Issuu on Google+

ESPECIAL Entrevista

DR. DRÁUZIO VARELLA por

Cristiane Segatto

Revista Eletrônica ‘‘Projeto em Ação’’ Ano 1 Nº 5 - Agosto de 2011

da revista ÉPOCA

Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO Fazendo uma boa ação, sempre!

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL O planeta não precisa ser salvo, você sim!

cortesia do editor I S B N

MATÉRIA ESPECIAL

9

7 8 1 2 3 4

Os super salários da TV

sxc.hu - Edição imagem da capa: Mauricio Verissimo Sabino

EDU LETTI Em Luminosidade

E MAIS ! Nossos colunistas convidam você a ler ►

1 2 3 4 5 1 2 0 6 - 8

►O Esporte adaptado ►O Mito da Mulher Limpinha ►Saias Longas, o ‘‘hit’’ da Estação ►Cultura e entretenimento

5 1 2 0 6 4

1 1

Faça a sua parte reciclando estas informações. Indique a outros leitores a nossa revista e comente nossas matérias acessando www.revistaprojetoemacao.com.br

►Sete Pecados ►Casos de Política ►Formigas-Pote-de-Mel ►Comportamento


Revista Eletrônica

1

Projeto em AÇÃO

2

Fazendo uma boa ação, sempre!

3

4

ANUNCIE AQUI NA 2ª CAPA Saiba como na pag. 53

Até pouco tempo atrás, VOCÊ tinha 4 bons motivos para ler nossa REVISTA. ►►


5

►► a partir de AGORA

lhe daremos o 5º. Cultura, Saúde, Curiosidades, Bom humor, Política, Entretenimento, Notícias do mundo Digital, Entrevista, e muito mais você encontra na sua revista mensal de variedades ‘‘Projeto em Ação’’.

ANUNCIE AQUI NA 1ª PÁGINA Saiba como na pag. 53 Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

ENTRE EM CONTATO CONOSCO:

55 11 73458020 Simone Farias

1

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

marketing@revistaprojetoemacao.com.br


Vera Freitas |

vera@revistaprojetoemacao.com.br

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL ESTAMOS FAZENDO A NOSSA PARTE?

sxc.hu

Editorial |

É o tema do momento. Em todos os lugares onde estejam reunidos duas ou mais pessoas envolvidas com o assunto, lá vem a tão falada sustentabilidade ambiental. Nas escolas, com a aula chamada educação ambiental; nas empresas, a maioria se estruturando para um novo conceito de empresas preocupadas com o planeta; nas famílias (e lá está a dona-de-casa, dando broncas em seu filho para ele desligar o chuveiro, que já está ligado há mais de meia hora); nos meios de comunicação, onde o tema está sendo explorado de diversas formas; tudo isso para que a humanidade se conscientize e mude de atitude com relação à preservação dos recursos naturais do planeta. Mas, será que estamos realmente colaborando para a verdadeira sustentabilidade ambiental em nosso meio? Somos consumidores conscientes a ponto de, ao adquirirmos um produto escolhermos aquele que não agrida o meio ambiente? Colaboramos com a limpeza de nossa cidade, separando nossos resíduos domésticos da forma correta, reaproveitando os materiais que podem ser reciclados? Quando estamos debaixo do chuveiro ou fazendo alguma atividade que utilize água, usamos de bom senso e evitamos o desperdício? Apagamos as luzes cada vez que saímos de algum ambiente sem pessoas? Juntamos o óleo de fritura em algum recipiente para reciclagem ou simplesmente o despejamos em nossa pia de cozinha? Ao irmos a algum supermercado, mercearia, feira livre ou qualquer outro tipo de comércio, estamos levando nossas sacolas ecológicas e evitando o uso das sacolas plásticas? Em nosso trabalho, estamos diminuindo a impressão de documentos, ou pelo menos usando o recurso de imprimir no verso da folha? Estamos utilizando papel reciclável? Enfim, temos atitudes sustentáveis em nossa vida, fazendo com que os recursos naturais do planeta sejam protegidos hoje para que as gerações futuras possam também usufruir deles? A nossa matéria da capa vem mostrar para você leitor, o que é sustentabilidade ambiental e como o mundo poderá ser melhor se cada um fizer a sua parte. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

Você apreciará também nesta edição, uma entrevista com o ilustríssimo Dr. Drauzio Varella, cedida à jornalista Cristiane Segatto da Revista Época, na qual ele nos fala sobre o mal que a Hepatite nos causa, e nos dá importantes orientações de como devemos nos cuidar para evitarmos esse mal. Você deve saber que desde 2010, o dia 28 de julho é o “Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais”. Esta data foi instituída pela OMS - Organização Mundial da Saúde, para chamar a atenção sobre esta doença que, além de silenciosa, é um constante problema de saúde pública no Brasil. Porém, como diz Dr. Drauzio Varella em sua entrevista, as hepatites são doenças negligenciadas; parece que não têm charme, pois apesar de serem mais graves que o HIV, não recebem das autoridades públicas a devida atenção. “Existe um vírus que é cem vezes mais contagioso que o HIV, mas tem um poder de comoção infinitamente menor. É o vírus da hepatite B”, diz o Doutor. São também palavras dele: “Outras formas de hepatite (provocadas pelos vírus A, C e D) também causam enorme sofrimento. Por que não merecem a mesma atenção dedicada à AIDS?”. Somente agora, 2011, está acontecendo efetivamente uma mobilização em alguns municípios para combater este mal. Nessa mobilização, o Ministério da Saúde pretende aumentar a conscientização sobre as hepatites virais. Foi lançado um site que deve avisar os jovens sobre a hora de se vacinar contra a doença. Prevenir é sempre bom! E se informar sobre o assunto é uma forma de nos prevenir! Então querido leitor, não deixe de ler e, principalmente não deixe de se cuidar! Ah! E não se esqueça também de cuidar do planeta!

Vera Freitas Publicitária e Editora vera@revistaprojetoemacao.com.br

2

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


EDIÇÃO ANTERIOR TAMBÉM FOI DESTAQUE:

EM FOCO►► O carismático Josué França concedeu-nos uma bela entrevista na edição Nº4 (julho/2011). Além de suas missões, falou sobre detalhes de suas viagens, vida pessoal e mostrou seus Cd’s e livro publicado.

Em Política nosso colunista Cido Rodrigues, destacou que nem sempre a maioria está com a razão. Andreza Rodrigues, editora de moda, mostrou a elegância das botas no inverno. Luiz Fernado Veríssimo foi o destaque da coluna ‘’Crônicas e Cronistas’’. Madalena Cardoso escreveu sobre os preparativos para a Copa de 2014 no Brasil. O músico e instrumentista Alexandre Hard, também nos presenteou com sua marcante arte na seção ‘‘Luminosidade’’ que é uma coluna definitiva na nossa revista. Além de talento, uma dose exagerada de humildade destacam nosso ‘‘iluminado’’ da edição anterior (Julho/11).

Na matéria de Capa o destaque foi sobre a violência sexual cometida contra crianças e adolescentes, muitas vezes por seus próprios familiares. O Planeta Vivo mostrou o sabor do abacaxi, fruta típica Brasileira. Na seção Educação, foi discutido a falta de professores e o desinteresse dos alunos em cursar Pedagogia. A matéria Especial do mês de Julho destacou algumas histórias de sucesso de marcas e empresas famosas que são ícones nos dias atuais.

| GERAL |

Cuidados e atenção redobrada. Em saúde e Bem Estar, Gleyce Souza alertou sobre a terrível conjuntivite.

‘’Muito obrigado Mauricio pela matéria... ficou muito legal.’’

Alexandre Hard músico. O iluminado da edição Nº4

Adoção foi o assunto focado por Gleyce Souza em Comportamento.

‘’Muito boa a revista Velho, parabéns ! Valeu pela homenagem.’’

Vera Freitas pegou o gancho da matéria de capa e abordou o assunto ‘’Violência contra o Idoso’’.

Brunno Sabino “Parabéns pelo conteudo da revista.A entrevista com o Pr. Josué foi sensacional.’’

Sidnei Ministro Oliveira

Envie você também sugestões, críticas, elogios e comentários para: diretor@projetoemacao.com.br. Eles serão publicados nas próximas edições. Não fique de fora. Opine, participe, contribua. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

3

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO

Índice |

Revista Eletrônica “Projeto em Ação” Nº5 - Agosto de 2011

Fazendo uma boa ação, sempre!

‘‘Não deixes de fazer bem a quem o merece, estando em tuas mãos a capacidade de fazê-lo.’’ Provérbios 3:27 2 - Editorial 3 - Edição Anterior 4 - Índice 5 - Quem fez esta Edição 6 - Casos de Política 10 - Cotidiano 12 - Luminosidade 16 - Universo Feminino 18 - Entrevista

24 - Na Mídia 25 - Na Mira 26 - Momento Digital 29 - Música 30 - Esportes, o Futuro! 36 - Capa 41 - Personagem 42 - Planeta Vivo 44 - Educação

48 - Matéria Especial 54 - Saúde Bem Estar 56 - Fatos & Fotos 58 - Arte Internacional 60 - Comportamento 62 - Crônicas e Poesias 64 - Sete Pecados 68 - Sem Noção 70 - Cultura e Entretenimento

sxc.hu

CANECA ‘‘PROJETO EM AÇÃO’’ A partir desta edição cada espaço para publicidade será ocupado com anúncios imaginários para estimular as empresas e pessoas a anunciar em nossa revista. Uma caneca é hoje ítem indispensável, de primeira necessidade. Veja as vantagens: 1) Diminui drasticamente o uso de copos descartáveis que demoram 500 anos para se decompor. 2) É ótima para brindar quando tudo está dando certo. 3) É um ótimo consolo para afogar as mágoas quando nem tudo vai bem...

sxc.hu

A caneca ‘‘Projeto em Ação’’ ainda não está na linha de produção e você bem que gostou da propaganda não foi? Imagine então como será comentada a sua, já que seu produto está aí pra quem quiser comprar! Não deixe de anunciar, seja qual for o seu produto. Pode ser um avião ou uma simples caneca.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

4

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Quem fez Esta Edição - Todos os colunistas são colaboradores e não possuem vínculo empregatício com esta revista. - As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seus respectivos idealizadores.

Simone Farias Publicitária e Diretora de Marketing da P&A "Temos que acreditar em nosso próprio potencial ou ninguém nos dará o devido crédito".

Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO Fazendo uma boa ação, sempre!

marketing@revistaprojetoemacao.com.br FICHA TÉCNICA

Ednaldo Torres Felício

Ano 1 - Nº5 - Agosto de 2011

36 anos, formado em Propaganda e Marketing com 3 MBAs: Comunicação, Gestão de Vendas e Negócios Financeiros. Casado, pai da Ana Beatriz e do Raul. Poeta e Professor de Teatro. Corinthiano. Inaugura a coluna Crônicas e Poesias. ednaldotorres@yahoo.com.br

Gleyce Souza Escreve sobre Cultura e Entretenimento. Adora cinema, livros e natureza. Acredita que só deve pensar em coisas boas e dar valor àquilo que aprende a cada dia. ‘‘Se queremos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova."Gandhi contato@revistaprojetoemacao.com.br

Projeto em Ação é uma publicação eletrônica, independente e mensal, feita para toda a família, todas as idades, sem distinção a qualquer tipo de pessoa. Nossa intenção é: informar, divertir e principalmente fazer pensar a ponto de criar opinião sobre os diversos assuntos aqui pautados. EXPEDIENTE Diretor Executivo - CEO Mauricio Verissimo Sabino

Vera Freitas Publicitária. Escreve desde a primeira edição a coluna Clube da Melhor Idade, o editorial e é a responsável pela revisão ortográfica desta revista.

Editora Executiva Vera Freitas

andreza-rodrigues1976@bol.com.br

Colunistas Madalena Cardoso Simone Farias Cido Rodrigues Vera Freitas Andreza Rodrigues Gleyce Souza Ednaldo Torres Felicio Cristiane Segatto Mauricio Verissimo Sabino

Cristiane Segatto

Diretora de Marketing Simone Farias

Repórter especial, da revista ÉPOCA desde o seu lançamento, em 1998. Escreve sobre medicina há 15 anos e ganhou mais de 10 prêmios nacionais de jornalismo. É nossa convidada especial, responsável pela Entrevista com o Dr. Drauzio Varella.

Colaboração Especial Jornalista Cristiane Segatto Revista ÉPOCA

vera@revistaprojetoemacao.com.br

Andreza Rodrigues É Analista Administrativa de Vendas. Cursa Gestão Comercial, tem paixão por tudo que faz parte do Universo Feminino. Seu hobbie é fazer compras no shopping e dar consultoria de moda às amigas.

cristianes@edglobo.com.br

Madalena Cardoso Publicitária. Apaixonada: pela vida, pelas pessoas, pelo mundo. Acredita no melhor e faz o seu melhor. Ama a natureza, as crianças, a música e Esportes [principalmente futebol]. Desprovida de preconceitos! ‘‘ A MINHA ESPERANÇA EU INVENTO’’. madalena@revistaprojetoemacao.com.br

Mauricio Verissimo Sabino 42 anos Projetista Industrial de profissão, Publicitário por necessidade e Artista Gráfico nas horas vagas em que cria a Arte Final desta Revista.

Agradecimentos Dr Drauzio Varella - entrevista Edu Letti - Luminosidade Opinião dos Leitores Agência Digital SPARNET Tratamento de imagens Madalena Cardoso Arte Final Mauricio Verissimo Sabino Divulgada e Distribuída Gratuitamente através da internet, alcança e abrange um número ilimitado de leitores Através de link direto

diretor@revistaprojetoemacao.com.br Revisão Ortográfica Vera Freitas

Davi Bispo Não percam nas próximas edições uma volta ao mundo com Davi e PEP na coluna Mundo da Ciência. davi@revistaprojetoemacao.com.br Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

5

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

www.revistaprojetoemacao.com.br


Casos de Política

Casos de Política

E AGORA SEIS MESES DE GESTÃO E QUATRO TROCAS MINISTERIAIS. NOMES DO PRIMEIRO TIME DA PRESIDENTE SE ENVOLVERAM EM SITUAÇÕES SÉRIAS E INDECORÁVEIS.

Em seis meses de governo, a gestão da Presidente Dilma Rousseff se notabilizou pela profusão de escândalos - mais do que por medidas concretas e reais de governo. Dois ministros foram demitidos. Outros dois fizeram uma “dança das cadeiras”. E outros dois se safaram por pouco. Existem aqueles que ainda devem explicações a opinião pública e aos eleitores. Antonio Palocci, ex-chefe da Casa Civil, comandava uma consultoria bem-sucedida antes de ingressar no governo. O crescimento patrimonial espantoso levantou suspeitas de que o braço-direito da presidente autou como lobista. Quando resolveu se explicar, Palocci já era um cadáver político. Sem o principal articulador político do governo, a presidente se viu novamente em apuros. Luiz Sérgio, ministro de Relações Institucionais, tinha poderes limitados. Dilma Roussef evitou mais uma demissão:

preferiu rebaixar o petista a ministro da Pesca. Luiz Sérgio trocou de cargo com Ideli Salvatti. A paz aparente durou pouco tempo. Aloizio Mercadante, responsável pela pasta de Ciência e Tecnologia, também ficou exposto numa revelação feita por uma revista de veiculação nacional. Foi ele quem ordenou a compra do falso dossiê contra o então candidato tucano ao governo de São Paulo, José Serra, em 2006. O episódio também respingou em Ideli Salvatti: então senadora na época do escândalo, ela ajudou a espalhar o material para a imprensa. Mercadante e Ideli continuam sob fogo da oposição. O primeiro deve ir à Câmara dos Deputados se explicar. A segunda é alvo de requerimentos de convocação, mas os governistas atuam para blindar a petista. Não perca as contas: Alfredo Nascimento, ministro dos Transportes, deixou o cargo depois de estampar as capas das revistas referente ao

foto de divulgação

Foto oficial do primeiro escalão do governo da Presidente Dilma Rousseff - jan/2011

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

6

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Casos de Política

DILMA? Ex-ministro Alfredo Nascimento No início julho de 2011, foi publicada uma matéria sobre um esquema de propina que estaria acontecendo dentro do Ministério dos Transportes. O então ministro Alfredo Nascimento comunicou o afastamento de Mauro Barbosa da Silva (seu chefe de gabinete), Luís Tito Bonvini (seu assessor de gabinete), Luís Antônio Pagot, (Diretor-Geral do DNIT) e José Francisco das Neves (Diretor-Presidente da Valec). Foi solicilado um pedido de investigação para o caso, e Alfredo Nascimento afirmou que não foi conivente com o ocorrido. Na mesma época, foi constatado que Gustavo Morais Pereira, arquiteto nascido em 1984 e filho do ministro Alfredo Nascimento, teve seu patrimônio aumentado em 86.500% no período de 2009 a 2011. A construtora de Gustavo de 27 anos de idade, a Forma Construções, que foi criada com um capital social de R$ 60 mil, teve seu patrimônio aumentado para mais de R$ 50 milhões. O Ministério Público Federal declarou que o caso estava sob investigação. Em 6 de julho de 2011, pediu demissão do cargo de ministro e reassumiu seu cargo de Senador e a presidência nacional de seu partido, o PR. E agora Dilma? direto da redação

O ex-ministro e presidente do PR (Partido da República) Alfredo Nascimento. Seu filho de 27 anos dono de uma construtora aumentou o patrimônio 86.500% entre os anos de 2009 e 2011.

