Issuu on Google+

ANO 15 . Nº 154 . MARÇO 2012 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

SERIA ESTE O ANO DO

FIM DO MUNDO?

EDITORIAL • P. 2

MATÉRIA DE CAPA • P. 6

COMPORTAMENTO • P. 16

O MUNDO ESTÁ PARA ACABAR Silas Zdrojewski

SERÁ ESTE O MEU ÚLTIMO ANO? Júlio Cesar Ponciano

SETE ATITUDES QUE AJUDAM NA DEPRESSÃO Ana Paula de Araújo


EDITORIAL

2

O MUNDO ESTÁ PARA ACABAR O fim do mundo já foi predito por muita gente. Para fazer essa afirmação, muitos se basearam em alguma espécie de leitura dos astros; outros, por alguma intuição interior, e ainda há aqueles que disseram ter alcançado tal saber após ter passado por algum tipo de transe, além daqueles que fazem interpretações equivocadas da Bíblia e passam a propagar uma data para o fim. Os menos “ousados” não se atrevem a precisar o dia, mas colocam uma certa época para o fim. Contudo, não foram poucos os que ousaram marcar o dia, mês e ano para o fim e, após essas datas passarem, e o mundo não acabar, eles as remarcaram e, ao verem que o mundo ainda continuava inteiro, arrumaram alguma outra desculpa e continuaram a enganar pessoas. O mais interessante é que grande parte deles, apesar de uma clara demonstração de irresponsabilidade e até mesmo desrespeito para com as pessoas, ainda continuaram ou continuam a ter seguidores. O ano de 2012 tem sido um dos anos em destaque no que se refere ao assunto: “fim do mundo”. A profecia Maia, a respeito de um fim em 21 de dezembro de 2012, tem fomentado o tema e, diante disso, muitos livros foram escritos, a indústria cinematográfica também não perdeu esse momento e colocou o assunto em evidência. Na internet, há inúmeros sites falando sobre isso; em um deles há até um cronômetro fazendo uma contagem regressiva para o fim. Entre as consequências de toda essa movimentação há os que estão ganhando muito dinheiro, aqueles que estão dando risada, os que estão apavorados e chorando, e os que estão, de alguma forma, tentando se preparar para o fim. Não faz

muito tempo, passou uma reportagem na televisão sobre algumas pessoas que estavam fazendo abrigos subterrâneos e acumulando alimentos com o objetivo de sobreviverem ao fim. Creio que todos nós já ouvimos histórias desse tipo em momentos diferentes. Entretanto, querido leitor, quero dizer-lhe que o mundo, realmente, está para acabar. Para mim, na melhor das melhores hipóteses, ele não deve durar mais do que 53 anos. Eu não estou entre os ousados que marcam datas exatas, mas tenho aqui minhas “previsões aproximadas”. Eu quero convidar você que lê este artigo a, também, fazer uma previsão para o fim do mundo, levá-la muito a sério e fazer os devidos preparativos para esse fim. Gostaria de ser um pouco mais detalhista e pedir-lhe que considere um possível abreviamento de tal previsão e se preparar para esse inevitável acontecimento, pois o assunto é mesmo muito sério. Pois é, O fim está mesmo próximo. No entanto, deixe-me esclarecer um pouco o parágrafo acima. Quando eu falei em o mundo acabar em no máximo 53 anos, eu usei a expressão: “Para mim”. O que quero refletir é sobre o fim do nosso mundo pessoal aqui na terra, o fim da nossa existência. Se o meu mundo durar 53 anos, eu serei um homem centenário, e alcançar cem anos é uma possibilidade muito remota. Qual é a previsão para o seu fim? Nada errado em ter uma previsão considerando a nossa idade, mas erraremos muito na vida se a nossa previsão de fim não considerar um fim repentino. Quem de nós pode garantir que estará vivo amanhã ou até mesmo daqui a um minuto? A grande verdade é que precisamos estar preparados para o fim em todo o tempo, pois duas coisas podem acontecer repentinamente: a nossa morte, ou a volta de Cristo. Em Marcos 13. 32 – 37, Jesus disse: “Quanto ao dia e a hora ninguém sabe... somente o Pai. Fiquem atentos! Vigiem! Vocês não sabem quando virá esse tempo... Se ele vier de repente, que não os encontre dormindo! O que lhes digo, digo a todos: Vigiem!” (Minha interpretação de “dormindo”: desapercebido e despreparado). É isso mesmo, O MUNDO ESTÁ PARA ACABAR. SILAS ZDROJEWSKI COPASTOR DA PRIMEIRA IEQ

Redação e Correspondência Comunicação e Marketing Alberto Folloni, 143 - Juvevê 80530-300 41 3252.7215 primeiraieq.com.br facebook.com/primeiraieqcuritiba twitter.com/primeiraieq Revista Voz de Esperança vozdeesperanca@primeiraieq.com.br Diretor Presidente Rev. Eduardo Zdrojewski Comunicação e Marketing Fernando Henrique F. Klinger

Diagramação Emerson Rassolim Batista

Jornalista Responsável Carlos Alberto D. Queiroz (PMST . 1158)

Projeto Gráfico Emerson Rassolim Batista

Ilustrações Jair Cunha e Bruno Hasum

Capa Emerson Rassolim Batista Colaboradores João Tarcísio Regert • Patrícia Locatelli • Júlio C. Ponciano • Rosangela Ferreira • Cristiane D. Bento • Roberto Bueno da Costa • Silas Zdrojewski • Luiz F. Pianowski • Silvio Faustini • Mirian Zahorcak • Eduardo Furtado

Fotografia Diversos CTP e Impressão Nova Gráfica | 3376.5160 Imagens da Capa Internet Tiragem 25.000 exemplares


POR QUE AS MULHERES CHORAM? 8 de março • dia internacional da mulher suportar o peso do mundo inteiro, porém suficientemente suaves para confortá-lo. Dei a ela uma imensa força interior para que pudesse suportar as dores da maternidade e também o desprezo que muitas vezes provém de seus próprios filhos! Dei-lhe a fortaleza que lhe permite continuar sempre a cuidar de sua família, sem se queixar, apesar das enfermidades e do cansaço, até mesmo quando outros entregam os pontos! Dei-lhe sensibilidade para amar seus filhos, em qualquer circunstância, mesmo quando esses filhos a tenham magoado muito. Essa sensibilidade lhe permite afugentar qualquer tristeza, choro ou sentimento da criança, e compartilhar as ansiedades, dúvidas e medos da adolescência! Porém, para que possa suportar tudo isso, meu filho, eu lhe dei as lágrimas, e são exclusivamente para usá-las quando precisar. Ao derramá-las, a mulher verte em cada lágrima um pouquinho de amor. Essas gotas de amor desvanecem no ar e contagiam a humanidade! O homem respondeu com um profundo suspiro: - Agora eu compreendo o sentimento de minha mãe, de minha irmã e de minha esposa. AUTOR DESCONHECIDO

EDIFICAÇÃO PARA REFLETIR

Um garotinho perguntou à sua mãe: - Mamãe, por que você está chorando? E ela respondeu: - Porque sou mulher... - Mas... eu não entendo. A mãe se inclinou para ele, abraçou-o e disse: - Meu amor, você jamais irá entender! Mais tarde o menininho perguntou ao pai: - Papai, por que mamãe, às vezes, chora sem motivo? - Todas as mulheres sempre choram sem motivo... Era tudo o que o pai era capaz de responder... O garotinho cresceu e se tornou um homem. E, de vez em quando, fazia a si mesmo a pergunta: “Por que será que as mulheres choram, sem ter motivo para isso?” Certo dia esse homem se ajoelhou e perguntou a Deus: - Senhor, diga-me por que as mulheres choram com tanta facilidade? E Deus lhe disse: - Quando eu criei a mulher, tinha que fazer algo muito especial. Fiz seus ombros suficientemente fortes, capazes de

3


ACONTECEU

4

De 17 a 21 de fevereiro, a Primeira IEQ realizou no Centro de Estudo e Treinamento Esperança, o seu retiro de carnaval. Neste ano, as palestras e mensagens tiveram como foco o tema geral do evento: metamorfose. O objetivo foi trazer aos participantes a consciência do que é de fato viver em Cristo, a partir do habitar e agir do Espírito Santo em suas vidas. Transformação foi o apelo para a expressão de um cristianismo autêntico em todas as esferas e contextos da vida cristã. Os participantes puderam usufruir dias aprazíveis

e de muita comunhão. Além do aspecto espiritual que fundamentou o retiro de carnaval, a recreação fez parte da programação nesses dias. Neste ano o evento, além de contar com a presença dos pastores Eduardo e Silas Zdrojewski, Jane e Fernando Camargo da Primeira IEQ, contou também com a participação de Rod Shimabukuro, pastor do ministério de ensino na igreja New Hope Christian Fellowship, em Honolulu, Havaí. O encerramento ocorreu oficialmente na terça, 21, às 20h na Primeira IEQ.


