Page 1

Curso: Animação Sócio Cultural 1ºAno 2º Semestre Ano Lectivo: 2010/2011 Unidades Curriculares: Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia (TICM) e Artes Plásticas Docentes: Ana Velhinho e Marco Silva

Relatório Individual

Discente: Pedro Lourenço Nº10246


Introdução Este relatório é realizado com base nas unidades curriculares de Tecnologia da Informação e Comunicação Multimédia (TICM) leccionada pela professora Ana Velhinho, e Artes Plásticas leccionada pelo professor Marco Silva. Ao longo do mesmo encontra-se a reflexão de duas visitas de estudo realizadas á Casa da cultura Beja e Museu Jorge Vieira no âmbito da unidade curricular de artes Plásticas e descrição de um seminário intitulado “Acessibilidade Digital - conceitos e casos práticos”que decorreu no auditório da Escola Superior de Educação de Beja (ESEB) no âmbito da unidade curricular de TICM. Também estará descrito todo o processo que envolveu a peça de teatro de fantoches “O Príncipe Sapo”, nomeadamente a construção dos fantoches e respectivos cenários, desenvolvimento do guião da peça, construção de cartazes e flyers de divulgação, criação de um Blog, do Facebook e tudo o que envolveu este projecto.


Reflexão de visita de estudo em Beja

Dia: 22 Março 2011 Local: Beja

No passado dia 22 Março de 2011, no âmbito da unidade curricular de Artes Plásticas, leccionada pelo professor Marco Silva, visita-mos a Casa da Cultura em Beja (na qual vimos duas exposições, uma de Carlos Páscoa e outra de Pedro Fausto Monteiro e estivemos na BDTECA) e o Museu Jorge Vieira (onde observamos uma exposição). Na casa da Cultura a primeira exposição era de Pedro Fausto Monteiro e a segunda exposição era de Carlos Páscoa e era sobre banda desenhada. Nesta exposição existiam vários quadros com banda desenhada. Por fim visitamos e ficamos a conhecer a BDTECA que existe em Beja no mesmo edifício. Relativamente à BDTECA é uma das três que existem no país (Beja, Lisboa, Amadora) e como o nome indica é uma biblioteca especializada em banda desenhada. O director é o Paulo Monteiro, tem dois colegas, o Nuno Sousa e a Susana Monteiro. Os vários livros que lá se encontram estão em várias línguas, como o espanhol, inglês francês e 98%, 99% são de banda desenhada, como o cartoon, cinema de animação, ilustrações. Na BDTECA existem livros muito raros e difíceis de encontrar e a mesma esta dividida por temas, como por exemplo, humor, Mango, BD infantil, etc. Fazem varias exposições ligadas à BD e na 3 semana de cada mês passam um filme relacionado com Banda Desenhada. No edifício têm oficinas de BD, vão a escolas do 1 ciclo falar sobre a Banda Desenhada.


A sala da BDTECA é não só um espaço de biblioteca onde têm os vários livros, mas também um espaço de trabalho – atelier. Por sua vez depois do trabalho que têm a criar a BD, existe a vertente de publicação/edição, e ai já publicaram por exemplo “Venham mais 5”, “Splaft”, “Toupeia”. O evento mais importante que organizam é o Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, que decorre em Maio, tem a duração de 15 dias, atrai cerca de 7 a 8 mil pessoas e no mesmo estão presentes autores de BD importantes, como o caso de Dave Makin. Por último visitamos o Museu Jorge Vieira onde estava uma exposição de várias figuras originais, como o exemplo de várias caras, figuras humanas completamente sem roupa.

