Issuu on Google+

CADERNO ESPECIAL - JMJ 2013


FRANCISCANOS NA JMJ 2013

ESPECIAL JMJ

2


SONHO SONHADO

EM FAMÍLIA N FREI GUSTAVO MEDELLA, OFM

ESPECIAL JMJ

semestre de 2013.

Neste período, importantes fatos ocorreram: a

unca participara de uma Jornada

adesão da Família Franciscana do Brasil à iniciativa, dan-

Mundial da Juventude. Tive a graça

do “carta branca” para a comissão, a decisão dos atos e

de fazê-lo pela primeira vez, já não

espaços as serem preparados, o concurso para escolha da

tão jovem, na pátria amada, Brasil, e

logomarca, a captação de recursos, a produção de mate-

tive graça maior ainda de fazê-lo, franciscanamente, au-

rial impresso e audiovisual, a presença nas redes sociais e

xiliando nos trabalhos da assim chamada Presença Fran-

a divisão das tarefas e dos trabalhos. Muita gente foi en-

ciscana na JMJ. Desde já adianto que tudo correu aben-

volvida. Desta forma, a participação franciscana na JMJ

çoadamente bem (desculpem-me pelo pleonasmo): o

se deu nas seguintes iniciativas:

grande número de jovens de todas as nacionalidades que passaram pelo Espaço Franciscano no Largo da Carioca,

ESPAÇO FRANCISCANO

a adesão em massa da Família Franciscana ao encontro

Instalado junto à Igreja de São Francisco da Peni-

entre os Ministros e Superiores Gerais e a juventude, o

tência e do Convento Santo Antônio, no Largo da Cario-

fluxo dos peregrinos ao estande da Família Franciscana

ca, bem no coração da Cidade Maravilhosa, foi um ponto

na Feira Vocacional, além dos inúmeros comentários

de encontro para jovens, peregrinos, franciscanos e todos

positivos em torno das ações dão uma pequena mostra

os que desejaram participar. Muito trabalho foi empe-

de que os objetivos sonhados foram alcançados. Palmas

nhado para transformar este espaço num lugar agradável

para todos!

e acolhedor. As dependências da Igreja de São Francisco

Os muitos acontecimentos importantes e simul-

da Penitência estavam em situação precária por conta de

tâneos e a correria para responder às inúmeras demandas

uma série de fatores históricos. Num esforço comum,

próprias de um evento desta proporção talvez dificultem

a fraternidade local da OFS, a Comissão preparatória e

a escolha do melhor método para expor, dentre tudo

outros voluntários se empenharam nas tarefas de pla-

aquilo que trago na mente e no coração, o que seja mais

nejamento e também na execução de trabalhos braçais

importante. No entanto, partilho, nas linhas que seguem,

(pintura, faxina, limpeza) para tornar o local um ambien-

algumasimpressões em torno do processo de preparação

te favorável ao cultivo da mística franciscana. O trabalho

desta presença, dos principais acontecimentos e a da pre-

de decoração também foi de fundamental importância.

sença entre nós de “Francisco-Pai”.

A tenda montada, as bandeirinhas e panos coloridos, as imagens, os grandes painéis de boas-vindas, o sorriso fra-

A COMPOSIÇÃO DA EQUIPE

terno e acolhedor de frades, religiosas, irmãos e irmãs da

A partir de uma provocação do Ministro Geral da

OFS e da Jufra tornaram o Espaço Franciscano um lugar

OFM à época, Frei José Rodríguez Carballo (hoje arce-

aprazível para se visitar e onde permanecer. Tudo francis-

bispo e secretário para a Congregação da Vida Consagra-

canamente simples, sóbrio e belo.

