Issuu on Google+

A REVISTA DA DROGARIAs pacheco

EDIçÃO 4

Leitura na infância

ago/set 2013

Sorria

Faz bem para a mente e o coração

A boa saúde começa pela boca

melhor idade

SAúde

|

00005

00006

9 771982 14300 9

9 771982 14300 9

9 771982 14300 9

00004

00003

Issn 1982-1433

9 771982 14300 9

Esta é uma publicação oficial da Drogarias Pacheco distribuída gratuitamente com exclusividade para seus clientes

Volta às aulas em grande estilo

b e m - e s ta r

Fábio Porchat

Do Brasil para o mundo, com muita irreverência |

estilo de vida

|

c u lt u r a

|

g as t r o n o m i a

|

beleza


editorial

“És um senhor tão bonito Quanto a cara do meu filho Tempo tempo tempo tempo Vou te fazer um pedido” (Caetano Veloso)

O tempo é de celebrarmos a emoção da chegada de novos ares, novas cores, novos aromas, novas flores, pois a estação que aporta por aqui representa vida nova e nos inspira a cuidar melhor dos detalhes, daquilo que é realmente importante para cada um. A boa nova está nos campos e chega de mãos dadas com uma nova geração recém-saída da internet. O nosso personagem de capa é totalmente do bem e trouxe uma charmosa alegria para as páginas da sua Ponto de Encontro. Fábio Porchat nos conta um pouquinho do sucesso que alcançou aos 30 anos, dos desafios que surgem a todo instante, da família e, é claro, do portal que foi reconhecido como o mais acessado do universo virtual – “Porta dos Fundos”. Uma entrevista para rir e se emocionar. E sempre é tempo de cuidar um pouco mais da beleza. Para isso, preparamos uma matéria que explica como tratar a acne em pele adulta. E para toda a família, temos o mundo imaginário em destaque com super-heróis e outros seres que habitam esse espaço infantil e ensinamos como

ajudar a criança a passar superbem por essa fase. E tem muito mais: para os que estão na melhor idade, que tal voltar a estudar? Damos todas as dicas para você aprender um novo idioma ou mesmo voltar a frequentar a universidade – faz bem para a mente e para o coração. Você encontra nesta edição o momento exato de valorizar cada sentimento como parte imprescindível do nosso cenário cotidiano, uma vez que deixa os dias mais floridos com um lugar muito melhor para se viver. Você é parte importante e fundamental da nossa história. Boa leitura!

Sandra Teschner Publisher pontodeencontro@profashional.com www.profashional.com www.blogprofashional.com Sandra Teschner @SandraTeschner


sumário

6

espaço do leitor

16

Tênis para todos

melhor idade

14

nutre+Ação

Glúten – saiba tudo sobre essa proteína

22

fábio porchat

O humor irreverente desse jovem ator

O universo imaginário na infância

Exercícios físicos no inverno

Cansaço fora de hora

Cursos para manter a mente ativa

18

vida simples

32

A saúde começa na boca

velhos costumes

26

positivo

12

positivo

Críticas, sugestões e depoimentos

espaço consciente

8

30

28

de frente para o espelho

criança na área

Acne em mulheres adultas

Incentivo à leitura é tudo de bom

34

Curtas e Quentes

36

38

Polka de morango

Frases inspiradoras de nossos leitores

Água na Boca

Dicas divertidas para toda a família

Final Feliz

expediente Publisher Sandra Teschner Diretor Executivo Gabriel Sales Diretora de Projetos Especiais Dio Jaguarível Gerente do Núcleo de Jornalismo Adriana Rosa – MTB 47.337 Gerente de Design Alice Hecker Departamento Comercial Márcia Souza comercial@profashional.com Web Ricardo Cerdan Atendimento ao Leitor contato@profashional.com Av. Jandira, 843 – Moema – São Paulo/SP Fone/Fax: (11) 5051-4084 www.profashional.com

4

Conselho Editorial Adriana Rosa, André Elias Gonçalves, Cátia Alves, Fabiana Oliveira, Karina Oliveira, Lilian Travaglioni Nezi, Luanda Silva, Rafael Medeiros, Sandra Teschner e Tuca Sardinha Editora Interina Maria Helena Bellini Direção de Arte Claudia Carvalho Designers Danielle Lima, Katherine Gomes e Humberto Lima Jornalistas Ana Carolina Contri, Fernanda Mendonça e Mirella Stivani Revisão Tatiana Lopes Colaboradores Adelino Vieira, Ana Eduarda, Arthur

Castilho, Artur Ricardo, Bruno Siqueira, Fernanda Andrade de Oliveira, Flávia Cyfer, Gustavo Neves Abade, Leila Martins, Marcos Jurandian, Silvio Gabor, Tiago Lupoli, Vanessa Pik Quen Lee e Vivilaine Campelo Cartas pontopacheco@profashional.com A revista Ponto de Encontro é uma publicação da Profashional Editora Ltda., sob licença da Drogarias Pacheco, dirigida aos seus clientes e distribuída em suas filiais. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade dos autores e não representam a opinião da revista, da Editora ou da Drogarias Pacheco. Não é permitida a reprodução das matérias nem dos artigos. Publicidade Drogarias Pacheco

Tiragem: 600.000 exemplares

Sac 0800 282 1010


Olá, pessoal da redação Li, para dois grupos de atividades dos quais faço parte aqui no Rio de Janeiro, o artigo “O importante é ser feliz”, da seção “Melhor Idade”. Está ótimo. Afinal, é isso mesmo o que importa: a felicidade. As pessoas adoraram, e agradeço pela excelente qualidade editorial dessa revista. Felisberto Antonio Léo Por e-mail Olá, amigos da Ponto de Encontro Apesar de estar morando há quatro anos no Nordeste, leio sempre a revista, pois a minha avó envia para mim. Gosto da seção “Final Feliz”, pois sou escritor e pretenso poeta. Parabéns! André Anlub Por e-mail Gostaria de deixar registrado o meu elogio em relação à matéria “O valor das coisas simples”, da seção “Velhos costumes”. Foi-me muito útil! O bem-estar que senti quando me desfiz de coisas sem utilidade foi incrível! Parabéns pelo conteúdo sempre de qualidade que é oferecido aos clientes! Yuri Willmersdorf Por e-mail

6

Aqui é o espaço para você enviar comentários, sugestões e perguntas. Participe e faça com que a nossa Ponto de Encontro fique cada vez melhor. Estamos aguardando o seu e-mail: pontopacheco@profashional.com

Olá, turma da Ponto de Encontro. Quero parabenizá-los pela megaedição que traz a atriz Paloma Bernardi na capa! Adorei os assuntos abordados, principalmente o de artes marciais! Temas atuais e de suma relevância para o nosso meio social. Adorei, e mais uma vez meus parabéns! Continuem sempre assim, enchendo nossas mentes de assuntos interessantíssimos e nossos espíritos de paz e acalanto... Nívia Matos Por e-mail Caros amigos da Ponto de Encontro. Venho por meio deste contato parabenizar a excelente iniciativa da revista em informar aos clientes sobre a importância da manutenção da saúde e longevidade, desmistificando os segredos da mente e do corpo, bem como a abordagem de outros temas, os mais variados. Desejo muito sucesso a vocês! Edson Rosa Por e-mail Olá, pessoal! Todas as boas iniciativas, sobretudo as construtivas, devem ser elogiadas; assim, parabenizo essa revista, como uma das mais louváveis. O conteúdo enfocado é muito bom. Boa sorte na trajetória ora iniciada. Sucesso! Vera Leira Parente Por e-mail Parabéns pela excelente revista. Adorei as duas matérias que trouxeram os cabelos em pauta: “Cachos pra que te quero” e “Por amor à vida”. Ambas falam de empreen-

dedorismo e de superação. Textos maravilhosos que realmente me emocionaram! Sucesso! Andréa Batista Por e-mail Sou leitor assíduo da Ponto de Encontro e cliente fiel, há muito tempo, da Drogarias Pacheco e quero deixar registrada aqui a minha admiração pela revista. Sucesso! Bernardo Langlott Por e-mail Estou com a revista Ponto de Encontro em mãos e gostei muito das matérias publicadas e também do projeto gráfico. Está excelente, principalmente pelo fato de o público ter acesso a uma revista de qualidade, e de graça! Parabéns! Desejo sucesso à equipe, e que venham muitas publicações futuras. Hosana Leonor Por e-mail

o próprio envio de correspondências já caracteriza autorização e cessão de uso para publicação

espaço do leitor


positivo

Por Maria Helena Bellini

Sorria com vontade

E

studos comprovam que a saúde começa mesmo é pela boca. A falta de um dente, por exemplo, pode desencadear um desequilíbrio que compromete muitas vezes a boa postura, causa dores e desconfortos no corpo. Para o especialista em cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial e membro da Sociedade Brasileira e também Latino- Americana do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, do International Stomatopedic e do Institute Wisbaden, na Alemanha, Dr. Paulo Leal, a mastigação e a deglutição são parte de uma complexa

8

engrenagem que envolve músculos faciais, ossos, dentes e língua. Portanto, qualquer desequilíbrio pode causar dor de cabeça, articulação temporomandibular (ATM) comprometida, apneia do sono, entre outros distúrbios. “Por consequência, a pessoa dorme mal, acorda cansada, passa o dia estressada pelas dores, respira apenas pela boca. Daí a importância de uma boa avaliação feita sempre por uma equipe multidisciplinar”, explica Dr. Paulo Leal, que também é diretor do Instituto Face a Face, em São Paulo. “Os resultados são tão recompensadores como a elevação da autoestima. Quando vejo

foto: © Kurhan / fotolia

Ser saudável é parte fundamental para uma vida feliz


Biorreprogramação bucal, o que é isso?

