Page 1


"{"{:"7{;

DIGITECH HARDWIRESERIESi

,THECM-zSMODIFIED 5ETTI]{G DELIVERSA SOARING TEADTOIIE' taken is to house the pedals in a tough and durable metal chassis.These boxes a r e iu st a little wjd e r th a n Dig ite ch 's regular X Seriespedals (or indeed the

they shouldn't interfere with the signal when they're switched off, and Digitech has wrapped up some

Boss compact pedals) and look very sturdy. One of the features that we liked on some of the more recent Digitech pedals is the way that the

carefully consideredtone-bendi ng circuitry with an important feature when it comes to retaining the quality at stagevolumes: plenty of headroom. Thi s has been achi evedb y i nc reas i ng

footswitch cover section can be removed for easy battery access. Having to get a screwdriver out every time your 9V ceil dies is a right pain, but in this caseyou just push in the pins at the hinge part of the pedal with the tip of your jackplug or any equallypointy obiect, andyou have instant access.Of course, you can

Each pedal is also supplied with some useful accessories.If you are a pedalboard user, each Hardwire pedal comes with a bespoke velcto pad that

still use a suitable power adaptor instead, which ls more practical

attaches to the base. Another stick-on extra - a glow-in-the-dark sticker that goes on the footswitch section - will

if you're adding stompboxes to a pedalboard

graduated feel as you turn them. It's quality all the way as far as the construction goes, but all of this practical stuff will be for nought if the tones aren't there. To this end, al1 of the Hardwire pedal suse true-bypasss w i tc hi ng s o

help you find the pedal on dark stages. Digitech has also considered another potentjally embarrassing on-stage si tuati on:acci dental l yknocki ng the

the operating voltage, and as well as adding to the maximum volume this helps to avoid that'sized-down' feel you can get with some stompboxes.

CM.2TUBEOVERDRIVE This increased sense of size really helps with the Tube Overdrive. It means that it feels more like the overdrive is coming from the amplifier itself rather than a pedal, and with an overdrive pedal that can really make or break the effect.

controls with your foot so that you end up stomping into something totally

There are two modes to choose from: classic and modified. Classic brings that conventional overdrive

inappropriate.The solution here is a heavy rubber block that fits over the controls so they can't be touched.

style of clipping, where the tone of the guitar retains a lot of its natural qualities and to a certain extent you

It's an ingenious solution that works perfectly and doesn't upset the knob positions as it's being applied either. While we're talking knobs, it's great to

can control the level of the drive from your guitar's volume control. It's a pleasing overdrive with a warm basic tone that you can either fatten or

see that Digitech hasn't scrimped on the potentiometers. They feel really expensive in use, thanks to the solid,

brighten with the simple low and high controls, but we found that subtlety was the best option. E


DIGITECH HARDWIRESERIESi

,SOMEOFTHE BEST DELAYS WE'VE HEARD FROM ADIGITAT PEDATINATONG TIME' thump to proceedings. The tight and loose switch takes this a step further, effectively giving you the option ,. of a more moody styl eof metal

Switch over to the modified setting and a bit more treble, along with more gain, coaxes the pedal into delivering a soaring lead tone. That extra compression brings out some exciting, squeal-inducing,

tone such as early Sabbath or

wffi

long-s us t a i n i n gp o t e n t i a l .a l l without losing the natural fee1.It works great for boosting the front end of your valve amp too.

TL.2 METALDISTORTION There's a lot more tone-tweaking potential on offer from the Metal Distortion. With this kind ol stompbox it's vital to get the mid-range right and retain plenty of low end, and here you get the high and low controls combined in one of the dual-concentric knobs whiie the mid-range level is bundled together with a mid-range frequency control on the other. This means that you can zero in on the precise area that you need to either scoop out for your chugging metal rhythm sound or boost for a monster lead tone. Either way, you have a good amount of solid low-end to add that vital bass

90

2ooe GUITABBIffiBFEBRUARY

Queens of the Stone Age, or a tighter 1ow end for pounding nu metal or a more punishing and extreme industrial tone.