da), a Província Franciscana da Imaculada Conceição do

Os recursos utilizados para aluguel da tenda, do

Brasil designou um grupo de frades para uma comissão

som, do tablado e para a aquisição de todo o material

que teria como incumbência pensar e planejar ações que

necessário, além do pagamento dos profissionais envol-

marcassem a presença franciscana na Jornada. A partir

vidos, foram provenientes de doações da Missionszentra-

desta solicitação da Província, foi convocada a primeira

le dos Franciscanos, que financiou mais da metade das

reunião com membros de diferentes ramos da Família

despesas, da Província de Santa Cruz (OFM-MG) e de

Franciscana, realizada no início de maio de 2012, no

doações de diversas congregações, fraternidades da OFS

Convento São Francisco, em São Paulo. Este encontro foi

e pessoas físicas ligadas à FFB. A Província Franciscana

o embrião da Presença Franciscana na JMJ. Seguiram-se

da Imaculada Conceição do Brasil (OFM-SC, PR, SP, RJ)

sete reuniões no decorrer de 2012 e também no primeiro

assumiu a produção de todo material impresso, através

3


ESPECIAL JMJ

da Editora Vozes e da Universidade São Francisco, a ad-

São Francisco da Penitência.

ministração do site e a mão de obra na comunicação. O

Ali estavam expostos o Cristo Eucarístico para

apoio logístico para hospedagem coube ao Convento

adoração e também o Crucifixo de São Damião, aquele

Santo Antônio.

ícone histórico que teria dito ao Santo de Assis: “Fran-

Com movimento constante de peregrinos de toda

cisco, reconstrói a minha casa”. Junto às Irmãs Clarissas

parte do mundo, grande parte de latino-americanos, o

e Concepcionistas, o peregrino tinha a preciosa chance

Espaço cumpriu com leveza e competência as propostas

de estar face a face com o Cristo, em oração. Diversos se

que para ele foram planejadas, como lugar para rodas

emocionaram. Além dos momentos contemplativos, as

de conversa, descanso, oração, apresentações culturais,

irmãs também ficaram à disposição dos peregrinos para

troca de experiências e diálogo. A ampla programação

momentos de conversas, aconselhamento e acolhida.

artística, cultural e religiosa deu ao espaço uma feição

Na parte musical, o Espaço também se mos-

simples, diversa, fraterna, plural e aberta ao diálogo e ao

trou “sortido”, com apresentações do grupo americano

acolhimento, bem ao modo franciscano.

El Padrecito & The Foundnation Family, da Califórnia,

À distância, quem passava pelo Largo da Cario-

que trouxe Rap Cristão, do Grupo PagoJUFRA (Samba

ca, inevitavelmente olhava para o painel gigante com São

Franciscano) e de Frei Florival, além de apresentações de

Francisco e o Papa Francisco, que possuía 17m X 7m e

balés e teatros preparados carinhosamente. A Pastoral da

trazia a inscrição “Francisco está aqui”, em inglês e portu-

Juventude dos Meios Populares apresentou a Ciranda da

guês. Havia ainda outro grande painel com as imagens de

Vida. Houve também danças típicas do Brasil e de outros

São Francisco e Santa Clara. Junto ao portão, dois dese-

países. Além de todo empenho na preparação do Espaço,

nhos coloridos dos jovens Francisco e Clara, junto a uma

a Juventude Franciscana atuou na montagem e apresen-

faixa de boas-vindas em diferentes idiomas.

tação da Exposição rostos e realidades juvenis: denúncias

As irmãs de vida contemplativa trouxeram para

e lutas sociais.

o Espaço Franciscano a presença de Francisco, Clara e

4

Beatriz que buscam a intimidade com o Senhor na vida

TRÊS MINISTROS, DUAS LÍNGUAS

de oração. Elas tiveram como principal lugar de perma-

E UM SÓ CORAÇÃO... FRANCISCANO

nência a capela rústica, de pedras à vista, especialmente

O clima de unidade entre a Família Franciscana Mundial

montada no local onde funcionava a senzala da Igreja de

também perpassou os momentos de oração comum re-


ESPECIAL JMJ

Encarnación del Pozo, Ministra Geral da OFS Frei Marco também chamou a atenção para a importância do cultivo da unidade na Família Franciscana. “Viemos de lugares diferentes, usamos hábitos diferentes, mas isto é da história. O importante é que somos movidos pela mesma paixão por Cristo que moveu Francisco e Clara”. Como na oração de abertura do Espaço, os participantes de diferentes idiomas se uniram para rezar o Pai-nosso, que foi recitado em português, italiaalizados na tenda do Espaço Franciscano. Na manhã da

no, espanhol e inglês. Próximo ao término do momento

quinta, dia 25 de julho, no Espaço Franciscano, num cli-

de oração, chegou ao Espaço Franciscano o suíço Frei

ma familiar, simples, marcado por espontâneo improvi-

Mauro Jöhri, Ministro Geral da OFMCap (capuchinhos).

