Page 1

Jovem esperto é jovem vivo O que é a violência Violência criminal Bullying Homofobia Todos pela paz Combate à violência


Sumário

Apresentação

APRESENTAÇÃO........................................................3

O envolvimento de jovens brasileiros com a violên-

O QUE É VIOLÊNCIA?...............................................4

cia está cada vez mais alarmante e crítico. As soluções para solucionar este crescente problema não são simples,

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA VIOLÊNCIA?............5

muito pelo contrário, elas são difíceis e o caminho deve

VIOLÊNCIA CRIMINAL............................................7

ser construído com muita paciência e perseverança. o

JOVENS DELIQUENTES...........................................9

meio mais simples de tirar os jovens dessa enrascada é a

BULLYING................................................................10

orientação. O jovem esperto é o jovem vivo faz parte de um

VIOLÊNCIA CONTRA HOMOSSEXUAIS.............12

projeto acadêmico institucional da Universidade Católi-

AS DROGAS NA ADOLESCÊNCIA.......................14

ca de Santos - UniSantos -, do curso de Comunicação

O JOVEM E O ÁLCOOL..........................................15

Social com habilitação em Relações Publicas, da disci-

TODOS PELA PAZ...................................................16

plina Produção Gráfica I. O tema abordado nessa cartilha

A FAMILIA NO COMBATE A VIOLÊNCIA..........18

é a violência na juventude, seja ela em forma de bullying, criminal, virtual, entre outros. Esta cartilha reúne conhecimentos teóricos, definições, ações e dicas de como evitar e afastar os jovens da violência incentivando e estimulando de alguma forma, atitudes mais coerentes relativo ao convívio social e atitudes éticas e positivistas, que seja uma gota no oceano, mas que faça a diferença favoravelmente

PATROCÍNIO

APOIO

Expediente Esta cartilha é um projeto piloto realizado na disciplina de Produção Gráfica do curso de Comunicação Social, habilitação Relações Públicas da Universidade Católica de Santos. Redação: Aline Tiburcio, Isabella Zattoni e Luanna Marcondes. Produção Gráfica: Aline Tibucio. Maio/2013.

3


Violência

Quais são as causas da violência?

A violência é hoje a principal causa das mortes de pessoas com idades entre 15 e 44 anos

A violência pode ter várias causas, vamos nos ater aqui a algumas causas psicológicas e sociológicas.

Aline Tiburcio autor da foto

É tudo aquilo que fere, destrói, agride ou machuca as pessoas, ações que não preservam a vida ou prejudicam o bem estar tanto individual quanto coletivo.

a) Psicológicas

esses atos afrouxam o elo social.), processos culturais

Privações de afeto e perdas. Segundo vários estu-

que intensificam o individualismo, a crise moral (moral aqui não tem a ver com certo ou errado mas com coesão

diosos, tais privações podem obstruir os processos de

social) e de autoridade das instituições responsáveis pelo

socialização, problemas durante o desenvolvimento e

controle social: escola, tribunais, prisões, etc., impunida-

na formação das estruturas de personalidade, humilha-

de, discriminação, corrupção, tratamento discriminatório

ções e frustrações, severas ou não dependendo da pes-

da população mais pobres, interesses políticos e econô-

soa, busca da autoridade (alguém ou algo que coloque

micos (ex: guerra dos EUA x Iraque), entre outros.

limites), excesso de rigor e autoritarismo, restrição das

E

possibilidades de diálogo e negociação, enfraquecimen-

mbora a forma mais evidente de violência seja a física, existem diversas formas de violência como a psicológica, sexual, negli-

A maioria das mortes acontece entre quatro paredes

to do processo de identificação, que faz com que você

ca cicatrizes para toda a vida. Existem várias formas de

enxergue o outro como igual, com os mesmos direitos

violência psicológica, como a mobilização emocional da

gência, económica e verbal .

vítima para satisfazer a necessidade de atenção, carinho

A violência física é o uso da força com o objeti-

e de importância, ou como a agressão dissimulada, em

vo de ferir, deixando ou não marcas evidentes. São co-

que o agressor tenta fazer com que a vítima se sinta infe-

muns, murros, estalos e agressões com diversos objetos.

