Rituais com Máscara - Valongo

Page 1

Coordenação Coordination Hélder Ferreira Texto Text Maria João Nunes

Fotografia Photography Elisa Alves, Hélder Ferreira, Nuno Feliz

RITUALS WITH MASKS

COM

RITUAIS MÁSCARA ROTA DAS MÁSCARAS EM PORTUGAL ROUTE OF MASKS IN PORTUGAL

Valongo Sobrado


Ficha Técnica Masthead Projeto Project ADGTCP - Turismo Cultural (Progestur) Coordenação Coordination Hélder Ferreira Texto Text Maria João Nunes, Câmara Municipal de Valongo (p. 66 a 79) Fotografia Photography Elisa Alves, Hélder Ferreira, Nuno Feliz Cedência de Imagens Providing Imagens Câmara Municipal de Valongo (p. 66 a 70, 73, 76 e 78), André Ferreira (p. 27, 30, 58, 61) Tradução Translation Íris Lima Design e Arte final Design and Final Art André Lopes Capa Cover André Lopes Fotografia de capa Cover photo Elisa Alves Mapas Maps Telmo Amaro Impressão e acabamento Printing and finishing Ondagrafe Tiragem Circulation 1.000 exemplares Agosto August 2017 Depósito Legal nº 430463/17 ISBN 978-989-99501-6-0 VERSÕES OFICIAIS DO LOGÓTIPO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO

Promotor

QUALQUER APLICAÇÃO DEVERÁ SER APROVADA PREVIAMENTE PELO GABINETE DE COMUNICAÇÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO: COMUNICACAO@CM-VALONGO.PT

Parceiro Institucional Institutional Partner


ร ndice Index

Rota das Mรกscaras 04 Route of the Masks

Nota de Abertura 06 Note of Introduction

Bugiada e Mouriscada 08 Bugiada and Mouriscada

Turismo - Valongo, um territรณrio a descobrir 66 Tourism - Valongo, a territory to be discovered

Mapa Inatel 80 Map Inatel


ROTA DAS MÁSCARAS

ROUTE OF MASKS

VALONGO Bugiada e Mouriscada, Sobrado - Valongo Bugiada e Mouriscada, Sobrado - Valongo GPS N 41° 12’ 35.9” / W 8° 27‘ 43.9”

04


05


Nota de Abertura Opening Note

Porquê uma coleção de livros sobre os rituais da máscara em Portugal quando já existem várias edições sobre a temática, sendo até a Progestur responsável por várias dessas publicações? A realidade é que quando consultamos a bibliografia disponível, concluímos que a quase totalidade dos trabalhos ou edições existentes, nos falam dos “rituais da máscara” num contexto antropológico, etnográfico, falando-nos das origens epistemológicas da “máscara”, repetindo o conhecimento que existe sobre as respetivas origens ou influências que sofreu ao longo do tempo, assim como os correspondentes significados. No entanto, sobre o que representam hoje estes rituais, a sua componente mais sociológica e diria mesmo, uma visão mais contemporânea, concluímos que nesta abordagem muito pouco foi feito, com exceção de alguns trabalhos pontuais e localizados. Com esta coleção pretendemos, assim, colmatar um vazio na informação disponível sobre o tema, levando aos leitores aquilo que a festa é hoje, o que representa, como é vivida e sentida pelas populações, ou seja, de uma forma despretensiosa, gostaríamos de conseguir transmitir os sons, as cores, os cheiros, as emoções e a importância destes rituais nas comunidades que as mantêm, mas também enquanto pertença da nossa memória coletiva, parte da nossa identidade nacional. A tudo isto juntamos uma mais-valia socio económica - porque de uma riqueza se trata - e com a fundação INATEL, criamos as “Rotas das Máscaras em Portugal” que farão parte integrante da totalidade da coleção, apresentando ao leitor a oferta turístico-cultural dos municípios referentes, permitindo-lhe não só “saborear” das emoções destas festividades mas também da gastronomia, da cultura patrimonial e imaterial, das belas paisagens, enfim “disfrutando” do que melhor temos para lhes oferecer.

06

Why a collection of books about the rituals of masks in Portugal, when there are numerous editions about this thematic, being the Progestur responsible for many of the already published works? The reality is that, when we consult the available literature, it can be concluded that almost all of the works or editions existent, address the “rituals of the mask” in an anthropologic, ethnographic context, that approaches the epistemological origins of the “mask”, repeating the existent knowledge about the respective origins or influences that this manifestation suffered through time, also reflecting on their significance. However, about what these rituals represent currently, their sociological component, and, I would even say, a more contemporary vision, we conclude that there is still so much to do, impelling a profound investigation that has been initiated with punctual and specific works. With this collection we intend to give more acquaintance about this thematic, taking the reader to know what is the festivity in the present days, what represents, how is lived and felt by the populations, transmitting, in an unpretentious way, the sounds, colors, smells, emotions and the importance of these rituals in the maintenance of communities and, as an owner of this collective memory, part of our national identity. To all of this we added a social-economic value - because it’s a rich manifestation - and in association with Fundação INATEL, we created the “Rotas das Máscaras em Portugal” (Route of Masks in Portugal) that will be part of the entire collection, presenting to the reader a tourist and cultural offer of the counties presents in the books, allowing not just the “relish” of the emotions in each festivity, but also the gastronomy, cultural heritage and beautiful landscapes, enjoying the very best we have to offer.


