Issuu on Google+

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Camila Barboza, Elizandra Ferreira, Luana da Silva de Andrade

ARMAZÉM ESSENCIAL

Santa Cruz do Sul, dezembro de 2011


Av. Sen. Alberto Pasqualini, 139 | Santa Cruz do Sul | RS Telefone: 51 3902 4121 | armazemessencial@armazemessencial.net.br www.armazemessencial.net.br


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ......................................................................................................... 4

2. JUSTIFICATIVA ....................................................................................................... 5

3. METODOLOGIA ...................................................................................................... 6 3.1 Referencial metodológico .......................................................................................... 6 3.2 Coleta de dados …...................................................................................................... 7 3.3 Escolha dos entrevistados .......................................................................................... 7 3.4 Sondagem inicial ....................................................................................................... 8 3.5 Planejamento das entrevistas ..................................................................................... 8 3.6 Elaboração de perguntas ............................................................................................ 9 3.7 Cronograma ............................................................................................................ 10

4. HISTÓRICO ............................................................................................................ 11

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS .................................................................................. 16

6. REFERÊNCIAS ..................................................................................................... 17

7. ANEXO A ................................................................................................................ 18

8. ANEXO B ................................................................................................................ 19

1. INTRODUÇÃO


É com grande satisfação que iniciamos este trabalho da disciplina de Metodologia da Pesquisa em Comunicação. O trabalho, que faz uso da história oral, traz em sua composição a certeza de que é importante explorarmos a arte de escutar para nossa formação enquanto acadêmicos.

Diferente das fontes convencionais que não utilizam esse recurso, a história oral encontra aspectos que não são documentados da mesma forma e relevância de outros meios.

Constantemente nos deparamos com situações em que nossas habilidades da fala sobrepõem as habilidades de escrita; é mais espontânea, sobretudo. Escutar – uma habilidade que deve ser muito bem reconhecida – nos remete à compreensão humana e coletiva, implicando, arriscamos dizer, na forma mais democrática de comunicar.

E, para a comprovação dessas informações, escolhemos como objeto de estudo a empresa Armazém Essencial.

2. JUSTIFICATIVA


O nome escolhido pelo grupo para objetivar sua pesquisa foi o Armazém Essencial. A empresa, que está localizada na parte central da cidade de Santa Cruz do Sul, está associada às iniciativas ecologicamente corretas.

Desde dois mil e dez no mercado de trabalho, a empresa surgiu da ideia de oferecer às pessoas a opção de presentear não apenas com um presente material, mas com um conceito intangível: a sustentabilidade. O maior objetivo da empresa é transmitir a consciência sustentável a seus clientes.

Devido a essas peculiaridades da empresa é que nos interessamos em estudá-la. Sabíamos que sua história ainda não havia sido documentada e que seria interessante realizar um trabalho de pesquisa em uma empresa considerada nova no mercado. Diferente dos muitos nomes que são escolhidos para este trabalho, a empresa Armazém Essencial se tornou um desafio, pois, ainda que novata, também tem muita história para contar.

3. MEDOTOLOGIA

3.1 Referencial metodológico:


Devido à falta de documentação existente, acreditamos que o método de pesquisa via história oral seja mais indicado para a realização da Pesquisa de Memória Institucional. Tendo estudado os conceitos de Paul Thompson a respeito da metodologia, consideramos esta a mais adequada para que o trabalho alcance o êxito a que se propõe. Para Thompson, as declarações de pessoas reais e presentes estão interligadas com os seus sentimentos. O fato de a pessoa ter vivenciado determinada situação dá ao pesquisador uma maior confiança na coleta das informações. A história oral revela vários acontecimentos que antes não eram encontrados em documentos ou agora são expostos de forma mais clara.

Toda fonte histórica derivada da percepção humana é subjetiva, mas apenas a fonte oral permite-nos desafinar essa subjetividade: descolar as camadas de memória, cavar fundo em suas sombras, na expectativa de atingir a verdade oculta. (THOMPSON, 1992, p. 197)

Em consequencia desta definição, toda a elaboração do trabalho, desde sua concepção, planejamento, elaboração, aplicação, até sua apresentação, se baseou nas orientações de Paul Thompson sobre o método da história oral. Contamos com o fato de que, conseguindo aplicar o método de forma correta, o conteúdo final esteja de acordo com nosso objetivo e tenhamos êxito em recontar, através das falas de nossos entrevistados, os fatos que marcaram a memória institucional da empresa Armazém Essencial.

