Issuu on Google+

A REVISTA DA DROGARIA são Paulo

EDIçÃO 46

OUT/NOV 2013

cardápio da melhor

idade

Comer bem garante boa saúde em todas as fases da vida

universo virtual

MaurIcio de Sousa

SAúde

9 771982 21430 3

Issn 1982-1433

00046

00045

Seja um bom exemplo O aprendizado infantil acontece por meio das atitudes dos pais 9 771982 21430 3

Esta é uma publicação oficial da Drogaria São Paulo distribuída gratuitamente com exclusividade para seus clientes

Como era o mundo antes da internet

O seu talento encanta o mundo há várias gerações

|

b e m - e s ta r

|

estilo de vida

|

c u lt u r a

|

g as t r o n o m i a

|

beleza


editorial

“Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.” (Victor Hugo) É tão importante nos abrirmos para escutar o que diz o coração. Muitas vezes os pensamentos nos levam a refletir sobre os temas mais importantes da vida, como a felicidade. Precisamos ir além do ter e precisamos alcançar o ser. Sim! É preciso estar atento e forte às coisas mais simples da vida, como a delícia de acordar com o canto de um sabiá-laranjeira. É realizar sonhos. É ousar ser alegre. Por isso, fique de olho, pois a felicidade não mora ao lado, mora dentro do peito. A revista Ponto de Encontro é a nossa árvore do bem! Sua semente foi plantada e progressivamente dá frutos saborosos. Nesta edição, você encontra o talento de um brasileiro que há mais de 50 anos nos conta histórias da Turma da Mônica: Mauricio de Sousa. E os preparativos para a estação do sol incluem cuidar bem do visual, e nada melhor que uma pele lisinha e livre dos tão indesejados pelos. Preparamos dicas incríveis para você! Você sabia que uma boa alimentação ajuda o cérebro a trabalhar melhor, em potência máxima? Turbine seus pensamentos!

Alguém se lembra de como era o mundo antes do aparecimento da internet (isso existe)? Fizemos um apanhado geral de tudo o que acontecia em sua vida off-line e como lidar com o lado conectado para que o virtual não se sobreponha ao real. Fique ligado, mas não deixe o seu smatphone uni-lo aos que estão longe e separá-lo dos que estão próximos. E tem dicas de saúde, de beleza, de cultura, gastronomia e, claro, os poemas dos nossos leitores. Que a primavera floresça em todos os recantos, principalmente no seu coração! Abraços apertados e boa leitura!

Sandra Teschner Publisher pontodeencontro@profashional.com www.profashional.com www.blogprofashional.com Sandra Teschner @SandraTeschner


sumário

6

8

Críticas, sugestões e depoimentos

Potes ideais para armazenar o leite materno

espaço do leitor

espaço consciente

16

Adeus, pelos faciais

32

vida simples Xô, azia!

Turbine o cérebro com um cardápio especial

Seja o exemplo para seus filhos

18

20

On-line e off-line

50 anos de sucesso

mauricio de sousa

30

26

28

Cuidado com a desnutrição

Parkour e a arte da superação

melhor idade

criança na área

nutre+Ação

velhos costumes

de frente para o espelho

14

10

positivo

positivo

34

Curtas e Quentes

A linha tênue entre cefaleia e estresse

36

38

Petit gâteau

Frases inspiradoras de nossos leitores

Água na Boca

Dicas divertidas para toda a família

Final Feliz

expediente Publisher Sandra Teschner Diretor Executivo Gabriel Sales Diretora de Projetos Especiais Dio Jaguarível Gerente do Núcleo de Jornalismo Adriana Rosa – MTB 47.337 Gerente de Design Alice Hecker Departamento Comercial Márcia Souza comercial@profashional.com Web Ricardo Cerdan Atendimento ao Leitor contato@profashional.com Av. Jandira, 843 – Moema – São Paulo/SP Fone/Fax: (11) 5051-4084 www.profashional.com

4

Conselho Editorial Adriana Rosa, Cátia Alves, Fabiana Oliveira, Karina Oliveira, Lilian Travaglioni Nezi, Luanda Silva, Rafael Medeiros, Sandra Teschner e Tuca Sardinha Editora Interina Maria Helena Bellini Direção de Arte Claudia Carvalho Designers Analu Ferreira, Danielle Lima, Katherine Gomes Jornalistas Ana Carolina Contri, Fernanda Mendonça e Mirella Stivani Revisão Tatiana Lopes Colaboradores Catharina Walzberg, Claudia Zampelli,

Cristiane Moraes Pertusi, Daniele B. Pereira Teixeira, Dirce Gurgel Pessoa, Gustavo Guimarães Protti, Juliana Paiva, Leonard Akira, Paulo Camiz, Silvio Gabor, Tatiana Di Perrelli, Thais Navarro Caldeira, Vanessa Pik Quen Lee e Wilmar Accursio Cartas pontodeencontro@profashional.com A revista Ponto de Encontro é uma publicação da Profashional Editora Ltda., sob licença da Drogaria São Paulo, dirigida aos seus clientes e distribuída em suas filiais. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores e não representam a opinião da revista, da Editora ou da Drogaria São Paulo. Não é permitida a reprodução das matérias nem dos artigos. Publicidade Drogaria São Paulo

Tiragem: 600.000 exemplares

Sac 0800 015 2070


Aqui é o espaço para você enviar comentários, sugestões e perguntas. Participe e faça com que a nossa Ponto de Encontro fique cada vez melhor. Estamos aguardando o seu e-mail: pontodeencontro@profashional.com

Gostei bastante da edição mais recente da revista Ponto de Encontro. Tenho uma filha de 4 anos e adorei a matéria “O maravilhoso universo das letras”. Como educadora infantil e mãe, estou utilizando todas as dicas dadas na matéria. Abraços a todos. Parabéns! Milena ferraz Por e-mail Amigos, Quero parabenizar pela linda revista Ponto de Encontro. Conteúdo instrutivo, lindas matérias e um projeto gráfico sensacional. Espero ansioso para ler a próxima edição. Abraços. Edson Rodrigues Por e-mail

Olá, Eu gosto muito, muito, mas muito mesmo, da revista Ponto de Encontro. As receitinhas são maneiras, e as reportagens, superbacanas. Adorei ver o Fábio Porchat na capa. Parabéns! Abraços. Rose Pojoli Por e-mail Tenho acompanhado as edições da revista e gosto muito das reportagens, mas principalmente das celebridades que ilustram as capas, que mostram ser pessoas simples e batalhadoras, como o Fábio Porchat. Ricardo Santos Por e-mail

6

Escrevi para vocês porque quero elogiá-los pelo ótimo desempenho dessa revista a cada edição. Um superbeijo a todos os editores. Mariana Mattheo Por e-mail

Drogaria São Paulo daqui. O atendimento é nota 10. Além de tudo, ainda recebo gratuitamente a revista Ponto de Encontro, uma publicação repleta de assuntos fundamentais para o nosso dia a dia! Aldo Pierrobon Por e-mail Li inteirinha a edição de agosto/ setembro 2013 e percebi que a Ponto de Encontro está cada vez mais linda, se supera cada vez mais! Parabéns! Gostei muito da matéria “Era uma vez”, e também da matéria sobre glúten. Além dis-

Sou paulistano e moro em Atibaia há 15 anos. Acostumando ao sossego de uma cidade do interior, pude acompanhar o sucesso da

so, ter um espacinho para compartilharmos nossos momentos mais criativos e belos, oferecido por vocês na seção “Final feliz”, me deixa imensamente grata! Um beijo. Ana Cláudia de Lima Por e-mail

o próprio envio de correspondências já caracteriza autorização e cessão de uso para publicação

espaço do leitor


espaço consciente

Por Ana Carolina Contri

Fonte de vida

Você sabe quais são os potes de vidro corretos para o armazenamento de leite materno? Contamos tudo nesta matéria

