Page 16

Histórico

Jordão” e criou, em 1921, a Empresa Elétrica de Campos do Jordão, entre outros feitos que trouxeram progresso para o local, como as construções do Chynema Jandira, da Igreja Matriz e da Casa Paroquial. Em 1915, Vila Nova passou a ser chamada de Vila Abernéssia, nome da chácara em que Reid viveu, como homenagem ao morador ilustre. O nome Abernéssia foi criado pelo próprio Reid, fazendo alusão às cidades escocesas Aberdeen e Inverness. Com a compra da Estrada de Ferro de Campos do Jordão (vide matéria posterior), o Embaixador José Carlos de Macedo Soares comprou as terras de Emílio Ribas e Victor Godinho e montou a Companhia Melhoramentos de Campos do Jordão e fez um loteamento chamado de Vila Capivari, por estar localizado às margens do rio de mesmo nome. Neste local foram construídas moradias de grandes industriais e comerciantes. Pelo seu charme, a Vila recebeu em 1953 o 1° Congresso Nacional de Turismo, “marco do turismo nacional, germe da criação da EMBRATUR – Empresa Brasileira de Turismo” (Pedro Paulo Filho). Em 19 de junho de 1934, a vila se emancipou de São Bento do Sapucaí, tornando-se o Município de Campos do Jordão e, em 30 de novembro de 1944, foi criada a sua Comarca.

V. Jaguaribe 1939

V. Capivari 1920

Dr. Domingos Jaguaribe Abolicionista e republicano, contribuiu com muitos benefícios públicos com sua influência política. Além de promover inúmeros benefícios para a Vila de São Matheus, escreveu no Jornal do Brasil sobre as qualidades terapêuticas do clima e da água do Rio da Prata, que tem as suas nascentes mais altas no bairro Umuarama, em Campos do Jordão. Foi pioneiro no tratamento do alcoolismo, levantou a bandeira de “Suíça Brasileira” ao resto do Brasil e mais que isso, lançou campanha nacional para que a Capital da República fosse Campos do Jordão. Com esse currículo, em 1915 a população iniciou um movimento para mudar o nome do povoado para Vila Jaguaribe.

As pessoas que vinham para se tratar da tuberculose ficavam encantadas com a beleza do lugar e seu clima chamou a atenção dos empresários que entenderam o potencial turístico da cidade e começaram a investir em hotéis de grande porte. Também os corretores teriam clientela garantida para a venda de lotes para casas. As vilas Capivari e Inglesa foram as escolhidas para os empreendimentos. Já na década de 1940, o Governador Adhemar de Barros, assíduo frequentador da cidade, transformou Campos do Jordão em Estância Turística, ampliando exponencialmente a transformação para o que hoje é reconhecido como um dos principais destinos turísticos do Brasil.

16 Cidade&Cultura

Campos do Jordão/SP  
Campos do Jordão/SP  

Revista Cultural da cidade de Campos do Jordão