Page 1

Projecto Bebé + Temática da Saúde Enfermeira Sónia Rocha

Amamentação: O leite materno é suficiente? Os mamíferos como classe de animais, caracterizam-se pela presença de glândulas mamárias nas fêmeas, que produzem leite

da mulher o problema poderia surgir quando existem trigémeos. Embora constatemos que na Mãe Natureza tudo funciona correctamente, ou seja, as fêmeas alimentam os seus filhos até que eles tenham capacidade

para alimentação dos filhotes

(ou

Assim

a

para digerir ouros

crias).

Estudos internacionais mostram que 50% das crianças deixam de ser amamentadas no 1º ou 2º mês de vida; assim podemos certamente concluir que o retorno da mulher ao trabalho não será o factor que mais condiciona a prevalência do aleitamento materno

mulher

(fêmea),

como

pertencente à classe dos mamíferos, está fisiologicamente preparada alimentar

para os

alimentos, o mesmo não acontece com o Ser Humano. A

Organização

Mundial de Saúde (OMS) preconiza a

seus

amamentação

filhotes através da

exclusiva até aos 6

produção de leite, sem que as suas crias

meses e complementar até aos 2 anos ou

tenham

outro

mais, no entanto, em Portugal, as taxas de

alimento até pelo menos aos 6 meses de vida,

prevalência de aleitamento materno estão

isto

ainda longe do preconizado pela OMS.

necessidade

mesmo

que

de

qualquer

existam

dois

filhotes

(gémeos), na media em que se possuímos duas glândulas

mamárias

somos

capazes

de

A maioria das mães deseja amamentar o seu bebé e efectivamente inicia esta prática (mais

alimentar duas crias.

de 90% das mulheres iniciam a amamentação), A mulher, em termos fisiológicos em nada

no entanto, apenas 34% ainda amamenta aos

difere das suas congéneres na natureza, tal

6 meses e ao ano de vida da criança apenas

como a macaca, a leoa ou a gatinha…todas

16% (dados de 2003). Para a OMS o abandono

elas produzem leite suficiente para o número

precoce da amamentação é um problema de

de crias que têm, e o problema apenas se

saúde pública, pelo que nos últimos anos têm

coloca quando por um mero acaso da natureza

surgido várias campanhas de apoio ao

têm um número de crias superior ao número

aleitamento materno e pressão política no

de glândulas mamárias, por exemplo no caso Av. da República nº 872, 2º andar – sala 2.6 / 4430-190 V.N.Gaia T: 966 470 355|geral@projectobebemais.com www.projectobebemais.com |projectobebemais.blogs.sapo.pt


Projecto Bebé + Temática da Saúde Enfermeira Sónia Rocha

sentido de ocorrerem mudanças na legislação

Instituições de saúde exercem por vezes um

que favoreçam esta prática.

efeito negativo porque continuam a usar práticas já há muito ultrapassadas (King, 2001).

Vários estudos internacionais mostram que É comum, no meu dia a dia, como Enfermeira 50% das crianças deixam de ser amamentadas Especialista em Saúde Materna e Conselheira no 1º ou 2º mês de vida; assim podemos em Aleitamento Materno OMS / UNICEF, ouvir certamente concluir que o retorno da mulher relatos das mães que durante o período de ao trabalho não será o factor que mais internamento

(pós-

condiciona a prevalência parto),

não

podiam

do aleitamento materno. amamentar

com

Segundo a OMS / UNICEF, intervalos inferiores a 2 um dos mais importantes / 3 horas ou que o bebé motivos para o desmame tinha que mamar 20 / 30 precoce é uma falta de minutos. informação generalizada do

conhecimento

Fisiologicamente,

da

a

fisiologia da lactação e

mulher está preparada

que a maioria das mães

para amamentar e o

não sabe, efectivamente,

bebé

que pode amamentar e

para

produzir leite suficiente

existem

para alimentar o seu filho. São

inúmeros

os da

benefícios amamentação

para

São inúmeros os benefícios da amamentação para a mulher, para saúde imediata e futura de cada criança, família e até mesmo para a sociedade e meio ambiente.

está

preparado

mamar,

não

leites

fracos

nem produção inferior às

necessidades

do

bebé, desde que o bebé seja amamentado em horário livre – sempre

a que

quiser,

durante

mulher, para saúde imediata e futura de cada quanto tempo quiser. Claro que podem surgir criança, família e até mesmo para a sociedade dificuldades físicas inerentes à mãe ou ao bebé e meio ambiente. Aos profissionais de saúde que dificultem o aleitamento, tais como compete informar e apoiar o aleitamento dificuldades na execução da técnica de materno,

no

entanto,

em

Portugal,

as amamentação

(e

consequentemente

Av. da República nº 872, 2º andar – sala 2.6 / 4430-190 V.N.Gaia T: 966 470 355|geral@projectobebemais.com www.projectobebemais.com |projectobebemais.blogs.sapo.pt


