Issuu on Google+

JORNAL A PARร“QUIA - Informativo mensal da Parรณquia Santa Rita de Cรกssia - Laranjeiras - Caieiras - SP

ED. 46 FEVEREIRO DE 2011

ANO V - Nยบ 64 - Setembro de 2012

1


2

JORNAL A PARÓQUIA - Informativo mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Laranjeiras - Caieiras - SP

ANO V - Nº 64 - Setembro de 2012

VOZ DO PASTOR Aniversariantes - Setembro

Palavra do Santo Padre o Papa Na quarta-feira, 15 de agosto, quando a Igreja celebrou a Assunção de Nossa Senhora ao céu, Bento XVI rezou a oração mariana do Angelus junto aos fiéis que foram a Castel Gandolfo neste dia feriado na Itália e na Europa. Antes da oração, ele explicou que a festa da Assunção é uma realidade que toca também nós, porque nos indica de modo luminoso nosso destino, o da humanidade e da história. Retomando amplamente o que já havia ilustrado na Missa desta manhã, o Papa sintetizou a idéia que depois da morte, não há o vazio, mas o abraço amoroso de Deus. Por isso, a festividade de hoje, para o cristão, é “estritamente ligada à Ressurreição”. Bento XVI recordou aos mais de 3 mil fiéis reunidos no pátio da residência que a proclamação do dogma da Assunta ocorreu Papa Bento XVI em 1950 com o Papa Pio XII, e brevemente, citou a tradição das Igrejas ortodoxas russas, que fala de ‘Dormição’ e não de Assunção. Após a oração, o Papa fez breves saudações em algumas línguas. Desta vez também em português: “Saúdo cordialmente os fiéis brasileiros de Umuarama e Paranavaí e demais peregrinos de língua portuguesa, sobre cujos passos e compromissos cristãos imploro, pela intercessão da Virgem Mãe, as maiores bênçãos divinas. Deixai Cristo tomar posse da vossa vida, para serdes cada vez mais vida e presença de Cristo! Ide com Deus”.

Palavra do Bispo Caros irmãos presbíteros, diáconos, religiosos (as), seminaristas, animadores de comunidades, agentes de pastoral, grupos, novas comunidades e todo o Povo de Deus presente na Diocese de Bragança Paulista, Saudações em Cristo! “O ANO da FÉ quer contribuir para uma conversão renovada ao Senhor Jesus e à redescoberta da fé, para que todos os membros da Igreja sejam testemunhas credíveis e alegres do Senhor Ressuscitado no mundo de hoje, capazes de indicar a ‘porta da fé’ a tantas pessoas que estão em busca. Esta‘porta’ escancara o olhar do homem para Jesus Cristo, presente no nosso meio ‘todos os dias, até o fim do mundo’ (cf. Mt 28,20). Ele nos mostra como ‘a arte de viver’ se aprende ‘numa relação D. Sérgio Ap Colombo profunda com Ele’. Com o seu amor, Jesus Cristo atrai a Si os homens de cada geração: em todo tempo, Ele convoca a Igreja confiando-lhe o anúncio do Evangelho, com um mandato que é sempre novo. Por isso, também hoje é necessário um empenho eclesial mais convicto a favor duma nova evangelização, para descobrir de novo a alegria de crer e reencontrar o entusiasmo de comunicar a fé” (Congregação para a Doutrina da Fé – Indicações para a celebração do ANO da FÉ).

