Page 60

REPRODUÇÃO

Meio Ambiente

Fauna Tangará

Pica-pau É uma ave da ordem Piciformes, de tamanho pequeno a médio com penas coloridas e, na maioria dos machos, com uma crista vermelha. Vivem em bosques, onde fazem seus ninhos abrindo uma cavidade nos troncos das árvores. Alimentam-se principalmente de larvas de insetos que estão dentro dos troncos de árvores, alargando a cavidade onde se encontram as larvas com seu poderoso bico e introduzindo sua língua longa e umedecida pelas glândulas salivares.

É um animal endêmico de Ilhabela. É um roedor silvestre que vive na Mata Atlântica. Com risco de extinção, poucas vezes são encontrados.

Caxinguelê

É conhecida em todo o Brasil pelo seu grito alto e estridente. Fora de São Paulo, em outras regiões do país, ela é conhecida por Guiraponga, Ferreiro ou Ferrador, sendo que esses dois últimos nomes vêm do seu grito, que imita com perfeição o trabalho de um ferreiro, primeiramente como uma lima e a seguir com a batida estridente de um martelo sobre a bigorna. O nome tem origem na corruptela da locução tupi: guirápomba, que significa o pássaro martelante. Fonte: http://www.petbrazil.com.br/bicho/aves/araponga.htm

Ele impressiona pela quantidade e sua picada pode provocar reação alérgica. É uma pequena mosca e, no Brasil, ocorrem pelo menos 40 espécies. De hábitos diurnos, somente a fêmea é hematófaga, com os machos alimentando-se exclusivamente de pólen. A fêmea necessita de sangue para amadurecer os ovários, depositando seus ovos em galhos, pedras e folhas localizadas nas águas limpas e correntes das cachoeiras.

É uma das cobras mais perigosas e venenosas da Mata Atlântica. Mede, em média, cerca de 1,20m, porém há relatos de cobras com 2 metros de comprimento. Com esse tamanho, ela passa a ser denominada de jararacuçu A Jararaca possui desenhos que lhe proporcionam uma excelente camuflagem, sendo difícil a visualização do animal, mesmo para olhos experientes. Sempre que for pegar algo no chão, ou caminhar na mata, use um calçado, de preferência uma bota, e olhe bem por onde pisa. Quando filhote, a Jararaca, como a maioria dos membros do gênero Bothrops, possui a extremidade da cauda ligeiramente clara ou amarelada. Isto porque, ela utiliza a cauda para engodar (atrair) pequenas rãs e sapos, bem como pequenos lagartos, do qual se alimenta. Quando adulta alimenta-se principalmente de pequenos roedores. Seu nome tem origem na locução tupi ya-ra-raca, que significa “aquele que agarra envenenando. Fonte: www.saudeanimal.com.br

REPRODUÇÃO

TATYANA ANDRADE

Jararaca

Borrachudo

60 Cidade&Cultura

Fonte:http://www.saudeanimal.com.br/tangara.htm

Araponga

Cururuá

Também conhecido como serelepe, cutia-de-pau e caxinxe, é facilmente encontrado em Ilhabela, inclusive na área urbana. É um roedor de hábitos diurnos e de habitat preferencialmente arborícola, alimentando-se de frutas, milho, e, principalmente, dos coquinhos das palmeiras jerivá, indaiá e patí.

É conhecido no Brasil desde o século XVII, quando um naturalista de nome Macgrave visitou nosso país e descreveu inúmeros representantes da nossa fauna e flora. Esta ave dá um toque latino-americano à América do Norte durante a primavera e o verão. A maior parte das 200 espécies de tangarás vive na América Central e do Sul. O tangará raramente pousa no chão, passando a maior parte do tempo em árvores ou arbustos. Alimenta-se de frutas, grãos, sementes e insetos. Algumas espécies vivem em bandos; outras são solitárias. O nome tangará e significa o pulador, o dançarino

Ilhabela/SP  
Ilhabela/SP  

Revista cultural de Ilhabela