Page 1


LETRAMENTO UM ANO DE HISTÓRIAS

Alunos do 2º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Sandoval de Azevedo Organização: Joyce Morais Pianchão

2011


Letramento 2011 Alunos do 2º ano do Ensino Fundamental Escola Estadual Sandoval de Azevedo Belo Horizonte/MG

Organização Professora Joyce Morais Pianchão Projeto gráfico, editoração eletrônica, capa e ilustrações das crianças Dayana Silva Ilustrações Gustavo Grossi de Lacerda Assessoria na produção gráfica Guydo Rossi Revisão Isabela Moreira de Abreu Professora Joyce Morais Pianchão Colaboração Maria Silva Pinheiro


Um ano de histórias

L

etrar é permitir que a criança use das letras, das palavras, das frases, do texto, da imagem, para expressar com liberdade os seus sonhos, seus pensamentos, suas vontades, suas carências e sua enorme vontade de ser ouvida, lida e entendida...

Joyce Morais Pianchão

Com carinho,


Dedico... Aos autores deste livro, que vivenciaram um ano de histórias, construídas dia a dia nas conversas, nas leituras, nos planejamentos de excursões, naqueles dias preguiçosos para escrever, naqueles outros com tanto para contar... O trabalho está aqui registrado e guardado nos corações de quem viveu essa história.

Agradeço... Na construção desta história muitos passaram, ficaram e estão marcados nas linhas e entrelinhas. Sabem que estão e que ficarão aqui no livro, nas crianças, sempre...

Joyce Morais Pianchão


PREFÁCIO “É quase um milagre que os modernos métodos de instrução ainda não tenham estrangulado completamente a sagrada curiosidade da investigação, porque o que essa delicada plantinha mais precisa, além de um estímulo inicial, é de liberdade.” Albert Einstein (1879 – 1955)

Pra muita gente, ler prefácio dá preguiça. Se você é assim, por favor, pule esta parte, mas não deixe de apreciar este projeto. Muita gente deixa se influenciar pelas informações contidas no prefácio porque sempre haverá elogios à obra e seus autores. Se você é assim, também pule esta parte e tire as suas próprias conclusões. Se você é um crítico rigoroso, vá direto ao que interessa; talvez se tivéssemos sido alunos da professora Joyce, produziríamos, provavelmente, um texto que retrataria muito melhor o valor desta obra. Mas enfim,... O convite da professora Joyce para prefaciar a quarta edição do projeto Letramento num primeiro momento nos surpreendeu. No entanto, nossa história escolar de certa forma nos habilita a comentar essa experiência literária que se repete há quatro anos: ambos fomos alfabetizados e tomamos gosto pela leitura e pelo bom texto em escolas públicas, nas quais donas Marlenes, donas Valquírias e Iones, a exemplo da dona Joyce, nos mostraram, com competência e amor, o valor do saber expressar pela palavra, valor que se confirmou ao longo do tempo até nossa vida adulta.


A honra de falar sobre o projeto Letramento se justifica exatamente pelo que ele tem de peculiar: se saber escrever é importante para muitos, poucos educadores, no entanto, se debruçam de fato com tamanha dedicação, se comprometem com resultados, inventam espaços de criação para despertar nessas crianças, autoras desta obra, a sensibilidade para ver, elaborar ideias e conquistar o precioso poder de se expressar por meio da palavra. Para prefaciar esta “obra de arte” seria impossível não falar de liberdade. É esta a oportunidade que os privilegiados alunos da Escola Estadual Sandoval de Azevedo, através do projeto Letramento, têm todos os anos com a professora Joyce, de dar este passo inicial para o conhecimento da comunicação. Conhecimento que os levará à liberdade de escolha, de um arbítrio mais livre, um preparatório para a seleção natural e cruel dos melhores. Este trabalho final é, na sua essência, um convite para um novo início. Um convite a esses pequenos para que possam registrar este grito de liberdade:

“ - vejam o que eu posso fazer, mesmo estudando em uma escola pública...”.

Um convite aos pais desses alunos para que continuem sempre incentivando a leitura, a produção de textos, a comunicação como uma forma de liberdade. Levem este exemplo em forma de cobrança para as próximas fases da formação de seus filhos. Um convite à direção para que, com o seu incentivo, sensibilize e desperte, nos outros mestres da E. E. Sandoval de Azevedo e de outras escolas públicas, o interesse para que também produzam “convites” ao conhecimento da liberdade e à adoção de novas práticas em sala de aula, que como este projeto, são comprovadamente eficazes.


Um convite à reflexão aos órgãos diretamente ligados à cultura, educação, adolescência, juventude, para que invistam, incentivem e principalmente adotem outros projetos desse nível. Temos a mais absoluta certeza dos bons resultados práticos dessa empreitada, que acompanhamos desde os primeiros ensaios. Resultados que vêm através dos comentários no blog da professora Joyce, dos e-mails recebidos, e principalmente da fisionomia de cada pequeno autor quando, no final do ano, é presenteado com sua primeira obra, que é o passaporte para o sucesso em suas próximas etapas da formação escolar. Alguns poderão tornar-se autores de fato, outros descobrirão seus talentos nos números, nas ciências. Mas todos eles, certamente, terão suas vidas enriquecidas com a experiência do projeto Letramento. Farão melhor o que escolherem para suas vidas porque puderam, um dia, experimentar e compartilhar o prazer, a riqueza e a confiança de saber expressar suas ideias, suas emoções e suas criações. Para você que leu até aqui esta tentativa de mostrar o quanto é importante este projeto, aprecie, divulgue e participe também, pois ele é fruto do trabalho voluntário de várias pessoas e toda ajuda sempre foi e será bem recebida.

Emerson Pianchão e Isabela Abreu


Com uma homenagem recebida do aluno Lucas, que participou do Letramento 2010, apresento a razão da realização desse trabalho desde 2008.


Professora Joyce,

Eu estou morrendo de saudades de você Que me ensinou a fazer um simples dois mais dois, Que me ensinou a fazer um ponto final de uma produção de texto. Que me fez aprender a estudar. Você me ensinou uma medida. Você me ensinou sobre o mundo da Geografia e que uma história de amor é História. Por isso é que eu falo: você me ensinou Português, Matemática, História, Geografia e Ciências. Obrigado! Sinto saudades de você, que me ensinou uma palavra de sete letras:

ES T

1

U

D

A

R 7

Lucas Silva Pinheiro


SUMÁRIO

E VOCÊ, AMIGUINHO? O QUE PODE FAZER PARA CUIDAR DO LUGAR ONDE VIVE? CRIANDO UMA HISTÓRIA COMENTÁRIO DA HISTÓRIA LIDA HISTÓRIA OUVIDA UM AGRADECIMENTO SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS NA ESCOLA APRENDI... QUAL É O SEU SONHO? UM PASSEIO FESTA NA ESCOLA OS TEXTOS VIAJAM ATÉ GUAXUPÉ PROJETOS OS AUTORES BIBLIOGRAFIA DE APOIO UM CONVITE ESPECIAL

13 17 23 33 37 47 51 55

59

65 69 73 89 119 120


E VOCÊ, AMIGUINHO? O QUE PODE FAZER PARA CUIDAR DO LUGAR ONDE VIVE?

13


Cuidando da natureza. Cuidando dos animais. Ajudando a família. Conservando a escola. Respeitando. Cuidando dos colegas. Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana

Eu gosto de cuidar da natureza. É bom! Eu gosto de regar as plantas. É legal! Eu jogo todos os dias o lixo na lixeira. Vinícius de Souza Oliveira

Não jogar lixo no chão. Cuidar do material escolar que a mamãe compra. Não estragar as coisas. Cuidar da natureza. Não poluir os rios. Cuidar dos animais. Ludimila de Almeida Orício

Para cuidar do planeta, não jogar lixo na rua. E não estragar a natureza, porque a natureza faz parte de nós. Eu amo a natureza! Richard Marcelo Gonçalves dos Santos

Não colocar fogo nas matas. Não jogar comida fora, porque tem um monte de gente que não tem comida. Não poluir os rios. Thaís Lessa Venturini

Na escola devemos limpar o lugar que sujamos e em casa também. Quando não queremos alguma coisa, oferecemos a alguém da nossa casa, da escola ou da rua. Devemos ser educados com todos, principalmente com os professores. Camille Figueiredo Oliveira

15


CRIANDO UMA HISTÓRIA

17


O CAMPO DE FUTEBOL

Gabriel não tinha nenhum amigo. Quando foi para o campo, achou um menino que se chamava Guilherme. Gabriel pegou sua linda bola colorida e foi brincar com ele. Guilherme gostou de brincar com Gabriel e também com a bola. Assim foram para casa, Gabriel e Guilherme. Thainá Maria Ramos de Alencar

Eu, Gabriel, jogo futebol com a minha amiga Gabriela. Nós brincamos muito. Jogamos futebol e até já quebramos uma vidraça. Um dia minha mãe me levou para ver o jogo. Eu gostei. Realizei um sonho. Thaís Lessa Venturini

19


O JARDIM...