Uma revolucionária técnica da odontologia que tem como principal intenção tratar de problemas da saúde de todo o corpo pela boca está muito em pauta atualmente. “Por meio desse tratamento é possível ampliar o fluxo respiratório, diminuir a acidez bucal e gástrica, bem como aumentar o equilíbrio da coluna vertebral, por intermédio de dispositivos especiais, como o sistema DARAA (dispositivo antirronco e antiapneia), sistema POLIS (placas oclusivas lisas) ou mesmo com tratamentos ortodônticos sem extrações que ampliam os espaços da boca, a fim de conseguir esses resultados”, explica o cirurgião-dentista que utiliza a técnica chamada biorreprogramação bucal, Dr. Rogério Pavan, da clínica Odontobalance, em São Paulo. Ele explica a importância desse atendimento para pacientes com os mais diversos problemas de saúde. “A boca serve para muito mais do que sorrir, mastigar e falar. É fundamental passar por uma consulta de diagnóstico caso se perceba o surgimento de algumas indicações ou mesmo de suspeitas de problemas. Afinal de contas, é sempre melhor prevenir”, diz. A diferença entre o tratamento odontológico convencional é que ele trata a boca, já a biocibernética bucal cuida do corpo por meio da boca. “Dessa forma, modificamos muitos métodos odontológicos para atender as necessidades funcionais e fundamentais para a boa saúde. Estou muito contente em perceber que o mesmo vem acontecendo com meus colegas, que hoje previnem endocardites bacterinas por meio de uma odontologia de excelência. Vejo que a odontologia está se voltando para onde sempre deve estar, ou seja, bem próxima e atrelada à medicina”, ressalta Dr. Rogério, que complementa: “Hoje sabemos de coisas que nem poderíamos sonhar no passado. Imaginar que a boca estaria relacionada aos problemas da coluna nem passava pela minha mente quando mais jovem. A possibilidade real de ampliar a capacidade respiratória de um indivíduo pela boca é simplesmente fantástica e abre maravilhosas possibilidades. Portanto, diria que tudo faz parte, e é claro que, com esses novos conhecimentos, a atenção com a boca deve ser, e muito, ampliada”.

10

Um novo sorriso, uma nova vida “Todo recomeço começa com um sorriso”. Esse é o lema do Projeto Face a Face, que ao longo de sua trajetória vem lutando contra o câncer de cabeça e pescoço de maneira incansável para prevenir e controlar a doença. Criado em 2007, o projeto conta com profissionais que trabalham para oferecer condições de cidadania, sociabilidade e direito à vida para pacientes que apresentam sérios comprometimentos físicos e psicológicos por serem portadores de tumores craniofaciais. Dr. Paulo Leal está à frente do projeto e conta que os pacientes são atendidos gratuitamente, após triagem detalhada, e são tratados cuidadosamente nesse ambiente clínico-hospitalar. Para saber mais: www.institutofaceaface.com.br

DENTES LIMPOS E SAUDÁVEIS 1 - Mais firmeza e segurança. Pó fixador de dentadura Corega. 2 - facilidade na hora de limpar os dentes. O sabor menta também confere uma verdadeira sensação de refrescância. Fio dental Johnson&Johnson Essencial menta. 3 - ideal para dentes sensíveis. Creme dental Sensodyne Extra Fresh. 4 - ESCOVAÇÃO COM sistema de branqueamento especial. Escova dental White System Close Up.

2 1 4

3

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariaspacheco.com.br

fotos: divulgação drogarias pacheco

que os pacientes retornam ao consultório, ao longo do tratamento, já com aquele sorrisão, me faz um afago na alma”, conta. Outro detalhe importante é passar por consultas periódicas com o seu dentista para que ele avalie como anda sua boca e também para prevenir doenças, como o câncer, e detectar lesões bucais, problemas de gengiva, hipersensibilidade, cáries, entre outros. O especialista afirma que cuidar bem dessa importante parte do seu corpo é bem mais barato do que a maioria das pessoas imagina: começa com uma consulta, e em casa você segue com os cuidados diários, com uma escova de dentes de qualidade, um bom creme dental, fio dental e um enxaguante. Use esse “kit do sucesso bucal” sempre após as refeições e abra um sorriso, sempre.


melhor idade

Por Ana Carolina Contri

Mente ativa Voltar aos estudos na terceira idade pode ser tão interessante quanto era na juventude

Bancos escolares

As opções de cursos para quem tem mais de 60 anos são inúmeras, e das mais variadas áreas do saber. As universidades nunca estiveram tão lotadas dessa turma ávida por conhecimento, seja como porta de retorno à vida profissional ou apenas pelo prazer de aprender. A psicoterapeuta de Belo Horizonte Leila Martins lembra que cada pessoa deve escolher os cursos de acordo com seu gosto, buscar atividades que lhe sejam prazerosas. Há pessoas que, depois de se aposentarem, dedicam-se a cursar uma segunda faculdade e aprendem uma nova profissão. As turmas para a terceira idade visam criar uma identidade de grupo, para que os participantes explorem melhor suas potencialidades pela identidade com semelhantes. “Os cursos podem se basear em

12

ensino pedagógico, estimulação cognitiva e pela arte, atividades sociais, físicas e recreativas. Os benefícios resultates são os mais diversos: ampliação de conhecimentos intelectuais, aquisição de novas habilidades, aprendizagem de cuidados com a saúde, estimulação da memória, da atenção e do raciocínio. Porém o benefício maior e comum é o suporte psicossocial e afetivo; proporcionar vivências, promover a autonomia, isto é, manter uma vida social ativa, em contraposição à perda de contatos sociais, consequente da aposentadoria”, conta Vanessa.

Benefícios intelectuais

Os estudos trazem benefícios intelectuais, tanto de preservação quanto de ampliação e desenvolvimento cognitivos. “Nos cursos, todos têm a oportunidade de recuperar e aprender habilidades e adquirir novos conhecimentos. Além disso, há os benefícios sociais, de se relacionar com outras pessoas, ter compromissos, manter-se ocupado. Sobretudo, há os benefícios psicológicos, como melhora da autoestima e da autoconfiança, apresentação de novas perspectivas e renovação de esperanças, prevenindo problemas psicológicos, como a depressão”, comenta Leila. Como consequência de todos esses benefícios, há a promoção e melhora da saúde como um todo. Os estímulos cognitivos, sociais e afetivos auxiliam na melhora ou controle de problemas de memória ou doenças como o mal de Alzheimer, mesmo que o programa de estudos não seja voltado especialmente para esse fim. “Mas é importante que, no caso de haver diagnóstico de alguma doença, a pessoa tenha um acompanhamento multiprofissional (médico, psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional), pois simplesmente frequentar um curso não substitui outros tratamentos”, alerta Vanessa.

foto: © diego cervo / fotolia

E

nvelhecer faz parte da vida. E segundo especialistas, esse pode ser o momento mais pleno de sua trajetória por aqui. Portanto, que tal se dedicar a novas atividades para se manter ativo física e mentalmente? Segundo a psicóloga do Hospital Santa Cruz, de São Paulo, Vanessa Pik Quen Lee, com os avanços na cura ou no controle de doenças, houve aumento na expectativa de vida e na longevidade. As pessoas estão vivendo mais, e o desafio é não somente acrescentar anos à vida, mas sobretudo vida aos anos. “É necessário que as pessoas se preparem para a melhor idade: fazer planos para depois da aposentadoria ajuda a não sucumbir à ociosidade. Uma das opções mais comuns é frequentar cursos, pois não se depende tanto do vigor físico, que pode ser condição limitante para alguns. O melhor de tudo é que se aproveita a sabedoria acumulada pela vivência. É um modo de sentir-se útil”.