8


A

mamentar é um ato de amor. E mais que isso, a amamentação é de extrema importância para a saúde do bebê, pois é no leite materno que se encontram todos os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Porém alguns fatores prejudicam a produção de leite em algumas mães, e para garantir esse alimento tão rico aos bebês, foram criados em todo o país os Bancos de Leite Humano. Eles recebem, pasteurizam e distribuem o leite para as crianças internadas em unidades neonatais. Segundo a especialista do departamento de Marketing da Abividro, Claudia Zampelli, “os bancos de leite possuem um papel muito especial em vários sentidos. O mais direto é na luta contra a mortalidade infantil. Além disso, eles são importantes locais de orientações gerais com o cuidado do bebê neonatal: a significância da amamentação, como fazer, como cuidar da higiene do leite armazenado e dos seios, e outros cuidados gerais com o bebê”. O que muitas pessoas não sabem é que, além da doação de leite, esses bancos também necessitam da doação de potes para a sua coleta. Pensando na falta desse material, a Abividro lançou a campanha “Doe Vidro. Doe Vida”, em apoio à Rede Brasileira de Bancos de Leite Materno.

fotos: © ebednarek © Svetlana Fedoseeva / fotolia

A importância do pote adequado

O vidro é a única embalagem adequada ao armazenamento de leite humano, por ser uma matéria pura, que não libera substâncias no alimento, segundo explica Claudia. Em média, são necessárias 167 mil embalagens por ano para esse fim. “Esses potes de vidro são esterilizados e levados até a mãe doadora. Ela também pode escolher um pote de vidro de boca larga e tampa plástica, fazer sua esterilização em casa, proceder à retirada do leite, congelá-lo e deixar disponível para ser recolhido. O vidro é o único material que permite que após a utilização dos frascos eles sejam lavados, esterilizados e reutilizados quantas vezes forem necessárias”, conta.

Conscientização é a meta

A falta desses potes limita a quantidade de leite que pode ser armazenada. “Se uma mãe ligar para fazer a doação e não tiver um pote disponível na casa dela e o banco não fornecer, ele pode perder essa doação. A doação é um ato de desprendimento e precisa ter sua logística facilitada. Existe no Brasil uma demanda crescente para o leite materno. Esperamos que, com essa campanha, somada às campanhas do Ministério da Saúde pela amamentação, consigamos ir, pouco a pouco, construindo uma rede de doadores tanto de leite quanto de frascos”, ressalta Claudia.

Saiba mais A Secretaria da Saúde lembra que o leite materno é importante para a vida de crianças prematuras, portadoras de alguma doença infecciosa, com deficiência imunológica ou que apresentem intolerância a outros leites. O leite pode ainda suprir a necessidade dos recém-nascidos de baixo peso, que não conseguem sugar. Você pode participar dessa campanha separando frascos de vidro com tampa de plástico de embalagens que são consumidas diariamente na sua casa. Os potes de café solúvel, por exemplo, são bem apropriados nesse caso. As embalagens poderão ser doadas nos próprios bancos de leite de São Paulo e Rio de Janeiro, na sede da Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo e em outros pontos das cidades. Os endereços podem ser obtidos na página www.epuroevidro.com.br.

9


nutre+ação

Por Ana Carolina Contri

Nutrição para a mente

O

nde é que foi parar a chave do carro? O que eu vim buscar aqui? De onde eu conheço aquela mulher? Você está mais esquecido do que o normal? Pois é, como diz aquele velho ditado, você é o que você come. Você sabia que alguns alimentos são capazes de aprimorar o funcionamento do organismo? Isso ocorre porque o cérebro, por exemplo, precisa constantemente de “combustível” para ficar “afiadíssimo”. Estudos vêm mostrando que a dieta equilibrada é fundamental para o bom desempenho da mente. Cientistas do Human Nutrition Research Center on Aging (HNRCA), da Universidade Tufts, uma das mais renomadas instituições de pesquisa dos Estados Unidos, estão empenhados em mostrar que a alimentação adequada contribui para evitar o declínio das funções cognitivas e prevenir doenças degenerativas progressivas, que ocasiona esquecimentos, dificuldade de raciocínio e

10

alterações de comportamento. Para a paulistana Dra. Catharina Walzberg, que é especialista em Naturopatia Avançada e autora do livro “Você Pode Ter Saúde, Basta Querer”, a base da saúde mental é o perfeito funcionamento do sistema nervoso, cuja sede é o cérebro. Este, para funcionar bem, além de muito oxigênio, necessita de alguns nutrientes básicos, como: complexo B, fósforo, glicose de boa qualidade com índice glicêmico baixo, ácidos graxos poli-insaturados, selênio, ferro, zinco, boro, ácido fólico, vitaminas C, E, A e betacaroteno. “Quando há insuficiência ou carência de algum deles, a memória e o estado emocional podem ser seriamente afetados. A longo prazo, essas carências podem propiciar distúrbios mentais e degeneração dos neurônios, como mal de Parkinson e de Alzheimer. A melhor forma de receber esses importantes nutrientes na quantidade adequada é por meio de uma alimentação saudável”, explica.

foto: © Tijana / fotolia

O bom funcionamento do cérebro está diretamente ligado ao que consumimos. Aprenda a mantê-lo saudável


Equilibrar os nutrientes diários é muito importante em todas as fases da vida, como bem lembra Thais Navarro Caldeira, nutricionista do Portal Cidade Saudável, do Rio de Janeiro. “Necessitamos de cuidados diferenciados e especiais por toda a vida. Estudos comprovam, por exemplo, que uma alimentação desequilibrada durante a gestação pode definir o comportamento e funcionamento da saúde mental do filho”, ensina. É muito importante o acompanhamento de um nutricionista para determinar um cardápio apropriado de acordo com idade, sexo, atividade e tipo físico. Na terceira idade, o desgaste do cérebro é algo normal, o que se traduz em esquecimento, confusão mental, depressão e isolamento do idoso. A mais prejudicada é a memória recente, enquanto que os acontecimentos remotos permanecem bem lembrados. Esse estado da mente ocorre principalmente em pessoas que não cuidaram do seu estilo de vida. Mas ainda há esperança. A arteriosclerose é bem mais frequente em pessoas que consumiram muita gordura animal, mas a adoção imediata de uma dieta rica em alimentos vegetais, óleos poli-insaturados e fibras de cereais pode diminuir os depósitos gordurosos nas artérias e produzir uma melhora cognitiva. A desidratação crônica por falta da ingestão adequada de líquidos também propicia a confusão mental, e pode ser revertida se forem adotados os devidos cuidados.

Inimigos da mente

Assim como existem os alimentos que ajudam, outros podem ser verdadeiros vilões para o bom funcionamento do cérebro. E o açúcar refinado é um deles. “Por ser destituído de fibras alimentares e nutrientes, a sua absorção é tão rápida que instala no cérebro uma gangorra de hiperglicemia e hipoglicemia, que este tenta equilibrar, em regime de emergência, com o auxílio do pâncreas e das glândulas suprarrenais. Isso lhe exige um esforço extenuante. Por isso, se o consumo for frequente, pode acarretar neurose ou distúrbio bipolar”, enfatiza Dra. Catharina. O café, o chá mate e o chá preto excitam os neurônios a um funcionamento anormal, que favorece deci-

Equilibrar os nutrientes diários é muito importante em todas as fases da vida

sões precipitadas, irritabilidade e nervosismo crônico. O mesmo ocorre pelo uso de refrigerantes e de alimentos que contêm guaraná em pó, por causa da excitação que produzem. Todos os condimentos fortes, como pimenta e mostarda, agem de maneira semelhante. A teobromina contida no chocolate paralisa os nervos que regem a função intestinal, gerando obstipação crônica, além de estimular uma produção anormal de serotonina, o que, por sua vez, gera desequilíbrio nas funções cerebrais. “As gorduras saturadas, cujo consumo vem sendo ampliado pela ingestão de comida pronta congelada, tornam os processos cerebrais mais lentos. O estudo conclui que os britânicos estão comendo 34% menos legumes e 2/3 da quantidade de peixe que eles consumiam há 50 anos. Essas mudanças podem estar ligadas a depressão, esquizofrenia, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e mal de Alzheimer”, ressalta Thais.