DL.8 DELAY/ LOOPER The DL-Sputs out someof the best delay sounds we've heard from a digital pedal in a long time. Not only do they sound and feel l i ke they're coming from a very expensive piece of studio equipment, with next to no addi ti onalbackgroundnoi se,they're also very easy to set up. There are level, repeats and time controls - all of which are totally intuitive - and then a function swltch that takes the pedal beyond straight digital delays into slapback, modulated and reverse delay and some very convincing analogue, 'lo-fi'and tape echo emulations. What's more, a1l of these delay modes

are available in both mono and stereo. The quality remains well above impressive at all times, and you only need to hold down the footswitch for two seconds to engage the tap tempo mode and get those delays perfectly in time with the song. The additlonal loop mode offers up to 20 seconds of recording and is very easy to use. You can overdub loops but there's no way to undo or save them, and while this is a handy extra mode, big-time looper fans will still want to keep hold of their dedicated loop pedals.

It


DIGITECH HARDWIRE

with complex-sounding and very realistic reflections. Even if your amp

] DIGITECH ] HARDWIRE . PEDALS ] COLDSTARS

has a decent reverb, these studio-style effectsare a great alternative. You also get reverse and modulated

:

, * lir:**it;i;r:r.::t:::::;lt:r:t.::;,.:::', : & i z : , . : .e i 1 ,::L ,::,:;:':::t::;::, '1 ::iiir,;t::: I : N!.*oir:;tz::t::r-l;:c:::;:.::y:r.;

. BLACKMARKS ,, Ot,..:1r;t

.

I rornLroR...

l

settings for more adventurous reverb antics, but wherever that mode knob falls you'1l have no problem tweaking the reverbs to taste with the simple level, liveliness (brightness, in other words) and decay knobs. Again, background noise is very low and the pedal sounds so lush that wed very

' i:tt: 4:a:i:;:xat:it+:::at t,:,air:;r,..,: :;/ :t:;z: litlt i : : ;:r:r t : :,:::: t :. 'a6r:.::irrri.;*,:

,

GBRATING

:

eg=rys+

happily use it in a studio setting too it's that impressive.

W CR-7STEREOCHORUS The bog-standard chorus sound found in late-'80s multi-effects units and cheap pedals has been responsible for putting a lot of people off chorus as an effect. The CR-7 could well be the perfect antidote and just the device to win back the chorus-jaded. Just as with the previous pedals, the effects are clean-sounding, robust and very reminiscent of good-quality rackmount gear. Best of all is the ability to be genuinely subtle without pushing the effect into the background. There are several effect typ e s o n o ffe r , title d stu d io ,m u lti, modern, boutique, analogue, iazz and vintage. All of these are easily

configured with the level, speed and depth controls. If you're after very expansive effects/ don't forget that this is a stereo pedal so you can set up two amps with iust a touch of chorus for a ridiculously huge live sound. Similarly, you can iniect it into two channels of your recording setup for some massive tones. It would have been nice to see some tremolo or rotary-style effects stuck in here too, but then again we wouldn't want to lose any of what's already included. It's all too good.

RV.7STEREOREVERB

CONCLUSION

Stompbox-based reverb has always

The popularity of 'boutique' pedals has meant that even the most respected mass-produced stompboxes have the prestige they once enjoyed. Some guitarists seem to feel that,

been one of the worst affected by the 'sound-shrinking' phenomenon of battery-based effects. It's so great, then, to hear iust how big the RV-7 can sound. Even if you choose to plug the pedal into the front of your amp rather than placing it in the effects loop, it sounds really excellent and the options available exceed those of many a multi-effects unit. The reverbs are actually licensed ftom top-notch studio gear manufacturer Lexicon, whicn comes as no surprise when you hear them. The spring reverb option includes all that extra mechanical detritus of the real thing, the gated reverb will surely have your drummer on his knees begging to borrow it for his snare, and the room, hall and plate varieties have a genuine senseof atmosphere

92

GUITARBI|YEB FEBRUARv 2ooe

unless their pedals have been built by a hermit in a cave using components reclaimed from pre-war radar equipment, they can't be any good. This new range from Digitech does more than simply address some of the issuesof large-scaleproduction stompboxes - it knocks them out of the park. The Hardwire pedals boast full, detailed tones, very low background noise and excellent build quality (not to mention some ingenious accessories).The delay, chorus and reverb pedals in particular offer a broad range of really excellent sounds and must rank as some of the most powerful stand-alone pedals currently available. All of these things, together with some very competitive prices, put these Hardwire pedals firmly in our'Best Buy'category. GB


