Issuu on Google+

JOCUM - Jovens com Uma Miss達o

Projeto Marias II

Visualizando possibilidades futuras

Porto Velho-RO, 2008

7


1. APRESENTAÇÃO: .

“ É dever de todos prevenir a ocorrência de ameaça ou violação dos direitos da criança e do adolescente” ( Cap. I – Disposições gerais, Art. 70 do E.C. A ) Dentro da bacia do Rio Amazonas, destaca-se o Rio Madeira, seu maior afluente, que corta a região amazônica no sentido norte-sudoeste, ligando Porto Velho no Estado de Rondônia a Manaus capital do Amazonas e a Belém no Para. Por não existirem rodovias transitáveis entre essas capitais, o Rio Madeira tornou-se há alguns anos o corredor de exportação de grãos da região centrooeste, aumentando significativamente o tráfego de embarcações em seu leito. Em sua margem existem ecossistemas de grande magnitude e complexidade com uma flora diversificada e fauna exuberante. A história nos mostra que não é de agora que o grande rio do Estado de Rondônia tem sido utilizado como vetor do desenvolvimento da região. Desde a época da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, o rio vem sendo utilizado como canal para o transporte de toda sorte de materiais e mercadorias, contribuindo decisivamente para o processo de colonização dessa região. Como ocorre em todo movimento de colonização, não são apenas os pólos de desenvolvimento que passam a receber os imigrantes, pois muitos se fixam no caminho das grandes populações, embora de forma dispersa e muitas

7


vezes isolada. Essa foi a situação de boa parte dos contingentes humanos trazidos para a Amazônia em meados do século passado. O rio que era habitado por índios, passou a ser desbravado por imigrantes de outras regiões do País, principalmente nordestinos, que fixaram moradia nas regiões próximas ao rio. Dessa mistura surgiu uma população com características próprias, misturando traços étnicos e culturais do nordeste brasileiro e dos povos indígenas nativos da região. Hoje a beira do Madeira é o lar de milhares de ribeirinhos, que sobrevivem da pesca, da caça, do plantio de mandioca e outras atividades de subsistência. Devido às dificuldades de locomoção e escoamento das mercadorias e mesmo da infra-estrutura básica de saúde e de educação – estas quase inexistentes – muitos deixam suas comunidades e sobem o rio ficando mais próximos da capital, Porto Velho, passando a habitar em bairros periféricos como o bairro Nacional, São Sebastião ou comunidades rurais mais próximas da cidade. Por não possuírem qualificação para empregos formais e não dispondo mais de suas terras, passam a viver de pequenos trabalhos temporários, de baixa remuneração. Esta trajetória, comum à maioria das famílias que habitam

7


os bairros citados, aliada à falta de perspectivas de um futuro melhor, reforça nessa população um sentimento de inferioridade que os torna marginalizados. O Projeto Marias II é uma continuidade do Projeto Marias I, iniciado em 2007 com a parceria da Petrobras, e posteriormente mantido por doações diversas. Tanto o Projeto Marias I como o Projeto Marias II impõem-se como necessidade, em reconhecer a existência e permanecia de crianças e adolescentes vivendo em situação de risco pessoal e social. Esta situação, sempre em número crescente, evidencia a pobreza à qual vivenciam uma significativa parcela da população do Estado de Rondônia, principalmente em Porto Velho sua capital nas localidades ribeirinhas, e no bairro de periferia Nacional, e as comunidades a margem do Rio Madeira, onde podemos verificar um quadro bastante preocupante em relação a população infanto-juvenil (feminina), submetidas em números cada vez maior, à violência e ao abandono. Nas últimas décadas, esta violência tem sido feita através de situações tipificadas como: participantes de gangues e galeras, induzidos à exploração sexual, exploração pelo trabalho, de maus-tratos, drogatização e toda sorte de marginalização. Nossa proposta busca o reconhecimento efetivo pela dignidade do ser humano, como agente de direitos: à vida, à liberdade, à saúde, à segurança e aos demais meios necessários para uma vida digna.