Fique ligado

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos EUA, mais de 10.000 pesquisas comprovam a existência de centenas de vitaminas, minerais, micronutrientes, fitoquímicos, enzimas vivas e antioxidantes recém-descobertos nos alimentos naturais. É a combinação dessas substâncias com as fibras alimentares que promove o poder preventivo e até terapêutico desse tipo de alimento. Por esse motivo, substituí-los somente por suplementos sintéticos em cápsulas pode não ser uma medida eficaz para a manutenção da boa atividade da mente.

energia em alta 1 - suplemento de vitaminas e minerais. Supradyn Ativa efervescente. 2 - Mais vitalidade, capacidade física e mental. Pharmaton polivitamínico e polimineral. 3 - vitaminas e minerais com atividade antioxidante. Vitergan Zinco PL. 4 - completa a alimentação aproveitando melhor a energia dos alimentos. Centrum de A a Zinco.

2

1

3

4

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

12

fotos: © monticellllo / fotolia e divulgação drogaria são paulo

De olho na saúde


criança na área

Por Fernanda Mendonça

Seja sempre o melhor exemplo Ter boas atitudes é fundamental, especialmente quando se tem crianças em casa. Saiba mais nesta matéria exclusiva!

14


P

arte do aprendizado infantil ocorre por meio da observação do comportamento humano, que vai sendo incorporado ao seu próprio desde a infância. As crianças raciocinam por meio daquilo que podem ver ou tocar e, conforme crescem, tornam-se questionadoras, querem saber o porquê de tudo. Frente a isso, muitas perguntas não querem calar: de que adianta meu pai ou mãe dizer que não é para eu brigar com o amigo ou com o irmãozinho, se ele (ou ela) grita com um motorista no trânsito ou com os próprios familiares? De que vale pregar o amor, se nunca me falam “eu te amo”? Aconselham a não comer besteiras, mas raramente comem verduras e frutas. A máxima “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” não funciona com os pequenos! Para que você aprenda a lidar bem com essa situação, conversamos com as psicólogas Cristiane Moraes Pertusi, de São Paulo, e Juliana Paiva, do Centro Educacional Alub, de Brasília.

O aprendizado

A partir do momento em que decidem ter filhos, os casais precisam mudar alguns hábitos, e é indicado que procurem melhorar a cada dia. “Tudo que não seja ético deve ser evitado. Mentir, omitir e agredir alguém de forma verbal ou física está proibido. Também é importante que os pais tenham bom senso e boa capacidade de auto-observação e autocrítica”, assegura Cristiane. “É importante ressaltar que, uma vez modificadas, essas novas atitudes devem ser mantidas para a vida toda. Entretanto, os exemplos positivos são ainda mais importantes durante a primeira infância e a adolescência, fases em que o carácter e a personalidade estão se formando”, ratifica Juliana. Vale lembrar que os bons hábitos colaboram para a saúde física e mental dos miúdos e de toda a família. Por isso, todos devem se alimentar bem, praticar atividade física e manter o controle sobre os problemas do dia a dia, evitando assim o acúmulo de estresse, que pode provocar inúmeras doenças e prejudicar a interação social.

foto: © solovyova / fotolia

Da escola para a casa

As escolas, em suas propostas pedagógicas, necessitam, também, refletir que tipo de cidadão elas querem ajudar a formar para o mundo. “Uma boa maneira de saber se os menores estão ou não tendo bons exemplos na sala de aula é realizar avaliações, nas quais eles possam comentar do que gostam ou reprovam no comportamento dos professores e o que aprenderam com eles”, afirma a diretora do Centro Educacional Alub, Dirce Gurgel Pessoa. Uma dica é conversar com eles sobre as atitudes de seus professores e dos coleguinhas, uma vez que podem servir de modelo, tanto positivo quanto negativo. Diariamente, as crianças

Tudo que não seja ético deve ser evitado. Mentir, omitir e agredir alguém de forma verbal ou física está proibido. Também é importante que os pais tenham bom senso e boa capacidade de auto-observação e autocrítica Cristiane Moraes Pertusi

presenciam conversas ao telefone, ou ainda nos programas de televisão, na própria internet e nos diálogos e trocas de experiências com os colegas. O conteúdo dessas informações as afeta tanto positiva como negativamente. “O que os pais precisam fazer é ficar atentos a isso e sempre conversar e fazer reflexões com os filhos sobre essa diversidade de opiniões às quais têm acesso, dando-lhes, assim, a sua conotação e principalmente inserindo os valores éticos e morais”, aconselha Juliana.

Bem-estar em jogo

Os exemplos ruins, principalmente quando envolvem violência física ou verbal, podem trazer consequências emocionais graves. “Isso costuma gerar medo nos pequenos, o que provoca ansiedade e alterações no organismo, tais como palpitações e sudorese excessiva. É o chamado estresse infantil”, explica Juliana. “Os exemplos ruins ainda podem provocar emoções negativas, como culpa, remorso, preocupação e raiva”, complementa Cristiane. Quando isso acontece, elas podem elevar o seu nível de fantasia e ficar pensando nessas questões que passaram a atormentá-las, dificultando o foco da sua atenção nas aulas. “Poderá existir até mesmo um isolamento dos colegas, o que prejudica ainda mais o seu processo de escolarização”, enfatiza Juliana.

Casal em sintonia

O melhor exemplo vem sempre do casal, que precisa estar sempre bem alinhado com suas ideias, valores e comportamentos. Os pais devem conversar, entre si, sobre o que consideram ser pertinente ou não falar e fazer enquanto estiverem com os filhos. “Quando um se exceder, o outro tem de ter um jogo de cintura para tomar a frente e contornar a situação, sem desautorizar o primeiro na frente dos menores”, ensina Juliana. A regra também é válida para os casais divorciados, cujo diálogo deve ser mantido em um bom nível, para continuarem educando bem os filhos. “Em caso de separação, os pais devem lembrar que a relação de respeito mútuo é a base sólida e um bom exemplo na criação dos herdeiros”, finaliza a psicóloga.

15


de frente para o espelho

Por Mirella Stivani

Pelo sim, pelo n達o A pele do rosto feminino merece cuidados especiais, sempre!

16


A

s mulheres já ficam bem incomodadas com os pelos do corpo. Quando aparecem no rosto, então, provocam mais insatisfação ainda. Afinal, é uma área que fica sempre exposta, e não há maquiagem que disfarce o problema. A hereditariedade pode ser a causa dos pelos visíveis no rosto. Mas o excesso pode surgir devido a um desequilíbrio hormonal. Nesses casos, é necessário fazer exames e tratamento com acompanhamento médico. A seguir, a dermatologista Dra. Tatiana Di Perrelli tira as principais dúvidas sobre o assunto, explicando exatamente todas as causas e como combater os pelinhos indesejáveis.

fotos: © Valua Vitaly / fotolia e divulgação drogaria são Paulo

Ponto de Encontro: Quando a ocorrência de pelos faciais nas mulheres pode ser considerada atípica? Tatiana Di Perrelli: O excesso de pelos pode ser hereditário. Mulheres descendentes de árabes ou italianos, as espanholas, as gregas e as portuguesas são mais propensas e essa característica. O aparecimento de pelos escuros e grossos pode ser um sintoma de desequilíbrio hormonal (excesso de testosterona) ou de outros andrógenos (hormônios masculinos). É o caso de quem sofre da síndrome dos ovários policísticos. Na menopausa, ocorrem devido a um desequilíbrio entre os estrógenos (em nível baixo) e os andrógenos. P.E.: O que é hirsutismo? T.P.: É a presença de pelos grossos e escuros em áreas como face, abdome, tórax (ao redor dos mamilos e entre os seios), região das nádegas, face interna da coxa, que usualmente ocorrem apenas nos homens. Pode ser secundário a características de certas etnias, como os povos do Mediterrâneo. Pelos normais na face das mulheres são chamados velus – são finos e claros, e ocorrem por influência hormonal. Podem se tornar pelos terminais, que são pigmentados (bem escuros) e espessos. P.E.: Qual o melhor procedimento no caso de problemas hormonais? T.P.: Sem dúvida é a remoção a laser, pois se consegue uma expressiva redução dos pelos. Se eles forem muito claros, ruivos ou brancos, o laser é ineficaz, e uma alternativa é a eletrólise. Antes de se iniciar qualquer tratamento, deve ser feita uma investigação para determinar a causa, se é ou não hormonal. Se houver aumento dos andrógenos, estes devem ser tratados antes ou ao menos concomitante à depilação. P.E.: Por que retirar pelos com pinça pode causar inflamações? T.P.: A pinça traumatiza a pele, juntamente com a remoção do pelo. Isso pode desencadear infecções (foliculite) que podem provocar manchas.