Presidente Dilma Rousseff Será que vai aguentar a sequência de crises em seu governo?

sxc.hu

divulgação

direto da redação

A CRISE NO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES

divulgação

funcionamento de um grande esquema de corrupção na pasta. Dilma ainda adiou a demissão por quatro dias. Houve também episódios que não chegaram a derrubar os ministros. Ana de Hollanda, ministra da Cultura, foi flagrada usando verba pública para passar o fim de semana no Rio de Janeiro, onde tem casa. Devolveu o dinheiro e ficou no cargo. Pedro Novais havia aproveitado verba da Câmara dos Deputados para custear uma farra coletiva em um motel de São Luís. Devolveu o dinheiro e ficou no cargo. Fernando Haddad, da educação, até então campeão de trapalhadas também no governo Lula, manteve a média na nova gestão. Defendeu a distribuição de um livro que ensina crianças a falar errado e se contradisse ao tentar justificar a distribuição do chamado "kit-gay". E agora Dilma?

Vem contar o seu CASO pra todo mundo...

ANUNCIE Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

7

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Simone Farias marketing@revistaprojetoemacao.com.br (11) 7345 8020 24 horas de seg. a sex. Mauricio Verissimo Sabino diretor@revistaprojetoemacao.com.br (11) 2804 1956 redação da revista das 19:00 as 22:hs de seg. a sex.

ESTÁ NA HORA de ser visto por 30 MIL leitores

Em breve a versão impressa com 10 mil exemplares da Revista Eletrônica ‘‘Projeto em Ação’’.

ANUNCIE

sxc.hu

aqui Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

8

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Veja onde a PROPAGANDA

sxc.hu

Pode levar a sua idéia, o seu produto e o seu serviço.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

9

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Cotidiano

sxc.hu

A PEQUENA

SALVADORA Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

10

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Cotidiano

Morte trágica de menina americana gera campanha e arrecada 165 mil dólares A morte trágica de uma menina de 9 anos em Seattle, nos Estados Unidos, gerou uma campanha por doações que já arrecadou mais de US$ 165 mil para levar água a comunidades carentes na África. Rachel Beckwith havia pedido no início do mês de Junho, para seu nono aniversário no dia 12, que familiares e amigos fizessem doações para uma organização não governamental em vez de lhe dar presentes. Seu objetivo era arrecadar US$ 300 (cerca de R$460,00). No início do mês passado, porém, Rachel ficou gravemente ferida em um engavetamento envolvendo 13 carros numa estrada próxima à sua casa. No dia 23 de julho, sua família decidiu permitir o desligamento dos aparelhos que a mantinham viva artificialmente e doaram seus órgãos. A notícia da tragédia chamou a atenção para a página que a menina havia criado no site da ONG charity:water para arrecadar doações. Em poucos dias, as contribuições superaram mais de 500 vezes sua meta inicial.

Celebração diferente Em sua mensagem colocada no site no início de sua campanha, Rachel pedia doações em lugar de presentes em seu aniversário. "No dia 12 de junho de 2011, vou fazer 9 anos. Descobri que milhões de pessoas não vivem até seu quinto aniversário. E por que? Porque elas não têm acesso à água limpa e segura", diz a mensagem. "Por isso estou celebrando meu aniversário de maneira diferente. Estou pedindo para todo mundo que eu conheço que doem à minha campanha em vez de me dar presentes no meu aniversário", afirma. Na segunda-feira 25 de Julho, dois dias após a morte da menina, sua mãe, Samantha, postou uma mensagem para agradecer pelas doações à campanha da filha. "Estou impressionada com o imenso amor para transformar o sonho de minha filha em realidade. Diante da dor inexplicável, vocês forneceram uma esperança inegável", disse ela. "Obrigado por sua generosidade. Eu sei que Rachel está sorrindo!", escreveu. Segundo a ONG charity:water, as doações recebidas por meio da página de Rachel Beckwith já haviam ajudado até o final do mês passado mais de 10 mil pessoas.

imagem google

‘‘ E VOCÊ, O QUE QUER DE PRESENTE ESTE ANO?’’ direto da redação

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

11

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Luminosidade |

Mauricio Verissimo Sabino |

diretor@revistaprojetoemacao.com.br

O iluminado

Eduardo

LETTI Por Bruno Bacchi

imagem de arquivo pessoal

Sensibilidade, versatilidade e muito profissionalismo. Assim Edu Letti é amplamente conhecido entre músicos, produtores e todos que cercam o universo da música. Sobre a forte influência do Blues, do Jazz e de muita Música Brasileira, Letti tem construído, à base de muita dedicação e talento, uma carreira muito consistente. Não é a toa que hoje ele figura entre os principais guitarristas do país. Sua história musical começa em Los Angeles, Califórnia, onde se graduou pelo G.I.T. Musicians Institute em 1996. Foi lá que Edu desenvolveu uma linguagem mais jazzística, freqüentando as aulas de mestres como Joe Diorio, Ron Erchette, Sid Jacobs e Scott Henderson. Depois da teoria e muita prática, o guitarrista caiu na estrada internacional excursionando com a cantora Miroslava Mendonça e passando por lugares como Cidade do México e Cancun. Tocou também em casas conceituadas como o Hard Rock Café (México) e Sta Mônica Café (Los Angeles). Em 97 voltou para o Brasil e começou a lecionar no Conservatório Souza Lima e no ano seguinte, passou a integrar também o corpo de professores do IG&T (Instituto de Guitarra e Tecnologia) onde ambos,

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

12

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Luminosidade gravado de maneira totalmente independente e distribuído pela Tratore para todo o Brasil. O cd foi gravado com os músicos Thiago do Espírito Santo no baixo, Alex Buck na bateria e Sandro Haick no piano. As participações especiais de Oswaldinho do Acordeon, Euclides Marquês ao violão e Michel Leme na guitarra completam o trabalho que inicia sua carreira solo. Com relação à imprensa, o guitarrista é presença certa nos veículos especializados como as revistas Cover Guitar e Guitar Player. Nas emissoras de TV, Globo e Record, participou dos programas “Sai de Baixo” (1999) e “Sem Limites para Amar” – com Fábio Jr. – (2001), respectivamente. Atualmente Edu Letti integra a

banda de Oswaldinho do Acordeon onde toca nos principais eventos de Festas de São João em todo o Brasil, no circuito do Sesc e Virada Cultural. Em 2009 lançou um Vídeo Aula “Introdução ao Chord Melody” pela Editora EM&T e em setembro de 2010 lançou seu segundo cd, intitulado “Passo a Passo” que conta com a participação de Thiago Espírito Santo, Sandro Haick, Filó Machado, Oswaldinho do Acordeon, Amon Lima e Cássio Ferreira. . Além disso, segue firme na sua carreira solo, tocando nas casas de shows mais populares de São Paulo e ministrando cursos e workshops por todo o país.

Produzido por Sandro Haick Arranjos: Edu Letti, Sandro Haick e Thiago do Espírito Santo Gravado e Mixado por Sandro Haick no Estúdio Haick/Na Glória em maio de 2010. Assistente de Gravação: Lucas Weingaertner Masterização: Carlinhos Freitas Classic Master Design Gráfico: Marcello K. Foto: Taty Catelan Fechamento de Arquivo: Mariana Galli

DVD “Introdução ao Chord Melody”, um vídeo aula em formato multimídia. Um dos pontos fortes é o fato de ser em português, o que é muito raro de se achar.

imagens de arquivo pessoal

1 -Viva o Carnaval (Edu Letti) 2 -Tango Paulista (Edu Letti) 3 - Sombras da Lua (Edu Letti) 4 - Passo a Passo (Edu Letti) 5 - Trio Elétrico Portenho (Edu Letti) 6 - Pernambuco (Edu Letti) 7 - Misterioso (Edu Letti)

8 - Biro-Sam* (Edu Letti) 9 - Zavi (Edu Letti) 10 - Ô Mestre!!!* (Edu Letti) *...Ô Mestre!!! Dedicada a Oswaldinho do Acordeon *Biro-Sam dedicada aos amigos Sandra e Marcellão.

Edu Letti usa: *Guitarra Cast mod. DSC. *Amplificadores RotStage modelo Edu Letti EL50. *Cordas D'addario EXP 115 *Pedal board Cabrera, Power Bridge e Pedais Fire modelo Cabrera. www.eduletti.com.br eduletti@gmail.com | (11) 2606.8935 | (11) 7629.3216

Espaço para sua

E I C N U N A

Luminosidade

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

13

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

sxc.hu

leciona atualmente. Edu Letti é conhecido por ser um professor bastante didático e por estabelecer uma relação de parceria com seus alunos. No Brasil, já passou por casas de prestígio como Bourbon Street, Café Parati, Ao Vivo, Teta Jazz Bar, All of Jazz, Villagio Café, Jazz nos Fundos entre muitas outras. Além disso, já rodou pelos grandes festivais de Jazz e música popular do país como o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, Guitar Player Festival, Jambalaya Jazz Festival, Jack Modern Jazz Session, FLIP (Festival Literário Internacional de Parati), Festival de Ibiapaba, Mostra Anual de Varginha entre outros. Em 2004 Edu lançou seu primeiro disco, intitulado “Sete Fontes”,


Anunciando deste jeito, você vai ‘‘cair na boca do povo’’!

DEST TAMA sxc.hu

SÓ NÃO

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

14

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


TE ANHO VÊ QUEM É CEGO! anúncio em página DUPLA. Fale conosco. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

15

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

Simone Farias marketing@revistaprojetoemacao.com.br (11) 7345 8020 24 horas de seg. a sex. Mauricio Verissimo Sabino diretor@revistaprojetoemacao.com.br (11) 2804 1956 redação da revista das 19:00 as 22:hs de seg. a sex.


Universo Feminino Andreza Rodrigues | andreza-rodrigues1976@bol.com.br

O

Quem vai aderir às saias longas? Eu já aderi, e estou apaixonada, ficamos lindas demais.

divulgação

Depois de algumas estações na base de shortinhos/vestidos curtíssimos e meiacalça fio 80, os comprimentos longos se tornam ‘’hit’’ da estação! Amo!

divulgação

lá meninas!!! Mais uma linda tendência para nosso inverno, que com certeza, se estenderá para primavera-verão (estou torcendo, rsrsrs).

SAIAS LONGAS

N

ão são todas as mulheres que gostam ou se atrevem a usar, assim como acontece com os vestidos longos do dia-a-dia. Eu particularmente acho lindérimo, os vestidos longos enfeitando nosso cotidiano, mas quantas mulheres vestidas assim vocês encontram por aí? Independente da estação! Quantas?! haha! Acredito que as saias vão seguir a mesma linha. Por mais tendência que essa seja não vai ser 'Aquele' hit: todo-mundo-tem-uma! Espero, sinceramente, que esteja errada, rsrsrs! Acredito que as saias vão seguir a mesma linha. Por mais tendência que essa seja não vai ser 'Aquele' hit: todo-mundo-tem-uma! Espero, sinceramente, que esteja errada, rsrsrs! O nosso dia-a-dia ficaria muito mais cool, lindo chique, suave.....com elas. o chique, suave.....com elas. Já deu pra perceber o quão versátil essa peça é, né?! Ou seja, dependendo dos

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

acessórios que você combinar, ela muda completamente. Com t-shirts ou regatinhas + rasteirinha elas ficam super casuais, tipo passeio no clube/parque mesmo. Agora se você combiná-la com uma blusa mais trabalhada, um sapato mais pesado, tipo a ankle boot ou um clog, ela muda. o mesmo tom para saia e blusa também ajuda. As camisas caem super bem aqui também, ambas são peças versáteis que se encaixam, assim a montagem mostra looks para um friozinho, um pouco mais que o outono digamos assim, então aposte em jaquetinhas mais curtas. E todo mundo pode usar? Simmmmmmmm!!! é uma peça democrática, porém com aquelas dicazinhas de sempre. Para as baixinhas devem optar por uma com a cintura mais alta (alonga o corpo) usando o mesmo tom para saia e blusa também ajuda. Um ótimo motivo pra usar vestidos e saias longos no dia a dia, é que esses modelos deixam a silhueta mais longa!!! Mas pra isso o comprimento ideal é na 16

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


gavetinhade luxo.com.br

fazendomoda.com

gavetinhade luxo.com.br

vocemaisbella.fashionblog.com.br’

O “HIT” DA ESTAÇÃO altura do tornozelo ou até mais comprido que isso. Não vale quando termina no meio da ‘’batata da perna’’ que daí o efeito é contrário, deixa baixinha e mais ‘’cheinha’’. E o mais legal é que dá pra usar também no calorzão e dá pra usar quando fizer mais frio. Vestidos são mais fáceis porque é só coordenar com rasteirinha, peep toe ou sapatilha (atenção com os sapatos, pois eles podem acabar com o look), bolsa mais molenga, acessórios como colar, pingente ou pulseira, óculos escuros e tá pronta!!! Saias longas podem ser usadas com camisetas, regatas, polos e até camisas ajustadinhas, e nesse caso acessórios são

super importantes pra deixar o look com cara mais atual: rasteira com pedrinhas, sapatilhas metalizadas, bolsas coloridas, cinto mais largo… E no frio é só acrescentar cardigans ou jaquetinhas por cima, lenços ou cachecol no pescoço e botas longas que fica ótimo! Ah! Saias e vestidos longos pra usar durante o dia têm que ser de tecido opaco (tecido de dia, tipo tricoline, malha, sarja, algodão, brim, jeans). É isso gente, acho que as saias compõem looks liindos, não?! Se jogem, criem e fiquem lindas!!! Abraços e até a próxima Andreza Rodrigues andreza-rodrigues1976@bol.com.br

E I C N U N A Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

Deixe um recadinho para as mulheres de plantão 17

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

sxc.hu

saiba + em :http://www.bing.com/images/search?q=saias+longas&view=detail&id=81B2AC3CD30CEDF3D11E138ACBD541571093D6AB&first=0&FORM=IDFRIR http://claudia.abril.com.br/materias/3076/?sh=32∓cnl=37 - http://www.fashionbubbles.com/moda/saias-longas-sao-um-hit-do-inverno-2011


Entrevista |

cedida a:

Cristiane Segatto |

cristianes@edglobo.com.br

Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO Fazendo uma boa ação, sempre!

divulgação

APRESENTA: APRESENTA:

HISTÓRIAS HISTÓRIAS REAIS REAIS DO DO EXPERIENTE EXPERIENTE

DOUTOR DRAUZIO VARELLA Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

18

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Entrevista

divulgação

Drauzio Varella e o vírus sem charme

Na atual série do "Fantástico", ele discute por que as hepatites não comovem tanto quanto a aids Existe um vírus que é cem vezes mais contagioso que o HIV, mas tem um poder de comoção infinitamente menor. É o vírus da hepatite B. Segundo as estimativas mais conservadoras, 1,5 milhão de brasileiros convive com ele. A maioria sequer desconfia. Só o descobre quando o fígado está destruído. Outras formas de hepatite (provocadas pelos vírus A, C e D) também causam enorme sofrimento. Por que não merecem a mesma atenção dedicada à aids? Drauzio Varella decidiu investigar. As hepatites são o

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

tema do novo quadro que ele apresenta no Fantástico. A série de quatro capítulos estreou no dia 17 de julho. Para entender as condições que contribuem para a transmissão do vírus, Drauzio esteve numa aldeia Yawanawá, no Acre. Também visitou salões de beleza de São Paulo e viu que as manicures trabalham em condições inadequadas mesmo nos endereços mais chiques. Por fim, foi a Salvador entrevistar jogadores de futebol profissionais que contraíram o vírus nos anos 70. Conversei com Drauzio sobre o resultados destas visitas.

19

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Entrevista dias e outra depois de seis meses. Isso complica bastante. As pessoas tomam uma dose, depois não tomam as outras e não ficam protegidas. Hoje as crianças nascem e já são vacinadas. O SUS oferece, mas faz pouco tempo que entrou no calendário.

Por que o Senhor escolheu esse tema? Drauzio - As hepatites são doenças negligenciadas. Ninguém ouve falar sobre isso. Parece que não têm charme. Não sabemos quantas pessoas têm o vírus. Os dados do Ministério da Saúde não têm o menor valor porque só lidam com os casos notificados.

