Page 1

Ano II

NĂşmero 333

Data 25.01.2013


o tempo - edição eletrônica - economia - 25.01.13

NOME LIMPO

Consumidor encerra ano com dívida menor

DA REDAÇÃO O indicador de inadimplência da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte, divulgado ontem, mostra que o consumidor procurou quitar suas dívidas em dezembro. O número de cancelamentos de registros junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) cresceu 9,29% em todo o ano de 2012. "A taxa de desemprego da Região Metropolitana de Belo Horizonte é uma das menores da história. Empregado e com maior renda mensal, o consumidor teve maior facilidade para quitar seus débitos. Além disso, a pressão do governo federal sobre os bancos comerciais implicou na redução dos juros ao consumidor, facilitando a negociação com os bancos", explica Bruno Falci, presidente da CDL/BH.

Se comparado ao mês de novembro, houve queda dos cancelamentos em dezembro de 29,74%, mas ela é atribuída à Campanha de Recuperação de Crédito, que havia ocorrido ainda em novembro. Quanto aos registros no SPC, houve queda de 23,62%. "O décimo terceiro salário permitiu que os consumidores não se endividassem para realizar suas compras. Além disso, a Campanha de Recuperação de Crédito, promovida pela CDL/BH em novembro, levou muitos consumidores a regularizarem suas dívidas", completa Falci. O movimento do consumidor na CDL ainda é alto: passam por lá cerca de 600 pessoas por dia para fazerem consultas referentes às dívidas, formando filas. Em dezembro, a frequência foi 800 pessoas por dia.

INADIMPLÊNCIA

Situação financeira das famílias melhora

Rio de Janeiro. Embora os consumidores tenham ficado menos confiantes em janeiro, a situação financeira atual das famílias melhorou em relação a dezembro, segundo a Sondagem do Consumidor, divulgada ontem pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O avanço foi de 1,9% no período, após ter registrado queda de 3,7% na leitura anterior. "Nesse mês, a situação financeira das famílias melhorou. Ao que parece, as famílias estão menos endividadas e menos inadimplentes", disse Viviane Seda, coordenadora técnica de Análises Econômicas do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV). A sondagem levantou em janeiro o nível de inadimplência das famílias. O percentual de consumidores que revelou estar inadimplente em mais de 30 dias diminuiu de 9% em

outubro de 2012 para 7,6% em janeiro de 2013. "O consumidor está mostrando agora que começou a se recuperar financeiramente, mas ainda não está num ponto de voltar a consumir como antes", alertou Viviane, lembrando, que, em janeiro, as expectativas de compras para bens duráveis tiveram redução de 2,8% em relação a dezembro. Na pesquisa, a faixa de renda mais baixa, que recebe até R$ 2.100, tem o maior percentual de inadimplência. Ela passou de 18,7% em outubro de 2012 para 15,3% em janeiro de 2013. Já a fatia de inadimplentes na faixa mais alta, que recebe mais do que R$ 9.600,01, aumentou de 2,3% para 3,5% no mesmo período.

25.1.2013  

Clipping Eletrônico

Advertisement