Page 1

Boletim Informativo - NĂşmero 19 - novembro/DEZEMBRO - 2013

Transforme o assistencialismo em projeto sustentĂĄvel

Solidariedade o ano todo 3Âş Encontro Nacional do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade p. 8

8 Jeitos de Mudar o Mundo: colabore e divulgue p. 3 e 12


EDITORIAL Patrimônio voluntário Sim, já estamos em dezembro. Mais um ano passou naquela velocidade estonteante e nossa lista de “tarefas” de 2013 não chegou na metade. Mas ainda há tempo de rasgar a velha lista e começar agora a fazer algo pelo bem da nossa realidade, sem se preocupar com as datas, apenas pelo prazer de doar nossa energia para ajudar a humanidade e, por tabela, nós mesmos. Este é o resumo do recado de nossa matéria de capa, que apresenta as reflexões de Fernanda Bornhausen sobre o tema do voluntariado. E o convite à doação voluntária foi aceito de bom grado pela Baesa, Enercan, Univali, Facisc e Portonave, organizações que nos explicam porque se tornaram embaixadoras dos ODM no estado (p. 12). Também a rede de lojas Makenji somou-se a turma que está ajudando a nossa Campanha 8 Jeitos de Mudar o Mundo a arrecadar recursos para financiar projetos com foco

nos Objetivos do Milênio (p. 03). E você? Já fez sua doação ou divulgou nosso site nospodemos-sc.org.br? Não fique de fora desse mutirão. Um mutirão de solidariedade pelo alcance de metas concretas, que mobiliza todo o país e integra os diversos setores sociais, como mostra a matéria sobre o 3˚ Encontro Nacional do MNCS, realizado em Brasília (p. 08). Uma integração sonhada pelo nosso amigo Herbert de Souza (Betinho), voluntário que homenageamos como um exemplo desta capacidade humana de doação. Este é o patrimônio voluntário que estamos construindo, expresso nos projetos destacados, nas ações de nossos comitês e na lista de nossas mais de 100 organizações signatárias, que se reúnem neste mês em seu III Simpósio e Certificação. Venha capitalizar conosco!

Este boletim é patrocinado por

EXPEDIENTE Este boletim é uma publicação do Movimento Nós Podemos Santa Catarina (MNPSC) Secretaria Estadual - Instituto Primeiro Plano Rua João Pinto, 30 – Ed. Joana de Gusmão sala 803 Centro – Florianópolis/SC CEP 88010-420 • Fone (48) 3025-1079/3025-3949 sec.mnpsc@gmail.com Editor Rafael Gué Martini (Mte/SC 02551-JP)

A secretaria do MNPSC tem patrocínio de

Parceiros

redação Rafael Gué Martini Projeto gráfico: Maria José H. Coelho Diagramação: Cristiane Cardoso CAPA: Ove Topfer - stock.xchng revisão: Regina May de Farias Conselho Editorial: Ana Maria do Vale Pereira (IVA), Ana Carolina Paci (FMSS), Cheila Zortéa (FMSS), João Batista Thomé (UNIVILLE), Márcia Battistella (SDS), Mario Correa de Sá e Benevides (Tractebel), Odilon Faccio (IPP),Sandro Silveira (CAIXA), Rafael Gué Martini e Regina May de Farias. Encaminhe suas sugestões: comunica.mnpsc@gmail.com Tiragem: 2.000 Gráfica: Agnus

...2

www.nospodemos-sc.org.br/

www.facebook.com/ NosPodemosSC

@NosPodemosSC

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013

nospodemos sc

instagram.com/8jeitos


campanha

Nova parceria para os 8 Jeitos de Mudar o Mundo Ação da Makenji reverterá recursos para a campanha A Makenji, rede de lojas de moda masculina e feminina, também abraçou a Campanha 8 Jeitos de Mudar o Mundo. A loja está comercializando lindíssimas toalhas de praia ilustradas pelo artista plástico Luciano Martins e doando o lucro para a nossa campanha. As toalhas podem ser adquiridas em todas as 19 lojas da marca em Santa Catarina ao valor de R$99,90. Uma ótima sugestão de presente de Natal, que terá um valor duplo: para o presenteado e para os projetos sociais que serão beneficiados com a ação. Makenji e Luciano Martins estão de parabéns pelo espírito solidário. Lembre-se, você também pode fazer uma doação de R$100,00 e ganhar um presente da Uatt?. Ainda não fez?