A fronteira do mundo acadêmico já não são mais os volumes tão manuseados do velho catálogo bibliográfico. Os historiadores orais podem pensar agora como se eles próprios fossem editores: imaginar qual a evidência de que precisam, ir procurá-la e obtê-la. (THOMPSON, 1992, p.25)

Segundo Paul Thompson, o método da história oral é utilizado também por muitos estudiosos, particularmente sociólogos e antropólogos, que não se consideram historiadores orais. Geralmente, ao tentarem solucionar problemas históricos, optam por utilizar a evidência oral juntamente com outras fontes, e não sozinha. 3.2 Coleta de dados:


Para captar relatos que traduzissem a história e a importância da empresa escolhida para o trabalho de Pesquisa em Memória Institucional, foi realizada, primeiramente, uma pesquisa breve no site da empresa escolhida: Armazém Essencial. O site da empresa mostrou pouca expressividade de informações sobre sua história. Preferiu-se, então, coletar os dados através de entrevistas presenciais que ilustrassem, nas falas dos entrevistados, a capacidade de compor, de maneiro oral, a história da empresa. Os relatos foram captados na cidade de Santa Cruz do Sul, onde está instalada a empresa no centro da cidade.

3.3 Escolha dos entrevistados:

Passado o momento de pesquisa no site da empresa Armazém Essencial, nos organizamos para localizar algumas pessoas que pudessem ser entrevistadas para o trabalho. Em relação à seleção dos entrevistados, a ideia consistia em ir além do convencional. O grupo não desejou obter apenas o depoimento de pessoas ligadas diretamente à empresa. Para mudar esse aspecto, optou-se, então, por entrevistar, também, um funcionário e um cliente, afinal, assim como os proprietários, os funcionários e os clientes ajudam na construção da história da empresa, mesmo que seja de forma indireta. Optou-se por fazer uma entrevista da maneira mais informal e consistente possível. O grupo não queria depoimentos forjados e nem muito pensados, queria a realidade. Então, aconteceram os contatos e agendamentos de entrevistas. Feita a triagem das fontes, os entrevistados escolhidos foram Marieli Hoff (proprietária), Natália Câmara Harz (funcionária), Flávio Gilmar Hoff (marido da proprietária e Maristela Possamae Fortuna (cliente). Escolhido o objeto de estudo e apresentados os argumentos da escolha, partimos, então, para o desenvolvimento empírico do trabalho, averiguando a disponibilidade dos possíveis entrevistados para nos receber. Para guiar a etapa de pré-entrevistas, nos baseamos nas orientações de Paul Thompson, especificamente no capítulo intitulado “A entrevista” de A voz do passado: a história oral.

3.4 Sondagem inicial:


O primeiro contato feito com os entrevistados se deu por email no dia 18 de outubro de 2011. (ANEXO A) O segundo contato foi feito por telefone. O terceiro se deu novamente por email no dia 05 de novembro de 2011. (ANEXO B) Agendou-se, então, uma entrevista que se daria de forma presencial. Em todos os momentos, a empresa se mostrou extremamente receptiva e feliz com a idéia. O objetivo da pesquisa foi exposto e muitos dos contatados manifestaram interesse em nosso objeto de estudo. Percebemos, durante o contato, que todos os entrevistados possuem orgulho e felicidade de falar sobre a loja que ficou conhecida por fabricar camisas de garrafa pet e isso, claro, facilitou nosso desenvolvimento durante as entrevistas.

3.5 Planejamento das entrevistas:

A melhor maneira de dar início ao trabalho pode ser mediante entrevistas exploratórias, mapeando o campo e colhendo idéias e informações. Com a ajuda destas, pode-se definir o problema e localizar algumas fontes para resolvê-lo. (THOMPSON, 1994, p.254)

Definidos os entrevistados, passamos para o planejamento das entrevistas, estipulando datas, locais e os materiais a serem utilizados tanto para o registro da coleta quanto para a ativação da memória das fontes. Nos prevenimos com os materiais necessários. A captação de áudio e imagem se deu por meio de equipamentos especiais cedidos pelo Curso de Comunicação Social e manuseados por Elizandra Ferreira e Fabrício Bullerjahn. A condução das entrevistas foi feita por Elizandra Ferreira e Luana da Silva de Andrade. Seguindo algumas indicações, fizemos um resgate documental histórico e chegamos a algumas fontes de dados de alguns fatos que ocorreram e poderiam ser citados para a obtenção de seu conteúdo na íntegra. Desta forma, o planejamento foi seguido conforme as orientações de Thompson.

