Page 1

NA PIS TA N ú m e ro 1 4

O u tu b ro 2 0 1 0

I n form a ti vo d a 8 ª S u p e ri n te n d ê n ci a Re g i on a l d a P ol íci a Rod ovi á ri a F e d e ra l /SC

O p e ra çã o S e n ti n e l a : F ron te i ra sob i n te n sa fi sca l i za çã o

Pág . 04 e 05

LEIA TAMBÉM: S e m a n a N a ci o n a l d o Trâ n si to

P RF a p re e n d e ca rro d a P re fe i tu ra d e F l ori a n óp ol i s

Pág . 1 7

Pág . 03

S e rvi d ore s com e m ora m 8 2 a n o s d a P RF

Pág . 1 5 e 1 6

VEJA AINDA: Pág. 1 2 Novas viaturas para a PRF/SC Saúde dos Servidores: PRF adere ao SIASS

Pág. 1 3


N A P I S TA

02

ACONTECEU NA PISTA O p e ra çã o Tol e râ n ci a Ze ro

A partir do mês de setembro, por meio de uma melhor otimização dos recursos humanos, a 1 ª Delegacia da PRF em São José intensificou o policiamento ostensivo no trecho de rodovias federais localizado na grande Florianópolis, especialmente nos horários de maior movimento. A forma encontrada para viabilizar a operacionalização desse reforço foi a constituição de três equipes diferenciadas, cada uma com dois policiais que cumprem jornada diária entre oito e 1 0 horas de serviço, atuando em apoio às Unidades Operacionais de Biguaçu e de Palhoça nos períodos mais críticos. Dessa maneira, está sendo possível ampliar a presença e a ostensividade da PRF e, consequentemente, a sensa-

ção de segurança das pessoas. O aumento da possibilidade de fiscalização e a redução do tempo-resposta para atendimento de ocorrências também é facilmente observado. O trabalho também possui um valioso efeito repressivo-pedagógico já que agora está sendo operacionalmente possível inibir e coibir diversas infrações, especialmente as de transitar pelo acostamento e de tráfego de caminhões na faixa da esquerda. De acordo com o Inspetor Cunha, chefe da 1 ª Delegacia, a experiência tem sido muito proveitosa e deve ser mantida apesar da limitação de policiais. “Em comparação com os meses anteriores, houve um aumento em todos os procedimentos de fiscalização. Essa nova modalidade de escala permitiu aumentar em mil e quinhentos o número de autos de infração lavrados, o que representa 55%”. Esse argumento pode ser confirmado com base no trabalho desenvolvido no dia 23 de setembro pela equipe de Biguaçu com o apoio da escala diferenciada: foram lavrados 422 autos de infração, 11 veículos foram retidos e 1 4 CRLV's e oito CNH's recolhidos.

Editorial Com grande satisfação apresentamos mais uma edição do informativo Na Pista trazendo notícias sobre as atividades relacionadas à PRF ocorridas no mês de setembro. Apreensões de mercadorias contrabandeadas e fruto do descaminho, mais uma vez, fizeram parte das ações da PRF. Por meio da Operação Sentinela e de fiscalizações por todo o estado vários produtos ilegais, inclusive entorpecentes, foram retirados de circulação. Além disso, o Na Pista também aborda algumas recentes comemorações: o 1 5º Encontro dos Policiais Rodoviários Federais de Santa Catarina e a celebração dos 82 anos da PRF e do primeiro aniversário do twitter PRF1 91 SC. Lembrando que a elaboração do Na Pista se dá com a ajuda de todos vocês. Por isso, informações, críticas ou sugestões são sempre bem-vindas. Dessa forma, podemos melhorar cada vez mais essa ferramenta de comunicação e trazer mais temas interessantes e pertinentes à rotina do nosso público. Boa leitura a todos.

EXPEDIENTE - 8ª SRPRF - Santa Catarina - Núcleo de Comunicação Social Re d a çã o: I n sp e tor Le a n d ro An d ra d e , Ari a n n e An a b u ki e B ru n a Coe l h o P roj e to G rá fi co: An a Cl a u d i a D orn b u sch e La ís M ose r Con ta to: (4 8 ) 3 2 5 1 -3 2 0 6 / 3 2 5 1 -3 2 0 7 / 9 9 8 7 -2 0 9 5 - E m a i l : n u com . sc@d p rf. g ov. b r www. d p rf. g ov. b r - twi tte r. com /P RF 1 9 1 S C


N A P I S TA

03

ACONTECEU NA PISTA Ag ora si m : tra n sp orte d e cri a n ça s m a i s se g u ro

F oto: D i á ri o Ca ta ri n e n se

Tendo finalmente entrado em vigor no dia 1 º de setembro, a fiscalização do cumprimento das regras para o transporte de crianças conforme prevê a Resolução n. 277/2008 do Contran foi incorporada à rotina operacional dos policiais rodoviários federais.

No primeiro mês de fiscalização, a PRF/SC lavrou 30 autuações pela prática da infração de transportar criança sem a observância das normas de segurança (art. 1 68 do CTB).