Toalhas são um ótimo presente solidário para o natal

odm sc

A epidemia da Aids em Santa Catarina Educação é o caminho para a prevenção por Marcelo Pacheco de Freitas* 1º de Dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Em Santa Catarina, segundo dados da DIVE/SC**, de 1984 a 2012 foram diagnosticados 26.074 casos de HIV em adultos, sendo 16.414 homens e 9.660 mulheres (razão por sexo de 1,7). A faixa etária predominante é de 20 a 49 anos (83,8% dos casos) e atualmente 17.834 (68%) indivíduos estão vivos. O estado é o segundo no Brasil nas taxas de incidência em adultos (36,4) e em gestantes (6,0); o terceiro na taxa de incidência em menores de 5 anos e o quarto em mortalidade (7,6). Diante destes dados, e verificando a falta de participação da população nos principais fóruns de debate sobre o tema, penso na necessidade de transformarmos a educação sexual com prevenção em um assunto corriqueiro, presente no ambiente escolar

e familiar. A educação sexual nas escolas, o uso do preservativo, o diagnóstico precoce, a profilaxia pós-exposição (PEP), a vacinação contra a hepatite B e ao HPV, atualmente são ferramentas importantíssimas na prevenção e promoção da saúde de todos os brasileiros com vida sexual ativa ou que irão iniciá-la. * Diretor Presidente da Fundação Açoriana para o Controle da Aids. **Diretoria de Vigilância Epidemiológica.

...3

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


odm sc

Solidariedade o ano todo Transforme o assistencialismo em projeto sustentável

Por Rafael Gué Martini*

Fernanda Maria B. Bornhausen Sá Entre o Natal e Ano Novo é comum muitas campanhas de solidariedade e doação. No entanto, estas são necessidades que continuam entre o Ano Novo e o Natal. Como as pessoas podem dar continuidade a essas ações ao longo do ano? Para responder essa questão e fomentar a discussão sobre o voluntariado, apresentamos uma entrevista com Fernanda Maria Barreto Bornhausen Sá, Presidente Voluntária do Instituto Voluntários em Ação (IVA). Quais seriam as motivações para as ações de final de ano?

...4

Fernanda Sá - A proximidade das comemorações do nascimento de Jesus, faz com que todos fiquemos mais abertos para olhar para o outro e ver que somos privilegiados, muito mais

do que muita gente que nos cerca. Nessa época muitos tem um grande desejo de “dar uma contribuição”, que pode ser material, através de presentes, ou mesmo recursos financeiros, ou ainda doar seu tempo para uma ação que traga alegria e conforto para quem está precisando. O sentimento de que o ano está acabando e que “não gostaria de acabar o ano sem realizar uma ação concreta de ajuda”, que normalmente faz parte dos nossos “compromissos de ano novo” também contribui para que nessa época aumente significativamente o número de “boas ações”. Mas as necessidades continuam o ano todo, porém, fora desse período, as pessoas acabam entrando num ritmo de vida que não é favorável a essas ações, fazendo com que as demandas continuem altas e o número de colaboradores reduza. Essas ações de final de ano muitas vezes deixam marcas que fazem com que algumas dessas pessoas retornem ao local onde realizaram sua “boa ação anual”, mas ainda é num percentual bastante insignificante.

Como fazer para que esses acontecimentos não se deem apenas na época do Natal?

“Só através do retorno do resultado da doação, do trabalho voluntário, as pessoas vão perceber que sua ação foi muito importante”

Muitos dizem não ter tempo para serem voluntários. Como mobilizar essas pessoas?