Volta às aulas Há 20 anos a Universidade Aberta à Terceira Idade funciona na Universidade de São Paulo. Ali os idosos podem cursar algumas disciplinas junto com os alunos de graduação, com o objetivo de aprofundar conhecimentos em alguma área de seu interesse e ao mesmo tempo trocar informações e experiências com os jovens. A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo também disponibiliza vários cursos por meio da Universidade Aberta à Maturidade. A Universidade Federal de São Paulo também tem cursos destinados à melhor idade. Se a opção for pelo aprendizado de outras línguas, a escola Companhia de Idiomas é o destino perfeito, pois possui cursos adequados às necessidades de seus alunos mais experientes. Saiba mais em www.companhiadeidiomas.com.br. E para facilitar acesse o site www.portaldaterceiraidade.org.br que traz notícias e cursos disponíveis em todo o Brasil.

13


nutre+ação

Por Mirella Stivani

Não contém glúten glúten está presente na composição de vários alimentos feitos com trigo, centeio, cevada e aveia. Ou seja, em grande parte da alimentação consumida pela população. Mas há quem sofra com a doença celíaca, ou intolerância ao glúten, um problema alimentar que pode causar sintomas variados e prejudicar a qualidade de vida. De acordo com a gastroenterologista Dra. Fernanda Andrade de Oliveira, do Hospital Santa Luzia, em Brasília, ela é autoimune (desencadeada pelo sistema imunológico) e pode causar sintomas como: diarreia, dor abdominal, gases, perda de peso, cansaço e anemia. “Contudo, esses sinais variam de pessoa para pessoa, sendo que alguns apresentam os sintomas com menor intensidade, o que pode dificultar o diagnóstico. Antigamente era diagnosticada na infância”, relata a especialista. Para o gastroenterologista Dr. Silvio Gabor, de São Paulo, muitos questionam se essa é uma “nova doença”, surgida recentemente. “Na verdade, ela foi descrita, pela primeira vez, no século 2, pelo grego Arataeus da Capadócia, que informou a existência de uma diarreia que aparecia em crianças, após a ingestão de farináceos e que se revertia com sua suspensão. A essa ocorrência ele chamou de “koliakos” (aquele que sofre do intestino). Em 1888, Samuel Gre descreveu o problema com mais detalhes e aproveitou o termo grego para chamá-la de “afecção celíaca”, e concluiu também que a única maneira de tratá-la seria pela não ingestão de certos alimentos”, explica.

14

Sintomas

A doença celíaca pode apresentar diferentes sintomas, que inclusive podem ser confundidos com outros problemas. Por isso, uma avaliação médica é indispensável. Entre os principais, estão: diarreia em decorrência da ingestão de trigo, emagrecimento, falta de apetite, desnutrição, déficit de crescimento e de ganho de peso, anemia por deficiência de ferro e/ou vitamina B12, distensão abdominal, glúteos atrofiados, braços e pernas finos e apatia. Os adultos podem apresentar esterilidade ou abortos de repetição, osteoporose, hemorragias e câncer de intestino delgado.

Diagnóstico

Pode ser feito por meio de exames laboratoriais, como o teste da absorção da D-xilose e da dosagem de gordura nas fezes, que, mesmo sendo inespecíficos, são bastante úteis diante da suspeita clínica. “Outros exames, como a dosagem de anticorpos antigliadina, antiendomísio e antitransglutaminase, são mais específicos e podem chegar a quase 100% dos diagnósticos, com poucos casos de falso positivo ou falso negativo. A biopsia endoscópica do intestino delgado entre a terceira porção do duodeno e o jejuno proximal realizada com pelo menos quatro fragmentos fornece o diagnóstico certeiro da doença celíaca”, explica Gabor. A intolerância ao glúten tem sido cada vez mais associada a distúrbios intestinais na prática clínica. “Deve ser analisada e tratada de forma individualizada, para obtermos o melhor resultado possível”, alerta a Dra. Fernanda.

fotos: © Sea Wave, © m.u.ozmen, © Alessandro Capuzzo, © matka_Wariatka e © midosemsem / fotolia e © Kitch / Stock Free Images & Dreamstime Stock

O

A doença celíaca impede a pessoa de consumir alimentos com essa proteína. Saiba mais e viva melhor


Cuidados com a alimentação

Em 2003, foi promulgada a Lei 10.674, que obriga que os produtos alimentícios comercializados informem sobre a presença de glúten, já que o tratamento

disponível é feito com a suspensão completa e permanente da proteína da dieta. A seguir, confira uma lista de alguns alimentos que podem ou não ser consumidos por quem sofre da doença.

GRUPOS

PERMITIDOS

PROIBIDOS

Farinhas e féculas (cereais, tubérculos e seus subprodutos, que encontramos em forma de pó)

As mais indicadas: arroz, batata, milho e mandioca. Arroz = farinha de arroz, creme de arroz, arrozina, arroz integral em pó e seus derivados. O creme de arroz não é um creme ou pasta, e sim um pó. Milho = fubá, farinha, amido de milho, flocos, canjica e pipoca. Batata = fécula ou farinha. Mandioca ou aipim = fécula ou farinha, como a tapioca, polvilho doce ou azedo. Macarrão de cereais = arroz, milho e mandioca. Cará, inhame, araruta, sagu, trigo sarraceno.

Trigo = farinha, semolina, gérmen e farelo. Aveia = flocos e farinha. Cevada = farinha. Malte. Todos os produtos elaborados com os cereais citados acima.

Bebidas

Sucos de frutas e vegetais naturais, refrigerantes e chás. Vinhos, champanhes, aguardentes e saquê. Cafés com selo ABIC.

Cerveja, uísque, vodca, gim, e ginger-ale. Ovomaltine, bebidas contendo malte, cafés misturados com cevada. Outras bebidas cuja composição não esteja clara no rótulo.

Leites e derivados

Leite em pó, leites integrais, desnatados e semidesnatados (em caixa). Leite condensado, creme de leite, leite fermentado. Queijos frescos, tipo minas, ricota, parmesão. Pães de queijo. Para iogurte e requeijão, verifique observações nas embalagens.

Leites achocolatados que contenham malte ou extrato de malte, queijos fundidos, queijos preparados com cereais proibidos. Na dúvida ou ausência das informações corretas nas embalagens, não adquira o produto.

Açúcares Doces Achocolatados

Açúcar de cana, mel, melado, rapadura, glucose de milho, maltodextrina, dextrose, glicose. Geleias de fruta e de mocotó, doces e sorvetes caseiros preparados com alimentos permitidos. Achocolatados de cacau, balas e caramelos.

Para todos os casos, verifique as embalagens.

Carnes (boi, aves, porco, cabrito, rãs etc.), peixes e produtos do mar, ovos e vísceras (fígado, coração)

Todas, incluindo presunto e linguiça caseira.

Patês enlatados, embutidos (salame, salaminho e algumas salsichas). Carnes à milanesa.

Gorduras e óleos

Manteiga, margarina, banha de porco, gordura vegetal hidrogenada, óleos vegetais, azeite.

Grãos

Feijão, broto de feijão, ervilha seca, lentilha, amendoim, grão-de-bico, soja (extrato proteico de soja, extrato hidrossolúvel de soja).

Hortaliças

Legumes e verduras: todas.

Condimentos

Sal, pimenta, cheiro-verde, ervas, temperos caseiros, maionese caseira, vinagre fermentado de vinhos tinto e de arroz, glutamato monossódico (Aji-No-Moto®)

Extrato proteico vegetal. Proteína vegetal hidrolisada.

Mainoese, ketchup, mostarda e temperos industrializados podem conter glúten. Leia o rótulo com muita atenção.

Informações fornecidas pela Associação dos Celíacos do Brasil (ACELBRA): www.acelbra.org.br

15


espaço consciente

Por Fernanda Mendonça

Tênis para todos Professor de educação física cria projeto para ensinar o esporte para jovens carentes de comunidade do Rio de Janeiro

E

le já foi considerado uma atividade de elite, mas os inúmeros benefícios que traz para a saúde e também a grande divulgação que alcançou com atletas brasileiros que fizeram uma linda carreira nesse segmento o elevaram à categoria de uma modalidade para quem quer entrar em forma ou manter o shape em dia. Durante a aula ou o treino, o praticante trabalha várias áreas do corpo, o que possibilita uma grande queima calórica. Além disso, o esporte também trabalha a força muscular. No entanto, praticar essa modalidade no Brasil não sai barato! As aulas são caras porque é um esporte em que a quadra é usada quase sempre por duas pessoas apenas. Mesmo quem já tem alguma noção das regras e movimentos precisa alugar a quadra, o que gira em torno de R$ 150 por hora. E não para por aí: o tenista ainda tem que arcar com o custo das raquetes, bolinhas e demais equipamentos.

16

Pensando nisso, o professor de educação física Artur Ricardo criou o projeto social chamado “Tênis Solidário”. Uma escola de tênis que tem como objetivo a inclusão social e visa atender gratuitamente algumas comunidades carentes no bairro de Pilares, no Rio de Janeiro. Saiba mais!

