Page 1

DOURADOS MS ANO 67 Nº 13.148

R$ 2,00

O PROGRESSO ★★★★★

Pensamento e ação por uma vida melhor

Quinta-feira 25 de janeiro de 2018

Fundador WEIMAR TORRES Diretora-Presidente ADILES DO AMARAL TORRES

Artes plásticas Ana Ruas participa de mostra em SP

Economia Pessoas com 60 anos já podem sacar PIS/Pasep

Cinema Brasil está na disputa do Oscar 2018

PÁG. B1

PÁG. A5

PÁG. B3

HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO

TRF4 mantém condenação e aumenta pena de Lula Os magistrados negaram ontem o recurso apresentado pela defesa de Lula contra sentença aplicada por Moro pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e aumentaram a pena para 12 anos e um mês de prisão

Lula discursou no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, onde acompanhou o julgamento

Prefeitura assina convênios de R$ 5,2 mi para obras

Prefeitura de Itaporã QRWLğFDSURSULHWÀULRV de terrenos sujos PÁG. D2 Instituto Mirim de Bataguassu abre Processo Seletivo PÁG. D2 (VWUDGDEHQHğFLD produtores de Maracaju Convênios assinados pela prefeita Délia Razuk com a Caixa Econômica garantem novos investimentos em infraestrutura

A prefeita Délia Razuk assinou ontem convênios com a Caixa Econômica referentes a mais de R$ 5,2 milhões para execução de obras públicas em

Loteria

Fonte: INMET

MEGA-SENA Concurso 2007 04 - 14 - 39 - 41 - 54 - 58

Parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas. Ventos: fraco/moderado com rajadas. Umidade: máx. 85%. Umidade: mín. 50%.

PÁG. D2

PÁG. D2

O tempo HOJE 34º Máx | 22º Mín

Paraguai libera bitrem e viabiliza rota de exportação por hidrovia

Tuta vai à Capital e garante obras para Ivinhema

Há quatro anos, índios de MS têm sido a principal mão de obra no RS e SC A poucas semanas para a colheita da maçã no estado do Rio Grande do Sul (RS), o movimento é intenso na Casa dos Trabalhadores de Dourados, Caarapó, Campo Grande, Coronel Sapucaia, Amambai, Paranhos, Bela Vista e Miranda. Essas cidades são as que mais encaminham indígenas para trabalhar nas lavouras de frutas do sul do País. Ontem, começou em Dourados a seleção de 89 trabalhadores. Eles disputam salário de R$ 1.180 e benefícios. A Casa do Trabalhador do estava ontem lotada para fazer o cadastro que vão trabalhar em Vacaria. PÁG. D1

crimes citados, acolhendo pedido do Ministério Público Federal (MPF). A defesa de Lula pode recorrer e apresentar embargos de declaração, um recurso onde a defesa pede esclarecimentos sobre algum ponto da decisão. Esses embargos são apresentados ao relator do caso, João Pedro Gebran Neto, e julgados pelos três integrantes da 8ª Turma. PÁG. A3

instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O presidente da turma, Leandro Paulsen, proclamou o resultado e a sessão foi encerrada. Os desembargadores entenderam que a sentença de Moro é válida. E também aumentaram a pena do ex-presidente de 9 anos e meio de prisão para 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado pelos

A. FROTA

Indígenas disputam vagas para colheita da maçã no Sul

Os três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, votaram ontem (24) pela manutenção da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex no Guarujá, no São Paulo. Os magistrados negaram o recurso da defesa de Lula contra sentença aplicada pelo juiz Sérgio Moro, em primeira

LOTOFÁCIL Concurso 1616 01 - 02 - 04 - 05 - 08 - 10 - 11 - 13 - 14 - 16 - 17 - 18 - 22 - 23 - 24

Dourados. Entre os principais empreendimentos estão a reforma do Ginásio Municipal Ulysses Guimarães e do Centro Homeopático, além de execução de

QUINA - Concurso 4589 04 - 10 - 33 - 38 - 58 LOTERIA FEDERAL - Extração 5252 1º prêmio: 14.818 350.000,00 2º prêmio: 27.078 18.000,00 3º prêmio: 56.136 15.000,00 4º prêmio: 75.037 12.000,00 5º prêmio: 65.756 10.023,00

drenagem e pavimentação em bairros da cidade e da aquisição de patrulha mecanizada. Com a presença de secretários, a prefeita destacou as parcerias com

os deputados federais de MS que destinaram os recursos para Dourados e agradeceu o empenho das equipes em dar celeridade aos processos. PÁG. D3

PÁG. D2 $FHGğUPD convênio com Sesi de Dourados PÁG. D3


2

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

OpiniĂŁo

Dinheiro para as prefeituras

U

ma antiga reivindicação dos municípios pode ser concretizada em breve. Trata-se do aumento da arrecadação, que pode ter um impulso com a proposta que garante aos cofres das prefeituras participação de 20% nos impostos a serem criados. A medida consta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 109/2015), que tramita no Senado e busca corrigir a desigualdade do Pacto Federativo que Ê muito questionada pelos prefeitos. O texto estå em anålise na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e garante às prefeituras uma porcentagem da arrecadação de novos impostos instituídos pela União. Essa previsão jå existe na Constituição para os Estados e o Distrito Federal. Na realidade ninguÊm estå inventando a roda quando o assunto Ê a arrecadação de tributos. O que estå em discussão Ê a possibilidade dos municípios terem acessos a mais recursos que poderão ser investidos em projetos voltados para o desenvolvimento da cidade e para o atendimento aos cidadãos. Atualmente, a Constituição jå estabelece o repasse aos municípios de 50% do produto da arrecadação com os impostos da União sobre propriedade territorial rural e dos estados sobre a proprie-

dade de veículos automotomunicípios que prestaram conEDITORIAL res, alÊm de 25% do ICMS, tas, 3.905 (86,0%) apresentaentre outros. ram situação fiscal difícil ou crítica e apenas Na justificativa, o autor da PEC lembra que 13 (0,3%) tinham situação fiscal ótima. Na avahå uma queixa entre os prefeitos sobre a desi- liação dos senadores que fazem parte da CCJ, gualdade do Pacto Federativo, divisão da ar- na verdade, os municípios necessitam de tais recadação entre União, estados e municípios. recursos muito mais do que o DF. A situação Segundo ele, atualmente 68% de todos os tri- fiscal da maioria dos municípios, que jå era butos arrecadados no Brasil vão direto para o grave antes do início da crise atual, se tornou governo federal. Desse total, depois de feitos dramåtica. os repasses aos entes federativos, a União fica O problema Ê que, de 1988 para cå, uma sÊcom 58%, os Estados com 24% rie de leis e emendas à ConstiA medida quer e os Municípios com 18% da artuição foi obrigando Estados e recadação. Municípios a lotearem seus orgarantir 20% dos No entendimento do pro- novos impostos a serem çamentos, limitando a possibiponente da PEC 109/2015, Na lidade de investir onde bem encriados Êpoca em que foi feita a divitendessem. O que aconteceu, são (1988), os percentuais pana verdade, Ê que, em tese, as reciam adequados. Depois, vårias leis e emen- prefeituras acabaram perderam grande parte das à Constituição criaram despesas para os de sua autonomia. municípios, como Ê o caso das creches e da No caso dos municípios, a situação foi fiiluminação pública e de recursos destinados cando ainda mais limitada. Ao invÊs de faao Sistema Único de Saúde (SUS). cilidades, surgiram dificuldades, diante dos Para aprovar a medida, a Comissão de Cons- encargos sobre o Poder Executivo Municipal. tituição, Justiça e Cidadania (CCJ) se baseia em Na årea da educação, por exemplo, hå duas dÊdados elaborados pela Federação das Indús- cadas, só o Ensino Fundamental era de sua restrias do Estado do Rio de Janeiro. De acordo ponsabilidade. Depois, as creches entraram na com a edição 2017/2016 do índice, dos 4.544 conta da prefeitura, a educação infantil tam-

O NĂšMERO

109/2015

Este ĂŠ o nĂşmero da PEC que prevĂŞ o repasse de mais recursos para as prefeituras municipais

bÊm, o Ensino Fundamental ganhou um nono ano, mas pouco se acrescentou ao percentual de recursos destinados aos municípios. As responsabilidades a respeito de determinadas atribuiçþes das acabaram se estendendo a outros setores. A iluminação pública, que era paga pelos Estados, tambÊm passou para as prefeituras, e o Sistema Único de Saúde (SUS) começou a abocanhar uma fatia dos cofres municipais. Como se sabe, uma federação pressupþe independência administrativa, financeira e decisória para os entes federativos. No Brasil, após a Constituição de 1988, os municípios passaram a ser partes integrantes da Federação. Entretanto, eles continuam carentes de recursos atÊ para as despesas de custeio. E essa carência fica ainda mais acentuada, na medida em que as prefeituras não têm autonomia para estabelecerem suas próprias prioridades.

Qual a sua cor interior? /8&,$1$9,&(17( &,$1 1$9,&(1

*Jornalista

O

que seria do novo se nĂŁo fosse o velho? O que seria do dia se nĂŁo fosse a noite? O que seria da morte se nĂŁo fosse a vida? Perceba que usei a morte antes da palavra vida de propĂłsito. Isso porque podemos estar mortos em vida ou vivos na morte. Felizmente, esse ĂŠ um artigo espĂ­rita que me permite “falarâ€? assim sem causar grande estardalhaço. Nesse exato instante, sou embalada pelo som alto de “New York, New Yorkâ€?, na voz de Frank Sinatra, que escapa

da janela de algum vizinho e entorpecida pelo cheiro de um churrasco no fim, quando o carvão estå terminando, tambÊm da vizinhança. Se você me visse de longe escrevendo, poderia pensar que eu estou aqui tomando um grande copo de whisky para me inspirar. PorÊm, se chegasse mais perto observaria que Ê apenas mate gelado com limão. Pois Ê, as aparências podem enganar. Por falar em aparência, sempre gostei de coisas coloridas e dia desses estava filosofando sobre a cor de cada um. Como se no lugar de nomes, pudÊssemos ser reconhecidos pela nossa cor. Observe que não estou, absolutamente, me referindo ao nosso tom de pele e sim a uma espÊcie de coloração da alma. A cor que emitimos como sintonia ao que vem de dentro. - Aliås, consegue notar que a palavra coloração só tem uma sílaba a mais, por-

tanto, diferente, da palavra mente explicando, o homemcoração? E sabe como ĂŠ co- -espelho ĂŠ aquele que reflete ração em latim? Cor. É uma a sociedade, simplesmente coincidĂŞncia que cabe perfei- para ser um igual, ou para ser tamente na frase. Os linguis- aceito. JĂĄ o homem-parede ĂŠ tas que me perdoem. A cor das aquele que impĂľe uma barcoisas, verde, amarelo, azul, reira e impede qualquer tipo vermelho, em latim quer dizer de aproximação, seja lĂĄ o que “colorâ€?. NĂŁo confunda. - Foi sĂł for, antes de examinar tudo. uma associação poĂŠtica. Usando as cores para exemVocĂŞ deve estar pensando, plificar cada tipo, no caso de o que a cor um homemQuerer ser o que tem a ver com - e s p e l h o, ĂŠ um artigo socomo se uma nĂŁo ĂŠ faz com que bre comporpessoa verde os conflitos nunca tamento huvestisse uma sejam sanados m a n o, c o m tĂşnica laranja, base espĂ­rita? caso essa fosse Bem, vamos lĂĄ. Atualmente, a cor da moda, sĂł para se enestou lendo um dos livros da trosar melhor com as pessoas, sĂŠrie psicolĂłgica de Joanna escondendo seu verdadeiro de Ă‚ngelis, chamado “O Ho- eu. Ou, no caso do homemmem Integralâ€?. É um livro com -parede, ĂŠ como se uma pestextos curtos e profundos, ca- soa amarela nĂŁo quisesse ao racterĂ­sticos de Joanna. Num menos conhecer uma outra dos textos, ela fala sobre dois azul, somente pela diferença. homens da sociedade mo- A questĂŁo para a qual eu quederna: o homem-espelho e o ro chamar a sua atenção tem homem-parede. Resumida- a ver com autoconhecimento.

Quando você Ê capaz de olhar pra dentro e reconhecer que age como um homem-parede ou como um homem-espelho, ou então, que não se identifica com nenhum desses tipos. NinguÊm precisa ser o que não Ê. Só precisamos tentar sempre aprimorar o que somos capazes de ser. Entre essas duas coisas, hå um abismo de diferença. Querer melhorar, faz parte do processo evolutivo. Querer ser o que não Ê faz com que os conflitos nunca sejam sanados, pelo simples fato de que não hå aceitação. No final das contas, vamos ver que tudo Ê uma questão de termos um olhar um pouco mais apurado sobre nós mesmos. Não só apurado, mas tambÊm respeitoso. O mesmo vale para o nosso olhar em relação ao outro. Jå pensou você da cor laranja não aceitar alguÊm da cor roxa apenas por causa da diferença? Ora, quanto

provincianismo. Se o outro Ê diferente de você, aceite. Você não pode mudar ninguÊm. Cada um tem suas qualidades e seus defeitos. Detalhe: você tambÊm. Portanto, tire a måscara. Veja a pessoa maravilhosa que você Ê. A moda passa e sempre tem lugar pra todo mundo. Enxergue-se integralmente. Como alguÊm em processo e não como alguÊm que jå Ê resultado. Se você olhar somente para o que resulta no momento, vai estacionar, e deixar de prosseguir. E pra concluir, voltando a falar de cores, talvez tenhamos em nós o arco-íris todinho. Somos tanto, que hå um espaço latente para sairmos da superfície na qual nos habituamos. Somos tão coloridos que podemos vibrar em todas as tonalidades. www.vozesespiritas.com.br

O julgamento do recurso do Lula pelo TRF-4: alguma reexþes sobre provas -26ž&$5/26'( 9(,5$52%$/ % 2/,9(,5$52%$/'2

*Procurador de Justiça aposentado. Advogado. Mestre em Direito Penal pela UNESP. Professor universitårio

C

onvÊm ressaltar inicialmente que este texto foi escrito na vÊspera do julgamento que tem mobilizado todo o país, logo, qualquer opinião sobre o resultado, não passaria de mera cogitação ou palpite, o que não Ê o propósito destas reflexþes. Aqui, como descrito no títu-

lo acima, faremos algumas reflexĂľes sobre provas no âmbito do direito penal voltadas para o caso “trĂ­plexâ€?, objeto do julgamento marcado para o dia 24/1, pelo TRF-4. Apenas para contextualizar, o ex-presidente Lula foi condenado pelo juiz SĂŠrgio Moro, a 9 anos e seis meses de reclusĂŁo pela prĂĄtica dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por ter sido beneficiado do montante de R$ 2,2 milhĂľes, por meio de doação da empreiteira OAS, para reforma do trĂ­plex, no edifĂ­cio do condomĂ­nio Solaris, localizado no GuarujĂĄ, litoral paulista. Como parte de propina em contratos com a PetrobrĂĄs. Para o PT e outros partidos que se dizem de “esquerdaâ€? somados aos simpatizantes

do prĂłprio Lula, nĂŁo havia e mesmo por ignorância, que nem hĂĄ prova para a conde- a escritura pĂşblica ĂŠ apenas nação e que tudo nĂŁo passou uma das provas de propriede mera “perseguição polĂ­ticaâ€? dade (prova formal). Ao lado para impedir o seu retorno ao desse documento, hĂĄ outros comando do PaĂ­s. Em sĂ­ntese, meios de se comprovar a proesses sĂŁo os contrapontos Ă priedade. Prova, sob uma perspecticondenação. Na linha da defesa o teĂłlogo va tĂŠcnica, ĂŠ tudo aquilo que direta ou inLeonardo Boff chega a afir- AtĂŠ mesmo os indĂ­cios, d i re t a m e n t e mar “que nĂŁo desde que nĂŁo isolados, demonstra a existĂŞncia de hĂĄ nenhuma tambĂŠm servem de um fato e, por escritura que prova consequĂŞncia, configure Lula convença o seu como proprietĂĄrioâ€? (Folha de S. Paulo, po- destinatĂĄrio que ĂŠ o julgador (juiz), quanto a sua veracidader, A5, de 21.01.18). AliĂĄs, os defensores de Lula, de. No caso especĂ­fico do trĂ­tĂŞm batido muito na tecla da inexistĂŞncia de escritura pĂş- plex a imprensa tem divulblica comprobatĂłria da pro- gado que o juiz SĂŠrgio Moro priedade em seu nome. Es- se convenceu que Lula era quecem-se, entretanto, ou atĂŠ efetivamente o seu proprie-

tĂĄrio, levando-se em consideração inĂşmeros elementos de convicção tais como depoimentos de testemunhas e declaração de LĂŠo Pinheiro (dono da OAS) e farta documentação encontrada no seu apartamento em SĂŁo Bernardo do Campo, por ocasiĂŁo da busca e apreensĂŁo feita pela PolĂ­cia Federal e na empresa OAS. Entre os depoimentos hĂĄ o do ex-zelador que afirmou categoricamente que no prĂŠdio “todos sabiam que o apartamento era do Lulaâ€?, conforme divulgou o jornal Estado de SĂŁo Paulo. Logo, na sua perspectiva de convencimento, inexistiu dĂşvida quanto aos fatos imputados ao ex-presidente. Na perspectiva probatĂłria, ĂŠ sempre oportuna a lembran-

ça que atÊ mesmo os indícios, desde que não isolados, tambÊm servem de prova, basta que pela sua coerência, sejam convincentes da existência do fato, objeto da investigação. Os fatos imputados e respectivos elementos probatórios serão novamente (re) avaliados tecnicamente sob a perspectiva do ordenamento jurídico e não político como se tem insinuado, pelos julgadores do TRF-4. Vale lembrar que segundo a imprensa, de 77 condenados pelo juiz Sergio Moro, apenas 5 foram absolvidos pelo TRF-4, o que revela o alto grau de acerto em suas decisþes.

jc.robaldo@terra.com.br

EXPEDIENTE O PROGRESSO: O MAIS ANTIGO DO ESTADO E DE MAIOR CIRCULAĂ‡ĂƒO EM TODO O INTERIOR Este jornal expressa sua opiniĂŁo pelo Editorial. As demais opiniĂľes sĂŁo de responsabilidade de seus autores. “O PROGRESSOâ€? Registrado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) sob o nÂş 812285964

Diretora-presidente ADILES DO AMARAL TORRES Diretora-superintendente BLANCHE TORRES Diretora Executiva JUNE ANGELA TORRES Editor-chefe VANDER VERĂƒO Fundador (1951-1969) WEIMAR TORRES Ex-diretor (1969-1985) VLADEMIRO DO AMARAL

(',725$-251$/2352*5(662/7'$

CGC 03.356.425/0001-26 Departamento Comercial, Administração, Redação e Parque Gråfico Av. Presidente Vargas, 447 CEP 79804-030 Dourados-MS. Telefones Redação (0xx) 67-3416-2627/2609 Depto. Comercial (0xx) 67-3416-2600 Serviço de Atendimento ao Assinante (0xx) 67-3416-2666 - 3416-2670 Fax: (0xx) 67-3421-1911 +20(3$*(www.progresso.com.br (0$,/progresso@progresso.com.br

oprogresso.jornal

@JORNALOPROGRESSO

ESPORTE/POLĂ?CIA Luiz Radai esporte@progresso.com.br policia@progresso.com.br DIA-A-DIA Maria Lucia Tolouei marialucia@progresso.com.br CADERNO B/DMAIS Hakeito Almeida hakeito@progresso.com.br

(VWHMRUQDOpÂżOLDGRj

CIDADES Departamento Regional cidades@progresso.com.br

$66,1$785$6

DOURADOS, INTERIOR E CAMPO GRANDE

COLUNA SOCIAL/ANĂšNCIOS Angela Santa Cruz comercial@progresso.com.br

$QXDO  R$ 240 6HPHVWUDO R$ 150 7ULPHVWUDO R$ 100 %LPHVWUDO R$ 70 0HQVDO R$ 45

CLASSIFICADOS Gleison Costa classificados@progresso.com.br

Pensamento e ação por uma vida melhor

VENDA AVULSA 'RXUDGRV,QWHULRU H&DPSR*UDQGHR$ 2 NĂšMEROS ATRASADOS 'RDQRR$ 2 'RDQRDQWHULRU R$ 4


3

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Política

TRF4 mantém condenação e aumenta pena de Lula Os magistrados negaram o recurso da defesa de Lula contra sentença aplicada pelo juiz Sérgio Moro, em primeira instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro SYLVIO SIRANGELO/TRF4

Danyele Soares, enviada especial a Porto Alegre Da Agência Brasil Os três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, votaram ontem (24) pela manutenção da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex no Guarujá, no São Paulo. Os magistrados negaram o recurso da defesa de Lula contra sentença aplicada pelo juiz Sérgio Moro, em primeira instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O presidente da turma, Leandro Paulsen, proclamou o resultado e a sessão foi encerrada. Os desembargadores entenderam que a sentença de Moro é válida. E também aumentaram a pena do ex-presidente de 9 anos e meio de prisão para 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado pelos crimes citados, acolhendo pedido do Ministério Público Federal (MPF). O último desembargador a votar, Victor Luiz dos Santos Laus, também foi favorável à manutenção da condenação de Lula e pelo aumento da pena. Laus disse que os desembargadores não julgam pessoas, mas fato. E completou: “Esses fatos que foram trazidos no ambito da instrução criminal foram objeto de ampla investigação. O resumo que se tem é que, ao fim e ao cabo, aquele primeiro mandatário auferiu benefícios com esses fatos”.

Voto impresso (1)

O projeto de lei que impõe o acoplamento de impressoras às urnas eletrônicas, tornando possível o registro em papel de cada voto, está na pauta de votações da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. O objetivo da senadora Ana Amélia (PP-RS), autora do projeto (PLS 406/2014), é o de permitir a aferição do desempenho das máquinas de votação após as eleições, segundo a Agência Senado.

Voto impresso (2)

O projeto de lei que impõe o acoplamento de impressoras às urnas eletrônicas, tornando possível o registro em papel de cada voto, está na pauta de votações da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). O objetivo da senadora Ana Amélia (PP-RS), autora do projeto (PLS 406/2014), é o de permitir a aferição do desempenho das máquinas de votação após as eleições.

Voto impresso (3)

Desembargadores do TRF4 durante sessão em que foi julgado recurso de Lula contra sentença dada por Moro cumprida em regime fechado. Em relação ao ex-executivo da OAS Agenor Franklin, o relator propôs a redução da pena de 6 anos de prisão em regime fechado, para 1 ano, 10 meses e 7 dias de reclusão, em regime aberto. A pena do ex-presidente da empreiteira da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, foi mantida em 3 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão, em regime inicial semiaberto. O revisor, Leandro Paulsen, votou em seguida. Ele acompanhou o relator e também manteve condenação de Lula e aumento da pena. Com isso, o placar ficou em 2 a 0, o que significa maioria no tribunal para manutenção da condenação de Lula. Paulsen disse, no entanto, que a pena só deve ser cumprida após todos os recursos “serem exauridos na segunda instância”.

O julgamento começou às 8h30 com a apresentação do relatório do desembargador Gebran Neto Os desembargadores também concordaram em reduzir as penas previstas inicialmente para O ex-presidente da OAS, José Aldemario Pinheiro Filho, e para o ex-diretor da área internacional da OAS, Agenor Franklin Magalhães Medeiros. José Aldemário, conhecido como Léo Pinheiro, foi condenado em primeira instância a 10 anos e 8 meses de prisão, mas teve a pena reduzida para três anos e seis meses. Já Agenor Franklin teve a pena reduzida para um ano e 10 meses. A princípio, ele tinha sido condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a seis anos. Entenda o caso Para o juiz federal Sérgio Moro, ficou provado nos autos que o ex-presidente e a ex-primeira-dama Marisa Letícia eram de fato os proprietários do imóvel e que as reformas executadas no triplex pela empresa OAS provam que o apartamento era destinado a Lula e faziam parte do pagamento de propina ao ex-presidente por ter beneficiado a empreiteira em contratos com a Petrobras. No recurso, a defesa alegou que a análise de Moro foi “parcial e facciosa” e “descoberta de qualquer elemento probatório idôneo”. Os advogados afirmaram que um conjunto de equívocos justificava a nulidade da condenação. Para a defesa, o juiz teria falhado ao definir a pena com base apenas na “narrativa isolada” do ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, sobre o que os advogados consideram “um fantasioso caixa geral de propinas” e a suposta compra e reforma do imóvel.

CURTAS

Julgamento O julgamento começou às 8h30 com a apresentação do relatório do desembargador João Pedro Gebran Neto. Ele fez um resumo da ação e negou questão de ordem apresentada pela defesa que pedia mais tempo de fala. Depois, o procurador regional da República, Maurício Gotardo Gerum, teve 30 minutos para se manifestar. Ele afirmou que o ex-chefe

do Executivo se corrompeu e que a defesa não conseguiu apresentar qualquer elemento probatório consistente que afastasse a acusação dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. “Lamentavelmente, Lula se corrompeu”, resumiu. O advogado de Lula, Cristiano Zanin, afirmou, durante julgamento, que o processo é nulo e que, na sentença, não foi feita prova da culpa, mas,

sim, da inocência do ex-presidente. Na alegação, Zanin apontou uma série de inconsistências no processo. Depois, os desembargadores iniciaram a leitura dos votos. O primeiro foi o relator, João Pedro Gebran Neto, que votou pela condenação de Lula e o aumento da pena de 9 anos e 6 meses de prisão para para 12 anos e um mês de reclusão. Para o desembargador, a pena de Lula deve ser

Defesa pode recorrer A defesa de Lula pode recorrer e apresentar embargos de declaração, um recurso onde a defesa pede esclarecimentos sobre algum ponto da decisão. Esses embargos são apresentados ao relator do caso, João Pedro Gebran Neto, e julgados pelos três integrantes da 8ª Turma. Os embargos devem ser apresentados até dois após a publicação da sentença, segundo a assessoria do tribunal. O TRF4 vai divulgar a íntegra dos votos e o acórdão da sessão de julgamento da apelação criminal do ex-presidente na próxima semana. O cumprimento da pena de Lula só poderá ser feito após esgostados todos os recursos em segunda instância. O tribunal informou que os desembargadores Leandro Paulsen e Victor Laus sairão de férias. Paulsen ficará 30 dias fora, a partir de 29 de janeiro. Pelo mesmo prazo, Victor Laus também estará de férias a partir de 21 de fevereiro. Nas férias dos titulares, juízes federais são convocados. Neste caso, serão chamados para a 8º Turma Nivaldo Brunoni, para substituir Laus, e Antônio Bochenek, no lugar de Paulsen. Mesmo com as férias dos titulares, os prazos processuais correm normalmente, conforme o tribunal.

Na justificativa de seu projeto, Ana Amélia menciona a persistência de boatos sobre fraudes no processo de votação e totalização de votos, além de citar demonstrações científicas de vulnerabilidades das urnas eletrônicas quanto ao sigilo do voto e à integridade do sistema. Ela também argumenta que a impressão dos votos suprirá uma limitação inerente ao modelo de urnas eletrônicas em uso. “Não é boa política confiar cegamente num sistema, uma vez que todos são, por definição, falíveis. Ou seja, qualquer sistema eletrônico de votação utilizado deve prever mecanismos de auditoria, fiscalização e aferição de seu desempenho a posteriori”, esclarece a senadora.

Dívidas rurais (1)

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), disse que os parlamentares da frente vão priorizar a derrubada dos 24 vetos do presidente Michel Temer à lei que anistia e parcela débitos dos produtores rurais (Lei 13.606/18), segundo a Agência Câmara. Entre os pontos vetados por Temer está o que dava aos produtores rurais desconto de 100% em multas e encargos incidentes sobre as dívidas.

Dívidas rurais (2)

Também foi vetado artigo que permitia a isenção de contribuição previdenciária na comercialização destinada ao plantio, ao reflorestamento e à reprodução pecuária ou granjeira. Segundo Nilson Leitão, os vetos reduzem muito os objetivos da lei. “Vão atingir principalmente o setor dos adquirentes – cerealistas, frigoríficos – e o produtor rural no que tange à anistia de multas e também dos encargos daqueles que devem para o Fisco em relação ao Funrural”, afirmou.

COLONO - Cumpádri, a militância do PT feiz um baruio danadu...

ZÉ PINGA - ... ic, ic, ic... é, mas agora o Lula podi tirá o cavalinhu da chuva...


4

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

PolĂ­tica

Eleição de 2018 serå a 1ª disputa com fundo público para campanhas A partir das eleiçþes deste ano tambÊm serå aplicada a chamada clåusula de desempenho para que os partidos tenham direito ao Fundo Partidårio TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL

Carol Siqueira, Agência Brasil De Brasília O brasileiro deverå acompanhar uma campanha eleitoral diferente em 2018: o saldo dos candidatos para gastar na divulgação de suas propostas ficarå mais curto. Em 2017, diante da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de impedir que empresas façam doaçþes para as campanhas, o Congresso Nacional definiu novas normas para financiar a propaganda antes das eleiçþes. Depois de muita polêmica e poucos dias antes do prazo final para a norma valer em 2018, Câmara e Senado aprovaram a criação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, que nas eleiçþes deste ano receberå R$ 1,716 bilhão. O plano inicial era colocar o fundo na Constituição, por meio de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), e estimå-lo em cerca de R$ 3,6 bilhþes - 0,5% da Receita Corrente Líquida (RCL) da União. No entanto, a resistência em destinar esse montante para o fundo e a necessidade do

A partir das eleiçþes de 2020, os partidos nĂŁo poderĂŁo mais se coligar na disputa das vagas para vereadores e deputados aval de 308 deputados em dois turnos para a aprovação da PEC levou as lideranças a abandonar a proposta – que sĂł teve um ponto votado – e passar para um projeto de lei, de aprovação mais simples. Foi assim tambĂŠm em 2013 e 2015, quando deputados e senadores abandonaram mudanças constitucionais em prol de minirreformas eleitorais. Relator da proposta, o deputado Vicente Cândido (PT-SP) afirmou que as campanhas ficarĂŁo mais baratas. “NĂŁo haverĂĄ mais espaço para grandes contrataçþes de marqueteiros. NĂŁo hĂĄ mais motivo para mobilização de grandes equipes de cinegrafistas para cobrir eventos de

Nas eleiçþes de 2018 os candidatos terão menos recursos para gastar nas campanhas eleitorais rua�, afirmou. O fundo tem regras para a sua distribuição definidas em lei: uma pequena parcela Ê rateada entre todos os partidos e o restante de acordo com a votação dos partidos e a sua representação no Congresso. As campanhas tambÊm ganharam tetos que vão de atÊ R$ 70 milhþes para candidato a presidente da República a R$ 1 milhão para campanhas de candidatos a deputado estadual e distrital. AlÊm do dinheiro público, as campanhas poderão contar com doaçþes de pessoas físicas, limitadas a 10% do rendimento bruto do ano anterior ao das eleiçþes – mas cada pessoa não poderå doar mais que dez salårios mínimos para cada cargo ou chapa majoritåria. E este Ê o ponto que poderå ir parar na Justiça em 2018, uma vez que, com a derrubada de um veto pelo Congresso, em dezembro do ano passado, os candidatos passaram a ser impedidos de usarem recursos próprios para financiar integralmente a própria campanha. Assim, eles estariam enquadrados nas limitaçþes das pessoas físicas.

Crowdfunding e conteúdo A internet tambÊm ganhou mais espaço nas eleiçþes de 2018, com a liberação da arrecadação por ferramentas de financiamento coletivo – o crowndfunding – e a legalização do chamado impulsionamento de conteúdo, praticado por meio das redes sociais com empresas especializadas. Se a internet cresceu, a propaganda no rådio e na televisão foi diminuída para permitir uma campanha mais barata – grande parte dos custos fica na produção deste tipo de conteúdo. No segundo turno, em vez de se iniciar 48 horas após a votação, a propaganda só retorna à TV e rådio na sexta-feira seguinte ao resultado, com um tempo menor. AlÊm disso, parte da propaganda partidåria foi extinta para que o dinheiro da renúncia fiscal seja incorporado ao orçamento do fundo de financiamento de campanhas. Clåusula de Desempenho Outra mudança que vai entrar em vigor depois do resultado das eleiçþes de 2018 Ê a clåu-

sula de desempenho, que deve mexer com o cenårio partidårio dos próximos 4 anos. A intenção Ê diminuir o número de partidos, jå que hoje hå mais de 20 legendas com representação no Congresso. Menos partidos permite mais estabilidade ao chefe do Executivo, que terå de negociar com menos líderes para construir uma base. A Emenda Constitucional 97/17 define que só terå direito aos recursos do Fundo Partidårio e ao tempo de propaganda eleitoral no rådio e na TV partidos que tiverem recebido ao menos 1,5% dos votos vålidos nas eleiçþes de 2018 para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação (9 unidades), com um mínimo de 1% dos votos vålidos em cada uma delas. As regras vão se tornando mais rígidas, com exigências gradativas atÊ 2030. A partir das eleiçþes de 2020, os partidos não poderão mais se coligar na disputa das vagas para vereadores e deputados (federais, estaduais e distritais). Para 2018, as coligaçþes estão liberadas.

PGR defende competĂŞncia do Supremo para julgar posse de Cristiane Brasil CĂ‚MARA DOS DEPUTADOS

Cårmen Lúcia deve analisar o mÊrito da questão e julgar o caso novamente AndrÊ Richter, Agência Brasil De Brasília A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ontem (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer no qual defende a competência da Corte para julgar a validade da nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) no cargo de ministra do Trabalho. O parecer foi motivado por um pedido de informaçþes feito pela presidente do STF, ministra Cårmen Lúcia, que, no início da semana, suspendeu temporariamente a posse de Cristiane Brasil ao analisar uma reclamação do Movimento dos Advogados Trabalhistas Independentes contra decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) a favor da li-

Deputada Cristiane Brasil foi nomeada ministra, mas ainda nĂŁo assumiu o cargo beração da posse. A cerimĂ´nia estava prevista para Ăşltima segunda-feira (22). No documento, o vice-procurador, Luciano Mariz Maia, argumentou que o ministro Humberto Martins, do STJ, nĂŁo poderia ter liberado a posse por tratar-se de matĂŠria constitucional, assunto que deve ser analisado pelo STF. “Exatamente por nĂŁo haver

norma infraconstitucional que indique os requisitos a serem observados por candidatos ao cargo de ministro de Estado Ê que a decisão liminar apoiou-se, para suspender o decreto de nomeação, exclusivamente no princípio da moralidade�, argumentou o procurador. Com base nos argumentos da PGR e na manifestação que serå enviada ao STF pela Advo-

cacia-Geral da União (AGU), a ministra Cårmen Lúcia deve analisar o mÊrito da questão e julgar o caso novamente. A nomeação de Cristiane Brasil foi anunciada pelo presidente Michel Temer no dia 3 de janeiro, mas a deputada foi impedida de tomar posse por força de uma decisão liminar (provisória) do juiz Leonardo da Costa Couceiro, da 4ª Vara Federal de Niterói, proferida em 8 de janeiro. O magistrado acolheu os argumentos de três advogados que, em ação popular, questionaram se a deputada estaria moralmente apta a assumir o cargo após ter sido revelado pela imprensa que ela foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar mais de R$ 60 mil a um ex-motorista, em decorrência de irregularidades trabalhistas. Em seguida, a posse tambÊm foi suspensa por decisþes da segunda instância da Justiça Federal no Rio de Janeiro.

C

INFORME C CĂ?CERO FARIA cicerolfaria@gmail.com

A ‘dança das cadeiras’ estĂĄ parada

Continuam vagas as secretarias municipais de Planejameno e de Cultura desde a saĂ­da dos titulares JosĂŠ Elias Moreira e Gil Ésper. EstĂŁo respondendo por elas, assinando a papelada burocrĂĄtica, Tahan Mustafa (de Obras Publicas) e PatrĂ­cia BulcĂŁo (de Governo). A prefeita DĂŠlia Razuk (PR), segundo fontes do seu gabinete, nĂŁo estĂĄ com pressa para nomear os novos secretĂĄrios porque TXHUDFHUWDUGHVWDYH]RXVHMDÄ&#x;FDUFRPHOHVDWĂ’RÄ&#x;QDO do seu mandato. Os rumores indicam neste ano eleitoral outros secretĂĄrios podem sair ou serem remanejados. A FORTE FPA O presidente da Frente Parlamentar da AgropecuĂĄria (FPA), deputado Nilson LeitĂŁo (PSDB-MT), disse que os parlamentares da frente vĂŁo priorizar a derrubada dos 24 vetos do presidente Michel Temer Ă lei que anistia e parcela dĂŠbitos dos produtores rurais. Entre os pontos vetados por Temer estĂĄ o que dava aos produtores rurais desconto de 100% em multas e encargos incidentes sobre as dĂ­vidas. TambĂŠm foi vetado artigo que permitia a isenção de contribuição previdenciĂĄria na comercialização desWLQDGDDRSODQWLRDRUHÄ Rrestamento e Ă  reprodução pecuĂĄria ou granjeira. LIGEIRINHO O deputado estadual douradense JosĂŠ Carlos Barbosa (PSB) estĂĄ com a corda toda para conseguir a reeleição esse ano. Em trĂŞs dias percorreu dez cidades mantendo reuniĂľes com prefeitos, vereadores e outras lideranças polĂ­ticas. Tem passando atĂŠ pelos postos da PolĂ­cia Militar RodoviĂĄria para abraçar os ex-comandados. Desde que deixou a Secretaria de Justiça e Segurança PĂşblica, Barbosinha ĂŠ polĂ­tica 24 horas. POBRES Ganhar na loteria nĂŁo ĂŠ fĂĄcil. Mas ser premiado e nĂŁo retirar o valor ĂŠ mais comum do que pode parecer. Somente em 2017, R$ 326 milhĂľes deixaram de ser resgatados por ganhadores de prĂŞmios de loterias no Brasil, segundo a Caixa EconĂ´mica Federal. O valor equivale a cerca de 8% dos mais de R$ 4,2 bilhĂľes ofertados em prĂŞmios pelas Loterias Caixa no ano passado.

MAIS ĂšTIL Segundo o Campo Grande News, a PolĂ­cia Federal quer “pegar emprestadoâ€? o carro usado por Breno Fernando Solon Borges para traficar drogas. O filho da desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, presidente do Tribunal Regional Eleitoral foi flagrado em um comboio que transportava 130 kg de maconha em abril de 2017. O Jeep Renegade ano 2015/2016 estĂĄ apreendido na Delegacia da PF de TrĂŞs Lagoas. No pedido feito Ă Justiça, o delegado Alan Wagner Nascimento Givigi argumenta que o carro seria importante para ajudar a PF nas açþes de comEDWHDRWUĂ€Ä&#x;FRGHHQWRUSHFHQWHV Em outras palavras, ele diz que o carro serviria melhor ao interesse pĂşblico como viatura do que como “criadouro de insetos, ratos e mosquito Aedes aegyptiâ€?. ACABOU A VIAGEM O presidente da Central Ăšnica dos Trabalhadores (CUT-MS), Genilson Duarte foi preso na manhĂŁ de ontem pela PolĂ­cia RodoviĂĄria Federal e Brigada Militar, durante fiscalização em Montenegro, na regiĂŁo metropolitana de Porto Alegre. Conforme a PRF, o Ă´nibus alugado pela CUT-MS era clandestino. Estava com as licenças da ANTT vencidas. No Ă´nibus, 47 pessoas que se deslocam Ă  capital gaĂşcha para acompanhar o julgamento do recurso de Lula. Genilson estava com mandado de prisĂŁo em aberto desde 2017, por desobediĂŞncia. AMARELOU O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) disse que nĂŁo acompanhou nas ruas o julgamento ontem do recurso do ex-presidente Lula (PT) porque poderia “sofrer violĂŞnciaâ€? de apoiadores do petista. Bolsonaro estĂĄ em segundo lugar na corrida presidencial, atrĂĄs de Lula, segundo pesquisas recentes de intenção de voto.

BATE REBATE A pedido do MinistÊrio Público do Estado, a Justiça bloqueou R$ 800 mil em bens do prefeito Edvaldo Alves de Queiroz (PDT), de à gua Clara e mais oito pessoas devido à suspeita de tentativa de fraute em licitação em 2012 para a contratação de assessoria jurídica para o município . Foi detido na noite desta terça-feira na MS-162 em Sidrolândia um homem e 31 anos, que se diz do ramo empresarial de eletrônicos, com R$ 35 mil não declarados. Ele contou aos policiais que estava voltando de Ponta Porã. O Lar do Idoso de Dourados continua com sua campanha de arrecadação. Quem quiser pode fazer doaçþes no Banco do Brasil ( ag. 391-3 -c/c 78.030-8) ou no Santander (ag. 4521- c/c 13000155-3). O deputado estadual João Grandão se reuniu ontem com colegas no Sindicatos dos Bancårios de Dourados para assistir ao julgamento de Lula. Do MS, apenas o deputado federal Zeca do PT foi à Porto Alegre.

