, e os quase 10 anos em que exerceu seu ministério em Xaxim, ficarão marcados eternamente no coração dos xaxinenses. Festa O pátio da Igreja Matriz foi coberto para acolher os visitantes. Moradores de municípios próximos também compareceram, entre eles, de Lajeado Grande, Marema e Entre Rios. Durante a Festa, também foi feito o envio dos ministros de eucaristia de lugares vizinhos, cerca de 280 pessoas que animam a liturgia em suas comunidades. o envio dos ministros de eucaristia de lugares vizinhos, cerca de 280 pessoas que animam a liturgia em suas comunidades.

Todo lucro arrecadado com a Festa está sendo usado no processo de beatificação de Frei Bruno e em melhorias na Igreja Matriz. Conforme Frei Alex, pároco de Xaxim, há também o projeto de recuperação da Casa Paroquial, transformando-a em um centro histórico cultural, com memórias da história dos Freis Bruno e Plácido. A ideia é montar o quarto de Frei Bruno com seus objetos pessoais. Fazer uma exposição de documentos e fotografias, também está sendo projetado para transformar o espaço em um centro de visitação, ligado à história de Frei Bruno e à história da cidade. Estátua. Para que as lembranças não sejam levadas pelo tempo, Frei Bruno voltou à Igreja Matriz de Xaxim, ao ser eternizado em forma de estátua, com a mão em posição de benção, amparando todos que com o coração aberto clamam por sua ajuda ou agradecem por graças alcançadas. A imagem feita em bronze pesa 230 quilos e é uma representação de corpo inteiro, que mede 1,75 metros de altura, mesmo tamanho de Frei Bruno, com características físicas do Frei por volta dos 70 anos, vestido com roupas franciscanas. Ele carrega no braço um guarda-chuva, objeto típico de suas caminhadas e uma Coroa Franciscana, uma espécie de terço que os padres mais antigos usavam como adereço cristão. Houve dificuldades para a fabricação da estátua, entre elas, a falta de verbas para a sua construção, orçada em cerca de R$ 50 mil, que foi solucionada através da doação de um munícipe, que prefere manter seu nome em anonimato. Outra foi a falta de imagens com o retrato de Frei Bruno, já que todas em que o líder religioso aparece são em preto e branco e a única tridimensional é uma em ele aparece no caixão, durante o velório. Mesmo com contratempos e desafios para o artista, a estátua foi aprovada pelos fiéis e sua semelhança com Frei Bruno é impressionante.


Testumunhas de Frei Bruno

Genuino Antonio Zamprogna in memorian

Meu nome é GENUINO ANTONIO ZAMPROGNA, nasci em Guaporé/RS, no dia 23 de novembro de l929. Minha família veio para Xaxim no ano de 1937. Fomos uma das primeiras famílias colonizadoras desta cidade. Estivemos presente em todo o processo histórico da organização da Paróquia São Luiz Gonzaga. Minha mãe era cozinheira em todas as festas da Igreja. Eu e meus irmãos ajudamos a construir a Igreja matriz na época em que Frei Bruno era pároco, participando de mutirões de trabalhos voluntários. Depois fui membro do Conselho Administrativo e também da Equipe de Liturgia. Na época residente da atual Av. Luiz Lunardi, 286, no centro de Xaxim. Conheci Frei Bruno desde que ele veio para Xaxim, em l945. Ele tinha 70 anos e eu 16 anos. Seguidamente ele visitava nossa família. Frei Bruno era um verdadeiro franciscano, simples, humilde, pobre, sempre pronto para ajudar os necessitados. Veio da Alemanha e tornou-se um grande missionário do sertão. Depois de 10 anos como pároco em nossa paróquia, São Luiz Gonzaga, foi transferido para a cidade de Joaçaba, onde morreu e foi sepultado.

