Page 1

INTRODUÇÃO O estudo da gramática visa possibilitar uma forma de refletir sobre a língua escrita. Todos nós, brasileiros, sabemos a Língua Portuguesa, afinal é o nosso idioma. Contudo, o que diferencia a forma de utilizá-lo é nossa competência linguística, seja no âmbito oral ou escrito. Por isso, essa parte do curso propicia um momento para melhorar a

capacidade de expressão escrita de cada um, privilegiando, como não poderia deixar de ser, a norma padrão da língua.

Assim, serão abordados os seguintes tópicos: pronomes pessoais e de tratamento; pontuação; acentuação; regência e concordância. Itens extremamente necessários para uma redação formal e de qualidade linguística. Clique sobre as notas do mural, no próximo slide, para entender um pouco mais sobre cada um dos títulos. São textos curtos, mas informações valiosas!


Pontuação


PRONOMES PESSOAIS E DE TRATAMENTO


OS PRONOMES são palavras variáveis que acompanham ou substituem um nome (substantivo). São classificados em 6 tipos: pessoais, demonstrativos, possessivos, indefinidos, relativos e interrogativos. Nosso estudo abordará apenas os pessoais. PRONOMES PESSOAIS são aqueles que representam as pessoas do discurso. Estas também são chamadas de pessoas gramaticais, a saber: 1ª pessoa = aquela que fala. 2ª pessoa = com quem se fala. 3ª pessoa = do que se fala.

Os pronomes pessoais são subdivididos em: retos, oblíquos e de tratamento. Os pronomes pessoais retos funcionam como sujeitos da oração, enquanto que os oblíquos como objetos ou complementos. Exemplo: João leu um livro. ( João é o sujeito da oração, pois ele fez a ação de ler; um livro é objeto e o complemento do verbo leu). João pode ser trocado pelo pronome pessoal “ele” e um livro pelo pronome oblíquo “o”, reescrevendo a oração: Ele o leu. Já os pronomes pessoais de tratamento são usados para nos dirigirmos a alguém de forma respeitosa ou cerimoniosa. São da 2ª pessoa, mas os verbos devem ser conjugados na 3ª pessoa. Quando falamos com a pessoa = vossa. Quando falamos da pessoa = sua.


PRONOMES PESSOAIS

Pessoas do Discurso

Pronomes Retos

Pronomes Oblíquos

sujeito

objeto

1ª p. sing.

EU

me, mim, comigo

2ª p. sing.

TU

te, ti, contigo

3ª p. sing.

ELE/ ELA

se, si, consigo, lhe, o, a

1ª p. pl.

NÓS

nos, convosco

2ª p. pl.

VÓS

vos, convosco

3ª p. pl.

ELES/ ELAS

se, si, consigo, lhes, os, as

PRONOMES DE TRATAMENTO

PRONOME

ABREV.

PARA

Senhor (a)

Sr. / Sr.ª

Tratamento respeitoso

Senhor (a) + nome

Vossa Senhoria

V. S.ª

Tratamento cerimonioso

Senhor (a) + cargo

Vossa Excelência

V. Ex.ª

Altas autoridades, como o Presidente da República

Excelentíssim o Senhor Presidente da República

Vossa Santidade

V.S.

Papa

Santíssimo Padre

Vossa Majestade

V.M.

Reis, rainhas, imperadores

Sua Majestade Real/ Imperial

Meritíssim o Juiz

M. Juiz

Juízes de Direito

ENDEREÇAM ENTO

Excelentíssim o Senhor Juiz


Exemplos de Uso dos Pronomes: Nós estamos aprendendo muito no curso de Redação Oficial. Eles são os mais novos ministros.

A mãe trouxe os filhos consigo. Ela os trouxe. Procuro este livro há semanas. Procuro-o há semanas.

Não posso lhes dar atenção agora. Sua excelência viajou ontem. Sua Santidade virá ao Brasil neste ano. Espera-se que Vossa Senhoria esteja satisfeita com os serviços realizados. (Dirigindose a um senador, por exemplo) Observação: Para uma lista completa dos pronomes pessoais de tratamento, acesse o link [http://www.pucrs.br/manualred/tratamento.php ]


PONTUAÇÃO


A fala é contínua e dinâmica. Ela pode apoiar-se em expressões faciais, gestos e entonações diferentes, dependendo do tipo de mensagem que o indivíduo quer passar. Já a escrita é fragmentada e mais restrita, precisando do auxílio da Pontuação para transmitir uma informação que a palavra por si só não consegue. Conforme Cegalla (2008, p. 47), os sinais de pontuação têm uma finalidade tríplice: 1. Assinalar as pausas e as entonações na leitura; 2. Separar palavras, expressões e orações que precisam de ênfase; 3. Esclarecer o sentido da frase, buscando eliminar possíveis ambiguidades. São 10 os sinais de pontuação: ponto final, ponto e vírgula, dois-pontos, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula, travessão, reticências, aspas e parênteses.