INFORME CURURU Por aĂ­, tem muita cobra cega se achando cascavel


5

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 2352*5(662

Economia

Pessoas com 60 anos ou mais sem conta bancĂĄria jĂĄ podem sacar o PIS/Pasep Os pagamentos serĂŁo feitos a pessoas dessa faixa etĂĄria que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988, cadastrados entre 1971 e 4 de outubro de 1988 DIVULGAĂ‡ĂƒO/CEF

Mariana Tokarnia, AgĂŞncia Brasil De BrasĂ­lia

conta corrente ou poupança individual na Caixa Econômica Federal (Caixa) ou no Banco do Brasil (BB) tiveram as cotas creditadas nas contas bancårias na noite de segunda-feira (22). Para mulheres com 62 anos ou mais e homens com 65 anos ou mais, o dinheiro jå havia sido liberado no dia 8 de janeiro. No total, a previsão Ê de que 4,5 milhþes pessoas tenham direito a um total de R$ 7,8 bilhþes referentes a essas cotas, sendo 2,7 milhþes de cotistas do PIS e 1,8 milhão do Pasep. Saque Nos sites www.caixa.gov.br/ cotaspis e www.bb.com.br/ pasep Ê possível consultar se hå saldo disponível para saque. Nas påginas, o trabalhador pode visualizar a data de início do pagamento e os canais disponíveis, alÊm da

Daniela Amorim, Agência Estado Do Rio de Janeiro A mediana da inflação esperada pelos consumidores nos próximos 12 meses ficou em 5,4% em janeiro, um recuo de 0,4 ponto porcentual em relação ao resultado de 5,8% registrado em dezembro de 2017, informou ontem (24) a Fundação Getulio Vargas (FGV ), que divulgou o Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores. Com

ThaĂ­s Barcellos, AgĂŞncia Estado De SĂŁo Paulo A demanda do consumidor por crĂŠdito cresceu 0,6% em

,ERYHVSD 3RQWRV 0À[LPDGH 0âQLPD 9ROXPH 9DULD�ÂRHP 9DULD�ÂRQRPÓV 'RZ-RQHV 3RQWRV 1DVGDT 3RQWRV ,ERYHVSD)XWXUR 3RQWRV 0À[LPD SRQWRV  0âQLPD SRQWRV 

%/8(&+,36 +3,72% 83.680,00 83.680 pnts 80.679 pnts 15,49 bilhĂľes 9,53% 9,53% +0,21% (18h32) 26.266,98 -0,41% (18h32) 7.429,43 +3,98% 84.050 84.170 81.020

3UHĂ?R

&RWDĂ?Ă‚R 9DULDĂ?Ă‚R

6,77% ao ano 10,06% ao ano 1,10% ao mĂŞs 6,89% ao ano 6,90%

Janeiro

melhor opção de pagamento. Os beneficiårios do PIS com valor atÊ R$ 1,5 mil poderão fazer o saque nas unidades de autoatendimento da Caixa, utilizando apenas a senha do Cartão do Cidadão. Valores entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil podem ser sacados no autoatendimento, unidades lotÊricas e da Caixa Aqui, devendo apresentar tambÊm um documento de identificação oficial com foto. Valores acima de R$ 3 mil poderão ser retirados apenas nas agências da Caixa, tambÊm com um documento de identificação com foto. O saque das cotas do Pasep pode ser feito nas agências do Banco do Brasil, com apresentação de documento de identificação oficial com foto. Os beneficiårios com saldo de atÊ R$ 2,5 mil podem solicitar o envio a outra instituição

financeira, sem custos, pela internet ou pelos terminais de autoatendimento do banco. O saque poderå ser feito por outra pessoa que não seja o beneficiårio, mediante procuração particular, com firma reconhecida, ou por instrumento público que contenha outorga de poderes para solicitação e saque de valores do PIS/Pasep. Herdeiros dos beneficiårios das cotas tambÊm estão autorizados a fazer o saque, sem a necessidade de seguir o calendårio estabelecido. No caso de falecimento do cotista, os herdeiros podem se dirigir a qualquer agência da Caixa no caso do PIS - ou do Banco do Brasil - para recebimento do Pasep -, portando um documento oficial de identificação e um documento que comprove sua condição legal de herdeiro.

o resultado, o indicador recuou ao menor nĂ­vel desde setembro de 2007, quando estava em 5,2%. Em relação ao mesmo perĂ­odo do ano anterior, houve uma redução de 2,5 pontos porcentuais. Segundo a FGV, o recuo de janeiro reflete a divulgação da inflação acumulada de 2017 pelo Ă?ndice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA, apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e EstatĂ­stica), que ficou em 2,95%, e pelo Ă?ndice Geral de Preços - Mercado (IGP-M, da prĂłpria FGV), que encerrou o ano em -0,52%. “O primeiro por ter ficado

abaixo do piso da meta de inflação e o segundo por ser o indicador que baliza os preços dos aluguÊis, importante item no orçamento das famílias. Para os próximos meses, espera-se que o indicador de expectativa de inflação apresente um comportamento mais eståvel, refletindo a trajetória do nível geral de preços da economia�, avaliou o economista Pedro Costa Ferreira, do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/ FGV), em nota oficial. Na distribuição por faixas de inflação, 48,2% dos consumidores projetaram inflação dentro dos limites de

2017, de acordo com os dado nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao CrÊdito) divulgados ontem (24). Essa Ê a primeira variação positiva no consolidado anual desde 2012, quando houve expansão de 7,2%. Em dezembro ante novembro com ajuste sazonal, houve

queda de 4% na procura por crÊdito, mas, na comparação com igual mês de 2016, o crescimento foi de 3,9%. Em 2017, as instituiçþes financeiras tiveram retração de 1,3%, enquanto o segmento não-financeiro registrou aumento de 1,8%. Na margem, o setor financeiro re-

3URJUDPDV O PIS e o Pasep foram criados na dÊcada de 70. O PIS tem a finalidade de integrar o empregado do setor privado e o desenvolvimento da empresa, enquanto o Pasep reúne arrecadaçþes da União, de estados, municípios, Distrito Federal e territórios destinadas aos empregados do setor público. A Constituição de 1988 trouxe mudanças quanto a esse tipo de recurso, estruturando o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Com as regras atualmente em vigor, quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque, uma vez que o FAT distribui quantias reservadas ao seguro-desemprego, ao abono salarial e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

tolerância da meta (de 3% a 6%) perseguida pelo Banco Central. Houve melhora na expectativa para a inflação em todas as faixas de renda, com destaque para as famílias com renda mais baixa, de atÊ R$ 2 100,00 mensais, em que a inflação prevista recuou 0,8 ponto. Os consumidores com renda acima de R$ 9.600,00 permanecem com as expectativas mais reduzidas, de 4%. O Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores Ê obtido com base em informaçþes da Sondagem do Consumidor, que ouve mensalmente mais de 2,1 mil brasileiros em sete das principais capitais do País. Aproximadamente 75% dos entrevistados respondem aos quesitos relacionados às expectativas de inflação.

cuou 2,5% e o nĂŁo-financeiro mostrou queda de 5%. A Boa Vista SCPC destaca, em nota, que a recuperação da atividade econĂ´mica inicia um movimento de retomada do consumo que colabora para a elevação da demanda por crĂŠdito. “Ademais, com as recentes melhorias nas perspectivas de juros e inflação, espera-se para os prĂłximos meses retomada mais consistente do indicadorâ€?, avalia a instituição.

+1,96% +2,23% +6,34% -0,92% +3,89%

886,549 centavos de dĂłlar -0,83%

9DULDĂ?Ă‚R +1,47% -1,66%

* 1 onça-troy equivale a 31,1035 gramas

R$ 1,0641

'Â…9,'$(0752875' 'LDGRYHQFLPHQWR )DWRUHVGH

R$ 954,00

Janeiro 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

R$ 25,11

(APLICAĂ‡ĂƒOAPARTIRDE 04/05/12)

$PHGLGDTXHHQWURXHPYLJRURQWHPYDLEHQHÄ&#x;FLDUPLOKøHVGHFRWLVWDVGR3,6

R$ 36,41 R$ 41,78 R$ 12,91 R$ 27,00 R$ 9,89

 &RWD�ÂR Ouro US$ 1.356,30 a onça-troy 2XUR%0 ) (à vista) 136,500

3283$1q$ Janeiro 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 )HYHUHLUR 01 02 03

+4,81% +5,74% +5,43% -0,05% +6,4%

2852

8)(506 Janeiro

9DULDĂ?Ă‚R

R$ 50,37 R$ 19,34 R$ 39,80 R$ 21,89 R$ 20,63

*/2%$/

-8526 - &'%SUHÄ&#x;[DGRGHGLDV &DSLWDOGHJLUR +RWPRQH\ &', - Over a

em R$

,WDX8QLEDQFR31 3HWUREUDV31 %UDGHVFR31 Ambev ON 3HWUREUDV21 9DOH31$ %5)6$21 9DOH21 ,WDXVD31 &LHOR21 JBS ON

6$/d5,20Â…1,02

Demanda do consumidor por crĂŠdito sobe 0,6% em 2017, diz Boa Vista SCPC (VVDĂ’DSULPHLUDYDULDĂ?Ă‚R SRVLWLYDQRFRQVROLGDGR DQXDOGHVGH

BOLSAS

1RYHPEUR

Consumidores esperam inação de 5,4% em 12 meses a partir de janeiro &RPRUHVXOWDGRRLQGLFDGRU UHFXRXDRPHQRUQâYHO GHVGHVHWHPEURGH

progresso@progresso.com.br

8),5

Os trabalhadores a partir de 60 anos de idade sem conta bancåria podem sacar as cotas dos fundos do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). A medida entrou em vigor ontem (24). Os pagamentos serão feitos a pessoas dessa faixa etåria que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988, cadastrados no PIS/Pasep entre 1971 e 4 de outubro de 1988. Eles foram beneficiados pela Medida Provisória nº 813, que reduziu a idade exigida para saque, que antes era de 62 anos para mulheres e 65 para homens. Os beneficiårios que têm

1RWRWDODSUHYLVĂ‚RĂ’GH TXHPLOKøHVSHVVRDV WHQKDPGLUHLWRDXP WRWDOGH5ELOKøHV referentes a essas cotas

,1',&$'25(6(&21™0,&26

0,3994% 0,3994% 0,3994% 0,3994% 0,3994% 0,3994% 0,3994% 0,3994% 0,3994% -

0,3994% 0,3994% 0,3994%

0,01329425 0,01316426 0,01302982 0,01316848 0,01299723 0,01324700 0,01319915 0,01307221 0,01286982 0,01273953 0,01332346 0,01296896 0,01319668 0,01317643 0,01333529 0,01323880 0,01324050 0,01318279 0,01321504 0,01326682

(Multiplique a quantidade de TR ou TRD do carnê pelo fator de atualização da data do vencimento. A aplicação desse fator único atualiza a dívida pela TR do dia do aniversårio do contrato e converte o resultado para reais).

7%)

75

Janeiro 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23

Janeiro 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23

0,5386% 0,5627% 0,5620% 0,5643% 0,5410% 0,4759% 0,4773% 0,4773% 0,5266% 0,5271% 0,5085% 0,4471% 0,4352% 0,4548% 0,4788% 0,5246% 0,5086%

0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000% 0,0000%

&e0%,2 'ĂśODUFRPHUFLDOQREDOFĂ‚R 'ĂśODU3DUDOHOR 'ĂśODU3WD[ 'ĂśODU7XULVPR 'ĂśODU)XWXUR(Fevereiro) Euro (XURFRPHUFLDO Euro turismo

Compra R$ 3,1729 R$ 3,25 R$ 3,1964 R$ 3,1800 R$ 3,1500 US$ 1,2398 R$ 3,9320 R$ 3,8830

Venda R$ 3,1734 R$ 3,35 R$ 3,1970 R$ 3,3100

9DULDĂ?Ă‚R -1,93% -2,04% -0,87% -2,36% -2,81% +0,82% -0,98% -0,97%

US$ 1,2398 R$ 3,9340 R$ 4,0830

,1)/$qf2

ACUMULADO

Â…1',&(6

1RYHPEUR 'H]HPEUR QRDQR

PHVHV

,13& ,%*(  ,*30 )*9  ,*3', )*9  ,3& ),3(  ,3&$ ,%*(

&8% 6,1'86&21

),3(=$363 ),3(

0,18 0,52 0,80 0,29 0,28 0,04 0,09

1,83 -0,52 -0,42 2,27 2,80 2,54 1,40

0,89 0,74 0,55 0,29 0,10

1,80 -0,52 -0,42 2,27 2,50 2,54 1,40

,032672'(5(1'$(DESCONTO NA FONTE) 7$%(/$2),&,$/'$5(&(,7$)('(5$/ %DVHGHFĂ€OFXOR  $WĂ’5  'H5DWĂ’5 'H5DWĂ’5 'H5DWĂ’5 $FLPDGH5 

$OâTXRWD 7,5 15 22,5 27,5

'HGX]LU5 Isento 142,80 354,80 636,13 869,36

Deduçþes: R$ 189,59 por dependente; pensão alimentícia integral; contribuição ao INSS. Aposentado com 65 anos ou mais tem direito a uma dedução extra de R$ 1.903,98 no benefício recebido da Previdência.

5($-867('($/8*8(/ DEZEMBRO/2017 ,*30 )*9  ,*3', )*9  ,3&),3( 

0,9948 - -

  

,3&$ ,%*(  ,13& ,%*(  ,&9',((6(

-

Obs.: Fatores vĂĄlidos para contratos cujo Ăşltimo reajuste ocorreu hĂĄ um ano. Multiplique o valor pelo fator.

$*523(&8d5,$ 0,/+2GLVSRQâYHO 62-$GLVSRQâYHO Boi gordo Vaca gorda FONTE: Grande FM RURAL

R$ 22,00 (Dourados) R$ 63,00 (Dourados) R$ 130,00 (Brasil Global - Ă vista) - R$ 136,00 (Friboi/PPorĂŁ - c/ 30 dias) R$ 122,00 (Brasil Global - Ă  vista) - R$ 128,00 (Friboi/PPorĂŁ - c/ 30 dias)


6

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Brasil&Mundo

Temer ataca ‘populismo’ e diz que eleição não ameaça reformas e retomada

PELO MUNDO Cabul

ONU diz que atentado em hotel é “crime de guerra” RAHMAT GUL/AP/ESTADÃO CONTEÚDO

No Fórum Econômico de Davos ele insistiu na tese de que está “transformando” o Brasil e não deixou de atacar governos passados, alertando para o populismo econômico MARKUS SCHREIBER/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Jamil Chade e Célia Froufe, enviados especiais da Agência Estado De Davos O presidente Michel Temer garantiu a empresários de todo o mundo e aos mercados que a recuperação econômica do Brasil “não está ameaçada pelas eleições” e que não existe alternativa às reformas. Em seu discurso diante de empresários no Fórum Econômico de Davos e sob a pressão do rebaixamento da nota de risco do País, ele insistiu na tese de que está “transformando” o Brasil e não deixou de atacar governos passados, alertando para o populismo econômico e lembrando aos executivos que “herdou” uma crise. “Sei que muitos podem estar se perguntando se continuaremos nesse caminho; se nossa jornada não estaria ameaçada pelas eleições que se avizinham no Brasil. Permitam-me dizer-lhes, sem rodeios e com convicção: completaremos nossa jornada”, disse o presidente nesta ontem (24). Temer apresentou “o Brasil da responsabilidade, não do populismo”. “Do diálogo, não da intransigência. Da eficiência, não da burocracia. Da racionalidade, não do irrealismo. Da abertura, não do isolacionismo”. Nos últimos dias, alguns dos principais empresários e organizadores de Davos deixaram claro que as dúvidas que existem sobre o Brasil são de natureza política, principalmente por conta das eleições

Como já havia anunciado, Temer usou o palco em Davos para convocar os investidores a apostar no Brasil e do julgamento ontem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sem dizer uma só palavra sobre o processo em Porto Alegre, o que Temer fez foi dar uma mensagem de tranquilidade aos mercados. “O Brasil que vai às urnas em outubro sabe que a responsabilidade dá resultados. Traz equilíbrio das contas, crescimento e empregos. Viabiliza políticas sociais. Hoje, os principais atores no Brasil, políticos e econômicos, convergem em que não há alternativa à agenda de reformas que estamos promovendo. O espaço para uma volta atrás é virtualmente inexistente”, garantiu. Como já havia anunciado, Temer usou o palco para convocar os investidores a apostar no Brasil. “Trago-lhes uma mensagem clara: o Brasil está de volta. E o Brasil que está de volta é um país mais próspero, um país mais aberto, um país de mais oportunidades de investimentos, de comércio, de negócios”. No discurso, ele apresentou os números do País e insistiu que a economia voltou a crescer. “A inflação, que chegara a dois dígitos, fechou 2017 novamente sob controle, em menos de 3%. Os juros estão caindo de forma consistente, e atingiram seu menor patamar histórico. As empresas estatais, que haviam amargado prejuízos bilionários, agora têm lucros expressivos”, disse. “Nossa safra agrícola bateu recordes. Nossa balança comercial registrou, em 2017, superávit de mais de 60 bilhões de dólares. Também em 2017, só até novembro, o ingresso líquido de investimentos diretos somou 64 bilhões de dó-

Fumaça em hotel em Cabul, após o ataque de 12 horas ocorrido sábado ONU Brasil, Do Rio de Janeiro Autoridades das Nações Unidas, incluindo o secretário-geral António Guterres, condenaram duramente o atentado terrorista ocorrido no final de semana (20) no Hotel Intercontinental de Cabul, no Afeganistão. Ataque deixou pelo menos 22 mortos, segundo informações divulgadas pela imprensa internacional na segunda-feira (22). Operação teve a autoria reivindicada pelo Talibã e pode ser considerada crime de guerra. Na noite de sábado, homens armados entraram no hotel procurando por estrangeiros e autoridades afegãs. Atiradores fizeram reféns e sitiaram o edifício ao longo de 12 horas. Cerca de 160 pessoas foram resgatadas depois que tropas afegãs conseguiram recuperar o controle do prédio. Entre as vítimas, foram confirmadas as mortes de nove ucranianos, um alemão, um grego e um cazaque, de acordo com a imprensa internacional. Outros dois estrangeiros ainda não haviam sido identificados. O chefe da Missão de Assistência das Nações Unidas ao Afeganistão (UNAMA), Tadamichi Yamamoto, considerou “um ultraje moral que o Talibã tenha entrado no hotel com a intenção de matar civis”. Temer diz do Fórum Mundial de Economia, em Davos, que a retomada da economia é uma realidade lares. O risco-país tem caído consistentemente - de mais de 500 pontos verificados em janeiro de 2016 para o patamar de 200 pontos”, afirmou. Outro ponto do discurso foi sua promessa de que as reformas continuarão. “Levamos adiante uma ampla agenda de reformas para modernizar a economia, o ambiente de negócios, o mercado de trabalho, a gestão pública, a administração de empresas estatais Uma agenda de reformas que é reconhecida como a mais abrangente implementada no Brasil em muito tempo”, disse. “Nosso próximo passo é consertar a Previdência, tarefa em que estamos muito empenhados”, prometeu. “Cada vez mais, a população brasileira percebe que o sistema atual é injusto e insustentável Vamos batalhar, dia e noite, voto a voto, para aprovar a proposta que está no Congresso. Nossas reformas, aliás, têm sido aprovadas com maiorias muito sólidas no Parlamento”, garantiu. “E nossa agenda não se esgota na Previdência. Até o final do ano, queremos também promover a simplificação de nosso sistema tributário, para facilitar a vida do empresário, do trabalhador, do cidadão brasileiro, enfim”, disse. Populismo Para explicar a situação do País, Temer não deixou de criticar os governos passados e indicou que, em sua gestão, a meta era a de ser “responsável”. “Ao lidar com a crise que herdamos, rejeitamos, desde logo, os falsos atalhos populistas. Havia que governar com visão de longo prazo. Nosso diagnóstico foi e é inequívoco: o populismo nos legara uma crise grave de origem fiscal - e somente a responsabilidade nos tiraria dessa crise”, disse. “É com responsabilidade que temos atuado”. Temer ainda apontou que adotou transparência em relação às contas públicas “revelando, sem meias palavras, qual era a situação fiscal do País”. Segundo ele, como resultado de certas reformas, o déficit fiscal primário ficou “abaixo da meta, bem abaixo das expectativas”. Mas ele insistiu que a responsabilidade do governo também é social. “São duas faces de uma mesma moeda: sem responsabilidade fis-

cal, a responsabilidade social é mero discurso vazio”, afirmou. “Apenas com as contas em ordem temos crescimento e empregos; apenas com as contas em ordem temos o espaço orçamentário para políticas sociais que são indispensáveis em um país ainda desigual como o nosso”, defendeu. Temer também garantiu que vai manter o diálogo. “Na política, na vida em geral, pouco se pode conquistar sozinho menos ainda superar obstáculos da dimensão daqueles que encontramos. Era preciso unir forças”, disse. Também numa crítica ao governo de Dilma Rousseff, o presidente insistiu que mudou sua relação com o Poder Legislativo. “Antes esgarçadas, as relações entre o governo e o Congresso Nacional foram recompostas - e o Legislativo, como deve ser em democracias, tornou-se protagonista da obra coletiva que é a reconstrução do Brasil”, afirmou. “Para cumprir a missão que nos cabe, é preciso saber ouvir, é preciso saber persuadir, é preciso saber agregar, sem intransigências”, afirmou. Num discurso cuidadosamente talhado para atender aos empresários, Temer ainda tentou dar um sinal de que sua gestão é marcada pela “eficiência”. “Aprovamos reformas cruciais para melhorar a produtividade na economia, para aumentar a competitividade do produto brasileiro. Com a reforma trabalhista, trouxemos nossa legislação laboral, concebida há quase 80 anos, para o século XXI”, disse. “Engajamos toda a administração pública em intenso esforço para melhorar o ambiente de negócios. Estamos desburocratizando o País: já foram dezenas de procedimentos eliminados ou simplificados, tudo para tornar mais fácil importar e exportar, abrir ou fechar uma empresa”, destacou. Privatização Temer ainda indicou que vai “racionalizar o Estado”. “Adotamos modelo de concessões e privatizações realista, com marco regulatório seguro e estável. Em apenas um ano e meio, foram 70 projetos licitados à iniciativa privada - e mais 75 ainda o serão em 2018”, disse. O presidente listou as áreas

que oferecer oportunidades aos estrangeiros: portos, aeroportos, rodovias, ferrovias, linhas de transmissão, jazidas de gás e petróleo. Ciente da necessidade de recuperar a imagem da Petrobras depois da Operação Lava Jato, Temer destacou a aprovação das novas leis das estatais. “Ela garante profissionalismo na gestão das grandes empresas públicas brasileiras”, afirmou. “Instituímos regras objetivas para o setor de petróleo e gás, desobrigando o Estado de necessariamente participar, por meio da Petrobras, de todas as atividades de exploração do Pré-Sal”, explicou. Abertura Por fim, Temer explicou como o governo passou a adotar uma nova política comercial, baseada em uma maior abertura, se distanciando da estratégia do governo Dilma. Ele, porém, deixou claro que não compartilha das tendências registradas no governo americano de Donald Trump. “Vivemos em um mundo em que ganham força tendências isolacionistas”, disse. “Sabemos, porém, que o protecionismo não é solução. Quando nos fechamos em nós mesmos, nos fechamos a novas tecnologias, a novas ideias, a novas possibilidades”, afirmou. “Nosso governo tem atuado para integrar, cada vez mais, o Brasil à economia global. Junto com nossos sócios do Mercosul, resgatamos a vocação original do bloco para o livre mercado. Identificamos barreiras ao comércio e estamos tratando de eliminá-las”, disse. Temer indicou como novos acordos foram assinados no Mercosul, a adesão à OCDE, a aproximação aos países da Aliança do Pacífico e a abertura de processos de negociação com Canadá, Coreia do Sul e Cingapura. Ele ainda aposta na perspectiva “realista” de concluir o acordo Mercosul-União Europeia “Nosso País saiu mais forte da crise e retornou ao trilho do desenvolvimento. Agora que as grandes economias voltam a crescer simultaneamente, estamos dando - e daremos cada vez mais - nossa contribuição. O Brasil está de volta - e convidamos todos a fazer parte deste novo momento de nossa História”, concluiu.

Música

Coreia

Rapper faz fortuna com bitcoins

Abe confirma presença em cerimônia

Agência Estado, De São Paulo

Tóquio, Da Agência Estado

Em 2014, o rapper 50 Cent lançou o álbum Animal Ambition e teve uma ideia bizarra para a época: aceitou bitcoins como pagamento pelo disco. A criptomoeda ainda estava engatinhando naquele ano, sendo avaliada em US$ 662 (cerca de R$ 2,1 mil) e o rapper conseguiu angariar cerca de 700 bitcoins nas vendas do disco. Agora, o site TMZ descobriu que 50 Cent guardou esses bitcoins até hoje, o que lhe rendeu uma pequena fortuna estimada entre 7 e 8 milhões de dólares (equivalente a algo em torno de R$ 22 milhões e R$ 25 milhões) mesmo com o valor da criptomoeda em queda após uma forte alta no final de 2017.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, irá participar da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang, num gesto com a intenção de estreitar laços com os países vizinhos. Abe deixou para tomar uma decisão apenas duas semanas antes do início dos Jogos, que começam dia 9 de fevereiro. Diplomatas japoneses têm expressado amplo descontentamento com as críticas da Coreia do Sul sobre um acordo fechado entre os dois países em 2015 sobre mulheres sul-coreanas que viraram escravas sexuais de soldados japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. (Fonte: Dow Jones Newswires).

Venezuela

Comércio

Coalizão rejeita antecipação de eleição

EUA culpam China por protecionismo

Lima, Da Agência Estado

Victor Rezende, Agência Estado De São Paulo

Uma coalizão que inclui mais de uma dezena de países da América Latina rejeitou na terça-feira à noite a antecipação de eleições presidenciais na Venezuela. O Grupo de Lima fez um duro documento no qual diz que a antecipação do processo eleitoral contradiz o processo democrático e não está alinhado com padrões internacionais. A associação, da qual o Brasil faz parte, pediu ainda pela restauração da democracia na Venezuela. A Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, que não é reconhecida pelo Grupo de Lima, votou por unanimidade para adiantar as eleições para o final de abril e para permitir que o presidente Nicolás Maduro possa concorrer à reeleição. (Fonte: Associated Press).

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, culpou a China por atividades protecionistas, mas ressaltou que o governo de Donald Trump não está tentando inflamar uma guerra comercial da época da Grande Depressão. Ontem, no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, Ross afirmou que as autoridades comerciais dos EUA continuam investigando possíveis violações de propriedade intelectual da China e verificam se esse é um caso para ação. Além disso, ele comentou que o Plano Tecnológico de 2025 de Pequim é uma “ameaça direta aos EUA”. De acordo com o secretário de Trump, “Pequim é ótima em combinar retórica de livre comércio com ações protecionistas”.


7

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Polícia DIVULGAÇÃO/SEJUSP

MP isenta acadêmico de culpa em acidente O acidente aconteceu no dia 2 de novembro do ano passado, na Avenida Afonso Pena em Campo Grande e é investigado como homicídio doloso DIVULGAÇÃO

Antonio Carlos Videira destacou a importância da integração

Sejusp destaca a integração com comunidade em MS Na Capital, Sejusp reuniu conselhos comunitários de segurança

Carro onde estava a advogada de 24 anos que acabou morrendo depois da violenta colisão De Campo Grande Do Campo Grande News O juiz da 1ª Vara da Tribunal do Júri, Carlos Alberto Garcete, determinou que o processo sobre a morte da advogada Carolina Albuquerque Machado, ocorrida em um

A decisão partiu de uma manifestação do Ministério Público Estadual, enviado ao juiz no dia 18 de janeiro acidente de trânsito no dia 2 de novembro de 2017, seja redistribuído para outra vara criminal de Campo Grande. A decisão foi publicada na segunda-feira. A decisão partiu de uma manifestação do Ministério Público Estadual, enviado ao juiz no dia 18 de janeiro. Na data, a promotora Lívia Carla Guadanhim defendeu que

as provas e depoimentos colhidos pela polícia até aquele momento comprovavam que o estudante de medicina João Pedro da Silva Miranda Jorge, não tinha a intenção de matar a advogada. Mesmo com a omissão de socorro e a alta velocidade, o MPE defendeu que não há elementos suficientes que caracterizem, na conduta do estudante, intenção de matar as vítimas do acidente e por isso o crime não deve ser julgado no Tribunal do Júri. A promotora ainda levou em consideração que o acidente aconteceu após a advogada desrespeitar a sinalização e passar no sinal vermelho. Ao analisar a manifestação, Garcete defendeu que na fase preliminar, a competência para determinar o crime é exclusiva do Ministério Público e por isso ordenou a redistribuição do processo a uma das

Varas Criminais Residuais de Campo Grande. O juiz definiu ainda que a nova vara analise o pedido da polícia para dilação de prazo para conclusão da investigação. A colisão O acidente aconteceu no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Doutor Paulo Machado, por volta de 0h30 do dia 2 de novembro de 2017. Carolina Albuquerque, de 24 anos, estava com o filho de 3 anos, quando o carro foi atingido pela caminhonete do estudante. Baseado nas marcas de frenagem no chão, nos danos causados pela colisão nos dois veículos e outros vestígios encontrados na cena da morte de Carolina, a perícia determinou a velocidade que a caminhonete Nissan Frontier, conduzida por João Pedro, em 115km/h. A alta ve-

DIVULGAÇÃO/PRF

PRF intercepta no Paraná 7,2 toneladas de droga que saiu de MS Motorista disse que pegou a carga em Naviraí e que destino era Minas Gerais Da Assessoria A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 7.250 quilos de maconha na terça-feira em Alto Paraíso, na região noroeste do Paraná. A apreensão foi realizada em frente à Unidade Operacional Porto Camargo, na BR-487. As mais de 7,2 toneladas de maconha estavam escondidas em uma carreta, sob uma carga de sacos de trigo.

A equipe da PRF prendeu em flagrante o motorista, de 39 anos de idade, e encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Federal em Guaíra. Aos policiais rodoviários federais, o motorista disse que buscou a droga em Naviraí e que a levaria para Belo Horizonte (MG). A equipe da PRF fez a abordagem da carreta bitrem por volta das 8 horas da manhã. Os policiais desconfiaram do nervosismo do motorista, que fumava um cigarro atrás do outro. Após fazer a deslacração

Policiais militares do 3º Batalhão Capitão Onderson Roberto Winkler registraram 26 atendimentos, sendo que desses 20 foram de ações preventivas, além do atendimento de ocorrências de vias de fato, violên-

cia doméstica, tráfico de drogas e um acidente de trânsito que resultou em morte entre terça-feira e ontem em Dourados. Os atendimentos emergenciais via 190 não passaram de 300 ligações e foram registrados ainda a confecção de 104 autos de infração de transito, tendo como as principais infrações a falta do uso do cinto de segurança e o uso do telefone celular na

Desde que foi implantada, a Coordenadoria de Polícia Comunitária já formou mais de 150 turmas Desde que foi implantada em Mato Grosso do Sul, a Coordenadoria Estadual de Polícia Comunitária já formou mais de 150 turmas e cerca de cinco promotores, gestores e multiplicadores da Polícia Comunitária, da Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, representantes da Comunidade e de outros órgãos governamentais e não governamentais. “Já está previsto para esse ano mais uma capacitação, sete profissionais da área de segurança serão encaminhados para o curso internacional de multiplicador de Polícia Comunitária, aprimorando ainda mais as técnicas de aproximação da polícia e da comunidade”, pontuou o coordenador.

A IMAGEM de Sapucaia

PM recupera carro furtado

Droga apreendida é a maior quantidade desde 2015 no Paraná da carga, a equipe localizou a droga, sob o trigo. Esta é a maior apreensão de maconha feita pela Polícia Rodoviária Federal no Pa-

PM realiza diversos atendimentos preventivos e prende duas pessoas Ações da Polícia Militar em Dourados tem sido intensas no início de 2018

locidade causou a morte de Carolina, mas, os peritos concluíram que a “causa determinante” do acidente foi o fato da advogada ter desrespeitado a sinalização. Carolina morreu enquanto recebia atendimento médico. O filho da advogada, que estava no carro, quebrou a clavícula, mas foi atendido e recebeu alta na Santa Casa. O suspeito se apresentou no dia 4 de novembro na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do Centro, acompanhado pelo advogado Benedito Figueiredo. Como já estava com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça, João foi detido e transferido para uma das celas da 3ª Delegacia de Polícia Civil. Após pagamento de fiança de R$ 50,5 mil, a Justiça expediu o alvará de soltura e também determinou o uso de tornozeleira eletrônica.

Com objetivo de apresentar o planejamento estratégico para o ano de 2018, fazer um balanço das ações desenvolvidas em 2017 e estreitar os laços entre segurança pública e a comunidade, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) por meio da Coordenadoria Estadual de Polícia Comunitária, realizou na terça-feira, uma reunião com os presidentes dos Conselhos Comunitários de Segurança de Campo Grande. O encontro contou com a participação do secretário Antonio Carlos Videira e do adjunto, Esli Ricardo de Lima, além do Superintendente de Segurança Pública e Políticas Penitenciárias, Jonildo Theodoro, e o coordenador estadual de Polícia Comunitária, coronel Carlos Santana. Na ocasião o secretário da Sejusp, destacou que a união das forças de segurança pública e a comunidade são importantes para traçar estratégias de combate à criminalidade. “Aproximar a comunidade e a segurança pública faz com que a gente conheça a realidade de cada região, seus problemas, seus anseios, que muitas vezes passam despercebidos. Temos que trabalhar integrados, assim a população nos dá a direção para que possamos estruturar as ações de segurança que serão realizadas em suas comunidades”, disse An-

tonio Carlos Videira. De acordo com o coronel Carlos Santana, coordenador estadual de Polícia Comunitária, a intenção deste encontro foi apresentar aos conselheiros a nova direção da Sejusp, o relatório das ações realizadas no ano de 2017, o planejamento para 2018, o cronograma de capacitação de lideranças, a possibilidade de ampliação dos conselhos comunitários, entre outros assuntos. “Acreditamos que esse estreitamento de laços com a comunidade garante maior efetividade nas ações de segurança pública. Com isso, podemos identificar as necessidades, traçando estratégias no combate ao crime e a criminalidade”, destacou.

condução do veículo. Na manhã de terça-feira uma das equipes de Rádio Patrulha do 3ºBPM, efetuou a prisão de um jovem de 19 anos morador no conjunto Estrela Porã, por tráfico de drogas. Com ele foram apreendidos 36 papelotes de cocaína, sendo encaminhado a DEPAC de Dourados. Por volta das 15h, policiais

raná desde 23 de novembro de 2015, quando 24,5 toneladas da droga foram apreendidas, também em Alto Paraíso.

militares da Agencia Local de Inteligência (ALI) fizeram a prisão de uma mulher de 22 anos moradora na cidade de Vilhena (RO) logo após ter sido identificada como a proprietária da droga apreendida na segunda-feira por uma das equipes da Guarda Municipal no terminal rodoviário de Dourados. A acusada foi encaminhada para a DEPAC de Dourados. Foram abordadas 117 pessoas e mais 98 veículos durante as ações ostensivas e preventivas das equipes da Policia Militar de Dourados.

Policiais lotados no 3º Pelotão de Polícia Militar, em Coronel Sapucaia recuperaram na tarde de terça-feira, na cidade da fronteira com o Paraguai um carro furtado na cidade de Vicentina e apreenderam dos adolescentes pelo crime de receptação e posse de drogas. O Renault Kangoo, cor verde, placas de Vicentina, havia sido furtado no domingo. Segundo a polícia ao tentar abordar o carro, ao passar pela região da Vila Industrial, o condutor, um adolescente de 15 anos, morador em Angélica, teria acelerado e tentado fugir. Houve perseguição e o carro em fuga, que tinha como carona outro adolescente de 17 anos, morador em Dourados, foi interceptado antes de entrar em território paraguaio. Segundo a PM em vistoria no interior do veículo os policiais encontraram certa quantidade de maconha, que a dupla teria relatado que seria para uso próprio. De acordo com a PM os detidos também teriam relatado que haviam pegado o carro furtado na cidade de Dourados e receberiam R$ 700 cada um, para entregar o veículo na cidade de Coronel Sapucaia.


8

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Esportes DIVULGAÇ.ĂƒO

SĂŁo Paulo e Flamengo buscam tetra da Copa SP Equipes se enfrentam em busca do tetracampeonato da Copa SĂŁo Paulo na manhĂŁ de hoje em SĂŁo Paulo, em jogo festivo alusivo ao aniversĂĄrio da Capital ARQUIVO

)ODPHQJRH6Ă‚R3DXORQD&RSLQKDGHTXDQGRRWLPHFDULRFDYHQFHXSRUDQDVTXDUWDVGHÄ&#x;QDO

De SĂŁo Paulo AgĂŞncia Estado ApĂłs eliminarem, respectivamente, Internacional e Portuguesa nas semifinais, SĂŁo Paulo e Flamengo seguem em

2VGRLVÄ&#x;QDOLVWDVVH enfrentaram pela Ăşltima vez em 2016. Na ocasiĂŁo, o time carioca venceu por DQDVTXDUWDVGHÄ&#x;QDO busca do tetracampeonato da 49.ÂŞ edição da Copa SĂŁo Paulo de Futebol JĂ­nior em final marcada para hoje, no aniversĂĄrio da cidade de SĂŁo Paulo, Ă s 9 horas (de MS), no estĂĄdio do Pacaembu, em SĂŁo Paulo.

A caminhada do São Paulo foi milimÊtrica atÊ a grande decisão. O time paulista passou com folga na liderança do Grupo A, goleando Sergipe-SE, Botafogo-SP e Cruzeiro-DF. Na segunda fase, pegou a Chapecoense e venceu por 2 a 0. Na sequência, reencontrou o clube de Ribeirão Preto (SP) e levou pelo placar mínimo, mesmo resultado que o fez passar pelo Cruzeiro. Nas quartas de final, eliminou o Vitória nos pênaltis. TambÊm da marca da cal se classificou para a final deixando o Internacional para trås. Jå o Flamengo ficou na liderança do Grupo 21, tendo empatado com o AimorÊ-RS

e vencido Oeste-SP e Ji-Paranå-RO. Goleou o Elosport-SP por 5 a 0 na segunda fase e fez 1 a 0 no Coritiba, na sequência. Nas oitavas de final, outro triunfo pelo placar mínimo, desta vez contra o Audax. Nas quartas, venceu o Avaí por 1 a 0 e eliminou a Portuguesa por 3 a 2 para chegar na final. Os dois finalistas se enfrentaram pela última vez em 2016. Na ocasião, o time carioca venceu por 2 a 0, nas quartas de final, e acabou levando o título ao tÊrmino do torneio. A equipe paulista conquistou a taça pela última vez em 2010, diante do Santos.

DIVULGAĂ‡ĂƒO

Corumbaense passa de fase na Copa Verde Depois de vencer por 3 a 1 em casa, Carijó perde de 1 a 0, mas passa De Ceilândia esportes@progresso.com.br O Corumbaense entrou em campo ontem no Distrito Federal e foi derrotado pelo Ceilândia por 1 a 0, mas como tinha uma boa vantagem construída no final de semana em Corumbå por 3 a 1, conquistou a classificação para a primeira fase da Copa Verde quando enfrentarå o Luverdense, de Mato Grosso. Essa Ê a primeira vez que um clube de Mato Grosso do Sul avança na competição regional da CBF. O tÊcnico Douglas Ricardo foi obrigado a modificar a equipe em relação às duas primeiras partidas oficiais da temporada. O comandante jå não contava com o zagueiro

Rodrigo Milanez com uma lesão ainda no primeiro jogo diante do Ceilândia, e no aquecimento desta quarta-feira o goleiro Guilherme sentiu uma contusão e não pode jogar. Jaime, na zaga, e Carlão, no gol, entraram. O jogo começou com maior posse de bola do time da casa, mas sem assustar o goleiro Carlão. Suportada a pressão inicial, quem chegou primeiro foi o Corumbaense em cobrança de falta de Valdinei aos 21 minutos, que Wendell fez bela defesa, jogando para escanteio. Aos 29, o Gato Preto ficou perto do gol pela primeira vez com o atacante Formiga, mas a chance foi desperdiçada. No último lance na etapa, o zagueiro Kahuã apareceu na årea do Corumbaense, mas o toque foi para fora. Com o placar favoråvel, o Corumbaense voltou para o segundo tempo segurando as

Escalaçþes O tĂŠcnico AndrĂŠ Jardine optou por realizar o Ăşltimo treino do SĂŁo Paulo antes da decisĂŁo com os portĂľes fechados. O time ficou muito desgastado apĂłs o jogo diante do Internacional, que precisou ser adiado de segunda para terça-feira devido Ă chuva que caiu na cidade de Barueri (SP). No entanto, a expectativa ĂŠ que repita a equipe, jĂĄ que nĂŁo tem nenhum jogador suspenso por acĂşmulo de cartĂľes. “Tinha certeza de que mais cedo ou mais tarde a gente ia chegar nessa final. As competiçþes que vencemos sĂŁo tĂŁo difĂ­ceis como a Copinha e a gente vinha chegando, quase sempre em todas as semifinais, e as que chegamos Ă  final, nĂłs vencemos. Eu comentava que a gente vivia essa vontade de chegar Ă  final da Copinha, mas sem ansiedade ia acontecer. A gente nem sempre tem a sorte, temos fatalidades, algumas dificuldades inesperadas, mas a gente tinha convicção que estava sempre beliscando, e uma hora vamos ganharâ€?, contou o treinador. No Flamengo, o tĂŠcnico Mauricinho deve fazer algumas mudanças. Por ter conquistado uma vaga na final, a direção resolveu colocar quatro jogadores que vinham treinando com o time profissional Ă  disposição. SĂŁo eles: o goleiro Hugo Moura, o lateral-esquerdo Michael, o meia PepĂŞ e o atacante Lucas Silva. Todos devem ser titulares nesta decisĂŁo. Por outro lado, Mauricinho nĂŁo poderĂĄ contar com dois jogadores. Destaque do time na classificação diante da Portuguesa, Vitor Gabriel, artilheiro do time na competição, estĂĄ suspenso, assim como Ramon, outro que tomou cartĂŁo amarelo frente Ă  Portuguesa.