As datas para as entrevistas foram estabelecidas para ocorrer nos finais de semana já que, assim como nós, os entrevistados não dispunham de tempo durante a semana. Todas as entrevistas ocorreram tranquilamente. Inicialmente, um pouco nervosas, mas, no decorrer, seguiram-se de maneira natural. As entrevistas duraram em torno de uma hora e foram realizadas na própria empresa. Ficamos com receio de, por talvez não estar em um ambiente de maior conforto para os entrevistados, acabar bloqueando reações emocionais muito importantes para a nossa proposta. No entanto,


deu certo. Nos deparamos com reações de alegria, nostalgia, choro e belas risadas. Tudo isso fez com que pudéssemos enriquecer ainda mais o nosso trabalho.

3.6 Elaboração de perguntas:

Algumas perguntas foram formuladas especificamente para cada entrevistado, correspondendo, claro, com sua relação com a empresa. Em sua maioria, foram questões abrangentes que apenas introduziram uma área específica dos acontecimentos para que o entrevistado pudesse se sentir livre para buscar na lembrança os acontecimentos. A intenção era manter um diálogo aberto e tranquilo, sem perguntas muito objetivas que fossem respondidas de forma curta e direta, deixando em aberto a possibilidade de, durante a explanação do entrevistado, fazer algum apontamento mais específico dos pontos onde percebêssemos que a história poderia render mais do que apenas o relato contado.

O argumento em favor de uma entrevista completamente livre em seu fluir fica mais forte quando seu principal objetivo não é a busca de informações ou evidências que valham por si mesmas, mas sim fazer um registro “subjetivo” de como um homem, ou uma mulher, olha pra trás e enxerga a própria vida, em sua totalidade, ou em uma de suas partes. (THOPSON, 1992, P.258)

Algumas das questões formuladas foram relacionadas a como começou o envolvimento do entrevistado com o objeto do estudo, eventos que lhe marcaram na memória, fatos curiosos, envolvimento da família na atividade e sentimentos que a empresa lhe transmite. Estas são apenas algumas questões pontuais listadas, dentre tantas outras mais específicas para o caso de cada entrevistado. Objetivamos ter a oportunidade de, durante a conversa, abrir um leque de novas perguntas sobre assuntos não antes relatados ou pouco explorados.

Roteiro de perguntas sugerido por Thompson:


1) Nome: 2) Cidade onde mora: 3) Ano nascimento e local onde nasceu: 4) Se já se mudou alguma vez? Caso tenha se mudado, por quê? 5) Estado civil (se casada relato sobre a vida a dois): 6) Profissão? 7) Já tinha trabalhado em outra empresa? Quais? 8) Como conheceu e ficou sabendo da empresa? 9) Quem lhe contratou? 10) Você e recorda como foi a primeira semana? 11) Como era a empresa naquele tempo? 12) Com o passar do tempo, você notou mudanças? 13) Como você vê a empresa onde trabalha? 3.7 Cronograma:

15.09.2011 - Escolha do tema 18.10.2011 - Primeiro contato 07.11.2011 - Finalização da parte I e II 12.11.2011 - Entrevistas: 15h10 - Natália Câmara Harz 15h30 - Marieli Gewehr Hoff 15.11.2011 - Entrevistas: 15h00 - Flávio Gilmar Hoff 16h00 - Maristela Possamae Fortuna 15.11.2011 - Transcrição das Entrevistas 16.11.2011 - Transcrição das Entrevistas 25.11.2011 - Finalização do histórico 25.11.2011 - Finalização do vídeo 4. HISTÓRICO


Ambientada na cidade de Santa Cruz do Sul desde 2010, a loja Armazém Essencial nasceu da vontade de se estabelecer um negócio próprio. Marieli Gewehr Hoff, proprietária da loja, procurava estabelecer uma relação entre sua formação universitária e sua vontade de realizar um empreendimento comercial. A empresa Armazém Essencial conta com uma funcionária, Natália Câmara Harz e, há apenas um ano e meio no cenário comercial, já configura uma bonita história.

Formada em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Maria, Marieli exercia a profissão de pedagoga até decidir abrir seu próprio empreendimento. A primeira etapa de formação da empresa exigiu muita dedicação. Muitas pesquisas foram realizadas através das muitas viagens realizadas por Marieli. O interesse da empresa pelo conceito de produtos ecologicamente corretos pode estar associado ao fato de a proprietária ter cursado, inicialmente, o curso de Biologia na faculdade; além disso, pode estar associado à importância que o conceito sustentável representa para o futuro que deixaremos para nossos filhos.