7


Ofereceremos as nossas adolescentes, a promoção humana como vertentes de uma mesma ação antropológica, onde o homem e a mulher devem ser libertos e educados integralmente. 2. JUSTIFICATIVA PARA O PROJETO:

Iniciamos o projeto Marias I em 2007 e vimos mudanças significativas especialmente nas áreas de redução da evasão escolar, elevação da autoestima e um começo tenro de formação de uma nova consciência de cidadania. Que pode ser visto no quadro abaixo, obtido através de monitoramento mensal: Quadro 1. Indicadores de resultados de impactos sociais

Legenda: 0 = Retrocesso ,

1 = Permanência ,

2 = Melhora ,

3 = Melhora Significativa

Daí a necessidade de darmos continuidade a estas ações de saúde integral com enfoque na vida destas adolescentes para visualização de possibilidades futuras. 7


A integralidade desta assistência significa que a adolescente será considerada em seus aspectos físicos, emocionais, sociais e espirituais simultaneamente, atendida como uma pessoa inteira. 3. HISTÓRICO DA INSTITUIÇÃO EXECUTORA Identificação da entidade •

Nome: JOCUM – Jovens com Uma Missão

CNPJ: 08.382.901/0001-05

Natureza Jurídica: Associação Civil, com personalidade jurídica própria, de direito privado interno, sem fins lucrativos, de Caráter educacional, social, assistencial e cultural.

Endereço: Estrada do Belmont, Km 8, Zona Rural, Porto Velho –RO

Fone: (69) 3223-8448

C.Postal: 441

Site: www.jocum.com.br

Email: Tribos@jocum.com.br

Representantes: o Presidente: Reinaldo Cazão Ribeiro o Coordenador do projeto: Cleonice Barbosa da Silva

Registros •

Conselho Municipal Direito da Criança e do Adolescente 7


Conselho Nacional da Juventude

Conselho do Plano Diretor de Porto Velho – RO

Fórum Estadual de Direito da Criança e do Adolescente

Ponto de Apoio da Defesa Civil

JOCUM (Jovens Com Uma Missão) É uma associação beneficente sem fins lucrativos, que existe independentemente desde 1960, e hoje está presente em mais de 170 países, empenhada na promoção do voluntariado para o socorro e a melhoria da qualidade de vida de povos ou populações carentes. Presente no Brasil desde 1975 e em Porto Velho desde 1990, hoje a JOCUM mantém trabalhos ativos em todas as regiões, sendo detentora do título de Utilidade Pública Federal. A JOCUM mantém vínculos fraternos e ideológicos com seus diferentes campos de operação, mas cada centro funciona de maneira independente na área administrativa, de gerenciamento e geração de recursos. Vários de seus centros de operação são detentores de titulo de Utilidade Publica Estadual e Municipal. Todos atuam nas áreas de desenvolvimento social, educacional e cultural, buscando de forma criativa, respeito e valorização das especificidades culturais, resgatarem a dignidade e o

7


sentido da existência dos indivíduos com quem trabalha. A JOCUM trabalha com promoção do voluntariado e não remunera seus associados. Todos trabalham no empoderamento da população de comunidades tradicionais, educação de crianças, adolescentes e jovens em diferentes projetos. Nossos parceiros são: o SEMED - Secretaria Municipal de Educação com Escola de Ensino Fundamental. o FUNASA - Fundação Nacional de Saúde, no combate à malária, doença endêmica desta região, realizando diagnóstico e tratamento. o SEMAS - Secretaria Municipal de Ação Social, através do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescentes, onde temos o registro A JOCUM detém o titulo de Utilidade Pública Municipal, sempre trabalhando em parcerias com o poder público e a iniciativa privada, entre seus parceiros se destacam:

Brasil Telecom

Unimed – RO

SESI,

SESC

Grupo André Maggi

Instituto Vida

Atuando desde sua fundação nas áreas: Educação, Saúde, Empreendimentos Culturais e Socorrendo aos povos Amazônicos em comunidades do Baixo Madeira, através de escola de ensino fundamental para 7


crianças e adultos, cursos de inclusão digital acompanhamento a meninas adolescentes visando a prevenção a gravidez, a DST e evitando a inserção a prostituição. Rio Branco Maceió Lábrea Manaus Tabatinga Macapá Irecê Salvador C.Grande Cuiabá Belém João Pessoa Recife Petrópolis Rio de Janeiro Porto Velho Boa Vista Blumenau Florianópolis Porto Alegre

