__MAIN_TEXT__

Page 1

MANUAL DE REDAÇÃO E PROCEDIMENTOS

SEMCOM Secretaria Municipal de Comunicação


MANUAL DE REDAÇÃO E PROCEDIMENTOS

SEMCOM Secretaria Municipal de Comunicação


EXPEDIENTE

Arthur Virgílio do Carmo Ribeiro Neto Prefeito de Manaus Kellen Cristina Veras Felisardo Lopes Secretária de Comunicação Alita Amanda Menezes Falcão Subsecretária de Comunicação Elendrea Cavalcante Rômulo Araújo Redação (texto e organização) Bianca Alves Valber Araújo Colaboração Aline Ribeiro Projeto Gráfico e diagramação Semcom Fotografia in.Pacto Comunicação Revisão, padronização e uso da língua


Sumário 9APRESENTAÇÃO 11

SOBRE A SEMCOM

12

BREVE HISTÓRICO

14

LINHA EDITORIAL

16

RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA GRUPOS PARA INFORMAÇÃO RESPONSABILIDADE COM A NOTÍCIA

20

CASE COVID-19

24PORTAL COMBATE ÀS FAKE NEWS ISSUU DESTAQUES E FORMATO

27

MÍDIAS SOCIAIS PRODUÇÃO DE CONTEÚDO PLANEJAMENTO FACEBOOK INSTAGRAM TWITTER YOUTUBE MODERAÇÃO MÉTRICAS E RELATÓRIOS NOTA AOS ASSESSORES SUGESTÕES DE FERRAMENTAS


38

COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA NOTA AOS ASSESSORES MOBILIZAÇÃO E ALCANCE DISPARO VIA WHATSAPP COMUNICAÇÃO HUMANIZADA

42

PRODUÇÃO DE TEXTOS IMPRESSO E INTERNET NOTAS OFICIAIS SUGESTÕES DE PAUTA MONITORAMENTO DE NOTÍCIAS MATÉRIAS ESPECIAIS

49AUDIORRELEASE PODCASTS SOUNDCLOUD SPOTIFY

51VIDEORRELEASE WEBTV

53FOTOGRAFIA 55

ROTINA DE AÇÃO NOTA AOS ASSESSORES

57

RESGATE DA MEMÓRIA


58

PRODUTOS E SERVIÇOS BOLETIM MANAUS MANAUS A SERVIÇO NOTÍCIAS EM LED MOMENTO MANAUS PREFEITURA NAS RUAS REVISTA “MANAUS” JORNAL MANAUS CARRO VOLANTE RÁDIO WEB OUTDOORS SOCIAIS

64

PADRONIZAÇÃO E USO DA LÍNGUA ABREVIATURAS SIGLAS CARGOS PÚBLICOS GRAFIAS COMPOSTAS USO DO HÍFEN: DEMAIS REGRAS EMPREGO DOS PORQUÊS EMPREGO DAS INICIAIS MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS AMBIGUIDADE PONTUAÇÃO NÚMEROS ASPAS VERBOS DECLARATIVOS ADJETIVOS GENTÍLICOS DEMAIS NORMAS E REGRAS PARA NÃO ERRAR PALAVRAS E EXPRESSÕES PARA USAR/EVITAR ESCREVA CERTO PALAVRAS ESTRANGEIRAS QUE NÃO NECESSITAM DE ITÁLICO

110REFERÊNCIAS


Apresentação

P

ilar da chamada sociedade moderna e em rede, conforme conceitos de renomados pesquisadores na área da comunicação, a informação apurada, pensada e formatada por profissionais é um dos bens mais importantes para as pessoas atualmente e, especialmente, em um momento no qual a desinformação insiste em dominar as relações e as chamadas “fake news” circulam tão velozmente. Por isso, a possibilidade de contato direto, imediato e, principalmente, responsável, seja pessoa a pessoa ou pessoa e empresas, órgãos e poderes públicos em todas as esferas e até figuras públicas, tornou-se imprescindível, ampliando a demanda por profissionais preparados para lidarem com o público, dando atenção as suas demandas e anseios, bem como servindo de elo entre as instituições e a população.

No entanto, faz-se urgente questionar: como ocorre tal processo? Quais são as estruturas e a formação necessárias? E, em se tratando de poder público, quais as políticas de comunicação adotadas? De que forma elas podem ser priorizadas frente a outras demandas igualmente urgentes? Essas são apenas algumas questões iniciais que este manual procura responder ou ao menos minimizar dúvidas de profissionais e estudantes de comunicação, que lidam ou pretendem lidar, diariamente, com o público, para melhor compreender a dinâmica relação entre o poder público e a sociedade, por meio das políticas de comunicação. Esta publicação tomará como base o trabalho na Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) da Prefeitura Municipal de Manaus (PMM), criada em 27 de janeiro de 1986 e evoluindo ao longo das últimas décadas em meio

— 9 —


ao surgimento de múltiplas plataformas de comunicação. Consolidaremos neste manual as experiências práticas desenvolvidas ao longo dos últimos anos, sobretudo de 2013 a 2020, período de maior transformação e aperfeiçoamento das produções desta secretaria, pautado ainda pelo avanço da tecnologia e sua consequente explosão e popularização social. Este manual não pretende ensinar estudantes e muito menos profissionais formados na área de Comunicação a escreverem. O que se busca por meio deste documento é garantir

unidade, pontuar e esclarecer atribuições presentes no dia a dia da Secretaria Municipal de Comunicação, nortear o cotidiano e compartilhar experiências dessa área no serviço público, em meio ao surgimento de tantas plataformas para a construção e divulgação de informações. Afinal, tão importante quanto proporcionar melhorias à cidade e, consequentemente, à população que nela habita, é torná-las públicas, garantindo efetividade em seu papel como Secretaria de Comunicação.

— 10 —


Sobre a Semcom

A

Semcom é um órgão integrante da administração direta do Poder Executivo, com duas finalidades: planejar e implementar a Política Municipal de Comunicação Social, mediante a coordenação de suas atividades, divulgando as ações municipais de governo, seja por meio do jornalismo ou da publicidade, em articulação com os diversos meios de comunicação. Cabe à Semcom dar transparência e visibilidade às políticas e aos serviços da administração pública municipal, planejando, desenvolvendo e executando ações, além de envolver, por intermédio de suas ferramentas, as comunidades nas atividades municipais e no estímulo de boas práticas.

Para concretizar a implementação da política de comunicação do município, as ações da secretaria envolvem articulação, produção, distribuição e divulgação de conteúdos sobre o governo municipal para todas as mídias, incluindo ainda o convite à mídia impressa e eletrônica, para a participação em importantes atos; assessoramento ao prefeito no seu relacionamento com a imprensa e a comunidade, servindo, inclusive, de porta-voz, em alguns casos, sobre os atos do administrador municipal e de sua gestão, assim como dos órgãos que compõem a administração municipal. Cabe ainda à secretaria o importante papel de ouvir e levar soluções para as demandas dos cidadãos, por meio da Ouvidoria Municipal.

— 11 —


Breve histórico

C

riada em 27 de janeiro de 1986, a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) evoluiu muito ao longo de mais de três décadas, apresentando estratégias mais eficazes de produção e distribuição de ações e serviços municipais. Antes da criação da secretaria, as atividades de comunicação eram desenvolvidas por uma assessoria ligada ao antigo Gabinete Civil.

O órgão acompanhou a evolução das tecnologias comunicacionais, bem como as demandas da sociedade. Substituiu, por exemplo, os laboratórios fotográficos e a revelação digital pela disponibilização de imagens em banco de dados, além de utilizar linguagens de maior alcance e de valorizar o próprio portal da Prefeitura de Manaus como fonte primária de notícias.

Secretário (a) Municipal

Subsecretário (a) Municipal

Gabinete do Secretário (a)

Assessoria Técnica

Departamentos Adm. Finanças

Diretor

Gerência de Pessoal

Gerência de Patrimônio, Material e Serviços

Gerência de Orçamento e Finanças

Ouvidoria

Divisão de Atendimento e Acompanhamento de Denúncias

Departamento de Comunicação

Divisão de Rádio e TV

Divisão de Impressos

Gerência de Web

Divisão de Marketing e Publicidade

Divisão de Atendimento e Publicidade

Gerência de Design

Gerência de Informática

— 12 —

Gerência de Apuração de Denúncias e Resultados


Em 2006, a Semcom teve alteração em sua nomenclatura, perdendo o termo “social”, porém, sem danos às suas atribuições, tornando-se até o momento, unicamente, Secretaria Municipal de Comunicação, mas mantendo a sigla por meio da qual se tornou conhecida. Em 2019, a secretaria passou por nova reformulação, absorvendo a Ouvidoria, porém sem a estrutura do Procon Municipal, extinto em reforma administrativa. O serviço de atendimento e orientação da Ouvidoria à população foi implantando não apenas em atendimento presencial, mas sobretudo na internet e com sistema de call center. Buscando levar mais resolutividade aos pleitos da população, o funcionamento da Ouvidoria foi normatizado, estabelecendo padrões de atendimento e prazo para resposta, garantindo assim que as ações da Prefei-

tura de Manaus se tornem ainda mais efetivas e ao alcance de todos. Dentro de um processo evolutivo e de adequação às novas mídias e ao comportamento do mercado mundial, ao longo dos últimos anos, a Prefeitura de Manaus foi melhor estruturando sua comunicação, aprimorando o planejamento, a produção e distribuição de seus produtos, sobretudo se adaptando à internet como uma das ferramentas mais eficazes nesse processo. Dentro dessa estrutura estão jornalistas, relações-públicas, publicitários, profissionais de marketing, design e mídias, revisor textual, fotógrafos, cinegrafistas, profissionais de edição de imagens, tecnologia da informação, atendentes e advogados, apoiados por uma equipe administrativa e financeira.

— 13 —


Linha editorial

O

acesso à informação é um direito de todos, seja ela de que esfera for. Em uma sociedade democrata e constituída por poderes, o servidor público, como seu nome bem se refere, está a serviço da população e tem a obrigação de oferecer a ela os meios e caminhos para que tenha acesso ao que deseja. Na Semcom, que reúne profissionais de diferentes áreas da comunicação, em sua maioria jornalistas, a premissa é não esquecer a ética, o juramento acadêmico e a conduta que se tem quando se está do outro lado, nos veículos, em busca de informação. Os meios são os mesmos: internet, televisão, rádio e jornal, além da publicidade. E o foco sempre será o cidadão e o seu bem-estar.

E assim como diversas estruturas de governo e poder, a Semcom vive nos últimos anos um novo ciclo na comunicação: o das mídias sociais, o que tornou a população mais participativa, mais exigente e crítica sobre as ações e posturas de seus governantes. Esse novo cenário exigiu da Semcom adequações, um olhar pioneiro. Na internet, as atitudes precisam ser assertivas. A comunicação não tem fórmula e nem matemática. Ampliando seu foco e papel, a Semcom nos últimos anos expandiu fronteiras e fez crescer seus produtos publicitários, em consonância com o jornalismo. As campanhas publicitárias foram humanizadas, com personagens reais, gente da cidade, uma reprodução do sentimento do cidadão e servidores que se doam pela cidade.