Projecto Bebé + Temática da Saúde Enfermeira Sónia Rocha

pega), bebé doente ou sonolento (por exemplo

serão mais frequentes (aos 2/3 dias, 8 dias, 15

por efeitos de medicamentos analgésicos

dias e 1 mês) e depois será provável que

administrados à mãe durante o trabalho de

mensalmente até aos 6 meses e aos 9 e 12

parto) ou outras, cabe aos profissionais de

meses se voltem a repetir. Estas etapas são

saúde ajudar e apoiar, reforçando que não

nada mais, nada menos, que as alturas em

está em causa a qualidade do leite, apenas são

normalmente a mãe decide “experimentar”

necessários alguns ajustes e

um leite artificial porque acha que o seu bebé tem fome. O que a

persistência. O bebé pode mamar 12 vezes ou mais em 24 horas, o

que

em

Não existem leites fracos nem produção inferior às necessidades do bebé!

mãe sente não deixa de

ser

verdade,

efectivamente o bebé

média nesses

dias

parece

intervalos de 2 horas, no esfomeado,

no

entanto, se o bebé faz entanto a solução, caso a mãe pretenda alguns intervalos de 3 horas ou mais, é continuar a amamentar, não é introduzir um provável que outros sejam inferiores a 2 horas, leite artificial, mas sim alimentar o bebé o que é normal e saudável. Também, no que quantas vezes for necessário e rapidamente diz respeito à duração da mamada, o bebé tanto pode mamar 3 ou 4 minutos como

tudo voltará seu ritmo normal.

mamar 1 hora ou mais, todas as mamadas vão

As glândulas mamárias, estão preparadas para

diferir entre elas, tal qual nós adultos fazemos

produzir leite por acção hormonal despoletada

várias refeições diferentes ao longo do dia.

pela estimulação quando o bebé suga, por

Também, utilizando a mesma comparação,

isso, a mama produzirá tanto mais leite quanto

todos nós temos dias em que temos mais

mais o bebé sugar. A mama não é um

forme e efectivamente ingerimos maior

reservatório, tipo biberão, que se enche e

quantidade de alimentos, assim, é normal que

esvazia, é uma glândula em constante

o bebé tenha dias em que vai querer mamar

produção enquanto o bebé mama. Portanto,

quase de hora em hora e no dia seguinte

não existe justificação fisiológica para que a

provavelmente está 4 horas ou mais sem

mãe deixe de ter leite, o mais comum é que

mamar. As suas necessidades vão reflectir o

primeiro a mãe decide ou é induzida a

seu ritmo de crescimento, e portanto, estes

introduzir um leite artificial, e assim cada dia

dias de “fome” durante o primeiro mês de vida

que passa vai dando menos vezes e menos

Av. da República nº 872, 2º andar – sala 2.6 / 4430-190 V.N.Gaia T: 966 470 355|geral@projectobebemais.com www.projectobebemais.com |projectobebemais.blogs.sapo.pt


Projecto Bebé + Temática da Saúde Enfermeira Sónia Rocha

tempo

a

mama

ao

bebé,

até

que

normalmente, 2 a 3 semanas após a

____________________________________

Tema desenvolvido por:

introdução do novo leite a mãe deixa definitivamente de amamentar, referindo posteriormente que o motivo pelo qual deixou de amamentar foi a não produção do leite. Claro que as dificuldades e dúvidas são muitas, o peso cultural também não ajuda, é necessário não esquecer que as mães da geração anterior (pais da geração que neste

Sónia Rocha | Enf. Especialista Saúde Materna e Obstetrícia |Formadora de Cursos de Preparação PréNatal Aquática |Conselheira em Aleitamento Materno OMS / UNICEF

momento se está a reproduzir) praticamente não amamentaram pela necessidade de entrar no mercado de trabalho e não existir

Blogue: projectobebemais.blogs.sapo.pt

praticamente licença de maternidade (logo, provavelmente

não

serão

bons

“conselheiros”). Assim, toda a mulher que pretenda amamentar o seu bebé deve procurar toda a informação necessária sobre a amamentação

durante

a

gravidez,

por

exemplo em cursos de preparação para o nascimento

(preferencialmente

com

formadores que sejam Conselheiros em Aleitamento Materno pela OMS / UNICEF) e após o nascimento, caso surjam dúvidas procurar aconselhamento profissional com um Conselheiro em Aleitamento Materno antes de tomar a decisão de introduzir um leite artificial. Sónia Rocha

Av. da República nº 872, 2º andar – sala 2.6 / 4430-190 V.N.Gaia T: 966 470 355|geral@projectobebemais.com www.projectobebemais.com |projectobebemais.blogs.sapo.pt

Amamentação: o leite materno é suficiente?!  

Desenvolvimento do tema do aleitamento materno; principais beneficios e questões associadas.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you