...DA ANA Eu tenho jardim. Eu rego. O meu jardim tem pássaros. Eu gosto muito do meu jardim. Eu acordo e cuido. Ana Eduarda de Morais Moreira ...DO GABRIEL Eu queria ter um grande. Só que eu não queria que o meu cachorro o estragasse. Eu queria que tivesse todas as cores. Gabriel Cabral Araújo

...DA BEATRIZ O jardim da Beatriz é um jardim bem feliz! Tem flores, borboletas e até joaninha. Tem um sol bem quentinho e as nuvens bem fresquinhas. Tem até sua gatinha que se chama Aninha. Venham todos conhecer o jardim da Beatriz. Beatriz Cristina Moia Caetano

...DA ROBERTA Eu cuido do meu jardim regando e não matando as flores. Também acho as flores muito cheirosas. Eu gosto muito do meu jardim porque as plantas dão vida a nossa casa e não é só por isso que eu gosto dele, porque é assim que a gente aprende a viver. Roberta Matias dos Santos

20


...DA CAMILLE Eu queria um jardim cheio de flores e joaninhas. Eu cuidaria bem dele e sempre iria regá-lo. Mas eu não tenho um porque minha mãe fala que eu sou muito pequena para cuidar de um. Para mim, que não tive um ainda, parece que é fácil. Camille Figueiredo Oliveira ...DA CAROLINA Era uma vez o jardim da Carolina. O jardim era muito bonito! E aí, o sol forte; e a Carolina regou o jardim. Era muito florido mesmo e tinha muitas borboletas e muitas joaninhas, muitos grilos, muitos vagalumes, muitas abelhas e muitas mariposas. E a Carolina e seu jardim viveram felizes para sempre. Carolina Hipólito Silva ...DA DALILA Se eu tivesse um jardim eu cuidaria toda vez que eu chegasse da aula. Eu iria regar as plantas o dia todo e não deixaria as plantas murcharem. Quando eu mudar de casa eu vou ter um jardim e eu vou regar as plantas todos os dias depois que eu chegar da minha escola. Dalila da Silva Oliveira

21


COMENTÁRIO DA HISTÓRIA LIDA

23


TICO, O COELHINHO DAS ORELHAS CAÍDAS Gerusa Rodrigues Pinto Ed. FAPI

Eu gostei porque Tico ficou muito feliz quando viu suas orelhas em pé. Pablo Gustavo Alves de Assis Eu gostei da história porque Tico ficou com as suas orelhas em pé. E também porque os três filhotinhos gostavam de brincar. A parte que eu não gostei foi a parte que Tico achou as suas orelhas feias e caídas. João Vitor Papini de Paula A página que eu mais gostei foi a que Tico saiu dando pulos de alegria! Dalila da Silva Oliveira Eu gostei muito da história "Tico, o coelhinho das orelhas caídas". A mamãe coelha foi a personagem que eu mais gostei. Gostei do Tico também. O que eu mais gostei foi quando as orelhas de Tico ficaram em pé. Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana JUJU, A ESTRELINHA PREGUIÇOSA Gerusa Rodrigues Pinto Ed. FAPI

O mais engraçado foi quando as estrelinhas combinaram de fazer uma surpresa para Juju. Eu gostei porque a Juju compreendeu que, acordada, as noites ficariam muito mais claras e bonitas. A mensagem que a estrelinha mandou é que tem que participar e não ser preguiçosa. Kathleen Luany Sena Monteiro Eu gostei muito do livro! Ele é muito legal! A história ensina as pessoas a não serem preguiçosas. Foi muito bom o livro! Eu gostei da personagem Juju. Camille Figueiredo Oliveira

25


Eu gostei muito, muito e muito desse livro! Eu aprendi a não ser preguiçosa. Eu gostei da personagem Juju. Juju era muito preguiçosa, vivia sempre dormindo. Eu aprendi com a Juju que não devemos ser preguiçosos. Geovanna Giovanni Falieri Eu gostei muito da personagem Juju. Ela é muito linda e brilha no céu. Eu achei muito legal! Roberta Matias dos Santos de Oliveira POR ENTRE ALTOS E BAIXOS Maria José Serra Ed. Lê

Eu gostei muito do livro! Ele ensina que um deve ajudar o outro. Eu gostei quando Mindinho trabalhou em dupla, porque isso faz parte da solidariedade. Camille Figueiredo Oliveira Eu gostei muito da história porque ela ensina às pessoas o bem. Eu não gostei quando Mindinho estava tendo situações difíceis. O mais importante é que ajudar uns aos outros é muito bom! É muito legal a história! Eu gostei muito do personagem Mindinho e do seu amigo. Vitória D'Arc Freitas Arruda Eu gostei muito, muito da parte que Mindinho e o homem alto fizeram um par para pintar. E também gostei quando Mindinho teve essa ideia. A ideia resolveu os problemas. A ideia foi trabalhar juntos. A mensagem foi muito legal! Trabalhando juntos, o que fazemos pode ficar ótimo! Bruna Carvalho Silva

27


Eu gostei da história, é muito legal! O personagem Mindinho é muito legal! O outro personagem, o homem alto, é legal também. Maria José tem uma mente boa. É muito legal a história da Maria José. Se eu fosse ela, faria um monte de histórias! É muito legal a história! Kathleen Luany Sena Monteiro Eu gostei quando o Mindinho ficou amigo do homem alto. Eu não gostei quando Mindinho caiu da escada. Eu gostei quando o homem alto pintou junto com Mindinho. Vinícius de Souza Oliveira Eu gostei quando Mindinho ficou amigo do homem alto. Eu não gostei quando Mindinho estava todo doído. Esse foi o recado: um ajudar o outro. Thaís Lessa Venturini Eu gostei de Mindinho, ele foi muito bom! Eu também gostei do amigo de Mindinho. A história foi muito legal! Davi Mayrink Salviano O RATINHO E A LUA Dora Dias; Alba Capelli Ed. FTD

Eu gostei muito do livro! Ele traz uma mensagem: que os amigos têm que ajudar uns aos outros. Beatriz Cristina Moia Caetano A história foi muito legal e divertida. Foi muito engraçado quando o ratinho achou que a lua fosse um queijo. E o que eu achei mais interessante é que os amigos dele o ajudaram. Arthur Fernandes Vaz de Melo

28


UM PASSEIO PELA ESCOLA Cláudio Martins Ed. Formato

Eu gostei do livro! Tem muitas imagens lindas! A história é curta. A editora é a Formato e o autor é o Cláudio Martins. Kathleen Luany Sena Monteiro URUBU SABE Ronaldo Simões Coelho Ed. Formato

Esse livro é legal. Eu achei esse livro muito interessante. A mensagem desse livro é que nós não devemos imaginar coisas sem saber se é verdade. Eu recomendaria esse livro para outras pessoas lerem porque é muito interessante e legal. Geovanna Giovanni Falieri O que eu achei mais interessante foi entender que quando não sabemos, perguntamos aos outros. Eu gostei quando o urubu convidou a turma para entrar e ver os retratos da família. O que eu achei mais engraçado foi saber que o urubu nasceu branquinho, branquelo. Thaís Lessa Venturini Eu gostei quando os bichos descobriram que o urubuzinho branquelo nasceu peladinho. Carolina Hypolito Silva Eu gostei muito da história, ela é interessante. Ela tem bichos legais. Gostei quando o urubu nasceu branquinho, branquelo. Ludimila de Almeida Orício