...Antes de se iniciar qualquer tratamento, deve ser feita uma investigação para determinar a causa, se é ou não hormonal Tatiana Di perrelli, dermatologista

P.E.: Existem doenças que podem causar a perda dos cílios e da sobrancelha? T.P.: Sim. Alopecia areata, eczemas, lúpus e tireoidopatias, por exemplo. O excesso de retirada e a própria senescência (processo natural de envelhecimento) também podem causar falhas. É importante consultar um médico para detectar a real causa. P.E.: E existe tratamento para recuperar os pelos perdidos? T.P.: A queda dos cílios pode ser tratada com uma medicação em forma de colírio (os estudos foram feitos apenas nos cílios, mas as sobrancelhas também podem ser tratadas com esse produto, embora sem o mesmo resultado). Outro tratamento que faz um efeito interessante são os cremes à base de fatores de crescimento, que estimulam os pelos.

Para o dia a dia 1, 2 e 3 - Adeus, pelos no rosto. Creme depilatório Veet com agentes hidratantes, Folhas prontas para depilação facial Depilsam Mel e Folhas prontas para depilação facial Depi Roll profissional cera tradicional. 4 - aparência natural e discreta. Lápis para sobrancelha cor universal Vult Cosmética.

1

3

2

4 Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

17


velhos costumes

Por Maria Helena Bellini

Afinal, existia vida antes da internet? Datilografar seu trabalho de escola, ligar para um amigo do telefone fixo, receber telegrama ou mensagem de bipe. Se você acha que essas atividades são do século passado, está enganado. Há pouquíssimo tempo, elas ainda faziam parte do nosso dia a dia

18


O

mundo contemporâneo vem passando por uma profunda transformação, principalmente no setor da comunicação. Parece que a internet sempre se fez presente, e que antes dela apenas dinossauros andavam sobre a Terra. Mas não é nada disso. A infância de muitas pessoas, acredite, foi passada brincando na rua, jogando bola, amarelinha, pulando corda ou elástico, descendo a rua de rolimã. Em um determinado momento, as mães gritavam: “Entrem para almoçar”. E todos saíam correndo para suas casas. Na televisão, apenas desenhos e um único programa infantil. Os jogos eletrônicos chegaram mais tarde, e, se uma criança hoje olhasse para um deles diria: “Jurássico, cara”. Não existiam termos como: digitar, deletar, copiar e colar, entre outros. As máquinas de escrever não faziam correção automática do texto, era preciso usar um artigo de papelaria chamado “branquinho”. Para obter duas cópias de um mesmo artigo, você o datilografava utilizando papel-carbono entre as folhas. Brincadeiras à parte, o mundo on-line, virtual, conectado está mais do que estabelecido neste universo globalizado, em que absolutamente tudo se comunica com todos ao mesmo tempo. Para sabermos o que de bom e também o que de nem tão bom tem esse novo jeito de estabelecer contato com as outras pessoas, conversamos com a psicóloga pós-graduada pela Universidade de São Paulo Vanessa Pik Quen Lee, do Hospital Santa Cruz, na capital paulista.

Fotos: © detailblick e © CLIPAREA / fotolia

Ponto de Encontro: As redes sociais e a internet aumentaram ou diminuíram o convívio social? Vanessa Pik Quen Lee: Sempre quando surge alguma novidade, aparecem também muitas dúvidas, resistências, preconceitos, insegurança frente ao desconhecido. No início da internet, do e-mail, das redes sociais, imaginava-se que a comunicação mediada pelo computador diminuiria o convívio social, que as pessoas ficariam em contato por meio de uma máquina e deixariam de encontrar-se fisicamente. Porém parece que não é o que está acontecendo: o computador tem sido utilizado mais como uma ferramenta para facilitar a comunicação e também para proporcionar o convívio social. Consegue-se falar com mais pessoas de uma vez só, e rapidamente. P.E.: Estar diariamente conectado pode ser avaliado como algo bom ou ruim? Por quê? V.L.: Depende da necessidade pessoal. Acessar diariamente a internet faz parte do cotidiano para se comunicar, saber o que acontece no mundo. Passa a ser algo ruim se a pessoa ficar tempo excessivo na internet ou acessá-la com muita frequência, a ponto de prejudicar outras atividades. Ou então quando a pessoa sente-se mal, fica angustiada, ansiosa, mal-humorada quando a internet cai, ou seja, tem sintomas de dependência e vício.

Acessar diariamente a internet faz parte do cotidiano para se comunicar, saber o que acontece no mundo. Passa a ser algo ruim se a pessoa ficar tempo excessivo na internet ou acessá-la com muita frequência, a ponto de prejudicar outras atividades Vanessa Pik Quen Lee

P.E.: Quando se torna algo ruim, o que é preciso fazer para resgatar sua vida “normal”? V.L.: Tentar diminuir a frequência e o tempo de acesso à internet, estabelecer horários para se conectar ou até mesmo experimentar ficar um dia sem ela e, nesse tempo, realizar outras atividades. Para quem nasceu antes dela, procure se lembrar de como era o seu dia a dia e revivê-lo. P.E.: É possível dosar momentos virtuais com presenciais? Como equilibrá-los? V.L.: Não só é possível como é necessário. O virtual é uma ferramenta para o presencial. Não é saudável, nem possível, que se viva somente no mundo virtual. Momentos presenciais nunca deixarão de ser vividos. A pessoa precisa ter compromissos para conviver com os outros. P.E.: Por favor, deixe um recado para os leitores da Ponto de Encontro que queiram se tornar mais livres, mais off-line! V.L.: Utilize o virtual para complementar a sua vida, não para substituir ou compensar o contato pessoal. Tente ocupar seu tempo também com outras atividades, como, por exemplo, passeios, exercícios físicos, convívio com familiares e amigos, ter animais de estimação e estar junto à natureza, ler livros, ir ao cinema, ao teatro, viajar. Vale muito a pena! São momentos inesquecíveis!

19


womanize-se

20

Por Maria Helena Bellini


foto (inclusive capa): Lailson dos Santos - divulgaçÃo MSP 2009

Mônica e seu pai, Mauricio, celebram o “Ano da Dentuça”

Mauricio e o mundo infantil

Todo mundo adora ler gibi. E uma turminha pra lá de bacana encanta gerações com as histórias divertidas e emocionantes de Mauricio de Sousa 21


M

auricio Araújo de Sousa nasceu em Santa Isabel, interior de São Paulo, e passou parte de sua infância em Mogi das Cruzes, desenhando e rabiscando nos cadernos escolares. Mais tarde, seus traços passaram a ilustrar cartazes e pôsteres para os comerciantes da região. Quando se mudou para São Paulo, estava com 19 anos e foi contratado para trabalhar no Jornal Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo) para escrever reportagens policiais. Paralelamente ao ofício de jornalista, Mauricio continuava a rabiscar, e em 1959 nasceu seu primeiro personagem, o cão Bidu. Ao lado de seu dono, Franjinha, ele ilustrava semanalmente uma tirinha de quadrinhos no jornal onde trabalhava como repórter. Nos anos seguintes, ele criou mais tiras com diversos personagens – Cebolinha, Piteco, Chico Bento, Penadinho, Horácio, Raposão, Astronauta. Mônica apareceu pela primeira vez em uma historinha do Cebolinha que era publicada no jornal Folha de São Paulo. Isso aconteceu no dia 3 de março de 1963. Inspirada na filha homônima de Mauricio, Mônica passou de coadjuvante a protagonista. Em 1970 ganhou uma revista com o seu nome, a primeira publicação de histórias em quadrinhos infantil produzida em cores por aqui, com 200 mil exemplares, pela Editora Abril. Sempre com seu coelho Sansão e seu inesquecível vestidinho vermelho, Mônica completou 50 anos, e muitas comemorações vêm acontecendo pelo país. Iniciava-se sua carreira de imenso sucesso! Recentemente publicou a Turma da Mônica Jovem, que é a linha de personagens da turminha aos 15 anos de idade. Os primeiros quatro números da revista, em 2008, venderam juntos mais de um milhão e meio de exemplares. Atualmente, entre quadrinhos e tiras de jornais, suas criações chegam a cerca de 30 países. Entre as revistas de histórias em quadrinhos mais vendidas do país, 10 são de Mauricio de Sousa, suas revistas respondem por 86% das vendas do mercado brasileiro de quadrinhos. O autor já alcançou o extraordinário número de 1 bilhão de revistas vendidas. Não à toa é considerado o maior formador de leitores do Brasil. Livros ilustrados, revistas de atividades, álbuns de figurinhas, CD-ROMs, livros tridimensionais e livros em braile, desenhos animados, desenhos feitos para o cinema, shows e espaços interativos distribuídos por todo o Brasil, em que os personagens se apresentam ao vivo em peças teatrais, feiras, convenções e festividades. Os diversos shows musicais da Turma da Mônica já foram vistos por mais de 5 milhões de pessoas no Parque da Mônica, e agora estão rodando o Brasil. Os temas, que vão de drogas a falta de água, foram desenvolvidos com o auxílio de coordenadores pedagógicos, para que os shows transmitissem não apenas alegria, mas também mensagens positivas, capazes de fazer crianças e adultos refletirem sobre como tornar melhor o mundo em que vivemos.