rior, dependente e culpada. A violência verbal não é uma

A violência física pode ser agravada quando o agressor

forma de violência psicológica. A violência verbal nor-

está sob o efeito do álcool, ou quando possui uma Em-

malmente é utilizada para oportunar e incomodar a vida

briagues Patológica ou um Transtorno Explosivo. A vio-

das outras pessoas. Pode ser feita através do silêncio, que

lência psicológica ou agressão emocional, tão ou mais

muitas vezes é muito mais violento que os métodos utili-

prejudicial que a física, é caracterizada pela rejeição,

zados habitualmente, como as ofensas morais (insultos),

depreciação, discriminação, humilhação, desrespeito

depreciações e os questionários infindáveis.

e punições exageradas. É uma violência que não deixa

e necessidades e enfraquecimento da alteridade, que faz com que você enxergue o outro como diferente de você e com necessidades diferentes das suas. Dar exemplos e sempre que possível relacionar com a realidade escolar. b) Sociológicas Preconceitos de gênero, raça, crença, crenças fundamentalista, desigualdade social e má distribuição de renda, exclusão social, processos de opressão das massas, falta de coesão social (Para Durkheim, os indicadores do índice de coesão social são o suicídio, o crime e as toxicomanias. Para ele, é bom que os atos que ofendem as regras de convívio social não sejam tolerados, pois

marcas corporais visíveis, mas emocionalmente provo-

4

5


Violência criminal Atualmente o Brasil esta sofrendo um grave problema social, que esta atingindo proporções alarmantes Isabella Zattoni

Todos os dias, o país assiste nas telas a multiplicação de episódios dramáticos de violência no campo, nas favelas e nas periferias urbanas

Apesar de muitas vezes o jovem menos favorecido, acha-

envolvimento de crianças e jovens em si-

jovens, mais sim os adultos responsáveis, que passam a

O

rem que não tem alternativa, a não ser o crime, por causa de sua classe social e ambiente em que vive, os jovens de classes mais altas acham que podem fazer o que quiserem, que nunca acontecerá absolutamente nada com eles e sempre conseguirão o apoio dos pais. Com essas atitudes, não podemos culpar apenas os

tuações de violência vem crescendo, umas

educação errada e sempre arranjam uma desculpa, para

das grandes causas para isso acontecer,

que o que seus filhos fazem e muitas vezes alegando que

são os problemas que os jovens possuem

são apenas jovens e que não sabiam o que estavam fa-

em casa, orientações erradas, ensinamentos de péssima

zendo.

qualidade.

Sendo assim, temos que nos conscientizar que a

Podem não acreditar, mas atitudes tomadas em casa

principal educação para os nossos jovens vem de dentro

influenciam sim na formação de pessoas que convivem

de casa e que às vezes, uma coisa insignificante, como

no mesmo ambiente. Crianças e jovens absorvem tudo

um conselho bobo, no futuro pode se tornar uma decisão

que presenciam, desse modo, causando desajustes psi-

tomada pelos jovens que serão o futuro do nosso país.

cológicos e acaba levando, em muitos casos o jovem para o caminho da delinquência. Hoje podemos perceber que não são apenas as classes sociais baixas que sofrem com esse tipo de problema, cada vez mais, a mídia vem divulgando casos onde os maiores culpados são jovens de classe média e a alta.

6

7


Jovens delinquentes No começo deste ano uma adolescente mata turista na frente da esposa em Praia Grande Aline Tiburcio Nina Barbosa/TV Tribuna

Segundo a polícia, garota confessou participação no assassinato.

U

m turista de São Paulo morreu depois de ser baleado por uma menina durante um assalto em janeiro deste ano em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O em-

Menina foi apreendida na cidade de Franco da Rocha

presário estava em um carro com a esposa, a enteada de oito anos e uma prima. Segundo a polícia, a garota que

dela e pediu que não levasse nada. A jovem acabou se

atirou contra o rapaz tem 14 anos.

irritando e deu um tiro no peito do turista. A criminosa não conseguiu levar nenhum pertence da vítima.

Rafael Abbatipietro Nunes Rosa, de 29 anos, estava parado no trânsito na Avenida Marginal da Via Expres-

A vítima ainda conseguiu sair do carro e correu atrás

sa Sul quando pediu informação para um homem sobre

da menina, mas não aguentou e caiu na avenida. A esposa

como chegar a via principal. De acordo com o boletim

do turista levou o empresário baleado até o pronto-socor-

de ocorrência, o mesmo homem teria voltado minutos

ro Central, onde o turista chegou ainda com vida, mas

depois, acompanhado da jovem que, segundo testemu-

não resistiu ao ferimento e morreu.

nhas, teria anunciado o assalto. Inicialmente a polícia

A menor deliquente foi localizada em Franco da Ro-

divulgou que a jovem teria 15 anos.

cha, na grande São Paulo, e encaminhada para o Juizado de Menores da cidade do litoral de São Paulo. Ela foi

De acordo com as vítimas, a assaltante queria a cor-

internada na Fundação Casa.

rente de ouro e o relógio do turista, que segurou a mão

8

9


Bullying Aline Tiburcio

O bullying pode ocorrer em qualquer contexto social, como escolas, universidades, famílias, vizinhança e locais de trabalho.

autor da foto

B

ullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas.