Palavra do Padre Queridos irmãos e irmãs O mês de Setembro mais conhecido por nós como o mês da Bíblia possui para nós cristãos um significado muito especial. Sabemos que a Igreja nos ensina o valor que as Sagradas Escrituras significam para nós, bem como, a importância de termos uma relação de amor, conhecimento e intimidade com a Palavra de Deus. A Bíblia possui a história da nossa fé, do Povo de Deus e sua Igreja. Tanto faz bem para nossa vida, como para a vida da Igreja uma vida pautada pelos ensinamentos daquela que podemos chamar do nosso manual. Sim a Bíblia é o manual da vida, pois nela está contida a Palavra de Deus que deve nortear toda nossa existência. Nós Católicos Apostólicos Romanos não devemos, nem tão pouco podemos fazer uma leitura fundamentalista da Bíblia. Isto é, só podemos ler e interpretá-la a partir de dois outros pilares da nossa fé: Sagrada Tradição e Sagrado Magistério. O importante é que não saiamos por ai fazendo leituras e analises particulares da Sagrada Escritura, sem antes, procurar saber se de fato estamos caminhando com a Igreja que sempre nos orienta e instrui neste sentido. Comemoramos neste mês também dois momentos interligados: Festa da Exaltação da Santa Cruz e Nossa Senhora das Dores. As duas liturgias estão relacionadas, pois não há como pensar a mística da cruz sem pensar em Nossa Senhora, uma vez que, ela foi a única que esteve ao lado de Jesus em todos os momentos de sua vida. Desde o nascimento, até a morte, e morte de cruz lá esteve ela, em pé. A Igreja nasce da cruz e vive para anunciar a mensagem da cruz. Muitos pensam que a mensagem da cruz é a mensagem da dor, do sofrimento, da derrota do Cristo. A mensagem da cruz é muito mais profunda. Ela traduz a vitória de Cristo e da Igreja. Vitória sobre a morte, sobre a desesperança, sobre a opressão. É a verdadeira revolução do amor. Amor que vence o mal, Amor que vence as injustiças, o indiferentismo, o Amor que não é um sentimento, mas uma pessoa. O Amor que chamamos de Jesus. Nossa Senhora das Dores é a mãe desse amor. Por que das Dores? Exatamente para cumprir a promessa realizada no dia da apresentação de Jesus no templo feito por Simeão: “Uma espada transpassará sua alma” Lc 2, 35. Uma espada, pois terá que entregar seu Filho Jesus nas mãos daqueles que o matariam por não entenderem sua missão e anúncio. Nossa Senhora das Dores àquela que será nossa intercessora, aquela que sofre junto conosco por todo mal e pecado presente na humanidade. Nossa Senhora que enxuga nossas lágrimas, que nos conforta e consola. Mulher

forte que não teme o sofrimento e que por ter vencido com o auxilio da graça de Deus, tudo que presenciou na vida de Jesus, se coloca de pé ao nosso lado junto as cruzes do dia a dia para nos dizer: Eu sou a sua mãe, estou junto com você. Precisamos redescobrir o valor da intercessão poderosa do Imaculado Coração de Maria, a Mãe das dores. Qual é sua dor? Entregue em suas mãos. Aproveito para lembrá-los que no próximo dia 25 de setembro em nossa Igreja Catedral nosso Bispo Dom Sérgio Aparecido Colombo fará a abertura do Ano da Fé. Ano convocado pelo Papa Bento XVI é para nós uma oportunidade única de redescobrirmos neste mundo marcado pelo relativismo e secularismo, o que fundamenta nossa fé. Em que de fato acreditamos? O que é a Fé para o homem? Qual o papel da Igreja na difusão e propagação da Fé Crista? Gostaria de agradecer a todos pela maravilhosa e abençoada novena em honra do Arcanjo Miguel. Foram dias de profundo encontro com Deus, onde experimentamos bênçãos sobre bênçãos. Mais uma vez nosso amado e querido povo fizeram a diferença. Dia 29 será nosso encerramento e você não pode deixar de trazer toda a sua família e vir agradecer a Jesus por tudo que por meio de São Miguel nos foi concedido. Espero por vocês. É bom lembrá-los, uma vez que as eleições se aproximam, que o Padre Wagner não aprovou para nenhum candidato as próximas eleições o uso de sua imagem, bem como da Igreja. Qualquer material veiculado em quaisquer que sejam os meios de comunicação, internet, televisão ou mídia escrita devem ser ignorados por vocês. Ou seja, é de total responsabilidade de seus idealizadores. Que este mês seja um mês repleto das bênçãos de Deus e que por intercessão de nossa amada padroeira sejamos sempre mais e mais discípulos missionários de Cristo nosso Senhor, assim seja. Amém.