INICIATIVA

NÃO SAIA DE CASA SEM ELa

esforçarem-se além do limite confortável. Como disse Conrad Hilton, “o sucesso parece estar ligado à ação. Pessoas bem-sucedidas mantêm-se ativas. Elas cometem erros, mas não desistem”. Desenvolva a capacidade de buscar soluções por decisão própria - é difícil imaginar que alguém possa atingir resultados satisfatórios na vida sem aprender a tomar suas próprias decisões. Até porque, uma pessoa eficiente pode ser mensurada por sua capacidade de encontrar a melhor solução e concretizá-la no menor tempo. Pessoas com iniciativa estão sempre atentas para o que acontece à sua volta. Estão vendo oportunidades em todas as direções. Elas são hábeis para identificar problemas e partem logo para a solução. Neste ponto a iniciativa é justamente isso, a competência do indivíduo em desenvolver por ação própria as soluções possíveis. É ver a oportunidade, acreditar nela, traçar um rápido plano mental, encher-se de força e coragem e fazer acontecer. É por isso que alguém como o presidente Roosevelt, um dos líderes com maior iniciativa do século 20, pode afirmar: “Não há nada brilhante ou extraordinário em minha história a não ser, talvez, uma única coisa: faço o que acredito que deve ser feito, quando decido fazer algo, eu faço”. Pare de procrastinar – o “deixar para depois” é um comportamento contrário à iniciativa. Antes de adiar alguma coisa é preciso pensar nas consequências que a procrastinação gera. Decisões e ações tardias provocam uma infinidade de problemas. Aprenda a tomar decisões e solucionar os problemas assim que estes se apresentarem. Faça o que precisa ser feito, aja rápido, não deixe para depois, porque o bilhete da entrada de hoje não servirá para o espetáculo de amanhã. Saia da zona de conforto. Não seja o tipo de pessoa que precisa ser empurrada para tudo. Ou daqueles que esperam tudo mastigadinho, sem o mínimo de esforço, sempre culpando os outros por seus fracassos. A melhor forma de construir o amanhã é fazer o máximo que podemos hoje. Devemos nos habituar a termos comportamentos pró-ativos, eliminando qualquer tipo de procrastinação nas nossas vidas. Quanto mais adiamos o que temos que fazer, mais nos distanciamos das ações necessárias, e conseqüentemente do sucesso. Se você deseja que os seus sonhos se realizem... acorde!

EDIFICAÇÃO

Um

número relativamente grande de pessoas tem sonhado com grandes conquistas, tem cultivado sonhos e elaborado uma infinidade de projetos, porém, infelizmente, a maioria destes planos nunca se tornam realidade. Acredito que a falta de iniciativa/ação deve ser uma das principais causas da falência de tantos projetos. Esta qualidade é um dos fatores fundamentais para o sucesso, sem ela, por melhor que seja a intenção, qualquer projeto esta fadado ao fracasso. É possível compará-la com o eixo entre duas rodas, sem eixo as rodas não giram, assim também nossa vida pessoal e profissional sem a iniciativa. Mas o que é, exatamente, iniciativa? O dicionário Aurélio nos diz que é a “qualidade daquele que sabe agir, que está disposto a empreender, ousar”; porém, é mais que isso. É a qualidade que incita, ou antes, impele a pessoa a fazer o que é preciso, sem ser necessário que alguém lhe mande ou pressione intensamente. É uma característica daqueles que tomam a frente, que iniciam ativamente um projeto e que, sobretudo, não param no meio do caminho. Está intimamente ligada com a continuidade da ação. Parece bastante pessoal pensar nos valores da iniciativa, visto que se trata de uma qualidade interior. Contudo, é necessário agregarmos conhecimentos e valores para crescermos nesta área. De modo geral, para desenvolver este atributo você deve cultivar as seguintes características: opte continuamente pela ação – Luc De Clapiers escreveu: “O preguiçoso tem sempre o desejo de fazer alguma coisa, contudo, falta-lhe ação”. A sabedoria de Pv 21.25 também nos adverte que “o preguiçoso morre desejando”. Sem ação nenhum sonho se concretiza. Ela é o processo que faz aflorar ou despertar todo nosso potencial para que coloquemos em prática nossos ideais. Fazer planos e projetos não é tão difícil assim, contudo, colocá-los em prática é bem mais complicado. Todo mundo tem uma grande ideia debaixo do chuveiro. Entretanto, apenas algumas pessoas saem do chuveiro, enxugam-se e concretizam a ideia. São as pessoas que fazem da ação uma prática diária. Elas não esperam que os outros a motivem. Sabem que é sua responsabilidade

PaSToR SiLvio J. FauSTini MESTRE EM TEoLogia . PRiMEiRa iEQ

5


MATÉRIA DE CAPA

6

SERÁ ESTE o MEu ÚLTiMo ano? E se hoje eu descobrisse que este é meu último ano na Terra? Nossa cultura nem de longe nos ajuda a pensar na morte. Para nós, a morte não faz parte do nosso cotidiano, só no dos outros. Vivemos comprometidos com nossos objetivos egoístas, nossa carreira e reputação. Consumimos grande parte da nossa força vital na tarefa de ter dinheiro para obter coisas. Se estudamos, é para aprender a ganhar mais dinheiro. Se fazemos cursos de liderança, desempenho, sinergia, antropia, andragogia é para aprender a controlar as pessoas e domesticá-las para que rendam mais, produzam mais. E se não aguentamos a pressão e fugimos para os remédios e os vícios, sugerimos que se viva um dia de cada vez. Nós renunciamos à simplicidade e nos prostituímos pelo sucesso a qualquer preço. Suportamos pessoas mesquinhas e somíticas. Engolimos todos os sapos. Submetemo-nos. Raramente perguntamos a nós mesmos: é só isso? Isso é tudo o que eu desejo da vida? Eu realmente não tenho escolha? Mas voltemos ao problema, porque agora, isso pouco importa, você descobriu que vai morrer, está prestes a deixar de existir: você está morrendo! No entanto, pense bem, todo mundo sabe que um dia vai morrer, só não acreditamos nisso, até o dia em que nos deparamos frente à frente com a morte. Nós nos iludimos com a vaidade da vida e nos afastamos da realidade ou apenas adiamos o enfrentamento. Queremos mesmo é aprender a viver. Nas prateleiras das livrarias existem milhares de livros sobre autoajuda, e talvez se tivéssemos dado alguma atenção a eles teríamos alguma pista. Grande parte desses livros, os que realmente levam à sério o semelhante, o próximo, foram escritos por pessoas machucadas, trituradas, que perderam saúde do corpo para um câncer, que sentiram a dor física, a dor da alma, a solidão do banimento social, a exclusão dos perdedores. Os livros sérios de autoajuda raramente falam de sucesso. Eles contém uma narrativa humana em suas linhas e entrelinhas. Eles sinalizam que não temos levado a vida à sério. E levar a vida à sério é considerar a morte, mesmo o sofrimento, como parte importante da vida. A grande maioria das pessoas que vivenciaram uma experiência traumática e conseguiram elabo-

rar um significado para essa experiência, mudaram. É impossível permanecer a mesma pessoa ante a perda, a dor, o sofrimento, a solidão, a traição. Elas incluem na sua agenda doses saborosas de liberdade, de amor à vida, de risco e aventura, de paixão por uma causa e até escrevem livros sobre a sua experiência. Simplesmente se recusam a se enquadrar novamente no padrão. E os que não conseguem elaborar um significado? Estes definham na depressão, na angústia e no limbo do medo. A grande lição que nos falta é essa, de que para aprender a viver é preciso aprender a morrer. Quando você tiver passando pelo “vale da sombra da morte”, talvez compreenda que é necessário deixar de ser egoísta, de buscar apenas coisas materiais que lhe oferecem praz er. É abrir espaço na sua existência para coisas mais essenciais e espirituais. Quando Jesus estava diante da realidade de sua própria morte e sendo redarguido por Pedro de que sua morte não valia à pena, Ele disse aos seus discípulos: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?” (Mateus 16.24-26). Se este ano realmente for o último de sua existência, talvez seja uma boa hora para abrir espaço na sua vida para algo duradouro e eterno. Algo espiritual. O que Jesus ensinava a seus discípulos nesse momento? Simples, sua alma não tem preço! É preciso encontrar um significado maior e dar um sentido real à sua existência. Isso requer de você assimilar algumas coisas e se livrar de algumas cargas que não servem pra nada. E se o fim do mundo for uma conversa fiada que aparece de tempos em tempos? Bom, pelo menos serviu para animar essa conversa. Em todo caso, fique esta lição entre nós: desapegue-se e não gaste muito tempo com o medo. Vá fundo nas suas emoções, comprometa-se! Não deixe de chorar se sentir dor. Ame com todas as forças tudo o que precisa ser amado incondicionalmente. Não perca muito tempo tentando arrumar as coisas no lugar. Permita que um pouco de desordem na sua mesa, quem sabe isso vire criatividade. Não queira controlar tudo! E o mais importante: faça o que for preciso para pertencer a algo maior e eterno, algo espiritual e verdadeiro. Isso certamente fará com que você deixe um legado, pois viveu, nem que seja no último ano de sua existência, como semente. E se a semente não morrer, jamais cumprirá a sua missão.