P RF fl a g ra ca rro ofi ci a l com p l a ca i rre g u l a r e m a te ri a l d e c a m p a n h a p o l ít i c a

F oto: D i á ri o Ca ta ri n e n se

Na tarde de 1 3 de setembro, durante serviço de policiamento ostensivo, policiais rodoviários federais da unidade operacional de Biguaçu suspeitaram de um automóvel Vectra de cor preta, modelo atual, identificado com uma placa cujos caracteres, conforme diretriz empregada pelo órgão executivo de trânsito,

sendo destinado para uso do prefeito da capital catarinense. Segundo informações do motorista, as placas seriam de segurança, porém não foi apresentada a devida autorização. Além disso, no interior do automóvel foram encontrados R$ 1 .850,00 em espécie e diversos materiais de propaganda eleitoral. Os fatos ensejaram a lavratura de dois autos de infração de trânsito e o encaminhamento do veículo e do motorista à Superintendência da Polícia Federal para apuração de possível prática de crimes.

seriam de um veículo mais antigo. Diante dessa situação, os policiais solicitaram a consulta da placa e obtiveram como resposta o registro de roubo/furto. Seguindo os padrões técnico-operacionais empregados no âmbito do DPRF, os policiais promoveram o acompanhamento do veículo por alguns instantes até ser possível realizar a abordagem em adequadas condições de segurança. No decorrer da fiscalização, verificou-se que o veículo pertencia ao município de Florianópolis,

P RF e scol ta P re si d e n te d a Re p ú b l i ca Em 1 3 de setembro, Santa Catarina recebeu a visita do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para entrega de alguns trechos duplicados da BR 1 01 e outros compromissos.

Como já é habitual, a PRF participou ativamente dos trabalhos de escolta e de segurança do Presidente e de sua comitiva na região de Criciúma, Itajaí e Joinville.


N A P I S TA

04

ACONTECEU NA PISTA O p e ra çã o S e n ti n e l a .... Iniciada no dia 08 de setembro, conforme previsto, na Ordem de Serviço n. 061 /201 0 da CoordenaçãoGeral de Operações, a Operação Sentinela visa reforçar o policiamento na fronteira oeste do país, principal porta de entrada de mercadorias ilegais que acarretam um enorme prejuízo para a segurança e economia. A operação é realizada em conjunto entre a Polícia Federal, Força Nacional de Segurança Pública, Receita Federal e Polícia Rodoviária Federal cujos integrantes são lotados em diversas Delegacias e no Núcleo de Operações Especiais. Além de Santa Catarina, a Operaçao Sentinela também está sendo desenvolvida nos estados do RS, PR, MS, MT, RO e AC. Os resultados obtidos nas ações já reforçam o sucesso da Operação e a necessidade de continuidade. Somente os policiais catarinenses retiraram de circulação mais de 1 8.330 produtos contrabandeados e outros 4.070 sem o devido

desembaraço aduaneiro. O tráfico de drogas, cada vez mais presente na área, também está sendo combatido. Nos primeiros 22 dias de trabalho, 55,895 quilos de entorpecentes foram apreendidos. Os casos de maior destaque aconteceram no Paraná e em Santa Catarina. A cidade paranaense de Marmeleiro foi palco de dois deles. No primeiro, registrado em 28 de setembro, foram apreendidos 2,300 kg de cocaína. A droga estava amarrada ao corpo de uma mulher de 45 ano, passageira de um ônibus com destino a Florianópolis. No outro dia foi a vez de um adolescente de 1 7 anos ser apreendido. O rapaz, que portava 3,900kg de maconha, também estava em um ônibus de viagem que se dirigia à capital do estado. Já em território catarinense, outras duas ocorrências apresentaram um resultado considerável. No dia 1 7, em Dionísico Cerqueira, foram encontrados 35 quilos de maconha, 62,61 % do total de drogas apreendidas em toda a operação até o fim de setembro. O entorpecente estava em poder de um homem de 35 anos, novamente um passageiro de ônibus interestadual. Em outra apreensão, realizada no dia 1 2 em Maravilha, um homem tentava esconder 1 7 quilos de

Crack Maconha Cigarros Medicamentos Bebidas Eletroeletônicos Equipamentos de Informática CDs/DVDs

maconha em pacotes de papel. A droga estava escondida entre as folhas, distribuídas em resmas fechadas. Apesar da grande quantidade de drogas encontradas, a Operação Sentinela não se limitou a apreensões dessa natureza. As fiscalizações também se voltaram a mercadorias fruto do contrabando e sem a devida documentação fiscal. Bebidas, remédios, cigarros, mídias graváveis, equipamentos de informática, eletroeletrônicos e vestuário foram alvo das equipes operacionais. Entretanto, as ocorrências apresentaram um perfil diferente no que diz respeito aos produtos recuperados. Medicamentos e bebidas estavam em grande parte das apreensões, com respectivamente, 2.1 70 comprimidos (Sibutramina, Pramil, Rheumazin) e 1 .1 77 litros. Acompanhe abaixo a tabela dos produtos apreendidos e na página ao lado as principais imagens da Operação Sentinela.