so, a Providência se encarregou de permitir que os Minis-

Também falando em italiano, Frei Mauro brincou e disse

tros Gerais de cada obediência se dirigissem aos jovens e

que foi “pego de surpresa” para falar e também fez refe-

à Família Franciscana.Frei Michael Perry, Ministro Geral

rência à chuva. “Fico muito feliz em ver tantos irmãos

da OFM (frades menores), falou na abertura do Momen-

e irmãs jovens, neste dia em que louvamos a Deus pela

to de Oração, após acender o Círio Pascal, a Luz de Cristo

Irmã Água que, segundo São Francisco, é muito humilde,

vivo e ressuscitado que ilumina o coração da juventude.

preciosa e casta”.

Expressando-se em inglês, Frei Michael demons-

Os três Ministros Gerais foram muito espontâne-

trou muito afeto nas palavras e, olhando nos olhos de

os ao se expressarem. Falaram com o coração. Apesar de

irmãos e irmãs da assembleia, enfatizou: “Você é uma

não terem sido combinadas previamente, as colocações

maravilha de Deus”. Depois, pediu que todos se olhas-

dos Ministros Gerais conferiram a este momento alegria

sem nos olhos e repetissem esta mesma afirmação entre

e sentido de unidade. Ao final, todos foram convidados

si. Também destacou a importância de todos os segui-

a se saudar, franciscanamente, com a conhecida máxima

dores de Clara e Francisco se imbuírem do espírito mis-

de “Paz e Bem”. Houve festa, dança, alegria e confraterni-

sionário. “Ao nos apresentarmos, devemos acrescentar

zação, tudo com o tempero da simplicidade franciscana.

ao nosso nome a palavra missionário. ‘Eu sou Michael,

Em outros dias, nos momentos de oração, também tive-

missionário!’”. A Oração teve prosseguimento e, durante

ram oportunidade de se expressar a Ministra Internacio-

a Leitura do Evangelho, chegou ao Espaço Franciscano

nal da OFS, Encarnación del Pozo, e o Vigário Geral da

Frei Marco Tasca, Ministro Geral da OFMConv (frades

TOR, Frei Amando Trujillo.

conventuais), que se comunicou em italiano. “A ressurreição de Cristo é uma prova de que, em nossa vida, a

ENCONTRO ENTRE A JUVENTUDE

morte não está em primeiro lugar, a tristeza não está pri-

E OS MINISTROS E SUPERIORES

meiro lugar, nossos pecados não estão em primeiro lugar,

GERAIS FRANCISCANOS

mas a esperança. A vida franciscana não pode ser desa-

Foi realizado na Igreja de São Sebastião, dos Fra-

nimada ou triste”.

des Capuchinhos, que ficou repleta de franciscanos e

5


ESPECIAL JMJ

Da esq. para a dir.: os Gerais Frei Marco, Frei Michael e Frei Mauro franciscanas de muitos ramos e expressões desta gran-

santo, e também o Papa, apareceram nas colocações dos

de família. A acolhida dos irmãos OFMCap e o zelo na

Gerais: o respeito e o amor ao pobre, a necessidade de

preparação de cada momento do encontro, por si só,

preservação da natureza e dos bens da criação, a atenção

já foram testemunho do dom da fraternidade, que não

devotada e comprometida com o próximo, senso crítico

reserva nada para si, mas se entrega integralmente, em

e criatividade para fazer frente à cultura do descartável.

forma de serviço. No encontro, a Mesa dos Gerais foi conduzida

6

COM O PAPA, FRANCISCANAMENTE,

pela jovem croata Anna Fruk, representante da Juventu-

JUNTO AOS MENORES

de Franciscana no Conselho Geral da OFS. Cada um, a

Outro momento tocante e forte da presença fran-

seu modo, abordou o tema que fora solicitado. Os irmãos

ciscana na JMJ foi a visita do Papa Francisco ao Hospi-

ministros, sentados lado a lado, o calor humano que

tal São Francisco, na Tijuca, às 18h do dia 24 de julho.