JuLio CESaR PonCiano Cientista social e mestre em antropologia


CRISTO É A NOSSA PÁSCOA Nesse mês comemoramos a Páscoa. As lojas e os supermercados estão cheios de ovos de chocolate. Nas escolas, os professores costumam pintar os rostos das crianças de coelhinhos, mas será que este é o verdadeiro sentido da Páscoa? Não, a Bíblia nos ensina o que o verdadeiro sentido da Páscoa é Cristo. “Pois Cristo nosso cordeiro pascal foi sacrificado.” (1 Co 5.7b). Amiguinho, nesta Páscoa, medite em seu real significado: Jesus Cristo, Ele morreu para tirar nossos pecados e nos dar vida eter-

na. E a prova que Ele de fato pode nos libertar da morte eterna é sua ressurreição. Jesus está vivo, na presença de Deus e voltará novamente para buscar aqueles que o amam e obedecem à sua Palavra. Confie em Jesus e celebre a verdadeira Páscoa! Em vez de um ovo de chocolate, receba a Cristo como seu Senhor e seu Salvador e fale essa verdade a quem ainda não a conhece. Rosangela Ferreira . Pastora do Ministério de Crianças

PROGRAMA TEMPO DE CRIANÇA, TODA QUINTA-FEIRA RÁDIO SARA BRASIL (FM), 7h45 E àS 18h • RáDio MARUMBI (AM), ÀS 9H

AJUDE AS CRIANÇAS A ESCOLHER O CAMINHO, QUE LEVA AO VERDADEIRO SIGNIFICADO DA PÁSCOA.

QUIBE DE PEIXE

MODO DE PREPARO Desfie o peixe e misture com o coentro e 1 1/2 cebola bem picadinhos. Lave o trigo, esprema-o bem e junte ao peixe. Amasse tudo e passe na máquina. Tempere com sal e pimenta-síria. Amoleça com um pouco de água e caldo de limão. Pique 1/2 cebola restante e leve-a ao fogo com óleo, apenas para murchar, sem dourar. Arrume essa cebola no fundo de uma assadeira e disponha por cima a massa de peixe, com a espessura de centímetro e meio aproximadamente. Alise bem com as mãos úmidas. Recorte de leve por cima, em quadrados e cubra com bastante óleo. Leve ao forno bem quente durante meia hora. Depois diminua o fogo e deixe até assar.

TEMPO DE CRIANÇA

INGREDIENTES 1/2 kg de filé de pescada branca 350 g de trigo para quibe 2 cebolas pequenas 2 macinhos de coentro verde Sal Pimenta-síria Caldo de 1/2 limão Óleo

culinária

www.soreceitas.com

7


TUALIDADES VAIDA & SAÚDE

8

atualidades PESQuiSa aLEMÃ REvERTE EnFiSEMa PuLMonaR EM RoEDoR Experimentos com camundongos mostraram que é possível reverter o dano causado aos pulmões pelo enfisema ou por outras formas da chamada doença pulmonar obstrutiva crônica (conhecida pela sigla DPOC). Uma substância que já chegou a ser testada em humanos, ministrada a roedores com enfisema, conseguiu resgatar tanto os vasos sanguíneos quanto os alvéolos dos bichos, danificados pela exposição à fumaça de tabaco. A abordagem, relatada na última edição da revista científica “Cell”, foi bolada por alemães da Universidade de Giessen, liderados por Norbert Weissmann. O plano dos pesquisadores é criar uma droga inalável que, no futuro, seria aplicada a pacientes humanos. A ideia, contudo, ainda não tem data para ser posta em prática. A pesquisa com os roedores é importante também por desvendar uma série de mecanismos básicos sobre como o enfisema e outros tipos de DPOC (como a bronquite crônica) se formam. PROBLEMA GIGANTE Apesar do nome obscuro, a DPOC representa um problema extremamente comum de saúde pública. Calcula-se que em 2020 as variantes da doença vão se tornar a terceira causa mais comum de mortes no mundo. É comum que as formas do problema sejam acompanhadas de hipertensão pulmonar. Até 70% dos pacientes com DPOC possuem alterações severas nos vasos sanguíneos que irrigam o pulmão. Mas não se sabia se há uma relação direta entre esse fato e o enfisema propriamente dito, caracterizado pela dilatação excessiva dos alvéolos pulmonares. No estudo, os alemães submeteram os camundongos a oito meses de fumaça de tabaco e viram, primeiro, que alterações nos vasos sanguíneos que chegam ao pulmão ocorrem antes do enfisema propriamente dito. A fumaça fazia esses vasos ficarem “musculosos”, supercrescidos. Nesse processo, havia a liberação de NO (óxido nítrico). Em condições normais, a substância é essencial para manter os vasos sanguíneos em bom estado, mas o excesso dela leva a uma reação química destrutiva. E justamente essa reação que parece estar por trás dos danos aos alvéolos. Os pesquisadores, então, usaram uma substância que inibe a produção de óxido nítrico. O resultado foi animador: após alguns meses, tanto os problemas nos vasos quanto os que afetavam os alvéolos foram bastante minimizados nos camundongos. A boa notícia é que, em testes preliminares com humanos, a substância usada no estudo não pareceu trazer efeitos colaterais negativos. REinaLDo JoSé LoPES EDiToR DE CiênCia E SaÚDE www1.FoLha.uoL.CoM.BR


FÉ E CIÊNCIA

10

LiXo Da aLMa Quando falei sobre o sangue em um artigo anterior, expliquei que pelo sangue são transportados os nossos resíduos celulares. Temos em torno de 130 trilhões de células e elas, pelos processos de metabolismo interno, respiração, digestão etc., produzem, literalmente, lixo celular. Esse processo de limpeza impede que substâncias tóxicas permaneçam contaminando e destruindo nosso corpo. É algo semelhante ao que acontece nas cidades, onde diariamente toneladas e toneladas de lixo são transportadas para lugares preparados e apropriados para isso. O que geralmente esquecemos é que também acumulamos lixo espiritual em nossas vidas. Erros passados, desilusões, rancores, medos, ódios, ciúmes e tudo mais que se refere aos nossos sentimentos podem se acumular e transformar-se em algo tóxico ao organismo, produzindo ou auxiliando a produzir as mais diversas doenças. Todos sabem que uma tristeza prolongada pode ser sinal de depressão, bem como ataques cardíacos podem vir após um estresse pelo qual a pessoa passa. Um estresse longo, além de todos os problemas psicológicos que produz, traz também a baixa da defesa imunológica e com isso podemos ter as mais variadas infecções. Alguns pesquisadores relacionam até certos tipos de cânceres com amarguras da alma. Tudo isso nos mostra que devemos limpar o nosso interior com os “solventes” que Deus nos dá, e eles são muitos. Em primeiro lugar, essa limpeza deverá ser iniciada com o perdão; vejam o que Jesus fala em Mateus 6.14 e 15: “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas”. Quando não perdoamos, aquilo nos incomoda muito e impede a nossa cura espiritual, e esse “lixo infernal” nos incomoda dia após dia. E só a mão de Deus poderá fazer essa limpeza nos “cantos mais escondidos da nossa

alma”. Quando Elias, após uma vitória, entrou numa caverna em sinal de depressão, precisou ouvir a voz de Deus mandando-o sair da caverna (da depressão). Temos de nos conscientizar dessas “sujeiras” que nos atrapalham diariamente, e pedir a ajuda de Deus, e então, Ele nos limpará e nos deixará mais alvos do que a neve. A nossa oração deve ser consciente e profunda, visualizando cada ponto do nosso ser onde possa existir “poeira tóxica”. A oração mais honesta e profunda abre e expõe esses pontos para que o “espanador divino” passe e remova tudo. “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve”. (Salmos 51.7). O hissopo (Hyssopus officinalis), uma planta medicinal, foi por muito tempo usada como depurativo, para se limpar o organismo. É usada aqui como exemplo de algo que purifica, limpa o nosso organismo. Quando confessamos nossos pecados e perdoamos os outros nos sentimos leves, este é o principio da cura. Em Tiago 5.16 diz: “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados”. Quando esquecemos o passado, como Deus faz conosco, podemos transformar um fato em uma lembrança que não nos incomoda mais, pois fomos curados dos malefícios daquele fato. Aqueles que um dia tiveram sarampo, podem não lembrar mais disso; podem ter ficado até as marcas, mas o corpo produz os anticorpos necessários para que o sarampo não volte mais. Temos que ser vacinados pelo poder de Deus em nossas vidas e tomar como a maior verdade depois de nossa conversão o fato de que as coisas passadas ficaram para trás e uma vida nova foi feita, como a Palavra de Deus diz: “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. (2 Coríntios 5.17).