O PONTO FINAL ( . ) indica o término de um período; é usado ainda em abreviaturas. Exs.: Não haverá expediente hoje. / a. C. (antes de Cristo)/ pág. (página). O PONTO DE INTERROGAÇÃO ( ? ) indica uma pergunta direta. Exs. Onde? / A reunião será nesta sala? O PONTO DE EXCLAMAÇÃO ( ! ) é usado após interjeição, locução ou frases exclamativas a fim de expressar espanto, alegria, surpresa, indignação etc. Exs.: Ah! / Que horror! / Calma! O PONTO E VÍRGULA ( ; ) é usado para indicar uma pausa maior que a vírgula. Serve para separar orações longas, orações coordenadas se UMA já tiver vírgula e itens de regulamentos, decretos, petições, leis, portarias etc. Exs.: Paulínia adorava passear pela campina a perder de vista; enquanto que sua irmã, Letícia, mal podia sair de casa. / “Art. 21. A educação escolar compõe-se de: I - educação básica, formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio; II - educação superior.” (LDB, 9394/96). Os DOIS-PONTOS ( : ) são empregados para informar que a seguir será iniciado um período de enumeração, resumo, algum esclarecimento, uma explicação, uma citação ou o discurso de uma pessoa/personagem. Exs.: A senhora perguntou à secretária: - O doutor ainda não chegou?/ Assim diz o ditado: “Quem com ferro fere, com ferro será ferido.”/ Duas coisas os definiam: orgulho e preconceito. As ASPAS (“ ”) expressam o início e o fim de uma citação, palavras ou expressões destacadas, sugerindo ênfase ou ironia e ainda, gíria ou estrangeirismo (vocábulo de outro idioma). Exs.: Conforme Fernando Pessoa “Tudo vale a pena se a alma não é pequena.”/ Eu não sou “isso” que ele disse. / O “mouse” daquele computador quebrou.


Os PARÊNTESES ( ) são utilizados para intercalar uma informação adicional sem modificar a estrutura oracional. Podem inserir uma explicação, uma referência, uma indicação cênica (roteiros, peças) e orações isoladas. Exs.: Amélia (a mulher de verdade) era quem cozinhava, passava e bordava./ “Minha consideração uma vez perdida está perdida para sempre.” (Orgulho e Preconceito de Jane Austen) As RETICÊNCIAS (...) indicam uma suspensão, podendo ser uma pausa, uma interrupção do pensamento, uma omissão, uma insinuação, suspense, dúvida, hesitação ou surpresa e pode, ainda, sugerir movimento. Exs.: “Sou filho de ...”, mas foi interrompido antes mesmo de se apresentar. / Fiz o ofício que me pediu, mas ... Vê o que você acha! / E o barco se afastando... O TRAVESSÃO ( ̶ ) é utilizado para indicar as falas de um diálogo; acrescentar uma informação ao que já foi dito; isolar expressões ( travessão duplo) ou a parte final do enunciado e palavras em cadeia de um percurso. Exs.: ̶ Posso ajudar? / O juiz foi tão conclusivo ̶ tão categórico em sua sentença!/ A ponte Rio ̶ São Paulo é rápida. A VÍRGULA ( , ) indica um pausa breve e é usada para separar palavras, apostos*, vocativos**, orações intercaladas, certas expressões, adjunto adverbial antecipado, termos repetidos, nome de lugar nas datas, elementos paralelos e indicar a elipse*** de um termo. Exs.: Tenho que preparar uma ata, uma circular e um memorando ainda hoje. / A posse de Fernando Haddad, o novo prefeito de São Paulo, foi ontem. / Oh, Meu Deus, espero que dê tempo! / Errar é humano, mas disse certa vez o antigo vice-presidente dos EUA, Hubert H. Humphrey, que culpar o outro é política. / Não pretendo inibi-los, isto é, não vou constrangê-los com mais nenhum comentário. / Mês passado, estive adoentada. / A tática da criança é insistir, insistir, insistir até conseguir dos pais o que querem. / São Paulo, 02 de janeiro de 2013. / “Mocidade ociosa, velhice vergonhosa.” / Uns falam demais, outros, pensam.