— 14 —


O trabalho da secretaria foi além e envolveu dedicação, pesquisa, como o resgate do brasão oficial da cidade, cuja missão foi coordenada pela Semcom. É com este espírito aguçado e inquietante, de buscar sempre mais, que este manual foi criado, para que as informações nele contidas sejam ainda mais absorvidas pelos profissionais da Semcom e por todo o corpo de comunicadores dos mais de 20 órgãos que compõem a Prefeitura de Manaus, além de seus parceiros e fornecedores.

profissionais da área de Comunicação, comungando de um espírito colaborativo, que empreenda grandes projetos públicos e deixe legados. Este Manual ficará disponível no portal da Prefeitura, acreditando inclusive que, em meio aos constantes avanços tecnológicos, atualizações desta obra virão de Manaus, contemplando ainda mais gerações.

O que se quer, em meio a um país que vivencia o descrédito com a classe política e ainda enxerga grandes falhas no serviço público, é agregar essas informações e ajudar a formar

— 15 —


Relacionamento com a imprensa

C

om base no dinamismo proporcionado pelo aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, a equipe de Comunicação da secretaria estreitou ainda mais o seu relacionamento com a mídia, dando prontaresposta às dúvidas de profissionais dos mais diversos veículos com demandas sobre ações rotineiras, projetos, questões financeiras e orçamentárias, além do contato com as autoridades municipais. O atendimento, via e-mail, foi mantido pela importância de se ter contabilizado justamente esse avanço no atendimento, com base em números, métricas reais, o que foi feito a partir de janeiro de 2019. No total, daquele mês a dezembro do mesmo ano foram recebidas pelos endereços eletrônicos, incluindo o WhatsApp, 2.678 demandas, das quais 2.422 foram devidamente atendidas, o que representa uma média de 86% de atendimento.

Nos seis primeiros meses de 2020, quando Manaus vivenciou o pico da pandemia do novo coronavírus (abril e maio), a quantidade de demanda mais que dobrou em relação ao mesmo período do ano anterior. Foram 1.880 demandas recebidas, apenas nos emails oficiais da secretaria. Pelo excesso de ligações, pedido de entrevistas e atendimento em espaços geridos pelo município, sobretudo no cemitério Nossa Senhora Aparecida, os números de respostas dadas via whatsapp não foram contabilizados. Do total de demandas recebidas de janeiro a junho de 2020 (1.880), 1.565 foram devidamente respondidas. Visando ampliar resultados e não deixar de informar a imprensa sobre suas principais ações, a Semcom envia diariamente, no final da tarde e início da manhã, por meio de seu número de WhatsApp institucional, um resumo

— 16 —


com links de suas principais matérias do dia. Logo abaixo, no mesmo conteúdo, a imprensa recebe um resumo das sugestões de pauta para o dia e dia seguinte – uma forma prática e rápida do jornalista se pautar para as ações da gestão. Para manter essa premissa em todos os outros órgãos da administração municipal que possuem assessores de comunicação, a Semcom reforçou suas orientações nos últimos anos a esses profissionais, estreitou o relacionamento com os jornalistas das demais secretarias e, mais que isso, tomou para si a responsabilidade e condução no atendimento à imprensa sobre importantes temas para a gestão municipal, especialmente aqueles que envolvem duas ou mais secretarias e que sempre precisam de um olhar norteador e estratégico.

O relacionamento também foi ampliado com as empresas concessionárias de serviços públicos sob a responsabilidade da administração municipal. Com a comunicação alinhada, apesar de serem instituições diferentes, o discurso é único, tendo como foco sempre o respeito ao cidadão.

Entre os trabalhos realizados com os assessores de comunicação de cada órgão municipal, a Semcom tratou de estratégias de institucionalização, direcionamento de discurso e unicidade nos posicionamentos e informações repassadas tanto à imprensa quanto à sociedade, prezandose sempre pela instituição Prefeitura de Manaus, e não secretaria A ou B.

— 17 —


GRUPOS PARA INFORMAÇÃO

RESPONSABILIDADE COM A NOTÍCIA

Também com uso dos grupos de mensagens instantâneas, a Semcom envia textos jornalísticos, sugestões de pauta, resumos do dia, assim como informa a rotina de visitas às obras, eventos oficiais e reuniões abertas do chefe do Executivo municipal. O principal deles é o “Imprensa Manaus”, onde estão cerca de 250 profissionais. Além desse, a Semcom criou um grupo para atender as demandas de rádio e outro para os profissionais de televisão, por onde são enviados links e materiais exclusivos para publicação nesses meios. É por meio desses grupos que a imprensa faz consultas rápidas e a Semcom consegue manter o atendimento full time à imprensa, independente do dia da semana.

Em uma estrutura que se tornou mais que uma redação jornalística, mas sim uma verdadeira agência de notícias, ter o controle das informações relacionadas à gestão exige coordenação e uma verdadeira organização e divisão de tarefas. Isso porque, além do corpo técnico da Semcom, a pasta também precisa obter o controle das informações de todos os outros órgãos que compõem a estrutura municipal, por meio dos profissionais de comunicação de cada uma das secretarias.

E além desses grupos específicos, se faz presente em outros grupos locais, com profissionais de comunicação, para melhor distribuir conteúdo, sugerir entrevistas, fazer esclarecimentos, combater fake news relacionadas à gestão e etc.

Para isso, uma dinâmica de comunicação foi montada. A premissa é de que toda e qualquer informação que possa se transformar em um release seja enviada inicialmente à Semcom, que fará a edição do material e o distribuirá à imprensa, com toda a checagem da informação junto ao órgão que a originou. Com a curadoria da Semcom e o olhar do assessor do referido órgão, aquela notícia pode ganhar um texto para internet, jornal impresso, TV e rádio, bem como imagens e áudios para divulgação, se transformando ainda nos outros produtos trabalhados pela secretaria e que serão apresentados em capítulos específicos deste manual.

— 18 —


Cabe à Semcom junto aos assessores de comunicação dos referidos órgãos também uma análise sobre quais notícias precisam ser trabalhadas em um processo mais amplo, tornando-se, por exemplo, um evento, apresentado por autoridades públicas do município. Cabe à Semcom e ao assessor avaliarem o que vira pauta, o que não contém força de notícia, o que deve virar apenas um conteúdo para as redes sociais institucionais ou inclusive às redes do gestor do órgão do qual a notícia saiu.

Caso a notícia tenha relevante interesse público, a Semcom observa a construção do material, assim como sua devida institucionalização, composição textual, coerência das informações, encadeamento de ideias, posicionamento e fala das fontes, arredondando-o, caso necessário, para publicação no portal da prefeitura, já que se trata de uma informação oficial, com posterior distribuição à imprensa.

— 19 —


Case Covid-19

D

urante a pandemia do novo coronavírus, a responsabilidade com a informação tornou-se ainda maior. Desde o início do mês de março de 2020, quando Manaus ainda não registrava oficialmente casos de Covid-19 e as primeiras medidas já eram tomadas pelo poder público municipal, a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) já desenvolvia e realizava estratégias de ação em consonância com as orientações dos órgãos de saúde para que toda a população entendesse a gravidade do momento e tomasse as medidas necessárias à prevenção. As informações entre as secretarias envolvidas nas ações de saúde, higienização e limpeza, fiscalização sanitária, educação, finanças, infraestrutura, assistência social e outras, foram alinhadas com a comunicação a fim de que cada cidadão pudesse obter entendimento das ações de combate e proteção à Covid-19. Os decretos municipais foram amplamente divulgados por meio do jornalismo e da publicidade da secretaria. As estratégias com a imprensa também foram reformuladas, evitando-

-se ao máximo eventos e pautas que pudessem causar aglomerações. A partir do decreto de teletrabalho aos servidores da maioria das estruturas municipais, os assessores de comunicação de cada órgão foram orientados sobre a importância da manutenção do atendimento à imprensa e do contato com a Semcom. Um grupo de trabalho em um aplicativo de mensagens instantâneas já existente foi usado pela Semcom para atendimentos rápidos e encaminhamentos de demandas sobre o tema às secretarias responsáveis. Os e-mails oficiais da secretaria também serviram de canal para tratativas referentes a dúvidas da imprensa e esclarecimento de temas à sociedade. Manaus foi pauta no Brasil e no mundo em virtude da pandemia e dos elevados números de casos e de mortes pelo novo coronavírus, principalmente nos meses de abril e maio, pico da pandemia. Os principais gestores municipais foram demandados para entrevistas em canais de comunicação locais, nacionais e internacionais, o que exigiu um trabalho assertivo e meticuloso por parte da Semcom,

— 20 —


inclusive com tratativas em outros idiomas, como inglês e espanhol.

‘EFEITO COVID-19, INFORME FUNERÁRIO E ATENÇÃO, MANAUS’

Nesse quesito, pautas como a importância do uso de máscaras, de manter a higienização das mãos e da adesão ao isolamento social também foram massificadas ao longo dos meses de pandemia, além de todas as ações municipais realizadas para incentivar essas medidas de prevenção, incluindo, por exemplo, a sanitização de espaços públicos.

Entre tantas medidas adotadas em meio à pandemia, três delas se destacam e poderão servir de case para gerações futuras da comunicação pública municipal de Manaus: a adoção de uma retranca exclusiva para matérias relacionadas a medidas de prevenção, um informe diário sobre a situação funerária de Manaus e o constante desenvolvimento de campanhas publicitárias sobre o tema, incluindo um boletim diário relacionado à Covid-19.

Ademais, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) referenciais para o atendimento a casos suspeitos de Covid-19 e outras Síndromes Respiratórias Agudas Graves, principalmente, o Hospital Municipal de Campanha, na zona Norte, receberam frequentes equipes de jornalismo da Semcom para divulgação diária da situação hospitalar, seus procedimentos, números de internações e altas médicas.

A transparência com a informação nos números voltados à Covid-19 garantiu que Manaus fosse a primeira capital brasileira a atingir a pontuação máxima no Índice de Transparência da Covid-19 (ITC-19), um levantamento divulgado pela Open Knowledge Brasil (OKBR), por três

— 21 —


vezes seguidas. O resultado é fruto do aprimoramento da publicação de informações sobre a capacidade de testagem, além de dados sobre disponibilidade de leitos e outros itens no endereço eletrônico https://covid19. manaus.am.gov.br.

anteriores à pandemia, atendendo nos meses subsequentes sob demanda, por serem dados considerados “normais” ao patamar do período anterior ao novo coronavírus, e retornando nos meses de novembro e dezembro diante de novo aumento de óbitos pela doença.