AC AL AM AM AM AP BA BA MS MT PA PB PE RJ RJ RO RR SC SC RS

Aquiraz Crato Fortaleza Brasília Vitória Goiânia São Luis B.Horizonte Contagem Ouro Fino Pitangui Curitiba Foz do Iguaçu Maringá Ponta Grossa Araçatuba Piratininga Pompéia São Paulo Aracajú

CE CE CE DF ES GO MG MG MG MG MG PR PR PR PR SP SP SP SP SE

4. OBJETIVO GERAL Capacitar profissionalmente as adolescentes para a inserção no mercado de trabalho e geração de renda proporcionando uma melhor perspectiva de vida, mantendo a visão de saúde integral, visualizando possibilidades futuras. 7


5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO PROJETO Resultados Esperados Qualitativos

Artes: · Montagem de Biojóias · Sabonetes e produtos para banho · Artesanato e reciclagem · Velas decorativas · Artesanato e reciclagem de jornal · Dança Culinária · Salgadinhos para festa · Bombons e Biscoitos Imagem Pessoal · Manicure e Pedicure

Quantitativos

Efeito positivo no desenvolvimento das adolescentes: • Auto estima • Respeito ao meio ambiente • Renda familiar • Melhores chances de emprego • Protagonismo de sua própria cidadania, como sujeitos de transformação de suas realidades

Atividades Ações

100 adolescentes Preferencialmente as já inscritas no projeto, sobrando vagas, estas poderão ser preenchida por adolescentes de ambos os sexos moradores das mesmas comunidades.

Cursos de capacitação profissional compatível com a faixa etária

1º Objetivo

Objetivos Específicos

Período

3 meses, duas ou uma vez por semana, dependendo da carga horária,

7


Diagnostico e • Socialização combate a • Saúde problemas • Estimulando a reflexão reais vividos • Apropriação do saber. pela comunidade • Apropriação do saber.

Esportes, Oficinas e Palestras. Atendimento psicosocial

Atendimento individual Visitação nos domicílios

9 meses, duas ou uma vez por semana.

Todas as adolescentes inscritas no projeto e suas família

2º Objetivo

Oficinas lúdicas: · Jogos educativos · Brincadeiras folclóricas Palestras · Temas relevantes a faixa etária Esportes · Escolinha de Futebol

3º Objetivo

· Unhas decorativas · Corte de Cabelo · Massagens Comércio · Atendimento ao Público · Seminário de Vendas · Operador de caixa de supermercado Informática · Introdução ao Windows · Digitação · Word · Excel · Internet

Mensais, aos sábados com 02 horas de duração. 9 meses, aos sábados Mensais ou sobre demanda

6. PERFIL DA POPULAÇÃO ATENDIDA E ATORES PRINCIPAIS] Perfil Geográfico

Comunidade rural do Belmont, Bairro periférico Nacional,e comunidades ribeirinhas Jatuarana, Niterói, Maravilha e Remanso Grande, no município de Porto Velho-RO Perfil das crianças e ou adolescentes atendidas e atores envolvidos: 7


Quadro resumo

Público Alvo Direto

Público Alvo Indireto

Características socioeconômicas, gênero, raça, etc.

(número) (número)

Público alvo a ser beneficiado pelo projeto

Crianças de 0–6 anos

20

Crianças de 7 - 11 anos

15

Adolescentes de 12 – 18 anos Famílias

Meninos e Meninas carentes.