E foi, eu fui pesquisando, estudando. Então, me surgiu a ideia assim, ó: por que não aliar o conhecimento que eu tenho enquanto educadora, né?; à questão de preservação ambiental. Então, a gente resolveu, eu e o meu marido resolvemos abrir, então, essa loja que é toda de produtos sustentáveis. Então foi daí a ideia, né,?; de abrir um espaço onde as pessoas pudessem vir, que as pessoas pudessem adquirir produtos que tivessem esse conceito. (Marieli Gewehr Hoff)

Flávio Gilmar Hoff, marido de Marieli também teve participação como cocriador na loja. Há mais ou menos três anos, os dois viam analisando qual seria o foco da empresa e como seria a busca por fornecedores. No momento em que sentiram confiança e acreditaram que tinham um portfólio interessante, sabiam que estavam preparados para, finalmente, abrir o Armazém Essencial.

Maristela Possamae Fortuna, cliente do Armazém Essencial era colega de faculdade de Marieli. Como eram muito amigas, Maristela notava o interesse de Marieli por várias causas sociais. Maristela conta que Marieli trabalhava também como supervisora educacional, mas tinha um grande sonho: ter um espaço que fosse dela.

Quando ela me contou, ela veio muito feliz me contar que ela tinha decidido, tinha optado, até, porque ela tinha feito assim uma pesquisa de mercado e uma pesquisa também no que ela poderia trabalhar, em qual


espaço ela poderia trabalhar sem ser o espaço escolar, o espaço educacional, e eu lembro, então, que ela veio e me contou que ela ia abrir uma loja, onde todos os objetos da loja eram objetos que tinham a ver com a sustentabilidade, objetos que tinham tudo a ver com a questão da natureza, com a preservação da natureza, e lembro, sim, que ela me contou assim desse sonho e aí nós nos encontrávamos e ela me contando que tinha ido a vários lugares, buscando materiais, fazendo uma seleção também de materiais né, e pensando no que será que Santa Cruz vai realmente aprovar, porque é um espaço inédito aqui na cidade né, nós não tínhamos um espaço com essa proposta e aí esse sonho se realizou num espaço bem menor do que é hoje com uma quantidade também bem menor de produtos e também no número de pessoas né, que a gente sabe né, que cada vez mais o público está sendo mais abrangente né, mais pessoas estão optando por essa loja, pelos produtos, e pela proposta da loja. (Maristela Possamae Fortuna)

A partir de então, começaram os preparativos para a formação física da empresa. A escolha do nome, por sua vez, partiu da mais minuciosa originalidade. Muitos dos nomes que eram pensados pendiam para a ideia de Brasil. A sustentabilidade que seria proposta pela empresa deveria ter um nome que correspondesse fielmente às necessidades de identificação.

Bom, o porquê do Armazém Essencial, né? Hã, a gente pensou vários nomes e muito, assim ó, a gente queria remeter a Brasil, né, aquela coisa assim, ó, então se pensou, hã, Espaço Brasil, alguma coisa totalmente brasileira, assim, né, hã, até pela questão da sustentabilidade que a gente acredita que ela tem alguns pressupostos, né, onde nós valorizamos o que é nosso aqui. Aí, o Armazém Essencial surgiu assim, ó, pela questão do Essencial vem de essência, do que realmente a gente é, do que realmente é importante pra gente, do que é essencial pra nossa vida. Aí partimos pra questão dos cinco ’’R’’, enfim, aí ficou o Essencial. E o Armazém por, hã, voltar ao passado à questão assim, ó, hã, antigamente era os armazéns onde se encontrava tudo lá dentro e é o que a nossa proposta aqui. Onde as pessoas possam vir e encontrar ’’n’’ produtos, só que todos dentro do conceito da sustentabilidade. (Marieli Gewehr Hoff)

A inauguração da empresa teve um caráter cômico, pois, na verdade, não houve inauguração. Como era a primeira experiência de Marieli como comerciária, ela imaginou algumas coisas que, na realidade, se configuraram totalmente diferentes. Marieli havia visitado muitas feiras para realizar os pedidos dos produtos que seriam comercializados na loja. Assim que esses produtos chegavam em Santa Cruz do Sul, Marieli os abria e, sempre com satisfação, exclamava: ’’ai, que lindo, que amor!’’. Chegando em demandas maiores, os produtos começaram a preencher a identidade da loja. No entanto, as coisas não estavam chegando todas ao mesmo tempo. Marieli, que não havia organizado nada de especial para um dia formal de inauguração, não conseguia se conter de ansiedade para começar, de fato, o seu negócio. Marieli pensava


em abrir a loja, mas, ao mesmo tempo, sabia que a loja não estava completa e que faltavam muitas das mercadorias encomendadas.