No jornalismo, a retranca “Efeito Covid-19” se tornou quase que uma editoria própria ao evidenciar assuntos relacionados a decisões da Prefeitura de Manaus na prevenção e enfrentamento aos impactos do novo coronavírus na capital do Amazonas. A expressão foi usada como retranca no início dos assuntos do e-mail e na formatação dos textos distribuídos também por aplicativos de mensagens instantâneas para gerar a identificação mais rápida com o tema. Essa foi apenas uma das medidas pensadas e executadas pela equipe de jornalismo da secretaria de comunicação.

CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS

Outra medida que ampliou a transparência pública de dados relacionados à pandemia foi a criação do “Informe Funerário”, uma nota enviada diariamente à imprensa com números de sepultamentos nos cemitérios públicos e também privados da cidade, além do quantitativo de mortes por Covid-19 ou outras causas e o número de óbitos em domicílio e de atendimentos pelo programa SOS Funeral, de assistência social do município. O produto foi feito nos meses de abril, maio e junho, incluindo balanços mensais e dados

Canais alternativos em bairros e comunidades também serviram de apoio ao reforço da mensagem de prevenção à Covid-19, incluindo produções gráficas, como informativos impressos, mensagens em áudio em carros volantes, além de placas e outros materiais. Dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), informativos visuais também reforçaram essa comunicação aos que procuraram esses espaços.

Além do jornalismo e do trato com a imprensa, as campanhas publicitárias tiveram um grande impacto diretamente no público de várias classes e zonas, por meio de diversas mídias com anúncios relevantes sobre como se proteger da nova doença. As equipes de marketing e publicidade da Semcom aliaram informação e criatividade ao alertar que o momento era de ficar em casa, de usar máscaras, de manter e reforçar a higienização e de evitar aglomerações e o consequente contágio pela Covid-19.

As redes sociais também foram fundamentais nesse processo, amplian-

— 22 —


Campanha alerta sobre a importância de ficar em casa em isolamento, sem riscos de contágio pela Covid-19, e informa número de sepultamentos nos cemitérios de Manaus durante o pico da pandemia do novo coronavírus

do ainda mais o alcance das mensagens de jornalismo e publicidade, tirando dúvidas e respondendo comentários da população. No âmbito digital, foi criado o hotsite covid19. manaus.am.gov.br para concentrar todas as informações relacionadas à doença, bem como serviços e canais de atendimento ao público, obtendo inclusive reconhecimento nacional no quesito transparência relacionada aos gastos na pandemia. Um produto também criado para reforçar as informações de medidas relacionadas ao novo coronavírus foi um informe radiofônico veiculado diariamente nas rádios da capital do Amazonas, trazendo como mensagem

principal “Atenção, Manaus: o cuidado não pode parar”, mesclando as linguagens de jornalismo e publicidade ao noticiar ações e serviços da prefeitura no combate à Covid-19 em um espaço comercial da programação, com caráter de boletim informativo. Como em toda situação que exige profissionalismo e cuidado máximo, a Semcom soube se portar diante da pandemia e elevar ainda mais seu papel de divulgar atos do executivo municipal, gerenciando uma grande crise, sem precedentes, mas também criando oportunidades em meio às dificuldades, que certamente estarão na história como legado e inspiração a futuros comunicadores.

— 23 —


Portal

E

m 2017 o portal da Prefeitura de Manaus (manaus.am.gov.br) começou a passar por uma reformulação. A proposta era torná-lo mais dinâmico. Era preciso pensar em um modelo que, além do dinamismo das notícias, redes sociais, espaço destinado a serviços e campanhas, fosse atraente aos servidores, norteasse visitantes da cidade e agregasse ao cidadão local. E assim aconteceu. O portal não apenas reformulou sua aparência e conteúdo, como também melhor se

posicionou dentro da maior plataforma de buscas da internet, o Google. A utilização do SEO Search Engine Optimization (otimização para mecanismos de busca) ampliou a performance do site, melhorando o ranking, gerando tráfego. Conforme o Google Analytics, além de links para a área de serviços (Manaus Atende) voltados a empresas e ao cidadão, os assuntos mais procurados pelos internautas nos últimos anos, por meio da página da prefeitura, foram notícias de auxílios, opor-

— 24 —


tunidades e inscrições para o Bolsa Universidade e recadastramento do PassaFácil. Para se ter uma ideia do tamanho da busca no portal por matérias relacionadas a esses temas, de outubro de 2017 a meados de dezembro de 2020, a página da Prefeitura de Manaus registrava o total de 20 milhões de visualizações. Sendo que, somente nos seis primeiros meses de 2020, recebeu pouco mais de 6,1 milhões de visualizações, tendo como notícia mais acessada nesse período de pandemia do novo coronavírus o pagamento do auxílio emergencial para estudantes da rede municipal “Nossa Merenda”, com o total de 51.071 visualizações. Totalmente consolidado como fonte de consulta, o portal www.manaus. am.gov.br agora é também um canal oficial de transparência das ações e responsabilidades oficiais da gestão, bem como de prestação de contas ao público. O conteúdo, atualizado com notícias de hora em hora, inclui textos, fotos, áudios e vídeos. Além disso, com a necessidade de fazer a população acompanhar com a maior agilidade e engajamento possíveis a propagação de ações e informações de relevância social, o portal disponibiliza uma plataforma para a divulgação de

conteúdos especiais. Por meio dessa ferramenta, por exemplo, a população pôde acompanhar a realização de importantes eventos, quase que em tempo real, como a inauguração da praça da Matriz (praça XV de novembro), em novembro de 2017, as edições do Festival Passo a Paço e do Réveillon de Manaus.

COMBATE ÀS FAKE NEWS Em tempos no qual a informação se propaga com velocidade, sendo disseminada por muitos sem que se verifique sua origem, a Semcom, como secretaria responsável pela gestão da comunicação da prefeitura, adotou nos últimos anos uma postura de combate às falsas notícias (fake news), principalmente aquelas relacionadas à gestão. A estratégia implantada tem como premissa conferir os fatos e buscar um posicionamento antes mesmo de ganharem maior propagação, adotando-se o Portal da Prefeitura de Manaus como fonte oficial da informação. Em muitos dos casos, para combater fake news geradas sobre a prefeitura, como denúncias e falsos concursos, a Semcom distribui nota publicada no próprio portal para que as mesmas também sejam disseminadas via WhatsApp, tendo o link do portal como referência oficial.

— 25 —


ISSUU

DESTAQUES E FORMATO

Trata-se de uma ferramenta que disponibiliza ao internauta a leitura de publicações em formato de texto. A Semcom utiliza a plataforma para publicar conteúdos e distribuí-los para outros canais, como o Instagram e Facebook. O canal também funciona como espaço para consulta e leitura digital das edições do Jornal Manaus e da Revista Manaus, produzidas com conteúdos sobre as secretarias municipais. Nesta plataforma também estão importantes publicações da gestão, como as Mensagens Governamentais, o livreto Resgatando a História – Brasão e Hino de Manaus, entre outras.

A escolha das matérias e outros conteúdos que vão para os Destaques do Portal da Prefeitura (localizado à esquerda, na página principal), obedecem a alguns critérios, como relevância social, interesse da administração, boas imagens e a necessidade de expandir a informação, criar repercussão. A Semcom busca manter o equilíbrio entre esses critérios. Na publicação de notícias, devem ser escolhidas uma ou mais fotos para destaque dentro dos textos. As demais devem estar dentro do link do Flickr da Prefeitura, constando no final da matéria, com endereço do álbum específico. É preciso ter zelo com a formatação da notícia e estética no portal, obedecendo os espaçamentos necessários entre os parágrafos.

— 26 —


Mídias Sociais

U

ma das frentes de atuação da Secretaria Municipal de Comunicação da Prefeitura de Manaus é produzir e divulgar as ações e campanhas institucionais do Poder Executivo na Internet, em harmonia com as informações veiculadas na mídia impressa, rádio e televisão. Neste sentido, o conteúdo disponibilizado nos perfis institucionais da Prefeitura nas plataformas digitais busca ter uma variedade de formatos, atendendo às especificidades de cada rede e o comportamento dos usuários nestes espaços. De forma estratégica, também são trabalhadas e adaptadas para as redes sociais as informações distribuídas pela Semcom. Álbuns de fotos, peças com intervenções gráficas, vídeos, links, lives e stories são alguns dos formatos utilizados para publicizar as ações municipais. Outra estratégia eficiente para criação de novos materiais que geram engajamento é por meio do monitoramento das demandas recebidas nos espaços de comentários e interação com os usuários nas redes.

Além disso, a equipe responsável pelo gerenciamento das redes sociais monitora os conteúdos produzidos pelas secretarias e órgãos da administração direta e indireta em seus perfis específicos. Analisar se a marca institucional está alinhada com o manual de identidade visual e se os conteúdos seguem a linha editorial definida são pontos observados. A equipe da Semcom também disponibiliza apoio para criação de materiais e campanhas específicas nos perfis das secretarias. Para otimizar os resultados, em 2020, uma agência de mídias digitais passou a prestar serviços de produção e criação de conteúdo, monitoramento e moderação, sob coordenação da equipe da Secretaria Municipal de Comunicação.

PRODUÇÃO DE CONTEÚDO A produção de conteúdo para as redes da Prefeitura de Manaus considera a construção de uma identidade digital sólida, coerente e que efeti-

— 27 —


vamente potencialize o alcance das ações realizadas em benefício da população manauara.

cadastro para vagas de emprego são alguns dos serviços de utilidade pública.

Os conteúdos são divididos em:

CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS As campanhas publicitárias mensais da Prefeitura de Manaus, que ganham as ruas com peças educativas e informativas nas TVs, rádios, jornais outdoors, entre outros meios, também ganham peças direcionadas para uso nas redes sociais. Desta forma, consegue-se maior mobilização e engajamento dos temas entre os internautas.

FACTUAL Conteúdo do cotidiano. São as matérias produzidas pelo Jornalismo da Prefeitura de Manaus, apresentando ações, serviços, coberturas de eventos e marcos importantes dos serviços públicos. INSTITUCIONAL Informações básicas da Prefeitura de Manaus, compreendendo suas atividades, competências, estrutura organizacional, servidores, rotina dos órgãos municipais, atendimento e legislações. Neste caso, são conteúdos destacados para apresentar, explicar e fixar informações relevantes para o cidadão. Exemplo são posts e outros conteúdos sobre objetivos e metas de programas do município, o papel do cidadão com a cidade. UTILIDADE PÚBLICA Informações de interesse público como os serviços e procedimentos que a população precisa com frequência. Matrículas escolares, emissão de documentos, editais, concursos, processos seletivos, chamamentos públicos, diário oficial, telefones úteis e

A linguagem deve ser: BREVE E SIMPLIFICADA É comum que postagens longas, complexas e difíceis sejam mal interpretadas, o que não as impede de serem replicadas, causando até transtornos às instituições quando a disseminação é negativa. Vale lembrar que a característica de simplicidade na comunicação com o cidadão nas redes não pode ser confundida com a transmissão de informações pela metade. E mesmo se tratando de um ambiente descontraído, deve-se ter ciência de que se trata, antes de tudo, das redes sociais de um órgão público, a Prefeitura de Manaus, e que a sua mensagem é a oficial. Sendo assim, o conteúdo publicado deve refletir a sua credibilidade.