Amante do esporte

Ricardo é formado em Educação Física, teve essa modalidade na faculdade, mas nunca a praticou fora, e sempre teve esse desejo. Depois de aprender, ele resolveu passar esse conhecimento adiante. “Fiz um estágio no Fluminense Football Club com o professor Gilberto Macaio, e ele me ensinou a jogar e a ministrar aulas de tênis. Foi o primeiro passo para a implantação do projeto”, conta. Hoje as aulas ministradas por ele também acontecem no Fluminense, onde uma quadra de futsal foi adaptada para atender os jovens que querem aprender a


“...o projeto está dando essa oportunidade, não só da inclusão social, mas também na descoberta de algum talento”

fotos: © Karramba Production / fotolia e divulgação

Artur Ricardo, criador do projeto Tênis solidário

jogar tênis. “Fizemos a pintura, a instalação de rede, as demarcações e incluímos grades de contenção para, assim, possibilitar a prática desse esporte pela comunidade”, diz o professor. Os alunos não pagam nada e, além de aprender a modalidade, também recebem lanche e têm aulas gratuitas de etiqueta, português e inglês. Todos os envolvidos no projeto são voluntários. “A nossa professora, Beatriz Machado, está afastada por motivos de saúde. E no momento, eu estou ministrando as aulas de etiqueta, português e inglês”, revela Ricardo. Hoje são 51 alunos inscritos, atuando no projeto, dos quais um é portador de necessidades especiais. Apesar do sucesso, as dificuldades ainda são muitas. “Atualmente, precisamos reformar os banheiros, que estão em uma situação bastante precária. Também é necessário trocar os pisos do local. Queremos dar mais dignidade aos alunos”, desabafa o professor. Outra dificuldade, segundo ele, é conseguir um patrocínio, que de fato acredite no projeto. O Programa não aceita verba pública, apenas doações de instituições privadas ou de pessoas físicas. A receita do projeto hoje é de apenas R$ 200,00 por mês.

Novos talentos

O Tênis Solidário faz avaliação anual dos alunos inscritos, dando oportunidade de renovação de matrícula para aqueles que tiveram bom comportamento. O programa possibilita também o ingresso de novos alunos a partir de ano seguinte. Os jovens que se destacam nas quadras são convidados para o grupo de Alto Rendimento. Nele, o alunoatleta passa a treinar uma hora por dia, de segunda a sexta-feira, das 17h às 18h – o que não atrapalha seu

ingresso na escola. “Nesse período em que são treinados, podem, paralelamente, vir a participar de competições estaduais, sempre que observados avanços relacionados à melhoria do seu desempenho e de sua eficiência técnica e comportamental”, explica o idealizador do projeto. A estudante Laura Rangel é um exemplo de sucesso. Ela tem 10 anos de idade e está no projeto desde os 8, atualmente disputa campeonatos nos principais clubes de tênis do Rio de Janeiro. “Ela deverá ganhar uma bolsa de estudos num colégio particular no próximo ano, pois ainda estuda em colégio público”, acrescenta Ricardo.

Realização pessoal O trabalho faz o professor se sentir realizado. “Dificilmente esses jovens teriam condições de praticar o tênis se tivessem que pagar pelas aulas. No entanto, o projeto está dando essa oportunidade, não só da inclusão social, mas também na descoberta de algum talento”, comemora. Segundo ele, sua vida mudou depois da realização desse sonho, e para melhor. “Eu acho que é uma troca, eles aprendem com as aulas, e eu aprendo muito mais com eles. Entendo que essas horas que eu dedico a eles é até pouco, mas outras pessoas deveriam fazer o mesmo. Ajudar o próximo é muito bom! Não tem preço que pague”, orgulha-se. O que o deixa mais contente é receber os agradecimentos dos responsáveis pelos alunos. “Eles dizem que os filhos melhoraram na escola, estão mais disciplinados. É muito bacana ter esse feedbcak”, termina.

Para saber mais: www.tenis-solidario.blogspot.com

17


velhos costumes

Por Maria Helena Bellini

Era uma vez... A crianรงa cria seu prรณprio mundo de fantasia a partir dos dois anos de idade. Nele vivem seres imaginรกrios com poderes especiais

18


foto: © Andrey Kiselev / Fotolia

E

ntender a realidade em que vivem e aprender a lidar com questões cotidianas muitas vezes não é tarefa fácil para os pequenos. Então eles criam o seu universo, onde tudo é possível, e nele podem conviver com os seus pensamentos e soltar a imaginação. Normalmente surge um amigo imaginário com quem a criança conversa o dia todo e, por volta dos 6 anos, ela vem buscar o dentinho que caiu. Existem também alguns monstros que permeiam os cantos mais obscuros do quarto e que lhe causam medo. Porém o mais importante de tudo: sejam boazinhas ou maldosinhas, essas criações do imaginário infantil estão presentes para ajudá-las a desenvolver seus sentimentos e relacionamentos nessa fase tão bacana da vida. Especialmente para pais, mães e cuidadores saberem lidar melhor com as emoções das crianças, o psicólogo de São Paulo Tiago Lupoli, pós-graduado em clínica psicanalítica, integrante do Grupo de Estudos em Psicanálise e também colaborador da equipe APREHENDERE – Tecnologias em Desenvolvimento Humano, responde às principais questões com exclusividade para a Ponto de Encontro.

19


P.E.: Por que ele é tão importante para o desenvolvimento emocional e cognitivo dos pequenos? T.L.: Porque o campo lúdico possui portas abertas para a criança entrar. Ela se sente à vontade ali, pois ele “fala sua língua” e lhe traz segurança para enfrentar as dificuldades da constituição de sua personalidade, no âmbito daquilo que lhe causa temor. É o caminho mais adaptado e convergente com o amadurecimento da criança. P.E.: Quando uma criança diz que tem um amigo imaginário, qual deve ser a atitude dos pais? T.L.: Entender a demanda desse amigo imaginário: quando o seu surgimento se deu e o que ocorria no mundo dela e da família naquele momento, quando ele se faz presente e qual a sua interferência na vida desse pequeno. Caso esse comportamento não impeça o filho de manter as atividades de vida diária (comer, dormir, brincar, ir à escola etc.), não é algo para se preocupar, pois provavelmente irá desaparecer com o amadurecimento. P.E.: Podemos incentivar “criaturas imaginárias” como a fada do dente, por exemplo, quando os dentinhos começam a cair? Por quê? T.L.: A maioria das famílias incentivam tais criaturas em nossa cultura. Os pais devem usá-las para a educação infantil, para descrever limites, comportamentos adequados, fases da vida que estão por vir. Não é fácil para a criança lidar com mudança corporal e com o que poderá enfrentar com os dentes que caem (dor, sangue, “janelinhas” na boca, provocações dos colegas etc.). É importante que os pais possam caminhar ao lado dos filhos, dando-lhes segurança no enfrentamento dessas dificuldades. P.E.: Como ensinar as crianças a lidar com os medos: escuro, trovões, palhaços e outros “seres” visíveis ou invisíveis? T.L.: Com presença e parceria. Trocando e compartilhando experiências. Isso conforta e lhes traz segurança. Os fenômenos da natureza, do corpo humano e da vida social, as fantasias e seres imaginários assustam, principalmente nas primeiras aparições. Quanto mais

20

esse novo for traumatizante, mais difícil será de se lidar. Sozinha, a criança dificilmente conseguirá superar o medo e a angústia. Os pais podem colaborar com suas experiências, explorando a realidade de cada fato vivido que gerou medo.

Presença, não presente Para Tiago Lupoli, vivemos em um tempo em que os brinquedos e equipamentos eletrônicos modernos garantem a distração das crianças. “Mas nada equivale à presença, ao respeito e ao carinho dos pais. As crianças não dão a devida relevância a um SMS. Por vezes, nem os adultos conseguem tal proeza”, explica. A comunicação deve ser constante, pessoal e repleta de troca, e transbordante de paciência e escuta. O ensinamento acontece mais pelo ouvir do que pela imposição de regras e limites. “Escutar o que as crianças dizem com as suas fantasias é uma chave importante no processo de desenvolvimento emocional, educacional e dos valores rumo a constituição da personalidade delas”, finaliza o especialista.

1 xuá, xuá 1 - para crianças na fase dos dentes permanentes começando a nascer e os dentes de leite a cair. Escova dental Oral-B Stages 3. 2, 3 e 4 - cabelos limpinhos e cheirosos por mais tempo e macios. Shampoo Acqua Kids Nazca, shampoo Johnson’s Baby e condicionador Barbie Biotropic.