30


Eu gostei quando o coelho soube da história dele. A mensagem é que não podemos falar antes de saber. Eu não gostei quando os bichos estavam conversando sem saber a história dos urubus. João Victor Fernandes Ali Eu achei interessante saber que nem todos os bichos nascem da cor que são. Tem alguns que são morenos e nascem brancos. Você já leu um livro tão bom como esse? Richard Marcelo Gonçalves dos Santos Eu gostei quando o coelho descobriu que o urubuzinho sempre nasce branquinho, branquelo. E a mensagem é que quando você tem uma dúvida deve perguntar a quem sabe. Vitória D'Arc Freitas Arruda Eu gostei muito da história porque ela é muito interessante. A história, no final, tem uma mensagem: o que você não sabe pergunte a alguém que saiba. Dalila da Silva Oliveira O MENINO QUE QUASE MORREU AFOGADO NO LIXO Ruth Rocha Quinteto Editorial

Eu gostei muito do livro porque ele é interessante e legal. O que eu mais gostei foi quando Ronaldinho colocou quatro latas de lixo em seu quarto. Eu gostei muito do livro, recomendo para pessoas que são interessadas na leitura. Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana Gostei muito da história porque ela nos ensina a ser organizados com as coisas. Temos que ser organizados, viu? Thainá Maria Ramos de Alencar Eu gostei do livro! A parte que eu achei mais interessante foi a parte que saía lixo para todo lado! A mensagem é que não devemos espalhar lixo na nossa casa e nem na nossa escola. Ludimila de Almeida Orício

31


Eu gostei da parte que ele colocou quatro latas de lixo no quarto dele. Eu não gostei da parte que ele deixou o lixo ir acumulando. A mensagem dessa história é que lixo é na lata de lixo. João Vitor Papini de Paula Eu gostei muito do livro, ele é muito engraçado. Ronaldinho foi muito errado, porque ele jogou lixo no quarto. Ronaldinho foi esperto quando aprendeu a lição. Vinícius de Souza Oliveira Eu gostei muito da história. Eu gostei da parte que Ronaldinho aprendeu a lição, que ele não pode jogar lixo no chão. Eu recomendo esse livro, porque ele é legal e divertido. Luiz Fernando Brandão de Sousa

32


HISTÓRIA OUVIDA

33


COELHO MAU Jeanne Willis e Tony Ross Editora Ática

Eu achei certo ele contar a verdade para a sua família, que ele estava na casa da vovó. Eu gostei do livro, é muito legal! Eu achei errado o coelho andando longe da família. A mensagem é que não podemos acreditar em tudo que está escrito. Vinícius de Souza Oliveira Eu gostei quando o coelho falou a verdade para os seus pais. A verdade que ele contou foi que estava na casa da vó dele por causa do boletim. Eu não gostei quando o coelho falou mentira para os pais e mentiu também para os alunos que estavam lendo o livro. Roberta Matias dos Santos de Oliveira Eu gostei da história. Gostei muito da parte que o coelho mau falou que o repolho da vovó era fedorento. A parte que eu achei engraçado foi a do boletim. Se eu tirasse aquelas notas também ficaria com vergonha. Foi muito boa a história. Bruna Carvalho Silva Eu gostei muito da história! Eu gostei da parte que o coelho mentiu no bilhete, dizendo que ele ia morar no lixão. Eu não gostei quando o coelho achou horrível o repolho da vovó. Lorena Gomes de Miranda Corrêa A história foi engraçada. O coelho mau mentiu para os pais, isto não é certo. O recado dessa história é que nem sempre podemos acreditar no que as pessoas escrevem. Arthur Fernandes Vaz de Melo Eu gostei da história quando o coelhinho contou a verdade para a sua família. Nós não devemos acreditar em tudo que lemos. Dalila da Silva Oliveira

35


Eu não gostei quando o coelho saiu de perto da sua família. Vitor Hugo Silva Martins Eu gostei quando o coelho foi comer o repolho com cheiro ruim. Eu gostei também quando o coelho deixou uma carta e também gostei da parte final, foi quando ele falou a verdade para os pais. A verdade foi que ele mostrou o boletim para eles. Pablo Gustavo Alves de Assis Eu não achei legal porque ele falou mentira, comentou que ele, o coelho, ficou preso no cocô da vaca. Ele falou mentira porque ele estava com medo do boletim. Lucas Santos Alves Lopes

36


UM AGRADECIMENTO

37


MÁGICO NA ESCOLA Eu vi o mágico na escola. O mágico foi muito bom! Eu vi o mágico na escola. Os truques dele foram muito legais! Professora Marilene, muito obrigada por ter pedido ao mágico para vir aqui na escola. Pablo Gustavo Alves de Assis Foi bonito, Marilene! Eu gostei do mágico, ele foi legal. Ele foi brilhante! Ele faz mágicas interessantes. Lorena Gomes de Miranda Corrêa Eu gostei da mágica do passarinho e do coelho. Foi muito legal! Eu quero fazer um agradecimento à professora Marilene, porque ela pediu ao mágico que viesse aqui. Ludimila de Almeida Orício Eu gostei da parte que o mágico fez as pombas aparecerem. E também apareceu o coelhinho. Ele é tão fofinho! Geovanna Giovanni Falieri

FESTA JUNINA NA ESCOLA Mamãe e papai, Obrigado por virem. Desde o primeiro ano vocês me trazem na quadrilha. Mas não é só por isso que eu estou agradecendo, é por muitas coisas. Eu amo vocês! Eu sempre vou amar vocês. Muito obrigado! Richard Marcelo Gonçalves dos Santos

39


Mãe, Acho a senhora, para mim, o máximo! Muito obrigado pela compra das rifas na minha mão para eu ser candidato a rei. Obrigado também pelas prendas. Vitor Hugo Silva Martins Mãe Marlene, Muito obrigada por me trazer à festa e também por me deixarem dançar. Agradeço a sua presença. E também por me deixar dançar. Obrigada! Roberta Matias dos Santos de Oliveira Joana, Muito obrigada por me levar à festa. Mamãe, você é muito especial para mim também! Muito obrigada por você me fazer levar prendas para a festa. Obrigada! Vitória D'Arc Freitas Arruda Mamãe Patrícia, Eu agradeço por ter dado prendas para eu entregar e também por ter comparecido a esta festa. Você foi muito gentil. Obrigada! Camille Figueiredo Oliveira Mamãe, Obrigada por sua colaboração na festa junina. Também obrigada por ter me arrumado para a festa. Obrigada! Geovanna Giovanni Falieri Mamãe, Obrigada pelo vestido e pela participação. Mãe, obrigada por me deixar participar da dança. Obrigada por ver as duas danças. Ludimila de Almeida Orício Mãe Cristiane, Muito obrigado pelas prendas. Obrigado por me levar à festa da escola. Beijos, João Victor Fernandes Ali

40


Mamãe, Eu agradeço pelas prendas e pelo meu vestido. Eu agradeço por preocupar-se comigo e me levar à festa junina. Beijos, Kathleen Luany Sena Monteiro Mãe Andréia, Obrigada pelas prendas. Obrigada também por preocupar-se comigo. Obrigada! Thaís Lessa Venturini Elisa, Obrigada por tudo! Pelo vestido, prendas, votos e tudo mais! Quando você participa, você faz tudo muito bem! Te amo! Obrigada! Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana Soraia e Jonete, Obrigada, mamãe e papai! Por me ajudar a comprar as prendas, me trazer à festa junina e arrumar uma roupa para mim. Obrigada! Thainá Maria Ramos de Alencar Mãe, Muito obrigado pelas prendas deste ano. Com a sua ajuda e das outras mães ficamos em sétimo lugar. Obrigado! João Vitor Papini de Paula Mamãe Irene, Obrigada por mandar prendas e por comparecer à festa junina da minha escola. Obrigada! Ana Eduarda de Morais Moreira Mãe Elane, Obrigada por você preocupar-se comigo. E também por você alugar o meu vestido. Obrigada! Beijos, Marcelle Gabriel de Assis

42


Mãe Ana, Obrigada por tudo que você fez para mim e para a minha escola. Obrigada por me levar à quadrilha. Obrigada! Beatriz Cristina Moia Caetano Vovó Lourdes, Obrigado por ter enfeitado a minha calça e a minha camisa para a festa junina na escola. Lucas Santos Alves Lopes Clariana, Mãe, muito obrigado pela minha blusa. E muito obrigado por você ter ido lá, à minha festa junina. Gabriel Cabral Araújo PARA A PROFESSORA AO FINAL DO PRIMEIRO SEMESTRE Professora Joyce... Eu gostaria de dizer muito obrigada por me ensinar a ler, a escrever, a ter educação, a brincar em brincadeiras que não machucam e por ser muito carinhosa comigo. E também por me ensinar a desenhar como você. Muito obrigada! Roberta Matias dos Santos de Oliveira É muito bom estar com você! Você nos ensina as coisas que nós não sabemos. Obrigada, Thainá Maria Ramos de Alencar Gostei do 1º semestre, da excursão, dos dois projetos. Um abraço, Davi Mayrink Salviano Obrigada por tudo que você me ensinou nesse primeiro semestre. Você me ensinou tudo o que eu queria aprender. Obrigada. Bruna Carvalho Silva

