Page 42

Artes

Fonte inesgotável de

inspiração

42 Cidade&Cultura

Waldemar Belisário Em 1929, chega ao arquipélago, esse ilustre artista paulistano, nascido em 1895, que pintou, especialmente para levar à Europa, as maravilhas do local, porém o destino não fez com que Waldemar pudesse ir ao exterior, e este fixou-se bons anos em Ilhabela. Casou-se então com Celina Guimarães, que desenvolveu, junto à comunidade, o potencial artístico da população, surgindo assim vários nomes de expressão. Belisário era filho de pais italianos. Sua adolescência foi toda passada na Europa REPRODUÇÃO

Os encantos naturais de Ilhabela são uma fonte inesgotável de inspiração para os artistas. Aos olhos atentos dos amantes da arte, o colorido formado pelo verde das matas, aliado ao azul do mar e às águas cristalinas das inúmeras cachoeiras ganham contornos tão belos quanto aqueles que foram agraciados pela mãe-natureza. Andando pela Ilha, deparamo-nos com detalhes que nos mostram o capricho e o bom gosto que se espalham por todos os lugares. São inúmeras obras de arte pela orla de norte a sul da ilha de São Sebastião, que dão ao transeunte a sensação de estar passeando em uma enorme galeria de arte a céu aberto.

e o convívio com o meio artístico despertou-o para as artes. Entre os nomes que vieram a influenciar suas obras, temos Ficher Elponse e Pedro Alexandrino. Como sua irmã de criação, Tarsila do Amaral, Waldemar também foi premiado. Em 1916, conquistou o prêmio no Salão Nacional de Artes Plásticas do Rio de Janeiro. Junto a Henrico Manzo, liderou o grupo de artistas plásticos denominado “pintores de arrabalde”. Sua última exposição foi em 1975, a convite de Pietro Maria Bardi, no Museu de Arte de São Paulo – MASP.

Ilhabela/SP  
Ilhabela/SP  

Revista cultural de Ilhabela