Fernanda Sá - Este é o grande desafio para todas as organizações que atendem a uma parcela grande da população e que, com a redução cada vez maior de políticas públicas, se veem com pouco apoio de mão de obra voluntária e de colaboração financeira e material. Cabe à organização procurar “fidelizar” esse doador, seja de mão de obra voluntária, seja de recursos materiais ou financeiros. Ela precisa mostrar o resultado de sua ação e como isso ajuda a melhorar o atendimento que faz ao seu público alvo, ou mesmo da causa que defende. Só através do retorno do resultado da doação, do trabalho voluntário, as pessoas vão perceber que sua ação foi muito importante e que ela não precisa se limitar apenas a esse período do ano. Manter um cadastro atualizado com informações de contato dos doadores e estabelecer um relacionamento frequente com eles, através de newsletter, de correspondências, de convites, são ótimas estratégias de “fidelização”.

Fernanda Sá - Nossa experiência mostrou que muitos que se dedicam à causa voluntária tem uma

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


odm sc

agenda já bastante tomada e sem “tempo livre”. Podemos destacar 3 tipos de atividades voluntárias: • O voluntariado presencial - executado pela maioria dos voluntários, no qual uma pessoa se dedica periodicamente – normalmente uma vez por semana – a uma causa ou organização e para isso ela deve realmente ter uma disponibilidade maior; • Atividade pontual - normalmente uma campanha, um mutirão, uma atividade que acontece em um ou 2 dias no ano, para a qual a pessoa se dedica, às vezes no planejamento também, ou somente no dia do acontecimento; • O voluntariado digital - realizado via internet, onde o voluntário não necessita comparecer na organização. Hoje está atraindo um grande número de pessoas, pois possibilita que profissionais bem preparados e capacitados possam realizar em sua casa, em seu local de trabalho ou estudo, uma atividade voluntária. Essa forma de voluntariado tem crescido muito nos últimos 5 anos, desde que criamos o Portal Voluntários Online (www.voluntariosonline. org.br) onde temos mais de 55 mil pessoas cadastradas. Certamente em uma dessas 3 formas de realização do voluntariado, a pessoa que tem interesse, pode encontrar uma maneira de fazê-lo.

“25% da população brasileira faz ou já fez trabalho voluntário” Embora existam muitos voluntários disponíveis, as organizações têm pouca capacidade de gerenciar esse trabalho. Quais os motivos dessa situação? Há caminhos para aproveitar melhor esse potencial? Fernanda Sá - Pesquisa realizada em 2011 pelo Instituto IBOPE levantou que 25% da população faz ou já fez trabalho voluntário. Então temos um número bastante significativo. Gerenciá-los é realmente o grande desafio para as organizações, que têm equipes bastante enxutas, por conta de seus orçamentos pequenos. E sem gestão o voluntariado não acontece. Outra questão muito importante é que não temos ainda no Brasil uma cultura consolidada de doação, seja de pessoa física ou jurídica, muito menos incentivos fiscais para isso. Projetos culturais e esportivos já contam com esses incentivos, mas na área de assistência social isso ainda não acontece. As organizações sociais acabam concentrando toda a sua energia na busca de recursos financeiros capazes de suprir as necessidades mais básicas e a gestão de pessoas, sejam remuneradas ou voluntárias, não consta da pauta

dos administradores. Isso implica em baixos salários para os funcionários e grande rotatividade nas equipes, o que também dificulta a identificação dos voluntários com o trabalho da organização e sua fidelização. Disponibilizar recursos financeiros suficientes para a realização do trabalho das organizações, para o atendimento de seu público alvo e investir na gestão das organizações seria o grande caminho. Perspectivas para o voluntariado? Fernanda Sá - Muitas iniciativas fora do âmbito das organizações, que estão nascendo de jovens e jovens adultos voluntários que utilizam constantemente a tecnologia como ferramenta de trabalho ou ainda como ferramenta de relacionamento social, podem fazer uma grande diferença para apoiar causas sociais e engajar cada vez mais jovens nessas ações. As tecnologias, as novas mídias e o pensamento inovador podem ser ferramentas poderosas para impulsionar ações sociais voluntárias muito significativas. O Programa Social Good Brasil incentiva essas ações e também as identifica, trazendo-as à público para conhecimento, engajamento e mesmo replicação. Quem tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre o programa pode visitar o site www. sgb.org.br e vai poder identificar pequenas ações, iniciativas individuais e de pequenos grupos que estão começando a fazer toda a diferença como uma ação de voluntariado transformador.