44


Professora Joyce, O que eu gostaria de falar é que eu agradeço a você por eu e os meus colegas estarmos aqui na sua sala. Dalila da Silva Oliveira Professora Joyce, Eu queria lhe dizer obrigada por ter ensinado cada dia mais. Um beijo, Geovanna Giovanni Falieri Professora Joyce, Eu queria dizer que você é uma professora muito boa. E que também adoro suas avaliações. Um beijo, Marcelle Gabriel de Assis Professora Joyce, Eu acho você legal! Eu gosto muito de você. Eu também gosto do seu estilo e da cor do seu cabelo. Lorena Gomes de Miranda Corrêa Professora Joyce, Muito e muito obrigado por me dar aulas. Por gostar de nós, também por nunca se atrasar e ser legal conosco. Nós adoramos você, professora. Arthur Fernandes Vaz de Melo

45


SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS

47


Eu sou: Kathleen Luany Sena Monteiro. Meu colega: Arthur Fernandes Vaz de Melo Nossas semelhanças: a nossa semelhança é porque a gente é criança. Nossas diferenças: as nossas diferenças são porque não somos do mesmo sexo, eu sou do sexo feminino e ele é do sexo masculino. Kathleen Luany Sena Monteiro Eu sou: João Vitor Papini de Paula Minha colega: Dalila da Silva Oliveira Nossas semelhanças: ela tem os cabelos pretos e eu também. A cor da pele é da mesma cor do que a minha. Eu sou uma criança e ela também. Nossas diferenças: eu sou menino e ela menina. Eu sou maior do que ela. João Vitor Papini de Paula

49


NA ESCOLA APRENDI...

51


Na escola aprendi a ler e a escrever. E também a contar. Aprendi o alfabeto. E a desenhar. Aprendi a fazer projeto. E também a fazer fatos de mais e menos. Aprendi sobre a natureza. E também a escrever textos. João Vitor Papini de Paula Na escola aprendi a ler, aprendi adição e subtração, aprendi que tenho que ter respeito com as pessoas, aprendi que tenho que conviver bem com as pessoas. Luiz Fernando Brandão de Sousa

53


Respeitar, ler, estudar. Também aprendi a cantar, ajudar, escrever e colorir. Ter amigos e colegas. Olhar as horas, fazer continhas de mais e menos, os sinais de pontuação e escrever textos. Ludimila de Almeida Orício Eu já aprendi muitas coisas: Matemática, avaliação e o mais importante, Língua Portuguesa. Você também vai aprender assim. Lorena Gomes de Miranda Corrêa Aprendi a ler, escrever, colorir e contar. Aprendi a contar os meses do ano, aprendi a contar os dias da semana, aprendi a fazer os fatos da adição e subtração, recortar e colar. Thainá Maria Ramos de Alencar Aprendi a resolver fatos. Mas também tem mais fatos para aprender. Sei ler, sei escrever. Sei fazer textos e poemas mais bonitos. E muito mais! Mas não sei fazer algumas coisas que eu ainda não aprendi na escola. Kathleen Luany Sena Monteiro Na escola já aprendi a ler e a escrever. Eu aprendi muitas coisas, aprendi a cada dia. E fui aprendendo a recortar, colar e reler. Davi Mayrink Salviano Quando eu tinha três aninhos eu entrei na escola e só sabia rabiscar e brincar. Eu fiz quatro anos, aprendi a escrever. Fiz cinco, aprendi a fazer contas. Depois eu mudei de escola. E eu fui aprendendo muitas coisas novas. E passei para o segundo ano, com sete anos estou. João Victor Fernandes Ali

54


QUAL É O SEU SONHO?

55


O meu sonho é ser professor de Ciências, porque o professor aprende coisas novas e o viver da vida. Também aprende sobre o passado, o que já aconteceu, aprende experiências novas. E também aprende a compartilhar a Ciência com quem quiser. Arthur Fernandes Vaz de Melo Meu sonho é ter uma casa própria, para não precisar gastar dinheiro com o aluguel. Se eu tivesse uma casa própria eu montaria uma piscina e pularia com a minha cachorra. Seria muito legal! Camille Figueiredo Oliveira Meu sonho é... Ter um gatinho para eu brincar. Ter um cabelo liso, para pentear melhor. Eu queria ser um ratinho para eu passar pelos buraquinhos. Queria ser uma atriz para não precisar pagar aluguel. Queria ser uma nuvem para flutuar... Bruna Carvalho Silva Eu sonho em ser veterinária para cuidar dos animais. Para que eles possam ficar bem e voltar para casa. E ás vezes também sonho em ser professora e ensinar as pessoas. Ludimila de Almeida Orício

57


O meu sonho é ser um super herói para ajudar o mundo, para ajudar as pessoas. No meu sonho também eu queria voar e ter poder. Com o meu poder eu ia prender os ladrões para que não ameaçassem e nem matassem as pessoas. Vitor Hugo Silva Martins Eu quero ter um coelho para eu brincar. Fazer carinho para ele me fazer companhia. Para ele ficar feliz, porque tem uns coelhos que não gostam do seu dono. Mas o meu vai gostar de mim. Richard Marcelo Gonçalves dos Santos O meu sonho é voar como os pássaros. Ficar perto das nuvens para viver com os pássaros. E poder viver feliz. Davi Mayrink Salviano Eu sonho com muitas coisas. E na maioria das vezes eu sonho em voar em um helicóptero, porque as casas e as árvores ficam pequenininhas. Deve ser divertido voar. João Victor Fernandes Figueiredo Ali O meu sonho é ter poder para combater o mau. Para salvar pessoas, impedir incêndios e proteger a natureza. Impedir a poluição, impedir o furacão. João Vitor Papini de Paula O meu sonho é ser uma fada para que eu flutuasse pelo céu e olhasse as nuvens e as estrelas de perto. Mas é lenda o meu sonho, porque não existem fadas! Thainá Maria Ramos de Alencar Eu sonho com um carro para eu passear com meus filhos. Eu sonho em trabalhar com obras para eu construir moradias para as pessoas. Eu gostaria de usar um helicóptero para eu ver as moradias das pessoas e olhar a natureza. Vinícius de Souza Oliveira Meu sonho é ser uma sereia, porque eu acho legal e também dá para eu ver os peixes mais de perto. E também porque eu gosto muito de água. Eu queria ser sereia porque queria ver as estrelas do mar que eu nunca vi. Thaís Lessa Venturini

58


UM PASSEIO

59


EDITORA FAPI À ESPERA DO PASSEIO Eu espero que essa excursão seja boa. Vai ser muito boa! Depois eu vou contar o que eu achei. Acho que vai ser legal e divertido. Nós vamos visitar a Editora FAPI e comprar livros. Vitória D'Arc Freitas Arruda UM BILHETE DE AGRADECIMENTO À AUTORA FRANCES RODRIGUES PINTO Frances... Como vai? Gostaria que você guardasse um cantinho no seu coração para mim. Gostei muito da Editora FAPI e muito mais de você. Adorei os seus autógrafos! Agradeço à editora por ter me dado um livrinho de presente. Obrigada! Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana Boa tarde! Gostei muito de lhe conhecer. E também da Editora FAPI. Achei interessante como eles fazem os livros. Um beijo, João Vitor Papini de Paula Eu gostei muito de você. Espero que eu a veja muitas vezes. Eu gostei muito da editora. Até mais! Camille Figueiredo Oliveira

61


Como vai? Eu queria lhe agradecer por me alegrar nesse dia que passei com você. Eu gosto muito de você, porque é uma pessoa gentil e alegre. Obrigada por tudo, Frances! Até mais! Roberta Matias dos Santos de Oliveira Como vai? Gostei muito de estar com você. Quero agradecer-lhe por tudo que vi. Gostaria de ir aí de novo se você me chamar. Até mais! Ludimila de Almeida Orício Tudo bem? Eu adorei conhecê-la! Você é muito legal! Eu gostei também dos livros e das máquinas. Vitor Hugo Silva Martins Como vai? Eu gostei muito de lhe conhecer. Obrigado por tudo! Gostaria de lhe ver de novo. Um beijo, Luiz Fernando Brandão de Sousa Frances, Tudo bem? Eu gostei muito de receber o seu autógrafo. Sua apresentação foi muito legal! Eu gostei muito do seu livro. Você foi muito legal! Até mais! Pablo Gustavo Alves de Assis Como vai? Eu gostei de você e da editora. Eu vi pessoas, máquinas e livros na Editora FAPI. Eu gostei de você. Um abraço, Ana Eduarda de Morais Moreira

62


Tudo bem? Eu gostei muito dos seus livros. Você é uma pessoa legal! Um beijo, Gabriel Cabral Araújo Como vai? Eu gosto de você. Eu queria lhe agradecer por todos os livros. Até mais! Carolina Hypolito Silva

PARA VOCÊ A VISITA À EDITORA FAPI FOI DIVERTIDA?