5

As virtudes de Frei Bruno eram muitas. Sua marca era o amor que expressava em serviços aos que necessitavam; a disponibilidade para atender a todos que o procuravam a qualquer hora do dia ou da noite; seu zelo pelos fiéis, que eram visitados e orientados para a vida em conformidade com a vontade de Deus. Sua fé e confiança em Deus eram inabaláveis, assim ele transmitia esperança a todos os que se encontravam em situações adversas. Suas vestes desbotadas e seu velho guarda-chuva e sua peregrinação a pé, nas visitas as comunidades, expressavam seu despojamento como um verdadeiro servo de Deus, que não queria glórias para si, mas simplesmente fazer o bem para o povo. Frei Bruno foi santo em vida. E depois de sua morte muitas pessoas o têm como santo e pedem sua intercessão. A cada ano cresce mais o número de pessoas que visitam seu túmulo em Joaçaba e que participam da romaria e das celebrações que lembram sua vida de fé, de oração e de boas obras. Eu pessoalmente recebi uma grande graça. Era casado há cinco anos e não tínhamos filhos. Consultamos vários médicos e todos diziam que minha mulher tinha o útero infantil e não poderia engravidar. Frei Bruno sabendo do caso fez uma visita à nossa casa, benzeu nosso quarto e deu uma bênção para nós dois. Depois da bênção ele disse: “mamãe logo vai ter novidade!”. Dentro de um mês minha esposa estava grávida. Tivemos dois filhos saudáveis. Frei Bruno também tinha fama de bilocar-se (estar em dois lugares simultaneamente). Muitos contam fatos de que Frei Bruno não aceitava caronas nas estradas por onde andava. Mesmo assim, chegava primeiro, ao seu local de destino. Pela vida de sacrifício em favor dos mais necessitados e pela obra de evangelização, desejamos que Frei Bruno seja reconhecido pela Igreja como santo. Xaxim, 10 de outubro de 2011 Genuino Antonio Zamprogna


6 Carta aos Catequistas Estimado/a Catequista – Prezada Comunidade de Fé e de Vida Saudações repletas do espírito franciscano de Paz e Bem! Ser cristão é ser anunciador da Boa Nova do Reino. É isso que o próprio Cristo pede a cada um de nós, quando Ele diz: “Ide por todo mundo e ensinai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16,15). A partir deste envio feito pelo próprio Cristo, todos nós nos tornamos evangelizadores, missionários, catequistas. Assumir este serviço – ministério de catequista dentro da comunidade de fé significa abraçar e corresponder à solicitação feita pelo próprio Jesus. Pois catequista é aquele que instrui – ensina a viva voz. Com estas palavras quero, pois, agradecer a cada um – cada uma de vocês – catequistas, que dedicam boa parte do tempo pessoal, em função da comunidade de fé, ensinando e educando seus filhos e filhas, a trilharem o caminho do amor, da comunhão e da fraternidade, proposto por Jesus. O verdadeiro espírito cristão nos ensina que tudo aquilo que fazemos não deve ser para nós mesmos – para o nosso próprio benefício ou mérito, senão, por causa do Reino de Deus. Animo, incentivo e encorajo a outros, para que, assim como vocês, também possam assumir a missão de serem catequistas, por amor a Deus e a comunidade da qual cada qual faz parte. Lembrem-se: “A messe é grande, mas os operários são poucos” (Lc 10, 2). É preciso que mais homens e mulheres se doem à causa do Evangelho. Aprendi da vida que o essencial não é poucas pessoas se doarem muito. E sim, que muitas pessoas se doem um pouco cada. Pois se cada um der um pouco de si, ninguém ficará sobrecarregado e todos terão parte na mesa do Senhor. Faço votos de que a graça do Senhor Jesus Cristo; o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam sempre com todos vocês” (2 Cor 13,13). E que assim possamos, cada vez mais, crescer no amor a Deus, servindo a comunidade de fé e de vida. Com estimas e gratidão, Valnei Brunetto Coordenador Paroquial da Catequese