O que acontece com os adultos? Drauzio - A maioria não foi vacinada. A vacina existe há vinte e poucos anos. Pelas estimativas mais conservadoras, há no Brasil 1,5 milhão de portadores crônicos do vírus. Ele é 100 vezes mais contagioso que o vírus da aids. Se analisarmos um grupo de pessoas que sofreu acidentes com seringas e agulhas, vemos que três ou quatro a cada mil pegam o vírus da aids. No caso da hepatite, há um caso de infecção a cada quatro ou cinco acidentados. Um índice de 20% de infecção é muito alto.

Há várias formas de hepatite. Vamos começar pelo vírus A ... Drauzio - A hepatite A é a da água suja. É provocada pela falta de saneamento básico. Em geral é doença de curso benigno. Mas ela se torna potencialmente mais grave quando a pessoa a adquire na gravidez ou numa faixa etária mais avançada. Aí ela pode evoluir para hepatite fulminante. Ocorre uma necrose maciça das células hepáticas. A mortalidade é muito alta. É uma das causas de transplante de emergência.

Nem todos os infectados pelo vírus B vão ter a doença.

Se ela é provocada por falta de saneamento básico, por que a classe média também é afetada?

Drauzio - Cerca de 95% das pessoas que entram em contato com o vírus o eliminam naturalmente. Os 5% se tornam portadores crônicos. O problema é que a doença é absolutamente assintomática por 20 ou 30 anos. De repente, a pessoa descobre a doença. A barriga incha porque acumula líquido ou a pessoa fica amarela. Quando percebe já está com cirrose ou câncer de fígado. O vírus provoca câncer. Do mesmo jeito que o cigarro provoca câncer, o vírus da hepatite também tem essa relação com o câncer de fígado.

Drauzio - É uma doença curiosa. Quem mora em más condições sanitárias a adquire logo na infância e costuma ter uma hepatite benigna. Mas quem vive em boas condições sanitárias não a adquire na infância e não fica imune a ela.Vai adquiri-la mais tarde, com 50 anos de idade, quando viaja para algum lugar e entra em contato com o vírus. Ou seja: a classe média tem a doença mais grave porque contrai o vírus numa idade mais avançada.

Como é o tratamento? Drauzio - É complicado. Quando a doença é descoberta na fase de câncer, o que resta é o transplante de fígado. A principal causa de transplante de fígado no Brasil é a hepatite B. Se a doença é descoberta mais cedo, há o tratamento com interferon. É caro e demorado. No caso da hepatite C também se usa o interferon mais outros antivirais. É uma carga enorme para o sistema de saúde.

O governo não deveria vacinar a população contra a hepatite A? Drauzio - Os hepatologistas acham que sim. Eles dizem que a doença só é benigna para quem pega na infância. Para quem pega mais tarde a doença pode ser mais grave. A posição do Ministério da Saúde é não vacinar. É preciso analisar o custo e o benefício da adoção dessa medida, mas esses estudos ainda não foram feitos.

‘‘... a classe média tem a doença mais grave porque contrai o vírus numa idade mais avançada.’’

E a hepatite B? Drauzio - É totalmente diferente. É transmitida sexualmente e pelo sangue. E também passa da mãe para o feto. Existe vacina, mas há um complicador. É preciso tomar três doses. Uma hoje, outra daqui a trinta Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

20

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Entrevista autoclave. As manicures usavam nelas mesmas o material que usavam nas clientes. Andréia encontrou 10% de infectadas. O vírus B apareceu em 8% da amostra e o vírus C em 2%.

O que você descobriu nos salões de beleza? Drauzio - A prevalência de hepatite é muito alta no grupo das manicures. Esse é um assunto que ninguém comenta. Elas usam equipamento que volta e meia provoca ferimentos. Se a pontinha do alicate entrar em contato com uma gotícula de sangue infectado, pronto. O vírus está ali. Temos manicures espalhadas pelo Brasil inteiro. Imagine o tamanho desse problema. Quantas delas têm autoclaves para esterilizar o material? Não adianta apenas fervê-lo. Os métodos recomendados são a autoclave ou a estufa. Na estufa, é preciso manter o material a 170 graus por quase uma hora. Quem fiscaliza? Tem todo um procedimento. A manicure precisa lavar as mãos antes e depois de atender cada cliente, colocar luvas, lavar o material depois de usá-lo, colocar no envelope e só depois colocar na autoclave.

As manicures não podem ser vacinadas de graça, pelo SUS? Drauzio - Sim. Elas têm o direito de tomar a vacina pelo SUS. Mas só 15% sabiam que tinham esse direito. É uma desinformação geral. Há uma lista grande de grupos que têm direito de tomar a vacina de graça: quem tem aids, médicos, enfermeiros, manicures, técnicos de laboratório, carcereiros etc. Muita gente não sabe.

E as pessoas que não estão na lista? Vale a pena comprar a vacina? Drauzio - É altamente recomendável que comprem a vacina. A mensagem que a gente quer passar com essa série é a seguinte: tem que vacinar contra a hepatite B. Existe vacina. Quem pode comprar a vacina e não está na lista do governo, deve comprá-la. A imunização dura a vida toda se a pessoa tomar as três doses. As manicures, por exemplo, não podem ficar sem a vacina. Outra realidade chocante é a dos índios da Amazônia. Tem que vacinar. Em algumas tribos, a prevalência de hepatite B é de 20%.

O ideal, então, é que cada cliente leve o seu próprio kit de manicure? Drauzio - Eu achava que sim, mas conversando com as manicures vi que a coisa é mais complicada. Elas dizem que isso não funciona. Dizem que o equipamento das clientes é ruim, que não é afiado. Não passa mais o afiador na porta de casa. Onde as mulheres vão afiá-lo? Parece que isso não dá certo.

O que você viu na Amazônia?

O risco de infecção nos salões de beleza é mais alto do que se imagina?

Drauzio - Gravamos no Acre, numa aldeia Yawanawá, perto de Cruzeiro do Sul. Fica quase no Peru. Naquela comunidade, 10% dos indígenas têm o vírus. A quantidade de crianças infectadas é enorme. Pegam na infância e não é por transmissão materna. É por manipulação. Como tem muito mosquito ali, as crianças são cheias de feridas. Dormem três na mesma rede. Uma encosta a ferida na ferida da outra. Coçam as feridas com os mesmos pauzinhos. A transmissão é absurda. Fiquei chocado de ver essas sxc.hu

Drauzio - A pesquisadora Andréia Schunck, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, fez um estudo impressionante. Ela visitou 100 salões de beleza -- dos mais chiques aos mais simples. Passava pelo menos seis horas em cada salão. Encontrou procedimentos inadequados em TODOS os salões. As manicures não lavavam as mãos, não lavavam os equipamentos e já os colocavam direto na

E I C N U N A

Quer ser visto por 30 MIL leitores selecionados?

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

21

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Entrevista crianças. Não se vê uma condição de saúde tão ruim em favela nenhuma de cidade grande. As crianças são cheias de feridas na cabeça. As mães colocam um gorrinho de lã na cabeça delas naquele calor de 40 graus. Tirei uns dez gorros.

Impossível ter transplante para todo mundo. Drauzio - Os que podem pagar fazem o transplante. Os que não podem vão se tratar com a tradicional medicina chinesa. Não tem orgãos para todo mundo. Dez milhões chegam à fase final da doença e precisam de transplante. Quem vai fazer 10 milhões de transplantes? Esquece. Deixam morrer.

Ali simplesmente não existe atenção à saúde indígena? Drauzio - Tudo é muito longe. De vez em quando passa alguém. Ali o que tinha que fazer era vacinar a população inteira. Vai custar caro? E daí? Vai de avião, vai com o Exército. Aí é que entra a dificuldade de serem três doses. Tem que ir três vezes; as populações às vezes mudam de lugar. São vários complicadores. O problema ali não é o custo da vacina. É o custo da operação. Mas qual é a solução? Vai deixar espalhar isso? Depois como trata? São no mínimo 6 meses tomando remédio. Às vezes o tratamento dura anos. Levam os doentes para uma casa do índio em Cruzeiro do Sul. Mas vão deixar uma criança lá sozinha tomando interferon durante um ano?

E o vírus C? Drauzio - É um vírus muito maluco. Quando fizemos o primeiro trabalho no Carandiru em 1989, testei 1.492 presos para o vírus da aids. Encontramos o HIV em 17,3% dos presos. Um ano depois, o infectologista Ésper Kallas testou o mesmo sangue que estava estocado e encontrou o vírus da hepatite C em 60% das amostras. Isso foi numa época em que a moda era droga na veia. O vírus C é transmitido com muita facilidade. Enquanto no vírus B, apenas 5% dos infectados se tornam portadores crônicos, na hepatite C são 80%. O vírus da hepatite C não é oncogênico. Ele em si não induz o câncer de fígado, mas ele provoca cirrose. E a cirrose aumenta a incidência de câncer de fígado.

As crianças morrem cedo? Drauzio - Aquelas pessoas vivem numa situação social horrível. Isso é geral. Na Amazônia ninguém sabe por que existe hepatite D (hepatite Delta). É outro vírus. É um vírus defeituoso, que não tem a capacidade de se multiplicar sozinho. Se a pessoa pegar só ele, não acontece nada. Se tiver o vírus B e pegar o Delta, a hepatite fica muito mais agressiva. Essa é a situação dos meninos que eu vi. Meninos de 12, 13 anos em fase final de evolução. Com cirrose, baço enorme. Morrem com 14, 15 anos. Com o vírus Delta, as crianças morrem muito mais rápido.

Quantos portadores de hepatite há, afinal, no Brasil? Cada um diz um número diferente. Drauzio - A verdade é que não se sabe. Se formos muito conservadores e somarmos as hepatites B e C, chegamos a 2 milhões de pessoas. Temos 600 mil infectados com o vírus da aids. O tratamento é muito mais simples que o da hepatite. A diferença é que a aids atingiu primeiro as pessoas que tinham acesso aos meios de comunicação. Desde o início da epidemia, os meios de comunicação se interessaram muito pela aids. Foi sempre assim, desde que era chamada de peste gay. A aids envolve uma discussão moral. Para a imprensa, é uma doença que tem mais interesse jornalístico. Para a hepatite ninguém liga. As hepatites não têm esse charme.

O tratamento de que elas precisam é o mesmo usado contra o vírus B? Drauzio - Sim. Matando o vírus B, o Delta não tem como sobreviver. Essa é a dimensão do problema. É caro tratar 1,5 milhão de pessoas? É. Mas vamos aceitar chegar à mesma situação da China? A China tinha 10% da população infectada pelo vírus B. Agora que eles começaram a vacinar, a prevalência caiu para 8,5%. Isso vai dar mais ou menos 100 milhões de pessoas infectadas. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

O que você descobriu ao entrevistar jogadores de futebol?

22

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Entrevista Drauzio - Gravamos em Salvador com um grupo de jogadores profissionais dos anos 70. Naquela época, se acreditava que era preciso dar vitaminas para os jogadores. Davam glucoenergan na veia. No intervalo dos jogos, chegavam no vestiário com aquelas caixinhas com seringa de vidro e aplicavam tiaminose e complexo B na molecada toda. Uma quantidade absurda de hepatite B e C foi transmitida dessa forma. Vários desses jogadores morreram de cirrose. Como muitos param de jogar e começam a beber, todo mundo achava que morriam de cirrose por causa da bebida. Como eles não sabem que tem hepatite C, eles bebem sem saber que correm riscos. Quando a pessoa bebe, acelera o processo. Como não sente nada, nem desconfia. Só vai sentir quando a coisa já está grave.

Essa realidade que você constatou indica que o Ministério da Saúde está falhando no combate a essa doença? Drauzio - Não podemos culpar o Ministério. Os médicos também não pedem o exame. Não pensam nisso. Se eles atendem uma pessoa que tem múltiplos parceiros sexuais, pedem o teste de aids, mas não pedem o da hepatite B. Conversei com o Dirceu Greco, que comanda o programa de aids. No Ministério, a hepatite está no mesmo lugar da aids. O pessoal da hepatite fica bravo com isso. O Ministério argumenta que eles já têm uma estratégia de distribuição de medicamentos da aids e essa estrutura serviria também para a atenção à hepatite. As associações de hepatite dizem que isso faz com que o interesse fique todo voltado para a aids porque é uma coisa que aparece muito mais. A hepatite não tem a importância que deveria ter. É difícil. Os dois argumentos valem. O fato é que no SUS temos apenas 100 mil portadores do vírus em acompanhamento. Apenas 20 mil estão em tratamento. É muito pouco.

A direção da Revista Eletrônica ‘‘Projeto em Ação’’, agradece à repórter especial da revista ÉPOCA, Cristiane Segatto, por ceder e autorizar a veiculação desta entrevista que consideramos ser de extrema importância devido os esclarecimentos à população, sobre este mal chamado hepatite. Fale com ela: cristianes@edglobo.com.br

Para que sejamos ainda mais conhecidos, precisamos de sua parceria. DIRETAMENTE PARA 30 MIL LEITORES (CADA EXEMPLAR DE REVISTA É LIDO POR PELO MENOS 3 PESSOAS NUMA RESIDÊNCIA OU EMPRESA) Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

23

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


divulgação

Na Mídia

O JOVEM (E RICO)

NEYMAR

Segundo sites especializados, o atacante vale algo em torno de R$120 milhões. Jovem, talentoso e rico. Os jornais do Brasil e do Exterior não economizam adjetivos para expressar o talento do paulista de Mogi das Cruzes Neymar da Silva Santos Júnior, que recentemente entrou para a galeria dos heróis do esporte brasileiro ao conquistar pelo Santos a Taça Libertadores da América, o torneio de clubes mais importante do continente americano. Aos 19 anos, Neymar repetiu, quarenta anos depois, o feito de Pelé, que venceu a competição contra o mesmo Peñarol, tradicional time do Uruguai. Assim como o maior jogador da história do futebol, Neymar foi o protagonista do espetáculo (ele fez o primeiro gol da vitória santista por 2 a 1) e confirmou a irresistível vocação para os holofotes. Além de um atacante excepcional e com potencial para se tornar o novo número 1 do planeta, ele é um astro pop por natureza. Estiloso no penteado e no figurino, sorrisos fartos, desinibido diante das câmeras, conquistador de mulheres, apaixonado por carros importados e Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

mansões, uma máquina de fazer dinheiro, ágil nos negócios, ele é dotado daquela chama que diferencia os seres normais dos gigantes de verdade. Neymar é um fenômeno desde cedo. Aos 14 anos, foi fazer um estágio no Real Madrid, na capital espanhola, que tinha na época craques como Ronaldo, Robinho e o francês Zidane. A experiência acabaria por transformá-lo em um adolescente milionário. Sob o risco de perder seu futuro craque, a diretoria do Santos entrou em ação: pagou R$ 1 milhão ao jogador para que ele permanecesse nas categorias de base do clube. “Acertamos o valor e o pai do Neymar ligou para o filho pedindo para ele voltar ao Brasil”, diz Marcelo Teixeira, ex-presidente do Santos. Com o dinheiro, a família comprou o primeiro apartamento ao lado da Vila Belmiro, em Santos – que, foi trocado dois anos depois, por uma cobertura triplex avaliada em cerca de R$ 1,5 milhão. Quando o jogador ainda não ganhava o suficiente para sustentar a família, ele, o pai, a mãe e a irmã moravam em um cômodo na casa da avó, na periferia de São Vicente. À medida que o adolescente crescia, o nível de vida da família melhorava. Aos 15 anos, Neymar ganhava R$ 10 mil por mês. Aos 16, R$ 25 mil. Aos 17, quando virou titular no time principal do Santos, vieram os primeiros patrocínios. Em abril de 2011, já como estrela da Seleção e um dos principais garotos-propaganda da televisão brasileira, adquiriu, por R$ 4 milhões, uma mansão, no Guarujá. O salário atual de R$ 160 mil é baixo para os padrões brasileiros – Rogério Ceni, ídolo do São Paulo, recebe R$ 300 mil por mês; Ronaldinho Gaúcho, do Flamengo, R$ 700 mil. A diferença é que nenhum deles é capaz de atrair tantos patrocinadores quanto Neymar, que tem cinco contratos de publicidade vigentes. Sua imagem e seu potencial são tão fortes que empresas como a Nike querem tê-lo por perto durante muito tempo. O craque recebe cerca de R$ 1 milhão por ano da fabricante de materiais esportivos e o contrato vale até 2022, quando ele terá 30 anos. Detalhe: o valor pode ser multiplicado. Uma cláusula prevê remuneração para títulos conquistados e convocações para a Seleção Brasileira – algo que, convenhamos, deve acontecer com frequência. Se uma empresa quiser desembolsar uma quantia fixa, sem definir prêmios por desempenho, a fatura chega a R$ 1,5 milhão por ano. “Há uma fila de interessados em fazer publicidade com o Neymar”, diz o advogado Lissandro Silva Florêncio, que analisa todos os contratos antes de o jogador assiná-los. “Mas a maioria das propostas é rejeitada por não acrescentar nada à imagem dele.” direto da redação

24

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Na Mira

A morte do

ETANOL Lobby de empresários do setor automobilístico e de combustíveis, freia incentivo fiscal e trava a chegada dos carros movidos a eletricidade no Brasil.