Padre Wagner da Silva Navarro Igreja Santa Rita de Cássia 26 anos anunciando a Palavra de Deus

Santa Rita de Cássia Adalete Martins Bernardo Alceu Aparecido Da Silva Alice Maria Matias Amanda Arantes Braz Da Silva Ana Claudia Leandro Ana Maria Ferreira Fernandes Aparecida De Paula Q. Alves Arnaldo Gomes Moura Aurelia Vieira De Figueiredo Célia Aparecida De Oliveira Alamenos Cleonice Apª Rocha Sumaqueiro Elizabeth Apª Marreiros Da Silva Elvis Plesley Baldini Erminda Pretti De Souza Espedita Leite De Lacerda Evaldo Franzin Fnton Franklin Macahado Cruz Gabrielle Aparecida Albuquerque Geygela Sousa Rodrigues Almeida Jean Robson Lima Sousa João Batista Toledo José Vandes De Oliveira Mara Toledo Marcos Dos Santos Gonçalves Maria Conceição Da Silva Maria Da Conceição De O. Goulart Maria Das Graças De Jesus Maria De Azevedo Cotrim Maria De Souza Cruz Maria Do Socorro Alves Marli Haide De Bocci Odila Tarcisa De Castro Petrucia Calheiros dos Santos Paulo Senhorinho Pereira Rafael Francisco Pires Renato Alves Bernardo

Silvina Antunes De Souza Suzana Aparecida Da Silva Tatiane Aparecida Farias Zilma Isidorio De Araujo Gilca Aparecida Vieira Machado Therezinha De Moraes Santos Vicente Miguel Bernardo

São Luis Aremita Martins Rodrigues Ariane de Souza dos Santos Astrida Cecilia de Souza Carmelina Oliveira Silva Danielle Maiara Curti Eliana Cardoso da Silva Elvira Arantes Fabio Rodrigo Faganelli Genir Rodrigues Santana Giovanni T. de Morais Jadir Quintão Assis Josefa Santos Costa Leonice Tossato Lucinez Santos Luiz Quintino Silva Marina Dionisio Carvalho Matheus Ferreira da Silva Renato Balherini Sandra Mª de Sousa Silva Sonia Mª Belo Valéria de Almeida Mascarenhas Jacinta Alves Genivaldo dos Santos Assunção

Capela São Cristóvão Elvecia F. dos Santos Helena Silva de Oliveira Márcia Cristina da Silva


JORNAL A PARÓQUIA - Informativo mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Laranjeiras - Caieiras - SP

ANO V - Nº 64 - Setembro de 2012

3

CAPA “Tua Palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho!” Colaboração Rone (Comunidade São Luis)

(Salmo 119,105) Estamos em setembro, e no Brasil já é uma tradição que este mês seja lembrado como o “Mês da Bíblia”. Setembro foi escolhido pelos Bispos do Brasil como o Mês da Bíblia em razão da festa de São Jerônimo, celebrada no dia 30. São Jerônimo, que viveu entre 340 e 420, foi o secretário do Papa Dâmaso e por ele encarregado de revisar a tradução latina da Sagrada Escritura. Essa versão latina feita por esse santo recebeu o nome de Vulgata, que, em latim, significa “popular” e o seu trabalho é referência nas traduções da Bíblia até os nossos dias. A Bíblia é hoje o único livro que está traduzido em praticamente todas as línguas do mundo e que está em quase todas as casas. Serve de “alimento espiritual” para a Igreja e para as pessoas e ajuda o povo de Deus na sua caminhada em busca de construir um mundo melhor. “Toda Escritura é inspirada por Deus e é útil para ensinar, para argumentar, para corrigir, para educar conforme a justiça “ (2Tm 3,16). A Bíblia foi escrita por pessoas chamadas e escolhidas por Deus e que foram inspiradas através do Espírito Santo. Ela revela o projeto de Deus para o mundo; serve para que todos possamos crescer na fé e levar uma vida de acordo com o projeto de Deus. Por isso, ela é a grande “Carta de Amor” de Deus à Humanidade. A Palavra de Deus nos revela o rosto de Deus e seu mistério. Ela é a história do Deus que caminhou com seu povo e do povo que caminhou com seu Deus. A Bíblia tem uma longa história, desde nossos pais e mães da fé (Abraão e Sara, Isaac e Rebeca, Jacó Lia