~

Agenda Paroquial - Marco 2014 01/03 sábado

02/03 domingo

04/03

19:00h 14:30h 14:30h 14:30h 14:30h 19h 19h 19h 21:15h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ São Joaquim Missa ‐ Carlos Gomes Missa ‐ Treze de Maio Missa ‐ Despraiado Missa ‐ Balisa Missa ‐ Bairro Flor Missa ‐ Marema Encontro de Jovens ‐ Marema e setor

8:30h 19h 9:30h 10h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ Matriz Missa ‐ Pilão de Pedra Missa ‐ Lageado Grande

18:30h

Missa ‐ Matriz CARNAVAL

Terça ‐ feira

05/03

Quarta ‐ feira

06/03 Quinta ‐ feira

8:30h 18:30h 9h 9h 9h 19:30h 19:30h 19:30h

Missa ‐ Matriz ‐ CINZAS Missa ‐ Matriz Missa ‐ Lageado Grande Missa ‐ Marema Missa ‐ Entre Rios Missa ‐ Linha Chenet Missa ‐ Santa Lucia Missa ‐ Fazenda Santo Antônio

18:30h 14:30h

Missa ‐ Matriz Canto Pastoral ‐ Setor Arredores I, Arredores II Bairros e Matriz

07/03

Sexta ‐ feira

18:30h 15h 15h 20h 19:30h

08/03 sábado

19:00h 10:30h 14:30h 14:30h 14:30h 19h 19h 19h 13:30h 21:15h

09/03 domingo

11/03

Terça ‐ feira

12/03

Quarta ‐ feira

Missa ‐ Matriz ‐ VIA SACRA Missa ‐ Matriz ‐ Sagrado coração de Jesus Missa ‐ Entre Rios ‐ Sagrado coração de Jesus Missa ‐ Matriz ‐ Formatura Celer ‐ Moda e Jornalismo Formação e Orientação ‐ Pais, acomp. e cateq. ‐ Turma H Missa ‐ Matriz Missa ‐ Marema ‐ Encontro de mulher de Marema Missa ‐ São Pedro Pesqueiro Missa ‐ Vila Alegre Missa ‐ Antonio Prado Missa ‐ Bairro Guarany Missa ‐ Bairro Bela Vista Missa ‐ Bairro Frei Bruno Confraternização e encontro do dia da mulher Encontro de Jovens ‐ Diadema, Cachoerinha, São José, São Joaquim, Rondinha, Frei Placido

8:30h 19h 9:30h 9:30h 10:30h 10:30h 19:00h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ Matriz Missa ‐ Limeira Missa ‐ São João Missa ‐ Golfo São Roque ‐ FESTA Missa ‐ Cachoeirinha São José ‐ FESTA Missa ‐ Bairro Chagas

18:30h

Missa ‐ Matriz

18:30h 19:30h 14:00h

Missa ‐ Matriz Formação Catequistas ‐ Bairro Alvorada, Bairro Bela Vista Reunião c/ zeladoras das capelinhas e apostolado da oração

“Vigiai e orai para que não entreis em tentação.” (Marcos 14,38)


7 13/03

18:30h 19:00h 19:30h

Missa ‐ Matriz Reunião Equipe Paroquial Celebração Catecumenato ‐ Matriz turma G

14/03 Sexta ‐ feira

18:30h 19:00h 19:30h 19:30h

Missa ‐ Matriz Formação Catequistas ‐ Bairro Frei Bruno Missa ‐ Pocinho de Cima Missa ‐ Matriz ‐ Formatura

15/03 sábado

19:30h 14:30h 14:30h 14:30h 19:00h 19:00h 19:00h 20:30h

Missa ‐ Matriz ‐ Coral Missa ‐ Vila Aparecida Missa ‐ Barra Golfo Missa ‐ Linha Guarany Missa ‐ Lageado Grande Missa ‐ Bairro Ari Lunardi Missa ‐ Santa Teresinha Missa de Bodas Encontro de Jovens ‐ Br. Ari Lunardi, Santa Teresinha, Guarani e Frei Bruno.