PRESENTES PARA O PALCO

A Digitech volta à prancheta para criar um projeto novo de pedais. Paul Salter foi conferir. A partir do momento em que um fabricante encontra seu nicho, pode ter certeza que todos os produtos lançados a partir daí cairão como uma luva nesse nicho. A Digitech achou seu nicho há algum tempo atrás, na época da criação do pedal Whammy, quase 20 anos atrás, e a empresa de Utah, EUA continua mudando o mundo dos efeitos desde então. Mesmo sendo mais conhecida por suas pedaleiras multi-efeitos, os pedais também sempre fizeram parte do catálogo da Digitech, do já citado Whammy aos pedais de artistas como Hendrix, Brian May e Eric Clapton, passando pelo Harmony Man e pelo JamMan. A tecnologia dos efeitos digitais da Digitech aumentou muito nos últimos anos, então ficamos muito entusiasmados quando recebemos para teste esses novos pedais Hardwire, que prometem uma grande variedade de timbres em pedais ideais para colocar na estrada.

Construção & Recursos O nome inteiro dessa linha de pedais é “Hardwire Extreme Performance Pedals”. Embora o nome “Extreme” nos lembre mais esportes radicais como snowboarding ou sky diving do que música e shows, o que a Digitech quer dizer com esse termo é que esses pedais foram projetados para aguentar performances extremas ao vivo. Resumindo, a turma de engenheiros tentou colocar tudo que os guitarristas querem nos pedais! O primeiro passo que a Digitech deu foi colocar os pedais em um chassis de metal forte e resistente. Os pedais são um pouco maiores que os pedais da série X da Digitech (ou dos pedais da Boss) e são bem robustos. Um dos recursos que nós mais gostamos nos pedais mais recentes da Digitech é a facilidade em retirar a parte que cobre a chave para colocar ou retirar a bateria. Ter que utilizar uma chave de fenda toda vez que você precisa trocar a bateria é horrível, mas nesse caso você só aperta os pinos na lateral do pedal com a ponta do seu cabo de guitarra ou qualquer outro objeto pontiagudo. Claro, se preferir, você pode utilizar a fonte, o que é mais prático se você vai montar um setup de pedais em um pedalboard. Cada pedal vem de fábrica com alguns acessórios muito úteis. Se você usa vários pedais em uma pedalboard, cada pedal Hardwire já vem com um velcro para fixação na base. Outro acessório útil é o adesivo que brilha no escuro, permitindo que você ache o pedal facilmente nos palcos mais escuros. A Digitech também levou em conta uma situação complicada no palco: você acidentalmente bater o pé nos controles e acabar com um timbre totalmente inapropriado. A solução que a Digitech criou é uma peça plástica resistente que cobre os potenciômetros, evitando que eles sejam alterados. É uma solução engenhosa que funciona perfeitamente e não muda a posição dos knobs quando utilizada. Por falar em knobs, é bom saber que a Digitech não economizou nos potenciômetros. Eles são resistentes e dão a sensação de graduação excelente ao virá-los. É pura qualidade, assim como a construção geral do pedal, mas não podemos esquecer que tudo isso não vale nada se o timbre do pedal não é bom. Todos os pedais da linha Hardwire utilizam chaveamento true-bypass, então não interferem no seu sinal quando estão desligados. Além disso, a Digitech incluiu circuitos cuidadosamente selecionados para tratar os timbres e um dos recursos importantes quando consideramos o volume do áudio no palco: uma grande faixa de trabalho. Isso foi obtido aumentando-se a tensão de operação. Além da maior faixa dinâmica, com isso você evita aquela sensação de estar sempre “baixo demais” que você encontra em alguns pedais.


CM-2 TUBE OVERDRIVE Essa faixa dinâmica maior ajuda muito o Tube Overdrive. A sensação é de que o overdrive está vindo do amplificador e não do pedal, o que é algo de suma importância em um pedal de overdrive. O pedal tem dois modos: classic e modified. O modo classic tem o clipping clássico de um overdrive convencional; o timbre da guitarra mantém muito de sua característica natural e permite que você consiga de certa forma controlar o nível de drive a partir do volume de sua guitarra. É um overdrive muito agradável com timbre bem quente que pode ficar “gordo” ou “brilhante” conforme você muda os controles de graves e agudos, mas descobrimos que mudanças sutis bastam para você encontrar o timbre que quer! Mude para a posição modified e acrescente um pouco mais de agudo e ganho para obter aquele clássico e agradável timbre “lead”. Essa compressão extra traz um sustain mais longo, deixando sempre aquela sensação de “quase dando microfonia”, mas sem perder o timbre natural. Essa configuração funciona muito bem para dar um boost em seu amplificador valvulado também.