e Raquel) passando por Moisés, pelos Profetas, até a vinda do Messias, e por fim a morte do último dos Doze Apóstolos quando foi escrito o último livro da Bíblia (o Apocalipse, escrito no final do I século). A Palavra de Deus demorou em torno de dois mil anos para ser escrita. Muitas pessoas fizeram parte desta história: homens, mulheres, crianças, jovens, anciãos... Por isso, podemos dizer que a Bíblia é um livro feito em mutirão. Passaram-se os tempos, os anos, mudaram muitas coisas, impérios cresceram e caíram, tantas idéias foram superadas, mas a Palavra de Deus continua “viva e eficaz” (Hb 4,12), pois “ela permanece para sempre” (1Pd 1,25). Embora o mundo busca outros caminhos, sempre existiram pessoas e comunidades que foram fiéis, que buscaram nas Palavras Sagradas a fonte para sua inspiração, para continuar vivendo e realizando o projeto de Deus. Mais do que história, a Bíblia é portadora de uma mensagem. Ela é capaz de denunciar e anunciar. Ela denuncia as injustiças, os pecados, as situações desumanas, de pobreza, exploração e exclusão em que vivem tantos irmãos nossos. Foi isso que fizeram os Profetas e também Jesus Cristo em algumas ocasiões, pois toda situação de injustiça e pecado é contrária ao projeto de Deus. Mas a Bíblia é, sobretudo, um livro de anúncio. Ela proclama a boa notícia vinda de Deus: Ele nos ama e nos quer bem! Ele é o Deus que caminha conosco, que está ao nosso lado e nos dá força e coragem! Foi Deus que enviou ao mundo seu Filho Jesus Cristo. Ele veio nos trazer a Boa Notícia do Reino; veio nos trazer a Salvação, o per-

dão dos pecados. É através da fé em Jesus Cristo que nos tornamos filhos de Deus. Na Bíblia encontramos textos para as diversas situações da vida. Ela ajuda a fortalecer a nossa fé; é útil na nossa formação, nos momentos de crises e dificuldades, na dor, na doença ou na alegria… Para todas as realidades encontramos textos apropriados. Todos podemos e devemos ler, estudar e conhecer a Palavra de Deus. É certo que na Bíblia encontramos alguns textos difíceis. A Bíblia mesmo diz isso (veja 2Pd 3,16¸ At 8,30-31; Dn 9,2; etc). Certas passagens foram escritas dentro de uma realidade diferente da nossa. Precisam ser interpretadas e atualizadas. Por isso, quando não entendemos um texto, é melhor passar adiante, buscar outra passagem. O Pe. Zezinho nos ensina cantando: “Dai-me a palavra certa, na hora certa, do jeito certo e pra pessoa certa”. É recomendável fazer um curso, uma Escola Bíblica ou estudar em grupos. Tudo isso ajuda a entender melhor a Bíblia. Na verdade, todo mês devia ser Mês da Bíblia; todo dia devia ser Dia da Bíblia. Por isso, a Bíblia não pode ser apenas um ornamento em nossa casa. A Palavra de Deus deve ser o nosso alimento de cada dia e buscar nela o sustento para a nossa vida. Pois é como diz São Paulo “Tudo o que se escreveu no passado foi para o nosso ensinamento que foi escrito, afim de que, pela perseverança e consolação, que nos dão as Escrituras, tenhamos esperança” (Rm 15,4). Que neste mês da Bíblia, a Palavra que vem da boca de Deus nos anime, dê força e coragem e com isso sejamos cristãos da Esperança!


