Issuu on Google+

PARtidO RePublicAnO dA ORdem SOciAl JORNALPROS 1

WWW.PROS.ORG.BR

NO 01 - MAIO 2014

SEJA MAIS, SEJA PROS!

GOVERNADOR MELO: JEITO PROS DE GOVERNAR FiliAçÕeS

Campanha do PROS é para 90 mil filiados PROAmA

Água para 500 mil pessoas GReVe

O diálogo venceu SEJA UM DOS 90 MIL PROS


2

JORNALPROS

Quem é José Melo?

A

história de vida de José Melo de Oliveira, é tão valiosa de significado que salta do currículo escolar e profissional para transpor distâncias e fronteiras – mata adentro e rio abaixo – desembocando na história de vida de todo caboclo amazônico. No caso dele, alcançando a compreensão de vida natural dos grandes estadistas. Na trilha da humildade e do diálogo, ele palmilhou caminhos que deram em sucesso para ele e sua gente. José Melo nasceu em 26 de setembro de 1946, no município de Eirunepé – região do rio Juruá. Filho querido de uma família de seringueiros, apreendeu desde cedo a respeitar a floresta, honrar suas origens e buscar melhorias para ele e sua família nos braços da Educação. Não importava se a alfabetização só chegasse aos seus 14 anos. Tinha como lição de casa que nunca é tarde para se fazer o que é certo. A educação foi sua redenção, e entraria na sua vida para nunca mais sair. Mais

tarde, anos 90, ele dividiria a história da Educação do Amazonas em antes e depois da Educação de Qualidade. Este conceito revolucionou os objetivos e metas do Ensino público estadual. Formado em Economia, o professor José Melo iniciou a vida pública em 1967, lecionando História no Ginásio Estadual Estelita Tapajós, após uma curta passagem pelo Banco Comercial do Pará. Ensinou depois em outras escolas, colecionando muitos méritos na área de educação, hoje prioridade em todos os níveis de governos. Entre 1984 e 1987, foi delegado do Ministério da Educação e Cultura. De 1989 a março de 1991, foi secretário de Educação e Cultura do Estado do Amazonas. Entre 1993 e março de 1994, foi secretário Municipal de Educação de Manaus. Em 1995, voltou a assumir a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Desportos do Amazonas. Também esteve à frente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazo-

nas (Idam) e da Secretaria de Estado de Coordenação do Interior (Seint) e atuou como consultor em várias empresas privadas. Foi deputado federal duas vezes, em 1994 e em 1998, sendo o mais votado na segunda ocasião. Entre 2005 e 2006, foi presidente da Sociedade de Navegação Portos e Hidrovias do Amazonas (SNPH). Ainda em 2006, assumiu a Secretaria de Governo do Amazonas (Segov), onde esteve no comando até abril de 2010 – se tornando vice-governador. Com uma vasta experiência de quem sabe comandar e ser comando, ao longo dos mais de trinta anos de serviço público, José Melo assume o Governo do Amazonas, o mais graduado posto de um servidor público. O governador usará toda experiência e sensibilidade para atender as necessidades atuais de cada pessoa desse Amazonas continental, ao mesmo tempo em que iniciará trabalhos que atendam necessidades futuras.

Filiação é para 90 mil O Partido Republicano da Ordem Social - PROS, se instalou no Amazonas com um objetivo plural: ser um instrumento de poder cidadãos e cidadãs construírem um cotidiano coletivo mais justo, digno e próspero. Sua meta, neste 2014, 90 mil filiados. O PROS já abriga líderes com vasta experiência na luta democrática no Amazonas. Você pode somar com a gente, se filiando ao PROS e entregando sua voz à conquista de um sociedade melhor. Seja mais, seja PROS.

PROS – Partido Republicano da Ordem Social O PROS nasceu com um ideal de ordem social. Fortaleceu-se com valores humanitários e visionários. O PROS governa o Amazonas com a grande liderança e experiência do Governador José Melo.