O Nissan Leaf é um carro conceito movido a baterias de lítio com emissão zero de CO2 na atmosfera. Não é sempre que se vê um carro 100% elétrico no Brasil. Custa caro para nosso alto modelo econômico devido aos estratoféricos impostos que como todos sabem fazem parte de nossa ‘‘cultura’’ infelizmente. Além disso existe uma disputa política e econômica, e estes automóveis correm o sério risco de jamais chegar às nossas lojas. Setores da indústria automobilística e de extração e comercialização da cana de açúcar não tem nenhum interesse em ver este projeto se tornar realidade. Por este motivo, publicamos esta foto do ano de 2010 onde o Presidente da República àquela época, gostou mas não deu seu parecer em público e muito menos o apoio para se produzir veículo assim aqui no Brasil.. Porque será hein?

divulgação

direto da redação

Dê um ‘‘START’’ no SEU PRODUTO...

E I C N U N A Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

25

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Momento Digital |

Mauricio Verissimo Sabino|

diretor@revistaprojetoemacao.com.br

sxc.hu

TECNOLOGIA...

Ainda é possível viver sem ela? Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

26

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Momento Digital

SAIBA COMO É O FUNCIONAMENTO DA

INTERNET

O que é a Internet? Ao falarmos sobre Internet, geralmente lembramos que ela é “uma rede de computadores”. Podemos até dizer que sim, mas para compreender como a Internet chega na sua casa vamos imaginar que ela é uma pequena rede conectada a outras redes (maiores) de computadores. Sendo assim, não há um dono da Internet, nem uma empresa que a controle, mas sim um grupo de várias redes interligadas. Quando conectamos um computador a outro, ou quando ligamos vários computadores uns aos outros, criamos uma rede local. Mas desta forma, os computadores só se comunicam uns com os outros, sem acesso a outros computadores fora da sua casa ou empresa, e sem acesso a outros servidores, como é possível quando há acesso à Internet? Este acesso externo ocorre quando a sua rede local se conecta a uma outra rede maior - no caso, o seu provedor de Internet - por meio da tecnologia TCP/IP, um modo de comunicação baseado no endereço de IP (Internet Protocol). Este IP é o endereço de cada um dos pontos de

uma rede, e cada ponto da rede consiste em um computador que, por sua vez, se interliga a outros computadores, formando uma verdadeira “teia de redes”.

O Caminho da Internet Agora sim, vamos entender qual o caminho que a Internet faz até chegar na sua casa. Este caminho passa por quatro passos principais, sempre identificados por um endereço de IP: o Backbone, o provedor de acesso, o provedor de serviço e o usuário final.

‘‘Fim de ano na internet todos juntos à distância, pra brincar de amigo orkut...’’ BBC Brasil

Você acabou de receber um e-mail do seu irmão que faz intercâmbio nos Estados Unidos enquanto termina o download de um CD de um site espanhol e enviava o seu vídeo daquele passeio para o YouTube. Algo semelhante já deve ter acontecido com você, mas já parou para pensar como tudo isso funciona? Será que algum computador da Espanha me enviou um CD pela Internet? Nestas três atividades simples, sua conexão envolveu diversos países. Mas será que existe uma empresa que seja a dona da Internet? Estas e outras perguntas estão diretamente ligadas ao nosso dia a dia, e vamos responder algumas delas agora.

Demétrio Sena - Magé-RJ

Backbone Primeiramente vamos conhecer o ponto inicial de referência da Internet, o setor que interliga todos os pontos da rede: o backbone. Estes backbones são pontos das redes que compõem o núcleo das redes de Internet. São pontos-chave da Internet que distribuem pelas redes as informações baseadas na tecnologia TCP/IP. Existem poucos backbones espalhados pelo mundo, e estes são os responsáveis por distribuir o acesso mundial para a rede de Internet. Provedor de acesso A partir dos backbones, a Internet passa

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

27

para uma nova etapa, quando o seu sinal chega aos provedores de acesso - as empresas que contratam o sinal de backbones para distribuir aos seus usuários. Os provedores de acesso são, em geral, empresas ligadas ao setor de telecomunicações, ou até mesmo as próprias companhias telefônicas, que fornecem o acesso à Internet por meio de planos acordados com seus usuários.

Provedor de serviço Estes dados de Internet que trafegarão na rede necessitam de um meio para o seu transporte até os usuários, e são as empresas provedoras de serviço as responsáveis por este papel. Estas empresas recebem os dados do provedor de acesso e distribuem aos usuários por variados meios, seja por linha telefônica, fibra ótica ou via rádio (por tecnologia sem fio). Estas empresas devem sempre ser regulamentadas pela Anatel e podem ser prestadores de serviço de rede, companias telefônicas e empresas de telecomunicações.

Usuário final Este pode parecer o passo final do caminho percorrido pela Internet, mas na verdade não é. Ao chegar no usuário final o sinal de Internet passa a repetir todo o caminho novamente, porém na forma inversa, já que você, como usuário final, também envia sinais - com as suas requisições - para a Internet. Os dados enviados pelos usuários são transportados pelo provedor de serviço, enviados para o provedor de acesso e chegam novamente ao backbone. A partir do backbone, o processo segue novamente o mesmo caminho inicial até o próximo destino, que pode ser, por exemplo, o arquivo do CD que você está querendo fazer download, lá na Espanha.

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


sxc.hu

Momento Digital

Na internet existem dois mundos: O do bem e o do mal. Chegando no backbone contratado, o sinal deve alcançar o servidor espanhol onde estão os arquivos do CD que você quer baixar, então o backbone do seu provedor enviará um sinal para o backbone do provedor do site espanhol do CD, que fará o mesmo caminho. Ao fim, o arquivo finalmente será transferido de lá para o seu computador. Vamos apenas lembrar que nestes processos podem existir outros servidores intermediários com seus respectivos endereços IP, já que um provedor de acesso ou um backbone pode distribuir o sinal por três servidores diferentes, por exemplo.

Ao acessar o site do CD desejado, entretanto, ninguém obviamente sabe o endereço IP completo da máquina que hospeda esses arquivos ou sites. O que conhecemos é o endereço “www”. Estes endereços de sites são baseados na tecnologia DNS, que basicamente cria atalhos entre os endereços “www” à endereços IP. Assim, não é necessário que você navegue decorando endereços do tipo "192.168.200.45" para acessar o seu site preferido. Basta conhecer o endereço “www”. Após acessar o site, por DNS, o endereço “www” te jogará para o endereço IP onde ele está hospedado. Feito isso o site receberá o seu sinal pedindo para baixar o arquivo do CD, e este sinal será transportado pelo seu provedor de serviço para o provedor de acesso, que o levará até o backbone.

E I C N U N A Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

Seu produto ou serviço tem tecnologia? Aqui é o lugar. 28

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

sxc.hu

Saiba mais em: www.techtudo.com.br/curiosidades/noticias/2011


Música

aos

divulgação

Amy, também

27

Seguindo a mesma trajetória de astros como: Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morrison, o vocalista do The Doors, Kurt Cobain, do Nirvana, Brian Jones, guitarrista dos Rolling Stones, o bluesman Robert Johnson, Dave Alexander, baixista do Stooges, também morreu precocemente a grande voz da

divulgação

Kurt Cobain (suicídio)e Janis Joplin (overdose) também se foram aos 27 anos.

sxc.hu

direto da redação

Amy foi encontrada morta em sua residência na Inglaterra por paramédicos após a chamada telefônica de vizinhos divulgação

atualidade Amy Winehouse. Todos eles fizeram sucesso, mudaram a cara da música, tiveram uma vida de excesso seja com álcool ou drogas pesadas e partiram aos 27 anos. A coincidência leva os fãs a desenvolver teorias conspiratórias para explicar porque motivo todos se foram com a mesma idade. A lenda (ou maldição, para alguns) conhecida como "Clube dos 27" continua ganhando números para suas estatísticas. Num sábado, dia 23 de julho passado, a cantora Amy Winehouse entrou para a lista e reacendeu a discussão em torno da idade cabalística da música. Com apenas dois discos lançados, ‘’Frank’’, de 2003, e ‘’Back to black’’, de 2006, ela deixou sua marca na música. Tinha uma ótima voz, compunha suas próprias canções e desenvolveu um estilo próprio. Cantava soul mas suas atitudes eram de uma roqueira sem limitações ou objetivos. Perde a música, perdem os fãs e naturalmente a maior perda foi dela: uma moça talentosa com um futuro brilhante pela frente.

E I C N U N A

Quer vender MAIS? Já sabe...

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

29

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Esportes o Futuro |

Madalena Cardoso |

madalena@revistaprojetoemacao.com.br

sxc.hu

Como sabemos atividades físicas regularmente, proporcionam inúmeros benefícios aos praticantes, não apenas na parte física, mas também na psíquica. Atividades físicas são fundamentais e seus benefícios essenciais para recuperação e evolução de pessoas com necessidades especiais; eles podem desenvolver, potencializar o físico e prevenir outras enfermidades ligadas a sua deficiência através da prática de atividades físicas, além de auxiliar sua integração com a sociedade, na sua adaptação ou readaptação. Na parte psíquica, a melhora da auto-estima, integração social, redução da agressividade, entre outros benefícios. O esporte adaptado deve ser considerado como uma alternativa lúdica e mais prazerosa, fazendo assim parte do processo de reabilitação das pessoas portadoras de deficiência física.

O ESPORTE

ADAPTADO Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

30

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Esportes o Futuro OBJETIVOS - Portadores de deficiência; física ou mental, auditiva ou individual. As limitações de cada indivíduo devem ser consideradas e respeitadas, adequando as atividades e a utilização de objetos em sua prática: Dentre inúmeras vantagens destacamos: Melhoria e desenvolvimento de auto-estima, autovalorização e auto-imagem; Estímulo à independência e autonomia; socialização com outros grupos; Experiência com suas possibilidades, potencialidades e limitações; Vivência de situações de sucesso e superação de situações de frustração; Melhoria das condições organo-funcional (aparelhos circulatório, respiratório, digestivo, reprodutor e excretor); Melhoria na força e resistência muscular global, ganho de velocidade, aprimoramento da coordenação motora global e ritmo, melhora no equilíbrio estático e dinâmico; A possibilidade de acesso à prática do esporte como lazer, reabilitação e competição; Prevenção de deficiências secundárias, manutenção e promoção da saúde e condição física; Promover e encorajar o movimento, motivação para atividades futuras; Desenvolvimento de habilidades motoras e funcionais para melhor realização das atividades de vida diária Desenvolvimento da capacidade de resolução de problemas.

Bocha: Esta modalidade esportiva foi adaptada para paralisados cerebrais severos. O objetivo do jogo consiste em lançar as bolas o mais perto possível da bola branca. Ciclismo: Neste esporte participam atletas paralisados cerebrais, cegos com guias e amputados nas categorias masculina e feminina, individual ou por equipe. Pequenas alterações foram realizadas nas regras do ciclismo convencional, melhorando a segurança e a classificação dos atletas de acordo com sua deficiência, possibilitando adaptações nas bicicletas. Os atletas participam de provas de estrada, velódromo e contra-relógio. Equitação: Os deficientes físicos participam deste esporte apenas na categoria de habilidades. É necessário analisar os possíveis deficientes que podem participar. Esgrima: Este esporte é praticado por atletas usuários de cadeira de rodas como os lesados medulares, amputados e paralisados cerebrais em categorias masculina ou feminina. Os atletas participam das modalidades de espada, sabre e florete, sendo provas individuais ou por equipes. Para participação em eventos competitivos todos os atletas são presos ao solo, possuindo os movimentos livres para tocar o corpo do adversário. Futebol: Nesta modalidade o atleta portador de paralisia cerebral compete na modalidade de campo e o atleta amputado compete na modalidade de quadra. Alterações nas regras como o número de jogadores, largura do gol e da marca do pênalti estão presentes.

Modalidades Esportivas

Vem ‘‘bater um bolão’’ CONOSCO...

Existem diversas modalidades esportivas adaptadas aos deficientes. Competições incentivando cada vez mais a prática esportiva nos centros de recuperação às pessoas com necessidades especiais. As modalidades esportivas para os portadores de deficiências físicas são baseadas na classificação funcional e atualmente apresentam uma grande variedade de opções. Arco e flecha: Pode ser praticada por atletas andantes como amputados ou por atletas usuários de cadeiras de rodas como os lesados medulares. Todas as deficiências físicas podem participar desta modalidade esportiva, respeitando estas duas categorias, em pé e sentado. A participação em competições e o sistema de resultados são semelhantes à modalidade convencional olímpica. Atletismo: Podem ser disputadas por atletas com qualquer tipo de deficiência em categorias masculina e feminina, pois os atletas são divididos por classes de acordo com o seu grau de deficiência, que competem entre si nas provas de pistas, campo, pentatlo e maratona. Esta é uma modalidade esportiva que sofre freqüentes modificações, visando possibilitar melhores condições técnicas para o desenvolvimento da mesma. Basquetebol sobre rodas: Jogado por lesados medulares, amputados, e atletas com poliomielite de ambos os sexos. As regras utilizadas são similares à do basquetebol convencional, sofrendo pequenas adaptações. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

ANUNCIE

já 31

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Esportes o Futuro

sxc.hu

sxc.hu

sxc.hu

Halterofilismo: Esta modalidade é aberta a todos os atletas portadores de deficiência física do sexo masculino e feminino. A divisão de acordo com o peso corporal em 10 categorias. Iatismo: Todos os atletas deficientes podem participar, as modificações são realizadas apenas no equipamento e na tripulação, não há alterações nas regras da competição. Lawn Bowls: Esporte similar a Bocha, sendo este aberto à participação de todos os portadores de deficientes físicas. Natação: As regras são as mesmas da natação convencional com adaptações quanto as largadas, viradas e chegadas. As provas são variadas e os estilos abrangem os estilos oficiais. As competições são realizadas entre atletas da mesma classe. Podem participar desta modalidade esportiva portadores de qualquer deficiência, sendo agrupados os portadores de deficiência visual e os demais. Racquetball: Este esporte pode ser praticado por atletas paralisados cerebral, e possui características similares ao tênis de mesa.

Logotipo das Paraolimpíadas

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

32

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


sxc.hu

Esportes o Futuro

Marketing e propaganda visam o futuro. Estamos apenas nos primeiros números não fique de fora... Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

33

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Esportes o Futuro Rugby em cadeira de rodas: Esta modalidade foi adaptada para lesados medulares com lesões altas tetraplégicos - que realizam um jogo com bola de voleibol com objetivo de marcar pontos ao fazer com que a bola ultrapasse uma determinada linha no fundo da quadra. Tênis de campo: Esporte realizado em cadeiras de rodas, independente do tipo de deficiência física que o atleta possua nas categorias masculina e feminina. As regras sofrem apenas uma adaptação em relação ao tênis de campo convencional, sendo esta que a bola pode quicar duas vezes, a primeiro pingo deverá ser dentro da quadra. As categorias são: masculino e feminino, individual e em duplas. Tênis de mesa: Deficientes físicos como lesado cerebral, lesado medular, amputados ou portador de qualquer tipo de deficiência física podem participar desta modalidade esportiva, onde as provas são realizadas em pé ou sentado. As provas podem ser realizadas em duplas e individuais, sendo a classificação de acordo com o nível de deficiência. As regras sofrem poucas modificações, em relação ao tênis de mesa convencional.

Tiro ao alvo: Esporte aberto a atletas com qualquer tipo de deficiência física do sexo masculino ou feminino, nas categorias sentado e em pé. As equipes podem possuir atletas de ambos os sexos e diferentes tipos de deficiência física. As provas podem ser realizadas utilizando pistola ou carabina. Voleibol: Poderá ser praticado por atletas lesados medulares que participaram da modalidade de voleibol sentado e os amputados, que participarão desta modalidade em pé.

Saiba mais em: http://www.efdeportes.com.

Madalena Cardoso

sxc.hu

madalena@revistaprojetoemacao.com.br

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

34

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


sxc.hu

Vale a pena ANUNCIAR em

REVISTA

PRESTE MUITA ATENÇÃO NISTO...

Simone Farias marketing@revistaprojetoemacao.com.br (11) 7345 8020 24 horas de seg. a sex. Mauricio Verissimo Sabino diretor@revistaprojetoemacao.com.br (11) 2804 1956 redação da revista das 19:00 as 22:hs de seg. a sex.