4

JORNAL A PARÓQUIA - Informativo mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Laranjeiras - Caieiras - SP

ANO V - Nº 64 - Setembro de 2012

EXPEDIENTE Direção e Administração Paroquial: Pe. Wagner da Silva Navarro Conselho Editorial: Cido e Beth Dep. Comercial: João e Maria - Fone 4441-4870 Contato Paróquia: 4605-4868 Produção gráfica e editoração Calheiros e Ribeiro Serviço de Editoração Ltda - Me Projeto Gráfico e Direção de arte: Ronaldo Calheiros - 4441-3266

“A Paróquia” é uma publicação da Pastoral da Comunicação da Paróquia Santa Rita de Cássia

ADVOCACIA


JORNAL A PARÓQUIA - Informativo mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Laranjeiras - Caieiras - SP

Bodas

Bodas de ouro foi realizada na Comunidade Sagrada Família Foi com grande alegria que foi realizada no último dia 22 de julho, a Bodas de Ouro do casal Mozart Emanuel e Antonia Gonçalves A celebração dos 50 anos de matrimônio foi realizada pelo Padre Marteson na Comunidade Sagrada Família, no Portal das Laranjeiras. A família do casal, que é um exemplo de união e cumplicidade, ficou muito feliz pelo carinho dedicado e pela homenagem prestada.

ANO V - Nº 64 - Setembro de 2012

5


6

JORNAL A PARÓQUIA - Informativo mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Laranjeiras - Caieiras - SP

ANO V - Nº 64 - Setembro de 2012

Palavra de Deus

Padre Móises Coelho

A palavra de Deus é luz para os meus pés

Deus na sua bondade e sabedoria, quis revelar-se a Si mesmo e dar a conhecer o mistério de sua vontade (cfr. Ef. 1,9), que nos é revelada por meio de Jesus Cristo, LOGOS-VERBO-PALAVRA encarnada, tornando, nós homens, participantes da natureza divina. A grande novidade da revelação Bíblica consiste no modo como Deus se dá a conhecer. A Constituição Dogmática “Dei Verbum” expõe esta realidade reconhecendo que: “Deus invisível na riqueza do seu amor fala aos homens como a amigos e convive com eles para os convidar e admitir à comunhão com Ele”(§02). A palavra de Deus está presente desde o início da criação de todas as coisas e dos seres. No livro de Gênesis, claramente, vemos Deus criando todas as coisas pela palavra. Trata-se já da palavra de Deus em ação na formação. Ainda no antigo testamento, os profetas anunciam a palavra de Deus para um povo ou uma nação que constantemente esquece-se de seu Deus e que precisa converter-se à uma vida de santidade. O grande Profeta Moisés disse para o povo: “Eis que Iahweh nosso Deus nos mostrou sua glória e sua grandeza, e nós ouvimos a sua voz do meio do fogo” (Dt 5.24). Já o profeta Ezequiel em uma de suas visões, recebe de Deus um livro enrolado, contendo aí suas palavras e seus preceitos. O que torna claro que este profeta não só ouve a palavra mas dela própria, se nutre. Aí percebemos o Deus que por sua palavra vai dialogando e ensinando ao seu povo escolhido. A palavra de Deus tem a ver conosco como cita a Verbum Domini. F omos criados pela palavra de Deus que dá vida e que esta mesma palavra, para ter uma relação maior de proximidade, se encarna,

se materializa. “No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus” (Jo 1,12). Assim como no antigo testamento muitos não ouviram a palavra divina, no Novo, O Evangelista João também apresenta-nos a rejeição por parte de alguns. A palavra divina como Luz, tem iluminado aqueles que a acolheram dando-lhe vida e esperança. Porém, a dureza do coração do homem impediu que esta Palavra faça uma transformação completa e abra-o à compreensão de sua participação da graça divina. Muitos que hoje são Santos e Santas, o são, pela experiência da profundidade desta Palavra. “Não recebê-La quer dizer não ouvir a sua voz, não se configurar ao Logos. Mas, quando o homem, apesar de frágil e pecador, se abre sinceramente ao encontro com Cristo, começa uma transformação radical” (Dei Verbum, § 50). «A todos os que O receberam, (…) deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus» (Jo 1, 12). Dizer que a palavra de Deus é Luz para os meus caminhos significa trazê-la na nossa vida e vivê-la como lanterna que ilumina a escuridão das incertezas e dúvidas da nossa caminhada. Ela é capaz de me ensinar, repreender, corrigir e instruir como escreveu São Paulo a Timóteo (2Tm 3,17). Sejam quais forem as decisões que tomarmos, ou até mesmo diante das realidades existentes na nossa sociedade, precisamos estar imbuídos desta luz que é a palavra de Deus. Basta ver e reler a história do povo escolhido. Muitos escolheram a vida, ou seja, ouviram esta palavra que os salvaram. Diante disto, e de percebermos a importância dessa palavra em nossa vida e sua eficácia quando a utilizamos de forma que Deus se revele por ela em nós, convido a você meu irmão(a), a mergulharmos na palavra de Deus que nos orienta e nos renova todo tempo.