Lance da partida na tarde de ontem em Ceilândia, no DF investidas do Ceilândia. Bem-postado na zaga, os visitantes impediam os avanços do Gato Preto e apostavam nas jogadas ensaiadas de falta. Precisando de dois gols, o Ceilândia se lançou ao ataque na reta final e abriu o placar aos 33 minutos. Adriano se livrou da marcação, acertou o ângulo de Carlão, alimentando as esperanças dos mandantes. O gol colocou fogo no jogo,

mas o Corumbaense segurou a pressão final e ficou com a vaga com a derrota por 1 a 0. A disputa da primeira fase contra o Luverdense começa na próxima quarta-feira, dia 31, com a partida de ida no Estådio Arthur Marinho. A data da partida de volta ainda não foi definida pela CBF, mas acontece no Estådio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde.

9DVFROHYDJROQRÄ&#x;QDOHSHUGHSDUDD&DERIULHQVH É a segunda derrota do Vasco em trĂŞs jogos na Taça Guanabara Do Rio de Janeiro AgĂŞncia Estado Sob forte calor no estĂĄdio Elcyr Resende de Mendonça,

em Saquarema (RJ), o Vasco não resistiu à Cabofriense e conheceu a sua segunda derrota em três jogos na Taça Guanabara - o primeiro turno do Campeonato Carioca. O time de Cabo Frio (RJ) conseguiu a vitória por 2 a 1 com um belo gol de Levi, aos 45 minutos da etapa final.

Especulado no SĂŁo Paulo, o meia NenĂŞ marcou de pĂŞnalti o Ăşnico gol vascaĂ­no. Antes, a Cabofriense, que conquistou a sua primeira vitĂłria no torneio, abriu o placar com Victor Silva, em falha do goleiro Gabriel FĂŠlix. Com o resultado, o Vasco estaciona nos trĂŞs pontos,

em três rodadas disputadas, e ocupa a quarta posição do Grupo B. A terceira colocada, logo à frente, Ê justamente a Cabofriense, que agora soma quatro pontos. Flamengo e Bangu, que se enfrentam nesta quarta-feira, são líder e segundo colocados da chave.

Roger Machado deu entrevista ontem para falar do jogo de hoje

5RJHUFRQÄ&#x;UPD Palmeiras sem alteraçþes Comandante do VerdĂŁo quer dar entrosamento aos jogadores De SĂŁo Paulo AgĂŞncia Estado No terceiro jogo do Palmeiras no ano, a equipe vai com a mesma formação dos dois compromissos anteriores. Ontem, o tĂŠcnico Roger Machado confirmou que hoje, contra o Red Bull Brasil, no Allianz Parque, pelo Campeonato Paulista, vai manter o time. O objetivo ĂŠ dar entrosamento aos jogadores e aproveitar o bom momento, jĂĄ que a equipe ganhou as duas primeiras partidas. “A ideia ĂŠ dar continuidade. Sempre que possĂ­vel, vamos repetir a equipeâ€?, disse o treinador em entrevista coletiva na Academia de Futebol. “A tendĂŞncia ĂŠ que com a repetição vocĂŞ pode dar um entrosamento maior, ter um equilĂ­brio das forças e das caracterĂ­sticasâ€?, afirmou. O time titular serĂĄ: Jailson; Marcos Rocha, AntĂ´nio Carlos, Thiago Martins e Victor LuĂ­s; Felipe Melo, TchĂŞ TchĂŞ e Lucas Lima; Willian, Dudu e Borja. A preparação final da equipe serĂĄ em treino fe-

chado no Allianz Parque. Roger prometeu preparar alteraçþes para o jogo e adiantou a possĂ­vel presença do meia MoisĂŠs no banco de reservas O jogador cumpriu um cronograma especial de prĂŠ-temporada, estĂĄ preparado para a estreia e a tendĂŞncia ĂŠ que entre no segundo tempo da partida contra o Red Bull Brasil. O tĂŠcnico contou que tem conversado com o grupo para evitar a acomodação depois das duas vitĂłrias nas primeiras rodadas do PaulistĂŁo, porĂŠm estĂĄ otimista de que o bom inĂ­cio signifique boas expectativas. “Tenho certeza que esse ano serĂĄ diferente de 2017. Ano passado, com a ausĂŞncia das conquistas, houve uma cobrança muito grande. Sinto no dia a dia que os atletas tĂŞm a necessidade de dias vitoriososâ€?, afirmou. Roger explicou ainda uma das grandes dĂşvidas da temporada, a do gol. O tĂŠcnico elogiou Jailson, escolhido para a posição, e contou que na hierarquia estabelecida na equipe, o primeiro reserva passou a ser Fernando Prass. A terceira opção ĂŠ Weverton, contratado no começo deste ano. O jogo com o Red Bull no Allianz Parque começa Ă s 20 horas (de MS). Segundo o clube, jĂĄ foram vendidos 20 mil ingressos.


Habitação

Dourados

3»*

3»*

Agehab realiza Prefeitura assina triagem social para convênios de Campina Verde R$ 5,2 mi em obras Desconto em escola

$VVRFLDÍÂR&RPHUFLDOH(PSUHVDULDOğUPD convênio com Sesi de Dourados 3»*

DIA A DIA Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

CRÉDITO FOTO

Casa do Trabalhador em Dourados faz até amanhã seleção de indígenas para trabalhar na colheita da maçã em Vacaria (RS)

Indígenas disputam vagas para colheita da maçã no sul do País Há pelo menos quatro anos, índios de Mato Grosso do Sul têm sido a principal mão de obra no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Para março, há previsão de 970 empregos temporários na colheita da cana no interior de SP Flávio Verão flavio@progresso.com.br A poucas semanas para a colheita da maçã no estado do Rio Grande do Sul (RS), o movimento é intenso na Casa dos Trabalhadores de Dourados, Caarapó, Campo Grande, Coronel Sapucaia, Amambai, Paranhos, Bela Vista e Miranda. Essas cidades sul-mato-grossenses são as que mais encaminham indígenas para trabalhar nas lavouras de frutas do sul do País. Ontem, começou em Dourados a seleção de 89 trabalhadores. Eles disputam salário de R$ 1.180 e benefícios. A variedade Gala é a primeira a ser colhida e representa quase 70% da área plantada, seguida pela Fuji, que ocupa quase 30%. Os principais municípios produtores de ma-

çã no Rio Grande do Sul são Vacaria, Bom Jesus e Caxias do Sul. Na época da colheita, Vacaria, com cerca de 6 mil habitantes, chega a receber aproximadamente 15 mil trabalhadores de outras regiões do Estado e também de outras

Começou ontem em Dourados a seleção de 89 trabalhadores que disputam salário de R$ 1.180 e benefícios partes do Brasil. O guarani Ivonir Porto, de Dourados, vai trabalhar pelo quarto ano seguido na empresa Rasip, uma das maiores produtoras de maça do país e sediada em Vacaria (RS). Ele atua como fiscal de colheita e lidera equipe de trabalhadores, em específico de Dourados. O jardineiro Cleber

Martins vai para o sul pela segunda vez. Ele diz que nem sempre encontra trabalho no ramo de sua profissão. “É bom trabalhar na colheita”, resumiu o morador da aldeia Jaguapiru em Dourados. A Casa do Trabalhador do município estava ontem lotada para fazer o cadastro dos indígenas que vão trabalhar em Vacaria. O coordenador da Casa, Geraldo Sales, espera até amanhã um público de aproximadamente 150 indígenas, todos homens, em busca das vagas. Para março, segundo ele, há previsão de pelo menos 970 empregos temporários na colheita da cana-de-açúcar no interior de São Paulo. A safra de maçã do ano passado em Vacaria chegou a 430 mil toneladas de frutas em uma área plantada de 14,5 mil hectares, números

Prefeita Délia recebe coordenador do Ministério da Agricultura

que vêm se mantendo estáveis nos últimos anos. Com tanta produção, trabalho não falta. Tradicionalmente, eram os trabalhadores das Missões e da Fronteira que migravam para a serra gaúcha para suprir a falta de mão de obra nessa época. Eles continuam indo para lá, mas em menor número. Mas são os indígenas sul-mato-grossenses que têm predominado nos últimos anos. O fiscal indígena Ivonir Porto diz que a maioria dos trabalhadores são indígenas e a principal diferença está na produtividade. “Duas equipes de trabalho deles [não indígenas] vale por uma da nossa”, diz. Ele explica que os índios têm mais resistência no trabalho manual e são mais ágeis. A distância que separa aldeias de MS e as cidades gaú-

EMPREGO NO SUL '285$'26(5(*,Ç2

Os indígenas interessados em colher maçãs em Vacaria lotaram ontem a Casa do Trabalhador 9$*$6'((035(*2

Coordenador da Casa, Geraldo Sales, espera até amanhã cerca de 150 indígenas, todos homens $*,/,'$'((5(6,67¢1&,$

Fiscal diz que uma equipe de indígenas nas lavouras trabalha o equivalente a duas de não índios

chas chega a mil quilômetros. Durante o trabalho, a falta da aldeia é amenizada pela companhia dos demais indígenas, com os quais falam praticamente só na língua terena e dividem o hábito de tomar tereré. Acostumados a trabalhar

LUIZ RADAI/ASSECOM

DIVULGAÇÃO

Convites no valor de R$ 75 estão à venda na secretaria do Sindicato

De Dourados

De Dourados progresso@progresso.com.br

Délia e equipe com o coordenador de pesca do Mapa, César Moura

de aquicultura. Segundo Landmark, a operação representa um avanço. “Isto permite uma certificação dos produtores junto ao Mapa, simplifica os procedimentos e melhora a vida do produtor”, disse. “São procedimentos que temos visando avanços para o setor na região. Entre estes, algumas tratativas que o Mapa fará

sobre o frigorífico do peixe, estrutura com potencial que vamos resgatar”, disse César. O coordenador destacou que prepara uma chamada pública para fomentar o setor com a utilização do espaço em Dourados. “São muitos os interessados e estamos preparando boas novidades para o setor”, acrescentou.

Parceria A oportunidade de emprego para os indígenas vem de união de esforços entre Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Ministério Público do trabalho (MPT) e empresas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No ano passado, mais de 500 indígenas foram contratados para a colheita e a expectativa é de que, com o passar dos anos, o número de contratados chegue a 2 mil por safra. No final do ano passado, cerca de 400 índios de Mato Grosso do Sul foram contratados para trabalharem no raleio das plantações de maçã.

Posse festiva da diretoria do Sescon acontece amanhã

MAPA prepara chamada pública para fomentar o setor de piscicultura em Dourados

A prefeita de Dourados, Délia Razuk, recebeu ontem o coordenador de Pesca e Aquicultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), César Moura, para falar sobre avanços referentes ao cadastramento de piscicultores junto ao órgão. A reunião contou com a participação do secretário de Agricultura Familiar, Landmark Ferreira Rios. Délia agradeceu o empenho para o fomento ao setor. César Moura falou do avanço nas tratativas entre a Semaf e o Mapa. Segundo ele, um técnico da secretaria será credenciado para operar o sistema que protocola o pedido de cadastramento dos criadores de peixe para fins de registro

em lavouras de cana, muitos ficaram sem ocupação com a mecanização aplicada nos canaviais e o fechamento de usinas em Mato Grosso do Sul.

Acontece às 20h30 desta sexta-feira, no Kanoa Restaurante, a posse festiva do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis da Grande Dourados (Sescon). Convites no valor de R$ 75 estão à venda na secretaria do Sindicato. A eleição da diretoria para o biênio 2018/2019 ocorreu em dezembro e tem João da Silva Garcia (presidente), Antônio Carlos Meza (vice-presidente), Marcelo Alves (tesoureiro), Gustavo Gimenez (secretário) e Francisco Cardoso (relações públicas). A posse oficial da diretoria ocorreu no dia 1º de janeiro. Agora, a posse fes-

'LUHWRULDGR6HVFRQFRQYLGDSURğVVLRQDLVSDUDHYHQWRIHVWLYR

tiva é uma oportunidade para reunir os profissionais num ambiente descontraído, fortalecer e estreitar laços de amizade e profissional. Para o biênio, a diretoria tem como propostas reestruturar a sede da entidade, propiciar cada vez mais cursos de educação continuada, trabalhar para a realização da

Convenção de Contabilidade da Grande Dourados (este ano será a 2ª edição), inserir o Sindicato nas mídias sociais para ampliar o acesso de informações, manter e fortalecer parceria com as universidades, continuar vigilante em assuntos e leis de interesse da categoria, além de promover outros eventos festivos.


2

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Dia a Dia

Paraguai libera bitrem e viabiliza nova rota de exportação na Região

ItaporĂŁ notiďŹ ca proprietĂĄrios de imĂłveis sujos WALTER RAMOS/ASSECOM

O trĂĄfego de carretas entre Pedro Juan Caballero e Porto de Concepcion potencializa operaçþes de escoamento da soja pela hidrovia Paraguai-ParanĂĄ DIVULGAĂ‡ĂƒO

De Campo Grande A liberação do tråfego de carretas bitrem no trecho da Ruta Nacional 5, de Pedro Juan Caballero ao Porto de Concepcion, feita pelo governo paraguaio na semana passada, potencializa as operaçþes de exportação de soja pela hidrovia Paraguai-Paranå e viabiliza a nova rota de exportação da soja do Centro-Oeste brasileiro para a Argentina. A anålise Ê do secretårio de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck. Ele observa que Concepción passa a ser uma alternativa importante para o caso de Porto Murtinho superar a capacidade de embarque. A Resolução 74 do MinistÊrio de Obras Públicas e Comunicação do Paraguai liberando o tråfego de carretas bitrem naquele trecho de aproximadamente 220 quilômetros da Ruta 5 foi publicada no dia 17 de janeiro. A medida era muito aguardada por

Abertura consolidada alternativa interessante para exportação dos produtos agrícolas de Mato Grosso do Sul produtores e, sobretudo, pelos novos operadores do Porto de Concepcion, o consórcio entre a empresa alemã Imperial Shipping e as paraguaias CIE e a Baden S/A Soluçþes Logísticas. A nova estrutura do porto serå inaugurada dia 20 de fevereiro e pode atrair um fluxo de atÊ 200 carretas bitrem por dia no período de safra para transportar a produção que serå embarcada em direção ao Porto de Rosario, na Argentina. O tråfego de bitrem era proibido em todo território paraguaio atÊ então devido ao impacto que esses veículos poderiam causar na malha viåria. O bitrem autorizado no Paraguai Ê uma combinação de veículos de carga compos-

Terrenos podem conter focos do mosquito Aedes aegypti Casos serĂŁo encaminhados para o MP, alerta prefeitura de ItaporĂŁ De ItaporĂŁ

AtravĂŠs de Porto Murtinho devem ser embarcados 250 mil toneladas de soja e açúcar este ano em MS ta por mais de seis eixos, o que permite o transporte de um peso bruto total combinado de 60 toneladas distribuĂ­das de maneira uniforme por todos os eixos. Desta forma o impacto na malha viĂĄria nĂŁo seria significativo. A autorização ĂŠ em carĂĄter experimental para a prĂłxima safra e se restringe ao transporte de cargas do Brasil atĂŠ o Porto de ConcepciĂłn e no sentido contrĂĄrio. EstĂĄ vedado o carregamento de bitrens em outros pontos do Paraguai. Jaime Verruck lembra que, desta forma, estĂĄ consolidada uma alternativa interessante para exportação dos produtos agrĂ­colas de Mato Grosso do Sul. O porto de Porto Murtinho, localizado a 470 quilĂ´metros de Concepcion, subindo o rio Paraguai, continua sendo a principal porta de saĂ­da, mas sinaliza que vai operar com capacidade mĂĄxima neste ano. Durante 2017 foram embarcadas 185 mil toneladas de soja (fora o açúcar) via Porto Murtinho e para 2018 jĂĄ foi contratado o transporte de 250 mil toneladas, entre soja e açúcar. â€œĂ‰ mais ou menos a capacidade total do portoâ€?, afirma o secretĂĄrio. Por essa razĂŁo, o porto de

TRAFEGABILIDADE $8725,=$'2

O bitrem autorizado no Paraguai Ê uma combinação de veículos permite o transporte %5$6,/&21&(3&,�1

A autorização Ê em caråter experimental para a próxima safra restrito entre Brasil e Concepción 9('$'2

Continua vedado o carregamento de carretas bitrens em outros pontos do Paraguai

Concepcion se tornou um reforço importante, embora o governo jĂĄ tenha se adiantado ao problema e planeja intervençþes em Porto Murtinho. “Aquela opção logĂ­stica de se criar uma zona especial de exportação deu certo. Hoje, claramente jĂĄ estĂĄ sinalizada a necessidade de investimentos em Porto Murtinho, principalmente na ĂĄrea de armazenagemâ€?, afirma. Negociaçþes As negociaçþes para viabilizar as exportaçþes sul-mato-grossenses pela Hidrovia Paraguai-ParanĂĄ com embarques em Concepcion se desenrolam

Estrada beneďŹ cia assentados e produtores de Maracaju CHICO RIBEIRO

A obra foi concluĂ­da com recursos prĂłprios da ordem de R$ 65,2 milhĂľes

Sílvio Andrade * De Campo Grande O governador Reinaldo Azambuja entrega no dia 27, em Maracaju, uma das obras rodoviårias mais emblemåticas da administração, a pavimentação de 49,6 quilômetros da MS-460, que då acesso ao disXVMXSHIKYE*VMEIMRXIVPMKEE região ao entroncamento com a BR-060 e a MS-162. Com recursos próprios, de R$ 65,2 milhþes, a obra foi concluída em duas frentes de serviço e o Estado jå quitou o valor com as empresas construtoras. A pavimentação da MS460 beneficiarå diretamente usinas, produtores de soja e milho e as 222 famílias de pequenos agricultores do Assentamento Santa Guilhermina. A produção de hortifrutigranjeiros, mandioca e feijão do projeto de colonização agrå-

A pavimentação da MS-460, que corta uma das regiĂľes mais produtoras de grĂŁos no Estado, era reivindicada hĂĄ 15 anos ria ĂŠ destinada Ă merenda escolar da rede municipal de ensino e tambĂŠm abastece a Ceasa, em Campo Grande. O asfalto mudarĂĄ a realidade de uma regiĂŁo que ficava isolada em ĂŠpoca de chuvas. A chegada da infraestruXYVEIQÂťKYE*VMEVIHY^MVĂ– em quase 80 quilĂ´metros a distância que os caminhĂľes percorrem para escoar a produção do assentamento atĂŠ Maracaju, em ĂŠpoca de chuvas. “Quando chove, nĂŁo tinha

como sair a produção pela MS-460, devido aos atoleiros, e ficavĂĄmos praticamente isoladosâ€?, afirma o presidente da associação dos parceleiros, Ovanio JosĂŠ Costa. “A gente usava um desvio de 170 km para chegar Ă cidade.â€? “Esse asfalto atende a um corredor de produção de grĂŁos e cana em franca expansĂŁo e vai garantir trafegabilidade em um perĂ­odo crucial, que ĂŠ o escoamento, eliminando, definitivamente,

desde 2016. Uma delegação de autoridades e empresĂĄrios paraguaios esteve em Campo Grande no dia 22 de junho daquele ano tratando do assunto. Jaime Verruck recebeu em seu gabinete a comitiva paraguaia e encaminhou as medidas necessĂĄrias para viabilizar o acordo. “Na ĂŠpoca jĂĄ alertamos que o Porto de Concepcion nĂŁo se viabilizaria se nĂŁo pudesse levar a soja com caminhĂľes bitrens. Ele nĂŁo conseguiria ser uma alternativa rentĂĄvel porque a ideia de ConcepciĂłn ĂŠ ser uma opção aos portos de ParanaguĂĄ e Santos. E nesse caso ĂŠ preciso haver competitividade, tem que ser interessante para o produtor, senĂŁo ele vai continuar utilizando os outros portosâ€?, disse Jaime Verruck. Representantes do governo e do setor empresarial de Mato Grosso do Sul participaram de outras reuniĂľes para encaminhar a questĂŁo, atĂŠ que a solução definitiva surgiu, viabilizando o trânsito da produção brasileira rumo ao porto de Concepcion e tambĂŠm a rota no sentido contrĂĄrio. O bitrem pode voltar carregado do Porto para o Brasil, o que nĂŁo pode ĂŠ pegar frete na metade do caminho.

os atoleiros, que prejudicam nĂŁo sĂł quem produz, mas os trabalhadores, os alunos da escola rural e os assentadosâ€?, destacou Reinaldo Azambuja. Um dos maiores beneficiĂĄrios, segundo o governador, ĂŠ a unidade local da usina de ĂĄlcool da Biosev, com cujos diretores ele esteve recentemente discutindo a retomada das atividades do grupo em Maracaju – a paralisação acarretou em grandes prejuĂ­zos ao municĂ­pio. O maior argumento do Estado ao cobrar uma posição da Biosev, na avaliação de Reinaldo Azambuja, ĂŠ o fato de o asfalto da MS-460 passar em frente Ă usina, o que reduzirĂĄ seus custos de transporte. Para o produtor rural Juliano Schmaedecke, ex-presidente do Sindicato Rural de Maracaju, a obra nĂŁo beneficia apenas o setor produtivo, mas tambĂŠm a comunidade HIÂťKYE*VMEITVMRGMTEPQIRte, o transporte, pela prefeitura, dos alunos das fazendas que estudam na cidade. “O asfalto, na realidade, garante o ir e vir de caminhĂľes e pessoas, o que era impossĂ­vel quando chovia, pois a estrada ficava intransitĂĄvel, e trarĂĄ um grande impulso Ă  regiĂŁoâ€?, disse. (*Assessoria do Governo)

Com intuito de intensificar a guerra contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti, a Prefeitura de Itaporã atravÊs da vigilância sanitåria vai notificar proprietårio de terrenos baldios considerados focos do vetor transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela urbana. Os donos terão um prazo para efetuarem a limpeza dos imóveis e caso não faça, a Vigilância Sanitåria irå encaminhar o caso para o MinistÊrio Público.

Segundo o gerente de saĂşde, Dogmar Petek, a medida ĂŠ necessĂĄria principalmente em perĂ­odo chuvoso, quando o vetor se prolifera e passa a transmitir os vĂ­rus apĂłs picar pessoas doentes. “A infestação do mosquito transmissor da dengue ĂŠ algo extremamente perigoso para a população. A Prefeitura tem feito a sua parte, mas ĂŠ preciso que a população tambĂŠm faça a parte dela, mantendo seus imĂłveis livres de focos do Aedes. Muitas pessoas ainda desconhecem o perigo e deixam seus quintais vulnerĂĄveis e a Ăşnica alternativa ĂŠ levar isto ao conhecimento das autoridades judiciais, para que sejam tomadas as devidas providĂŞnciasâ€?, argumentou.

Tuta obtĂŠm obras para Ivinhema ASSESSORIA

Prefeito garante rede elÊtrica, pavimentação e outras obras para cidade De Ivinhema O prefeito Tuta cumpriu agenda, terça-feira, na capital do estado em busca de melhorias para a cidade de Ivinhema. Pela manhã, foi à Energisa para a expansão da rede elÊtrica para que as 70 casas do conjunto habitacional JosÊ Mario Pieretti sejam entregues. Na secretaria de habitação do estado, o prefeito recebeu a noticia que atÊ no mês de março as 70 primeiras casas serão entregues numa agenda oficial do Governador Reinaldo Azambuja. Tuta esteve na Agesul onde foi informado de que estå em processo licitatório o projeto de R$ 4 milhþes para a pavimentação asfaltica dos bairros Vitória, KYE%^YP4MVEZIZäI+YMray. Na secretaria de obras do estado, o prefeito pediu apoio para a operação tapa buracos que jå iniciou esta

Tuta foi a Campo Grande viabilizar obras para Ivinhema semana, devido aos estragos causados pelas fortes chuvas dos últimos dias; em fevereiro serå realizado o recapeamento da Avenida Reynaldo Massi e melhorias nas ruas do distrito de Amandina. O prefeito disse que Ê uma alegria receber todas essas conquistas e de poder lutar por todos moradores, e que não estå medindo esforços para continuar trabalhando por todos Ivinhemenses.

Instituto Mirim de Bataguassu abre Processo Seletivo As inscriçþes são gratuitas. Mais informaçþes pelo telefone (67) 3541-3939. De Bataguassu O Instituto Mirim de Bataguassu abriu ontem as inscriçþes para um novo Processo Seletivo da instituição. Segundo o coordenador do Instituto, JosÊ Carlos Guedes, podem concorrer, adolescentes com 15 anos e seis meses a no måximo 17 anos e que tenham renda familiar måxima de três sa-

lårios mínimos (atÊ R$ 2.862 mil). Guedes frisa aos interessados que as inscriçþes poderão ser feitas atÊ o dia 9 de fevereiro na sede do Instituto Mirim localizada na Avenida Dias Barroso, 816, das 8h às 12h; e das 13h às 17h (horårio de Brasília). Dentre os documentos exigidos estão comprovante de endereço, RG, CPF e Carteira de Trabalho do adolescente, alÊm do RG e CPF do responsåvel. É necessårio ainda preencher os requisitos solicitados. As inscriçþes são gratuitas. Mais informaçþes pelo telefone (67) 3541-3939.


3

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Dia a Dia

Prefeitura assina convênios para R$ 5,2 mi em obras Entre os empreendimentos estão a reforma do Ginåsio, Centro Homeopåtico, obras de drenagem e pavimentação A. FROTA

ConvĂŞnios assinados pela prefeita DĂŠlia com a Caixa garantem novos investimentos em infraestrutura

De Dourados A prefeita DÊlia Razuk assinou ontem convênios com a Caixa Econômica Federal referentes a mais de R$ 5,2 milhþes para execução de obras públicas em Dourados. Entre os principais empreendimentos estão a reforma do Ginåsio Municipal Ulysses Guimarães e do Centro Homeopåtico, alÊm de execução de drenagem e pavimentação em bairros da cidade e da aquisição de patrulha mecanizada. Com a presença de secretårios municipais, a prefeita destacou as parcerias com os deputados federais da bancada de Mato Grosso do Sul que destinaram os recursos para Dourados e agradeceu o empenho das equipes em dar celeridade aos processos para não perder prazos.

SĂŁo contratos referentes a investimentos previstos no Orçamento Geral da UniĂŁo, empenhados por parlamentares â€œĂ‰ um momento positivo para nosso municĂ­pio que vai receber empreendimentos importantes. A nossa comunidade merece todo o esforço de nossos deputados que tĂŞm sido parceiros das equipes da Prefeitura com o apoio da Câmaraâ€?, disse. O ato representou a materialização dos contratos referentes a investimentos pre-

RECURSOS 9(5Âť&$,0$1(-(48,7,%Âť6

Estrela VerĂĄ terĂĄ R$ 1,3 milhĂŁo; Jardim Caiman, R$ 782 mi; Parque dos JequitibĂĄs, R$ 1 milhĂŁo /$5$1-$'2&((*,1Âť6,2

Laranja Doce conta com R$ 500 mil e o ginĂĄsio, R$ 689,5 mi &(1752+20(23Âť7,&2

SĂŁo R$ 400 mil para o Centro HomeopĂĄtico e R$ 513,5 mil para fomento ao setor agropecuĂĄrio

vistos no Orçamento Geral da UniĂŁo, empenhados por parlamentares. Segundo o gerente regional da Caixa, Evandro Narciso Lima, o empenho de todos os envolvidos permitiu que o municĂ­pio recebesse as melhorias. “EstĂŁo todos de parabĂŠns mostrando um trabalho conjunto e em parceria para beneficiar a comunidade douradenseâ€?, disse o gerente, destacando as possibilidades que a Caixa tem de intermediar investimentos. O vereador Cirilo RamĂŁo destacou que esta ĂŠ uma boa notĂ­cia para iniciar 2018. “A comunidade, com certeza, receberĂĄ da melhor forma esta notĂ­cia. Sabemos do empenho desta administração para buscar avanço e os frutos jĂĄ começam a ser colhidosâ€?, disse. Os convĂŞnios sĂŁo referentes Ă drenagem, pavimentação e sinalização no Bairro

Estrela Verå, no valor de R$ 1,3 milhão, e no Jardim Caiman, de R$ 782 mil, alÊm de drenagem, pavimentação, sinalização e calçamento com acessibilidade no Parque dos Jequitibås, no valor de R$ 1 milhão, e no bairro Laranja Doce, no valor de R$ 500 mil. Para o esporte e lazer, a implantação e modernização de infraestrutura para esporte, educação, recreação e lazer do Ginåsio Municipal Ulysses Guimarães, os recursos são de R$ 689,5 mil. Para a saúde, a assinatura do convênio para estruturação da unidade de atenção especializada em saúde Centro Homeopåtico, que serå destinado ao atendimento do idoso em Dourados, são R$ 400 mil. No setor da agricultura, hå mais um investimento em açþes relativas ao fomento do setor agropecuårio da ordem de R$ 513,5 mil. Participaram do ato de assinatura ainda o gerente geral da Caixa em Dourados, JosÊ Zani Carrascosa; os vereadores Cirilo Ramão e Braz Melo; alÊm dos secretårios de Agricultura, Landmark Ferreira Rios, e o de Saúde, Renato Vidigal. TambÊm estava presente a secretåria de Administração, Elaine Trota; de Governo, Patrícia Donzelli; de Finanças, João Fava Neto e o diretor da Fundação de Esportes, Jânio Amaro.

CURTAS Dourados e Capital

Faculdades do Senai encerram inscriçþes dia 31 As Faculdades de Tecnologia do Senai de Campo Grande (FatecSenai Campo Grande) e de Dourados (FatecSenai Dourados) encerram, dia 31 de janeiro, as inscriçþes do Vestibular 2018 para preencher 190 vagas nos cursos superiores de Tecnologia em Automação Industrial, Tecnologia em Gestão da Produção Industrial, Tecnologia em Logística e Tecnologia em Processos Gerenciais. As inscriçþes são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.meufuturoagora. com.br ou diretamente nas secretarias acadêmicas da FatecSenai Campo Grande e FatecSenai Dourados, sendo que todos os cursos são no período noturno. As provas serão realizadas conforme agendamento, de segunda à sexta-feira, das 13h às 16h e das 19h às 21h e aos såbados, das 13h às 16h. As matrículas podem ser feitas atÊ 2 de fevereiro, sendo que o início das aulas estå previsto para o dia 5 de fevereiro.

FatecSenai deve iniciar as aulas no dia 5 de fevereiro

Agehab realiza triagem para Campina Verde ASSECOM

2EUDMĂ€HVWĂ€FRQFOXâGDHGHYHVHUÄ&#x;QDOL]DGDQHVWHVHPHVWUH

Após triagem, a Agência informarå aos futuros mutuårios próximos passos De Dourados A Agência Municipal de Habitação de Interesse Social (Agehab) realizou ontem com a Comunidade Organizada em Defesa de Moradia nas Ocupaçþes Irregulares, Famílias Sem Moradia, triagem social dos prÊ-selecionadas para os residenciais Campina Verde I e II. O diretor da Agehab, SÊrgio Henrique Pereira Martins de Araújo, cita que a triagem Ê rigorosa tendo em vista garantir o direito às famílias que

atendam aos critÊrios do projeto, conforme o objetivo de açþes precisas e transparentes da gestão DÊlia Razuk. No residencial Campina Verde I e II, que pertence ao programa Entidades do MinistÊrio das Cidades, são 353 residências de 45 m² cada. As equipes do Serviço Social promoveram visitas aos contemplados, deixando notificaçþes e reiterando a solicitação, pelos contatos telefônicos fornecidos por esses futuros mutuårios, tendo em vista a entrega dos documentos exigidos pela Caixa Econômica Federal para a investidura no imóvel. Após a atual fase de triagem, a Agência informarå aos futuros mutuårios os próximos procedimentos.

Aced ďŹ rma convĂŞnio com Sesi de Dourados

HU-UFGD

ASSESSORIA

MÊdicos têm atÊ amanhã para fazer inscrição Termina amanhã o período de inscriçþes para o Processo Seletivo Público Simplificado para contratar 21 mÊdicos para atuar no (HU-UFGD), nos setores de pediatria, ginecologia e obstetrícia. As inscriçþes devem ser efetuadas via internet. Os candidatos classificados serão contratados temporariamente pelo prazo de 180 dias, podendo ser renovado o contrato por igual período. O vencimento båsico serå de R$ R$ 8.093,59, podendo ser acrescido de auxílios e benefícios previstos em lei. Os candidatos que desejarem concorrer e assegurar as vagas legalmente reservadas às pessoas com deficiência devem se inscrever e no dia 27 de janeiro, das 8h30 às 12 horas. TambÊm podem se inscrever e concorrer às vagas reservadas por lei, candidatos que se autodeclararem pretos ou pardos. Mais informaçþes, pelos telefones (67) 3410-3154 ou (67) 3410-3152.

Presidente da Aced, Elizabeth SalomĂŁo, entre representantes do Sesi

Associados terão descontos de 10% nas mensalidades De Dourados A Associação Comercial e Empresarial de Dourados firmou parceria com o Sesi de Mato Grosso do Sul, onde os associados terão descontos de 10% nas mensalidades, em escolas mantidas pela entidade. Para adquirir o benefício o associado deverå retirar uma certidão comprovando ser associado à Aced. A parceria vale para o ano de 2018 e alcança empresas associadas, dependentes e colaboradores. A partir do convênio, empresas filiadas poderão participar de uma das maiores rede

de ensino particular de Mato Grosso do Sul. A diretora da Aced, Elizabeth SalomĂŁo, informou que a finalidade do convĂŞnio ĂŠ de cooperar com o desenvolvimento social e humano por meio da oferta do ensino, aliando educação, tecnologia e inovação, atravĂŠs de valores presentes em metodologia inovadora que faz do Sesi uma referĂŞncia. A metodologia empregada pelo Sesi alia autonomia, criatividade, inovação e empreendedorismo. “Esses sĂŁo diferenciais valorizados no mercado atual, por isso essa oportunidade oferecida pela Aced e Sesi serĂĄ de grande sucesso, diz Elizabeth SalomĂŁo. Serviço

Mais informaçþes pelo telefone 3416-8653.


4

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Mulher

MULHER QUINTA-FEIRA

JULIANA BASTOS DOS SANTOS

Raio-X

PROFISSĂƒO: EmpresĂĄria (pimenta Doce) ESTILO MUSICAL PREFERIDO: EclĂŠtico, pop rock TIPO DE LEITURA: Auto ajuda LUGAR INESQUECĂ?VEL: Meu quarto EVENTO ESPECIAL NA SUA VIDA: Nascimento dos ďŹ lhos PERFUME PREFERIDO: La vida ĂŠs bela, Carolina Herrera UMA PEÇA DE ROUPA INDISPENSĂ VEL: Jeans

O QUE OS AMIGOS SĂƒO PARA VOCĂŠ: Essenciais

O QUE NĂƒO PODE FALTAR EM CASA: Aconchego

SEU MAIOR ORGULHO: Ser mĂŁe

PAIXĂƒO: FamĂ­lia

O QUE LEVANTA SEU ASTRAL: Pessoas divertidas

ELEGĂ‚NCIA: Salto alto, educação O QUE É FUNDAMENTAL: Deus Ă?DOLO: Jesus SONHO: Sucesso proďŹ ssional

Dica

BATOM, UM CASO A PARTE!

Batom pode ser lindo, mas tem que saber usar! Os que deixam os lĂĄbios melecados devem ser banidos para todo o sempre, assim como aqueles que, de tĂŁo cremosos, escorregam. Outro cuidado com os batons tem a ver com os dentes‌ É que muita gente, principalmente quem usa batom escuro, acaba com a boca “pintada e os dentes tambĂŠm! PorWDQWRDVVLPTXHSDVVDUREDWRPFRQÄ&#x;UDQRHVSHOKRVHRVGHQWHVQĂ‚R Ä&#x;FDUDPVXMRV2WHUFHLURHUURHPUHODĂ?Ă‚RDRVEDWRQVĂ’RWDOGRFRQWRUQR labial. Tudo bem que vocĂŞ quer ter lĂĄbios maiores, e a maquiagem atĂŠ SRGHDMXGDUQLVVRPDVXPDSHVVRDGHOĂ€ELRVÄ&#x;QRVQĂ‚RSRGHFRPR batom, ter o bocĂŁo da Angelina Jolie! Muita gente usa para fazer um contorno que em nada lembra os lĂĄbios originais, o que sempre resulta HPGHVDVWUHSRUTXHÄ&#x;FDDUWLÄ&#x;FLDOHWRGRPXQGRSHUFHEH/Ă€SLVODELDO pra quem quiser, deve ser usado no contorno dos lĂĄbios e nĂŁo fora deles!

Estilo - Ă“tica Pupila

Receita

UMA FRASE FAVORITA: “O importante nĂŁo ĂŠ vencer todos os dias, mas lutar sempreâ€?

LANCHE RĂ PIDO

INGREDIENTES: 8 fatias de pĂŁo de forma; 100g de presunto fatiado; 100g de queijo prato fatiado; 1 lata de creme de leite sem soro; 3 ovos; 1 tomate fatiado; orĂŠgano a gosto; sal a gosto, queijo parmesĂŁo ralado (para polvilhar). MODO DE PREPARO: Em um recipiente quadrado ou retangular, coloque 4 fatias de pĂŁo de forma. Sobre o pĂŁo, coloque o presunto e o queijo. Cubra com as outras 4 fatias de pĂŁo. Em uma tigela, bata os ovos, com o creme de leite e sal a gosto e despeje sobre os sanduĂ­ches. Decore com o tomate e polvilhe queijo parmesĂŁo e orĂŠgano a gosto. Leve ao micro-ondas, em potĂŞncia alta, por 10 minutos ou atĂŠ que o creme HVWHMDÄ&#x;UPH6LUYDHPVHJXLGD

Shopping Avenida Center - (67) 3038-5576


Canal Zap

Cinema

Caio Paduan em “O Outro Lado do ParaĂ­soâ€?.

Oscar se destaca pela diversidade dos indicados.

3Âť*

3Âť*

CADERNO B

Governador Reinaldo Azambuja participa das atividades do Showtec.