Sim, eu conheci como fazer um livro e ao final do ano eu vou fazer o meu livro. Marcelle Gabriel de Assis Nunca se sabe o que vai acontecer e encontrar. Eu não gostei do barulho das máquinas. Mas as máquinas também fazem umas coisas incríveis! A FAPI é muito grande! Eu também conheci uma autora legal. A FAPI tem muitos livros. Arthur Fernandes Vaz de Melo

63


GALPÃO CINE HORTO. ÓPERA “FEDEGUNDA” O que você tem a dizer aos colegas que não foram assistir ao espetáculo? Tenho que dizer a eles que Fedegunda foi um projeto muito legal! Essa foi a experiência mais legal da minha vida! Essa peça foi muito perfeitinha. Arthur Fernandes Vaz de Melo

BIBLIOTECA PÚBLICA ESTADUAL LUIZ DE BESSA Esse passeio foi ótimo! Teve dois momentos. O primeiro momento foi de conto, leitura e música. O segundo foi quando conhecemos o sistema Braille. Nós tivemos a oportunidade de conviver com deficientes visuais. Foi muito bom! Geovanna Giovanni Falieri Eu conheci os deficientes visuais. A gente foi no sistema Braille da biblioteca. Eu aprendi como me comportar fora da escola. Eu aprendi tudo sobre os deficientes visuais. Ana Eduarda de Morais Moreira O passeio foi muito legal! A parte que eu mais gostei foi o momento de conto, leitura e música. Luiz Fernando Brandão de Sousa A biblioteca foi muito legal! Eu e os meus colegas conhecemos os deficientes visuais. Conhecemos o sistema Braille. Os deficientes visuais têm o mesmo direito que nós temos, porque eles também são humanos, só não enxergam. Thainá Maria Ramos de Alencar Lá na biblioteca eu aprendi que os cegos podem fazer coisas que as outras pessoas fazem. E também aprendi que os cegos podem ajudar outros cegos. Teve momento de conto, leitura e música. Lorena Gomes de Miranda

64


FESTA NA ESCOLA

65


Vó, Você tinha que me ver cantando. Que pena que você não foi! Tinha um tanto de gente olhando para mim. Luiz Fernando Brandão de Sousa Eu gostei da festa, foi muito legal! O Hino Nacional que nós cantamos foi muito aplaudido. As comidas estavam muito gostosas. Dalila da Silva Oliveira

67


Quem não foi, perdeu. Essa festa vai ficar na história! Camille Figueiredo Oliveira A festa foi boa. Teve barraquinhas e um monte de coisas. A festa foi no dia dezessete de setembro de dois mil e onze. Foi muito boa a festa! Geovanna Giovanni Falieri Eu gostei muito porque foi a primeira vez que eu cantei o Hino Nacional. Também eu gostei da feira de cultura. Foi legal porque teve artesanato e alimentação na cantina. Marcelle Gabriel de Assis A festa da família foi muito boa! Gostei muito dos bombons, estavam muito gostosos! A apresentação que eu mais gostei foi a nossa, porque foi a gente que cantou. Foi muito bom! Bruna Carvalho Silva A festa da família foi muito boa! Teve caldo de feijão e de mandioca, pirulito de chocolate, alfajor, tererê e maquiagem. E teve o principal, as danças. Brincamos e fomos embora. Ludimila Almeida Orício Eu achei ótima a festa! Eu gostei porque teve bingo, teve chocolate, teve xadrez e teve dama. Lucas Santos Alves Lopes

68


OS TEXTOS VIAJAM AtÉ GUAXUPÉ

69


OS TEXTOS VIAJAM ATÉ GUAXUPÉ O rei e o rato e um novo fim

“Vejam que legal que o Instituto Cultural Elias José recebeu lá de Belo Horizonte! A professora Joyce Pianchão, que leciona na Escola Estadual Sandoval de Azevedo, propôs aos alunos que criassem um final diferente para o poema "O rei e o rato", de Elias José. Todos os alunos participaram e, após a produção, foram selecionados cinco textos que foram colocados em votação. Os dois finalistas foram os textos dos alunos Thaís Lessa Venturini e João Victor Fernandes Figueiredo Ali, do 2º ano do Ensino Fundamental. E como podem ver, os textos ficaram LINDOS! Parabéns aos alunos e à professora Joyce!!!” (Postagem no blog iceliasjose.blogspot.com 10/10/2011)

E o fim eu já te digo: Tudo virou de pernas para o ar. O rei e o rato foram embora, cada um seguindo o seu caminho. O rato achou uma cidade de ratos e virou rei. E o rei foi para a Suíça e virou rato, roendo as roupas e fazendo cócegas. João Victor Fernandes Figueiredo Ali Eles correram para bem longe, onde o povo não os via. Mas o povo descobriu o rato que roía. Foram morar em um castelo bem lindo, onde o rei e o rato viviam sorrindo.

71


PROJETOS

73


SOBRE OS PROJETOS

Eu, Cynthia, mãe do aluno Luiz Fernando, estou encantada com o trabalho desenvolvido pela turma e pela professora. São assuntos que realmente despertam o interesse das crianças, que as levam a ter curiosidade para explorar de forma calma e prazerosa, a conseguir atingir satisfatoriamente os objetivos esperados para essa faixa etária. Pude perceber, em conversas diárias com meu filho, que os assuntos abordados e as atividades propostas são bem explorados dentro da sala de aula, sem que o aluno perca o interesse, tornando assim a aprendizagem bastante eficaz! Parabéns a todos! Cynthia Dias Brandão

PROJETO 1 EU NO TEATRO Projeto Sociocultural Conexão Galpão

ENTREVISTA

Como era Belo Horizonte quando você era criança? Entrevistadora: Roberta Matias S. de Oliveira Entrevistado: Geraldo Ribeiro de Oliveira (pai) Quando eu era criança, Belo Horizonte, apesar de pouco iluminada, era uma cidade muito tranquila. Não havia tantos carros, as ruas eram de terra, as casas não tinham muros, as crianças respeitavam os mais velhos e existia uma amizade e respeito muito grandes entre os vizinhos, a ponto de se considerarem compadres. Eu me lembro, no alto da serra, a natureza era abundante, com seus campos floridos em meio a uma variedade de árvores frutíferas. Entre as rochas encontravam-se bicas, onde se podia matar a sede com água pura e cristalina. Havia poucas casas e mais campos formados por lotes vagos e, portanto, era mais comum as crianças brincarem de jogar bola, pião, soltar papagaio, pular corda, bolinha de gude, finca, queimada e muito mais!

75


Entrevistadora: Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana Entrevistado: Wilson Ephigênio de Oliveira (bisavô)

Meu nome é Wilson Ephigênio de Oliveira, nasci em Belo Horizonte, no ano de 1936. O transporte mais usado era o bondinho; ônibus e carro nas ruas eram raros. O bondinho era muito divertido! Não havia muitos prédios, tinha mais casas e muitas árvores. Eu morava no bairro Sagrada Família e gostava de subir nas árvores e comer as frutas que elas davam, e também de nadar no rio e tomar água da biquinha. Podíamos brincar nas ruas e andar livremente, não tinha perigo algum. Tenho muita saudade da minha infância.