Esperamos, assim, poder contribuir com esta obra para uma maior visibilidade do nosso património cultural imaterial e, em particular, do tema dos “rituais da máscara”, com uma abordagem que pensamos ser “interessante” e destacando a sua importância. Para terminar, um grande obrigado a todos os “fazedores” destes rituais, participantes e organizadores, às entidades que apoiam e acreditam na valorização dos seus territórios pela via da afirmação da identidade cultural e finalmente, a toda a equipa Progestur e colaboradores que trabalham nesta coleção. A todos, um grande bem-haja.

With this collection we expect to contribute to more visibility of our cultural heritage and, in particular, the thematic of “rituals of mask”, with an approach that we consider “interesting”, emphasizing their importance. To finish, a huge thank you to all the “doers” of this rituals, participants and organizers, to the entities that support and believe the valorization of their territories, for the affirmation of a cultural identity and finally to all the Progestur team and collaborators that work in this collection. To all, bem-haja.

Hélder Ferreira Coordenador da Coleção Collection Coordinator

07


Festa Festivity São João Local Location Sobrado, Valongo Data Date 24 de Junho População Population 6.727 Habitantes (Censos 2011) GPS N 41° 12’ 35.9” / W 8° 27‘ 43.9”

08

Informações Info http://www.cm-valongo.pt gabmunicipe@cm-valongo.pt

Bugiada e Mouriscada, Sobrado - Valongo

Bugiada and Mouriscada, Sobrado - Valongo

As festas de mouros e cristãos que ainda hoje se realizam um pouco por todo o mundo, mas, sobretudo, na Península Ibérica e no Brasil pressupõem, pelo menos à primeira vista, uma oposição entre dois povos de religiões diferentes e muito frequentemente a conversão dos mouros ao cristianismo.

The festivities of Moors and Christians that still take place in the present days all over the world, in particular in the Iberian Peninsula and in Brazil, assume, at least, at first sight, an opposition between two people of different religions, leading very often to a conversion of the Moors to Christianity.

É nesta tradição festiva que se insere a Bugiada e Mouriscada. A festa é também conhecida por outros nomes mas S. João de Sobrado é, habitualmente, um dos termos mais comumente usados, ou tão simplesmente Bugiada (ainda que este termo não reúna consenso por excluir a Mouriscada).

It’s in this festive tradition that the celebration of the Bugiada and Mouriscada occurs. Also known by other names such as the Festivity of Saint John of Sobrado, usually one of the most commonly designations, or simply Bugiada (although this one does not gather consensus because it excludes the Mouriscada).

Esta festividade cíclica realiza-se anualmente a 24 de junho, na vila de Sobrado, concelho de Valongo, em homenagem a S. João Baptista. Não estamos, no entanto, perante uma festa patronal uma vez que o patrono da paróquia é Santo André. A componente religiosa festiva está, aliás, limitada à realização de uma missa e procissão na parte da manhã: “há a missa de manhã e fica arrumada a parte religiosa” (bugio) como quem diz “agora vamos lá ao que interessa!”.

This cyclic festivity, in honor of Saint John the Baptist, happens every year on the 24th of June, in the village of Sobrado, council of Valongo. Despite the fact that this is a celebration in honor of Saint John, this particular festivity is not a patronal feast since the patron of this parish is, in fact, Saint Andrew. To be fair the religious component in this festivity is limited to a celebration of a mass and to a procession in the morning: “There is a mass in the morning and the religious part is all done” (bugio) which means that after that “time to go to what really matters!”.



A maior parte do alinhamento festivo tem como base a representação de uma lenda na qual se baseia a festa e sobre a qual surgem, localmente, várias interpretações e leituras, mas que em traços comuns conta a história da disputa de dois líderes pela imagem milagrosa de S. João. O rei do povo mouro, que ocupava as terras da serra da Cuca-Macuca (Serra da Santa Justa, em Valongo) apercebendo-se do estado frágil e doente da sua filha pede emprestada a imagem de S. João ao rei cristão, visto que o santo era conhecido pelos seus milagres, já tendo curado a filha deste último que padecera gravemente. Felizes com o milagre do santo, os mouros tardam a devolver a imagem ao povo cristão e os dois lados entram em contenda.

10

O exército dos mouros faz prisioneiro o rei dos cristãos e o conflito só termina quando o povo cristão enfrenta os mouros com uma grande Serpe, que os assusta e assim conseguem libertar o seu rei e recuperar a posse da imagem do santo milagroso.

The most part of this festive tradition is created based on a representation of a tale that is the inspiration for this whole celebration and the object of many interpretations and readings that in common traces tell the story about a dispute between two leaders for the miraculous image of Saint John. Legend says that the king of the Moorish people, who occupied the lands of the Cuca-Macuca (Mountain of Santa Justa in Valongo), realizing the fragile and sick state of his daughter, borrows the image of Saint John from the Christian king, since the saint was known by his miracles, having already healed the daughter of the Christian king when she was suffering badly. Happy with the miracle of the saint, the Moors are slow to return the image to the Christian people, generating a conflict between the two parts that leads to the capture of the Christian’s king by the Moors’s army. The conflict only ends when the Christian people confront the Moors with a Wyvern, frightening them. The Christian king is finally free and the image of the miraculous saint is recovered.

Existem, como referido, várias interpretações locais da lenda e mesmo em contexto festivo não deixa de ser ambígua e curiosa a representação dramatúrgica apresentada ao longo do dia.

It exists, as mentioned, several local interpretations of this legend and even in a festive context, the dramaturgic representation presented throughout the day is still ambiguous and curious.


11