100

Meninas carentes Moradores de bairro periférico, zona rural ou ribeirinhos

100

Outros: Atores (insitiuições, agências, associações, conselhos, líderes, Jocum redes, etc) que atuam no projeto Petrobras desenvolvendo Semas atividades ou apoiando de diversas formas o projeto

Atores

Papel principal destes atores Administração e execução Viabilização financeira

Fiscalização

Temas transversais

PÚBLICO

ATENDIDOS DIRETAMENTE Algumas adolescentes

PORTADORES DE DEFICIÊNCIA Algumas adolescentes AFRODESCENDENTES COMUNIDADES TRADICIONAIS (comunidades indígenas e quilombolas)

7


GÊNERO

Feminino

Critérios para seleção da população atendida. 7. METODOLOGIA Esse projeto é uma continuação do projeto Marias I, iniciado em 2007 com a parceria da Petrobras, e mantido por trabalhos voluntários e doações diversas durante o ano de 2008. Esta etapa será desenvolvida em equipe, sob a direção e coordenação da direção da JOCUM – Jovens Com Uma Missão e toda equipe de educadores que fazem a comunidade educativa da entidade. O atendimento será feito com todas as adolescentes já inscritas e novas que serão selecionadas nos atendimentos feitos com a população citada. O projeto terá um coordenador que juntamente com sua equipe prestará assistência às adolescentes através de: 

Oficinas lúdicas

Atendimento psicossocial

Atendimento de saúde básico

Visitas domiciliares

Palestras com temas relacionados às adolescentes

Cursos de Capacitação profissional

Esportes e Lazer

7


8. ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO

Indicadores de Progresso

Meios de Verificação

• Numero de aulas ou palestras realizadas • Índice de freqüência Cursos, Oficinas e Esportes • Interesse demonstrado pelos participantes • Avaliações semanais

• Lista de freqüência • Entrevistas pessoais • Depoimentos • Fichas de avaliação dos participantes

Atividade

Atendimento psicossocial

• Entusiasmo e participação dos familiares e moradores das comunidades

• Entrevistas pessoais • Depoimentos • Fichas de avaliação dos participantes

9. ESTRATÉGIAS PARA SUSTENTABILIDADE O projeto tem como alvo permitir que através de cursos de capacitação, as adolescentes possam visualizar um futuro com novas possiblidades A capacitação nas diferentes áreas irão fomentar a geração de renda e a própria comunidade estará inserida neste processo. O contexto cultural nestas comunidades também favorecerá a formação de um ambiente onde estas meninas possam oferecer estes serviços e obterem

7


os resultados tais como pequenos salões de beleza caseiros, venda de salgados para festas, manicure, etc..

10. AVALIAÇÃO DE RESULTADOS

Objetivo especifico Cursos de capacitação profissional

Esportes, Oficinas e Palestras.

Atendimento psicossocial

Indicadores de Resultados • Numero de adolescentes participantes • Numero de familiares participantes • Participação das comunidades • Nível de interesse e entusiasmo demonstrado • Índice de freqüência • Desempenho e participação

Meios de Verificação

• Participação das adolescentes inscrita: o Mínimo: 2 cursos o Maximo: O que for possível o 3 palestras • Lista de freqüência • Entrevistas pessoais • Depoimentos • Avaliação dos participantes • Fichas de avaliação dos participantes

11. EQUIPE TÉCNICA DO PROJETO: 7


Função no Projeto

Formação Profissional

Natureza do Número Vínculo (especificar se é Horas CLT, Prestação de Semanais Serviços ou Voluntariado) Trabalhadas

1 Coordenador 4 Supervisores 5 Monitoras

Enfermeiro

voluntário

20

técnicos

voluntário

30

estudantes

15

Contador

Contador

Voluntário(bolsa auxílio) CLT

2 Motorista

motoristas

voluntários

15

Operador de designer

Operador de designer

Prestação de serviços

30

12. ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO Confecção de banners, camisetas e produção de revistas criativas, assim como eventos que tenham a participação das autoridades, comunidade e familiares das adolescentes.

13. CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO: (ANEXOS EM EXCEL) CONTRA PARTIDA Pra executar as atividades do projeto a JOCUM disponibiliza:

7

de


Salas para atendimentos ambulatorial (médico,e enfermeiros)

Salão para palestras

Voluntários para (coordenação, supervisão e manutenção)

Equipamentos de Som

Cozinha Industrial

Salas para os diversos cursos

Sala de Informática com 15 computadores

7


Projeto Marias II