2,51 5kg 53,380kg 1 6.1 90 carteiras 2.1 70 comprimidos 1 .1 77 litros 226 unidades 487 unidades


N A P I S TA

05


N A P I S TA

06

ACONTECEU NA PISTA M a i s a p re e n sõe s

Quem pensa que as ações de combate à criminalidade se limitaram aos trabalhos da Operação Sentinela na fronteira oeste do país está muito enganado. Isso porque em todas as regiões do estado a PRF esteve atenta para o enfrentamento deste tipo de situação, tendo realiza-

do apreensões de armas, munições, contrabando e descaminho. No dia 1 º de setembro, em Rio do Sul, a PRF prendeu cinco pessoas e apreendeu um revólver calibre 38 e cinc munições, duas pedras de crack, R$ 900,00 e alguns equipamentos de informática. Horas depois, também em Rio do Sul, foram apreendidas 599 latas de bebida energética importadas ilegalmente. A Unidade Operacional de Vargem Bonita, no km 428 da BR 282, também foi palco de apreensão de descaminho. Na madrugada de 1 8 de setembro, foram apreendidos cd's piratas, itens eletrônicos, equipamentos de informática e outros materiais.

No dia seguinte, outra apreensão de destaque foi registrada, desta vez na BR 1 01 , em Joinville. Dois homens, um de 35 anos e outro com 23 anos, foram presos por contrabando de diversos produtos de informática e eletroeletrônicos.

P RF a p re e n d e ve ícu l o cl on a d o e m e rca d ori a s 1 38 da BR 470, em Rio do Sul, um carro clonado com diversos produtos sem documentação fiscal. O veículo possuía registro de roubo no Paraná e circulava como clone de um outro automóvel com as mesmas características e licenciado no Sergipe, Na manhã de 22 de onde o fato causou grande repercussetembro, a Polícia Rodoviá- são. ria Federal apreendeu no km No interior do veículo foram

encontrados 694 itens de bazar e perfumes, 111 materiais de informática (a maioria notebooks), 56 eletroeletrônicos, 1 00 DVDs e 20 CDs. A mercadoria foi encaminhada à Receita Federal e os homens presos, bem como o veículo roubado, conduzidos à Delegacia de Polícia.

Ca rro é re cu p e ra d o e l a d rã o é p re so No dia 1 9 de setembro, durante fiscalização na BR 282 em Rancho Queimado, policiais rodoviários federais desconfiaram de um indivíduo que pedia carona para veículos que trafegavam pela

rodovia. O homem estava ao lado de um Fiat Uno com placas de Palhoça. Após a vistoria, foi verificado que o veículo havia sido furtado no dia anterior na região da Grande Florianópolis e o cidadão que pedia carona já possuía envolvimento em

crime de furto registrado em ficha policial. Diante da situação, o homem foi preso em flagrante e encaminhado para a Delegacia de Polícia da

Palhoça.


N A P I S TA

0047

F i s ca l i z a çã o é o n o m e d o j o g o

Especialistas defendem maior fiscalização e punição de motoristas infratores para coibir a violência no trânsito Não é de hoje que o alto número de acidentes graves nas vias urbanas e rurais brasileiras preocupa os especialistas e as autoridades de trânsito. Mesmo com multas relativamente altas e muitos pontos na Carteira Nacional de Habilitação, muitos motoristas ainda se colocam em risco no Brasil. Recentemente, um estudo realizado pelo engenheiro civil Nikael Almeida, da Universidade Federal do Ceará (UFC), apontou que há relação entre infrações e acidentes, mas não aprofundou como se dá esse vínculo. “Para realizar a pesquisa, cruzamos as placas de veículos multados com as de envolvidos em acidentes, e encontramos uma relação; mas, para termos resultados mais precisos, seria necessário analisar cada acidente e identificar o culpado”, explica o professor Mário Nunes de Azevedo Filho, orientador do estudo, que foi apresentado no 1 7° Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito, realizado em 2009 pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) em Curitiba. No entanto, ainda que pesquisas como estas não sejam prática constante, especialistas apontam as infrações como um fator claro de risco para acidentes graves. Para

evitar esses riscos, Azevedo vê como importante a aplica-ção efetiva do conceito dos três “E” (engineering, educa-tion and enforcement). “A engenharia está presente nos projetos de vias, veículos, sinalização e operação do trânsito; a educação entra no processo de treinamento e conscientização dos usuários; e a fiscalização para fazer cumprir as normas”, explica. Segundo ele, o avanço de sinal vermelho e o excesso de velocidade são as principais infrações, e também as principais causadoras de acidentes. “Qualquer criança sabe que a luz vermelha significa ‘pare’, mas o que fazer com um adulto de 50 anos, com 32 anos de CNH, que ainda não ‘aprendeu’ isso?”, comenta. Presidente do Conselho Regional de Psicologia do Espírito Santo, a psicóloga Andréa Nascimento destaca que os infratores no trânsito são pessoas comuns. “São pais, mães, professores, advogados, engenheiros, mas que – no trânsito – se sentem autorizados a infringir a lei por justificativas do âmbito pessoal, como estar atrasado ou estar estressado por brigas com familiares”, explica. Para ela, as pessoas não são educadas a conviver no coletivo adequadamente, então acabam por sobrepor o individual ao coletivo.,Para resultados positivos em longo prazo, ela defende que é preciso investir desde a Educação Infantil até depois do Ensino Superior. “Não se pode parar de reforçar a mensagem e não basta apenas um tipo de ação para coibir infrações. Há que ter uma grande ação coletiva

em favor da preservação da vida, seja em relação ao trânsito, ao meio am-biente ou a qualquer outro aspecto.” F i sca l i za r, p u n i r e e d u ca r Especialista em trânsito e diretor de Negócios Internacionais da Perkons S.A., José Mario de Andrade coloca que, para modificar comportamentos, já está provado que é preciso realizar uma fiscalização abundante, coerente e ostensiva. “Nada disso sugere, entretanto, que se devam abandonar os esforços de comunicação e educação para o trânsito, mas manter o indivíduo educado é um caminho, e não um ponto a atingir”, ressalva. Segundo a psicóloga Andréa Nascimento, se a preservação da vida e os direitos humanos forem profundamente trabalhados com todas as idades, a tendência é o comportamento do infrator ser modificado. Ela afirma ainda que há que aliar a palavra à ação: “Não basta eu falar que se deve atravessar na faixa se não há faixa; não adianta eu falar ao meu filho que não se deve beber dirigir e eu faço isso; e não adianta eu dizer que não se deve atuar dessa forma se um conhecido meu comete uma infra-


