Page 1

DOURADOS MS ANO 67 Nº 13.160

R$ 2,00

O PROGRESSO ★★★★★

Pensamento e ação por uma vida melhor Pensam

Quinta-feira 8 de fevereiro de 2018

Fundador WEIMAR TORRES Diretora-Presidente ADILES DO AMARAL TORRES

Música Grupo Sampri agita Carnavall do Indaiá

Economia Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 26 segundos

Folia %HLMD)ORUID]GHVğOH sobre monstros e criadores

PÁG. B1

PÁG. A5

PÁG. B3

VICTOR CHILENO/ALMS

PRF dá início à Operação Carnaval na sexta-feira A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia amanhã a Operação Carnaval 2018, com o objetivo de proporcionar mais segurança aos usuários das rodovias federais, coibir a prática de infrações graves e reduzir os acidentes neste período. A operação vai até a Quarta-Feira de Cinzas. PÁG. A7

MS investiga 3ª morte suspeita de febre amarela

Deputado Amarildo Cruz (D) diz que um dos objetivos de seu projeto, que proíbe exploração do gás de xisto em MS, é evitar a degradação do meio ambiente

Projeto proíbe exploração de gás de xisto por 10 anos

O Estado de Mato Grosso do Sul investiga a 3º morte por suspeita de febre amarela. Trata-se de um homem de 40 anos, de Deodápolis, que morreu dia 15 com sintomas da doença. Conforme informações prestadas à Secretaria, a vítima não teria sido vacinada ao longo da vida. PÁG. D2

Petrobras arrematou o bloco da Bacia do Paraná para exploração de petróleo e gás natural em MS, em leilão em 2017. Pelo menos 17 cidades poderão ser impactadas com a atividade de exploração O deputado Amarildo Cruz (PT) apresentou um Projeto de Lei (PL) que, se aprovado e sancionado, pode suspender pelos próximos dez anos as autorizações de exploração de gás de xisto, também conhecido por gás de folhelho, em Mato Grosso do Sul, feita pelo método de per-

TSE será irredutível na aplicação da Lei da Ficha Limpa, diz ministro Fux

furação seguida de fraturamento hidráulico (fracking). Amarildo Cruz externou grande preocupação depois que a Petrobras arrematou o bloco da Bacia do Paraná para exploração de petróleo e gás natural em Mato Grosso do Sul, durante um leilão realizado pela Agência Nacio-

que sejam realizados Estudo de Impacto Ambiental (EIA), apresentação do Relatório de Impacto Ambiental (Rima) da bacia hidrográfica da região a ser explorada e o cumprimento de requisitos junto à ANP”, explicou. O bloco arrematado abranKISWQYRMG§TMSWHI»KYE

nal do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em setembro do ano passado. “Pelo menos 17 cidades de Mato Grosso do Sul poderão ser impactadas com a atividade de exploração. Nossa proposta prevê a suspensão da extração dos gás no período de dez anos, para

Clara, Anaurilândia, Angélica, Bataguassu, Batayporã, Brasilândia, Campo Grande, Deodápolis, Ivinhema, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Santa Rita do Pardo, Taquarussu e Três Lagoas. PÁG. A3

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Ministro diz que vai negar pedido contra prisão após 2ª instância PÁG. A4 Pagamento à vista do IPTU vence sábado em Dourados PÁG. D2 Prefeitura de Dourados terá tecnologia na gestão pública

Governo de MS decreta emergência em mais cinco municípios PÁG. D3

Lúcio Damália, presidente do sindicato, convoca os produtores

Coronel Geraldo Garcia Orti foi diretor do DOF de 2003 a 2007

O Sindicato Rural de Dourados realiza hoje a partir das 13h30, no Parque de Exposições, a Mesa Redonda com o tema

Morreu na noite de terça-feira no Proncor, na Capital, o coronel PM Geraldo Garcia Orti, de 61 anos. Ele ficou inter-

O tempo

Loteria

Fonte: INMET

QUINA Concurso 4601 10 - 21 - 28 - 63 - 64

HOJE 32º Máx | 19º Mín Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. Ventos: fraco/ moderados com rajadas. Umidade: máx. 85%. Umidade: mín. 45%.

PÁG. D1

Sindicato Rural discute Morre coronel Orti, tributação no agronegócio ex-comandante da PM

PÁG. A3

PÁG. D2

Celulose ultrapassa soja no ranking de exportação

LOTOFÁCIL Concurso 1622 01 - 02 - 03 - 04 - 08 - 09 - 11 - 16 17 - 18 - 20 - 22 - 23 - 24 - 25

“Tributação no Agronegócio”, com participação de especialistas em Direito Tributário, disse o presidente, Lúcio Damália. PÁG. D1

LOTERIA FEDERAL Extração 5256 1º prêmio: 52.539 2º prêmio: 47.939 3º prêmio: 68.773 4º prêmio: 37.759 5º prêmio: 57.104

350.000,00 18.000,00 15.000,00 12.000,00 10.023,00

nado durante 21 dias com um quadro de pneumonia, que provocou infecção generalizada. Ele deixa esposa e dois filhos. PÁG. D1

Taxa Selic fica abaixo de 7% ao ano pela 1ª vez na história Pela 11ª vez seguida, o Banco Central baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu ontem a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, de 7% ao ano para 6,75% ao ano. Com a redução de ontem, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano.


2

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

OpiniĂŁo

Assessoria em excesso

É

praticamente inconcebível, que mesmo com o agravamento diårio da crise econômica brasileira, o Congresso não tome nenhuma providência para cortar a própria carne e dar um exemplo para a sociedade, ao invÊs de ficar barganhando com o Palåcio do Planalto a Reforma da Previdência. Em tempos cada vez mais difíceis, o Poder Legislativo brasileiro navega como se estivesse sobre åguas mansas, na contramão da história, como foi abordado aqui em outras ocasiþes. Ao contrårio das dificuldades enfrentadas por seus eleitores, que sobrevivem praticamente a pão e ågua, os parlamentares degustam o manjar dos deuses. É o que fica evidente para quem acompanha os gastos da Câmara Federal, conforme levantamentos recentes, e que acabaram se transformando em notícias constrangedoras, como a de que o Parlamento brasileiro Ê considerado um dos mais caros do mundo. Quando todas as despesas são colocadas na ponta do låpis, chega-se a uma soma assustadora de R$ 1 bilhão por ano. Todo esse dinheiro, que Ê do povo brasileiro, Ê utilizado para pagamento de salårios, verbas extras para moradia, funcio-

nårios, aluguel de escritório, custam, em mÊdia, R$ 86 milhþes EDITORIAL telefone, veículos, combustíao contribuinte todo mês e que vel, divulgação do mandato, passagens aÊreas, acaba equivalendo a R$ 1 bilhão por ano. Esses daentre outras coisas. Plano de saúde em condiçþes dos aqui divulgados são de levantamento do Convantajosas e atÊ vitalício. gresso em Foco, com base nos valores atualizados Se detalhadas, as despesas relativas a cada de- dos benefícios dos parlamentares na Câmara. putado tornam-se estarrecedoras e no mínimo No ranking internacional do constrangimento, repugnantes, comparadas a batalha diåria de cada o Brasil ocupa a sexta colocação em salårio de cidadão comum pela sobrevivência. O salårio Ê de deputados em razão do Produto Interno BruR$ 33.763, acrescido de um auxílio-moradia de R$ to (PIB) per capita. Nesse sentido, o país perde 4.253 ou apartamento de graça para morar. AlÊm apenas as naçþes mais pobres do planeta, como disso, cada um recebe uma verNigÊria, Gana e Quênia, que liba de R$ 92 mil para contratar atÊ Cada deputado recebe deram o ranking da disparidade 25 funcionårios. Em outras Êpouma verba específica entre as despesas com parlamencas um parlamentar conseguia tares e a mÊdia da riqueza de sua para contratar desempenhar muito bem a sua população. Nesse mapeamento atÊ 25 assessores função com apenas um assessor. vergonhoso, o país tambÊm se AlÊm disso, não contavam com destaca internacionalmente pelo R$ 30.416,80 a R$ 45.240,67 por mês para gastar número de assessores pessoais por congressista, com alimentação, aluguel de veículo e escritório, como jå foi abordado inúmeras vezes por este divulgação do mandato, entre outras despesas. jornal. Nos Estados Unidos, por exemplo, cada Dois salårios no primeiro e no último mês da le- deputado pode contar com atÊ 18 auxiliares. No gislatura como ajuda de custo, ressarcimento de Chile, com 12, e na França, com 8. Jå no Brasil gastos com mÊdicos. Esses são os principais be- esse número chega a 25 assessores. O Senado nefícios de um deputado federal brasileiro, que brasileiro permite a contratação de 55 funcionåsomam de R$ 168,6 mil por mês. Juntos, os 513 rios, mas hå senadores que chegam a quase 90.

O NĂšMERO

R$ 168,86 mil. Esse ĂŠ o custo mensal de um deputado, fazendo do Congresso brasileiro um dos mais caros do mundo.

A imoralidade segue adiante. Levantamento feito recentemente pelo Congresso em Foco aponta a disparidade entre os ganhos dos parlamentares e o salårio mÊdio dos cidadãos que eles representam. Um congressista brasileiro recebe, por mês, somente de salårio, o equivalente a 35 salårios mínimos de R$ 954,00. O que tambÊm chama a atenção, Ê que nem mesmo a avalanche de denúncias de imoralidades envolvendo os três poderes, Ê suficiente para acabar com as mordomias existentes no Congresso. AlÊm do excesso de funcionårios à sua disposição para pouco trabalho apresentado, alguns parlamentares não abrem mão de outras mordomias, como passagens aÊreas para qualquer parte do País e atÊ o exterior. Tudo pago com o dineiro do contribuinte.

Que lĂ­ngua fala Deus? /8&,$1$9,&(17( 8& &

*Jornalista

M

aria ( nome fictício ) Ê uma das profissionais mais experientes da empresa onde trabalha, uma grande potência no setor das telecomunicaçþes. Todo dia, ao chegar, ela repete o mesmo gesto: entra na sala, fica parada em oração, fazendo o sinal da cruz na testa por cerca de um minuto. Mesmo que todos olhem para ela, não importa. Ela só começa suas atividades depois de cumprir esse ritual. É a forma de diålogo que encontrou para pedir proteção.

Afinal, se estå dando certo hå quarenta anos, desde que entrou para o mercado profissional, deve ser um sinal de que Deus a estå ouvindo. E você duvida disso? Muita gente fica pensando qual o melhor jeito para ser ouvido por Deus. Que linguagem utilizar? Que tipo de oração fazer? Serå que Ê preciso ajoelhar? Serå que Ê necessårio usar o latim, como era comum na igreja católica atÊ pouco tempo atrås? (isso Ê um fato, não Ê uma crítica) Pense comigo: se Deus Ê o criador do universo, tambÊm foi Ele que possibilitou ao homem a criação dos idiomas, das linguagens e dos pensamentos. Logo, não hå nada que Ele não conheça. Ele sabe o significado de tudo. Ele conhece todos os recursos linguísticos, todos os gestos, a qualidade de todos os pensamentos. Portanto, Ele sempre vai nos ouvir. Nós podemos

nĂŁo ouvi-Lo em resposta, por por sons articulados na conconta das nossas limitaçþes. ceituação verbal, mas, invaNĂŁo posso falar por vocĂŞ, mas riavelmente, ĂŠ prodigioso me usando como exemplo, sei poder espiritual comunicanque ĂŠ infinitamente maior o do emoçþes e pensamentos, que nĂŁo sei do mundo, do que imagens e ideias, desfazendo aquilo que sei. AliĂĄs, quanto empecilhos, limpando estramais eu aprendo, mais refor- das, reformando concepçþes ço em mim que hĂĄ muito a e melhorando o quadro mental em que nos cabe cumprir aprender. EntĂŁo, se vocĂŞ quiser uma a tarefa a que o Pai nos convoca.â€? resposta obje“A oração ĂŠ Se eventutiva sobre coalmente vocĂŞ mo falar com divina voz do se achar numa Deus, eu lhe espĂ­rito no missĂŁo mais digo: seja singrande silĂŞncioâ€? pesada do que cero. Seja hopode suportar, nesto ao pedir, mesmo que por pensamento, nĂŁo perca tempo: ore. Peça proteção, direcionamento, que Deus lhe ilumine, lhe amforça para suportar os desa- pare. Peça para que as respostas que vocĂŞ precisa obter pafios da vida. No livro “Vinha de Luzâ€?, Em- ra seguir em frente cheguem manuel, atravĂŠs da psicogra- da maneira que tiverem que fia de Chico Xavier, escreve no chegar. Seja pela palavra de um amigo ou parente. Seja texto “A prece recompĂľeâ€?: “A oração ĂŠ divina voz do es- por um filme que vocĂŞ assiste, por uma mĂşsica que toca pĂ­rito no grande silĂŞncioâ€?. Nem sempre se caracteriza no rĂĄdio. Porque ĂŠ assim que a

voz de Deus chega aos nossos ouvidos. Nos fixamos tanto na nossa própria linguagem, que perdemos o equilíbrio quando não conseguimos compreender o que vida estå nos dizendo. Se oramos, esperamos respostas, mas só enxergamos o óbvio, perdemos o foco e achamos que Deus não nos ouve, não nos ama e não nos ajuda em nada. Se você estiver nesse momento, fuja da revolta interior. Volte a conversar com Ele da força mais pura que você puder. Se você demonstrar que, embora ainda muito imperfeito, estå mesmo tentando melhorar. Se for capaz de ver no obståculo um aprendizado, seu pedido jå estarå automaticamente sendo respondido. Deus nos fala o tempo todo na beleza da natureza, nos nãos e nos sins que surgem em nossos caminhos. Não Ê porque não conseguimos tudo o que tínhamos em mente, que Ele

nĂŁo quer o nosso bem. SĂł Ele tem a dimensĂŁo exata daquilo que nĂłs precisamos. Se conseguimos aceitar isso, vamos ver que sim, somos fortes para suportar o fardo que temos de carregar. Os desafios impostos pela vida, sejam eles quais forem. E pra concluir, eu conto com a ajuda sempre bem-vinda de Joanna de Ă‚ngelis, atravĂŠs da psicografia de Divaldo Franco. No texto, Terapia da Oração, ela resume todo o artigo: “Envolvendo-se nas irradiaçþes da oração a que se entregue, lograrĂĄ o ser enriquecer-se de saĂşde, de alegria e paz, porquanto a oração ĂŠ o interfone poderoso pelo qual ele fala a Deus, e por cujo meio, inspirado e pacificado, recebe a resposta do Pai.â€? Que assim seja! www.vozesespiritas.com.br

Os riscos da atual alienação social e política &(/6275$&&2

*Economista e escritor

É

nosso dever, como cidadãos, trabalhar para a construção de uma sociedade mais humana, promovendo a justiça, a paz, a solidariedade, o fortalecimento dos mais fracos e diminuin-

do as desigualdades sociais. Mas, ainda vemos graves injustiças, opressþes que sufocam a liberdade e impedem milhþes de pessoas de terem uma vivência mais equitativa e mais fraterna. É certo que muita coisa mudou. É notåvel identificar milhares de pessoas se movimentando, por meio de ONGs, associaçþes e institutos, trabalhando em prol do desenvolvimento sustentåvel, mais humano e igualitårio. PorÊm, igualmente Ê certo que isso ainda parece ser ocorrer de modo esporådico, de uns poucos, que querem se dedicar a uma causa. Essas açþes deveriam ser de todos

nĂłs; uma atitude de vida! vemos? NĂŁo que essas atitudes fosApesar dos avanços, a falta sem suficientes para a neces- de participação comunitĂĄria sĂĄria transformação de nossa impede o cidadĂŁo de desfrutar sociedade. Lamentavelmen- seus direitos fundamentais. E te, nĂŁo sĂŁo. Uma sociedade qual a nossa responsabilidacomo a nossa, politicamente de sobre isso? SerĂĄ que nĂŁo estruturada como uma de- estamos criando em nossas mocracia representativa, sĂł escolas, faculdades, emprese transforma sas, grupos de O fato ĂŠ que hoje por força dessa discussĂŁo, uma mesma sociementalidade estamos voltados dade. profundamenpara a prĂĄtica do Apenas os te utilitarista? individualismo agentes pĂşbliQue deve viver cos, democraapenas para ticamente eleitos pelo povo ganhar, acumular, empreenpodem, e devem, tomar me- der em benefĂ­cio prĂłprio e dedidas que irĂŁo ao encontro pois, se sobrar algo, doar ou das legitimas aspiraçþes do distribuir? Prevalecendo a culpovo. Sob este aspecto, o que tura do “primeiro euâ€? e depois,

talvez, o bem comum. Serå que a nossa sociedade não mudaria para melhor se testemunhos de justiça, fraternidade, caridade, amor ao próximo, ajuda aos necessitados fossem priorizados em lugar da ambição, poder, ganância, acúmulo e egoísmo? Serå que as empresas não ganhariam mais, e não teriam resultados mais sustentåveis, se participassem socialmente, por meio de açþes concretas de melhorias para o ser humano e para o meio-ambiente? O fato Ê que hoje estamos voltados para a pråtica do individualismo, com uma grande alienação social - eu ape-

nas vivo, porÊm não pertenço a nada – o importante Ê ter e não ser. Cada um que cuide de si. Estamos a caminho de um caos social. A transformação deve ser um trabalho de todos. Afinal, uma sociedade Ê apenas o reflexo dos seus membros e os governantes (igualmente um reflexo) desta sociedade. Celso Luiz Tracco Ê economista e escritor, autor do livro Às Margens do Ipiranga - a esperança em sobreviver numa sociedade desigual.

katherine@mla.com.br

EXPEDIENTE O PROGRESSO: O MAIS ANTIGO DO ESTADO E DE MAIOR CIRCULAĂ‡ĂƒO EM TODO O INTERIOR Este jornal expressa sua opiniĂŁo pelo Editorial. As demais opiniĂľes sĂŁo de responsabilidade de seus autores. “O PROGRESSOâ€? Registrado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) sob o nÂş 812285964

Diretora-presidente ADILES DO AMARAL TORRES Diretora-superintendente BLANCHE TORRES Diretora Executiva JUNE ANGELA TORRES Editor-chefe VANDER VERĂƒO Fundador (1951-1969) WEIMAR TORRES Ex-diretor (1969-1985) VLADEMIRO DO AMARAL

(',725$-251$/2352*5(662/7'$

CGC 03.356.425/0001-26 Departamento Comercial, Administração, Redação e Parque Gråfico Av. Presidente Vargas, 447 CEP 79804-030 Dourados-MS. Telefones Redação (0xx) 67-3416-2627/2609 Depto. Comercial (0xx) 67-3416-2600 Serviço de Atendimento ao Assinante (0xx) 67-3416-2666 - 3416-2670 Fax: (0xx) 67-3421-1911 +20(3$*(www.progresso.com.br (0$,/progresso@progresso.com.br

oprogresso.jornal

@JORNALOPROGRESSO

ESPORTE/POLĂ?CIA Luiz Radai esporte@progresso.com.br policia@progresso.com.br DIA-A-DIA Maria Lucia Tolouei marialucia@progresso.com.br CADERNO B/DMAIS Hakeito Almeida hakeito@progresso.com.br

(VWHMRUQDOpÂżOLDGRj

CIDADES Departamento Regional cidades@progresso.com.br

$66,1$785$6

DOURADOS, INTERIOR E CAMPO GRANDE

COLUNA SOCIAL/ANĂšNCIOS Angela Santa Cruz comercial@progresso.com.br

$QXDO  R$ 240 6HPHVWUDO R$ 150 7ULPHVWUDO R$ 100 %LPHVWUDO R$ 70 0HQVDO R$ 45

CLASSIFICADOS Gleison Costa classificados@progresso.com.br

Pensamento e ação por uma vida melhor

VENDA AVULSA 'RXUDGRV,QWHULRU H&DPSR*UDQGHR$ 2 NĂšMEROS ATRASADOS 'RDQRR$ 2 'RDQRDQWHULRU R$ 4


3

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

PolĂ­tica

Projeto proíbe exploração de gås de xisto por 10 anos em MS Petrobras arrematou o bloco da Bacia do Paranå para exploração de petróleo e gås natural em MS, em setembro de 2017. Pelo menos 17 cidades poderão ser impactadas com a atividade de exploração Fernanda Kintschner*, Agência ALMS De Campo Grande Com o objetivo de prevenção de danos ambientais e garantir o desenvolvimento sustentåvel, o deputado Amarildo Cruz (PT) apresentou um Projeto de Lei (PL) que, se aprovado e sancionado, pode suspender pelos próximos dez anos as autorizaçþes de exploração de gås de xisto, tambÊm conhecido por gås de folhelho, feita pelo mÊtodo de perfuração seguida de fraturamento hidråulico (fracking). A proposta lida durante a sessão de ontem (7), na Assembleia Legislativa de Mato

O projeto segue para anĂĄlise da ComissĂŁo de Constitutição, Justiça e Redação para ser apreciado por todos os deputados Grosso do Sul, determina que fiquem suspensos por esse perĂ­odo os “procedimentos para a expedição de licenciamento ou autorização ambiental pelo ĂłrgĂŁo de controle aos detentores de direitos de exploração e produção de petrĂłleo e gĂĄs natural que executarĂŁo a tĂŠcnica de perfuração seguida de fraturamento hidrĂĄulico em reservatĂłrio nĂŁo convencional para empreendimentos, atividades ou obras de exploração de gĂĄs xistoâ€?. Segundo justificativa do deputado Amarildo Cruz, ĂŠ notĂłria a importância da fonte energĂŠtica para indĂşstria, mas “como ĂŠ sabido, nĂŁo podemos obter o pleno desenvolvimento

econĂ´mico se nĂŁo for sustentĂĄvel, de modo a nĂŁo degradar o meio ambientar ou buscar, ao mĂĄximo, evitar sua degradação, preservando os recursos naturais para as geraçþes futurasâ€?. O deputado tambĂŠm diz que a primeira etapa para alcançar isso ĂŠ reconhecer que os recursos naturais sĂŁo finitos e que ĂŠ preciso usar os bens naturais “com critĂŠrio e planejamentoâ€?. O PL ainda trata que findado o prazo de suspensĂŁo torna-se obrigatĂłrio para a exploração que se cumpra os requisitos determinados pela AgĂŞncia Nacional de PetrĂłleo, GĂĄs Natural e BiocombustĂ­veis (ANP) e se apresente Estudo de Impacto Ambeintal, RelatĂłrio de Impacto Ambiental da bacia da regiĂŁo explorada, estudo hidrolĂłgico das ĂĄguas em um raio de dez quilĂ´metros, realize audiĂŞncia pĂşblica em cada municĂ­pio afetado pela exploração, alĂŠm de estudo de impacto econĂ´mico e social, o monitoramento dos poços, aprovação do Conselho Estadual de Controle Ambiental e comprovação de que a atividade ocorrerĂĄ sem prejuĂ­zo ao meio ambiente e Ă saĂşde humana. A tĂŠcnica de fraturamento, segundo o projeto, ĂŠ de grande preocupação para ambientalistas, pois usa diversos produtos quĂ­micos bombeados em alta pressĂŁo na vertical para perfurar o solo junto a uma mistura de areia e que pode contaminar solo, lençol freĂĄtico e atmosfera. O projeto agora segue para anĂĄlise da ComissĂŁo de Constitutição, Justiça e Redação

VICTOR CHILENO/ALMS

Amarildo diz que objetivo Ê evitar a degradação do meio ambiente (CCJR) da Casa de Leis, para então ser apreciado em plenårio por todos os deputados. Preocupação Amarildo Cruz externou grande preocupação depois que a Petrobras arrematou o bloco da Bacia do Paranå para exploração de petróleo e gås natural em Mato Grosso do Sul, durante um leilão realizado pela Agência Nacional do Petróleo,

GĂĄs Natural e BiocombustĂ­veis (ANP), em setembro do ano passado. “Pelo menos 17 cidades de Mato Grosso do Sul poderĂŁo ser impactadas com a atividade de exploração. Nossa proposta prevĂŞ a suspensĂŁo da extração dos gĂĄs no perĂ­odo de dez anos, para que sejam realizados Estudo de Impacto Ambiental (EIA), apresentação do RelatĂłrio de Impacto Ambiental (Rima) da

bacia hidrogrĂĄfica da regiĂŁo a ser explorada e o cumprimento de requisitos junto Ă ANPâ€?, explicou. O bloco arrematado abrange SWQYRMG§TMSWHIÂťKYE'PEVE Anaurilândia, AngĂŠlica, Bataguassu, BatayporĂŁ, Brasilândia, Campo Grande, DeodĂĄpolis, Ivinhema, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Ribas do Rio Pardo, Rio Brilhante, Santa Rita do Pardo, Taquarussu e TrĂŞs Lagoas. â€œĂ‰ inegĂĄvel a importância do gĂĄs de xisto no desenvolvimento econĂ´mico do PaĂ­s e do nosso Estado. No entanto, nĂŁo podemos obter o pleno desenvolvimento econĂ´mico se nĂŁo pensarmos mecanismos eficazes que evitem a degradação do meio ambiente. Desenvolvimento sustentĂĄvel significa atender Ă s necessidades da atual geração, sem comprometer a capacidade das futuras geraçþes em prover suas prĂłprias demandasâ€?, pontuou o deputado. Amarildo Cruz frisou ainda que o desenvolvimento nĂŁo deve esgotar os recursos naturais, mas sim, conciliar o crescimento econĂ´mico e a preservação da natureza. “A primeira etapa para conquistar o desenvolvimento sustentĂĄvel ĂŠ reconhecer que os recursos naturais sĂŁo finitos. Usar os bens naturais, com critĂŠrio e planejamento. A partir daĂ­, traçar um novo modelo de desenvolvimento econĂ´mico para a humanidadeâ€?, finalizou. (*Com informaçþes do gabinete do deputado Amarildo Cruz).

CURTAS Obstrução (1)

Na primeira sessão plenåria da Câmara após o recesso, na terça-feira (6), a oposição conseguiu obstruir os trabalhos e impedir a votação da Medida Provisória 800/2017, que estabelece as diretrizes para a reprogramação de investimentos em concessþes rodoviårias federais. A estratÊgia da oposição consiste em impedir os trabalhos para evitar a votação da reforma da Previdência, programada para o dia 20, segundo a Agência Estado.

Obstrução (2)

A Câmara retomou os trabalhos na semana que antecede o carnaval com a expectativa de votar, alÊm da MP 800/2017, a MP 801/2017, que favorece Estados com planos de recuperação fiscal homologados pelo MinistÊrio da Fazenda. As duas MPs vencem no fim do mês e precisam ser aprovadas na Câmara e no Senado.

Obstrução (3)

Como não houve quórum suficiente para votar as medidas na terça, os temas devem retornar à pauta depois do carnaval. Os deputados retornam no dia 19, início da fase de debates da proposta de reforma da Previdência.

FNSP (1)

No primeiro dia de votaçþes de 2018 o Senado decidiu pela urgência da PEC 118/2011, relatada pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), que proíbe o contingenciamento de verbas do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). A matÊria passou pela primeira sessão de discussão no Plenårio, e ganharå um calendårio especial que permitirå menos etapas antes da aprovação final.

FNSP (2) BETO BARATA/PR

TSE serĂĄ irredutĂ­vel na aplicação da Lei da Ficha Limpa, diz Fux O Tribunal pretende combater a difusĂŁo de notĂ­cias falsas na campanha AndrĂŠ Richter, AgĂŞncia Brasil De BrasĂ­lia O novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, disse na noite de terça-feira (6) que a Justiça Eleitoral serĂĄ irredutĂ­vel na aplicação da Lei da Ficha Limpa, norma sancionada em 2010 e que impede a candidatura de condenados pela segunda instância da Justiça. Durante seu discurso de posse, Fux tambĂŠm afirmou que o TSE pretende combater a difusĂŁo de notĂ­cias falsas, as chamadas fake news durante a campanha eleitoral. “A estrita observância da Lei da Ficha Limpa nas eleiçþes de 2018 se apresenta como pilar fundante na atuação do TSE. A

Justiça Eleitoral, como mediadora do processo polĂ­tico sadio, serĂĄ irredutĂ­vel na aplicação da Ficha Limpaâ€?, disse o ministro. Sobre a difusĂŁo de notĂ­cias falsas, o novo presidente do TSE disse que a campanha polĂ­tica nĂŁo pode ser baseada na destruição da honra dos concorrentes por meio das redes sociais. Para Fux, nĂŁo se trata de impedir a manifestação livre de expressĂŁo, mas de neutralizar comportamentos abusivos no perĂ­odo eleitoral. O presidente da Corte Eleitoral tambĂŠm anunciou que o combate a notĂ­cias inverĂ­dicas serĂĄ feito com ajuda da imprensa e de uma força-tarefa formada por agĂŞncias de inteligĂŞncia brasileiras, PolĂ­cia Federal, das Forças Armadas e de empresas de internet. “NotĂ­cias falsas, as fake news, derretem candidaturas legĂ­timas. A campanha limpa se faz

com a divulgação de virtudes de um candidato sobre o outro, e nĂŁo com a difusĂŁo de atributos negativos pessoais que atingem irresponsavelmente uma candidaturaâ€?, afirmou. PGR Durante a cerimĂ´nia de posse de Fux, a procuradora-geral da RepĂşblica, Raquel Dodge, afirmou que o MinistĂŠrio PĂşblico Eleitoral (MPE) estarĂĄ a postos para garantir a lisura nas eleiçþes de outubro. “A Justiça Eleitoral terĂĄ em cada promotor e em cada procurador designado para atuar nas eleiçþes de 2018 um fiscal atento Ă s regras e aos limites assentados na legislação. Aqui no TSE, mas tambĂŠm nos estados e municĂ­pios, o MP estĂĄ preparado para combater fraudes eleitorais, verificar o respeito a Lei da Ficha Limpa, que surgiu de iniciativa popular, e defender

FNSP (3)

Ministro Luiz Fux tomou posse durante solenidade na terça-feira o sufrågio universal�, disse Raquel Dodge. Currículo Fux sucederå o ministro Gilmar Mendes no cargo. A vice-presidência da Corte Eleitoral serå ocupada pela ministra Rosa Weber, que presidirå o tribunal nas eleiçþes de outubro. Isso porque no dia 15 de agosto, Fux completarå dois biênios como ministro no TSE e deverå deixar o tribunal. Luiz Fux nasceu no Rio de Ja-

neiro e formou-se em direito na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Ele foi o primeiro ministro do STF indicado pela ex-presidente Dilma Rousseff. O TSE Ê composto por sete ministros. A presidência Ê ocupada por ordem de antiguidade entre os três ministros do STF que tambÊm compþem o tribunal eleitoral. Dois ministros oriundos do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e dois membros da advocacia completam a composição do TSE.

Carlos Marun conďŹ rma votação da reforma da PrevidĂŞncia atĂŠ dia 28 As discussĂľes em plenĂĄrio continuam agendadas para o dia 19 Marcelo BrandĂŁo, AgĂŞncia Brasil De BrasĂ­lia O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, confirmou ontem (7) a estimativa apresentada pelo lĂ­der do governo na Câmara dos Deputados, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), de votar a reforma da PrevidĂŞncia atĂŠ o dia 28 deste mĂŞs. Segundo o ministro, as discussĂľes em plenĂĄrio continuam agendadas para o dia 19, mas a votação de-

ve demorar mais. Marun explicou que, no dia 19, começa a discussĂŁo. “Inicia-se um processo de discussĂŁo e votação. A discussĂŁo pode se estender mais que o inicialmente previsto. Temos a data de inĂ­cio e a data limite para o encerramento, que seria o dia 28 de fevereiro, como bem adiantou o lĂ­der Aguinaldoâ€?, disse o ministro, em entrevista coletiva no PalĂĄcio do Planalto. Mesmo apĂłs o inĂ­cio dos debates no plenĂĄrio, Marun sinaliza que o governo continuarĂĄ negociando mudanças no texto para atrair mais votos. Segundo o prĂłprio ministro, as mu-

danças no texto da reforma podem ocorrer atĂŠ 28 de fevereiro, Ă s 16h. “A verdade ĂŠ essa. AtĂŠ o momento em que entrar em votação o texto final, pode ser incorporada ao texto alguma das emendas jĂĄ apresentadas, na forma de emenda aglutinativaâ€?. Dentre as mudanças sinalizadas por Marun, estĂĄ uma regra de transição para servidores pĂşblicos ingressos atĂŠ 2003, alĂŠm de mudanças no limite para acĂşmulo de aposentadoria e pensĂľes, da equiparação, em termos previdenciĂĄrios, de policiais e agentes penitenciĂĄrios. “TrĂŞs exemplos que me vĂŞm agora ao pensamento e que se

Aprovada em novembro pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), a PEC serå votada em primeiro turno logo após o Carnaval, no dia 20. Por se tratar de uma proposta de emenda constitucional, ela precisa ser aprovada em dois turnos, com pelo menos 54 votos. Se aprovada, seguirå para a Câmara dos Deputados.

tiverem um apoio parlamentar consistente poderão, sim, ser incorporadas ao texto. O governo não se opþe a eventuais negociaçþes em torno desses temas�. Em relação ao texto da reforma que foi aprovado na comissão especial no ano passado, a nova emenda retira qualquer menção ao benefício de prestação continuada (BPC) e exclui as mudanças relativas aos trabalhadores rurais. Como o relator da reforma na Câmara, Arthur Maia (PPS-BA), jå havia informado na terça-feira (6), o novo texto tambÊm garante aos viúvos de policiais civis, federais e rodoviårios federais mortos em

serviço o direito de receber pensão integral. A corrida por votos continua. Segundo Marun, o recesso parlamentar melhorou o placar em prol da reforma. O governo continua contando 40 votos para chegar aos 308 necessårios à aprovação da proposta. No entanto, o objetivo do governo Ê alcançar o número de 330 parlamentares favoråveis, superando a maioria de 308 deputados, o que equivale a dois terços dos 513 integrantes da Câmara. O quórum qualificado para aprovar a proposta Ê previsto no Regimento Interno da Casa por se tratar de emenda à Constituição.

A relatora da PEC, senadora Simone Tebet defende a medida, pois os estados dependem do FNSP para equiparem as suas polícias e prestarem efetivamente os serviços HIWIKYVERÀET¼FPMGEl3 Fundo Nacional de Segurança Pública teve um contingenciamento de quase 50% no ano passado. Foram quase R$ 2 bilhþes que deixaram de ser destinados aos estados para a compra de viaturas, fardamento e atÊ de combustível�, criticou a senadora Simone Tebet.

COLONO - Cumpådri, istão querendu explorå gåis de xistu em nosso estadu... ZÉ PINGA - ... ic, ic, ic... Ê, se issu não acontecê, o meiu ambienti vai agradecê... ic, ic, ic...


4

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

PolĂ­tica

C Ministro diz que vai negar pedido contra prisão após 2ª instância Marco AurÊlio de Mello, do Supremo Tribunal Federal, alega que vai esperar que plenårio da Corte tome decisão final sobre o tema CARLOS MOURA – SCO/STF

INFORME C CĂ?CERO FARIA cicerolfaria@gmail.com

Os primeiros a se manifestar pela reforma

Os deputados federais Geraldo Resende (PSDB) e Tereza &ULVWLQD '(0 FRQÄ&#x;UPDUDPDSRLRÂżUHIRUPDGD3UHYLdĂŞncia. Dessa forma, sĂŁo trĂŞs parlamentares que declararam voto favorĂĄvel, trĂŞs contrĂĄrios e dois indecisos sobre projeto que serĂĄ votado a partir de 19 de fevereiro. SĂŁo precisos 308 votos para aprovação, mas governo tem hoje 270. “Minha decisĂŁo ĂŠ votar favorĂĄvel a reforma que corta privilĂŠgios e prepara para o futuroâ€?, pontuou Geraldo Resende, ao Campo Grande News, enquanto busca detalhes sobre o texto alterado para garantir votos prĂł-governo. Votam contra a reforma, Dagoberto Nogueira (PDT), Vander Loubet (PT) e o Zeca do PT. EstĂŁo indecisos, os deputados Elizeu Dionizio (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM). Carlos Marun serĂĄ exonerado como ministro – desalojando o suplente FĂĄbio trad (PSD), vota pela reforma HUHWRUQDÂż6HFUHWDULDGH*RYHUQRGH7HPHU RECADO DADO O ministro Luiz Fux, novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, depois de tomar posse na noite de terça feira, foi enfĂĄtico aos jornalistas: “A jurisprudĂŞncia em relação Ă Lei da Ficha Limpa hoje ĂŠ absolutamente inquestionĂĄvel, consagrada a sua constitucionalidade pelo STF, nĂłs cumpriremos Ä&#x;HOPHQWHDTXLORTXHGLVSøH a Lei da Ficha Limpa sem DGPLVVĂ‚RGHLQWHUSUHWDĂ?øHV que acabam enfraquecendo esse instrumento popular de controle de qualidade do meio polĂ­ticoâ€?. EM DOURADOS O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) desembarca hoje Ă  tarde em Dourados. Tem compromisso com produtores rurais aos quais farĂĄ uma palestra no Sindicato Rural. Essa ĂŠ sua Ăşnica agenda pĂşblica nesta quinta feira. AmanhĂŁ, o contato do prĂŠ-candidato a presente da RepĂşblica serĂĄ com os empresĂĄrios no auditĂłrio da Aced.

Ministro Marco AurÊlio de Mello Ê o relator das açþes que versam sobre o tema no STF Julia Lindner e Amanda Pupo, Agência Estado De Brasília O ministro Marco AurÊlio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou ontem (7), que vai negar pedido para proibir provisoriamente a prisão após co2ndenação em

A petição foi apresentada pelo advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay segunda instância atÊ que o plenårio da Corte tome uma decisão final sobre o tema. A petição foi apresentada pelo advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que Ê advogado de diversos políticos investigados na Operação Lava

Jato, como o lĂ­der do governo no Senado, Romero JucĂĄ (MDB-RR), e o ex-presidente JosĂŠ Sarney. “NĂŁo posso (ir contra o plenĂĄrio). Isso jĂĄ passou pelo crivo do plenĂĄrio. Por melhor que seja a intençãoâ€?, disse Marco AurĂŠlio na tarde de ontem. Ele ĂŠ relator das açþes que versam sobre o tema no STF. Segundo o ministro, o atual entendimento do STF, de 2016, prevĂŞ a possibilidade da execução antecipada da pena e nĂŁo seria adequado tomar uma decisĂŁo monocrĂĄtica no sentido contrĂĄrio. Na ĂŠpoca do julgamento, hĂĄ dois anos, Marco AurĂŠlio se posicionou contra a prisĂŁo apĂłs segunda instância, mas foi voto vencido. “JĂĄ houve o indeferimento

pelo plenĂĄrio da Corte e nĂŁo posso enfrentar e simplesmente suplantar a decisĂŁo da maioriaâ€?. Ele destacou que liberou o processo em dezembro e agora cabe Ă presidente do Supremo, ministra CĂĄrmen LĂşcia, marcar a data da votação no plenĂĄrio. Em nota, Kakay disse que a postura de Marco AurĂŠlio foi “corretaâ€? por respeito ao colegiado. “Se o colegiado jĂĄ definiu a liminar, ĂŠ normal que o relator espere entĂŁo o julgamento do mĂŠritoâ€?, escreveu o advogado. Ele afirmou, no entanto, que entrou com o pedido para tentar pacificar o tema atĂŠ o julgamento do mĂŠrito, pois o assunto divide opiniĂľes e gera insegurança jurĂ­dica no PaĂ­s. O jurista tambĂŠm destacou que o seu pedido nĂŁo tem

Moro diz que recibos de aluguel de Lula nĂŁo sĂŁo ‘materialmente falsos’ Moro diz que adentrar a TXHVWĂ‚RVLJQLÄ&#x;FDULD “violação do contraditĂłrioâ€? Luiz Vassallo, Julia Aonso e Ricardo Brandt, AgĂŞncia Estado De SĂŁo Paulo O juiz federal SĂŠrgio Moro decidiu que os recibos entregues pelo ex-presidente Luiz InĂĄcio Lula da Silva para comprovar aluguel de apartamento em SĂŁo Bernardo do Campo (SP), alvo da Operação Lava Jato, nĂŁo sĂŁo falsos. O magistrado, no entanto, afirma que sĂł vai avaliar se os comprovantes de aluguel do apartamento sĂŁo ideologicamente falsos na sentença da ação penal em que o ex-presidente ĂŠ rĂŠu por supostas propinas da Odebrecht. “Portanto, o incidente deve ser julgado improcedente quanto Ă falsidade material dos recibos e, quanto Ă  falsidade ideolĂłgica, a resolução da questĂŁo deve ser postergada para a sentença na ação

penalâ€?, anotou. Moro explica, em decisĂŁo, que “no falso material, a falsidade ĂŠ objetiva, como uma assinatura falsificada ou um trecho inserido ou suprimido fraudulentamente de um documentoâ€?. “Normalmente, o falso material ĂŠ provado atravĂŠs da prova tĂŠcnica, pericialâ€?. O magistrado explica que, por outro lado, “no falso ideolĂłgico, o documento ĂŠ materialmente verdadeiro, mas o nele contido nĂŁo corresponde Ă realidadeâ€?. “Assim, por exemplo, uma declaração de fato que nĂŁo ocorreu. Normalmente, o falso ideolĂłgico nĂŁo ĂŠ aferĂ­vel atravĂŠs de prova tĂŠcnica, pericialâ€?. O juiz sustenta que, se julgasse a falsidade ideolĂłgica dos documentos, estaria avançando no mĂŠrito da ação penal - aonde decidirĂĄ se, de fato, Lula recebeu propinas da Odebrecht e, portanto, nĂŁo pagou pelos imĂłveis. De acordo com o magistrado, adentrar a questĂŁo significaria “violação do contraditĂłrioâ€?.