Partido Republicano de Ordem Social - PROS Rua Via Local Sul B, Nº 8, Conj. Aruanã, Compensa Telefone: 3347-0124 EDITOR EXECUTIVO E DE REDAÇÃO Marcus Stoyanovith- RG 589- DRT-AM FOTOGRAFIA Clovis Miranda- RG 067 DRT-AM COLABORADORES Valdo Leão Willians Ferry REDAÇÃO PUBLICITÁRIA Liduina Moura

SEJA UM DOS 90 MIL PROS


Www.pros.org.br

Entrevista com o Governador

falando de futuro o tempo todo; de um futuro que nunca chega. O futuro é o que eu estou fazendo agora. O senhor poderia dar um exemplo prático do que o senhor está falando? MELO - Vamos lá: Há um tabu de que no Amazonas as terras não são para agricultura. Aí ninguém investe e a floresta é degradada. Hoje isso é falso porque temos tecnologia prá corrigir o solo. Aí podemos plantar, gerar mais trabalho, emprego e renda, desfazendo esse tabu; tem as várzeas que todo mundo fala, mas ninguém aproveita. Também temos tecnologia para aproveitá-las. O mundo implora por produtos orgânicos sem agrotóxicos e você sabe quem fertiliza e limpa as várzeas? A própria natureza. O caboclo já sabe disso há séculos.

Servidor público por trinta anos, o professor José Melo é empossado governador do Amazonas. Até alcançar o posto mais graduado do serviço público ele comandou e foi comandado, sempre com o mesmo respeito e empenho. Nestas três décadas é provável que não tenha uma obra edificada que ele não ajudou a construir: escolas, hospitais, ramais em estradas, espaços culturais e esportivos; obras prá tudo que é lado e com várias finalidades e benefícios. Trabalhador em equipe e defensor nato do diálogo como arma de solução de conflitos o governador Melo, tem nisso seu jeito de governar e assim, para ele, o maior benefício é aquele que alcança o indivíduo e ajuda-o a mudar sua vida para melhor. Agora, dando continuidade a obras do ex-governador Omar Aziz, ele também atende às novas necessidades e soluciona suas próprias demandas. Em poucos dias, nasce um governo com muita rapidez nas decisões e diálogo aberto e construtivo. Não é exagero falar em soluções instantâneas para problemas antigos. Conheça um pouco do pensamento e do jeito de fazer deste homem simples, já como governador, nesta rápida e descontraída entrevista: É possível fazer novas obras e dar continuidade a outras num tempo tão curto como este 2014? MELO - Sim. Um trabalho em equipe ajuda nisso. E todos os dias aparecem uma nova necessidade. Vamos fazer tudo e muitas demandas nem são obras e precisam de decisões rápidas. Nisso eu sou craque. O tempo não assusta porque temos um plano que já está em prática e, para alegria de todos, em muitos casos vamos fazer parceria com o prefeito de Manaus Artur Neto.

JORNAL DO PROS VAI TER OUTRAS ENTREVISTAS COM O GOVERNADOR MELO. AGUARDEM.

3

JORNALPROS

O Amazonas é um continente de muitas realidades. Isso dificulta encontrar soluções que possam ser tocadas pelas pessoas em seus próprios lugares... (interrompendo a pergunta) MELO - Taí um assunto que corre nas minhas veias! É muito complexo, mas tem solução prá tudo. Somos índios, caboclos, negros e europeus, filhos de uma mistura que nos fortalece quando se fala em sobrevivência. Eu sou do interior do interior, filho de seringueiro, alfabetizado aos 14 anos, e hoje Governador! Então posso falar da força do homem amazônico para sobreviver (risos)... O senhor vê essa força sendo desperdiçada? MELO - Vejo sim. Mas temos a solução que é misturar o conhecimento científico, das pesquisas, com o conhecimento tradicional, da gente dos rios e florestas. Temos os instrumentos Secretaria de Ciência e Tecnologia, o fomento e a formação de mestres e doutores, além de botar os jovens alunos prá pesquisarem também, e a UEA que estamos expandindo para formar um número maior de acadêmicos... ...Mas são ações de médio e longo prazos... MELO - Algumas são. Porém, se não começarmos agora elas vão ser, eternamente, de médio e longo prazo. É como aquele discurso de ficar