N A P I S TA

0048

ção e eu tolero e acoberto”, comenta. “Nossas atitudes devem se utilizar do bom senso e devem ser pautadas para além do que está na lei”, completa. A engenheira civil Maria Elisabeth Moreira, especialista em engenharia de transportes e também professora da UFC, defende que infrações que representem riscos sérios

à vida de outros condutores e passageiros sejam tratadas como crime. “Quando você avança um semáforo na fase vermelha você está conscientemente colocando a vida de muitas pessoas em risco, e isto não pode ser resolvido apenas com punições administrativas. Se o ato foi inconsciente também está errado, pois um condutor com problemas não deve dirigir um veículo motorizado”, afirma. José Mario de Andrade completa

Fonte: Assessoria de Imprensa Perkons

Peq u en as

que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) já prevê a criminalização de algumas atitudes com consequências graves, mas ainda não se conseguiu utilizar essa previsão como uma regra tácita para a sociedade. “O rigor na aplicação da lei atual já traria ótimos resultados para a mudança de comportamento dos usuários do trânsito”, finaliza.

a ti tu d e s q u e re sol ve m g ra n d e s p rob l e m a s

D a e sq u e rd a p a ra a d i re i ta : S i rl e y, B i a , H i l d a e Ci d a

Dois fatos ocorridos no mês de setembro podem exemplificar a importância da PRF como instituição destinada a garantir e a promover direitos. Situações que poderiam não merecer a atenção receberam o devido tratamento dos policiais envolvidos, possibilitando, assim, a resolução de angústias capazes de acarretar problemas

mais graves. Quinze de setembro de 201 0, 1 6h. BR 1 01 , km 274, Imbituba. Esses são os dados que indicam o momento e o local em que um grupo de quatro mulheres viveram instantes de pavor no trânsito. O veículo no qual elas se deslocavam de Florianópolis a Tubarão teve um defeito mecânico quando atravessavam uma ponte, situação que gerou um estresse e um nervosismo muito grande em função do intenso movimento de veículos, do risco da ocorrência de um acidente e da falta de solidariedade de outros motoristas. Eis que diante desse cenário, durante serviço de ronda, o PRF Leal observou algo de estranho e resolveu intervir para ajudar. “Ele foi muito prestativo, atencioso e ajudou a mãe da minha amiga, pois ela passou mal vindo a desmaiar devido ao seu problema de pressão. A ajuda do policial foi fundamental, ajudou a reanimá-la e ficou ao seu lado até ter certeza de

que ela estava melhorando”, relatou Sirley Heinzen em email de agradecimento enviado à 2ª Delegacia da PRF em Tubarão. O outro caso também ocorreu na BR 1 01 , porém em Joinville. No dia 1 6 de setembro, uma mãe aflita fez contato com a Unidade Operacional de Pirabeiraba informando que seu irmão teria levado seu filho de 11 anos para a cidade mineira de São Sebastião do Anta. Conforme relato, a mãe já havia procurado diversas institui-ções e estava desesperada por notícias do filho. Numa postura pró-ativa, por volta das 1 7h, o PRF Anderson Cipriano repassou tal situação à Ciop/SC que evoluiu o caso à unidade da PRF em Minas Gerais. Cerca de três horas depois, a mãe do garoto fez novo contato com o posto de Pirabeiraba informando que ele havia sido localizado.


09

N A P I S TA

Twi tte r @P RF 1 9 1 S C com p l e ta u m a n o d e fu n ci on a m e n to Comemoração contou com bolo e cumprimentos de seguidores.

I n sp e tore s M a rti n e l l i e Le a n d ro, re p re se n ta n d o a s e q u i p e s d a C i o p e d o N u co m .

O último dia 1 6 de setembro foi marcado pela passagem do primeiro ano de operação do twitter PRF1 91 SC. Nascido da ideia de estabelecer um canal de comunicação direto da unidade catarinense da PRF com a sociedade, dispensando a intermediação dos veículos de imprensa, o PRF1 91 SC é uma ferramenta destinada a prestar informações relacionadas ao trabalho da instituição, às condições do trânsito nas rodovias federais do estado e a prestar orientações de cunho preventivo aos cidadãos. Não é demais lembrar que o twitter já se consolidou em todo o mundo como a rede social online de mais rápido crescimento na atualidade, sendo amplamente utilizado por pessoas e organizações que atuam em di-

