Page 1

amor e solidariedade combatendo a desnutrição infantil

Nesta edição Famílias atendidas

Pag. 05 Voluntários

Leite nosso de cada dia O projeto Dona de Leite é um programa social e voluntário focado no combate à desnutrição infantil, atendendo a aproximadamente 250 crianças carentes, entre seis meses e sete anos de idade, residentes nos bairros Ribeiro de Abreu, Novo Lajedo e Novo Aarão Reis, em Belo Horizonte. Desde 2009, a Associação promove a entrega mensal de meia tonelada de leite em pó para as famílias cadastradas, sendo que cada criança recebe três pacotes de leite, equivalente a duas refeições diárias durante 30 dias. Pág.03 Pag. 06

Dia das mães Dona de Leite

Pag. 08

Futuro e investimentos

Patrocinadores

O ano de 2012 promete ser de muita movimentação no projeto Dona de Leite. A expectativa do presidente Ricardo Quintão é iniciar o atendimento a mais de cem famílias que aguardam na lista de espera e ainda começar a implementação do projeto no bairro Jardim Vitória. Leia mais

O trabalho realizado pela Dona de Leite só é possível devido às doações de alimentos, às campanhas e diversas iniciativas voluntárias das empresas parceiras. Atualmente, a Associação conta com oito parceiros na arrecadação do leite em pó.

Pág. 08

Pág. 07

1


EDITORIAL

A

Associação Dona de Leite completa três anos e meio de atuação no importante

combate à desnutrição infantil. Apesar da breve sensação de dever cumprido, mantemos uma consciência de que ainda temos muito por fazer e diversos obstáculos a superar. Afinal, atualmente, são 120 famílias e aproximadamente 250 crianças atendidas e uma fila de espera com 120 crianças. O mineiro é reconhecido nacionalmente por ser “um povo solidário” e os voluntários da Dona de Leite confirmam esse título ao trabalharem para levar um pouco mais de esperança às famílias carentes. Uma iniciativa simples e despretensiosa que surgiu entre amigos, agora, reflete toda a seriedade com que foi conduzida ao longo desse período, com resultados obtidos, satisfação estampada no rosto de cada voluntário e, sobretudo, da felicidade entre as famílias beneficiadas. A missão é promover ações sociais que combatam a desnutrição infantil e orientem às famílias sobre a prática de uma alimentação saudável e balanceada. Muitos ainda são os obstáculos a serem superados, uma vez que o brasileiro toma pouco leite anualmente, em média, apenas 120 litros. Esse baixo consumo é ainda mais alarmante quando consideramos as crianças, que necessitam do alimento para

[Expediente]

crescerem saudáveis.

Informativo do Projeto Dona de Leite.

Os desafios são diários e não se pode acomodar. O ano de

Email: projetodonadeleite@gmail.com

2012 com certeza será de muito trabalho para alcançar metas ainda mais ousadas, já que a ampliação das ações desenvolvidas pela Associação é prioridade na agenda.

Site: www.donadeleite.org.br Jornalista responsável: Zoom Comunicação Design/Projeto Gráfico: Ródney Arôuca Fotos: Arquivo Dona de Leite Impressão: Pampulha Editora Gráfica Tiragem: 15.000

2


COMBATE À DESNUTRIÇÃO INFANTIL

O

projeto Dona de Leite é um programa social e voluntário focado no combate à desnutrição infantil, atendendo a aproximadamente 250 crianças carentes, entre seis meses e sete anos de idade, residentes nos bairros Ribeiro de Abreu, Novo Lajedo e Novo Aarão Reis, em Belo Horizonte. Desde 2009, a Associação promove a entrega mensal de meia tonelada de leite em pó para as famílias cadastradas, sendo que cada criança recebe três pacotes de leite, equivalente a duas refeições diárias durante 30 dias. “Nosso trabalho é feito por voluntários e o leite distribuído é doado por empresas parceiras. O objetivo é proporcionar a complementação alimentar, possibilitando às crianças uma vida mais saudável e de qualidade”, conta o presidente da Dona de Leite, Ricardo Quintão. As orientações sobre a correta utilização do leite e o acompanhamento do desenvolvimento das crianças também fazem parte do trabalho da Dona de Leite. O projeto conta com a participação de uma equipe voluntária multidisciplinar com nutricionista, pediatra, assistente social, enfermeira e dentista, entre outros. Esses profissionais atuam com palestras, pesagens e visitas às residências das famílias. “Não basta entregar o leite, precisamos saber se estão preparando a bebida da forma correta e se as crianças estão ingerindo diariamente e a quantidade orientada”, explica a nutricionista voluntária da associação, Amanda Diniz. Ela participa das entregas de leite esclarecendo o valor nutricional da bebida. A Dona de Leite foi inspirada em uma ação realizada em praça pública no estado de Tocantins, onde diversos voluntários distribuem leite. O idealizador da associação em Minas Gerais e ex-presidente, Daniel Favarini, conta que ficou