LuiZ PianowSki CiEnTiSTa E DouToR EM TECnoLogia FaRMaCêuTiCa PianowiSki.BLogSPoT.CoM


P

autamos nossas vidas numa correria desenfreada, em busca de resultado. Muitos chegam a alcançar relativo sucesso profissional e financeiro, mas ao longo da vida descobrem que não encontraram o essencial. Sentem uma lacuna, uma trilha de frustração e tristeza... Muitas vezes, preferem deixar o tempo passar, ou entregam-se à bebida, drogas, tentam suicídio, ou simplesmente desistem de viver, ao invés de buscar princípios e valores divinos. Rubem Alves, filósofo e teólogo, escreveu um poema sob título “O tempo e as jabuticabas”, que ilustra a essência e o efêmero:

Jesus trouxe um novo mandamento: Eu lhes dou este novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros. (João 13.34). Não há maior essência do que esta. Não sejamos displicentes, e façamos com que as pessoas que Deus tem nos dado a cuidar, possam produzir frutos (Gálatas 5.22), a começar pelos mais próximos (cônjuge, filhos, colegas trabalho etc.). Isso não é tarefa fácil, pois estamos falando de pessoas, por vezes complicadas e cheias de problemas, incluindo nós mesmos. Em recente artigo publicado nesta mesma Revista, concluímos que pessoas são presentes, umas vêm embaladas, outras não. Algumas embalagens são bonitas, outras amassadas, rasgadas. Somos úteis a certas pessoas, outras a nós. Mas o que devemos mesmo é aprender a lidar com todos, com as diferenças, pois não há outro caminho para alcançar o céu, a náo ser amar ao próximo como a si mesmo.

A ESSênCia EO EFêMERo LynDon JohnSon L. SanToS PaTRíCia LuCianE SanToS DE LiMa MINISTÉRIO DE CASAIS . PRIMEIRA IEQ

11

FAMÍLIA, UM PROJETO DE DEUS

“Contei meus anos e Descobri que terei menos tempo para viver Daqui para a frente do que já vivi até agora... Tenho mais passado do que futuro... Sinto-me como aquele menino Que recebeu uma bacia de jabuticabas... As primeiras ele chupou displicente... Mas percebendo que faltam poucas, Rói até o caroço... Já não tenho tempo Para lidar com mediocridades... Não quero estar em reuniões Onde desfilam egos inflados... Inquieto-me com invejosos Tentando destruir quem eles admiram, Cobiçando seus lugares, talentos e sorte... Já não tenho tempo Para conversas intermináveis... Para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias Que nem fazem parte da minha Já não tenho tempo para administrar Melindres de pessoas que, Apesar da idade cronológica, São imaturas... Detesto fazer acareação de desafetos Que brigam pelo majestoso Cargo de secretário-geral do coral... As pessoas não debatem conteúdos Apenas rótulos... Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos Quero essência Minha alma tem pressa... Sem muitas jabuticabas na bacia, Quero viver ao lado de gente humana, muito humana... Que sabe rir de seus tropeços, Não se encanta com triunfos... Não se considera eleita antes da hora... Não foge de sua mortalidade. Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade... O essencial faz a vida valer a pena... E para mim BaSTa o ESSEnCiaL!


ACONTECEU COMIGO

12

Eu Sou LivRE! Sou mãe, Matheus tem quatro anos, e hoje está muito bem de saúde, graças ao meu bom Deus, porém não foi sempre assim. Tive uma gestação difícil e exigiu repouso absoluto até a 39ª semana de gestação. Apesar da tensão, aproveitei este tempo para ler, orar e me encher da Palavra. Acreditava que meu filho era um presente de Deus, logo não temia que ele nascesse antes da hora, pois Deus estava no comando e Ele certamente faria o melhor. Pensei que quando meu filho nascesse, finalmente poderia ter uma vida “normal”. Contudo, com o nascimento dele minhas preocupações aumentaram, pois Matheus não ganhava peso e chorava muito por conta de uma dor, que nenhum médico conseguia diagnosticar. No início orava e levava meu filho aos médicos, mas tamanho era o sofrimento dele, que o rancor começou a adentrar ao meu coração. Comecei a pensar: “Por que Deus faz isso comigo? Que propósito pode haver em uma criança tão pequena sofrer tanto? Matheus é um presente de Deus, por que sofre tanto?”. As dúvidas somadas ao rancor minaram meu coração. A partir daí não orava mais, não buscava Deus, foi como se eu tivesse ficado “de mal” com Ele. Por ter formação na área da saúde, comecei a lutar sozinha, pesquisava e estudava muitas doenças, na tentativa de encaixar os sintomas do Matheus em algum diagnóstico. Procurei muitos médicos, inclusive alguns renomados. Tentei de tudo que a ciência podia oferecer e nada, meu filho não ganhava peso e ainda tinha dor. Quando o Matheus completou cinco meses, estava exausta, pois não obtive progresso nenhum. Numa madrugada, diante da minha total impotência, me ajoelhei na sala e falei com Deus. Abri meu coração, pedi perdão pelo tempo em que eu tinha me afastado e reconheci que sem Ele nada podia. Com sinceridade agradeci pela vida do Matheus, pela oportunidade de ser mãe e pelo imenso amor que sentia pelo meu filho. Pedi que Deus cumprisse na vida do Matheus a vontade Dele, pois não podia mais aguentar ver meu filho com dor. Naquele momento fiz uma entrega sincera da vida do meu filho para Deus. Naquela mesma semana levei meu filho a uma consulta e o médico perguntou o que eu havia dado algum remédio ou leite diferente para o Matheus, respondi que não tinha mudado nada. Então

ele me falou que meu filho tinha ganhado peso. Disse ao médico que Deus fez um milagre. Deus nunca quis a vida do meu filho, Ele sempre quis o meu coração. Depois desse dia ele foi melhorando, não tinha mais dor, porém alguns problemas de saúde ainda não resolvidos. Assim eu fui, de luta em luta, agora sempre com Deus, por isso de vitória em vitória. Tudo estava bem quando ouvi sobre um curso para mulheres na Primeira IEQ, que ensinava como educar filhos segundo a Bíblia, pensei: “É isso mesmo que preciso para continuar me fortalecendo.” Quando fui fazer a inscrição para esse curso descobri que o módulo filhos seria o 3°, e eu teria que fazer os outros dois, a fim de alcançar meu objetivo. O curso Mulher Plena foi mais um presente de Deus para minha vida, aprendi muitas coisas e consegui perceber comportamentos meus que não condiziam com a realidade cristã. Fui abandonando atitudes erradas e adotando ações e pensamentos de uma mulher cristã, pequenas coisas, que não conseguia ver, mas de maneira doce e serena o Espírito Santo de Deus me levou a abandonar. No curso “Mulher Plena” aprendi a me amar, a amar e honrar meu marido, a me perdoar e a perdoar outras pessoas, posso dizer que neste curso eu fui liberta. Porém, havia um aspecto da minha vida a ser tratado: meu relacionamento com meu filho, pois por tudo que ele passou me tornei uma mãe superprotetora. Percebi que eu seria confrontada com minha maior fraqueza, pois apesar da entrega que fiz do Matheus ter sido verdadeira, ao longo dos anos fui “tomando” ele de volta. Confiava nos meus cuidados em relação ao meu filho e não nos cuidados de Deus, as preocupações com meu filho tinha se tornado uma prisão para mim. Creio que Deus me levou até o curso Mulher Plena para ser liberta, não só dessa, mas de tantas outras prisões. Glorifico a Deus por ter usado o curso Mulher Plena como instrumento para minha libertação. Por isso convido você mulher a se libertar das “suas” prisões, seja elas quais forem. Venha caminhar junto com mulheres que estão prontas a te ajudar. Venha caminhar para a liberdade, participe do Curso Mulher Plena! ADRIANA MONTEIRO MARTINS BESS DE SOUZA.