E m d e s ta q u e , b o l o d e u m a n o d o @ P RF 1 9 1 S C

versificados segmentos. Por isso, a PRF/SC não poderia deixar de aderir a esse movimento visando facilitar e agilizar o fluxo de informações de interesse dos usuários das rodovias federais catarinenses, com benefícios diversos e sem qualquer custo financeiro, já que o uso do twitter é gratuito, bastando o acesso à internet. Felizmente, a aceitação e a receptividade do PRF1 91 SC possuem índices excelentes, superando as expectativas iniciais. Uma demonstração disso é o fato de já contar com mais de 5 mil seguidores. Um outro aspecto interessante é que por meio do PRF1 91 SC muitas pessoas têm encaminhado diversas mensagens elogiosas ao trabalho da PRF, possibilitando aferir o elevado grau de confiança e credibilidade da instituição. Um dos elogios, porém, chamou mais atenção. Trata-se da manifestação de Thiago Araujo, nem tanto pelo reconhecimento do

trabalho, mas, principalmente, pelo fato de ter encaminhado a sua mensagem de satisfação ao portal ouvidoria do DPRF, canal normalmente usado para fazer denúncias e reclamações. O serviço disponi­ bilizado por meio do twitter @PRF191SC é um guia importante para programação de viagens, saber anteci­ padamente quando a rodovia será interrompida para manutenção, pode prevenir perda de tempo na estrada e diminuir congestionamentos. Elogio esta iniciativa e incentivo a disponibilização de mais serviços online a respeito das condições das estradas. Serviços deste tipo geram eficiência social, são baratos para oferecer ao cidadão, facilita o trabalho de todos.


N A P I S TA

10

Le i a a l g u m a s re sp osta s d a e n q u e te " O q u e vocĂŞ a ch a d o twi tte r P R F 1 9 1 S C ? "


N A P I S TA

01 18

FIQUE POR DENTRO... N ú cl e o d e Te l e m á ti ca

S i ste m a d e M on i tora m e n to d e Re d e

“Árduo, estressante e pouco reconhecido”. Assim é o trabalho do Núcleo de Telemática nas palavras do Inspetor Borba, chefe do setor. O Nutel é uma das unidades mais solicitadas da PRF de todo o estado. Entretanto, algumas pessoas não sabem exatamente o que os servidores fazem quando não estão arrumando computadores. Além das constantes manutenções de informática, sistema telefônico e rádios comunicadores da PRF/SC, o controle das faturas telefônicas e de transmissão de dados pertencem às competências do Nutel, que também supervisiona reformas que interferem nessas áreas e elabora estudos visando modernizar a estrutura tecnológica da PRF. Estar por dentro de tudo isso não é tarefa fácil. Acompanhar as novas tecnologias, estudar e saber colocar em prática são os ingredientes para o sucesso do trabalho. É reunindo esses atributos que o Nutel desenvolve projetos relacionados à telemática, junção de telecomunicação com informática. Seguindo uma tendência da PRF em nível nacional,

um dos trabalhos do núcleo que resultou em grandes mudanças e economia de recursos públicos foi a reestruturação do sistema telefônico. Antes, as ligações entre unidades da PRF eram realizadas por uma chamada convencional, com todos os custos decorrentes. Agora, com a migração para o sistema VOIP, os ramais foram modificados e a comunicação se tornou gratuita. A famosa página de ordem de serviço, ou simplesmente OS, que muitos relutam em utilizar, também é fruto do Nutel. Ela foi desenvolvida pelo Inspetor Borba a partir de um trabalho universitário visando organizar e facilitar o atendimento, além de conferir transparência. Dessa forma, todos os chamados são registrados e cumpridos em ordem. Anteriormente, as solicitações eram anotadas em uma etiqueta. Vale explicar que apesar da ordem de registro, a prioridade são os postos e as delegacias que, dependendo, podem ser atendidos por meio de acesso remoto. Uma outra tecnologia implantada pelo Nutel é o Sistema de Monitoramento de Rede. Com o auxílio de um software adaptado, os policiais podem identificar em um mapa todas as unidades da PRF e suas conexões. Quando a rede cai, o local aparece destacado em vermelho. Muitas vezes, o problema é resolvido antes mesmo que os policiais do local percebam. Atualmente, outros projetos estão sendo analisados pelo Nutel. Instalar câmeras de monitoramento na Via Expressa, acoplar notebooks nas viaturas e utilizar impressoras alugadas, cujas manutenções ficariam

a cargo de uma em-presa, são alguns deles. A conclusão ainda não tem prazo definido porque engloba uma série de procedimentos burocráticos, como por exemplo, apresentar uma justificativa coerente, um relatório com o estudo dos modelos de equipamentos mais adequados, pesquisa de valor, especificação de quantidade, a forma de utilização, entre outros. Levando em conta a demanda de trabalho e a rapidez na criação de tecnologias, o ritmo do Nutel também precisa ser acelerado. Não é à toa que alguns servidores já se afastaram por problemas de saúde. Por isso, em tom de brincadeira, o Inspetor Borba, afirma que um dos critérios para ser lotado no núcleo é ter um pouco de loucura. Apesar das dificuldades, a equipe, composta por quatro policiais, dois terceirizados e três estagiários dá conta de tudo. Neste ano, 1 .1 65 atendimentos de informática já foram concluídos. Trabalhar depois do horário, no final de semana ou chegar mais cedo é comum para os PRFs. Sempre atentos, manter os celulares ligados é imprescindível. “Já precisei sair de uma festa no sábado à noite para resolver um problema na rede”, conta o PRF Gedson.


