Issuu on Google+

As Macieiras de dona Elisabeth Eu, Elisabeth, nasci e cresci em Indaial numa época mais tranquila do que hoje, com poucas casas e pessoas. Morávamos em uma casa muito pequena de madeira, da cor roxa, na qual era cercada por macieiras que davam frutas o ano todo. Ela era muito especial porque tinha o chão macio e feito de barro. Naquela

época,

eu

amava

brincar com nosso velho carro de boi

que

vivia

encostado

nas

macieiras. Todo dia, de segunda a sexta-feira nós estudávamos em uma escola improvisada nos fundos de uma casa de madeira. Levava o material em

uma sacola feita de

farinha de trigo que cansava os meus braços. Eu me achava mais pobre que os outros por causa da sacola! Quando eu era menina, eu tinha um

grande amor, ele se chamava Matheus Massaia Bittelo. Eu o amava e

ele a mim.. O nosso amor era proibido porque meu pai não gostava dele por causa da sua religião. Hoje, moro em Blumenau com meus filhos e o meu marido. Sou aposentada, sustento a minha família e sou muito feliz. William Matheus Ramos



As macieiras de dona ElisabethOK