â€œĂ‰ inviĂĄvel resolver essas questĂľes no incidente sem aprofundar na valoração de provas e na apreciação do mĂŠrito da ação penal e isso sĂł ĂŠ possĂ­vel fazer na sentença da prĂłpria ação penal, apĂłs a finalização da instrução dela, inclusive com as alegaçþes finais das partesâ€?, anotou. Segundo Moro, neste caso, “a prova tĂŠcnica, pericial, mostra-se inĂştilâ€?. “No mĂĄximo, ela poderia confirmar que parte dos recibos foi assinada extemporaneamente, mas isso nĂŁo levaria Ă conclusĂŁo necessĂĄria de que os aluguĂŠis nĂŁo foram pagosâ€?. “JĂĄ quanto Ă  suposta falsidade ideolĂłgica dos recibos, depende a questĂŁo da resolução de vĂĄrias questĂľes de fatos na ação penal, se dinheiro da Odebrecht de fato custeou a aquisição do apartamento, se Glaucos da Costamarques foi ou nĂŁo utilizado como pessoa interposta e quem falta com a verdade acerca do pagamento ou nĂŁo dos aluguĂŠis, Glaucos da Costamarques ou

relação com o caso do ex-presidente Luiz InĂĄcio Lula da Silva, condenado pelo Tribunal Regional da 4ÂŞ RegiĂŁo (TRF-4) em janeiro deste ano. O petista foi condenado a 12 anos e 1 mĂŞs de prisĂŁo. “Eu entendo que esse julgamento nĂŁo tem nenhuma relação com o caso Lula. PoderĂĄ ser utilizado, dependendo da decisĂŁo que o PlenĂĄrio do Supremo tiver, mas nĂŁo tem nenhuma relação. NĂłs entramos com essa ação muito antes do processo do Lula. Esse ĂŠ um entendimento que atende e interessa, como eu tenho dito, a milhares e milhares de pessoas sem rosto, sem voz, e, muitas vezes, sem advogado. Mas eu entendo a postura do Ministro, ĂŠ uma postura de respeito ao colegiadoâ€?, afirmou Kakay.

o ex-Presidente Luiz Inåcio Lula da Silva?�, escreveu. Denúncia O imóvel, vizinho à residência do ex-presidente, no condomínio Hill House, em São Bernardo, Ê visto pela força-tarefa da Lava Jato como suposta propina de R$ 504 mil da Odebrecht ao petista. Na mesma ação penal, Lula responde tambÊm por outros R$ 12 milhþes referentes a um terreno em São Paulo aonde supostamente seria sediado o Instituto Lula. Segundo os procuradores, Lula não pagou aluguel do apartamento atÊ o ano de 2015. O MinistÊrio Público Federal sustenta que o engenheiro Glaucos da Costamarques, titular do imóvel, serviu de laranja do petista na transação, supostamente custeada pela Odebrecht. O ex-presidente apresentou ao juiz federal SÊrgio Moro recibos de pagamento do apartamento. Dois comprovantes apresentam datas que não existem no calendårio. Parte dos documentos ainda apresenta os mesmos erros de ortografia. Sobre estes papÊis, foi aberta a investigação de suspeita de falsidade.

LUTO Ex-comandante-geral da Polícia Militar e assessor do Tribunal de Justiça do Estado, o coronel Geraldo Garcia Orti morreu na madrugada de ontem aos 61 anos. Ele estava internado hå 21 dias no CTI do Hospital Proncor, em Campo Grande, por conta de pneumonia, e respirava por aparelhos. Orti era natural de Bela Vista e coronel desde 2000. Neste ano, completaria 40 anos de corporação. Em 2007, assumiu o

Comando-Geral da PM, cargo que ocupou atĂŠ 2009. O velĂłrio foi realizado no PalĂĄcio Maçônico do Grande Oriente Brasil (GOB), na Capital. CARA NOVA A sede da Grande FM (92,1) foi pintada, depois de dĂŠcadas de exibir apenas o velho reboco tomado de nomes e apelidos de pessoas. O fundador da emissora, Antonio Tonanni nunca que dar “uma geralâ€? no prĂŠdio apesar das tentativas de convence-lo da necessidade da reforma. Era uma das suas excentricidades. Mas a direção da 92,1 decidiu de dar uma cara nova ao prĂŠdio, por isso entrou o graÄ&#x;DWRFLQ]D1XPDSDUHGHEHP na entrada, um grande painel com a logomarca da rĂĄdio. Mas a memĂłria de Tonanni nĂŁo foi esquecida: foram deixados trĂŞs retângulos nas paredes, recortados por tijolos, com o reboco onde estĂŁo os rabicos originais. RECEITA Numa roda de deputados e senadores tucanos, em uma galeteria de BrasĂ­lia, o governador Geraldo Alckmin (SP) entrou pela madrugada traçando cenĂĄrios positivos da sua campanha com Lula fora do pĂĄreo. Instado pelo deputado Caio NĂĄrcio (PSDB-MG) a falar “um pouquinhoâ€? do cenĂĄrio para o PSDB ganhar a eleição, Alckmin deu sua receita: ter juĂ­zo, manter o partido unido, costurar uma boa aliança, nĂŁo se estressar com pesquisas nesse momento, reunir os melhores quadros para fazer um grande projeto de desenvolvimento e de recuperação econĂ´mica, ter bons palanques em todos os Estados “e pĂŠ na estrada, viajar do Monte CaboraĂ­ ao ChuĂ­â€?.

BATE REBATE O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, SepĂşlveda Pertence passarĂĄ a integrar a defesa do ex-presidente Lula, para atuar nos recursos aos tribunais superiores. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, reiterou que o prazo limite para aprovação da reforma da PrevidĂŞncia ĂŠ este mĂŞs de fevereiro e a nĂŁo votação serĂĄ uma “oportunidade perdidaâ€?. A Advocacia-Geral da UniĂŁo (AGU) manifestou ser favorĂĄvel a Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pelo MinistĂŠrio PĂşblico Federal contra o auxĂ­lio-educação de R$ 3.535, por mĂŞs, pago a promotores pĂşblicos do Rio de Janeiro. Alguns vereadores douradenses estĂŁo de birra com a imprensa local. Mas como diz o ditado, o pau que bate em Chico, bate em Francisco nĂŠ? As inscriçþes para o concurso pĂşblico de admissĂŁo Ă s Escolas de Aprendizes-Marinheiros vĂŁo atĂŠ o dia 2 de março. O concurso que abriu 1.000 vagas.

INFORME CURURU Tem gente que nĂŁo acredita em Deus, mas acredita em polĂ­ticos.


5

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Economia

Brasil tem uma tentativa de fraude a cada 16 segundos Com a proximidade do Carnaval, FRQVXPLGRUSUHFLVDÄ&#x;FDUDWHQWRSDUDQĂ‚RVH WRUQDUYâWLPDHVSHFLDOLVWDVGD6HUDVDGĂ‚RGLFDVSDUDFDLUQDIROLDFRPVHJXUDQĂ?D

INDICADORES ECONÔMICOS progresso@progresso.com.br

BOLSAS Ibovespa: Pontos: Måxima de Mínima Volume: Variação em 2018: Variação no mês: Dow Jones: Pontos: Nasdaq: Pontos: Ibovespa Futuro: Pontos: Måxima (pontos): Mínima (pontos):

BLUE CHIPS   SQWV SQWV ELOKøHV    K

  K

    

JUROS - &'%SUHÄ&#x;[DGRGHGLDV - Capital de giro, - Hot money, - CDI, - Over a

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude, o Brasil encerrou 2017 com 1,964 milhão de tentativas, representando alta de 8,2% em relação a 2016 e o maior resultado desde 2015. Isso significa uma tentativa de fraude a cada 16 segundos. Em dezembro de 2017 (150.482 mil tentativas), na comparação com novembro do mesmo ano (156.469), o índice teve queda de 3,8%. A relação com dezembro de 2016 (159.277) tambÊm caiu 5,5%. Segundo os economistas da Serasa Experian, com o mercado de crÊdito mais aquecido, Ê possível que os golpistas estejam mais incentivados a aplicar fraudes, jå que momentos de maior fluxo de pessoas podem ser considerado como ambiente propício pelos fraudadores. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Demanda do Consumidor por CrÊdito, a quantidade de pessoas que buscou crÊdito em 2017 cresceu 4,9%, tendo seu melhor resultado dos últimos seis anos e o quarto melhor de toda a sÊrie histórica iniciada em 2008.

Com o mercado de crĂŠdito mais aquecido, ĂŠ possĂ­vel que os golpistas estejam mais incentivados a aplicar fraudes Qual o alvo preferido dos golpistas? O segmento mais afetado em 2017 foi o de telefonia, sendo responsĂĄvel por 36,5% do total, com 716.869 tentativas. Neste tipo de golpe, dados de consumidores sĂŁo utilizados por criminosos para abertura de contas de celulares ou compra de aparelhos, por exemplo. Caso a fraude no segmento de telefonia seja bem sucedida, funciona como uma “porta de entradaâ€? para os fraudadores aplicarem golpes de maior valor em outros setores da economia. Os golpistas costumam comprar telefones para ganharem um comprovante de residĂŞncia e, assim, abrir contas em bancos para

Principais tentativas de golpe: - Compra de celulares com documentos falsos ou roubados; - EmissĂŁo de cartĂľes de crĂŠdito: o golpista solicita um cartĂŁo de crĂŠdito usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “contaâ€? para a vĂ­tima e o prejuĂ­zo para o emissor do cartĂŁo; - Financiamento de eletrĂ´nicos (Varejo) – o golpista compra um bem eletrĂ´nico (TV, aparelho de som, celular

etc.) usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a conta para a vĂ­tima; - Abertura de conta: golpista abre conta em um banco usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “contaâ€? para a vĂ­tima. Neste caso, toda a “cadeiaâ€? de produtos oferecidos (cartĂľes, cheques, emprĂŠstimos prĂŠ-aprovados) potencializa possĂ­vel prejuĂ­zo Ă s vĂ­timas, aos bancos e ao comĂŠrcio; - Compra de automĂłveis: golpista compra o automĂłvel usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “contaâ€? para a vĂ­tima; - Abertura de empresas: dados roubados tambĂŠm podem ser usados na abertura de empresas, que serviriam de ‘fachada’ para a aplicação de golpes no mercado. Dicas dos especialistas A fraude de identidade acontece quando dados pessoais de um consumidor sĂŁo usados por terceiros para firmar negĂłcios sob falsidade ideolĂłgica ou obter crĂŠdito sem a intenção de honrar os pagamentos. De acordo com estudos da Se-

rasa, basta perder um documento pessoal para dobrar a probabilidade de o cidadão ser vítima de um golpe. Com a proximidade do Carnaval, Ê preciso ficar atento. Para se prevenir, quem tiver um documento extraviado, deve cadastrar um alerta gratuito na Serasa pelo link: www. serasaconsumidor.com.br/ documentos-perdidos-roubados/ , alÊm de fazer um Boletim de Ocorrência (B.O.). O registro ajuda a reduzir o risco e evitar a dor de cabeça de ter dados pessoais utilizados por fraudadores. Com o alerta, o SerasaConsumidor consegue avisar às empresas que consultam seus produtos sobre a perda ou roubo do documento quando este for utilizado para abertura de conta em bancos, compra de bens e serviços, pagamentos etc. Assim, antes de efetuar a compra, por exemplo, estas empresas poderão tomar algumas atitudes preventivas, como solicitar outros tipos de documentos para comprovar a identidade, por exemplo. (*Assessoria de Imprensa/Serasa Experian).



DĂ?VIDA EM TR OU TRD

5

5

$3/,&$qf2$3$57,5'(

pegar talþes de cheque, pedir cartþes de crÊdito e fazer emprÊstimos bancårios em nome de outras pessoas. O setor de Serviços vem na sequência no ranking de segmentos com mais tentativas de fraude identificadas no ano passado (628.249), representando 32,0% do total. Em terceiro lugar estão os bancos e financeiras com 23,6% de participação e 462.777 tentativas. O quarto setor mais afetado pelas tentativas foi o Varejo, com 125.254 tentativas e participação de 6,4%. Os demais segmentos representaram 1,5% do total.

Variação 

5

POUPANÇA Fevereiro               

GLOBAL 40

RQĂ?DWUR\HTXLYDOHDJUDPDV

UFERMS Janeiro

          

Cotação Ouro 86DRQĂ?DWUR\ Ouro BM&F ÂżYLVWD  

UFIR

Janeiro

Variação

5 5 5 5 5   5 5 5 5 5

OURO

SALĂ RIO MĂ?NIMO

De SĂŁo Paulo*

Preço Itau Unibanco PN Petrobras PN Bradesco PN Ambev ON Petrobras ON Vale PNA BRF SA ON Vale ON Itausa PN Cielo ON JBS ON

Cotação: FHQWDYRVGHGĂśODU Variação: HVWĂ€YHO

DRDQR DRDQR DRPĂ“V DRDQR 

Novembro/2000

HP5

              

Dia do vencimento

Fatores de

Fevereiro                    

                   

0XOWLSOLTXHDTXDQWLGDGHGH75RX75'GRFDUQÓSHOR IDWRUGHDWXDOL]D�ÂRGDGDWDGRYHQFLPHQWR$DSOLFD�ÂR GHVVHIDWRUĎQLFRDWXDOL]DDGâYLGDSHOD75GRGLDGRDQL YHUVÀULRGRFRQWUDWRHFRQYHUWHRUHVXOWDGRSDUDUHDLV 

TBF

TR

Janeiro               Fevereiro  

Janeiro               Fevereiro  

               

               

CĂ‚MBIO DĂłlar comercial no balcĂŁo DĂłlar Paralelo DĂłlar Ptax DĂłlar Turismo DĂłlar Futuro 0DUĂ?R

Euro Euro comercial Euro turismo

Compra 5 5 5 5 5 86 ÂżVK  5 5

Venda 5 5 5 5  86 5 5

Variação        

INFLAĂ‡ĂƒO

ACUMULADO

Ă?NDICES

Dezembro Janeiro

no ano

12 meses

INPC (IBGE) IGP-M (FGV) IGP-DI (FGV) IPC (FIPE) IPCA (IBGE) CUB (SINDUSCON) FIPEZAP-SP (FIPE)

      

      

      

      

IMPOSTO DE RENDA '(6&21721$)217( TABELA OFICIAL DA RECEITA FEDERAL Base de cĂĄlculo $WĂ’5  'H5DWĂ’5 'H5DWĂ’5 'H5DWĂ’5 $FLPDGH5 

AlĂ­quota %          

Deduzir-R$ ,VHQWR    

'HGX�øHV5SRUGHSHQGHQWHSHQVÂRDOLPHQWâFLDLQWHJUDOFRQWULEXL�ÂRDR,166$SRVHQWDGRFRP DQRVRXPDLVWHPGLUHLWRDXPDGHGX�ÂRH[WUDGH5QREHQHIâFLRUHFHELGRGD3UHYLGÓQFLD

REAJUSTE DE ALUGUEL IGP-M (FGV) IGP-DI (FGV) IPC-FIPE

'(=(0%52

  

IPCA (IBGE) INPC (IBGE) ICV-DIEESE

  

2EV)DWRUHVYĂ€OLGRVSDUDFRQWUDWRVFXMRÄŽOWLPRUHDMXVWHRFRUUHXKĂ€XPDQR0XOWLSOLTXHRYDORUSHOR IDWRU

AGROPECUĂ RIA

Entrada de dĂłlar supera saĂ­da em US$ 9,291 bi no ano atĂŠ 2 de fevereiro Em igual perĂ­odo do ano passado, o resultado era positivo em US$ 2,041 bi FabrĂ­cio de Castro, AgĂŞncia Estado De BrasĂ­lia O fluxo cambial do ano atĂŠ 2 de fevereiro estĂĄ positivo em US$ 9,291 bilhĂľes, informou ontem (7) o Banco Central. Em igual perĂ­odo do ano passado, o resultado era positivo em US$ 2,041 bilhĂľes. A entrada lĂ­quida de dĂłlares pelo canal financeiro neste ano atĂŠ 2 de fevereiro foi de US$ 6,020 bilhĂľes. Esse resultado ĂŠ fruto de entradas no valor de US$ 54,707 bilhĂľes e de envios no total de US$ 48,687

bilhþes. Este segmento reúne investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operaçþes. Jå no comÊrcio exterior, o saldo anual acumulado ficou positivo em US$ 3,271 bilhþes, com importaçþes de US$ 14,186 bilhþes e exportaçþes de US$ 17,458 bilhþes. Nas exportaçþes estão incluídos US$ 2,301 bilhþes em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 5,197 bilhþes em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 9,960 bilhþes em outras entradas. Janeiro Depois de registrar saídas líquidas de US$ 9,331 bilhþes

em dezembro de 2017, o fluxo cambial do País registrou resultado positivo de US$ 8,063 bilhþes em janeiro de 2018, informou o Banco Central. Com isso, tambÊm foi interrompida a sequência de dois meses consecutivos de fluxo negativo. A entrada líquida de dólares pelo canal financeiro em janeiro foi de US$ 5,527 bilhþes, resultado de aportes no valor de US$ 50,509 bilhþes e de retiradas no total de US$ 44,982 bilhþes. No comÊrcio exterior, o saldo de janeiro ficou positivo em US$ 2,535 bilhþes, com importaçþes de US$ 13,341 bilhþes e exportaçþes de US$ 15,877 bilhþes. Nas exportaçþes, estão in-

cluídos US$ 1,981 bilhão em ACC, US$ 4,943 bilhþes em PA e US$ 8,953 bilhþes em outras entradas. Semana O fluxo cambial da semana passada (de 29 de janeiro a 2 de fevereiro) ficou positivo em US$ 4,749 bilhþes, informou o Banco Central. Considerando toda a semana, a entrada líquida de dólares pelo canal financeiro foi de US$ 2,659 bilhþes, resultado de aportes no valor de US$ 12,399 bilhþes e de envios no total de US$ 9,739 bilhþes. No comÊrcio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 2,090 bilhþes no período, com importaçþes de US$ 2,723 bilhþes e exportaçþes de US$ 4,813 bilhþes. Nas exportaçþes, estão incluídos US$ 753 milhþes em ACC, US$ 836 milhþes em PA e US$ 3,224 bilhþes em outras entradas.

MILHO - disponĂ­vel SOJA - disponĂ­vel Boi gordo Vaca gorda )217(*UDQGH)0585$/

5 'RXUDGRV

5 'RXUDGRV

5 %UDVLO*OREDOÂżYLVWD 5 )ULERL33RUĂ‚FGLDV

5 %UDVLO*OREDOÂżYLVWD 5 )ULERL33RUĂ‚FGLDV


6

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Brasil&Mundo

Ibama apreende 430 quilos de mercúrio em SC Investigação realizada pelo Instituto em três estados aponta que o mercúrio abasteceria garimpos ilegais na Amazônia IBAMA

DeBrasília* Agentes do Ibama apreenderam 430 quilos de mercúrio e suspenderam as atividades de uma empresa do setor químico em Joinville (SC) responsável pela importação irregular do produto. Investigação realizada pelo Instituto em três estados aponta que o mercúrio abasteceria garimpos ilegais na Amazônia. Os responsáveis foram autuados em R$ 1,5 milhão pela venda ilegal e por prestar informações falsas. Maior importadora de mercúrio do país, a empresa comercializou 6,8 toneladas da substância nos últimos três anos.

Os responsáveis foram autuados em R$ 1,5 milhão pela venda ilegal e por prestar informações falsas Os agentes ambientais constataram que a importadora simulava a venda e o transporte de mercúrio para uma empresa de fachada em Várzea Grande (MT). No endereço do suposto comprador, informado ao Ibama no Cadastro Técnico Federal (CTF), funciona uma mercearia. “As investigações agora serão direcionadas para os receptadores e responsáveis pelo transporte”, diz o analista ambiental Bruno Barbosa. Está prevista a chegada ao país

Agentes do Ibama vistoriam empresa responsável pela importação irregular de mercúrio em SC de um navio do Oriente Médio com mais duas toneladas do produto. A empresa foi notificada pelo Ibama e deverá prestar todas as informações relacionadas à carga. O uso indiscriminado de mercúrio é nocivo à saúde e causa graves problemas ambientais. Sua persistência no meio ambiente, associada à tendência de bioacumulação e à propagação atmosférica de longa distância, causa preocupação à comunidade internacional. O Brasil é um dos signatários da Convenção de Minamata, da Organização das Nações Unidas (ONU), que restringe o uso do mercúrio com o objetivo de proteger a saúde humana e o meio ambiente. Sem o controle adequado,

o metal é negociado clandestinamente para a exploração ilegal de ouro. No garimpo, o mercúrio usado para separar o ouro de outros minerais é carreado para corpos hídricos, o que resulta na contaminação de toda a cadeia alimentar. “O comércio clandestino de mercúrio fomenta o garimpo ilegal, que resulta na destruição da Amazônia e do modo de vida dos povos da floresta”, afirma o coordenador-geral de Fiscalização Ambiental, Renê Luiz de Oliveira. Os relatórios da operação serão encaminhados ao Ministério Público Federal (MPF) e à Polícia Federal (PF) para apuração no âmbito criminal. (*Assessoria de Comunicação do Ibama).

Mortes de macacos preocupam Centro de Pesquisa e Conservação ICMBIO

Das 24 espécies existentes na Mata Atlântica, 18 ameaçados de extinção De Brasília* As mortes de macacos que habitam o bioma da Mata Atlântica preocupam o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros (CPB) do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Das 24 espécies existentes na Mata Atlântica, 18 já estão na lista de ameaçados de extinção, entre eles, os bugios, o macaco-prego-de-crista, os sauás (ou guigós) e os saguis-da-serra. Isso significa que quase 70% das espécies de primatas deste bioma está ameaçada de extinção. A preocupação do CPB está exatamente na situação de mortes de macacos por humanos por medo da febre amarela. As notícias mostram os frequentes registros de agressões e de mortes de macacos por pessoas que temem ser contaminadas pelos animais nas localidades onde atualmente ocorrem casos da doença no país. “Neste contexto, a febre amarela pode ser o golpe fatal para várias populações dessas espécies já altamente impactadas”, ressalta o coordenador do CPB, Leandro Jerusalinsky. “Além dos problemas históricos como desmatamento, fragmentação de habitat e caça, há ainda a febre amarela colocando em risco a sobrevivência dos primatas, já que alguns dos gêneros como o Alouatta (bugios, barbados, guaribas) são altamente suscetíveis à febre amarela”, complementa.

Primatas não transmitem a doença, são tão vítimas quanto os humanos Segundo o Instituto de Diagnóstico, Vigilância, Fiscalização Sanitária e Medicina Veterinária Jorge Vaitsman (IJV), 131 macacos morreram desde o início de 2018 até o dia 25 de janeiro no Estado do Rio de Janeiro. Dos 131, 90 deles não foram mortos pela doença, mas envenenados ou mortos a pauladas por humanos. As pessoas temem que os macacos possam transmitir diretamente a doença aos humanos. Entretanto, os macacos não transmitem o vírus da febre amarela. Pelo contrário. São tão vítimas quanto os humanos. Os responsáveis pela transmissão do vírus da febre amarela são os mosquitos dos gêneros Haemagogus ou Sabethes. “Esse receio é infundado. Isso não ocorre, uma vez que o vírus é transmitido unicamente pelos mosquitos. Em vez de agredidos ou mortos, os macacos devem ser protegidos, não apenas como parte do patrimônio natural do Brasil, mas também para que possam cumprir a função de sentinelas, já que a presença de macacos mortos

ou doentes serve de alerta para a possível circulação do vírus da febre amarela numa região”, defende Jerusalinsky. Os macacos cumprem uma função importante: ao serem contaminados pelo vírus, transmitido em ambientes silvestres por mosquitos, eles servem de alerta para a presença do vírus no local. Desse modo, contribuem para que os órgãos responsáveis pela saúde pública tomem logo medidas para proteger moradores ou pessoas de passagem na região por meio da vacinação, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde. Jerusalinsky afirma que a forma mais efetiva de se prevenir contra a febre amarela é a vacinação, seguindo as orientações do Ministério da Saúde. Outra forma é evitando viajar às regiões onde há casos confirmados da doença. Também ressalta que é importante as pessoas frequentarem as unidades de conservação, assim como todas as áreas silvestres nas áreas com potencial circulação do vírus, vacinadas. (*Comunicação ICMBio).

Brasil registra 97 mortes por febre amarela neste ano Lígia Formenti, Agência Estado De Brasília O número de casos de febre amarela registrados no Brasil subiu para 353, 140 a mais do que havia sido contabilizado na semana passada. As mortes provocadas pela doença também avançaram. Dados do último boletim, divulgado na manhã de ontem (7) pelo Ministério da Saúde, mostram que 98 pessoas morreram em decorrência da infecção, 17 a mais do que o informado semana passada. Os números de febre amarela se referem a um período iniciado em 1º de julho. Mas a maioria começou a ser registrada a partir da primeira semana de 2018. Para se ter uma ideia, somente este ano foram 351 casos e 97 óbitos. De acordo com o boletim do ministério, a maior parte dos casos está em São Paulo. O Estado reúne 161 confirmações da doença, com 41 mortes. Em seguida vem Minas, com 157 infecções e 44 óbitos. O Rio de Janeiro traz 34 casos e 12 mortes. Tanto Rio quanto São Paulo realizam em cidades consideradas de maior risco uma campanha de vacinação com doses fracionadas do imunizante. Em Minas, Estado que já havia sido muito castigado pela epidemia no ano passado, o fracionamento não é realizado. De acordo com o Ministério da Saúde, isso se deve ao fato de que cidades mineiras já dispõem do quantitativo suficiente para imunizar, com doses integrais, toda população que ainda não foi vacinada.

MP acusa Decolar de praticar cobrança ilegal São Paulo, Da Agência Estado O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) entrou com uma ação civil pública pedindo uma indenização de R$ 57 milhões da Decolar.com - site de reservas de passagens aéreas, hotéis e pacotes turísticos - pela adoção de estratégia de preços diferenciada conforme a localização do consumidor. Conhecida como “geo pricing”, a prática resultava na cobrança de valores mais altos no Brasil do que no exterior para um mesmo quarto de hotel, informou o Ministério Público. Os procuradores também denunciam o “geo bloking”, que bloquearia algumas ofertas para determinas localidades. Desde 2016, a Booking. com - concorrente direta da Decolar no setor de hospedagens - vem fazendo uma cruzada contra a estratégia da rival, denunciando a diferenciação de preços por localização em vários MPs estaduais. De acordo com o MP fluminense, um dos pontos da denúncia foi o acesso a ofertas em um momento de grande demanda por viagens ao Rio de Janeiro - o período em que foi realizada a Olimpíada de 2016. A denúncia relata que pesquisas simultâneas mostraram que determinadas ofertas estavam disponíveis para consumidores argentinos, mas bloqueadas para brasileiros. Segundo o MP, um ano mais tarde, foram colhidas provas de que a prática continuava a ser adotada pela Decolar.

PELO MUNDO EUA

Reforma tributária pode repatriar US$ 2 trilhões EBC

Multinacionais’ vão repatriar recursos após reforma tributária ONU Brasil, Do Rio de Janeiro A reforma tributária dos Estados Unidos terá implicações significativas para os padrões globais de investimento estrangeiro direto (IED), afetando companhias multinacionais e afiliadas estrangeiras que representam quase 50% do estoque total desses investimentos, de acordo com edição especial do Monitor de Tendências de Investimento Global da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD). “A experiência dos últimos cortes de impostos sobre a repatriação de capital, em 2005, indica que as multinacionais podem repatriar quase 2 trilhões de dólares, levando a uma profunda redução dos estoques globais de investimento estrangeiro direto”, disse James Zhan, diretor da divisão de investimento UNCTAD. A reforma tributária foi adotada pelo governo norte-americano em dezembro. As mudanças no regime tributário corporativo afetarão significativamente tanto o investimento nos Estados Unidos como as posições de investimento das empresas norte-americanas no exterior. Quase a metade dos estoques globais de investimentos está localizada nos EUA ou detida por multinacionais do país.

Música

Will Smith homenageia filho por sucesso São Paulo, Da Agência Estado O ator Will Smith fez uma homenagem ao filho Jaden Smith, cantor da música “Icon”, que já ultrapassou os 100 milhões de reproduções no Spotify. O ator decidiu comemorar o sucesso do filho em um vídeo que remete ao clipe original. Há uma diferença divertida entre os dois clipes. No original de Jaden, o rapaz dança com tênis, enquanto no de Will, a coreografia é feita com o pai usando chinelos e meias. No final do pequeno vídeo que realizou, o ator manda uma mensagem para Jaden. “Mais de 100 milhões de reproduções. Estou orgulhoso de você, baby. Parabéns”. Ao compartilhar o conteúdo no Instagram, Will Smith escreveu: “É um presente delicioso para um pai poder admirar o filho. Continue sendo você”.

Opas

Bachelet presidirá comissão Monica Grayley, ONU News De Nova York A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), confirmou ontem (7) que a presidente do Chile, Michelle Bachelet, será a nova chefe da sua comissão para promoção de acesso à cobertura universal de saúde nas Américas. Além de Bachelet, também participarão do grupo a brasileira Laís Abramo, diretora da Comissão das Nações Unidas para América Latina e Caribe (Cepal) e outros representantes da sociedade civil e ex-autoridades da América Latina e do Caribe. E m c o m u n i c a d o, a Opas disse que o trabalho do grupo será promover soluções que ampliem o acesso à saúde da população das Américas até 2030, sem que ninguém seja esquecido. O convite à Bachelet, que deixará a

Presidência do Chile em 11 de março, foi feito pela diretora da Opas, Carissa Etienne. Segundo ela, a presidente, que é médica de formação, tem liderança e compromisso, elementos-chave para empoderar as pessoas e as comunidades na busca da igualdade e da realização do direito à saúde.

Alemanha

Acordo mantém economia competitiva Berlim, Da Agência Estado A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou nesta quarta-feira que o acordo de coalizão com o Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão) deve manter a economia do país competitiva, além de atender às necessidades reais da população. O pacto “equilibra a justa distribuição e lança a fundação para a economia alemã prosperar”, afirmou ela em seus primeiros comentários públicos depois da finalização do acordo, na manhã de ontem. A negociação, porém, teve um custo para o partido dela, a União Democrata Cristã (CDU), que perdeu pastas importantes no gabinete. O CDU cedeu o Ministério das Finanças ao SPD e o Interior para a União Social Cristã, aliado de Merkel na Baviera Merkel disse que a questão da divisão dos ministérios “não foi simples”. De qualquer modo, ela falou que, independentemente de quem comandará o ministério, “só se pode gastar o dinheiro que se tem”. Pre s i d e n t e d o S P D, Martin Schulz disse que a coalizão representa um sucesso para seu partido. “Para nós, isso diz respeito à melhora das condições de vida da população”, comentou. Schulz também disse que o acordo representará “uma mudança fundamental na direção” para a Europa. “A Alemanha voltará a ter um papel ativo e de liderança na União Europeia”. (Fonte: Dow Jones Newswires).


7

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

PolĂ­cia DIVULGAĂ‡ĂƒO/PRF

SĂł em janeiro, PM recuperou 19 veĂ­culos DIVULGAĂ‡ĂƒO/PM

Foram 10 motocicletas e 9 carros recuperados em Dourados Estradas federais em todo o paĂ­s passam a ser mais fiscalizadas no perĂ­odo tido como uma das ĂŠpocas mais crĂ­ticas do ano

PRF då início à Operação Carnaval na sexta-feira Segundo a PRF, o carnaval Ê uma das Êpocas mais críticas, jå que aumenta RĠX[RGHYHâFXORVQDV%5VRGHVUHVSHLWR¿VOHLVHRXVRDEXVLYRGHÀOFRRO Da Agência Brasil A Polícia Rodoviåria Federal (PRF) inicia amanhã a Operação Carnaval 2018, com o objetivo de proporcionar mais segurança aos usuårios das rodovias federais, coibir a pråtica de infraçþes graves

$DEHUWXUDRÄ&#x;FLDOGD Operação no MS serĂĄ em CorumbĂĄ, na BR-359, Ă s 8h30 da manhĂŁ desta sexta-feira e reduzir os acidentes neste perĂ­odo. A operação vai atĂŠ a Quarta-Feira de Cinzas. A ação ĂŠ mais uma etapa da Operação RodoVida, que começou no dia 22 de dezembro e se encerra no domingo seguinte ao carnaval, dia 18. Segundo a PRF, o carnaval ĂŠ uma das ĂŠpocas mais crĂ­ti-

cas do ano, porque aumenta o fluxo de veículos nas estadas, bem como o número de casos de desrespeito às normas de trânsito e o uso abusivo de ålcool pelos motoristas. Durante a operação, a PRF intensificarå as açþes para reprimir casos de embriaguez ao volante, ultrapassagens perigosas, excesso de velocidade. Os agentes da PRF verificarão tambÊm a falta de equipamentos de segurança, como cadeirinhas para crianças. Serão usados radares portåteis, etilômetros (bafômetros), viaturas operacionais, motocicletas e helicópteros. A fiscalização serå reforçada em pontos considerados críticos. Segundo a PRF, um levantamento estatístico relativo a acidentes graves durante o carnaval mostra que os estados da Bahia, de Mi-

nas Gerais e de Santa Catarina responderam por 29,64% do total de casos desse tipo ocorridos no período nos últimos cinco anos e têm os trechos mais violentos para esta Êpoca. A estratÊgia da PRF Ê oferecer reforço concentrado no policiamento preventivo em locais e horårios de maior incidência de acidentes graves e de criminalidade e diminuir o fluxo dos veículos de carga. A corporação lembra que os motoristas devem levar em consideração recomendaçþes båsicas, como checar as condiçþes dos pneus, do estepe e dos faróis do veículo antes de pegar a estrada. A viagem só deve ser iniciada quando o condutor estiver descansado e este tem de respeitar a sinalização e dirigir com cuidado e paciência para chegar

MS supera em 10% mĂŠdia nacional de presos que trabalham DIVULGAĂ‡ĂƒO

Mato Grosso do Sul se destaca como Estado que då oportunidades aos internos Levantamento foi destacado pelo Judiciårio De Campo Grande policia@progresso.com.br O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul destaca a importância do trabalho prisional oferecido pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciårio (Agepen) aos detentos. Os dados divulgados ressaltam que o Estado supera em 10% a mÊdia nacional de presos trabalhando, tornando MS refe-

rência de ressocialização por meio da inserção no mercado de trabalho. Em sua pågina oficial, o Judiciårio enfatiza as diversas frentes de trabalho desenvolvidas nos estabelecimentos penais. Ao todo, o levantamento aponta que são 5.124 internos trabalhando em atividades remuneradas e não remuneradas nos regimes fechado, semiaberto e aberto. Os convênios são firmados com órgãos públicos e empresas privadas por meio da Divisão de Trabalho da Agepen. Atualmente, jå são mais de 160 parcerias realizadas que uti-

lizam mão de obra prisional. As vagas surgem desde os regimes fechados, onde empresas parceiras instalam sua linha de produção dentro das próprias unidades prisionais, atÊ parcerias nos regimes aberto e semiaberto, com diversas oportunidades de emprego dentro e fora dos presídios. Para exercer atividade laboral, o interno deve estar no mínimo hå seis meses na unidade prisional. AlÊm disso, tambÊm são avaliados quesitos importantes como bom comportamento, habilidade e conhecimento, anålises que são realizadas pela Comissão

ao destino com tranquilidade para aproveitar o feriadão. Carnaval 2017 No carnaval do ano passado, a Polícia Rodoviåria Federal registrou 1.696 acidentes de trânsito nas rodovias federais, dos quais 323 foram considerados graves. Houve 140 mortes. Foram fiscalizadas 222.801 pessoas em 205.137 veículos. Os 98.920 testes por etilômetro resultaram em 2.019 pessoas multadas e 214 presas. A PRF flagrou 108.267 motoristas trafegando acima da velocidade måxima, fez quase 12 mil registros de ultrapassagens indevidas e constatou que quase 6 mil viajavam sem o cinto de segurança. Oitocentas pessoas foram presas por diversos crimes, e a PRF tirou de circulação 1,5 tonelada de maconha e quase 50 quilos de cocaína.

de Tratamento e Classificação (CTC), formada por psicólogos, assistentes sociais e chefia de disciplina, alÊm da própria chefia do trabalho e da direção do presídio. Na publicação, tambÊm foram descritas oficinas de trabalho desenvolvidas em algumas unidades penais do Estado, alÊm da capital. Foram citadas parcerias em Corumbå, Dourados, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste, Cassilândia e Três Lagoas. Interior Em Dourados, onde estå a segunda maior população carceråria do Estado, na penitenciåria masculina de regime fechado os detentos trabalham em frentes como marcenaria, costura industrial e serigrafia, alÊm da horta para o consumo dos custodiados e dos serviços de lavanderia e costura de bolas. No regime semiaberto masculino, o cultivo de horticultura tambÊm leva ocupação produtiva aos detentos e alimentação saudåvel às mesas de famílias carentes, por meio do Banco de Alimentos. AlÊm disso, hå vårios encaminhamentos para o mercado profissional fora da unidade. No Estabelecimento Penal Feminino de Regime Semiaberto, Aberto e Assistência à Albergada da cidade Ê desenvolvido um projeto de confecção de produtos artesanais como o bordado, onde as internas realizam desenhos e fixação de estampas em peças de vestuårio.

TambÊm foram apreendidos em outros veículos armas de fogo, droga e munição De Dourados policia@progresso.com.br A polícia militar de Dourados, divulgou ontem o número de apreensþes automóveis no primeiro mês do ano. Ao todo, foram recuperados 19 veículos com queixa de roubo/furto. São 10 motocicletas e nove carros. As apreensþes aconteceram em vårios bairros da cidade pelas equipes de Rådio Patrulha, Força Tåtica, Getam, Trânsito e Agência Local de Inteligência (ALI) do 3° Batalhão da Polícia Militar de Dourados. AlÊm dos veículos com queixa de roubo/furto, somente no mês de janei-

ro desde ano foram encaminhados ao påtio do Detran 38 veículos com irregularidades nos documentos. Ainda no primeiro mês do ano, policias militares do 3° BPM efetuaram abordagem a 786 veículos quatro rodas e 1673 abordagens a veículos duas rodas. Foram realizadas pela PM oito blitz na cidade. Durante as abordagens, alÊm da recuperação de carros e motos com queixa de roubo/furto, tambÊm foram apreendidos em outros veículos armas de fogo, droga, munição e presas pessoas foragidas da Justiça com mandado de prisão em aberto. O comando da Polícia Militar de Dourados enfatizou que as abordagens continuarão na cidade, para que as pessoas que tiveram seus veículos roubados ou furtados possam ter de volta seus bens recuperados.

Senad encontra ‘fĂĄbrica’ de trabletes de maconha PORA NEWS

Acampamento estava em região de bosques no Paraguai Estrutura para processamento de droga foi desativada De Ponta Porã Porã News Os agentes da Secretaria Nacional Antidrogas, do Paraguai, após um trabalho de inteligência que detectou um depósito para o processamento de droga na região da Colônia Estrela, realizou busca e apreensão na localidade. O promotor antidrogas, Martin Areco, tambÊm esteve presente. A ação apreendeu um total de 2.558 quilos de maconha que estava sendo preparada nos acampamentos situados em uma årea de bosque, para a distribuição possivelmente em território brasileiro, alÊm de vårios outros utensílios utilizados para o preparo da droga em tabletes. Segundo o promotor antidrogas, no local foram incinerados 850 quilos de maconha e outras 78 bolsas que após pesados totalizou 1.708 quilos. Esta quantidade foi encaminhada a base de operaçþes da Senad na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã. Segundo informaçþes, com base na estrutura encontrada no local para o processamento da droga,

o promotor antidrogas, acredita que seria uma base de processamento de drogas de alguma facção criminosa que se instalou na região norte de Pedro Juan Caballero de onde enviava grandes quantidades de drogas utilizando a MS-384 com trânsito para a MS-164 ou a BR-060 com destino final as grandes capitais brasileiras. DOF O Departamento de Operaçþes de Fronteira (DOF) prendeu cinco pessoas com 65,15 quilos de maconha. O entorpecente estava distribuído em três volumes, com três pessoas. As prisþes ocorreram por volta das 7h30 desta terça-feira, durante abordagens do bloqueio policial para fiscalização na rodovia MS-295. Inicialmente foram abordados condutor e passageiro de um veículo Ford K de cor branca. Durante a ação, foi dado ordem de parada a um ônibus. O entorpecente foi localizado e identificado os passageiros responsåveis, atravÊs dos tickets de passagens. Os envolvidos disseram que levariam a droga para Ponta Grossa (PR) e contavam com a ajuda dos dois que estavam no Ford Ka, supostos responsåveis em repassar informaçþes sobre o policiamento na região. A ocorrência foi registrada e entregue na Delegacia de Polícia Civil de Iguatemi.


8

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Esportes

Carille indica ter encontrado Corinthians ‘ideal’ Técnico repetiu a escalação no treino de ontem e deverá ter um time-base com mudanças apenas pontuais DIVULGAÇÃO

De São Paulo Agência Estado O técnico Fábio Carille comandou um treinamento tático no Corinthians ontem, no CT Joaquim Grava, em São Paulo, e parece ter definido os seus 11 titulares ideias para os próximos jogos. Como aconteceu no ano passado, o treinador deverá ter um time-base, que só passará por mudanças apenas em casos especiais como suspensão, contusão ou se algum atleta cair muito de rendimento. A formação treinada e que deve ser a titular para encarar

Técnico do Timão parece WHUGHğQLGRRVVHXV titulares ideias para os próximos jogos da temporada o Santo André, nesta sexta-feira, fora de casa, tem: Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Juninho Capixaba; Gabriel; Romero, Rodriguinho, Jadson e Clayson; Júnior Dutra. Será o segundo jogo seguido de Júnior Dutra como titular no ataque, o que reforça a tese de que Fábio Carille decidiu que ele será o dono da posição, pelo menos até que um novo centroavante seja contratado. Na última terça-feira, Andrés Sanchez, o novo presidente do clube, deu entrevista garantindo que ainda não há negociação com nenhum jogador e que conversará com o

Será o segundo jogo seguido de Júnior Dutra como titular técnico sobre o assunto. A repetição do time que derrotou o Novorizontino no último final de semana também é uma forma de o treinador demonstrar que tem seu time ideal, como aconteceu no ano passado, em que na maior parte da temporada a escalação do Corinthians ficou guardado na mente do torcedor como: Cássio; Fagner, Pablo, Balbuena e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Rodriguinho, Jadson e Romero; Jô. Na reta final do Campeonato Brasileiro, Maycon perdeu espaço para Camacho e Jadson para Clayson. No time atual, duas possíveis mudanças devem ser as entradas de um centroavante no lugar de

Júnior Dutra e de Henrique na vaga de Pedro Henrique. O zagueiro comentou sobre a provável disputa com Henrique. “Hoje (quarta-feira) que treinei com ele no campo, nos outros dias estava em recuperação, academia e piscina. Ele vem para agregar, com uma disputa sadia. Vou seguir trabalhando, tem um cara de muito potencial”, comentou Pedro Henrique. A i n d a n o t re i n o d e s t a quarta-feira, Fábio Carille escalou a formação reserva com: Caíque; Mantuan, Léo Santos, Henrique e Maycon; Renê Júnior; Lucca, Camacho, Mateus Vital e Emerson Sheik; Kazim. Danilo foi o curinga, atuando pelos dois times.