Agenda da felicidade O Sorriso é o cartão de visita das pessoas saudáveis. Distribua-o gentilmente. O Diálogo é a ponte que liga as duas margens, do eu à do você. Transmite-o bastante. O Amor é a melhor música na partitura da vida. Sem ele, você será um eterno desafinado. A Bondade é a flor mais atraente do jardim de um coração bem cultivado. Plante estas flores. A Alegria é o perfume gratificante, fruto do dever cumprido. Esbanje-o, o mundo precisa dele. A Paz na Consciência é o melhor travesseiro para o sono da tranqüilidade. Viva em paz consigo mesmo. A Fé é a bússola certa para os navios errantes, incertos, buscando as praias da eternidade. Utilize-a. A Esperança é o vento bom estufando as velas do nosso barco. Chame-o para dentro do seu cotidiano. Então como vai ser? Ponha em prática!

Pe. Moises Coelho

Colaboração: Edna e Paulo Piovezani


JORNAL A PARÓQUIA - Informativo mensal da Paróquia Santa Rita de Cássia - Laranjeiras - Caieiras - SP

ANO V - Nº 64 - Setembro de 2012

7

(Por VINICIUS VALTRIANI D ELLAGO, Seminário Maior Imaculada Conceição, Diocese de Bragança Paulista – Campinas, 21 de agosto do ano do Senhor de 2012)

Artigo

Anjos e Arcanjos: Mílicia Celeste a Serviço do Reino de Deus Nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, Principados, Potestades: Tudo foi criado por ele e para ele”. Col 1, 16

Ensina-nos a doutrina e a tradição da Igreja que a existência dos anjos é uma verdade de fé, e que tanto a Igreja em sua tradição quanto as Sagradas escrituras são unânimes em atestar isso1. Reserva a liturgia romana dois dias especiais para a celebração dos anjos e arcanjos: 29 de setembro (Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael- devida suas extremas importâncias diante da história da salvação)

e ainda o dia 2 de outubro (festa dos santos anjos de custódia ou da guarda). Tal piedade é assim evidenciada na igreja e popularmente. A Igreja, na pessoa de Santo Agostinho, sabiamente nos ensina que anjo é um ofício, e não a natureza desses seres, que por sua vez, são seres espirituais2. A própria palavra anjo designa o ofício deles, que quer dizer MENSAGEIRO. Não obstante,

nas Sagradas escrituras vemos, tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento, as missões dos anjos: salvam Agar e seu filho (Gn 21, 17); conduzem o povo de Deus (Ex 23, 20 -23); o próprio arcanjo Gabriel anuncia que Maria daria luz ao Salvador (Lc 1, 28 – 31). Ensina-nos também a Igreja que os anjos são feitos por e para Cristo: “Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso (Mt 25, 31).” São d’Ele pois “nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as criaturas visíveis e as invisíveis. Tronos, dominações, principados, potestades: tudo foi criado por ele e para ele. (Col 1, 16).” No apocalipse de S.João vemos que Miguel e os seus anjos foram quem combateram a Satanás: “Houve uma batalha no céu. Miguel e seus anjos tiveram de combater o Dragão. O Dragão e seus anjos travaram combate, mas não prevaleceram. E já não houve lugar no céu para eles. (Apoc 12, 7-8). Os anjos têm, tambem, a função de ajudar no juízo final, como vemos nazzs entre 498 -514 (pontificado do papa São Símaco), que haveria restaurado a Igreja de São Miguel em Sajonia (Alemanha) com o título de São Miguel o Magno4. A São Miguel, a liturgia romana atribui uma dupla função: ser guia das almas até os céu ( todos os anjos os são, mas são Miguel é a ponte principal e, segundo São Gregório de Tours, seria ele que teria apresentado 1

