Page 1

Canoagem

Introdução 1


A canoagem é um desporto que tem atraído um número crescente de participantes. É praticada ao ar livre, na água e, atualmente, tem várias modalidades.

Passado: A canoa é originária dos índios da América do Norte e o caiaque dos esquimós da Gronelândia, do Alasca e do Lavrador. A especificidade da canoa e do caiaque vem do facto dos meios de propulsão não serem fixos à embarcação. A Canoa Índia, cujas primeiras referências datam do século XVI, do Canadá, apresenta dentro da forma base várias dimensões, chegando a transportar mais de dezena e meia de pessoas. As embarcações esquimós são constituídas em pele sobre armações de madeira. Apesar de serem utilizadas desde tempos longínquos, as primeiras referências datam de 1619. 16 As canoas foram desenvolvidas ao longo de milhares de anos, primeiramente pelos povos nativos da América do Norte. A palavra que conhecemos hoje (canoa) deriva da palavra Kenu, que significa dugout, um tipo de canoa feito de tronco de árvore. Durante muitos anos, foi o meio de transporte mais usado na colonização da América do Norte, e da Polinésia.

História da canoagem: Datam do século XVI os primeiros registos da utilização de canoas na América do Norte. Estas eram feitas de madeira e peles de animais; eram embarcações leves e rápidas, próprias para enfrentar os rios do Canadá, com correntes rápidas. Enquanto a canoa era utilizada pelos indígenas no interior do continente, o caiaque era usado pelos esquimós para pescar e transportá-los entre dois pontos da costa. Esses caiaques eram formados por uma estrutura de madeira, revestida com pele de foca e calafetada com a gordura das articulações daqueles animais. A primeira canoa de competição foi criada pelo advogado escocês John McGregor e surgiu durante a Guerra Civil Americana (1861-1865). Quando, em 1865, John McGregor regressou à Grã-Bretanha, fundou em Londres o Royal Canoe Club, que três anos depois já contava com 300 sócios. Os clubes e as competições começaram a multiplicar-se e, em poucos anos, a canoagem passou a ser 2


um desporto muito popular. Na Europa, os revestimentos das canoas com peles de animais foram substituídos por outros em lona.

Presente: A popularidade da canoagem levou a que em 1924 fosse fundada a Federação Internacional de Canoagem (ICF) e, nesse mesmo ano, em Paris, surgiu pela primeira vez no programa dos Jogos Olímpicos, embora apenas para exibição. Em 1933 nasceram os Campeonatos da Europa e a inclusão oficial da canoagem no programa dos Jogos aconteceu na edição de 1936, que decorreu na Alemanha, onde houve provas masculinas. As provas femininas só foram admitidas em 1948, nos Jogos Olímpicos de Londres. Foi ainda na década de 30 do século XX que se começou a praticar a canoagem em águas bravias e o slalom. Em 1938, realizaram-se os primeiros Campeonatos Mundiais que, a partir de 1970, começaram a ter uma periodicidade anual, excepto no ano em que têm lugar os Jogos Olímpicos. Os Mundiais de Slalom são bienais desde 1949 e os de águas bravias desde 1959. Em 1988, foi instituída uma Maratona Mundial, que teve a primeira edição em Nottingham, Inglaterra.

Equipamento necessário e cuidados a ter na prática da Canoagem É preciso ter muita atenção aos materiais escolhidos e utilizados para a prática da canoagem. Destacamos os mais importantes: 

As canoas funcionam à semelhança dos carros, existem vários modelos para várias pessoas.

Os caiaques podem ser de velocidade, de fundo, de slalom, de surf, de pólo, de maratona e de mar. Variam de acordo com a utilização ou a modalidade para a qual se destinam.

Relativamente à forma, os caiaques podem ser abertos ou fechados, duplos, triplos ou quádruplos.

Os materiais comummente utilizados na construção de um caiaque e que garantem uma melhor performance são: a fibra de vidro e de carbono e o polietileno.

3


Para uma finalidade amadora, turística e/ou recreativa, os caiaques devem ter mais de 4 metros de comprimento por 60 cm de largura. A proa (frente do barco) deve ser alta e cortante e a linha de quilha levemente arqueada.

No caso de um passeio curto, é suficiente ter um sistema de amarras sobre o convés para transportar alguma bagagem. Por outro lado, no caso de ser uma excursão longa, devem ser adicionados compartimentos de carga e utilizado um leme.

Nunca se deve ficar de pé numa canoa. No caso de a embarcação virar na água, é necessário que o praticante se mantenha junto à mesma, pois o caiaque pode salvar-lhe a vida até chegar auxílio.

Colete salva vidas, é um elemento de presença obrigatória para a segurança do praticante de canoagem

Capacete, que tem como função a proteção da testa, da nuca e das orelhas. O seu uso é imprescindível para a segurança de um canoísta, na medida em que representa uma mais-valia na prevenção e no cálculo dos riscos da atividade.

Remos, que mudam de embarcação para embarcação: com diferentes pás, tamanhos de empunhaduras e comprimentos. O tamanho ideal é aquele que chega à altura dos olhos do praticante.

Cabo de resgate é uma corda elástica, de aproximadamente 20 metros, utilizada para resgates no caso de alguém cair do bote – é o designado cabo de resgate.

Saia é uma colcha que se ajusta no aro da cabine e na cintura do canoísta que impede a entrada de água no caiaque. Pode ser fabricada com vários materiais, sendo que a de neopreno é a mais eficiente. A saia é dotada de duas alças de segurança na parte anterior para retirada rápida no caso de necessidade

Número de participantes e países:

4


Canoístas portugueses mais famosos

Fernando Fernandes

Rui Câncio

Web grafia http://www.suapesquisa.com/educacaoesportes/canoagem.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Canoagem http://canoas.no.sapo.pt/historia.htm http://www.travinha.com.br/esportes-aquaticos/52-canoagem/73-canoagem-asmodalidades

Trabalho feito por: Sérgio Martins Correia, n.º11, 9.ºD

5

Canoagem  

ghfhfhfgh