As coisas iam chegando e eu disse: quer saber de uma coisa?; segunda-feira eu to tirando o papel pardo e seja o que Deus quiser. E começou a chamar a atenção, a questão da fachada sabe: mas o que será isso?, aí tinham pessoas que passavam por ali e achavam que armazém essencial tinha a ver com, com essências de cheiros, coisas de cheiros, né, assim, que remetiam a isso, então foi bem legal assim, e eu acredito assim, que pelo tempo que nós estamos no mercado, as pessoas já estão nos reconhecendo né, enquanto assim ó, uma loja diferente, que tem produtos diferentes, que tem conceito, né. (Marieli Gewehr Hoff)

Flávio Gilmar Hoff conta que a abertura da loja foi tida mais pela emoção. Na época, tinham pouco conhecimento na área. Hoje, notam-se mudanças extremas em termos de profissionalização. Até a administração da empresa tomou rumos diferentes e está bem mais tranquila de ser realizada do que naquela época. Fávio sempre apoiou as decisões da esposa.) Ela é muito madura nesse sentido, então ela tem uma “sacação” bastante grande pras coisas e se ela tomou a decisão que aquele era o momento, esse era o momento né, vamo lá, vamo abraçar a ideia e vamo tocar e foi isso que aconteceu na verdade e pra mim assim, foi surpreendente assim pela coragem que ela teve né, então, desde a ideia até a elaboração, tudo e até, como é que hoje a gente tá posicionado é fruto do trabalho dela, né, então da visão dela, da capacidade de enxergar, capacidade de relacionamento com o cliente. (Flávio Gilmar Hoff)

Única funcionária da empresa até o momento, Natália Câmara Harz conheceu a empresa por intermédio da Oktoberfest do ano de 2010. Natália acredita que a empresa propõe um bom modo de trabalho, já que a loja ajuda ao Meio Ambiente.

Foi por meio de uma feira, na Oktoberfest do ano de 2010 que eu conheci o estande. A gente acabou se conhecendo, depois eu vim até a loja conhecer, daí acabou surgindo a ideia de trabalhar aqui. Eu, como eu adorei a ideia da loja, do conceito, eu gostei muito de trabalhar aqui e foi bem o que eu imaginava mesmo assim, um pessoal bem bacana, um público alvo assim bem bem legal de atender, de trabalhar. (Natália Câmara Harz

As características diferenciadas fizeram com que a loja, em meio ano de funcionamento, mudasse de endereço para melhor atender aos clientes. Inicialmente, a loja era localizada na rua Coronel Oscar Jost. Marieli acreditava que o melhor era manter ’’os pés no chão’’. A empresa, até mesmo pelo seu conceito diferenciado, preferia não arriscar, inicialmente, a instalar-se em um ambiente muito grande.


Aparentemente, o local parecia confortável ao início da loja, no entanto, a empresa estava sentindo que a rua Coronel Oscar Jost, embora muito movimentada, não apresentava um grande fluxo de pessoas. A empresa estava percebendo que as pessoas, por tamanha circulação de carros, mal conseguiam atravessar a rua para chegar até o Armazém Essencial. Sabendo que esse era um ponto negativo para a empresa, resolveuse por instalar a empresa no atual endereço, na Avenida Senador Alberto Pasqualini, próximo ao Shopping Santa Cruz. Com essa iniciativa, a empresa esperava que o shopping traria um cliente que comprasse fora do horário comercial e essa nova região possibilitaria isso ao consumidor.

Como a loja Armazém Essencial permitiu aos clientes uma proposta diferenciada de comércio – onde, além dos produtos são vendidos conceitos – os desafios da loja consistiam na busca por fornecedores que satisfizessem as necessidades dos produtos vendidos na loja. Desde o início, a busca por fornecedores configura um desafio. Todas as vezes em que a loja procurava por fornecedores, era preciso que esses estivesse totalmente de acordo com a proposta da empresa. Muitas pesquisas foram realizadas a fim de trazer novos produtos para a loja. Esses produtos partem de alguns princípios e é esse o maior desafio da empresa.