a Deus as almas de Adão e Eva e ainda a de São José e a de Maria Santíssima); a outra atribuição é a de que este é o Defensor do Povo de Deus5: “Foi então precipitado o grande Dragão, a primitiva Serpente... Agora chegou a salvação, o poder e a realeza de nosso Deus..., porque foi precipitado o acusador de nossos irmãos, que os acusava, dia e noite, diante do nosso Deus. (Apoc 12, 9-10). Por isso que detém esse nome: MIGUEL (QUEM COMO DEUS? – quando a serpente pretendeu se igualar ao Altíssimo, Miguel bradara: Quem Como Deus?, segundo antiquissima tradição). A São Rafael Arcanjo designa-se, nos Sagrados textos, a função da cura ( Rafael quer dizer DEUS CURA). Vemos que ele salva Tobias do grande peixe que o ataca em sua viagem, quando este descera ao rio Tigre para lavar os pés (Tb 6, 2 4). Neste mesmo contexto, prevendo a recuperação da visão do pai de Tobias, o anjo manda que ele arranque do peixe algumas víceras para usar como remédio para realizar tal cura (Tob 6, 5; 7, 8) e assim o faz quando Tobias regressara de viagem (Tob 11, 13 – 15). A São Gabriel Arcanjo reserva-se a missão de ser anunciador de Deus e de trasnmitir, por meio desses anúncios, a força e o poder salvifico de Deus; Gabriel, então, quer dizer FORÇA DE DEUS. A mais importante, entre as missões de anúncio que São Gabriel faz e a mais conhecida é a de ANUNCIAR A MA-

RIA QUE ELA SERIA A MÃE DO SALVADOR (Lc 1, 28 – 32...). A liturgia salvaguarda um dia específico para os Anjos da Guarda, o dia 02 de outubro, inserido na liturgia em 16156, no pontificado de Paulo V A Igreja ensina que “desde a infância (Mt 18, 10) até à morte (Lc 16, 22), a vida humana é cercada pela proteção dos anjos - Salmo 34 (33), 8 - e por sua intercessão ( Zc 1, 12), e, segundo são Basilio, ‘Cada fiél é ladeado por um anjo como protetor e pastor para conduzílo à vida.’7". Não é diferente oque aprendemos com nossos pais, nossos avós, com a devoção popular, aonde o - “Durma com os anjos!...”, “Que os anjos te acompanhe!...” - , e ainda, com os mais pequeninos “os anjinhos não gostam que você faça isso!...” - é tão constante vindo dessas pessoas. Que cada um de nós, assembleia reunida em nome do Senhor, fiéis aos ensinamentos da Igreja, constantes aos ensinamentos de nossos pais e esperançosos enquanto eleitos para o projeto de salvação de nosso Deus, possamos também rezar a curta ladainha, tão rica e tão bela dos arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael:

“São Gabriel com Maria, São Rafael com Tobias, São Miguel com todas as hierarquias, abri para nós esta via.” e confiarmo-nos a seus cuidados diletíssimos. Amém.

Cf. Catecismo da Igreja Católica. Vozes, Petrópolis – RJ. 2. Ed. P. 87, par. 328. - 2 Cf. Id. Ibdi. Par. 329. - 3 Cf. Catecismo da Igreja Católica. Vozes, Petrópolis – RJ. 2. Ed. P. 87, par. 332. - 4 Cf. RIGHETTI, Mario. Historia de La Liturgia (A História da Liturgia). Biblioteca de Autores Cristianos, Madrid, 1955 – vol. I, p. 944. - 5 Cf. RIGHETTI, Mario. Historia de La Liturgia (A História da Liturgia). Biblioteca de Autores Cristianos, Ma drid, 1955 – vol. I, p. 946. - 6 Cf. Missal Romano, Memória dos Santos anjos da guarda – munição sobre a celebração. - 7 Cf. Catecismo da Igreja Católica. Vozes, Petrópolis – RJ. 2. Ed. P. 88, par. 336.


8

ANO V - Nยบ 64 - Setembro de 2012

JORNAL A PARร“QUIA - Informativo mensal da Parรณquia Santa Rita de Cรกssia - Laranjeiras - Caieiras - SP


Jornal A Paróquia edição 64 - setembro de 2012