— 28 —


VISUALMENTE INTEGRADA Manter uma padronização visual ajuda o público a reconhecer com facilidade a instituição em diferentes canais de comunicação. Ou seja, quando o cidadão olhar o post, ele saberá que se trata da Prefeitura de Manaus, reconhecendo sua identidade pela cor, tipografia, layout e detalhes visuais. Para identificar as publicações oficiais nas páginas da Prefeitura de Manaus nas publicações com artes gráficas, faz-se necessário a utilização da assinatura e tipografias oficiais. ATRATIVA A internet é um meio de comunicação direto entre órgão público e cidadão. Deve aproximar as pessoas, seja por meio da leitura, da imagem, e não afastar, o que uma linguagem mais rebuscada ou uma imagem não atraente proporciona. As legendas utilizadas para dar apoio aos conteúdos veiculados também devem levar isso em consideração. Não significa, necessariamente, fazer o uso de piadas ou de humor sem necessidade. Isso pode dar margens a diversas interpretações que podem prejudicar a imagem do poder público e aumentar os riscos de uma crise institucional.

ABRANGENTE O conteúdo deve ser fácil e leve para que seja entendido por toda a população com acesso às redes sociais, evitando termos inerentes à linguagem técnica, rebuscada e dura. Quando termos rebuscados forem utilizados, eles devem ser explicados. É desta forma que as informações governamentais tornam-se acessíveis aos seus maiores interessados – os cidadãos.

PLANEJAMENTO O uso estratégico das mídias sociais de qualquer organização pressupõe planejamento e organização dos conteúdos a serem publicados. Não há como obter um resultado ou posicionamento satisfatório nas redes sem seguir essa premissa da comunicação. Vale ressaltar que isto leva em consideração a rotina das assessorias de comunicação ligadas à Prefeitura de Manaus em que, muitas vezes, as pautas são imprevisíveis e as demandas acabam sendo acumuladas. Por esse motivo, a organização de uma linha editorial e diretrizes de uso das redes sociais são fundamentais para facilitar o processo no dia a dia.

— 29 —


O planejamento de redes sociais da Prefeitura de Manaus considera os espaços e horários disponíveis nos dias da semana, incluindo as campanhas coordenadas pelo setor de marketing mensalmente, as datas comemorativas fixas do ano e os temas relevantes observados pelo monitoramento constante dos perfis. Desta forma, é possível organizar a publicação dos posts no timing adequado. Algumas ferramentas são utilizadas para otimizar o trabalho. Entre elas: GOOGLE DRIVE Esta é uma ótima ferramenta, por ser intuitiva e acessível, uma vez que é totalmente gratuita e de uso livre. Todo o material produzido é salvo de forma automática na nuvem e,

Ainda neste documento, são definidas legendas de cor para cada tipo de conteúdo. Essa padronização é importante, uma vez que este docu-

por meio de uma pasta compartilhada com a equipe, pode ser acessado todo o conteúdo em tempo real, a partir de qualquer dispositivo. Exemplos de subpastas utilizadas: Campanhas, Documentos, Moderação, Relatórios, Identidade Visual, etc. GOOGLE DOCS Ainda dentro do pacote Drive disponibilizado pelo Google, as publicações das redes sociais da Prefeitura de Manaus são organizadas em um documento criado mensalmente, com a seguinte divisão: Dias da semana > horários > post > tipo de post > legenda > link da publicação para monitoramento. Exemplo:

mento é visualizado e serve de guia para muitas pessoas, desde a equipe da Semcom, até a equipe de criação da agência que presta este serviço.

— 30 —


Exemplo:

ESTÚDIO DE CRIAÇÃO Existem diversas opções de ferramentas gratuitas para programação de posts em horários específicos nas redes sociais. A Prefeitura de Manaus já utilizou diversas delas para a realização de seu planejamento e, por essa experiência, considera que as ferramentas nativas das plataformas são as mais seguras e raramente apresentam falhas, como a não publicação dos posts ou mesmo a publicação em horários não definidos. O Facebook atualizou seu Estúdio de Criação, com um visual mais integrado, agregando funcionalidades já existentes. As opções são amplas e permitem programar, publicar, patrocinar, mensurar o desempenho de posts e interagir com usuários. Por ser uma plataforma do Facebook, o Instagram também permite utilizar o mesmo estúdio de criação, porém com maior limitação. Só é possível agendar postagens no Feed e no IGTV.

POSTGRAIN Para suprir a necessidade de agendar stories, a Prefeitura de Manaus utiliza a plataforma Postgrain, que também permite agendar álbuns, fotos, vídeos no feed, no IGTV, além de monitorar algumas métricas.

FACEBOOK Principal rede institucional, com 313 mil seguidores (https://www.facebook.com/prefeiturademanaus). Possui maior número de conteúdos factuais, com links e abordagens mais aprofundadas, como vídeos, lives, artes gráficas e álbuns de fotos. Todas as publicações redirecionam para a fonte oficial: o site da Prefeitura, por meio de links encurtados. Nesta rede, há maior concentração de demandas da população. Em virtude de seu caráter multimidiático, o Facebook da Prefeitura de Manaus tem seu conteúdo produzido de inúmeras formas, contudo, sempre há um enfoque no texto a ser utilizado na descrição.

— 31 —


As legendas são compostas de duas partes principais: as chamadas e os parágrafos informativos. Com linguagem mais publicitária, os textos começam sempre com uma frase que busca despertar o interesse do público na leitura do restante da legenda. Geralmente é utilizado um emoji que possa ser relacionado com a pauta a ser divulgada, deixando a linguagem mais próxima da população e marcando parágrafos. No restante do material, são produzidos dois parágrafos que, com algumas alterações na linguagem, reaproveitam o lead da notícia divulgada pelo jornalismo. Todos os conteúdos disponibilizados no Facebook e no Instagram da Prefeitura seguem este modelo de legenda.

O vídeo especial do Dia dos Namorados, produzido pela Prefeitura de Manaus no contexto da pandemia, com a participação do cantor de brega Wanderley Andrade, alcançou mais de 240 mil perfis na rede social, se tornando a postagem de maior alcance do Facebook da Prefeitura de Manaus em 2020. No material, o cantor readaptou a letra da sua música ‘Conquista’, que passou a conter dicas de prevenção ao novo coronavírus e a falar sobre a importância de se manter em isolamento social, evitando lugares com aglomeração. COMPARTILHAMENTO DE CONTEÚDO As redes sociais da Prefeitura têm entre seus objetivos aproximar a população de todos os órgãos do poder municipal. Por este motivo, ao reconhecer por meio do jornalismo determinadas pautas com potencial para a internet, a equipe de mídias digitais busca verificar o conteúdo disponibilizado na secretaria de origem e o que já foi divulgado sobre o tema, podendo o material ser direcionado para as redes sociais oficiais da prefeitura. Os critérios para compartilhamento de post das secretarias são: • Artes condizentes com a identidade visual da Prefeitura; • Ações ou campanhas específicas, como vacinação, período de matrículas e transporte público;

— 32 —


• Eventos específicos das secretarias, voltados para o público atendido por cada órgão. Geralmente, o compartilhamento de postagens de outras secretarias no Instagram da Prefeitura de Manaus ocorre no Stories. Para isso, o ideal é que a prefeitura seja marcada pela secretaria em seu conteúdo. De forma interativa, a prefeitura usualmente também marca o perfil das secretarias em seus stories.

INSTAGRAM Com 139 mil seguidores, tem sido a rede de maior crescimento dos últimos anos (https://www.instagram. com/prefeiturademanaus). Em média, são realizadas duas publicações no feed por dia, mesclando, ao longo das semanas, conteúdo institucional com imagens que valorizam o potencial turístico da cidade. A estratégia utilizada prioriza o formato de álbum/ carrossel e a utilização de imagens sem intervenções gráficas para evitar o viés publicitário no conteúdo (a exceção ocorre no período eleitoral devido às regras as quais a prefeitura precisa seguir para manter suas redes funcionando). Todas as imagens são produzidas pelos fotógrafos da Secretaria de Comunicação.

No dia 16 de junho de 2020 foi anunciada a data de entrega do complexo viário Ministro Roberto Campos, na avenida Constantino Nery. Considerada a maior intervenção viária já feita em Manaus na área de mobilidade urbana, a postagem chamou atenção da população e se tornou a mais curtida do perfil oficial da Prefeitura de Manaus no Instagram, desde sua criação, com um total de 5.950 curtidas.

— 33 —


STORIES Em agosto de 2016, o Instagram integrou em sua plataforma um novo canal: os Stories. Mais do que fotografia, hoje as ferramentas do Stories envolvem grafismos, vídeos e estimulam uma nova forma de comunicação. Nessa ferramenta integrada ao Instagram são priorizados conteúdos das pautas externas da Secretaria de Comunicação, mostrando os principais acontecimentos; a divulgação de peças publicitárias, ações das secretarias em seus perfis e, quando possível, conteúdos com viés positivos divulgados pela população em suas redes. O atendimento às demandas recebidas via mensagem direta são categorizados e entram no mesmo fluxo das outras redes. Devido a indisponibilidade de inserção de link nas postagens que vão para o Feed do Instagram, a plataforma de Stories é voltada para a divulgação de matérias que redirecionam para o portal da Prefeitura. Para isto são produzidas artes, em aplicativos como Canva, inStories e Mojo, que são utilizadas como chamadas.

de visual para si e seu público, garantindo padronização e ajudando a dar maior credibilidade aos materiais divulgados. Neste sentido, a Prefeitura de Manaus possui duas cores institucionais que são utilizadas nas divulgações de seus conteúdos, sejam nas redes sociais ou fora delas. São as seguintes: verde musgo, utilizado para as siglas das secretarias e background, e o metal amarelo, geralmente usado em grafismos. A exceção são campanhas e ações que pedem o uso de outras cores, como Outubro Rosa, Novembro Azul, entre outras.

TWITTER Com mais de 8,8 mil seguidores hoje, o twitter da Prefeitura de Manaus (https://twitter.com/PrefManaus) possui linguagem e adaptações próprias do conteúdo disparado pela Secretaria Municipal de Comunicação, conforme as personas e seções criadas para manutenção e abastecimento do perfil.

PALETA DE CORES

YOUTUBE

A utilização de cores institucionais tem extrema importância para uma organização, pois cria uma identida-

Funciona como uma biblioteca de vídeos produzidos pela Prefeitura (https: //www.youtube.com/c/Prefeiturade ManausOficial). Todos os vídeos institucionais e produtos das equipes

— 34 —


de Jornalismo e Redes Sociais da Prefeitura são publicados na plataforma, que tem funcionado como um grande arquivo de conteúdos da gestão, organizados em playlists. Não há conteúdo produzido especificamente para a rede.

