Page 1

Redacção de Relatórios Laboratoriais Guidelines para o Estudante de Farmácia

Ângelo Jesus 2012


Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia by Ângelo Jesus is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Proibição de realização de Obras Derivadas 3.0 Unported License. Permissions beyond the scope of this license may be available at www.acjesus.pt.vc.

Este documento pretende resumir de forma clara, os requisitos e objectivos, para a redacção de Relatórios de Actividades Laboratoriais, de Química Analítica, Química Farmacêutica, Controlo de Qualidade e outras de cariz semelhante. A informação aqui detalhada, não substitui a leitura de literatura existente sobre a temática, nem as indicações fornecidas pelos docentes das respectivas Unidades Curriculares. Ângelo Jesus Professor Assistente Área Técnico Científica de Farmácia

Jesus, A. (2012). Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia

2


1. Estrutura O Relatório da Actividade Laboratorial deve organizar-se da seguinte forma: a) b) c) d) e) f) g) h)

Capa; Índice; Introdução; Material; Métodos; Resultados; Discussão/Conclusão; Referências Bibliográficas.

2. Capa A capa de qualquer relatório deve ser sóbria, e conter os seguintes elementos: i. ii. iii. iv. v. vi. vii.

Símbolo da Instituição; Curso; Ano Lectivo e Ano Curricular; Título da Actividade Laboratorial; Nome da Unidade Curricular; Data de Realização da Actividade; Nome dos Autores; Nome do Docente.

3. Introdução A introdução tem como finalidade situar o tema da actividade laboratorial e apresentar numa forma resumida os principais pontos abordados e/ou relacionados com a actividade. Uma vez que as actividades devem estar relacionadas com a Farmácia e o Medicamento, o aluno deve tentar responder aos seguintes tópicos: 1. 2. 3. 4. 5.

Identificar e caracterizar a substância (ou alvo) sobre a qual se efectua o ensaio; Explicar a aplicabilidade ou importância da substância estudada na Prática Profissional; Explicar em que consiste a técnica aplicada; Inferir sobre a aplicabilidade da técnica no contexto da Prática Profissional; Referenciar de forma clara os objectivos da actividade laboratorial.

A introdução deve basear-se em literatura relevante, que deve ser referenciada ao longo do texto. No final da introdução (ou em secção autónoma) devem constar os objectivos da actividade. Estes objectivos são normalmente operacionais (Identificar; Verificar; Determinar…). Jesus, A. (2012). Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia

3


O estudante não deve confundir os objectivos da actividade laboratorial, com os objectivos de aprendizagem definidos pelo docente.

4. Material Nesta secção deve constar todo o material utilizado e os respectivos reagentes. Todos os materiais de medida devem ser apresentados com o respectivo erro associado. Esta secção pode ser apresentada por tópicos.

5. Métodos Os métodos devem reflectir o procedimento experimental, sem se tornarem numa cópia textual. Os métodos devem ser redigidos de forma impessoal utilizando verbos no pretérito perfeito do indicativo, usando uma conjugação pronominal reflexa. Exemplos: i. ii. iii. iv.

Efectuou-se; Mediu-se; Estabeleceu-se; …

6. Resultados Os resultados devem ser apresentados de forma clara e concisa. A utilização de tabelas e gráficos é aconselhada. A existência de erros em reacções ou fórmulas químicas não é aceitável. Da mesma forma os cálculos devem ser coerentes quanto ao número de casas decimais e as unidades devem estar correctamente assinaladas.

7. Discussão de Resultados/Conclusão Face aos resultados obtidos, cabe agora ao aluno especificar as causas, conclusões e informações obtidas no decorrer da actividade laboratorial. Não se pretende que o aluno descreva a actividade em pormenor. Isso foi já conseguido na secção de “Métodos”. Uma boa discussão deve abordar os seguintes tópicos: i. ii. iii. iv.

Comparação entre o pretendido e o obtido; Justificações concretas e fundamentadas para não conformidades; Identificação de fragilidades da técnica (caso existam); Evidenciar a necessidade de novos ensaios (pelos menos três concordantes).

Jesus, A. (2012). Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia

4


8. Referências As referências bibliográficas devem seguir uma regra (APA, Vancouver, Chicago…) que deve ser definida pelo docente. Caso o docente não defina a regra, cabe ao estudante identificar (na secção da Introdução) qual a regra seguida. As referências bibliográficas devem advir de fontes de informação fidedignas como por exemplo, artigos científicos, livros, manuais, relatórios técnicos, sites de agências oficiais, documentos legais, artigos de conferências, teses e dissertações…. A referência a fontes de informação não científica, é normalmente penalizada ao nível da cotação final do relatório e contribui para a desacreditação do estudante perante o docente.

Jesus, A. (2012). Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia

5


Jesus, A. (2012). Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia

Redacção de Relatórios Laboratoriais - Guidelines para o Estudante de Farmácia  

Este documento pretende resumir de forma clara, os requisitos e objectivos para a redacção de Relatórios de Actividades Laboratoriais, de Qu...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you