CuRSo MuLhER PLEna O curso Mulher Plena me ensinou a ser uma mulher segundo o coração de Deus. Sei que tenho muito que aprender ainda, mas fui tocada e quero sempre mais e mais de Deus em minha vida. Faz mais de um ano e alguns meses que estou casada. O início não foi nada fácil, e diante das dificuldades pensei em desistir logo de cara. Cheguei a duvidar se realmente Deus olhava por mim. As brigas, as acusações, as humilhações, e as tristezas eram tantas que minha esperança era apagada a cada situação. Contudo, sentia que Deus tinha um propósito para nós. Certo dia aconteceu uma briga feia entre meu marido e eu, então meus sogros me aconselharam a buscar a igreja. Mal sabia eu que iria encontrar lá o que precisava: pessoas que fariam me sentir melhor, aceitaria Jesus, Deus me daria muitas respostas e me conduziria ao caminho de Seu Filho, Jesus. Louvo a Deus por toda sabedoria que adquiri durante esse tempo, e sei que as lágrimas do passado foram para regar os sorrisos de hoje. Aprendi a ouvir mais e falar menos. No que calei, meu marido começou a falar. Ele fala do trabalho, das amolações, do estresse, da

faculdade, e apenas o meu sorriso vale como resposta e conselho. Aprendi a ser auxiliadora. Descobri que posso fazer coisas para as quais meu marido não tem tempo. Faço por nós, sem cobranças ou recompensas, apenas por que me sinto muito bem por isso. Aprendi a edificar meu lar, a ter paciência, a ser moderada, a tratar bem meu marido, e que pequenos gestos podem colher grandes atitudes. Hoje falo com orgulho que minha casa é um lar de verdade, e que serve ao Senhor. Com isso temos paz, amor, e a proteção divina. Sei o valor que tenho para Deus e que Ele é o centro da minha vida. Sei também que somente o amor de Deus pode preencher de fato minhas lacunas. E Deus tem feito tantas transformações e milagres em nossas vidas, que fomos abençoados com um bebê, e o estamos esperando com muita alegria. Que os ensinamentos, palavras, conselhos, testemunhos e relatos que são compartilhados no Curso Mulher Plena possam sempre impactar os corações das pessoas que se propõem a participar dele, assim como impactou o meu. C.F.R.R.


P

BATALHA ESPIRITUAL TÃo REaL QUANTO A NOSSA EXiSTênCia PEDRo h. M. guiDoLin MINISTÉRIO DE LiBERTaçÃo PRiMEiRa iEQ

13

CONHECENDO ESPECIAL A PRIMEIRA IEQ

ouco se sabe a respeito de batalha espiritual, pois o nome já diz “espiritual”. No entanto, precisamos ficar alertas quanto a essa realidade ao nosso redor, afinal, sabemos que Satanás e seus demônios não dormem. Em 1 Pedro 5.8 lemos: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar”. Em nossa sociedade presenciamos cenas chocantes de bombardeios, tiros, invasões, mortes, entre outras, tudo consequência de guerras no mundo. Não é em vão que as Escrituras dizem: “Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno” (1 João 5.19). Com essa afirmação, encontrada na Bíblia, temos a certeza do confronto que todo cristão terá de enfrentar, seja em sua casa com seus familiares, no lazer com seus amigos ou no trabalho com seus colegas. Contudo, somos convocados pelo Senhor para nos revestirmos de toda a armadura de Deus “[...] para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. (Ef 6.10-12). Temos sim de confrontar, batalhar, lutar e perseverar em oração para defender as causas do Senhor, tanto as nossas como as de pessoas que necessitam do favor de Deus em suas vidas e de seus familiares. Contudo, não significa que seja fácil e rápido, de maneira nenhuma! A batalha requer compromisso com Deus, e isso não impede que nos machuquemos durante a luta. Todavia, temos de nos alegrar porque as Escrituras nos dizem que: ”Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Rm 8.37). Através da compaixão que o Senhor Jesus nos ensinou precisamos ajudar as pessoas que estão sofrendo nas garras dos demônios, e dos mais variados tipos de manifestações, como, por exemplo: envolvimento com entorpecentes, alcoolismo, imoralidades sexuais, violência e, até mesmo, com problemas sentimentais e profissionais. Quanto mais alguém se afasta da presença de Deus, mais se torna vulnerável às ciladas do diabo. Porém, ao contrário, aproximando-se mais do Senhor Jesus, logo terá mais do poder de Deus para, assim, lutar o bom combate, como o apóstolo Paulo escreveu em 2 Tm 4.7: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé”. Não sejamos ingênuos de achar que tudo isso sobre batalha espiritual é algo imaginário e fantasioso. Essa guerra é real e destrutiva para aquele que a ignora. O nosso inimigo invisível é totalmente organizado, astuto e nunca aparece aos homens da maneira que ele realmente é: mau, impiedoso, cruel. Assim ninguém iria aceitá-lo. Por isso ele rasteja asquerosamente no mundo para levar almas para o inferno, onde há sofrimento eterno. Apesar de todas essas “forças” que o Diabo utiliza, nada, absolutamente nada, se compara ao poder que há no nome do Senhor Jesus! Glória a Deus por isso! Assim diz em Mc 16.17,18: “(...) em meu nome expulsarão os demônios; (...); pisarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão”. Batalha espiritual é, sem dúvida, um tema muito amplo e requer cuidado, precaução e, acima de tudo, ousadia para debatê-lo. Trata-se de um assunto bastante polêmico, mas como não discutir sobre ele? A batalha espiritual é uma verdade bíblica e temos de enfrentá-la, pois diz respeito à vida eterna, que pode ser ao lado do Criador, do Senhor Jesus e do Espírito Santo, ou no inferno junto de Satanás e seus demônios, onde haverá choro e ranger de dentes (Mt 25.30). Não existe um terceiro caminho, não existe aquela história que todos os caminhos levam a Deus. Isso não consta na Bíblia, não é verdade! Ao contrário, em Jo 14.6 lemos: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. Temos a obrigação, como Igreja do Senhor Jesus Cristo, de lutar o bom combate, ter em nossos corações a compaixão, vestirmos a armadura de Deus e, no final, seremos mais que vencedores em Cristo! Venha lutar nessa guerra inevitável ao lado do nosso Deus, com os cuidados do Espírito Santo e pelo poder que há no nome do Senhor Jesus. Venha defender seus propósitos, sua família e seus amigos. Venha defender sua vida, toda sexta-feira, a partir das 22h30.


GRUPOS PEQUENOS

14

CORRENDO

A MESMA CORRIDA Quem, em sua infância, nunca participou de uma atividade, uma brincadeira ou um jogo em grupo, em que a diversão proporcionou um tempo de inusitada alegria? O tempo passava com tal velocidade, que nem nos dávamos conta da hora de voltar para casa, queríamos mais era estar junto daqueles, que com o tempo, tornaram-se nossos amigos. Certamente, aqueles foram momentos únicos e marcantes, que de alguma forma procuramos reproduzir na vida adulta. Ao trazê-los à memória, sentimos saudade do companheirismo e dos relacionamentos estabelecidos sem dificuldades. Nossas diferenças nos completavam, pois a singularidade de cada um contribuía e fortalecia o grupo. Com isso, o compromisso, a responsabilidade e o respeito integravam a forma de manifestarmos a nossa consideração. Quando crianças, nossos relacionamentos aconteciam de forma espontânea e simples. Hoje quando falamos de Grupos Pequenos, da proposta que a Primeira IEQ tem trazido para a igreja, deveríamos considerar esse mesmo formato infantil e fazer da simplicidade uma ferramenta para o desenvolvimento do nosso grupo. Uma criança não tem medo de se expor e de perguntar, e essa prática é uma ótima opção para a base do relacionamento de qualquer Grupo Pequeno. Imagine o seu grupo sendo um local sem protocolo ou máscaras, com alto grau de companheirismo, aceitação e confiança, a ponto de você se sentir em casa, entre verdadeiros amigos, uma família? Contudo, para o estabelecimento de um ambiente assim, em nosso Grupo Pequeno, nos deparamos com um grande desafio: o exercício do amor não fingido, como orienta o apóstolo Paulo em Romanos 12.9. Quando há o amor fraternal manifesto, o sucesso individual rapidamente torna-se coletivo, pois a conquista e a alegria de