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Social Campo Grande DIVULGAĂ‡ĂƒO

Um dos trabalhos de Ana Ruas, que participa da mostra “Scapeland – TerritĂłrio de Trânsito Livreâ€?, com uma de suas obras que faz parte da criatividade que a levou a participar de prĂŞmios

Ana Ruas participa de mostra no aniversĂĄrio de SP a partir de hoje GaĂşcha radicada em Campo Grande hĂĄ 21 anos leva seu trabalho com outros 45 artistas plĂĄsticos na exposição “Scapeland – TerritĂłrio de Trânsito Livreâ€?, na Fundação Memorial da AmĂŠrica Latina, que segue atĂŠ 28 de fevereiro Elvio Lopes elvio@progresso.com.br Ao lado de outros 45 artistas de artes visuais brasileiros, a gaĂşcha Ana Ruas, radicada em Mato Grosso do Sul hĂĄ 21 anos, participa da mostra “Scapeland – TerritĂłrio de Trânsito Livreâ€?, com um de seus trabalhos que faz parte da criatividade que a levou a participar de prĂŞmios internacionais e nacionais e de reconhecimento pela criatividade e beleza de suas obras. A abertura da mostra na capital paulista, realizada em homenagem ao aniversĂĄrio de SĂŁo Paulo, serĂĄ nesta quinta-feira, a partir de 13h, na Fundação Memorial da AmĂŠrica Latina. A exposição serĂĄ aberta a visitação do pĂşblico a partir de sexta-feira e fica naquele

espaço, no bairro Barra Funda, atÊ 28 de fevereiro, apresentando os trabalhos de 46 artistas sob a curadoria de Laerte Ramos, nos segmentos de pintura, gravura, escultura, desenho, grafite e vídeo. De acordo com a assessoria da mostra, a temåtica recorrente das obras dos 46 artis-

A exposição serĂĄ aberta a visitação do pĂşblico a partir de amanhĂŁ no espaço de arte no bairro Barra Funda em SĂŁo Paulo tas convidados pelo curador Laerte Ramos ĂŠ a paisagem capturada em horizontes, cidades, planos e recortes de lugares reais e imaginĂĄrios. “Essa coletânea ĂŠ um presente de aniversĂĄrio para SĂŁo Pauloâ€?, afirma. Artista plĂĄstico, gravu-

rista e ceramista, Ramos transita com desenvoltura por outras linguagens, como o vĂ­deo, instalação e performances. Em fevereiro do ano passado, Ana Ruas apresentou, na exposição “4 Mostras, 4 Artistasâ€?, no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (Marco), uma obra que provocou emoçþes, encanto e comoveu o espectador, “A Floresta Encantadaâ€?, produzida com a participação de 50 crianças – alunas – do atelier da artista na Capital e que teve como inspiração imagens da natureza e dos diĂĄlogos com o pĂşblico infantil, em uma tela, em pintura com tinta acrĂ­lica de cinco metros de altura por cinco metros de largura, cobriu uma das paredes da sala expositiva. Ana Ruas ĂŠ formada em Ar-

tes PlĂĄsticas pela Universidade de Passo Fundo (RS), natural da cidade de Machadinho (RS) e mora em Campo Grande hĂĄ 21 anos, onde construiu e ensina artes visuais a crianças, jovens e adultos no AteliĂŞ Ana Ruas. Ela vai ministrar oficinas nos dias 27 e de 29 a 31 de janeiro, no AteliĂŞ, que fica na Inah Cesar Rosas, 8, no TayamĂŁ Park, na Capital. Informaçþes pelos telefones (67) 99202-4095 e 3326-1978. ExpressĂľes AlĂŠm de Ana Ruas, participam da mostra “Scapeland – TerritĂłrio de Trânsito Livreâ€?, os artistas Amaury Santos, Anderson Godinho, Azeite de Leos, Beatriz Ruco, Cesar Fujimoto, Daniel Nogueira de Lima, Danielle Noronha, David Almeida, David Magila, Diego

PONTO A PONTO +,67Ă?5,&2 Em fevereiro do ano passado, Ana Ruas apresentou, a exposição “4 Mostras, 4 Artistasâ€?, no Museu de Arte Contemporânea (Marco) da Capital. 0$*,$ A obra que provocou emoçþes, encanto e comoveu o espectador, “A Floresta Encantadaâ€?, produzida com a participação de 50 crianças. %,2*5$),$ Ana Ruas ĂŠ formada pela Universidade de Passo Fundo (RS) e ensina artes visuais a crianças, jovens e adultos. Castro, Egidio Rocci, Erica Kaminishi, Evandro Prado, Fran Chang, Gabriela Sacchetto,

Gilson Rodrigues, Guilherme Callegari, Guilherme Teixeira, Henrique Detomi, Hermano Luz, James Kudo, João GG, João Loureiro, Katia Fieira, Laura Gorski, Leandro Costa, Mai Fujimoto, Maira Fukimoto, Marcelo Amorim, Maurício Adinolfi, Maurício Parra, Nazareno Rodrigues, Paulo Almeida, Regina Silveira, Renata Cruz, Ricardo Alves, Sergio Allevato, Sergio Romagnolo, Thiago Toes, Ulysses Boscolo, Vitor Mizael, Yara Fukimoto, Yasmin Guimarães, Yasushi Taniguchi e Yuli Yamagata. A Fundação Memorial da AmÊrica Latina fica na Avenida Auro Soares de Moura, 664, no bairro Barra Funda, em São Paulo. Informaçþes podem ser obtidas pelo telefone (11) 3823-4600, ou no site www.memorial.sp.gov.br.

HELTON PEREZ/VACA AZUL

Teatro

“TrĂŞs VĂ­rgula Quatro Graus na Escala Richterâ€? no Sesc Horto De Campo Grande A Companhia Teatral OFIT apresenta de hoje atĂŠ sĂĄbado no Teatro Prosa do Serviço Social do ComĂŠrcio (Sesc) Horto em Campo Grande, o espetĂĄculo “TrĂŞs VĂ­rgula Quatro Graus na Escala Richterâ€?. As sessĂľes sĂŁo gratuitas. As senhas serĂŁo distribuĂ­das 30 minutos antes do inĂ­cio da peça. A classificação indicativa ĂŠ para maiores de 12 anos. A trama gira em torno da senhora Madona que toma uma decisĂŁo importante que irĂĄ mudar o curso das relaçþes familiares. Para nĂŁo recuar da secular decisĂŁo, ela contrata um serviço especializado em despedidas. O que parecia simples e instantâneo, acaba revelando um jogo de repre-

sentaçþes, papĂŠis e coisas nunca ditas que ameaçam abalar sensivelmente as tradicionais estruturas de nossas certezas. Cada passo dentro dessa casa ĂŠ um pouco das fragilidades e esquecimentos que desaba. O texto inĂŠdito, escrito pelo dramaturgo Éder Rodrigues e dirigido por Nill Amaral ĂŠ o 6Âş espetĂĄculo da Companhia OFIT e traz uma linguagem contemporânea, inspirado na estĂŠtica pĂłs-dramĂĄtica e pretende fazer uma releitura de temas familiares, sem limitĂĄORVDTXDOTXHUFRQÄ LWRHVSHFâÄ&#x;FR3DUDDERUGDURDVVXQWR a direção usa a metĂĄfora dos abalos (sĂ­smicos) a que estamos submetidos que na montagem ganham contornos expressivos com forte apelo visual, tanto na estĂŠtica pro-

posta como para os elementos utilizados na cena. A realização de “TrĂŞs Virgula Quatro Graus na Escala Richterâ€? na Capital ĂŠ uma iniciativa da OFIT por meio do Fomento da Secretaria de Cultura e Cidadania e Sesc de Mato Grosso do Sul. A peça recebeu o PrĂŞmio Funarte de Teatro Myriam Muniz em 2015 e cumpriu quatro temporadas no Teatro Prosa do Sesc de Campo Grande. Em Dourados, o espetĂĄculo vai ser encenado dias 1Âş e 2 de fevereiro ĂĄs 20h no Teatro Municipal. Serviço O Teatro Prosa, do Sesc Horto, estĂĄ localizado na rua AnhanduĂ­, 200. Informaçþes pelo telefone (67) 3311-4300.

EspetĂĄculo da Cia OFIT traz uma linguagem inspirada na estĂŠtica pĂłs-dramĂĄtica


2

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Variedades CAROL BORGES/CZN.

CANAL ZAP

canalzap@cartaznoticias.com.br

VĂĄrias vidas Quando decidiu encarar a carreira de ator, Caio Paduan sabia que estaria diante de inĂşmeras personalidades ao longo de sua trajetĂłria. Por isso mesmo, ele acredita que o processo de construção de um novo personagem ĂŠ um momento importante e delicado de um trabalho. Para o intĂŠrprete do Ă­ntegro Bruno, de “O Outro Lado do ParaĂ­soâ€?, cada nova novela marca o nascimento de um perfil diferente. “Quando comecei a estudar teatro, queria sempre construir pessoas diferentes no palco. Para mim, ĂŠ uma composição completa de voz, corpo e mente. SĂŁo composiçþes diferentes porque sĂŁo pessoas diferentes. Demora mais, cansa e estudo bastante, mas ĂŠ a forma que acredito no meu trabalhoâ€?, explica. A imersĂŁo para viver o jovem Bruno do enredo de Walcyr Carrasco começou em Palmas. Na cidade para as primeiras gravaçþes do folhetim, o ator passou a observar os jovens locais. “SaĂ­ Ă noite, fui jantar e sentei em uma mesa com os jovens da cidade. Fiquei observando tudo, como eles falavam, pensavam e se portavam. Me adapto ao corpo delesâ€?, aponta Caio, que tambĂŠm buscou referĂŞncias em filmes co-

DIVULGAĂ‡ĂƒO/GLOBO

5Âť3,'$6

'(92/7$

Nesta quinta, a Band estreia o “reality showâ€? “O SĂłcioâ€?.

3$5$&$6$ A equipe de “Orgulho & PaixĂŁoâ€?, prĂłxima novela das seis, encerrou a etapa de gravaçþes em Minas Gerais. A partir da prĂłxima sexta, o elenco dĂĄ inĂ­cio aos trabalhos QDFLGDGHFHQRJUĂ€Ä&#x;FD localizada nos EstĂşdios Globo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O folhetim ĂŠ assinado por Marcos Bernstein e tem a direção de Fred Mayrink. Thiago Lacerda e Nathalia Dill vivem os protagonistas Darcy e Elisabeta.

Vai ao ar hoje o primeiro episĂłdio de “Brasil a Bordoâ€?, nova sĂŠrie protagonizada por Miguel Falabella.

mo “Romeu e Julietaâ€? e “Titanicâ€?. “Vou desmembrando os trabalhos. Acho o Leonardo DiCaprio um gĂŞnio em termos de composição de personagemâ€?, completa. Na histĂłria, Bruno ĂŠ um justo delegado que precisa lidar com os preconceitos da mĂŁe NĂĄdia, interpretada por Eliane Giardini. A matriarca nĂŁo aceita o namoro do jovem com Raquel, papel de Érika Januza. “SĂŁo cenas bem pensadas. Me emociono muito em cena por estar diante de uma das maiores atrizes do paĂ­s, como ĂŠ a Eliane. Quando entrei na preparação de elenco e vi Lima Duarte e Fernanda Montenegro, sabia que era o lugar que eu ralei para chegarâ€?, vibra.

Para o acertado formado do “Dancing Brasilâ€?, da Record. Em sua terceira temporada, o programa se mostra uma boa opção de entretenimento e, a cada novo episĂłdio, ĂŠ notĂłrio como Xuxa Meneghel estĂĄ mais Ă vontade e dominando a produção.

Hoje, Whindersson Nunes e Alok estarĂŁo Ă frente do “TVZ VerĂŁo ao Vivoâ€?. No episĂłdio desta quinta de “Tempero de FamĂ­lia VerĂŁoâ€?, Rodrigo Hilbert vai praticar rapel no morro da Urca com o condutor Luiz Gama e a nutricionista Luna Pombo.

08'$1Ă&#x;$'( (0,6625$ ApĂłs participar dos primeiros capĂ­tulos de “Apocalipseâ€?, da Record, Marcelo Argenta estĂĄ escalado para a prĂłxima temporada de “Malhaçãoâ€?, da Globo. O ator jĂĄ recebeu os primeiros capĂ­tulos da trama. O folhetim assinado por PatrĂ­cia Moretzsohn estreia em março. 52'$'(&219(56$ O GNT começou a produção da nova temporada do “Papo de Segundaâ€?. A partir deste ano, o programa

17h00 Vicente se aproxima, e Reinaldo se cala. JosĂŠ Augusto chega Ă Maison, e Lucerne se esconde. Tomaso sai apressado de casa, e NatĂĄlia desconfia. EmĂ­lia revela a Reinaldo sobre seu romance com o pai de Carolina, e Lucinda ouve. Nicota reclama de Geraldo. Justino estranha o jeito que GregĂłrio fala com Lucinda. Gilberte encontra Lucerne desmaiada em seu esconderijo. Izabel avisa que os colonos estĂŁo sendo expulsos da Quinta, e InĂĄcio enfrenta Delfina. Tereza discute com a mĂŁe. Izabel faz uma reuniĂŁo com os colonos na igreja.

DEUS SALVE O REI DIVULGAĂ‡ĂƒO

IrmĂŁ Imaculada

'(67$48(6'$ (675(,$ Amaury Jr. pretende chamar a atenção em sua estreia na Band no prĂłximo sĂĄbado, dia 27. No primeiro programa, o apresentador trarĂĄ uma entrevista com o presidente Michel Temer e uma conversa exclusiva com o cantor Roberto Carlos. A edição tambĂŠm contarĂĄ com as participaçþes de ZezĂŠ Di Camargo e a cantora Wanessa, alĂŠm de Luiza Brunet. Ao longo da temporada, Amaury reservou espaço na agenda para uma viagem atĂŠ Moscou, na RĂşssia, para mostrar a preparação da cidade para a Copa do Mundo. “A ideia ĂŠ fazer uma releitura, acrescentando ingredientes Ă s marcas registradas do programaâ€?, explica o apresentador.

Para a inserção de palavras ou expressĂľes em inglĂŞs no texto de “Apocalipseâ€?. As frases em inglĂŞs servem apenas como um lembrete mal formulado de que alguns nĂşcleos da histĂłria se ambientam em Nova Iorque.

NOVELAS 5HGH*ORER

TEMPO DE AMAR

contarå com a participação de Fåbio Porchat, Emicida e Francisco Bosco. João Vicente de Castro segue no elenco do projeto, que estreia em março.

18h00 LupĂŠrcio avisa a CĂĄssio que Rodolfo estĂĄ fora de si. Catarina se irrita com a demora da cerimĂ´nia. Rodolfo ĂŠ coroado e faz o discurso de forma confusa, ajudado por PetrĂ´nio. AmĂĄlia nĂŁo acredita que Afonso fez a escolha que queria. Catarina flagra Rodolfo no corredor do palĂĄcio. Constantino e Mirtes Ä&#x;FDPMXQWRV8OLVVHVDÄ&#x;UPD a Romero que Silene ĂŠ apenas sua amiga. Afonso avisa a VirgĂ­lio para ficar fora da vida dele e de AmĂĄlia. JosafĂĄ aconselha Afonso a ter cuidado com VirgĂ­lio.

O OUTRO LADO DO PARAĂ?SO 20h00 Adriana afirma a VinĂ­cius que Elizabeth/Duda ĂŠ inocente. Natanael insiste em conversar com a ex-nora antes de Henrique. Amaral se oferece para ajudar Sophia na audiĂŞncia de guarda de Tomaz. Clara decide levar frutas para Elizabeth/Duda. Natanael convence Renato a deixar ele falar com Elizabeth/Duda e ela se apavora ao vĂŞ-lo. Raquel pede a Bruno que descubra o paradeiro de TĂ´nia. ZĂŠ Victor e TĂ´nia marcam um encontro Ă noite. Karina nĂŁo conta a Diego que estĂĄ grĂĄvida.

HORĂ“SCOPO Ă RIES De 21/03 a 20/04

Em relação ao seu horĂłscopo de hoje, saiba que todos os seus pensamentos, encontram-se em uma linha dinâmica, voltada principalmente para uma direção da pesquisa PHWDIâVLFDHFLHQWâÄ&#x;FD3URFXUH pensar sobre a sua situação.

TOURO De 21/04 a 20/05

Possível envolvimento seu em algum tipo de manifestação social. No trabalho, poderão ocorrer disputas entre colegas ou mesmo superiores. Atritos com parentes, perda de amizades e o sistema nervoso um tanto quanto agitado, estão previstos para você. GÊMEOS De 21/05 a 20/06

Saiba que grandes oportunidades estarĂŁo surgindo QRVHWRUÄ&#x;QDQFHLUR3RUĂ’PQĂ‚R Ă’SUHFLVRDGRWDUQHQKXPDHVWUDWĂ’JLDHVSHFLDOSDUDDSURYHLtĂĄ-las. Lucros pela perspicĂĄcia nos negĂłcios e por meio dos parentes.

CĂ‚NCER De 21/06 a 21/07

Dia em que terĂĄ muita paz Ă­ntima e que deverĂĄ colaborar decisivamente na solução GHVHXVSUREOHPDVÄ&#x;QDQFHLURV HSURÄ&#x;VVLRQDLV$YLGDDPRURVD trarĂĄ satisfação e muitas alegrias. Melhora da saĂşde.

LEĂƒO De 22/07 a 22/08

Grandes possibilidades de sucesso poderão ser esperadas para os próximos dias. Algumas ideias brilhantes que vier a ter devem ser colocadas em pråtica. Pode fazer mudanças e receber agradåveis notícias.

VIRGEM De 23/08 a 22/09

Excelente fase zodiacal para adquirir bens materiais, abrir caderneta de poupança ou conta bancåria e progredir pessoalmente. Pessoas conhecidas procurarão ajudar você. Haja com otimismo.

PALAVRAS-CRUZADAS DIRETAS

SOLUĂ‡ĂƒO DO NÂş ANTERIOR

LIBRA De 23/09 a 21/10

VocĂŞ ficarĂĄ indeciso entre ocupar-se realmente FRPWXGRRTXHVHUHÄ&#x;UDDVFRLsas de sua casa, ou optar para uma tendĂŞncia a uma reclusĂŁo voluntĂĄria, disposto a colocar todos os seus pensamentos em uma ordem lĂłgica para que possa efetivamente entendĂŞ-los. ESCORPIĂƒO De 23/10 a 21/11

Hoje, vocĂŞ estarĂĄ muito crĂ­tico nos seus relacionamentos pessoais que o colocarĂĄ em uma posição mais vulnerĂĄYHOHPUHODĂ?Ă‚RÂżVSHVVRDVGR seu convĂ­vio. Ă“timas oportunidades de ganhar dinheiro e fazer negĂłcios, pelo esforço no trabaOKRHSHODLQÄ XĂ“QFLDGHDPLJRV SAGITĂ RIO De 22/11 a 21/12

Boas coisas deverĂŁo acontecer hoje para vocĂŞ. O planeta VĂŞnus vai lhe dar excelentes chances de conseguir realizar o que pretende principalmente as que vem planejando desde hĂĄ muito. Bom aos assuntos sentimentais e amoroso. Dia de sorte. CAPRICĂ“RNIO De 22/12 a 20/01

NĂŁo deixe que invejosos e incapacitados estraguem sua paz no lar e no trabalho principalmente. Analise as pessoas HVĂśGĂ“FUĂ’GLWRÂżTXHODVUHDOPHQte humanas e honestas. Tranquilidade com a pessoa amada. SaĂşde estĂĄvel.

AQUĂ RIO De 21/01 a 19/02

Dia favoråvel para reencontrar com os amigos. O sucesso em novas empresas e empreendimentos serå evidente. Procure tirar o måximo proveito, hoje, SULQFLSDOPHQWHHPPDWÒULDGH amor. A sua disposição para aventuras, pode levå-lo a extremos. PEIXES De 20/02 a 20/3

Dia em que se encontrarĂĄ mais ambicioso, empreendedor, hĂĄbil e confiante em si mesmo, o que deverĂĄ levĂĄ-lo a ter lucros nos negĂłcios. Muito VXFHVVRSURÄ&#x;VVLRQDOHVRFLDOH muita prosperidade geral.


3

Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

Cinema DIVULGAĂ‡ĂƒO

Oscar 2018

se destaca pela diversidade dos indicados A 90ÂŞ edição contou tambĂŠm FRPSULPHLUDVHOHFLRQDGDHPIRWRJUDÄ&#x;D primeiro diretor transgĂŞnero e primeira negra em roteiro adaptado Os indicados ao Oscar 2018 foram anunciados na Ăşltima terça-feira pela Academia de Artes e CiĂŞncias CinematogrĂĄficas de Hollywood. Com isso, ĂŠ possĂ­vel destacar alguns marcos nesta 90ÂŞ edição da premiação, como a presença da quinta mulher, Greta Gerwig, e do quinto homem, Jordan Peele, na categoria de melhor direção. Antes da indicação de Gerwig por “Lady Bird: É Hora de Voarâ€?, apenas quatro mulheres tinham sido indicadas na categoria em seus 90 anos de histĂłria: Luina Wertmuller (“Pasqualino Sete Belezasâ€?, 1975), Jane Champion (“O Pianoâ€?, 1993), Sofia Coppola (“Encontros e Desencontrosâ€?, 2003) e Kathryn Bigelow (“Guerra ao Terrorâ€?, 2008), a Ăşnica vencedora. JĂĄ com seu trabalho em “Corra!â€?, Peele se junta ao grupo de outros quatro cineastas negros indicados, com John Singleton (“Os Donos da Ruaâ€?, 1991), Lee Daniels (“Precious - Uma HistĂłria de Esperançaâ€?, 2009), Steve McQueen (“12 Anos de EscravidĂŁoâ€?, 2013) e Barry Jenkins (“Moonlightâ€?, 2016), que nĂŁo venceu como diretor, mas levou a estatueta de melhor filme.

Atriz Meryl Streep jĂĄ era recordista com o maior nĂşmero de indicaçþes, em 2018 ela aumentou a marca para 21 vezes Com isso, Peele pode se tornar o primeiro negro da histĂłria a ganhar o Oscar de direção. Ele tambĂŠm ĂŠ a terceira pessoa na histĂłria a receber indicaçþes nas categorias de melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro em sua primeira produção. HĂĄ tambĂŠm muitos primeiros, segundo avaliação do portal G 1. A presença de “Strong Islandâ€? entre os documentĂĄrios torna o cineasta Yance Ford o primeiro diretor transgĂŞnero a ser indicado a um Oscar. AlĂŠm dele, mais uma estreia ĂŠ a da roteirista Virgil Williams, primeira negra na categoria de melhor roteiro adaptado, por seu trabalho junto de Dee Rees em “Mudboundâ€?. O filme tambĂŠm tem a primeira mulher indicada na categoria de fotografia, Rachel Morrison. E, se isso nĂŁo fosse bastante, Mary J. Blige se tornou a

DIVULGAĂ‡ĂƒO

Brasileiro Carlos Saldanha estå na torcida pela animação

“Se Touro Ferdinando vencer, serĂĄ uma zebraâ€? 'LUHWRUEUDVLOHLURIDOD da expectativa para a animação no Oscar Da AgĂŞncia Estado O diretor Carlos Saldanha estĂĄ confiante em seu “Touro Ferdinandoâ€?, indicado ao Oscar de melhor animação. A concorrĂŞncia com “Viva - A Vida ĂŠ Uma Festaâ€?, considerado o favorito, ĂŠ dura, mas ele acredita que tem chances, conforme mostrou a reação das pessoas em algumas sessĂľes que ele mesmo presenciou.

0DU\-%OLJHHPĹƒ0XGERXQGĹ„2Ä&#x;OPHWDPEĂ’PWHPDSULPHLUDPXOKHULQGLFDGDHPIRWRJUDÄ&#x;D +Ă˜DOJRTXHSRGHVHU IHLWRQRVEDVWLGRUHVGR 2VFDUSDUDTXHXPILO PHJDQKHYRWRVGRVMX UDGRV"

primeira pessoa indicada nas categorias de melhor atriz coadjuvante e melhor canção original, tambĂŠm por “Mudboundâ€?. PrognĂłsticos Com 89 anos, a cineasta francesa Agnès Varda se tornou a pessoa mais velha indicada pela Academia, por seu documentĂĄrio “Visages Villagesâ€?. AlĂŠm dela, Christopher Plummer se tornou o ator mais velho ao ser indicado como coadjuvante por “Todo o Dinheiro do Mundoâ€?, com 88 anos. Isso com um trabalho gravado em apenas 10 dias, ao substituir com urgĂŞncia Kevin Spacey, acusado de abuso sexual, no projeto. Do outro lado do espectro, TimothĂŠe Chalamet, de 22, ĂŠ o mais jovem ator na categoria principal de atuação desde 1939. Se ganhar, o protagonista de “Me Chame Pelo Seu Nomeâ€? se tornarĂĄ o mais novo da histĂłria. Se Meryl Streep jĂĄ era recordista como atriz com o maior nĂşmero de indicaçþes, em 2018 ela aumentou a marca para 21 vezes, com seu trabalho em “The Post: A Guerra Secretaâ€?. JĂĄ o maior vencedor na categoria de melhor ator, Daniel Day Lewis, foi lembrado mais uma vez. O protagonista de “Trama Fantasmaâ€? pode levar a estatueta pela quarta vez por aquele que ele promete ser seu Ăşltimo papel. Enquanto isso, Denzel Washington, de “Roman J. Israel, Esq.â€?, se

Carlos Saldanha: SĂŁo muitas pessoas que votam. O que podemos fazer ĂŠ informĂĄ-las para que elas o assistam. Eu fiz palestras e alguns encontros para isso. 9LYDÂŚFRQVLGHUDGRID YRULWR&RPRVDLXGDVDOD GHFLQHPDGHSRLVGHYĂŚ OR" Bem, ĂŠ o favorito. Se “Touro Ferdinandoâ€? vencer, serĂĄ zebra. Mas, honestamente, acho que estamos brigando pau a pau. Vi a reação das pessoas depois de verem Touro e muitas aplaudiram. Isso, para mim, ĂŠ o que vale. ([LVWHXPSRQWRFHUWRQR DOYRGHXPDDQLPDÀäR" Eu faço filmes para mim, mas que meus filhos tambĂŠm se sintam felizes depois de assistirem.

Brasil estĂĄ concorrendo na premiação do Oscar DIVULGAĂ‡ĂƒO

Animador Carlos Saldanha e o produtor Rodrigo Teixeira estĂĄ na lista Da AgĂŞncia Estado

torna o 8º ator mais indicado na história (junto de Marlon Brando, Jack Lemomon, Al Pacino, Geraldine Page e Peter O’Toole), com sua oitava indicação – a segunda consecutiva. E isso vai parecer pouco perto do compositor John Willia-

ms, que quebrou o prĂłprio recorde como pessoa viva com o maior nĂşmero de indicaçþes da histĂłria, ao ser lembrado por “Star Wars: Os Ăšltimos Jediâ€?. O americano chega a 51 indicaçþes ao longo de sua carreira, atrĂĄs apenas de Walt Disney [1901-1966], com 59.

Tem brasileiro no Oscar. AliĂĄs, dois. O animador Carlos Saldanha concorre na categoria de animação com “O Touro Ferdinandoâ€?. É azarĂŁo, porque por mais encantador que o filme possa ser para o pĂşblico infantil, existem animaçþes melhores (mais adultas?) na disputa – “Viva - A Vida É Uma Festa e Com Amorâ€?. O outro ĂŠ Rodrigo Teixeira, um dos produtores de “Me Chame Pelo Seu Nomeâ€?, do italiano Luca Guadagnino, um dos nove concorrentes a melhor filme. Apresentado por Andy Serkis e Tiffany Haddish ela errou muito os nomes -, o anĂşncio dos indicados para o 90Âş prĂŞmio da Academia reafirmou “A *SVQEHEÂťKYEzGSQSJEvorito, com 13 indicaçþes, incluindo melhor filme, diretor (Guillermo Del Toro), roteiro (do cineasta), atriz (Sally Hawkins) e ator coadjuvante (Richard Jenkins). Del Toro teve mais indicaçþes do que Christopher Nolan, que vai concorrer a filme e direção, mais seis estatuetas tĂŠcnicas, por Dunkirk. Embora esses nomes de ponta do cinemĂŁo estejam na dianteira, o Oscar 2018 abriu uma importante janela para os novos talentos. A estreante Greta Herwig concorre a melhor filme, direção e roteiro, por “Lady Bird - É Hora de Voarâ€?. E Jordan Peele faz histĂłria como primeiro negro a concorrer nas mesmas categorias de Greta, por “Corra!â€? TambĂŠm fazendo histĂłria, Rachel Morrison ĂŠ a primeira mulher a concorrer ao Oscar de fotografia, por Mudbound, de Dee Rees. Mais novos talentos? TimothĂŠe Chalamet, o excepcional Elio de “Me Chame pelo Seu Nomeâ€?, concorre a melhor ator. E nĂŁo, Steven Spielberg nĂŁo concorre a melhor diretor, por melhor que seja seu “The

“Me Chame Pelo Seu Nomeâ€? Post - A Guerra Secretaâ€?, indicado para filme e atriz (Meryl Streep). Del Toro pode nem ganhar a maioria das estatuetas a que vai concorrer, mas sĂł o fato de estar na dianteira jĂĄ dĂĄ o que TIRWEVl%*SVQEHEÂťKYEz tem sido multipremiado, desde o Festival de Veneza, e no começo do mĂŞs Del Toro foi melhor diretor no Globo de Ouro. As 13 indicaçþes sugerem desagravo da Academia contra o presidente Donald Trump, que desde que tomou posse, em janeiro de 2017, endureceu o discurso racista. Os mexicanos tĂŞm sido alvo de suas piadas e Trump nĂŁo desiste de erguer um muro para isolar os Estados Unidos do MĂŠxico. No longa de Del Toro, que tem forte subtexto polĂ­tico, a par de sua dimensĂŁo fantĂĄstica, os EUA estĂŁo empenhados numa corrida para ultrapassar a arqui-inimiga URSS - o ano ĂŠ 1962 - na epopeia espacial. A grandeza do paĂ­s estĂĄ em jogo nesse laboratĂłrio onde a faxineira muda (Sally) se envolve com um estranho ser aquĂĄtico. Alguma dĂşvida de que ela leve a melhor contra o establishment militar? Como l'SVVEzl%*SVQEHEÂťKYEz começou a nascer bem antes do inĂ­cio da era Trump, mas tem tudo a ver com o momento atual. No Oscar de filme estrangeiro, o Chile conseguiu cravar, entre os cinco, a indicação de “Uma Mulher FantĂĄsticaâ€?, de SebastiĂĄn LĂŠlio com a transexual Daniela Vega. A entrega dos prĂŞmios serĂĄ em 4 de março, no Dolby Theatre, e o comediante Jimmy Kimmel serĂĄ o host, pelo segundo ano seguido.


Dourados, quinta-feira 25.1.2018 O PROGRESSO

SOCIAL CAMPO GRANDE

Elvio Lopes

Assine O PROGRESSO em Campo Grande pelo telefone (67) 99169-2012 ou e-mail: campogrande@progresso.com.br

elvio @progresso.com.br

SHOWTEC

DIREITO

O governador Reinaldo Azambuja participou, na semana passada, de atividades no Showtec 2018, realizado em Maracaju, oportunidade em que recebeu homenagens da diretoria da Fundação MS e recebeu o secretĂĄrio de Estado de Infraestrutura e LogĂ­stica do ParanĂĄ, JosĂŠ Richa Filho e, PHVPRGXUDQWHVHXSHUâRGRGHIĂ’ULDVWUDWRXGHLQWHUHVVHVGR(VWDGRFRPRDIHUURYLDTXHYDLOLJDUR06DR3DUDQĂ€&RQÄ&#x;UDDOJXPDVIRWRV

2VDGYRJDGRV-RVHSKLQR8MDFRZVXDÄ&#x;OKD7DWLDQDH6Dmia Barbieri, as duas autoras de textos explicativos da Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul – explicada – lançada em dezembro passado, na Capital, a primeira edição de uma carta magna estadual explicada publicada Governador Reinaldo Azambuja, Jaime Verruck, Eduardo Riedel, JosĂŠ Richa Filho e MaurĂ­lio Governador Reinaldo Azambuja recebe homenagem de dire- no PaĂ­s pela Academia de Letras JurĂ­dicas do MS Azambuja, prefeito de Maracaju tores da Fundação MS que promove o Showtec

TURISMO

MaurĂ­lio, Jaime Verruck, deputado federal Geraldo Resende e Reinaldo Azambuja

MaurĂ­cio Saito, presidente da Famasul e Reinaldo Azambuja

UEMS CAPITAL A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), campus de Campo Grande, realizou diversos eventos durante o ano passado e retorna Ă s atividades no inĂ­cio de fevereiro, com a expectativa de mais eventos para comunidade acadĂŞmica e tambĂŠm direcionados Ă  população sul-mato-grossense. Nas fotos, o encontro Uems: Mais Mulheres com Igualdade e Sem ViolĂŞncia, realizado em novembro e dezembro no campus da Capital. O guitarrista Jefferson Rosa Pasa, da banda de blues Whisky de Segunda, estĂĄ realizando um sonho antigo, visitando cidades do Oriente MĂŠdio, entre os quais a deslumbrante Abu Dhabi e, nesta semana, Cairo, no Egito, onde se emocionou conhecendo as pirâmides, entre as quais a de QueĂłps, na qual entrou e visitou a “Câmara do Reiâ€?

ANIVERSARIANTES

Reitor Fabio Edir dos Santos Costa, Gracita Barbosa e Silvia

Lucio FlĂĄvio Sunakozawa, Rosana Leal, Luciana Abbou Gattas e Fabio Edir

PARCERIA

MĂšSICA O desembargador do TJMS, O coronel Carlos Alberto Paulo Alberto de Oliveira David Gonçalves troca de comemora aniversĂĄrio hoje LGDGHVĂ€EDGR  

A Associação Brasileira da IndĂşstria de HotĂŠis do Mato Grosso do Sul (ABIH-MS) e a Câmara dos 'LULJHQWHV/RMLVWDVGH&DPSR*UDQGH &'/&* Ä&#x;UPDUDPSDUFHULDSDUDFRODERUDĂ?Ă‚RPÄŽWXDHWDPbĂŠm para associados Ă entidade lojista. Na foto, a diretora InĂŞs Conceição, presidente Adelaido Vila, da CDL; presidente da ABIH-MS, Marcelo Mesquita, superintendente Roberta Barbeta e o gestor comercial Augusto Cussen

COMANDO CPM

O empresĂĄrio ClĂĄudio Cavol, presidente do Setlog/MS, O mĂşsico, compositor e cantor Jerry EspĂ­ndola estĂĄ co- celebra idade nova tambĂŠm PHPRUDQGRDQRVGHFDUUHLUDPXVLFDOHYDLGHVÄ&#x;ODU sĂĄbado seus principais sucessos amanhĂŁ (26), a partir das 19h, no GenuĂ­no Bar, com a participação de artistas convidados. 2*HQXâQRÄ&#x;FDQD5XD$SRUĂ’QR%DLUUR$PDPEDâ

AGENDA

O desembargador JoĂŁo de Deus Gomes de Souza, presidente do TRT-24ÂŞ RegiĂŁo, aniversaria dia 30

Assumiu o Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), da Capital, o coronel Wilson Sergio Monari, em substituição ao coronel Renato Tolentino Alves, na foto, com o coronel AlĂ­rio Villasanti Romero, presidente da Associação dos 2Ä&#x;FLDLV0LOLWDUHV(VWDGXDLVGR06 $2)06 6XFHVVRDRQRYRFRPDQGDQWH

A subsecretĂĄria de Estado de PolĂ­ticas PĂşblicas para as Mulheres, Luciana Azambuja Roca, faz aniversĂĄrio dia 29

A governadora em exercício de MS, Rose Modesto, na foto entre o coronel PM Waldir R. Acosta, comandante-Geral da PM do MS e sec. de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio C. Videira, estå cumprindo agenda bastante concorrida, atÊ amanhã (26), quando terminam as fÊrias de Reinaldo

O conselheiro Waldir Neves Barbosa, presidente do TCE/ MS, comemora idade nova dia 31 de janeiro

PARABÉNS aos aniversariantes da semana: Geisa Gomes, Valeria Mont Serrat e Katia Martinez Andrade (hoje); Bernadete de Fatima Alves e Cleidiane Hennes (amanhã); Raquel Rodrigues Pereira (såbado); João Pedro dos Santos Vieira (domingo); Janaína Pacco Mendes e Mauro Takashi Ajiki (29); AndrÊ Ribeiro Soares, Camila Oliveira, Frainer Barbosa e Osni Miranda (30) e Maria Da Gloria Paim Barcellos, Irene Maria Buainaim Pereira de Souza, Gleisieli Baessa Cardoso, Goldemberg Fonseca, Marilene Esteves Santini e Rosalira Fiqueiredo Makimori (31)


O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

1

Imóveis

2

Apartamentos

3

CLASSIFICADOS

Veículos e utilitários

4

Veículos importados

5

Motos

6

Diversos

7

Telefones

8

Empregos e oportunidades


CLASSIFICADOS

2

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

1

80628

Imóveis

RESID. ESPLANADA

PQ. Alvorada Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 999711320

JD. Pelicano, Creci-6862-J Tel: 3421-0034

Próx. Miranda-MS dupla apitidão. 99971-3855 Creci-2649

Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034 ou 999711320

Sub esquina 12x25. Tel.99891-5252

80273

80716

80668

CASA NOVA PQ. ALVORA 01 suite 02 qtos, piscina e churrasqueira. 99863-7008 80621

03 qtos, sala, cozinha, A.serviço, com quintal, Rua: Ozorio N. Siqueira nº48 R$570,00 Tel: 3423-2255 80595

KETINET PRÓX. CENTRO Excelente local, 02 quartos, sala, cozinha, banheiro. Tratar:98411-2551 75246

KITINET R. Adroaldo Pizzini, 647, 1qt, coz, wc, 99908-0766 80331

KITINET JD. Santo André. Rua: Vereador Aguiar F. de Souza, 386. Tel: 3424-1498 ou 99652-9300 80532

KITINET ALTOS INDAIÁ Sala, coz, 02 qtos, cerca eletrica, garagem, portão elet. Tel: 99631-8850 80303

KITINET PRÓX. HU Varias Kit. 02 qtos, sala, coz. estac. Tel:99648-9767 79004

KITINET R$370,00 Jd. Colibri, 3 peças.99908-7260- Luciano 80451

KITINET R$450,00 02 pç. wc, próx. escola Iegran. 99608-9392

CASA PORTAL 850 MIL 02 suites, 02 dorm. condições pagamentos, Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320

C/ Piscina, suite, 02 qtos, 200 mil. Tel: 99927-4730

CASA VILA VARGAS AV. João Paulo Izidro, 01 suite, 04 dorm, 02 salas, escritório, 01 wc social, coz. e copa, varanda frente e fundos + casa no fundo para empregado c/ 03 dorm. Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034 ou 999711320 80406

CASA VL SÃO PEDRO Proximo Posto de saude. 99947-8220 OU 996556399 80614

COND. F. GRAMADO Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034 80715

ECOVILLE ALTO PADRÃO Imob. Tuiuiu. Creci 0808J. 3422-0080 ou 99943-0080 80638

Ao lado Rodovia vendo / troco por casa em Dourados. 99882-1583 80446

02 qtos, sl, coz, mcmv. Tel: 99624-2879 80337

Suíte, qto, sala, coz, lav, wc social. Tel: 99971-5161 80445

Casa-Venda 80619

BNH-3º PLANO

80675

CASA ALTOS INDAIA 270m², alvenaria, 01 suite, 03 qtos, c/ 02 salas, 1 coz, área p/ festa, 02 garagem, R$430 mil. 99971-6931 80634

CASA BNH-II PLANO Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 80688

CASA COLIBRI 205M² 01 suite, 02 qtos, wc social, coz, sala, garagem. 999947375 80583

CASA COM 9 PEÇAS Construida, valor 190 mil. 99978-3487 80684

CASA ECOVILLE Alto padrão, 03 salas 04 suites. Aceito Imóvel no negocio. Tel: 99606-0244

80612

PQ. ALVORADA 550 MIL Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034. 80625

R. BENJAMIN COST1645 Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 80465

RESIDÊNCIA STA FÉ suite, 02 qtos, 02 garagem. Tel: 99642-3561 80598

SOBRADO FINANCIADO R. Ed. C. Souza nº 1730, 01 suite, 01 dorm. c/ moveis planej. dorm, A. serviço, spar c/ hidro p/ 6 pessoas, garagem ampla, imovel c/fino acabamento. Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034 80712

SOBRADO JD. GIRASSOL Próximo ao Imaculada Conceição. Imob. Tuiuiu Creci 0808J. 3422-0080 ou 99943-0080 80618

SOBRADO PQ. ALVORADA Novo todo mobiliado Creci-2645-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320

SOBRADO PQ. ALVORADA 01 suite 02, qtos, fino acabamento. 99863-7008 80680

VARIOS IMÓVEIS

IMACULADA 400M²

295 HS PASTO

Terreno com piscína, sauna, churrasqueira, 150m² de área construída. Tratar 98471-2800 Marcelo Coutinho

Lavora 17.000 hac. Tel:99971-3855 Creci-2649

JARDIM MARACANÃ

80240

Casas, terrenos, aptos, fazendas. Creci-7880 Tel: 99927-4730

VENDO CASA NOVA

JD. CRISTHAIS II 02 qtos, sl, coz, mcmv R$155.000,00 Tel:996242879

02 lotes, esquina 800 m². 99971-3166/ 3421-6490

Em Bonito, montada 12 mil hectares. 99933-6060

80579

80717

JD. GIRASSOL 580 MIL R. Iguassu, 1095 esquina Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 999711320 80587

JD. MÔNACO OPORT. R. Alemanha 555 c/ 2 terrenos Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320

Aceita-se financiamento. 99863-7009

75 ALQUEIRES Excelente fazenda em Caracol MS. 99817-5770

JD. DAS PALMEIRAS

80582

Ao lado do Ecoville Creci-6862-J Tel: 3421-0034

Reserva legal 1.000 Has. Tel: 99971-3855

JD. GUAICURUS 12X30

80679

FAZENDA 160 HECTARES Picadinha em pasto, Creci-7880 Tel:99927-4730 80681

FAZENDAS CRECI-7880 550 hect. Maracajú. 1.130 hect Bonito. Tel: 999274730 80450

REGIÃO MARACAJÚ-MS Oportunidade 1.300 hec. com 1.050 de lavoura culturão 40% á 50% de argila. Pgto: Pouca entrada e restante 4 anos. Arrenda por 1 milhão por ano. Tel: (14)99657-1881 ou (67)99610-4962

Sítios

CHÁCARA ITAPORÃ

80683

MCNV. CASAS CR-7880 Cristhais 155 mil, N. Horizonte 168 mil. Tel: 999274730 80623

PARQUE ALVORADA R. Mohamed Hassan Haj, 1.400. 01 suite closet 02 dorm. emb. Creci-6862-J Tel: 99971-1320

2 TERRENOS ÁGUA BOA Esq, subesquina, Rua R. Brilhante, W11. F.99971-2912. 80142

80633

95 MIL JD. CRISTHAIS

80251

PORTO MADERO 300M² Q-06 Lote: 09 e 10. trt. somente pelo whats (67) 99984-7253

RESID. ESPLANADA Lote-07 quadra-36, 10x25 quitado. 99821-5602 80574

SANTA FÉ 60 MESES 80636

TERRENO COMERCIAL Av. Weimar G. Tor r es nº5000- próxima concessionária Jeep. 17,50x40=700 m², preço: R$790 mil. Tel:99137-0524 / 991990646 ou 3422-7379 80479

80685

URGENTE TERRENO

VENDO OU TROCO

80611

20x64 1.280 m², Creci6862-J Tel: 99971-1320

Fazendas

BR-163 1.400M²

80581

80635

80241

ECOVILLE I Imobiliaria Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034

Apto-Aluga 80658

PQ ALVORADA 02 QTOS Apto próx. Únigran, port. elet. tratar c/ proprietáiro. 99974-6863 80664

PRÓX. UNIGRAN 02 qtos com elevador, R. Cider cerzosimo de souza. Tel: 3423-3027.