Quinta ‐ feira

21:15h

16/03 Domingo

08:30h 19:00 h 09:30h 09:30h 09:00h 10:30h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ Matriz Missa ‐ Anita Garibaldi Missa ‐ Rui BArbosa Missa ‐ Navegantes Missa ‐ Nova Brasília ‐ Festa

18/03 Terça ‐ feira

18:30h 19:00 h

Missa ‐ Matriz

19/03

18:30h 19:30 h 19:00 h

Missa ‐ Matriz Missa Entre Rios ( da Saúde ) Formação e Orientação ‐ Catecumenato T. G

20/03

18:30h 19:30 h

Missa ‐ Matriz Formação Catequistas ‐ B Primavera e Flor

21/03 Sexta ‐ feira

19:00 h 16:00 h 20:00h 19:30h 09:00h 08:30h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ Hospital de Xanxerê Missa ‐ Matriz ‐ Formatura Formação e Orientação ‐ Catecumenato T. 01 Missa ‐ Navegantes Curso de Noivo

22/03

19:00 h 14:30 h 14:30h 14:30h 19:00h 19:00h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ São Francisco Missa ‐ Barra do Chapecozinho Missa Uvarana Missa ‐ Bairro Alvorada Missa ‐ Diadema

23/03

08:30 h 19:00 h 10:00h

Missa ‐ Matriz Missa ‐ Matriz Missa ‐ Matriz ‐ encontro da família Ribeiro dos Santos

10:30h 10:30h

Missa ‐ Rodeio Bonito ‐ Festa Missa ‐ Ervalzinho S. José ‐ Festa

24/03

19:00 h

Reunião catequistas Pré e 1ª Eucaris a ‐ Matriz

25/03

18:30h

Missa ‐ Matriz

26/03

18:30h 19:00 h

Missa ‐ Matriz Formação Catequistas ‐ Matriz

27/03 Quinta ‐ feira

18:30h

Missa ‐ Matriz Celebração do Catecumenato ‐ Admissão da Turma H com os jovens, pais e acompanhantes ‐ Matriz

Quarta ‐ feira

Quinta ‐ feira

Sábado

Domingo

Segunda ‐ feira

Terça ‐ feira

Quarta ‐ feira

19:30h

Formação Catequistas ‐ B. Guarany, Sta. Terezinha e Ari Lunardi

28/03

Sexta ‐ feira

29/03 sábado

18:30h 19:00h 15:00h 19:00h 14:30h 14:30h 14:30h 14:30h 19:00h 19:00h 19:00h 17:30h 21:15h

30/03 Domingo

08:30h 19:00h 09:00h 09:00h 09:00h 10:30h

Missa ‐ Matriz ENTRE AJUDA ‐ EM ABELARDO LUZ Reunião ‐ Conselho de Saúde Missa ‐ Matriz Missa ‐ Golfo de Cima Missa ‐ Linha Terceira Missa ‐ Canarinho Missa ‐ São Valen n Missa ‐ Vila Tigre Missa ‐ Rondinha Missa ‐ Bairro Primavera Casamento ‐ Matriz Encontro de jovens: Vila Tigre, Nova Brasília, Uvarana, Linha Canarinho, S. Valen n, Rodeio Bonito e Pilão de Pedra Missa ‐ Matriz Missa ‐ Matriz ‐ Apresentação de ba zados Missa ‐ Frei Plácido Missa ‐ Pocinho de Baixo Missa ‐ Monte Belo Missa ‐ Colorado ‐ Festa