um é a conquista e a alegria de todos. De fato o amor é o maior elo entre as pessoas; quando há amor entre os membros do grupo, este proporciona comunhão e o desdobramento disto é crescimento, edificação e aprendizado da Palavra de Deus. Em nosso Grupo Pequeno temos procurado trazer essa consciência para nossa convivência em grupo. Tornar nossa comunhão uma vivência prática do amor em Cristo tem sido o resultado de um esforço comum entre os integrantes do nosso grupo, pois temos compreendido que, se queremos seguir em frente e estabelecer relacionamentos significativos, cada um tem que fazer a sua parte nesta construção. O que temos aprendido em nosso grupo levamos para nossos contextos pessoais e procurado manifestar aos outros, o que tem feito diferença em nossas vidas. Entendemos que a vida cristã é uma corrida, onde corremos, não por lazer ou entretenimento, mas porque temos um alvo: alcançar o prêmio da vida plena que está proposta em Cristo Jesus. A importância dos Grupos Pequenos está no fato de todos nós estarmos envolvidos num mesmo projeto, aceitando o desafio que nos foi proposto e sabendo que nossa vitória já nos foi dada pelo Senhor Jesus. Sinto-me honrado de ser um facilitador de um Grupo Pequeno. O convívio com as pessoas do meu grupo tem acrescentado à minha pessoa e dado um sentido a mais no serviço que presto ao Reino de Deus. A troca que acontece em nossos encontros é uma bênção e sempre nos enriquece, pois sempre partilhamos de nós mesmos e do que Senhor tem ministrado as nossas vidas. “Graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por meio de nós manifesta em todo o lugar a fragrância do seu conhecimento”. (2 Coríntios 2.14). FERnanDo kLingER COORD. DEP. COMUNICAÇÃO PRIMEIRA IEQ


Macau, uma ex-colônia portuguesa na China, é um mosaico de culturas. Ao andar pela cidade você pode ver a beleza na contrastante arquitetura, ora portuguesa, ora chinesa, ora natural. Atualmente iniciaram a construção de obras monumentais de estilo europeu e americano, no que corresponde aos novos cassinos vinculados a Las vegas. Devido a isto, os cassinos locais têm que se mover para corresponder ao progresso que vem de fora. Macau é a Las vegas da ásia. isto fez com que toda economia de Macau fosse baseada no jogo, com alto investimento e apoio do governo, o que resultou e resulta em graves problemas sociais como drogas, prostituição, vício do jogo, dívidas, suicídio, corrupção, famílias desestruturadas e quebradas etc. Em meio a tudo isto nós encontramos jovens totalmente fragilizados e abandonados, tendo acesso a coisas danosas, sem limites e sem direção. Em 2011, o número de jovens de 0 a 14 anos se encontra ao redor de 65.900. Eles têm se criado nas ruas ou pelas empregadas domésticas, têm tido acesso a um mundo promíscuo muito cedo e acabam por perder todo o senso de limite. No ano passado o governo divulgou um número estarrecedor de suicídios em Macau, na faixa de 70 pessoas por mês (2 a 3 por dia). Esta semana saiu uma reportagem em um jornal local tratando dos casos dos jovens anônimos (também chamados de hikikomori), que se trancam dentro de casa e evitam contato com outras pessoas, passando horas na internet, jogando jogos eletrônicos, assistindo desenhos animados e dormindo por períodos muito longos. A reportagem cita cerca de 70 casos confirmados e outros 1.600 que podem ainda cair no isolamento (alguns chegam a ficar três meses sem sair de casa). As drogas ilegais e legais têm se tornado fáceis de serem obtidas. Há violência doméstica, mas raramente é denunciada, sendo tratada como tabu, uma vez que os problemas familiares devem ser “mantidos dentro de casa”. Ao vermos os adolescentes e juniores sem uma opção saudável de relacionamentos e ritmo de vida, sentimos Deus nos movendo para alcançar esta faixa etária que estava abandonada em Macau. Começamos com um projeto chamado Teen Potencial (Potencial Jovem) pelo período de um ano, uma reunião semanal às sextas-feiras, à noite, buscando alcançar adolescentes de 12 a 18 anos de idade. No início tínhamos cinco adolescentes, todas meninas. Em seis meses fomos para quase 30. As reuniões envolvem música, jogos, uma palestra com o uso de mídia (fotos, vídeos, música), dança (hip hop) e lanche. A partir daí, formamos uma banda, um grupo de dança e temos alcançado inclusive as famílias. Após um ano, abrimos uma associação junto ao governo chamada Foursquare international Life alternative association (associação Quadrangular internacional alternativa de vida) ou FiLa. Mudamos

o nome da reunião dos adolescentes de Teen Potential para Life alternative for Teenagers (L. a. 4 Teens) ou, em português, alternativa de Vida para Adolescentes. O governo de Macau ficou sabendo do nosso projeto, um funcionário do Instituto de Ação Social veio participar de nossa reunião, gostou do que viu e disse que o governo estaria disposto a apoiar o nosso projeto, pois “o governo estava atrás de associações que trabalhassem tentando alcançar e resgatar jovens e adolescentes”. Estamos à procura de um lugar maior para alugarmos para fazer as reuniões e desenvolver o nosso projeto de alcançar os jovens da noite, abrir um centro de aconselhamento e desenvolver um local para o ensino de música, dança, cursos profissionalizantes, ensino teológico e treinamento nas áreas de relacionamento, família, meio ambiente etc. Em dezembro de 2011, os nossos dois filhos, junto com alguns amigos, vieram pedir que começássemos uma reunião para a faixa etária deles. Assim, no dia 3 de dezembro de 2011 iniciamos o Pré-Teen Alternative (Alternativa para Juniores), uma reunião para juniores dos 8 aos 13 anos de idade. Começamos com dez crianças e o número já tem aumentado. No Natal tivemos seis conversões e na última semana de janeiro uma das mães nos ligou para dizer que seu filho mais novo lhe chamou para perguntar como é que se fazia para andar com Deus. No dia seguinte, de manhã, ele nos chamou aos prantos dizendo que queria ir para o céu, que queria receber a Jesus. À tarde, como ele estava quieto, foram checar em seu quarto para ver o que estava fazendo. Ele estava lendo a Bíblia. Já tinha lido os quatro primeiros capítulos de Gênesis. Isto aconteceu após ele ter vindo em nossa reunião, na qual falamos da queda do homem, sobre pecado e sobre salvação. Outro menino de 13 anos, no Natal, veio me perguntar como é que se fazia para receber a Jesus. Eu expliquei e ao fazer o apelo ele foi um dos que aceitaram a Jesus. Após isto, ele perguntou para quem ele deveria confessar os seus pecados agora? Enquanto explicava, ele fechou os seus olhos e começou a pedir perdão a Deus por alguma coisa que realmente o estava perturbando. Um dia eu perguntei a eles o que eles não gostavam neles e este menino respondeu que não gostava de sua personalidade, porque ninguém gostava dele do jeito que ele era. Temos trabalhado casos de suicídio, divórcio, violência doméstica, homossexualidade, namoro, relacionamentos quebrados, vícios etc. E ainda temos muito trabalho pela frente. No mês de março estaremos completando dois anos do início deste projeto, pela graça de Deus e pelo seu investimento e oração. Há muito ainda por vir e fazer. Obrigado pastor Eduardo e obrigado Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular por fazerem parte de nossas vidas e de nosso ministério!

MISSÕES

CRianDo aLTERnaTivaS!