22

A produtora Mauricio ao Vivo foi criada para montagem de grandes espetáculos. A temporada de “Turma da Mônica no Mundo do Circo”, que teve início em abril de 2011 em São Paulo, está sendo apresentada em outras cidades brasileiras. Em maio de 2013, nas comemorações dos 50 anos da estreia da personagem Mônica, houve a remontagem da primeira peça de teatro da turminha, “Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta”, e muitas comemorações acontecem para celebrar o “Ano da Dentuça”. Saiba mais sobre Mauricio de Sousa e essa sua turminha que faz parte de nossas vidas há tanto tempo. Ponto de Encontro: Como você e sua equipe escolhem os temas para as novas histórias dos gibis da turminha? Afinal, em 50 anos de trajetória tem-se a impressão de que tudo já foi dito, citado, escrito. Mauricio de Sousa: Tenho uma ótima equipe e ótimos roteiristas. Fazemos reuniões de pauta em que discutimos não só o tema das próximas histórias como a constante atualização da linguagem das crianças. Temos que estar em sintonia com nosso público leitor a todo momento. As cartas e e-mails que chegam à redação também são comentados. Quem me ajuda na supervisão dos roteiros é a Marina, minha filha que inspirou a personagem desenhista, igualzinha a ela. P.E.: É claro que você sabe que escreveu e contou histórias e mais histórias para uma geração que hoje é pai/mãe e até avô/avó. Como se sente sendo parte da infância de pelo menos três gerações? O sentimento é ainda o de quem está começando? M.S.: Fico orgulhoso de encontrar a todo momento pessoas que me dizem que aprenderam a ler com a Turma da Mônica quando criança e que hoje estão comprando a revista para o filho, que também começa a se interessar por leitura com os quadrinhos. Buscamos sempre estar informados sobre os interesses das crianças. Acompanhamos as mudanças naturais de geração para geração. Por essa razão, acredito que sempre mantemos um público constante sem perda de atualidade. P.E.: Como foi se reinventar – lançar com um megassucesso, a Turma da Mônica Jovem – após 50 anos de carreira? M.S.: Sempre estamos nos reinventando e reinventando os quadrinhos. E não vai parar por aí. Quero lançar daqui a alguns anos a Turma da Mônica Adulta. Começando pelo casamento da Mônica e do Cebola aos 25 anos, e eles vão envelhecendo junto com o leitor, ano a ano. P.E.: Em que você pensou quando teve a ideia da turminha aos 15 anos (por que resolveu usar um estilo parecido com mangás, por exemplo)? Esperava que a turma jovem fosse tão bem aceita? M.S.: Hoje as crianças possuem inúmeras possibilidades de diversão com os games, a internet e até


Universo virtual Sete vezes vencedor do prêmio iBest, como o melhor site infantil brasileiro, o site da Mônica (www.monica.com.br/) é visitado por crianças de todo o mundo, com mais de 6 milhões de acessos por mês. Para seguir os canais dessa turminha nas redes sociais, acesse: No Twitter: @mspoficial e @turmadamonicaTM No Facebook: facebook.com/mspoficial e facebook.com/turmadamonica

de Linfoma e Leucemia (Abrale) para atender as crianças em tratamento de câncer. Nossos personagens visitam os hospitais tentando abrandar o sofrimento das crianças, motivando-as a enfrentarem o tratamento dessa doença recuperando capacidades, desenvolvendo o senso de controle, reparando frustrações e adquirindo forças para a busca da cura.

P.E.: Poderia nos explicar um pouco a respeito do Projeto Dodói e da alegria da Mônica em ser a embaixadora (virtual) do Unicef? M.S.: A responsabilidade aumenta, e isso é mais estimulante ainda. A Mônica foi convidada pelo Unicef para ser uma das personalidades embaixadoras pelo mundo. É o primeiro personagem virtual a ser convidado. Temos participado de campanhas pela saúde e direitos das crianças. E o Projeto Dodói é uma ação de nosso Instituto Mauricio de Sousa com a Associação Brasileira

24

P.E.: Você é um homem vaidoso. De que maneira cuida da saúde, do corpo – conte pra nós alguns dos seus segredinhos de beleza. M.S.: Procuro me manter com saúde, que é o mais importante. Com saúde, o visual também fica melhor. Faço exercícios (com uma personal trainer) e não uso produtos de beleza além do que for necessário. P.E.: Por favor, deixe um recadinho para os leitores da Ponto de Encontro. M.S.: Tenham sempre muito bom humor. Em todos os momentos da vida. Principalmente quando todos em volta se esqueceram de sorrir.

foto: Lailson dos Santos - divulgação MSP 2009

os celulares. Por isso é necessário estarmos sempre criando novas possibilidades de comunicação. Também percebi que meus leitores, quando chegavam à adolescência, migravam para o mangá (quadrinho japonês). Assim, juntei uma antiga ideia nossa de mostrar o que acontecia com a turminha na adolescência e utilizei o estilo mangá mesclado com o nosso para conseguir um novo visual. Deu certo. É o maior sucesso editorial de quadrinhos nos últimos 30 anos.

P.E.: Como é o Mauricio de Sousa em família? O que mais gosta de fazer quando tem um tempinho livre? Vocês tiram férias e viajam juntos? Curte cozinhar, ficar à toa numa praia, assistir ao pôr do sol... o que te faz ficar bem? M.S.: Como boa parte dos meus familiares trabalha comigo, acho que não há quase uma divisão entre vida familiar e profissional. Mas procuro sempre ter tempo para brincar, viver o dia a dia da casa e viajar. Moramos próximos, para sempre estarmos nos visitando. Nos fins de semana, procuramos nos encontrar em meu sítio. Todos juntos. Fora isso, meu hobby é fotografar.


melhor idade

Cardápio da alegria Fazer refeições equilibradas e bem diversificadas garante a boa saúde em todas as fases da vida

26

Por Ana Carolina Contri


C

hegar à melhor idade vendendo energia e disposição é o sonho de muita gente. Afinal, esse é o período ideal para usufruir as coisas boas que se tem à mão, com mais tempo para realizar projetos, como viajar, iniciar um novo curso ou mesmo sair com os familiares e amigos para bater perna por aí. Para que tudo aconteça da melhor maneira possível, é fundamental cuidar da nutrição. Segundo o endocrinologista e nutrólogo Dr. Wilmar Accursio, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Envelhecimento, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e diretor do Centro Integrado de Prevenção do Envelhecimento (CIPE), existe por parte dos idosos uma maior dificuldade de absorção de todos os micronutrientes, mas não de calorias. “O intestino vai ficando mais velho, com perdas parciais de sua capacidade funcional, e, como consequência, não absorvemos mais tão bem o que comemos. Por isso, precisamos avaliar cada um clínica e laboratorialmente e orientar uma dieta adequada, além de suplementar os nutrientes que estiverem faltando”, diz.

fotos: © JPC-PROD / fotolia e Alexey Zobov / stockvault e divulgação drogaria são paulo