O senhor fala em tecnologia e plano de governo, mas sem educação... (interrompe e suspira) MELO - A Educação é a minha vida. Quando coloquei o termo Educação de Qualidade na gestão governamental, lá no início dos anos 90, na capital e depois no Estado, nos governos do Amazonino; eu sabia que ia dar uma sacudida. A motivação alcançou do menos ao mais graduado funcionário, professores, alunos, educadores e pais de alunos. A partir de lá a Educação foi prioridade e as cobranças por melhorias ganharam vida para sempre. Se fiz isso como secretário, tu imaginas o que posso fazer como Governador! O que a população pode esperar do novo governador? MELO - Essa é a minha pergunta de cabeceira. É ela que não me deixa dormir (risos). Com humildade, não subserviência. A humildade verdadeira faz bem a saúde e para fazer o Amazonas andar é preciso tê-la juntamente com fé e os ouvidos abertos. Muito diálogo e atitudes, rápidas, eu diria instantâneas, para soluções que possam transformar a vida do individuo, da pessoa humana. Se fala muito em povo, mas no sentido de uma massa sem cara, sem nome. No meu governo o povo tem cara, nome e alma. Fiquem com Deus, obrigado.

“A Educação é a minha vida”.


4

JORNALPROS

Mudança de rotina

Água dia e noite para mais de 500 mil pessoas

P

ara chegar até as pessoas a água precisa de distribuição e que agora chega graças ao empenho na formação da parceria entre os Governos de Manaus e do Estado. Chega ao fim uma realidade vergonhosa: a de que os donos de uma das maiores reservas de água doce do mundo, não tinham água em suas casas. Quem costuma andar pelas ruas da zona leste de Manaus, a segunda região mais populosa da cidade, tem notado algo de diferente na rotina de mais de 500 mil pessoas. Cenas que até um ano atrás eram comuns de se ver, como carros-pipa abastecendo com água as residências, homens, mulheres e crianças carregando baldes e latas d’água na cabeça ou em carrinhos de rolimã, ficaram só como uma amarga lembrança. Agora, a água encanada, de boa qualidade, está jorrando 24 horas por dia nas torneiras daqueles que não tinham o serviço de forma regular ou de nenhuma outra forma. Segundo o governador do Amazonas, José Melo, isso só foi possível porque o Governo do Estado e a

Prefeitura de Manaus decidiram se unir para fazer com que o programa Água para Manaus (Proama) pudesse se tornar realidade. “Agora sim, se justificam os investimentos feitos no Proama, porque água está chegando às casas das pessoas”, comemorou José Melo, ao andar de casa em casa para conferir, pessoalmente, a novidade. Ele lembra que foram investidos R$ 423,299 milhões para construir a estação de captação na Ponta das Lajes, a estação de tratamento mais adiante e cinco grandes reservatórios em bairros estratégicos de onde a água sai para o consumidor final, mas até

Nova Tarifa Social Com o acordo costurado para colocar o Proama em prática, Governo do Estado e Prefeitura puderam, ainda, criar uma nova tarifa social de água para famílias de baixa renda. Com isso, usuários que consomem até 15 metros cúbicos por mês, inscritos no programa Bolsa Família, têm desconto de 50% na conta de água.

dezembro do ano passado a água não podia ser distribuída. Como a gestão estadual que concebeu o Proama não previu uma forma de distribuição da água nem como esse processo deveria ser feito, o então governador Omar Aziz, José Melo e o prefeito de Manaus, Arthur Neto, tiveram que buscar uma solução em conjunto, ou seja, um modelo de gestão para operar o sistema, sem prejuízos aos cofres públicos. Foi esse arranjo que fez com que a Manaus Ambiental, concessionária que opera o sistema de água da cidade, investisse mais R$ 15 milhões para instalar a rede de distribuição que leva a água até as residências. “O Proama foi construído, as bombas bombearam e trouxeram a água do rio para ser tratada e armazenada, mas o nosso irmão, lá na ponta, ligava a torneira e não tinha água. Depois que o Omar e eu assumimos, fizemos a parceria com a Prefeitura de Manaus e só então foi possível fazer a rede para levar a água dos reservatórios para as casas das pessoas”, esclarece o governador.