...5

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


projetos em destaque

Cartinhas que viram realidade no Natal Márcia Köhler

Campanha dos Correios ajuda a tirar os sonhos do papel

Dados de 2013

Crianças recebem presente do Papai Noel em Blumenau por Alex Ventura*

...6

Bonecas, carrinhos, bolas, roupas e material escolar. Presentes inusitados como caixa de bombons e “beijos”. Ou pedidos emocionados, como saúde para os pais e uma cama para dormir bem. Há 24 anos, a ECT faz mais feliz o Natal de milhares de crianças de todo o País. Por meio da campanha Papai Noel dos Correios, a empresa convida a população para participar da adoção de cartinhas. O Papai Noel dos Correios tem como principal objetivo responder às cartas das crianças que escrevem ao “bom velhinho” e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes. A campanha foi criada após surgir de forma espontânea entre empregados que começaram a adotar voluntariamente as cartas endereçadas ao Papai Noel. Nos últimos três anos, foram recebidas 3,4 milhões de cartas em todo o País. Quase 75 % delas foram adotadas, o que equivale a 2,55 milhões de cartas. Em Santa Catarina, a ação é referência nacional, com índice de 100% de cartas adotadas em 2012 – e 98% dos pedidos atendidos. Os bons números são resultado do pioneirismo catarinense na adequação da campanha em nível regional. O diretor adjunto dos

202 instituições de ensino parceiras 55 municípios de SC atendidos Mais de 16 mil cartinhas SAIBA MAIS www.correios.com.br/papainoelcorreios2013

Correios em SC, Ary Cândido Martins Filho, explica que as demais diretorias passaram a seguir, desde 2010, o modelo iniciado no Estado: a parceria com escolas públicas, creches e abrigos que atendem crianças em situação de vulnerabilidade social. “A partir dessa mudança, houve o atendimento de 100% dos pedidos, porque a sociedade passou a ver o projeto como uma ação social de fato”, afirma Ary Martins. O trabalho conjunto com instituições públicas possibilitou o atendimento das crianças realmente excluídas da “mágica natalina”. Além de atingir outro objetivo: desenvolver a habilidade da redação de carta. As escolas cadastradas, indicadas pelas Secretarias de Educação dos municípios e do Estado, coletam as cartas escritas por alunos matriculados da creche ao 5º ano do Ensino Fundamental e encaminham o material aos Correios. Após uma triagem, para conferir a adequação aos critérios da campanha, as cartinhas são disponibilizadas para adoção. “Quem adota, sabe que está fazendo uma caridade, que está realizando o sonho de uma criança”, diz o diretor. * Jornalista da Assessoria de Comunicação dos Correios em SC

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


projetos em destaque

Solidariedade além-fronteiras Projeto financia a educação de crianças em Guiné Bissau

Pe. Maio com as crianças em Guiné Bissau Em parceria com o Instituto Pe. Vilson Groh, um projeto social coordenado pelo padre Maio da Silva (Guiné Bissau) busca conseguir apoio financeiro à educação na comunidade rural de Empada, na região de Quinara, em Guiné Bissau, África. Está previsto o apadrinhamento de pelo menos duzentas crianças na escola. Muitas famílias em Guiné Bissau vivem em situação de extrema pobreza. A comunidade de Empada, distante 300 km da capital, subsiste da produção da castanha de caju e tem dificuldade para suprir até as necessidades de alimentação. Como o sistema educacional é muito deficiente no país, com constantes greves nas escolas públicas, muitas comunidades estão

optando pela autogestão, cobrando contribuições dos alunos para assegurar o pagamento dos professores e assim evitar as paralisações. Apoiar financeiramente os estudos de uma criança em Guiné Bissau significa contribuir para salvar uma vida, construir uma sociedade melhor e garantir a educação dessa criança. O custo anual para manter uma criança na escola é estimado em R$ 230. A parceria com o Instituto Pe. Vilson Groh objetiva mobilizar a comunidade brasileira para apoiar o trabalho com as crianças em Empada|Bissau. Mais informações: http://bit.ly/1fLIqtn (48)30391828 | ivg@ivg.net.br