Xô, subnutrição

Diversos fatores facilitam a desnutrição, que costuma (sim!) acometer as pessoas com mais de 60 anos. “Ela chega a ser mais perigosa do que a própria obesidade nessa faixa etária. Ocorre por depressão, por efeito adverso a medicações (que podem afetar o apetite ou até o paladar), por alterações dentárias, que afetam a mastigação e a absorção e/ou o aproveitamento de nutrientes, e por doenças mais prevalentes no envelhecimento, como o mal de Alzheimer, por exemplo”, ressalta Dr. Paulo Camiz, clínico geral e geriatra do Hospital das Clínicas de São Paulo. Com o passar do tempo, diversas alterações fisiológicas ocorrem no organismo, contribuindo para um aumento das disfunções sensoriais, xerostomia (boca seca), hipocloridria (redução da secreção de ácido clorídrico no estômago, que promove a digestão dos alimentos e ativação para absorção de alguns minerais), diminuição da capacidade renal e a substituição da massa corpórea magra por gordura. Isso tudo, somado a uma má nutrição, torna a saúde das pessoas bastante frágil; além disso, aumenta a vulnerabilidade a eventos adversos, como quedas ou infecções mais sérias.

pacientes com baixas concentrações dela no organismo. “Frutas e vegetais variados e de preferência orgânicos, se não houver nenhuma doença que os contraindique, podem ser ingeridos à vontade. Dar preferência a peixe e frango e comer pouca carne, além de optar pelos cortes magros. Procurar alimentos integrais o mais que puder. Devemos evitar gorduras e açúcares, frituras e embutidos”, ensina Dr. Wilmar.

Alimentação colorida

Para manter a saúde em dia, estabeleça horários regulares para as refeições. Comer de três em três horas é sempre a melhor pedida, pois o corpo vai recebendo os alimentos e trabalha de modo mais equilibrado. A fome também fica mais controlada, e evita-se devorar um prato cheio de comida por ter ficado muito tempo em jejum. Faça escolhas que proporcionem contrastes de cor, textura e sabor – use ervas e temperos. Uma pitada de noz-moscada ou canela pode compensar o paladar diminuído. Não deixe a desidratação te pegar! Beba de seis a oito copos de água por dia, assim como suco ou refresco. Pessoas idosas geralmente sentem menos sede ou reduzem a ingestão de líquidos devido à incontinência urinária. Isso pode contribuir para a constipação intestinal e problemas renais. Outra dica preciosa é aproveitar o tempo livre para fazer caminhadas diárias ou outro exercício físico, não apenas para preservar a força muscular, mas também para melhorar o apetite e o humor.

vida saudável

1

1 - maior quantidade de nutrientes importantes. Sustagen Nutrição e Energia sabor chocolate. 2 - suplemento com nutrientes essenciais para os idosos. Nutren Senior Nestlé Health Science. 3 - complemento com 30 vitaminas e minerais Com consistência de milk- shake. Sustain Danone. 4 - nutrição completa e balanceada. Ensure Abbott, sabor chocolate

3

2

4

Prato farto de bons nutrientes

Quando se está na melhor idade, a necessidade de micronutrientes e de algumas vitaminas, como é o caso do cálcio e da vitamina D, que afetam a densidade mineral óssea e o risco de sofrer com osteoporose e fraturas, faz-se presente. Outra vitamina que deve ser observada em idosos é a B12, pois não é raro encontrar

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

27


positivo

Por Maria Helena Bellini

A arte da superação O Parkour chegou ao Brasil há quase uma década, e a cada dia mais pessoas se encantam com os movimentos de se deslocar pelo espaço urbano com eficiência

E

le pode ser definido como uma atividade física de alto impacto e surgiu em meados dos anos 1980, na França, com David Belle, que se inspirou em seu pai, um ex-combatente da guerra do Vietnã, e adaptou as técnicas de saltar obstáculos, batizando de Le Parkour (do francês, “O Percurso”). Esse jeito de se exercitar pela cidade, utilizando somente os seus recursos corporais para superar o que se tem à frente, como calçadas, muros, escadas, árvores, corrimãos, espalhou-se rapidamente pelo mundo, pois teve boa receptividade dos meios de comunicação. Com a prática constante, a pessoa vai se fortalecendo fisicamente e, com o domínio das técnicas, desenvolve mais agilidade e concentração. O Parkour chegou ao Brasil em 2004, e imediatamente vários praticantes começaram com essa atividade,

28

entre eles Leonard Akira. Ao mesmo tempo, pipocaram vídeos na internet a respeito dessa novidade, e Akira resolveu criar o primeiro site de Parkour do país. Tornou-se tão conhecido que era constantemente chamado para dar entrevistas. Em vista dessa repercussão, iniciou um curso em que ensinava as técnicas e é considerado o primeiro instrutor brasileiro de Parkour. Veja agora a entrevista exclusiva com esse pioneiro da modalidade em terras tupiniquins. Ponto de Encontro: O que é o Parkour? Leonard Akira: É uma disciplina física de origem francesa, em que o participante, chamado de “traceur” (no masculino) ou “traceuse” (no feminino), sobrepõe obstáculos da maneira mais rápida e direta possível, utilizando-se de diversas técnicas, como saltos, rolamentos e escaladas. Basicamente, pode-se dizer que


Com a prática constante, a pessoa vai se fortalecendo fisicamente e, com o domínio das técnicas, desenvolve mais agilidade e concentração Leonard Akira

fotos: © Brooke Whatnall e © Radin Myroslav / shutterstock e © Ammentorp / fotolia

é a arte do deslocamento por meio de movimentos eficientes. Os praticantes de Parkour vão de um lugar a outro utilizando somente os recursos que o seu corpo pode oferecer. P.E.: Existem competições de Parkour pelas cidades brasileiras ou do mundo? L.A.: Não há nada oficial. Infelizmente hoje em dia algumas grandes marcas de produtos esportivos incentivam a apresentação do Parkour e do Free Running (uma vertente que inclui acrobacias), mas somente para que os jovens consumam seus produtos. P.E.: O que é preciso ter, além de boa disposição física, para praticar a modalidade? L.A.: Não são necessários equipamentos especiais, apenas paciência e muita vontade de se superar. O Parkour exige de todos um bom preparo físico, para que lesões e machucados comuns não ocorram. Com um bom instrutor e um curso de qualidade, não existem dificuldades. P.E.: Onde os praticantes se encontram? L.A.: Os encontros são sempre marcados em parques públicos, praças e locais com muros, corrimãos, entre outros obstáculos. Os treinos são agendados nos grupos do Facebook e também pelo site. P.E.: Existe algum risco físico em praticá-lo? L.A.: Apenas se não houver preparo ou se ocorrer o ensino inadequado das técnicas. Por isso, é totalmente desaconselhável começar a praticá-lo sozinho.

P.E.: Há uma filosofia por detrás da prática? L.A.: Para muitas pessoas, tornou-se uma filosofia de vida que tem como base principal as frases “Ser forte para ser útil” e “Ser e durar”, ambas as frases foram retiradas do “Método Natural”, de Georges Herbert, e foram disseminadas por David Belle como um dos alicerces dessa modalidade. P.E.: Deixe algumas dicas para o leitor da Ponto de Encontro que queira começar a praticar o Parkour. L.A.: Procure pessoas que já treinem há muito tempo e que se envolvam de coração nessa atividade. No Facebook existem muitos grupos de praticantes separados por região, e é bem provável que encontre um bem perto de você.

dica Lembre-se, o Parkour requer dedicação. Por isso, não tente realizar movimentos sem estar preparado. Segurança é fundamental. Para saber mais, acesse o site www.lepartanos.com

29


positivo

Tchau, estresse!

A cefaleia pode estar relacionada às tensões do dia a dia. Descubra o que faz você feliz e vire esse jogo

30

Por Fernanda Mendonça


N

inguém gosta de sentir mal-estar nem dor, mas muitas vezes a rotina agitada não nos permite descansar nem desligar das inúmeras tarefas. Esse vaivém resulta em sensações que nem sempre são positivas. Entre elas está a dor de cabeça, cuja causa mais comum é o estresse. Isso ocorre porque ele aumenta a contração muscular e provoca a chamada cefaleia tensional. Para o neurologista do Hospital Santa Isabel, em São Paulo, Dr. Gustavo Guimarães Protti, “essa dor acomete geralmente os dois lados da cabeça e frequentemente é descrita pelos pacientes como uma sensação de pressão na região”. A enxaqueca – outro tipo de dor que acomete as pessoas que sofrem de dores crônicas – também acontece por fatores emocionais. “Mude aqueles hábitos que não estão de acordo com o seu jeito de levar a vida e livre-se de uma vez por todas da dor de cabeça”, esclarece o médico.