A instalação do Proama mudou a rotina da dona de casa, Maria Lúcia Batista, 57, moradora da rua 4, do bairro Mutirão. Ela deixou para trás o hábito de acordar de madrugada para armazenar água. “Antes para ter água para lavar roupa, cozinhar e tomar banho era preciso acordar de madrugada porque era o único horário que dava água na torneira. Agora, temos água o dia todo”, destacou a dona de casa. A vizinha de Maria Lúcia, Helena Salvador, 64, também está feliz com a novidade, mas diz que o período em que tinha que ir atrás de água para abastecer o caixa d’água da casa dela deixou sequelas. “Desde que eu vim morar aqui nós nunca tivemos um abastecimento decente de água, foram muitas noites em claro carregando baldes e mais baldes para não faltar água durante o dia e isso me causa, até hoje, dores na coluna pelo esforço”, contou. Zona Norte Com água do Proama abastecendo a zona leste, agora, outra área de Manaus, a zona norte, passa a ter seu sistema de abastecimento reforçado, normalizando, até o final deste ano, a situação de outras 116 mil pessoas que também sofrem com a falta d’água.

Água na torneira 24 horas


5

JORNALPROS

Www.pros.org.br

A hora e a vez do diálogo no Amazonas

Disposição para o diálogo e uma enorme capacidade de liderança para resolver conflitos. Foi assim que, com menos de um mês no cargo, o novo governador do Amazonas, José Melo, conquistou a confiança da população do Amazonas. Diante de mobilização de policiais militares e de professores que ameaçavam paralisar suas atividades, o governador chamou para si a responsabilidade e negociou, pessoalmente, com os representantes das duas classes de trabalhadores, mantendo, dessa forma a normalidade de serviços essenciais para a população. “Sou do diálogo, é da minha natureza de professor, portanto, vamos dialogar com todas as categorias de servidores”, observa José Melo, que também já negociou com os profissionais da Educação garantindo não apenas reajuste salarial, mas conquistas históricas, a exemplo do ticket alimentação.

Recentemente, José Melo encaminhou para a Assembléia Legislativa do Amazonas os projetos de Lei com os reajustes para as áreas de segurança, educação e saúde e assim será com as outras categorias de servidores, de acordo com suas respectivas datas base, uma rotina que vem acontecendo desde que ele e Omar assumiram o governo, em 2011. José Melo ressalta que a gestão dele e do ex-governador Omar Aziz entra para a história como a que mais garantiu avanços na carreira e nos salários de todos os servidores estaduais. “Aprovamos a data base de todos os servidores, através das regulamentações dos Planos de Cargos Carreiras e Remuneração (PCCR) e todos, sem exceção, vêm tendo seus salários corrigidos anualmente. Para a maioria os reajustes têm sido acima da inflação, mas nunca abaixo”, detalha.

Com ação rápida e eficaz governador evitou greve na PM O dia 28 de abril parecia que seria um dia de caos na segurança pública do Amazonas. A população amanheceu preocupada, pois na noite anterior, soldados da Polícia Militar iniciaram uma mobilização que, graças à intervenção de José Melo, durou apenas 12 horas. Mesmo com parte da tropa não comparecendo ao trabalho, entre a madrugada de domingo (dia 27) e a manhã de segunda-feira (dia 28), foi garantida a normalidade e a paz, sem o registro de qualquer ocorrência fora da normalidade. “Em nenhum momento houve quebra da normalidade, em nenhum momento a cidade de Manaus deixou de ter o policiamento”, observa o governador. Assim que soube da mobilização, José

Melo percorreu, durante a tarde e a noite, as Companhias Interativas Comunitárias (Cicom’s) para conversar com a tropa. “Queria entender a lógica do movimento, uma vez que, ao implantarmos o programa Ronda no Bairro, dobramos os investimentos em segurança pública, saindo de R$ 697 milhões, em 2010, para cerca de R$ 1,3 bilhão, em 2014; ao mesmo tempo profissionais de segurança pública tiveram os maiores ganhos salariais já registrados na história”, disse o governador. Nesse mesmo período, segundo ele, os salários na PM foram corrigidos com reajustes que vão de 48% a 64%, até janeiro passado. O governador acaba de enviar à assembléia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) o projeto de Lei que concede mais 6,15% referente à data base anual de policiais militares, civis e bombeiros. A tropa reconhece os avanços conquistados, como o aumento do efetivo, a ampliação do número de delegacias, que dobrou de 17 para 30, investimento em capacitação, armamentos e equipamentos de uso individual, viaturas