Peça do Museu Jorge Vieira

Quadro Casa da Cultura


Reflexão da assistência a um Seminário

Dia: 9 Março 2011 Hora: 14:00 às 16:00 Local: Auditório da Escola Superior de Educação de Beja

No passado dia 9 de Março de 2011 no âmbito da unidade curricular Tecnologias de Informação e Comunicação Multimédia leccionada pela professora Ana Velhinho, assisti a um seminário intitulado “Acessibilidade Digital - conceitos e casos práticos”que decorreu no auditório da Escola Superior de Educação de Beja (ESEB). O seminário foi dirigido pelo professor Luís Bruno da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTIG). O seminário decorreu através de uma apresentação em PowerPoint, na qual estavam os conceitos base e depois de demonstrados e explicados os mesmos, quem estava a dirigir o seminário falava e demonstrava um pouco, sobre casos práticos (nomeadamente que se ao utilizarmos um computador temos ferramentas que ajudam pessoas com algumas dificuldades – lupa, teclado no ecrã, reconhecimento de voz, etc). Inicialmente foi-nos explicado o que é a Acessibilidade Digital (facilidade de acesso e de uso de ambientes, produtos e serviços por qualquer pessoa e em diferentes contextos. Também envolve o design inclusivo), Acessibilidade Web (é para todas as pessoas sem diferenciações, perante as dificuldades que possam existir, isto devido as necessidades especiais, como a visual, motora, auditiva, convulsões, cognitiva). Depois de explicado um pouco sobre estes conceitos, observamos um vídeo no youtube, intitulado “Acessibilidade Web – Custo ou Benefício?” Seguidamente foram-nos apresentadas algumas tecnologias /ferramentas de apoio, nomeadamente os leitores de ecrã (lêem o conteúdo textual das páginas usando


sintetizadores de fala e permitem seleccionar blocos de informação – deficiência visual), Terminais Braille (transforma os caracteres de texto em caracteres Braille - deficiência visual), Reconhecimento da fala (recebe comandos de voz do utilizador - deficiência motora) e outras soluções (nomeadamente reconhecimento do olhar, ratos de pés, interfaces cérebro, ampliação de ecrãs, manípulos de controlo manual, ponteiros de controlo de cabeça, aceleradores de escrita, legendagem). Posteriormente

apresentou-nos

algumas

referências

Internacionais

(WebAcessibility), Nacionais (P.Acesso UMIC.PT, Acessibilidade. net), e princípios das directrizes (WCAG2.0). Por último realizou alguns casos de estudo, nomeadamente no site de acessibilidade.net, da Presidência de república e no site do IPBeja, na qual se detectaram alguns erros em ambos.


Reflexão do processo de Fantoches

O meu grupo de trabalho neste projecto foi composto por 4 elementos, nomeadamente eu, o Filipe Felício, a Florinda Lourenço e a Sara Silvério. Escolhemos a história do “Príncipe Sapo” dos irmãos Grim. Depois de escolhida a história construímos o guião da peça no programa Celtex. De seguida decidimos com que material fazer os fantoches (em esponja) e começamos logo a construi-los. Criamos o Facebook, o Blog, o Flyer, a Newsletter e o Cartaz de divulgação e por último construímos os cenários e o filme de todo o processo realizado. A peça por fim realizouse no dia 22 de Junho peças 15.00 horas no estúdio da escola superior de educação, na qual toda a turma assistiu e os professores avaliaram e deram a sua opinião.

Parte Informática A parte informática foi desenvolvida nas aulas de Tecnologia da Informação e Comunicação Multimédia (TICM), leccionadas pela professora Ana Velhinho na qual aprendemos a trabalhar com alguns programas desde o Celtex, o Gimp, Mozilla Thunderbird e o Windows Movie Maker. No Celtex (programa próprio para criar guiões de peças de teatro, cinema, novelas, banda desenhada entre outros), construímos o guião da peça, que foi composto por três cenas. A primeira cena correspondeu a quando a princesa vai brincar para uma floresta ao pé do seu castelo e conhece o sapo, a segunda cena corresponde a quando a princesa esta a jantar com o seu pai e o sapo lhe bate à porta e diz que ela tem de cumprir o que prometeu e a terceira cena corresponde a quando a princesa vai para o seu quarto com o sapo e ela se transforma numa rã. O Gimp (programa de manipulação de imagens) foi utilizado para construir os cartazes de divulgação da peça, os botões e o Banner para o Blog. O Banner é o


cabeçalho do Blog e os botões é o que vai dar acesso as várias páginas do blog, nomeadamente a página das personagens, dos cenários e guião da peça. O Mozilla Thunderbird (programa de correio electrónico) serviu para mandar a Newsletter à professora. Por último o Movie Maker (programa para construir filme) utilizou-se par fazer um filme desde a montagem dos bonecos, cenários e tudo o resto. Todo o trabalho desenvolvido nas aulas é para avaliação e ao longo do semestre tínhamos datas de entrega de cada parte que foi aprendida nas mesmas e fazia parte do projecto. Os respectivos links, onde se encontra a informação do projecto são: Blog - http://projetodeteatrooprincipesapo.blogspot.com/ Facebook - https://www.facebook.com/home.php#!/profile.php?id=100002227514161