Mudança de vida

O primeiro passo para uma vida melhor é identificar o que está gerando o estresse. Dessa maneira, podese corrigir ou amenizar a situação. Além disso, dormir bem, praticar alguma atividade física e ter hábitos saudáveis ajudam bastante. “Entretanto, quando a mudança no estilo de vida não é suficiente, dispomos de vários tratamentos não farmacológicos e também medicamentosos, que visam principalmente reduzir o grau de contração muscular, prevenindo assim o início da dor de cabeça”, conclui.

foto: © Syda Productions / fotolia

Terapia: uma importante aliada

Algumas pessoas não conseguem identificar sozinhas de onde vem o estresse, tampouco são capazes de mudar radicalmente seus hábitos por conta própria. É aí que entra a terapia, que segundo o médico pode ser dividida em duas áreas: física e mental. “As terapias físicas incluem a fisioterapia analgésica com alongamento, reeducação postural, relaxamento muscular, exercícios físicos, acupuntura, entre outras técnicas. Já na esfera mental, incluem-se as psicoterapias, técnicas de relaxamento e meditação, biofeedback (que fornece informações para que os pacientes possam desenvolver a capacidade de autorregulação) e terapia cognitivo-comportamental”, descreve Protti. Para saber qual delas se encaixa melhor no seu perfil, a recomendação é procurar um médico especialista, que, após o diagnóstico correto, indicará a opção mais adequada de tratamento.

Prevenir é o mais indicado

O tratamento preventivo é feito com medicações chamadas de moduladores da dor. “São de uso contínuo e têm por objetivo reduzir a frequência, a intensidade e a duração das dores de cabeça. São utilizados em pessoas que sofrem com dores de cabeça com maior constância e por isso tenderiam a fazer uso abusivo de analgésicos”, explica.

Não use medicamentos sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para a sua saúde. As informações aqui divulgadas não deverão ser utilizadas como substituto para o diagnóstico ou tratamento de qualquer doença.

Dicas Para se sentir sempre bem, reduza estímulos luminosos, sonoros e odores fortes. A eficácia dessas medidas pode variar de pessoa para pessoa, mas vale tentar. A bolsa de água quente ajuda a reduzir a tensão muscular e também pode ser útil. “Porém é preciso usar o analgésico logo no início da dor de cabeça e não adiar, na esperança de que melhore espontaneamente, pois os medicamentos comuns podem não ser mais eficazes. Nesse caso, apenas a administração de analgesia endovenosa (na veia) irá resolver. Se chegar a esse ponto, o ideal é procurar um prontosocorro”, orienta Dr. Protti.

Tome uma atitude

Como mandar o estresse lá pra longe e ter mais qualidade de vida. Identifique quais são suas fontes de estresse. Pare e pense sobre o que torna suas semanas tão nervosas. Faça uma lista e analise aquilo que pode ser eliminado imediatamente. Para tudo que não tiver uma solução definitiva, procure formas de deixá-lo menos estressante. Elimine obrigações desnecessárias. Profissão, família, tarefas domésticas e lazer, por exemplo. Para cada área da sua vida, analise qual está produzindo mal-estar e procure desenvolver outras atividades nesses setores que lhe proporcionem prazer. Xô, procrastinação. Não deixe para amanhã aquilo que pode ser feito hoje. Tudo que se acumula também gera estresse. Atrasos. Ser um legítimo britânico – chegando cedo ao locais onde precisa estar – proporciona uma sensação fantástica de liberdade e bem-estar! Relaxe ao longo do dia. Faça pequenas pausas para massagear os ombros, pescoço, cabeça, braços ou mãos. Levante-se, estique as pernas ou espreguice-se; dê uma pequena caminhada; beba água. Respire ar fresco e contemple o céu azul. Ambiente zen. Trabalhar e viver em lugares organizados, limpos e tranquilos é uma fórmula eficaz para uma existência livre de transtornos.

31


vida simples

Por Mirella Stivani

Ai, que azia!

Sabe aquela sensação de queimação no estômago? A causa pode ser a alimentação

32


V

ocê come algo e logo começa a sentir um desconforto, um mal-estar terrível? Pode ser azia ou pirose, como também é conhecida. Ela pode acometer tanto homens quanto mulheres em algum momento da vida. O motivo é o retorno para o esôfago do conteúdo gástrico, já que a mucosa não está preparada para receber essa substância extremamente ácida. A dor sentida, por vezes subindo do peito, pode irradiar até o pescoço. Esse quadro é capaz de atingir inclusive outras partes do corpo. É comum causar também acessos de tosse, quando agride a garganta, e também piorar a bronquite, quando os pulmões são atingidos.

Causas

A alimentação costuma ser a maior causadora da azia ocasional. Comer muito, ingerir certos tipos de alimentos, bebidas alcoólicas, sucos cítricos, por exemplo, podem causar a temida queimação. Distúrbios emocionais são muitas vezes um gatilho. Em outros casos, ela não é apenas uma indisposição passageira, pois é um dos principais sintomas de doenças crônicas, como a síndrome do refluxo ácido ou doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). A causa primária do distúrbio é o mau funcionamento da válvula entre o estômago e o esôfago. Um estudo norueguês revela que o número de pessoas que sofrem de DRGE subiu quase 50% nos últimos 10 anos. “Uma explicação para o refluxo de ácido cada vez mais comum pode ser o aumento do número de pessoas com excesso de peso e obesos”, observa o gastroenterologista Dr. Silvio Gabor.

fotos: © Alliance / fotolia e DIVULGAÇÃO DROGARIA SÃO Paiulo

Tratamento

Para o seu correto diagnóstico, é preciso levar em consideração os sintomas evidenciados, sendo que a endoscopia alta e a pHmetria (exame no qual se mede o refluxo ácido do esôfago ou da faringe) são extremamente necessárias. No tratamento clínico, são utilizados medicamentos que melhoram o funcionamento do esôfago e diminuem a produção de ácidos pelo estômago. “É importante lembrar que o tratamento da doença inclui mudanças de hábitos de vida também, entre eles os alimentares. Deve-se sempre procurar a ajuda de especialistas, que poderão orientar você sobre o melhor conjunto de atitudes para cada caso”, ressalta Dra. Daniele Bellini Pereira Teixeira, gastroenterologista do Hospital Sabin e do Hospital Novo Atibaia. “Mas a DRGE não tem cura, existe apenas a melhora dos sintomas”, complementa.

Alimentos x azia

Silvio Gabor organizou uma lista com os alimentos

que podem causar a azia e que, portanto, devem ser evitados, principalmente por quem sofre de refluxo crônico. Tomate: graças a um alto teor ácido, não é recomendado, embora seja um alimento saudável, com antioxidantes e nutrientes que protegem o coração também. Cafeína: a substância pode estimular a produção de ácido no estômago e a abertura do esfíncter esofágico inferior. Vinagre: o tempero aumenta a acidez no estômago. Chocolate: o alimento aumenta a produção de serotonina no organismo (causando um bem-estar passageiro), mas também trabalha para relaxar o esfíncter esofágico inferior, abrindo caminho para o ácido refluir, causando um mal-estar duradouro. Álcool: aumenta a produção de ácido no estômago e pode irritar o revestimento gástrico. Hortelã: aromas de hortelã e menta estimulam a produção de ácido, mesmo apresentando um efeito calmante no primeiro momento. Frutas e sucos cítricos: o consumo aumenta a acidez no estômago. Alho e cebola: são conhecidos por agravar o refluxo ácido em algumas pessoas mais sensíveis.

Dica da especialista

Segundo Dra. Daniele, algumas atitudes simples ajudam a evitar o aparecimento da azia e todo o seu desconforto: não deitar após refeições, comer várias vezes ao dia e em pequenas quantidades, elevar a cabeceira da cama, parar de fumar e perder peso são algumas delas.