MODERAÇÃO

Pela relação direta com a população, as mídias sociais da Prefeitura atendem e respondem as demandas surgidas no ambiente virtual buscando proximidade com o cidadão e o estabelecimento de uma relação de confiança. Desta forma, cada demanda que não possui resposta imediata é direcionada para o órgão ao qual se refere. A premissa é que nenhum comentário deixado na página fique sem respostas, que devem ser verídicas, apaziguadoras – quando necessário - e nunca realizadas a título pessoal. A equipe de redes sociais também evita solicitar ao cidadão que formalize sua queixa por outros meios, uma vez que a reclamação já está sendo

feita no canal oficial, ou seja, já está formalizada. De maneira geral, comentários só são ocultados ou excluídos das redes sociais da prefeitura quando possuem discurso de ódio contra grupos minoritários, pessoas e personalidades, propaganda político-partidária, linguajar com o intuito de denegrir ou constranger alguém. ÁRVORE DE RESPOSTAS É um documento compartilhado, entre a equipe de mídias da Semcom e a equipe de moderação, onde se encontram respostas a demandas comuns que geralmente aparecem nos comentários das redes sociais da Prefeitura. Desta forma, evita-se acionar os assessores das secretarias para situações repetidas.

MÉTRICAS E RELATÓRIOS As métricas são itens e processos que permitem a análise da performance dos perfis em redes sociais de uma instituição, empresa ou, até mesmo, uma página pessoal. Atualmente, todas as plataformas (Facebook, Twitter e Instagram) possuem dentro de sua estrutura uma área gratuita para análise de métricas, contudo existem programas pagos que podem auxiliar nesse processo.

— 35 —


Existem várias métricas para análise em redes sociais, mas neste manual iremos explanar aquelas que são consideradas as mais importantes e utilizadas em relatórios da equipe de mídias da Prefeitura de Manaus, e que estão presentes em todas as plataformas. Curtidas/ Seguidores - é a métrica mais básica em redes sociais, se refere ao número de pessoas que começam a fazer parte do público de sua página, ou seja que demonstram interesse em acompanhar seus conteúdos. Importante: Em virtude do elevado número de conteúdos diversos em redes sociais, provenientes de várias páginas e perfis, o número total de seguidores ou curtidas nem sempre reflete no número de alcance de uma publicação ou até mesmo o de uma página.

Impressões - Ao contrário da métrica anterior, esta demonstra a capacidade de disseminação do seu conteúdo para os usuários, ou seja, quantas vezes uma postagem aparece no feed de notícias de uma pessoa. Neste caso, a contagem leva em consideração a quantidade de visualizações de uma publicação por uma mesma pessoa. Por este motivo, é comum que a quantidade de impressões seja igual ou bem maior que o número de alcance. Engajamento - É a soma de ações tomadas pelo público da página em cima dos conteúdos disponibilizados, como os números de reações, comentários e compartilhamentos. Em algumas redes sociais, como o Facebook por exemplo, existe a opção de ver o engajamento também em compartilhamento de seus usuários.

Alcance - É o total de pessoas que viu suas publicações, contando pessoas que são parte do seu público e aquelas que não seguem a página, mas que viram a publicação por meio de compartilhamentos ou reações. Nesta métrica, não importa quantas vezes a publicação foi vista por uma pessoa, sendo contabilizada apenas uma vez.

— 36 —


NOTA AOS ASSESSORES As mídias sociais das secretarias da Prefeitura de Manaus devem seguir um padrão identificando que pertencem à rede municipal. Desta forma, devem seguir algumas orientações, como por exemplo: • Todas as imagens e todos os textos produzidos para publicação nas redes sociais deverão passar por um revisor de língua portuguesa antes de serem publicados. • Somente as fotos que estejam no Flickr da Prefeitura ou de algum órgão público ou de um banco de

SUGESTÕES DE FERRAMENTAS

imagens livre ou contratado devem ser utilizadas, consignando-se o crédito ao autor da imagem. • Sobre o uso de vídeos com som, vale ressaltar que não é qualquer música que pode ser utilizada no material. A não ser que se obtenham os direitos com a produtora, não se pode usar uma música com direitos autorais protegidos – caso ocorra, o vídeo poderá ser deletado do YouTube. Para evitar qualquer problema, o caminho é usar sempre músicas com licença Creative Commons, e sempre citando a fonte.

GRATUITAS: 1. Over 2. Canva 3. Unfold 4. Hootsuite 5. VSCO 6. Snapseed 7. Adobe Spark 8. Inshot 9. Freepik 10. Remove.bg

PAGAS: 1. Typito 2. Mojo Pro 3. Postgrain 4. Pacote Adobe 5. MLabs 6. Reportei

— 37 —


Comunicação Estratégica

A

Semcom conquistou espaço nas decisões da gestão municipal e vem caminhando lado a lado com todos os órgãos em busca de melhores resultados. Prova disso é de que nos últimos anos, a comunicação foi uma das responsáveis por alguns dos resultados conquistados na administração para a cidade. Um exemplo desse alinhamento com a comunicação é na área da saúde. Em 2018, quando Manaus vivenciou uma epidemia de sarampo, a comunicação foi aliada para ajudar na redução dos casos. Por meio de um trabalho publicitário e jornalístico, com mote forte que evidenciava o retorno da doença e a instrução dos cuidados necessários por parte da população, a secretaria preparou em consonância com a Secretaria Municipal de Saúde peças que despertaram a atenção para a gravidade da situação. Tanto que após a segunda fase da campanha, lançada imediatamente após o decreto de emergência, de 3 de julho, percebeu-se que os índices de casos novos foram gradativamente caindo.

Outro importante destaque foi o trabalho realizado em consonância com a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) para tornar Manaus um dos roteiros turísticos mais procurados do Brasil. Para isso, houve investimento em mídia digital, sendo que essa visibilidade foi alcançada, como pôde ser constatado por meio de relatório do site de busca Kayak, onde a procura por Manaus cresceu em 345% em um ano (dados 2019). No Refis Municipal, por exemplo, para ajudar a Prefeitura a alcançar o objetivo de superar a meta programada pela Fazenda Municipal, a Semcom se utilizou, além das plataformas cotidianas de divulgação, de investimento em mídia digital e direcionada. A meta previamente estabelecida foi de R$ 30 milhões, mas a campanha encerrou com valores históricos em negociações de, aproximadamente, R$ 48 milhões de receita para o município, em dois meses de campanha – o maior já arrecadado em ações de

— 38 —


resgate do tipo. Vale ressaltar que os valores se referem apenas aos pagamentos negociados em cota única e de liquidação das primeiras parcelas de acordos firmados. Ainda são esperados mais de R$ 43 milhões de incremento, só em 2020, de parcelas a vencer e para os anos seguintes em torno de R$ 85 milhões, já que foram feitos parcelamentos a longo prazo. Na Campanha Nota Premiada Manaus, já em janeiro de 2020, quando

a Prefeitura de Manaus entregou o primeiro prêmio da ação, havia um total de 9.800 CPFs cadastrados. Naquele momento, houve uma determinação da gestão para que o quantitativo dobrasse até 15 de fevereiro, data em que seria realizado o sorteio seguinte. Com o trabalho realizado pela comunicação e, principalmente, seu investimento em mídia digital e direcionada, nesta data, o número chegou a 38.900 CPFs cadastrados.

NOTA AOS ASSESSORES Para alcançar esses resultados, a comunicação precisa ser trabalhada em sua integralidade, envolvendo jornalismo e publicidade, criando um conceito macro e que possa impactar a população de diversas formas. E a participação dos assessores das secretarias é fundamental nesse processo. São eles que alimentam a Semcom com informações e sugestões que podem ser melhor trabalhadas em campanhas publicitárias,

MOBILIZAÇÃO E ALCANCE Dentro do seu papel de informar, a Semcom atuou nos últimos anos com a proposta de integrar, coor-

ampliando o alcance das ações a serem executadas. Além do envio de matérias via redação, é importante que os assessores de comunicação dos órgãos que integram a Prefeitura de Manaus também mantenham contato e relacionem ações e temas relevantes para o setor de Marketing da Semcom, para que, dessa maneira, as estratégias possam ser desenvolvidas em tempo hábil, garantindo resultados eficazes.

denando ações que fortaleceram a prefeitura institucionalmente, despertando nas pessoas o sentimento de pertencimento com sua região, com sua cidade.

— 39 —


Um desses exemplos foi a campanha de aniversário de 350 anos de Manaus. Planejada desde o início daquele ano em que a capital comemorava seus 350 anos (em 2019), a Semcom buscou junto a suas agências licitadas propostas para uma campanha macro, a ser trabalhada ao longo de todo o ano, para que assim o manauara, meses antes, já começasse a entrar no clima pelos 350 anos. Desta forma, em fevereiro de 2019 a Semcom começou a trabalhar na marca comemorativa. Com elementos da região, a marca valorizou a fauna e a flora, inseridas no verde institucional, passando a ser usada a partir de abril daquele ano nas campanhas publicitárias da prefeitura e outros itens de comunicação visual. E, em julho de 2019, após a escolha da identidade visual da mascote sauimde-manaus, a mesma foi incorporada à marca. Além do uso institucional, empresas da rede privada despertaram a atenção para a marca e procuraram a administração municipal para usá-la e também homenagear Manaus em seus 350 anos. Com isso, a Semcom e a extinta Secretaria Municipal de Parcerias e Projetos Estratégicos (Semppe) uniram esforços e empresas como a Itaipava e a Magistral passaram a estampar, de forma gratuita, a marca comemorativa da Prefeitura de Manaus em seus produtos,

expandindo a campanha até para outros Estados. A campanha foi para as redes sociais da prefeitura, o que criou êxtase e reforçou o espírito de pertencimento em muitos manauaras, que passaram também a usar a marca comemorativa em seus perfis e comunidades. A campanha digital contou com filtros especiais, para serem utilizados nos perfis e stories. Além de avatar comemorativo dos 350 anos, stickers (figurinhas) alusivas às gírias manauaras, para aplicativos de mensagens instantâneas, caíram no gosto da população e são usadas até hoje, mesmo após o período de comemoração.

Também chamou a atenção do manauara a hastag #lindaquesóela, usada ao longo da campanha, sendo vista em muitos perfis, fotos, interações no universo digital e fora dele. O spotify da prefeitura ganhou uma playlist especial com artistas amazonenses.

— 40 —


DISPARO VIA WHATSAPP Com a evolução da comunicação, houve também mudança nas formas de consumir informação. Um desses meios hoje é o aplicativo de mensagens WhatsApp. Levando em consideração essa nova ferramenta, a prefeitura usa a plataforma para o disparo de campanhas, notícias, serviços e ações, possibilitando o relacionamento com o cidadão de forma rápida e direta, por meio do envio de mensagem para mais de 500 mil pessoas/ famílias.