15


COMPORTAMENTO

16

SETE ATITUDES QUE AJUDAM NA DEPRESSÃO A depressão está longe de ser uma simples tristeza - é uma doença séria que precisa ser tratada. “Ela ocorre por causa de uma tendência hereditária e algumas substâncias cerebrais em desarranjo, principalmente a serotonina e a noradrenalina”, afirma a neurologista Thais Rodrigues, de São Paulo, especialista do Minha Vida. Sentir uma tristeza muito profunda, que não passa, é motivo suficiente para procurar um profissional de saúde mental, que poderá receitar medicação e terapia. Além do tratamento, quem sofre desse mal também pode tomar atitudes que melhoram o quadro da doença. Confira a seguir. PRATIQUE EXERCÍCIOS FÍSICOS A saúde da mente começa pelo corpo. “O exercício físico libera endorfinas e aumenta os níveis de serotonina e dopamina, potencializando o efeito antidepressivo do tratamento”, explica a neurologista Thais. Além disso, o organismo só funciona adequadamente se estiver com o equilíbrio de fatores físicos, psíquicos e sociais. “Quando algum desses fatores é prejudicado ou beneficiado, os demais sofrem as consequências”, diz a psicóloga e terapeuta comportamental Denise Diniz, coordenadora do Setor de Estresse e Qualidade de Vida da Unifesp. Dessa forma, se o paciente com depressão consegue ânimo para se exercitar, também conseguirá melhorar questões psíquicas, tais como a depressão. MANTENHA A AGENDA EM DIA Uma das principais manifestações da depressão é a falta de iniciativa e de vontade para realizar até mesmo tarefas cotidianas, como levantar-se da cama. “Fazer uma agenda e programar o dia ajuda a dar motivação e compensar essa defasagem”, afirma Adriana de Araujo, psicóloga e autora do livro “O Segredo Para Vencer a Depressão” (Editora Universo). No entanto, todo cuidado é pouco na hora de estabelecer as atividades do dia. Adriana conta que fica difícil para o paciente com depressão seguir a mesma rotina de antes da doença. A agenda deve ser realista, de acordo com a capacidade dessa pessoa. “Se os desafios estabelecidos não são cumpridos, a sensação de fracasso aumenta, piorando o quadro da doença”, alerta. ALIMENTE-SE BEM Comer demais ou simplesmente não comer é clássico de quem sofre de depressão, mas manter a alimentação saudável é um passo importante para a recuperação. Thais Rodrigues explica que jejuns prolongados demais ou exageros alimentares modificam a química

REguLaR o Sono, MuDaR a aLiMEnTaçÃo E A ROTINA SÃo aLguMaS FoRMaS DE COMBATER A DOENÇA. do corpo, em especial entre aqueles que abusam de carboidratos simples, como doces, em busca de conforto. “Isso provoca variações bruscas nos níveis de glicemia, insulina e serotonina”, diz a neurologista. O indicado pela especialista é comer a cada três ou quatro horas, preferindo carboidratos integrais e alimentos com triptofano, um aminoácido que ajuda na produção de serotonina. Exemplos desses alimentos são: leite, carnes magras, banana e nozes. FUJA DO ÁLCOOL Embora a sensação inicial causada pelo álcool seja de relaxamento e euforia, o sentimento dura pouco. “Depois que esse efeito passar, a pessoa precisará consumir mais álcool, existindo o perigo do abuso e até do vício”, alerta a neurologista Thais. VOLTE A VER BELEZA NAS PEQUENAS COISAS “Quando você resgata uma coisa menor, torna mais fácil aproveitar coisas maiores”, diz a psicóloga Adriana de Araújo. Volte a observar as coisas simples do dia a dia, ou seja, tente admirar uma flor, o gosto de uma comida, apreciar uma caminhada de 10 minutos, olhar o pôr-do-sol, entre outras distrações. “A depressão tira a atenção das coisas belas e prazerosas da vida, então você tem que reaprender a focar no que não consegue ver por causa da doença”, afirma a profissional. OCUPE-SE COM ATIVIDADES DIVERTIDAS A partir do momento que as pequenas belezas da vida estiverem mais evidentes, fica mais fácil recomeçar a encarar atividades que um dia já foram divertidas. Se isso não parece animador, então procure novas diversões. Busque novidades, aprenda coisas novas e prazerosas, viaje, fuja das notícias ruins e das pessoas negativas. “Evitar a exposição, na medida do possível, a informações negativas e aumentar as positivas ajuda muito”, aconselha a neurologista Thais Rodrigues. RECONQUISTE UMA BOA NOITE DE SONO Pessoas com depressão, geralmente, dormem demais ou não conseguem pegar no sono. Segundo a neurologista Thais Rodrigues, isso ocorre devido a alterações nos níveis de serotonina e noradrenalina, hormônios que regulam o sono. “O problema é que o sono é essencial para o cérebro regular novamente esses hormônios e amenizar os efeitos da depressão”, afirma. Se o problema for falta de sono, a psicóloga Denise indica exercícios de respiração, que relaxam e facilitam o adormecer. Se dormir demais for o problema, a psicóloga Adriana recomenda pedir a alguém próximo que o desperte quando achar que você está passando da conta. PoR ana PauLa DE aRauJo MSN.MINHAVIDA.COM.BR


?

SABIA

A INVENÇÃO DO BASQUETE O basquete, um dos esportes mais populares em todo o mundo, foi criado em 1891 por James Naismith, um canadense que dava aulas de educação física em Springfield, Massachusetts (EUA). Para a primeira partida, jogada por um grupo de alunos, Naismith improvisou cestas de pêssegos penduradas em uma sacada, desafiando os garotos a acertarem uma bola de futebol dentro dela. Os aros de metal das cestas foram introduzidos em 1893 e, apenas depois disso, a bola de futebol foi aposentada e substituída por outra, específica para o esporte.

A PRIMEIRA PARTIDA DE FUTEBOL NO BRASIL O primeiro jogo de futebol do Brasil foi realizado na Várzea do Carmo, em São Paulo, em 14 de abril de 1895. As equipes envolvidas na disputa, São Paulo Railway e Companhia de Gás, eram formadas por ingleses radicados na capital paulista. Charles Miller, considerado o pai do futebol no Brasil, fazia parte do primeiro time, que venceu a partida por 4 a 2. Miller trouxe as duas primeiras bolas de futebol para o Brasil em 9 de junho 1894 e as deixou trancadas em um armário por dez meses, até a primeira partida. A HISTÓRIA DO SKATE A história do skate começa ainda nos anos 30, quando crianças começaram a montar seus próprios “carrinhos” com rodas de patins colocadas sob pedaços de metal ou madeira. Os surfistas da Califórnia também adotaram o objeto no início dos anos 50, usando-o como um método de treino quando o mar não oferecia boas ondas ou em cidades sem praia. O esporte foi chamado inicialmente de sidewalk surfing (surf de calçada) ou terra surfing. O skateboard, no entanto, demorou muito para virar febre. Foi apenas em 1973 que as rodinhas de poliuretano foram criadas pelo americano Frank Naswortly, o que melhorou muito sua tração e possibilitou manobras mais radicais. OS POMBOS ATLETAS Corridas de pombos são realizadas em várias partes do mundo,

como na Grã-Bretanha, Holanda, França, Canadá e EUA. Elas foram criadas na Bélgica, na época em que os telégrafos começaram a substituir os pombos correio e muitos bichos ficaram “desempregados”. A corrida começa no mesmo ponto de partida para todos os competidores, mas é encerrada em lugares diferentes para cada um deles. Isso ocorre porque os pombos são ensinados a voltar para casa. Para saber quem ganhou, mede-se o tempo que levam para retornar ao lar, dividindo a distância percorrida pelo tempo gasto, assim se obtém a velocidade média desenvolvida. Dentre todos os animais atletas (como cavalos, cachorros greyhound e camelos), o pombo é o mais rápido, podendo chegar à velocidade de 177km/h.

A MAIS LONGA CORRIDA JÁ REALIZADA DUROU 79 DIAS A mais longa corrida até hoje realizada no mundo foi a Transcontinental, de nova york a Los angeles, em 1929. o finlandês Johnny Salo venceu o percurso de 5.898 quilômetros em 79 dias (525h 57min 20seg), de 31 de março a 18 de junho. Chegou com apenas 2 min 47 seg à frente do inglês Pietro “Peter” Gavuzzi. TÊNIS DE MESA OU PING-PONG? Os primeiros registros do tênis de mesa datam da segunda metade do século 19, na Inglaterra, período em que era conhecido por diferentes nomes. Já no final do século, James Gibb, um maratonista inglês aposentado, introduziu ao jogo bolas de celulóide recém-adquiridas nos EUA. Ao ouvir as bolinhas batendo em raquetes ocas de pele de carneiro, Gibb associou o som à palavra “ping-pong”, que tornou-se seu apelido mais popular até os dias de hoje. Porém em 1921, na tentativa de fundar uma associação de ping-pong que registrasse as regras oficiais do esporte no País de Gales, seus organizadores foram legalmente impedidos, pois “ping-pong” já era uma marca registrada. Assim, a nomenclatura “tênis de mesa” voltou a ser adotada. Poucos anos depois, as regras inglesas foram aceitas internacionalmente, caminhando à unificação do esporte. O tênis de mesa foi elevado a condição de esporte olímpico em 1988.

MISSÕES CURIOSIDADES

Ilustração: Bruno Hasum

ESPORTES

?