Jair Ventura escalará sexto Santos ‘diferente’ em 2018 DIVULGAÇÃO

Com vários problemas para compor a equipe, técnico vai mudar de novo De Santos Agência Estado Os problemas, os desfalques e as mudanças na escalação vêm marcando o início do trabalho de Jair Ventura no Santos. Às vésperas de enfrentar a Ferroviária pela sexta rodada do Campeonato Paulista, em partida marcada para sábado em Araraquara (SP), há uma certeza: o time vai entrar em campo com a sexta escalação diferente em 2018, o que tem forçado o treinador a recorrer aos jovens das divisões de base para escalar a equipe. Jair Ventura tem encontrado dificuldades para definir a

No treino, Jair pensa em como pode montar o time do Santos formação ideal do Santos em 2018. Para o duelo contra a Ferroviária, já são certas as ausências dos suspensos Alison

e Copete, que deverão ser substituídos por, Matheus Jesus e Gabriel, que faria a sua reestreia pelo clube, respectivamente. Mas os problemas do time não são apenas esses, pois a disponibilidade de Bruno Henrique e Victor Ferraz, em recuperação de problemas, não está definida, assim como a de Lucas Veríssimo, que está em negociações para se transferir ao Spartak Moscou, da Rússia. Luiz Felipe e Eduardo Sasha, que deixaram o clássico contra o Palmeiras lesionados, ainda precisarão ser avaliados. Caso sejam vetados, Robson Bambu e Rodrygo podem ganhar nova chance com Jair Ventura, que vem recorrendo às divisões de base para tentar resolver os muitos problemas do Santos em 2018.

DIVULGAÇÃO

Atacante Felipe Vizeu é anunciado pela Udinese Jogador deixará o Flamengo no meio do ano Do Rio de Janeiro Agência Estado A Udinese finalmente oficializou ontem a contratação do atacante Felipe Vizeu junto ao Flamengo. Depois de uma negociação que vinha se arrastando pelos últimos dias, o clube italiano confirmou que chegou a um acerto pelo jogador de 20 anos, que se apresentará apenas no meio do ano. Vizeu assinou contrato por cinco temporadas com seu novo time. Apesar de os valores não terem sido confirmados, especula-se que o jogador tenha custado à Udinese US$ 6 milhões (cerca de R$ 19,5 milhões). Co m o a j a n e l a p a r a transferências de janeiro já se fechou na Europa, o Flamengo negociou com a Udinese a permanência de Vizeu no elenco até a Copa do Mundo. Desta forma, o atacante só vai se apresentar ao clube italiano no dia 1º de julho. É o primeiro reforço da Udinese para a temporada 2018/2019.

Vasco vê encaminhado empréstimo de G. Augusto Meia chega para suprir saída de Nenê, mas ainda treina no Corinthians Do Rio de Janeiro Vasco considera encaminhado o substituto de Nenê. Na noite de terça-feira, o clube recebeu o OK do Corinthians e avançou nas tratativas para conseguir o empréstimo do meia Giovanni Augusto até o fim do ano. A informação do acordo foi dada primeiramente pelo jornal “Extra”. Giovanni é esperado nos próximos dias no Rio de Janeiro para realizar exames médicos e assinar contrato. Nesta quarta-feira, porém, ainda treinou no Corinthians e negou a pessoas próximas um acerto com o clube carioca. Caso o negócio seja confirmado, o Corinthians pagará a parte maior do salário de Giovanni.

O São Paulo brincou fazendo mistério com a chegada do atleta

63FRQğUPDD contratação do meia Valdívia Valdívia publicou uma mensagem de despedida do Atlético Mineiro De São Paulo Agência Estado O meia-atacante Valdívia foi confirmado ontem como o sexto reforço do São Paulo para a temporada de 2018. O atleta assinou contrato de um ano e jogará emprestado pelo Internacional, que detém os seus direitos econômicos. O jogador já treina no CT da Barra Funda, em São Paulo, e acompanhou o elenco do time no jogo contra o Bragantino, nesta quarta-feira, no estádio do Morumbi, na capital, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Em 2017, Valdívia jogou pelo Atlético Mineiro em 31 partidas e marcou dois gols. Pedido do técnico Dorival Junior, Valdívia interessou ao clube tricolor por atuar pelas pontas e com velocidade. Disputará espaço no meio de campo com Nenê, o peruano

Cueva e Shaylon. Ele chega à equipe depois do goleiro Jean, dos atacantes Diego Souza e Tréllez, do zagueiro Anderson Martins e de Nenê. Para a diretoria tricolor, o elenco já está suficientemente reforçado, depois de saídas de peças importantes como o centroavante argentino Lucas Pratto e o meia Hernanes. Desta forma, o meia-atacante deve ser a última peça a chegar ao Morumbi neste início de ano. Para anunciar o atleta, o São Paulo brincou no Twitter, fazendo mistério com a chegada do atleta, que aparece de costas olhando para uma foto do estádio do Morumbi. Havia expectativa de que o jogador pudesse ter sido anunciado já há dois dias. Antes do anúncio do São Paulo, Valdívia publicou uma mensagem de despedida do time mineiro em seu perfil no Instagram. “Foram alguns meses juntos e muitos momentos marcantes”, escreveu. “Obrigado, Atlético, pela oportunidade e pela sequência que me deu em 2017. Obrigado, Massa do Galo forte e vingador. Sigo em frente, mas com vocês no coração”.


Dourados

Vereadores

Preço do gås de cozinha varia 17,7%

Câmara de Jateí abre Ano Legislativo 2018

3Âť*

3Âť*

Prefeitura

DIA A DIA

'Ă’OLDÄ&#x;UPDSDUFHULDFRPR,)06SDUD XVRGHWHFQRORJLDQDJHVWĂ‚RSÄŽEOLFD3Âť*

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO CHICO RIBEIRO

$FHOXORVH IRWR RVJUÂRVHRPLQÒULRGHIHUURIRUDPRVSULQFLSDLVUHVSRQVÀYHLVSHORERPGHVHPSHQKRQHVWHLQâFLRGHDQRDSRQWDR0LQLVWÒULRGR'HVHQYROYLPHQWR,QGĎVWULDH&RPÒUFLR([WHULRU

Celulose ultrapassa soja no ranking de exportação em MS &DUQHERYLQDÄ&#x;FRXHPVHJXQGRno mĂŞs de janeiro, com 17% de participação na balança comercial; crescimento de 29% De Campo Grande A balança comercial de Mato Grosso do Sul atingiu superĂĄvit de US$ 117 milhĂľes em janeiro de 2018, montante 7,6% maior que no mesmo mĂŞs do ano passado. A celulose, os grĂŁos e o minĂŠrio de ferro foram os principais responsĂĄveis pelo bom desempenho neste inĂ­cio de ano, segundo dados do MinistĂŠrio do Desenvolvimento, IndĂşstria e ComĂŠrcio Exterior. A celulose ultrapassou a soja, sendo o produto mais exportado por Mato Grosso do Sul em janeiro, com 33% de aumento de um ano para o

outro. A sazonalidade da soja no perĂ­odo e a entrada em operação da segunda unidade da Fibria, em TrĂŞs Lagoas, contribuĂ­ram para o resultado. “Vemos claramente a importância da celulose para o Estado e a mudança da nossa pauta exportadora, que deixou de ser baseada apenas em carne e grĂŁos. A diversificação de produtos ĂŠ positiva para a economia, pois agrega valor aos nossos produtos e gera mais opçþes de renda Ă populaçãoâ€?, destaca o secretĂĄrio Jaime Verruck, titular da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento EconĂ´mico, Produção e Agricultura Familiar.

Hoje a celulose Ê responsåvel por 39,36% das exportaçþes estaduais, gerando receita de US$ 128 milhþes. A carne bovina ficou em segundo no mês de janeiro, com 17% de participação na balança comercial e crescimento de 29% nas exportaçþes. A soja só aparece em terceiro, mas com aumento de 85% de vendas ao mercado externo. Entre os destaques da balança comercial estå o minÊrio de ferro, que reverteu a queda de 2016 com consideråvel aumento em 2017 e boas expectativas para 2018. Em janeiro chegou a receita de US$ 12 milhþes, com crescimento

Morre coronel Geraldo Garcia Orti, ex-comandante da PolĂ­cia Militar

de 81% nas exportaçþes em relação ao mesmo perĂ­odo do ano passado. “Importante ver que o minĂŠrio de ferro aparece em recuperação, o que ĂŠ muito importante nĂŁo sĂł para a economia regional, como a municipal. O produto tem participação expressiva em CorumbĂĄ nĂŁo sĂł pela comercialização, mas tambĂŠm por contribuir para a utilização da ferroviaâ€?, destacou o secretĂĄrio que comentou os dados compilados pela equipe tĂŠcnica da Semagro. Em relação ao destino dos produtos sul-mato-grossenses, a China ĂŠ responsĂĄvel pela compra de 38%, o equivale

Estado. Três Lagoas se mantÊm como o município do Estado &(/8/26( +RMHDFHOXORVHÒUHVSRQVÀYHO que mais exporta. Em janeiSRUGDVH[SRUWD�øHV ro teve crescimento de 36%, graças a segunda fabrica da estaduais Fibria, que começou a exportar celulose em outubro, mas 62-$ $VRMDVÜDSDUHFHHPWHUFHLUR ainda deve estabilizar suas mas com aumento de 85% de vendas nos próximos meses. O gås natural boliviano conYHQGDVDRPHUFDGRH[WHUQR tinua sendo o produto mais importado por Mato Grosso a US$ 125 milhþes e em janei- do Sul, com participação de ro elevou em 89% a variação 53%. Em janeiro o volume referente a 2017. O Uruguai comprado cresceu 78% em (814,83%) e Coreia do Sul relação ao ano anterior, mas (172,34%) tambÊm elevaram a tendência Ê de que queda significativamente a partici- devido a fim da crise hídrica e pação na compra de itens do o desligamento das tÊrmicas. EXPORTAÇÕES

Sindicato Rural discute hoje tributação no agronegócio

ELVIO LOPES

DIVULGAĂ‡ĂƒO

0LOLWDUTXHMĂ€FKHÄ&#x;RXR'2) HUDDVVHVVRUPLOLWDUGR7-06 (OHGHL[DHVSRVDHGRLVÄ&#x;OKRV

Renomados advogados SDUWLFLSDPGRHYHQWRVREUH )XQUXUDOLPSRVWRHKROGLQJ

Elvio Lopes elvio@progresso.com.br

De Dourados

Morreu na noite de terça-feira no Proncor, na Capital, o coronel PM Geraldo Garcia Orti, de 61 anos. Ele esteve internado durante 21 dias com um quadro de pneumonia, que provocou infecção generalizada. O velório aconteceu no Palåcio Maçônico Grande Oriente do Brasil, de onde saiu o cortejo para o Memorial Park, onde o corpo foi sepultado às 16h30 de ontem. Ele deixa esposa e dois filhos. Nascido em 22 de junho de 1956, em Bela Vista, coronel Orti entrou para corporação em 14 de fevereiro de 1978 e formou-se aspirante em 22 de novembro de 1980, pela Brigada Militar, no Rio Grande do Sul. Foi comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul entre 2007 e 2009 e atualmente era assessor militar no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Coronel Orti destacou-se sobremaneira, dentre outras funçþes, na posição de diretor do Departamento de Operaçþes de Fronteira (DOF), onde atuou de 2003 a 2007 e nos

&RURQHO*HUDOGR*DUFLD2UWL

serviços de InteligĂŞncia da PM. TambĂŠm desempenhou a função de Superintendente de PolĂ­ticas de Segurança PĂşblica. O secretĂĄrio de Estado de Justiça e Segurança PĂşblica (Sejusp), Antonio Carlos Videira, o comandante-Geral da PMMS, coronel Waldir Ribeiro Acosta e o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, onde o coronel Orti desempenhava a função de Assessor Militar, lotado na Coordenadoria-Geral de Segurança Institucional do TJMS, emitiram notas oficiais de pesar comunicando o falecimento do coronel Orti. â€œĂ‰ com imensa tristeza e pesar que a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança PĂşblica de Mato Grosso do

Sul (Sejusp) e a PolĂ­cia Militar, comunicam o falecimento do ex-comandante-geral da corporação, coronel Geraldo Garcia Orti...â€?. “Com pesar, comunicamos o falecimento do coronel Geraldo Garcia Orti, assessor militar, lotado na Coordenadoria-Geral de Segurança Institucional do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS)â€?, anunciou pela o assessoria de Comunicação do Tribunal. A esposa do militar, Rosi Orti, tambĂŠm emitiu comunicados de pesar sobre o falecimento de seu companheiro aos amigos e colegas de Orti. â€œĂ‰ com pesar que venho informar o falecimento do meu companheiro Geraldo Garcia Ortiâ€?.

O Sindicato Rural de Dourados realiza hoje a partir das 13h30, no Parque de Exposiçþes, a Mesa Redonda com o tema “Tributação no AgronegĂłcioâ€?. Especialistas em Direito TributĂĄrio vĂŁo debater assuntos polĂŞmicos como o Fundo de AssistĂŞncia do Trabalhador Rural (Funrural), Imposto de Renda e Holding, envolvendo o setor produtivo rural. â€œĂ‰ uma oportunidade importante para que os nossos produtores possam atualizar seus conhecimentos sobre esses assuntos que tĂŞm minado a rentabilidade do agronegĂłcio e inibido os investimentos no campoâ€?, diz LĂşcio DamĂĄlia, presidente do Sindicato Rural. O evento tem entrada franca e os temas serĂŁo debatidos pelos advogados ClĂŠlio Chiesa, doutor pela PUC/SP, JoĂŁo Ricardo Dias de Pinho, doutor em Direito TributĂĄrio pela PUC/SP e Renata FlorioDucci, especialista em Direito TributĂĄrio pelo IBET. Uma das mudanças no

/ÄŽFLR'DPĂ€OLDFRQYRFDSURGXWRUHV

Funrural foi permitir ao produtor rural optar por contribuir com a seguridade social sobre a folha de salårios ou a receita bruta da produção. A lei manteve benefícios aprovados pelo projeto do Congresso, como a redução de 4% para 2,5% do valor total a dívida na entrada à vista; a opção de recolhimento sobre a folha ou sobre a produção; alÊm da redução da alíquota de contribuição do produtor rural pessoa física para 1,2%, jå em vigor. O presidente Lúcio Damålia ressalta que parte da nova legislação busca resolver um impasse jurídico de anos, referente ao Funrural. A contribuição foi considerada in-

constitucional em 2011 pelo Supremo Tribunal Federal, mas a Corte voltou atrås em março do ano passado. Os produtores rurais jå garantiram uma sÊrie de liminares na Justiça para não contribuir com o fundo. Segundo a relatora, a lei beneficiarå principalmente os agricultores que obtiveram vitórias judiciais. O MinistÊrio da Integração Nacional comemorou as mudanças no Funrural e anunciou que elas poderão estimular o setor rural das regiþes mais pobres do Brasil a recuperar o crÊdito, parcelar as dívidas em melhores condiçþes e, assim, melhorar a situação financeira.


2

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Dia a Dia DIVULGAÇÃO

Tecnologia une comunidade e prefeitura A. FROTA

O Estado de Mato Grosso do Sul conta atualmente com 80 mil doses disponíveis da vacina contra a febre amarela

MS investiga terceira morte suspeita de febre amarela Homem de 40 anos morreu no último dia 15 na cidade de Deodápolis. Laudo sai em 30 dias; vítima não teria sido vacinada ao longo da vida Valéria Araújo valeria@progresso.com.br O Estado de Mato Grosso do Sul investiga a 3º morte por suspeita de febre amarela. Trata-se de um homem de 40 anos, morador em Deodápolis, que morreu no último dia 15 com sintomas semelhantes da doença. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, ele chegou até o hospital local no dia 8 de janeiro com febre alta e calafrios e, apesar dos atendimentos médicos, não resistiu. As informações que chegaram até a Secretaria são a de que a vítima não teria sido vacinada ao longo da vida. Foi realizada necropsia e o material encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz (IAL- SP), que deve emitir um laudo em até 30 dias. Outras duas mortes registradas em Mato Grosso do Sul

com suspeita de febre amarela foram descartadas após exames. O primeiro foi de uma indígena, moradora na cidade de Bonito. O segundo é um homem que morava em Santo André (SP) e esteve em viagem ao Estado. Outras duas notificações sem mortes

Se encontrar um macaco morto, a orientação é não mexer no animal e contatar imediatamente a Secretaria de Saúde são de moradores em Campinas (SP) e de Santo André, que estiveram no Estado e apresentaram sintomas da doença mas também receberam laudo descartando a febre. Com isso, do total de cinco notificações que o Estado apresentou, quatro foram descartadas e uma está sendo investigada.

A Secretaria de Saúde está reforçando a recomendação para todos aqueles que não tomaram a vacina ou que tem dúvidas se tomaram ou não, que procurem uma unidade de saúde para se imunizar. De acordo com a Secretaria, o Estado conta atualmente com 80 mil doses disponíveis, não sendo necessária a implantação da vacinação fracionada, ao contrário do que acontece na Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. “As doses são suficientes. Boa parte da população já foi imunizada e todos os municípios que solicitaram foram abastecidos”, explicou a gerente técnica de doenças endêmicas, Livia de Mello Almeida Maziero. Segundo ela, antigamente era preciso tomar a vacina a cada dez anos. Agora, basta receber uma dose para ficar

Preço do gás de cozinha varia 17,7% em Dourados O menor preço do GLP, com entrega em domicílio, foi de R$ 68 e o maior, R$ 80 De Dourados O Procon divulga pesquisa de preço do gás de cozinhabotijão de 13 quilos - realizada em 17 estabelecimentos na cidade. O menor preço do GLP, com entrega em domicílio, foi de R$ 68 e o maior, R$ 80. A diferença entre o

menor preço e o maior, para retirar no local, é de 17,7%. Também foram encontrados 11 estabelecimentos praticando o preço de R$ 75 e três estabelecimentos, R$ 70. O preço médio é de R$ 74,17. Em relação à pesquisa realizada em setembro de 2017 (R$ 71,00) ocorreu alta de 4,5%. O preço médio do gás de cozinha, segundo a ANP, em Campo Grande é de R$ 71,87 e em Três Lagoas é de R$ 62,71.

Cesta básica

O preço da cesta básica caiu 1,4% e relação à pesquisa de janeiro, feita em dez supermercados da cidade, na segunda-feira. Foram coletados preços de 28 itens. O preço do quilo do alho tem diferença de 168,57%; a margarina 500 gramas, 130,26%; a dúzia de ovos, 100,67% e o quilo do sal, 112,00%. Foram encontrados 12 produtos com diferença superior a 100% entre os esta-

Publicidade e Propaganda abre ano em clima de férias na Unigran ASSESSORIA

Estudantes e professores comemoram o Dia do Publicitário De Dourados Calouros e veteranos do curso de Publicidade & Propaganda da Unigran foram recebidos para o primeiro dia de aula de 2018 em ritmo de luau. O “Galuau” foi idealizado para aproximar os acadêmicos do corpo docente e a data não poderia ter sido melhor, já que em 1º de fevereiro foi comemorado o Dia do Publicitário. Interagindo com os acadêmicos, professores estavam vestidos de forma divertida: camisetas customizadas e confeccionadas com temas praianos; a apresentação foi um espetáculo a parte. Recepcionados com sucos de diver-

Professores e acadêmicos durante o “Galuau” no 1º dia de aula sos sabores, picolés, doces e salgados, os futuros publicitários assistiram a um vídeo que contou um pouco da história do curso, uma retrospectiva do que foi o ano de 2017. Coordenadora do curso, a publicitária Lana Guedes,

afirma que essa interação é importante entre funcionários, professores, acadêmicos e calouros. “O nosso intuito principal foi promover um intercâmbio de informações desde o primeiro dia de aula, o primeiro contato e o lu-

imunizado durante toda a vida. A vacinação é recomendada para maiores de 9 meses e menores de 60 anos. Em 2017, seis macacos foram encontrados mortos em Mato Grosso do Sul, mas os resultados foram negativos para a doença. Os primatas foram encontrados em Corumbá (2), Dourados (1), Ladário (1) e Campo Grande (2). “É importante que as pessoas saibam que se encontrarem um primata morto não devem mexer no animal e precisam imediatamente procurar a secretaria municipal de Saúde”, explicou a gerente técnica de zoonoses da Secretaria Estadual de Saúde, Stephanie Lins, observando que o último caso registrado de febre amarela em humanos em Mato Grosso do Sul foi registrado em 2015.

belecimentos com menor preço para o maior como, por exemplo, a esponja de aço e o biscoito de sal. A diferença do estabelecimento com menor preço e o de maior preço nesta pesquisa é de 38,8%. Sal, alho e a carne bovina (paleta) são alguns dos produtos que tiveram queda de preço entre esta pesquisa e a efetuada no inicio do mês de janeiro de 2018. O Procon alerta que o consumidor deve ficar atento às especificações contidas nas embalagens, como prazo de validade, composição e peso líquido do produto. O telefone do órgão é 3411-7754 ou 151.

au foi escolhido por ser algo inusitado e que aproxima as pessoas”, diz. “Espero me dar muito bem aqui, o clima é bem descontraído e aprender dessa forma é muito melhor.Se essa é uma amostra do que é o curso, já prevejo que vai ser muito bom aprender com uma galera tão animada”,menciona a caloura do curso, Larissa Ramirez. Acadêmica do último semestre, a veterana Amanda Tuneca é só elogios quando fala do curso. “Me encontrei na Publicidade e Propaganda da Unigran. Aqui nós temos o melhor no quesito corpo docente, estrutura de ensino e laboratórios. Aprendemos na prática, a teoria”, enfatiza. Uma noite descontraída, com muitas risadas e conversa animada. Mostra que a integração perfeita entre funcionários, professores e alunos veteranos, geram alegria e aprendizado. Sentimentos que caminham harmoniosamente lado a lado.

'ÒOLDğUPDFRQYÓQLRFRP,)06SDUDRWLPL]DUJHVWÂRSĎEOLFD O sistema vai permitir LGHQWLğFDUSUREOHPDVH eliminar as pendências De Dourados A Prefeitura de Dourados vai firmar uma parceria com o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul para utilizar recursos das turmas de Informática da Internet na elaboração de um jogo para atividades educativas da Agetran, um aplicativo para uso interno da Secretaria de Educação e outro para auxiliar a população nos registro de situações que demandam atuação das secretarias de Obras e de Serviços Urbanos, bem como para fazer denúncias depredação do patrimônio público à Guarda Municipal. Ontem, o diretor-geral do Campus Dourados do IFMS, Carlos Vinícius Figueiredo, esteve reunido com a prefeita Délia Razuk

e apresentou a proposta de parceria para utilização dos conhecimentos empregados e do ambiente de estudo na elaboração das ferramentas. “Nós precisamos fomentar a utilização das nossas estruturas e aplicar na prática o conhecimento adquirido pelos alunos nestes cursos. Ganha a comunidade, ganha o IFMS e ganham os estudantes”, disse a prefeita. Carlos Vinícius disse que esta é a forma que o IFMS tem de retribuir todo o investimento em ensino e pesquisa. A parceria deve durar dois anos. Um dos trabalhos que geram mais expectativa é a elaboração do aplicativo que vai auxiliar a comunidade nas ações de fiscalização e solicitação de serviços, denominado SOS Dourados. Através da ferramenta, o cidadão terá condições de enviar, direto do local, imagem e informações sobre a necessidade de tapa-buraco, limpeza de terreno, recuperação de iluminação, denunciar depredação e focos de dengue.

IPTU vence sábado em Dourados Pagamento em dia garante ao contribuinte descontos que vão de 10% a 30% De Dourados Vence neste sábado o prazo para pagamento à vista ou da primeira parcela do IPTU. De acordo com o diretor de Administração Tributária da Prefeitura de Dourados, Claudio Matos, o tributo pode ser quitado à vista ou parcelado, nas agências bancárias até amanhã ou segunda. Sábado, nas casas lotéricas. O contribuinte que optar pelo pagamento em cota única até o vencimento, e que não esteja em débito

com o tributo, terá direito a desconto de 20%. Para quem tiver débito com imposto do ano anterior o desconto é de 10%, se quitado até dia 10. Quem tem débitos parcelados e está em dia, o desconto é de 15% para o pagamento à vista. O contribuinte que nos últimos quatro anos efetuou o pagamento do IPTU à vista é beneficiado com o Programa Bom Pagador, que dá desconto de 30% no valor total. O contribuinte inscrito em dívida ativa ainda pode negociar débitos e ter mais desconto para pagamento à vista do IPTU até a data do vencimento da primeira parcela. Dia 29 de março é o último dia para contribuinte pedir revisão dos valores ou tirar dúvidas.


3

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Dia a Dia

Prefeito participa de sessão de início dos trabalhos do Legislativo O prefeito de Jateí lembrou que ao assumir o mandato ğUPRXFRPSURPLVVRFRPRVYHUHDGRUHVSDUDVRPDUHVIRUÍRV DIVULGAÇÃO

“Encontremos muitas dificuldades, mas a nossa realidade na malha viária é outra,graças aos nossos esforços, com participação da Câmara e principalmente de nossosfuncionários, temos ponte concluída, dezenas de tubulações e diversas frentes de trabalho” diz o prefeito. Com investimento do Governo do Estado, Eraldo frisou que esta em fase licitatório obras de recapeamento na entrada da cidade: Revitalização Corretiva e Preventiva da Rodovia MS-478, trechoentrº BR-376 Intervenção do acesso ao Distrito de Nova Esperança, em uma área total de 42.718,70m².Como também já licitado restauração das vias urbanas de Jateí e o serviço de tapa buraco no Distrito, que abrangerá os pontos mais críticos existentes. Na oportunidade o presidente Edison Paz realizou uma revisão das ações desenvolvidas no Legislativo, assim reafirmaram o compromisso

Eraldo disse que no exercício de 2017 buscou incansavelmente resolver as causas mais angustiantes do município

A Câmara de Vereadores de Jateí realizou a primeira sessão do ano de 2018 nesta segunda-feira (05)

De Jateí O prefeito de Jateí Eraldo Jorge Leite acompanhado da vice-prefeita Cileide Cabral da Silva Brito participou da sessão de abertura dos trabalhos para exercício de 2018, referente a14ª Legislatura,realizada no plenário Vereador José Florêncio da Silva na presidência do ve-

reador Edison Paz, no último dia 05 de fevereiro, segunda-feira. Em seu pronunciamento o prefeito demonstrou satisfação em participar do reinicio dos trabalhos do Legislativo, relembrando que ao assumir o mandato firmou compromisso com os vereadores para que somassem esforços na busca de benefícios a comu-

Prefeito sai de férias e vice assume a Prefeitura

nidade. Eraldo enfatizou ainda que no exercício de 2017 incansavelmente buscou debelar as causas mais angustiantes do município, em destaque a malha viária que se encontrava em péssimas condições.O mesmo garante que não esta 100 % resolvido, mas esta caminhando para isso, chegando aos 90% de satisfação.

com o Executivo em colaborar ainda mais para o bem estar e melhoria de qualidade do povo de Jateí.Por fim o prefeito Eraldo Leitediz que a intenção é deixar a cidade com melhor aspecto, proporcionando grandes benfeitorias, mas para isso é necessário somar forças e trabalho, tudo na medida do possível, serviço que cabe ao Legislativo e Executivo juntamente com seus funcionários. Participaram também do inicio das atividades os demais vereadores, párocopadre Ailton Vicente, Comandante do Corpo de Bombeiros Major Jesus que no ato representou Maj. BM Congro, Secretários Municipais e demais lideranças locais.

Novo Conselho toma posse na cidade de Caarapó DIVULGAÇÃO

Foram empossados 12 titulares para mandato até 2020 Os conselhos são espaços públicos de composição plural e paritária Tomou posse no ultimo dia 31 de janeiro o CMDCA de Caarapó.Foram empossados 12 titulares e igual número de suplentes para mandato que vai até 2020. Tomaram posse, entre titulares e suplentes, os seguintes conselheiros: Paulo Sergio Diniz, Lucas Nelci, Odete Lara, Camila Almeida Mendes, Sandra Silva, Elizabete Severo da Silva, Jakeline de Jesus Cavichioni, Katia Regina Murakami, Clenilson Francisco, Ivan Fernando Cabral, Nilson Jose, Leani Henches, Sidneia Lima, Eliane Maria Naiverth, Marta Fernandes Furtado, Miriam Bezerra. A secretária de Assistência Social, Carolina Silva Carvalho, no ato da posse, disse que os conselheiros exercem papel relevante, que auxiliam na execução das políticas públicas. “O

DIVULGAÇÃO

públicos de composição plural e paritária entre Estado e sociedade civil, de natureza deliberativa e consultiva, cuja função é formular e controlar a execução das políticas públicas setoriais. Os conselhos são o principal canal de participação popular encontrada nas três instâncias de governo - federal, estadual e municipal.

DIVULGAÇÃO

A troca de comando foi realizada após uma rápida cerimônia na Prefeitura

O prefeito destacou que 2017 foi um ano de realizações DSHVDUGDVGLğFXOGDGHV

O decreto válido por 180 dias abrange partes das áreas urbana e rural

De Rio Brilhante

De Bataguassu

De Campo Grande

Após um ano de fortes quedas na arrecadação que chegaram a casa de R$ 8 milhões, muito trabalho executado e novos desafios pela frente o prefeito Donato Lopes da Silva saiu de férias nesta terça-feira, 06 de fevereiro deixando o comando da prefeitura por 30 dias para o vice-prefeito Dr. Márcio Belone. A troca de comando foi realizada após uma rápida cerimônia na Prefeitura Municipal de Rio Brilhante, na ocasião o atual prefeito Donato Lopes, empossou interinamente seu vice Mário Belone, que deve exercer a função até o próximo dia 06 de março. Durante as férias Donato deve aproveitar o tempo para se dedicar a esposa, filhos, netos e bisnetos, mas não deve permanecer diretamente afastado da vida pública. Donato ainda demonstrou

A Câmara retomou os trabalhos do Poder Legislativo com sessão. No evento, o prefeito Pedro Caravina apresentou as ações executadas por sua administração em 2017 e o planejamento de 2018. Caravina cumprimentou os vereadores, secretários, servidores, populares e demais autoridades e destacou que 2017 foi um ano de realizações apesar das dificuldades financeiras. Caravina citou que os recursos recebidos recentemente pela Cesp provenientes de multas ambientais têm auxiliado a administração municipal a investir em infraestrutura e apoiar as entidades filantrópicas do município. Entre pontos citados, o prefeito comentou que só na área da Saúde, fo-

O governador Reinaldo Azambuja declarou situação de emergência em mais cinco municípios por conta das chuvas intensas, elevando para 16 o número de cidades com emergência reconhecida. Publicado na página 2 do Diário Oficial do Estade ontem, o decreto válido por 180 dias abrange partes das áreas urbana e rural de Antônio João, Caracol, Bela Vista, Coxim e Rio Verde. De acordo com a publicação, as fortes chuvas causaram diversos danos públicos e privados, principalmente na área rural, e os prejuízos ultrapassaram a capacidade de resposta dos municípios afetados. Ainda de acordo com o documento, estradas na área rural ficaram intransitáveis, não oferecendo

confiança em seu vice, que assume a liderança do município. “O Márcio Belone é um ótimo administrador, ele tem boas idéias e tenho certeza de que conduzirá a prefeitura da melhor maneira possível”. Para o prefeito em exercício Dr. Márcio Belone esse é o inicio de uma nova fase em sua vida política.“É sempre um prazer poder ajudar o meu povo, afinal de contas se hoje nós estamos aqui é porque tivemos a confiança da grande maioria dos eleitores, me sinto lisonjeado com a oportunidade”.

Os conselhos são o principal canal de participação popular encontrada nas três instâncias federal, estadual e municipal

Caravina apresenta ações MS decreta emergência da administração em sessão em mais 5 municípios

DIVULGAÇÃO

Vice-prefeito Dr. Márcio Belone

conselho é um verdadeiro canal de participação popular, no qual a sociedade civil está representada, de forma paritária, com o Poder Público”. Relatou também que os conselhos gestores de políticas públicas são canais efetivos de participação, que permitem estabelecer uma sociedade na qual a cidadania deixe de ser apenas um direito, mas uma realidade. Os conselhos são espaços

Prefeito Pedro Arlei Caravina

ram investidos no decorrer do ano passado mais de R$ 17 milhões, com total de 27, 68% aplicado no orçamento enquanto é de obrigação do município destinar 25% para a área. Conforme o balanço, o orçamento do município para 2018 gira em torno de R$ 70 milhões. O prefeito salientou que prossegue focado em apoiar a geração de emprego e renda no município, buscando investidores que queiram se instalar no município; e também a trabalhar para a disponibilização de mais moradias para a população.

Governador Reinaldo Azambuja

condições de transporte escolar. As intensas precipitações pluviométricas provocaram a destruição e a danificação de obras, pontes, estradas e bueiros. O documento dispensa de licitação os contratos para adquirir bens necessários às atividades de resposta ao desastre. Outros municípios em situação de emergência estadual são Santa Rita do Pardo, Amambai, Porto Murtinho, Coronel Sapucaia, Japorã, Tacuru, Eldorado, Novo Horizonte do Sul, Itaquiraí, Sete Quedas e Iguatemi.


4

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Mulher

MULHER QUINTA-FEIRA

EDINA CASTRO MARQUES

Raio-X

PROFISSĂƒO: Cabeleireira e professora de Artes CĂŞnicas ESTILO MUSICAL PREFERIDO: Gospel TIPO DE LEITURA: A BĂ­blia LUGAR INESQUECĂ?VEL: Praia Bombinhas/SC EVENTO ESPECIAL NA SUA VIDA: Meu casamento e nascimento de meus ďŹ lhos PERFUME PREFERIDO: Glamour (O BoticĂĄrio) UMA PEÇA DE ROUPA INDISPENSĂ VEL: Legging O QUE NĂƒO PODE FALTAR EM CASA: Amor e harmonia

VOCĂŠ: IndispensĂĄveis, fontes inspiradoras

PAIXĂƒO: Meus ďŹ lhos

SEU MAIOR ORGULHO: Meu esposo

ELEGĂ‚NCIA: Ser verdadeira

O QUE LEVANTA SEU ASTRAL: Rir e conversar com as amigas

Ă?DOLO: Deus

O QUE É FUNDAMENTAL: SONHO: Um mundo verdadeiro e ComunhĂŁo com Deus justo para meus ďŹ lhos UMA FRASE FAVORITA: O QUE OS AMIGOS SĂƒO PARA “Nunca pare de lutarâ€?

Dica

MAQUIAGEM NO CARNAVAL

Quem nĂŁo quer dedicar muito tempo Ă maquiagem, mas quer garantir uma produção bacana, deve pensar bem na escolha do batom para nĂŁo errar. O ideal ĂŠ optar por cores diferentes e marcantes que jĂĄ falam por si sĂł, como o azul, por exemplo. Quer se jogar no glitter, mas nĂŁo sabe FRPRID]HUSDUDÄ&#x;[Ă€ORRXTXHUIXJLUGRVFUHPHV"2VHJUHGRHVWĂ€GHQWUR da nĂŠcessaire: lance mĂŁo de produtos com textura cremosa, que vĂŁo formar uma espĂŠcie de cola na pele. Mais uma dica para as preguiçosas que nĂŁo querem perder muito tempo na produção da make ĂŠ apostar em recursos que dĂŁo efeito Ă  longo prazo. ÂŤA extensĂŁo de cĂ­lios ĂŠ perfeita para a ĂŠpoca do Carnaval, pois elimina a necessidade do uso de rĂ­mel e dĂĄ aquele efeito poderoso da hora que acorda atĂŠ a hora de dormir. AlĂŠm disso, nĂŁo corre risco de cair durante a folia.

Estilo - Looks para o carnaval

Receita

SANDUĂ?CHE DE CARNE-LOUCA

INGREDIENTES: 1 colher (sopa) de Ăłleo; 800 gramas cupim ou mĂşsculo; 1 cubo Caldo de Carne; 3 xĂ­caras (chĂĄ) de ĂĄgua fervente; 1 colher (sopa) de margarina ou manteiga; 1 cebola mĂŠdia fatiada; 3 dentes de alho picados; 1 cenoura mĂŠdia cortada em palito; 1 pimentĂŁo verde fatiado; 2 tomates cortados em cubos grandes; 1 colher (sopa) de extrato de tomate; 3 colheres (sopa) de cheiro-verde; 1 folha de louro; 1 sachĂŞ de tempero (a sua escolha); 16 minis pĂŁes franceses. MODO DE PREPARO: Em uma panela de pressĂŁo, aqueça o Ăłleo em fogo mĂŠdio e frite a carne por 10 minutos, ou atĂŠ dourar. Dissolva o cubo de caldo de costela na ĂĄgua fervente e acrescente Ă carne. Tampe a panela e cozinhe por 45 minutos, contados a partir do inĂ­cio da pressĂŁo. Retire do fogo e espere sair todo o vapor para abrir a panela. Retire a carne, guarde RFDOGRGHVÄ&#x;HHUHVHUYH(PXPDRXWUDSDQHODGHUUHWDDPDQWHLJDHP fogo mĂŠdio e refogue todos os vegetais atĂŠ que doure bem, adicione o extrato, cheiro verde, louro e o sache de tempero. Finalize adicionando DFDUQHGHVÄ&#x;DGDHGHSRLVTXHHODLQFRUSRUDUDUHIRJDDJUHJXHXPSRXFR de caldo e cozinhe por mais 10 minutos. Sirva em seguida com o pĂŁo.


Canal Zap

Avenida

Giovana Cordeiro em “O Outro Lado do ParaĂ­soâ€?.

az Beija-Flor faz H GHVÄ&#x;OHVREUH monstros.

3Âť*

3Âť*

CADERNO B Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Abertura dos trabalhos legislativos.. Social Campo Grandee

FOTOS: DIVULGAĂ‡ĂƒO

O diferencial do grupo Sampri ĂŠ que cada uma das integrantes canta e toca um instrumento: Magally no cavaquinho; Luciana no pandeiro; e Renatinha no violĂŁo

CARNAVAL do Clube IndaiĂĄ Folia vai acontecer na ĂĄrea das piscinas e terĂĄ amanhĂŁ GHVÄ&#x;OHGDÄ&#x;QDOGRFRQFXUVRĹƒ0XVDĹ„HĹƒ*DURWR9HUĂ‚RĹ„VKRZ GR6DPSULHWDPEĂ’PVHUĂ€DQLPDGDSHOR'M5LFN$UUXGD De Dourados O Clube IndaiĂĄ resgatou seu tradicional Carnaval e vai trazer Ă Dourados, na noite de amanhĂŁ, toda a energia do Samba e da SapucaĂ­ com o grupo Sampri, de Campo Grande. A folia vai acontecer na ĂĄrea das piscinas do clube e tambĂŠm serĂĄ animada pelo Dj Rick Arruda. Uma das novidades do Carnaval deste ano, ĂŠ que os foliĂľes prestigiarĂŁo o desfile da grande final do concurso “Musaâ€? e “Garoto VerĂŁo 2018â€? 2018â€?, a partir das 20h30, que teve sua primeira seletiva durante o “I VerĂŁo IndaiĂĄ Grande FMâ€?, no dia 19 de janeiro.

A matinĂŞ estĂĄ de volta este ano e serĂĄ realizada no prĂłximo domingo a partir das 16h Folia para a garotada acontece no SalĂŁo dos Presidentes do Clube IndaiĂĄ e terĂĄ concurso de fantasia Com um total de trĂŞs seletivas, todos os candidatos e candidatas estarĂŁo sendo avaliados por jurados em trajes definidos pela coordenação do evento. AlĂŠm do prĂŞmio, os vencedores tambĂŠm representarĂŁo a entidade em diversos eventos, bem como terĂŁo suas fotos ilustrando a publicidade do IndaiĂĄ. JĂĄ a vencedora do concurso “Musa 2018â€? vai representar o Clube IndaiĂĄ no Concurso Musa dos Clubes Sociais do Brasil, que tem como objetivo selecionar uma representante que mostre a beleza e elegância das mulheres brasileiras

durante o Congresso Brasileiro de Clubes 2018, que vai acontecer dia 30 de abril na cidade de Campinas (SP). No ano passado, Marcela Soares foi a musa eleita do Indaiå e representou o Clube concorrendo com outras 21 candidatas de outras agremiaçþes do país. Marcela fez uma apresentação e continua a representar o Clube nos seus eventos. O segundo lote dos convites para o Carnaval do Indaiå estå sendo vendido na secretaria do Clube e na Banca do Jaime no valor de R$ 30 para sócio e R$ 40 para não-sócio. Jå o convite do Espaço Kids custa R$ 10 para sócio e R$ 20 para não-sócio. Outras informaçþes podem ser obtidas no telefone (67) 3426 4777. A famosa matinê do Clube Indaiå tambÊm estå de volta no Carnaval deste ano. No domingo, a partir das 16h, a folia para a garotada acontece no Salão dos Presidentes e tem em sua programação um concurso de fantasia, apresentação de palhaços e pintura facial. A animação serå com o Dj Rick Arruda. Para a matinê, as crianças não pagam e o convite para os adultos custa R$ 10 para sócio e R$ 20 para não-sócio. Brasilidade O Sampri foi criado em 2002, de forma inusitada, tal qual diversos grupos e bandas que adornam o cenårio da MPB, nasceu de uma roda de samba de fundo de quintal. Da conversa calorosa e da batucada intimista veio a ideia de formar um grupo. A partir de 2005, Sampri seguiu sua trajetória com três integrantes: Magally, Luciana e Renatinha -, que se apresentam em todo o Mato

PONTO A PONTO 3$66$5(/$, FoliĂľes prestigiarĂŁo o desfile da grande final do concurso “Musaâ€? e “Garoto VerĂŁo 2018â€?, a partir das 20h30. 3$66$5(/$,, Com um total de trĂŞs seletivas, todos os candidatos e candidatas estarĂŁo sendo avaliados por jurados . $1¡1&,26 AlĂŠm do prĂŞmio, os vencedores terĂŁo suas fotos ilustrando a publicidade do IndaiĂĄ. Grosso do Sul, sua terra natal, com shows em SĂŁo Paulo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal e Santa Catarina. Em 2013, o grupo lançou seu primeiro CD autoral, o ĂĄlbum “Sampri - Um Bom Samba Faz Bemâ€?. TrĂŞs anos depois, o grupo se prepara para a gravação do segundo CD - “ResistĂŞnciaâ€? -, por ser um dos Ăşnicos grupos do Estado de MS a manter a cultura do samba em evidĂŞncia. O diferencial do Sampri ĂŠ que cada uma das integrantes canta e toca um instrumento: Magally no cavaquinho; Luciana no pandeiro; e Renatinha no violĂŁo. A linha de frente do grupo - pandeiro, cavaco e violĂŁo - ĂŠ composta pelas trĂŞs integrantes, que sĂŁo irmĂŁs. Cada uma se identificou com um instrumento diferente, muito embora a paixĂŁo pelo samba seja unânime. Movimentar grandes multidĂľes nĂŁo ĂŠ exatamente o objetivo do grupo. A ideia central ĂŠ contribuir com a MĂşsica Popular Brasileira (MPB) e eternizar a cultura tĂŁo bela do samba tradicional e seus nuances.