O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato. É uma das formas de violência que mais cresce Esse tipo de violência tem sido cada vez mais noticiado e precisa de educadores atentos para evitarem consequências desastrosas

no mundo”, afirma Cléo Fante, educadora e autora do livro Fenômeno Bullying: Como Prevenir a Violência nas Escolas e Educar para a Paz (224 págs., Ed. Verus,

dimento escolar, crianças e adolescentes que passam por

tel. (19) 4009-6868 ). Segundo a especialista, o bullying

humilhações racistas, difamatórias ou separatistas po-

pode ocorrer em qualquer contexto social, como escolas,

desm apresentar doenças psicossomáticas e sofrer de al-

universidades, famílias, vizinhança e locais de trabalho.

gum tipo de trauma que influencie traços da personalida-

O que, à primeira vista, pode parecer um simples apelido

de. Em alguns casos extremos, o bullying chega a afetar

inofensivo pode afetar emocional e fisicamente o alvo

o estado emocional do jovem de tal maneira que ele opte

da ofensa.

por soluções trágicas, como o suicídio.

Além de um possível isolamento ou queda do ren-

10

11


Violência contra homossexuais

Os atos contra homossexuais estão se tornando mais constantes

Luanna Marcondes autor da foto

“A cada dois dias um homossexual é assassinado no Brasil e precisamos dar um basta nesta situação”, afirmou Marcelo Cerqueira, presidente do GGB

A

O número de homossexuais assassinados no Brasil tem aumentado nos últimos anos

v iolência se manifesta por meio da

fisicamente, mas também psicologicamente. Apelidos de

opressão, da tirania e de abuso da força.

baixo calão, assim como nomes usados para classificas

Ocorre do constrangimento exercido so-

os negros afrodescendentes, são também usados contra

bre alguma pessoa para obrigá-la a fazer

os homossexuais. O tipo de comportamento ainda con-

ou deixar de fazer algum ato por meio da agressividade.

siderado antinatural é criticado por indivíduos comuns,

É um comportamento que causa intencionalmente dano

autoridades e religiosos, tornando-se uma ilha cercada

ou intimidação moral a outra pessoa.

pela ignorância e ódio.

A violência contra homossexual se encaixa em

A sexualidade não admite opções, simplesmente é.

quaisquer definições do sentido dado ao termo “violên-

A homossexualidade é tão legítima e inevitável quanto à

cia”. Já se tornou comum assistir aos noticiários e depa-

heterossexualidade. Associar o GLS ao amor deveria ser

rar-se com notícias de agressões causadas por homofo-

tão comum quanto associar a homossexualidade à vulga-

bia, nas quais geralmente os agressores são jovens.

ridade. Aceitar não é essencial, mas respeitar é.

Este tipo de violência gratuita se manifesta não só

12

13


As drogas na adolescência

O jovem e o álcool Estar alcoolizado aumenta a chance de violência sexual, seja para o agressor, seja para a vítima Aline Tiburcio

O

O jovem está suscetível a cometer loucuras enquanto está alcoolizado, ele geralmente perde a noção do perigo e acaba se envolvendo em confusões que podem resultar em morte. uso de drogas é um fenômeno bastante an-

plexidade, difícil de ser abordado. Os atos de agressões

tigo na história da humanidade e constitui

causados como consequência do uso deste, é caracteriza-

um grave problema de saúde pública, com

do como qualquer forma de conduta direcionada visando

sérias conseqüências pessoais e sociais no

prejudicar ou ferir outra pessoa, mesmo que o usuário esteja consciente ou já tenha perdido o senso do limite.

futuro dos jovens e de toda a sociedade.