Revistas são de interesse geral, possuindo públicos variados. Qualquer anúncio costuma ter mais tempo de vida, geralmente próximo da duração da própria revista. Revistas mensais são lidas até quase um ou dois dias antes da chegada da próxima edição. Além disso, uma revista sempre tem mais de um leit’’or por número. Geralmente numa casa ou escritório, a mesma revista é lida por três ou mais pessoas. Nem todos os leitores que têm dinheiro para comprar jornal, podem comprar revistas, por este motivo nossa revista é cortesia do editor. Além disso, o anúncio tem maior tempo de vida útil. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

35

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO

Capa |

Mauricio Verissimo Sabino |

diretor@revistaprojetoemacao.com.br

sxc.hu

Fazendo uma boa ação, sempre!

A sustentabilidade é um ideal sistemático que se per faz principalmente pela ação, e pela constante busca entre desenvolvimento econômico e ao mesmo tempo preservação do ecossistema. Podem-se citar medidas que estão no centro da questão da sustentabilidade ambiental: a aquisição de medidas que sejam realistas para os setores das atividades humanas. Os pontos elementares da sustentabilidade visam à própria sobrevivência no planeta, tanto no presente quanto no futuro. Esses princípios são: utilização de fontes energéticas que sejam renováveis, em detrimento das não renováveis. Pode-se exemplificar esse conceito com a medida e com o investimento que vem sido adotado no Brasil com relação ao biocombustível, que por mais que não tenha mínina autonomia para substituir o petróleo, ao menos

visa reduzir seus usos. O segundo princípio refere-se ao uso moderado de toda e qualquer fonte renovável, nunca extrapolando o que ela pode render. Em um quadro mais geral, pode-se fundamentar a sustentabilidade ambiental como um meio de amenizar (a curto e longo prazo simultaneamente) os danos provocados no passado. A sustentabilidade ambiental também se correlaciona com os outros diversos setores da atividade humana, como o industrial, por exemplo. A sua aplicação pode ser feita em diversos níveis: a adoção de fonte de energias limpas está entre as preocupações centrais; algumas empresas têm desenvolvido projetos de sustentabilidade voltando-se para aproveitamento do gás liberado em aterros sanitários, dando energia para populações que habitam proximamente a esses

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

36

locais. Outro exemplo de sua aplicação está em empresas, como algumas brasileiras de cosméticos, que objetivam a extração cem por cento renováveis de seus produtos. O replantio de áreas degradadas, assim como a elaboração de projetos que visem áreas áridas e com acentuada urgência de tratamento são mais exemplos que já vêm sido tomados. Pode-se afirmar que as medidas estatais corroboram perceptivelmente com a sustentabilidade ambiental. Sendo necessário não apenas um investimento capital em tecnologias que viabilizem a extração e o desenvolvimento sustentável, mas também conta com atitudes sistemáticas em diversos órgãos sociais e políticos. Como por exemplo, a propaganda, a educação e a lei.

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Capa

Como garantir a

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

37

sxc.hu

sxc.hu

Uma pergunta assalta e perturba muitos cidadãos conscientes, autoridades preocupadas com a situação do meio ambiente e as organizações que militam na área: Como garantir a sustentabilidade ambiental nas grandes cidades? A resposta a essa pergunta atinge um caráter de urgência quando percebemos claramente os sinais de degradação e constatamos que o planeta sente, como nunca, o impacto do peso da vida humana e das ações predatórias longamente praticadas por nós. Manter as bases da economia e o estilo de vida das populações urbanas nos níveis atuais; onde o consumismo desenfreado e o descarte de grandes quantidades de materiais tóxicos e lixo é praticamente a ordem reinante e a lógica por trás de quaisquer ações humanas. Cedo ou tarde, os impactos desse modo de vida se tornarão irreversíveis e populações inteiras sentirão a mão pesada da natureza sobre suas vidas. Vencer as resistências locais e as políticas tradicionalmente aceitas como verdades absolutas; é a missão do novo pensamento que deve se espalhar e dominar as mentes e os corações dos “novos políticos” e do “novo cidadão”. A grande realidade; é que para garantir a sustentabilidade ambiental nas grandes cidades, devemos praticamente abandonar o modo de vida que experimentamos até hoje e criar devida consciência nas massas e na classe dirigente de que a exploração desenfreada do meio ambiente só levará a destruição do planeta. Num sistema insustentável de produção, os recursos naturais planetários seriam exauridos muito rapidamente e proporcionariam problemas gravíssimos que seriam sentidos com um impacto devastador nos grandes aglomerados urbanos. Fazer com que a aplicação de políticas garantidoras da sustentabilidade ambiental nas grandes cidades, representa uma realidade em que se leva em consideração à capacidade de reposição que o planeta tem de seus recursos e, ao mesmo tempo, manter medidas que permitam uma maior justiça social. As mudanças que já foram sentidas devem ser estimuladas e seus reflexos plenamente positivos em uma escala pequena; devem servir de exemplo para que nações e governos menores comecem a implementá-las e a sentir seus reflexos cada vez mais intensamente. Conseguir alterar as relações de Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Capa consumo e educar a população para o real significado das políticas de conservação do meio ambiente pode ser a única forma de garantir a sustentabilidade ambiental de forma efetiva e com resultados em médio e longo prazo.

sxc.hu

Não fique rodando por aí em busca de uma mídia forte.

ANUNCIE direto

Um dado estatístico pode corroborar muito bem essas relações problemáticas e perigosas entre populações urbanas e recursos naturais. Basta saber que para sustentar apenas um quarto da população mundial que habita nos países ricos, são necessários três quartos de todos os recursos naturais do planeta. Por essa simples constatação; pode-se perceber claramente que será impossível fornecer os recursos necessários para que todos os seres humanos possam atingir um padrão de vida razoável no ritmo de consumo atual. Somente com o desenvolvimento sustentável será possível garantir a sustentabilidade ambiental e com isso podermos reverter nossa atual situação. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

AQUI 38

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Capa

Maiores

RESERVAS NATURAIS DO PLANETA

São áreas fundamentais para manter o equilíbrio do ecossistema.

1 - Parque Nacional do Nordeste da Groenlândia 2 - Área de Manejo da Fauna Selvagem Ar Rub' al Khali - Arábia Saudita 3 - Monumento Marinho Nacional Papahanaumokuakea - Estados Unidos 4 - Parque Nacional da Grande Barreira de Coral - Austrália 5 - Reserva Natural de Qiagtang - China 6 - Parque Marinho da Ilha Macquarie - Austrália 7 - Reserva Natural Nacional de Sanjiangyuan - China 8 - Reserva Marinha de Galápagos - Equador 9 - Zona Setentrional de Manejo da Fauna Selvagem - Arábia Saudita 10 - Área Protegida das Terras Aborígenes de Nganyatjarra - Austrália 11 - Floresta Amazônica - Brasil

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

39

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Capa

FLORESTA AMAZÔNICA

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

40

sxc.hu

Não é segredo que a Amazônia é um dos mais preciosos patrimônios naturais da Terra e que a sua preservação é da maior importância para o equilíbrio ambiental do nosso planeta. O problema é que muita gente se esquece deste fato. Só nos últimos 50 anos foram destruídos mais de 800 mil quilômetros quadrados de floresta e a devastação continua. Fenômenos como El Niño e o aumento das queimadas (que alteram o regime normal das chuvas) têm contribuído para o agravamento da situação. Com uma diversidade animal e vegetal levada ao extremo, a Amazônia luta também contra a extinção de algumas das suas espécies, provocada pela exploração desordenada, o desflorestamento, a caça predatória e a venda ilegal de animais. Por outro lado, a alta rentabilidade da extração madeireira, a pecuária e a agroindústria explicam porque a eliminação dos subsídios não surtiu efeito sobre o aumento da taxa de desmatamento. Para combater o desaparecimento de uma floresta virgem cuja superfície é equivalente à da Europa Central é urgente ir além das palavras. É fundamental a definição de uma política coesa e articulada entre governos e sociedade civil. A Amazônia guarda maravilhas naturais de valor inestimável e impõe a todos nós um grande desafio: o de evitar que o chamado “pulmão do mundo” seja afetado por um cancro sem tratamento possível. Entrar na floresta no Amazonas é um exercício de humildade. O silêncio, o clima úmido e abafado, o teto formado pela copa das árvores, tudo te faz sentir pequeno, muito pequeno. Uma imensa planície cerca o rio de águas barrentas. Dá medo? Claro que dá. Qualquer um treme em saber que, a poucos passos de distância, pode haver uma onça-pintada espreitando, um jacaré. Mas o prazer de sentir-se um invasor no meio do Amazonas vale isso e muito mais. Uma caminhada pela floresta é programa obrigatório para quem se hospeda nos hotéis de selva. Mas a diversão não acaba aí. Você pode conhecer a vida dos ribeirinhos, pescar piranhas nos igarapés e fazer a espera noturna de animais. O outro pulmão do planeta são os oceanos pois as algas produzem 10 vezes mais oxigênio que a mesma quantidade de árvores.

sxc.hu

um dos pulmões da terra

‘‘Entrar na floresta no Amazonas é um exercício de humildade. O silêncio, o clima úmido e abafado, o teto formado pela copa das árvores, tudo te faz sentir pequeno, muito pequeno.’’ Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Personagem

M n on y ir l r

divulgação

oe

Ma

‘‘Uma garota sábia beija mas não ama, escuta mas não acredita e parte antes de ser abandonada.’’

imagem google

O

nome de batismo de M a r i l y n Monroe era Norma Jeane Mortensen. Ela nasceu no County Hospital em Los Angeles. Ela não conheceu seu pai biológico, fato que a deixava muito abalada. Marilyn começou a carreira em alguns pequenos filmes, mas a sua habilidade para a comédia, a sua sensualidade e a sua presença em eventos levaram-na a conquistar papéis em filmes de grande sucesso, tornando-a numa das mais populares estrelas de cinema da década de 1950. Durante sua lua de mel em Tóquio, Marilyn fez uma performance para os militares que serviam na Coreia. A sua presença causou quase um motim, e Joe se mostrava claramente incomodado com aqueles milhares de homens desejando sua mulher. Ela era muito cobiçada, sua beleza chamava atenção e isso causava brigas e ciúmes com todos os homens com quem se relacionou. Infelizmente, a fama de Marilyn e sua figura sexual tornaram-se um problema em seu casamento. Nove meses depois, no dia 27 de outubro de 1954, Marilyn e Joe se divorciaram. Eles atribuíram a separação a "conflitos entre carreiras", e permaneceram bons amigos. Em 1955 Marilyn estava pronta para livrar-se da imagem de furacão loiro. Isso tinha dado a ela o estrelato, mas agora tinha a oportunidade e a experiência, Marilyn queria seguir com seriedade a carreira de atriz, queria Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

‘‘Se eu tivesse cumprido todas as regras, eu nunca teria chegado a nenhum lugar.’’

experimentar novas sensações e poder mostrar que era mais que uma mulher que atiçava o imaginário sexual dos homens. A data do divórcio do terceiro casamento, ocorrido no México, foi escolhida por ser o dia da posse do presidente John F. Kennedy, nos Estados Unidos, numa tentativa de manter a separação fora das manchetes. A tática não funcionou e mais uma vez a vida de Marilyn foi alvo de fofocas, escândalos, capas de jornais e revistas pelo mundo. Seu fim triste aconteceu na manhã de 5 de agosto de 1962. Aos 36 anos, Marilyn faleceu enquanto dormia em sua casa em Brentwood, na Califórnia Estados Unidos. Ninguém sabe de fato o que aconteceu naquela noite. Ouviu-se o barulho de um helicóptero. Uma ambulância foi vista esperando fora da casa dela antes que a empregada desse o alarme. As gravações de seus telefonemas e outras evidências desapareceram. O relatório da autópsia foi perdido. Toda a documentação do FBI sobre sua morte foi suprimida e os amigos de Marilyn que tentaram investigar o que acontecera receberam ameaças de morte. No dia 8 de agosto de 1962, o corpo de Marilyn foi velado no Corridor of Memories, nº 24, no Westwood Memorial Park em Los Angeles. fonte: Wikipedia.org/marilyn monroe direto da redação

41

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Planeta Vivo |

Simone Farias |

marketing@revistaprojetoemacao.com.br

As incríveis

divulgação

e únicas FORMIGAS-POTE-DE-MEL Elas se transformam em reservatório de néctar... Se você acha que as únicas maravilhas do deserto são as pirâmides, se enganou.... A um metro de profundidade daquele solo arenoso você encontra uma iguaria do deserto, as formigas pote-de-mel. Das mais de 12 mil espécies de formigas existentes, as formigas pote-de-mel são uma das mais exóticas.Ao contrário das abelhas, que armazenam o mel em favos, essas formigas armazenam o néctar no corpo de formigas operárias que funcionam como “reservatórios”. Esses “potes de mel” ambulantes são úteis para a colônia em épocas de necessidade. Quando uma formiga quer armazenar ou retirar alimento, ela encosta suas antenas várias vezes

nas antenas de uma formiga “reservatório” para transmitir o código correto. Daí, ela abre a boca e libera o acesso ao “pote de mel”. Uma válvula estomacal especial controla o fluxo de entrada e saída. Pelo visto, uma formiga “reservatório” pode ser esvaziada e reabastecida várias vezes durante sua curta vida de alguns meses. A s f o r m i g a s “r e s e r v a t ó r i o” geralmente são sedentárias, mas vivem em segurança no subsolo, onde ficam protegidas contra secas, calor e predadores de insetos. No mundo subterrâneo, elas se protegem contra bactérias e fungos por se revestirem de um fluido antibiótico produzido por uma glândula especial. De onde vem o “mel”? Tudo

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

42

começa com a seiva e o néctar de a c á c i a s. I n s e to s m i n ú s c u l o s chamados pulgões se alimentam desses sucos naturais. As formigas operárias então extraem o excesso de açúcar dos pulgões ou coletam o néctar diretamente das árvores. Por fim, as formigas “reservatórios” são alimentadas com o líquido coletado. E como elas são sedentárias e têm poucas necessidades nutricionais, a maior par te do líquido fica armazenada. Mas que dizer dos pulgões? Eles saem perdendo ao ceder o líquido ? De forma alguma, pois as formigas deixam restar neles uma quantidade adequada de néctar. Além disso, elas protegem os pulgões de parasitas e predadores. Assim tanto as formigas como os pulgões se beneficiam

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Planeta Vivo dessa relação simbiótica chamada mutualismo. “Vai ter com a formiga”, diz a Bíblia, vê os seus caminhos e torna-te sábio. Embora não tenha comandante, nem oficial ou governante, prepara seu alimento no próprio verão; tem recolhido seus alimentos na própria colheita.” ( PV 6:6-8 ). Isso realmente é verdade, porque as formigas são mesmo cooperadoras, muito organizadas e trabalhadoras. É impressionante como esses habitantes resistentes do deserto conseguem produzir uma iguaria tão doce num lugar tão inóspito!

Como se classificam as Abelhas?

{

Rainha

Macho

Soldado

Operária

Créditos : revista Despertai maio /2011 Colaboração: Joseli Rodrigues, Simone Farias

Simone Farias marketing@revistaprojetoemacao.com.br

COMO FUNCIONA UM FORMIGUEIRO Em um formigueiro tudo isto funciona muito bem. Inclusive a possibilidade de tentar novas estratégias de alimentação e estocagem de acordo com a região do formigueiro, o alimento disponível e o clima. Comparativamente com as nossas organizações equivale a dizer que o formigueiro se adapta às condições do mercado, para sobreviver e crescer continuamente. Temos que transformar nossas organizações em formigueiros eficazes. E o início de tudo está na vontade dos líderes em construir um novo modelo empresarial, onde os talentos são a matéria-prima, capacidade são meios produtivos e fidelidade dos clientes é o resultado final. Nesta semana, pense, a natureza tem muito a ensinar. Vamos olhar as nossas volta e aprender com tudo e com todos, inclusive as pequeninas formigas." (Autor desconhecido)

"Você talvez não tenha se preocupado em conhecer o funcionamento de um formigueiro, porém poderia aprender muito sobre organização e produtividade se resolvesse investir um tempo para saber mais sobre o assunto. Assim, caso o tema lhe interesse vale a pena continuar a leitura do artigo. Vamos a análise: como funciona um formigueiro? Em um formigueiro todas as formigas têm uma função clara e metas estabelecidas. Não é necessário que ninguém fique cobrando resultados e produtividade, porque as formigas estão permanentemente motivadas em relação ao que fazem. Não existem greves,operações tartaruga ou formiga de má vontade. A base disso é clara, a construção de um ambiente saudável em que se respeita a vocação de cada indivíduo. Gerar, produzir, manter, estocar,proteger e construir. Tudo em prol da rainha (o cliente). Será que nossas organizações funcionam assim? Estaremos todos felizes com o que fazemos? Os objetivos estão bem claros e são razoáveis? Cada um tem a chance de desenvolver seus talentos? O foco está voltado para o cliente? As lideranças permitem e estimulam a participação e valorizam os resultados? Existe um espaço para tentativas de inovação ou se reprime o erro?

UMA ORGANIZAÇÃO É FEITA DE PESSOAS, CADA UMA FAZENDO A SUA PARTE . Se cada uma fizer a sua parte formaremos uma grande equipe. Hoje, somente uma grande equipe ganha, pois, os objetivos são conhecidos por todos e todos sabem onde chegar.