À espera do espetáculo No primeiro ano escolar eu fui ao teatro. Agora, eu vou ao teatro no segundo ano, com a professora Joyce e os meus colegas da turma 213. Vão conosco as representantes de turma, Iara, mãe da Bruna, e a Cynhia, mãe do Luiz. A professora Joyce vai nos levar ao Cine Horto para assistirmos à peça teatral “Uma e tantas histórias”. Eu gosto de ir ao teatro. É muito bom! Você sabia? Durante o espetáculo vamos assistir também aos filmes do Pelé e do Charles Chaplin. Vai ser muito bom! Vocês vão ver! Até lá! Kathleen Luany Sena Monteiro

76


A FAMÍLIA PARTICIPA Acho muito importante qualquer projeto cultural, pois aproxima a criança de seus colegas e também da arte, visando desenvolver pessoas melhores.Os trabalhos desenvolvidos na sala de aula pela professora estão muito bons. O caderno está muito caprichado e cheio de vida. Parabéns. Continue assim. Bruno de Assis (pai da aluna Marcelle) Estou gostando muito do projeto com as crianças, pois a minha filha Kathleen está muito entusiasmada e cada vez mais interessada em artes. Agradeço muito pelo carinho e compreensão de vocês. Luziane Sena (mãe da aluna Kathleen) Projeto de grande valia, visto que possibilitará às crianças conhecerem um pouco do passado e despertará grandes curiosidades O teatro despertará como sempre o imaginário, as crianças terão o desejo de dar vida aos seus personagens. Assim, tenho muito carinho e prazer em conhecer um pouco desse projeto, no qual a memória faz nosso passado presente. Soraia Ramos (mãe da aluna Thainá)

O projeto “Eu no teatro” abre as portas para um mundo novo e diferente, despertando a imaginação das crianças. Mariana da Silva Cunha (mãe da aluna Dalila) Achei muito interessante como as crianças dessa turma estão aprendendo sobre o assunto, de forma gradual e contínua; dessa maneira, acredito que desperte mais o interesse de cada criança em aprender mais e mais, e ainda se divertem. Li todo o material que já foi trabalhado nesse caderno e me encantei. Luiz, meu filho, fez vários comentários sobre o jogador Pelé, durante alguns dias, e eu não tinha entendido o porquê do seu interesse. Agora sei e achei o máximo, pois ele vai levar esse aprendizado para a vida toda! Estou muito orgulhosa de meu filho e satisfeita com a dedicação da professora Joyce. Acho um privilégio poder acompanhar a turma nessa experiência, em ir ao Galpão Cine Horto, pois acredito que será único, na vida das crianças, esse despertar do interesse pelas artes. Cynthia Dias (representante de turma, mãe do aluno Luiz Fernando)

77


Eu acho muito interessante a iniciativa da escola em levar as crianças ao teatro, porque teatro também é cultura. E com uma aula diferente as crianças aprendem muito mais. Quanto ao caderno de artes, achei bem organizado e cheio de informações, que a minha filha, Ludimila, vem comentando comigo no dia a dia. Muito bonito e bem colorido. Gostei! Ana Paula (mãe da aluna Ludimila) Eu acho que o projeto apresentado nesse caderno de Artes é muito interessante, pois as crianças, e também os pais, passam a aprender algumas coisas, tais como a história de Belo Horizonte, sobre o teatro, etc. Os alunos passam a se inteirar e se interessar por coisas mais importantes. Estão de parabéns. Claudiene (mãe do aluno Arthur) Eu acho excelente as crianças irem ao teatro e terem acesso à cultura e à arte. E principalmente verem filmes de personalidades que fazem parte da história, como no futebol e no cinema. Giovana (mãe da aluna Lorena) (...) Hoje ele leu todo este caderno. Que está lindo! Obrigada por me ajudar na educação do meu filho. Parabéns pelo seu trabalho. Obrigada! Nilza de Souza (mãe do aluno Vinícius) Uma matéria muito interessante. Adorei todas as atividades. O que mais me chamou a atenção foi o incentivo pela arte no projeto. Parabéns! Andreia Lessa (mãe da aluna Thaís) O projeto do teatro é interessantíssimo, desperta nas crianças o gosto pela arte. Neste mundo tão violento, desviar a atenção das crianças para esse tipo de coisa é muito importante. Que bom que posso contar com a escola também para a inserção de cultura na vida do Richard. Marcela Moreira (mãe do aluno Richard)

79


AS CRIANÇAS COMENTAM Eu senti muita emoção e alegria. Eu ouvi como era Belo Horizonte e o seu nome antigo era Arraial Do Curral Del Rey. Eu gostei muito do teatro! Davi Mayrink Salviano Eu senti muita alegria por estar lá. Eu ouvi o vô Nonô e a sua bisneta Lilica. Vou querer voltar. Foi muito legal! Luiz Fernando Brandão de Sousa No teatro nós tivemos tempo de falar, rir e de participar de algumas brincadeiras. Eu gostei muito da Lilica porque ela pediu ao vô que contasse histórias. Nós vimos o Charles Chaplin e o Pelé. O vovô Nonô fez sombras chinesas. O teatro foi muito bom! Marcelle Gabriel de Assis Eu gostei de ir ao teatro porque é muito legal! Eu gostei também quando o meu amigo foi ao palco e participou do teatro. O que eu achei mais engraçado foi quando a Lilica soprou a flauta no ouvido do Seu Nonô. Dalila da Silva Oliveira Eu gostei quando o bisavô e a bisnetinha começaram a chamar as crianças para participarem do teatro. Eu gostei do bisavô e da bisnetinha. Eles são muito legais! Parabéns pelo espetáculo! Eu achei muito organizado. Geovanna Giovanna Falieri Eu senti muita alegria e senti emoção. Eu ouvi a Lilica tocar um instrumento no ouvido do bisavô Nonô. Eu vi o filme de Pelé e do Charles Chaplin. Vou falar para vocês: eu adorei o teatro! Bruna Carvalho Silva

80


PROJETO 2 A ARTE NA FESTA JUNINA Eu gostei quando nós dançamos e quando eu fui à pescaria. Eu pesquei um pacote de pirulitos, balas e pipoca. Foi muito bom! Você sabia? Eu comi cachorro quente e tomei refrigerante. Vi o meu pai e a minha mãe jogarem bingo. Teve muita coisa: canjica, caldo, doces e refrigerantes. Richard Marcelo Gonçalves dos Santos Eu gostei muito das danças, comidas, brincadeiras e muito mais! A brincadeira que eu mais gostei foi a pescaria. A dança que eu mais gostei foi do "Tiau, tiau". A comida que eu mais gostei foi o cachorro quente. Só não pode ter bebida! Eu não gostei das bombinhas. Quem não veio perdeu! Foi muito legal! Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana Eu gostei muito dessa festa junina. Eu também gostei muito das danças. Eu não gostei quando as crianças começaram a soltar bombinhas, porque poluíram a escola. A festa estava muito boa! Geovanna Giovanne Falieri Eu achei muito legal quando as crianças dançaram. Foi muito bom! Eu não gostei quando Richard soltou a mão do par dele no caracol. Eu vi espantalhos e um cenário rural e muitas bandeirinhas. Estava muito legal Camille Figueiredo Oliveira Eu gostei quando a turma dançou. As comidas foram canjica, cachorro quente e muito mais. Os enfeites foram bandeirinhas, bonecos, milhos e espantalhos que estavam nas paredes. As brincadeiras foram pescaria, sobe e desce e bingo. Foi muito legal a festa! Thaís Lessa Venturini

82


A FAMÍLIA PARTICIPA Aí, que delícia! Estou muito orgulhosa do trabalho realizado no projeto “A arte na festa junina”. Assim como no projeto anterior, percebi muita organização e coerência entre as atividades. A professora realizou com muita sabedoria todo o planejamento proposto para desenvolver e estimular a criatividade dos alunos. As atividades instrutivas, como a realizada através de folheto de supermercado, possibilitaram aos alunos reconhecer e identificar os produtos utilizados para esse período festivo. Através das atividades informativas, eles conheceram um pouco da história da festa junina como cultura popular. Mas, como mãe, o que mais aqueceu meu coração foram as atividades livres, nas quais os textos foram produzidos pelos alunos e inspirados por experiências reais de cada um. Valores como o compromisso (em não deixar o par na mão no dia da festa), o respeito (que não se devem soltar bombinhas durante a apresentação do colega) e gratidão (pelo enfeite das roupas) foram muito bem explorados pela professora e identificados pelos alunos. Comparativamente, percebi a desenvoltura gradativa nas atividades executadas pelo meu filho entre um projeto e o outro. Reafirmo a importância desse trabalho, pois assim os educandos são motivados a expressar suas percepções, seus sentimentos, suas angústias, e nós, os pais, podemos adentrar esse universo de nossos filhos e aprender com eles outra visão, de um prisma diferente e sem limites, o deles. Parabéns a todos os envolvidos! Grace Santos (representante de turma e mãe do aluno Lucas Santos)