emanava da assembleia, a devoção dos momentos oran-

O Hospital atualmente é dirigido pelos Franciscanos na

tes confirmavam que a unidade na diversidade é o cami-

Providência de Deus. Ali, o Papa participou da inaugu-

nho sonhado por Deus para os seguidores e seguidoras

ração de um Centro de Recuperação para dependentes

de Francisco e Clara. Dentre os temas caros a Francisco, o

químicos, encontrou-se com doentes e, logo ao chegar,

Oração dos jufristas na Tenda Franciscana


ESPECIAL JMJ

esteve na Capela do hospital para uns instantes de ado-

Francisco vem suprir uma lacuna no coração da

ração ao Cristo Eucarístico e esteve também por alguns

humanidade, para além das diferenças religiosas, de vi-

minutos na companhia de vários franciscanos, cumpri-

são de mundo e modo de pensar. Vem oferecer o olhar

mentando afetuosamente os Ministros Gerais dos três

afetuoso que toca o simples, no pulsante coração de cada

ramos da OFM (menores, capuchinhos e conventuais).

pessoa, das lembranças agradáveis e sempre presentes

Este foi o primeiro encontro mais próximo entre o Papa e

que têm gosto de infância. Cada beijo que Francisco

os superiores gerais franciscanos.

dava a um pequenino, o dava em Cristo e em cada um daqueles inúmeros filhos e filhas que assistiam a seus ges-

PRESENÇA NA FEIRA VOCACIONAL NA QUINTA DA BOA VISTA

tos de carinho. Quem teve a graça de colecionar experiências

Os franciscanos e franciscanas também se fize-

desta natureza nos tempos de criança, conseguiu revivê-

ram presentes na Feira Vocacional, realizada na Quinta

-las. Quem não as teve com tanta intensidade, pode

da Boa Vista, na Zona Norte do Rio, um verdadeiro festi-

também se sentir abraçado, afagado, acarinhado por

val das diversas manifestações de carismas suscitados no

Francisco. Aqueles que vivem na pele a orfandade nos

coração da Igreja pela multiforme graça de Deus. Mais

mais diversos âmbitos, por conta de negligência em

uma vez, o destaque dos seguidores e seguidoras de Fran-

suas diferentes manifestações e vertentes, encontraram

cisco e Clara se apoiou na simplicidade. Um espaço de

no “Pai Francisco” uma voz que clamava em seu favor:

3m x 3m, coberto de esteiras de palha, com as cores bran-

crianças desassistidas, doentes, jovens, idosos abandona-

ca e marrom sobre as paredes, as imagens de Francisco

dos e desrespeitados, dependentes químicos e moradores

e Clara, o Crucifixo de São Damião, flores discretas e a

de rua foram presenças cativas e constantes nos gestos e

presença de um irmão ou irmã das muitas congregações

pronunciamentos do Papa Francisco. Que Deus abençoe

e também da OFS eram um convite à oração e à con-

este homem que não se cansa de se recomendar às ora-

templação do Deus Altíssimo. Muitos jovens visitaram o

ções dos seus e que permaneça sendo para todos, indis-

Espaço e puderam conhecer um pouco mais do carisma

tintamente, a presença doce de Cristo Jesus.

franciscano.

Muito mais poderia ser escrito e descrito. A Jornada Mundial da Juventude é perpassada pela mística da

FRANCISCO, PAPA... FRANCISCO, PAI

peregrinação e do envio. Franciscanamente, foi ocasião

Os discursos, gestos profundos e simbólicos, a

de revigorar e despertar nos corações a mesma paixão

simpatia full time, o interesse real e sincero do Papa Fran-

por Cisto que Clara e Francisco nutriram em suas vidas.

cisco por quem vinha ao seu encontro, tudo foi transmi-

Deus seja louvado por este tempo de graça, por

tido em tempo real para o mundo todo pelos meios de

todo amor e entusiasmo que Ele distribuiu largamente

comunicação. Gostaria de chamar atenção para apenas

em todos estes momentos da Presença Franciscana na

um aspecto desta presença entre nós: a paternidade.