Apto-Venda 80578

AO LADO UNIGRAN Ed. Royal c/ elevador em constr. Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320 80669

APTO ALTO FELIZ 01 suite 02 qtos, 02 vagas pgto facilitado. 998637003 80476

APTO ITAVERA Fone: 99971-0941 80673

APTO REGIÃO CENTRAL Ilhas Gregas; Guaicurus; Jardins. 99863-7008 80613

ED. ILHA GREGAS Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034 80620

ED. SÃO MICHAEL Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 80627

ED. SÃO SEBASTIÃO 80714

1qto, 1suíte c/ AE, Imob. Tuiuiu. Creci 0808J. 34220080 ou 99943-0080 80710

EDIF. SÃO SEBASTIÃO C/ AE. Imob. Tuiuiu, creci 0808J. 3422-0080 ou 99943-0080

80666

Ter reno em Navirai no Green Park Residence com 758,12m², troco por veiculos ou imóvel em Dourados. (67) 99971-1637 80667

Para Caarapó. Tel:999713855 Creci-2649

Apartamentos

EDIF. MILTON BARBOSA

AO LADO SAMAMBAIA

AV. MARCELINO PIRES

2

12x30 murado R$60.000,00 aceito veiculo. Telefone (67)984018419

20x50 Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034

80615

Quadra-22, R$20 mil + parcelas. 99626-7178

Imob. Gondim Creci-6862-J 3421-0034 ou 99971-1320

Murado, Rua Continental inicio JD. Carisma, R$80.000,00 Tel: 999334982

Terra Dourada Creci-6862-J Tel: 99971-1320

80593

VIVAL DOS IPÊS

TERRENO GUAICURUS

80577

AV. Joaquin T. Alves, Creci-2645 Tel: 3421-0034

Pasto prox. á Nioaque-MS. Tel:99971-3855. Creci-2649

Vários tamanhos e localidades. Imob. Tuiuiu, creci 0808J. 3422-0080 ou 99943-0080

80312

80629

1.100 HS.15 MILHÕES

80713

PORTO MADERO

Terrenos

Comercial - Venda

SALÃO COMERCIAL

R. Olivio Waldemar Beker, R$105 mil. Creci-2645 Tel: 99971-1320

Ao lado Greem PQ. Creci-6862-J Tel: 3421-0034

AO LADO DA MÃO BRAZ

SALÃO COMERCIAL

80599

PARQUE ALVORADA

SITIOCAS DUAS

R. Manoel Bandeira. Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99906-6269

AV. Marcelino Pires,310 Creci-6862-J Tel: 3421-0034

NOVO PQ. ALVORADA 60 meses, Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034

Reserva legal comp. Ambiental. 99817-5770

80630

Edicula 3 peças no asfalto meio terreno. R$80 mil. Telefone para contato 99961-8849

80575

21 HECTARES MATA

62323

Área comercial 12x30, ac. carro 99121-4616

R$ 55 mil. 99978-3487

Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320

05 hectares no asfalto, água casa nova. 999237660

80594

JD. PIRATININGA

01 ESTÂNCIA 36 HA Montada em Itapora, 15 mil sacas de soja. 99933-6060

55 mil. Tel:99971-3855 Creci-2649 80662

80690

80652 80650

72531

VILA TOSCANA

80576

BIOMA CERRADO

20X50 PROX. EMBRAPA

Chácaras

JARDIM PELICANO Lotes c/ 450m², 65 mil. Creci-6862-J 3421-0034

03 quartos, próx. ao Atacadão, nova. 98405-2947

CASAS PORTO MADERO

80651

80649

500 HECTARES

80639

80671

80632

Reformada, R$480 mil Imob. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034

PORTAL C/1.815 TER Imob. Gondim Creci-6862-J Tel: 3421-0034

80687

JARDIM EUROPA

QUARTO FAMILIAR

80631

201 ALQUEIRES PASTO 4 milhões próx. á Aquidauana. 99972-3855 Creci-2649

80672

EM IVINHEMA

22988

Av.Pres. Vargas nº40. Próx. a Feira, centro. 99640-1513.

R. Sonia M. L. Volpato nº 670, 01 suite, 02 dorm. espaço gourmet, piscina, despensa, a.s. Gondim Creci-6862-J Tel:3421-0034

80603

ESQUINA CRISTHAIS

02 qtos, R$900,00 sala, cozinha. Cel:99921-3737

80596

PARQUE ALVORADA

80682

CASA USADA CR-7880

80420

PRÓX. ATACADÃO

79569

GIRASSOL 1.800 M²

CASA JD. GIRASSOL

CASA FLORIDA I

80616

2.281 HAS 8.500/HAS

Preço ocasião, pgto facilitado. 99863-7008

80697

80284

MINHA CASA M. VIDA

80670

Casa-Aluga

80626

CASA FINANCIADA

VENDO OU TROCO Terreno na Rua: Albino torraca sub-esquina com á Cuiabá, c/200m² (10x20). Troco por outro Imóvel.Tratar: (67) 99971-1637

80585

EDIFICIO PADOCK Imob. Gondim Creci-6862-J 3421-0034 ou 99971-1320 80711

EDIFÍCIO PADOCK Imob. Tuiuiu. Creci 0808J. 3422-0080 ou 99943-0080 80586

EDIFÍCIO PLAZA R. Humberto de Campos, 1215 c/ elevador, Creci-6862-J Tel: 3421-0034 ou 99971-1320


CLASSIFICADOS

3

80580

FIORINO PICK 1.5 gasolina R$6.800,00 Tel: 99971-3855

Veículos e utilitários

80549

MB 1938 LS

5

Vendo. R$ 2.300,00. 98422-4409 80606

Motos

TITULO DO INDAIÁ Titulo Proprietario R$2.500 a vista. 99949-7220 80663

TORNO MECÂNICO

VENDE-SE CAMINHÃO

80719

AGILE 2011 LTZ 1.4

Volksvagem

Prata, 4p, completo, IPVA, pago, imp. 99807-3363

80674

80609

CELTA PRATA 2011/12 04 portas, ar, trava, alarme. R$18.500 Tel:99900-4150 80505

MÔNACO 14x36 R$170.000,00 Tel: 98184-2777

FUSCA 68 Reliquia R$8.000,00. 99971-6931 80720

GOL 00 AP 8V 1.0 Branco, 4p, DH, impecável . 99807-3363 80692

80655

MONZA 2.0 ANO 1991 Basico, prata, ótimo estado. 99615-3545 80654

VENDO ASTRA 09/09 Astra Hatch preto, completo. 99941-4860

Fiat 80707

BRAVA 01/02 COMPLETO Único dono. Tratar 999711525 80480

FIAT BRAVO ESSENCE 1.8 prata, 13/14 R$36.000,00 revisado somente na Fiat, 4 pneus novos. Tel: 99971-0777 80704

PALIO 09/10 COMPLETO 80648

04 portas, bem conservado, particular Tel: 996420611

Utilitários CAMINHÃO MERCEDES Mercedes Benz, L1218, 3 eixos, ano 1994, boiadeiro, branco. Telefones para contato :99931-8600 ou 99860-2171

CARRETA LS GUERRA

80705

F250 XLT 2009 CS 1º dono, top, prata. 999990402

80125

FAZER 600 CC 2009 Preta unico Tel:99971-1696

dono.

Nardini ud-325 carcaceiro 2002. contato: Leandro F. 99979-3440 80499

VENDE-SE TROCA Espetaria em fase de acabamento próx. a Unigran ótima localização. Ac. troca. 99912-9472 80501

6

VENDO FARMÁCIA Bem localizada. 996853213 80605

VENDO PIZZARIA

Diversos

Completa, localizada na Rua Bela Vista c/ clientela de 06 anos. Aceito carro no negocio. Tel: 99672-0242

Animais

80573

FIQUE ATENTO Alguns oportunistas estão ofertando emprego por meio de anúncios nesse espaço, cobrando pelo cadastro e exigindo dados pessoais dos candidatos. Fique atento para os anúncios de oferta de emprego e, na dúvida, procure informação diretamente com o futuro empregador. Não pague por cadastro. Não caia em golpe!

80455

FILHOTES POODLE

Branco, 4p, 1.0 titan. Telefone para contato 996185283

Macho c/ 25 dias. R$350,00. Tel:99959-3860

CONTRATA-SE

80646

PROCURA COSTUREIRA E Modelista. De preferência que tenha Máquina Industrial e Overlock. Contato via whatsapp (11) 99524-4242

4

PROCURA COSTUREIRA Com experiência em Alfaiataria. Contato: whatsapp-(11) 99524-4242

Filhotes c/ Pedigree. Tel: 99997-0187

Implementos Agrícolas

Veículos importados 766

Citroen 80708

VENDE-SE OU TROCA

Instalações e manutenções e elétrica. Tel. 9136-0018(CLARO) / 98319067(VIVO). C/ Edvaldo.

Por gado, 01 trator CBT 2105 c/ lâmina ano 80 e 1 caminhão 1113 boiadeiro ano 82. Telefone 999336060

Completo. Telefone 999711525

AR COND E ANTENAS Venda, inst. manut. 999397410 ou 99277-8602 80699

Honda

ELETRICISTA

CIVIC EXS 09/10 Aut. preto, controle estab. R$39.900,00 Tel:999429053

Instalações, manutenções e montagem de Padrão. 99943-8856-Rodrigo. 56019

Erisvaldo. 99699-4974 ou 3424-0386

LOJA DE CONFECÇÃO 80709

FRONTIER 2011/2012 telefone para contato 99971-1525 79488

TUCSON 10/11 2.0 AUT C/ couro prata, piloto aut. R$34.900,00 Tel.999429053

Empregos e oportunidades

FRETE E MUDANÇA 80430

Outros

8

Loja no centro bem localizada. Tel: 98179-2922 80665

MONTADOR DE MÓVEIS Consertos em geral. 996371933- Cirso 80569

PONTO COMERCIAL Restaurante, frente JBS, R$30 mil. 99957-7881

O contratante deverá solicitar referências do contratado. ATENÇÃO LEITOR GOLPISTAS estão postando anúncio nesse espaço se oferecendo para trabalhar como diarista ou doméstica e quando são contratadas acabam praticando furtos em residências ou empresas. Antes de contratar qualquer pessoa por meio de anúncio, procure se informar junto à Polícia Civil sobre os antecedentes da pessoa interessada na vaga. O jornal O PROGRESSO não tem qualquer responsabilidade sobre o comportamento ético das pessoas que anunciam em seu classificado. 80706

O contratante deverá solicitar referências do contratado. 80694

CONTRATA-SE Açougueiro c/ experiência p/ trabalhar em Douradina. Telefone para contato 3421-1098 ou 99609-6944-Nivaldo

Em fazenda exp. motorista, op. de maquinas, Agropecuaria, Ela polivalente, serviços gerais. 99639-7201Leo ou 99846-9876-Leila

Diarista, Ana-99632-1235

80637

QUERO TRABALHAR Diarista 3 x na semana ou babá meio periodo. 999266987- Daiana

QUERO TRABALHAR 80678

FAÇO DIÁRIAS E passo roupas. 3425-8547 ou 98453-9989 Maria 80718

PROCURO TRABALHO 3x semana em apar tamentos , com exp. e ref. 99909-7931 80610

QUERO TRABALHAR Diarista, e passa roupa. 99885-4956.

80423

QUERO TRABALHAR 03 vezes na semana. Telefone para contato 998413711 80367

QUERO TRABALHAR Chácara, sitio ou fazenda de operador de Pá Carregadeira. telefones para contato 99676-2633 ou 99877-3750-Jaime 80556

QUERO TRABALHAR

QUERO TRABALHAR

Doméstica, diarista, acompanhante de idosos e serviços gerais. 98162-9089

Diarista ou limpeza em comercio. Telefone 998124139

80592

QUERO TRABALHAR Doméstica. 99628-6658Ramona 80686

QUERO TRABALHAR Casal procura serviço em sitio ou fazenda exp. c/ trator, carregadeira, gado, cercas, boas ref. Cristiano-99651-2184 ou whats: 99960-0186 80571

QUERO TRABALHAR Cuidadora de idosos c/ experiência e referência para noite ou dia. Tel: 981467915- Maria de Lurdes. 80567

QUERO TRABALHAR Diarista, faxinas. 999307640 80552

80653

AR / ELETRICIDADE

80589

C3 BRANCO MEC.

Procura-se Emprego

80698

QUERO TRABALHAR

Diarista-99936-3599

Representante Comercial que já esteja trabalha na área Automotiva. caminhão e maquinas agricula. Ofereço uma o portunidade de Agregar á venda de Óleo e Lubrificantes p/ Dourados e Regiões, Remuneração, comissão. Filial Campo Grande-MS. Contato:(67) 99985-0363.

80522

VENDE: ROTTWEILER

80551

QUERO TRABALHAR

80677 80608

80645

GOL G-5 10/11

80640

Graneleira 97/98 prata, ótimo estado doc. ok. Tel: 99863-4835/99862-7458c/ Iza

COMPRA-SE UMA BIZ de 2000 á 2002. valor até R$2.500,00 Tel: 999056002

4pts, basico, branco, unico dono, baixa km, R$15.500,00. Tel: 996185283

80287 80537

80526

GOL G-4 10/11

R$ 18.500,00, prata, 4p. 99655-9983

UNO VIVACE 10/11

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

80703

80371

Chevrolet

O PROGRESSO

TÍTULO CLUBE INDAIÁ

Ano 2005 un.dono original. Tel: 99653-7356

Truck 161 8 ano 1995 caçamba Agricula. 999769982

3

QUERO TRABALHAR De aux. de cozinha, limpeza ou passar roupa p/ familia. reside no Pq. Alvorada. 99658-8799-Rosi 80354

QUERO TRABALHAR Tecnica em enfermagem cuidadora de idosos e pessoas especiais, interessados ligar p/ Mira 99672-2757 com referências 80695

QUERO TRABALHAR De Serralheiro ou serviços gerais. Tel: 99907-1614 ou 99661-7466 80509

QUERO TRABALHAR Cuidadora de idoso. c/ exp. ref. telefone contato 99974-9886 80696

QUERO TRABALHAR Caseira em Chácara Mulher c/ exp. e ref. polivalente. Tel: Leila-99846-9876 ou 99639-7201. 80448

QUERO TRABALHAR

Cozinheira ou ajudante de cozinha c/ pratica e ref. ind. firma, restaurante, resid. Telefone para contato 99292-6082


CLASSIFICADOS

4

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA Gabinete do Prefeito

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADINA $GPLQLVWUDomR-XQWRV6RPRV&DGDYH]PDLV)RUWHV± Gabinete do Prefeito

3257$5,$1ž'('(-$1(,52'( 3257$5,$1ž'('(-$1(,52'(





'HVLJQD RV PHPEURV GD &RPLVVmR 3HUPDQHQWH GH /LFLWDomRH'iRXWUDVSURYLGrQFLDV

'HVLJQD SUHJRHLURV H HTXLSH GH DSRLR H Gi RXWUDV SURYLGrQFLDV

 

2 3UHIHLWR GH 'RXUDGLQD 06 JEAN SÉRGIO CLAVISSO FOGAÇA QR XVR GH VXD

2 3UHIHLWR GH 'RXUDGLQD ± 06 JEAN SÉRGIO CLAVISSO FOGAÇA QR XVR GH VXD

FRPSHWrQFLDOHJDOWHQGRHPYLVWDRGLVSRVWRQRLQFLVR,,,GRDUWHGD/HLGHGHMXQKRGH

FRPSHWrQFLDOHJDOWHQGRHPYLVWDRGLVSRVWRQRLQFLVR,9GRDUWžGD/HLQžGHGHMXOKRGH



QRLQFLVR,,GRDUWž,,R$QH[RDR'HFUHWRQGHGHIHYHUHLURGHHQR DUWGR

5(62/9(

'HFUHWRQGHGHPDLRGH

$UW ž  'HVLJQDU RV VHUYLGRUHV 6X]HWK )HUUHLUD 'D 6LOYD*RPHV 7DQLD 5HJLQD GRV 6DQWRV H

5(62/9(

5DIDHO+HQULTXH$OYHV0DFKDGRSDUDVREDSUHVLGrQFLDGRSULPHLURFRPSRUHP&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH

$UW ž  'HVLJQDU R VHUYLGRU /XFLDQD &RVWD 2UHMDQD 7ULQGDGH FRPR SUHJRHLUR RILFLDO GR

/LFLWDomRGR0XQLFtSLR

PXQLFtSLR

$UW ž  'HVLJQDU RV VHUYLGRUHV /XFLDQD &RVWD 2UHMDQD 7ULQGDGH H 5REHUWR 'LDV 'D 6LOYD

$UW ž  'HVLJQDU RV VHUYLGRUHV 6X]HWK )HUUHLUD GD 6LOYD *RPHV H 7DQLD 5HJLQD GRV 6DQWRV

FRPRPHPEURVVXSOHQWHVGD&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomR $UWž$LQYHVWLGXUDGRVVHUYLGRUHVHVSHFLILFDGRVQRVDUWžHžGHVWD3RUWDULDQmRH[FHGHUiD

FRPRLQWHJUDQWHVGDHTXLSHGHDSRLR $UW ž  'HVLJQDU R VHUYLGRU 5DIDHO +HQULTXH $OYHV 0DFKDGR FRPR PHPEUR VXSOHQWH GD

 XP DQRYHGDGDDUHFRQGXomRGDWRWDOLGDGHGHVHXVPHPEURVQDUHVSHFWLYDIXQomR $UWž3DUDDFRQGXomRGRVWUDEDOKRVD&RPLVVmRLUiVHUHXQLUFRPRTXyUXPPtQLPRGHWUrV

&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomRFRQIRUPH$UWžHž $UWž$LQYHVWLGXUDGRVVHUYLGRUHVHVSHFLILFDGRVQRVDUWVžHžGHVWD3RUWDULDQmRH[FHGHUi

PHPEURVVHQGRGRLVPHPEURVVHUYLGRUHVHIHWLYRV $UWž$&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomRWHPFRPRIXQomRSULQFLSDOH[HFXWDUHFRQGX]LU

D XP DQRYHGDGDDUHFRQGXomRGDWRWDOLGDGHGHVHXVPHPEURVQDUHVSHFWLYDIXQomR $UWž&DEHUiDRSUHJRHLURHPHVSHFLDO

RVFHUWDPHVPXQLFLSDLV

,&RRUGHQDURSURFHVVROLFLWDWyULR

3DUiJUDIR~QLFR([FOXLVHGDFRPSHWrQFLDGD&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomRRVSURFHVVRV GHOLFLWDomRTXHDFULWpULRGDDXWRULGDGHFRPSHWHQWHUHTXHLUDPMXOJDPHQWRSRUFRPLVV}HVHVSHFtILFDVHRV SUHJ}HV

,,  &RQIHULU D GHVFULomR GR REMHWR H R PDSD FRPSDUDWLYR GH SUHoRV D ILP GH HYLWDU HUURV QD HVSHFLILFDomRGRREMHWRHGLVFUHSkQFLDVGHYDORUHVHQWUHDVFRQVXOWDVGHSUHoRV

$UW ž  $ &RPLVVmR 3HUPDQHQWH GH /LFLWDomR HVWi YLQFXODGD j 6HFUHWDULD 0XQLFLSDO GH $GPLQLVWUDomRH)LQDQoDVTXHWRPDUiDVSURYLGrQFLDVQHFHVViULDVSDUDRVHXIXQFLRQDPHQWR

,,,  5HFHEHU H[DPLQDU H GHFLGLU DV LPSXJQDo}HV H FRQVXOWDV DR HGLWDO DSRLDGR SHOR VHWRU UHVSRQViYHOSHODVXDHODERUDomR ,9&RQGX]LUDVHVVmRS~EOLFD

$UWž&RPSHWHj&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomRRUHFHELPHQWRHRH[DPHGHGRFXPHQWRV

9  9HULILFDU D FRQIRUPLGDGH GD SURSRVWD FRP RV UHTXLVLWRV HVWDEHOHFLGRV QR LQVWUXPHQWR

HSURSRVWDVEHPFRPRRVUHVSHFWLYRVMXOJDPHQWRVHDSUiWLFDGRVGHPDLVDWRVQHFHVViULRVjUHDOL]DomRGR

FRQYRFDWyULR

FHUWDPHHHPHVSHFLDO

9,'LULJLUDHWDSDGHODQFHV

,  5HFHEHU DV PLQXWDV GRV LQVWUXPHQWRV FRQYRFDWyULRV H DQH[RV MXQWDPHQWH FRP R SDUHFHU

9,,1HJRFLDUGLUHWDPHQWHFRPRSURSRQHQWHSDUDTXHVHMDREWLGRSUHoRPHOKRU

MXUtGLFRGDDVVHVVRULDSURFXUDGRULDMXUtGLFDSDUDDUHDOL]DomRGDVVHVV}HV

9,,,9HULILFDUHMXOJDUDVFRQGLo}HVGHKDELOLWDomR

,,  &RQIHULU D GHVFULomR GR REMHWR H R PDSD FRPSDUDWLYR GH SUHoRV DILP GH HYLWDU HUURV QD HVSHFLILFDomRGRREMHWRHGLVFUHSkQFLDVGHYDORUHVHQWUHDVFRQVXOWDVGHSUHoRV ,,,([DPLQDUDUHJXODULGDGHIRUPDOGRVGRFXPHQWRVGHKDELOLWDomR

,;  5HFHEHU H[DPLQDU H GHFLGLU RV UHFXUVRV HQFDPLQKDQGR j DXWRULGDGH FRPSHWH TXDQGR PDQWLYHUVXDGHFLVmR ;,QGLFDURYHQFHGRUGRFHUWDPH

,9  5HDOL]DU DV GLOLJrQFLDV QHFHVViULDV DR GHVHPSHQKR GH VXDV IXQo}HV EHP FRPR DV GHWHUPLQDGDVSHODDXWRULGDGHFRPSHWHQWH

;,$GMXGLFDURREMHWRTXDQGRQmRKRXYHUUHFXUVR

9 5HFROKHU DPRVWUDV GR REMHWR GD OLFLWDomR TXDQGR SUHYLVWR QR LQVWUXPHQWR FRQYRFDWyULR

;,,&RQGX]LURVWUDEDOKRVGDHTXLSHGHDSRLRH

SURYLGHQFLDQGRHPFDVRGHG~YLGDRVHXH[DPHSRUyUJmRVRILFLDLVGHPHWURORJLDHFRQWUROHGHTXDOLGDGH 9,3URFHGHUjFODVVLILFDomRGDVSURSRVWDV

;,,, (QFDPLQKDU R SURFHVVR GHYLGDPHQWH LQVWUXtGR j DXWRULGDGH VXSHULRU H SURSRU D KRPRORJDomR

9,,-XOJDUDVSURSRVWDVWpFQLFDVHGHSUHoRVTXDQWRDRVDVSHFWRVIRUPDLVHGHPpULWR 9,,,  5HYHU VHXV DWRV GH RItFLR RX SRU SURYRFDomR TXDQGR SDVVtYHLV GH FRUUHomR PHGLDQWH

;,9  6ROLFLWDU DFRPSDQKDPHQWR RX SDUHFHU GD DVVHVVRULDMXUtGLFD RX SURFXUDGRULDMXUtGLFD GR 0XQLFtSLRTXDQGRQHFHVViULR

MXVWLILFDWLYD

;96ROLFLWDUDSDUWLFLSDomRGHWpFQLFRGDiUHDHVSHFtILFDGRREMHWROLFLWDGRTXDQGRQHFHVViULR

,;  5HFHEHU H DSUHFLDU UHFXUVRV KLHUiUTXLFRV FRP UHYLVmR GH VHXV DWRV RX HQFDPLQKDU SDUD D DXWRULGDGHVXSHULRUHPFDVRGHPDQXWHQomRGRVVHXVDWRV ;,QIRUPDUDRVGHPDLVSDUWLFLSDQWHVDLQWHUSRVLomRGHUHFXUVRVGHSDUWLFLSDQWHGRFHUWDPH ;,&RPXQLFDUDRVHWRUFRPSHWHQWHIDWRTXHSRVVDFRQILJXUDULQIUDomRRXLOLFLWXGH

$UW ž  &DEHUi j HTXLSH GH DSRLR HQWUH RXWUDV DWULEXLo}HV DX[LOLDU R SUHJRHLUR HP WRGDV DV IDVHVGRSURFHVVROLFLWDWyULR $UW ž  (VWD 3RUWDULD HQWUD HP YLJRU QD GDWD GH VXD DVVLQDWXUD UHYRJDGDV DV GLVSRVLo}HV HP FRQWUiULRHPHVSHFLDOD3RUWDULDQGHGHMDQHLURGH. 'RXUDGLQD06GHMDQHLURGH

;,,'HFLGLUVREUHRVFDVRVRPLVVRVDIHWRVjVVXDVDWULEXLo}HV ;,,,6DQDUG~YLGDVHSUHVWDUHVFODUHFLPHQWRVDRVOLFLWDQWHV

Jean Sérgio Clavisso Fogaça

;,9(QFDPLQKDURSURFHVVRGHYLGDPHQWHLQVWUXtGRjDXWRULGDGHVXSHULRUSDUDKRPRORJDomRH

3UHIHLWR0XQLFLSDO

DGMXGLFDomR ;9  6ROLFLWDU DFRPSDQKDPHQWR RX SDUHFHU GD DVVHVVRULD MXUtGLFD RX SURFXUDGRULD MXUtGLFD GR

 (67$'2'(0$72*52662'268/ 35()(,785$081,&,3$/'()È7,0$'268/ *$%,1(7('$35()(,7$ 

0XQLFtSLRTXDQGRQHFHVViULR

;9,  6ROLFLWDU D SDUWLFLSDomR GH WpFQLFR GD iUHD HVSHFtILFD GR REMHWR OLFLWDGR TXDQGR QHFHVViULR ;9,,5XEULFDURVGRFXPHQWRVGHKDELOLWDomRHGHSURSRVWDV  $UWž&RPSHWHDR3UHVLGHQWHGD&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomR ,&RQYRFDURVGHPDLVPHPEURVHIHWLYRVRXVXSOHQWHVGD&RPLVVmRSDUDDVVHVV}HVHUHXQL}HV GHWUDEDOKRUHODFLRQDGDVjVDWULEXLo}HVGD&RPLVVmR ,,$EULUSUHVLGLUHHQFHUUDUDVVHVV}HVGD&RPLVVmRWRUQDQGRS~EOLFDVDVGHOLEHUDo}HV ,,,  0DQWHU D RUGHP H D VHJXUDQoD GRV WUDEDOKRV VROLFLWDQGR j DXWRULGDGH FRPSHWHQWH D UHTXLVLomRGHIRUoDSROLFLDOTXDQGRQHFHVViULR ,9&RQGX]LURSURFHVVROLFLWDWyULR 96ROXFLRQDUDVTXHVW}HVDSUHVHQWDGDVSHODFRPLVVmRRXOLFLWDQWHTXDQGRGHVXDFRPSHWrQFLD RXHQFDPLQKiODVSDUDDDXWRULGDGHFRPSHWHQWH

   





3257$5,$1ž'('(-$1(,52'(   Averba Tempo de Contribuição da Servidora que menciona e da outras providências.  ,/'$ 6$/*$'2 0$&+$'2   3UHIHLWD 0XQLFLSDO GH )iWLPD GR6XO(VWDGRGH0DWR*URVVRGR6XOQRXVRGDVDWULEXLo}HVTXHOKHFRQIHUHRLQFLVR 9H9,,GR$UWLJRGD/HL2UJkQLFDGR0XQLFtSLR 

9,6ROLFLWDUDVGLOLJrQFLDVGHWHUPLQDGDVSHOD&RPLVVmR

5(62/9( 

9,,  VROLFLWDU ODXGRV SDUHFHUHV DVVHVVRULDV H RXWUDV PHGLGDV TXH VH IDoDP QHFHVViULDV

$UWž$9(5%$5RWHPSRGH&RQWULEXLomRUHTXHULGRSHOD6HUYLGRUD3~EOLFD 0XQLFLSDO GR TXDGUR SHUPDQHQWH 6U 0$5,$ ,/'$ '26 6$1726 &267$ RFXSDQWH GR &DUJR GH 3URIHVVRU 6tPEROR ± 0$* &ODVVH(1tYHO,,,/RWDGDQD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH(GXFDomR(VSRUWHV

GHWHUPLQDGDVSHOD&RPLVVmR 9,,,3URYLGHQFLDUDSXEOLFDomRGRVDWRVGD&RPLVVmR

&XOWXUDH7XULVPR±6(0(&7DVHUFRPSXWDGRSDUDILQVGHDSRVHQWDGRULDH 'LVSRQLELOLGDGH QRV WHUPRV GR DUWLJR  3DUiJUDIR ÒQLFR GD /HL &RPSOHPHQWDU Qž GH  UHIHUHQWH DRV SHUtRGRV GH ž   j  ž   j  ž   j WRWDOL]DQGR WUH]HQWRVHWULQWDHGRLV GLDVFRUUHVSRQGHQWHD  ]HUR DQR RQ]H PHVHVH GRLV GLDV3UHVWDGRVDR*29(512'2 (67$'2'(0$72*52662'268/FRQIRUPH&7&QžHPLWLGD SHOD&RRUGHQDGRULDGH$GPLQLVWUDomRGH3HVVRDO6(*(6HP

,;$VVHVVRUDUDDXWRULGDGHVXSHULRU ;3UHVWDUDVLQIRUPDo}HVVROLFLWDGDV ;,  6ROLFLWDU j DXWRULGDGH FRPSHWHQWH RV LQVWUXPHQWRV QHFHVViULRV SDUD R GHVHPSHQKR GDV IXQo}HVDIHWDVj&RPLVVmRDTXDOSUHVLGH ;,,  (QYLDU R SURFHVVR OLFLWDWyULR SDUD DVVHVVRULDSURFXUDGRULD MXUtGLFD SDUD SDUHFHU MXUtGLFR DQWHVGRHQYLRGRSURFHVVRSDUDKRPRORJDomRHDGMXGLFDomRGDDXWRULGDGHFRPSHWHQWH $UWž&RPSHWHD R 6HFUHWiULD R GD&RPLVVmR3HUPDQHQWHGH/LFLWDomR ,  $WHQGHU jV FRQYRFDo}HV IHLWDV SHOR 3UHVLGHQWH DX[LOLDQGR QD FRQGXomR GDV VHVV}HV H GDV UHXQL}HV ,,/DYUDUDVDWDVGDVVHVV}HVHUHXQL}HVGD&RPLVVmR ,,,&UHGHQFLDURVSDUWLFLSDQWHVGRVFHUWDPHV ,99RWDUQDVGHOLEHUDo}HVGRVSURFHVVRVOLFLWDWyULRVHPTXHSDUWLFLSDU



$UWž (VWDSRUWDULDHQWUDHPYLJRUQDGDWDGHVXD3XEOLFDomRUHYRJDGDVDV GLVSRVLo}HVHP&RQWUiULR

 *$%,1(7('$ 35()(,7$ 081,&,3$/ '( )È7,0$ '2 68/ ± 06 DRV GH]HVVHWH GLDV GR PrV GH MDQHLUR GR DQR GH GRLV PLO H GH]RLWR   

,/'$6$/*$'20$&+$'2 3UHIHLWD0XQLFLSDO

93UHSDUDUWRGRVRVUHFXUVRVHOHWURHOHWU{QLFRVTXHVHIL]HUHPQHFHVViULRVSDUDDUHDOL]DomRGDV VHVV}HV

 9,  3UHSDUDU R ORFDO GH UHDOL]DomR GDV VHVV}HV SDUD UHFHEHU RV PHPEURV GD FRPLVVmR

SDUWLFLSDQWHVHGHPDLVLQWHUHVVDGRV 9,,5HGLJLUDVFRUUHVSRQGrQFLDVDYLVRVHDWRVGD&RPLVVmR 9,,,&RQWURODUHFHUWLILFDURVSUD]RVQRSURFHVVROLFLWDWyULRV ,;$WHQGHUjVGHWHUPLQDo}HVGR3UHVLGHQWHGD&RPLVVmR $UWž&RPSHWHDRVPHPEURVGD&RPLVVmR ,$WHQGHUHPjVFRQYRFDo}HVIHLWDVSHOR3UHVLGHQWHGD&RPLVVmRSDUDSDUWLFLSDomRQDVUHXQL}HV HVHVV}HV ,,9RWDUHPQDVGHOLEHUDo}HVGRVSURFHVVRVOLFLWDWyULRVHPTXHWLYHUHPSDUWLFLSDomR ,,,$X[LOLDUHPR3UHVLGHQWHHR6HFUHWiULRGD&RPLVVmRHPVXDVVROLFLWDo}HV ,9  6XEVWLWXtUHP TXDLVTXHU GRV PHPEURV TXDQGR QHFHVViULR RX VROLFLWDGR LQFOXVLYH R 3UHVLGHQWHFRQVWDQGRHPDWDDVXEVWLWXLomR $UW ž  (VWD 3RUWDULD HQWUD HP YLJRU QD GDWD GH VXD DVVLQDWXUD UHYRJDGDV DV GLVSRVLo}HV HP FRQWUiULRHPHVSHFLDOD3RUWDULDQGHGHDEULOGH.

A APM da ESCOLA ESTADUAL MINISTRO JOÃO PAULO DOS REIS VELOSO, através de seu Presidente (a) Inocência Marques Almiron ao final assinado, torna público que por intermédio da Equipe de Apoio designada pelo Ato de Designação nº 01/2018, realizará às 08:00 horas, do dia 05/02/2018, na própria escola situada na Rua João Vicente Ferreira, 243, Jardim Tropical nesse município, a licitação na modalidade “Pregão Presencial” para aquisição de gêneros alimentícios que serão destinados para a merenda escolar da Escola Estadual Ministro João Paulo dos Reis Veloso. O processo n.29/001113/2018, contendo o edital e demais informações, encontram-se à disposição dos interessados na sede da Associação de Pais e Mestres da EE Ministro João Paulo dos Reis Veloso situada à Rua João Vicente Ferreira, 243, Jardim Tropical, Dourados. Dourados-MS, 24 de janeiro de 2018.

'RXUDGLQD06GHMDQHLURGH Jean Sérgio Clavisso Fogaça 3UHIHLWR0XQLFLSDO

Inocência Marques Almiron Presidente da APM da Escola Estadual Ministro João Paulo dos Reis Veloso.

EXTRATO DO CONTRATO CONTRATANTE : CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO MATO GROSSO DO SUL, CNPJ 01.578.616/0001-07, sediado em Campo Grande/MS, na Rua Euclides da Cunha, n.º 994, Jardim dos Estados CONTRATADA: RPR CRIAÇÕES GRÁFICAS LTDA., CNPJ sob nº 08.726.196/0001-08, sediada em Campo Grande/MS, na Rua Alegrete, nº 82, Bairro Benjamin Constant OBJETO DO CONTRATO: Confecção da 58ª edição do Jornal Institucional do CRC/MS Do Preço e Vigência: R$ 8.350,00 (oito mil trezentos e cinquenta reais) Assinam o Contrato: RUBERLEI BULGARELLI (Presidente do CRC/MS – Contratante) e RAFAEL BOGAMIL QUIRINO (Contratada). EXTRATO DO CONTRATO CONTRATANTE : CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO MATO GROSSO DO SUL, CNPJ 01.578.616/0001-07, sediado em Campo Grande/MS, na Rua Euclides da Cunha, n.º 994, Jardim dos Estados CONTRATADA: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, CNPJ sob nº 00.360.305/0001-04, sediada em Brasília/DF, no SBS – Quadra 4, lotes 3/4, 18º andar OBJETO DO CONTRATO: Prestação de serviços de cobrança bancária (Convênios 827536, 503825, 532626 e 541207) Do Preço e Vigência: Valores cobrados de acordo com Tabela de Tarifas Bancárias presente no contrato, vigente até 03/08/2018 Assinam o Contrato: RUBERLEI BULGARELLI (Presidente do CRC/MS – Contratante) e MIGUEL PIO S. DOS SANTOS (Contratada). EXTRATO DO CONTRATO CONTRATANTE : CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO MATO GROSSO DO SUL, CNPJ 01.578.616/0001-07, sediado em Campo Grande/MS, na Rua Euclides da Cunha, n.º 994, Jardim dos Estados CONTRATADA: SPIDERWARE CONSULTORIA EM INFORMÁTICA LTDA., CNPJ sob nº 40.162.372/0001-39, sediada no Rio de Janeiro/RJ, na Rua Mayrink Veiga, nº 11/804 e 805, Centro OBJETO DO CONTRATO: Prestação de serviços de análise e programação, tendo direito à manutenção, suporte, evolução e utilização dos sistemas Do Preço e Vigência: R$ 36.000,00 (trinta e seis mil reais), vigente até o dia 30/12/2018 Assinam o Contrato: RUBERLEI BULGARELLI (Presidente do CRC/ MS – Contratante) e PAULO ROBERTO CAMARGO ARANHA (Contratada). EXTRATO DO CONVÊNIO CONTRATANTE : CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO MATO GROSSO DO SUL, CNPJ 01.578.616/0001-07, sediado em Campo Grande/MS, na Rua Euclides da Cunha, n.º 994, Jardim dos Estados CONTRATADA: INSTITUTO DE ESTUDOS DE PROTESTO DE TÍTULOS DO BRASIL SEÇÃO MS, CNPJ sob nº 07.450.732/0001-22, sediada em Campo Grande/MS, na Rua Mar da Caraíba, nº 50 OBJETO DO CONTRATO: Encaminhamento pelo CRC/MS, de seus títulos judiciais e extrajudiciais, pertencentes à entidade, bem como na execução dos procedimentos de distribuição dos títulos ou documentos de dívida a protesto e dos procedimentos relativos ao protesto pelos TABELIONATOS membros do INSTITUTO Do preço e vigência: valores de custas com indenização de transporte para intimação do devedor, vigente até o dia 31/12/2018 Assinam o Contrato: RUBERLEI BULGARELLI (Presidente do CRC/ MS – Contratante) e ALEXANDRE REZENDE PELLEGRINI (Contratada).