2

3

4

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariaspacheco.com.br

fotos: divulgação drogarias pacheco

Ponto de Encontro: De que maneira podemos definir esse mundo em que a criança cria super-heróis, fadas e monstros? Tiago Lupoli: Trata-se do universo lúdico. Se dá de acordo com a capacidade da criança em lidar com suas emoções e angústias. Muitos viram mitos populares, outros são frutos dos desenhos animados. Surge na maioria das crianças como forma de explorar o que elas sentem e de expressar aos que o rodeiam aquilo que estão vivendo: medos, angústias, tristezas, dificuldades e fantasias.


womanize-se

Por Maria Helena Bellini

Fora do normal

O

comediante nasceu no Rio de Janeiro, mas viveu até os 19 anos em São Paulo. Em 2002, quando era aluno de Administração da ESPM, foi a uma gravação do programa do Jô Soares e pediu para apresentar um esquete (peça de curta duração) de sua autoria, baseado no seriado “Os Normais”. Aplaudido e incentivado, decidiu seguir a carreira de ator. Mudou-se para a Cidade Maravilhosa e formou-se na Casa de Artes das Laranjeiras (CAL). Foi roteirista do “Zorra Total”, “Junto e Misturado”, “Cilada” e tantos outros programas humorísticos que acabou se tornando figurinha carimbada na televisão. Atualmente interpreta o personagem gay Everaldo Pontes Júnior no programa “A Grande Família” e acaba de lançar no cinema “O Concurso” (só neste ano protagonizou também “Totalmente Inocentes” e “Vai que Dá Certo”). Além disso, a série de humor que ele faz no Multishow, ao lado de Miá Mello, “Meu Passado Me Condena”, virou filme e estreia em outubro em circuito nacional. É autor de diversas peças teatrais – “Olho de Boneca”, “Elas Morrem no Fim”, “Calabouço”, “Velha é a Mãe”, esta última encenada por Louise Cardoso e Ana Baird em diversas cidades do Brasil. De 2006 a 2011, integrou o primeiro grupo de comédia stand-up do Brasil, o “Comédia em Pé”, juntamente com Cláudio Torres Gonzaga, Fernando Caruso, Léo Lins e Paulo Carvalho. Segundo ele, a comédia brasileira passa por mudanças, as mais positivas. Mas foi a internet, com os vídeos do canal “Porta dos Fundos”, criado por ele, Antonio Pedro Tabet, Ian SBF, Gregório Duvivier e João Vicente de Castro, que trouxe

22

enorme repercussão ao seu trabalho. Esse trabalho na web é um fenômeno de audiência em um ano de existência: são mais de 4,8 milhões de inscritos e mais de 400 milhões de visualizações. Fábio abriu uma produtora juntamente com os amigos, e juntos criaram o canal “Fundos da Porta”, para exibição do “making of ” dos vídeos. Recentemente lançaram o “Backdoor Channel”, o mesmo formato produzido exclusivamente para o mercado internacional. O vídeo de maior repercussão, satirizando o atendimento de uma rede de fast food em que o balconista atende a cliente indecisa sem nenhuma paciência fez tanto sucesso que a própria empresa gostou e contratou a equipe para fazer duas continuações. Outra ação que gerou milhões de visualizações foi “Na Lata”. Fábio é Uelerson, funcionário de um supermercado que oferece ajuda à cliente para encontrar a latinha de refrigerante com seu nome: “Kellen”. A partir dessa exibição, a Coca-Cola colocou em sua página oficial no Facebook as imagens de novas latas, para as quais denominou de “Nomes caprichados”. Uma operadora de celular e uma companhia aérea também inspiraram alguns vídeos do portal. Porchat conta que não fica pensando em qual empresa vai focar sua ira cômica. “Eu gosto de escrever sobre coisas que me irritam, e o tratamento que elas dispensam aos clientes me irrita muito”, explica. Em setembro, Fábio Porchat estreia o seu show “Fora do Normal”, no teatro Frei Caneca, em São Paulo. Antes de embarcar para Portugal, onde participou do The Famous Humour Fest, no dia 5 de julho, Fábio Porchat conversou em alto e bom tom com a revista Ponto de Encontro. Divirta-se, querido leitor!

foto (inclusive capa): Stefano Martini / Editora Globo / Agência O Globo

O humorista Fábio Porchat é um artista completo. Por onde passa, ele vê as pessoas chegarem perto já querendo ouvir uma piada ou rindo a cada palavra que ele diz. Para ele, não tem tempo ruim: “Melhor rir do que eu digo que chorar, né?”


“Acredito que esses shows de humor atraem o jovem para o teatro, lugar bastante novo para essa geração internet” Fábio porchat

23


Ponto de Encontro: Você está vivendo uma nova fase em sua vida. Tinha ideia de chegar aos 30 anos com tanto sucesso? Fábio Porchat: Estou feliz por ter conseguido chegar aos 30 (risos). As coisas aconteceram de maneira muito doida na minha vida. Apesar de já trabalhar em teatro há anos, o “Porta dos Fundos” foi o grande ‘escancarador’ da porta da frente da minha carreira. É muito legal o carinho das pessoas, todos são muito afetuosos comigo, e normalmente as pessoas chegam perto de mim e já estão rindo, querem um abraço ou tirar uma foto. É bastante prazeroso. P.E.: Como é sua rotina de trabalho? F.P.: Costumo cumprir os compromissos no decorrer do dia e gosto mais de escrever à noite. Nessa hora eu digo para mim mesmo: “é a hora daquela ideia genial”. Aí paro tudo, sento e escrevo. Quem fica esperando a inspiração chegar não sai do lugar. P.E.: O “Backdoor Channel” já foi oficialmente lançado? F.P.: Sim. Hoje em dia é preciso pensar de maneira macro, mais global. Como estamos sendo muito vistos lá fora, é um ótimo momento para fazermos uma divulgação maciça. Com a minha ida a Portugal, aproveito para falar com o mercado externo, até nos estabelecermos definitivamente com essa plataforma internacional, criada a princípio para americanos, ingleses, canadenses e australianos.

O personagem Júnior do programa “A Grande Família”, da Rede Globo

Com o espetáculo solo “Fora do Normal”, o ator já percorreu todo o Brasil e agora chega a São Paulo

P.E.: Com uma agenda tão intensa, como faz para cuidar do corpo? Tem algum segredinho de beleza? F.P.: Ichhh... (muitos risos)... sou um péssimo exemplo. Pense em uma pessoa que tem uma vida louca, sem horário para nada. Não consigo malhar, como o que aparece, sem escolher nada de muito nutritivo. Além de tudo, tenho tendência a engordar. Portanto, deveria sim tomar algum cuidado, mas não dá tempo. Por isso eu faço o básico: tomo banho, escovo os dentes, corto o cabelo e vou pra vida! (risos)

24

fotos: Raphael Dias / tv globo e Guilherme Maia

P.E.: Como foi sua infância? Como é a relação com a sua família? F.P.: Sou o único homem e tenho mais três irmãs. Imagine o quanto eu zoei e fui zoado. Meu pai sempre foi, antes de tudo, meu amigo. Ele é muito inteligente, muito culto. Temos o mesmo nome, só que o ‘Fábio Porchat pai’ é um profundo conhecedor de arte, é presidente da Academia Latino-Americana de Arte, é curador, possui sólida reputação como empreendedor cultural. Nós saíamos juntos, ele sempre foi amigo dos meus amigos. Eu tenho um sonho de ser um pai tão maravilhoso quanto ele é, ou até melhor, por causa da escola que tive em casa. Não sei se conseguirei!


Fábio Porchat vive o travesti Rogério Carlos na telona

“Ela [Marieta Severo], o Marco Nanini e todos do elenco são muito generosos comigo. É um superprazer fazer parte dessa grande família!” Fábio Porchat

Cena do filme “O Concurso”, com Rodrigo Pandolfo, Anderson Di Rizzi, Fábio Porchat e Danton Mello

P.E.: Como você se sente de fazer parte do elenco de “A Grande Família”? F.P.: É sensacional. Imagine só que honra ter como dupla ninguém menos que Marieta Severo, a grande dama do teatro, do cinema e da televisão? Ela, o Marco Nanini e todos do elenco são muito generosos comigo. É um superprazer fazer parte dessa grande família! P.E.: O seu solo de stand-up, “Fora do Normal”, já foi apresentado em diversas cidades do país e agora chega a São Paulo. O que o público pode esperar dessa temporada paulistana? F.P.: São textos que trazem o humor focado em

situações cotidianas, críticas políticas, observações que qualquer um de nós poderia fazer. Traz temas tão diversos como telemarketing, avião e tecnologia em banheiros, por exemplo. Acredito que esses shows de humor atraem o jovem para o teatro, lugar bastante novo para essa geração internet. Esta é, aliás, a principal divulgadora dos comediantes. Trechos do show são disponibilizados na rede, e com isso, o grande público passa a tomar conhecimento do nosso trabalho. Quero ver todo mundo no teatro do Shopping Frei Caneca, na estreia do dia 6 de setembro. Venha se divertir e aprender a levar a vida de maneira mais leve!