Jornada Mundial da Juventude.

7


ESPECIAL JMJ

FAMÍLIA REUNIDA

U

8

m dos grandes momentos do Espaço Franciscano foi o Encontro dos Ministros e Superiores Gerais na quarta-feira (24), na Igreja de São Sebastião, na Tijuca, para falar do carisma de São Francisco e Santa Clara aos jovens e religiosos (as) da Família Franciscana do Brasil e mundial. A jovem croata, representante da Juventude Franciscana no Conselho Geral da Ordem Franciscana Secular, Anna Fruk, conduziu a mesa dos Gerais. O primeiro a falar foi o Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, o norte-americano Michael Perry, citando o Evangelho de Lucas (1, 1-4), quando Jesus foi à cidade de Nazaré, entrou na sinagoga, e levantou-se para fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías, onde leu a passagem que está escrito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos, e para proclamar um ano de graça do Senhor.”

Frei Michael lembrou que o Espírito do Senhor está sobre nós e nos chama à liberdade, nos chama para darmos esperança ao mundo inteiro, nos chama para sermos discípulos de Jesus, nos chama para perto dos mais pobres. “E o Papa Francisco está dizendo que é preciso voltar aos pobres”, enfatizou, reforçando que é importante “para nós, franciscanos, não deixarmos os lugares fraturados esquecidos”. Segundo Frei Michael, o Espírito do Senhor está chamando para dar esperança e liberdade a todo mundo. “Vamos acreditar que o Espírito do Senhor está mesmo sobre nós. Vamos ter olhos, corações e nariz abertos para conhecer e proclamar o Evangelho”, enfatizou. Na mesma linha de reflexão do Papa Francisco, pautou-se o Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, Mauro Jöhri, que lembrou uma história do tempo de São Francisco, quando o santo repreende um frade que chamou um pobre de “fingido”. São Francisco mandou que ele tirasse o hábito, pedisse perdão e beijasse os pés do pobre. “Francisco não aceitava que se desprezasse o pobre. Um


frade nunca despreza um pobre. Franciscano nunca despreza um pobre (aplausos)”, reforçou o Ministro Geral dos Capuchinhos. “Francisco reconheceu que encontrou Cristo nos pobres. Só quando se abriu para os pobres conseguiu se abrir para Cristo. Antes os pobres lhe causavam repulsa. Os leprosos cheiravam mal. Mas, um dia, Deus o agarrou e levou para o meio dos pobres. Aquilo que era amargo se tornou doce. Não se pode dizer que se ama a Deus que não se vê e se não se ama ao pobre que se vê. Existem tantos pobres que esperam por um gesto de solidariedade e amizade. Você pode não ter dinheiro para dar a um pobre, mas poderá saudá-lo e ficar um tempo com ele”, encerrou, desejando boa caminhada. O Ministro dos Frades Menores Conventuais, Frei Marco Tasca, tratou do “carisma franciscano e a comunicação”. “Eu sei que esse tema da comunicação

O Vigário Geral da Terceira Ordem Regular, Frei Amando Trujillo, falou de ecologia e espiritualidade, um tema cada vez mais atual e um compromisso dos franciscanos. “Nós, como franciscanos, temos a obrigação de renovar a criação como um dom de Deus”. Segundo ele, o Papa Francisco convoca a todos a serem protetores da criação e não destruidores. “Estamos destruindo a natureza e, consequentemente, destruindo nossas vidas”, lamentou. Já a presidente da Confederação Internacional dos Irmãos e Irmãs Franciscanas, TOR, Deborah Lockwood, OSF, falou de fraternidade na espiritualidade franciscana. “Cada irmão, cada irmã é um presente de Deus e por isso devemos ter respeito por eles”, destacou. A simpática Ministra Geral da OFS, Encarnación del Pozo, falou com carinho da Juventude Franciscana e lembrou da dificuldade para se ter as-