COMUNICAÇÃO HUMANIZADA

truturas, ajudando esses profissionais a manterem pulsando a veia jornalística – da arte de contar histórias – mesmo que se esteja do outro lado. A busca por histórias reais também norteou a publicidade nos últimos anos, que adotou em suas campanhas um perfil mais humanizado, mostrando o cidadão satisfeito com os serviços dos quais é usuário, com a infraestrutura em seu bairro, além de histórias de servidores que ajudam a construir uma cidade cada vez melhor. EXEMPLO: Campanha 2 mil dias de transformações, Prefeitura nas Ruas, Manas que inspiram.

Além destas, a Semcom tem buscado, nos últimos anos, captar o sentimento de quem vê a sua vida mudar com a chegada do asfalto onde antes era lama; da creche que agora possibilita às mães deixarem suas crianças em um local seguro, para trabalharem com sossego; de um tratamento realizado; do filho com deficiência que recebe todo o cuidado na rede de apoio especialmente montada com o envolvimento de diversas secretarias. Histórias como essas são buscadas no dia a dia pela Semcom com o olhar atento de cada assessor em suas es-

— 41 —


Produção de textos

C

om ampla produção para as mais diversas mídias, destaca-se aqui um componente essencial: a necessidade de se trabalhar, diariamente, textos com informações claras, objetivas e de fácil entendimento. Além de estar atento à ortografia vigente, vale lembrar a importância de alguns pontos. Termos estrangeiros, por exemplo, que ainda não sejam conhecidos por todos devem sempre ser explicados. Por outro lado, há termos que não precisam mais do itálico, ou qualquer outro destaque ou explica-

ção, pois já foram admitidos pela ortografia no Brasil. E vale lembrar que mesmo que se fale em textos simples, a norma culta da língua portuguesa deve ser seguida. É preciso ter em mente que a comunicação exata não se limita ao que falamos, mas ao que os outros compreendem do que foi dito. Além disso, o trabalho de quem redige deve levar em consideração a variedade do público que irá receber aquela informação. É preciso ter também em mente

— 42 —


que apesar de quem redige estar familiarizado com os termos comuns à administração municipal, quem vai receber a informação nem sempre conhece termos específicos inerentes a cada órgão. Portanto, quem redige deve ser vigilante para evitar interpretações equivocadas. Chama-se atenção, ainda, para a hierarquia institucional, a secretaria nunca será citada primeiro que a instituição macro Prefeitura de Manaus, do mesmo modo que não pode ser colocada no mesmo grau de importância (... a Semed e a Prefeitura...), uma vez que a primeira é uma estrutura integrante da instituição e não órgão independente. A mesma regra também se aplica às falas de interlocutores do município, quando o cargo mais alto sempre será a primeira aspas (prefeito

/ presidente de órgão parceiro - se houver / secretário / diretor / etc). Recomenda-se também o pronunciamento da autoridade maior entre o segundo e terceiro parágrafo. Por outro lado, respeitar a linguagem institucional não significa um texto frio. A humanização de conteúdo é fundamental, com depoimentos de personagens, histórias reais das pessoas beneficiadas pelas ações e serviços da Prefeitura. Por fim, é importante frisar que toda matéria produzida passa pela Semcom antes de ser distribuída aos veículos de comunicação e nenhum material deve ser disparado diretamente pelas assessorias, como forma de se manter o controle e o padrão na comunicação oficial do Executivo municipal.

— 43 —


IMPRESSO E INTERNET Na Semcom, tão importante quanto seguir as regras jornalísticas aprendidas no universo acadêmico, preza-se no dia a dia pela estética textual do material a ser distribuído, tornando mais atrativo o interesse e a leitura dos textos oferecidos à imprensa, pois sabe-se que um título acertado atrai imediatamente o leitor. Dentro dos procedimentos textuais inerentes à Semcom, já no título, uma palavra em caixa alta resume o conteúdo da matéria, acompanhada de um título curto. O texto também apresenta parágrafos curtos, com espaçamento simples, tornando atrativa a leitura até mesmo em smartphones. Os textos enviados à imprensa seguem padronização elaborada e aperfeiçoada ao longo de anos pela secretaria, tendo como base a observação diária sobre as produções. A fonte utilizada é verdana, com o corpo do texto justificado e em fonte 12; com o título em negrito, fonte 14 e centralizado; e a assinatura em fonte 10. Os intertítulos, bem como as funções dos créditos, também são em negrito. Antes de serem enviados à imprensa, os releases seguem imediatamente para publicação no portal e são di-

vulgados na sequência por e-mail. As matérias também são distribuídas por WhatsApp, onde recebem o link de publicação do portal. As publicações de notícias no portal seguem orientações globais, pautadas na formatação de matérias e no uso de técnicas de SEO SearchEngineOptimization (Otimização para mecanismos de busca).

NOTAS OFICIAIS A Nota Oficial é um poderoso instrumento de comunicação utilizado pela Semcom para manifestar posicionamento oficial do chefe do Executivo municipal ou da gestão em situações que necessitem de esclarecimento ou pronunciamento definitivo sobre determinado assunto, principalmente aqueles com grande repercussão. Seu tom requer um texto sério, forte, sucinto e claro o suficiente para convencer a opinião pública. Por isso, é imprescindível apresentar um texto sem erros, sob pena de provocar descrédito. A Semcom distribui também para a imprensa a Nota de Pesar, onde manifesta condolências pela morte de pessoas ilustres ou que prestaram relevantes serviços ao município, Estado e até mesmo ao país. Além de apresen-

— 44 —


tar um breve histórico sobre a pessoa homenageada em nota, o texto geralmente traz aspas do chefe do Executivo Municipal ou de algum secretário cuja pasta tenha relação com a área de atuação do homenageado. Em alguns casos, o texto informa ainda os dias de luto dados pelo município.

SUGESTÕES DE PAUTA Pela quantidade de órgãos na administração municipal, as sugestões de pauta são enviadas diariamente, com diferentes conteúdos. Antes de serem enviadas à imprensa, são discutidas entre o órgão realizador da ação e a Semcom para checagem da relevância e interesse público ou da

administração, impacto social, quem serão as fontes e entrevistados presentes, local de realização e hora, para que se saiba se um evento não concorrerá com outro da própria gestão, o que sempre se busca evitar. Cabe à Semcom também na dinâmica das ações diárias e das decisões inerentes às autoridades municipais, em especial ao chefe do executivo, muitas vezes convocar a imprensa para entrevistas urgentes, como exemplo: decisões sobre o transporte coletivo, como fim de greve, decretos de emergência, entre outros anúncios estratégicos da gestão.

MONITORAMENTO DE NOTÍCIAS

MATÉRIAS PRODUZIDAS X VEICULADAS (IMPRESSO, ÁUDIO E VÍDEO) 70.000

65.173 61.236

60.000 50.000 40.604

40.000 31.759

29.737

30.000 20.000 10.000 0

6.789 0

2017

Matérias Produzidas/Distribuídas

8,6

6,6

4,4

0

2013 - 2016 *

7.623

6.229

2018 Publicadas pelos Veículos

2019

8,8

2020

Índice de Aproveitamento das Matérias

* Não havia números concretos sobre o aproveitamento de matérias por veículos.

— 45 —

3.499


O combate às falsas notícias ganhou ainda maior força após a Semcom implantar um serviço de monitoramento on-line de notícias relacionadas à gestão. Por meio desse sistema, onde estão conectados editores e jornalistas de linha de frente da prefeitura, tem-se o acompanhamento on-line e instantâneo de todas as informações sobre a prefeitura, em todas as plataformas de comunicação (rádio, TV, internet e jornais impressos), possibilitando o imediato contato com um portal ou site de notícias caso necessário. Esse mesmo sistema de monitoramento permite mensurar o aproveitamento do material divulgado junto às diversas plataformas de comunicação, o que vem possibilitando a avaliação constante das estratégias de comunicação desenvolvidas pelo órgão, para melhor posicionar a imagem da prefeitura.

pela ética, transparência e trabalho colaborativo no órgão. Parte dos textos positivos que a imprensa divulga é produzido pela Semcom ou pelos jornalistas das assessorias dos outros órgãos da prefeitura. Para se ter uma ideia de como os índices de comunicação vêm evoluindo neste aspecto, em 2018 foram produzidas 6.229 matérias e distribuídas para todos os veículos da imprensa local e, em casos específicos, para a mídia nacional, o que garantiu uma média de aproveitamento de 6,6 veiculações ou publicações para cada matéria distribuída. Em 2019, essa produção foi de 7.623 textos e uma média de aproveitamento de 8,6 veículos para cada matéria distribuída. PRODUÇÃO DE CONTEÚDO JORNALÍSTICO (2013-2020)

O sistema também permitiu à Semcom observar um salto no aproveitamento de seu material. Em 2019 foram cerca de 70 mil matérias jornalísticas divulgadas pelos veículos de comunicação de rádio, TV, impresso, portais e blogs sobre a prefeitura. Em 2018, foram 40.604 matérias – um salto de quase 30 mil. Em 2017, esse número foi ainda menor: 29.737 publicações e veiculações sobre a prefeitura na mídia. Um salto expressivo conquistado

— 46 —

25.889

6.895

23.509

56.293

Textos

Rádio

Televisão

Total de conteúdo


MATÉRIAS ESPECIAIS A Semcom apostou e intensificou nos últimos anos a produção de matérias especiais sobre a gestão para as edições impressas e on-line de jornais da cidade que circulam aos domingos, dia com conteúdo nobre nas redações, mais trabalhados e com foco em grandes histórias. E é desta forma que o conteúdo é planejado na Semcom. Semanalmente, são produzidas pelo menos duas matérias especiais, oferecidas ao longo da semana e enviadas às sextas-feiras – com exclusividade – para cada veículo. Às segundas-feiras, após publicação, os conteúdos são distribuídos de forma ampla para todo o mailing local. Os temas escolhidos fogem das matérias factuais do dia a dia, dando vez a personagens e histórias de impacto social, abordando temas relacionados a serviços e ações municipais de forma ampla, ouvindo cidadãos e servidores diretamente envolvidos. O espaço também é aproveitado para a construção de textos com foco na prestação de contas da prefeitura com a sociedade, dando retorno sobre pleitos atendidos, áreas modificadas por alguma obra ou ação, que impactam diretamente na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

O planejamento, captação e preparo do material é, em sua maioria, feito pela própria Semcom, com auxílio e articulação do assessor do órgão a que se refere a pauta. As ideias, geralmente, surgem a partir da abordagem de uma matéria factual que mereça ampliação, a declaração de um secretário ou gestor ou busca por informações para respostas de demandas, além de sugestões dos próprios assessores. O foco é discutido diretamente com a Diretoria de Comunicação. Em relação ao formato, os textos são enviados com extensão que vai de duas a quatro laudas, obedecendo o padrão textual institucional da secretaria, ao mesmo tempo que busca uma forma diferente de abordagem, como iniciar pela história de um personagem ou por um dado que evidencia uma meta alcançada. A matéria é acompanhada de fotos, exclusivas para este fim, e em virtude da amplitude dos grupos de comunicação, que alcançam diversas mídias, muitas vezes os materiais ganham versões exclusivas para TV e rádio. Após a publicação e/ou veiculação nos jornais para os quais foram enviados de forma exclusiva, os conteúdos geralmente são publicados nas redes sociais da prefeitura,das

— 47 —


secretarias e gestores, como case de resultados, ampliando ainda mais seu alcance.Entre os exemplos já tratados nesses moldes estão, por exemplo, o resgate do brasão e do hino de Manaus como símbolo da cidade, histórias sobre prédios históricos resgatadas pela gestão, como o Mercado Municipal Adolfo Lisboa, e o antigo hotel Cassina, que dá lugar ao Casarão da Inovação, além de temas voltados à infraestrutura, educação e saúde, cujas melhorias são destacadas pelo próprio cidadão e gestores das pastas.