E C O V

WWW.TERRA.COM.BR/CURIOSIDADES

17


18

PÓS-GRADUAÇÃO

CIÊNCIAS DA RELIGIÃO POR QUE FAZER UMA PÓS-GRADUAÇÃO? MuiTo MaiS Do QuE uMa aTuaLiZaçÃo, a PóS-gRaDuaçÃo DESPERTa a ConSCiênCia CRíTiCa. aLéM DiSTo, MELhoRa a PonTuaçÃo PaRa ConCuRSoS PÚBLiCoS E aMPLia Sua REDE DE RELaCionaMEnToS. POR QUE FAZER A PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO? PORQUE AS NOVAS DEMANDAS DA NOSSA SoCiEDaDE EXigEM o SuRgiMEnTo DE uMa LiDERança anTEnaDa, SEMPRE SoB o viéS Do PROTESTANTISMO REFORMADO. E TAMBÉM, PARA APERFEIÇOAMENTO COMO DOCENTE E PESQUISADOR. POR QUE NO CENTRO VOCACIONAL QUADRANGULAR? PRoFESSoRES aLTaMEnTE QuaLiFiCaDoS METoDoLogia DE EnSino QuE BuSCa MuiTo MAIS DO QUE INFORMAR, BUSCA A FORMAÇÃO DO PEnSaMEnTo CRíTiCo REFLEXivo SiSTEMa DE oRiEnTaçÃo PERSonaLiZaDa (MEnToRia). CoMPRoMiSSo CoM a EXCELênCia.

aS MaTRíCuLaS ESTÃo ABERTAS PARA O ITQ, MQCC E DEMAIS CURSOS.

41 3324.0413 WWW.CVQ.COM.BR

DURAÇÃO 9 ENCONTROS DURANTE O ANO, AOS SÁBADOS.


O

fim do mundo sobre qual quero comentar não é a data em que tudo irá acabar, porque nada acabará, tudo continuará apenas em outra dimensão, o que para alguns será o inferno e para outros o céu, realidade essa que a humanidade faz questão de ignorar. Fim do mundo são as mentiras deslavadas de uma grávida que se torna manchete forjando uma gestação falsa de quadrigêmeos, ou a Sanepar que estava cobrando 12 meses de taxas de esgoto de um imóvel inabitado cuja água estava cortada, ou a cobrança efetuada pelos bancos com o fornecimento de cartões de créditos não solicitados, gerando taxas que, se não pagas por desconhecimento, sofrem multas e mais juros que vão se acumulando. Fim do mundo é um filho amado matar o pai e a mãe a facadas, por causa de drogas. É também a epidemia do crack jogando na lama não só os sonhos e projetos de tanta gente com futuro promissor, mas também as próprias pessoas, na sarjeta, na miséria, tornando-as ladras, homicidas, farrapos humanos, que perderam tudo e não têm mais um norte. Estas pessoas já estão vivendo o fim do mundo, pois tudo acabou. Fim do mundo é o homem travestido querer usar o banheiro de mulheres, porque se diz constrangido ao entrar no banheiro de homens. É um tremendo descaramento de quem não tem respeito, querer impor, isto sim, um constrangimento às mulheres. Vamos respeitar os direitos individuais de todos e não apenas de uma minoria, em que alguns fazem questão de afrontar a maioria. É o fim do mundo as profecias de que tudo irá acabar em uma data determinada, pois a Bíblia diz que ninguém sabe o dia nem a hora. Não precisa ser profeta para saber que todas essas aberrações irão um dia acabar. Deus é longânimo, mas também é justo e porá fim às afrontas que a humanidade faz questão de praticar. Pessoas acostumadas a liberalidades sexuais já estão, também, assustadas com tantas depravações dos programas de TV. Viva as promotoras de degeneração de valores, quando promovem espetáculos apresentados por pessoas, que estão em busca de fama a qualquer custo. De que lado ficamos? “Quem cala concorda”. Os favoráveis a este fim do mundo permaneçam como estão, os contrários que se manifestem. Não posso me calar, Romanos 12, versículo 2 traz a seguinte advertência: “E nãos vos conformeis com este mundo”. Precisamos ser uma voz discordante, precisamos fazer o contraponto, e mostrar o outro lado das coisas. É muito mais fácil se omitir, mas não é justo faltar com a verdade se calando para não ser incomodado.

éo

fim do

mundo

OPNIÃO

Ailton Araújo Pastor auxiliar da Primeira IEQ Professor de matemática e ciências físicas e biológicas pela UFPR s

19


7 Março

SMALL GROUPS English Conversation (Grupo Pequeno em inglês) First class wednesday, 7 at 20:00 PM • room 9 • Templo Informaçóes com Waleria • 9122 8848

Reuniões

O Projeto “Nos Braços do Pai” é um ministério da Primeira IEQ que realiza um trabalho com pessoas portadoras de necessidades especiais. As reuniões acontecem aos sábados, das 17h às 18h, na rua Alberto Folloni, 125 (casa ao lado da Primeira IEQ). Contato pelo fone 9205 7073 (Magali) ou email nosbracosdopai@primeira.com.br

Atividades

PROJETO NOS BRAÇOS DO PAI

Atendimento - de terça à sexta, das 13h às 19h. Serviços • encaminhamento para trabalho; • atendimento familiar; • auxílio intérprete (para médico, advogado etc). Reuniões • Sábados - Culto em LIBRAS às 18h (Cenáculo) • Domingos - Culto com intérprete às 9h e 19h • Grupo de estudo - quintas às 18h (casa ao lado da Catedral) Contato 3151-5152 surdos@primeiraieq.com.br

MINISTÉRIO COM SURDOS

SANTA CEIA Dia 4 - domingo às 9h, 16h30 e 19h Dia 9 - sexta-feira às 14h30

CULTO DA FAMÍLIA Dia 11 - domingo às 9h, 16h30 e 19h

CULTO DE MISSÕES Dia 18 - domingo às 9h e 19h

BATISMO

AGENDA

Domingos

PRIMEIRA IEQ

REUNIÕES ESPECIAIS

Disse Jesus: “Quem crer e for batizado será salvo” (Mc 16.16). Dia 25 - domingo às 9h, 16h30 e 19h Dia 28 - quarta-feira às 14h30

21


Plenas Ieq

teleesperança

PROMOÇÃO DO MÊS

ouça uma palavra amiga

ust ram ent e il me

oração ao telefone diariamente das 8h às 20h

fot o

CONHEÇA NOSSA LOJA: R. ALBERTO FOLLONI, 562 . LOJA 2

desde 1994

3151.5139

rat iva

R$ 149,90

SOLUÇÕES INTEGRADAS de comunicação

3015.7474 www.ibsportal.com.br


pequenos gestos

geram

grande mudancas

DOE ALIMENTOS PARA QUEM PRECISA! ENTREGUE SUA DOAÇÃO NA AÇÃO SOCIAL · PRIMEIRA IEQ

PARTICIPE! TEL 41 3252.7215 ALBERTO FOLLONI, 143


HORÁRIO DE CULTOS 9h - Manhã da Benção 16h30 - Encontros de Vida 16h30 - Culto Infantil 19h - Culto do Poder e Louvor 19h - Culto Infantil 14h30 - Tarde da Provisão 20h30 - Reunião do Empreendedor 20h30 - Culto Infantil 8h - Oração e Jejum (templo) 14h30 - Intercessão (templo) 20h - Culto de Oração

14h30 - Culto Infantil

fin e

20h - Junieq - Culto dos Juniores (templo)

20h - Culto Infantil 20h - MAD - Culto dos Adolescentes (templo) 22h30 - Culto Infantil

Alta Frequência - Culto dos Jovens

ENCONTRO DE CASAIS 16 A 18 DE MARÇO • 23 A 25 DE MARÇO • 30 A 1º DE ABRIL INFORMAÇÕES COM PASTOR ARLINDO: 41 8875.2906

CENTRO EVANGELÍSTICO SEG à SEX

ACAMPAMENTO INFANTIL 2012 13 A 15 DE ABRIL • 5 A 10 ANOS RUA ALBERTO FOLLONI, 143 JUVEVÊ . CURITIBA . PR TEL 41 3252.7215 PRIMEIRAIEQ.COM.BR FACEBOOK.COM/PRIMEIRAIEQCURITIBA TWITTER.COM/PRIMEIRAIEQ

R$ 85,00 EM ATÉ DUAS VEZES NO CARTÃO. INCLUI TRANSPORTE, REFEIÇÕES, LANCHE, ESTADIA E MATERIAL DIDÁTICO. INFORMAÇÕES WWW.PRIMEIRAIEQ.COM.BR FACEBOOK.COM/PRIMEIRAIEQCURITIBA TWITTER.COM/PRIMEIRAIEQ TEL 41 3252.7215


Voz de Esperança - Março 2012