Dj Rick Arruda agita folia na sexta-feira e domingo na matinĂŞ

A

Programação

DiversĂŁo

Sesc traz samba e matinĂŞ nesta semana de Carnaval Centro de De Campo Grande

DIVULGAĂ‡ĂƒO

A semana tambĂŠm tem som para quem prefere o pop rock. O Serviço Social do ComĂŠrcio AmanhĂŁ, quem se apresenta ĂŠ (Sesc) Morada dos BaĂ­s de a banda Fusca 69, que agita o Campo Grande entra no clima pĂşblico com o melhor do rock de Carnaval com muita folia clĂĄssico e um blues de primeira, embalada por samba de qua- como Rolling Stones, Eric Claplidade e tambĂŠm tem opção ton e Celso Blues Boy. para quem gosta de rock. As JĂĄ no sĂĄbado, o Morada dos apresentaçþes musicais co- BaĂ­s preparou uma tarde esmeçam ĂĄs 20h e tem entrada pecial de Carnaval para os pegratuita. quenos, das 14h30 Ă s 17h30 tem Nesta quinta-feira, Daran matinĂŞ para criançada cair na Junior e Banda comandam a folia, com muita animação, pianimação. O campo-granden- poca e refrigerante. A noite, a se percussionista, intĂŠrprete SDUWLUGDVKDDQLPDĂ?Ă‚RÄ&#x;FD de samba enredo e amante do por conta do ForrĂł PVC, mistuJĂ“QHURWHYHIRUWHLQÄ XĂ“QFLD rando suas diferentes referĂŞndos pais que eram passistas cias na paixĂŁo e humildade de e ĂŠ assĂ­duo frequentador de forrĂłzear e arrastar a chinela rodas de samba “Tive a opor- no salĂŁo. O que garante a mistunidade de fazer parte de celânea ĂŠ a composição, o grubandas de artistas nacionais po ĂŠ formado por mĂşsicos de como Chrigor (Exaltasamba) diferentes cantos do Brasil que e Marquinhos Sathan. Fiz par- se juntaram. te de algumas escolas de samba de Campo Grande como rit- Serviço mistas: Tradição Cinderela, 26HVF0RUDGDGRV%DâVÄ&#x;FDQD do JosĂŠ AbraĂŁo, Gres Igreji- Avenida Noroeste, 5140. Innha, Gres Tradição do Panta- formaçþes pelo telefone (67) nal e Gres Vila Carvalhoâ€?. 3311-4300. IntĂŠrprete de samba Daran Junior faz show nesta quinta-feira

Convivência faz baile de Carnaval De Dourados O baile de Carnaval para os participantes dos Centros de Convivência dos Idosos (CCI), uma tradição em Dourados, acontece amanhã, no CCI Andre’s Chamorro, das 13h às 17h. A ação marca o retorno das atividades após recesso na unidade, bem como no CCI Maria Martiniano de Brito. A tarde serå de animação com grupos de música que enfatizarão as marchinhas de Carnaval para o público. Conforme a direção haverå ainda brincadeiras e um coffee-break em um ambiente decorado com tema da comemoração. Na unidade Andre’s Chamorro, a ginåstica e o vôlei adaptado retornam nesta semana. As atividades de crochê,

pet aplique, coral, ponto cruz e bordados de chinelo terĂŁo inĂ­cio na prĂłxima semana. No CCI Maria Martinia-no GH%ULWRDVRÄ&#x;FLQDVGHFRUDO violĂŁo, artesanato e as atividades com caminhada serĂŁo retomadas. Os espaços jĂĄ estĂŁo abertos diariamente para receber os idosos e contam com espaço de jogos liberados. Outras atividades estĂŁo sendo estruturadas nos Centros e serĂŁo divulgadas em breve Ă comunidade. Serviço Informaçþes das açþes ofertadas nos Centros podem ser obtidas em contato nas unidades. O telefone do CCI Andre’s Chamorro ĂŠ (67) 3411-7648. O telefone do CCI Maria Martiniano de Brito ĂŠ (67) 3424-2046.


2

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Variedades CAROL BORGES/CZN.

CANAL ZAP

canalzap@cartaznoticias.com.br

De acordo com a marĂŠ Giovana Cordeiro gosta de estar sempre preparada. No ar em “O Outro Lado do ParaĂ­soâ€?, a atriz de 21 anos entrou na trama de Walcyr Carrasco sabendo que sua personagem poderia tomar rumos inesperados. Por isso, nĂŁo se assustou quando a jovem ClĂŠo foi parar no fictĂ­cio bordel comandado por Leandra, papel de Mayana Neiva. ApĂłs uma primeira passagem frustrada pela chegada de sua avĂł Mercedes, interpretada por Fernanda Montengro, a menina acabarĂĄ cedendo aos argumentos de Leandra e voltarĂĄ ao local definitivamente. “Como a histĂłria dela nĂŁo se desenvolveu por completo, as pessoas estĂŁo curiosas. Desde criança, ela demonstra que nĂŁo gosta da vida que leva ao lado da avĂł. Acho que ela tem uma ambição, mas nĂŁo sei atĂŠ onde ela vai por conta dissoâ€?, explica ela, que estĂĄ animada com as nuances da novela das nove. “Para mim, como atriz, ĂŠ maravilhosa essa transiçãoâ€?, completa. Sabendo que a qualquer momento tudo poderia mudar, Giovana bus-

DIVULGAĂ‡ĂƒO/GLOBO

cou estudar bastante sobre a nova temĂĄtica de ClĂŠo. Por isso, fez sua preparação junto com as demais atrizes do nĂşcleo do bordel. “Assisti a muitos filmes tambĂŠm. Conversei com algumas meninas e vi documentĂĄrios e reportagensâ€?, afirma. ApĂłs participar de “Rock Storyâ€?, Giovana estĂĄ em sua primeira novela das nove. Ainda se adaptando ao horĂĄrio, ela revela que sente algumas diferenças quanto ao “feedbackâ€? do pĂşblico. “O retorno ĂŠ diferente pelo nĂşcleo e pela densidade da histĂłria. Mas, mesmo assim, ĂŠ muito tranquilo e respeitosoâ€?, vibra.

3DUDRFDSâWXORGRDUUHEDWDPHQWRGHĹƒ$SRFDOLSVHĹ„ GD5HFRUG&RPERQVHIHLWRVHVSHFLDLVDSURGXĂ?Ă‚R FRQVHJXLXVHJXUDURFOLPDGHFDRVHGUDPDGRHQUHGR&RPDQRYDIDVHRIROKHWLPWHPWXGRSDUDVDLU GRPDUDVPRHPTXHVHHQFRQWUDYDDWĂ’DTXL

NOVELAS 5HGH*ORER

TEMPO DE AMAR

DEUS SALVE O REI

17h00 /XFLQGDH[SXOVD)HUQĂ‚R GHVXDFDVDPDVILFDPH[LGD FRPREHLMR)HUQĂ‚RGHVFREUH TXH,QĂ€FLRĂ’FDVDGRFRP/XFLQGD&HOLQDFRPHPRUDDYHQGD GRYHVWLGRGHVXDPĂ‚H/XFHUQHFRQWDD*LOEHUWHVREUHVXD FRQYHUVDFRP7HRGRUR/XFLQGDSHQVDHP)HUQĂ‚R$O]LUD VHID]GHYâWLPDDRVDEHUTXH VHXYHVWLGRIRLYHQGLGR&HOLQDTXHVWLRQD&HOHVWHVREUHD SDWHUQLGDGHGH3HSLWR$FDVD TXH)LUPLQRHVWDYDFRPDIDPâOLDSHJDIRJRHWRGRVWHQWDP DMXGĂ€ORV'HOÄ&#x;QDSDUDEHQL]D 9DVFRSRUWHUFXPSULGRVXDV RUGHQV

18h00 $PĂ€OLD JDUDQWH D $IRQVRTXHHVWĂ€JUĂ€YLGD'HSRLVGHUHSUHHQGHU+HUPHV DRYĂ“ORFRQYHUVDQGRFRP $XJXVWR&RQVWDQWLQRDFRQVHOKDRDPLJRDILFDUORQJH GH'HPĂ’WULR/XFUĂ’FLDSHGH D2VLHOTXHDHQVLQHDSLQWDU $XJXVWRVROLFLWDD'HPĂ’WULR que convide os atores da FRPSDQKLDGHWHDWURSDUD ID]HUHPXPDDSUHVHQWDĂ?Ă‚R QRFDVWHOR6HOHQDGL]D8OLVVHVTXHHOHĂ’XPDSHVVRDIHOL]TXDQGRHVWĂ€QDFR]LQKD 7LDJREHLMD'LDQD$XJXVWRVH GLYHUWHFRPDDSUHVHQWDĂ?Ă‚R GDFRPSDQKLDGHWHDWUR

5Âť3,'$6 Nesta quinta em “Tempero de FamĂ­lia VerĂŁoâ€?, Rodrigo Hilbert recebe o jĂłquei amador Chico Chagas. O “The Noiteâ€? reprisa a entrevista com Rionegro e SolimĂľes nesta quinta. No episĂłdio de hoje de “Brasil a Bordoâ€?, a PiorĂĄ Linhas AĂŠreas irĂĄ divulgar seus voos para o Paraguai. A partir de amanhĂŁ, a RedeTV! estreia sua cobertura de Carnaval.

%$,/('( &21)86¤(6 :DOF\U&DUUDVFRLUĂ€ DSURYHLWDUR&DUQDYDO SDUDLQVHULUDIHVWDQD WUDPDGHĹƒ22XWUR /DGRGR3DUDâVRĹ„(P FHQDVSUHYLVWDVSDUD LUHPDRDUDSDUWLUGR GLDDQRYHODH[LELUĂ€ XPEDLOHÂżIDQWDVLD FRPDDOWDVRFLHGDGH GH3DOPDVHFRQWDUĂ€ FRPDSDUWLFLSDĂ?Ă‚RGH XPMÄŽULHVSHFLDO$PRGHOReQJHOD%LVPDUFKL RFDUQDYDOHVFR0LOWRQ &XQKDHDVRFLDOLWH 1DUFLVD7DPERULQGHJX\SDUWLFLSDPGR IROKHWLPGDVQRYH(OHV VHUĂ‚RUHVSRQVĂ€YHLV SRUHOHJHUDVIDQWDVLDV PDLVGHVOXPEUDQWHV GREDLOH$VVHTXĂ“QFLDV IRUDPJUDYDGDVQR KRWHO*OĂśULDQR5LRGH -DQHLURHFRQWRXFRP PDLVGHÄ&#x;JXUDQWHV $0%,(17( 9,578$/ 3DUDPDQWHUDLPSRQĂ“QFLDGRSHUâRGR PHGLHYDODHTXLSHGH Ĺƒ'HXV6DOYHR5HLĹ„ FRQWDFRPRDX[âOLRGH HIHLWRVHVSHFLDLV$V VHTXĂ“QFLDVGRFDVD-

PHQWRGH5RGROIR H/XFUĂ’FLDYLYLGRV SRU-RKQQ\0DVVDUR H7DWĂ€:HUQHFN FRQWDUDPFRP ĹƒFKURPDNH\Ĺ„SDUD UHSURGX]LURFHQĂ€ULR GDLJUHMD$SHQDVD SRUWDGHHQWUDGD RWDSHWHHRDOWDU GHFRUDUDPRHVSDĂ?R7RGRRUHVWRIRL SURGX]LGRHP'H Ä&#x;JXUDĂ?Ă‚RYLUWXDO2 WUDEDOKROHYRXHP WRUQRGHGRLVPHVHV SDUDÄ&#x;FDUSURQWR &21),1$0(172 3238/$5 $DXGLĂ“QFLDSDUFLDO GDĹžHGLĂ?Ă‚RGR Ĺƒ%LJ%URWKHU%UDVLOĹ„UHJLVWURXXP FUHVFLPHQWRFRQVLGHUĂ€YHO$PĂ’GLD GDVGXDVSULPHLUDV VHPDQDVGRĹƒUHDOLW\Ĺ„Ă’GHSRQWRV HP6Ă‚R3DXORH SRQWRVQR5LRGH-DQHLURGRLVSRQWRV DPDLVHPDPERV RVHVWDGRVTXDQGRFRPSDUDGRDR PHVPRSHUâRGRGD HGLĂ?Ă‚RSDVVDGD8P FUHVFLPHQWRGH HUHVSHFWLYDPHQWHQDVSUDĂ?DV

3DUDRIUDFRGHVHPSHQKRGH6Ă’UJLR0DURQHTXH YLYH5LFDUGRHPĹƒ$SRFDOLSVHĹ„&RPERDSDUWHGD QRYHODQRDURDWRUVHJXHVHPFRQVHJXLUHQFRQWUDURWRPGRYLOĂ‚RTXHDFDGDFDSâWXORJDQKD PDLVLPSRUWĂ QFLDHIRUĂ?DQDKLVWĂśULD0DURQHQĂ‚R GHPRQVWUDWHUDEDJDJHPQHFHVVĂ€ULD

O OUTRO LADO DO PARAĂ?SO 20h00 Laura conta a Adriana VREUHRTXHYLXHDÄ&#x;UPDTXHQĂ‚R LUĂ€PDLVYROWDU&ODUDVHSUHRFXSDFRP/DXUDTXHYDLHPERUD DSUHVVDGDGDFDVDGH$GULDQD /DXUDFKHJDHPFDVDHĂ’DJUHVVLYDFRP9LQâFLXV5DIDHOHVWUDQKD RFRPSRUWDPHQWRGDHVSRVDH SHGHTXHHODYROWHSDUDXPDQRYDVHVVĂ‚RFRP$GULDQD5DIDHO GLVFXWHFRP9LQâFLXVHSHUJXQWD D/RUHQDVREUHDLQIĂ QFLDGH/DXUD&ODUDFRPHQWDFRP3DWULFNH 5HQDWRVREUHDH[SHULĂ“QFLDGH /DXUD3DWULFNDYLVDD(OL]DEHWK 'XGDTXHHODWHUĂ€WRGRVRVGRFXPHQWRVQRYDPHQWH

DIVULGAĂ‡ĂƒO

HORĂ“SCOPO Ă RIES De 21/03 a 20/04

0DQWHQKDVHÄ&#x;HODRVVHXV planos e verĂĄ como tudo acabarĂĄ saindo a seu favor. Faça um programa com a pessoa amada. SaĂşde excelente. Raciocine a respeito de tudo o que tem ocorrido com vocĂŞ, para evitar confrontos desnecessĂĄrios. TOURO De 21/04 a 20/05

RaciocĂ­nio rĂĄpido, excelente intuição e mente voltada somente para o bem, ĂŠ RTXHOKHSUHVVDJLDRÄ X[RDVtral deste dia. Contudo, evite excesso de velocidade ao dirigir e seja mais constante em seus projetos.

GĂŠMEOS De 21/05 a 20/06

Uma difícil fase se inicia hoje para você. Os astros indicam roubos, enganos, da queda do crÊdito e da reputação. Procure se precaver. Bom para as investigaçþes. Provavelmente, no decurso do período, deverå receber ajuda de um amigo ou de uma pessoa mais velha. CÂNCER De 21/06 a 21/07

Tendência para investigar assuntos místicos, a química, a medicina e as pesquisas. Terå sucesso. Todavia, evite as aventuras perigosas, acidente, cuide da saúde e não assuma compromisso hoje. Indicaçþes de muita atividade e inconstância neste dia.

LEĂƒO De 22/07 a 22/08

Um pequeno obstĂĄculo, desgosto ou atrito passageiro poderĂĄ surpreendĂŞ-lo as primeiras horas. Esteja prevenido a fim de evitar qualquer FRPSOLFDĂ?Ă‚R,QÄ XĂ“QFLDSRVLWLva para os estudos, associaçþes e amizades.

VIRGEM De 23/08 a 22/09

Hoje tem inĂ­cio uma fase astral em que marcarĂĄ sua DVFHQVĂ‚RHSURVSHULGDGHSURÄ&#x;Vsional. Mas haja com prudĂŞncia HFRQÄ&#x;DQĂ?DHVLHQĂ‚RGHVFXLGH de suas obrigaçþes familiares. VocĂŞ serĂĄ bem sucedido em divertimentos, jogos e em prĂĄticas esportivas. Laura

PALAVRAS-CRUZADAS DIRETAS

SOLUĂ‡ĂƒO DO NÂş ANTERIOR

LIBRA De 23/09 a 21/10

Se sua função ĂŠ pĂşblica, hoje terĂĄ satisfaçþes e receberĂĄ honras. Por outro lado, o fluxo ĂŠ bom aos negĂłcios e as novas empresas e especulaçþes que realizar. Sucesso no amor. A inquietude, devido a sua busca em querer fazer alguma coisa diferente, pode deixar vocĂŞ cansado. ESCORPIĂƒO De 23/10 a 21/11

Bons pressentimentos relacionados em seus negĂłcios Ä&#x;QDQFHLURVIDUĂ‚RFRPTXHWXGR mude para melhor. Dia dos mais positivos aos assuntos Ă­ntimos e as questĂľes sentimentais e amorosas. Sucesso para os artistas, funcionĂĄrios pĂşblicos e viajantes deste signo. SAGITĂ RIO De 22/11 a 21/12

Não assuma compromissos ou responsabilidade sem antes estudar suas reais condiçþes. Dia positivo a vida religiosa e ao amor. Faça pequenas alteraçþes na sua rotina. Existe a possibilidade de você aceitar alegremente todos os seus deveres e responsabilidades. CAPRICÓRNIO De 22/12 a 20/01

Prepare-se para receber surpresas agradĂĄveis neste dia. Por outro lado, conseguirĂĄ Ăłtimos resultados em seus empreendimentos novos QRFDPSRSURÄ&#x;VVLRQDODQHJĂścios e nas comunicaçþes de um modo geral.

AQUĂ RIO De 21/01 a 19/02

Período positivo para as suas atividades artísticas e tudo que estå relacionado com as artes. Os lucros e os negócios atravÊs do esforço empreendido no trabalho deverão aumentar. Não e possível acertar todos os setores da sua vida, se você mesmo não estå se importando. PEIXES De 20/02 a 20/3

O trabalho renderå o bastante para deixå-lo feliz; excelente chance de realizar negócios imobiliårios. Todavia, evite discutir em seu lar. Tudo o que você pensar ou fizer durante este período, poderå vir a acontecer o melhor modo possível. Um episódio romântico ou sentimental poderå acontecer.


3

Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Variedades

Escola Beija-Flor faz desďŹ le sobre

monstros e criadores Ideia ĂŠ do coreĂłgrafo da FRPLVVĂ‚RGHIUHQWH0DUFHOR0LVDLOLGLVDSDUWLUGRURPDQFHGHÄ&#x;FĂ?Ă‚RĹƒ)UDQNHQVWHLQĹ„ 1DREUDFLHQWLVWDGĂ€YLGDDXPDFULDWXUDFRQVWUXâGDFRPSDUWHVGHSHVVRDVPRUWDVWRUQDQGRVHXPDÄ&#x;JXUDIHLD Da AgĂŞncia Brasil Ăšltima a desfilar pelo grupo especial do carnaval do Rio, a Beija-Flor de NilĂłpolis pretende fechar com chave de ouro. O enredo tem um tĂ­tulo comprido: “Monstro ĂŠ Aquele Que NĂŁo Sabe Amar. Os Filhos Abandonados da PĂĄtria Que os Pariuâ€?. Dentro dele, a escola tem muito a contar para revelar quem ĂŠ o verdadeiro monstro nessa estĂłria. A sinopse da comissĂŁo de Carnaval que expli O Salgueiro tem uma caracterĂ­stica interessante: Ă s vezes os sambas nĂŁo sĂŁo tĂŁo badalados como os de outras escolas, mas fazem a diferença na hora do desfile ca o enredo dĂĄ uma dica: “o

A escolha de temas crĂ­ticos nĂŁo ĂŠ inĂŠdita. Ainda estĂĄ na lembrança RGHVÄ&#x;OHGHFRP “Ratos e Urubus...â€? monstro ĂŠ a criatura de aparĂŞncia repugnante? Ou ĂŠ o criador, com o seu egoĂ­smo, seu orgulho, sua arrogância e seu coração corrompido?â€?. A ideia do enredo ĂŠ do coreĂłgrafo da comissĂŁo de frente da escola, Marcelo Misailidis, a partir do romance de ficção e terror “Frankensteinâ€?, de autoria de Mary Shelley. Na obra, que agora completa

200 anos, um cientista dĂĄ vida a uma criatura construĂ­da com partes de pessoas mortas, tornando-se uma figura feia. Depois de rejeitada pelo criador, ela vaga em busca de companhia. “DaĂ­, para fazer um espelhamento para a nossa realidade foi um pulo. Quem sĂŁo os nossos doutores Frankenstein? Quem sĂŁo as nossas criaturas abandonadas? SĂŁo abandonadas por quĂŞ? Por preconceito, por ganância, por corrupção? Onde estĂŁo nossos laboratĂłrios de filhos abandonados? Onde estĂŁo nossos filhos abandonados? EstĂŁo nos sinais de trânsito vendendo doces e balas em vez de estarem nas escolas? Estariam nas filas dos hospitais sem atendimento e morrendo?â€?, indagou Cid Carvalho, que ĂŠ um dos carnavalescos que integram a comissĂŁo de carnaval da escola. A escolha de temas crĂ­ticos pela Beija-Flor nĂŁo ĂŠ inĂŠdita. Ainda estĂĄ na lembrança de muita gente o desfile de 1989, com “Ratos e Urubus... Larguem a Minha Fantasiaâ€?, do carnavalesco JoĂŁosinho Trinta. A alegoria com figurantes vestidos de mendigos que trazia um Cristo Redentor precisou passar coberta por um plĂĄstico preto por causa de uma liminar do juiz Carlos

DIVULGAĂ‡ĂƒO

&DQWRU1HJXLQKRGD%HLMD)ORUFRPSOHWDDQRVGHGHVÄ&#x;OHVHHVWĂ€FRQÄ&#x;DQWHHPXPDYLWĂśULDQHVWHDQR

Davidson de Meneses Ferrari, da 15ÂŞ Vara CĂ­vel do Rio, que proibiu a exibição da imagem. Por cima do plĂĄstico preto, JoĂŁosinho botou uma faixa: “Mesmo proibido olhai por nĂłs!â€?. O resultado foi a aclamação do pĂşblico. Cid Carvalho, que depois de 11 anos voltou para a escola, revelou que a crĂ­tica estarĂĄ presente, mas a escola mostrarĂĄ uma redenção no fim do

desfile, que virĂĄ com a representação do sambista. Para ele, assim como Frankenstein, o sambista “era fora dos padrĂľes do inĂ­cio do nosso enredo, historicamente ĂŠ marginalizado, perseguido, excluĂ­do por conta de uma sociedade que o acha fora do padrĂŁo, porque ĂŠ feio o batuqueâ€?. No entanto, o sambista dĂĄ a volta por cima. “Mesmo perseguido, mesmo excluĂ­do,

fez dos seus espaços os mais democråticos dentro do país. Em uma escola de samba, o feio Ê bem-vindo. O preto, o branco, o velho, o novo, o católico, o protestante, o macumbeiro, o gay, o hÊtero. Não hå discriminação perante o sambista, que no final vai pedir: respeite o que lhe parece feio, ame o que lhe parece estranho, porque se o amor vencer as diferenças, viveremos

Salgueiro conta a histĂłria de mulheres guerreiras (VFRODGD7LMXFDOHYDUĂ€SDUD $YHQLGDHQUHGRĹƒ6HQKRUDV do Ventre do Mundoâ€? Da AgĂŞncia Brasil A vontade de representar Xica da Silva no teatro vem de longe, mas os compromissos profissionais nĂŁo tinham permitido atĂŠ agora que o desejo da atriz Roberta Rodrigues fosse realizado. Finalmente isso vai poder ocorrer e para um pĂşbico de cerca de 80 mil pessoas. A personagem de Roberta ĂŠ uma das mulheres fortes, guerreiras, que marcaram e ainda estĂŁo presentes no cotidiano da vida brasileira. É em homenagem a essas mulheres que o Salgueiro, escola da Tijuca, na zona norte do Rio, levarĂĄ para o SambĂłdromo, na prĂłxima segunda-feira, o enredo “Senhoras do Ventre do Mundoâ€?. “O Ăşltimo ano que eu desfilei no Salgueiro foi quando ele foi campeĂŁo em 2009 e eu

brinquei muito dizendo que o Salgueiro ia ser campeĂŁo quando eu desfilasse de novo. EntĂŁo, estou voltando com essa missĂŁo. O Salgueiro sempre faz desfiles incrĂ­veis. É uma escola especial e sempre trata de assuntos que reveem conceitos da nossa cultura. E este ano, eu desfilar como Xica da Silva ĂŠ um presente!â€?, afirma, animada. Segundo Roberta, o convite foi apresentado pelo seu colega, o ator AĂ­lton Graça, que tambĂŠm ĂŠ integrante do Salgueiro. Ele jĂĄ tinha um projeto de montar uma peça com a atriz no papel de Xica, o que em parte estĂĄ sendo realizado com o desfile. “Ele falou: ‘vocĂŞ ĂŠ minha Xica da Silva nĂŁo sĂł na vida, como no Carnaval do Salgueiro’. AĂ­ eu pirei, porque acho de uma importância imensa, nĂłs mulheres negras, e tambĂŠm todo o povo brasileiro, saber da histĂłria da mulher negra no Brasil. SĂŁo mulheres guerreiras, que transformaram, e por isso a

gente tem hoje ascensĂŁo, uma liberdade maior. NĂŁo que seja perfeita. A gente ainda estĂĄ lutando por muitas vitĂłrias, mas jĂĄ deu uma boa caminhada, graças a mulheres como Xica da Silvaâ€?, disse a atriz. O tema foi proposto pela diretoria da escola ao carnavalesco Alex de Souza. Ele imediatamente concordou e desenvolveu o enredo que, na sua visĂŁo, toca em questĂľes sociais ainda atuais, como racismo e misoginia. “O Salgueiro vem feminino e negro como nunca. Acho que a gente vai fazer uma grande poesia na passarelaâ€?, disse Souza, destacando tambĂŠm o papel social da escola. O Salgueiro, que tem a tradição de levar para a avenida histĂłrias com temĂĄtica africana e de figuras de destaque da cultura negra, jĂĄ abordou anteriormente a prĂłpria Xica da Silva, assim como o Quilombo dos Palmares e a Festa para um rei negro, sobre a visita de prĂ­ncipes africanos a Pernambuco.

DIVULGAĂ‡ĂƒO

em um mundo de pazâ€?, conta Carvalho. Otimismo AlĂŠm de encerrar os desfiles no SambĂłdromo, a Azul e Branco da Baixada Fluminense tem um outro motivo para acreditar em uma boa apresentação: o cantor e compositor Neguinho da Beija-Flor, considerado a voz da escola, completa 42 anos de desfiles e estĂĄ confiante em uma vitĂłria. A renovação a cada ano, depois de tanto tempo de avenida, vem da oportunidade de fazer mais uma criação para interpretar o samba-enredo que serĂĄ cantado pelos componentes durante o desfile. “Pode ser um bom parto, como um parto malsucedido, mas graças a Deus, nesses anos todos, Deus tem me ajudado e tenho sido feliz naquilo que a gente gosta de fazer, que ĂŠ dar vida a uma obra inĂŠditaâ€?, revela Neguinho. Para o intĂŠrprete, o melhor samba a ser apresentado no desfile ĂŠ aquele conta bem o enredo com uma melodia de fĂĄcil assimilação – ĂŠ o caso da Beija-Flor este ano, em sua opiniĂŁo, “sem querer puxar a brasaâ€? para a sardinha da escola. “Os compositores foram muito felizes em contar tudo o que os carnavalescos pediram e ter um refrĂŁo esplendoroso que chama o pĂşblicoâ€?.

Força da bateria da Salgueiro Escola tem uma característica marcante: sambas fazem a diferença

5REHUWD5RGULJXHVFRP$OH[GH6RX]D(ODVHUĂ€;LFDGD6LOYD

O samba-enredo da Salgueiro tambÊm Ê um dos pontos fortes deste ano, que tem empolgado os componentes da escola, tanto nos ensaios da quadra quanto nos que ocorreram em ruas da Tijuca. Segundo a diretoria, o Salgueiro tem uma característica interessante: às vezes os sambas não são tão badalados como os de outras escolas, mas fazem a diferença na hora do desfile Outra aposta Ê a bateria do Salgueiro, considerada como uma das melhores da elite do Carnaval carioca. É uma bateria de respeito, bastante eficiente, que tem à frente o mestre Marcão. e espera fazer bonito na avenida na próximasegunda-feira.


Dourados, quinta-feira 8.2.2018 O PROGRESSO

Elvio Lopes

SOCIAL CAMPO GRANDE

Assine O PROGRESSO em Campo Grande pelo telefone (67) 99169-2012 ou e-mail: campogrande@progresso.com.br

elvio @progresso.com.br

ABERTURA ALMS A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) realizou, na manhĂŁ de terça-feira (06), a abertura dos trabalhos legislativos, que contou com a participação do governador Reinaldo Azambuja, do presidente da AL, Oswaldo Mochi JĂşnior e do desembargador Claudionou Miguel Abss Duarte, representando a presidĂŞncia do Tribunal de Justiça do MS, deputados estaduais e autoridades civis HPLOLWDUHVHSÄŽEOLFRTXHORWRXRSOHQĂ€ULR-XOLR0DLD&RQÄ&#x;UDDOJXPDVIRWRVGRHYHQWR

Reinaldo ĂŠ recebido pelo deputado JĂşnior Mochi, pres. da ALMS 0DUD&DVHLUR3DXOR&RUUĂ“D5HQDWR&Ă PDUD/âGLR/RSHV3DXOR6LXÄ&#x;(GXDUGR5RFKDH%DUERVLQKD

Desembargador Claudionir Miguel Abss Duarte, Reinaldo, JĂşnior Mochi, Onevan de Matos e Marcio Fernandes

+HUFXODQR%RUJHVH2QHYDQGH0DWRV

5HLQDOGRFXPSULPHQWD*UD]LHOOH0DFKDGR5HQDWR&Ă PDUD-RĂ‚R*UDQGĂ‚RH$PDULOGR&UX]

(GXDUGR5LHGHO/XFLDQR0RQWDOOL+XPEHUWRGH0DWRV%ULWHVJHQHUDO-RVH/XL]'LDVGH)UHLWDVFRPDQGDQWH0LOLWDUGR -RĂ‚R*UDQGĂ‚R&DER$OPLH'RULYDO%HWLQHVXSHULQWHQGHQWHGR,EDPDDRIXQGR&ODXGLR 2HVWH$QWRQLR&DUORV9LGHLUDHJHQHUDO&DUORV+HQULTXH7HFKHFRPDQGDQWHGDĹž50HDXWRULGDGHVFLYLVHPLOLWDUHV 2VKLURYLFHSUHVLGHQWHGD$&,&*H5REHUWR+DVKLRNDGLUHWRUSUHVLGHQWHGR'HWUDQ06

5HQDWR&Ă PDUD3DXOR6LXÄ&#x;%DUERVLQKD%HWR3HUHLUD/LGLR/RSHV$QWRQLHWD$PRULPH0DUFLR)HUQDQGHV

'HSXWDGRVHVWDGXDLVHSÄŽEOLFRTXHSUHVWLJLRXDEHUWXUDGRVWUDEDOKRVGHVWHDQRGD$VVHPEOHLD/HJLVODWLYDGR06

5HLQDOGR$]DPEXMDH-ĎQLRU0RFKLPRVWUDP Reinaldo, Júnior Mochi e desembargador ClauRUHODWÜULRGDVD�øHVGR*RYHUQRGR(VWDGR dionor Abss Duarte

CONSTITUIĂ‡ĂƒO

ANIVERSARIANTES

2SURIHVVRU/XFLR)OÀYLR6XQDNR]DZDGD8(06&DPSR*UDQGHHQWUHJDXPH[HPSODUGD&RQVWLWXL�ÂRGH0DWR*URVVRGR6XO([SOLFDGD a João Carlos Silva, assessor especial das Institucionais durante visita DR3DOÀFLRGR3ODQDOWRHP%UDVâOLD

O coronel Waldir Ribeiro Acosta, 2H[VHQDGRUGR0DWR*URVVRGR 2GHVHPEDUJDGRUGR757Ĺž5H- O compositor e cantor Paulinho FRPDQGDQWH*HUDOGD3006FR- Sul, DelcĂ­dio do Amaral troca de JLĂ‚R1HU\6Ă€H6LOYDGH$]DPEXMD SimĂľes troca de idade segundacelebra aniversĂĄrio sĂĄbado (10) IHLUD 

idade hoje memora aniversĂĄrio hoje

IMIGRAĂ‡ĂƒO JAPONESA

Sergio Longen, presidente da Fie- (VFULWRUD0DULD$GÒOLD0HQHJD]]R 7DWLDQD5DWLHUGD&RQWH[WRFRms, aniversaria na segunda-feira celebra aniversårio na terça-feira memora idade nova segunda-feira O cônsul-geral do Japão em São Paulo, Yasushi Noguchi, foi recebido na TXLQWDIHLUDSDVVDGD  SHORSUHVLGHQWHGD$VVHPEOHLD/HJLVODWLYD-Ďnior Mochi, consolidando a parceria histórica entre os dois países e apoio dos parlamentares à comunidade nipo-brasileira, para as comemoraçþes GRVDQRVGDLPLJUD�ÂRMDSRQHVDQR%UDVLOHDQRVGHIXQGD�ÂRGD (VFROD9LVFRQGHGH&DLXUXHP&DPSR*UDQGH2FáQVXOUHFHEHXXPD HVWDWXHWDGR&DYDOHLUR*XDLFXUXVâPERORGDVHGHGR/HJLVODWLYRGR06

PARABÉNS DRVDQLYHUVDULDQWHVGDVHPDQD*DEULHOD&DVDJUDQGH*LOEHUWR&DYDOFDQWH0DUFRV&RVWD9LDQQD0RRJ1RHOL1DVFLPHQWR9DOHQWHH5DIDHOGH0RUDLV KRMH 5RGULJRGH3DXOD$TXLQR DPDQKÂ $GDOEHUWR 1HYHV0LUDQGD(GXDUGR%XVK.DULQ6HEHQH1DWKÀOLD4XHLUR]  .DWLD&DUGRVRH5X\$QWáQLR6SâQROD   7HUH]LQKD0DQGHWWD7UDGH7KDâV3DFKLRQL  $QGUÒLD2ODUWHH6XOHLPDU6RXVD6FKURGHU5RVD  $OLQQH 6DQWRV$OLQQH6DQWRV&âFHURdYLODGH/LPD'LHJR6RXWR0DFKDGR5LRV/ÒR3RVVLNH0DULD/L]HWH%ULWR 


O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 8.2.2018

1

Imóveis

2

Apartamentos

3

CLASSIFICADOS

Veículos e utilitários

4

Veículos importados

5

Motos

6

Diversos

7

Telefones

8

Empregos e oportunidades


CLASSIFICADOS

2

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 8.2.2018

80908

1

RUA 20 DEZEMBRO 1366 02 aptos, 02qtos, wc-social, 02 salas, coz, ampla, lavanderia coberta, salões comercial portão automatico. 98190-5474

Imóveis

Casa-Venda 80887

Casa-Aluga 80774

BNH-2º PLANO 1.500 Rua: Mato Grosso, 3005, 1 suite, 2 qtos, wc.social, garagem p/ 3 carros, A. Serviço. 99971-6201/998105152 80898

BNH-III PLANO Particular, 01 apto, 02 qtos, sala, copa cozinha, wc etc.. R$1.300,00 Fone: 999583899- Jones 80827

FLORIDA I 350 REAIS 03 qtos, 02 wc, pintura velha. R. Ozorio N. Siqueira. 3423-2255 71069

JD ÁGUA BOA W13 n 1315 4qts, R$790 c/ fiador, 99952-5959 80825

KETINET AV. Presidente Vargas nº803 per to do Rest. Paladar R$600,00. Tel: 999070180 80748

KIT 1 QUARTO NOVA Excelentes kits, 01 qto, sala, coz, área de serviço, garagem, nova próximo à Avenida Guaicurus. R$ 450,00. Creci 779-J. 34232255 ou 99956-6319 imob. Athenas 80747

KIT NOVA C/ 2QTS kit c/ 2qts, sala, coz conjugada, wc, área de serviço, garagem, próx. Cantina Mato Grosso R$ 450,00 creci 779-J 3423-2255 ou 99956-6319 Imob. Athenas

BONITO-MS Sobrado, ter. 600 m².R$550 mil. Creci-680-J. Tel:999029118

TERRENO GUAICURUS

R. Benjamin Oshiro, 385 A, 1suite c/ closet e sacada, 02 dormitorio c/ armarios planej. sala c/ 02 amb. 1 lavado c/ móveis, coz. planej. completa, A. serviço estenda garagem ampla, fino acabamento. Imob. Gondim Creci-6862-J. Tel: 3421-0034

4 mil Hec. toda formada c/ estrutura p/ planta 50% de Lavoura. Obs; Estuda parte de pgto em permutas. Tel: (14) 99657-1881

12x30 murado R$60.000,00 aceito veiculo. (67)98401-8419

Toda reformada e fino acabamento. 99863-7008 80853

CASA JD. GIRASSOL Aceito carro facilito pgto. 99863-7008 80406

CASA VL SÃO PEDRO Proximo Posto de saude. 99947-8220 OU 996556399

R. Ciro melo 1480, R$650 mil. 99902-9118 80793

COND. VIENA 95 MIL Altos do Indaiá, 02 qtos, sl, coz, wc, garagem. Aceito carro no negócio. 99936-4309 60909

EDÍCULA ÁGUA BOA R$ 60mil. 99996-4845/ 99210-5078 80888

JARDIM PAULISTA

01 suite, 02 qtos, R$690 mil. Creci-680-J. tel: 999029118 80780

JD GUAICURUS

02 qtos, 01 suite, wc. social, sala, cozinha, area serviço. 99614-8131 80587

JD. MÔNACO OPORT. R. Alemanha 555 c/ 2 terrenos Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320 80852

PORTO MADERO terr, ca, sobrado fino acabamento. 99863-7008 78561

KITINET

PQ. COQUEIROS-W6

R. Adroaldo Pizzini, 647, 1qt, coz, wc, 99908-0766

Suite, 2qtos, sala, coz, wc, Izidro P. R$220.000,00 Creci-654J. 3421-4711.

KITINET PRÓX. CENTRO Qt, sala, coz,, Á. serviço. gar. só p/ moto, pg. só luz, R$ 450,00. 99113-9788 80303

KITINET PRÓX. HU

80886

SALÃO + EDICULA Ter. 420 m², R$150 mil N. Horizonte. Creci-680-J. Tel: 99902-9118. 80906

Varias Kit. 02 qtos, sala, coz. estac. Tel:99648-9767 22988

QUARTO FAMILIAR Av.Pres. Vargas nº40. Próx. a Feira, centro. 996401513.