e alta tecnologia. Portanto, o movimento era por novas conquistas, como atualização da lei de progressão de carreira de praças e a criação de um Código de Ética em substituição ao atual código disciplinar da PM considerado defasado, fornecimento de auxílio alimentação, vale transporte, alteração na escala de serviços e na Gratificação de Trabalho Extra (GTE). Os pleitos estão sendo discutidos por uma comissão formada por representantes dos praças da PM e do Governo do Amazonas. “O governador agiu rápido, nos chamando para negociar, evi-

tando, assim prejuízos para população. Ele se sensibilizou com a nossa causa, principalmente com a questão da evolução na carreira, que é o principal pleito. A perspectiva é de encerrarmos as negociações e chegarmos a um acordo bem antes do prazo que prevíamos, que é de 60 a 90 dias”, destaca o presidente da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Platiny Soares.

PROS DIÁLOGO SEMPRE


6

JORNALPROS

umA díVidA PAGA cOm O PeRdãO Produtores rurais e donos de estabelecimentos comerciais, industriais ou de serviços, de municípios afetados pela cheia dos rios Madeira, Purus e Juruá, podem renovar as esperanças de dias melhores com o conjunto de medidas anunciado pelo governador José Melo. Entre elas, estão o perdão, total ou parcial, ou a renegociação de dívidas com a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), que também vai abrir uma nova linha de crédito facilitada para ajudar a recompor as atividades impactadas pela cheia. O perdão ou renegociação de dívidas com a Afeam fazem parte de Projeto de Lei (PL) encaminhado por José Melo para aprovação na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). O governador também enviou outro PL que vai beneficiar os setores produtivos afetados pela cheia, permitindo o perdão de dívidas com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Os dois projetos tramitam em regime de urgência na Aleam. Além de ajudar a recompor a renda de milhares de famílias, as medidas também contribuem para recuperar a economia dos municípios, segundo o governador José Melo. Terão direito aos benefícios, quando aprovados na Aleam, produtores e empresas das cidades que tenham o reconhecimento do Governo do Amazonas do estado de calamidade pública ou estado de emergência em decorrência da cheia. De acordo com a Defesa Civil do Estado, 14 municípios encontram-se em situação de emer-

Juventude, símbolo de uma sociedade digna e justa

gência, sendo cinco no rio Madeira – Apuí, Manicoré, Novo Olinda do Norte, Novo Aripuanã e Borba, e quatro da região do rio Purus – Canutama, Lábrea, Pauini e Tapauá. Os outros são Envira, Ipixuna, Itamarati e Guajará, na calha do rio Juruá, além de Autazes. Dois municípios estão em estado de calamidade pública: Humaitá e Boca do Acre. “É uma enchente muito grande que ceifou a produção de todos. Então, é nossa obrigação vir aqui trazer as boas novas, que são o

R$ 15

milhões para financiamento

perdão das dívidas com a Afeam e com a Sefaz e, ao mesmo tempo, trazer um novo financiamento, a longo prazo e a juros baixos, para que possam recompor suas atividades”, disse o governador José Melo quando esteve em Manicoré, no último dia 26 de abril, lançando o pacote de ajuda aos municípios atingidos por uma das maiores cheias dos últimos tempos dos rios Madeira e Purus. Crédito mais facilitado A nova linha de crédito da Afeam para produtores rurais e setores da indústria, comércio e serviços, afetados pela cheia deste ano, terá dois anos de carência com mais cinco para pagar e ainda o subsídio de 50% do valor adquirido por conta do Estado. Segundo o governador José Melo, serão disponibilizados inicialmente R$ 15 milhões para financiamento. “É uma medida que ajuda não só as famílias atingidas, mas também a recuperar a economia do município”, disse o prefeito de Manicoré, Lúcio Flávio, durante o anúncio da nova linha de crédito feito por José Melo no município. A Afeam mantém, ainda, suas ações itinerantes de crédito deste ano, iniciando este mês o atendimento na região do rio Madeira, nos municípios de Humaitá, Manicoré, Novo Aripuanã, Borba, Nova Olinda do Norte, Apuí e o distrito de Matupi. Com orçamento de R$ 940 mil, a ação itinerante na região do Madeira vai atender os setores da indústria, comércio e serviço.