ATOS OFICIAIS

5

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO Relatório Resumido de Execução Orçamentária

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

Anexo 1 - Balanço Orçamentário

Anexo 3 - Demonstrativo da Receita Corrente Líquida Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 53, inciso I- Anexo 3

Lei LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e §1º- Anexo 1 Nº 1

RECEITAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) RECEITAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I)

Receitas Realizadas

Previsão Atualizada (a)

Previsão Inicial

No Bimestre (b)

% (b/a)

Até o Bimestre (c)

Saldo (a - c)

% (c/a)

Evolução da Receita Realizada nos últimos 12 meses

ESPECIFICAÇÃO

1

RECEITAS CORRENTES (I)

2

RECEITA TRIBUTÁRIA

Jan/2017

Fev/2017

11.568.291,02

99.146.227,79

105.949.000,00

885.117,87

1.211.889,37

12.355.302,65

14.050.500,00

13.343,49

59.642,17

1.404.824,15

93.890,73

95.508,87

122.571,00

538.624,37

451.189,53

517.035,61

757.981,25

590.733,56

567.184,68

59.992,13

13.278,26

11.724,92

25.829,03

39.570,71

43.251,02

49.082,45

83.673,65

32.668,80

11.574,64

59.237,12

449.054,49

850.000,00

331.102,59

77.751,85

269.256,38

186.214,85

292.085,42

216.248,25

221.583,12

220.855,69

220.537,75

347.437,44

527.451,68

2.910.525,02

2.100.000,00

3

IPTU

14.050.500,00

14.050.500,00

2.097.007,24

14,92

12.355.302,65

87,93

1.695.197,35

4

ISS

12.750.000,00

12.750.000,00

2.041.848,07

16,01

11.892.418,94

93,27

857.581,06

5

ITBI

19.171,76

2.300.000,00

2.300.000,00

99.881,24

4,34

2.066.921,55

89,87

233.078,45

6

IRRF

0,00

850.000,00

70.811,76

8,33

449.054,49

52,83

400.945,51

7.500.000,00

996.265,95

13,28

6.465.917,88

86,21

1.034.082,12

Outros Impostos

2.100.000,00

2.100.000,00

874.889,12

8 9 10 11

132.154,95

107.218,64

18.087,40

19.301,29

28.698,60

33.475,93

17.326,18

27.813,25

19.490,21

35.668,96

462.883,71

1.300.500,00

412.926,08

493.451,23

210.549,47

519.068,38

377.476,24

614.638,42

360.503,66

107.894,13

621.521,52

133.348,94

515.037,57

4.644.632,63

4.806.500,00

9

RECEITA PATRIMONIAL

240.526,02

270.486,42

243.485,52

132.604,22

77.779,06

152.153,21

384.966,63

232.051,60

199.290,70

87.942,84

45.910,22

151.592,21

2.218.788,65

2.922.655,00

138,60

(810.525,02)

10

RECEITA AGROPECUÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

425.231,17

65,37

225.268,83

11

RECEITA INDUSTRIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

37.652,54

5,79

612.347,46

12

RECEITA DE SERVIÇOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

4.806.500,00

4.806.500,00

648.386,51

13,49

4.644.632,63

96,63

161.867,37

13

TRANSFERÊNCIAS CORRENTES

5.870.702,58

6.453.721,28

6.252.816,89

5.762.378,36

6.518.738,03

5.938.272,60

6.638.698,03

5.652.554,13

5.602.331,43

8.178.988,01

5.845.965,61

9.620.225,14

78.335.392,09

83.358.345,00

3.056.500,00

3.056.500,00

520.255,40

17,02

3.086.782,75

100,99

(30.282,75)

14

Cota-Parte do FPM

1.546.635,72

1.982.745,37

1.217.993,72

1.496.774,11

1.697.831,87

1.564.918,96

2.020.550,54

1.370.725,60

1.150.947,41

1.304.351,91

1.341.079,13

2.588.274,64

19.282.828,98

22.400.000,00

2.514.815,86

2.019.190,76

0,00

0,00

0,00

Cota-Parte do ICMS

1.995.335,64

1.179.687,18

2.465.458,12

1.961.969,18

2.270.406,65

1.920.365,73

2.354.596,22

2.081.240,55

2.026.976,06

2.687.454,12

25.477.496,07

26.380.000,00

Cota-Parte do IPVA

128.804,93

1.270.120,26

146.897,07

207.979,22

157.523,36

175.506,61

97.809,74

85.484,35

101.714,65

53.118,56

42.731,85

38.887,50

2.506.578,10

2.300.000,00

Cota-Parte do ITR

187.831,33

3.323,02

12.874,12

13.106,73

5.157,58

7.043,66

12.333,11

5.546,03

44.323,44

1.470.438,80

309.192,79

320.469,14

2.391.639,75

Transferências da LC 87/1996

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19

Transferências da LC 61/1989

0,00

22.305,71

25.383,65

19.947,09

24.086,15

22.599,54

22.722,41

25.525,85

23.886,21

25.513,27

32.198,36

26.291,77

270.460,01

265.000,00

692.844,14

20

Transferências do FUNDEB

1.423.387,99

1.229.173,00

1.445.398,38

1.268.193,24

1.447.879,50

1.253.971,01

1.370.056,38

1.257.114,25

1.201.958,32

1.591.582,60

1.252.524,06

1.689.155,88

16.430.394,61

17.450.000,00

0,00

0,00

21

Outras Transferências Correntes

588.706,97

766.366,74

938.811,83

794.408,79

915.852,92

993.867,09

760.629,63

826.917,50

1.052.525,34

1.219.167,01

849.048,66

2.269.692,09

11.975.994,57

12.013.345,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

89,02

192.150,12

75,92

703.866,35

14.977,79

57,61

11.022,21

2.896.655,00

2.896.655,00

197.502,43

6,82

2.203.810,86

76,08

Receita de Concessões e Permissões

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19

Compensações Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

20

Receita Decorrente do Direito de Exploração de Bens Públicos em Áreas de Domínio Público

0,00

0,00

0,00

0,00

21

Receita da Cessão de Direito

0,00

0,00

0,00

0,00

22

Outras Receitas Patrimoniais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA AGROPECUÁRIA

24

Receita da Produção Vegetal

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

25

Receita da Produção Animal e Derivados

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26

Outras Receitas Agropecuárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA INDUSTRIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

28

Receita da Indústria Extrativa Mineral

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

29

Receita da Indústria de Transformação

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

30

Receita da Indústria de Construção

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

31

Outras Receitas Industriais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

32

RECEITA DE SERVIÇOS

33

TRANSFERÊNCIAS CORRENTES

0,00

34

Transferências Intergovernamentais

35

Transferências de Instituições Privadas

36

Transferências do Exterior

37

Transferências de Pessoas Transferências de Convênios

0,00

42

Indenizações e Restituições

43

Receita da Dívida Ativa

44

Receitas Decorrentes de Aportes Periódicos para Amortização de Déficit Atuarial do RPPS

45

Receitas Correntes Diversas RECEITAS DE CAPITAL

0,00

0,00

61.944,79

56.927,71

51.725,27

69.546,73

1.592.111,77

811.000,00

713.704,45

669.569,40

1.073.647,59

748.914,18

973.499,40

9.648.053,94

(10.499.000,00)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26

Dedução de Receita para Formação do FUNDEB

771.721,46

894.906,25

754.267,08

739.519,07

831.001,05

738.086,73

739.217,28

713.704,45

669.569,40

1.073.647,59

748.914,18

973.499,40

9.648.053,94

(10.499.000,00)

6.274.425,05

7.203.117,71

8.561.970,53

6.617.484,25

8.136.912,95

6.796.862,05

7.760.157,40

6.359.285,72

6.184.038,02

8.795.974,82

6.213.153,73

10.594.791,62

89.498.173,85

116.448.000,00

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA (III) = (I - II)

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

0,00

68.687.338,15

94,27

4.172.006,85

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

67.783.771,15

94,32

4.085.573,85

Anexo 4 - Demonstrativo das Receitas e Despesas Previdenciárias do RPPS

80.000,00

615,38

(67.000,00)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

7.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

7.000,00

970.000,00

970.000,00

99.022,00

10,21

823.567,00

84,90

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

811.000,00

121.272,00

14,95

1.592.111,77

196,31

(781.111,77)

403.000,00

47.950,17

11,90

379.681,72

94,21

23.318,28

28.000,00

28.000,00

202,94

0,72

13.489,30

48,18

14.510,70

380.000,00

380.000,00

73.118,89

19,24

388.940,75

102,35

(8.940,75)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

810.000,00

0,00

(810.000,00)

7.199.500,00

7.199.500,00

25.214,55

0,35

1.634.716,70

22,71

5.564.783,30

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

49

Operações de Crédito Externas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

50.000,00

50.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

50.000,00

50.000,00

50.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

50.000,00

0,00

0,00

ALIENAÇÃO DE BENS Alienação de Bens Móveis Alienação de Bens Imóveis

0,00

0,00

0,00

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 53, inciso II- Anexo 4

146.433,00

0,00

811.000,00 403.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

7.149.500,00

7.149.500,00

25.214,55

0,35

1.634.716,70

22,86

5.514.783,30

55

Transferências Intergovernamentais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

56

Transferências de Instituições Privadas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

57

Transferências do Exterior

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

58

Transferências de Pessoas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

59

Transferências de Outras Instituições Públicas

0,00

0,00

0,00

0,00

7.149.500,00

7.149.500,00

25.214,55

0,00

0,00

0,00

Receitas Realizadas Nº 1 2 3

RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS - PLANO PREVIDENCIÁRIO

Receita de Contribuições dos Segurados Civil

4

Ativo

5

Inativo

6

Pensionista

7

Militar

0,00 3.394.110,30

13 14 15 16

Ativo

5.350.500,00

5.350.500,00

3.365.699,49

3.394.110,30

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

17

Ativo

0,00

0,00

0,00

0,00

18

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

20

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

21

2.301.000,00

2.301.000,00

1.804.512,88

1.829.541,97

0,35

1.634.716,70

22,86

5.514.783,30

22

Receitas Imobiliárias

0,00

0,00

0,00

0,00

23

Receitas de Valores Mobiliários

Em Regime de Parcelamento de Débitos Receita Patrimonial

Dív. Atv. Prov. da Amortiz. de Emp. e Financ.

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26

Receita de Aporte Periódico de Valores Predefinidos

Receita Auferida por Detentores de Títulos do Tesouro Nacional Resgatados

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

27

Outras Receitas Correntes

66

Receitas da Alienação de Certificados de Potencial Adicional de Construção – CEPAC

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

28

Compensação Previdenciária do RGPS para o RPPS Demais Receitas Correntes

94.498.590,04

87,50

13.501.409,96

31

Alienação de Bens, Direitos e Ativos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

32

Amortização de Empréstimos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

33

Outras Receitas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

34

10.965.000,00

10.965.000,00

8.524.370,23

8.072.949,66

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

17.755.937,13

16,44

94.498.590,04

87,50

13.501.409,96

35

0,00

2.074.132,98

0,00

0,00

0,00

0,00

2.074.132,98

36

108.000.000,00

110.074.132,98

17.755.937,13

16,13

94.498.590,04

85,85

15.575.542,94

37

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Recursos Arrecadados em Exercícios Anteriores - RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

82

Superávit Financeiro Utilizado para Créditos Adicionais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

83

Reabertura de Créditos Adicionais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Saldo (g) = (e-f)

Até o Bimestre (f)

No Bimestre

Até o Bimestre (h)

Saldo (i) = (e-h)

Despesas Pagas Até o Bimestre (j)

38

3.150.000,00

2.287.496,58

7.225,50

3.190,00

7.225,50

3.190,00

0,00

0,00

4.077.000,00

4.394.154,65

4.253.415,53

3.385.290,96

4.253.415,53

3.385.290,96

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00 0,00

Aposentadorias

2.600.000,00

2.735.733,86

2.735.733,86

2.235.204,73

2.735.733,86

2.235.204,73

0,00

Pensões

727.000,00

727.000,00

586.260,88

575.434,54

586.260,88

575.434,54

0,00

42

Outros Benefícios Previdenciários

750.000,00

931.420,79

931.420,79

574.651,69

931.420,79

574.651,69

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Reformas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensões

0,00

0,00

0,00

0,00

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados (k)

43 44

Benefícios - Militar

0,00

106.331.548,23

7.701.216,00

88.055.488,73

18.276.059,50

15.585.849,46

88.055.488,73

18.276.059,50

85.485.577,98

0,00

45

0,00

0,00

0,00

0,00

94.435.057,32

8.191.365,32

83.967.782,43

10.467.274,89

14.373.582,68

83.967.782,43

10.467.274,89

81.448.048,92

0,00

46

Outros Benefícios Previdenciários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

57.642.629,36

10.036.934,78

53.857.643,55

3.784.985,81

10.155.466,81

53.857.643,55

3.784.985,81

53.536.651,10

0,00

47

Outras Despesas Previdenciárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

48

Compensação Previdenciária do RPPS para o RGPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

37.396.712,00

36.792.427,96

(1.845.569,46)

30.110.138,88

6.682.289,08

4.218.115,87

30.110.138,88

6.682.289,08

27.911.397,82

0,00

49

Demais Despesas Previdenciárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14.038.000,00

8.751.018,43

(490.149,32)

4.087.706,30

4.663.312,13

1.212.266,78

4.087.706,30

4.663.312,13

4.037.529,06

0,00

50

7.919.527,52

7.374.178,75

4.837.166,85

3.678.385,40

4.837.166,85

3.678.385,40

0,00

0,00

13.858.000,00

8.237.832,58

(791.164,66)

3.574.520,45

4.663.312,13

911.251,44

3.574.520,45

4.663.312,13

3.524.343,21

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

513.185,85

301.015,34

3.145.472,48

513.185,85

0,00

0,00

0,00

301.015,34

3.145.472,48

513.185,85

0,00

0,00

0,00

513.185,85

0,00

0,00

0,00

3.145.472,48

51

5.350.500,00

3.742.584,75

(901.514,40)

3.385.228,99

357.355,76

118.470,93

3.385.228,99

357.355,76

3.385.228,99

0,00

110.074.132,98

6.799.701,60

91.440.717,72

18.633.415,26

15.704.320,39

91.440.717,72

18.633.415,26

88.870.806,97

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

52

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Nº 53

0,00

Até o Bimestre 2016 4.394.564,26

Até o Bimestre 2017 3.687.203,38

Até o Bimestre 2016

Em 2017

4.394.564,26

Em 2016 0,00

0,00

RECURSOS RPPS ARRECADADOS EM EXERCÍCIOS ANTERIORES

Previsão Orçamentária

RESERVA ORÇAMENTÁRIA DO RPPS

Previsão Orçamentária

VALOR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

91.440.717,72

18.633.415,26

15.704.320,39

91.440.717,72

18.633.415,26

88.870.806,97

0,00

54

Plano de Amortização - Contribuição Patronal Suplementar

0,00

0,00

0,00

3.687.203,38

Inscritas em restos a pagar não Processados

0,00

0,00

0,00

Até o Bimestre 2017

3.590.821,25

Despesas Liquidadas

6.799.701,60

0,00

0,00

3.045.472,48

Dotação Atualizada

0,00

0,00

0,00

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (VII) = (III – VI)

Dotação Inicial

110.074.132,98

0,00

0,00

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (VII) = (III – VI)

0,00

0,00

Outras Dívidas

0,00

0,00

108.000.000,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

Despesas Empenhadas

108.000.000,00

Amortização da Dívida Externa

0,00

TOTAL DAS DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS (VI) = (IV + V)

0,00

0,00

0,00

VALOR

0,00 APORTES DE RECURSOS PARA O PLANO PREVIDENCIÁRIO DO RPPS

Aportes Realizados

0,00

0,00

0,00

3.057.872,32

0,00

0,00

3.057.872,32

0,00

5.627.783,07

0,00

55

Plano de Amortização - Aporte Periódico de Valores Predefinidos

0,00

108.000.000,00

110.074.132,98

6.799.701,60

94.498.590,04

15.575.542,94

15.704.320,39

94.498.590,04

15.575.542,94

94.498.590,04

0,00

56

Outros Aportes para o RPPS

0,00

0,00

57

Recursos para Cobertura de Déficit Financeiro

RESERVA DO RPPS

0,00

0,00

0,00

RECEITAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receitas Realizadas

Previsão Atualizada (a)

Previsão Inicial

0,00

No Bimestre (b)

% (b/a)

Até o Bimestre (c)

% (c/a)

RECEITAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (II)

5.350.500,00

5.350.500,00

922.777,23

17,25

3.365.699,49

62,90

1.984.800,51

108

RECEITAS CORRENTES

5.350.500,00

5.350.500,00

922.777,23

17,25

3.365.699,49

62,90

1.984.800,51

109

RECEITA TRIBUTÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

110

Impostos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

111

Taxas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Contribuição de Melhoria

0,00

RECEITA DE CONTRIBUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Saldo (a - c)

107

113

0,00

Despesas de Capital PREVIDÊNCIA (V)

41

0,00

112

0,00

40

0,00

289.904,44

3.385.290,96

0,00

106

0,00

576.525,82

4.253.415,53

0,00

TOTAL (XIV) = (XII + XIII)

Em 2016

293.094,44

289.904,44

3.385.290,96

0,00

SUPERÁVIT (XIII)

Em 2017

583.751,32

576.525,82

4.253.415,53

0,00

105

Até o Bimestre 2016

293.094,44

692.527,52

4.394.154,65

Outras Dívidas

104

Até o Bimestre 2017

583.751,32

692.527,52

4.077.000,00

Dívida Mobiliária

SUBTOTAL C/ REFINANCIAMENTO (XII) = (X + XI)

Até o Bimestre 2016

2.980.024,10

Despesas Correntes

47.839.788,00

180.000,00

103

Até o Bimestre 2017

3.842.527,52

Benefícios - Civil

99

102

Dotação Atualizada

Inscritas em restos a pagar não Processados

85.236.500,00

Amortização da Dívida Interna

101

Dotação Inicial

0,00

39

98

100

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - PLANO PREVIDENCIÁRIO ADMINISTRAÇÃO (IV)

Despesas Liquidadas

0,00

102.649.500,00

3.375.000,00

AMORTIZAÇÃO DA DÍV. / REFINANCIAMENTO (XI)

97

0,00 108.000.000,00

Despesas Liquidadas

TOTAL DAS RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS - (III) = (I + II)

0,00

0,00

0,00

Despesas Empenhadas

RECEITAS DE CAPITAL (II)

Despesas Empenhadas

108.000.000,00

81

96

0,00

16,44

0,00

0,00

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

0,00

17.755.937,13

Contratual

RESERVA DE CONTINGÊNCIA

0,00

0,00

Mobiliária

DESPESAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (IX)

0,00

0,00

Operações de Crédito Externas

SUBTOTAL DAS DESPESAS (X) = (VIII + IX)

234.538,75

108.000.000,00

0,00

95

267.375,11

0,00

0,00

94

250.000,00

0,00

0,00

93

0,00

250.000,00

108.000.000,00

0,00

92

0,00

30

0,00

INVERSÕES FINANCEIRAS

7.000,00

0,00

0,00

91

7.000,00

1.984.800,51

0,00

INVESTIMENTOS

0,00 234.538,75

0,00

Contratual

90

0,00 267.375,11

62,90

73

DESPESAS DE CAPITAL

0,00

0,00 257.000,00

0,00

0,00

89

0,00

0,00 257.000,00

3.365.699,49

0,00

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

0,00

0,00

0,00

88

0,00

0,00

17,25

0,00

JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA

0,00

0,00

0,00

0,00

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

0,00

922.777,23

0,00

DESPESAS CORRENTES

0,00 1.829.541,97

0,00

0,00

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII)

0,00 1.804.512,88

5.350.500,00

Mobiliária

87

0,00 2.301.000,00

0,00

72

86

0,00 2.301.000,00

5.350.500,00

Operações de Crédito Internas

85

Outras Receitas Patrimoniais

0,00

29

Outras Receitas de Capital

84

0,00

Inativo Militar

65

No Bimestre

0,00

3.365.699,49

64

Dotação Inicial (d)

0,00

5.350.500,00

Civil

Receita de Serviços

DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS)

0,00

5.350.500,00

12

25

0,00

3.394.110,30

24

Dotação Atualizada (e)

0,00

0,00

3.365.699,49

0,00

TOTAL (VII) = (V + VI)

0,00

5.350.500,00

Receita de Contribuições Patronais

0,00

SALDOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

1.000,00

5.350.500,00

11

0,00

79

13.244,23

1.000,00

0,00

0,00

80

19.887,72

0,00

0,00

DÉFICIT (VI)

15.000,00

0,00

0,00

78

2.601.514,41

15.000,00

Pensionista

10

0,00

SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (V) = (III + IV)

2.614.758,64

3.066.895,03

0,00

0,00

77

3.086.782,75

3.040.500,00

0,00

0,00

76

3.056.500,00

3.040.500,00

0,00

0,00

75

2.614.758,64

3.056.500,00

Inativo

0,00

74

3.086.782,75

9

0,00

SUBTOTAL DAS RECEITAS (III) = (I + II)

3.056.500,00

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO / REFINANCIAMENTO (IV)

8.072.949,66

3.056.500,00

0,00

0,00

71

Até o Bimestre 2016

8.524.370,23

0,00

Integralização do Capital Social

69

Até o Bimestre 2017

10.965.000,00

Ativo

OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL

70

Previsão Atualizada

10.965.000,00

8

63

RECEITAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (II)

Previsão Inicial

RECEITAS CORRENTES (I)

62

68

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

18,86

0,00

67

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

18,87

7.000,00

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

615,38

0,00

Transferências de Convênios

54.776,44

739.217,28

0,00

0,00

80.000,00

0,00

Transferências para o Combate à Fome

21.187,12

738.086,73

0,00

0,00

13.743.777,17

0,00

60

26.333,63

831.001,05

0,00

0,00

13.564.755,17

0,00

61

935.954,82

739.519,07

0,00

13.000,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

11.399,35

754.267,08

0,00

72.859.345,00

Operações de Crédito Internas

AMORTIZAÇÕES DE EMPRÉSTIMOS

181.439,15

0,00

0,00

71.869.345,00

48

54

38.768,89 894.906,25

0,00

Compensação Financ. entre Regimes Previdência

DEDUÇÕES (II)

13.000,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

53

82.107,87 771.721,46

Contrib. para o Plano de Previdência do Servidor

27

OUTRAS RECEITAS CORRENTES

0,00

25

72.859.345,00

0,00

Multas e Juros de Mora

0,00

22

2.550.000,00

24

23

71.869.345,00

Transferências para o Combate à Fome OUTRAS RECEITAS CORRENTES

41

0,00

0,00

15

0,00

1.557.849,88 2.218.788,65

0,00

18

0,00

18

0,00

7,32 6,76

0,00

Receitas de Valores Mobiliários

0,00

17

0,00

128.131,11 197.502,43

26.000,00

17

0,00

16

0,00

1.750.000,00

52

20.194,87

278.216,99

2.910.525,02

2.922.655,00

51

3.453,43

RECEITA DE CONTRIBUIÇÕES

6,64

26.000,00

50

Outras Receitas Tributárias

8

1,84

2.922.655,00

47

7

41,66

1.750.000,00

46

2.300.000,00 7.500.000,00

43.216,72

Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública

40

2.066.921,55 6.465.917,88

11.942,45

Receitas Imobiliárias

38

65.543,76 523.987,85

650.500,00

RECEITA PATRIMONIAL

39

34.337,48 472.278,10

650.000,00

15

27

61.198,98 582.023,55

650.500,00

16

23

23.102,16 537.188,69

650.000,00

Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico - CIDE

14

41.319,84 427.643,00

Taxas

Contribuições Sociais

13

51.638,92 500.047,69

Contribuição de Melhoria RECEITA DE CONTRIBUIÇÕES

12

Previsão Atualizada

6.962.067,91

924.242,33

RECEITA TRIBUTÁRIA

850.000,00

Total (ùltimos 12 Meses)

Dez/2017

9.869.622,41

882.146,37

3

7.500.000,00

Nov/2017

6.853.607,42

773.104,34

5.951.826,15

ISS

Out/2017

7.072.990,17

839.884,48

93,76

ITBI

Set/2017

8.499.374,68

1.040.713,10

11.516.609,45

89.498.173,85

7

Ago/2017

7.534.948,78

916.373,71

88,78

17,61

6

Jul/2017

8.967.914,00

1.240.071,92

91.132.890,55

16.807.945,35

IPTU

Jun/2017

7.357.003,32

2.145.044,82

16,40

95.450.000,00

Impostos

Mai/2017

9.316.237,61

922.121,29

16.833.159,90

95.450.000,00

5

Abr/2017

8.098.023,96

574.593,05

102.649.500,00

RECEITAS CORRENTES

4

Mar/2017

7.046.146,51

102.649.500,00

2

Período de Referência

RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS - PLANO FINANCEIRO

2017

2016

58

Caixa e Equivalentes de Caixa

18.370.266,13

14.683.062,75

59

Investimentos e Aplicações

0,00

0,00

60

Outros Bens e Direitos

0,00

0,00

Receitas Realizadas Nº

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - PLANO FINANCEIRO

Previsão Inicial

Previsão Atualizada

0,00

5.350.500,00

5.350.500,00

922.777,23

17,25

3.365.699,49

62,90

1.984.800,51

61

114

Contribuições Sociais

5.350.500,00

5.350.500,00

922.777,23

17,25

3.365.699,49

62,90

1.984.800,51

62

115

Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

63

116

Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

64

Ativo

RECEITAS CORRENTES (VIII)

Até o Bimestre 2017

Até o Bimestre 2016

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receita de Contribuições dos Segurados Civil

117

RECEITA PATRIMONIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

65

118

Receitas Imobiliárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

66

119

Receitas de Valores Mobiliários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

67

120

Receita de Concessões e Permissões

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

68

Ativo

0,00

0,00

0,00

0,00

121

Compensações Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

69

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

122

Receita Decorrente do Direito de Exploração de Bens Públicos em Áreas de Domínio Público

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

70

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

123

Receita da Cessão de Direitos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

71

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

72

0,00

0,00

0,00

0,00

124 125

Outras Receitas Patrimoniais

0,00

RECEITA AGROPECUÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

126

Receita da Produção Vegetal

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

127

Receita da Produção Animal e Derivados

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

128

Outras Receitas Agropecuárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

129

RECEITA INDUSTRIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

74

Inativo

0,00

0,00

0,00

0,00

75

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00 0,00

76

Ativo

0,00

0,00

0,00

78

Inativo

0,00

0,00

0,00

79

Pensionista

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Receitas Imobiliárias

0,00

0,00

Receitas de Valores Mobiliários

0,00

Outras Receitas Patrimoniais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

131

Receita da Indústria de Transformação

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

132

Receita da Indústria de Construção

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

80

133

Outras Receitas Industriais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

81

0,00

TRANSFERÊNCIAS CORRENTES

Militar

77

0,00

RECEITA DE SERVIÇOS

Civil Ativo

Receita da Indústria Extrativa Mineral

135

Receita de Contribuições Patronais

73

130

134

Militar

Em Regime de Parcelamento de Débitos Receita Patrimonial

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

82

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

83

0,00

0,00

0,00

136

Transferências Intergovernamentais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

84

0,00

0,00

0,00

0,00

137

Transferências de Instituições Privadas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

85

Receita de Serviços

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

86

Outras Receitas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

Compensação Previdenciária do RGPS para o RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

Demais Receitas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

138

Transferências do Exterior

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

139

Transferências de Pessoas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

87

140

Transferências de Convênios

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

88

141

Transferências para o Combate à Fome

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

89

RECEITAS DE CAPITAL (IX)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

90

Alienação de Bens, Direitos e Ativos

0,00

0,00

0,00

0,00

143

Multas e Juros de Mora

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

91

Amortização de Empréstimos

0,00

0,00

0,00

0,00

144

Indenizações e Restituições

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

92

Outras Receitas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

142

OUTRAS RECEITAS CORRENTES

145

Receita da Dívida Ativa

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

146

Receita Decorrentes de Aportes Periódicos para Amortização de Déficit Atuarial do RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

147

Receitas Correntes Diversas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

148 149

RECEITAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TOTAL DAS RECEITAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS - (X) = (VIII + IX) Despesas Empenhadas

DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS - RPPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

150

Operações de Crédito Internas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

151

Operações de Crédito Externas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

97

PREVIDÊNCIA (XII)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

98

0,00

99

152 153 154

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

93

ALIENAÇÃO DE BENS Alienação de Bens Móveis Alienação de Bens Imóveis

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

94 95 96

155

AMORTIZAÇÕES DE EMPRÉSTIMOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

100

156

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

101 102

157

Transferências Intergovernamentais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

158

Transferências de Instituições Privadas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

159

Transferências do Exterior

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

160

Transferências de Pessoas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

161

Transferências de Outras Instituições Públicas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

162

Transferências de Convênios

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

163

Transferências para o Combate à Fome

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

164

OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

165

Integralização do Capital Social

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

166

Dív. Atv. Prov. da Amortiz. de Emp. e Financ.

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

167

Receita Auferida por Detentores de Títulos do Tesouro Nacional Resgatados

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

168

Receitas da Alienação de Certificados de Potencial Adicional de Construção – CEPAC

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

169

Outras Receitas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESPESAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS)

Dotação Inicial (d)

Despesas Empenhadas

Dotação Atualizada (e)

No Bimestre

Despesas Liquidadas

Saldo (g) = (e-f)

Até o Bimestre (f)

No Bimestre

Até o Bimestre (h)

Saldo (i) = (e-h)

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados (k)

Despesas Pagas Até o Bimestre (j)

170

DESPESAS (INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (IX)

5.350.500,00

3.742.584,75

(901.514,40)

3.385.228,99

357.355,76

118.470,93

3.385.228,99

357.355,76

3.385.228,99

0,00

171

DESPESAS CORRENTES

5.350.500,00

3.742.584,75

(901.514,40)

3.385.228,99

357.355,76

118.470,93

3.385.228,99

357.355,76

3.385.228,99

0,00

5.350.500,00

3.742.584,75

(901.514,40)

3.385.228,99

357.355,76

118.470,93

3.385.228,99

357.355,76

3.385.228,99

0,00

JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA

0,00

0,00

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

0,00

172 173

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

176

INVESTIMENTOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

177

INVERSÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

178

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

174 175

DESPESAS DE CAPITAL

Dotação Inicial

ADMINISTRAÇÃO (XI)

Dotação Atualizada

Até o Bimestre 2017

Despesas Liquidadas

Até o Bimestre 2016

Até o Bimestre 2017

Inscritas em restos a pagar não Processados

Até o Bimestre 2016

Em 2017

Em 2016

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas de Capital

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Benefícios - Civil

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Aposentadorias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pensões

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outros Benefícios Previdenciários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Benefícios - Militar

103

Reformas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

104

Pensões

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

105

Outros Benefícios Previdenciários

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

106

Outras Despesas Previdenciárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

107

Compensação Previdenciária do RPPS para o RGPS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

108

Demais Despesas Previdenciárias

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

109

TOTAL DAS DESPESAS PREVIDENCIÁRIAS RPPS (XIII) = (XI + XII)

Despesas Empenhadas Nº 110

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (XIV) = (X – XIII)

Dotação Inicial

RESULTADO PREVIDENCIÁRIO (XIV) = (X – XIII)

Dotação Atualizada

0,00

Até o Bimestre 2017

0,00

Despesas Liquidadas

Até o Bimestre 2016

0,00

0,00

Até o Bimestre 2017

Inscritas em restos a pagar não Processados

Até o Bimestre 2016

0,00

Em 2017

0,00

Em 2016 0,00

APORTES DE RECURSOS PARA O PLANO FINANCEIRO DO RPPS

0,00 Aportes Realizados

111

Recursos para Cobertura de Insuficiências Financeiras

0,00

112

Recursos para Formação de Reserva

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO Relatório Resumido de Execução Orçamentária Anexo 5 - Demonstrativo do Resultado Nominal Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 _______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

Lei LRF, Art. 53, inciso III- Anexo 5

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

Saldo Nº

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO Relatório Resumido de Execução Orçamentária Anexo 2 - Demonstrativo da Execução das Despesas por Função/Subfunção Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 52, inciso II, alíneas "c"- Anexo 2 Nº 1 2 3 4

FUNÇÃO/SUBFUNÇÃO DESPESAS EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIA 01 - LEGISLATIVA

2.851.039,98

96,31 3,12

Saldo (c) = (a-b) 18.276.059,50 870.781,38

No Bimestre 15.585.849,46 234.637,78

Até o Bimestre (d) 88.055.488,73 2.851.039,98

% (d/total d) 96,28

Saldo (e) = (a-d) 18.276.059,50

3,04

870.781,38

0,00

286.356,78

2.851.039,98

3,12

870.781,38

234.637,78

2.851.039,98

3,04

870.781,38

0,00

866.822,49

9.931.943,07

10,86

872.422,93

1.605.498,62

9.931.943,07

10,86

872.422,93

0,00

225.000,00

36.995,49

204.627,62

0,22

20.372,38

43.212,75

204.627,62

0,22

20.372,38

0,00

8.603.300,00

8.126.472,48

626.127,58

7.449.988,12

8,15

676.484,36

1.201.074,28

7.449.988,12

8,15

676.484,36

0,00

725.300,00

792.003,04

118.741,75

741.364,88

0,81

50.638,16

120.920,35

741.364,88

0,81

50.638,16

0,00

124 - CONTROLE INTERNO

185.500,00

191.430,69

34.645,18

191.430,69

0,21

0,00

34.645,18

191.430,69

129 - ADMINISTRAÇÃO DE RECEITAS

736.000,00

781.556,72

102.659,27

757.388,80

0,83

24.167,92

123.275,34

757.388,80

0,83

24.167,92

0,00

131 - COMUNICAÇÃO SOCIAL

787.500,00

687.903,07

(52.346,78)

587.142,96

0,64

100.760,11

82.370,72

587.142,96

0,64

100.760,11

0,00

8 9

08 - ASSISTÊNCIA SOCIAL

4.495.550,00

12

241 - ASSISTÊNCIA AO IDOSO

182.732,00

13

242 - ASSISTÊNCIA AO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA

218.206,00

14

243 - ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

802.782,00

15

244 - ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA

3.291.830,00 10.965.000,00

09 - PREVIDÊNCIA SOCIAL 272 - PREVIDÊNCIA DO REGIME ESTATUTÁRIO 10 - SAÚDE 122 - ADMINISTRAÇÃO GERAL

20

301 - ATENÇÃO BÁSICA

10.965.000,00

377.159,33

4.435.476,30

4,85

173.417,58

(9.062,37)

154.377,30

0,17

219.079,11

(5.000,00)

138.913,99

0,15

80.165,12

29.250,00

138.913,99

0,15

80.165,12

1.178.905,03

35.380,60

935.720,98

1,02

243.184,05

196.280,10

935.720,98

1,02

243.184,05

0,00

4.089.983,20

355.841,10

3.206.464,03

3,51

883.519,17

601.104,88

3.206.464,03

3,51

883.519,17

0,00

10.419.651,23

1.065.028,84

4.837.166,85

5,29

5.582.484,38

1.083.306,28

4.837.166,85

5,29

5.582.484,38

0,00

5,29

5.582.484,38

1.083.306,28

4.837.166,85

5,29

5.582.484,38

0,00

25,44

2.775.348,74

3.901.237,43

23.256.428,69

25,45

2.775.348,74

10.419.651,23

1.065.028,84

4.837.166,85

4.435.476,30

33.814,87

154.377,30

4,85

1.225.908,62

0,00

5.661.384,92

19.040,28

860.449,85

0,00

0,17

19.040,28

0,00

4.843.567,68

5,30

1.045.716,90

1,14

802.905,91

0,00

8.403,82

126.630,13

0,14

126.569,87

0,00

36 37 38 39 40 41 42 43 44

2.407.454,37

Nº 11

305.745,00 0,00

363.042,42 0,00

30.338,24

199.964,86

0,00

0,00

5,30

0,22 0,00

163.077,56 0,00

50.382,56 0,00

199.964,86 0,00

233.491,74

0,22

163.077,56

0,00

0,00

0,00

Receitas Realizadas Nº

391.102,95

91.756,45

391.102,95

0,43

0,00

91.756,45

391.102,95

0,43

0,00

0,00

1

29.356.382,03

3.355.058,53

26.800.626,30

29,31

2.555.755,73

5.271.119,54

26.800.626,30

29,34

2.555.755,73

0,00

2

1.112.000,00

1.779.052,16

95.861,41

1.688.602,20

1,85

90.449,96

146.287,42

1.688.602,20

1,85

90.449,96

0,00

16.273.980,00

17.667.520,56

2.130.560,85

16.381.130,03

17,91

1.286.390,53

3.261.670,76

16.381.130,03

17,93

1.286.390,53

0,00

352.000,00

320.000,00

0,00

320.000,00

0,35

0,00

80.000,00

320.000,00

0,35

0,00

0,00

8.131.500,00

9.434.809,31

1.128.636,27

8.255.894,07

9,03

1.178.915,24

1.749.161,36

8.255.894,07

9,04

1.178.915,24

0,00

201.500,00

155.000,00

0,00

155.000,00

0,17

0,00

34.000,00

155.000,00

0,17

0,00

0,00

398.600,00

402.129,81

31.785,39

335.784,50

0,37

66.345,31

47.012,75

335.784,50

0,37

66.345,31

0,00

20.000,00

40.320,36

0,00

0,00

0,00

40.320,36

0,00

0,00

0,00

40.320,36

0,00

378.600,00

361.809,45

31.785,39

335.784,50

0,37

26.024,95

47.012,75

335.784,50

0,37

26.024,95

0,00

9

Receitas de Contribuições

1.574.022,12

6.465.917,88

7.309.499,71

5

ITBI

850.000,00

449.054,49

489.017,45

6

IRRF

2.100.000,00

2.910.525,02

2.347.456,94

7

Taxas

650.500,00

425.231,17

8

Contribuição de Melhoria

650.000,00

37.652,54

77.723,73

947.666,59

1,04

707.697,17

0,00

11

452 - SERVIÇOS URBANOS

2.875.200,00

3.119.778,77

327.732,11

2.739.015,04

3,00

380.763,73

357.804,10

2.739.015,04

3,00

380.763,73

60 61

999 - RESERVA DE CONTINGÊNCIA DESPESAS INTRA-ORÇAMENTÁRIA 01 - LEGISLATIVA

62 63

121 - PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

2.614.758,64

Outras Receitas de Contribuições

7.100.500,00

4.923.549,37

4.800.567,21

0,00

12

0,00

0,00

0,00

0,00

13

Receita Patrimonial Líquida

26.000,00

14.977,79

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14

RECEITA PATRIMONIAL

2.922.655,00

2.218.788,65

0,84

8.180,52

128.636,58

771.819,48

0,84

8.180,52

0,00

15

(-) Aplicações Financeiras

2.896.655,00

2.203.810,86

2.364.873,90

850.000,00

780.000,00

128.636,58

771.819,48

0,84

8.180,52

128.636,58

771.819,48

0,84

8.180,52

0,00

16

72.859.345,00

68.687.338,15

66.309.327,72

4.014.500,00

1.430.760,35

143.726,36

642.528,91

0,70

788.231,44

232.616,61

788.231,44

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

642.528,91

0,70

191.000,00

214.014,76

34.536,98

183.730,07

0,20

30.284,69

34.536,98

183.730,07

0,20

30.284,69

0,00

3.823.500,00

1.216.745,59

109.189,38

458.798,84

0,50

757.946,75

198.079,63

458.798,84

0,50

757.946,75

0,00

355.000,00

319.788,18

56.382,21

169.788,18

0,19

150.000,00

59.992,07

169.788,18

0,19

150.000,00

0,00

94.500,00

144.788,18

31.382,21

144.788,18

0,16

0,00

34.992,07

144.788,18

0,16

0,00

0,00

175.000,00

25.000,00

0,03

150.000,00

25.000,00

25.000,00

TRANSFERÊNCIAS CORRENTES LC 61/89 (IPI Exportação)

18

LC 87/96 (Lei Kandir)

19

Convênios

970.000,00

823.567,00

1.201.202,90

20

Cota-Parte FPM

18.200.000,00

15.766.771,19

16.387.624,63

21.040.000,00

20.314.565,28

18.502.283,59

0,03

150.000,00

0,00

21

Cota-Parte do ICMS

0,00

0,00

0,00

0,00

22

Cota-Parte do IPVA

81.500,00

104.015,84

19.902,24

104.015,84

0,11

0,00

22.623,93

104.015,84

0,11

0,00

0,00

23

Cota-Parte do ITR

104.015,84

19.902,24

104.015,84

0,11

0,00

22.623,93

104.015,84

0,11

0,00

0,00

24

Outras Transferências Correntes

9.992.500,00

10.515.031,04

(11.497,53)

8.726.798,93

9,54

1.788.232,11

1.133.169,25

8.726.798,93

9,55

1.788.232,11

0,00

25

0,00

25.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

9.992.500,00

10.515.031,04

9,54

1.788.232,11

1.133.169,25

8.726.798,93

9,55

80.000,00

1.840.000,00

Demais Receitas Correntes Dívida Ativa

(11.497,53)

8.726.798,93

1.788.232,11

0,00

604.000,00

1.396.111,66

(261.505,68)

992.204,22

1,09

403.907,44

269.005,60

992.204,22

1,09

403.907,44

0,00

604.000,00

1.396.111,66

(261.505,68)

992.204,22

1,09

403.907,44

269.005,60

992.204,22

1,09

403.907,44

0,00

28

RECEITAS DE CAPITAL (II)

180.000,00

513.185,85

301.015,34

513.185,85

0,56

0,00

301.015,34

513.185,85

0,56

0,00

0,00

29

180.000,00

513.185,85

301.015,34

513.185,85

0,56

0,00

301.015,34

513.185,85

0,56

0,00

0,00

100.000,00

100.000,00

0,00

0,00

0,00

100.000,00

0,00

0,00

0,00

100.000,00

0,00

100.000,00

100.000,00

0,00

0,00

0,00

100.000,00

0,00

0,00

0,00

100.000,00

0,00

5.350.500,00

3.742.584,75

(901.514,40)

3.385.228,99

3,73

357.355,76

118.470,93

3.385.228,99

3,74

357.355,76

27

212.000,00

Diversas Receitas Correntes

362.988,66

0,00

0,00

31

Alienação de Bens (V)

50.000,00

0,00

0,00

0,00

32

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

0,00

0,00

5.415,22

0,00

33

78.178,64

5.415,22

61.906,98

0,07

16.271,66

5.415,22

61.906,98

0,07

16.271,66

0,00

34

Outras Transferências de Capital

0,00

0,00

0,00

546.600,00

(135.897,50)

402.302,50

0,45

144.297,50

0,00

402.302,50

0,45

144.297,50

0,00

28.000,00

(14.000,00)

14.000,00

0,02

14.000,00

0,00

14.000,00

0,02

14.000,00

0,00

35

OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL

7.149.500,00

1.634.716,70

2.967.387,93

392.100,00

392.100,00

(111.294,19)