25


vida simples

Por Ana Carolina Contri

Fique em forma

Praticar exercícios físicos no inverno requer alguns cuidados, como caprichar no alongamento, por exemplo

O

friozinho desta estação parece fazer um convite irresistível à degustação de comidinhas deliciosas e, muitas vezes, nos afasta do caminho para a academia, não é mesmo? Segundo o educador físico do Centro de Qualidade de Vida de São Paulo, Adelino Vieira, nesta época do ano, praticar atividade física também é fundamental. “Apesar de a nossa circulação sanguínea ser mais lenta, principalmente nas extremidades do corpo, como mãos e pernas, os exercícios facilitam com eficiência a passagem de sangue e oxigênio pelos vasos sanguíneos, aquelas veias mais finas das pernas, por exemplo, melhorando assim a função cardiorrespiratória”. Além disso, aumenta a disposição para as práticas cotidianas, por causa da sensação de bem-estar vinda do aumento de endorfina, e garante a manutenção da força muscular.

26


De olho na alimentação Segurança total

O frio mais intenso aumenta as chances de lesão muscular. O risco é maior quando as temperaturas caem, alerta Dr. Diego Leite de Barros, fisiologista do Hospital do Coração (HCor), de São Paulo. “Nesta época, é mais comum a lesão leve, em que ocorre a ruptura de algumas poucas fibras musculares, mas não a lesão completa do músculo. Ela ocorre principalmente em ‘atletas de fim de semana’, aqueles que não estão acostumados a fazer aquecimento antes de iniciar qualquer atividade física”, diz. O fisiologista cita corrida, bicicleta e jogos de futebol como as principais atividades que causam as distensões. Quando o corpo está em repouso, o fluxo de sangue para os músculos é baixo, entre 15% e 20%. Durante um exercício, porém, ele pode atingir índices de 70% a 90%. “Um músculo só consegue ter desempenho máximo e otimizado quando a circulação sanguínea local estiver plenamente ativada. Por isso, o aquecimento – um tipo de pré-exercício – é essencial, pois assim ocorre uma transição progressiva do estado de repouso para o de ação. São necessários, no mínino, 10 minutos nessa etapa de preparação”, completa. Os músculos mais afetados pela síndrome das baixas temperaturas são os posteriores da coxa e os da musculatura da panturrilha. Depois que essa síndrome é instaurada, o praticante terá de seguir um tempo de recuperação de até 15 dias. O tratamento consiste em aplicação de gelo no local e uso de anti-inflamatórios, sem imobilização. “A mobilidade é muito importante, porque você fortalece o músculo e melhora o fluxo de sangue para aquela região do corpo. A imobilização acarreta perda de massa e de força”, revela.

fotos: © Val Thoermer / fotolia e Zsuzsanna Kilián / SXC

Dando partida

O fisiologista Dr. Marcos Jurandian, de Minas Gerais, lembra que qualquer atividade pode ser praticada nesta época sem restrição, desde que haja a orientação de um profissional devidamente habilitado para o esporte que você queira praticar. Além disso, a alimentação é muito importante, pois como alerta Dr. Marcos, nesta época sentimos maior necessidade de incrementar o consumo de alimentos calóricos, pois essa energia aumenta nossa temperatura corporal e nos mantém mais aquecidos. “A atividade física auxilia bastante no controle dessas calorias extras, usando-as como fonte de energia para serem gastas nos exercícios, evitando que se acumulem”, pontua. Seguindo todas as dicas, a prática de atividades físicas no inverno pode ser muito prazerosa.

O nutrólogo frânces Dr. Pierre Dukan preparou uma dieta que leva seu nome. Ela é rica em proteínas magras, legumes e verduras, e uma ótima opção para quem quer aproveitar a estação mais fria do ano para emagrecer de forma rápida e eficiente. Conheça o passo a passo para ficar em forma.

1 Recorra a versões quentes de comidas leves: o shirataki (macarrão japonês) é uma ótima opção para seguir essa recomendação, pois além de praticamente não ter calorias, ele possui um alto poder saciador.

2 Inclua o farelo de aveia no cardápio: é um alimento com grande poder emagrecedor, pois confisca calorias no intestino delgado e as elimina do corpo.

3 Dê preferência aos temperos termogê-

nicos: a pimenta e o gengibre são alimentos que aceleram o metabolismo e aumentam a temperatura interna do corpo, facilitando a queima de calorias e a quebra de gordura do tecido adiposo.

4 Leite desnatado com canela e café: ótimas pedidas para esquentar no friozinho, além de ser uma fonte de proteína magra, enquanto a canela é considerada um alimento termogênico. Essa combinação, além de ser uma delícia, também ajuda a queimar calorias. O cafezinho preto não fica atrás, outro alimento liberado em todas as fases da dieta e ideal para qualquer hora do dia.

5 Abuse dos chás: famosa por sua leveza e praticidade, a bebida milenar é também uma grande aliada na perda de peso. No entanto, Dr. Dukan ressalta que apenas chás naturais devem ser consumidos durante seu programa de emagrecimento, evitando qualquer forma industrializada da bebida. Dentre as opções mais indicadas estão: chá verde, preto e branco.

27


criança na área

Por Maria Helena Bellini

O maravilhoso universo das letras

A

leitura é uma porta aberta ao conhecimento, mas não é só isso. Ela ensina as crianças a se familiarizarem com o alfabeto, as imagens e os números, envolve seus corações e mentes em histórias repletas de seres imaginários e outros bem reais. Atualiza o vocabulário, horizontaliza os pensamentos, expande as ideias e promove o encontro com novos amigos. Os primeiros anos de vida são decisivos na formação da personalidade das pessoas. “Muitos aspectos da educação são fundamentais aqui. Com relação ao desenvolvimento cognitivo, a introdução à leitura deve começar antes da alfabetização propriamente dita, pois é nesse período de formação que os livros são importantes para ajudar a criança a interpretar as informações e associar as figuras”, destaca a escritora Ana Eduarda, autora da trilogia “Enigmas das Fronteiras”. Incluir os livros na vida dos pequenos é ensiná-los por meio do

28

lúdico, do divertido. Na hora de tomar banho e também na hora de dormir, é preciso ter sempre à mão uma boa história para contar. É aquele momento mágico das descobertas, do compartilhar, do descortinar de novas possibilidades que não se encerram na contracapa.

O outro lado dessa história

Em 2012, um estudo realizado pelo Indicador do Analfabetismo Funcional (INAF) apontou que 75% dos brasileiros não sabem ler e/ou escrever. Deles, 68% são analfabetos funcionais, e os outros 7% são considerados analfabetos absolutos, os quais não possuem qualquer habilidade para com as letras. Segundo Ana Eduarda, essa triste realidade revela números alarmantes e se deve à falta de um plano diretor rígido e soberano para a educação brasileira, além de investimentos em diversos projetos de incentivo à cultura e leitura que já deram certo ao redor do mundo.

foto: © Monkey Business e © Natalia Merzlyakova / fotolia

Ler é sempre uma aventura. Você anda por castelos, viaja para o mundo encantado e aprende a viver mais feliz no aqui e agora


Livros paradidáticos e didáticos possuem um valor incontestável e contribuem não só para o crescimento, mas também para incentivar o hábito, mostrando as maravilhas que podem estar guardadas no interior de suas páginas. “Além de ser essencial para o aprendizado, a leitura é uma das formas para as pessoas melhorarem a capacidade de interpretação, além de estimular o raciocínio”, afirma a escritora. Às vezes as pessoas não têm paciência para ler um livro, mas para Ana Eduarda, isso se deve ao fato de ainda não terem encontrado o tema certo, que irá causar aquela vontade incontrolável de saber o fim da história. Além disso, se esse hábito for algo rotineiro na família, é certo que os filhos terão mais facilidade na hora de escrever, formular melhor o conteúdo que querem comunicar por escrito e melhorar substancialmente a fixação das informações.

Mundo virtual

Crianças, adolescentes e adultos já se renderam à leitura em plataformas digitais. Porém é preciso que os pais fiquem atentos ao tempo de permanência de seus filhos em frente ao computador, tablet e até mesmo do celular. “O segredo é saber dosar, é o equilíbrio”, revela. Nada que é demais ou de menos é bom. O segredo é o caminho do meio”. Muito melhor do que ficar em casa diante de um equipamento eletrônico é sair com toda a família em busca de aventuras pelo universo mágico das livrarias. Ali encontramos livros em todos os formatos, materiais, cores e cheiros. “Alguns exemplares ensinam outros idiomas, tocam música e são tão interessantes que ninguém consegue resistir”, lembra Ana Eduarda. Para ela, o prejuízo maior para aquele que não conhece os livros é que seu mundo fica extremamente reduzido. “Se você estiver plugado, conectado ou com uma publicação nas mãos, suas chances de crescimento interior são imensas. Você conhece coisas novas que o instigam a buscar sempre mais”, finaliza.