No Cachueirinha por 1 no campina Verde. 996821801 só troca. 80817

VENDO CASA NV. 3 QTO Próximo Atacadão, troco, p/ terreno. 98405-2947

SITIOCA C/ CASA Sitioca 1000m², Bela Vista. Tel:99996-8923 80854

SOBRADO PQ. ALVORADA 01 suite, 02 qtos, fimo acabamento. 99863-7008

72531

VILA TOSCANA Área comercial 12x30, ac. carro 99121-4616

Sítios 80650

01 ESTÂNCIA 36 HA Montada em Itapora, 15 mil sacas de soja. 99933-6060 80274

2

Apartamentos

Apto-Aluga

AO LADO DA MÃO BRAZ

2,0 HEC. ATRÁS Quartel, Poço art. pomar prod. troco por terreno + volta. 99833-8206 80901

2,5 HEC. ATRÁS Quar tel casa, Alvenaria. 99833-8206

Comercial - Aluga 79125

8 SALAS COML CENTRO Escrit. consultorio est. 6 carros. F. 99952-5959. 76680

SALÃO COMERCIAL R. Mato Grosso. Centro Prox a R. Major Capilé R$600 Creci654J F.3421-4711 80846

SALÃO COMERCIAL 450 m², BR-163 Vila Vargas. 99933-6060 80900

SALÃO COMERCIAL Centro c/ casa fundos, 180 mts. 99833-8206

Fazendas 80837

20 HECTARES MATA Para reserva legal, mata nativa. Telefone para contato: 99817-5770. 77049

37 HECTARES

AV.Weimar G.Torres, 5000, próxima Concessionária Jeep, 17,50x40,0=700 m²; preço R$790 mil. Tel: 99137-0524/ 991990646/ 3422-7379 80804

COND. GOLDEN PARK

02 Terrenos. Tratar: 998596651 80800

ECOVILLE II

450 m², contato: Ana99668-2459. 80579

JARDIM PELICANO

Lotes c/ 450m², 65 mil. Creci-6862-J 3421-0034 80576

JD. DAS PALMEIRAS

Ao lado do Ecoville Creci-6862-J Tel: 3421-0034 80878

JD. MÔNACO 14X30

Esquina, R$250 mil c/ prorietario. 99249-9417 80575

NOVO PQ. ALVORADA

60 meses, Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034 80909

80851

PORTO MADERO

80803

PORTO ROYALE 280M²

Particular. Tel: 99859-6651

Arrenda-se 37hectares em Itaporã. Telefone para contato: 99933-6060

80649

500 HECTARES Em Bonito, montada 12 mil hectares. Telefone para contato: 99933-6060 80836

75 ALQUEIRES PASTO Em Caracol-MS pasto reformado. 99817-5770 78829

ARRENDA OU VENDE

517 hectares em Por to Mur tinho. Telefone para contato: 99933-6060 79859

80824

APTO AV. Presidente Vargas nº803 per to do Rest. paladar. R$1.200,00. Tel: 999070180 80905

APTO (2) QUARTOS A. E. ar cond. proximo Unigran. 99971-2754 80808

APTO CENTRO Rua Camilo H. da Silva. ED. Eldorado suite, 02 quartos, sala, coz, wc, A.s. R$850,00 Creci-654-J Tel: 3421-4711 80819

80890

R. MONTE ALEGRE

1560 m², Prox. ABVE, Vila Icasat. Creci-680-J. Tel: 99902-9118 79569

RESID. ESPLANADA Sub esquina 12x25. Tel.99891-5252 80574

SANTA FÉ 60 MESES Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320 80769

SITIOCA CAMPO BELO 1000 m², R$75.000,00. Tel: 99998-2770 80847

ARRENDA-SE 250 HEC

TERRENO COMERCIAL

Na BR em Nova Alvorada do Sul. Tel:(67)99914-3316 ou 99933-6060

Com Escritrio, 408 m² no Santa Fé, 320 mil. cel99638-2711

Um Berço p/ Bebe. 996821801 80663

TORNO MECÂNICO Nardini ND:325 carcaceiro 2002. contato: Leandro F. 99979-3440

Mitsubishi

80500

PALIO 09/10 Completo. prata, R$18,000,00. 04 p. Tel: 99655-9983 80726

PALIO WEEKEND ADV 03/03, vermelho, completo. R$ 14.000,00. 999980039

VENDE-SE (02) PONTOS

PAJERO SPORT HPE

De Moto Taxi, parcelo no cartão. Tel: 99912-9472

2007 manual prata 4x4. Tel: 99904-1964

VENDE-SE TROCA

6

80499

Espetaria em fase de acabamento próx. a Unigran ótima localização. Ac. troca. 99912-9472 80721

Diversos

VENDO CONVENIÊNCIA

UNO 1.0 BRANCO 2014

Rua Monte Alegre, 5270, esquina. 99904-9240 ou 3428-5644

Way- 4p, unico dono, 14 mkm. top, Tel: 99951-6564

VENDO FARMÁCIA

80844

80501

80896

Bem localizada. 996853213

UNO 15/15 PRATA Completo. Tel: 99971-1525

Animais

Ford

DIVIDE-SE APTO

80912

Edificio Milton Barbosa , só para moças c/ referência. Tel: 98145-5076 80658

PQ ALVORADA 02 QTOS Apto próx. Únigran, port. elet. tratar c/ proprietáiro. 99974-6863 80664

PRÓX. UNIGRAN 02 qtos com elevador, R. Cider cerzosimo de souza. Tel: 3423-3027.

Apto-Venda 80578

AO LADO UNIGRAN Ed. Royal c/ elevador em constr. Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320 80903

365m². Esquina parcelado 99863-7008

80833

PRECISA-SE DE DOAÇÃO

80812 80845

PARQUE ALVORADA

Rua Mustafa S.A Sater. 678m², Imob. Gondim Creci-6862-J 3421-0034 ou 99654-1615

Instalacão, manutenção. 99655-3780

80505

Fiat

Terra Dourada Creci-6862-J Tel: 99971-1320

MOTOR P/ PORTÃO

Veículos importados

Terrenos

Motor estacionario c/ gerador MWM 3424-1741/ 99877-8955 ou 984036713 80856

4

14x36 R$170.000,00 Tel: 98184-2777

COMERCIAL

80899

Completo.99971-1525.

MÔNACO

37HA NA GDE DOURADOS

80831

Chácaras

80895

GOL 14/15 PRATA

Veículos e utilitários

Chevrolet

80577

02 suites, 02qtos, R$450 mil. Creci-680-J. tel: 999029118

3

76606

MOTOR MWM

Volksvagem

R$800 mil. Tel:(67)999336060

80889

VILA PLANALTO

80885

CENTRO CRECI-680-J

75246

80729

TROCA 1 CASA

80855

CASA BNH-3º PLANO

80479

NOVA BRASILANDIA-MT

80398 80865

80869

SOBRADO SANTA FÉ

EDIF. SAINT MICHAEL Mobiliado, decorado, 1 suite, 2 qtos, sendo um reversivel c/ a.e, com todos os qtos wc, coz. a. serviço e varanda ar cond. na sl e qtos, 02 vagas garagem elevador Area total 178,32m², Area util 112,90m². R$600.000,00 Tel: 98424-5929- Paulina. 80585

EDIFICIO PADOCK Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 999711320 80586

EDIFÍCIO PLAZA

FORD FIESTA 2014

80805

RESID. CAIUAS 02 qtos. Tel: 99929-1300 ou 99967-2098

02 machos vermifugados, R$ 300,00 cada. 996167403

Preto, completo R$24.000,00 IPVA, Licenciamento 2018 pago. 99978-5972

80876

ROTTWEILER VENDAS

80411

FORD KA PRETO 2012

Filhotes c/ Pedigree, vac. verm. 99997-0187

Completo. R$20.000,00 Tel: 99933-6060

SHIH TZU

Utilitários 80881

F-1000 92/3 COMPLETA F-1000 Dupla 04 portas, MWM 229 turbo, pego veiculo (-) valor R$31mil. whats 99652-6199 80818

F-250 XLT 2009 CS 1º dono, prata, 4x2 top. Tel: 99999-0402 80731

MB 1620 2010 CLASSIC 99692-1502 80913

STRADA 12 FIRE 1.4 Prata cabine simples, comp. imp. 99807-3363 80872

STRADA 14/15 CS 1.4 Working, branca comp. R$29.000,00 Tel: 998073363. 80864

VENDE SCANIA 112 360 preta 1991. 999886986 80371

R. Humberto de Campos, 1215 c/ elevador, Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320

FILHOTES POODLE TOY

80820

VENDE-SE CAMINHÃO Truck 161 8 ano 1995 caçamba Agricula. 99976-9982 80873

VENDO VOLVO N 112 360 ano 93, Bitrem 2003/04, R$99 mil. Tel: 98134-0060

80875 80894

(3) ELEVADOR Hidraulico c/ as Longarina. 99971-1525 766

AR / ELETRICIDADE Instalações e manutenções e elétrica. Tel. 9136-0018(CLARO) / 98319067(VIVO). C/ Edvaldo. 80589

AR COND E ANTENAS Venda, inst. manut. 999397410 ou 99277-8602 80857

CERCA ELETRICA Instalação, manutenção.99655-3780 24219

CERCA ELÉTRICA

Vendo por metro, e motor de portão, interfone. 99964845. 80893

COMPRESSOR DE 40 PÉS

Marca chutz. Tel: 999711525

80699

ELETRICISTA

Instalações, manutenções e montagem de Padrão. 99943-8856-Rodrigo. 80858

INTRFONE

Instalação , manutenção. 99655-3780

80871

MONTADOR DE MÓVEIS Consertos em geral. 996371933

Preto e branco c/ 3 vacinas. (67) 99913-2025 80365

VENDE-SE 75 GARROTES E 40 novilhas, 01 petiço, 01 potranco 4º de milha. 99933-6060

Implementos Agrícolas 80653

VENDE-SE OU TROCA Por gado, 01 trator CBT 2105 c/ lâmina ano 80 e 1 caminhão 1113 boiadeiro ano 82. Tel: 99933-6060 80877

VENDO TRATOR MF. Massey Ferguson 265. 98191-2712


CLASSIFICADOS

80823

QUERO TRABALHAR

80829

80897

QUERO TRABALHAR 80760

QUERO TRABALHAR Pedreiro, carpinteiro, construçþes, calçadas, pisos e reformas em geral. (67) 99679-1441 Heli 80802

QUERO TRABALHAR

80811

QUERO TRABALHAR

PRECISA-SE

Faxineira c/ referĂŞncia p/ meio periodo. Tel: 3422-7132

O contratante deverå solicitar referências do contratado. FIQUE ATENTO Alguns oportunistas estão ofertando emprego por meio de anúncios nesse espaço, cobrando pelo cadastro e exigindo dados pessoais dos candidatos. Fique atento para os anúncios de oferta de emprego e, na dúvida, procure informação diretamente com o futuro empregador. Não pague por cadastro. Não caia em golpe! 80608

CONTRATA-SE Representante Comercial que jĂĄ esteja trabalha na ĂĄrea Automotiva. caminhĂŁo e maquinas agricula. Ofereço uma o portunidade de Agregar ĂĄ venda de Ă“leo e LubriďŹ cantes p/ Dourados e RegiĂľes, Remuneração, comissĂŁo. Filial Campo Grande-MS. Contato:(67) 99985-0363. 80867

CONTRATA-SE Empresa no ramos de Veiculos com experiĂŞncia em vendas. Interessados enviar Curriculos: rhddos@gmail.com

Na regiĂŁo de Dourados, serviço em fazenda, sitio para cozinhar em Empresa, limpeza, tem exp. em leiteria. Solteira 2 ďŹ lhos. 99875-3477 80816

QUERO TRABALHAR

80883

Procura-se Emprego O contratante deverĂĄ solicitar referĂŞncias do contratado. ATENĂ‡ĂƒO LEITOR GOLPISTAS estĂŁo postando anĂşncio nesse espaço se oferecendo para trabalhar como diarista ou domĂŠstica e quando sĂŁo contratadas acabam praticando furtos em residĂŞncias ou empresas. Antes de contratar qualquer pessoa por meio de anĂşncio, procure se informar junto Ă PolĂ­cia Civil sobre os antecedentes da pessoa interessada na vaga. O jornal O PROGRESSO nĂŁo tem qualquer responsabilidade sobre o comportamento ĂŠtico das pessoas que anunciam em seu classiďŹ cado. 80759

DOMÉSTICA OU LIMPEZA

Em comercio c/ exp. e ref. 99802-2250

80686



ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL Prefeitura Municipal de Dourados

QUERO TRABALHAR Caseiro p/ trabalhar em sitio, chĂĄcara ou fazenda. 99912-3914 80882

QUERO TRABALHAR De copeira assistente Loja, faxina. 99979-7580- Cleonice

QUERO TRABALHAR Jardinagem completa, roçada e limpeza de terrenos. 99663-6547 80866

QUERO TRABALHAR Cozinheira ou ajudante com pratica e ref. Firmas, Restaurante, Marmitaria e residencia. Telefone para contato: 99292-6082-Suily 80862

QUERO TRABALHAR Diarias, cel. 99632-1235Ana Maria 80859

Diarista, faxina em residencia e comercio, terça e sexta. 99617-0949

QUERO TRABALHAR Faxinas, diarias. cel. 99916-9696-Maria

80914

80842

QUERO TRABALHAR

QUERO TRABALHAR

Cuidadora de Idosos c/ exp. e ref. 99974- 9886 Rosilene

Diarista 1 ou 2x por semana c/ exp. e ref. Telefone para contato: 99935-7470

80911

80907

QUERO TRABALHAR

QUERO TRABALHAR

Diarista ou 3 x na senama, ser viços gerais. 998491679 Marsile.

Casal sem ďŹ lhos para trabalhar em sitio, chĂĄcara de caseiro. Telefone para contato: 99674-5234 ou 99650-8787

80910

QUERO TRABALHAR SecretĂĄria, ou recpcionista, tenho exp. e Reg. em Carteira. Fone: (67) 99910-9996 ou 99910-9996-MĂĄrcia



80850

QUERO TRABALHAR] DomĂŠstico ou diarista c/ ref. 99936-7668

INSTITUTO DE MEIO AMBIENTE DE DOURADOS



 (',7$/ $ (035(6$ '( 6$1($0(172 '( 0$72 *52662 '2 68/ 6$ WRUQD 3~EOLFRTXHUHTXHUHXGR,QVWLWXWRGH0HLR$PELHQWHGH'RXUDGRVÂą,0$0GH 'RXUDGRV 06  D 5HQRYDomR GH /LFHQoD GH ,QVWDODomR SDUD DWLYLGDGH GH HVWDomR HOHYDWyULD GH HVJRWR EUXWR Âą (((% ,Sr ORFDOL]DGD QD FRQIOXrQFLD GR &yUUHJR ĂˆJXD %RD FRP &yUUHJR 3DUDJHP 61 %DLUUR 6\ULD 5DVVHOHQ QR PXQLFtSLR GH 'RXUDGRV 06  1mR IRL GHWHUPLQDGR (VWXGR GH ,PSDFWR $PELHQWDO 

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL Prefeitura Municipal de Dourados  

INSTITUTO DE MEIO AMBIENTE DE DOURADOS

 (',7$/ $ (035(6$ '( 6$1($0(172 '( 0$72 *52662 '2 68/ 6$ WRUQD 3~EOLFRTXHUHTXHUHXGR,QVWLWXWRGH0HLR$PELHQWHGH'RXUDGRVÂą,0$0GH 'RXUDGRV 06  D 5HQRYDomR GH /LFHQoD GH ,QVWDODomR SDUD DWLYLGDGH GH HVWDomR HOHYDWyULD GH HVJRWR EUXWR Âą (((% (VWUHOD 9HUi ORFDOL]DGD QR SURORQJDPHQWRGD5XD3URMHWDGDSUy[LPRjPDUJHPHVTXHUGDGR&yUUHJR 2OKR GÂśĂˆJXD 61 %DLUUR (VWUHOD 9HUi QR PXQLFtSLR GH 'RXUDGRV 06  1mR IRLGHWHUPLQDGR(VWXGRGH,PSDFWR$PELHQWDO 



/8,6$/%(572'(*$1,'(2/,9(,5$ 2),&,$/'25(*,6752&,9,/  

)$d26$%(5TXHKDELOLWDUDPSDUDILPGHFDVDPHQWR 

  RV FRQWUDHQWHV '(/),12 $/9(6 '$ 6,/9$ H 0Ă&#x2C6;5&,$ 9(5$ 2 SUHWHQGHQWHQDVFHXHP%RQLWR(VWDGRGH3DUiDRVYLQWHHFLQFR  GHQRYHPEUR   GHXPPLOHQRYHFHQWRVHFLQTXHQWDHVHWH  WUDWRULVWDGLYRUFLDGRILOKRGH0LJXHO *RPHV GD 6LOYD H 5RVLQKD $OYHV GD 6LOYD GRPLFLOLDGR H UHVLGHQWH j $OGHLD ,QGtJHQD -DJXDSLUX QÂ&#x17E;  =RQD 5XUDO 'RXUDGRV06  $ SUHWHQGHQWH QDVFHX HP 'RXUDGRV (VWDGRGH0DWR *URVVR GR 6XODRV VHLV   GH MDQHLUR   GHXP PLO H QRYHFHQWRVH VHWHQWD H TXDWUR   OLGHV GR ODU HWQLD NDLRZD  VROWHLUD ILOKD GH -XVWR 9HUD H *UHJRULD %HQLWHV GRPLFLOLDGD H UHVLGHQWH j  $OGHLD ,QGtJHQD -DJXDSLUX QÂ&#x17E;  =RQD 5XUDO'RXUDGRV06    RV FRQWUDHQWHV ',=(/,2 $5&( &$%5(,5$ H &/(21,&,$ /23(6 2 SUHWHQGHQWH QDVFHX HP 'RXUDGRV (VWDGR GH 0DWR *URVVR GR 6XO DRV SULPHLUR   GH GH]HPEUR  GHXPPLOHQRYHFHQWRVHQRYHQWDHGRLV  VHUYHQWHHWQLDNDLRZD VROWHLURILOKRGH0DULR$UFHH&RODWH&DEUHLUDGRPLFLOLDGRHUHVLGHQWHj$OGHLD,QGtJHQD %RURUyQÂ&#x17E;=RQD5XUDO'RXUDGRV06$SUHWHQGHQWHQDVFHXHP'RXUDGRV(VWDGR GH 0DWR *URVVR GR 6XO DRV RQ]H   GH VHWHPEUR   GH XP PLO H QRYHFHQWRV H QRYHQWD H TXDWUR   FR]LQKHLUD HWQLD NDLRZD VROWHLUD ILOKD GH *HUDOGR /RSHV H 'HUFL&DEUHLUDGRPLFLOLDGDHUHVLGHQWHj$OGHLD,QGtJHQD%RURUyQÂ&#x17E;=RQD5XUDO 'RXUDGRV06   RV FRQWUDHQWHV *867$92<26+,0,768 ,72 H $5,$11(7,(0, -<2%2-, 025$(62SUHWHQGHQWHQDVFHXHP&DPSR*UDQGH(VWDGRGH0DWR*URVVRGR6XODRV GH]HVVHWH  GHIHYHUHLUR  GHXPPLOHQRYHFHQWRVHQRYHQWD  GHVHQYROYHGRU GH VLVWHPDV VROWHLUR ILOKRGH 6HUJLR ,VVDR ,WRH 7HUH]D 7DNHFy +LJD ,WR GRPLFLOLDGR H UHVLGHQWH j $Y 0DUFHOLQR 3LUHV QÂ&#x17E;  9LOD ,QGXVWULDO 'RXUDGRV06 $ SUHWHQGHQWH QDVFHXHP&DPSR*UDQGH(VWDGRGH0DWR*URVVRGR6XODRVFLQFR  GHGH]HPEUR  GHXPPLOHQRYHFHQWRVHRLWHQWDHVHWH  ILVLRWHUDSHXWDVROWHLUDILOKDGH-RVp /XL]GH0RUDHVH0DUWD+DUXPL-\RERML0RUDHVGRPLFLOLDGDHUHVLGHQWHj$Y0DUFHOLQR 3LUHVQÂ&#x17E;9LOD,QGXVWULDO'RXUDGRV06   'RXUDGRV06GHIHYHUHLURGH   'DQXWWD)HUUHLUD$OYHV0LUDQGD 6XEVWLWXWD

(',7$/ 2 0XQLFtSLR GH 'RXUDGRVWRUQD S~EOLFR TXH UHTXHUHX GR ,QVWLWXWR GH 0HLR $PELHQWH GH 'RXUDGRV06 ,0$0  D /LFHQoD $PELHQWDO 3UpYLD /3  GH ,QVWDODomR /,  H GH 2SHUDomR /2  SDUD DWLYLGDGH GH&HQWUR GH(GXFDomR,QIDQWLO0XQLFLSDO3URIÂ?/~FLD/LFKW0DUWLQVORFDOL]DGRQD 5XD$OLFH /LFKW 0DUWLQV 61 -DUGLP -yTXHL &OXEH QR PXQLFtSLR GH 'RXUDGRV061mRIRLGHWHUPLQDGRHVWXGRGHLPSDFWRDPELHQWDO 

2 0XQLFtSLR GH 'RXUDGRV WRUQD S~EOLFR TXH UHTXHUHX GR ,QVWLWXWR GH 0HLR $PELHQWH GH 'RXUDGRV06 ,0$0  D /LFHQoD $PELHQWDO 3UpYLD /3 GH,QVWDODomR /, HGH2SHUDomR /2 SDUDDWLYLGDGHGH&HQWUR GH(GXFDomR,QIDQWLO0XQLFLSDO3URIÂ?=HOLGD6LOYD5DPRVORFDOL]DGRQD 5XD &RURQHO -RVp 0DUFRQGHV QÂ&#x17E;  -DUGLP 0RQWH &DUOR QR PXQLFtSLR GH 'RXUDGRV06 1mR IRL GHWHUPLQDGR HVWXGR GH LPSDFWR DPELHQWDO (;75$72'(38%/,&$d­2  $ $30 GD(6&2/$ (67$'8$/ 0,1,6752 -2­2 3$8/2 '26 5(,6 9(/262 DWUDYpV GH VHX 3UHVLGHQWH D  DR ILQDO DVVLQDGR WRUQD S~EOLFR TXH SRU LQWHUPpGLR GD (TXLSHGH$SRLRGHVLJQDGDSHOR$WRGH'HVLJQDomRQÂ&#x17E;UHDOL]DUijVKRUDV GRGLDQDVDODGD'LUHomRGD((0LQLVWUR-RmR3DXORGRV5HLV9HORVRD OLFLWDomR QD PRGDOLGDGH Âł3UHJmR 3UHVHQFLDO´ SDUD DTXLVLomR GH JrQHURV DOLPHQWtFLRV TXHVHUmRGHVWLQDGRVSDUDDPHUHQGDHVFRODUGD(VFROD(VWDGXDO0LQLVWUR-RmR3DXOR GRV5HLV9HORVR 2SURFHVVRQFRQWHQGRRHGLWDOHGHPDLVLQIRUPDo}HVHQFRQWUDPVH j GLVSRVLomR GRV LQWHUHVVDGRV QD VHGH GD $VVRFLDomR GH 3DLV H 0HVWUHV GD ((0LQLVWUR -RmR 3DXOR GRV 5HLV 9HORVRVLWXDGD j 5XD -RmR 9LFHQWH )HUUHLUD QÂ&#x17E;  -DUGLP7URSLFDO'RXUDGRV06 'RXUDGRV06GHMDQHLURGH 



 ,QRFrQFLD0DUTXHV$OPLURQ

(',7$/ 2 0XQLFtSLR GH 'RXUDGRVWRUQD S~EOLFR TXH UHTXHUHX GR ,QVWLWXWR GH 0HLR $PELHQWH GH 0DWR *URVVR GR 6XO ,0$68/  D 5HQRYDomR GD /LFHQoD $PELHQWDO GH 2SHUDomR 5/2  QÂ&#x17E;  SDUD DWLYLGDGH GH$WHUUR 6DQLWiULR GH 5HVtGXRV 6yOLGRV 8UEDQRV H 'RPLFLOLDUHV ORFDOL]DGR QD 5RGRYLD 'RXUDGRV3RUWR &DPELUD .P  =RQD 5XUDO QRPXQLFtSLRGH'RXUDGRV061mRIRLGHWHUPLQDGRHVWXGRGHLPSDFWR DPELHQWDO

 (GLWDOGH3URFODPDV



3UHVLGHQWHGD$30



1Âş TABELIONATO DE PROTESTO DE TĂ?TULOS DA COMARCA DE DOURADOS EDITAL DE INTIMAĂ&#x2021;Ă&#x192;O SĂŠrgio Julian Zanella Martinez Caro, TabeliĂŁo de Protesto da Comarca de Dourados - MS, FAZ SABER que se encontram para serem protestados os tĂ­tulos abaixo descritos. Por nĂŁo ter sido possĂ­vel ou cabĂ­vel a intimação pessoal no endereço fornecido pelo Apresentente, intima os devedores abaixo para pagar ou aceitar os tĂ­tulos, sob pena de protesto.

DATA LIMITE PARA PAGAMENTO 16/02/2018 1Âş TABELIONATO DE PROTESTO DA COMARCA DE DOURADOS - MS Av. Weimar G. Torres, 2077 - Centro - Telefones (67) 3422-0334 / (67) 99835-3467 (whatsapp) HorĂĄrio de atendimento: 08h Ă s 11h e das 13h Ă s 17h

(',7$/ 

2 0XQLFtSLR GH 'RXUDGRVWRUQD S~EOLFR TXH UHFHEHX GR ,QVWLWXWR GH 0HLR $PELHQWH GH 'RXUDGRV06 ,0$0  D /LFHQoD $PELHQWDO GH ,QVWDODomR /, QÂ&#x17E;SDUDDWLYLGDGHGH&HQWUR(VSHFLDOL]DGRHP 5HDELOLWDomR &(5,, ORFDOL]DGDQD5XD(VWKRQ0DUTXHVHVTXLQDFRP D7UDYHVVD%/RWH$4XDGUD%3DUTXHGRV&RTXHLURVQRPXQLFtSLR GH'RXUDGRV06YiOLGDDWp

QUERO TRABALHAR

Casal procura serviço em sitio ou fazenda exp. c/ trator, carregadeira, gado, cercas, boas ref. Cristiano-99651-2184 ou whats: 99960-0186

CNPJ nº 09.538.958/0001-05 - NIRE 54.201.063.161 Deliberação de Sócios Para os efeitos do artigo 1.084 da Lei n.º 10.406/02, os sócios da Nova AmÊrica Agrícola Caarapó Ltda. informam que, em 15/01/2018 foi aprovada, por unanimidade, uma redução do capital social no valor total de R$ 18.256.695,00, mediante a restituição do valor das quotas assim canceladas a sócio da sociedade.

80874

Diarista disponivel, segunda, terça, quarta ou diurno e noturno todos os dias da semana em casas, Padaria, Lanchonetes, Pizzaria Sorveteria. Tel: 98129-6396

Empregos e oportunidades

QUERO TRABALHAR Diarista ou mensal no Jardim Florida ou PQ. Alvorada Tel: 99911-8707

NOVA AMĂ&#x2030;RICA AGRĂ?COLA CAARAPĂ&#x201C; LTDA.

80892

Cuidadora de idosos. 98162-9089

8

80904

Zeladora, diarista, cozinheira, copeira, c/ esperĂŞncia. 99827-0462 Maristela

Pinturas residenciais, graf fiato, verniz, cores em geral. 99699-3952- Everton

CONTRATO DOMĂ&#x2030;STICA

Dourados, quinta-feira 8.2.2018

QUERO TRABALHAR

QUERO TRABALHAR

3 x semana seg. qua. sexta, lavar passar, limpeza da casa c/ referĂŞncia. R$800,00 Tel: 99256-3443

O PROGRESSO

Diarista. 99887-6453-Ednez 80821

80884

3

(',7$/ 2 0XQLFtSLR GH 'RXUDGRV WRUQD S~EOLFR TXH UHTXHUHX GR ,QVWLWXWR GH 0HLR $PELHQWH GH 'RXUDGRV Âą ,0$0 GH 'RXUDGRV 06  D /LFHQoD $PELHQWDO 3UpYLD /3  H /LFHQoD $PELHQWDO GH ,QVWDODomR /,  SDUD DWLYLGDGH GH 6LVWHPD GH 'UHQDJHP 8UEDQD H[HFXWDGD HP 'LYHUVDV 5XDV QR EDLUUR -DUGLP-RFNH\&OXEH$GMDFrQFLDVQR0XQLFtSLRGH'RXUDGRV 06 1mRIRL GHWHUPLQDGRHVWXGRGHLPSDFWRDPELHQWDO 

PROTOCOLO 220.586-05/02/2018 219.754-25/01/2018 220.602-05/02/2018 220.524-05/02/2018 220.569-05/02/2018 219.857-25/01/2018 220.575-05/02/2018 220.635-05/02/2018 220.548-05/02/2018

DEVEDOR NATUREZA/TĂ?TULO BARROZO E MELO LTDA - ME DMI / 01010871.1 ELIZABETE CRISTINA RAMIRES OLIVEIRA DMI / 0043503-04 FABRICIO MARQUES GALHARDO DMI / 1075-2/2 JOSE DORCILIO DE OLIVEIRA DMI / NF12979-01 MARCELINO DE JESUS LUCAS CBI / 401036911 MARCOS COLMAN DE ARAUJO CS / 0809197 08 2015 8 12 DMI / CR56820-04 MARIA APARECIDA FERREIRA DO SANTO PEDRO ALVES DA SILVA CH / 002144 ROGER ALVES ARENALES ME DMI / 24462-0

Dourados - MS,08 de fevereiro de 2018

VALOR R$ 313,53 1.204,00 560,00 299,35 29.755,04 3.104,83 2.395,00 2.150,00 415,40

Ă&#x20AC; PAGAR R$ 383,68 1.302,50 647,70 364,10 9.031,25 4.676,98 2.563,70 2.318,70 495,00

EMISSĂ&#x192;O 01/12/2017 18/09/2017 29/11/2017 15/01/2018 27/06/2017 15/01/2018 16/11/2017 22/09/2017 09/01/2018

VENCIMENTO 29/12/2017 16/01/2018 28/01/2018 30/01/2018 A VISTA 29/09/2017 23/01/2018 22/01/2018 23/01/2018

SĂŠrgio Julian Zanella MartĂ­nez Caro TabeliĂŁo de Protesto

MOTIVO Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento


CLASSIFICADOS

4

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 8.2.2018

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CULTURA E ESPORTES

   5(62/8d­26(0(&(1ž'()(9(5(,52'(



'LVS}H VREUH D RUJDQL]DomR FXUULFXODU H R UHJLPH HVFRODU GR HQVLQR IXQGDPHQWDO QDV HVFRODV GD 5HGH 0XQLFLSDOGH(QVLQRHGiRXWUDVSURYLGrQFLDV

 $ 6(&5(7È5,$ 081,&,3$/ '( ('8&$d­2 &8/785$ ( (63257( '( '285$',1$QRXVRGHVXDVDWULEXLo}HVOHJDLVFRPIXQGDPHQWRQD/HLQGHGH GH]HPEUR GH  QD 5HVROXomR &1(&(% Q  GH  GH GH]HPEUR GH  H QD OHJLVODomR YLJHQWH SDUD R 6LVWHPD  (VWDGXDO GH (QVLQR GH 0DWR *URVVR GR 6XO 5(62/9(  $UWž2UJDQL]DURFXUUtFXORHRUHJLPHHVFRODUGRHQVLQRIXQGDPHQWDOQDVHVFRODVGD5HGH 0XQLFLSDOGH(QVLQR 7Ë78/2, '$25*$1,=$d­2&855,&8/$5'2(16,12)81'$0(17$/  $UWž2VFXUUtFXORVVmRHODERUDGRVGHDFRUGRFRPRGLVSRVWRQD/HLGH'LUHWUL]HVH%DVHVGD (GXFDomR1DFLRQDOHPFRQVRQkQFLDFRPDV'LUHWUL]HV&XUULFXODUHV1DFLRQDLVGHFDGDHWDSD GDHGXFDomREiVLFD &$3Ë78/2, '2635,1&Ë3,26'2(16,12)81'$0(17$/  $UWž$RUJDQL]DomRFXUULFXODUGRHQVLQRIXQGDPHQWDOpSDXWDGDQRVSULQFtSLRV  ,pWLFRV  D GHMXVWLoDVROLGDULHGDGHOLEHUGDGHHDXWRQRPLD E GHUHVSHLWRjGLJQLGDGHKXPDQDHGHFRPSURPLVVRFRPDSURPRomRGREHPGHWRGRV FRQWULEXLQGRSDUDFRPEDWHUHHOLPLQDUTXDLVTXHURXWUDVIRUPDVGHGLVFULPLQDomR  ,,SROtWLFRV  D GHUHFRQKHFLPHQWRGRVGLUHLWRVHGHYHUHVGHFLGDGDQLDGHUHVSHLWRDREHPFRPXPHj SUHVHUYDomRGRUHJLPHGHPRFUiWLFRHGRVUHFXUVRVDPELHQWDLV E GDEXVFDGDHTXLGDGHQRDFHVVRjHGXFDomRjVD~GHDRWUDEDOKRDRVEHQVHRXWURV EHQHItFLRV F GDH[LJrQFLDGHGLYHUVLGDGHGHWUDWDPHQWRSDUDDVVHJXUDUDLJXDOGDGHGHGLUHLWRVDRV HVWXGDQWHVTXHDSUHVHQWHPGLIHUHQWHVQHFHVVLGDGHV G GDUHGXomRGDSREUH]DHGDVGHVLJXDOGDGHVVRFLDLVHUHJLRQDLV  ,,,HVWpWLFRV  D GRFXOWLYRGDVHQVLELOLGDGHMXQWDPHQWHFRPDUDFLRQDOLGDGH E GRHQULTXHFLPHQWRGDVIRUPDVGHH[SUHVVmRHGRH[HUFtFLRGDFULDWLYLGDGH F GDYDORUL]DomRGDVGLIHUHQWHVPDQLIHVWDo}HVFXOWXUDLVHVSHFLDOPHQWHDGDFXOWXUD EUDVLOHLUD G GDFRQVWUXomRGHLGHQWLGDGHVSOXUDLVHVROLGiULDV  &$3Ë78/2,, '262%-(7,926'2(16,12)81'$0(17$/  $UWž$VHVFRODVGD5HGH0XQLFLSDOGH(QVLQRRIHUWDPRHQVLQRIXQGDPHQWDOREVHUYDQGR RVREMHWLYRVHVSHFtILFRVHVWDEHOHFLGRVQDOHJLVODomRYLJHQWH  $UWž1RHQVLQRIXQGDPHQWDOpQHFHVViULRFRQVLGHUDURFXLGDUHRHGXFDUFRPRIXQo}HV LQGLVVRFLiYHLVSDUDDVVHJXUDUDDSUHQGL]DJHPREHPHVWDUHRGHVHQYROYLPHQWRGRHVWXGDQWH HPWRGDVDVVXDVGLPHQV}HV  6HomR, 'RV2EMHWLYRVGR(QVLQR)XQGDPHQWDO  $UWž2HQVLQRIXQGDPHQWDOWHPSRUREMHWLYRDIRUPDomRGRFLGDGmRPHGLDQWH  ,RGHVHQYROYLPHQWRGDFDSDFLGDGHGHDSUHQGHUWHQGRFRPRPHLRVEiVLFRVRSOHQRGRPtQLR GDOHLWXUDGDHVFULWDHGRFiOFXOR ,,DFRPSUHHQVmRGRDPELHQWHQDWXUDOHVRFLDOGRVLVWHPDSROtWLFRGDVDUWHVGDWHFQRORJLDH GRVYDORUHVHPTXHVHIXQGDPHQWDDVRFLHGDGH ,,,DDTXLVLomRGHFRQKHFLPHQWRVKDELOLGDGHVHDIRUPDomRGHDWLWXGHVHYDORUHVFRPR LQVWUXPHQWRVSDUDXPDYLVmRFUtWLFDGRPXQGR ,9RIRUWDOHFLPHQWRGRVYtQFXORVGHIDPtOLDGRVODoRVGHVROLGDULHGDGHKXPDQDHGH WROHUkQFLDUHFtSURFDHPTXHVHDVVHQWDDYLGDVRFLDO   &$3Ë78/2,,, '2&855Ë&8/2'2(16,12)81'$0(17$/  $UWž2FXUUtFXORGRHQVLQRIXQGDPHQWDOFRQWpPREULJDWRULDPHQWHXPDEDVHQDFLRQDO FRPXPFRPSOHPHQWDGDSRUXPDSDUWHGLYHUVLILFDGDTXHFRQVWLWXHPXPWRGRLQWHJUDGRHQmR SRGHPVHUFRQVLGHUDGRVFRPRGRLVEORFRVGLVWLQWRV  3DUiJUDIR~QLFR$DUWLFXODomRHQWUHDEDVHQDFLRQDOFRPXPHDSDUWHGLYHUVLILFDGDGR FXUUtFXORGRHQVLQRIXQGDPHQWDOSRVVLELOLWDDVLQWRQLDGRVLQWHUHVVHVPDLVDPSORVGH IRUPDomREiVLFDGRFLGDGmRFRPDUHDOLGDGHVRFLDODVQHFHVVLGDGHVGRVHVWXGDQWHVDV FDUDFWHUtVWLFDVUHJLRQDLVGDVRFLHGDGHGDFXOWXUDHGDHFRQRPLDHSHUPHLDWRGRRFXUUtFXOR  $UWž4XDQGRGRRIHUHFLPHQWRGRVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGHYHVHUDVVHJXUDGDD DERUGDJHPGHWHPDVDEUDQJHQWHVHFRQWHPSRUkQHRVTXHLQIOXHQFLDPDYLGDKXPDQDHP HVFDODJOREDOUHJLRQDOHORFDOWDLVFRPR

  ,VD~GHVH[XDOLGDGHHJrQHURYLGDIDPLOLDUHVRFLDO ,,GLUHLWRVGDVFULDQoDVHGRVDGROHVFHQWHV ,,,HGXFDomRDPELHQWDO ,9HGXFDomRSDUDRFRQVXPR 9HGXFDomRILVFDO 9,WUDEDOKRFLrQFLDHWHFQRORJLD 9,,FXOWXUDVXOPDWRJURVVHQVHHGLYHUVLGDGHFXOWXUDO 9,,,HGXFDomRSDUDRWUkQVLWR ,;UHVSHLWRYDORUL]DomRHGLUHLWRVGRVLGRVRV ;HGXFDomRDOLPHQWDUHQXWULFLRQDO ;,FRQVFLHQWL]DomRSUHYHQomRHFRPEDWHjLQWLPLGDomRVLVWHPiWLFDDREXOO\LQJ ;,,HGXFDomRILQDQFHLUD ;,,,HGXFDomRHPGLUHLWRVKXPDQRV ;,9VXSHUDomRGHGLVFULPLQDo}HVHSUHFRQFHLWRVWDLVFRPRUDFLVPRVH[LVPRKRPRIRELDVH RXWURV  $UWž$RUJDQL]DomRGDRIHUWDGRHQVLQRIXQGDPHQWDOGHYHSDXWDUVHGHQWUHRXWUDVQDV VHJXLQWHVGLUHWUL]HV  ,SODQHMDPHQWRVLVWHPiWLFRGDVDWLYLGDGHVGHHQVLQR ,,GHILQLomRGDVFRPSHWrQFLDVHVSHFtILFDVGRVSURILVVLRQDLVLQWHJUDQWHVGDFRPXQLGDGH LQWHUQD ,,,DGRomRGHPHWRGRORJLDVLQRYDGRUDVFRPYLVWDVDRDOFDQFHGRUHQGLPHQWRHVFRODUGR HVWXGDQWH ,9YDORUL]DomRGRVVDEHUHVDGTXLULGRVSHORVHVWXGDQWHVIRUDGRDPELHQWHHVFRODU 9GHVHQYROYLPHQWRGHDWLYLGDGHVHSUiWLFDVSHUWLQHQWHVWUD]LGDVSHODFRPXQLGDGH SURPRYHQGRDVXDLQWHJUDomRQRSURFHVVRHGXFDWLYRGHIRUPDDGLYHUVLILFDUDURWLQDHVFRODUH DPSOLDURVFRQKHFLPHQWRVKLVWRULFDPHQWHDFXPXODGRV 9,SODQHMDPHQWRHGHVHQYROYLPHQWRGHDWLYLGDGHVHPRXWURVDPELHQWHVGDFRPXQLGDGHHGD UHJLmRDVVHJXUDGDVDVPHGLGDVGHVHJXUDQoDDRVHVWXGDQWHV 9,,GHVHQYROYLPHQWRGHWUDEDOKRVHPHTXLSHHGHSURMHWRVFROHWLYRVHQYROYHQGR SURIHVVRUHVHHVWXGDQWHVGHGLIHUHQWHVIDL[DVHWiULDV 9,,,GHVHQYROYLPHQWRGHSURMHWRVLQWHUGLVFLSOLQDUHVDEUDQJHQGRDVGLIHUHQWHViUHDVGR FRQKHFLPHQWR ,;SURSRVLomRHGHVHQYROYLPHQWRGHSURMHWRVGHSHVTXLVDXWLOL]DQGRGLIHUHQWHVUHFXUVRV ;DWHQGLPHQWRHVSHFLDODJUXSRVFRPKDELOLGDGHVRXGLILFXOGDGHVHVSHFtILFDV ;,GHVHQYROYLPHQWRGHQRUPDVGHFRQYLYrQFLDYLVDQGRDRH[HUFtFLRGDFLGDGDQLDj SURPRomRGHYDORUHVHGHUHVSHLWRDREHPFRPXP  $UW2VFRQWH~GRVUHIHUHQWHVj+LVWyULDH&XOWXUD$IUR%UDVLOHLUDH,QGtJHQDHjV5HODo}HV eWQLFR5DFLDLVVmRPLQLVWUDGRVHPWRGRRFXUUtFXORGRHQVLQRIXQGDPHQWDOHPHVSHFLDOQRV FRPSRQHQWHVFXUULFXODUHV$UWHH+LVWyULD  $UW2HQVLQRGH+LVWyULDGHYHDVVHJXUDUDVFRQWULEXLo}HVGDVGLIHUHQWHVFXOWXUDVHHWQLDV SDUDDIRUPDomRGRSRYREUDVLOHLURHVSHFLDOPHQWHGDVPDWUL]HVLQGtJHQDDIULFDQDHHXURSHLD  $UW$(GXFDomRHR(QVLQRSDUDR7UkQVLWRpRSHUDFLRQDOL]DGDSRUPHLRGHSURMHWRV LQWHUGLVFLSOLQDUHVLQFRUSRUDGRVDRFXUUtFXORGHWRGDVDVHWDSDVGDHGXFDomREiVLFD  $UW2HQVLQRGD&XOWXUD6XO0DWR*URVVHQVHpSDUWHGRFXUUtFXORGDHGXFDomREiVLFD PDLVHVSHFLILFDPHQWHQRVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGH$UWHH+LVWyULD  $UW2FRQWH~GRUHIHUHQWHDRHQVLQRGD0~VLFDpPLQLVWUDGRQRkPELWRGRFXUUtFXORGD HGXFDomREiVLFDLQWHJUDGRDRFRPSRQHQWHFXUULFXODUGH$UWH  $UW2FRPSRQHQWHFXUULFXODU$UWHGHYHHQIRFDUDVVXDVGLIHUHQWHVOLQJXDJHQVFrQLFDV SOiVWLFDVHREULJDWRULDPHQWHDP~VLFD  $UW2HVWXGRVREUHRVVtPERORVQDFLRQDLVVHUiLQFOXtGRFRPRWHPDWUDQVYHUVDOQRV FXUUtFXORVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOGHDFRUGRFRPRGLVSRVWRQD/HLGH'LUHWUL]HVH%DVHVGD (GXFDomR1DFLRQDO  $UW$FDUJDKRUiULDDQXDOGDHWDSDGRHQVLQRIXQGDPHQWDOQRPtQLPR RLWRFHQWDV  KRUDVGLVWULEXtGDVQRGHFRUUHUGH GX]HQWRV GLDVOHWLYRV  3DUiJUDIR~QLFR2HVWXGDQWHGRVDQRVILQDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOTXHRSWDUSRUFXUVDUR FRPSRQHQWHFXUULFXODUGH(QVLQR5HOLJLRVRFXPSULUi RLWRFHQWDVHVHVVHQWDHVHWH KRUDV  $UW1DFDUJDKRUiULDPtQLPDDQXDOQmRHVWiLQFOXtGDDFDUJDKRUiULDGHVWLQDGDDRV H[DPHVILQDLV  $UW1DVHVFRODVGD5HGH0XQLFLSDOGH(QVLQRVmRDGRWDGDV GXDV IRUPDVGH SURJUHVVmR ,FRQWLQXDGDGRž SULPHLUR SDUDRž VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDO ,,UHJXODUDSDUWLUGRž VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDO   †R2UHJLPHGHSURJUHVVmRFRQWLQXDGDpRSURFHGLPHQWRDGRWDGRSHODHVFRODTXHSHUPLWHDR HVWXGDQWHDSURJUHVVmRVHPLQWHUUXSo}HVDRILQDOGRDQROHWLYRGRž SULPHLUR SDUDR ž VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOLQGHSHQGHQWHPHQWHGHIUHTXrQFLDHRXUHQGLPHQWR HVFRODU †ž2UHJLPHGHSURJUHVVmRUHJXODUpRSURFHGLPHQWRDGRWDGRSHODHVFRODTXHSHUPLWHDR HVWXGDQWHDSURJUHVVmRGHXPDQRSDUDRRXWURTXDQGRDWHQGLGDVDVQRUPDVHVWDEHOHFLGDV QHVWD5HVROXomR  6HomR, 'R&XUUtFXORGR(QVLQR)XQGDPHQWDO  $UW  2 FXUUtFXOR GR HQVLQR IXQGDPHQWDO RUJDQL]DGR HP DQRV DEUDQJH D SRSXODomR QD IDL[D GRV  VHLV  DRV  TXDWRU]H  DQRV GH LGDGH H VH HVWHQGH WDPEpP D WRGRV RV TXH QD LGDGHSUySULDQmRWLYHUDPFRQGLo}HVGHIUHTXHQWiOR  $UW2FXUUtFXORGRHQVLQRIXQGDPHQWDOFRPGXUDomRGH QRYH DQRVHVWUXWXUDVHHP  ,DQRVLQLFLDLVFRP FLQFR DQRVGHGXUDomRDWHQGHQGRjIDL[DHWiULDGH VHLV D GH]  DQRV ,,DQRVILQDLVFRP TXDWUR DQRVGHGXUDomRDWHQGHQGRjIDL[DHWiULDGH RQ]H D TXDWRU]H DQRV  $UW2VWUrVDQRVLQLFLDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOGHYHPDVVHJXUDU  ,DDOIDEHWL]DomRHROHWUDPHQWR ,,DFRQWLQXLGDGHGDDSUHQGL]DJHPFRQVLGHUDQGRDFRPSOH[LGDGHGRSURFHVVRGH DOIDEHWL]DomR ,,,RGHVHQYROYLPHQWRGDVGLYHUVDVIRUPDVGHH[SUHVVmR  $UW2VFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOGHTXHWUDWDR$QH[R,GHVWD 5HVROXomRHPUHODomRjV TXDWUR iUHDVGHFRQKHFLPHQWRVmRDVVLPRUJDQL]DGRV  ,&LrQFLDVGD1DWXUH]D D &LrQFLDVGD1DWXUH]D  ,,0DWHPiWLFD D 0DWHPiWLFD  ,,,&LrQFLDV+XPDQDV D +LVWyULD E *HRJUDILD  ,9/LQJXDJHQV D /tQJXD3RUWXJXHVD E $UWH F (GXFDomR)tVLFD G /tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQD  9(QVLQR5HOLJLRVR  $UW  2V FRQWH~GRV TXH FRPS}HP D EDVH QDFLRQDO FRPXP H D SDUWH GLYHUVLILFDGD WrP RULJHP QR GHVHQYROYLPHQWR GDV OLQJXDJHQV QR PXQGR GR WUDEDOKR QD FXOWXUD H QD WHFQRORJLDQDSURGXomRDUWtVWLFDQDVDWLYLGDGHVGHVSRUWLYDVHFRUSRUDLVHQDiUHDGDVD~GH