interessado pelo trabalho e resolveu desenvolvê-lo de forma mais estruturada na região nordeste de Belo Horizonte. “Priorizamos o monitoramento das famílias para verificar se a criança não teve algum tipo de rejeição, ou se está com alguma necessidade mais específica. Além de doar produtos, é fundamental compartilhar atenção e carinho com os mais carentes”, ressalta.

Por que o leite? O brasileiro ingere uma média de 120 litros de leite por ano, 40% a menos que o recomendado, apesar de o Brasil ser o 6º maior produtor do mundo, conforme dados do Ministério da Saúde. O baixo consumo de leite é mais preocupante quando se trata de crianças, uma vez que constitui relevante fonte de cálcio - mineral mais abundante no corpo humano e responsável pela formação, manutenção e mineralização óssea. O leite contribui com aproximadamente dois terços de importantes nutrientes para a alimentação infantil, sendo o restante suprido com a ingestão de vegetais, frutas e grãos. Por essa razão, o Ministério da Saúde recomenda que crianças de até 10 anos tomem 400 ml de leite por dia, o equivalente a quase 150 litros por ano. Os nutrientes como carboidratos, proteínas, lipídeos, vitaminas e minerais são alguns encontrados no leite. Os carboidratos e os lipídios são fontes energéticas; enquanto as proteínas possuem a maior diversidade de funções no organismo, atuando no sistema imunológico para controlar e regular o metabolismo, sendo responsáveis pela reestruturação das células e tecidos, ajudando a fortalecer os ossos. Já, as vitaminas e os minerais desempenham papéis que vão desde a participação no metabolismo de outros nutrientes e seus processos de absorção até a contribuição na formação de ossos e dentes.

3


DANIEL FAVARINI Idealizador do Projeto Dona de Leite

“N

ão é o que se faz. Mas, quanto amor você dedica ao que faz é o que realmente importa”, disse certa vez Madre Tereza de Calcutá. O ensinamento rompeu as

fronteiras geográficas para estimular os caminhos do idealizador e ex-presidente da Associação Dona de Leite, Daniel Favarini, 24 anos. Bacharel em direito e envolvido em programas sociais desde a adolescência, atuou como comissário no Juizado da Infância e Juventude, experiência que permitiu aprender a trabalhar com crianças. Em 2009, juntamente com um grupo de amigos, percebeu a persistente luta das famílias de baixa renda do bairro Ribeiro de Abreu contra a desnutrição infantil. Como a região é ocupada por uma população carente, os chefes de família nem sempre tinham condições financeiras para proporcionarem uma alimentação equilibrada às crianças. Sensibilizado com a situação, o grupo liderado por Daniel começou a arrecadar latas de leite em pó para distribuição entre as famílias mais necessitadas, iniciando a Associação Dona de Leite. “A satisfação e a

gratidão dessas pessoas incentivaram ainda mais a continuidade e o crescimento do projeto”, lembra Favarini. Além da associação, ele já contribuiu para outros trabalhos voluntários, como promoção de almoços beneficentes, distribuição de brinquedos, roupas, comidas e visitas a presidiários, aidéticos e leucêmicos. Daniel Favarini é também um cidadão muito ligado à família. Membro da 8ª Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte, iniciou o trabalho com projetos sociais por influência dos pais, líderes do culto infantil. Assim, passou a servir na igreja e, depois, ampliou sua atuação, através de contatos com creches, líderes comunitários e diversos outros

“A satisfação e a gratidão dessas pessoas incentivaram ainda mais a continuidade e o crescimento do projeto”.

tipos de ações sociais. Os contatos e ações permitiram que o projeto da Dona de Leite ganhasse corpo, colaborando para que cada dia mais crianças tivessem uma infância saudável e feliz.

Criado por seus ilustres pais com valores éticos, morais, civis e religiosos fundamentados nas Sagradas Escrituras, Daniel Favarini - que conheço desde criancinha- se tornou um jovem, que entre outras coisas boas que cultiva em sua personalidade como bom humor, respeito, consideração e generosidade, é, também um ser humano e cristão que se interessou pelo próximo e o próximo mais necessitado: A criança desnutrida . A Associação Dona de Leite, idealizada por Daniel, despertou parceiros com o mesmo ideal, e se tornou um instrumento para demonstrar este cuidado e interesse no próximo. Parabéns Daniel e Parabéns “Dona de Leite”. Pastor Jeremias Pereira. Pastor da Oitava igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.