272.405,81

0,30

119.694,19

0,00

272.405,81

0,30

5.415,22

61.906,98

0,07

61.906,98

0,07

16.271,66

0,00

119.694,19

0,00

36

RECEITAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (VI) = (II - III - IV - V)

0,01

0,00

0,00

37

RECEITA PRIMÁRIA TOTAL (VII) = (I + VI)

0,03

6.000,00

0,00

23.000,00

0,03

6.000,00

0,00

0,08

3.643,31

0,00

77.356,69

0,08

3.643,31

0,00

0,01

960,00

6.540,00

0,01

960,00

131 - COMUNICAÇÃO SOCIAL 243 - ASSISTÊNCIA À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE

0,00

16.271,66

70.000,00 28.000,00

78.178,64

Convênios

0,00

546.600,00

23.000,00

244 - ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA

529.127,01

0,00

77.356,69

08 - ASSISTÊNCIA SOCIAL

892.115,67

Amortização de Empréstimos (IV)

(6.000,00)

10 - SAÚDE

388.940,75

30

(3.643,31)

70

380.000,00

0,00

29.000,00

71

1.592.111,77

0,00

81.000,00

69

1.817.778,68 26.255.300,61

811.000,00

Operações de Crédito (III)

29.000,00

73

1.913.748,02 27.566.763,78

2.967.387,93

81.000,00

72

1.830.974,60

2.040.000,00 28.477.345,00

1.634.716,70

124 - CONTROLE INTERNO

123 - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

84.049,16

1.203.171,02

129 - ADMINISTRAÇÃO DE RECEITAS

122 - ADMINISTRAÇÃO GERAL

2.001.273,07

230.113,55

431.000,00

67

66

80.292,36

7.199.500,00

68

65

220.357,45

7.910,26 2.372.784,16

17

81.500,00

70.000,00

031 - AÇÃO LEGISLATIVA 04 - ADMINISTRAÇÃO

64

3.086.782,75

771.819,48

0,00

26

99 - RESERVA DE CONTINGÊNCIA

3.056.500,00

0,00

100.000,00

59

Receitas Previdenciárias

128.636,58

160.500,00

58

0,00 7.415.325,85

0,00

602 - PROMOÇÃO DA PRODUÇÃO ANIMAL

843 - SERVIÇO DA DÍVIDA INTERNA

0,00

0,00 8.010.332,12

780.000,00

606 - EXTENSÃO RURAL

57

394.695,57

0,00 10.157.000,00

850.000,00

23 - COMÉRCIO E SERVIÇOS

28 - ENCARGOS ESPECIAIS

Outras Receitas Tributárias

220.000,00

220.000,00

50

56

12.114.691,79

2.066.921,55

7.500.000,00

707.697,17

782 - TRANSPORTE RODOVIÁRIO

12.355.302,65

2.300.000,00

1,04

813 - LAZER

86.739.371,29

14.050.500,00

ISS

947.666,59

27 - DESPORTO E LAZER

Até o Bimestre 2016

90.660.062,48

IPTU

(459.190,48)

49

54

Receitas Tributárias

Até o Bimestre 2017

97.903.845,00

4

1.655.363,76

55

Previsão Atualizada

RECEITAS PRIMÁRIAS CORRENTES (I)

3

3.990.000,00

53

RECEITAS PRIMÁRIAS

0,00

150.000,00 26.070.980,00

451 - INFRAESTRUTURA URBANA

26 - TRANSPORTE

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

0,00

691 - PROMOÇÃO COMERCIAL

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017

1.088.460,90

601 - PROMOÇÃO DA PRODUÇÃO VEGETAL

0,00

Lei LRF, Art. 53, inciso III- Anexo 6

4,04

541 - PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL

4.297.438,51 Valor Corrente

META DE RESULTADO NOMINAL FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS DA LDO P/ O EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA

0,00

3.686.681,63

18 - GESTÃO AMBIENTAL

DISCRIMINAÇÃO DA META FISCAL

Até o Bimestre (VIc - VIa)

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

435.527,83

512 - SANEAMENTO BÁSICO URBANO

No Bimestre (VIc VIb) 19.848.657,86

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

1.088.460,90

482 - HABITAÇÃO URBANA

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

4,04

17 - SANEAMENTO

RESULTADO NOMINAL VALOR

Nº 12

3.686.681,63

16 - HABITAÇÃO

DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA (VI) = (III + IV - V)

235.900,81

Período Referência

(131.458,37)

695 - TURÍSMO

52

(17.441.203,49)

4.775.142,53

20 - AGRICULTURA

51

0,00

(1.889.984,14)

10

6.865.200,00

15 - URBANISMO

46 48

0,00

10

45 47

0,00

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

216.992,94

392 - DIFUSÃO CULTURAL

PASSIVOS RECONHECIDOS (V)

Anexo 6 - Demonstrativo do Resultado Primário

585.225,02

35

9

0,00

802.905,91

391 - PATRIMÔNIO HISTÓRICO, ARTÍSTICO E ARQUEOLÓGICO

2.407.454,37

0,00

0,00

233.491,74

34

(17.441.203,49)

0,00

0,00

126.569,87

13 - CULTURA

(1.889.984,14)

RECEITA DE PRIVATIZAÇÕES (IV)

472.615,67

1,14

33

DÍVIDA CONSOLIDADA LÍQUIDA (III) = (I - II)

8

976.687,99

0,14

367 - EDUCAÇÃO ESPECIAL

0,00

7

2,16

126.630,13

32

0,00

16,06

1.045.716,90

365 - EDUCAÇÃO INFANTIL

0,00

1.976.133,10

4.843.567,68

31

Demais Haveres Financeiros

14.673.313,07

8.403,82

364 - ENSINO SUPERIOR

6

96.282,47

(523.505,23)

361 - ENSINO FUNDAMENTAL

294.778,94

2.852.194,17

(146.864,53)

30

4.664.678,48

472.615,67

253.200,00

29

(-) Restos a Pagar Processados (Exceto precatórios)

976.687,99

1.848.622,81

306 - ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

4.888.635,61

5

2,16

5.077.059,42

28

4.652.734,80

25.097.186,94

16,05

223.200,00

306 - ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

24.802.408,00

7.351.834,39

1.976.133,10

23.256.428,69

1.772.396,00

512 - SANEAMENTO BÁSICO URBANO

2.687.155,91

Disponibilidade de Caixa bruta

14.673.313,07

4.035.900,00

305 - VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Disponibilidade de Caixa

4

(205.846,85)

303 - SUPORTE PROFILÁTICO E TERAPÊUTICO

12 - EDUCAÇÃO

4.652.734,80

3

2.219.521,59

302 - ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL

27

24.802.408,00

2.448.748,77

304 - VIGILÂNCIA SANITÁRIA

26

2.687.155,91

0,00

22

25

7.060.189,17

DEDUÇÕES (II)

15.650.001,06

1.473.803,49

Em 6º Bimestre (c)

7.361.204,51

2.725.500,00

26.031.777,43

Em Bimestre Anterior (b)

797.171,77

0,00

23 24

2

Saldo em 31/12/2016 (a)

13.246.329,00

22.459.070,00

19

1.225.908,62

0,21

DÍVIDA CONSOLIDADA (I)

0,00

3.721.821,36

123 - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

21

286.356,78

88.055.488,73

% (b/total b)

10.804.366,00

122 - ADMINISTRAÇÃO GERAL

18

7.701.216,00

Até o Bimestre (b)

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados (f)

230.000,00

7

17

3.721.821,36

No Bimestre

Despesas Liquidadas

3.730.000,00

6

16

106.331.548,23

Despesas Empenhadas

11.267.600,00

121 - PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

11

102.649.500,00 3.730.000,00

031 - AÇÃO LEGISLATIVA 04 - ADMINISTRAÇÃO

5

10

Dotação Inicial

Dotação Atualizada (a)

DÍVIDA FISCAL LÍQUIDA

1

9.000,00

7.500,00 353.150,00 34.150,00

9.000,00

7.500,00 224.786,50 34.150,00

0,00

(960,00) (128.363,50) 0,00

9.000,00

6.540,00 224.786,50 34.150,00

0,01

0,25 0,04

0,00

0,00 0,00

0,00

0,00 12.056,86 0,00

9.000,00

224.786,50

0,25

34.150,00

0,04

7.149.500,00 105.053.345,00 Despesas Empenhadas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESPESAS PRIMÁRIAS

Dotação Atualizada

Até o Bimestre 2017

Despesas Liquidadas

Até o Bimestre 2016

Até o Bimestre 2017

0,00

0,00

1.634.716,70

2.967.387,93

92.294.779,18

89.706.759,22

Inscritas em restos a pagar não Processados

Até o Bimestre 2016

Em 2017

Em 2016

319.000,00

190.636,50

(128.363,50)

190.636,50

0,21

0,00

12.056,86

190.636,50

0,21

0,00

0,00

1.421.650,00

1.178.969,74

(181.202,94)

1.178.947,06

1,30

22,68

174.174,20

1.178.947,06

1,30

22,68

0,00

38

DESPESAS CORRENTES (VIII)

98.177.642,07

87.353.011,42

80.571.193,42

87.353.011,42

80.571.193,42

0,00

207.500,00

200.000,00

(9,21)

199.990,79

0,22

9,21

34.384,81

199.990,79

0,22

9,21

0,00

39

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

61.385.214,11

57.242.872,54

49.288.533,83

57.242.872,54

49.288.533,83

0,00

0,00

0,00

74

122 - ADMINISTRAÇÃO GERAL

75

301 - ATENÇÃO BÁSICA

1.081.150,00

883.969,74

(181.193,73)

883.956,27

0,97

13,47

139.789,39

883.956,27

0,97

13,47

0,00

40

Juros e Encargos da Dívida (IX)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

76

302 - ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AMBULATORIAL

60.000,00

60.000,00

0,00

60.000,00

0,07

0,00

0,00

60.000,00

0,07

0,00

0,00

41

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

36.792.427,96

30.110.138,88

31.282.659,59

30.110.138,88

31.282.659,59

0,00

0,00

77

304 - VIGILÂNCIA SANITÁRIA

35.000,00

35.000,00

0,00

35.000,00

0,04

0,00

0,00

35.000,00

0,04

0,00

0,00

42

DESPESAS PRIMÁRIAS CORRENTES (X) = (VIII - IX)

98.177.642,07

87.353.011,42

80.571.193,42

87.353.011,42

80.571.193,42

0,00

0,00

43

DESPESAS DE CAPITAL (XI)

8.751.018,43

4.087.706,30

3.456.633,06

4.087.706,30

3.456.633,06

0,00

0,00

44

Investimentos

8.237.832,58

3.574.520,45

3.291.400,59

3.574.520,45

3.291.400,59

0,00

0,00

45

Inversões Financeiras

78 79

305 - VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA 12 - EDUCAÇÃO

80

361 - ENSINO FUNDAMENTAL

81

365 - EDUCAÇÃO INFANTIL

82

13 - CULTURA

83 84

392 - DIFUSÃO CULTURAL 15 - URBANISMO

85 86

452 - SERVIÇOS URBANOS 18 - GESTÃO AMBIENTAL

87

541 - PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL

88

695 - TURÍSMO

89

20 - AGRICULTURA

90 91

601 - PROMOÇÃO DA PRODUÇÃO VEGETAL 23 - COMÉRCIO E SERVIÇOS

92 93

691 - PROMOÇÃO COMERCIAL 26 - TRANSPORTE

94 95

782 - TRANSPORTE RODOVIÁRIO 27 - DESPORTO E LAZER

96 97

813 - LAZER Total

38.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

2.232.000,00

986.949,87

(267.000,35)

984.651,28

1,08

2.298,59

(204.777,10)

984.651,28

1,08

2.298,59

0,00

1.331.000,00

587.013,45

(121.033,95)

584.714,86

0,64

2.298,59

(58.810,70)

584.714,86

0,64

2.298,59

0,00

901.000,00

399.936,42

(145.966,40)

399.936,42

0,44

0,00

(145.966,40)

399.936,42

0,44

0,00

0,00

27.000,00

27.000,00

(7.500,00)

19.500,00

0,02

7.500,00

0,00

19.500,00

0,02

7.500,00

0,00

27.000,00

27.000,00

(7.500,00)

19.500,00

0,02

7.500,00

0,00

19.500,00

0,02

7.500,00

0,00

130.900,00

130.900,00

(15.945,69)

114.954,31

0,13

15.945,69

0,00

114.954,31

0,13

15.945,69

0,00

130.900,00

130.900,00

(15.945,69)

114.954,31

0,13

15.945,69

0,00

114.954,31

0,13

15.945,69

0,00

35.500,00

35.500,00

(28.000,00)

7.500,00

0,01

28.000,00

0,00

7.500,00

0,01

28.000,00

0,00

28.000,00

28.000,00

(28.000,00)

0,00

0,00

28.000,00

0,00

0,00

0,00

28.000,00

0,00

7.500,00

7.500,00

0,00

7.500,00

0,01

0,00

0,00

7.500,00

0,01

0,00

0,00

13.000,00

13.000,00

(6.500,00)

6.500,00

0,01

6.500,00

0,00

6.500,00

0,01

6.500,00

0,00

13.000,00

13.000,00

(6.500,00)

6.500,00

0,01

6.500,00

0,00

6.500,00

0,01

6.500,00

0,00

9.700,00

9.700,00

0,00

9.700,00

0,01

0,00

0,00

9.700,00

0,01

0,00

0,00

9.700,00

9.700,00

0,00

9.700,00

0,01

0,00

0,00

9.700,00

0,01

0,00

0,00

451.000,00

451.000,00

(126.519,64)

324.480,36

0,35

126.519,64

131.601,75

324.480,36

0,36

126.519,64

0,00

451.000,00 60.000,00

451.000,00 60.000,00

(126.519,64) (10.000,00)

324.480,36 50.000,00

0,35 0,05

126.519,64 10.000,00

131.601,75 0,00

324.480,36 50.000,00

0,36

126.519,64

0,05

10.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

46

Concessão de Empréstimos (XII)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

47

Aquisição de Título de Capital já Integralizado (XIII)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

48

Demais Inversões Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00 0,00

49

Amortização da Dívida (XIV)

513.185,85

513.185,85

165.232,47

513.185,85

165.232,47

0,00

50

DESPESAS PRIMÁRIAS DE CAPITAL (XV) = (XI - XII - XIII - XIV)

8.237.832,58

3.574.520,45

3.291.400,59

3.574.520,45

3.291.400,59

0,00

0,00

51

RESERVA DE CONTINGÊNCIA (XVI)

3.145.472,48

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

52

RESERVA DO RPPS (XVII)

0,00

53

DESPESA PRIMÁRIA TOTAL (XVIII) = (X + XV + XVI + XVII)

54

RESULTADO PRIMÁRIO (XIX) = (VII - XVIII)

55

SALDO DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

0,00

0,00

56

60.000,00

60.000,00

(10.000,00)

50.000,00

0,05

10.000,00

0,00

50.000,00

0,05

10.000,00

0,00

108.000.000,00

110.074.132,98

6.799.701,60

91.440.717,72

100,04

18.633.415,26

15.704.320,39

91.440.717,72

100,02

18.704.574,74

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

109.560.947,13

90.927.531,87

83.862.594,01

90.927.531,87

83.862.594,01

0,00

(4.507.602,13)

1.367.247,31

5.844.165,21

1.367.247,31

5.844.165,21

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DISCRIMINAÇÃO DA META FISCAL

0,00 0,00 0,00 Valor Corrente

META DE RESULTADO PRIMÁRIO FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS DA LDO P/ O EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

CONTINUAÇÃO NA PRÓXIMA PÁGINA


ATOS OFICIAIS

6

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

CONTINUAÇÃO DA PÁGINA ANTERIOR

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO Relatório Resumido de Execução Orçamentária PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

Anexo 12 - Demonstrativo Das Receitas E Despesas Com Ações E Serviços Públicos De Saúde

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

Anexo 7 - Demonstrativo dos Restos a Pagar por Poder e Órgão

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

Lei RREO – ANEXO 12 (LC 141/2012, art. 35)- Anexo 12

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 53, inciso V- Anexo 7

Nº RP Processados e Não Processados Liquidados em Exercícios Anteriores

1 2 3

Inscritos em Exercícios Anteriores

Poder / Órgão

RESTOS A PAGAR (Exceto Intra-Orçamentários)(I) EXECUTIVO (Exceto Intra-Orçamentário) Administração Direta (Exceto Intra-Orçamentário)

Inscritos Em 31 de Dezembro de 2016

Pagos

Cancelados

RECEITAS PARA APURAÇÃO DA APLICAÇÃO EM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

Inscritos em Exercícios Anteriores

Inscritos Em 31 de Dezembro de 2016

Liquidados

Pagos

Cancelados

SALDO TOTAL (C)=(A+B)

Saldo (b)

1

RECEITA DE IMPOSTOS LÍQUIDA (I)

2

Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU

Receitas Realizadas Até o Bimestre (b)

% (b/a) x 100

13.143.000,00

12.330.552,29

93,82

2.300.000,00

2.300.000,00

2.066.921,55

89,87

850.000,00

850.000,00

449.054,49

4.546.427,88

4.307.439,12

3.087,95

235.900,81

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

235.900,81

3

Imposto sobre Transmissão de Bens Intervivos - ITBI

0,00

4.546.427,88

4.307.439,12

3.087,95

235.900,81

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

235.900,81

4

Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS

7.500.000,00

7.500.000,00

6.465.917,88

86,21

0,00

4.546.427,88

4.307.439,12

3.087,95

235.900,81

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

235.900,81

0,00

768.321,45

768.321,45

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

5

Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF

2.100.000,00

2.100.000,00

2.910.525,02

138,60

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

5

JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6

Imposto Territorial Rural - ITR

6

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

0,00

3.289.008,03

3.050.019,27

3.087,95

235.900,81

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

235.900,81

7

Multas, Juros de Mora e Outros Encargos dos Impostos

7

INVESTIMENTOS

0,00

489.098,40

489.098,40

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

8

Divida Ativa dos Impostos

8

INVERSÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

9

Multas, Juros de Mora e Outros Encargos da Dívida Ativa

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

52,83

0,00

0,00

32.500,00

32.500,00

49.673,17

152,84

300.000,00

300.000,00

361.988,87

120,66

60.500,00

60.500,00

26.471,31

43,75

53.895.000,00

53.895.000,00

49.929.002,91

92,64

22.400.000,00

22.400.000,00

19.282.828,98

2.550.000,00

2.550.000,00

2.391.639,75

93,79 108,98

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

11

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

11

Cota-Parte do FPM

12

JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

12

Cota-Parte do ITR

13

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

13

Cota-Parte do IPVA

2.300.000,00

2.300.000,00

2.506.578,10

14

INVESTIMENTOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14

Cota-Parte do ICMS

26.300.000,00

26.300.000,00

25.397.203,71

96,57

15

INVERSÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

15

Cota-Parte IPI-Exportação

265.000,00

265.000,00

270.460,01

102,06

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

16

Compensações Financeiras Provenientes de Impostos e Transf. Constitucionais

80.000,00

80.000,00

80.292,36

100,37

80.000,00

80.000,00

80.292,36

100,37

10

16 17 18 19

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

Previsão Atualizada (a)

13.143.000,00

0,00

4

9

Previsão Inicial

RP Não Processado

Saldo (a)

Administração Indireta (Exceto Intra-Orçamentário)

0,00

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA LEGISLATIVO (Exceto Intra-Orçamentário) Administração Direta (Exceto Intra-Orçamentário)

0,00

0,00

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00 0,00

18

0,00

19

JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

21

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

22

INVESTIMENTOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

23

INVERSÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

17

20

0,00

0,00

10

RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS (II)

Desoneração ICMS (LC 87/96) Outras

0,00

TOTAL DAS RECEITAS PARA APURAÇÃO DA APLICAÇÃO EM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE (III) = I + II

RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DA SAÚDE

24

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

0,00

0,00

0,00

0,00

25

RESTOS A PAGAR (Intra-Orçamentários)(II)

0,00

118.250,60

59.372,47

58.878,13

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

20

26

TOTAL(III) = (I+II)

0,00

4.664.678,48

4.366.811,59

61.966,08

235.900,81

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

235.900,81

21

Provenientes da União

22

Provenientes dos Estados

23 24 _______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

Previsão Inicial

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

67.038.000,00

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE-SUS

Nº 1 2 3 4 5

RESULTANTE DE IMPOSTOS (CAPUT DO ART. 212 DA CONSTITUIÇÃO) 1- RECEITA DE IMPOSTOS 1.1- Receita Resultante do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana - IPTU 1.1.1- IPTU 1.1.2- Multas, Juros de Mora, Dívida Ativa e Outros Encargos do IPTU 1.2- Receita Resultante do Imposto sobre Transmissão Inter Vivos - ITBI

6

1.2.1- ITBI

7

1.2.2- Multas, Juros de Mora, Dívida Ativa e Outros Encargos do ITBI

8 9 10

1.3- Receita Resultante do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS 1.3.1- ISS 1.4- Receita Resultante do Imposto de Renda Retido na Fonte - IRRF

12

1.5- Receita Resultante do Imposto Territorial Rural - ITR (CF, art. 153, §4º, inciso III)

14 15 16

Previsão Atualizada (a)

105,74

3.251.379,61

105,90

395.030,00

395.030,00

412.679,34

104,47

Provenientes de Outros Municípios

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Receitas do SUS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO VINCULADAS À SAÚDE

0,00

0,00

0,00

27

OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DA SAÚDE

0,00

0,00

0,00

0,00

28

TOTAL RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DA SAÚDE

3.465.175,00

3.465.175,00

3.664.058,95

105,74

% (c) = (b / a) * 100

2.505.054,90

2.300.000,00

2.066.921,55

89,87

35

393.000,00

438.133,35

111,48

36

850.000,00

449.054,49

52,83

37

850.000,00

850.000,00

449.054,49

52,83

0,00

0,00

0,00

0,00

7.500.000,00

7.500.000,00

6.465.917,88

86,21

7.500.000,00

7.500.000,00

6.465.917,88

86,21

0,00

0,00

0,00

0,00

2.100.000,00

2.100.000,00

2.910.525,02

138,60

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

93,02

0,00

0,00

39

DESPESA COM ASSISTÊNCIA À SAÚDE QUE NÃO ATENDE AO PRINCÍPIO DE ACESSO UNIVERSAL

0,00

0,00

40

DESPESAS CUSTEADAS COM OUTROS RECURSOS

53.895.000,00

49.929.002,91

92,64

41

Recursos de Transferência do Sistema Único de Saúde - SUS

22.400.000,00

19.282.828,98

86,08

42

Recursos de Operações de Crédito

0,00

22.400.000,00

22.400.000,00

19.282.828,98

86,08

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26.300.000,00

26.300.000,00

23 24 25 26

25.397.203,71

96,57

80.000,00

80.000,00

80.292,36

100,37

265.000,00

265.000,00

270.460,01

102,06

2.5- Cota-Parte ITR

2.550.000,00

2.550.000,00

2.391.639,75

93,79

2.6- Cota-Parte IPVA

2.300.000,00

2.300.000,00

2.506.578,10

108,98

2.7- Cota-Parte IOF-Ouro 3- TOTAL DA RECEITA DE IMPOSTOS (1 + 2)

0,00

0,00

0,00

0,00

67.038.000,00

67.038.000,00

62.259.555,20

92,87

43

RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

27

4- RECEITA DA APLICAÇÃO FINANCEIRA DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

28

5- RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS DO FNDE

Previsão Inicial

Previsão Atualizada (a)

Receitas Realizadas Até o Bimestre (b)

% (c) = (b / a) * 100

0,00

0,00

0,00

0,00

1.895.000,00

1.895.000,00

1.712.952,12

90,39

880.000,00

880.000,00

919.499,26

104,49

90,54

0,00

94,89

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

11.061.892,00

10.573.842,56

8.888.301,45

84,06

8.888.301,45

84,06

0,00

323.000,00

894.335,28

608.618,92

68,05

608.618,92

68,05

0,00

608.618,92

68,05

608.618,92

68,05

0,00

894.335,28 0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

27.210.747,17

24.435.375,75

89,80

24.435.375,75

89,80

0,00

Dotação Inicial

Outros Recursos

0,00

0,00 23.880.720,00

Dotação Atualizada

Despesas Empenhadas Até o Bimestre (h)

0,00

Despesas Liquidadas

% (h / IVf) x 100

0,00

Até o Bimestre (i)

0,00

Inscritas em R.P. não Processados

% (h / IVf) x 100

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

5.620.775,00

8.083.690,71

6.855.207,09

28,05

6.855.207,09

28,05

0,00

3.695.625,00

5.370.006,82

4.393.093,63

17,98

4.393.093,63

17,98

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.925.150,00

2.713.683,89

2.462.113,46

10,08

2.462.113,46

10,08

0,00

44

OUTRAS AÇÕES E SERVIÇOS NÃO COMPUTADOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

45

RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS INSCRITOS INDEVIDAMENTE NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA ***1

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

46

DESPESAS CUSTEADAS COM DISPONIBILIDADE DE CAIXA VINCULADA A RESTOS A PAGAR CANCELADOS ***2

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

47

DESPESAS CUSTEADAS COM RECURSOS VINCULADOS À PARCELA DO PERCENTUAL MINIMO QUE NÃO FOI APLICADA EM AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE EM EXERCÍCIOS ANTERIORES ***3

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

48

TOTAL DAS DESPESAS COM SAÚDE NÃO COMPUTADAS (V)

5.620.775,00

8.083.690,71

6.855.207,09

28,05

6.855.207,09

28,05

0,00

Nº Nº

23.826.756,83 14.938.455,38

0,00

0,00

Inscritas em R.P. não Processados

% (g / e) x 100

90,54 94,89

0,00

22.400.000,00

Até o Bimestre (g)

23.826.756,83 14.938.455,38

323.000,00

53.895.000,00

Despesas Liquidadas

% (f / e) x 100

26.316.411,89 15.742.569,33

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA

DESPESAS COM SAÚDE NÃO COMPUTADAS PARA FINS DE APURAÇÃO DO PERCENTUAL MÍNIMO

0,00

12.495.828,00

INVERSÕES FINANCEIRAS

Despesas Empenhadas Até o Bimestre (f)

0,00

23.557.720,00

INVESTIMENTOS

TOTAL DAS DESPESAS COM SAÚDE (IV)

DESPESAS COM INATIVOS E PENSIONISTAS

2.1.3- Parcela referente à CF, art. 159, I, alínea e

2.4- Cota-Parte IPI-Exportação

34

Dotação Atualizada (e)

Dotação Inicial

DESPESAS DE CAPITAL

38

2.1.2- Parcela referente à CF, art. 159, I, alínea d 2.2- Cota-Parte ICMS

33

2.693.000,00

2.1.1- Parcela referente à CF, art. 159, I, alínea b

2.3- ICMS-Desoneração - L.C. nº87/1996

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

850.000,00

19

22

JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA

32

393.000,00

18

21

31

2.300.000,00

17

20

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

2.693.000,00

0,00

93,82

DESPESAS COM SAÚDE (POR GRUPO DE NATUREZA DA DESPESA) DESPESAS CORRENTES

30

12.330.552,29

1.5.2- Multas, Juros de Mora, Dívida Ativa e Outros Encargos do ITR 2.1- Cota-Parte FPM

Até o Bimestre (b)

% (d/c) x 100

3.664.058,95

3.070.145,00

0,00

13.143.000,00

1.5.1- ITR 2- RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS

Receitas Realizadas

Até o Bimestre (d)

3.465.175,00

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS

13.143.000,00

1.3.2- Multas, Juros de Mora, Dívida Ativa e Outros Encargos do ISS

11 13

Previsão Inicial

0,00 92,87

Receitas Realizadas

25

29

Lei Lei 9.394/96 Art. 72- Anexo 8

0,00 62.259.555,20

3.070.145,00

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017

0,00 67.038.000,00

Previsão Atualizada (c)

3.465.175,00

Relatório Resumido de Execução Orçamentária Anexo 8 - Demonstrativo das Receitas e Despesas com Manutenção e Desenvolvimento do Ensino - MDE

86,08

49

UTILIZA DO ANTERIOR

Dotação Inicial

TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE (VI) = (IV - V)

Nº 50

Dotação Atualizada

18.259.945,00

Despesas Empenhadas Até o Bimestre (h)

19.127.056,46

Despesas Liquidadas

% (h / IVf) x 100

17.580.168,66

0,00

71,95

Até o Bimestre (i)

Inscritas em R.P. não Processados

% (i / IVg) x 100

17.580.168,66

71,95

0,00

% DE APLICAÇÃO NA SAÚDE

Valor

PERCENTUAL DE APLICAÇÃO EM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE SOBRE A RECEITA DE IMPOSTOS LÍQUIDA E TRANSFERÊNCIAS CONSTITUCIONAIS E LEGAIS (VII%) = (VI i ou h / IIIb x 100)***6 - LIMITE CONSTITUCIONAL 15% ***4 e ***5

28,24

29

5.1- Transferências do Salário-Educação

30

5.2- Transferências Diretas – PDDE

0,00

0,00

0,00

0,00

31

5.3- Transferências Diretas – PNAE

550.000,00

550.000,00

552.476,00

100,45

32

5.4 - Transferências Diretas – PNATE

250.000,00

250.000,00

220.743,29

88,30

33

5.5- Outras Transferências do FNDE

200.000,00

200.000,00

0,00

0,00

34

5.6- Aplicação Financeira dos Recursos do FNDE

15.000,00

15.000,00

20.233,57

134,89

1.950.000,00

1.950.000,00

1.042.853,62

53,48

1.950.000,00

1.950.000,00

1.042.853,62

53,48

0,00

0,00

0,00

0,00

52

Inscritos em 2017

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

53

Inscritos em 2016

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

35 36 37

6- RECEITA DE TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS 6.1- Transferências de Convênios 6.2- Aplicação Financeira dos Recursos de Convênios

38

7- RECEITA DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO

39

8- OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

40

9- TOTAL DAS RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO (4 + 5 + 6 + 7 + 8)

Nº 41 42

RECEITAS DO FUNDEB

Inscritos em 2015

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

55

Inscritos em 2014

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

56

Inscritos em 2013

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

57

Inscritos em Exercícios Anteriores ao de Referência - Somatório 2013

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

58

TOTAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Previsão Atualizada (a) 10.499.000,00

Receitas Realizadas Até o Bimestre (b)

% (c) = (b / a) * 100

9.648.053,94

91,89

10.2- Cota-Parte ICMS Destinada ao FUNDEB - (20% de 2.2)

5.260.000,00

5.260.000,00

5.082.638,43

96,63

10.3- ICMS-Desoneração Destinada ao FUNDEB - (20% de 2.3)

16.058,40

100,36

10.4- Cota-Parte IPI-Exportação Destinada ao FUNDEB - (20% de 2.4)

46

10.5- Cota-Parte ITR ou ITR Arrecadados Destinados ao FUNDEB - (20% de ((1.5 - 1.5.5) + 2.5))

47

10.6- Cota-Parte IPVA Destinada ao FUNDEB - (20% de 2.6)

460.000,00

48

11- RECEITAS RECEBIDAS DO FUNDEB

17.500.000,00

49

11.1- Transferências de Recursos do FUNDEB

17.450.000,00

50

11.2- Complementação da União ao FUNDEB

0,00

51

11.3- Receita de Aplicação Financeira dos Recursos do FUNDEB

52

12- RESULTADO LÍQUIDO DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB (11.1 - 10)

16.000,00

16.000,00

13- PAGAMENTO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO

53.000,00

53.000,00

50.102,56

94,53

510.000,00

477.891,73

93,70

460.000,00

505.305,03

109,85

17.500.000,00

16.467.230,08

94,10

17.450.000,00

16.430.394,61

94,16

0,00

0,00

0,00

0,00

61

Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em 2015

0,00

0,00

0,00

62

Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em 2014

0,00

0,00

0,00

63

Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em 2013

0,00

0,00

0,00 0,00

36.835,47

73,67

64

Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em <Exercícios Anteriores ao de Referência - 4 (Somatório)

0,00

0,00

6.782.340,67

97,57

65

Total (VIII)

0,00

0,00

6.782.340,67

CONTROLE DO VALOR REFERENTE AO PERCENTUAL MÍNIMO NÃO CUMPRIDO EM EXERCÍCIOS ANTERIORES PARA FINS DE APLICAÇÃO DOS RECURSOS VINCULADOS CONFORME ARTIGOS 25 E 26

Saldo Inicial

% (h) = (g / d) * 100

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados (i)

12.330.000,00

12.596.900,09

11.350.739,59

90,11

11.350.739,59

90,11

0,00

Até o Bimestre (e)

Despesas Liquidadas

% (f) = (e / d) * 100

Até o Bimestre (g)

88,69

3.988.724,27

88,69

0,00

57

13.2- Com Ensino Fundamental

8.113.000,00

8.099.674,83

7.362.015,32

90,89

7.362.015,32

90,89

0,00

5.170.000,00

5.519.265,07

5.066.505,29

91,80

5.066.505,29

91,80

0,00

2.825.000,00

2.816.839,37

2.456.653,42

87,21

2.456.653,42

87,21

0,00

14- OUTRAS DESPESAS 14.1- Com Educação Infantil 14.2- Com Ensino Fundamental

2.345.000,00

2.702.425,70

2.609.851,87

96,57

2.609.851,87

96,57

0,00

17.500.000,00

18.116.165,16

16.417.244,88

90,62

16.417.244,88

90,62

0,00

DEDUÇÕES PARA FINS DE LIMITE DO FUNDEB

Valor

16- RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DO FUNDEB

Diferença de limite não cumprido em 2016

0,00

0,00

0,00

67

Diferença de limite não cumprido em 2015

0,00

0,00

0,00

68

Diferença de limite não cumprido em 2014

0,00

0,00

0,00

69

Diferença de limite não cumprido em 2013

0,00

0,00

0,00

70

Diferença de limite não cumprido em 2012

0,00

0,00

0,00

71

Diferença de limite não cumprido em <Exercícios Anteriores ao de Referência – 5 (Somatório)

0,00

0,00

0,00

72

Total (IX)

0,00

0,00

0,00

DESPESAS COM SAÚDE (POR SUBFUNÇÃO)

Dotação Inicial

Dotação Atualizada

Até o Bimestre (I)

Despesas Liquidadas

% (l / Total I) x 100

Até o Bimestre (m)

0,00

63

16.1 – FUNDEB 60%

0,00

73

Atenção Básica

64

16.2 – FUNDEB 40%

0,00

74

1.275,96

75

65

17- DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DO FUNDEB

Saldo Final (Não Aplicado)

66

Despesas Empenhadas 62

Desp. custeadas no exerc. de referência (k)

0,00 Despesas Empenhadas

0,00

LIMITE NÃO CUMPRIDO

3.988.724,27

15- TOTAL DAS DESPESAS DO FUNDEB (13 + 14)

0,00

0,00

50.000,00

4.497.225,26

61

0,00

0,00

Valor

Dotação Atualizada (d)

Saldo Final (Não Aplicado)

Desp. custeadas no exerc. de referência (j)

0,00

Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em 2016

6.951.000,00

4.217.000,00

60

Saldo Inicial

CONTROLE DOS RESTOS A PAGAR CANCELADOS OU PRESCRITOS PARA FINS DE APLICAÇÃO DA DISPONIBILIDADE DE CAIXA CONFORME ARTIGO 24, § 1º E 2º Restos a Pagar Cancelados ou Prescritos em 2017

60

50.000,00

13.1- Com Educação Infantil

59

Nº 59

6.951.000,00

56 58

RESTOS A PAGAR CANCELADOS OU PRESCRITOS

83,72

510.000,00

RESULTADO LÍQUIDO DA TRANSFERÊNCIA DO FUNDEB

Dotação Inicial

PARCELA CONSIDERADA NO LIMITE

54

45

55

A PAGAR

0,00

44

DESPESAS DO FUNDEB

PAGOS

71,67

43

[SE RESULTADO LÍQUIDO DA TRANSFERÊNCIA (12) < 0] = DECRÉSCIMO RESULTANTE DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB

CANCELADOS / PRESCRITOS

0,00

3.516.057,79

INSCRITOS

2.755.805,74

4.200.000,00

54

EXECUÇÃO DE RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS INSCRITOS COM DISPONIBILIDADE DE CAIXA

0,00

4.200.000,00

[SE RESULTADO LÍQUIDO DA TRANSFERÊNCIA (12) > 0] = ACRÉSCIMO RESULTANTE DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB

3.845.000,00

10.1- Cota-Parte FPM Destinada ao FUNDEB - (20% de 2.1.1)

53

Valor 8.241.235,38

0,00

10.499.000,00

VALOR REFERENTE À DIFERENÇA ENTRE O VALOR EXECUTADO E O LIMITE MÍNIMO CONSTITUCIONAL [(VI I OU H - 15)/100 X IIIB] VALOR REFERENTE À DIFERENÇA ENTRE O VALOR EXECUTADO E O LIMITE MÍNIMO CONSTITUCIONAL [VI i ou h - (15 x IIIb)/100] *** 6

3.845.000,00

Previsão Inicial

10- RECEITAS DESTINADAS AO FUNDEB

Nº 51

% (m/Total m) x 100

Inscritas em R.P. não Processados

14.327.479,00

16.533.970,80

15.557.269,34

63,67

15.557.269,34

63,67

0,00

Assistência Hospitalar e Ambulatorial

4.095.900,00

5.137.059,42

4.903.567,68

20,07

4.903.567,68

20,07

0,00

Suporte Profilático e Terapêutico

1.772.396,00

1.848.622,81

1.045.716,90

4,28

1.045.716,90

4,28

0,00

66

17.1 – FUNDEB 60%

765,58

76

Vigilância Sanitária

258.200,00

288.200,00

161.630,13

0,66

161.630,13

0,66

0,00

67

17.2 – FUNDEB 40%

510,38

77

Vigilância Epidemiológica

343.745,00

363.042,42

199.964,86

0,82

199.964,86

0,82

0,00

78

Alimentação e Nutrição

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

79

Outras Subfunções

3.083.000,00

3.039.851,72

2.567.226,84

10,51

2.567.226,84

10,51

0,00

80

TOTAL

23.880.720,00

27.210.747,17

24.435.375,75

100,00

24.435.375,75

100,00

0,00

68

18- TOTAL DAS DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE DO FUNDEB (16 + 17)

1.275,96

Nº 69

INDICADORES DO FUNDEB

Valor

19 - TOTAL DAS DESPESAS DO FUNDEB PARA FINS DE LIMITE (15 - 18)

16.415.968,92

70

19.1 - Mínimo de 60% do FUNDEB na Remuneração do Magistério ***1 (13 - (16.1 + 17.1)) / (11) x 100) %

68,92

71

19.2 - Máximo de 40% em Despesa com MDE, que não Remuneração do Magistério (14 - (16.2 + 17.2)) / (11) x 100) %

30,76

72

19.3 - Máximo de 5% não Aplicado no Exercício (100 - (19.1 +19.2)) %

0,32

CONTROLE DA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS NO EXERCÍCIO SUBSEQUENTE 20- RECURSOS RECEBIDOS DO FUNDEB EM 2016 QUE NÃO FORAM UTILIZADOS

0,00

74

21- DESPESAS CUSTEADAS COM O SALDO DO ITEM 20 ATÉ O 1º TRIMESTRE DE 2017 ***2

0,00

Nº 75 76

DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO

22.1 - Creche

77

22.1.1 - Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

78

22.1.2- Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos

79 80 81 82

22.2 - Pré-escola

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados (i)

10.663.906,51

7.927.104,22

74,34

7.927.104,22

74,34

0,00

4.737.000,00

5.324.211,03

4.837.773,61

90,86

4.837.773,61

90,86

0,00

4.257.000,00

4.239.641,11

3.879.455,16

91,50

3.879.455,16

91,50

0,00

480.000,00

1.084.569,92

958.318,45

88,36

958.318,45

88,36

0,00

Dotação Atualizada (d)

4.775.500,00

22.2.1- Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

23.1- Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

84

23.2- Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos

85

24- ENSINO MÉDIO

86

25- ENSINO SUPERIOR

87

26- ENSINO PROFISSIONAL NÃO INTEGRADO AO ENSINO REGULAR

88

27- OUTRAS

89

28- TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE (22 + 23 + 24 + 25 + 26 + 27)

Despesas Empenhadas Até o Bimestre (e)

5.339.695,48

2.785.000,00

22.2.2- Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos 23- ENSINO FUNDAMENTAL

83

90

% (h) = (g / d) * 100

9.512.500,00

Dotação Inicial

22 - EDUCAÇÃO INFANTIL

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

Valor

73

3.089.330,61

2.819.014,38

Despesas Liquidadas

% (f) = (e / d) * 100

Até o Bimestre (g)

57,86

2.565.922,53

3.089.330,61

91,02

57,86

2.565.922,53

0,00

91,02

0,00

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO Relatório Resumido de Execução Orçamentária Anexo 12.4 - Demonstrativo das Despesas com Saúde - Ente Consorciado Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LC nº 141/2012, Art. 35 e Portaria STN nº 72/2012, Art. 11, II, b.- Anexo 20 Nº