TL-2 METAL DISTORTION Há muito mais opções de sons disponíveis no Metal Distortion. Com esse tipo de pedal, é imprescindível acertar o médio e manter bastante grave. Aqui você tem os controles de grave e agudo combinados em um único knob duplo, enquanto o controle de médio fica junto com o controle de freqüências de médio em outro knob. Isso significa que você pode achar o timbre exato no ponto que você quer, seja um timbre mais pesado para metal ou um timbre mais agudo para solos. De qualquer forma, você vai ter um grave robusto e cheio para acrescentar peso a seu som. A chave tight/loose leva isso a um passo além, dando efetivamente a opção de um timbre de metal na linha Sabbath ou Queens of the Stone Age, ou ainda um grave mais firme, na linha nu metal ou industrial.

DL-8 DELAY/LOOPER

“Alguns dos melhores sons de delay que nós já ouvimos em um pedal digital” O DL-8 tem alguns dos melhores sons de delay que nós já ouvimos em um pedal digital. Não só eles soam e parecem vir de um equipamento caro de estúdio, com mínimo ou nenhum ruído de fundo, como também são muito fáceis de configurar. Você tem controle de nível, repetições e tempo – todos totalmente intuitivos – e também uma chave de funções que leva o pedal muito além dos pedais de delay digitais comuns; slapback, modulado e delay reverso, além do delay analógico muito convincente, do “lo-fi” e do echo de fita. Todos esses delays estão disponíveis nos modos mono e estéreo. A qualidade também chama a atenção por ser impressionante durante todo o tempo e em todas as funções do pedal, e você só precisa apertar a chave por 2 segundos para ativar o modo tap-tempo e conseguir os delays perfeitamente no tempo de sua música. Você pode fazer overdubbing com loops, mas infelizmente não pode salvá-los, o que vai levar os fãs de loopings a manterem seus pedais de loop dedicados.

CR-7 STEREO CHORUS O som de chorus comum encontrado na maioria das pedaleiras do começo dos anos 90 e em pedais baratos é o responsável por um monte de gente não utilizar o efeito. O CR-7 poderia bem ser o antídoto perfeito para trazer de volta os fãs do chorus. Assim como nos outros pedais, os efeitos têm som limpo, robusto e muito da qualidade encontrada em efeitos de rack. Mas o melhor de tudo é a possibilidade de fazer ajustes finos e sutis sem ter que deixar o efeito de fundo. Há muitos tipos de efeitos no CR-7; studio, multi, modern, boutique, analogue, jazz e vintage. Todos são facilmente configurados em nível, velocidade e profundidade. Se você procura efeitos muito expansivos, não esqueça que esse pedal é estéreo, então você pode configurar dois amplificadores com um pouco de chorus para ter um som ao vivo sem igual. Assim como, pode inserir as duas saídas em entradas de gravação para ter timbres robustos. Seria muito legal ver um tremolo ou efeitos tipo rotary aqui também, mas, novamente, nós não queremos perder nada do que está incluso para dar lugar a outro efeito. Todos são excelentes! RV-7 STEREO REVERB