4


HISTÓRIAS DE SUPERAÇÃO

A

doméstica Valéria da Silva Oliveira tinha o sonho de ser mãe. Casou aos 19 anos e, após algum tempo, descobriu que tinha Hipotireoidismo – ausência do hormônio tireotrópico (TSH) -, que dificulta a fertilização. Valéria e o marido decidiram adotar um filho. Após passar por todo o procedimento legal para receber uma criança, foi questionada se gostaria de cuidar de um menino com alguns problemas de saúde. Sem hesitar, ela afirmou que gostaria de ajudar e que amaria a criança como se a tivesse gerado. Gabriel, 3 anos, chegou na família aos seis meses de vida com um quadro grave de desnutrição, fissura labiopalatal, fenda de palato e bronquite pósderrame pulmonar. Valéria precisou deixar o emprego para assumir os cuidados com o bebê. Gabriel necessitava de consultas constantes e de cirurgias na região do nariz. “O quadro de saúde era delicado por causa da desnutrição, bronquite pulmonar e fissura labiopalatal. As vacinas também estavam todas atrasadas. Ele ainda precisará passar por mais uma cirurgia, aos sete anos, mas, graças a Deus, já está bem”, comenta. Ela conta que a Associação Dona de Leite teve papel fundamental para a recuperação de

Gabriel. O leite em pó das doações ajudou na recuperação do peso e, consequentemente, na melhoria do quadro de saúde. “A Dona de Leite é muito importante para todos do Ribeiro de Abreu. Com o dinheiro que economizamos na compra do leite, por exemplo, podemos adquirir frutas ou outros produtos necessários para a alimentação dos filhos”, observa emocionada. A iniciativa da Dona de Leite é tão essencial para as famílias que recebem as doações e o acompanhamento que, muitas não sabem explicar como seriam suas vidas sem esse auxílio. A maioria dos atendidos tem condições financeiras precárias decorrentes do desemprego. O dinheiro economizado com a doação do leite é utilizado para comprar outros itens de primeira necessidade como remédios, comida, produtos de higiene pessoal e material escolar. Segundo a professora Raquel Dias dos Santos, a relevância da Associação Dona de Leite vai muito além de doações para a comunidade Ribeiro de Abreu. “As famílias atendidas são extremamente carentes e as doações chegam sempre em ótima hora. Contudo, além disso, a palavra e o carinho dos profissionais que

acompanham as entregas acrescentam muito em nossas vidas”, afirma. Atualmente, Raquel não está trabalhando para cuidar dos filhos Iasmim, 2 anos e Thiago, 3. A única renda da família está no salário de encanador do marido. A palestra que mais chamou a atenção da professora foi ministrada por uma psicóloga e destacava a participação dos pais nas brincadeiras dos filhos. “Às vezes, com tantos afazeres domésticos, acabamos ligando um DVD e deixando os meninos na frente da televisão. Nesse dia, percebi o quanto é importante participar de todos os momentos de lazer e recreação com os filhos. Agora, sempre arrumo um tempinho para brincar com eles”, destaca. Como ainda não é possível atender todas as famílias que precisam de ajuda, a Dona de Leite possui alguns critérios para o cadastramento no programa. A participação é possível para crianças de seis meses a sete anos de idade, em famílias com dificuldades financeiras, portadores de deficiência ou necessidades especiais ou mulheres como chefes de família.

TRÊS ANOS DE SOLIDARIEDADE E AMOR AO PRÓXIMO

A

trajetória da Associação Dona de Leite é marcada por ações de sucesso e diversas vitórias no combate à desnutrição infantil. O projeto começou atendendo a cerca de cem crianças, número que foi ampliado em 120% após um ano e meio, chegando a 220 beneficiadas. O atendimento a esse público só foi possível com a ampliação da quantidade doada de leite em pó doada, subindo de 120 kg mensais para meia tonelada. Um das ações mais importantes para essa ampliação está na parceria com empresas. “Quando começamos o trabalho, tínhamos parceria com quatro empresas. Posteriormente, em decorrência do comprometimento com as ações sociais, várias outras se interessaram pela causa e, atualmente, também fazem parte do grupo de parceiros”, afirma o idealizador e expresidente da Associação, Daniel Favarini.