EXEMPLO DE MATÉRIAS ESPECIAIS: Projeto da prefeitura leva autoestima para mães de crianças com deficiência http://bit.ly/2WpvrHP Cozinhas comunitárias garantem acesso à alimentação, educação e cidadania http://bit.ly/2ZgRK2H Em parceria pioneira, catadores passam a fornecer sacos reciclados para o município http://bit.ly/2KAFxTB Arquitetura e urbanismo recontam a história de Manaus em obras pela cidade http://bit.ly/3gNgmJr Casarão da inovação entra em fase final da obra de restauro http://bit.ly/3r2s4Eu

— 48 —


Audiorrelease

E

ntendendo que o rádio continua sendo um veículo com grande apelo popular, a Semcom se modernizou e tornou mais eficiente a produção e envio de informações em textos e áudios à imprensa que trabalha neste meio. Além do envio por e-mail, os audiorreleases são disponibilizados também em um grupo de WhatsApp, criado para dar ainda mais agilidade na distribuição de sonoras (trechos editados de entrevistas dos gestores municipais e personagens), bem como em textos curtos e concisos sobre as ações e serviços da Prefeitura de Manaus. Os audiorreleases obedecem à linguagem radiofônica em tempos de internet, com textos objetivos, acompanhados de áudios e até fotos, atendendo dessa forma, também os sites das emissoras de rádio. O aproveitamento desses materiais nas emissoras continua amplo, tornando o trabalho ainda mais visível à população.

Para a produção desse tipo de conteúdo, é necessário compreender um pouco da linguagem do rádio, sabendo que além dos textos curtos, é preciso uma sonora para chancelar o material. Sonora é um trecho, previamente editado, de uma entrevista produzida e gravada pessoalmente, por telefone ou ainda a partir de uma mensagem de voz. O conteúdo é finalizado em Mp3, com taxa de transferência de 128kps, e enviado à imprensa, com duração de até um minuto cada.

PODCASTS Utilizando linguagem de rádio na internet, o podcast é uma das formas mais ágeis de se acompanhar informações e pode ser ouvido em qualquer lugar e quantas vezes quiser. Vale ressaltar que a Prefeitura de Manaus foi pioneira na produção de podcasts em forma de entrevistas e reportagens, além de também utilizar trechos de discursos oficiais da gestão nos produtos.

— 49 —


O material é produzido e publicado na plataforma soundcloud e incorporado ao portal da prefeitura, além de proporcionar um acompanhamento diário em plataformas como o spotify e iTunes, auxiliando também na divulgação do Boletim Manaus.

Vale ressaltar que o formato trabalhado no Soundcloud, os Podcasts, desponta e começa a chamar cada vez mais a atenção de quem busca informação pela internet. Isso porque o conteúdo armazenado pode ser ouvido quantas vezes quiser.

SOUNDCLOUD

SPOTIFY

O Soundcloud é a plataforma base para agregar conteúdos de áudio produzidos pela Semcom e distribuir aos diversos canais, no formato de Podcasts. É por ele que o Boletim Manaus, reportagens, entrevistas e importantes depoimentos de gestores do município ganham vazão pelo Spotify, Apple Podcasts, WhatsApp, além do próprio Portal da Prefeitura (www. manaus.am.gov.br).

Este é o mais recente canal da Prefeitura de Manaus para a prestação de contas e a divulgação das ações e serviços realizados pelo Executivo Municipal. Recebe atualizações quase que diariamente. Entre os conteúdos disponibilizados na plataforma estão o Boletim Manaus, além de reportagens e depoimentos de gestores. Outros conteúdos estão sendo trabalhados internamente para serem levados gradativamente expandindo o leque de atrativos da plataforma.

— 50 —


Videorrelease

A

produção e o envio de vídeos e textos para uso jornalístico, por parte das emissoras de televisão, sempre fez parte da rotina de trabalho da Semcom, com a gravação de imagens de ações e serviços, bem como das entrevistas de seus responsáveis. Um grande salto foi dado nesse aspecto, corroborando para o processo de modernização que esta secretaria apresentou ao longo dos últimos anos. O que antes era produzido e distribuído em alta resolução, gravado em um DVD e levado até as emissoras de TV, deu lugar à formatação de vídeos

em High Definition (HD), em formato Mp4. Os vídeos ficaram mais leves e rápidos, tanto para carregar quanto para baixar, sendo enviados pela plataforma WeTransfer ou pelo próprio sistema de transferência de arquivos (FTP) da Semcom. Além disso, os textos também ganharam uma versão mais enxuta, como exige a linguagem televisiva, padronizando o tamanho textual e audiovisual. De modo similar ao que foi feito na rádio, foi criado um grupo de WhatsApp e mailing (e-mails) específicos para pessoas de interesse nesse tipo de produção, como as próprias TVs, o que contribui amplamente para dar vazão à média de três videorreleases por dia.

WEBTV Com aproximadamente um minuto de duração, os vídeos produzidos para publicação e distribuição na internet e grupos de mensagens instantâneas informam sobre ações e serviços da prefeitura. Geralmente, o WebTV é distribuído com o link da matéria do assunto correspondente, tratando-se

— 51 —


de um reforço de conteúdo. Por isso, é um produto feito com os temas mais importantes do dia para a gestão municipal. Nos vídeos, chegou-se ao formato de usar apenas depoimentos de personagens e servidores públicos envolvidos nas ações e serviços, de forma que os trechos das falas selecionados façam sentido no todo, completando-se. Além disso, utilizam-se imagens de apoio sobre as falas para que a informação chegue de vários ângulos.

A proposta com o WebTV é não só levar a informação de uma forma atraente à população, mas também fazer com que servidores e todos os envolvidos em cada ação municipal se enxerguem, compreendendo ainda mais a relevância de seus papéis dentro da gestão, da sociedade. Com distribuição principalmente via WhatsApp, este é um dos produtos que mais desperta atenção entre os servidores e colaboradores da prefeitura pelo dinamismo, visibilidade e alcance.

— 52 —


Fotografia

U

m grande avanço foi a consolidação de um banco de imagens pensado e organizado para acesso, não apenas à imprensa, mas ao público em geral. A Prefeitura de Manaus passou a contar com uma conta oficial no Flickr para disponibilizar fotografias em baixa, média ou alta qualidade (à escolha de quem acessar) sobre os assuntos disponibilizados diariamente à imprensa e à população. Desde que a Semcom começou a usar o Flickr, em 2017, os releases da secretaria passaram a ser enviados com o link de fotos, o

que na prática reduziu o número de devoluções de e-mails das redações, por estarem com fotos pesadas. Alimentado por uma equipe de fotógrafos e jornalistas, o conteúdo é disponibilizado em álbuns ou galerias, com identificação de assuntos e o crédito de seu autor. A data do álbum fica sempre disponível para consulta. Por meio de um link encurtado, disponibilizado pelo próprio Flickr, é possível acessar as fotos por qualquer mídia eletrônica.

— 53 —


As fotos presentes do Flickr são captadas durante pautas jornalísticas da prefeitura, em saídas com a equipe. São também provenientes de saídas fotográficas exclusivas, para atualizações constantes, como exemplo: o acompanhamento da evolução de obras públicas. E além das fotos produzidas pela própria Semcom, o Flickr recebe também a produção fotográfica feita por equipes de trabalho das outras secretarias. A Semcom disponibiliza o arquivo fotográfico do Flickr para uso das redações jornalísticas, solicitando apenas que sejam respeitados os créditos dos profissionais autores das imagens e a referência à Semcom na imagem.

— 54 —


Rotina de ação

A

equipe de Jornalismo da Semcom é formada por repórteres, cinegrafistas, fotógrafos e motoristas. Na base, editores de vídeo e de texto aguardam o conteúdo para a produção completa do material, ancorados por uma Diretoria de Comunicação. O fluxo de redação é de 24 horas, com as equipes distribuídas nos três turnos e, em esquema de plantão, aos finais de semana. Essa estrutura e revezamento, montada fora dos dias úteis e de um horário regular de expediente, permite informar imediatamente à população sobre

fatos que afetam o dia a dia de muitas famílias, fornecendo dados oficiais e evitando informações desencontradas. Como exemplo, vale destacar o incêndio no bairro Educandos, na zona Sul, em 2018, onde centenas de famílias perderam suas casas. Ocorrido na noite do dia 17 de dezembro daquele ano, poucos minutos após o registro do sinistro, as equipes de comunicação da prefeitura chegaram ao local da tragédia para divulgação das primeiras informações oficiais de atenção às vítimas e apoio aos portais que na cobertura se encontravam.

— 55 —


NOTA AOS ASSESSORES No geral, a produção de textos para mídia impressa e portais é feita pela própria assessoria de comunicação de cada secretaria integrante da Prefeitura de Manaus. A Semcom atua no apoio para fotografia, produção de material audiovisual e lives. A solicitação de cobertura deve ser feita com antecedência, para organização das equipes ou até mesmo, dependendo da relevância da ação, para que a pauta possa ser articulada com a imprensa, em produção exclusiva e mesmo em coletiva.

Esse fluxo deve ser diário e os assessores precisam estar atentos aos serviços oferecidos, assuntos de interesse público que merecem ser amplamente divulgados e histórias que possam ser contadas e sirvam como exemplo de bom atendimento ao cidadão. E, sempre que for a uma ação para produzir material impresso, é preciso compartilhar a informação com a Semcom, para que a mesma possa avaliar se rende pauta televisiva, se pode ser trabalhado como conteúdo especial, fugindo do factual. Essa colaboração é essencial para tornar a comunicação do município ainda mais estratégica.