Pedais de reverb sempre foram um dos mais afetados pelo “amassamento” do som causado pela opção de uso com bateria. Então, é ótimo ouvir o quão bom soa o RV-7. Mesmo se você escolher conectá-lo na entrada do amplificador ao invés do lugar certo (no loop de efeitos), ele soa muito bem e as opções disponíveis chegam a superar muitas pedaleiras que estão por aí no mercado. Os reverbs, na verdade, são licenciados do fabricante top de linha de reverbs de estúdio Lexicon®, o que é facilmente notado ao ouvi-los. A opção de reverb de mola tem todos os ruídos mecânicos do reverb de mola de verdade, o reverb gated certamente deixará seu baterista implorando para você emprestar para ele usar na caixa. Além das variações plate, hall e room, que têm uma atmosfera muito realística e complexa. Mesmo se seu amplificador tem um reverb bom, esses reverbs de estúdio são uma excelente alternativa para novos timbres. Você também tem reverse e modulated para experimentar configurações mais ousadas de reverb. Não importa que modo você está usando, você não terá dificuldades em achar um timbre legal configurando os knobs de nível, liveliness (brilho) e decay. Novamente, vale lembrar que o ruído de fundo é muito baixo e o pedal soa tão bem que poderíamos usa-lo tranquilamente em uma gravação de estúdio – impressionante! CONCLUSÃO A popularidade dos pedais “de boutique” faz com que até o mais respeitado pedal fabricado por produção tenha o mesmo respeito que há teve algum dia. Alguns guitarristas têm a sensação que – a não ser que seus pedais tenham sido construídos por um homem da caverna usando componentes do século passado – eles não podem ser bons. Essa nova linha de pedais da Digitech faz mais do que simplesmente ser uma nova linha de pedais produzidos em larga escala, eles realmente levam os pedais a um nível acima. Os pedais Hardwire têm timbres cheios, detalhados, ruído de fundo mínimo e qualidade de construção excelente (isso sem mencionar os acessórios engenhosos!). Os pedais de delay, chorus e reverb, em particular, oferecem uma gama de sons e opções realmente excelentes e devem ficar entre os melhores pedais disponíveis no mercado sem sombra de dúvida. Tudo isso junto os preços competitivos colocaram os pedais Hardwire na categoria “Melhor Compra”. [BOX 1 – PÁGINA 87]

Série Hardwire Digitech

Construído: EUA Alimentação: Bateria 9V ou fonte (não inclusa) Dimensões: 13.3cm x 8.9cm x 5.5cm [FIM DO BOX 1] [BOX 2 – PÁGINA 88] MAIS DOIS DA FAMÍLIA Mais dois membros da família Hardwire... A linha Hardwire tem mais dois pedais que não mencionamos no texto: o SC-2 Valve Distortion e o HT-2 Chromatic Tuner (afinador). O SC-2 tem layout similar ao CM-2 Tube Overdrive, com controles de nível, graves, agudos e ganho, além da chave crunch/saturated, mas oferece um pouco mais de ganho, preenchendo o espaço entre o CM-2 Tube Overdrive e o TL2 Metal Distortion. O HT-2 Chromatic Tuner (na imagem ao lado) tem display de LED com modos normal e strobo, além da saída adicional ‘thru’, que não fica muda quando o afinador é ligado. Como o resto da linha, esses pedais são true-bypass e têm construção em metal. [FIM DO BOX] [LEGENDA FOTO DE CIMA – PÁGINA 88] Pressionando os pinos laterais do pedal com seu cabo de guitarra, você consegue retirar a bateria. [FIM DA LEGENDA]


[TÍTULO EM CAIXA ALTA – PÁGINA 88] “A OPÇÃO MODIFIED DO CM-2 OFERECE UM TIMBRE FORTE E RASGADO” [FIM DO TÍTULO] [LEGENDA FOTO DE BAIXO – PÁGINA 88] O CM-2 Tube Overdrive permite que você escolha entre dois modos de operação: classic e modified. [FIM DA LEGENDA] [LEGENDA FOTO DE CIMA – PÁGINA 89] O controle de freqüências médias do TL-2 permite que você ajuste o timbre do drive detalhadamente. [FIM DA LEGENDA] [LEGENDA FOTO DE CIMA – PÁGINA 90] Os controles de nível, velocidade e profundidade criam variações diferentes de efeito. [FIM DA LEGENDA] [BOX – PÁGINA 90] Veredicto da GB PEDAIS HARDWIRE DIGITECH PRÓS • • •

Recursos muito práticos Efeitos excelentes e fáceis de usar Baixo ruído, excelentes timbres

CONTRAS • Nenhum IDEAL PARA... Qualquer guitarrista que faz shows e precisa de pedais de alta performance! CLASSIFICAÇÃO GB 5 estrelas [FIM DO BOX]

Hardwire - Review revista Guitar Buyer  

Review sobre os pedais de efeitos hardwire publicado na revista Guitar Buyer em Fevereiro de 2009.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you