3DUiJUDIR ~QLFR 2V FRQWH~GRV D TXH VH UHIHUH RFDSXWLQFRUSRUDP VDEHUHV FRPR RV TXH DGYrP GDV IRUPDV GLYHUVDV GH H[HUFtFLR GD FLGDGDQLD GRV PRYLPHQWRV VRFLDLV GD FXOWXUD HVFRODUGDH[SHULrQFLDGRFHQWHGRFRWLGLDQRHGRVHVWXGDQWHV  $UW  $ GXUDomR GD KRUDDXOD p GH  FLQTXHQWD  PLQXWRV VHQGR TXH D MRUQDGD PtQLPD GLiULD GRV DQRV LQLFLDLV H ILQDLV GR HQVLQR IXQGDPHQWDO p GH KPLQ TXDWUR KRUDV H GH] PLQXWRV  $UW2KRUiULRHVFRODUVHPDQDOGDHVFRODGHYHREHGHFHUjVHJXLQWHRUJDQL]DomR  ,DQRVLQLFLDLV D  GH]HVVHLV KRUDVDXODSDUDRSURIHVVRUUHJHQWH E  QRYH KRUDVDXODSDUDRVSURIHVVRUHVTXHPLQLVWUDPRVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGH &LrQFLDVGD1DWXUH]D$UWH(GXFDomR)tVLFDH/tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQD,QJOrV  ,,DQRVILQDLV FLQFR KRUDVDXODGLiULDVGXUDQWHRVFLQFRGLDVGDVHPDQD  3DUiJUDIR~QLFR2HVWXGDQWHGRVDQRVILQDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOTXHRSWDUSRUFXUVDUR FRPSRQHQWHFXUULFXODUGH(QVLQR5HOLJLRVRFXPSULUi VHLV KRUDVDXODHPGHWHUPLQDGRGLD GDVHPDQDVHJXQGRRKRUiULRIL[DGRSHODHVFROD  $UW$HVFRODSRGHRUJDQL]DUFODVVHVRXWXUPDVFRPHVWXGDQWHVGHDQRVGLVWLQWRVQRV FRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGH(GXFDomR)tVLFDHGH(QVLQR5HOLJLRVR  3DUiJUDIR~QLFR$VFODVVHVRXWXUPDVDTXHVHUHIHUHRFDSXWGHYHPVHUIRUPDGDVFRPQR PtQLPR YLQWHHFLQFR HVWXGDQWHV  $UW$SDUWLUGRž VH[WR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOVHUiRIHUHFLGDHPFDUiWHU REULJDWyULRD/tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQD,QJOrV 7Ë78/2,, '$('8&$d­2,1&/86,9$('2$7(1',0(172('8&$&,21$/ (63(&,$/,=$'2  $UW$HVFRODGHYHRSRUWXQL]DUDLQFOXVmRHPVDODFRPXPGRVHVWXGDQWHVFRP GHILFLrQFLDWUDQVWRUQRVJOREDLVGRGHVHQYROYLPHQWRHDOWDVKDELOLGDGHVRXVXSHUGRWDomR SURPRYHQGRFRQGLo}HVGHDFHVVRSHUPDQrQFLDSDUWLFLSDomRHDSUHQGL]DJHPHVHUYLoRVGH DSRLRHVSHFLDOL]DGRVGHDFRUGRFRPDVQHFHVVLGDGHVLQGLYLGXDLVGRVHVWXGDQWHVSRUPHLRGH  ,IOH[LELOL]DomRFXUULFXODUHPHWRGRORJLDGHHQVLQRGLIHUHQFLDGD ,,UHFXUVRVGHDFHVVLELOLGDGHHSHGDJyJLFRVDGHTXDGRV ,,,SURFHVVRGHDYDOLDomRTXDOLWDWLYDFRQWtQXDHVLVWHPiWLFD  $UW1DVHVFRODVGD5HGH0XQLFLSDOGH(QVLQRVHUiGLVSRQLELOL]DGRDWHQGLPHQWR HGXFDFLRQDOHVSHFLDOL]DGRHPVDODGHUHFXUVRPXOWLIXQFLRQDOHPFDUiWHUWUDQVLWyULRH FRQFRPLWDQWH  $UW2DWHQGLPHQWRHGXFDFLRQDOHVSHFLDOL]DGRRFRUUHUiQRWXUQRLQYHUVRDRKRUiULR QRUPDOGHDXODDRVHVWXGDQWHVS~EOLFRDOYRGDHGXFDomRHVSHFLDOLQFOXtGRVHPVDODV FRPXQV  $UW6HUiGLVSRQLELOL]DGRDWHQGLPHQWRHGXFDFLRQDOHVSHFLDOL]DGRGHSURIHVVRUGHDSRLR HPDPELHQWHHVFRODUSDUDHVWXGDQWHVTXHQHFHVVLWHPGHDSRLRSULQFLSDOPHQWHQDVDWLYLGDGHV GHDOLPHQWDomRKLJLHQHHORFRPRomR  $UW2$WHQGLPHQWR(GXFDFLRQDO(VSHFLDOL]DGR $(( pSDUWHLQWHJUDQWHGRSURFHVVR HGXFDFLRQDOHWHPFRPRIXQomRFRPSOHPHQWDURXVXSOHPHQWDUDIRUPDomRGRHVWXGDQWHSRU PHLRGDGLVSRQLELOL]DomRGHVHUYLoRVUHFXUVRVGHDFHVVLELOLGDGHHHVWUDWpJLDVTXHHOLPLQHP DVEDUUHLUDVSDUDVXDSOHQDSDUWLFLSDomRQDVRFLHGDGHHGHVHQYROYLPHQWRGHVXD DSUHQGL]DJHP  $UW&RQVLGHUDVHS~EOLFRDOYRGR$((  ,HVWXGDQWHVFRPGHILFLrQFLDDTXHOHVTXHWrPLPSHGLPHQWRVHPORQJRSUD]RGHQDWXUH]D ItVLFDPHQWDOLQWHOHFWXDORXVHQVRULDO ,,HVWXGDQWHVFRPWUDQVWRUQRVJOREDLVGRGHVHQYROYLPHQWRDTXHOHVTXHDSUHVHQWDPTXDGUR GHDOWHUDo}HVQRGHVHQYROYLPHQWRQHXURSVLFRPRWRUFRPSURPHWLPHQWRQDVUHODo}HVVRFLDLV QDFRPXQLFDomRRXHVWHUHRWLSLDVPRWRUDVH ,,,HVWXGDQWHVFRPDOWDVKDELOLGDGHVVXSHUGRWDomRDTXHOHVTXHDSUHVHQWDPSRWHQFLDO HOHYDGRHJUDQGHHQYROYLPHQWRFRPDViUHDVGRFRQKHFLPHQWRKXPDQRLVRODGDVRX FRPELQDGDVTXDLVVHMDPLQWHOHFWXDOOLGHUDQoDSVLFRPRWRUDDUWHVHFULDWLYLGDGH  $UW$RUJDQL]DomRGRDWHQGLPHQWRHGXFDFLRQDOHVSHFLDOL]DGRHPDPELHQWHKRVSLWDODUVH GDUiPHGLDQWHDomRLQWHJUDGDGRVyUJmRVFRPSHWHQWHVGR6LVWHPD(VWDGXDOGH(QVLQRFRPRV GR6LVWHPDGH6D~GH  $UW6HUiGLVSRQLELOL]DGDDFHVVLELOLGDGHFRPXQLFDFLRQDODRVHVWXGDQWHVFRPGHILFLrQFLD WDLVFRPRDTXHOHVTXHXWLOL]DPR&yGLJR%UDLOOHD/tQJXD%UDVLOHLUDGH6LQDLVHRXWUDV IRUPDVGHFRPXQLFDomR

7Ë78/2,,, '25(*,0((6&2/$5  &$3Ë78/2, '$0$75Ë&8/$  6HomR, 3ULQFtSLRV*HUDLV  $UW$PDWUtFXODpDPHGLGDDGPLQLVWUDWLYDTXHIRUPDOL]DRLQJUHVVROHJDOGRHVWXGDQWHQD HVFROD $UW$PDWUtFXODpUHTXHULGDSHORFDQGLGDWRTXDQGRPDLRUHTXDQGRPHQRUSHORSDLRX PmHRXUHVSRQViYHO  †ž$GLUHomRGDHVFRODQRDWRGDPDWUtFXODILFDREULJDGDDGDUFLrQFLDDRHVWXGDQWH TXDQGRPDLRURXDRSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUGR3URMHWR3ROtWLFR 3HGDJyJLFRGR5HJLPHQWR(VFRODUHGHVWD5HVROXomR  †ž1RDWRGDPDWUtFXODDGLUHomRGDHVFRODREULJDVHDGDUFLrQFLDDRHVWXGDQWHTXDQGR PDLRURXDRSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUGRFXPSULPHQWRGR(QVLQR 5HOLJLRVR  $UW$RVFDQGLGDWRVjPDWUtFXODH[LJLUVHmRRVVHJXLQWHVGRFXPHQWRV  ,UHTXHULPHQWRDVVLQDGRSHORHVWXGDQWHTXDQGRPDLRURXSHORSDLRXPmHRXUHVSRQViYHO TXDQGRPHQRU ,,FySLDGD&HUWLGmRGH1DVFLPHQWRRX&DVDPHQWRDFRPSDQKDGDGRRULJLQDOSDUD FRQIHUrQFLDHDXWHQWLFDomRSHODVHFUHWDULDGDHVFROD ,,,(PHQWD&XUULFXODUTXDQGRIRURFDVR ,9*XLDGH7UDQVIHUrQFLD 9+LVWyULFR(VFRODUTXDQGRIRURFDVR 9,DSUHVHQWDomRGD&DUWHLUDGH9DFLQDomRFRQIRUPHOHJLVODomRYLJHQWH  †ž$QmRDSUHVHQWDomRGRGLVSRVWRQRLQFLVR9,QmRFRQGLFLRQDjQHJDomRGDPDWUtFXODH QHPDRDWRGHLQGHIHULPHQWR †ž(PFDVRH[FHSFLRQDODHVFRODSRGHDFHLWDUDFySLDGD&pGXODGH,GHQWLGDGH5*HP VXEVWLWXLomRDRVGRFXPHQWRVGRLQFLVR,,GHVGHTXHDFRPSDQKDGDGDRULJLQDOSDUD FRQIHUrQFLDHDXWHQWLFDomR †ž3URYLVRULDPHQWHRVGRFXPHQWRVPHQFLRQDGRVQRVLQFLVRV,9H9SRGHUmRVHU VXEVWLWXtGRVSHOD'HFODUDomRGH(VFRODULGDGH †ž4XDQGRGDPDWUtFXODGHHVWXGDQWHHVWUDQJHLURH[LJLUVHiFySLDGDGRFXPHQWDomR FRPSUREDWyULDGHVHXUHJLVWURQR6HUYLoRGH(VWUDQJHLURGD3ROtFLD)HGHUDOREVHUYDGDV DLQGDDVH[LJrQFLDVSUHYLVWDVQDOHJLVODomRYLJHQWH  $UW2UHVSRQViYHOTXDQGRQmRIRURSDLDPmHRXRSUySULRHVWXGDQWHVHPDLRUGHYHUi DSUHVHQWDUFySLDGHGRFXPHQWRSHVVRDOGHLGHQWLILFDomRFRPIRWRHGHGRFXPHQWRTXHOKH JDUDQWDDUHVSRQVDELOLGDGHSHORHVWXGDQWH  $UW4XDQGRRSDLRXDPmHGRHVWXGDQWHIRUVHSDUDGRMXGLFLDOPHQWHRXGLYRUFLDGRVHUi H[LJLGRRGRFXPHQWRRILFLDOTXHFRPSURYHDJXDUGDGRPHQRU  3DUiJUDIR~QLFR2GLVSRVWRQRFDSXWQmRGLVSHQVDDREULJDWRULHGDGHQRHQYLRGHLQIRUPDo}HV DRVSDLVFRQYLYHQWHVRXQmRFRPVHXVILOKRV  $UW4XDQGRGDPDWUtFXODGHHVWXGDQWHFRPGHILFLrQFLDWUDQVWRUQRVJOREDLVGR GHVHQYROYLPHQWRHDOWDVKDELOLGDGHVRXVXSHUGRWDomRRSDLDPmHRXUHVSRQViYHOGHYHUi LQIRUPDUjHVFRODLGHQWLILFDQGRRWLSRGHGHILFLrQFLDRXVXSHUGRWDomR  $UW1RDWRGDPDWUtFXODRSDLDPmHRXRUHVSRQViYHOSHORHVWXGDQWHDFHLWDUiHREULJDU VHiDUHVSHLWDURGLVSRVWRQHVWD5HVROXomRHDVGHWHUPLQDo}HVGR5HJLPHQWR(VFRODUTXH GHYHUmRHVWDUjGLVSRVLomRSDUDVHXFRQKHFLPHQWR  3DUiJUDIR~QLFR$RDVVLQDURUHTXHULPHQWRGHPDWUtFXODRLQWHUHVVDGRFRQILUPDTXHHVWiGH DFRUGRFRPRVGLVSRVLWLYRVGRVUHIHULGRVGRFXPHQWRV  $UW$PDWUtFXODPHGLDQWHDDSUHVHQWDomRDSHQDVGH'HFODUDomRGH(VFRODULGDGHWHUiVHX GHIHULPHQWRFRQGLFLRQDGRDRSUHHQFKLPHQWRGRWHUPRGHFRPSURPLVVRHDVVLQDWXUDSUpYLDGR HVWXGDQWHTXDQGRPDLRURXGRSDLGDPmHRXGRUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRU  $UW$PDWUtFXODFRQFUHWL]DUVHiDSyVDDSUHVHQWDomRGDGRFXPHQWDomRH[LJLGDHGR GHIHULPHQWRGDGLUHomR  †ž'HIHULGDjPDWUtFXODRVGRFXPHQWRVDSUHVHQWDGRVSDVVDPDLQWHJUDURSURQWXiULRGR HVWXGDQWH †ž$VLUUHJXODULGDGHVGHYLGDHVFRODUFRQVWDWDGDVDSyVRGHIHULPHQWRGDPDWUtFXODVmRGH LQWHLUDUHVSRQVDELOLGDGHGDGLUHomRGDHVFRODH[FHWRQRFDVRGHPDWUtFXODFRPDSUHVHQWDomR GD'HFODUDomRGH(VFRODULGDGH †žeFRQVLGHUDGDQXODDPDWUtFXODHIHWLYDGDFRPGRFXPHQWRVIDOVRVRXDGXOWHUDGRV  $UW4XDQGRGDPDWUtFXODGHHVWXGDQWHVFRPHVFRODULGDGHSURYHQLHQWHGRH[WHULRUD HVFRODUHFLSLHQGiULDGHYHUiUHDOL]DUDHTXLYDOrQFLDGHHVWXGRVFRQIRUPHDOHJLVODomRYLJHQWH  $UW$PDWUtFXODSRGHVHUFDQFHODGDHPTXDOTXHUpSRFDGRDQROHWLYRSHORHVWXGDQWH TXDQGRPDLRURXSHORSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUFRPMXVWLILFDWLYDIRUPDOGD FDXVDGRFDQFHODPHQWR  †ž1RFDVRGHFDQFHODPHQWRGHPDWUtFXODGHHVWXGDQWHPHQRUUHTXHULGRSHORSDLPmHRX UHVSRQViYHODHVFRODGHYHFRPXQLFDURIDWRLPHGLDWDPHQWHDR&RQVHOKR7XWHODUGR 0XQLFtSLR †ž'HYHVHUFRQVLGHUDGRFRPRFULWpULRSDUDDSURYDomRRXUHWHQomRRtQGLFHPtQLPRGH VHWHQWDHFLQFRSRUFHQWR GHIUHTXrQFLDHPUHODomRDRWRWDOGDFDUJDKRUiULDGRDQROHWLYRGR FXUVRHPTXHHIHWLYRXDQRYDPDWUtFXODLQGHSHQGHQWHPHQWHGHFODVVLILFDomR †ž6HKRXYHUVROLFLWDomRGHWUDQVIHUrQFLDDSyVRFDQFHODPHQWRDHVFRODGHRULJHPGHYHUi REVHUYDUQDWUDQVIHUrQFLDTXHKRXYHRFDQFHODPHQWRQRDQRHPFXUVRHRTXHRPRWLYRX 6HomR,, 'D0DWUtFXOD,QLFLDO  $UW$LGDGHSDUDLQJUHVVRQRž SULPHLUR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOVHUiDTXHOD HVWDEHOHFLGDQDOHJLVODomRYLJHQWH  $UW$FULDQoDFRPLGDGHLQIHULRUjHVWDEHOHFLGDQDOHJLVODomRYLJHQWHGHYHUiVHU PDWULFXODGDQDSUpHVFROD

$UW$PDWUtFXODLQLFLDOSRGHVHUUHDOL]DGDHPTXDOTXHUpSRFDGRDQROHWLYRGHVGHTXH KDMDYDJD 6HomR,,, 'D0DWUtFXODSRU7UDQVIHUrQFLD  $UW$PDWUtFXODSRUWUDQVIHUrQFLDpDTXHODSHODTXDORHVWXGDQWHDRVHGHVYLQFXODUGH XPDHVFRODYLQFXODVHDRXWUDFRQJrQHUHSDUDSURVVHJXLPHQWRGRVHVWXGRV  †ž4XDQGRKRXYHUGLILFXOGDGHGHWUDGX]LUFRQFHLWRVHPQRWDVFDEHDR&RQVHOKRGH&ODVVH GDHVFRODUHFLSLHQGiULDGHFLGLUVREUHRVLJQLILFDGRGRVVtPERORVRXFRQFHLWRVXVDGRV REVHUYDQGRRGLVSRVWRQDUHVROXomRHVSHFtILFDGHDYDOLDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODU †ž(PFDVRGHG~YLGDTXDQWRjLQWHUSUHWDomRGRVGRFXPHQWRVHVFRODUHVRULXQGRVGH RUJDQL]DomRFXUULFXODUGLIHUHQFLDGDHDLPSRVVLELOLGDGHGHMXOJDPHQWRDHVFRODGHYHDGRWDU DVPHGLGDVQHFHVViULDVjFODVVLILFDomRGRHVWXGDQWH  $UWeYHGDGRDTXDOTXHUHVFRODUHFHEHUFRPRDSURYDGRRHVWXGDQWHTXHVHJXQGRRV FULWpULRVUHJLPHQWDLVGDHVFRODGHRULJHPWHQKDVLGRUHSURYDGR  3DUiJUDIR~QLFR$HVFRODUHFLSLHQGiULDSRGHHIHWLYDUDPDWUtFXODGRHVWXGDQWHQRDQR VXEVHTXHQWHTXDQGRHPVHXFXUUtFXORLQH[LVWLURFRPSRQHQWHFXUULFXODURXDGLVFLSOLQDTXH PRWLYRXVXDUHSURYDomRQDHVFRODGHRULJHP  $UW$RDFHLWDUDWUDQVIHUrQFLDDGLUHomRGDHVFRODDVVXPHDUHVSRQVDELOLGDGHGH VXEPHWHURHVWXGDQWHjVDGDSWDo}HVQHFHVViULDV  $UW$DFHLWDomRGHWUDQVIHUrQFLDGHHVWXGDQWHFRPHVFRODULGDGHSURFHGHQWHGHSDtV HVWUDQJHLURGHSHQGHGRFXPSULPHQWRSRUSDUWHGRLQWHUHVVDGRGHWRGRVRVUHTXLVLWRVOHJDLV YLJHQWHV $UW2HVWXGDQWHUHFHELGRSRUWUDQVIHUrQFLDFRPUHVXOWDGRDSURYDGRHPUHJLPHGH SURJUHVVmRSDUFLDOVHUiFRQVLGHUDGRFRPRUHSURYDGRQDVHVFRODVGD5HGH0XQLFLSDOGH (QVLQR  $UW4XDQGRGDPDWUtFXODUHDOL]DGDSRUPHLRGH'HFODUDomRGH(VFRODULGDGHDGLUHomRGD HVFRODSURFHGHUiDRGHIHULPHQWRGDPDWUtFXODPHGLDQWHSUHHQFKLPHQWRGRWHUPRGH FRPSURPLVVRDVHUDVVLQDGRSHORHVWXGDQWHTXDQGRPDLRUSHORSDLRXSHODPmHRX UHVSRQViYHOTXDQGRPHQRU  3DUiJUDIR~QLFR1RVWHUPRVGHTXHWUDWDR$QH[R,,,GHVWD5HVROXomRGHYHPVHU DVVHJXUDGDVDVVHJXLQWHVFRQGLo}HV  ,TXHDWUDQVIHUrQFLDVHUiHQWUHJXHHPFRQIRUPLGDGHFRPRSUD]RHVWDEHOHFLGRQD 'HFODUDomRGH(VFRODULGDGHGDHVFRODGHRULJHP ,,TXHDPDWUtFXODVHUiFDQFHODGDVHQmRKRXYHUDHQWUHJDGDWUDQVIHUrQFLDQRSUD]R HVWDEHOHFLGRQDGHFODUDomRGHHVFRODULGDGH

,,,GDUFRQKHFLPHQWRSUpYLRGDFODVVLILFDomRSRUDYDOLDomRDRHVWXGDQWHTXDQGRPDLRURX DRSDLRXjPmHRXDRUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUFRPODYUDWXUDGDGHFLVmRHPDWD  $UW4XDQGRGDRFRUUrQFLDGRGLVSRVWRQRLQFLVR,,GRSDUiJUDIR~QLFRGRDUWLJRDQWHULRU GHVWD5HVROXomRHRUHTXHUHQWHSHUVLVWLUQDSHUPDQrQFLDGRHVWXGDQWHQDPHVPDHVFRODD GLUHomRVREDDQXrQFLDGRHVWXGDQWHTXDQGRPDLRURXGRSDLRXPmHRXUHVSRQViYHO TXDQGRPHQRUSURFHGHUijFODVVLILFDomRSRUDYDOLDomRHPFRQIRUPLGDGHFRPRSUHYLVWR QHVWD5HVROXomR  3DUiJUDIR~QLFR3DUDDUHDOL]DomRGDFODVVLILFDomRGLVSRVWDQRFDSXWGHVWHDUWLJRRHVWXGDQWH TXDQGRPDLRURSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUGHYHUHTXHUHUDFODVVLILFDomRHP FRQIRUPLGDGHFRPRSUHYLVWRQHVWD5HVROXomR  $UW2VUHJLVWURVUHIHUHQWHVDRDSURYHLWDPHQWRHjDVVLGXLGDGHGRHVWXGDQWHDWpDpSRFD GDPDWUtFXODQDHVFRODUHFLSLHQGiULDVmRDWULEXLo}HVH[FOXVLYDVGDHVFRODGHRULJHP &$3Ë78/2,, '$(;3(',d­2'(75$16)(5Ç1&,$ $UW7UDQVIHUrQFLDpDSDVVDJHPGRHVWXGDQWHGHXPDSDUDRXWUDHVFROD  3DUiJUDIR~QLFR3DUDDH[SHGLomRGD*XLDGH7UDQVIHUrQFLDQmRpH[LJLGRRDWHVWDGRGHYDJD GDHVFRODSDUDDTXDORHVWXGDQWHVHUiWUDQVIHULGR  $UWeYHGDGDDWUDQVIHUrQFLDGHHVWXGDQWHHPSHUtRGRGHUHDOL]DomRGHH[DPHVILQDLV H[FHWRHPFDVRFRPSURYDGRGHPXGDQoDSDUDRXWURPXQLFtSLR  $UW$WUDQVIHUrQFLDpUHTXHULGDSHORHVWXGDQWHTXDQGRPDLRURXSHORSDLRXPmHRX UHVSRQViYHOTXDQGRPHQRU $UW2SUD]RSDUDH[SHGLomRGHWUDQVIHUrQFLDp GH] GLDVDFRQWDUGDGDWDGR UHTXHULPHQWR  $UW2HVWXGDQWHDRVHUWUDQVIHULGRHPTXDOTXHUpSRFDGRDQRGHYHUHFHEHUGDHVFRODD *XLDGH7UDQVIHUrQFLDGDTXDOFRQVWH  ,LGHQWLILFDomRFRPSOHWDGDHVFROD ,,LGHQWLILFDomRFRPSOHWDGRHVWXGDQWH ,,,LQIRUPDo}HVVREUH  D DRUJDQL]DomRFXUULFXODUFXUVDGDQDHVFRODHDQWHULRUPHQWHHPRXWUDVHVFRODVTXDQGRIRU RFDVR E RDSURYHLWDPHQWRREWLGR F DIUHTXrQFLDGRDQRHPFXUVRTXDQGRIRURFDVR G DDSURYDomR H DUHWHQomRTXDQGRIRURFDVR I RXWURVUHJLVWURVGHREVHUYDo}HVSHUWLQHQWHV †ž2VUHJLVWURVGDVREVHUYDo}HVSUHYLVWRVQDDOtQHD³I´VmRSHUWLQHQWHVDRGRLQtFLRGDYLGD

HVFRODUGRHVWXGDQWHHQXQFDDQWHULRU †ž3DUDRVHVWXGDQWHVGRž SULPHLUR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDORGHWHUPLQDGRQDV DOtQHDV³E´H³G´pVXEVWLWXtGRSHOR,QVWUXPHQWRGH5HJLVWURGD$SUHQGL]DJHP †ž1Rž SULPHLUR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOD*XLDGH7UDQVIHUrQFLDGHYHVHU DFRPSDQKDGDGR,QVWUXPHQWRGH5HJLVWURGD$SUHQGL]DJHP †ž$SDUWLUGRž VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOD*XLDGH7UDQVIHUrQFLDGHYHVHU DFRPSDQKDGDGDILFKDGHGDGRVSDUDILQVGHWUDQVIHUrQFLDGHDQRHPFXUVRHGD(PHQWD &XUULFXODUGHDQRFRQFOXtGR &$3Ë78/2,,, '$)5(48Ç1&,$  $UW$IUHTXrQFLDjVDXODVHGHPDLVDWLYLGDGHVSURJUDPDGDVSHODHVFRODVmRREULJDWyULDVH SHUPLWLGDVDSHQDVDRVHVWXGDQWHVOHJDOPHQWHPDWULFXODGRV  $UW$IUHTXrQFLDGRHVWXGDQWHVHUiFRPSXWDGDDSDUWLUGRLQtFLRGRDQROHWLYR  $UW1RHQVLQRIXQGDPHQWDOpH[LJLGDSDUDDSURYDomRDIUHTXrQFLDPtQLPDGH VHWHQWDHFLQFRSRUFHQWR GRWRWDOGHKRUDVOHWLYDVFRPSXWDGDDRILQDOGHFDGDDQRH[FHWR QRž SULPHLUR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDO  †ž2HVWXGDQWHTXHQmRREWLYHUDIUHTXrQFLDPtQLPDH[LJLGDQRFDSXWHVWDUi DXWRPDWLFDPHQWHUHSURYDGRSRUIDOWDVLQGHSHQGHQWHPHQWHGRDSURYHLWDPHQWRREWLGR †žeFRQVLGHUDGRDEDQGRQRDVLWXDomRHPTXHRDOXQRQmRIUHTXHQWDURVGRLV~OWLPRV ELPHVWUHVFRQVHFXWLYDPHQWHSUHYLVWRVHPFDOHQGiULRHVFRODU †ž4XDQGRGDPDWUtFXODSRUWUDQVIHUrQFLDGRDQRHPFXUVRFRQVLGHUDUVHiWDPEpPD IUHTXrQFLDSURYHQLHQWHGDHVFRODGHRULJHPGHVGHTXHRHVWXGDQWHQmRSDVVHSRUQHQKXP SURFHVVRGHFODVVLILFDomR  $UW4XDQGRRHVWXGDQWHFRPSURYDGDPHQWHQmRUHDOL]DUPDWUtFXODQRFRUUHQWHDQR OHWLYRHDUHDOL]DUDSyVRLQtFLRGRDQROHWLYRDIUHTXrQFLDpUHJLVWUDGDHFRQVLGHUDGDDSDUWLU GDGDWDGDPDWUtFXODQDHVFROD  $UW$IUHTXrQFLDGRHVWXGDQWHGHYHVHUUHJLVWUDGDHP'LiULRGH&ODVVHFXMRFRQWUROHILFD DFDUJRGRSURIHVVRUHRTXDQWLWDWLYRGHIDOWDVGHYHVHUHQWUHJXHELPHVWUDOPHQWHjVHFUHWDULD GDHVFRODHPGDWDGHILQLGDSHODHVFROD  †ž$VIDOWDVGRVHVWXGDQWHVQmRSRGHPVHUDERQDGDVH[FHWRQDVVLWXDo}HVSUHYLVWDVQD/HL GR6HUYLoR0LOLWDU †ž2VDWHVWDGRVPpGLFRVDSUHVHQWDGRVDSyVRYHQFLPHQWRGRSHUtRGRGHDIDVWDPHQWRQHOHV SUHYLVWRVVHUYHPDSHQDVFRPRMXVWLILFDWLYDVHQmRDERQDPDVIDOWDV  $UW$RHVWXGDQWHGLVSHQVDGRGHFXUVDUFRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV PHGLDQWH DSUHVHQWDomRGRGRFXPHQWRGHHOLPLQDomRSDUFLDOpH[LJLGRRFXPSULPHQWRGDIUHTXrQFLD PtQLPDGH VHWHQWDHFLQFRSRUFHQWR GDVRPDWyULDGDFDUJDKRUiULDWRWDOGR V  FRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV DTXHHVWLYHUREULJDGRDFXUVDU  $UW$HVFRODGHYHDGRWDUHVWUDWpJLDVSHGDJyJLFDVFDSD]HVGHHVWLPXODUDSUHVHQoDGR HVWXGDQWHQDVDWLYLGDGHVOHWLYDVHUHDOL]DUDFRPSDQKDPHQWRGDVXDIUHTXrQFLDSRUPHLRGH XPVLVWHPDGHFRPXQLFDomRFRPDVIDPtOLDV  3DUiJUDIR~QLFR3DUDDWHQGLPHQWRGHVXDIXQomRVRFLDOFDEHDLQGDjHVFROD  ,QRWLILFDURSDLRXDPmHRXRUHVSRQViYHOTXHFRPSDUHoDjHVFRODQRSUD]RGH VHWHQWD HGXDV KRUDVSDUDMXVWLILFDUDVDXVrQFLDVGHHVWXGDQWHVPHQRUHVDILPGHTXHQmRDWLQMDPR tQGLFHGH FLQTXHQWDSRUFHQWR GRSHUFHQWXDOSHUPLWLGRHPOHL ,,HQFDPLQKDUjVDXWRULGDGHVGR0LQLVWpULR3~EOLFRHGR&RQVHOKR7XWHODUGR0XQLFtSLRD UHODomRGHHVWXGDQWHVPHQRUHVTXHDSUHVHQWDUHPTXDQWLGDGHVGHIDOWDVDFLPDGH FLQTXHQWDSRUFHQWR GRSHUFHQWXDOSHUPLWLGRHPOHL &$3Ë78/2,9 '25(*,0('20,&,/,$5  $UW2UHJLPHGRPLFLOLDUpXPSURFHVVRTXHHQYROYHDIDPtOLDHDHVFRODHGiDRHVWXGDQWH RGLUHLWRGHUHDOL]DUDWLYLGDGHVHVFRODUHVHPVHXGRPLFtOLRTXDQGRKRXYHULPSHGLPHQWRGH IUHTXrQFLDjVDXODVVHPSUHMXt]RQDVXDYLGDHVFRODU  †ž2EHQHItFLRGHTXHWUDWDRFDSXWGRDUWLJRGHYHVHUUHTXHULGRSHORSDLRXPmHRX UHVSRQViYHORXHVWXGDQWHTXDQGRPDLRUPHGLDQWHDSUHVHQWDomRGHDWHVWDGRPpGLFRQRSUD]R Pi[LPRGH FLQFR GLDVDFRQWDUGRLQtFLRGRDIDVWDPHQWR †ž'RDWHVWDGRPpGLFRRXODXGRGHYHPREULJDWRULDPHQWHFRQVWDUR&,'±&yGLJR ,QWHUQDFLRQDOGH'RHQoDVRPRWLYRGRDIDVWDPHQWRHDLQGLFDomRGDVGDWDVGHLQtFLRH WpUPLQRGRSHUtRGRGHDIDVWDPHQWR †ž$RVHVWXGDQWHVTXHQHFHVVLWDUHPGHDIDVWDPHQWRLQIHULRUD FLQFR GLDVDVIDOWDVVHUmR FRPSXWDGDVQRV YLQWHHFLQFRSRUFHQWR DTXHWLYHUHPGLUHLWRDIDOWDU  $UW6mRFRQVLGHUDGRVGHUHOHYkQFLDOHJDOSDUDRWUDWDPHQWRH[FHSFLRQDO  ,DVHVWXGDQWHVHPHVWDGRGHJHVWDomRDSDUWLUGRž RLWDYR PrVGHJUDYLGH]SRGHQGRVHU DQWHFLSDGR ,,RVHVWXGDQWHVFRPDIHFo}HVFRQJrQLWDVRXDGTXLULGDVLQIHFo}HVWUDXPDWLVPRRXRXWUDV FRQGLo}HVPyUELGDVGHWHUPLQDQGRGLVW~UELRVDJXGRVRXDJXGL]DGRVGHVGHTXHVHYHULILTXHD FRQVHUYDomRGDVFRQGLo}HVLQWHOHFWXDLVHHPRFLRQDLVQHFHVViULDVSDUDRSURVVHJXLPHQWRGD DWLYLGDGHHVFRODU  3DUiJUDIR~QLFR$SURUURJDomRGRRIHUHFLPHQWRGRWUDWDPHQWRH[FHSFLRQDORFRUUHUiGHVGH TXHFRPSURYDGDDQHFHVVLGDGHSRUPHLRGHDWHVWDGRPpGLFRQDVXDSUySULDSHVVRD  $UW&RPSHWHDR6HFUHWiULR(VFRODU ,RULHQWDURSUHHQFKLPHQWRGRUHTXHULPHQWRPHGLDQWHRDWHVWDGRPpGLFRHDVLQIRUPDo}HV GDIDPtOLD 