________________ * Aposto é um termo acessório que explica uma palavra ou expressão anterior. ** Vocativo é um termo de chamamento, dirigido à 2ª pessoa gramatical. *** Elipse é o ocultamento de um termo na oração.


ACENTUAÇÃO


Á É ô Ú Í âÍ Ê ÓéÀô í à

A acentuação da Língua Portuguesa é um sistema lógico e que tem por finalidade evitar a dualidade de pronúncia, isto é, uma palavra é acentuada para ter sua pronúncia marcada e, consequentemente, desfazer possíveis dúvidas em relação ao modo correto de ser dita. Tomemos a palavra ANALISE como exemplo. Trata-se de um verbo ou um substantivo? Como saber sem um contexto? Por intermédio da acentuação! Assim, temos em nossa língua as seguintes palavras: analise e análise, cada uma indica uma categoria e evita erros de pronúncia e escrita no momento de se escolher qual a forma mais adequado de acordo com a mensagem que se está escrevendo. Há 3 tipos de acentos: O CIRCUNFLEXO

O AGUDO

O GRAVE

A sílaba acentuada em uma palavra é denominada de TÔNICA. Ela é a mais forte. Já a sílaba mais fraca é denominada de ÁTONA. As palavras podem ser separadas de acordo com sua sílaba tônica. Assim, há as palavras PROPAROXÍTONAS (a sílaba TÔNICA é a ANTEPENÚLTIMA), as PAROXÍTONAS (a sílaba TÔNICA é a PENÚLTIMA) e as OXÍTONAS (a sílaba TÔNICA é a ÚLTIMA), respectivamente exemplificadas: caTÁlogo, TÁbua, esTÁ.


AS 10 PRINCIPAIS REGRAS DE ACENTUAÇÃO Conforme o Novo Acordo Ortográfico 1. Acentuam-se com acento agudo ou circunflexo TODAS as palavras PROPAROXÍTONAS. Ex.: República, máximo, propósito, válido, básico, jurídico, técnica, crítica, âmbito, cláusula, autônomos, câmara, códigos. 2. Utiliza-se o acento grave APENAS para indicar a CRASE. Ex.: Assisti à reunião. 3. Acentuam-se as PAROXÍTONAS terminadas em DITONGO CRESCENTE. Ex.: sábio (io = ditongo crescente, pois começa por uma semivogal ( i ) seguida de uma vogal ( e ); série, tênue, árduo... 4. Acentuam-se as PAROXÍTONAS terminadas em i/ is/ um/ uns/ us = júri, lápis, fórum, ônus; Em l/ n/ r/ x = fácil, hífen, caráter, córtex; Em ei/ eis = hóquei, vôlei, úteis, ágeis; Em ã/ ãs/ ão/ ãos = ímã, órfãs, bênção, acórdãos. 5. Nas palavras OXÍTONAS, recebe acento agudo a base dos DITONGOS ABERTOS e TÔNICOS éi/ ói/ éu. Ex.: papéis, herói, troféus. ATENÇÃO = Esses ditongos em PAROXÍTONAS NÃO recebem acentos: ideia, heroico, assembleia. 6. Acentuam as OXÍTONAS terminadas em: a/ e/ o (s) = Amapá, detrás, café, francês, avó, compôs. Segue esta regra os verbos terminados em a/ e/ o, seguidos de pronomes: ocupá-lo, atendê-lo, transpô-lo. Terminadas em em/ ens = contém, retém, reféns, parabéns. 7. Acentuam-se os MONOSSÍLABOS TÔNICOS cuja terminações são: a/ e/ o/ éi/ ói / éu (s) = chá, gás, crê, mês, vós, só, réis, réu, rói. Os verbos terminados em a/ e/ o seguem esta regra: dá-lo, sê-lo, pô-lo, dê. ATENÇÃO = O acento permanece nos PREFIXOS PÓS/ PRÉ e PRÓ e no QUÊ tônico (quando substantivo ou aparece no fim da frase: pósgraduação, pré-datado, pró-labore, “Um quê de mistério!” , “Para quê?”.


8. 9. 10.


Curso de Redação Oficial - Tópico: Gramática  

Este material destina-se aos alunos do curso de Redação Oficial elaborado pela profa. Cíntia Gomes (teste).