84


Esse trabalho está sendo muito bom. A Júlia está crescendo e desenvolvendo o gosto para as artes, aprendendo a criar, amadurecendo as ideias e elaborando os textos que faz, e noto o prazer que tem em fazer isso. Agradecemos a todos os profissionais da escola. Esse trabalho em equipe faz o diferencial na vida das crianças, é a base para o futuro de todas elas. Quando encontram amor, carinho, compreensão, dedicação, certamente terão um futuro brilhante. Muito obrigada, professora Joyce, pela arte da transformação, você transforma nossos filhos em pessoas conscientes, sensíveis, isto é o que queremos para o futuro da Júlia. Parabéns Joyce, parabéns Júlia, parabéns a toda a equipe do Sandoval, parabéns a todos os coleguinhas. Vocês vão brilhar muito! Família da aluna Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana Agradeço à professora pelo excelente trabalho desenvolvido e parabenizo os alunos pela dedicação e empenho. Em especial, parabenizo o João Victor, meu filho, por sua desenvoltura, vontade de crescer e melhorar. O tema abordado no segundo bimestre foi muito proveitoso e envolvente. Percebi o quanto os meninos participaram, principalmente com as prendas e a dança. Entenderam a importância do projeto e a responsabilidade da participação. Um abraço! Cristiane Melo (mãe do aluno João Victor Fernandes Ali) Nesse projeto analisei que tudo o que é trabalhado em sala de aula com eles é externado e colocado em prática, por isso admiro a dedicação e o interesse de cada um, a começar pela professora que lapida esses nossos verdadeiros artistas do amanhã. Eu estou surpresa com o desenvolvimento artístico da Bruna, por isso só posso lhe dizer obrigada pela investida. Parabéns! Iara (representante de turma e mãe da aluna Bruna) Gostei dos trabalhos desenvolvidos no projeto “A arte na festa junina” e estou muito contente com a forma como minha filha Roberta tem participado e realizado as atividades desse projeto. Geraldo (pai da aluna Roberta) O projeto “A arte na festa junina” está muito bom, ajuda e faz os alunos aprenderem o sentido e a admirar os preparos. A professora Joyce está de parabéns por plantar ideias e aprendizados com os alunos do 2º ano. Claudiene (mãe do aluno Arthur).

85


Que projeto bacana, amei!!! Espero que continue sempre assim, pois gostei de ver o interesse, sua dedicação pela arte e por tudo que envolve o seu compromisso com a escola, Geovanna. Também amei a sua gratidão por minha colaboração com você na festa junina. Também parabenizo a professora Joyce pelo trabalho desenvolvido, feito com muito amor e por isso tem tido muito sucesso. Que Deus continue te dando muita paciência, amor e muita sabedoria para continuar educando os nossos filhos, com esse dom tão especial que você tem. Parabéns e obrigada! Que Deus a abençoe sempre!!! Clenilda (mãe da aluna Geovanna) Percebi que a desenvoltura da Ana Eduarda para os desenhos melhorou muito. Acredito que ela está desenvolvendo as atividades com muito capricho e interesse, apesar de em alguns momentos mostrar descuido com as atividades. A leitura dela deu um salto grande. Percebo que ela cresceu no que diz respeito ao aprendizado e vejo que ela tem um grande interesse por projeto e leitura. Sempre que posso gosto de participar da vida escolar da Ana. Sei que isso é importante para ela e para o aprendizado dela. Irene Moreira e Ricardo Marcos (pais da aluna Ana Eduarda)

86


PROJETO 3: CANTANDO O HINO NACIONAL A FAMÍLIA PARTICIPA No passado, o Hino Nacional era cantado todos os dias no início das aulas. Vivi nessa época e respeito o país, conheço o Hino Nacional. É extremamente importante resgatar o que deu certo e aplicar no ensino de hoje. Quem respeita a nação que vive, não sai por aí depredando patrimônio, pixando monumentos, desrespeitando professores e pessoas que têm muito a ensinar de experiência de vida. Certamente a Júlia e os colegas aprenderam muito. Ela pesquisou na internet a letra e a música, demonstrando grande interesse. Mais uma vez parabenizo você, Joyce, e a escola, por ter incluído esse projeto no ensino. Elisa (avó da aluna Júlia dos Santos Oliveira Roveda Santana) Eu achei super legal! Porque vocês ensinam às crianças um pouco mais do Brasil. Vocês tiram as dúvidas das crianças, explicam quem fez a letra, quem fez a música, explicam o significado das palavras, etc. Muito legal, gostei muito. Denilson José Arruda (pai da aluna Vitória D'Arc Freitas Arruda) Sou Ana Cristina, mãe de Beatriz. Gostei muito desse projeto, principalmente porque as crianças estudaram o significado das palavras, pois muitas vezes eles cantam e não sabem o que quer dizer. A cada dia Beatriz chegava feliz dizendo: - Hoje eu aprendi o que quer dizer “lábaro”. Eu achei o máximo! E outras várias palavras... Continue assim Joyce, estou gostando muito. Parabéns. Ana Cristina (mãe da aluna Beatriz Cristina Moia Caetano) No ano passado o Richard me questionou muito sobre o Hino Nacional. Eu expliquei um pouco e disse que o Hino vinha impresso em alguns livros, na contracapa. Depois disso enviei um bilhete à professora sugerindo que o assunto fosse abordado na escola. Eu acreditava que a escola pudesse ensinar melhor que eu e de fato estava certa. Neste ano o Richard começou a aprender o Hino e passou também a ensiná-lo. Eu sempre soube cantar o Hino, mas não entendia tudo, nem conhecia o significado de todas as palavras. (...) Pude observar que os alunos não aprendem apenas a cantar, mas também a entender, a conhecer o significado das palavras. E isto é muito importante. Marcela Moreira (mãe do aluno Richard Marcelo)

87


Esse novo projeto me encantou porque além de ver no caderno, tive a oportunidade de ver a capacidade que eles tiveram de apresentar para o público com muita responsabilidade e postura de verdadeiros patriotas. Iara (mãe da aluna Bruna Carvalho Silva) Estive olhando o trabalho feito sobre o Hino Nacional e achei muito interessante, as figuras coloridas e o vocabulário, muito importante, pois leva o Vinícius a aprender com mais clareza sobre a inspiração do autor e intensificar os sentimentos patrióticos. Muito obrigada pelo seu trabalho (...) Lúcia dos Santos (responsável pelo aluno Vinícius de Souza Oliveira) Parabéns ao projeto! É sempre bem-vinda a iniciativa de fomentar nos alunos o desejo de conhecer e entender o Hino Nacional. José Roberto (pai da aluna Geovanna Giovanni Falieri) Achei de ótima escolha o tema do projeto “Cantando o Hino Nacional” e tenho certeza de que os exercícios ilustrativos sobre o Hino Nacional contribuíram muito para o aprendizado de minha filha Roberta. Geraldo (pai da aluna Roberta Matias dos Santos de Oliveira) Muito boa a ideia de resgatar o patriotismo começando bem cedo com as crianças, tornando-as adultas mais ligadas às questões para o bem do país. Bruno de Assis (pai da aluna Marcelle Gabriel de Assis). Esse projeto foi e é muito importante; nos tempos de hoje as crianças não sabem e às vezes nem conhecem o nosso Hino. Sou de um tempo em que toda sexta-feira cantava-se o hino na sala de aula. Hoje vejo que as crianças nem sabem se isso existe ou se sabem são nos jogos de futebol. Esse tipo de projeto deveria ser desenvolvido na escola. A Ana me deixou muito orgulhosa cantando-o na festa da família e desenvolvendo as atividades. Obrigada, professora Joyce. Irene Morais Moreira (mãe da aluna Ana Eduarda de Morais Moreira)

88


OS AUTORES

89


Tenho olhos castanhos e tambĂŠm sou negra. Eu sou feliz e tenho uma vida maravilhosa. Gosto de estudar, de brincar e de me cuidar. Eu sou caprichosa e sou cuidadosa. Beatriz Cristina Moia Caetano, oito anos.

91


Eu sou muito inteligente. Sou muito bonita. Gosto de ler e sou muito estudiosa. Eu gosto de brincar de boneca e de jogar peteca. Tenho os olhos verdes e sou alta. Marcelle Gabriel de Assis, sete anos.