Fique bem Atualmente, é bastante comum vermos as pessoas com fones de ouvido para escutar música, um audiolivro ou qualquer outro conteúdo disponível na rede. Com essa interatividade sempre à disposição, pais, mães e cuidadores precisam estar atentos ao volume do som que entra pelos ouvidos dos pequenos, pois o tempo de exposição aos ruídos e a intensidade à qual ficam expostos poderão levar a uma lesão do aparelho auditivo. Segundo o otorrinolaringologista Dr. Arthur Castilho, por ser uma atividade prazerosa, crianças e adolescentes dedicam horas a ela. “Para saber se seu filho já apresenta algum grau de perda de audição, perceba se, ao falar com ele, ele te escuta, mas não entende o que você disse (perda da discriminação). E sempre que houver suspeita, procure um médico especialista”, ressalta.

29


de frente para o espelho

Coisa de pele Você sabia que a acne também atinge os adultos, principalmente as mulheres? Saiba como ter uma pele linda nesta matéria exclusiva

A

acne não é um problema apenas de adolescentes. A doença pode prosseguir até a fase adulta, chegando a afetar 20% das mulheres na faixa entre 26 e 45 anos. Como afeta diretamente a estética do rosto e de algumas partes do corpo, pode gerar problemas emocionais como baixa autoestima. Para que ela ocorra, é preciso ter predisposição genética, ou seja, quando ambos os pais tiveram um quadro semelhante, a chance de o filho também desenvolver é de 50%. As manifestações da acne dependem da presença dos hormônios sexuais. Por isso, as lesões começam a surgir na puberdade. Já nos adultos, as causas também podem ser outras. A seguir, a dermatologista Dra. Vivilaine Campelo, do Instituto da Pelle do Rio de Janeiro, responde às principais dúvidas sobre esse assunto tão delicado. Ponto de encontro: Qual a diferença entre a acne na adolescência e na fase adulta? Vivilaine Campelo: A principal diferença é a localização. Na adolescência, é comum a forma difusa – em toda a face ou nas áreas com mais oleosidade, no queixo, nariz e testa –, enquanto que na fase adulta, as áreas mais atingidas são o queixo, mandíbulas e pescoço. P.E.: Quais as principais razões para o seu aparecimento na mulher madura? V.C.: Pode surgir em decorrência de alterações hormonais, como o hiperandrogenismo, que tem como principal causa a síndrome dos ovários micropolicísticos. Na maioria dos casos de acne na mulher adulta, não há uma doença endócrina associada. A causa mais comum é um aumento da sensibilidade da pele

30

Por Mirella Stivani


aos hormônios androgênicos (masculinos), responsáveis pelas manifestações da doença (lesões inflamatórias e aumento de seborreia). Porém é importante salientar que, mesmo com essas alterações, muitas vezes os exames laboratoriais estão dentro de níveis normais. O uso de cosméticos inadequados é um fator relevante no agravamento da acne. Alguns estudos apontam o estresse, a hereditariedade e o tabagismo como fatores relacionados à piora do problema. P.E.: Como se forma a espinha? V.C.: São lesões que costumam ser mais profundas, formando pequenos nódulos avermelhados e doloridos, com inflamação moderada. P.E.: Quem sofre mais: as mulheres ou os homens? Por quê? V.C.: A acne adulta é comum em mulheres de 20, 30 e até 40 anos, porque, além do componente hormonal, elas são mais suscetíveis ao uso de produtos inadequados para seu tipo de pele, o que pode agravar as lesões. P.E.: A alimentação pode influenciar o aparecimento de espinhas? V.C.: Alguns estudos comprovam que a alimentação tem influência na piora da acne. Mas isso não é regra. Nem toda mulher com acne tem esse problema porque come chocolate ou alimentos gordurosos. Mas algumas pessoas notam piora com a ingestão de certos alimentos. Nesse caso, é só evitá-los. P.E.: Quando é necessário procurar outros especialistas (como endocrinologista e ginecologista) para tratar o problema? V.C.: Sempre que temos uma condição hormonal envolvida, o tratamento tem que ser multidisciplinar. É o caso do hiperandrogenismo, por exemplo. P.E.: Quais são os tratamentos mais indicados? V.C.: Medicações de uso local, oral e procedimentos dermatológicos, como peelings e fotomodulação, também são importantes no combate à doença. Podemos também utilizar o tratamento Fraxel, com o intuito de diminuir o tamanho dos poros (acumulando assim menos oleosidade) e as possíveis cicatrizes formadas. A escolha do tratamento ideal vai depender de cada caso e da fase em que a acne está, sendo importante uma avaliação detalhada, feita pelo dermatologista.

fotos: © kantver / fotolia e divulgação DROGARIAS PACHECO

3 4 Mulher maravilha

1

2

1 - cuidado diário. Kit Clean&Clear com sabonete líquido, adstringente e gel secativo. 2 - remoção da oleosidade excessiva da pele. Sabonete líquido Actine Darrow. 3 - Limpeza suave, sem AGRESSÃO; ajuda a reduzir o excesso de oleosidade. Effaclar gel de limpeza para a pele La Roche-Posay. 4 - regulariza a secreção sebácea, diminui a irritação e limita a proliferação de acne. Cleanance Gel – Eau Thermale Avène. 5 - elimina a oleosidade e remove as células mortas. Asepxia Sabonete Fórmula Forte.

5

Estes produtos podem ser adquiridos pelo www.drogariaspacheco.com.br

31


positivo

Cansaço fora de hora Essa síndrome, típica do século 21, está ligada a situações de estresse repetitivas do dia a dia. Saiba mais nesta matéria exclusiva

32

Por Ana Carolina Contri


V

ocê vai dormir mais cedo, mas acorda igualmente cansado. Tira férias ou prolonga o feriado e ainda assim se sente cansado. Essas sensações são características do mau funcionamento da glândula suprarrenal. Descoberta há cerca de 10 anos, a fadiga adrenal é considerada a síndrome do homem moderno. Como explica a Dra. Lilian Kanda Morimitsu, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e endocrinologista do Hospital Santa Cruz de São Paulo, o termo fadiga adrenal diz respeito a um estado de estresse crônico físico e mental. Pode ocorrer por doenças graves, por uma insistência em persistir sem descanso, sem sono nem férias adequadas ou simplesmente por situações não controláveis, como traumas emocionais. Portanto, se você apresenta imensa dificuldade de sair da cama pela manhã, um desejo incontrolável de consumir delícias açucaradas, massas e pães, não vive sem café, sua energia atinge o pico só a partir das 18h, nem se lembra mais de que tem libido, ganha peso com facilidade e não consegue se livrar dele rapidamente, pode ser que a causa seja essa disfunção.

Identificação caso a caso

O estresse faz parte da nossa rotina, infelizmente! Segundo explica a nutricionista funcional e diretora da Nutrindo Ideias Consultoria, no Rio de Janeiro, Flávia Cyfer, tudo começa quando se instala em sua vida um quadro repetitivo, ou você passa a vivenciar experiências não muito boas que aparentemente não têm solução a curto prazo. Isso inclui problemas financeiros, emocionais, tensão no ambiente de trabalho, trânsito conturbado nas cidades e a pressão social sobre o indivíduo. Além do cansaço excessivo, os sintomas são: infecções e gripes frequentes, ansiedade, irritabilidade, alterações do sono, baixa libido e ereções não mantidas, tonturas, baixa concentração e memória, apatia, compulsão por doces, salgados, cafeinados e frituras, depressão e medo sem causa aparente.

fotos: © Karramba Production e © uckyo / fotolia

Hormônios enlouquecidos

Essa disfunção ocorre porque a glândula suprarrenal está funcionando mal e não está trabalhando de maneira adequada. Ela é responsável pela secreção da hidrocortisona, da aldosterona e do DHEA. Por ser extremamente importante, é a primeira a ser atingida pelo estresse e também por nos defender dos traumas físicos, incluindo frio, calor e fome. “O constante requerimento das suprarrenais para produzir cortisol acaba por esgotá-las. Configura-se, portanto, uma resistência a esse hormônio, que já não é mais tão potente como antes. Ou seja, as suprarrenais entram em fadiga. Como o cortisol equilibra o sistema imune, na sua falta a pessoa fica mais suscetível a inflamações, infecções, feridas, problemas autoimunes, alergias, dermatites, dores musculares e articulares”, explica a nutricionista.