Dê mais VIDA ao seu produto ou serviço.

E I C N U N A Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

43

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

sxc.hu

Roseli Levy- Consultora Motivacional


Educação |

Mauricio Verissimo Sabino |

diretor@revistaprojetoemacao.com.br

O salário de 344 professores que ensinam é igual ao de 1 parlamentar que rouba. Essa é uma campanha que vale a pena aderir!

QUE

Sou professor de Física, de ensino médio de uma escola pública em uma cidade do interior da Bahia e gostaria de expor a você o meu salário bruto mensal: R$650,00. Eu fico com vergonha até de dizer, mas meu salário é R$650,00. Isso mesmo! E olha que eu ganho mais que outros colegas de profissão que não possuem um curso superior como eu e recebem minguados R$440,00.

POR

Será que alguém acha que, com um salário assim, a rede de ensino poderá contar com professores competentes e dispostos a ensinar? Não querendo generalizar, pois ainda existem bons professores lecionando, atualmente a regra é essa: O professor faz de conta que dá aula, o aluno faz de conta que aprende, o Governo faz de conta que paga e a escola aprova o aluno mal preparado. Incrível, mas é a pura verdade! Sinceramente, eu leciono porque sou um idealista e atualmente vejo a profissão como um trabalho social.

344 Diante dos fatos, gostaria muito, amigo, que você divulgasse minha campanha, na qual o lema será:

01 P sxc.hu

TRO

Leia com atenção este relato verídico:

PRO

'’TROQUE UM PARLAMENTAR POR 344 PROFESSORES’’.

Nessa semana, o soco que tomei na boca do estomago do meu idealismo foi duro!

Colaboração: Ana Paula Alves Sanches

Descobri que um parlamentar brasileiro custa para o país R$12,0 milhões por ano! São os parlamentares mais caros do mundo. O minuto trabalhado aqui custa ao contribuinte R$11.545. Na Itália, são gastos com parlamentares R$3,9 milhões, na França, pouco mais de R$2,8 milhões, na Espanha, cada parlamentar custa por ano R$850 mil e na vizinha Argentina R$1,3 milhões.

Esclarecimento aos leitores: Esta matéria não se refere aos bons políticos que realmente tem em sua índole um ideal, um sonho, um objetivo; mas aos homens e mulheres que envergonham a classe política com falcatruas, roubalheiras e escândalos que infelizmente são corriqueiros em nosso país.

Trocando em miúdos, um parlamentar custa ao país, por baixo, 688 professores com curso superior ! Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

44

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Educação

O salário de um político parece alto? É muito maior! Custo mensal de 1 Senador da República:

R$ 130,5 Mil

PAR LA

Sálário mensal (26.723,00 reais), verba indenizatória (15 mil reais), verba para transporte aéreo de até 27 mil reais, cota de telefone fixo (1.000 reais), celular (ilimitado), auxíliomoradia (3.800 reais), combustível (520 reais), 14º e 15º salários (com o codinome de “ajuda de custo”). Também há o chamado “cotão” mensal, de até 35.512,09 reais, que pode ser desperdiçado com fretamento de aeronaves, combustível, assinatura de publicações e muitas outras despesas não divulgadas.

OFE

MEN

TAR

SSOR

ES

É justo um professor ganhar:

R$ 650,00? Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

45

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Educação

OPINIAO

Nos atuais dias em que vivemos nos deparamos com um universo cercado de constantes evoluções tecnológicas. Ao mesmo tempo em que crianças, jovens e adolescentes estão totalmente inseridas no mundo virtual, podemos observar famílias distantes de seus filhos por causa de todas as eficientes, porém perigosas ferramentas de internet. A grande maioria dos pais e responsáveis sente-se aliviados por saberem que seu filho tem a internet como forma de entretenimento, e por isso ficam mais seguros por terem os mesmos ao alcance dos seus olhos, ao invés de estarem buscando diversão fora de casa, e assim diminuindo as preocupações e consequentemente as responsabilidades. Talvez essa transferência de responsabilidade até possa caracterizar-se como uma troca de valores, pois não substitui um passeio ao parque para andar de bicicleta, um almoço no shopping, uma volta na praia ou no campo. Vemos essa troca de papeis ir muito além, ela chega também no ambiente escolar, onde nos deparamos com situações em que a função de educar os filhos foi totalmente jogada para os professores, coordenadores, diretores e funcionários. Vale lembrar que a escola além da função de alfabetizar, agregar conceitos e inserir os conteúdos necessários e básicos para que o aluno chegue preparado na vida acadêmica, também deve fazer desse aluno um cidadão inserido respeitosamente na sociedade. Não há duvidas que esse trabalho deve ser feito em parceria, pais e escola. Sendo assim, é dever dos pais e responsáveis exercer os devidos papéis na educação dos seus filhos. Ensinando-lhes os valores de base familiar e a escola complementar, fazendo o necessário para transformar essas crianças em pessoas melhores, em verdadeiros adultos formadores de opiniões. Ednaldo Alves ednaldofr@yahoo.com.br Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

46

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

Ouça a voz de quem é experiente no assunto:

Propaganda...

Os últimos resultados do último exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que foi realizado em dezembro de 2010, são os piores de toda sua história. Apenas 9,74% dos bacharéis em Direito foram aprovados de um total de 116 mil pessoas inscritas,de acordo com dados do Conselho Federal da OAB. Do total, 90 instituições de ensino superior espalhadas pelo país não conseguiram aprovar ao menos um aluno, o que demonstra a péssima qualidade de parte dos cursos de Direito do país. Chega-se com isto a uma conclusão óbvia. O mau desempenho dos candidatos não se limita apenas ao curso de direito; está associado também à má qualidade da educação básica , à falta de dedicação do aluno e à abertura sem fiscalização por parte dos órgãos competentes de faculdades de Direito. Como o problema começa na educação básica, o aluno não tem formação para entender o que é oferecido no ensino superior, e a culpa é do Estado. Se os docentes das melhores universidades de São Paulo forem colocados para lecionar nessas faculdades de baixo índice de aprovação, os resultados não serão melhores. Mauricio Verissimo Sabino diretor@revistaprojetoemacao.com.br

...a alma do NEGÓCIO!


sxc.hu

Ainda não definimos data para a versão impressa...

... POIS PRECISAMOS antes DA SUA

PARCERIA. ANUNCIA VAI? Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

47

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Revista Eletrônica

Projeto Matéria em AÇÃO Especial

Mauricio Verissimo Sabino | diretor@revistaprojetoemacao.com.br

Fazendo uma boa ação, sempre!

QUANTO TEMPO VOCÊ LEVARIA PARA GANHAR O EQUIVALENTE AO SALÁRIO DE UM DELES? FAÇA AS CONTAS! Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

48

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Matéria Especial

divulgação

OS SUPER SALÁRIOS DA TV BRASILEIRA

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

49

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Matéria Especial

FAUSTO SILVA O FAUSTÃO O salário do apresentador do “Domingão do Faustão” na Globo é o maior da TV brasileira chegando a 5,2 milhões por mês. Iniciou sua carreira aos quinze anos, como repórter da rádio Centenário de Araras, no interior de São Paulo. Logo depois, mudouse para Campinas e trabalhou durante cinco anos na Rádio Cultura. Em março de 1984, vai ao ar pela TV Gazeta o programa de auditório Perdidos na Noite (nome em português de um filme com participação de Jon Voight e Dustin Hoffman) em horário comprado por Goulart de Andrade. Em setembro, o

programa passa para a Record, e, em pouco tempo, se desvincula de Goulart de Andrade para assumir uma direção própria. Em 26 de março de 1989, estreia na Rede Globo, emissora em que até hoje apresenta o programa de auditório Domingão do Faustão, nas tardes de domingo. Em maio de 2008, o programa chegou a sua milésima edição, sendo ele um dos programas de maior rendimento para a TV Globo.

Ganho mensal

R$5,3 Milhões

(salário + extras)

ELIANA A LOIRA DO SBT

O Programa Eliana estreou no dia 30 de agosto de 2009, após o retorno da apresentadora ao SBT, após 11 anos na Rede Record. O programa manteve basicamente o formato apresentado pela apresentadora no Tudo é Possível, mas com algumas alterações na fórmula. Eliana manteve a maioria de sua equipe na Rede Record totalizando 40 profissionais, incluindo um elenco já consagrado na televisão: o biólogo Sérgio Rangel, os professores e físicos da USP no

quadro Ciência em Show , o repórter Fernando Muylaert e o humorista pernambucano Jeison Wallace com o seu personagem Cinderela como assistente de palco. E ainda: Eliana trouxe para o SBT a sua diretora Leonor Corrêa irmã do apresentador Fausto Silva.

Salário mensal

R$700 Mil

GALVÃO BUENO Galvão Bueno renovou contrato com a Globo até 2014. Estima-se que ganhe salário de R$ 1 milhão ao mês, o maior da emissora. É um dos mais polêmicos personagens da televisão brasileira, especialmente em tempo de Copa do Mundo.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

50

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

Salário mensal

R$1

Milhão


Matéria Especial

Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO Fazendo uma boa ação, sempre!

Luciano huck O bom moço da TV brasileira. Além de encabeçar projetos sociais e ter um programa voltado para a ajuda de pessoas de baixa renda é uma pessoa preocupada com as questões ambientais. Seu salário na Rede Globo mais anúncios e patrocínios gira em torno de 800 mil reais por mês.

José Luiz Luiz José DATENA DATENA

Abrindo caminhos para que você seja mais Hebe Camargo Camargo Hebe CONHECIDO

José Luiz Datena recebia de salário na Record: R$ 1.350 mil por mês. Ficou apenas 2 meses na emissora da Barra funda. De volta à Band, voltará a receber os antigos R$ 900 mil. A diferença de R$ 450 mil (para quem já é milionário, como ele) não foi o que atraiu Datena de volta à antiga emissora. Ele quis se livrar da multa rescisória de R$ 20 milhões que teria que pagar por conta ainda de sua saída da Record, há oito anos. A questão volta à tona já que ele quebrou mais uma vez o contrato.

O salário de Hebe Camargo na RedeTV! será patrocinado por uma empresa: a Nestlé. A loura receberá por mês R$ 300 mil, isso sem contar com participação na publicidade de seu programa. Juntando tudo, su rendimento mensal deverá chegar aos R$450 mil.

RATINHO Carlos Massa, o popular Ratinho, sofreu uma perda em seu salário de R$1 milhão no SBT. Devido a cor tes de despesas promovidos pela emissora, o apresentador ganha agora um salário mensal de R$800 mil.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

51

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Matéria Especial

Augusto Augusto Liberato Liberato O O GUGU GUGU

Xuxa Xuxa Meneghel Meneghel

Gugu Liberato, 52 anos, tem um contrato de oito anos com a Record. Seu salário mais participação nos lucros de patrocinadores gira em torno de R$3 milhões. Em outubro de 2009, Gugu Liberato completou 21 anos de SBT. A Record é sua terceira emissora, e não a segunda. Isso porque, no início dos anos 90, Gugu assinou com a Globo, para o posto que hoje é de Fausto Silva. O apresentador tem até hoje, inclusive, o

Ela é uma das mais bem pagas de todos os tempos na TV. Xuxa embolsa nada mais nada menos que R$2,5 milhões por mês entre salários e venda de produtos. É dona de parques de diversão e de negócios que variam entre produtos de beleza e vestuário. Não dá pra reclamar da vida não é mesmo dona Maria da Graça?

Rodrigo Faro revela que seu retorno mensal no ‘Melhor do Brasil’, da Record, passou de R$ 500 mil. “É bem mais do que isso”, afirma o novo milionário hoje. Fenômeno na emissora e contratado até 2017, Faro incomoda a Globo e outras concorrentes aos sábados. Já bateu o ‘Jornal Nacional’ e a antiga novela ‘Passione’, ao homenagear o aniversário de morte de Michael Jackson. Sobre as performances no quadro ‘Dança Gatinho’, afirma: “Quando coloquei um colante para imitar Beyoncé, tive medo do que as pessoas poderiam pensar. Mas aí resolvi mergulhar, errando ou acertando”. Em seu único dia de folga, descansa ao lado das filhas Clara, 5 anos, e Maria, 2, do relacionamento de 14 anos com Vera Viel. Vaidoso, assume: “Mando todas as camisas à costureira para ficarem ajustadas ao corpo”. Quanto ao uso de botox, avalia: “Só não vou colocar na testa, porque dependo da minha expressão. Não posso ficar com a cara do marido da Barbie”. E não reclama do excesso de trabalho: “Estou onde sempre quis estar”. Em tempo: R$ 1 Milhão por mês.

sxc.hu

SEJA TÃO BOMBÁSTICO

QUANTO NOSSAS MATÉRIAS

ANUNCIE Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

Rodrigo Rodrigo FARO FARO

52

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Anuncie Para cumprir nosso compromisso com o leitor, esta revista continuará sendo gratuita, na internet e na versão impressa. Para quem deseja anunciar seu produto ou serviço, na versão impressa que será de aproximadamente 10 mil exemplares, estamos disponibilizando os formatos e quantidades para cada edição. Saiba mais. Entre em contato com nosso setor de marketing e veja qual formato se adequa à sua necessidade. Não perca a chance de alcançar um seleto grupo de leitores, na internet e na novíssima versão impressa!

400 ex.

350 ex.

400 ex.

1 anúncio disponível

1 anúncio disponível

1 anúncio disponível

2º capa 18,0x25,0cm

3º capa 18,0x25,0cm

4º capa 18,0x25,0cm

3 anúncios disponíveis

página dupla 36,0x25,0cm

100 ex.

4 anúncios disponíveis

8 anúncios disponíveis

400 ex.

3 anúncios disponíveis

150 ex. 100 ex. rodapé 5,0x18,0cm

5 anúncios disponíveis

½ página 18,0x12,5cm

1/3 página 6,0x25,0cm

300 ex.

400 ex. 1 anúncio disponível

100 ex.

7 anúncios disponíveis

1/4 página 9,00x12,5cm

página inteira 18,0x25,0cm

1º página 18,0x25,0cm

Simone Farias - marketing@revistaprojetoemacao.com.br (11) 7345 8020

24 horas de seg. a sex. Mauricio Verissimo Sabino - diretor@revistaprojetoemacao.com.br (11) 2804 1956

redação da revista das 19:00 as 22:hs de seg. a sex. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

53

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Saúde e Bem Estar |

Cristiane Segatto |

cristianes@edglobo.com.br

O mito da

MULHER LIMPINHA É fácil pegar hepatite B e C na manicure. Por que não dá para confiar na esterilização feita Nunca conheci uma mulher que não faça as unhas. O mercado profissional das manicures é curioso. Quando a economia vai bem, as plaquinhas que anunciam vagas se multiplicam pelas cidades – dos salões luxuosos às bibocas mais improvisadas. Quando a economia vai mal e o desemprego avança, as manicures são as últimas a sentir a crise. O salário delas passa a sustentar a família. Manicure não fica sem trabalho. É serviço de primeira necessidade – às vezes disputado no grito pelas clientes. Se todas as mulheres e muitos homens frequentemente sofrem ferimentos provocados pelos alicates – os terríveis “bifes” – quem garante que não sairão do salão infectados por um vírus que pode ser fatal? Ninguém garante. A existência de autoclaves e estufas nos salões não é garantia de coisa alguma. Foi o que descobri ao entrevistar a professora de enfermagem Andréia Schunck, do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo. Em seu doutorado, Andréia decidiu investigar de que forma as manicures contribuem para a disseminação das hepatites. Ninguém sabe ao certo quantos são os portadores dos vírus B e C no Brasil. Estima-se algo entre 1,5 milhão e 4 milhões. É gente demais. Esses vírus provocam inflamação no fígado. São um gravíssimo problema

de saúde, como contou o médico Drauzio Varella na entrevista desta edição. Drauzio levantou o assunto na nova série do Fantástico, que estreiou no dia 17 de julho. Os vírus podem danificar o fígado durante décadas sem dar o menor sinal. Quando o doente o descobre, já infectou várias outras pessoas por meio do contato com material perfurante ou nas relações sexuais. Muitas vezes a doença já chegou à fase de cirrose ou câncer. O único recurso passa a ser o transplante. Ele é disputado numa fila cruel, mais longa que a do coração e a dos rins. Grande parte dos pacientes morre antes de conseguir o órgão. É chocante perceber que todo esse sofrimento poderia ser evitado se normas básicas de higiene fossem efetivamente cumpridas. Andréia visitou cem salões de beleza da capital paulista. Na periferia, no centro, nos shoppings, nos bairros nobres. A metodologia foi rígida. Para evitar qualquer viés que invalidasse os dados, pediu ao Datafolha que dividisse as regiões da cidade por amostragem. O instituto de pesquisa informava um ponto de referência em cada bairro. Uma banca de jornal, uma padaria, uma loja. A partir dele, a missão de Andréia era caminhar aleatoriamente até