vocês não conhecem mais ou sistência espiritual menos, mas conhecem muito da Primeira Ordem bem”, brincou. “Eu gostaria de no mundo inteiro. recordar um dado muito imA vice-presiportante. Deus se conectou pridente da Federação meiramente conosco. Não espedas Irmâs Conceprou que nós nos conectássemos cionistas do Brasil, a ele. E ele fez de uma maneira Ir. Lindinalva de Mamuito interessante. Mandou seu ria, disse que o desaFilho Jesus ao nosso meio. Isto fio hoje é recuperar é, se conectou conosco através o jovem que está de um corpo, com afetos, com se distanciando da PAPA FRANCISCO sonhos, com gestos concretos”, Igreja. assinalou. Quatro jovens Para ele, é claro que os fizeram perguntas meios de comunicação são uma grande oportunidaaos Ministros Gerais e, pela Província da Imaculada, de, mas é preciso vivê-los de uma maneira cristã e Frei João Pedro Inácio Silva Almeida, interpelou Frei franciscana. “Penso que São Francisco e Santa Clara Michael Perry sobre qual deve ser a postura do frade foram grandes comunicadores. Todos vocês conhemenor numa sociedade marcada pelo relativismo e cem a passagem da Perfeita Alegria e como São Fransecularismo? Segundo o Ministro Geral OFM, essa cisco expressa aquilo que está vivendo como história. realidade não deve afastar o frade do mundo. “Essas Creio que nós, de fato, somos chamados hoje a viver situações negativas fizeram Francisco se aproximar esses meios de comunicação com uma maneira difedo mundo. A tendência é se afastar, mas o frade merente. Porque temos um modo diferente de amar; um nor deve se tornar um sinal de fé, esperança e carimodo diferente de estar juntos; um modo diferente dade”, disse. de economia; um modo diferente de viver as relações. Todos os ministros (as) acenderam as velas no É isto que o mundo espera de nós: que sejamos sinal Círio Pascal e passaram a chama aos jovens em sinal de diferença. Que não sejamos iguais a todos e não de envio nesta Jornada Mundial da Juventude que façamos o que todo mundo faz, não vivamos como tem como tema “Ide e fazei discípulos entre todas as todos vivem. Somos chamados a ser sinal de diferennações” (Mt 28, 19). No encerramento, o grupo de ça. Coragem irmãos! Vamos mudar o mundo naquilo teatro da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Nique o mundo está esperando”, convocou. lópolis representou a vida de São Francisco de Assis.

ESPECIAL JMJ

“Ninguém pode tocar a Cruz de Jesus sem deixar algo de si mesmo nela e sem trazer algo da Cruz de Jesus para sua própria vida”.

9


ESPECIAL JMJ

A “CAPELA DOS

ESCRAVOS”

10

O

Espaço Franciscano foi criado em frente ao conjunto da Igreja da Venerável Ordem Terceira e do Convento Santo Antônio, no largo da Carioca. A Capelinha desse espaço, que

ganhou o nome de “Capela dos Escravos”, tornou-se durante a Jornada Mundial da Juventude o local mais procurado pelos jovens, com a presença significativa das irmãs franciscanas contemplativas: Clarissas e Concepcionistas.


ESPECIAL JMJ

Sua estrutura em pedra, nos porões da Igreja da Ordem Terceira, ganhou o Crucifixo de São Damião, o Sacrário com o ostensório adquirido em Assis, em madeira de oliva, e os bancos, lembrando as pequenas capelinhas restauradas por São Francisco de Assis no início da Ordem, entre elas, a Porciúncula e

conta Frei Basílio, afirmando que os franciscanos os tratavam muito bem, como mostram os registros do guardião de 1867, que gastou 11$560 com internação de um escravo num hospital durante nove dias. A Lei Áurea libertou os escravos em 13 de maio de 1888. O sucesso do espaço de oração levou a VOT a

São Damião. O ambiente tão acolhedor e contemplativo, contudo, tem uma história que remete ao tempo do Brasil-Colônia: era uma masmorra de escravos. Nesta época, era comum muitos conventos e igrejas contarem com escravos para as edificações. Frei Basílio Röwer atesta no livro “Páginas de história franciscana no Brasil” que em 1872 o Convento da Penha (ES) tinha 42 escravos. “A remodelação do Santuário e a construção dificílima do Convento foram principalmente obras dos escravos. Entre eles havia músicos que participavam das festas solenes ou saíam do convento para pedir doações às festas”,

manter o local como uma Capelinha.