N A P I S TA

12

M otoci cl i sta s m a i s con ce n tra d os Está em tramitação na Câmara de Deputados o projeto de Lei 7483/201 0, de autoria do deputado Osmar Terra, que pretende fazer com que motociclistas se submetam a um exame para diagnosticar possíveis Transtorno de Défict de Atenção e/ou Hiperatividade (TDAH).

Conforme o texto, as avaliações devem ser feitas juntamente com o exame de aptidão física e mental. Obrigatórios para a confecção da Carteira Nacional de Habilitação. A justificativa da proposta está relacionada à uma pesquisa feita com motoboys de Porto Alegre. O estudo demonstra que os sintomas de TDAH,

entre eles desatenção, impaciência ou gosto pelo risco, potencializam a ocorrência de acidentes. O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Viação e Transportes e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

P RF /S C re ce b e n ova s vi a tu ra s

Inspetor Tonon e uma das viaturas entregues à 2ª Delegacia

Durante reunião administrativa ocorrida no dia 27 de setembro, o Superintendente, Inspetor Paes, o Chefe da Seção de Policiamento e Fiscalização, Inspetor Padilha, e a Chefe da Seção Administrativa e Financeira, Inspetora Nadja, realizaram a entrega de sete novas viaturas operacionais modelo 1 ª Delegacia 2ª Delegacia 3ª Delegacia 4ª Delegacia 5ª Delegacia 7ª Delegacia 8ª Delegacia NOE

GM/Blazer Advantage 201 0/2011 . Além desses veículos, em breve, a Comissão de Recebimento de Viaturas deve concluir os procedimentos necessários à liberação de três viaturas MMC/Pajero HD 201 0/201 0 para emprego no policiamento. Os índices de produtividade, aferidos conforme previsto na Portaria 30/2009 do DPRF, e a necessidade de cada unidade foram os critérios usados para a distribuição 01 Blazer das viaturas entre as De01 Blazer e 01 Pajero legacias e o Núcleo de 01 Pajero Operações Especiais. 01 Blazer A 2ª e a 7ª Delegacias 01 Blazer receberam duas viaturas 02 Blazer em reconhecimento aos 01 Blazer resultados obtidos na 01 Pajero

avaliação dos procedimentos de fiscalização. É importante destacar que, apesar de a 6ª Delegacia preencher os requisitos para receber uma viatura, o Inspetor Nilton, sensibilizado com os argumentos e as dificuldades manifestadas pelo Inspetor Cunha e abriu mão de um veículo em favor da 1 ª Delegacia.

I n sp e tor I vo re ce b e d ocu m e n ta çã o d a n ova vi a tu ra d a 8 ª D e l e g a ci a


N A P I S TA

13

P RF /S C a d e re a o S I AS S

12

Nos últimos anos, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão tem buscado aprimorar o gerenciamento dos recursos humanos empregados na prestação dos serviços públicos federais. Um dos focos de atenção é a saúde dos servidores. Para o adequado tratamento desse tema, com base no Decreto n. 6.833/2009, foi criado o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (SIASS) com o objetivo de coordenar e integrar ações e programas nas áreas de assistência, inspeção médica, promoção e vigilância à saúde dos servidores federais. O SIASS é estruturado em diversas unidades físicas com a finalidade centralizar o atendimento e os procedimentos relativos à saúde do servidor. Além disso, o sistema

prevê a aplicação de exames periódicos para servidores e adequação dos ambientes de trabalho. Uma característica destacada do SIASS é a interação entre diferentes órgãos e a consequente potencialização do aproveitamento de recursos humanos da área de saúde e materiais para o atendimento regionalizado de todos os servidores públicos federais vinculados ao Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (SIPEC). Diante desse novo cenário, no último dia 23 de setembro, a 8ª SRPRF/SC firmou o termo de adesão à Unidade SIASS estabelecida na Universidade Federal de Santa Catarina. Na oportunidade, o Secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, fez questão de enfatizar a grande mobilização de todos os órgãos federais do estado em torno da iniciativa, promovendo o debate de conceitos e diretrizes. "A essência da nossa política é jus-

tamente o compartilhamento de ideias, a divisão de responsabilidades, a construção coletiva", explica Duvanier. Além do SIASS, o Na Pista lembra que os servidores da PRF/SC também são atendidos por duas ações simultâneas e complementares voltadas à preservação de boas condições de saúde: o Programa Michel Figueiredo e o Patrulha da Saúde. Assim, todos têm oportunidades de receber acompanhamento e orientação para alcançar uma melhor qualidade de vida. Mãos à obra!!!


N A P I S TA

14

P RF /S C p a rti ci p a d o I I I E n con tro N a ci on a l d e Ate n çã o à S a ú d e d o S e rvi d or