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

54

encontrar o primeiro salão de beleza. Ao encontrá-lo, se apresentava e fazia a pesquisa. “No Brás, caminhei duas horas e meia até achar um salão. Durante toda a pesquisa emagreci 16 quilos”, diz ela. O esforço valeu a pena. Trata-se de um estudo inédito no mundo. Andréia passava de seis a dez horas em cada salão. Entrevistava as manicures, observava como elas trabalham e colhia sangue para verificar se tinham o vírus da hepatite B ou C. Em TODOS os salões, encontrou práticas inadequadas. As manicures não lavavam as mãos depois de atender cada cliente, não lavavam o material antes de colocá-lo no equipamento de esterilização, não usavam as autoclaves corretamente etc. Em um deles, as profissionais achavam que colocar os alicates no forninho elétrico seria suficiente. Tiravam pães de queijo da assadeira e colocavam os alicates no lugar. Inútil. O calor do forninho não é suficiente para matar os vírus. Até nos salões mais badalados, frequentados por celebridades e divulgados como templos exclusivíssimos do luxo e da beleza, Andréia observou pelo menos um descuido capaz de permitir a transmissão dos vírus. As manicures não têm noção do

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Saúde e Bem Estar risco que correm. Podem pegar a d o e n ça d a s c l i e n t e s ca s o s e machuquem com o material usado.O mesmo pode acontecer se fizerem as próprias unhas com o material infectado pelas clientes. Andréia observou que essa é uma prática mais comum do que se imagina. Num dos salões mais chiques de São Paulo, Andréia quis saber por que a manicure não usava luvas. A moça respondeu: “Não tem perigo. Minhas clientes são limpinhas”. Tentar adivinhar a condição de saúde de alguém pelas pistas sugeridas pela boa aparência e pela condição social privilegiada é uma tremenda bobagem. Passar a tarde no ofurô, entregar as chaves da BMW ao manobrista e desfilar uma Louis Vuitton por semana não torna ninguém imune aos vírus. Eles não fazem distinção entre os limpinhos e os sujinhos. Os vírus têm um único objetivo neste planeta: crescer e se multiplicar. Para cumprir essa missão com eficiência, é preciso infectar as pessoas sem matá-las rápido demais. Quanto mais tempo o hospedeiro sobreviver e espalhar a praga, mais descendentes os vírus colocarão no mundo. É exatamente o que fazem os vírus da hepatite B e C. O vírus B é cem vezes mais infectante que o da aids. Tem a

capacidade de permanecer vivo em superfícies por até sete dias. A pessoa infectada é capaz de viver décadas sem notá-lo. A mulher que contrai o vírus B na manicure pode transmiti-lo ao parceiro se não usar camisinha nas relações sexuais. A transmissão sexual do vírus C é controversa e rara, mas os especialistas dizem que ela também pode ocorrer. “Parece estar restrita a alguns grupos de risco com práticas sexuais anais e traumáticas”, diz Raymundo Paraná, presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia. Entre as manicures, a prevalência dos vírus da hepatite é maior que na população geral. Foi o que Andréia comprovou. Os exames de sangue demonstraram que 10% das profissionais entrevistadas estavam infectadas. O vírus B apareceu em 8% da amostra e o vírus C em 2%. A forma mais segura de se proteger da doença é a vacinação. Existe vacina para o vírus B, mas não para o C. O SUS oferece a vacina contra hepatite B a grupos específicos (profissionais da saúde e do sexo, imunossuprimidos, coletores de lixo etc). As manicures fazem parte dessa lista, mas apenas 15% das mulheres entrevistadas por Andréia sabiam que tinham direito à vacina. As manicures também tinham muitas dúvidas sobre a forma correta

de higienizar o material. Para não correr risco de se infectar ou de infectar as clientes, a profissional precisa cumprir todos os procedimentos. Na próxima vez em que for ao salão, observe se eles realmente foram cumpridos. É provável que você se assuste:

(veja o quadro abaixo em anexo) Se você gostou desses passos, espalhe a informação e contribua para a saúde de todos. Outra opção é fazer um kit e levar o seu próprio material ao salão. Não basta levar apenas o alicate. “Levo acetona, esmalte, palito, espátula, alicate, tudo”, diz Andréia. Ela tem dois ou três alicates. Manda afiá-los nas mesmas casas especializadas onde as manicures compram o material de trabalho. Neurose demais? Pode ser, mas estou convencida de que o sofrimento provocado pelos vírus da hepatite é infinitamente maior. “O erro de muitas mulheres é desvincular a saúde da beleza”, diz Andréia. “É importante cuidar da beleza. Mas com saúde”.

Cristiane Segatto cristianes@edglobo.com.br

PROCEDIMENTOS 1) Antes de atender cada cliente, lavar as mãos ou usar álcool gel 2) Colocar as luvas. Usar um novo par a cada cliente 3) Usar lixa e palito descartáveis (um para cada cliente) 4) Abrir o pacote com o material esterilizado na frente da cliente 5) Usar uma toalha limpa ou descartável para cada cliente 6) Lavar os alicates, a espátula e outros instrumentos metálicos reutilizáveis com água, sabão e escova 7) Enxugar esse material com toalha limpa e colocá-lo no envelope especial para esterilização 8) Selar o envelope e colocá-lo na estufa ou na autoclave 9) A estufa não pode ser aberta durante a esterilização. Se uma manicure abrir a porta da estufa enquanto outra deixou o material lá dentro, a esterilização fica comprometida. É preciso manter a estufa funcionando durante uma hora ininterrupta, à temperatura de 170 graus 10) A autoclave é mais fácil de controlar porque funciona como uma panela de pressão. Basta colocar o envelope, fechá-la e esperar até o final da esterilização. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

55

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


divulgação

Fatos & Fotos

Uma construção com 36,48 km e que ao custo de US$ 2,3 bilhões, demorou quatro anos para ficar pronta. Certamente, um novo atrativo turístico em um país de tantas transformações. A China inaugurou a mais longa ponte sobre águas marítimas do mundo, localizada na cidade de Qingdado, ligando a região central ao subúrbio de Huangdado, na baia de Jiazhou. Com a ponte, a distância entre os dois pontos de um dos principais portos da China - e sede das competições de vela nas Olimpíadas de 2008 - poderá ser percorrida com redução de 20 a 40 minutos. A nova ponte supera a de Hangzhou, também no leste da China e que com 36 km era considerada a mais longa do mundo até hoje. As três primeiras pontes do mundo estão na China. A maior delas é um lance elevado do trem de alta velocidade Pequim-Xangai, de 164,8 km, um serviço também inaugurado recentemente. No show de obras de infraestrutura houve também a

divulgação

EFICIÊNCIA CHINESA... inauguração do mais longo gasoduto do mundo, que levará o gás natural desde o Turcomenistão, na Ásia Central, até a China, em percurso de 8.700 km. As inaugurações coincidem com o 90º aniversário do Partido Comunista da China, fundado em 1º de julho de 1 9 2 1 e a n te c e d e r a m o s a to s comemorativos no Grande Palácio do Povo, em Pequim. Aqui no Brasil demora-se 2 anos para reformar uma estação de trens metropolitanos, 5 anos para se construir uma estação de metrô, isto sem contar no preço superfaturado e no desvio de dinheiro público. Na China, quando muito raramente alguém comete algum crime e é pego no ato de corrupção este indivíduo se suicida para não enfrentar a opinião pública. Talvez por este motivo, por causa da dignidade chinesa as coisas aconteçam assim desta forma. Todos ganham com a boa aplicação de dinheiro público, inclusive os políticos.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

ONDE na cidade de Qingdado, na China.

O FATO Construção de uma ponte de 36,45 km sobre o mar.

OS PERSONAGENS O governo comunista da China

A LIÇÃO ‘‘Se a democracia Brasieira aprendesse com o comunismo da China, seríamos um país melhor ’’

direto da redação

56

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


parceiro P&A

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

57

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Arte Internacional

sxc.hu

Clock Tower

Big Ben, ao contrário do que muitos pensam, não é o famoso relógio do Parlamento Britânico, nem tão pouco a sua torre. É o nome do sino, que pesa 13 toneladas e que foi instalado no Palácio de Westminster durante a gestão de sir Benjamin Hall, ministro de Obras Públicas da Inglaterra, em 1859. Por ser um sujeito alto e corpulento, Benjamim tinha o apelido de Big Ben. Todos os dias, a rádio BBC transmite as badaladas do sino. O sino foi fundido por George Mears em 1858, media quase 3 metros de diâmetro e pesava 13, 5 toneladas. O nome do relógio é Tower Clock, ou Clock Tower (Torre do Relógio), e é muito conhecido pela sua precisão e tamanho. Certa vez uma família de pássaros pousou no seu ponteiro e o desregulou em cinco minutos. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

NOME OFICIAL Tower Clock ou Clock Tower LOCALIZAÇÃO: Londres, capital da Inglaterra. PRIMEIRAS BADALADAS 31 de Maio de 1859 CURIOSIDADE A emissora BBC tem um microfone instalado próximo de seu sino para transmitir aos telespectadores e ouvintes a marcação das horas. PROJETO Arquiteto gótico Augustus Pugin ALTURA DA TORRE 106 Metros Dinheiro manchado de tinta direto da redação após explosão de caixa eletrônico

58

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Igreja Evangélica de Jandira Mostrando o Caminho Rua Maria José, 40 - Jd. Monte Carlo - Jandira/SP Reuniões: Quintas 20:00hs Domingos 18:00hs

para saber mais acesse:

sxc.hu

www.iejan.com

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

59

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Comportamento |

Gleyce Souza |

contato@revistaprojetoemacao.com.br

COMPORTAMENTO

COMPULSIVO AS CAUSAS

O QUE É ISTO?

Não há uma causa estabelecida para a ocorrência de comportamentos compulsivos. Pode -se falar em vulnerabilidades e predisposições, seja de elementos familiares, tais como os hábitos conseqüentes à extrema insegurança e aprendidos no seio familiar, seja por razões individuais e relacionados às vivências do passado e a ao dinamismo psicológico pessoal, seja por razões biológicas, de acordo com o funcionamento orgânico e mental.

As compulsões, os comportamentos compulsivos ou aditivos são hábitos aprendidos e seguidos por alguma gratificação emocional, normalmente um alívio de ansiedade e ou angústia. São hábitos mal adaptáveis que já foram executados inúmeras vezes e acontecem quase automaticamente. Eles se caracterizam por serem repetitivos e por se apresentarem de forma freqüente e excessiva. A gratificação que segue ao ato, seja ela o prazer ou alívio do desprazer, reforça a pessoa a repeti-lo mas, com o tempo, depois desse alívio imediato, segue-se uma sensação negativa por não ter resistido ao impulso de realizá-lo. Mesmo assim, a gratificação inicial (o reforço positivo) permanece mais forte, levando a repetição.

OS TIPOS Jogar Compulsivo: A maioria dessas pessoas com Jogo Patológico afirma que está mais em busca de "ação" do que de dinheiro e, por causa dessa busca de ação, apostas ou riscos cada vez maiores podem ser necessários para continuar produzindo o nível de excitação desejado. Os indivíduos com Jogo Patológico freqüentemente continuam jogando, apesar de repetidos esforços no sentido de controlar, reduzir ou cessar o comportamento.

EXEMPLOS COMUNS Se a pessoa é acometida pela idéia (contra sua vontade) de que está se contaminando através de alguma sujeira nas mãos, terá pronto alívio em lavar as mãos. Entretanto, se tiver que lavar as mãos 40 vezes por dia, ao invés de adaptar essa atitude acaba por esgotar. Se a pessoa é acometida pela idéia de que seus pais sofrerão algum acidente fatal, poderá conseguir alívio da angústia gerada por esses pensamentos se, por exemplo, bater 3 vezes na madeira... Mas tiver que bater na madeira 40 vezes por dia, ao invés de aliviar, essa atitude acaba por constranger-se e frustrar-se. Se a pessoa tem um pensamento incômodo de que aquilo que acabou de comer poderá engordá-la, terá alívio dessa sensação provocando o vômito, ou tomando laxantes.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

Atividade Física Compulsiva: A escravização que as pessoas das sociedades civilizadas se submetem aos padrões de beleza tem sido um dos fatores sócio-culturais associados ao incremento da incidência do comportamento compulsivo para a prática de exercícios. É hábito que o ser humano moderno esteja moderadamente preocupado com seu corpo, sem que essa preocupação se converta numa obsessão. Mas, alguns complexos de feiúra ou de estar em desacordo com os padrões desejáveis podem levar à obsessão pela beleza física e perfeição.

60

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Comportamento Comer Compulsivo: Os transtornos alimentares constituem uma verdadeira "epidemia" que assola sociedades industrializadas e desenvolvidas acometendo, sobretudo, adolescentes e adultos jovens. Vivemos em uma sociedade na qual existe o culto da magreza. A s s i m , co m e r, u m co m p o r t a m e n t o universalmente tido como prazeroso, torna-se alvo de preocupação de muitas pessoas. Como usufruir deste prazer sem sentir-se fora dos padrões sociais de saúde e beleza? Quais serão os sintomas dessa epidemia emocional? De um modo geral, o pensamento falho e doentio das pessoas portadoras dessas patologias se caracteriza por uma obsessão pela perfeição do corpo. Na realidade, trata-se de uma "epidemia de culto ao corpo". Essa "epidemia" se multiplica numa população patologicamente preocupada com a perfeição do corpo e que está sendo afetada por alterações psíquicas caracterizadas por distúrbios na representação pessoal do esquema corporal. Os transtornos alimentares vem aumentando sua incidência perigosamente e já começa a alarmar especialistas médicos, sociólogos, autoridades sanitárias. Essa busca obsessiva da perfeição do corpo tem várias formas de se manifestar e, algumas delas, diferem notavelmente entre si. Existem os transtornos alimentares mais tradicionais, que são a anorexia e bulimia nervosa mas, não obstante, existem outros que se estimulam e desenvolvem na denominada "cultura do esbelto".

Comprar Compulsivo : O comprador compulsivo acaba por consumir coisas pelo fato de consumir e não mais pela necessidade do objeto que é consumido. Ir ao shopping sem realizar algumas compras parece tornar-se quase impossível. Muitas vezes sente-se culpado, porém, como em qualquer comportamento aditivo, o mais comum é perder o controle da situação. Entretanto, é fundamental fazer a diferença entre o simples hábito pelas compras do comportamento compulsivo às compras. "Os hábitos de consumo são mais emocionais que racionais", afirma Dílson Gabriel dos Santos, que leciona comportamento do consumidor na USP. O professor esclarece que comprar por impulso, mas não por compulsão, é adquirir um bem por sentir uma atração instantânea pelo produto, seja por causa da embalagem, do preço ou do apelo publicitário. Trabalhar Compulsivo: Com o objetivo de vencer profissionalmente, ganhar dinheiro, sobressair-se socialmente, tem sido glorificado pelo sistema cultural que a pessoa procure dar o melhor de si trabalhando. O trabalho pode ser utilizado como uma ocupação mental capaz de tomar o espaço de outros sentimentos ou pensamentos mais difíceis de serem vivenciados. Quando a atividade funciona como uma forma de esconder-se, fugir ou não ter que sentir ou pensar em outros problemas, enfim, quando alivia a angústia da vida de relação, o trabalhar pode tornar-se compulsivo, constante, enfim aditivo.

redação da revista

Exercitar-se em excesso também pode ser um comportamento compulsivo perigoso

Comer sem limites pode se tornar um comportamento compulsivo

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

61

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Crônicas e poesias |

Ednaldo Torres Felicio |

ednaldotorres@yahoo.com.br

QUEM É VOCÊ? NO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO AGORA? “Uma Monja foi visitar a Mestra num Mosteiro. A Mestra olhou diretamente para ela e disse: "Por que você trouxe toda essa multidão com você?". A Monja, que estava sozinha, olhou para trás. A Mestra disse: "Não olhe para trás, olhe para dentro". Trecho do livro Sempre Zen, da Monja Coen

sxc.hu

Ao abrir seu Facebook você se depara com a pergunta: “No que você está pensando agora?”. Ao abrir seu Orkut, a pergunta é “Quem é você?”. Duas perguntas corriqueiras que passam despercebidas no uso das redes sociais mais populares do País. Mas que não deveriam passar, pois são, afinal, perguntas complexas. Pense por um instante: quem é você? O que define você, do que você realmente gosta, do que você se orgulha em você mesmo, do que você se envergonha, o que você é? Você é sua essência ou você é uma casca moldada para ser aceito socialmente? Você sabe qual é sua essência? Você se conhece? Em que você está pensando agora? Já teve medo de seu pensamento? Já pensou algo que te fez corar a face? Já se surpreendeu com um pensamento que era tão teu que pareceu de outro? Por que você pensa desta forma? O que te faz pensar assim? Absorvidos pela correria diária e pelo mecanicismo das nossas atividades sociais nem temos tempo de refletir sobre nós mesmos. Empurramo-nos no metrô, rastejamos pelos engarrafamentos, sorrimos para os chefes e clientes sempre pensando em cumprir nossa função enquanto engrenagem de qualquer coisa que nos sustenta, mas não completa. Caminhamos vazios, automatizados e sem tempo para nós mesmos. Lotamos, desta forma, consultórios de psicólogos com nossas neuroses urbanas, procuramos respostas fora de nós, quando deveríamos olhar para dentro. José Saramago, no genial “Ensaio sobre a Cegueira” escreveu: “Dentro de nós há algo que não tem nome, é isso o que somos”. Depois de Saramago, todas as palavras são desnecessárias. Mas é impossível terminar esta coluna sem preguntar: “No que você está pensando agora?” e “Quem é você?”