Um projeto de vida pela cidadania Herbert de Souza foi exemplo de dedicação voluntária Além dos projetos institucionais, fazemos aqui uma homenagem a um projeto de vida que inspirou muitos movimentos solidários por todo o Brasil. O sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, tornou-se símbolo de cidadania no Brasil ao liderar a campanha contra a fome na década de 1990. Em 1993, ele lançou o programa Ação da Cidadania - contra a Fome, a Miséria e pela Vida, tendo como objetivo a mobilização de todos os segmentos da sociedade brasileira na busca de soluções para as questões da fome e da miséria. Também articulou a Campanha Natal sem Fome, que entre 1993 e 2005 arrecadou mais de 30 mil toneladas de alimentos, doados para mais de 15 milhões de pessoas pobres. Morreu em 9 de agosto de 1997, deixando um exemplo de solidariedade e de luta pela transformação social. Fontes: pt.wikipedia.org / www.ibase.br / www.acaodacidadania.com.br

...7

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


odm brasil

3˚ Encontro Nacional do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Evento fortaleceu união nacional e apresentou novos desafios

Participantes de todo país no encerramento do encontro

...8

O Movimento Nacional Pela Cidadania e Solidariedade (MNCS) promoveu seu 3˚ Encontro Nacional, realizado em Brasília, entre 10 e 13/11. O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, abriu o evento saudando o Movimento, “que trabalha na perspectiva de organizar a generosidade individual, potencializando e ampliando sua atuação com a soma dos esforços”. Para o ministro, o Movimento “é o motorzinho responsável (...) pelo processo de difusão e universalização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) nas cidades brasileiras”. Carvalho destacou também “a importância de não ambicionarmos fechar os ODM em 2015, mas transitarmos para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de maneira democrática, para a realização conjunta de um projeto”. O Nós Podemos SC esteve presente com três delegados: Adelita Adiers (FACISC), Camile Rebeca Bruns (UNIMED Brusque) e Dilmar Franchini (Conselheiro Tutelar). O evento reuniu representantes do Movimento de todos os estados, da coordenação nacional e dos parceiros, além de convidados. O objetivo do encontro foi alinhar as ações estaduais e municipais às prioridades nacionais; debater a municipalização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM); fortalecer a importância da participação social para o alcance das Metas do Milênio; elaborar o planejamento

das atividades para 2014; e promover o debate sobre a construção da Agenda Pós-2015. Para Odilon Faccio, secretário adjunto do MNCS, o encontro fortaleceu e capacitou as lideranças do movimento, promovendo o intercâmbio de boas práticas na municipalização dos Objetivos do Milênio. Ele destacou o relatório elaborado pelo Prof. Dr. Ronaldo Baltar, da Universidade Estadual de Londrina (UEL/PR), intitulado Subsídios para Ação e Gestão do MNCS. No documento são apresentados os principais desafios do movimento: • Como conciliar voluntarismo, que é a base do movimento, com a estrutura organizada em Núcleos, necessária para a articulação nacional do movimento? • Como exercer o tripartismo, traçando ações comuns em prol dos ODM para atores sociais com visões e estratégias de ações diferentes? • Como gerenciar uma estrutura nacional, com peso na participação dos estados, mas que tem o foco em ações locais/municipais? Seguimos refletindo sobre estas questões, sempre em movimento.

BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013

Fonte: www.odmbrasil.gov.br/noticias


municipalização

Promoção de atendimento à gestante Comitê “Juntos Somos Mais Criciúma” lança Cartilha de orientação Objetivando a melhora no atendimento à gestante e à redução da mortalidade materno-infantil, foi lançada, no dia 31 de outubro, em Criciúma, uma cartilha que orientará as mulheres sobre os cuidados a serem tomados antes, durante e depois da gestação. A iniciativa está alinhada aos ODM 4 e 5, que tratam da mortalidade infantil e saúde das gestantes. A cartilha, editada pelo Comitê Juntos Somos Mais Criciúma, contribuirá para fortalecer os serviços existentes na área de saúde da mulher e da criança e ainda ampliar ações de educação em saúde no município. Serão produzidos 10.000 exemplares, que serão entregues de casa em casa pelos agentes comunitários. No documento, as mulheres encontrarão dicas sobre planejamento familiar, exames preventivos e de pré-natal. Também é reforçada a importância do aleitamento materno e de estarem em contato com as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de seus bairros.