D

autor da foto

urante a intoxicação, há maior envolvimento em atividades sexuais sem proteção, exposição a doenças sexualmente transmissíveis e à gravidez. Devido à

legenda legenda legenda legenda legenda

gravidade das consequências sociais do uso abusivo de álcool, políticas públicas visando reduzir seu consumo

isso maior consumo. Estudos demonstram que a taxação

A adolescência é um momento especial na vida do

A maior parte dos jovens busca como liberdade, di-

vêm sendo adotadas em nosso país, algumas delas com

de bebidas alcoólicas pelo Estado é uma estratégia sim-

indivíduo. Nessa etapa, o jovem não aceita orientações,

versão ou lazer o uso de substâncias químicas. O consu-

bastante sucesso. A mesma linha de raciocínio pode ser

ples e eficaz na redução da venda de bebidas alcoólicas,

pois está testando a possibilidade de ser adulto, de ter

mo de drogas causa dependência e faz com que os jovens

desenvolvida com respeito à prevenção de violência por

mas sua implantação enfrenta enormes resistências por

poder e controle sobre si mesmo. É um momento de di-

fiquem mais violentos, agressivos e volúveis a qualquer

meio da adoção de políticas públicas direcionadas à re-

parte da indústria do álcool. Já a publicidade influencia

ferenciação em que “naturalmente” afasta-se da família

tipo de agressão, seja ela física ou verbal.

dução do consumo de álcool.

o consumo de bebidas alcoólicas de acordo com fatores

e adere ao seu grupo de iguais. Se esse grupo estiver ex-

como exposição, lembrança e apreciação de propagandas

Esse consumo está relacionado a fatores como bai-

perimentalmente usando drogas, o pressiona a usar tam-

por parte do público. Ou seja, quanto mais o indivíduo

xo custo das bebidas alcoólicas e propaganda. A aguar-

bém. Ao entrar em contato com drogas nesse período de

lembra e gosta da propaganda, maior será a chance de

dente de cana, ou “cachaça”, e a cerveja são exemplos

maior vulnerabilidade, expõe-se também a muitos riscos.

consumir álcool no futuro.

de bebidas extremamente baratas em nosso país. Esse

O encontro do adolescente com a droga é um fenômeno

baixo custo resulta em maior acesso da população e por

muito mais freqüente do que se pensa e, por sua com-

14

15


Todos pela paz Estar alcoolizado aumenta a chance de violência sexual, seja para o agressor, seja para a vítima

A

p az é geralmente definida como um esta-

“Jovens tende a coragem de vos fazer perguntas sinceras

do de tranquilidade, calma, uma ausência

sobre o sentido da vida!; Formai-vos para ser retos e cla-

de perturbações, violências e sentimentos

ros no pensamento, na ação, no respeito e diálogo com

negativos. Ela deve ser desejada por cada

os demais. Mantende em primeiro lugar uma relação ver-

pessoa para si próprio, e assim, para os outros, devendo

dadeira com Deus, que requer uma conversão pessoal e

ser uma saudação e um princípio e objetivo de vida. A

uma abertura a seu mistério.”

paz é mundialmente representada pelo pombo branco e

Assim, a busca pela paz deve ser uma procura diá-

pela bandeira branca.

ria e consequência de um mundo melhor. A Jornada pela

Pequenos gestos e atitudes podem incentivar a

Paz, com seus diferentes temas escolhidos pelo Papa,

tranquilidade e a paz entre os indivíduos. Princípios

proporciona o encontro de todos os cidadãos que pos-

como o caráter, educação e respeito são características

suem essa vontade de busca, de manifestação e realiza-

essenciais para que a violência, seja ela verbal ou física,

ção, ao encontro da paz.

não aconteça. Sorrir, ajudar e colaborar sempre que possível, ser solidário, respeitar o próximo, contribuir para a harmonização e organização do ambiente, pedir autorização, não ser influenciável, ser amável, preocupar-se com o próximo e principalmente ser educado, são práticas nas quais deveríamos adotar no nosso dia a dia. No texto “É urgente educar os jovens para a paz, diz o Papa”, encontrado no site Uol, o Papa argumenta:

16

17


O papel da família no combate a violência

me, contudo a partir do nosso amadurecimento, a expectativa é que consigamos lidar com eles de maneira mais elaborada. O que significa isso? Por exemplo, eu posso sentir raiva de alguém, mas não chegarei ao ponto de matá-la. Eu não preciso concretizar essa minha agressividade, contudo posso lidar com esse sentimento de um

Em entrevista, a psicóloga Ana Carlota Pinto Teixeira defende que para combater a violência é necessário o resgate da família.

outro jeito e ser capaz de perdoar, de reparar. Também sentimos medos de não nos sentirmos capazes de cuidar da nossa agressividade. Assim, a violência faz com que fiquemos assustados e inseguros como se também não fôssemos dar conta. Por exemplo: uma criança sente raiO jovem esperto é o jovem vivo - Quais fatores seriam as causas das pessoas se tornam violentas?

