Issuu on Google+

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA

OFICINA DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO DE GRADUAÇÃO

Público-alvo Docentes e técnicos da UFPA

Carga horária 15h

Vagas 25

EMENTA Principais conceitos, abordagens e estratégias de avaliação. Aspectos teóricos e técnicos do processo avaliativo coerentes com as concepções críticas de educação. Planejamento e operacionalização da avaliação da aprendizagem no Ensino Superior. JUSTIFICATIVA Criar uma cultura de avaliação envolve o ato de refletir sobre a prática docente em cursos de formação continuada dos profissionais da educação. Embora pareça apenas uma atividade técnica vinculada à metodologia, a avaliação tem uma função política, podendo servir para legitimar a seleção e discriminação sociais. Dada sua finalidade, é a função pedagógica que será enfatizada na Oficina. Porque ressignificar a própria ação é objetivo de todo docente comprometido com a educação, é preciso compreender a avaliação como um processo humano, reflexivo e construtivo, para que os sujeitos a situem como mecanismo de inclusão e aperfeiçoamento da qualidade da formação do estudante da graduação. A Oficina visará que a prática da avaliação da aprendizagem se materialize como processo que resulta em um juízo de qualidade sobre aspectos da realidade, para uma tomada de decisão a favor de como o educando aprende, forma e aprimora suas potencialidades. Para transformar o fazer docente, é preciso discutir as concepções teóricas, técnicas e pessoais que o fundamentam. Por isso, as ações relativas à avaliação, desde o planejamento, preparação, execução, correção, atribuição de juízo, divulgação dos resultados à tomada de decisão, serão objeto de problematização, focando as competências e o perfil do egresso delineado nos PPC da UFPA e nas DCN, e darão azo à troca de experiências durante a Oficina. OBJETIVOS Geral Compreender a avaliação da aprendizagem como um processo humano, reflexivo e construtivo, para que docentes e técnicos educacionais a situem como mecanismo de inclusão e aperfeiçoamento da qualidade da formação do estudante da graduação. Específicos: 1. Reconhecer potencialidades e limites dos principais estratégias e instrumentos de avaliação. 2. Elaborar uma proposta de avaliação da aprendizagem para uma disciplina do Ensino Superior.


CONTEÚDO 1. Conceitos básicos 2. Modalidades de avaliação – Diagnóstica, Formativa, Sumativa 3. Etapas do processo avaliativo – seleção das técnicas, definição e discussão dos critérios, execução, correção e análise, devolutiva dos resultados 4. Principais técnicas de avaliação – a observação, a testagem 5. Construção de itens de teste – base estruturada, base não-estruturada e base semiestruturada, 6. Avaliação em atividades de ensino – o caso do seminário ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS A problematização e a construção de soluções para problemas da área de avaliação da aprendizagem são o foco da oficina. A reflexão sobre a prática docente será o ponto de partida e de chegada do processo de ressignificação da prática avaliativa. Serão privilegiados o diálogo, os modelos, os exemplos e as experiências dos participantes e discutidos os interesses, as necessidades e as curiosidades acerca do processo avaliativo no Ensino Superior. AVALIAÇÃO A observação, a realização das atividades propostas e a autoavaliação serão as estratégias de avaliação. Para efeito de certificação, os critérios serão: a participação; a entrega e exposição das atividades; a pontualidade; frequência de 100% nos encontros. A autoavaliação será permanente, formal e orientada, durante e ao final da Oficina. RECURSOS NECESSÁRIOS Textos impressos, projetor multimídia, caixa de som e quadro branco. SUGESTÃO DE BIBLIOGRAFIA BITTENCOURT, Eugenio Pacelli Leal Bittencourt. Avaliar para aprender: vivências de um professor reflexivo. Belém: EDUFPA, 2007. DEPRESBITEIS, Léa. Avaliação da aprendizagem do ponto de vista filosófico-político e técnicocientífico. In: http://www.crmariocovas.sp.gov.br/int_a.php?t=005 DEPRESBITEIS, Léa; TAVARES, Marialva Rossi. Diversificar é preciso..: instrumentos e técnicas de avaliação da aprendizagem HADJI, Charles. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed, 2001. LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1995. MORALES, Pedro. Avaliação escolar: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 2003. ROSADO, António; SILVA, Catarina. Conceitos básicos sobre avaliação das aprendizagens. In:

http://areas.fmh.utl.pt/~arosado/ESTAGIO/conceitos.htm


Plano da Oficina de Avaliação da Aprendizagem na Graduação