XÔ, azia! 1 - Alívio rápido para indigestão e queimação. Sachês líquidos Gaviscon sabor menta. 2 e 3 - fim do mal-estar. Antiácidos e pós-efervecentes Estomazil sabor abacaxi e Sal de Fruta Eno.

1 2 3

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariasaopaulo.com.br

33


CURTAS E QUENTES

livro • música • filme • teatro Teimosinha Que os pais queiram sempre o melhor para os filhos é indiscutível, mas, na prática, o excesso de cuidados, muitas vezes, pode causar mais transtornos do que efeitos positivos. Nesse livro, Fabrício Carpinejar trata dessa questão com bom humor e, amparado pelas ilustrações de Guto Lins, mostra que proteção demais nem sempre é sinônimo de criança feliz. Editora Melhoramentos.

Quem não quer ser mais feliz, menos ansioso, mais saudável e mais positivo diante dos problemas da vida? Os médicos Deepak Chopra e Rudolph Tanzi mostram nesse livro como é possível se reprogramar para abandonar hábitos nocivos e levar a vida de um jeito muito mais leve. Editora Alaúde.

Diana O longa, em cartaz nos cinemas, aborda o relacionamento de Lady Di com o cirurgião paquistanês Hasnat Khan, que é descrito no livro “As crônicas de Diana”, de Tina Brown, como o grande amor da vida dela. Os dois se conheceram em 1995, quando Diana visitou um amigo que havia sido operado no hospital Royal Brompton, onde Khan trabalhava, e estiveram juntos por dois anos. A relação terminou poucos meses antes do acidente que vitimou a Princesa de Gales, em agosto de 1997. Na ocasião, ela já estava se relacionando com o milionário Dodi Fayed, que também morreu no acidente. Distribuição Imagem Filmes.

34

Justin vive em um reino no qual os burocratas dominam e os cavaleiros estão fora de moda. Ele sempre quis ser um cavaleiro, mas seu pai, o conselheiro-chefe da Rainha, quer que o filho siga seus passos e se torne um advogado. Ele terá que provar seu valor e tentar salvar o dia – exatamente como seu avô faria. Produzido pelo ator Antonio Banderas. Playarte. Nos cinemas.

Thor: O Mundo Sombrio

Depois dos acontecimentos de “Thor” e “Os Vingadores”, Thor luta para restaurar o equilíbrio em todo o cosmo, mas uma raça antiga liderada pelo vingativo Malekith retorna para afundar novamente o universo em escuridão. Diante de um rival que sequer Odin ou qualquer asgardiano pode enfrentar, Thor embarca em sua jornada mais perigosa e pessoal até agora, que o reunirá com Jane Foster e o forçará a sacrificar tudo para proteger a todos nós. Distribuição Walt Disney, em DVD.

Fotos: divulgação das assessorias

Supercérebro – Como Expandir o Poder Transformador da Sua Mente

Justin e a Espada da Coragem em 3D


água na boca

Petit gâteau

Rendimento: 6 porções

ingredientes • 200 g de chocolate meio amargo • 2 colheres de manteiga sem sal • 1/4 de xícara (chá) de açúcar • 2 colheres (sopa) de farinha de trigo • 2 ovos inteiros • 2 gemas

Modo de fazer • Derreta a manteiga e o chocolate em banho-maria. • Bata os ovos e as gemas com açúcar na batedeira até ficar bem claro. Junte o chocolate derretido e a farinha de trigo, misturando tudo com uma espátula.

36

• Em seguida, unte as forminhas de empadinha, passe farinha de trigo e coloque a massa. • Pré-aqueça o forno e leve para assar de 6 a 10 minutos em fogo alto até os bolinhos crescerem, mas o meio deve ficar molinho. • Desenforme ainda quente. Coloque um bolinho no prato acompanhado de sorvete de creme.

Dica Para incrementar o petit gâteau, antes de servir, você pode acrescentar calda de chocolate sobre o sorvete e farofa doce. Fica uma delícia!

foto: divulgação família burger

Receita gentilmente cedida por Família Burger


final feliz

Janiele Brito – Leitora da Ponto de Encontro

Abrigo Quem sabe sou um perdido da noite Sou pedra, meu bem me perdoe. A vida não soube me ajudar Com seu carinho sou pétalas e flores Meu mundo é você, minhas cores. Escute agora o que eu vou falar Sou sua paz, o que você necessitar. Te amo demais, me leva pra longe, para qualquer lugar Corra perigo, vivendo comigo e ninguém mais. Faço um abrigo, faço contigo o que ninguém faz. Te amo demais.

Quem sabe sou o teu céu com estrelas O fato é que ainda vou tê-la Por anos e anos a me ensinar Sinto seus passos andando comigo Sem vê-la ainda te sigo Minha parte mais linda é poder te amar Sou sua paz, o que você necessitar. Te amo demais, me leva pra longe, para qualquer lugar Corra perigo, vivendo comigo e ninguém mais. Faço um abrigo, faço contigo o que ninguém faz. Te amo demais Ronaldo Reys – Leitor da Ponto de Encontro

Cidade céu Um dia sonhei que o mundo era céu Que os telhados das casas eram cobertos de flores As ruas de terra batida, Emanava o cheiro do barro, Vindo direto da criação Sonhei que o mundo era paraíso Que os meninos dançavam em rodas alegres As meninas guiavam a brincadeira e a prece Sonhei mas era um sonho, Um sonho bem sonhado, Um sono bem vivido Daqueles que fazem o dormente colocar a mão por baixo da cabeça, Suspirar por vezes, E pedi na madrugada para não acordar Sonhei que as águas eram de cristais, Que os morros tocavam as nuvens, Sonhei que os ricos simplesmente sumiram,

Que os despertadores quebraram, Que as máquinas não existiam Sonhei que a vida era a vida, Sonhei que as pessoas se falavam, As pessoas tinham asas, Não porque eram anjos, Porque lhes tinha sido dado o poder de voar Voavam como pássaros, soltos ao céu Ao léu, bem ao céu Naquela cidadezinha o ar entrava em todas as casas, Todas as tias eram comadres, Todos os senhores eram contos, Todas as senhoras lendas, As crianças em meio à vegetação, Isso sim era uma nação E o talento de escolher Era o mesmo de esconder Esconder o rancor e a dor Afinal ali vivia apenas o amor Amor de irmão, Amor de mãe, Amor de pão, Amor de violão Vivi ali dias, dias inesquecíveis Dias de flor, dias de amor Onde a vida certa é a vida que se leva Onde a escolha certa é que se tem Mesmo não tendo nenhum vintém Jurei que não queria acordar E para realidade voltar Realidade dura e cruel Vivida fora do mundo do céu Quem sabe um dia eu volte Pra terra que vive no céu Céu de além-mar Onde a premissa básica é o amar. Henrique Alfredo Paz Saboia Leitor da Ponto de Encontro

Escreva para: pontodeencontro@profashional.com

38

o próprio envio das poesias já caracteriza autorização e cessão de uso para publicação. Foto: © Ljupco Smokovski / fotolia

Quem ela é? Como é pequenina e amarelinha, menor que um grão de feijão ela é maior que um grão de arroz ela é. O adulto gosta dela, o idoso também, os adolescentes e as crianças a querem sem desdém. Seu cheirinho na panela entra nas casas sem pedir, Com alegria as pessoas a recebem e com vontade de repetir. E se falar que acabou, logo surgem olhos tristes e das crianças um chororô. Sua cor na panela muda, de amarelinha fica bem branquinha, mas é preciso ter cuidado, pois bem rápido ela pode ficar pretinha. Seu tamanho aumenta rápido, como o Popeye ao comer espinafre e seu barulhinho inconfundível dizendo: Estou quase pronta, estou da panela saindo. Ela combina no frio e no calor e seu valor não é caro, somente um pacotinho traz alegria para uma família pequenina ou um familião, depende de como está o seu coração. Mas, para você que adora aventuras perigosas, basta a panela não tampar e verá a nossa amiguinha para todos os lados pipocar. Já sabem quem eu sou? Só mais uma dica: todos me têm amor, principalmente meu autor. Sou eu, a pipoca, feita com amor.



Revista Ponto de Encontro Ed. 46