A juventude precisa se inserir na política para modificá -la em sintonia com seus próprios horizontes e anseios. Você jovem tem como desafio se inserir, de forma ativa, no cotidiano do seu ambiente e, por isso, tem sede de conhecimento. Porém, ao mesmo tempo, sente-se excluído desse espaço por falta de uma orientação política e partidária. Não é o único caminho, mas é o melhor para combater, por exemplo, essa mesma exclusão percebida por você. Então, como lutar contra ela? Sozinho? Não. Sozinho você não conseguirá. A política como expressão dos valores da vida coletiva e da família, base nuclear de qualquer Nação, auxilia a combater os maus comportamentos e descaminhos e o coloca na trilha dos questionamentos, da alegria e da sabedoria. Fica mais fácil viver o tempo jovem como jovem e do adulto como adulto, atualizado e bem sucedido no seu trabalho. O PROS é uma sigla partidária que objetiva levar a força jovem às mudanças necessárias ao País e ao próprio modo de se conceber e fazer política partidária. Há jeito me-lhor de fazer isso que o de participar?

então, tome partido. Seja PROS. Ao assinar sua ficha de filiação no PROS você estará entrando na vida política da sua rua, do seu bairro, da sua cidade, do seu Estado, do seu País, do seu planeta.


Www.pros.org.br

7

JORNALPROS

Viver Melhor é possível Andar de um cômodo a outro de casa parece ser um movimento simples do cotidiano para maior parte das pessoas, mas para Brenda Azevedo a possibilidade de ir de um canto a outro mais facilmente é uma conquista especial. Aos 12 anos, ela e a mãe, Aldeniza, estão felizes com a reforma da casa, realizada por meio do programa “Viver Melhor Habitação”, que possibilitou mais acessibilidade e realização de tarefas simples do dia-a-dia. “Antes, a minha casa era só de dois cômodos e não tinha acessibilidade. O banheiro era improvisado e a dificuldade era maior. Quando fizeram o quarto e o banheiro adaptado para minha filha, ela passou a ter mais mobilidade dentro da casa. Agora, ela já consegue se movimentar melhor e até tomar banho sozinha”, conta Aldeniza. O ganho na acessibilidade é um dos principais resultados destacados pelos beneficiados com

Romélia Silva: livre acesso

o programa, como é o caso da família da dona de casa Maria Teles, 45 anos, moradora do bairro São Sebastião, zona centro-sul de Manaus. Ela fez a inscrição de sua filha, Romélia Silva, 23, no programa para receber as adaptações na residência. Entre as obras realizadas, está a construção de uma rampa na frente de sua casa que facilitar a mobilidade da filha.

Nanda: um novo começo passo a passo

“Antes era muito ruim, porque para eu levar a minha filha ao médico tinha de pedir ajuda dos vizinhos para carregar a cadeira dela, porque não tinha rampa, somente a escada. Mas agora essa rampa ajuda muito e eu mesma levo e trago a minha filha. Isso sem falar que conto com a cadeira de roda que foi doada pelo programa e também o auxílio com as fraldas

descartáveis. É uma felicidade grande em meio às dificuldades que temos”, relata. A pequena Nanda de Assunção, 4 anos, que teve paralisia cerebral e ficou com problemas de locomoção, começou a participar do Viver Melhor Reabilitação e já experimenta avanços com o trabalho feito por uma equipe multidisciplinar. “Minha filha já tem ficado bem melhor. Mesmo que ainda falte muito para ela andar bem, aqui no Centro encontrei a chance de buscar essa melhoria para a vida dela”, disse a mãe de Nanda, Herlene de Assunção, 27 anos. Luís Felipe Chaves, 18, participa das atividades motoras no Ceti Elisa Bessa, na zona leste, há dois anos e, nesse período, ele já conseguiu ter apoio para fazer ações primordiais. “Sou muito grata porque antes meu filho não andava e tinha muitas dificuldades para se concentrar nas aulas em sua escola.