Curiosidades sobre Frei Bruno Frei Bruno sempre era visto com um guarda-chuva no braço. O objeto preto já desbotado servia para ele, segundo contam os que lhe conheceram, para três funções: acolhe-lo da chuva, protege-lo do sol e espantar os cães em suas longas caminhadas pelas estradas do interior. A onipresença de Frei Bruno também foi ressaltada em diversos depoimentos dos que lhe conheceram. Conforme eles, o líder religioso possuía o atributo divino que fazia com que ele aparecesse em diversos lugares em tempos recordes, se considerado que Frei Bruno, quando trabalhou em Xaxim, já tinha idade avançada e hérnias que dificultavam sua locomoção nos longos caminhos que fazia a pé, raramente aceitando caronas.

Expediente Responsável Geral: Frei Alex Sandro Ciarnoscki Diretor: Valnei Brune o Produção/Revisão: Janquieli Ceru Arte/Diagramação: Alberto Grasel Filho Colaboração: Iraci Lopes Dalla Rosa

E disse-lhe: “Levanta-te e vai; a tua fé te salvou”. (Lucas 17,19)


´ Palavra de Fe Oração pela bea ficação de Frei Bruno Senhor Deus, vós nos ensinais na Bíblia Sagrada que sejamos santos porque Vós sois Santo. Aqui estamos, ó Pai, felizes por conhecer a vida e as virtudes cristãs do venerável frade franciscano Frei Bruno, humilde servidor, escolhido por Vós como missionário para revelar vossa ternura de Pai. Pelas pregações e testemunho cristão de Frei Bruno, Vós tocastes os corações. Pelos seus conselhos, pacificastes casais e famílias. Pelas numerosas cartas que ele respondeu, esclarecestes a fé verdadeira de tantos leitores. Pelos seus pés de mensageiro e missionário, em longas e incansáveis caminhadas por vales e montanhas, dialogando com a mãe‐natureza, levastes o conforto da palavra às pessoas e comunidades. Espírito Santo de Deus, Vós sois a fonte da san dade que enriquece a Igreja com novos santos e bem‐aventurados. Por isso vos pedimos cheios de confiança: “Dai‐nos a alegria de celebrar a bea ficação de Frei Bruno, nosso amigo e intercessor”. Senhor Jesus, animados pela vossa palavra “pedi e recebereis”, e firmes na devoção ao venerável Frei Bruno, invocamos, neste momento, a graça de que mais precisamos (pedir a graça). Amém! Rezar um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória ao Pai. Com aprovação eclesiás ca. Dom Frei Mário Marquez, OFMcap Bispo Diocesano de Joaçaba – SC

Campanha da Fraternidade 2014 Todos os anos a Igreja Católica do Brasil, durante a caminhada quaresmal, promove a Campanha da Fraternidade – CF. Neste ano o tema é: FRATERNIDADE E TRÁFICO HUMANO; o lema: “É para a liberdade que Cristo nos libertou”! (Gl 5,1). O obje vo da CF deste ano visa “iden ficar as prá cas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá‐ las como violação da dignidade e da liberdade humanas, mobilizando os cristãos e pessoas de boa vontade para erradicar este mal com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus”. O tráfico humano tem como finalidade da pessoa, podendo culminar na sua morte ou na sua escravidão. A exploração se dá pelo trabalho escravo, pela exploração sexual ou pela remoção de órgãos para a comercialização. Os aliciadores são muitas vezes pessoas do circulo de amizade das ví mas e ou dos familiares. O tráfico de pessoas é a terceira fonte mais lucra va do mundo. Ele movimenta 32 bilhões de dólares por ano. Só perde para o comércio de drogas e armas. A compra e venda de mulheres, homens e crianças para a exploração sexual é a forma mais comum de escravidão em nossos dias. Como cristãos e cristãs vivamos plenamente esta CF par cipando dos grupos de reflexão nas famílias e nos empenhando na erradicação desta forma su l, mas desumana de escravidão.


jornal_final  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you