O jovem espero é o jovem vivo - De que forma a

Ana Carlota Teixeira - A violência é conseqüência

violência tem influenciado a vida das pessoas?

da falta de uma educação afetiva em algum momento na

Ana Carlota Teixeira - Ela tem assustado muito as

infância, ausência de representantes adequados da lei,

pessoas por estar de forma generalizada na sociedade. A

da moral. A agressividade natural vai sendo elaborada

agressividade é uma força natural, é algo inerente ao ser

durante o desenvolvimento da pessoa a partir da relação

humano. E essa agressividade como força é importante,

com os pais, que são as autoridades da infância, além dos

em função de que todos nós precisamos dessa força para

avós, da escola, da sociedade e da Igreja e, na medida

viver, lutar, crescer e batalhar pelas coisas. Então, é uma

em que essa sociedade não assume o papel de autorida-

força natural que deve ser elaborada, mas quando é no

de, contribui para que essa agressividade se transforme

sentido exagerado e não elaborado, ela sai em forma de

de modo inadequado e torna impossível a vivência em

violência. Essa violência acaba, portanto, destruindo o

comunidade.

outro e impedindo essa convivência em sociedade. Isso

va, porém ela precisa de garantias que os pais não vão deixá-la matar ninguém e não vai deixar concretizá-la. Ela precisa também ter a confiança de que os pais estão ajudando a cuidar dos seus sentimentos. E parece que, nós adultos, ficamos como que crianças, assustados com o que podemos fazer, porque não tem ninguém para nos impedir. Além do medo de não dar conta de nos impedir. E estamos num momento social em que as pessoas não podem contar com essa rede de autoridades, porque as nossas fontes de autoridade são perversas também e não

senvolvimento infantil, ou seja, em cada fase, a criança demonstra um nível de agressividade próprio e normal e que é saudável. Às vezes, os pais confundem e consideram que a criança seja violenta, naquele momento. Por exemplo, para uma criança de 2 anos é normal ser agressiva, brigona, egoísta. E se os pais conseguem compreender isso, serão capazes de respeitar, educar e ajudar a criança a conter e lidar com os seus sentimentos. Em diversos casos, os pais são mais assustados que os filhos e acabam sendo mais agressivos, querendo educar antes da hora. A família é muito importante no sentido de dar limites à criança sobre o que é dela ou do outro. E esse é um processo difícil mesmo, pois envolve afetos e emoção o tempo todo e, às vezes, os pais também estão assustados com as próprias emoções, mas eu sempre acredito na prevenção, na educação da família. A escola e a mídia também exercem um papel muito importante. É preciso educar porque a agressividade é natural, mas para não ser transformada em violência, a criança precisa ser educada com afeto e com limites.

estão dando conta de pôr limites claros, adequados e justos. Então, isso gera muita insegurança e contribui para que as pessoas fiquem doentes mesmo, isoladas e não saibam muito bem como lidar com isso. Ficam a mercê do medo e a mercê do medo, da violência de outro.

acaba assustando tanto pela preocupação de cada um ter

O jovem esperto é o jovem vivo - Fale um pouco de

que elaborar a sua agressividade como pelo fato de ficar

como as pessoas se tornam doentes devido à violência.

exposto à agressividade do outro. Isso faz com que fiquem mais assustados e desacreditados na própria vida,

Ana Carlota Teixeira - Da mesma maneira que essa

gerando uma certa insegurança, até em viver, sair na rua,

agressividade é inerente ao ser humano, existe medo

cuidar da própria casa ou dos filhos. Isso já é uma des-

também em cada um de nós. Outros sentimentos não tão

crença em nosso sistema, de certa forma.

positivos existem dentro de nós, como a inveja e o ciú-

18

O jovem esperto é o jovem vivo - Quais seriam as formas de se conter a violência na sociedade de hoje? Ana Carlota Teixeira - Acredito que cada um pode fazer um pouco e que a família é muito importante nesse sentido. É preciso que os pais saibam respeitar o de-

Ana Carlota Pinto Teixeira Psicóloga


Esta cartilha reúne conhecimentos teóricos, definições, ações e dicas de como evitar e afastar os jovens da violência incentivando e estimulando de alguma forma, atitudes mais coerentes relativo ao convívio social e atitudes éticas e positivistas, que seja uma gota no oceano, mas que faça a diferença favoravelmente

PATROCÍNIO

APOIO


Jovem Esperto é Jovem Vivo  

Cartilha sobre a violência entre os jovens

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you