Em 2011, o projeto ganhou uma balança para realizar a pesagem das crianças e aprimorar o acompanhamento nutricional, fundamental para os resultados obtidos. A balança permite fazer um diagnóstico nutricional, verificar o desenvolvimento e identificar as crianças que ainda estão em estado de desnutrição, direcionando-as para um atendimento prioritário, até que o quadro de saúde seja revertido. O rigor desse acompanhamento fez com que 40% das crianças que se encontravam em estado de desnutrição atingissem o peso ideal. “Somente entregar o alimento a essas famílias não seria o suficiente. O acompanhamento é essencial para atingirmos as metas, uma vez que, mensalmente, são elaborados gráficos comparativos sobre a evolução da situação nutricional das crianças”, explica a nutricionista voluntária do projeto Fabíola Ferrari.

Em dezembro do ano passado, outra boa notícia garantiu ainda mais ânimo aos voluntários da Associação. Através de uma emenda parlamentar, a Associação recebeu recursos no valor de R$ 15 mil para aquisição de equipamentos como jogos de cadeira, aparelhos de som, notebook, projetor e impressora. “O valor repassado permitiu estabelecer uma infraestrutura de atendimento mais eficiente com mais conforto às famílias e melhor condição de trabalho para os voluntários”, explica Favarini. Ele tem uma enorme satisfação com o sorriso no rosto de cada criança beneficiada. “É gratificante ser recebido com aquela alegria de sempre ao longo desses quase três anos, digna de pessoas que nunca perderam a esperança num futuro melhor”, observa.

5


QUEM É QUEM NO PROJETO Conheça quem faz o projeto acontecer! Ricardo Augusto Quintão, 21 anos, empresário. Presidente da associação. É o responsável por resolver as pendências burocráticas da associação. “É indescritível a sensação que nos invade ao ajudar as pessoas. O carinho que recebemos em troca compensa o esforço e dedicação”. Fabíola Rodrigues Ferrari, 28 anos, nutricionista. Voluntária. Responsável pela orientação nutricional das famílias cadastradas no projeto. “A minha vocação é amar e servir às pessoas, utilizando as habilidades profissionais e outras atitudes que visam a melhoria da qualidade de vida.” Otho Luciano Ângelo, 36 anos, gerente de produção. Tesoureiro. Responsável pelo serviço bancário e auxilia na organização das palestras. “Na realidade, nós, voluntários, é quem recebemos ajuda dessas pessoas. Espero que o projeto cresça e possamos ampliar a área de atuação, contribuindo cada dia mais para uma sociedade melhor”.

Washington Lage Ribeiro, 35 anos, gerente comercial. Voluntário. Trabalha com as funções administrativas e participa das entregas mensais de leite. “É muito prazeroso ver o rosto de felicidade de cada criança nos encontros e visitas”. Edilson Silva Nogueira, 31 anos, disciplinário. Voluntário. Coordena a distribuição das doações às famílias e o agendamento de visitas técnicas nas casas. “O projeto é muito importante para a comunidade, não só porque ajuda as pessoas com doações, mas também, por ser responsável pela inclusão social através das palestras e orientações”. Rodrigo Otávio de Souza, 39 anos, técnico em contabilidade. Contador. Cuida de toda a contabilidade da associação e já promoveu palestras. “Servir ao próximo é maravilhoso e o projeto nos dá essa oportunidade. Deus nos abençoe!” Mais: Amanda Alves de Abreu Diniz, Tamara Martins Lima, Francisco Samuel do Valle Aleixo, Raquel Aguiar, Thais Souza, Jarnele Melo, Carlos


PARCERIA COM INICIATIVA PRIVADA É

EXEMPLO A SER SEGUIDO

O

trabalho realizado pela Dona de Leite só é possível

fazer sua parte, sendo uma pessoa melhor a cada dia”, afirma o

devido às doações de alimentos, às campanhas

diretor da Zoom Comunicação, Admilson Resende.

e diversas iniciativas voluntárias das empresas

parceiras. Atualmente, a Associação conta com oito parceiros na

A B1 Comunicação e Marketing é uma agência publicitária com

arrecadação mensal de leite em pó, como a Ducoco, JVelame,

a função de planejar estrategicamente as ações de divulgação

Mega Forte, Mutari, Aliar, Mello Azevedo e Época. As empresas

da Dona de Leite e criar as peças publicitárias e ferramentas

ainda contribuem com a arrecadação de recursos para os eventos

de comunicação para contato da associação com seu público-

mensais com doação de bala, pirulitos, milho e molho de tomate.