Diagnóstico preciso

O diagnóstico é basicamente clínico, por meio da história relatada pela pessoa e do exame físico. Também é preciso excluir outras patologias. Em geral, as dosagens de hormônios da glândula suprarrenal não detectam o problema de forma clara. É preciso uma investigação precisa.

Xô, fadiga!

Excesso de trabalho, má alimentação, sedentarismo e deixar-se aborrecer pelos percalços da vida são causas que podem induzir a fadiga. O modo de evitar é levar uma vida mais equilibrada emocionalmente, comer castanhas, verduras, frutas, alimentos integrais e peixes. Fazer atividade física três vezes por semana, descansar no mínimo dois finais de semana por mês e tirar 30 dias de férias por ano. Isso é fundamental para se viver com saúde e bem-estar. “A pessoa só ficará 100% livre se adotar hábitos de viver de maneira mais leve. Mudar radicalmente hábitos arraigados e partir em busca de mais qualidade de vida são coisas difíceis de se fazer imediatamente, e, por isso, a cura completa do problema acaba se tornando mais lenta”, alerta a endocrinologista.

Mesa farta e nutritiva O melhor, assim que o diagnóstico de fadiga adrenal é feito, é evitar alimentos que podem trazer alergias, como aveia, malte, trigo, cevada, centeio, biscoitos, pães e massas, além de laticínios. “Outros itens, no entanto, devem fazer parte da sua rotina alimentar diária, pois influenciam diretamente a melhora do quadro. São eles: salmão, linhaça, chia (contém grande quantidade de ômega-3), cacau, chá verde, frutas e vegetais com alto teor de vitamina C, fontes de zinco (como abóbora, cereais integrais como arroz, quinoa e amaranto). Para combater os radicais livres produzidos nesse processo, nada como apelar para os sucos de açaí, uva integral, frutas vermelhas, suco verde, castanhas e sementes”, destaca Flávia. Um bom nutricionista funcional poderá detectar a falta de algum nutriente importante e indicar a melhor maneira de incorporá-lo à sua alimentação. A reconquista da disposição, da energia, da alegria de viver, do peso ideal, da libido e da memória configura se preparar para um novo jeito de levar a vida. Afinal, todo mundo merece ser feliz!

33


CURTAS E QUENTES

livro • música • filme • teatro Reluz

Rock in Rio

Alex Cohen lança o seu segundo CD e DVD, e mostra seu lado intérprete, compositor, arranjador, guitarrista e tecladista. Com três músicas inéditas e grandes sucessos dos anos 1980, o destaque desse novo trabalho fica por conta do seu estilo pop romântico de ser. Lançado pela Vison e distribuído pela Universal Music.

O maior festival de música do mundo acontece no Rio de Janeiro, de 13 a 22 de setembro. Ao longo de quase 30 anos, se tornou uma referência no cenário musical, com 12 edições realizadas e mais de 6 milhões de pessoas reunidas, e um dos mais contundentes em presença digital. Entre as atrações estão Beyoncé, David Guetta, Florence and The Machine, Metallica, Alice in Chains, Sebastian Bach e muitos outros.

E foram (quase) felizes para sempre

Florence

No dia do lançamento de seu novo livro, a escritora Letícia Amado (Heloísa Périssé) vê seu grande amor nos braços de outra. Esse é o tema da história com a qual a atriz estreia seu primeiro monólogo. Em cartaz no teatro Vannucci, no Rio de Janeiro, até dia 29 de setembro.

Assim como há quem diga que só é possível filosofar em alemão, Ziraldo afirma que o verdadeiro hai-kai só é possível em japonês. Versado na contravenção, o escritor e cartunista utiliza a forma poética tipicamente japonesa para dar forma às reflexões e vivências do personagem. Editora Melhoramentos.

34

Turbo Dos criadores de “Madagascar” e “Kung Fu Panda”,”Turbo” é uma comédia 3D veloz, sobre um simpático caracol que ganha o poder da supervelocidade. Depois de fazer amizade com outros caracóis espertalhões, Turbo percebe que ninguém vence sozinho. Então ele decide ajudar seus amigos a conquistar seu sonhos, antes de perseguir seu próprio sonho impossível: ganhar a corrida Indy 500. DreamWorks.

Fotos: divulgação das assessorias e Popó Gonçalves

Os Hai-Kais do Menino Maluquinho


água na boca

Polka de morango

A Casa Cavé é a mais antiga confeitaria do Rio de Janeiro. Inaugurada em março de 1860, pelo francês Charles Auguste Cavé, lembra os cafés parisienses, mas o destaque nos dias atuais do cardápio são os tradicionais doces portugueses. A confeitaria ganhou fama tanto pela beleza de sua arquitetura quanto por seus quitutes irresistíveis: doces, biscoitos, salgados e sorvetes. Conheça o segredo de uma dessas delícias, revelado com exclusividade para a Ponto de Encontro.

ingredientes • 500 ml de água • 150 g de margarina • 400 g de farinha • 10 ovos Para o chantilly • 500 ml de creme de leite fresco bem gelado • 100 g de açúcar • Essência de baunilha

preparo

foto: Casa Cavé

• Leve a água ao fogo com a margarina até ferver. Misture a farinha aos poucos até fazer uma bola e coloque tudo na batedeira. Adicione os ovos um a um, até dar o ponto. Coloque em formas de empada untadas, enchendo até a metade, e leve ao forno médio pré-aquecido, de 25 a 30 minutos. Do chantilly • Bata todos os ingredientes na batedeira até encorpar e ficar bem firme. Montagem • Use saco de confeiteiro para rechear as eclairs. • Decore com morangos.

Receita gentilmente cedida pela Casa Cavé

36


final feliz Albatroz Assim! Plena visão de todas as alegrias! Meu corpo voa, plana, Leve e solto sem reticências. Lá vou por esse céu de brigadeiro, Planando livres de pesares, De medos e remorsos.

Acabei me anulando Minha identidade perdi Agora estou com saudade de mim

O som do mar me entrega espumas brancas das ondas que vêm e levam pretensas melodias. Nas ondas que se vão esticadas, vagas que voltam com o deslumbre do mar de albatroz. Me dou conta que aqui já estou conversando com este céu “horizontino”, entregando para as ondas segredos silenciosos, que me trazem a serenidade de nada dever e nada ansioso esperar. É só o prazer que me pousa aqui, de me saber alegre todos os dias. Alegria de viver toda a suavidade do voo de um albatroz. Edir Leite – Leitora da Ponto de Encontro

Saudade de mim A vida é assim Me entreguei a você Agora me perdi Você me fez sofrer Com esse seu jeito de ser Achei que o amor Iria superar toda a dor Mas me enganei De cabeça mergulhei Numa relação em que só você dominava Então eu nunca me achava

Hoje vivo a procurar Aquela pessoa alegre e feliz Sem preconceito ou pudor Mas só encontrei a dor Se você me vir por aí Diga que estou com saudade de mim Mas como encontrar? Em algum lugar eu devo estar lá Sozinha e com frio À espera de alguém Que me diga também:

Hoje rendo minha homenagem Ao majestoso jacarandá Com suas belíssimas flores De onde cantam sabiás Também serve de pau da bandeira Nas festas juninas do Ceará. Falando agora do jacarandá Lembrei-me da cajarana Precisaria escrever poesia Meia dúzia por semana Pra falar da riqueza que são Nossa flora e nossa fauna. Jacarandás não são apenas flores São também madeira de qualidade Para móveis e construções São valiosos de verdade Estão sendo dizimados Por causa da impunidade. João Terciano – Leitor da Ponto de Encontro

Eu me achei em você Agora não vou mais me perder Esqueça toda a dor e viva o amor Se você me vir por aí Diga que estou com saudade de mim. Lúcia Sampaio – Leitora da Ponto de Encontro

O majestoso jacarandá Já falei bastante sobre nossa flora E ainda há muito que falar Fiz poesias da quaresmeira Também da flor do cambará Das flores da primavera Dos ipês e do maracujá. Das flores dos cafezais Lembro com muita emoção Não consigo também esquecer Da florada do algodão Nem das orquídeas nativas Nas margens do ribeirão.

Exemplar família Alegrias divididas, tristezas repartidas. Socorro urgente, amparo permanente. Conquistas incentivadas. vitorias conquistadas. Carências aniquiladas, afeto fez morada. Partir, triste comovente, retorno, feliz contente. Aconchego iluminado, um lar abençoado. Componentes, eterna confraria, Um exemplo de família. Henrique Alfredo Paz Saboia Leitor da Ponto de Encontro

Escreva para: pontopacheco@profashional.com

38

o próprio envio das poesias já caracteriza autorização e cessão de uso para publicação. Foto: © Hugo Prates / fotolia

Com a alma azul, Estou inoculada pela vida inteira da mais fina festa que me proponho, que se expande aquém e além do que vivi e posso viver. Quem chega perto se contagia.



Revista Ponto de Encontro Ed. 4