Marieli, que acredita não ser fácil manter um negócio próprio no Brasil, devido à grande carga de responsabilidades de se tem, reconhece que, em um ano e meio de comércio, só se investiu. No entanto, entende que esse retorno financeiro não é imediato. Até os dias que segue, a loja Armazém Essencial investiu em cursos de capacitação de atendimento ao público para a funcionária, Natália; investiu, também, em marketing e propaganda para atrair cada vez mais clientes. Mas a gente sabe assim ó, que quando se abriu a loja, a gente sabia que o início não é fácil, mas o que é bacana é que os clientes que vem, eles retornam, né, eles retornam, até porque assim ó, uma coisa que a gente prioriza muito aqui no armazém essencial é aquela coisa das pessoas chegarem aqui e se sentirem em casa sabe, a gente sabe que a gente não vende produto, a gente vende um conceito, né. As pessoas que se identificam com esse conceito assim ó, pelo que a gente observou né, aqui na loja, são pessoas muito do bem, sabe, então as pessoas vem aqui e elas ficam à vontade, elas vão, elas olham, elas, às vezes elas só dão uma passadinha, aqui, “Oi, eu só vim aqui te dar um oi”, então é muito legal, a gente acaba até formando vínculos de amizade aqui dentro. (Marieli Gewehr Hoff)


A empresa tem o cuidado de produzir a partir de matérias primas renováveis e sustentáveis, transformando consciência ambiental em atitude, oportunizando, assim, o consumo consciente. Os produtos comercializados são elaborados a partir de matérias primas renováveis e sustentáveis que, desta forma não agridem e preservam o meio ambiente. A empresa tem como princípio a valorização das questões sócio-ambientais. Todos os produtos são criteriosamente selecionados por terem em seu processo produtivo um forte conceito de sustentabilidade.

A loja Armazém Essencial possui camisetas feitas de algodão e garrafas PET, que representam duas garrafas PET a menos no meio-ambiente; brinquedos feitos a partir de restos de madeira, retomando, assim, conceitos antigos, como os tradicionais jogos e brinquedos que representam, por exemplo, a ideia de família; artigos para o dia a dia feitos a partir de bambu e madeira de florestas plantadas especificamente para esta função; artigos de papelaria - cadernos de receita, blocos, entre outros, feitos com papel reciclado; jóias – biojóias da linha “Mãos da Terra”, feitas com palha de buriti; ecobags feitas com restos de banners; artigos de decoração feitos de garrafas de vidro modeladas artisticamente; roupas e pelúcia feitas com algodão orgânico que possuem a cor do próprio algodão.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Após realizar este trabalho, percebemos que, realmente, quando se trata da coleta da história oral, não há tempo mínimo de existência necessário. A construção da história acontece em cada momento, em cada decisão, em cada dia. Por mais nova que seja uma empresa, sempre há uma história a ser contada e que vale a pena ser lembrada


e guardada. A empresa Armazém Essencial, em seu pouco tempo de existência, tem provado que quando se é fiel a um conceito e a uma ideia, os resultados desejados aparecem e o crescimento, por sua vez, é apenas uma consequência. Além disso, a fidelidade da empresa transparece nos produtos, o que faz com que seu desejo de vender conceitos e não materialidades se concretize, conquistando, assim, mais clientes e incentivando as pessoas a terem uma consciência mais sustentável.

Com certeza, esta experiência de pesquisa foi muito enriquecedora e interessante. Nos fez perceber que, sempre por trás de uma empresa, há uma ideia ou conceito que, muitas vezes, está presente desde o primeiro passo da empresa. Nos fez perceber, ainda, que a história de uma empresa sempre pode nos ajudar a compreendê-la melhor e perceber que, por trás dela, sempre há pessoas normais que um dia tiveram um sonho, como a Marieli que, em tempo, decidiu concretizá-lo.

6. REFERÊNCIAS

ARMAZÉM ESSENCIAL. Desenvolvido por Armazém Essencial. Apresenta informações gerais sobre a instituição. Disponível em: <http://www.armazemessencial.net.br/>. Acesso em: 22 out. 2011.


THOMPSON, Paul. A voz do Passado, Hist贸ria oral. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1992.


7. ANEXO A


8. ANEXO B


Histórico da empresa Armazém Essencial