Público prestigiou evento do Comitê de Criciúma O Comitê Juntos Somos Mais Criciúma é formado pelas Instituições: Celesc, Bairro da Juventude, Prefeitura Municipal (Secretarias do Sistema Social, de Saúde e de Educação), SESI, Unesc, Pastoral da Saúde e Movimento Nós Podemos SC. Mais informações: Juliana Galli Da Rolt (48) 3461-5045 / julianagdr@celesc.com.br

Nossa Riqueza | As pessoas que fazem o Nós Podemos SC Motivação

O desenvolvimento de ações em prol dos ODM já fazia parte da minha rotina, mas o maior envolvimento ocorreu quando a empresa na qual trabalho abraçou a causa. Acredito nas pessoas e principalmente na força que temos quando unimos as ações Ações

CÁTIA M. B. HOEFT Núcleo de Promoção à Saúde e Reponsabilidade Social Unimed Jaraguá do Sul - SC

A conscientização para a mudança de comportamento deve acontecer diariamente e estar presente nas ações pessoais, profissionais e, principalmente, sociais. As ações desenvolvidas fomentam a qualidade de vida, a promoção e prevenção da saúde; sustentabilidade; combate à fome e às doenças; o desenvolvimento e a educação. Resultados

A criação do Comitê Municipal Nós Podemos foi uma grande conquista. A cada reunião, conseguimos trazer mais empresas e instituições interessadas em desenvolver projetos em prol da comunidade, contribuindo assim para a construção de uma sociedade mais justa e mais sustentável.

Seja lá o que você fizer, seja bom nisso.” Abranhan Lincoln ...9 BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


INTERATIVIDADE

Dicas para o milênio Links, Aplicativos, Cultura e Produtos para ajudar nas metas do milênio

Relatório Relatório de Desenvolvimento Humano Regional (RDH) 2013-2014 publicação editorial independente do PNUD que revela um paradoxo na América Latina na última década: a região foi palco de duas grandes expansões, a econômica e a criminal. Apesar das melhorias sociais, a América Latina continua a ser a região mais desigual e a mais insegura do mundo. Veja mais detalhes sobre o documento (em espanhol) no link: http://bit.ly/19hzPpN

Produtos

Loja Greenvana Referência na comercialização online de produtos sustentáveis o Greenvana Store tem informações completas sobre uso e características ambientais de seus produtos, que são selecionados a partir de 21 critérios de sustentabilidade, entre eles o Atóxico, Eficiência Energética e Materiais Reciclados. Ótima opção para os presentes de natal. Faça suas compras no site: http://store.greenvana.com/

Publicação Estado do Mundo 2013

Site

Faça Parte - Instituto Brasil Voluntário O Faça Parte foi fundado em 2002, com a missão de promover a cultura do voluntariado estimulando a participação da juventude como parte ativa da construção de uma nação socialmente mais justa. No site do Instituto você confere projetos como o Selo Escola Solidária e publicações sobre Voluntariado Educativo. Acesse: www.facaparte.org.br

...10 BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013

Considerado pela imprensa internacional como a “bíblia da sustentabilidade”, a publicação é formada por um conjunto de artigos organizados em torno de três eixos principais: A Métrica da Sustentabilidade, Chegando à Verdadeira Sustentabilidade e Abra em Caso de Emergência. Os 17 capítulos do relatório oferecem ao leitor um verdadeiro panorama da situação atual do mundo e o que é preciso fazer imediatamente para reverter esta realidade. Veja no link: http://bit.ly/1cr0Yyn