,,HQFDPLQKDUDGRFXPHQWDomRSDUDDFRRUGHQDomRSHGDJyJLFDGLUHWDPHQWHHQYROYLGDFRPR HVWXGDQWH  $UW&RPSHWHDR&RRUGHQDGRU3HGDJyJLFR  ,ID]HUFRPXQLFDomRDRVSURIHVVRUHVVROLFLWDQGRDVDWLYLGDGHVHVFRODUHV ,,PDQWHUFRQWDWRGLUHWRFRPDIDPtOLDRXUHVSRQViYHOGRHVWXGDQWHSDUDRHQFDPLQKDPHQWR GDVDWLYLGDGHVHVFRODUHVHRXUHFHELPHQWRGDVDWLYLGDGHVUHDOL]DGDV ,,,HQFDPLQKDUDVDWLYLGDGHVHVFRODUHVUHDOL]DGDVSDUDRVSURIHVVRUHV  †ž2HVWXGDQWHGHYHUiFXPSULUDVDWLYLGDGHVHVFRODUHVSURSRVWDVGHWRGRVFRPSRQHQWHV FXUULFXODUHVGLVFLSOLQDVQRVSUD]RVHVWDEHOHFLGRVSHORVGRFHQWHV †ž2SDLRXPmHRXUHVSRQViYHOSHORHVWXGDQWHGHYHUiREULJDWRULDPHQWHPDQWHUFRQWDWR SHVVRDOHSHULyGLFRFRPDFRRUGHQDomRSHGDJyJLFDSDUDUHFHEHURULHQWDo}HVH DFRPSDQKDPHQWRGDVDWLYLGDGHVSURSRVWDV  $UW$VDWLYLGDGHVHVFRODUHVGHYHUmRVHUHQWUHJXHVSHORSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOGR HVWXGDQWHQRSUD]RHVWLSXODGRSHODFRRUGHQDomRSHGDJyJLFD  $UW2UHJLPHGRPLFLOLDUQmRWHPHIHLWRUHWURDWLYRSRUWDQWRDGLUHomRQRLQtFLRGRDQR OHWLYRGHYHGDUFLrQFLDDRHVWXGDQWHTXDQGRPDLRUSDLRXPmHRXDRUHVSRQViYHOTXDQGR PHQRUGRGLVSRVWRQHVWDUHVROXomR  $UW)LQGRRSHUtRGRGREHQHItFLRRHVWXGDQWHGHYHUiUHWRUQDUjVDWLYLGDGHVUHJXODUHVGR VHXFXUVR &$3Ë78/29 $3529(,7$0(172'((678'26  $UW$SURYHLWDPHQWRGHHVWXGRVpRPHFDQLVPRTXHSRVVLELOLWDDRHVWXGDQWHDGLVSHQVDGH FXUVDUFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGRFXUUtFXORHVFRODU  †ž6HUmRREMHWRGHDSURYHLWDPHQWRVRPHQWHRVHVWXGRVIRUPDLVFRQFOXtGRVFRPr[LWR †ž2DSURYHLWDPHQWRGHHVWXGRVGHYHREVHUYDURVFULWpULRVHVWDEHOHFLGRVHPQRUPDYLJHQWH VREUHDYDOLDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODU  $UW3DUDUHVJXDUGDURVGLUHLWRVGRHVWXGDQWHGDHVFRODHGRVSURILVVLRQDLVHQYROYLGRV H[LJHPVHRVVHJXLQWHVSURFHGLPHQWRV  ,UHTXHULPHQWRVROLFLWDQGRRDSURYHLWDPHQWRGHHVWXGRVGHYLGDPHQWHDVVLQDGRSHOR HVWXGDQWHTXDQGRPDLRURXSHORSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUDFRPSDQKDGR GDYLDRULJLQDOGR&HUWLILFDGRGH(OLPLQDomR3DUFLDO ,,SURFHGHUjDQiOLVHFRPSDUDWLYDGRFRPSURYDQWHGHHVFRODULGDGHDSUHVHQWDGRFRPD 0DWUL]&XUULFXODUGDHVFROD ,,,YHULILFDGDDSRVVLELOLGDGHGRDSURYHLWDPHQWRGHHVWXGRVDHVFRODGHYHUHJLVWUDUDWDGD TXDOFRQVWH  D FRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVHDQRHWDSDSDUDTXDLVRVHVWXGRVIRUDPDSURYHLWDGRVH FRQVHTXHQWHPHQWHRHVWXGDQWHGLVSHQVDGRGHFXUVDU E FRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVTXHRHVWXGDQWHWHUiTXHFXUVDU F IUHTXrQFLDPtQLPDH[LJLGDSDUDDSURYDomRFRQVLGHUDQGRRVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVTXH RHVWXGDQWHWHUiTXHFXUVDU  ,9HODERUDUWHUPRGHUHVSRQVDELOLGDGHLQIRUPDQGRDVREULJDo}HVGRHVWXGDQWHTXDQWRDR FXPSULPHQWRGRFRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV RTXHVHUi mR FXUVDGR V SDUDFXPSULPHQWRGR FXUUtFXORGDHVFROD  9HODERUDU3RUWDULDSDUDOHJLWLPDURDSURYHLWDPHQWRGHHVWXGRVGDTXDOGHYH P FRQVWDU R V FRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV HDQR V HWDSDSDUDTXDO LV R V HVWXGRVIRUDP DSURYHLWDGRV  9,DUTXLYDUR V FRPSURYDQWH V GHHVFRODULGDGHFySLDGDDWDGHDSURYHLWDPHQWRGH HVWXGRVGD3RUWDULDHGRWHUPRGHUHVSRQVDELOLGDGHQRSURQWXiULRGRHVWXGDQWH  $UW4XDQGRGDH[SHGLomRGD*XLDGH7UDQVIHUrQFLDRXGR+LVWyULFR(VFRODUGHYHPVHU WUDQVFULWRVDGHQRPLQDomRGDLQVWLWXLomRGHHQVLQRGHRULJHPDQRWDRORFDOHRDQRGH FRQFOXVmRUHIHUHQWHVDRVHVWXGRVDSURYHLWDGRV &$3Ë78/29, '$$'$37$d­2&855,&8/$5'((678'26  $UW$DGDSWDomRFXUULFXODUGHHVWXGRVpRSURFHGLPHQWRSHGDJyJLFRHDGPLQLVWUDWLYR GHFRUUHQWHGDHTXLSDUDomRGHFXUUtFXORVTXHWHPSRUILQDOLGDGHSURPRYHURVDMXVWDPHQWRV LQGLVSHQViYHLVSDUDTXHRHVWXGDQWHSRVVDSURVVHJXLUVHXVHVWXGRV  †ž$DGDSWDomRFXUULFXODUGHDQRFRQFOXtGRpH[LJLGDTXDQGRQRFXUUtFXORGDHVFRODGH GHVWLQRH[LVWLU HP FRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV GDEDVHQDFLRQDOFRPXPHGDSDUWH GLYHUVLILFDGDQmRFXUVDGR V QR V DQR V DQWHULRU HV  †ž2HVWXGDQWHTXHFXUVRXFRPr[LWRD/tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQDREULJDWyULDHP TXDOTXHUHWDSDGHHQVLQRQDHVFRODGHRULJHPPHVPRTXHGLIHUHQWHGDRIHUHFLGDQDHVFROD UHFLSLHQGiULDVHUiGLVSHQVDGRGDDGDSWDomRFXUULFXODUGHDQRFRQFOXtGR  $UW$DGDSWDomRGHELPHVWUHpH[LJLGDTXDQGRQRFXUUtFXORGDHVFRODGHGHVWLQR H[LVWLU HP FRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV GDEDVHQDFLRQDOFRPXPHGDSDUWHGLYHUVLILFDGDQmR FRQVWDQWH V QRFXUUtFXORGDHVFRODGHRULJHP  †ž(VWDUiVXMHLWRDRVHVWXGRVGHDGDSWDomRGHELPHVWUHRHVWXGDQWHTXHYHPFXUVDQGR /tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQDREULJDWyULDGHTXDOTXHUHWDSDGHHQVLQRGLIHUHQWHGDRIHUHFLGD QDHVFRODUHFLSLHQGiULD †ž4XDQGRGHVWDDGDSWDomRRVUHVXOWDGRVGHDSURYHLWDPHQWRDVHUHPUHJLVWUDGRVGHYHUmR FRUUHVSRQGHUDRVTXDQWLWDWLYRVGHELPHVWUHVH[LJLGRV

 $UW1RVDQRVLQLFLDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOLQGHSHQGHQWHPHQWHGHDQRVRXELPHVWUHV FRQFOXtGRVQmRVHUmRH[LJLGRVRVHVWXGRVHPIRUPDGHDGDSWDomRFXUULFXODU

 $UW3DUDHIHWLYDomRGRSURFHVVRGHDGDSWDomRFXUULFXODUGHDQRFRQFOXtGRDHVFRODGHYH  ,FRPSDUDURFXUUtFXOR ,,HODERUDUWHUPRGHUHVSRQVDELOLGDGHTXHVHUiDVVLQDGRSHORHVWXGDQWHTXDQGRPDLRURX SDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRUFRQVWDQGRR V FRPSRQHQWH V FXUULFXODU HV TXH WHUiTXHFXPSULUHPIRUPDGHDGDSWDomRFXUULFXODU  ,,,HODERUDUXPSODQRSUySULRIOH[tYHOHDGHTXDGRDFDGDFDVR ,9SURFHGHUDRILQDOGRSURFHVVRDRUHJLVWURGRVUHVXOWDGRVREWLGRVFRPDSHQDVXPDQRWD ILQDOSDUDFDGDFRPSRQHQWHFXUULFXODU 9HODERUDU$WDGH5HVXOWDGRV)LQDLVFRPRVUHVXOWDGRVREWLGRVQRVHVWXGRVGHDGDSWDo}HV GHDQRFRQFOXtGR 9,DUTXLYDUQRSURQWXiULRGRHVWXGDQWHRWHUPRGHUHVSRQVDELOLGDGHGHYLGDPHQWHDVVLQDGR SHORSDLRXPmHRXUHVSRQViYHOTXDQGRPHQRURXSHORHVWXGDQWHTXDQGRPDLRU  †ž$DGDSWDomRFXUULFXODULQGHSHQGHQWHPHQWHGRTXDQWLWDWLYRGHFRPSRQHQWH V  FXUULFXODU HV VHUiFXPSULGDGHPDQHLUDLQWHQVLYDSDUDTXHRHVWXGDQWHHPWHPSRKiELO SRVVDDGTXLULURGRPtQLRGRVSUpUHTXLVLWRVQHFHVViULRVjDSUHQGL]DJHPGRDQRHPFXUVR  †ž$H[HFXomRGRSODQRHRUHJLVWURGRGHVHPSHQKRGRHVWXGDQWHGHYHUmRVHU DFRPSDQKDGRVSHOD6(0(&(  $UW(PKLSyWHVHDOJXPDSRGHUiRHVWXGDQWHFRQFOXLURHQVLQRIXQGDPHQWDOVHPTXH WHQKDFRQFOXtGRDVDGDSWDo}HVQHFHVViULDVDRFXPSULPHQWRGRFXUUtFXORGDHVFROD  $UW2FULWpULRSDUDDDSURYDomRQRVHVWXGRVGHDGDSWDomRpDTXHOHHVWDEHOHFLGRQHVWD 5HVROXomR  $UW2HVWXGDQWHTXHVRIUHUFODVVLILFDomRSRUDYDOLDomRQmRHVWDUiVXMHLWRjDGDSWDomR  $UW6HUmRDVVHJXUDGRVRVUHJLVWURVHP$WDGH5HVXOWDGRV)LQDLVQD*XLDGH 7UDQVIHUrQFLDRXQR+LVWyULFR(VFRODUGRHVWXGDQWHGRVUHVXOWDGRVREWLGRVFRPr[LWRQRV HVWXGRVGHDGDSWDomRFXUULFXODUGHDQRFRQFOXtGR &$3Ë78/29,, '$&/$66,),&$d­2  $UW&ODVVLILFDomRpDPHGLGDDGPLQLVWUDWLYDHSHGDJyJLFDTXHDHVFRODDGRWDHP FRQIRUPLGDGHFRPRVHX3URMHWR3ROtWLFR3HGDJyJLFRSDUDSRVLFLRQDURHVWXGDQWHHPXPGRV DQRVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOEDVHDQGRVHQDVVXDVH[SHULrQFLDVHGHVHPSHQKRDGTXLULGRVSRU PHLRVIRUPDLVHLQIRUPDLV

$UW$FODVVLILFDomRH[FHWRQRž SULPHLUR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOSRGHVHUIHLWD  ,SRUSURPRomRSDUDHVWXGDQWHVTXHFXUVDUDPFRPDSURYHLWDPHQWRRDQRDQWHULRUQD SUySULDHVFROD ,,SRUWUDQVIHUrQFLDSDUDFDQGLGDWRVSURFHGHQWHVGHRXWUDVHVFRODVGRSDtVRXGRH[WHULRU ,,,SRUDYDOLDomRUHDOL]DGDSHODHVFRODLQGHSHQGHQWHPHQWHGHHVFRODUL]DomRDQWHULRUTXH SHUPLWDDPDWUtFXODGRHVWXGDQWHQRDQRDGHTXDGRDRJUDXGHGHVHQYROYLPHQWRGH FRQKHFLPHQWRVHH[SHULrQFLDV  †ž$FODVVLILFDomRGLVSRVWDQRLQFLVR,,TXDQGRUHDOL]DGDDDYDOLDomRHQRLQFLVR,,,GHVWH DUWLJRGHSHQGHUiGHDSURYDomRQDVDYDOLDo}HV †ž$FODVVLILFDomRGLVSRVWDQRLQFLVR,,,GHVWHDUWLJRVXSULUiSDUDWRGRVRVHIHLWRVHVFRODUHV DLQH[LVWrQFLDGHGRFXPHQWRVGDYLGDHVFRODUSUHJUHVVDGRFDQGLGDWR  $UW$DYDOLDomRSUHYLVWDQRLQFLVR,,,GRDUWGHVWD5HVROXomRGHUHVSRQVDELOLGDGHGD HTXLSHSHGDJyJLFDGDHVFRODGHYHVHUUHTXHULGDSHORLQWHUHVVDGRTXDQGRPDLRUHTXDQGR PHQRUSHORSDLRXPmHRXUHVSRQViYHO  †ž3DUDUHVJXDUGDURVGLUHLWRVGRHVWXGDQWHGDHVFRODHGRVSURILVVLRQDLVHQYROYLGRVVmR QHFHVViULDVDVVHJXLQWHVPHGLGDVDGPLQLVWUDWLYDV  ,UHTXHULPHQWRLQGLFDQGRRDQRSUHWHQGLGRGHYLGDPHQWHDVVLQDGR ,,DQiOLVHHKRPRORJDomRGRUHTXHULPHQWRSRUSDUWHGDGLUHomRGDHVFROD ,,,HODERUDomRGDVDYDOLDo}HVSRUFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGDEDVHQDFLRQDOFRPXP DEUDQJHQGRRVFRQKHFLPHQWRVFRQWH~GRVFXUULFXODUHVFRUUHVSRQGHQWHVDRSHUtRGRDQWHULRU jTXHOHSUHWHQGLGRSHORFDQGLGDWR ,9DSOLFDomRGDVDYDOLDo}HVQDIRUPDHVFULWD 9FRUUHomRHDWULEXLomRGHQRWDFRUUHVSRQGHQWHDRGHVHPSHQKRGHPRQVWUDGRSHOR FDQGLGDWR  †ž7RGRVRVSURFHGLPHQWRVDGRWDGRVQDUHDOL]DomRGDVDYDOLDo}HVGHYHUmRVHUODYUDGRVHP DWDGHRFRUUrQFLD  $UW$FODVVLILFDomRSRUWUDQVIHUrQFLDHPVHWUDWDQGRGHHVWXGDQWHRULXQGRGH RUJDQL]DomRGHHQVLQRGLIHUHQFLDGDpUHDOL]DGDPHGLDQWHDQiOLVHGRFXPHQWDOH H[FHSFLRQDOPHQWHSRUDYDOLDomRFRQIRUPHGLVSRVWRQRDUWGHVWD5HVROXomR  $UW3DUDILQVGHFODVVLILFDomRSRUDYDOLDomRVHUiFRQVLGHUDGRVDWLVIDWyULRRGHVHPSHQKR FRUUHVSRQGHQWHjQRWDPtQLPD VHWH HPFDGDFRPSRQHQWHFXUULFXODUREMHWRGD DYDOLDomR  $UW0HGLDQWHDREWHQomRGDQRWDPtQLPDH[LJLGDSDUDDSURYDomRDHVFRODGHYH SURYLGHQFLDU  ,RUHJLVWURGRUHVXOWDGRHP$WDGH5HVXOWDGRV)LQDLVH3RUWDULDHVSHFtILFDSDUDHVVHILP ,,RUHJLVWURGD3RUWDULDQRVGRFXPHQWRVHVFRODUHVGRHVWXGDQWH ,,,RDUTXLYDPHQWRGD3RUWDULDQRSURQWXiULRGRHVWXGDQWH 3DUiJUDIR~QLFR2VGRFXPHQWRVUHIHUHQWHVDRSURFHVVRGHFODVVLILFDomRGHYHPVHU DUTXLYDGRVQRSURQWXiULRGRHVWXGDQWHGHYLGDPHQWHYLVDGRVSRUWpFQLFRGD6(0(&(  $UW$PDWUtFXODVySRGHVHUHIHWXDGDDSyVRFXPSULPHQWRGDVPHGLGDVDGPLQLVWUDWLYDV SUHYLVWDVSDUDDFODVVLILFDomR &$3Ë78/29,,, '$$&(/(5$d­2'((678'26  $UW$FHOHUDomRGHHVWXGRVpRPHFDQLVPRXWLOL]DGRSHODHVFRODFRPYLVWDVDFRUULJLUR DWUDVRHVFRODUGRHVWXGDQWHHPUHODomRjLGDGHDQRSRVVLELOLWDQGROKHRDOFDQFHGRQtYHOGH GHVHQYROYLPHQWRSUySULRSDUDDVXDLGDGH  $UW3DUDDHIHWLYDomRGDDFHOHUDomRGHHVWXGRVDHVFRODGHYHREVHUYDURGLVSRVWRQD 5HVROXomRTXHWUDWDGDDYDOLDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODUQDVHVFRODVGD5HGH0XQLFLSDOGH (QVLQR &$3Ë78/2,; '2$9$1d2(6&2/$5  $UW$YDQoRHVFRODUVLJQLILFDDSURPRomRGRHVWXGDQWHSDUDDIDVHGHHVWXGRVVXSHULRU jTXHODHPTXHVHHQFRQWUDPDWULFXODGRGHVGHTXHDSUHVHQWHFDUDFWHUtVWLFDVHVSHFLDLVHTXH FRPSURYHPDWXULGDGHHSOHQRGRPtQLRGRVFRQKHFLPHQWRVUHODWLYRVDRDQRHVFRODUHPTXH HVWiSRVLFLRQDGR  $UW$WHQGLGRVDRVFULWpULRVSUHYLVWRVHPHGLDQWHDREWHQomRGDQRWDPtQLPDH[LJLGDSDUD DHIHWLYDomRGRDYDQoRHVFRODUHVWDEHOHFLGRVQD5HVROXomRHVSHFtILFDGDDYDOLDomRGR UHQGLPHQWRUHVSHFWLYDPHQWHDHVFRODDGRWDUiRVVHJXLQWHVSURFHGLPHQWRV  ,UHJLVWUDURVUHVXOWDGRVHP$WDGH5HVXOWDGRV)LQDLVHODERUDGDSDUDHVVHILP ,,HODERUDU3RUWDULDSDUDOHJLWLPDURDWR ,,,SURFHGHUjVGHYLGDVDQRWDo}HVVREUHRDYDQoRHVFRODUQR V 'LiULR V GH&ODVVHGRDQR GHRULJHP ,9SURFHGHUjPDWUtFXODGRHVWXGDQWHQRDQRSDUDRTXDOGHPRQVWURXFRQKHFLPHQWRQRV WHUPRVGHVWD5HVROXomR 9DFUHVFHURQRPHGRHVWXGDQWHQDUHODomRGR V 'LiULR V GH&ODVVHGRDQRHPTXHIRL PDWULFXODGR 9,DVVHJXUDURUHJLVWURGD3RUWDULDQRVGRFXPHQWRVHVFRODUHVGRHVWXGDQWH  $UW2HVWXGDQWHSRGHXVXIUXLUVRPHQWHXPDYH]GRLQVWLWXWRGRDYDQoRHVFRODUQD PHVPDHVFRODRQGHUHDOL]RXDPDWUtFXOD  $UW2VGRFXPHQWRVUHIHUHQWHVDRSURFHVVRREMHWRGRDYDQoRHVFRODUGHYHPVHU DUTXLYDGRVQRSURQWXiULRGRHVWXGDQWHGHYLGDPHQWHYLVDGRVSHOR6XSHUYLVRUGH*HVWmR (VFRODU &$3Ë78/2; '$$385$d­2'25(1',0(172(6&2/$5  $UW$DSXUDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODUGRHVWXGDQWHGRž SULPHLUR DQRGRHQVLQR IXQGDPHQWDOpUHJLVWUDGDELPHVWUDOPHQWHSRUPHLRGH,QVWUXPHQWRGH5HJLVWURGD $SUHQGL]DJHPHPLWLGRSHORVSURIHVVRUHVGDWXUPD  $UW$DSXUDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODUQRHQVLQRIXQGDPHQWDOpFDOFXODGDSRUPHLRGD PpGLDDULWPpWLFDGRVUHVXOWDGRVELPHVWUDLVGHDFRUGRFRPDVHJXLQWHIyUPXOD ,0$  

ž0%ž0%ž0%ž0%

•





,,0$ 0pGLD$QXDOSRUFRPSRQHQWHFXUULFXODU ,,,0% 0pGLD%LPHVWUDOSRUFRPSRQHQWHFXUULFXODU  3DUiJUDIR~QLFR4XDQGRRHVWXGDQWHFRPSURYDGDPHQWHQmRUHDOL]DUPDWUtFXODQDHWDSDGR HQVLQRIXQGDPHQWDOHDUHDOL]DUDSyVRLQtFLRGRDQROHWLYRRVtQGLFHVGHDSURYHLWDPHQWRGD DSUHQGL]DJHPVmRFRQVLGHUDGRVDSDUWLUGDVXDPDWUtFXOD  $UW&RPRH[SUHVVmRGRVUHVXOWDGRVGDDYDOLDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODUpDGRWDGRR VLVWHPDGHQ~PHURVLQWHLURVQDHVFDODGH ]HUR D GH] SHUPLWLQGRVHDGHFLPDO FLQFR   $UW3DUDRDUUHGRQGDPHQWRGHQRWDVVmRREVHUYDGRVRVVHJXLQWHVFULWpULRV  ,GHFLPDLVH±DUUHGRQGDUSDUDRQ~PHURLQWHLURLPHGLDWDPHQWHDQWHULRU ,,GHFLPDLVH±VXEVWLWXLUSHORGHFLPDO ,,,GHFLPDLVH±DUUHGRQGDUSDUDRQ~PHURLQWHLURLPHGLDWDPHQWHVXSHULRU  $UW$DWULEXLomRGHQRWDVpRUHVXOWDGRGDDSOLFDomRGHYiULDVWpFQLFDVHLQVWUXPHQWRVGH DYDOLDomR  $UW1mRpSHUPLWLGRUHSHWLUPpGLDGHXPELPHVWUHSDUDRXWURVHMDSURJUHVVLYDRX UHJUHVVLYDPHQWH  $UW$RILQDOGHFDGDELPHVWUHGRDQROHWLYRpUHJLVWUDGDXPDPpGLDTXHUHSUHVHQWHR DSURYHLWDPHQWRHVFRODUGRHVWXGDQWHSDUDFDGDFRPSRQHQWHFXUULFXODUDSDUWLUGRž VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDO  $UW$$YDOLDomRGRUHQGLPHQWRHVFRODUQRSURFHVVRGHDSUHQGL]DJHPVHUiUHDOL]DGD FRQIRUPHQRUPDVYLJHQWHVGD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWH  &$3Ë78/2;, '2(;$0(),1$/

 $UWeHQFDPLQKDGRSDUDH[DPHILQDORHVWXGDQWHFRPPpGLDDQXDOLQIHULRUD VHLV   3DUiJUDIR~QLFR2HVWXGDQWHTXHQmRDWLQJLUDIUHTXrQFLDPtQLPDGH VHWHQWDHFLQFR SRUFHQWR GDFDUJDKRUiULDTXHHVWHMDREULJDGRDFXUVDUQmRWHPGLUHLWRGHSUHVWDURH[DPH ILQDOLQGHSHQGHQWHPHQWHGRVUHVXOWDGRVREWLGRVQRDSURYHLWDPHQWR  $UW2HVWXGDQWHSRGHSUHVWDUH[DPHILQDOHPWRGRVRVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHV  $UW2FiOFXORGDPpGLDDSyVH[DPHILQDOpHIHWXDGRGHDFRUGRFRPDVHJXLQWH IyUPXOD ,0)  

0$[()[ 

• 

,,0) 0pGLD)LQDO ,,,0$ 0pGLD$QXDOSRUFRPSRQHQWHFXUULFXODU ,9() 1RWDGR([DPH)LQDOSRUFRPSRQHQWHFXUULFXODU &$3Ë78/2;,, '$35202d­2  $UW'Rž SULPHLUR SDUDRž VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDORHVWXGDQWH XVXIUXLGDSURJUHVVmRFRQWLQXDGD  $UWeFRQVLGHUDGRDSURYDGRDSDUWLUGRR VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOR HVWXGDQWHFRP  ,IUHTXrQFLDLJXDORXVXSHULRUD VHWHQWDHFLQFRSRUFHQWR GRWRWDOGDFDUJDKRUiULD TXHHVWHMDREULJDGRDFXUVDU ,,PpGLDDQXDOLJXDORXVXSHULRUD VHLV SRUFRPSRQHQWHFXUULFXODU ,,,PpGLDILQDOLJXDORXVXSHULRUD FLQFR SRUFRPSRQHQWHFXUULFXODUREMHWRGHH[DPH ILQDO

CONTINUAÇÃO NA PRÓXIMA PÁGINA


ATOS OFICIAIS ,,PpGLDILQDOLQIHULRUD FLQFR DSyVH[DPHILQDO &$3Ă&#x2039;78/2;,9 '$25*$1,=$d­2'$9,'$(6&2/$5  $UW$RUJDQL]DomRGDYLGDHVFRODUID]VHSRUPHLRGHXPFRQMXQWRGHQRUPDVTXHYLVD JDUDQWLURUHJLVWURGRDFHVVRGDSHUPDQrQFLDHGDSURJUHVVmRQRVHVWXGRVEHPFRPRGD UHJXODULGDGHGDYLGDHVFRODUGRHVWXGDQWHDEUDQJHQGR  ,5HTXHULPHQWRGH0DWUtFXOD ,,UHTXHULPHQWRVRXWURV ,,,3RUWDULD ,97HUPRGH5HVSRQVDELOLGDGH 9'LiULRGH&ODVVH 9,,QVWUXPHQWRGH5HJLVWURGD$SUHQGL]DJHP 9,,5HODWyULRGH0pGLDH)UHTXrQFLD$QXDO 9,,,*XLDGH7UDQVIHUrQFLD ,;$WDGH5HVXOWDGRV)LQDLV ;+LVWyULFR(VFRODU  &$3Ă&#x2039;78/2;9 '$/27$d­2'(352)(6625(6  $UW6mRORWDGRVSRUWXUPDGRÂ&#x17E; SULPHLUR DRÂ&#x17E; TXLQWR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDO  FLQFR SURIHVVRUHVVHQGR  , XP OLFHQFLDGRHPQtYHOVXSHULRUFRPKDELOLWDomRSDUDGRFrQFLDQRVDQRVLQLFLDLVGR HQVLQRIXQGDPHQWDOTXHPLQLVWUDRVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVGH/tQJXD3RUWXJXHVD 0DWHPiWLFD+LVWyULDH*HRJUDILD ,, XP FRPKDELOLWDomRHP$UWHVTXHPLQLVWUDRFRPSRQHQWHFXUULFXODUGH$UWH ,,, XP FRPKDELOLWDomRHP(GXFDomR)tVLFDTXHPLQLVWUDRFRPSRQHQWHFXUULFXODUGH (GXFDomR)tVLFD ,9 XP OLFHQFLDGRHPQtYHOVXSHULRUFRPKDELOLWDomRSDUDGRFrQFLDQRVDQRVLQLFLDLVGR HQVLQRIXQGDPHQWDOTXHPLQLVWUDRFRPSRQHQWHFXUULFXODUGH&LrQFLDVGD1DWXUH]D 9 XP OLFHQFLDGRHPOHWUDVFRPKDELOLWDomRHP,QJOrVTXHPLQLVWUDRFRPSRQHQWH FXUULFXODUGH/tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQD,QJOrV    Â&#x2020;Â&#x17E;2QGHQmRKRXYHUDGLVSRQLELOLGDGHGHSURIHVVRUKDELOLWDGRHP$UWHVH(GXFDomR)tVLFDD HVFRODGHYHUiORWDUSDUDHVVHVFRPSRQHQWHVFXUULFXODUHVXPSURIHVVRUOLFHQFLDGRHPQtYHO VXSHULRUFRPKDELOLWDomRSDUDDGRFrQFLDQRVDQRVLQLFLDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDO Â&#x2020;Â&#x17E;1DIDOWDGHSURIHVVRUKDELOLWDGRDGPLWHVHFRPRKDELOLWDomRPtQLPDDREWLGDHPQtYHO PpGLRPRGDOLGDGHQRUPDO  $UW6mRORWDGRVQRVDQRVILQDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOSURIHVVRUHVFRPKDELOLWDomR HVSHFtILFDSDUDFDGDFRPSRQHQWHFXUULFXODU  3DUiJUDIR~QLFR1DIDOWDGHSURILVVLRQDLVFRPKDELOLWDomRHVSHFtILFDDGPLWHVHHPFDUiWHU WHPSRUiULRSURILVVLRQDOFRPIRUPDomRHPQtYHOVXSHULRU  $UW$FDUJDKRUiULDHDORWDomRGRVSURIHVVRUHVGH$UWH(GXFDomR)tVLFD&LrQFLDVGD 1DWXUH]DH/tQJXD(VWUDQJHLUD0RGHUQD,QJOrVQRVDQRVLQLFLDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDO REHGHFHPDRVFULWpULRVHVWDEHOHFLGRVQDOHJLVODomRYLJHQWHHDRVTXDQWLWDWLYRVGHDXODV VHPDQDLVFRQIRUPH0DWUL]&XUULFXODU 7Ă&#x2039;78/29 '$6',6326,dÂŽ(6),1$,6  $UW$HVFRODGHYHDVVHJXUDUDWUDQVSRVLomRVHIRURFDVRDRVHVWXGDQWHVSURYHQLHQWHV GRHQVLQRIXQGDPHQWDOGH RLWR DQRVSDUDRGH QRYH DQRVGHGXUDomR  3DUiJUDIR~QLFR$WUDQVSRVLomRGHYHVHUUHJLVWUDGDQRVGRFXPHQWRVGRHVWXGDQWHTXDQGRIRU RFDVR  $UW$VWXUPDVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOLQGHSHQGHQWHPHQWHGRWXUQRGHIXQFLRQDPHQWR GHYHPVHUFRQVWLWXtGDVFRPRPtQLPRGH YLQWH HVWXGDQWHV  $UW2TXDQWLWDWLYRPi[LPRGHHVWXGDQWHVSRUWXUPDQRSHUtRGRGLXUQRQmRSRGH H[FHGHUD  ,ÂąQRHQVLQRIXQGDPHQWDO  D Â&#x17E; SULPHLUR HÂ&#x17E; VHJXQGR DQRV  YLQWHHRLWR  E Â&#x17E; WHUFHLUR DQR  WULQWD  F Â&#x17E; TXDUWR HÂ&#x17E; TXLQWR DQRV  WULQWDHGRLV  G Â&#x17E; VH[WR DRÂ&#x17E; QRQR DQR  WULQWDHFLQFR   3DUiJUDIR~QLFR(PFDVRVH[FHSFLRQDLVRTXDQWLWDWLYRGLVSRVWRQHVWHDUWLJRSRGHUiVRIUHU DOWHUDomRPHGLDQWHSDUHFHUGDHTXLSHWpFQLFDGD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH (VSRUWHVGHYLGDPHQWHDXWRUL]DGRSHORWLWXODUGDVHFUHWDULD  $UW6ySRGHUiVHUFRQVWLWXtGDQRYDWXUPDGRPHVPRDQRTXDQGRDH[LVWHQWHFRQWDUFRP RTXDQWLWDWLYRPi[LPRGHHVWXGDQWHV  $UW4XDQGRD6(0(&(FRQVWDWDUDH[LVWrQFLDGHWXUPDVFRPTXDQWLWDWLYRGHHVWXGDQWHV DTXpPGRHVWDEHOHFLGRQHVWD5HVROXomRLQGHSHQGHQWHPHQWHGHWXUQRHGHORFDOL]DomRGD HVFRODHVVDVVHUmRDJUXSDGDV  3DUiJUDIR~QLFR2SUHYLVWRQRFDSXWpH[WHQVLYRDWRGDVDVHWDSDVGDHGXFDomREiVLFD LQGHSHQGHQWHPHQWHGDVXDPRGDOLGDGHGHRIHUHFLPHQWR  AVISO DE RESULTADO DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O-ADJUDICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O E HOMOLOGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PROCESSO ADMIN. N° 001/2018MODALIDADE PREGĂ&#x192;O PRESENCIAL N° 001/2018 O MunicĂ­pio de CaarapĂł-MS , atravĂŠs da Pregoeira Oficial do MunicĂ­pio torna pĂşblico aos interessados o resultado do objeto licitado no processo acima referente a Contratação de empresa especializada para fornecimento de licença e locação de sistemas de gestĂŁo pĂşblica, com acesso simultâneo para usuĂĄrios da administração municipal, que atenda as especificaçþes tĂŠcnicas, os quantitativos e serviços tĂŠcnicos correlatos, conforme Termo de ReferĂŞncia, Anexo I do edital e solicitação da Secretaria Municipal de Administração e Finanças, onde resultou vencedora a Empresa Proponente: N&A INFORMATICA EIRELI â&#x20AC;&#x201C; EPP, com valor total classificado de R$ 186.000,00 (cento e oitenta e seis mil), e apĂłs anĂĄlise pela ComissĂŁo Especial de Avaliação e conforme Laudo de AnĂĄlise apresentado onde os Sistemas atenderam ao mĂ­nimo estabelecido no subitem 9.1.7, com resultado de 87,70%. Desta forma procedo a ADJUDICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O do objeto Ă proponente N&A INFORMĂ TICA EIRELI EPP. Maria InĂŞs da Silva Pregoeira DESPACHO DE HOMOLOGAĂ&#x2021;Ă&#x192;O: Em decorrĂŞncia do exposto no Processo Administrativo a mim apresentado, HOMOLOGO o resultado do julgamento da licitação em referĂŞncia, devidamente adjudicado pela Pregoeira. CaarapĂł-MS, 07 de fevereiro de 2018. MĂĄrio ValĂŠrio Prefeito Municipal

Dourados, quinta-feira 8.2.2018

$UW4XDQGRGDFRQVWLWXLomRGDVWXUPDVGHYHVHUREVHUYDGDDFDSDFLGDGHItVLFDGDVDOD UHVSHLWDQGRDGLPHQVmRGHPĂ°SRUHVWXGDQWH  $UW1RDJUXSDPHQWRGHHVWXGDQWHVSDUDFRQVWLWXLomRGHWXUPDVGRHQVLQRIXQGDPHQWDO GHYHVHUUHVSHLWDGDDGLVWkQFLDIRFDOGHQRPtQLPRPHQWUHDORXVDHDSULPHLUDILOHLUD GHFDUWHLUDV  3DUiJUDIR~QLFR4XDQGRKRXYHUVDODVGHDXODFRPGLPHQV}HVPtQLPDVSDUDRGHYLGR DJUXSDPHQWRGHHVWXGDQWHVHVWDVSRGHUmRFRQVLGHUDUDGLVWkQFLDIRFDOGHPHQWUHDORXVD HDSULPHLUDILOHLUDGHFDUWHLUDV  $UW3DUDRDJUXSDPHQWRGRVHVWXGDQWHVFRPQHFHVVLGDGHVHVSHFtILFDVQDVVDODVFRPXQV GRHQVLQRIXQGDPHQWDOFRQVLGHUDUVHiRTXDQWLWDWLYRSRUVDODDVQHFHVVLGDGHVHVSHFtILFDVH RVUHFXUVRVGLVSRQLELOL]DGRVDRVHVWXGDQWHVVHQGR  ,ÂąQRVDQRVLQLFLDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOÂąPi[LPRGH YLQWH HVWXGDQWHV ,,ÂąQRVDQRVILQDLVGRHQVLQRIXQGDPHQWDOÂąPi[LPRGH YLQWHHFLQFR HVWXGDQWHV  $UW3DUDYLDELOL]DUDLQFOXVmRGHHVWXGDQWHVFRPQHFHVVLGDGHVHVSHFtILFDVDHVFROD GHYHUi  ,GLVSRUGHSURIHVVRUHVFRPIRUPDomRDGHTXDGDSDUDRDWHQGLPHQWRjVQHFHVVLGDGHV HVSHFtILFDVGRVHVWXGDQWHV ,,GLVWULEXLURVHVWXGDQWHVSHODVFODVVHVFRPXQVGHPDQHLUDTXHVHSULYLOHJLHDLQWHUDomR HQWUHHOHV ,,,GLVSRQLELOL]DUDPELHQWHVFRODERUDWLYRVGHDSUHQGL]DJHP  $UW$SUHVHQWH5HVROXomRVHDSOLFDTXDQGRGRRIHUHFLPHQWRGHFXUVRVGD(GXFDomR %iVLFDSRUPHLRGHSURMHWRVHVSHFtILFRVQDTXLORTXHFRXEHU  $UW&DEHPjGLUHomRHFRRUGHQDomRSHGDJyJLFDRUJDQL]DUDFRPSDQKDUHDYDOLDUR SODQHMDPHQWRHDH[HFXomRGRWUDEDOKRSHGDJyJLFRUHDOL]DGRSHORFRUSRGRFHQWHGDVHWDSDV GRHQVLQRIXQGDPHQWDOGHDFRUGRFRPDVGLUHWUL]HVHPDQDGDVGD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH (GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHV  $UW$6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHVGHYHSURSRUFLRQDU FDSDFLWDomRDRVSURIHVVRUHVFRPREMHWLYRGHPHOKRUDUDDWXDomRSHGDJyJLFD  $UW)LFDDFDUJRGD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHVDGHTXDUD ORWDomRGHSURIHVVRUHVSDUDDLPSODQWDomRGDV0DWUL]HV&XUULFXODUHVDSURYDGDVQRVWHUPRV GDOHJLVODomRSUySULD  $UW&DEHD'LUHomRGLYXOJDUHVWD5HVROXomRSDUDDHTXLSHHVFRODUVREDVXD UHVSRQVDELOLGDGHDVVHJXUDQGRVHVV}HVGHHVWXGRVHDVRULHQWDo}HVQHFHVViULDVTXDQWRDVXD DSOLFDomR  $UW)LFDPDSURYDGDVDV0DWUL]HV&XUULFXODUHVGHTXHWUDWDPRV$QH[RV,,,H,,,GHVWD

5HVROXomRFRPYLJrQFLDDSDUWLUGH  $UW2VFDVRVRPLVVRVGHYHPVHUVXEPHWLGRVjDSUHFLDomRGD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH (GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHV  $UW(VWD5HVROXomRSRVVXLFDUiWHUUHJLPHQWDO  $UW(VWD5HVROXomRHQWUDHPYLJRUDSDUWLUGHÂ&#x17E;GHMDQHLURGHHUHYRJDD 5HVROXomR6(0(&(QGHGH'H]HPEURGH

$QH[R,,GD5HVROXomR6(0(&(QÂ&#x17E;GHGHIHYHUHLURGH 0$75,=&855,&8/$5Âą(16,12)81'$0(17$/Âą(GXFDomR,QGtJHQD $QRDSDUWLUGH 7XUQRVGLXUQR 6HPDQD/HWLYD FLQFR GLDV $QRVLQLFLDLV TXDWUR KRUDVGLiULDV $QRVILQDLV FLQFR KRUDVÂąDXODGLiULDV 'XUDomRGDKRUDDXOD FLQTXHQWD PLQXWRV 'XUDomRGRDQROHWLYR GX]HQWRVHTXDWUR GLDV  

%DVH1DFLRQDO&RPXPH3DUWH'LYHUVLILFDGD

 $UWeFRQVLGHUDGRUHWLGRDSDUWLUGRÂ&#x17E; VHJXQGR DQRGRHQVLQRIXQGDPHQWDOR HVWXGDQWHFRP  ,IUHTXrQFLDLQIHULRUD VHWHQWDHFLQFRSRUFHQWR GRWRWDOGHKRUDVOHWLYDVSDUD DSURYDomRLQGHSHQGHQWHPHQWHGRVUHVXOWDGRVREWLGRVQRDSURYHLWDPHQWR

O PROGRESSO

Ă&#x2C6;UHDVGH &RQKHFLPHQWR

&RPSRQHQWHV &XUULFXODUHV

&LrQFLDVGD 1DWXUH]D

&LrQFLDVGD 1DWXUH]D

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

Â&#x17E;

DQR DQR DQR DQR DQR DQR DQR DQR DQR 

















0DWHPiWLFD

0DWHPiWLFD



















&LrQFLDV +XPDQDV

+LVWyULD



















/LQJXDJHQV

*HRJUDILD



















/tQJXD 3RUWXJXHVD



















$UWH



















(GXFDomR )tVLFD



















/tQJXD*XDUDQL 

















/tQJXD (VWUDQJHLUD 0RGHUQD ,QJOrV























































(QVLQR5HOLJLRVR 6HPDQDO

7RWDLVGHFDUJDV KRUiULDV

&$3Ă&#x2039;78/2;,,, '$5(7(1d­2

HPKRUDVDXOD $QXDOHPKRUDVDXOD

        

$QXDOHPKRUDV

        

AVISO DE RESULTADO DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PROCESSO ADMINISTRATIVO N° 003/2018 - MODALIDADE CONVITE N° 001/2018 O MunicĂ­pio de CaarapĂł-MS , atravĂŠs da ComissĂŁo Permanente de Licitaçþes â&#x20AC;&#x201C; CPL torna pĂşblico aos interessados o resultado do objeto licitado no processo retroepigrafado para a: Contratação de empresa especializada para elaboração de projetos bĂĄsicos geomĂŠtrico, terraplanagem, pavimentação asfĂĄltica, drenagem superficial, galeria de ĂĄguas pluviais, sinalização viĂĄria e acessibilidade, nos seguintes locais: Av. Fernando CorrĂŞa da Costa (parte), Rua Dr. Coutinho (parte), Av. Duque de Caxias (parte), Rua Felipe dos Santos (parte) e Rua Santa Catarina (parte), atravĂŠs do Programa Avançar Cidades - Mobilidade Urbana - MinistĂŠrio das Cidades, no municĂ­pio de CaarapĂł/MS, conforme Memorial Descritivo, RelatĂłrio FotogrĂĄfico e solicitação da Secretaria Municipal de Obras, onde resultou vencedora a Empresa Proponente: SCHETTINI ENGENHARIA LTDA, CNPJ nÂş 37.534.039/0001-07,para executar os serviços do item 01 descritos no Anexo I do Edital, perfazendo um valor total Global de R$28.567,39 (vinte e oito mil e quinhentos e sessenta e sete reais e trinta e nove centavos), conforme especificaçþes e preço constante na Ata deste certame CaarapĂł-MS, 07 de fevereiro de 2018 Lucelena Galbim Presidente da CPL

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA EXTRATO DO PRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO N°. 85/2017 (republicação por incorreção publicado em O Progresso, na data de 30 de janeiro de 2018) PROCESSO ADMINISTRATIVO: 54/2017 PARTES: MunicĂ­pio de Douradina/MS e a empresa M.S da Veiga Comercio e Serviço â&#x20AC;&#x201C;ME. OBJETO â&#x20AC;&#x201C; Constitui objeto do presente TERMO ADITIVO, ĂŠ o equilĂ­brio econĂ´mico-financeiro do CONTRATO NÂş 85/2017, celebrado entre as partes acima nominadas, cujo objeto ĂŠ a Contratação de empresa especializada para prestação de serviços limpeza manual em logradouros pĂşblicos, na execução de serviços de limpeza, higienização dos ĂłrgĂŁos da administração pĂşblica municipal; serviços de mĂŁo de obra para coleta de lixo manual em vias, logradouros pĂşblicos e domicĂ­lios na Sede do municĂ­pio e Distrito; serviços de mĂŁo de obra na limpeza de veĂ­culos do municĂ­pio e serviços de mĂŁo de obra na manutenção e limpeza do cemitĂŠrio municipal pelo perĂ­odo de 12 meses. VALOR GLOBAL: Em decorrĂŞncia do reequilĂ­brio de 1,81% (um vĂ­rgula oitenta e um por cento) sobre o saldo contratual remanescente do contrato supracitado de R$ 333.230,62 (trezentos e trinta e trĂŞs mil duzentos e trinta reais e sessenta e dois centavos), fica acrescido ao contrato administrativo o valor de R$ 6.031,47 (seis mil trinta e um reais e quarenta e sete centavos), passando o valor original do contrato de R$ 564.000,00 (quinhentos e sessenta e quatro mil reais) para R$ 570.031,47 (quinhentos e setenta mil trinta e um reais e quarenta e sete centavos) fracionados em 05 (cinco) parcelas mensais estimadas (conforme quantitativos elencados em relatĂłrio) de R$ 47.850,70 (quarenta e sete mil, oitocentos e cinquenta reais e setenta centavos) finalizando o ato em um montante de R$ 239.253,50 (duzentos e trinta e nove mil duzentos e cinquenta e trĂŞs reais e cinquenta centavos) atĂŠ o termino da vigĂŞncia contratual. O aumento ĂŠ devido haja vista o reajuste do salĂĄrio mĂ­nimo que passou de R$ 937,00 (novecentos e trinta e sete reais) para R$ 954,00 (novecentos e cinquenta e quatro reais). FUNDAMENTO LEGAL: Art. 65, inciso II, alĂ­nea â&#x20AC;&#x153;dâ&#x20AC;? da Lei Federal nÂş. 8.666/93, e demais alteraçþes pertinentes. ASSINAM: Jean SĂŠrgio Clavisso Fogaça â&#x20AC;&#x201C; Pela contratante e Marcel SalomĂŁo da Veiga pela contratada. Douradina â&#x20AC;&#x201C; MS, 22 de janeiro de 2018. EXTRATO DO 1Âş TERMO ADITIVO AO CONTRATO N° 009/2017 PROCESSO: 03/2017 â&#x20AC;&#x201C; INEXIGIBILIDADE 01/2017 PARTES â&#x20AC;&#x201C; PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA/MS e COIMBRA & PALHANO ADVOGADOS ASSOCIADOS OBJETO â&#x20AC;&#x201C; Constitui objeto do presente TERMO ADITIVO, a prorrogação do prazo de vigĂŞncia ao CONTRATO NÂş 09/2018, celebrado entre as partes acima nominadas, cujo objeto ĂŠ a CONSULTORIA E ASSESSORIA JURĂ?DICA especializada em compras governamentais e contratos administrativos, bem como na identificação e recuperação de crĂŠditos municipais com a propositura de açþes administrativas e judiciais. FUNDAMENTO LEGAL: Art. 57, II c/c o art. 65, II, da Lei 8666/93. PRAZO: Mediante este TERMO ADITIVO fica prorrogado o prazo de vigĂŞncia do CONTRATO NÂş 09/2017, com inĂ­cio em 03/02/2018 e tĂŠrmino em 03/02/2019. DO VALOR: O valor a ser pago por força desse TERMO ADITIVO pela contraprestação dos serviços descritos no item 2.1. serĂĄ de R$ 142.800,00 (cento e quarenta e dois mil e oitocentos reais), a ser pago em 12 (doze) parcelas mensais e consecutivas de R$ 11.900,00 (onze mil e novecentos reais). E para os serviços previstos no item 2.2 serĂĄ de 20% (vinte por cento) sobre o valor da recuperação de crĂŠditos municipais com a propositura de açþes administrativas e judiciais. Douradina - MS, 30 de janeiro de 2018. ASSINAM: Jean SĂŠrgio Clavisso Fogaçaâ&#x20AC;&#x201C; pela contratante - Luciane Ferreira Palhano - pela contratada.