P.S.: Sou Ednaldo. Poeta, Professor de Teatro, pai do Raul e da Ana Beatriz e esta é minha primeira participação nesta revista. Estou pensando agora: “gostarão do que escrevi?”

Ednaldo Torres Felicio ednaldotorres@yahoo.com.br www.facebook/ednaldo.poeta http://ednaldoblogado.blogspot.com/

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

62

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


sxc.hu

Mais um ‘‘BIG’’ Espaço pra anunciar

Sua marca,

Seu Serviço,

VOCÊ SEJA VISTO POR 30 MIL LEITORES

Simone Farias marketing@revistaprojetoemacao.com.br (11) 7345 8020 24 horas de seg. a sex.

(CADA EXEMPLAR DE REVISTA É LIDO POR PELO MENOS 3 PESSOAS NUMA RESIDÊNCIA OU EMPRESA)

Mauricio Verissimo Sabino diretor@revistaprojetoemacao.com.br (11) 2804 1956 redação da revista das 19:00 as 22:hs de seg. a sex. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

63

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Sete Pecados

PECADOS CAPITAIS, VOCE OS ADMITE?

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

imagem de arquivo pessoal

Confesse o seu pecado e seja PERDOADO 64

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


SETE PECADOS O que se conhece como os sete pecados capitais se trata de uma classificação de condições humanas que em outras palavras são vícios. É utilizado pelo catolicismo com o intuito de controlar, educar, e proteger os seus seguidores, de forma a compreender os instintos básicos do ser humano. Foi entendido como problema de saúde pelos antigos gregos, por exemplo, a depressão (melancolia, ou tristeza), foi transformado em pecado pelos grandes pensadores da Igreja Católica. Assim, classificou-se e selecionou-se os pecados em dois tipos: os pecados que são perdoáveis sem a necessidade do sacramento da confissão, e os pecados capitais, merecedores de condenação. A partir de inícios do século XIV a popularidade dos sete pecados capitais entre artistas da época resultou numa popularização e mistura com a cultura humana no mundo inteiro. A partir deste mês lançamos um desafio aos nossos leitores: ‘‘Você seria capaz de confessar os seus pecados?’’. Escreva para revista ENVIANDO UMA FOTO e a DESCRIÇÃO DE CADA UM DOS SEUS PECADOS. Nosso editor se ofereceu para ser o primeiro a confessar. Acompanhe abaixo a ‘ ‘confissão’’ e inspire-se:

1

Gula

5

Confesso que sou tentado diariamente por pratos que me deixam sem defesa, os principais são: batata frita, pizza e feijoada. Mas tenho plena certeza de não ser o único apreciador destes pratos deliciosos. Que atire a primeira pedra aquele que pode resistir.

2

É pura falta de capacidade, uma fraqueza que te faz olhar para o próximo imaginando que a vida dele seja melhor que a sua. Puro engano, a vida é maravilhosa, tendo ou não o que se deseja. Olhar para dentro (e para fora também!) de si mesmo resolve e espanta este pecado.

Avareza

6

Luxuria

7

Orgulho

Viu só como não foi difícil confessar os pecados? Agora é a sua vez. Seja corajoso e escreva para: diretor@revistaprojetoemacao.com.br, teremos prazer em publicar seu texto.

De ter 3 filhos maravilhosos. Se esta forma de orgulho for pecado precisarei me arrepender muito! Sinceramente? Espero que não seja. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

Preguica

Essa coisa nem sei o que é. Sai pra lá preguiça! Disposição... acordar cedo, resolver as pendências... a vida não para, por mais que façamos fazemos pouco ainda. Preguiça? Pra que? Vamos à luta...

Se tem algo de que gosto muito são de meus objetos pessoais. Ciúme, cuidado, dedicação... São coisas tão simples, tão pequenas mas não dou, não divido e não gosto de emprestar... Guitarra, notebook, ternos e Cd’s... Desculpa ai tá?

4

Ira

“Mas todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” - Tiago, 1:19. É... confesso que sou meio ‘‘pavio curto’’ às vezes. Mas com o passar dos anos dá-se conta que quando a ira está perto de você um bom remédio é abandonar a situação e ir refrescar a mente com uma outra atividade qualquer. Resolver situações então, só de cabeça fria mesmo.

Aprendi ao longo da vida que a frase: ‘‘É dando que se recebe’’ não é um mero jargão, é pura verdade. Se temos além do que precisamos, compartilhar causa uma satisfação muito grande. Por outro lado existe gente que quanto mais tem mais quer. Cada um na sua!

3

Inveja

65

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


SÓ PRA VOCÊ NÃO ESQUECER TÁ?

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

66

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


30 MIL LEITORES. ( PENSE NISTO! )

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

67

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


divulgação web

Sem Noção "EU PEGUEI A BOLA NO MEIO DE CAMPO E FUI FONDO, FUI FONDO, FUI FONDO E CHUTEI PRO GOL" Jardel , ex- jogador do Vasco e Grêmio, ao relatar à sua maneira ao repórter o gol que tinha feito.

"A BOLA IA INDO, INDO, INDO.. E IU !!!" Paulo Nunes, ex- jogador do Grêmio e

‘‘Eu vi o mar na minha frente e fiquei louco. Entrei na água de sapato e tudo para ver se era salgada mesmo. Era.’’ Pelé,relembrando o dia em que chegou a Santos.

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

68

"EU DISCONCORDO COM O QUE VOCÊ DISSE" Vladimir, ex-meia do Corinthians, em uma entrevista à Rádio Record

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

divulgação web

divulgação web

divulgação web

Palmeiras, comentando um gol que marcou quando jogava no verdão.


Sem Noção

ESPECIAL ‘’ABOBRINHAS DO FUTEBOL’’ "O DIFÍCIL, COMO VOCÊS SABEM, NÃO É FÁCIL’’

divulgação web

"HAJA O QUE HAJAR, O CORINTHIANS VAI SER CAMPEÃO" "SE ENTRA NA CHUVA PARA SE QUEIMAR" "O MAIOR GENERAL DA FRANÇA É O GENERAL ELETRIC" ao responder uma pergunta dos franceses que queriam comprar Sócrates

Vicente Matheus foi dirigente do Corínthians. Suas bem sucedidas gestões no timão duraram nada menos que oito mandatos no total.

"O SÓCRATES É INVENDÁVEL, INEGOCIÁVEL E IMPRESTÁVEL" ao recusar a oferta dos franceses pelo craque do time na época o Doutor Sócrates

divulgação web

divulgação web

Todas as frases acima são do ex dirigente do Corínthians Vicente Matheus

‘’O Pelé tem que voltar para o museu. E sobre o Platini, como todo francês, ele se acha mais que todo mundo. Nunca me importei com ele e não vou me importar agora.’’ Maradona Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

69

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Cultura e Entretenimento |

Gleyce Souza |

Filmografia

Breve Biografia

Os Pinguins do Papai - 2011 Eu te amo Philip Morris - 2010 O Golpista do Ano - 2009 Os Fantasmas de Scrooge - 2009 Under the Sea - 3D Sim Senhor - 2008 Numero 23 - 2008 As Loucuras de Dick e Jane - 2005 Desventuras em Série - 2004 Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças – 2004 Todo Poderoso – 2003 Cine Majestic – 2001 Grinch – 2000 Eu, Eu mesmo & Irene - 2000 O mundo de Andy – 1999 O Show de Truman – 1998 O Pentelho – 1996 O Mentiroso -1997 Ace Ventura 2 – Um Maluco na África – 1995 Batman Forever - 1995 O Máskara – 1994 Debi & Lóide – Dois Idiotas em Apuros – 1994 Ace Ventura – Um Detetive Diferente – 1994 Meu Amante é de Outro Mundo – 1989 Dirty Harry na Lista Negra – 1988 Peggy Sue – Seu Passado a Espera –1986 Procura-se Rapaz Virgem – 1985

Frase do Artista: “Sou uma pessoa difícil para conviver. Pareço um animal enjaulado. À noite levanto-me e começo a andar pelo quarto. Não consigo descer das nuvens e desligarme do que faço. Sou como um astronauta. Vivo na Lua o dia inteiro e, ao chegar à casa a noite, tenho que por o saco de lixo para fora.’’

contato@revistaprojetoemacao.com.br

J

James Eugene Carrey, ator canadense de 49 anos, aos 10 anos já queria ser ator, mesmo com sua adolescência pobre conseguiu driblar os momentos dificeis e obteve sua estréia nos cinemas em 1981 com o filme Rubberface. Não só com humor, Jim também fez papéis dramáticos como em Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças em 2004. Alternando seus sucessos regulares na comédia, Carrey teve a oportunidade de mudar a rotina para ser a estrela principal em "The Truman Show - A Vida em Directo"(no Brasil, O Show de Truman - o show da vida) em 1998, uma mudança que conduziu Jim a rumores sobre uma possível nomeação para um Oscar da Academia, o que não aconteceu. Jim Carrey foi casado duas vezes: primeiro com Melissa Womer, relacionamento do qual nasceu a sua filha, Jane . Depois casou-se com a atriz Lauren Holly, um casamento que durou menos de um ano. Jim esteve envolvido com a atriz Renée Zellweger, a qual conheceu durante as filmagens de "Eu, Eu mesmo e Irene", contudo a sua relação terminou em Dezembro de 2000. Jim é dono de um jatinho da Gulfstream Aerospace e de um carro Saleen S7. Carrey revelou ter sido vítima de um período de depressão na revista 60 Minutes em Novembro de 2004.

a C r r ey m i

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

70

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Cultura e Entretenimento MELANCOLIA:

Algumas boas Estreias no CINEMA pra você conferir em Agosto:

Karsten Dunst e Gainsbourg interpretam irmãs cujas vidas se distanciam enquanto o universo se desmancha espetacurlamente naquilo que Von Trier descreve como um belo filme sobre o fim do mundo. OS SMURFS :

PLANETA DOS MACACOS: A ORIGEM :

Gargamel descobre o povoado mágico dos Smurfs e faz com que eles se dispersem na floresta. Desastrado pega o caminho errado e, seguido por outros, entra na gruta proibida que os leva para o Central Park. Voltar para casa é cada vez mais complicado, já que Gargamel os persegue, por isso, os Smurfs resolvem se esconder e são protegidos por um casal.

A arrogância do Homem deflagra uma cadeia de acontecimentos que leva os símios a ter um outro tipo de inteligência e a desafiar nosso posto de espécie dominante no planeta. Caesar, o primeiro símio, é traído pelos humanos e se revolta passando a liderar a incrível na corrida de sua espécie rumo à liberdade e ao inevitável confronto com o Homem.

QUERO MATAR MEU CHEFE : Para Nick, Kurt e Dale, a única coisa que poderia tornar o cotidiano monótono um pouco mais tolerável seria transformar seus chefes intoleráveis em fumaça. Pedir demissão não é uma opção, e assim, com a ajuda de alguns drinques além da conta e do conselho duvidoso de um exdetento malandro, três amigos bolam um plano complicado e aparentemente à prova de falhas para se livrarem de vez de seus empregadores.

FAÇA OS CÁLCULOS E LIGUE PRA NÓS

sxc.hu

divulgação web

Simone Farias marketing@revistaprojetoemacao.com.br (11) 7345 8020 24 horas de seg. a sex.

CONFIRA TAMBÉM:

Mauricio Verissimo Sabino diretor@revistaprojetoemacao.com.br (11) 2804 1956 redação da revista das 19:00 as 22:hs de seg. a sex. Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

- Não se preocupe, nada vai dar certo - A árvore da vida - Dylan Dog e as Criaturas da Noite - Super 8 - Lanterna Verde - Onde Está a Felicidade? - Professora Sem Classe - Um Sonho de Amor - Confiar - Larry Crowne - O Rei Leão 3 D - Reino Dos Felinos

71

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Cultura e Entretenimento Falar sobre a história do Rock não é nada fácil devido tantos acontecimentos e bandas que fizeram e fazem parte até hoje desse gênero que nunca envelhece. Nasceu nos Estados Unidos no final dos anos 40 o Rock que não demorou muito para se espalhar pelo mundo. Houve muitas dúvidas sobre qual a música intitulada como primeiro rock a ser tocado, mas o primeiro registro ocorreu em 1954 com “That's All Right (Mama)” primeiro single de Elvis Presley. Outros artistas que deram inicio e fizeram e fazem parte o Rock foram Chuck Berry, Bo Diddley, Fats Domino, Little Richard, Beatles, Beach Boys, Bob Dylan, bandas como The Beatles, Queen, U2, The Rolling Stones; Led Zeppelin; Pink Floyd; Black Sabbath; Nirvana; The Who; Ramones; Aerosmith; Jimi Hendrix Experience; Kiss; Metálica; Alice Cooper; The Clash; Pearl Jam; Guns N' Roses; AC/DC; Deep Purple; Motorhead; Red Hot Chili Peppers; Scorpions; Janis Joplin; Smashing Pumpikins Pixies; Bom Jovi; Foo Fighters; Creendence; The Police; James Brown; Elton John; John Lennon; Iron Maden entre outros. No Brasil alguns dizem que o Rock chegou ao final

dos 50 com Banho de Lua e Estúpido Cupido de Celly Campello, mas existem muitas versões sobre esse acontecimento, o primeiro Rock escrito em português foi gravado por Cauby Peixoto em 1957 “Rock and Roll em Copacabana”. O primeiro movimento Rock surgiu na década de 60 com a Jovem Guarda com cantores como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Vanderlea, sobre a influência dos Beatles no decorrer Raul Seixas, Rita Lee, Renato Russo, Cazuza e Cássia Eler. Dia 13 de Julho é o dia mundial do Rock comemorada desde 1985 não poderíamos deixar de falar sobre esse movimento que vem se modificando com as novas bandas do velho Rock influenciando aí o novo rock que desde em 90 vem sendo tocado por bandas de garagem que tem como influências muitas bandas dos anos 70. O Rock move multidões, faz-se moda, cria-se estilos e é o único movimento que nunca morre. Esse ano ninguém pode deixar de acompanhar o Rock In Rio onde virá mitos do Rock em Outubro aqui no Brasil.

Rock and' Roll este ritmo nunca sai da moda 1

3

2

8 4 5 6

9

7

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

72

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011

1- AC DC 2- Titãs 3- Jef Leppard 4- Nirvana 5- Kiss 6- Jimi Hendrix 7- Rolling Stones 8- Pink Floyd 9- Beatles


Cultura e Entretenimento

Você conhece o

vista diurna aérea

PARQUE IBIRAPUERA?

divulgação

Para aquela pedalada de fim de semana, piquenique, passear com seu animal de estimação, uma leitura debaixo das arvores ou praticar algum esporte vá até o parque e você não irá se arrepender você também pode ter acesso ao Pavilhão Japonês, ao MAM – Museu de Arte Moderna e ao Jardim de Esculturas.

Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral – Moema São Paulo - CEP 04094 050 Telefone: 11 5573 4180

divulgação

divulgação

vista noturna da fonte

Gleyce Souza contato@revistaprojetomacao.com.br

Para que sejamos ainda mais conhecidos, precisamos de sua parceria.

DIRETAMENTE PARA 30 MIL LEITORES (CADA EXEMPLAR DE REVISTA É LIDO POR PELO MENOS 3 PESSOAS NUMA RESIDÊNCIA OU EMPRESA) Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

73

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


UM PAI E... Sérgio

Revista Eletrônica “Projeto em Ação’’

74

Ano 1 Edição Nº5 - Agosto de 2011


Alguém para se

ORGULHAR,

Alguém para

AGRADECER,

e principalmente alguém para

AMAR. Isaque

FELIZ DIA DOS PAIS.


Conte com a

FORÇA

de nossa

EQUIPE

53

sxc.hu

Saiba como anunciar | pag.

Revista Eletrônica

Projeto em AÇÃO Fazendo uma boa ação, sempre!

Seja um de nossos PATROCINADORES. Contate-nos e saiba como anunciar seu produto em nossa revista. Não perca tempo e ligue agora! Revista Eletrônica

PROJETO EM AÇÃO!

www.revistaprojetoemaçao.com.br


P&A - Agosto 2011