O jeito Melo de pensar e agir


8

JORNALPROS

Mensagem Poucos dias antes de ser empossado Governador e depois de 30 anos servindo ao nosso Amazonas, viajando cada palmo dessa terra e cada légua desses rios, lembro de um encontro, dos muitos que tive e tenho, com uma família amiga do interior. Vou chamar de reencontro. Nele recebi um carinhoso convite para uma xícara de café com tucumã e pupunha. Veio em boa hora, pois estava com fome e a agenda de trabalho não me deixava tempo nem para um cafezinho. Juntei a fome com o carinho dos velhos amigos e fomos todos tomar café. Em meio às conversas no café com tucumã e pupunha, escuto um pai orgulhoso dizer que seu menino entrara na Faculdade, cuja sede fica bem próximo da sua casa: “duas ruas depois”, diz ele alegre como uma criança. Meu olho embaçou. O velho amigo continua: “eu lembro o senhor dizendo que era prá botar os meninos prá estudar. Foi difícil, mas não existe nada fácil, né mesmo?” Fiquei tão feliz com a gratidão que perdi a fala por uns instantes. De repente surge garoto, já rapaz, na sala, e o pai diz: “Olhe professor é ele, lembra dele? Logo mais é doutor!” O garoto simpático, cien-

te de si, me cumprimenta e quando lhe pergunto como vão os estudos e a UEA, ele responde de bate pronto: “Precisa aumentar prá mais jovens entrar, ainda tem muita gente fora da Faculdade” Mais do que de repente aquele jovem ligou vários pontos na minha mente e cheguei a seguinte conclusão: Tem gente que acha que grandes obras são um produto acabado e que é mais importante que tudo num Governo. Esse garoto, como tanto jovens, nos mostra que não é assim. O orgulho do fazer tem que estar quando esse “fazer” leva benefícios contínuos à pessoa, ao indivíduo. Prédios são secundários, necessários, mas secundários. Tudo isso é efêmero. O que fica mesmo é a satisfação das necessidades de hoje e um plano preventivo para as do futuro. Esse reencontro só reforçou minha luta de trilhar com a Educação em primeiro lugar. Só através dela é que Governo e sociedade vão encontrar soluções para o desafio de sobreviver na Amazônia. Lugar de necessidades diferentes em lugares diferentes, onde terra, floresta e água não sobrevivem, e por isso interagem também para doarem vida. Temos conhecimento, tecnologias,

e agora vontade política. Meu governo é uma equipe voltada para satisfazer necessidades. Diálogo, Educação e Inovação são forças da sociedade que um Governo tem que usar em benefício de ambos. Nos próximos encontros outras realidades surgirão e serão satisfeitas porque vamos trabalhar com o espírito do ajuri, aquele sistema em que as famílias se reúnem para trabalhar a juta e a malva, antes da subida das águas e que se não for

assim, toda a produção se perde. Terei do PROS, todo o apoio para um governo tão bonito e tão forte quanto o sorriso de uma criança. Que Deus nos abençoe. Obrigado.

José Melo Presidente do PROS Governador do Amazonas

A força da mulher Para o PROS, Partido Republicano da Ordem Social, a inserção da mulher na política vai além da questão de justiça de gênero – ou da legitimidade da Lei 9.504/97, que traz obrigatoriedade para um preenchimento mínimo de 30% e o máximo de 70% para tais candidaturas. Para o PROS, trata-se de uma necessidade de sobrevivência social, econômica e cultural de uma sociedade. A visão crítica inerente à mulher alcança a cidadania plena. Sendo este o caminho da transformação e humanização. E para que isso se fortaleça, a presença das mulheres na política se faz premente. E por isso

um partido político precisa ser um canal de informações e um meio de conectá-las ao despertar dos dons para uma nova política, tudo naturalmente. E pelo respeito que o PROS Partido Republicano da Ordem Social, tem por esta força guer-

reira, e pela necessidade de ver em suas fileiras, o atuante universo feminino, é que foi lançado uma campanha de filiação para as mulheres do Amazonas. Garantindo a inserção das mulheres em condições de igualdade no sistema político, louvamos a

democracia e fortalecemos esferas e segmentos tão bem trabalhados pelo poder feminino. Seja pela identificação imediata de milhares de mães de família que são o sustento dos lares, seja pelos direitos das mulheres à saúde, combate à violência doméstica ou a conquista de novos espaços. As mulheres precisam estar tão representadas quanto os homens nas esferas de poder. Faça agora sua filiação no PROS e descubra como você pode transformar sua vida, sua rua, seu bairro e sua cidade.


Jornal pros 90