No período de 31 de agosto a 3 de setembro de 201 0, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão promoveu, em Brasília, o III Encontro Nacional de Atenção à Saúde do Servidor e o II Fórum de Saúde Mental. O “Programa Michel Figueiredo - A Saúde Levada a Sério”, projeto idealizado e promovido pela Seção de Recursos Humanos da PRF/SC, foi selecionado entre centenas de outras ações voltadas à promoção da saúde dos servidores públicos para ser apresentado. O evento contou com 30 conferencistas, 1 0 oficineiros e 1 .1 87 representantes de órgãos dos poderes executivo, legislativo e judiciário de todos os estados, representantes sindicais e convidados. A comitiva da PRF/SC foi formada pela policial Núria e pelas psicólogas Maria Antonieta Beck Brito e Eliane Bastos. Dentre as atividades

desenvolvidas, tiveram destaque as conferências realizadas pelos médicos Christophe Dejours e Raquel Maria Rigotto. Além dessas palestras, o evento possibilitou a apresentação e o compartilhamento de experiências bem sucedidas. No total, 1 30 trabalhos foram inscritos, mas somente 1 9 selecionados e apresentados à plenária no dia 1 º de setembro. Um fato, porém, chamou a atenção: o “Programa Michel Figueiredo” era o único organizado por um órgão de segurança pública. Das outras ações, 1 4 foram desenvolvidas por universidades federais e quatro por instituições de saúde. A admiração e o reconhecimento à relevância do programa deve ser ainda maior se levarmos em consideração que, dentre outros, os demais trabalhos foram realizados pela Universidade de Brasília, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Universidade de Uberlândia, pelo Instituto Evandro Chagas/RJ e pelo Núcleo Estadual do Ministério da Saúde/RJ. A apresentação foi bastante elogiada. “Estamos muito orgulhosas, realizadas e felizes com o reconhecimento obtido” disse

a PRF Núria. O êxito que o "Michel Figueiredo" já alcançou também pode ser comprovado pela intenção manifestada pela Divisão de Saúde do DPRF em expandílo para todas as regionais por meio de sua inserção nas atividades do Patrulha da Saúde. O sucesso deve ser compartilhado com todos os servidores que ao longo dos últimos dezoito meses têm contribuído com sua implementação, aceitando e confiando na seriedade do trabalho. O apoio do SINPRF/SC também tem sido fundamental. Nunca é demais lembrar que o projeto surgiu como uma forma de homenagear o colega Michel Figueiredo que faleceu no ano de 2008 em decorrência de problemas de saúde "silenciosos", bem como para auxiliar os servidores a buscarem a manutenção de boas condições de saúde.


N A P I S TA

15

An i ve rsá ri o d e 8 2 a n os d a P RF é com e m ora d o com fe sta , com p e ti çõe s e h om e n a g e n s a se rvi d ore s Há 82 anos a Polícia Rodoviária Federal vem exercendo seu papel respon-sável pela segurança pública de âmbito das rodovias e estradas federais. Esse intenso patrulhamento foi comemorado no mês de setembro em Florianópolis. Foram dois dias de descontração, união e homenagens. Organizada pela 1 ª Delegacia de São José e pelo SINPRF/SC, a festa foi realizada no Hotel SESC de Cacupé durante os dias 1 0 à 1 2 de setembro e juntamente a este acontecimento, ocorreu a 1 5ª edição do Encontro Anual dos Policiais Rodoviários Federais de Santa Catarina. O cenário oferecido pela beleza natural em volta do local do evento garantiu a todos o clima amistoso e relaxante para a maratona de festas e confraternização. Uma das maiores dificuldades enfrentada pelo comitê organizador foi conciliar as atividades requeridas para a festa e as atividades rotineiras de trabalho. Porém, todo o esforço obteve recompensa. “A maior satisfação foi ver todo o trabalho transformado em momentos de diversão para todos que compareceram ao evento”, comenta o PRF Diez, um dos responsáveis pela organização. O evento reuniu policiais rodoviários federais

na ativa e aposentados, servidores administrativos e familiares e contou com diversas disputas esportivas para a descontração de todos os membros envolvidos. Competições de tiro, futebol, vôlei, kart, tênis de mesa, dominó, poker, canastra e truco fizeram parte do repertório recreativo com direito a premiação dos competidores nas respectivas modalidades.

Ve n ce d ore s n a s m od a l i d a d e s J og os d e M esa

Dentre os policiais que prestigiaram o evento estavam o Inspetor Paes, o Inspetor Padilha, todos os Chefes de Delegacia do Estado, o Inspetor Hamilton (presidente do SINPRF/SC), o Inspetor Kossel (presidente do SINPRF/RS), o Inspetor Pereira (presidente do SINPRF/SP) e representantes da FENAPRF. Um momento especial foi reservado durante o evento para homenagear algumas pessoas que já contribuíram e outras que ainda têm muito a fazer na Polícia Rodoviária Federal. Uma vez mais, foi enaltecida a atuação do Inspetor Marcelo Nolasco, o qual faleceu precocemente no último mês de abril. Também receberam as devidas honrarias o Inspetor Laureci, um dos primeiros PRFs do estado, e o servidor João

Kremer, que se aposentou este ano. Por ter alcançado a maior produtividade em Santa Catarina nos critérios de avaliação individual, ficando entre os 1 0 primeiros do Brasil, o policial F. Ferrer, da 1 ª Delegacia, também foi homenageado. O mesmo ocorreu com o PRF Leal, da 2ª Delegacia, em referência à sua destacada participação no atendimento de uma criança vítima de acidente de trânsito em dezembro de 2009. Como nas edições anteriores, o ponto alto da festa foi o jantar dançante do sábado à noite. Embalados ao som da banda Santo Dyme, 350 pessoas dançaram e se divertiram madrugada a dentro. Em um clima de bastante alegria foi possível neutralizar o estresse do dia-a-dia de trabalho. Para todos os presentes no evento, foi a oportunidade de rever antigos companheiros de trabalho e amigos distantes em um final de semana com muita diversão e lembranças. “O objetivo do encontro é reunir anualmente os servidores e suas famílias, celebrando mais um ano de trabalho. E isso foi alcançado, sendo que os participantes puderam apreciar as belas instalações do SESC ” disse o Inspetor Graziano.