bem-vindos ao movimento

Confira as instituições que já participam do movimento A

F

P

Ação da Cidadania Ação Social São João Evangelista Associação Empresarial de Itajaí - ACII Associação Beneficente ABADEUS Associação Catarinense de Conselheiros Tutelares Associação Construindo a Paz na Escola Associação Comercial e Industrial de Florianópolis – ACIF Associação de Joinville e Região da Pequena, Média Empresa – AJORPEME Associação de Jornais do Interior de SC – ADJORI Associação dos Fazendeiros Amigos Guerreiros e Otimistas - AFAGO Associação de Moradores de Biguaçu - AMABE Associação dos Moradores de Cachoeiras Associação dos Moradores Loteamento Irene Associação dos Moradores da Praia João Rosa - AMPRA Associação dos Moradores do Vendaval de Biguaçu Associação de Pais e Professores EBM João Gonçalves Pinheiro Associação Horizontes Associação Teatral Eternos Aprendizes

Facilitação Treinamentos Homo Sapiens Federação do Comércio de Santa Catarina - FECOMÉRCIO SC Federação das Associações Empresariais de SC – FACISC Fundação Educacional de Criciúma - UNESC FAE Blumenau Fundação Fritz Müller Fundação Hospitalar de Blumenau Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho – FMSS Fundação Universidade Alto Vale do Rio do Peixe – UNIARP Fundação Universidade do Oeste de SC - UNOESC Fundação Universidade Regional de Blumenau – FURB

Plêiade Consultoria e Desenvolvimento LTDA ME Portonave S/A – Terminais Portuários de Navegantes Prefeitura Municipal de Biguaçu Prefeitura Municipal de Brusque Prefeitura Municipal de Florianópolis Prefeitura Municipal de Itajaí Prefeitura Municipal de Joinville PROJETA Planejamento e Marketing Prosperitate Consultoria em Sustentabilidade

B Bairro da Juventude Banco do Brasil Baumgarten Gráfica LTDA Ben Estar Familiar do Brasil - BENFAM Bio Teia Estudos Ambientais BRDE

C Caixa de Assistência dos Advogados de SC - CAASC Caixa Econômica Federal Campos Novos Energia S/A – ENERCAN CELESC Central Única dos Trabalhadores – CUT Centro Cultural Escrava Anastácia Centro de Integração Empresa–Escola - CIEE/SC Centro Universitário Estácio de Sá Clube Soroptmist - Blumenau Colônia de Pescadores Z23 de Biguaçu COMBEMI Comitê para Democratização da Informática de SC – CDI Complexo de Ensino Superior de SC - CESUSC

G

Redefinir Logística Reversa

Guarani Esporte Clube - Blumenau

I Instituto Abaçaí Instituto Comunitário Grande Florianópolis – ICOM Instituto Consulado da Mulher Instituto Crescer – Movimento Cidadania e Juventude Instituto Ekko Brasil Instituto Engevix Instituto de Geração de Tecnologias do Conhecimento – IGETECON Instituto Guga Kuerten Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de SC - IFSC Instituto Primeiro Plano Instituto Voluntários em Ação – IVA

S Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação/Governo SC Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável/Governo SC Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte de SC Serviço Social do Comércio SESC-SC Secretaria Municipal de Educação de Blumenau Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Blumenau Secretaria Municipal do Sistema Social de Criciúma SESI/SC SESI Blumenau Sociedade Educacional de Santa Catarina – SOCIESC Superintendência do Porto de Itajaí

J Jardim Carandaí JCI Blumenau Garcia JCP - Construções e Incorporações Ltda

M Moradia e Cidadania Santa Catarina

N NEXXERA

D

O

Diocese de Criciúma Dudalina S.A

OAB/SC Obras Sociais ABADEUS ONG Travessia ORCALI

E

R

T Tractebel Energia – GDF SUEZ Transmissão da Cidadania e do Saber

U udesc Universidade do Estado de SC UNIMED SC UNIMED Blumenau UNIMED Brusque UNIMED Canoinhas UNIMED Chapecó UNIMED Grande Florianópolis UNIMED Jaraguá do Sul UNIMED Litoral UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí UNIVILLE Universidade da Região de Joinville