1.990.500,00

2.520.681,10

523.408,08

20,76

523.408,08

20,76

0,00

17.604.980,00

18.409.534,01

15.361.021,93

83,44

15.361.021,93

83,44

0,00

2

10.458.000,00

10.802.100,53

9.971.867,19

92,31

9.971.867,19

92,31

0,00

3

7.146.980,00

7.607.433,48

5.389.154,74

70,84

5.389.154,74

70,84

0,00

4

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

5

352.000,00

320.000,00

320.000,00

100,00

320.000,00

100,00

0,00

6

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1.313.500,00

3.550.000,00

3.543.016,06

99,80

3.543.016,06

99,80

0,00

28.782.980,00

32.943.440,52

27.151.142,21

82,42

27.151.142,21

82,42

0,00

DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

1

Valores Transferidos por Contrato de Rateio (a)

DESPESAS COM SAÚDE EXECUTADAS EM CONSÓRCIO PÚBLICO (POR GRUPO DE NATUREZA DA DESPESA)

Despesas Empenhadas Até o Bimestre (b)

6.782.340,67

Até o Bimestre (c)

% (c/a) x 100

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados¹

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Pessoal e Encargos Sociais

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Juros e Encargos da Dívida

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Despesas Correntes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Investimentos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

7

Inversões Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

8

Amortização da Dívida

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESPESAS DE CAPITAL

TOTAL DAS DESPESAS COM SAÚDE (I)

Valor

29 - RESULTADO LÍQUIDO DAS TRANSFERÊNCIAS DO FUNDEB = (12)

Despesas Liquidadas

% (b/a) x 100

0,00

9

DESPESAS CORRENTES

Despesas Empenhadas

DESPESAS COM SAÚDE NÃO COMPUTADAS PARA FINS DE APURAÇÃO DO PERCENTUAL MÍNIMO

Até o Bimestre (d)

% (e/Ib) x 100

Até o Bimestre (f)

% (f/Ic) x 100

0,00 0,00 Inscritas em Restos a Pagar Não Processados¹

91

30 - DESPESAS CUSTEADAS COM A COMPLEMENTAÇÃO DO FUNDEB NO EXERCÍCIO

92

31 - RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS DO FUNDEB ATÉ O BIMESTRE = (49)

36.835,47

10

DESPESA COM ASSISTÊNCIA À SAÚDE QUE NÃO ATENDE AO PRINCÍPIO DE ACESSO UNIVERSAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

93

32 - DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DO FUNDEB

0,00

11

DESPESAS CUSTEADAS COM OUTROS RECURSOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

94

33 - DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS

0,00

12

Recursos de Transferência do Sistema Único de Saúde - SUS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

95

34 - RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO ***4

0,00

13

Recursos de Operações de Crédito

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

96

35 - CANCELAMENTO, NO EXERCÍCIO, DE RESTOS A PAGAR INSCRITOS COM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO = (45j)

60.078,13

97

36 - TOTAL DAS DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL (29 + 30 + 31 + 32 + 33 + 34 + 35) ***6

14

Outros Recursos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

98

37 - TOTAL DAS DESPESAS PARA FINS DE LIMITE ((22 + 23) - (36)) ***6

99

38 - PERCENTUAL DE APLICAÇÃO EM MDE SOBRE A RECEITA LÍQUIDA DE IMPOSTOS ((37) / (3) x 100) % ***6 - LIMITE CONSTITUCIONAL 25% ***5

0,00

Despesas Liquidadas

6.879.254,27 16.408.871,88

OUTRAS DESPESAS CUSTEADAS COM RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

Dotação Inicial

26,36

Dotação Atualizada (d)

Despesas Empenhadas Até o Bimestre (e)

Despesas Liquidadas

% (f) = (e / d) * 100

Até o Bimestre (g)

% (h) = (g / d) * 100

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados (i)

100

39 - DESPESAS CUSTEADAS COM A APLICAÇÃO FINANCEIRA DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

101

40 - DESPESAS CUSTEADAS COM A CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DO SALÁRIO-EDUCAÇÃO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

102

41 - DESPESAS CUSTEADAS COM OPERAÇÕES DE CRÉDITO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

103

42 - DESPESAS CUSTEADAS COM OUTRAS RECEITAS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

104

43 - TOTAL DAS OUTRAS DESPESAS CUSTEADAS COM RECEITAS ADICIONAIS PARA FINANCIAMENTO DO ENSINO (39 + 40 + 41 + 42)

105

44 - TOTAL GERAL DAS DESPESAS COM EDUCAÇÃO (28 + 43)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

28.782.980,00

32.943.440,52

27.151.142,21

82,42

27.151.142,21

82,42

0,00

RESTOS A PAGAR INSCRITOS COM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE REC. DE IMP. VINCULADO AO ENSINO

Saldo Até o Bimestre

106

45 - RESTOS A PAGAR DE DESPESAS COM MDE

107

45.1 - Executadas com Recursos de Impostos Vinculados ao Ensino

838.980,16

108

45.2 - Executadas com Recursos do FUNDEB

1.092.510,20 253.530,04

15

OUTRAS AÇÕES E SERVIÇOS NÃO COMPUTADOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

16

RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS INSCRITOS INDEVIDAMENTE NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

17

DESPESAS CUSTEADAS COM DISPONIBILIDADE DE CAIXA VINCULADA AOS RESTOS A PAGAR CANCELADOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

18

DESPESAS CUSTEADAS COM RECURSOS VINCULADOS À PARCELA DO PERCENTUAL MÍNIMO QUE NÃO FOI APLICADA EM AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE EM EXERCÍCIOS ANTERIORES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

19

TOTAL DAS DESPESAS COM SAÚDE NÃO COMPUTADAS (II)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

20

TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE (III) = (I - II)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

Cancelado em 2017 (j)

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

60.078,13

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

60.078,13

Anexo 13 - Demonstrativo das Parcerias Público-Privadas

0,00

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Nº

CONTROLE DA DISPONIBILIDADE FINANCEIRA

Valor

109

46 - DISPONIBILIDADE FINANCEIRA EM 31 DE DEZEMBRO DE 2016

110

47 - (+) INGRESSO DE RECURSOS ATÉ O BIMESTRE

33.002.306,48

111

48 - (-) PAGAMENTOS EFETUADOS ATÉ O BIMESTRE

24.537.602,15

112 113

510.894,58

48.1 Orçamento do Exercício

23.183.583,08

48.2 Restos a Pagar 49 - (+) RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS ATÉ O BIMESTRE

115

50 - (=) DISPONIBILIDADE FINANCEIRA ATÉ O BIMESTRE

116

51 - (+) AJUSTES

0,00

117

51.1 Retenções

0,00

118

51.2 Conciliação Bancária

0,00

119

52 - (=) SALDO FINANCEIRO CONCILIADO

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

0,00

0,00

9.012.434,38

2

Ativos Constituídos pela SPE

0,00

0,00

0,00

3

TOTAL DE PASSIVOS

0,00

0,00

0,00

4

Obrigações decorrentes de Ativos Constituídos pela SPE

0,00

0,00

0,00

5

Provisões de PPP

0,00

0,00

0,00

6

Outros passivos

0,00

0,00

0,00

7

ATOS POTENCIAIS PASSIVOS

0,00

0,00

0,00

8

Obrigações Contratuais

0,00

0,00

9

Garantias Concedidas

0,00

0,00

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

6 7 8 9 10

DESPESAS DE PPP

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Do Ente Federado, exceto estatais não dependentes (I)

0,00

Ano 2019

Ano 2020

Ano 2021

Ano 2022

Ano 2023

Ano 2024

0,00

Exercício Corrente

10

Ano 2018

0,00

Exercício Anterior

Ano 2025

Ano 2026

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

11

Das estatais não dependentes

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

12

TOTAL DAS DESPESAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Anexo 8.4 - Demonstrativo da Despesa com Manutenção e Desenvolvimento do Ensino – MDE Executada em Consórcio Público

13

PPP A CONTRATAR (II)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA (RCL) (III)

85.710.134,89

89.498.173,85

15

TOTAL DAS DESPESAS CONSIDERADAS PARA O LIMITE (IV = I + II)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

16

TOTAL DAS DESPESAS / RCL (%) (V = IV / III)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

5

Até o Bimestre

0,00

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017

4

No Bimestre

TOTAL DE ATIVOS

Lei Portaria STN nº 72/2012, art. 11, II, b- Anexo 19 Valores Transferidos por Contrato de Rateio (d)

Despesas Empenhadas

Despesas Liquidadas

0,00

0,00

0,00

0,00

% (h) = (g / d) * 100

Inscritas em Restos a Pagar Não Processados¹ (i)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

Despesas Custeadas com Recursos do FUNDEB

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Anexo 14 - Demonstrativo Simplificado do Relatório Resumido da Execução Orçamentária

Despesas Custeadas com Outros Recursos de Impostos

REGISTROS EFETUADOS EM 2017

1

9.012.434,38

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

3

SALDO TOTAL EM 31 DE DEZEMBRO DO EXERCÍCIO ANTERIOR

IMPACTOS DAS CONTRATAÇÕES DE PPP

36.835,47

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

2

1.354.019,07

114

1

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei Lei nº 11.079, de 30.12.2004, arts. 22, 25 e 28- Anexo 13

DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE EXECUTADAS EM CONSÓRCIO PÚBLICO EDUCAÇÃO INFANTIL (I) Creche

Pré-escola

ENSINO FUNDAMENTAL (II)

Até o Bimestre (e)

% (f) = (e / d) * 100

Até o Bimestre (g)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

11

ENSINO MÉDIO (III)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

12

ENSINO SUPERIOR (IV)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

13

ENSINO PROFISSIONAL NÃO INTEGRADO AO ENSINO REGULAR (V)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

14

OUTRAS (VI)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

15

TOTAL DAS DESPESAS COM AÇÕES TÍPICAS DE MDE VII = (I + II + III + IV + V + VI)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL

0,00

0,00

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 48- Anexo 14 Nº

BALANÇO ORÇAMENTÁRIO

Até o Bimestre

1

RECEITAS

2

Previsão Inicial

108.000.000,00 108.000.000,00

0,00

3

Previsão Atualizada

4

Receitas Realizadas

94.498.590,04

0,00

5

Déficit Orçamentário

0,00

0,00

6

SALDOS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES (UTILIZADOS PARA CRÉDITOS ADICIONAIS)

0,00

7

DESPESAS

0,00

8

Dotação Inicial

9

Créditos Adicionais

2.074.132,98

10

Dotação Atualizada

110.074.132,98

11

Despesas Empenhadas

91.440.717,72

12

Despesas Liquidadas

91.440.717,72

13

Despesas Pagas

88.870.806,97

14

Superávit Orçamentário

DESPESAS CUSTEADAS COM A COMPLEMENTAÇÃO DO FUNDEB NO EXERCÍCIO (VIII)

17

RECEITA DE APLICAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS DO FUNDEB ATÉ O BIMESTRE (IX)

18

DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DO FUNDEB (X)

19

DESPESAS CUSTEADAS COM O SUPERÁVIT FINANCEIRO, DO EXERCÍCIO ANTERIOR, DE OUTROS RECURSOS DE IMPOSTOS (XI)

20

RESTOS A PAGAR INSCRITOS NO EXERCÍCIO SEM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO (XII)

21

CANCELAMENTO, NO EXERCÍCIO, DE RESTOS A PAGAR INSCRITOS COM DISPONIBILIDADE FINANCEIRA DE RECURSOS DE IMPOSTOS VINCULADOS AO ENSINO (XIII)

0,00

22

TOTAL DAS DEDUÇÕES CONSIDERADAS PARA FINS DE LIMITE CONSTITUCIONAL XIV = (VIII + IX + X + XI + XII + XIII)

0,00

23

TOTAL DAS DESPESAS PARA FINS DE LIMITE (XV) = (VII – XIV)

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

0,00

0,00

Valor

16

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

0,00

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

0,00 0,00 108.000.000,00

3.129.031,80

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO Relatório Resumido de Execução Orçamentária

15

Despesas Empenhadas

16

Despesas Liquidadas

Anexo 09 - Operações de Crédito

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

17

DESPESAS POR FUNÇÃO / SUBFUNÇÃO

Até o Bimestre

RECEITA CORRENTE LÍQUIDA - RCL

Até o Bimestre

RECEITAS E DESPESAS DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

Até o Bimestre

91.440.717,72 91.440.717,72

Receita Corrente Líquida

89.498.173,85

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 53, § 1º, inciso I- Anexo 9

1

RECEITAS

Previsão Atualizada (a)

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO (I)

Receitas Realizadas (b)

0,00

DESPESAS

Dotação Atualizada (d)

Despesas Empenhadas (e)

Despesas Liquidadas

Saldo Não Realizado c = (a b)

18

Regime Geral de Previdência Social

19

Receitas Previdenciárias Realizadas(I)

8.524.370,23

0,00

20

Despesas Previdenciárias Liquidadas (II)

4.837.166,85

21

Resultado Previdenciário (III) = (I - II)

3.687.203,38

22

0,00 Despesas Inscritas Em Restos a Pagar Não Processados

Saldo Não Executado f = (d e)

0,00

Regime Próprio de Previdência dos Servidores

0,00

23

Receitas Previdenciárias Realizadas (IV)

0,00

2

DESPESAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

24

Despesas Previdenciárias Liquidadas (V)

3

(-) Incentivos Fiscais a Contribuinte

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

25

Resultado Previdenciário (VI) = (IV - V)

4

(-) Incentivos Fiscais a Contribuinte por Instituições Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

26

Resultado Nominal

0,00

4.297.438,51

27

Resultado Primário

0,00

513.185,85

5

DESPESA DE CAPITAL LÍQUIDA (II)

Nº 6

DESCRIÇÃO

(a-d)

RESULTADO PARA APURAÇÃO DA REGRA DE OURO (III) = (I - II)

(b-e) 0,00

0,00 0,00 RESULTADOS NOMINAL E PRIMÁRIO

(c-f) 0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

Meta Fixada no Anexo de Metas Fiscais da LDO (a)

28

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

29 30

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

31

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

32

Anexo 10 - Demonstrativo da Projeção Atuarial do regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos - Plano Previdênciário

33

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social

34

RESTOS A PAGAR POR PODER

Inscrição

RESTOS A PAGAR PROCESSADOS

Cancelamento Até o Bimestre

Resultado Apurado Até o Bimestre (b)

Pagamento Até o Bimestre

% em Relação à Meta (b / a)

0,00 0,00 Saldo a Pagar

7.156.260,35

61.966,08

4.366.811,59

2.727.482,68

7.156.260,35

61.966,08

4.366.811,59

2.727.482,68

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Poder Executivo

0,00

0,00

0,00

Poder Legislativo

0,00

0,00

0,00

0,00

7.156.260,35

61.966,08

4.366.811,59

2.727.482,68

Poder Executivo Poder Legislativo RESTOS A PAGAR NÃO-PROCESSADOS

TOTAL

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Valor Apurado Até o Bimestre

0,00 0,00

Limites Constitucionais Anuais

Lei LRF, Art. 53, § 1º, inciso II- Anexo 10

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

35

Mínimo Anual de '18% / 25%' das Receitas de Impostos em MDE

16.408.871,88

25,00

26,36

36

Mínimo Anual de 60% do FUNDEB na Remuneração do Magistério com Ensino Fundamental e Médio

7.362.015,32

60,00

0,00

37

Mínimo Anual de 60% do FUNDEB na Remuneração do Magistério com Educação Infantil e Ensino Fundamental

3.988.724,27

60,00

38

Complementação da União ao FUNDEB - Mínimo Anual de 10% do Total de Recursos do FUNDEB

0,00

10,00

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

DESPESAS COM MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO ENSINO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO

RECEITAS DE OPERAÇÕES DE CRÉDITO E DESPESAS DE CAPITAL

Relatório Resumido de Execução Orçamentária

39

Receitas de Operações de Crédito

Anexo 11 - Demonstrativo das Receitas de Alienação de Ativos e Aplicacão de Recursos

40

Despesa de Capital Líquida

% Mínimo a Aplicar no Exercício

Valor Apurado Até o Bimestre

% Aplicado Até o Bimestre

0,00 0,00 Saldo Não Realizado

0,00

0,00

(490.149,32)

0,00

Orçamento Fiscal e da Seguridade Social Nº

Novembro até Dezembro - 6º Bimestre/2017 Lei LRF, Art. 53, § 1º, inciso I- Anexo 11 Nº

RECEITAS

Previsão Atualizada (a)

Receitas Realizadas (b)

Saldo (c)=(a-b)

PROJEÇÃO ATUARIAL DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA

Exercício

10º Exercício

20º Exercício

35º Exercício

41

Regime Geral de Previdência Social

0,00

0,00

0,00

0,00

42

Receitas Previdenciárias (I)

0,00

0,00

0,00

0,00

43

Despesas Previdenciárias (II)

0,00

0,00

0,00

0,00

1

RECEITAS DE ALIENAÇÃO DE ATIVOS (I)

0,00

0,00

0,00

44

Resultado Previdenciário III = (I - II)

0,00

0,00

0,00

0,00

2

Receita de Alienação de Bens Móveis

0,00

0,00

0,00

45

Regime Próprio de Previdência dos Servidores

0,00

0,00

0,00

0,00

3

Receita de Alienação de Bens Imóveis

0,00

0,00

0,00

46

Receitas Previdenciárias (IV)

0,00

0,00

0,00

0,00

47

Despesas Previdenciárias (V)

0,00

0,00

0,00

0,00

48

Resultado Previdenciário VI= (IV - V)

0,00

0,00

0,00

DESPESAS

Dotação Atualizada (d)

4

APLICAÇÃO DOS RECURSOS DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS (II)

0,00

5

DESPESAS DE CAPITAL

Despesas Empenhadas (e)

Despesas Liquidadas

Despesas Pagas (f)

Despesas Inscritas Em Restos a Pagar Não Processados

Pagamento de Restos a Pagar (g)

Saldo (h) = (d-e)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

6

Investimentos

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

7

Inversões Financeiras

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

8

Amortização da Divida

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

9 10

DESPESAS CORRENTES DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA Regime Próprio de Previdência dos Servidores

Nº 11

SALDO FINANCEIRO A APLICAR VALOR (III)

0,00

0,00

0,00 Exercício Anterior (i)

0,00 Do Exercício (j) = (Ib) - (IIf+IIg)

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

0,00

0,00 0,00 Saldo Atual (k) = (IIIi+IIIj) 0,00

RECEITA DA ALIENAÇÃO DE ATIVOS E APLICAÇÃO DOS RECURSOS

49

Receita de Capital Resultante da Alienação de Ativos

50

Aplicação dos Recursos da Alienação de Ativos

Nº 51

52

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5

Despesas com Ações e Serviços Públicos de Saúde executadas com recursos de impostos

Valor Apurado Até o Bimestre

% Mínimo a Aplicar no Exercício

17.580.168,66 DESPESAS DE CARÁTER CONTINUADO DERIVADO DE PPP

0,00

15,00

% Aplicado Até o Bimestre 28,24 Valor Apurado no Exercício Corrente

Total das Despesas/RCL (%)

_______________________________________ Mario Valério Prefeito CPF: 286746501-04

0,00

0,00 Limite Constitucional Anual

0,00

Fonte: Sistema de Contabildade - N&A Informatica, PREFEITURA MUNICIPAL DE CAARAPO.

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

0,00 Saldo a Realizar

0,00

DESPESAS COM AÇÕES E SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE

Valor Apurado Até o Bimestre

_______________________________________ José Claudio Poças Conegliana Secretário de Adm. Finanças CPF: 16485335-53

_______________________________________ João Félix do Nascimento Neto Contador CRC/MS 005422/O-5


ATOS OFICIAIS

7

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

1Âş TABELIONATO DE PROTESTO DE TĂ?TULOS DA COMARCA DE DOURADOS EDITAL DE INTIMAĂ&#x2021;Ă&#x192;O SĂŠrgio Julian Zanella Martinez Caro, TabeliĂŁo de Protesto da Comarca de Dourados - MS, FAZ SABER que se encontram para serem protestados os tĂ­tulos abaixo descritos. Por nĂŁo ter sido possĂ­vel ou cabĂ­vel a intimação pessoal no endereço fornecido pelo Apresentente, intima os devedores abaixo para pagar ou aceitar os tĂ­tulos, sob pena de protesto.

DATA LIMITE PARA PAGAMENTO 30/01/2018 1Âş TABELIONATO DE PROTESTO DA COMARCA DE DOURADOS - MS Av. Weimar G. Torres, 2077 - Centro - Telefones (67) 3422-0334 / (67) 99835-3467 (whatsapp) HorĂĄrio de atendimento: 08h Ă s 11h e das 13h Ă s 17h

PROTOCOLO 219.576-23/01/2018 219.386-22/01/2018 219.371-22/01/2018 219.367-22/01/2018 219.360-22/01/2018 219.357-22/01/2018 219.378-22/01/2018

DEVEDOR NATUREZA/TĂ?TULO AGINALDO RODRIGUES DMI / 0118 ANIRYS RAMOS SANTOS DA COSTA ISHIZ DMI / 900136/08 ARIANA PAULA RAMOS MARQUES DMI / O1 FABIANO RODOLFO DEISS MARQUES DMI / 59939/06 JAIANE CAMPOS FELICIO MORAIS DMI / 0008499/002 MARCILENE ALEXANDRE PEREIRA DMI / 103010 DMI / 5868-03/03 MARIANE BARBOSA SILVEIRA

Dourados - MS,25 de janeiro de 2018

VALOR R$ 1.121,46 520,13 171,90 107,00 461,73 770,00 380,00

Ă&#x20AC; PAGAR R$ 1.301,68 607,83 229,90 159,60 545,38 857,70 454,20

EMISSĂ&#x192;O 02/01/2018 08/05/2017 02/10/2017 12/07/2017 14/12/2017 13/03/2017 31/10/2017

VENCIMENTO 15/01/2018 10/01/2018 10/01/2018 12/01/2018 12/01/2018 13/01/2018 15/01/2018

MOTIVO Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento Falta de Pagamento

SĂŠrgio Julian Zanella MartĂ­nez Caro TabeliĂŁo de Protesto

REQUERIMENTO DE AUTORIZAĂ&#x2021;Ă&#x192;O AMBIENTAL - AA EDITAL MICHELLE PEREIRA DOS SANTOS MEI, torna PĂşblico que requereu do Instituto de Meio Ambiente de Dourados (MS) â&#x20AC;&#x201C; IMAM, a Autorização Ambiental - AA, para a atividade de FABRICAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE ATEFATOS TĂ&#x160;XTES PARA USO DOMESTICO, localizada na Rua.DELCI MATTOS ROCHA NÂş685- Bairro VILA SANTA CATARINA , no municĂ­pio de Dourados (MS). NĂŁo foi determinado Estudo de Impacto Ambiental.

CUSTOS UNITĂ RIOS BĂ SICOS DE CONSTRUĂ&#x2021;Ă&#x192;O MĂ&#x160;S: NOVEMBRO ANO: 2017 (NBR 12.721:2006 - CUB 2006)

Os valores abaixo referem-se aos Custos Unitårios Båsicos de Construção (CUB/m²), calculados de acordo com a Lei Fed. nº. 4.591, de NOVEMBRO de 2017. "Estes custos unitårios foram calculados conforme disposto na ABNT NBR 12.721:2006, com base em novos projetos, novos memoriais descritivos e novos critÊrios de orçamentação e, portanto, constituem nova sÊrie histórica de custos unitårios, não comparåveis com a anterior, com a designação de CUB/2006". "Na formação destes custos unitårios båsicos não foram considerados os seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido no projeto e especificaçþes correspondentes a cada caso particular: fundaçþes, submuramentos, paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freåtico; elevador(es); equipamentos e instalaçþes, tais como: fogþes, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground (quando não classificado como årea construída); obras e serviços complementares; urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no Anexo A - quadro III); impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais; remuneração do construtor; remuneração do incorporador."

PROJETOS - PADRĂ&#x192;O RESIDENCIAIS PADRĂ&#x192;O BAIXO Projeto

R$/m²

5 33 5 3,6

1.124,60 1.049,75 1.000,21 773,82

PADRĂ&#x192;O NORMAL

var.% mĂŞs

0,06% 0,04% 0,04% 0,05%

PADRĂ&#x192;O ALTO

Projeto

R$/m²

var.% mĂŞs

Projeto

R$/m²

var.% mĂŞs

R-1 PP-4 R-8 R-16

1.319,03 1.262,97 1.109,36 1.076,31

0,07% 0,06% 0,04% 0,06%

R-1 R-8 R-16

1.646,76 1.347,39 1.413,51

0,06% 0,12% 0,06%

100,00% 48,86% 45,81% 5,33%

1.109,36 542,07 508,15 59,14

CUB/M² - R8-N = R$ 1.109,36 VARIAĂ&#x2021;Ă&#x192;O Mensal 0,04% Em 2014 Ult. 12 meses -

CUSTO TOTAL MĂŁo de obra (encargos 134,39 %) Material Despesas Administrativas

PROJETOS - PADRĂ&#x192;O COMERCIAIS CAL (Comercial Andares Livres) e CSL (Comercial Salas e Lojas) PADRĂ&#x192;O NORMAL

PADRĂ&#x192;O ALTO

Projeto

R$/m²

var.% mĂŞs

Projeto

R$/m²

var.% mĂŞs

CAL - 8 CSL - 8 CSL - 16

1.306,71 1.106,20 1.476,08

0,02% 0,03% 0,02%

CAL - 8 CSL - 8 CSL - 16

1.406,73 1.213,64 1.615,48

0,04% 0,04% 0,04%

PROJETOS - PADRĂ&#x192;O GALPĂ&#x192;O INDUSTRIAL (GI) E RESIDĂ&#x160;NCIA POPULAR (RP1Q)

SIGLAS R-1: PP-4: R-8: R-16: PIS:

ResidĂŞncia Unifamiliar PrĂŠdio Popular ResidĂŞncia Multifamiliar ResidĂŞncia Multifamiliar Projeto de Interesse Social

Projeto

R$/m²

var.% mĂŞs

RP1Q GI

1.131,69 607,02

0,05% 0,03% SIGLAS RPQ1: CAL-8: CSL-8: CSL-16: GI:

ResidĂŞncia Popular Comercial Andares Livres Comercial Salas e Lojas Comercial Salas e Lojas GalpĂŁo Industrial

Rua Spipe Calarge, 1479 - Vila Morumbi - CEP: 79051-560 - Campo Grande-MS Telefone: (67) 3387-8884 - Fax: 3387-0909 - E-mail: sindusconms@sindusconms.com.br


4

O PROGRESSO

Dourados, quinta-feira 25.1.2018

ESPAÇO ECUMÊNICO

Espírito humano tem poder supranatural )ž%$+»jÜ

Embora o corpo estivesse fraco e incapaz de superar as vicissitudes de cruzar o Atlântico, o amor nos auxiliou e nós viemos para cá. Algumas vezes o espírito deve ajudar o corpo. Não podemos realizar coisas realmente grandes somente através da força física; o espírito deve fortalecer nossa força física. Por exemplo, o corpo do homem pode ser capaz de suportar a provação da prisão por dez ou quinze anos, em condições climáticas temperadas e de rotina física tranqüila. Du-

rante nosso aprisionamento em ‘Akká, não havia conforto, estávamos cercados de dificuldades e perseguições de todos os tipos, e ainda assim, apesar dessas condições angustiantes, conseguimos suportar essas provações por quarenta anos. O clima era muito ruim, necessidades e conveniências para a vida nos eram negadas, mas nós suportamos esta restrita prisão durante quarenta anos. Qual foi a razão? O espírito constantemente fortalecia e vivificava o corpo. Passamos por todo este longo e difícil período no mais completo amor e servitude celestial. O espírito deve auxiliar o corpo

em certas condições que nos cercam, pois o corpo por si só não pode suportar a extrema tensão de tais sofrimentos. O corpo humano é na realidade muito fraco; não há corpo físico mais delicadamente constituído. Um mosquito o angustia; a menor quantidade de veneno o destrói; se a respiração cessar por um momento, ele morrerá. Que aparelho poderia ser mais fraco e delicado? Uma folha de grama cortada pela raiz pode viver uma hora, ao passo que o corpo humano privado de suas forças morre num minuto. Mas, na mesma proporção que o corpo humano é fraco, o espírito do homem é forte. Ele

pode controlar fenômenos naturais; é um poder supranatural que transcende todos os seres contingentes. Possui vida imortal que nada pode destruir ou deteriorar. Se todos os reinos da existência se levantarem contra o espírito imortal e tentarem sua destruição, este espírito imortal, completamente só, poderá resistir a seus ataques com destemida firmeza e resolução, pois ele é indestrutível e dotado de supremas virtudes naturais. Por esta razão, dizemos que o espírito do homem pode penetrar e descobrir a realidade de todas as coisas pode esclarecer os segredos e mistérios de todas as coisas

criadas. Enquanto vive sobre a terra, ele descobre as estrelas e seus satélites; viaja pelo subsolo, encontra metais em suas profundezas ocultas e decifra os segredos das idades geológicas. Ele pode cruzar o infinito espaço interestelar e descobrir o movimento de sóis inconcebivelmente distantes. Como é maravilhoso! Ele pode alcançar o Reino de Deus. Pode penetrar os mistérios do Reino divino e alcançar a vida eterna. É iluminado pela luz de Deus e a reflete para todo o universo. Como é maravilhoso! Quão poderoso é o espírito humano, enquanto seu corpo é tão fraco! Se as suscetibilidades

do espírito o dominam, não há criatura mais heróica e mais destemida do que o homem; mas se as forças físicas o dominam, não se pode encontrar nada mais covarde e temeroso, por ser o corpo tão fraco e incapaz. Portanto, a intenção divina é que as suscetibilidades espirituais do homem obtenham precedência e domínio sobre suas forças físicas. Deste modo, ele se prepara para dominar o mundo humano pela sua nobreza, livre e destemido, dotado de atributos da vida eterna.” (Palestra de Abdu’l-Bahá em Green Acre, EUA - ano 1912). Serviço: Navegue pelo site oficial: www.bahai.org.br

ta bem. Se ele não é honesto contigo. Se é arrogante. Se te despreza. Se te humilha. Se é fingida. Lembre-se que você não precisa passar por isso. Você deve agora estar se perguntando: Mas como? Me dá a receita! Pois se eu te contar que não tem receita e que a resposta é mais simples do que você imagina não se sei você irá acreditar. A resposta é tão simples que posso responde-las com apenas três palavras: Saia de perto! Parece absurdo e desprovido de qualquer sentimento de amor! Ok! Posso até concordar contigo, num primeiro momento, mas te garanto que a melhor coisa

a fazer com pessoas que nos fazem mal é sair de perto. É dar um tempo. É deixar a cabeça esfriar. Experimente. Amigo leitor, sair de perto pode parecer muito duro, mas também é uma forma de amar a outra pessoa. É, ao invés de ofendê-la, agredi-la, respeitá-la. Mas sair de perto é se amar também! É se preservar de muita incomodação e dor de cabeça. É se dar a paz que muitas vezes não se alcança do lado de tal pessoa. Mas um outro conselho preciso te dar antes de terminar este bom dia. Se por algum motivo você decidir sair de perto de alguém, quando sair ORE por esta pessoa,

pois orar por alguém é uma das maiores provas de amor. É coloca-las diretamente no colo de Deus. Com este propósito em seu coração, parta para mais um dia de bênçãos. Faça isto, examine as possibilidades, experimente a amar e se importar com as pessoas e verás como tua vida também será melhor e com maior sentido, pois pais e mães intercedem por nós. Tenham uma abençoada semana. Nosso endereço: Rua Lúcio Nunes Stein esquina Benjamim Constant. *Erivelton Demari – Pastor na IECLB – eriveltonsdemari@yahoo.com. br - www.luteranos.com.br

para nós hoje: São Sebastião. Neste ano o tema que iremos aprofundar, tanto na Arquidiocese, assim como nas Paróquias e capelas que levam o nome de São Sebastião tem muito a ver com o atual momento que vivemos: “São Sebastião superou tudo com Amor”. Isso nos quer ajudar a ver em São Sebastião um exemplo para que em meio a tantos problemas não nos deixemos levar pelo ódio, divisão, rancor, maldades e vingança. O caminho cristão é o caminho do amor, mesmo quando exerce o profetismo chamando a atenção para os pecados da sociedade. Temos um texto para cada dia da trezena que nos acompanhará em nossas visitas e reflexões. Além disso, o site da Arquidiocese publicará diariamente textos para nos ajudar a aprofundar esses temas. Todos somos convidados a meditar sobre esses assuntos

tão importantes. Todas as paróquias, comunidades, capelas, movimentos, pastorais são convocados para cada dia da trezena a se reunirem para refletir e rezar nesse momento tão especial que estamos em nossa sociedade e pedir que o exemplo do cristão leigo São Sebastião, faça de todos nós “sal da terra e luz do mundo” dessa “igreja em saída, a serviço do Reino” como nos indica o tema e o lema do ano do laicato. No dia 20 de janeiro teremos a oportunidade de sinalizar a nossa alegria em estarmos unidos pelo bem desta cidade com a nossa grande procissão que sairá da Basílica Santuário de São Sebastião na Tijuca, a Paróquia dos Frades Capuchinhos, onde se conservam grandes sinais da fundação da cidade, para a nossa Catedral Metropolitana de São Sebastião onde teremos a solene missa de encerramento do

dia, depois da apresentação do Auto de São Sebastião e outras solenidades, em especial, a bênção sobre a cidade. Eis o tempo de recomeçar! Que estejamos unidos neste início de ano e que o exemplo do grande homem de Deus, leigo seguidos de Jesus Cristo nos inspire a fazer daqui uma cidade onde reine a paz. Nós que iniciamos o ano com o Dia Mundial da Paz refletindo sobre a acolhida de tantos que migram ou se refugiam buscando a paz pedimos que o Senhor nos abençoe com a bênção de Aarão (Num 6, 2227): “O Senhor te abençoe e te guarde! O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face, e se compadeça de ti. O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz”. Assim invocarão o meu nome e eu os abençoarei, diz o Senhor que habita em nossa cidade. Paz! *Dom Orani João Tempesta - Arcebispo do Rio de Janeiro

Expert em comportamentos ,*5(-$/87(5$1$

O

lá, bom dia amados por Jesus Cristo. Quero saudá-los /com as palavras Bíblicas de Efésios 1.4, onde interpretando lemos: “Este é o milagre dos milagres: que o amor de Deus veio a nós e construiu uma ponte, Jesus, antes de qualquer tentativa nossa de ir ao encontro Dele”. Olá amigo leitor! Não me considero uma pessoa expert sobre o comportamento humano, mesmo que meus últimos anos de vida tenham sido vividos exclusivamente

voltados para pessoas. Mas confesso que aprendi muitas coisas nestes anos de dedicação ao exercício do ministério pastoral. Algumas foi observando, outras escutando e outras mais convivendo. Dentre as muitas coisas que aprendi foi que na vida precisamos aprender algumas coisinhas básicas sobre as pessoas. Principalmente se queremos que nossos relacionamentos sejam harmoniosos, prazerosos e edificantes. E neste sentido, gostaria de deixar alguns conselhos que podem ajudar muito o nosso relacionamento com as pessoas. Sei que existe um ditado

popular que diz: “Se conselho fosse bom a gente venderia e não daria de graça, mas mesmo assim contrariando esta máxima popular quero deixá-los para vocês. Se acharem que valem a pena, então os coloquem em pratica, se acharem que não: tudo bem! A escolha é sua. Então lá vai: Seja honesto. Trate bem a todos. Seja gentil sempre. Não seja arrogante. Não USE as pessoas. Não as trate com desprezo. Nunca finja sentimentos que não existem. Fazer isso é amar o teu próximo como a ti mesmo. Mas fazer isso é se amar também! Agora, se alguém não te tra-

Superar tudo com amor ,*5(-$&$7Í/,&$

A

cidade do Rio de Janeiro vive a cada início de ano a festa do seu padroeiro: São Sebastião. Quando Estácio de Sá, acompanhado por um grupo de fundadores, desembarcaram na região entre o Morro Cara de Cão e do Pão de Açúcar, hoje chamado Praia de Fora, na Região da Praia Vermelha, onde hoje tem o forte militar com esse nome, iniciou a nossa futura cidade. Era o dia 1º de março de 1565. Ele deu nome à vila portuguesa de São Sebastião, homenagem do Rei de Portugal na época. A região era conhecida por Rio de Janeiro, porque, foi descoberta pelo explorador português Gaspar de Lemos no dia 1º de janeiro de 1502 e na época não havia distinção entre Rios, Baías,

etc. Porém a conquista do espaço para Portugal se deu em 1567 com a expulsão definitiva dos franceses que tinham chegado a 1º de novembro de 1555. Dessa região da orla marítima, mais tarde, a pequena Capela com a imagem de São Sebastião que Estácio de Sá tinha trazido, foi transferida para o morro do Castelo onde ficou até quando ele foi destruído para refazer a urbanização. A data da festa do padroeiro da cidade é comemorada solenemente no dia 20 de janeiro de cada ano. É praticamente o dia da identidade da cidade que é marcada pelo leigo e soldado romano, Sebastião, mártir cristão. Um homem de Deus que foi testemunha do Evangelho em toda a sua vida e, quando questionado não negou sua fé suportando tudo por amor a Cristo. Um belo exemplo de firmeza de um soldado cristão em épocas tão re-

motas (século 3º). A firmeza na fé e, ao mesmo tempo, depois de recuperado das flechadas, superando tudo com amor faz dele um exemplo atual para a nossa cidade tão machucada por tantos ferimentos sociais e éticos. A cada ano temos a oportunidade de iniciar o ano civil com a grande preparação da festa do padroeiro da cidade e da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Atualmente temos 13 dias de preparação que chamados de “trezena” quando fazemos uma grande missão popular por toda a cidade, com visitas não apenas a lugares religiosos, mas também culturais, governamentais, educacionais, sanitários, sociais. É uma oportunidade de celebrarmos a nossa responsabilidade pela cidade e perceber que “Deus habita esta cidade” dedicada a um homem que em tudo seguiu a Cristo e é exemplo

Religiões ajudam pessoas superar limitações +,1'8Ü602 (%8',602

O

Hi n d u í s m o é a religião oficial da Índia e uma das mais antigas tradições religiosas que se encontra registro histórico. É a terceira maior religião do mundo, perdendo em número de seguidores apenas para o cristianismo e o islamismo. O hinduísmo é mais do que uma religião, configura todo um universo cultural indiano, com reflexo direto na sociedade e políticas locais. Também chamada de Sanatana Dharma, expressão em sânscrito que significa “lei perpétua”.

O principal símbolo visual do hinduísmo é o Om ou Aum, o som primordial. Utilizado nas vocalizações, meditações e mantras, é formado por três letras em sânscrito e combinadas fazem o som de om ou aum. O Om representa a divindade da criação, Brahma. As práticas e rituais hindus variam de região, mas a maior parte dos seguidores realiza ao menos um ritual diariamente, como o puja, que é a oferenda aos deuses. Entre as práticas hindus está incluído o Yoga, o tantra e a meditação, como formas de harmonizar a energia entre o corpo e a mente. A entonação de

mantras faz parte dos rituais, assim como é rotineiro que os hindus façam a veneração na alvorada, os rituais de purificação e as peregrinações a locais sagrados, como o Rio Ganges, na Índia. O autor da Revelação Hindu é Sua Santidade Krishna, representante das manifestações do Deus Supremo. Shiva é considerado o criador do Yoga; Brahma é o senhor da criação do universo na crença hindu, Vishnu, da preservação. Ganesha é a entidade da fortuna e das riquezas, é filho de Shiva com Parvati. A comunidade hindu é pequena no Brasil, menor do

que os budistas. A principal expressividade do hinduísmo no Brasil é pelo movimento Hare Krishna. Hinduísmo e Budismo O Budismo teve maior expressividade, a princípio, na China, e o hinduísmo é uma tradição indiana. Enquanto o hinduísmo tem base nos vedas, os textos sagrados védicos, a crença budista vem dos ensinamentos elaborados por Buda durante o seu caminho para a iluminação. As duas tradições compartilham dos conceitos de karma e dharma, mas com diferentes objetivos. Os budistas buscam o nirvana simbolizado

pelo estado permanente de paz e trabalham na busca pela felicidade eterna. E os hindus alcançam moksha, um conceito semelhante ao do nirvana, apenas pelo conhecimento da doutrina religiosa, guiado pelos deuses. Ambas as culturas hindu e budista acreditam na prática do Yoga como forma de alcançar a evolução espiritual. Os budistas acreditam que a consciência física e espiritual leva à iluminação e elevação, o chamado nirvana. É o plano mais alto de consciência, onde o ser está livre da dor do mundo físico. O Budismo também acredita que todos os seres pos-

suem encar nações e reencarnações, inclusive os animais e plantas. Por isso o indivíduo deve ser bom a todos os seres, já que em outra vida pode-se experienciar aquela forma. Este ciclo de reencarnação é chamado de Samsara. A doutrina budista é dividida em dois grandes ramos: Theravada, a escola budista mais antiga, e Mahayana, da qual faz parte o Budismo Tibetano, o Zen, entre outras linhas. As Três Joias, também conhecidas como Três Tesouros, Três Refúgios ou Gema Tripla, são as bases das tradições e práticas budistas.

Edição de 25/janeiro de 2018  
Edição de 25/janeiro de 2018  
Advertisement