Elementos de Divulgação:

Cartaz 1

Cartaz Final

Cartaz 2

Flyer

É de referir que os únicos elementos que foram demonstrados à comunidade escolar foram o cartaz final e o Flyer. Os outros cartazes foram exemplos de possíveis cartazes construídos nas aulas até chegar ao final.


Elementos do Blog:

Banner

Botões do Blog Estes foram os elementos que se construíram no Gimp para colocar no Blog. Nos respectivos botões, depois quando se clica em cada um dos botões têm-se acesso a uma página, nomeadamente a das personagens, dos cenários e Guião da peça. Na página dos cenários vai-se encontrar os esboços e os respectivos cenários concluídos, na página das personagens as respectivas personagens desde a parte em que ainda só existia um braço ou uma perna até ao fantoche completo e no do guião da peça o respectivo.


Parte Plástica A parte plástica foi desenvolvida nas aulas de Artes Plásticas, leccionada pelo professor Marco Silva, na qual inicialmente observamos alguns vídeos de como construir fantoches, realizamos pesquisas de como construir fantoches. Ao longo do semestre e das aulas, à medida que irmos desenvolvendo trabalho, mostrava-mos ao professor e fazia-mos pontos da situação de como se estava a desenrolar o trabalho. Depois o professor dizia se o trabalho a ser desenvolvido levava o caminho correcto, ou se tínhamos alguma duvida o professor dava dicas para o melhor caminho a seguir para a superar. Propriamente a construção dos fantoches é de citar que o material utilizado foi esponja, bolas de pingue-pongue, lã para o cabelo, cola de contacto para unir a esponja, e sprei para colorir os sapos. Construção dos cenários utilizou-se lençóis brancos, tinta para colorir, padrões de várias cores para colar a fazer formas. Os fantoches construídos foram 4 (Rei, Princesa e dois sapos) e os cenários foram 3 (floresta, sala de jantar e quarto da princesa), os adereços foram uma cama para o quarto e uma mesa para a sala de jantar. Inicialmente fizemos esboços em papel de cada uma das personagens e cada um dos cenários. Depois fizemos um sapo em plasticina para termos uma ideia de como construir o sapo em esponja. Seguidamente a essa pequena ideia começamos a construção das personagens em esponja. Deram muito trabalho a construir, pois foi necessário fazer um molde em cartão para cada parte do corpo, de seguida desenhar esse mesmo molde na esponja, cortar cada parte e depois juntar todas as partes ate ficar um fantoche completo, mas no fim ficaram interessantes. No caso dos sapos foi necessário depois de estarem construídos, pinta-los com sprei verde. Os olhos dos fantoches são bolas de pingue-pongue cortadas ao meio e pintadas, o cabelo é lã. O material que utilizamos para unir a esponja foi cola de contacto. Quanto aos cenários são três lençóis pintados e têm nas formas que lá existem panos para sobressair as mesmas formas (como por exemplo as folhas de uma árvore). Como adereços para os cenários foi construído uma cama e uma mesa com cartão. Os cenários foram colocados numa espécie vareta de cortina, na qual estavam numa estrutura que ficava em pé e estavam todos seguidos uns aos outros e a medida que era necessário cada um era só puxar. Os fantoches foram manipulados em cima de uma mesa que estava á frente dos cenários.


Personagens:

Esboços das personagens

Princesa

Rei

Sapo

RĂŁ


Sapo em Plasticina

Os 4 Fantoches

Cenรกrios:

Esboรงos dos Cenรกrios

Cenรกrios Finais


Diversos:

Relatório Individual - Pedro Lourenço  

Curso: Animação Sócio Cultural 1ºAno 2º Semestre Ano Lectivo: 2010/2011 Unidades Curriculares: Tecnologias de Informação e Comunicação Multi...