Ecovila São José ELETROSUL Empresa Sulcatarinense Energética Barra Grande S/A – BAESA

novas adesões

an têxtil e Elian Indústria Têxtil “Agir com responsabilidade social é indispensável. E esse é um preceito que norteia as ações do dia a dia da Elian. Portanto, estarmos engajados ao movimento “Nós Podemos Jaraguá do sul” é de extrema importância para que possamos contribuir mais efetivamente com a realização dos oito Objetivos do Milênio. É essencial unirmos forças, abraçar esse movimento que visa construir um mundo mais justo, mais solidário, com mais qualidade de vida para todos.” Andreia e André Caviguioli - diretores administrativos ...11 BOLETIM INFORMATIVO - NÓS PODEMOS SANTA CATARINA. No19 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013


campanha

Embaixadores dos ODM em SC

Para mudar o mundo e torná-lo um lugar melhor para nós e para as futuras gerações, a Portonave acredita que cada um deve fazer a sua parte e se filiou ao Movimento Nós Podemos Santa Catarina. Participar da Campanha e adotar um dos objetivos do milênio (ODM) é uma das formas que a empresa encontrou para sensibilizar seus colaboradores, parceiros e clientes a se engajar nesta causa. A responsabilidade ambiental é um compromisso da Portonave, que desenvolve vários programas de gestão ambiental e busca o desenvolvimento consciente, alinhado à preservação. Por isso, a escolha por tornar-se Embaixadora do ODM 7 – Qualidade de Vida e Respeito ao Meio Ambiente. Para o Terminal, as companhias que aderem ao Movimento ODM demonstram seu compromisso com o mundo em que vivemos.

A FACISC acredita na força do associativismo como ferramenta para exercitar a cidadania empresarial. Por isso, o incentivo à Campanha é uma oportunidade de reconhecermos as boas práticas em prol dos ODM em todo o Estado. O ODM 8 contempla um conjunto de metas e indicadores na direção da sustentabilidade do planeta, por meio da parceria em busca de melhorias na qualidade de vida de todos. Adotamos este objetivo por comtemplar as diferentes ações da Federação junto aos seus públicos de relacionamento, especialmente no que tange aos modelos de governança local. Entre nossas ações, que contribuem para o alcance dos demais ODM, estão iniciativas de combate à corrupção, melhoria da infraestrutura e melhor gestão dos recursos públicos.

UNIVALI

A Univali entende que os ODM correspondem a uma nova estratégia de desenvolver projetos sociais, de forma sustentável no âmbito econômico, social e ambiental. Assim, reconhecemos os interesses dos distintos públicos com os quais nos relacionamos e Como há muito trabalho a ser contribuímos para o alfeito, abraçamos o ODM 2 – Educação Básica de Qualidade cance das metas do milênio até 2015, trabalhando a para Todos, unindo esforços e partir de uma agenda mundial, mas com resultados recursos para ajudar a alcançar locais. Ao adotarmos o ODM 6 (Combater a AIDS, a as metas do milênio, definidas malária e outras doenças) no estado,estimulamos pela ONU. Nosso objetivo é todos os setores sociais a formarem uma aliança proporcionar boas condições para a constituição de ações prioritárias para a ...12 de vida para as pessoas, resaúde de Santa Catarina. A UNIVALI acredita que a duzindo a desigualdade social Campanha 8 Jeitos de Mudar o Mundo pode apreo BOLETIM INFORMATIVO NÓS afetam PODEMOS 2013 e problemas -que a SANTA CATARINA. N 19 NOVEMBRO/DEZEMBRO sentar à sociedade a importância da união para todos nós. construção de um mundo melhor.

BAESA e enercan

Nós, da BAESA e ENERCAN, apoiamos ações e projetos sociais que ajudam a concretizar os ODM, colaborando também para o aumento do IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal). Estas ações contemplam 8 municípios localizados na Serra e Meio Oeste Catarinense.

FACISC

Portonave

Empresas que adotaram os objetivos do milênio no estado

Boletim Nós Podemos SC nº 19  

Boletim do Movimento Nós Podemos SC nº 19 - novembro/dezembro de 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you