92


Sou um menino brincalhão. Eu adoro brincar e desenhar. Pode contar comigo, sou um amigo do coração. Eu adoro estudar, mas também de brincar. Sou cuidadoso e agitado. Quando eu brinco, todo mundo ri. Adoro os meus amigos! Arthur Fernandes Vaz de Melo, sete anos.

93


Eu sou muito brincalhona Gosto muito de rir. Às vezes, sou um pouco desobediente. Gosto muito de cantar! Thainå Maria Ramos de Alencar, oito anos.

94

10


Eu sou uma menina quietinha. Adoro comer frutas! Adoro brincar de pega-pega! Sou muito boa. Eu sou brincalhona, às vezes. Quando é para estudar, eu estudo. Eu adoro a minha família! Adoro a professora Joyce! Ana Eduarda de Morais Moreira, sete anos.

95


Eu tenho olhos castanhos e sou um pouco agitado. Gosto de comer miojo, de comer frutas e de jogar futebol. Lucas Santos Alves Lopes, sete anos.

96


Eu sou um menino. Gosto de jogar bola e brincar de pega-pega e esconde-esconde. Gosto também de jogar videogame, de escutar música alta e de assistir filmes. João Vitor Papini de Paula, oito anos.

97 10


Eu sou um menino muito estudioso. Sou obediente, carinhoso e eu n達o brigo e nunca vou brigar. Gosto muito de brincar. Gabriel Cabral Araujo, sete anos.

98


Eu sou uma menina que n達o gosta de chocolate, todos acham estranho. Sou uma menina muito estudiosa. Gosto muito de livros grossos. Sou muito educada. Camille Figueiredo Oliveira, sete anos.

99 10


Eu sou a Ludimila. Amo brincar! Sou inteligente, às vezes a professora mostra o meu trabalho para os meus colegas. Gosto de conversar com os meus colegas. Sou meio teimosa e brincalhona. Sou filha única, mas quero ter um irmãozinho. Ludimila Almeida Orício, oito anos.

100


Eu sou muito brincalhona. Sou muito feliz. Adoro brincar com as minhas colegas. Sou muito inteligente e caprichosa. Tenho olhos castanhos. A cor dos meus cabelos 茅 castanho escuro. Estou em uma escola 贸tima! E estou com uma professora 贸tima, agrad谩vel e muito inteligente. Kathleen Luany Sena Monteiro, oito anos.

101 10


Eu gosto muito de chocolate. Quase como todos os chocolates que vejo pela frente! Gosto de ir ao shopping e ao cinema. Carolina Hypolito Silva, oito anos

102


Eu sou o Vinícius. Estou triste porque minha mãe morreu. Estou alegre com a minha irmã. Eu e o meu pai estamos brincando muito. Vinícius de Souza Oliveira, sete anos.

103 10


Eu sou uma menina muito bagunceira. O que eu mais gosto de fazer é pular corda e fazer bagunça na sala de aula. Eu tenho muitas amigas e elas são legais. Os meus olhos são castanhos escuros. Dalila da Silva Oliveira, sete anos.

104


Eu gosto de estudar, comer salada de frutas e brincar de pega-pega. Pablo Gustavo Alves de Assis, sete anos.

105 10


Eu sou muito alegre. Sou branca. Meus olhos s達o castanhos. Eu adoro a minha professora! Gosto muito de estudar e de conversar. Lorena Gomes de Miranda, sete anos.

106

10


Eu sou uma menina bem caprichosa. Gosto muito de desenhar. TambĂŠm gosto muito da professora. Eu sou a filha mais velha. Geovanna Giovanni Falieri, oito anos.

107 10


Eu sou a Bruna. Gosto muito de brincar. Sou morena e sou alegre. Sou risonha e gosto de conversar. Gosto muito, muito de fazer amizade. Bruna Carvalho Silva, sete anos.

108


Eu gosto muito de brincar e não converso muito. Gosto de comer batata, arroz, feijão, carne, bife de fígado e também de salada. Roberta Matias dos Santos de Oliveira, sete anos.

109


Eu sou um pouquinho desobediente. Gosto muito de estudar e fazer balé. Sou muito brincalhona. Tenho cabelos castanhos e olhos castanhos. Das crianças lá de casa, sou a mais velha. Thaís Lessa Venturini, oito anos.

110


Eu sou um menino qualquer. Eu gosto de brincar, é muito gostoso! Gosto da minha irmã. Sou muito criativo e desenho bem. Gosto de estudar, é muito gostoso! Luiz Fernando Brandão de Sousa, sete anos.

111 10


Adoro Matemática! Meus olhos são castanhos e meus cabelos são castanhos. Eu gosto da professora Joyce e também da escola. João Victor Fernandes Figueiredo Ali, sete anos.

112


Eu sou o Richard. Meus cabelos são pretos e os meus olhos são castanhos. Às vezes, eu sou brincalhão na sala de aula. Gosto de estudar. Sou muito inteligente! Richard Marcelo Gonçalves dos Santos, sete anos.

113


Eu me chamo Vitor. Gosto de estudar. Os meus olhos sĂŁo castanhos claros e a cor da minha pele ĂŠ caramelo. Vitor Hugo Silva Martins, sete anos.

114


Eu sou feliz e gosto de brincar de pega-pega. Davi Mayrink Salviano, sete anos.

115


Eu sou uma menina que gosta de estudar e brincar. Sou uma menina corajosa e respeitosa, que gosta muito de comer. JĂşlia dos Santos Oliveira Roveda.

116


Eu sou muito brincalhona. Eu sou legal e divertida! Sou bem caprichosa. Tenho olhos castanhos claros e meus cabelos tamb茅m. Sou moreninha. Vit贸ria D'Arc Freitas Arruda.

117


BIBLIOGRAFIA DE APOIO

CIPRIANO, Lúcia Helena Ribeiro. Linhas&Entrelinhas: 2º ano/Lúcia Helena Ribeiro Cipriano, Maria Otília Leite Wandresen; ilustrações Adilson Farias... (et.al.). 3. ed.Curitiba: Ed. Positivo; 2008. : Il.- (Coleção Linhas&Entrelinhas). COELHO, Ronaldo Simões. Urubu sabe. Formato Editorial. 2003 DIAS, Dora; CAPELLI, Alba. O ratinho e a lua. FTD. 2006 MARTINEZ, Rogério; VIDAL, Wanessa Pires Garcia. Geografia, 2º ano. 1ª série: ensino fundamental. São Paulo: Scipione. 3. ed. 2008 (Coleção A escola é nossa). MARTINS, Cláudio. Um passeio pela escola. Formato. 1998 (Coleção Viagem do olhar). SANTOS, Reginaldo (Coord.). Projeto Sociocultural Conexão Galpão. Belo Horizonte. 2011. SOURIENT, Lilian; RUDEK, Roseni; CAMARGO, Rosiane de. Interagindo com a geografia. 1ª série. São Paulo: 2. Ed. 2005 (Coleção Interagindo). PINTO, Gerusa Rodrigues Pinto. O jardim de Ceci. FAPI. 2005 (Coleção Sonho e Fantasia). ________________ Juju, a estrelinha preguiçosa. FAPI. 2005 (Coleção Sonho e Fantasia). ________________ Tico, o coelhinho das orelhas caídas. FAPI. 2005 (Coleção Sonho e Fantasia). SERRA, Maria José de. Por entre altos e baixos. Lê. 1992 ROCHA, Ruth. O menino que quase morreu afogado no lixo. Quinteto Editorial. 1999 WILLIS, Jeanne. Coelho mau. Ática. 2009. Secretaria de Estado de Educação de Minas Ferais. Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica. Superintendência de Educação Infantil e Fundamental. Programa de intervenção pedagógica. Alfabetização no tempo certo. Matriz curricular. Ciclo da alfabetização 1º, 2º e 3º ano do Ensino Fundamental. 2011.


UM CONVITE ESPECIAL

No final do mês de outubro, fechamos o material para que o livro fosse feito com todo carinho durante o mês de novembro por uma equipe que muito se empenhou para que ele estivesse prontinho no início do mês de dezembro. Mas, os autores não pararam de produzir... Quer ver mais? Faça-nos uma visita:

joycepianchao.blogspot.com sandovaldeazevedo.blogspot.com


Alunos do 2째 ano do Ensino Fundamental Escola Estadual Sandoval de Azevedo

2011

Letramento. Um ano de histórias 2011  

Projeto anual de produção textual.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you