“Cristo ‘bota fé’ nos jovens e confia-lhes o futuro de sua própria causa: ‘Ide, fazei discípulos’”. PAPA FRANCISCO

11


ESPECIAL JMJ

O RAP TOMA CONTA DA TENDA

N

12

ão poderia ser diferente. O melhor rap da Jornada Mundial da Juventude veio dos Estados Unidos. O país que criou esse gênero de música. Nesta terça-feira (23), os rappers norte-americanos El Padrecito & The FoundNation Family roubaram a cena no encerramento das atividades do primeiro dia do Espaço Franciscano. O grupo é natural da Califórnia, onde nasceu o Pe. Masseo Gonzales, franciscano conventual conhecido como “El Padrecito”, que fundou a The FoundNation Family, integrada por Nick Torres, Carlos Zamora, Alfonso Pedroza, John Davidson, Val Mural e Daniela Ruiz Somocursio, a única mulher do grupo. El Padrecito agradeceu pela possibilidade de mostrar o seu trabalho na Jornada Mundial da Juventude e elogiou o acolhimento dos brasileiros. Segundo contou, o rap entrou em sua vida como um caminho que repetem milhares de norte-americanos das

comunidades negras. “Quando tinha 19 anos, perdi metade da perna direita quando vivia nas ruas. Foi uma fase de minha vida que tive vários problemas com a polícia e me meti em muitas confusões. Mas não demorou muito e o Pai me mostrou outro caminho. Conheci a história de São Francisco de Assis e um frade me pegou pela mão e me mostrou um mosteiro, onde eu começaria uma outra vida”, contou. Segundo El Padrecito, o rap é o seu trabalho que faz com os jovens. “Através dele, muitos jovens deixam a violência”, acredita. O público, que foi chegando timidamente para o show às 18 horas, entrou no ritmo, dançou, fez coreografias e bateu palmas. A vocalista Daniela, que é peruana, roubou a cena com sua simpatia e bela voz. Rap é um estilo musical raro em que o texto é mais importante que a linha melódica ou a parte harmônica. E como demonstrou o grupo, caiu como uma luva para passar a mensagem de Jesus Cristo.


“Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo!”. PAPA FRANCISCO

Frei Florival cantou na Tenda e também para o Papa FREI FLORIVAL O paranaense Frei Florival Mariano de Toledo já colhe os resultados do seu primeiro CD de cantos franciscanos. Por causa da beleza de suas composições e da sua voz, cantou para o Papa Francisco no Hospital São Francisco, durante a inauguração de uma ala para dependentes químicos. Na Tenda, ele apresentou os sucessos do CD “Perfeita Alegria”, que tem arranjos de Tião Oliveira, filho do violonista capixaba Maurício de Oliveira e de Washington Negrão, que acompanhou com o violão os concertos na JMJ. Frei Florival, que é natural de Umuarana, no Paraná, e ingressou na Ordem Franciscana em 1994, já fez várias participações como músico e cantor em diversos trabalhos musicais.

ESPECIAL JMJ

CIRANDA DA JUFRA O dia chuvoso no Rio de Janeiro não tirou o ânimo dos jovens jufristas do Brasil, que foram responsáveis pela animação na tarde da quinta-feira (25) no Espaço Franciscano, em frente à Igreja da Venerável Ordem Terceira, no Largo da Carioca. Os jovens brasileiros abriram esse momento com “ofício divino da juventude”. Todos os jovens se reuniram num grande círculo para rezar e refletir sobre a sua missão como jufrista e divulgadores do carisma de Francisco e Clara de Assis. Em seguida, eles promoveram a “Ciranda da Vida”, fazendo coreografias com cantos e danças. A participação dos jufristas terminou com um “PagoJufra”, que atraiu jovens de outros países, como os argentinos. Para os jufristas, a JMJ é um espaço celebrativo, mas também participativo, de construção, de troca experiências e partilhas. Especialmente de dialogar com jovens do mundo todo.