N A P I S TA

16

Ti m e d e fu te b ol S e d e

Ti m e d e fu te b ol Tu b a rã o

P ód i o p a ra os ve n ce d ore s

I n sp . G ra zi a n o, I n sp . P a e s e P RF S h e i l a

Ti m e d e fu te b ol S ã o J osé

J og os d e m esa

Trofé u s p a ra os ve n ce d ore s

Com p e ti d ore s n a m od a l i d a d e Ka rt

Ve n ce d ore s n a m od a l i d a d e Ti ro

QU AD RO G E RAL D AS CO M P E TI ÇÕ E S Tru co: 1 º lugar - Padilha e Vasconcelos (Sede) 2º lugar - Daniel e Alvacir (6ª Del.) 3º lugar - Ivo e Graniel (8ª Del.) D om i n ó 1 º lugar - Nivaldo e Vivaldo (1 ª Del.) 2º lugar - Romeu e Altemar (1 ª Del.) 3º lugar - M. Pontes e Letícia (Sede) Ca n a stra 1 º lugar - Mocellin / Nilza (8ª Del.) 2º lugar - Padilha / Paula (Sede) 3º lugar – Rosângela (Esposa Insp. Padilha) / Ieda (Sede) Tê n i s d e m e s a : 1 º lugar - Bruno Bocati (5ª Del.)

2º lugar - M. Pontes (Sede) 3º lugar - Altemar (1 ª Del.) Vô l e i : 1 º lugar - Sede 2º lugar - 1 ª De l. 3º lugar - 8ª Del . Ka rt: 1 º lugar - Füllgraf (1 ª Del.) 2º lugar - Sander (1 ª Del.) 3º lugar - Dezen (Sede) F u te b o l : 1 º Lugar - 1 ª Del. 2º Lugar - Sede 3º Lugar - 3ª Del. Artilheiros - Trajano (Sede) e Correa (3ª Del.)

P oke r: 1 º lugar – Nardon (1 ª Del.) 2º lugar – Bernardo (1 ª Del.) 3º lugar – Sheila (1 ª Del.) Ti ro i n d i vi d u a l : 1 º lugar – Everton (Sede) 2º lugar – Leal (2ª Del.) 3º lugar – Soares (Sede) Ti ro p or e q u i p e : 1 º lugar - 1 ª Del . 2º lugar - 2ª Del. 3º lugar - 6ª Del.

Cl a ssi fi ca çã o G e ra l

1 º lugar: 1 ª Del. - 11 4 pontos 2º lugar: Sede - 94 pontos 3º lugar: 3ª Del. - 46 pontos


N A P I S TA

17

S e m a n a N a ci on a l d o Trâ n si to

Como ocorre há alguns anos, o período de 1 8 à 25 de setembro marca a Semana Nacional de Trânsito. O objetivo é intensificar ações de educação acerca da importância de manter um comportamento prudente nas ruas, avenidas e estradas. Os motoristas, passageiros e pedestres, inclusive crianças, foram o público alvo da campanha. Neste ano, o tema foi Cinto de Segurança e Cadeirinha, assunto que obteve grande repercussão nos últimos meses devido a Resolução n. 277/2008, que dispõe sobre a forma de transportar crianças em veículos automotores. Por isso, com base na nova regra e em pesquisas relacionadas ao uso do cinto, o objetivo da campanha foi reforçar ainda mais a extrema utilidade de tais equipamentos. De acordo com uma pesquisa realizada em 2008 pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, 88% dos ocupantes de

bancos dianteiros usam cinto de segurança, o que diminui em 50% o risco de morte em um acidente de trânsito. Entretanto, o estudo revelou que apenas 11 % dos passageiros do banco de trás utilizam o cinto, ou seja, em caso de acidente o corpo do ocupante traseiro pode causar a morte de quem estiver no banco da frente. Diante das informações, a Polícia Rodoviária Federal efetuou diversas ações com o intuito de contribuir para a segurança da população. Uma delas foi a troca de experiência entre os Inspetores Robson e Graziano e alguns Guardas Municipais de São José a respeito dos procedimentos de fiscalização dos dispositivos de retenção equivalentes. Alunos do Colégio Criativo, na capital, tiveram a oportunidade de conhecer o trabalho da Polícia Rodoviária Federal, sanar dúvidas e, ainda, transformar todo o aprendizado em uma exposição para os pais. Outra ação que fez parte da Semana Nacional do Trânsito aconteceu em Rio do Sul. Uma comissão formada pela Polícia Rodoviária Federal e outras instituições realizou palestras para

estudantes do 1 º ao 5º ano. Os organizadores, dentre eles integrantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Militar Rodoviária, Guarda Municipal, Departamento de Trânsito da Prefeitura de Rio do Sul e uma Psicóloga que presta serviço ao DETRAN, em parceria com as escolas promoveram um concurso de cartazes, no qual cada criança produziu um desenho com o tema: “Como uma criança da minha idade deve ser transportada em segurança no veículo”. As escolas selecionaram três cartazes de cada ano e encaminharam à comissão, que definiu cinco ganhadores. Cada um deles ganhou uma bicicleta. O prêmio foi entregue no dia 1 3 de outubro.

Na Pista 14  

Informativo da Polícia Rodoviária Federal

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you