alvo. “Temos como grande desafio apresentar o trabalho do projeto e ajudá-lo a crescer, gerando ainda mais visibilidade e,

Diversas outras organizações colaboram com a Dona de Leite em

consequentemente, maior apoio da iniciativa privada”, ressalta o

ações de divulgação e campanhas, como a Zoom Comunicação

diretor de planejamento da B1, Bira Miranda.

e a B1 Comunicação e Marketing. A primeira empresa presta serviço de assessoria de imprensa para a Dona de Leite com

As ações do Dona de Leite já despertaram interesse em outras

a divulgação de notícias e informações relacionadas às ações

regiões em Belo Horizonte como Barreiro, Pedreira Prado Lopes,

desenvolvidas pela Associação junto à imprensa mineira, assim

Venda Nova, Felicidade, Tupi e Morro das Pedras. “Para auxiliar o

como a promoção do relacionamento dos porta-vozes do

projeto e contribuir para que possamos contemplar um número

projeto com os jornalistas. “Acreditamos na causa da Dona de

cada vez maior de crianças, estamos estruturando um site com

Leite e contribuímos com a prestação de serviço, oferecendo o

mais informações sobre como as pessoas podem se tornar

que sabemos fazer de melhor. Através da assessoria de imprensa,

voluntárias e como as empresas privadas podem ser parceiras”,

conseguimos garantir visibilidade à Associação, despertando a

revela Miranda.

atenção de patrocinadores e novos voluntários. Cada um pode

J. Velame

Assistência 24 Horas

Faça sua doação para: Associação Dona de Leite CNPJ: 10.897.990/001-66 | Ag: 0937 C/C: 42201-2

Banco Itau

7


ANO DE EXPECTATIVAS E AMPLIAÇÃO

O

ano de 2012 promete ser de muita movimentação no projeto Dona de Leite. A expectativa do presidente Ricardo Quintão é iniciar o atendimento a mais de cem famílias que aguardam na lista de espera e também começar a implementação do projeto no bairro Jardim Vitória, região nordeste de Belo Horizonte, atendendo a 30 crianças. “A comunidade é muito carente e, por isso, pretendemos cadastrar somente as crianças desnutridas. A meta é até dezembro concluir essa parte”, revela.

Os interessados em ajudar podem fazer também doação direta na conta do projeto. O idealizador e ex-presidente da Associação, Daniel Favarini, explica que as doações feitas em depósitos estão contribuindo muito para a expansão das atividades. “Há um ano e meio, iniciamos essa forma de arrecadação e estamos alcançando resultados bastante positivos. É bom saber que as pessoas confiam no projeto e

O vice-presidente da Associação, Francisco Aleixo, comemora a expansão da atuação. “Estou bem animado quanto ao futuro. Estão surgindo muitas ideias e projetos. Com a ajuda de parceiros e voluntários, poderemos colocá-los em prática e, assim, ajudar ainda mais pessoas”, destaca.

Comemorações

A viabilização e ampliação do atendimento requerem ainda mais voluntários e novas doações. “Para atender as crianças da lista de espera e do Jardim Vitória precisaremos arrecadar mais 15 fardos de leite em pó por mês. Acreditamos que isso será possível e contamos com a solidariedade das pessoas”, comenta.

fazem a doação em dinheiro”, destaca.

Ao longo do ano, as datas como dia das mães, dos pais, das crianças e Natal serão comemoradas nas comunidades onde o projeto está presente. Nessas ocasiões, os voluntários farão a entrega de presentes e atividades com as crianças. “A comunidade sempre recebe nossos voluntários muito bem, mas, em dias especiais como esses, sentimos um calor maior, principalmente, no Natal, quando muitos talvez não fossem ganhar nenhuma lembrança. Comemorar datas especiais, de certa forma, é alimentar a esperança nas pessoas”, conclui.

DONA DE LEITE HOMENAGEIA AS MÃES DO RIBEIRO DE ABREU

A

Associação Dona de Leite promoveu um sábado diferente na comunidade do bairro Ribeiro de Abreu. Além da entrega de meia tonelada de leite em pó para as crianças carentes da região, a entidade realizaou uma palestra educativa em homenagem às mães sobre “A importância da mulher no mundo contemporâneo”, ministrada pela líder do ministério da mulher da 8ª Igreja Presbiteriana, Cláudia Pereira. Os voluntários do projeto também distribuíram presentes às mães.

8

Projeto Dona de Leite  

Informativo do Projeto Dona de Leite