13


ESPECIAL JMJ

PAPA INAUGURA ALA DO HOSPITAL SÃO FRANCISCO

14

Debaixo de uma chuva torrencial, o Papa Francisco chegou à Tijuca, onde inaugurou uma ala no Hospital São Francisco de Assis para dependentes químicos. Da capela da unidade de saúde inaugurada até o palco montado para a celebração, Francisco abraçou doentes, distribuiu bênçãos e acenou para os convidados. A uma criança com deficiência física, mostrou o porquê de ter escolhido o nome Francisco para guiar a Igreja: “Me abençoe”, pediu o papa. O relato é de Frei Francisco Belotti, fundador da Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus, administradora do hospital, que passou todo o tempo da visita ao lado do Pontífice. O Papa iniciou seu discurso citando São Francisco de Assis, padroeiro do hospital, e sua vida de

“Precisamos todos aprender a abraçar quem passa necessidade, como São Francisco”. PAPA FRANCISCO

dedicação, dizendo que “não são as coisas, o ter, os ídolos do mundo a verdadeira riqueza e que estes não dão a verdadeira alegria, mas sim seguir a Cristo e servir os demais”. “Abraçar. Precisamos todos aprender a


ESPECIAL JMJ

Frei Dênis Mariano conversa com o Papa; “Não tenho palavras para descrever”.

abraçar quem passa necessidade, como São Francisco. Há tantas situações no Brasil e no mundo que reclamam atenção, cuidado, amor, como a luta contra a dependência química. Frequentemente, porém, nas nossas sociedades, o que prevalece é o egoísmo. São tantos os “mercadores de morte” que seguem a lógica do poder e do dinheiro a todo o custo! A chaga do tráfico de drogas, que favorece a violência e que semeia a dor e a morte, exige da inteira sociedade um ato de coragem, afirmou. O Papa criticou a possibilidade de legalização das drogas, “tão discutida na América Latina”. “É necessário enfrentar os problemas que estão na raiz do uso das drogas, acompanhando quem está em dificuldade e dando esperando no futuro”, disse. Emocionados, ex-dependentes químicos deram testemunhos na cerimônia de inauguração do centro de reabilitação. Receberam abraços do Papa. “Sei, pelo sofrimento e humilhação que passei, o quanto é importante que bons samaritanos e outros Franciscos se compadeçam de nós”, afirmou um deles que viveu 17 anos sob o vício das drogas e 10 deles como morador de rua. Frei Francisco, diretor do hospital, apre-

sentou ao Papa a missão do centro de tratamento. “Santo Padre, a lepra dos nossos dias se chama droga”, disse.

NA CAPELA COM OS FRADES Antes do cerimônia, o Papa teve encontro reservado com os frades na Capela do Hospital. “Um franciscano tocando violino. Quanta alegria”, disse, ao entrar na capela recém-reformada, na qual franciscanos tocavam violinos e órgão. Durante os 10 minutos que permaneceu no local, ajoelhou-se em frente ao sacrário enquanto os freis cantavam ‘Oh Providência’. Frei Dênis Mariano falou desse encontro com o Papa. “É uma experiência que não tenho palavras para descrever”, contou. “Nesse encontro, eu tive a coragem de sair do meu lugar e me dirigir ao Papa. Dei-lhe de presente um Tau e disse-lhe: ‘Santo Padre, o sr. é para nós uma grande referência. Nós nos inspiramos no sr.’ Mas ele pegou na minha mão, apertou e disse assim: ‘Vocês, franciscanos, são para mim uma inspiração’”, contou o jovem frade.

15


ATÉ

2016

EM CRACÓVIA

Esse argentino Apareceu ao povo o Papa: Feliz, Simples, humilde a todos surpreendendo, Lembrando o pobre, São Francisco de Assis, Como a apontar, esperança, e prometendo... Como a sonhar, do pobre ao pobre, uma Igreja, Sair de Roma, pra levar para o mundo A mensagem que Jesus nos deu, deseja Que lei se torne pra um coração profundo!... Esse argentino vai virar nossa Igreja, Na direção do Povo Santo na rua, E que assim seja sempre, sim, que ela seja Uma Igreja pobre e para o pobre, louvor!... Fora de Roma e pelo mundo a pregar O que Jesus deixou: - Um Reino de amor. FREI WALTER HUGO DE ALMEIDA


Jmj papa edicaohistorica medella