 '285$',1$06GH)HYHUHLURGH

$1(;2,,,'$5(62/8d­26(0(&(1QÂ&#x17E;GHGHIHYHUHLURGH

(67$' '2'(0 0$72* *52662 2'268 8/



(VFROD0XQLFLSDOBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB

35()(,7 785$081,&,3$ $/'('2 285$',1 1$ *DE ELQHWHGR3 3UHIHLWR





(QGHUHoRBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB

5RVHOL3RQFH%ODQFR&RVWD

7HOHIRQH BBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB

6HFUHWiULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHV $QH[R,GD5HVROXomR6(0(&(QÂ&#x17E;GHGHIHYHUHLURGH  0$75,=&855,&8/$5'2(16,12)81'$0(17$/ $QRDSDUWLUGH 7XUQRVGLXUQR 6HPDQD/HWLYD FLQFR GLDV 'XUDomRGDDXOD FLQTXHQWD PLQXWRV 'XUDomRGRDQROHWLYR GX]HQWRVHTXDWUR GLDV  

%DVH1DFLRQDO&RPXPH3DUWH'LYHUVLILFDGD

CONTINUAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DA PĂ GINA ANTERIOR 

5



7(502'(&203520,662

&RPSRQHQWHV &XUULFXODUHV

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

Â&#x17E; DQR

&LrQFLDVGD 1DWXUH]D

&LrQFLDVGD 1DWXUH]D



















0DWHPiWLFD

0DWHPiWLFD



















&LrQFLDV +XPDQDV

+LVWyULD



















*HRJUDILD



















/tQJXD 3RUWXJXHVD





















$UWH



















/LQJXDJHQV

(GXFDomR)tVLFD





















/tQJXD (VWUDQJHLUD 0RGHUQD ,QJOrV



































 

(X QRPH  QDFLRQDOLGDGH  HVWDGRFLYLO  SURILVVmR LQVFULWRQR&3)VRERQ LQIRUPDU HQR5*Q LQIRUPDU UHVSRQViYHOSHODPDWUtFXODGH BBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBFRPSURPHWRPHDHQWUHJDUR V  VHJXLQWH V GRFXPHQWR V SUHYLVWRVQR V SDUiJUDIR~QLFRLQFLVR V ,H,,GRDUWGD 5HVROXomR6(0(&(1GHGHIHYHUHLURGHQRSUD]RGHBBBBBBBGLDV  7UDQVIHUrQFLD  +LVWyULFR(VFRODUGHFRQFOXVmRGRHQVLQRIXQGDPHQWDO 'HFODURPHFLHQWHTXHDQmRDSUHVHQWDomRGRUHIHULGRGRFXPHQWRQRSUD]RVXSUDFLWDGR UHVXOWDUiQRFDQFHODPHQWRGDPDWUtFXODHFRQVHTXHQWHPHQWHRHVWXGDQWHDFLPD GHQRPLQDGRVHUiFODVVLILFDGRSRUDYDOLDomR

'RXUDGLQDÂą06BBBBBBGHBBBBBBBBBBBBBBBBBBGHBBBBBBB

















7RWDO$QXDOGH+RUDV$XOD

 

 

 

 

 

 

 

 

BBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB













   





$VVLQDWXUDGRUHVSRQViYHO

(67$'2'20$72*52662'268/ 35()(,785$081,&,3$/'()Ă&#x2C6;7,0$'268/ Gabinete da Prefeita

  

'(&5(721Â&#x17E;'('()(9(5(,52'(   Í&#x17E;Ä&#x17E;Ä?ĹŻÄ&#x201A;Ć&#x152;Ä&#x201A; ĨÄ&#x201A;Ä?ƾůĆ&#x161;Ä&#x201A;Ć&#x161;Ĺ?Ç&#x20AC;Ĺ˝ Ĺ˝ Ć&#x2030;ŽŜĆ&#x161;Ĺ˝ ĹśÄ&#x201A;Ć? Ć&#x152;Ä&#x17E;Ć&#x2030;Ä&#x201A;Ć&#x152;Ć&#x161;Ĺ?Ä&#x2022;Ć Ä&#x17E;Ć? Ć&#x2030;ơÄ?ĹŻĹ?Ä?Ä&#x201A;Ć? žƾŜĹ?Ä?Ĺ?Ć&#x2030;Ä&#x201A;Ĺ?Ć?Í&#x2022; Ä&#x17E; Ä&#x161;Ä&#x201E; ŽƾĆ&#x161;Ć&#x152;Ä&#x201A;Ć? Ć&#x2030;Ć&#x152;Ĺ˝Ç&#x20AC;Ĺ?Ä&#x161;ÄĄĹśÄ?Ĺ?Ä&#x201A;Ć?Í&#x;Í&#x2DC;   $ 35()(,7$ 081,&,3$/ '( )Ă&#x2C6;7,0$ '2 68/ 06 QR XVR GD DWULEXLomRTXHOKHFRQIHUHRLQFLVR9,,GRDUWLJRGD/HL2UJkQLFDGR0XQLFtSLR  

'(&5(7$   $UWÂ&#x17E;

)LFDGHFODUDGRIDFXOWDWLYRRSRQWRQDVUHSDUWLo}HVS~EOLFDVPXQLFLSDLVQRV GLDV   H  GH IHYHUHLUR GH  VHJXQGD WHUoD H TXDUWDIHLUD UHVSHFWLYDPHQWH



$UWÂ&#x17E;   

Â&#x2020;Â&#x17E; &RP R HVWDEHOHFLGR QR caput GHVWH DUWLJR jV UHSDUWLo}HV S~EOLFDVPXQLFLSDLVGHYHUmRUHWRUQDUDVVXDVIXQo}HVQRUPDLVDSDUWLUGR GLDGHIHYHUHLURGHTXLQWDIHLUDDSDUWLUGDVKPLQ  Â&#x2020;Â&#x17E; 1mRVHDSOLFDRGLVSRVWRQHVWHDUWLJRjVXQLGDGHVHVHUYLoRVTXH SRUVXDQDWXUH]DHLQWHUHVVHS~EOLFRQmRSRVVDPVRIUHUSDUDOLVDomR  (VWH GHFUHWR HQWUD HP YLJRU QD GDWD GH VXD SXEOLFDomR UHYRJDGDV DV GLVSRVLo}HVFRQWUiULDV *$%,1(7( '$ 35()(,7$ 081,&,3$/ '( )Ă&#x2C6;7,0$ '2 68/ 06 HP GHIHYHUHLURGH

PREFEITURA MUNICIPAL DE FĂ TIMA DO SUL - MS AVISO DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PREGĂ&#x192;O PRESENCIAL N° 003/2018 PROCESSO ADMINISTRATIVO N° 007/2018 O MUNICĂ?PIO DE FĂ TIMA DO SUL, Estado de Mato Grosso do Sul, atravĂŠs do seu pregoeiro oficial, torna pĂşblico que se encontra aberta Ă licitação na modalidade PregĂŁo Presencial. OBJETO: A presente licitação tem por objeto a Aquisição de medicamentos de referĂŞncia/ĂŠtico, genĂŠrico e similar para atender aos usuĂĄrios do SUS, com base na listagem de A a Z da Associação Brasileira do ComĂŠrcio FarmacĂŞutico ABCFARMA, com entrega fracionada, de acordo com as solicitaçþes de compra da Secretaria Municipal de Higiene e SaĂşde PĂşblica, e, em conformidade com o Termo de ReferĂŞncia, parte integrante deste Edital, onde, constam as demais especificaçþes. REGIME DE EXECUĂ&#x2021;Ă&#x192;O: Indireta; TIPO: Maior Percentual de Desconto Por Lote; DATA / HORĂ RIO E LOCAL DA ABERTURA: a proposta e documentação deverĂŁo ser entregues Ă s 09:00 horas do dia 26/02/2018, na Sala de ReuniĂŁo da Prefeitura Municipal de FĂĄtima do Sul â&#x20AC;&#x201C; MS, sito ĂĄ Rua Ipiranga, NÂş 800 em FĂĄtima do Sul â&#x20AC;&#x201C; MS. Sendo que os interessados poderĂŁo obter o Edital contendo as especificaçþes e bases da Licitação no Departamento de Licitaçþes, Contratos e ConvĂŞnios, no endereço mencionado. O edital deverĂĄ ser retirado somente no local acima informado.

   ,/'$6$/*$'20$&+$'2 3UHIHLWD0XQLFLSDO 

ÂłDeclara Âł p ponto faculltativo nas repartiçþe es pĂşblicas p m municipais n no dia que e mencion na e dĂĄ outras s providĂŞnc cias.â&#x20AC;?

R 0XQLFLSD DO GH 'RXUUDGLQD Âą (VWDGR ( GH 0DWR *URV VVR GR 6X XO 2 3UHIHLWR 352) -($1 6e e5*,2 &/ /$9,662 )2*$d$ $ QR XVR GDV DWULE EXLo}HV TX XH OKH Vm mR FRQIHULGD DVSHOD/H HL2UJkQLFD D0XQLFLSDOO 



 &5(7$ '(& 

JR Â&#x17E;  )LFD GHFUHWDGR SRQWR R IDFXOWDWWLYRQDV UH HSDUWLo}HV S~EOLFDV H $UWLJ QLFtSLR GH 'RXUDGLQD D QRVGLDV TXH PHQF FLRQD HP YLUWXGH GRV G IHVWHMR RV DXWDUTXLDV GR0XQ FDUQDYDOOHVFRV $  GHIHYHUH HLURGH ÂąVHJXQ QGDIHLUDÂą ÂąSRQWRIDFXOWDWLYR %  GHIHYHUUHLURGH ÂąWHUoD DIHLUDÂąIHUULDGRGH&DUQDYDO &  GHIHYHUH HLURGH ÂąTXDUWD DIHLUDÂąSR RQWRIDFXOWWDWLYRDWpD DVK  3DUiJUD DIRĂ&#x2019;QLFR$ $6HFUHWDUULD0XQLFLS SDOGH6D~ ~GHWHUiH[ [SHGLHQWHH HPUHJLPH HGHSODQWm mR QRGLD GHIHYHUH HLUR $UWLJ JR Â&#x17E;   1R R GLD  GH G IHYHUHLUR R KRUiUULR GH H[SH HGLHQWH VH H LQLFLDUi DV D KSDUD DRVVHUYLG GRUHVGD6HFUHWDULD0 0XQLFLSDOG GH2EUDVH H6HUYLoRV8UEDQRVH H6HFUHWDULLD 0XQLFLSD DOGH6D~G GH

 









QD06GHIHYHUHLLURGH  'RXUDGLQ





 



$UWLJ JR Â&#x17E;  (VWWH 'HFUHWR R HQWUDUi HP H YLJRU QD Q GDWD GH H VXD SXEOLLFDomR HR RX DIL[DomR RQRiWULRGD3UHIHLWXUUD0XQLFLSDOUHYRJDQ QGRVHDVGLVSRVLo}H HVHPFRQWWUiULR



7RWDO6HPDQDOGH+RUDV$XOD

7RWDO$QXDOHP+RUDV





Ă&#x2C6;UHDVGH &RQKHFLPHQWR

(QVLQR5HOLJLRVR

 '(&5(7 721Â&#x17E; '('()(9 9(5(,52 '(  

FĂĄtima do Sul - MS, 07 de fevereiro de 2018. MARCELO FIGUEIREDO DE ALMEIDA Pregoeiro



 BBB BBBBBBBBB BBBBBBBBB BBBBBBBBB BBBBBB 3UURI-HDQ6 6pUJLR&OD DYLVVR)RJ JDoD 3UH HIHLWR0XQ QLFLSDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA AVISO DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PROCESSO ADMINISTRATIVO NÂş 06/2018 PREGĂ&#x192;O PRESENCIAL NÂş 05/2018 A Prefeitura Municipal de Douradina, Estado de Mato Grosso do Sul, atravĂŠs da Pregoeira Oficial, torna pĂşblico para conhecimento dos interessados que farĂĄ realizar licitação na modalidade acima mencionada, do tipo Menor preço por Item, conforme disposiçþes das Leis nÂş 10.520/02, Lei nÂş 8.666/93, de 21/06/93, e suas alteraçþes posteriores e pelo Edital, que tem como objeto:O objeto da presente licitação ĂŠ a seleção de proposta mais vantajosa para a Administração PĂşblica, perante Microempresas (ME), Empresas de Pequeno Porte (EPP) ou Microempreendedores Individuais (MEI), assim definidos pelo art. 3Âş e 18-A, §1Âş, da Lei Complementar 123/2006, objetivando a contratação de empresa para aquisição de produtos de nutrição "Alimentação Enteral", para pacientes do municĂ­pio, em atendimento a secretaria Municipal de SaĂşde do municĂ­pio, conforme especificaçþes contidas na proposta de preços Anexo I e termo de referĂŞncia Anexo II deste Edital, em sessĂŁo pĂşblica, Ă s 08:00 horas do dia 26de fevereiro de 2018, na sala de licitaçþes, localizada a Rua Domingos da Silva n.Âş 1250 â&#x20AC;&#x201C; Centro, Douradina â&#x20AC;&#x201C; MS, onde serĂŁo recebidos os envelopes de proposta comercial e documentos de habilitação. O Edital estarĂĄ Ă  disposição dos interessados a ser retirada na Prefeitura Municipal de Douradina, sito na Rua Domingos da Silva n. Âş 1250 - Centro, no horĂĄrio das 07:00 Ă s 13:00 horas. Douradina â&#x20AC;&#x201C; MS, 06 de fevereiro de 2018 LUCIANA COSTA OREJANA TRINDADE â&#x20AC;&#x201C; Pregoeira



PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA AVISO DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PROCESSO ADMINISTRATIVO NÂş 10/2018 PREGĂ&#x192;O PRESENCIAL NÂş 06/2018 A Prefeitura Municipal de Douradina, Estado de Mato Grosso do Sul, atravĂŠs da Pregoeira Oficial, torna pĂşblico para conhecimento dos interessados que farĂĄ realizar licitação na modalidade acima mencionada, do tipo Menor preço por Item, conforme disposiçþes das Leis nÂş 10.520/02, Lei nÂş 8.666/93, de 21/06/93, e suas alteraçþes posteriores e pelo Edital, que tem como objeto:O objeto da presente licitação ĂŠ a seleção de proposta mais vantajosa para a Administração PĂşblica, perante Microempresas (ME), Empresas de Pequeno Porte (EPP) ou Microempreendedores Individuais (MEI), assim definidos pelo art. 3Âş e 18-A, §1Âş, da Lei Complementar 123/2006, objetivando a contratação de empresa para prestação de serviços de manutenção e trocas de peças de equipamentos odontolĂłgicos no ESF I, ESF II e Centro de Educação Infantil Arte e Vida e Posto de SaĂşde da Aldeia IndĂ­gena Lagoa Rica/Panambizinho em atendimento a Secretaria Municipal de SaĂşde do MunicĂ­pio de Douradina MS, conforme especificaçþes contidas na proposta de preços Anexo I e no termo de referĂŞncia Anexo II deste Edital, em sessĂŁo pĂşblica, Ă s 8:00 horas do dia 27 de fevereiro de 2018, na sala de licitaçþes, localizada a Rua Domingos da Silva n.Âş 1250 â&#x20AC;&#x201C; Centro, Douradina â&#x20AC;&#x201C; MS, onde serĂŁo recebidos os envelopes de proposta comercial e documentos de habilitação. O Edital estarĂĄ Ă  disposição dos interessados a ser retirada na Prefeitura Municipal de Douradina, sito na Rua Domingos da Silva n. Âş 1250 - Centro, no horĂĄrio das 07:00 Ă s 13:00 horas. Douradina â&#x20AC;&#x201C; MS, 06 de fevereiro de 2018 LUCIANA COSTA OREJANA TRINDADE â&#x20AC;&#x201C; Pregoeira


ATOS OFICIAIS

6

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 8.2.2018

(67$'2'(0$72*52662'268/ 35()(,785$081,&,3$/'('285$',1$ 6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHV 

Z>KK^/E^Z/dK^WdK^WZ^dZKZ^Zs WZK&/^^/KE/^hK^/ͲϮϬϭϴ ƌƚĞƐ :ĂĐŝƌĂsĂƐĐŽŶĐĞůŽƐKůŝǀĞŝƌĂ >ŝnjĞƚĞĞnjŝĂŶĚĞWĞůůĞŐƌŝŶ ^ŝŵŽŶĞĚŽƐ^ĂŶƚŽƐZĂŵŽƐ dŚĂŝƐ^ƚĠĨĂŶLJsŝƚŽƌEĂƌĐŝnjŽ 

ŝġŶĐŝĂƐ 'ĞŝƐĞDĞƐƐĂsŝĚĂů 



>şŶŐƵĂWŽƌƚƵŐƵĞƐĂ ĂŶŝĞůLJWĞŶnjŽĚĂ^ŝůǀĂ 'ƌĂĐŝĞůLJĚĞ:ĞƐƵƐdĞŝdžĞŝƌĂ >ƵĐŝůĞŶĞZŽĚƌŝŐƵĞƐ DĂƌLJĂŶĞ'ŽŵĞƐĂƌƌŽƐ WĂƵůŽĚŽƐ^ĂŶƚŽƐĂƌĚŽƐŽ ZĂĨĂĞůůĂƌŝƐƚŝŶĂƵŶŚĂ ZĞŐŝĂŶĞ&ĞƌƌĞŝƌĂƌĂƷũŽZŽĚƌŝŐƵĞƐ ZĞnjĞŶŽ:ŽǀŝƚŽŽŶƐĐŝĂŶnjĂ ZŽƐĞŶŝůĚĞĚĞYƵĞŝƌŽnjKůŝǀĞŝƌĂ 

>şŶŐƵĂ/ŶŐůĞƐĂ >ƵĐŝůĞŶĞZŽĚƌŝŐƵĞƐ DĂƌLJĂŶĞ'ŽŵĞƐĂƌƌŽƐ WĂƵůŽĚŽƐ^ĂŶƚŽƐĂƌĚŽƐŽ

'ĞŽŐƌĂĨŝĂ &ůĄǀŝĂĂŵŝůĂŝĂƐĚŽƐŶũŽƐ ZĞŶĂƚĂZŽĚƌŝŐƵĞƐ:ŽƐĠ ^ŝŵŽŶĞƉĂƌĞĐŝĚĂZŽƐĂWŽŶƐĞ 

ĚƵĐĂĕĆŽ&şƐŝĐĂ ĚƌŝĂŶĂ^ŝƋƵĞŝƌĂ&ƌĂŶĐŽŽƌƌĞŝĂ ůŝƐƐŽŶďƌŝů'ŽŵĞƐĚĞKůŝǀĞŝƌĂ ŶĚƌĠŝĂ>ŽƉĞƐƌĂƷũŽ ƌŝĐĂDŝůĞŶĂ/ŶĄĐŝŽZĞŶŽǀĂƚŽ >ŝůŝĂŶDĂƚŽƐĚĞ^ŽƵnjĂ >ƵnjŝĂĚŽĂƌŵŽZŽĐŚĂůŵĞŝĚĂ DĂƌĐŽƐŽƌĚŝŵWĞƌĞŝƌĂ ^ĂŵĂƌĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐĂƌŵŽ&ĞƌƌĞŝƌĂ dąŶŝĂĂĐŚŽůĂƌŝDĂƌƋƵĞƐ 

DĂƚĞŵĄƚŝĐĂ 'ŝůĞĂŶĚƌŽĂƌďŽƐĂWĞĚƌŽ sĂŶŝůnjĂůǀĞƐEŽŐƵĞŝƌĂƌŶƚ 

ĚƵĐĂĕĆŽ/ŶĨĂŶƚŝůĞŶŽƐ/ŶŝĐŝĂŝƐĚŽŶƐŝŶŽĨƵŶĚĂŵĞŶƚĂů ĚƌŝĂŶĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐĚĂ^ŝůǀĂ ĚƌŝĂŶĂ&ĞƌŶĂŶĚĂĂ^ŝůǀĂŶĚƌĂĚĞ

ĚƌŝĂŶĂ'ŝŵĞŶĞnjĚĞKůŝǀĞŝƌĂ ůĞĐƐĂŶĚƌĂ&ĞƌƌĞŝƌĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐĚĞ^Ą

ůĞƐƐĂŶĚƌĂ&ůĄǀŝĂĚĞDŽƌĂĞƐ 

ůĞƐƐĂŶĚƌĂDĂƌŝĂZĂƵůŝŶŽ^ŝůǀĂDĂƌĐŝĂŶŽ ŶĂĂƌůĂƐ&ŽŶƚĞƐŝĂƐ ŶĂWĂƵůĂDĂƚŝĂƐ^ĂŶƚŽƐ ŶŐĞůĂDĂƌŝĂZŽĚƌŝŐƵĞƐ

ĂƌůůĂƌŝƐƚŚŝŶĂ,ĂƌƚŚĐŽƉĨĚĞWĂƵůĂ ŝĐĞƌĂƉĂƌĞĐŝĚĂĚĞ&ƌĞŝƚĂƐ'ĂŝĂ şĚŝĂŶŐĠůŝĐĂ^ĂŶƚŽƐKůŝǀĞŝƌĂ





(67$'2'(0$72*52662'268/ 35()(,785$081,&,3$/'('285$',1$ 6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR&XOWXUDH(VSRUWHV

ƌŝƐƚŝĂŶĞĚĞKůŝǀĞŝƌĂ>ŝŵĂ



ŝŽŐŽĚĞ&ƌĞŝƚĂƐDĂƌƋƵĞƐ ĚŵĂŽƌĐŬZŽĐŚĂ



ůŝĂŶĂ'ŽŵĞƐsŝĞŝƌĂ

>/^dK^^d'/Z/K^WdK^/E^Z/dK^EKWZK^^K^dZ>ϮϬϭϴ

ůŝƐZĞŐŝŶĂZĂƵůŝŶŽ^ŝůǀĂDĂƌƋƵĞƐ

ƐƚĂŐŝĄƌŝŽƐͲŶƐŝŶŽ^ƵƉĞƌŝŽƌϮ͘Ϭϭϴ͘ EǑ EKD Ϭϭ ŵĂŶĚĂ^ƚĠĨĂŶLJsŝƚŽƌEĂƌĐŝnjŽ ϬϮ ŵĂŶĚĂsŝĞŝƌĂĚĞ^ĞŶĂƐWŝŶƚŽ Ϭϯ ŶĂ&ůĄǀŝĂnjĞǀĞĚŽEĂƌĐŝnjŽ Ϭϰ ŶĚƌĠ,ĞŶƌŝƋƵĞZŝďĞŝƌŽDŽƚĂ Ϭϱ ĞĂƚƌŝnjĂŶĞƚƚĞŵŝůŝĂŶŽ Ϭϲ ŝĂŶĐĂ&ĞůŝƉĞ>ŝŵĂ Ϭϳ ĂƌŽůŝŶĞZĞŝƐ>ŝŵĂ Ϭϴ ŽŵŝƚŝůĂ^ĂŶƚŽƐŚĂǀĞƐ Ϭϵ ǀĞůLJŶůĂƌĂ'ŽŶĕĂůǀĞƐWĂnj ϭϬ &ĂďŝĂŶĞKůŝǀĞŝƌĂĚĞ^ŽƵnjĂ ϭϭ 'ŝƐůĂŝŶĞWĞĚƌŽ&ĞƌƌĞŝƌĂ ϭϮ ,ĂƵŶLJ'ŽŶĕĂůǀĞƐZŽĚƌŝŐƵĞƐ ϭϯ /ŶŐƌĞĚŝWĂďůŝŶŝĚĂ^ŝůǀĂ^ŽƵnjĂ ϭϰ :ĠƐƐŝĐĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐWŝĐŽůůŝ ϭϱ :ŽĆŽsŝƚŽƌ>ŽƌĞŶnjŝĚĂZŽƐĂ ϭϲ <ĂƌĞŶWĞĚƌŽƐŽ>ĞĂů ϭϳ <ĂƐƐŝůĂDĂŐĂůŚĆĞƐŽƌŐĞƐ ϭϴ >Ƶŝnj,ĞŶƌŝƋƵĞWŽůŽŶŝ ϭϵ DĂŝĚŝŶŚĂĞŶŝƚŽWĞĚƌŽ ϮϬ DĂƌŝĂƉĂƌĞĐŝĚĂEŽďƌĞ&ĂƌŝĂƐ Ϯϭ DĂƚŚĞƵƐĚŽƐ^ĂŶƚŽƐWŝĐĐŽůŝ ϮϮ DĂLJŶĂƌĂ<ĞůůLJ>ŽƉĞƐDŝŐƵĞů Ϯϯ DŝůĞŶĂĚĂ^ŝůǀĂƌĂnj Ϯϰ EĂƚĂůŝĂdĂŐĂƌĞƐĚĂ^ŝůǀĂ Ϯϱ EĂƚŚĂůŝĂDĂĐŚĂĚŽ>ŝŵĂ Ϯϲ KĚĞŶŝůĚĂ,ŝƌƚŽ:ŽĆŽ Ϯϳ ZĞŐŝĂŶĞŽŵŝŶŐŽƐŵĂƌĂů Ϯϴ ZĂĨĂĞůĂ&ƌŽƚĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ Ϯϵ ZŽŐĠƌŝŽ&ƌĂŶĐŽŽƌƌĞŝĂ ϯϬ ZŽďƐŽŶůǀĞƐĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ ϯϭ ^ĂŵĞůĂĂƌŽůŝŶĞĂŵƉŽƐĂŵƵĐŝ^ĂŶƚŽƐ ϯϮ ^ĄǀŝŽĞŶŝƚŽWĞĚƌŽ ϯϯ ^ŽŶŝĂZĂŵŽƐ'ŽŵĞƐ ϯϰ dąŵŝůLJĚĂ^ŝůǀĂ^ĂŶƚŽƐ ϯϱ sĂŶŝĂsĂƐĐŽŶĐĞůŽƐDŽƌĂĞƐ  ƐƚĂŐŝĄƌŝŽƐŶƐŝŶŽDĠĚŝŽϮ͘Ϭϭϴ͘ EǑ Ϭϭ ϬϮ Ϭϯ Ϭϰ Ϭϱ Ϭϲ Ϭϳ Ϭϴ Ϭϵ ϭϬ ϭϭ ϭϮ ϭϯ ϭϰ ϭϱ ϭϲ ϭϳ ϭϴ ϭϵ ϮϬ Ϯϭ ϮϮ Ϯϯ Ϯϰ Ϯϱ Ϯϲ Ϯϳ Ϯϴ Ϯϵ ϯϬ 

ůŝnjĂŶŐĞůĂƉĂƌĞĐŝĚĂĂĞƚĂŶŽ&ŽŶƐĞĐĂ

hZ^K ĚƵĐĂĕĆŽ&şƐŝĐĂ 'ĞŽŐƌĂĨŝĂ ĚƵĐĂĕĆŽ&şƐŝĐĂ ƌƋƵŝƚĞƚƵƌĂ EƵƚƌŝĕĆŽ WĞĚĂŐŽŐŝĂ WĞĚĂŐŽŐŝĂ >ĞƚƌĂƐ ĚƵĐĂĕĆŽ&şƐŝĐĂ 'ĞƐƚĆŽŵďŝĞŶƚĂů ŶĨĞƌŵĂŐĞŵ KĚŽŶƚŽůŽŐŝĂ WĞĚĂŐŽŐŝĂ ŝġŶĐŝĂƐŽŶƚĄďĞŝƐ ,ŝƐƚſƌŝĂ >ĞƚƌĂƐ WĞĚĂŐŽŐŝĂ ĚƵĐĂĕĆŽ&şƐŝĐĂ >ŝĐĞŶĐŝĂƚƵƌĂ/ŶƚĞƌĐƵůƚƵƌĂů DĂƚĞŵĄƚŝĐĂ ZĂĚŝŽůŽŐŝĂ DĞĚŝĐŝŶĂsĞƚĞƌŝŶĄƌŝĂ ŶŐĞŶŚĂƌŝĂ&şƐŝĐĂ &ĂƌŵĄĐŝĂ 'ĞŽŐƌĂĨŝĂ ĚƵĐĂĕĆŽ&şĐŝĂ WĞĚĂŐŽŐŝĂ WĞĚĂŐŽŐŝĂ ŝƌĞŝƚŽ ĚŵŝŶŝƐƚƌĂĕĆŽ ŐƌŽŶŽŵŝĂ >ŝĐĞŶĐŝĂƚƵƌĂ/ŶƚĞƌĐƵůƚƵƌĂů WĞĚĂŐŽŐŝĂ ŝŽƚĠĐŶŽůŽŐŝĂ WĞĚĂŐŽŐŝĂ

ůLJƐZĞŐŝŶĂ^ŝůǀĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ

ƌĂĐŝůĚĂĚĞ^ŽƵnjĂ^ŝǀĂ ƌůĂLJŶĞƉĂƌĞĐŝĚĂ&ĞƌŶĂŶĚĞƐWĞƌĞŝƌĂ &ůĂǀŝĂĚĂZŽĐŚĂsŝĐŝŶŝ

&ƌĂŶĐŝĞůŝEŽƌŽŶŚĂŽŶĨŝŵ 'ƵŝnjĞůĂ&ƌŝƐŬĞĚĞKůŝǀĞŝƌĂ :ŚŽŶ>ĞŶŶŽŶĞĐŝĂŶ :ƵůŝĂŶĞŽĞůŚŽ,ĞƌŶĂŶĚĞƐ

<ĂƚŝƵƐĐŝĂŽŶƚĞ'Ăďŝ <ĞŝůĂĞ&ƌĞŝƚĂƐ^ĂŶƚŽƐDŽƌĂŝƐ <ĞůůLJ^ĂďƌŝŶĂ^ĂŝƐ >ĞĐŝĂŶĞĂƚŝƐƚĂĂƌŶĞŝƌŽŵŝůŝĂŶŽ >ŝĚŝĂŶĂ'ĞƌĂůĚŽĚŽEĂƐĐŝŵĞŶƚŽZĂŵŽƐ

>şƌŝĂĚĞĂƐƚƌŽZŽĚƌŝŐƵĞƐ >ƵĐŝĂŶĂDĂƌŝĂ&ŽŶƐĞĐĂEƵŶĞƐ >ƵĐŝŵĂƌƉĂƌĞĐŝĚĂZŽĚƌŝŐƵĞƐKůŝǀĞŝƌĂ >ƵŝnjZĞŶĂƚƚŽDĂĐŚĂĚŽĚĂ^ŝůǀĂ

>LJůŝĂŶĂŵĂƌŐŽůŵŝŶŝŽ DĂƌĐŝĂĞŶŝƚĞƐWĞĚƌŽ DĂƌŝĂƉĂƌĞĐŝĚĂZŽĐŚĂĚĞ&ƌĞŝƚĂƐWĞƌĞŝƌĂ DĂƌŝĂ/ŶġƐ^ĂŶĐŚĞƐsŝĞŝƌĂ

DĂƌŝĂsĂůĚĞŶŝĐĞZŽƐĂWŝŶŚĞŝƌŽ DĂƌŝůĞŶĞĚĂ^ŝůǀĂ DĂƌůĞŶĞĞƌĞƚƚĂ>ŽƉĞƐ

DĂƌůLJEĞǀĞƐĚĂ^ŝůǀĂZŽďĞƌƚŽ

EŽŵĞ ůĂŶĚĂ^ŝůǀĂWĞƌĞŝƌĂ ŶĂůĂƌĂƐƐƵŶĕĆŽĚĂ^ŝůǀĂ ĂŵŝůĂĂƌĚĞŶĂůĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ ĂƌŽůŝŶĞ'ĂŵĂĂƌƌĞƚŽ ĄƐƐŝŽ>ŝŵĂƌĞĚĞƐ ĠƐĂƌŽŶũŝŽǀĂŶŶŝƵĞŶĐĂ ĂŝĂŶLJEĂƐĐŝŵĞŶƚŽZĂŵŽƐ ŽƵďůĞĚĂ^ŝůǀĂKƌƚŝnj ƌŝĐ&ƌĞŝƌĞDĞŶĂŶŝ džŽĚŽĚĂ^ŝůǀĂKƌƚŝnj 'ĞŝƐLJWĂƵůĂKƌƚĞŐĂĚĞ^ŽƵnjĂ :ĂƋƵĞůŝŶĞĚĂ^ŝůǀĂWĞĚƌŽƐŽ :ĂŝŶĞDĂƚƚŽƐĞƌŶĂƌĚŝŶŽ :ƵůŝĂŶĂ^ĂŵƉĂŝŽŽƌƌĞŝĂ :ƵůLJĂŶĞ'ŽŵĞƐĂƌƌŽƐ >ĞƐůĞŝĞĂƚƌŝnjKůŝǀĞŝƌĂWůĞŶƐ >Ƶŝnj'ĂďƌŝĞůĚĞ^ŽƵnjĂŽƌƌĞĂ DĂƚŚĞƵƐ,ĞŶƌŝƋƵĞ&ĞƌƌĞŝƌĂKůŝǀĞŝƌĂ DĂLJůŽŶDĂƌĐŽƐĚĞ^Ą^ŝůǀĂ EƷďŝĂZŽĐŚĂDĞŶĞnjĞƐ WĂƚƌŝĐŝĂ&ĞƌŶĂŶĚĞƐƌŝŐŶŽŶŝ WĂƵůŽ^ĂŶƚŽƐĂƌĚŽƐŽ:ƷŶŝŽƌ WĞĚƌŽ,ĞŶƌŝƋƵĞ&ĂƌŝĂƐ^ĂŶƚŽƐ WĞĚƌŽWĂƵůŽĚĂ^ŝůǀĂ^ĂŶƚŽƐ dŚĂŝƐdĂǀĂƌĞƐEŝĞƌŝ dŚĂůLJĂůǀĞƐĚĞ^Ą dĂŝŶĂƌĂ>ŽƉĞƐĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ dĂLJŶĂƌĂKůŝǀĞŝƌĂ&ƌĞŝƚĂƐ sŝĐƚŽƌ>ƵĐĂƐĂƚŝƐƚĂĂďƌĞŝƌĂ sŝƚſƌŝĂKůŝǀĞŝƌĂŽŶŐŝŽǀĂŶŝ



EKD ĂƌůŽƐ,ĞŶƌŝƋƵĞĚĞ^ŽƵnjĂZŽĐŚĂ 'ĂďƌŝĞůĚŽƐŶũŽƐWŽůŽŶŝ

(',7$/'(&2192&$d­21ƒ 

EĞƵnjĂĞƚŝŽ^ŽĂƌĞƐĂƚŝƐƚĂ

EŝůĚĂsŝĞŝƌĂDĞĚĞŝƌŽƐ

^ĂŶĚƌĂZŽƐĂWŽŶƐĞWĞƌĞŝƌĂ 2 &RQVHOKR 0XQLFLSDO GH $VVLVWrQFLD 6RFLDO ± &0$6 GH

&DDUDSy LQVWLWXtGR SHOD /HL 0XQLFLSDO 1ž  DWUDYpV GH VHX SUHVLGHQWH QR XVR GDV DWULEXLo}HV TXH OKH FRQIHUH R 5HJLPHQWR ,QWHUQR FRQIRUPH SUHFHLWXD QD VHomR ,9 $UWLJRCONVOCAVHXVPHPEURVSDUDDUHXQLmR $PSOLDGD 2UGLQiULDGHVWH&RQVHOKR TXHRFRUUHUiQRGLDGH)HYHUHLUR TXLQWDIHLUD jVKPLQQDVDODGHUHXQL}HV GR&DGDVWURÒQLFRVLWRD5XD0DQRHO)HUUHLUDGH$UD~MR DRODGRGDDOIDYLVWRULD $

^ŝůǀĂŶĚĂĚĂŽŶĐĞŝĕĆŽĂƌďŽƐĂ^ŝůǀĂ ^ƚĞĨĨŝ,ĂĂƐ&ƌĞƚĞƐ dĂŶŝĂ,ĞůĞŶĂ&ĞƌŶĂŶĚĞƐĚŝĂƐDĞŶĚŽŶĕĂ

dąŶŝĂWĂƵůĂ>ŝŵĂĞ^ŝůǀĂ sąŶŝĂDĂƌĐŝĂĚŽƐ^ĂŶƚŽƐ sŝĚĞƌĂů>ŽĐĄƌŝŽĚĞDŽƌĂŝƐ

SDXWDVHUiGRVHJXLQWHDVVXQWR

>ŝĐĞŶĐŝĂƚƵƌĂ/ŶƚĞƌĐƵůƚƵƌĂů/ŶĚşŐĞŶĂͬŚĂďŝůŝƚĂĕĆŽĞŵŝġŶĐŝĂƐĚĂ EĂƚƵƌĞnjĂ

   

ŽƵƌĂĚŝŶĂ͕ϬϲĚĞĨĞǀĞƌĞŝƌŽĚĞϮϬϭϴ͘

EĞŝǀĂ^ŝŶĨƌŽŶĞZŝďĞŝƌŽ

ZŽnjąŶŝĂƉĂƌĞĐŝĚĂĚĞDĂĐĞĚŽsŝĞŝƌĂ



hZ^K dĠĐŶŝĐŽĞŵŶĨĞƌŵĂŐĞŵ dĠĐŶŝĐŽĞŵŶĨĞƌŵĂŐĞŵ

EĞŝǀĂ^ŝŶĨƌŽŶĞZŝďĞŝƌŽ

EĞƵnjĞůŝƌ&ŽŶƐĞĐĂEƵŶĞƐ



ƐƚĂŐŝĄƌŝŽƐƵƌƐŽdĠĐŶŝĐŽϮ͘Ϭϭϴ EǑ Ϭϭ ϬϮ 



(67$'2'($72*52662'268/ &216(/+2081,&,3$/'($66,67Ç1&,$62&,$/ &13-(PDLOFPDVFDDUDSR#EROFRPEU 5XD0DQRHO)HUUHLUDGH$UD~MRQž±&HQWUR±&(3&DDUDSy06 

>ĞŶŝĞůĞŶŝƚĞnjWĞĚƌŽ 3ODQR0XQLFLSDOD $JHQGD,QWHJUDGDGR3%) $VVXQWRVJHUDLV   

/ĨŝŐĞŶŝŶŚĂ,ŝƌƚŽ

&DDUDSy±06GH)HYHUHLURGH

>ŝĐĞŶĐŝĂƚƵƌĂ/ŶƚĞƌĐƵůƚƵƌĂů/ŶĚşŐĞŶĂͬŚĂďŝůŝƚĂĕĆŽĞŵ>ŝŶŐƵĂŐĞŶƐ

 BBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBB /pD*HOOHU 3UHVLGHQWHGR&0$6

>ŝĐĞŶĐŝĂƚƵƌĂ/ŶƚĞƌĐƵůƚƵƌĂů/ŶĚşŐĞŶĂͬŚĂďŝůŝƚĂĕĆŽĞŵŝġŶĐŝĂƐ ,ƵŵĂŶĂƐ :ƵŶŝŽƌĞŶŝƚŽWĞĚƌŽ

:ŽĆŽĂƌůŽƐsŝůŚĂůǀĂDŽƚĂ  ŽƵƌĂĚŝŶĂϬϲĚĞĨĞǀĞƌĞŝƌŽĚĞϮϬϭϴ͘

Edição de 08/fevereiro de 2018  
Edição de 08/fevereiro de 2018  
Advertisement