Page 44

Artes Ateliê Sdondi No bairro do Perequê, encontra-se o Ateliê Sdondi, um aconchegante espaço que esbanja bom gosto e criatividade. Lá são encontrados vasos de flores, almofadas, xícaras com dizeres e letras de música, peças em cerâmica, chaveiros e etc. Todos esses objetos levam um toque pessoal de Sdondi, a Artista Plástica que montou o ateliê, e o sucesso é tanto, que suas peças estão espalhadas mundialmente. Natural de São Paulo mudou-se para Ilhabela faz 16 anos. Sua relação com a Arte é antiga, segundo ela, é uma paixão que existe desde que nasceu. Ao observar o espaço, é notável a percepção singular da artista que, em suas obras, registra fragmentos do dia-a-dia, como família, viagens, amores, tudo isso com muita dedicação, capricho e amor. Seu passo inicial foi aos 12 anos com a cerâmica que faz até hoje. A matéria-prima que utiliza são os tecidos como seda, algodão e microfibra que são transformados em painéis de fácil transporte ao cliente que deseja levar uma lembrança agradável da cidade. Outra característica de seu trabalho são as formas femininas presentes; vasos de flores que representam prosperidade bem como a leveza e o colorido das peças que traz uma sensação de alegria. Outra técnica utilizada é o batique e as pessoas gostam tanto que, quando chegamos ao ateliê, Sdondi não tinha nenhuma peça para nos mostrar. São encontradas também cangas pintadas com aquarela de tecido.

44 Cidade&Cultura

Batique método manual de pintura sobre o tecido, originário da Indonésia. Técnica muito antiga que chegou à Europa pelos holandeses em suas expedições pelo continente Asiático. O processo consiste em cobrir áreas do tecido a serem trabalhadas com cera ou parafina, imergir o tecido em latões com tintas de cores variadas para o tingimento desejado de acordo com o desenho pretendido, retirar a cera ou parafina com água quente, lavar e passar.

Ilhabela/SP  
Ilhabela/SP  

Revista cultural de Ilhabela