— 56 —


Resgate da memória

M

ais que seu trabalho de levar informação à população por meio de notícias e campanhas publicitárias, a Semcom embarcou em dois projetos que mostram o compromisso social do órgão com o cidadão e, principalmente, com os estudantes da cidade, entregando a eles dois importantes símbolos da capital. Mais que isso, a proposta foi conceder à sociedade local a oportunidade de identificação com esses símbolos. O primeiro deles foi o resgate do brasão da cidade, encontrado nos anos anteriores com seus elementos em inúmeras formas, modificados ao longo das décadas, até mesmo nas estruturas públicas. Coordenado pela Semcom, o trabalho envolveu a equipe do órgão, pesquisadores e uma agência de publicidade, que reforçou a busca pelas origens do símbolo, debruçando-se no estudo, inclusive de decretos e leis sobre o brasão, com a participação fundamental do historiador Auxiliomar Silva Ugarte.

Com o trabalho finalizado em junho de 2017, a partir daí o brasão oficial passou a ser utilizado em toda a papelaria e publicações institucionais da prefeitura (documentos internos e externos), na assinatura de campanhas publicitárias, no portal da PMM e todo conteúdo divulgado à imprensa, inclusive internacional – um trabalho que deixa às futuras gestões uma grande contribuição. Outra iniciativa nesta linha diz respeito ao “Hino de Manaus”, resgatado nas comemorações dos 350 anos da cidade – um trabalho conduzido pelo Conselho Municipal de Cultura (Concultura) e que recebeu total apoio da Semcom. A composição, de Nicolino Milano e Thaumaturgo Sotero Vaz, foi atualizada e regravada como uma versão mais acessível, adaptada para o século 21. O instrumental da canção foi repaginado e agora conta com a Camerata da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), em gravação feita no Teatro Amazonas e apresentada, no dia 24 de outubro, no aniversário da cidade. Ampliando o trabalho de divulgação, DVDs e livros de partitura com o hino foram distribuídos às escolas municipais.

— 57 —


Produtos e Serviços

P

ara garantir que as informações sobre ações e serviços prestados pelo município cheguem de fato a quem precisa, o cidadão, e com maior alcance, a Semcom modernizou processos antigos e criou outros, utilizando-se das plataformas que vêm surgindo e aperfeiçoando-se e mostrando-se como

BOLETIM MANAUS Já consolidado na rotina dos ouvintes de rádio da capital, o Boletim Manaus surgiu como um produto radiofônico publicitário, mas em formato de boletim jornalístico, com quatro notas, e a duração de 1 minuto, produzido

veículo de alcance considerável. Uma realidade, aliás, que coloca Manaus à frente de muitas capitais brasileiras com sua política de comunicação e de uso de mídias e novas ferramentas. Com base nisso, hoje a Semcom tem criado e trabalhado com os seguintes produtos:

e veiculado de segunda a sexta-feira, excepcionalmente nos fins de semana, ao longo das programações e intervalos nas rádios comerciais da cidade. È também incorporado ao portal oficial da prefeitura (www.manaus.am.gov.br). Para maior alcance do produto e seu conteúdo, o mesmo

— 58 —


também é compartilhado em grupos de aplicativos de mensagens instantâneas, principalmente os institucionais da prefeitura e outros externos, onde estão jornalistas e outros formadores de opinião, por onde o conteúdo ganha disseminação. De forma estratégica, a edição do produto sempre busca colocar as notas de maior impacto no início, fechando o boletim, quando possível, com notas mais leves. Às sextas-feiras, o boletim já consegue antecipar programações e ações prévias do fim de semana. Estrategicamente, o produto também deu nome à newsletter, distribuída diariamente por e-mail, pela manhã, aos servidores e público em geral cadastrados para receber o produto da prefeitura.

MANAUS A SERVIÇO Trata-se de uma série de vídeos especiais, variando entre os formatos de reportagem e documentário, que aborda sobre como funcionam importantes ações municipais para a cidade a partir do olhar de quem faz, dos servidores públicos e personagens diretamente envolvidos nos resultados desses trabalhos. Uma equipe completa, com cinegrafista, repórter e auxiliar, em campo, além do editor de imagem e dos diretores de produção, pensa antecipadamente nos temas que serão transformados em produção audiovisual, tornando-se mais um importante instrumento de informação ao cidadão.

O disparo é feito sempre nas primeiras horas do dia, priorizando o envio das notícias mais importantes do dia anterior, além de ações de interesse social realizadas naquele dia.

— 59 —


NOTÍCIAS EM LED

MOMENTO MANAUS

Um olhar rápido para um dos inúmeros painéis eletrônicos de LED instalados nas grandes vias da cidade informa em uma ou duas frases ações e serviços da prefeitura. Desta maneira, motoristas e passageiros de carros e transporte coletivo são impactados.

Após anos de experiência com o “Minuto Manaus”, que consistia na apresentação de quatro notas importantes do dia na página da Prefeitura no Facebook em formato de vídeo com um apresentador, o produto se expandiu e virou desde março de 2020 o “Momento Manaus”. O novo produto, com dois vídeos diários, às 11h e às 17h, passou a ter como base o IGTV, do Instagram, sendo gravado também para o Facebook, com um novo formato, que visa expandir a qualidade da informação. São selecionadas três notas e a apresentação do conteúdo pode chegar a dois minutos com ações e serviços.

A informação tem identificação rápida, a partir do surgimento do brasão, seguido da palavra “Notícias”. Logo depois, surge uma informação em duas cores para facilitar a leitura e entendimento do assunto. Além da escala de notícias, os telões de LED também são uma importante ferramenta para divulgar campanhas publicitárias da prefeitura.

— 60 —


PREFEITURA NAS RUAS

REVISTA “MANAUS”

Trata-se de um produto publicitário veiculado, diariamente, nas principais emissoras de televisão da cidade, que informa ao cidadão, com transparência, ações de grande impacto na cidade. Um dos viés do produto são as obras, justamente para que o cidadão possa ter a real compreensão do volume de obras realizadas pela cidade. Além das ações de infraestrutura, também são divulgados nesse produto temas em saúde, educação, limpeza pública, meio ambiente e paisagismo, entre outras ações com foco no cidadão. Pelo volume de ações, o “Prefeitura nas Ruas” veicula, em média, dois programas diferentes por semana. No processo de edição, o vídeo ganha legendas e infográficos, que ajudam o telespectador a receber a mensagem.

Planejada para informar à população sobre as ações da prefeitura com uma linguagem diferente, a revista possui formato moderno, dinâmico e com maior leveza em seu conteúdo. Com edição bimestral, de 40 a 50 páginas, apresenta aos leitores não apenas ações de relevância da gestão municipal, mas assuntos de interesse da sociedade como um todo. A publicação também passou a dar mais visibilidade ao potencial turístico da capital, exibindo, além da diversidade de seu povo, seu patrimônio histórico, artístico e cultural. O material faz ainda link com as redes sociais da Prefeitura ao criar e manter o espaço #ascoresdeManaus, no qual são publicadas fotos da equipe de fotógrafos da Prefeitura. As fotos são publicadas também com esta temática nas redes sociais.

— 61 —


A revista é amplamente distribuída, com suas edições enviadas para órgãos da administração municipal, instituições estaduais e federais, além de locais estratégicos, com grande circulação de público, planejados de acordo com o conteúdo de cada edição.

JORNAL MANAUS

Informativo consolidado para a divulgação das ações de gestão da Prefeitura de Manaus. Produzido com edições mensais de oito páginas, em cores, reúne matérias com temas inerentes às secretarias municipais, destacando a oferta de serviços, ações da administração, temas de relevância social e programações do calendário municipal. Todas as edições são enviadas para os órgãos municipais – com reforço nas áreas de atendimento ao público– e pontos estratégicos da cidade, com grande movimentação como por exemplo, supermercados e terminais de integração.

De acordo com a demanda ou data do calendário municipal, o jornal ganha edição especial, com matérias voltadas àquele tema, além da distribuição em eventos específicos.

CARRO VOLANTE A Semcom entendeu a necessidade de expandir o alcance das informações que divulga, atendendo principalmente quem mais precisa dispor dos serviços municipais. Para isso, buscou meios alternativos e populares que pudessem atingir os moradores das áreas que ainda são apontadas como vazios assistenciais. Em vista disso, uma das ferramentas utilizadas são os carros de som. Terceirizados pela prefeitura para este fim, os veículos têm equipamento de som instalados e contam ainda com um locutor, que além de ler um texto direto, de forma simples, interage com a comunidade, chamando a atenção para a importância da mensagem veiculada. Além de ampliar a divulgação de serviços, o planejamento de rota desses veículos leva ainda em consideração a área onde um serviço será oferecido ou programação realizada. Trata-se de um excelente meio para a mobilização de público, principalmente dentro dos bairros. É usado estrategicamente pela Semcom em campanhas de vacinação, cadastros sociais, em assuntos direcionados especificamente para uma ou outra comunidade.

— 62 —


WEB RÁDIO

que o veículo possui audiência em diversos continentes do mundo.

Outra ferramenta com alcance social é a Manaus Rádio Web. Acessada diretamente no portal www.manaus. am.gov.br ou por meio do aplicativo de rádio (para Android e iOS), essa ferramenta veio para convergir em um único ambiente diversas plataformas e meios de comunicação utilizados pela prefeitura, transmitindo as notícias relacionadas à gestão municipal, veiculadas em formato de reportagens, boletins, entrevistas e radiojornais, assim como os spots publicitários. Tudo em meio a uma programação de artistas regionais e nacionais. Além disso, visando maior alcance da população, nos últimos anos, a Semcom, em parceria com o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), expandiu a rádio web para os terminais de integração do transporte coletivo da capital, localizados na avenida Constantino Nery (T1), Cidade Nova (T3) e Jorge Teixeira (T4), além da estação de embarque e desembarque do complexo turístico Ponta Negra, na zona Oeste. Além do amplo alcance local, funcionando como ferramenta social, a rádio web da Prefeitura de Manaus possui grande audiência fora da capital, pelo Brasil e exterior. Seus relatórios mensais gerados à Semcom mostram

Destaque também para a cobertura ao vivo da rádio web da prefeitura em eventos do calendário municipal, como o festival “Passo a Paço”, o “Boi Manaus” e o “Réveillon” da cidade, por onde a população pôde acompanhar as referidas ações do início ao fim e, mais que isso, tornando-se uma ferramenta de comunicação consolidada da gestão.

OUTDOORS SOCIAIS Um projeto novo na gestão, os outdoors sociais são estruturas de menor porte que os outdoors tradicionais. Confeccionados em metalon com dimensão de 2 x 1, instalados em muros de casas e estabelecimentos comerciais na periferia da cidade, divulgando ações que interessam diretamente a essas comunidades, sem que essas pessoas tenham que se deslocar para receber uma informação. Entre os assuntos expostos, estão prazos de inscrições em programas sociais, serviços de saúde e campanhas de vacinação, assuntos relacionados diretamente à vida e ao bem-estar de quem mora nessas áreas e conta integralmente com a oferta de serviços da prefeitura.

— 63 —


Padronização e uso da língua

T

rabalhar com textos requer conhecimento gramatical, respeito às normas, às diretrizes da lingua portuguesa, alinhando-se as grafias corretas à formatação de um texto coeso, claro, preciso, objetivo e coerente. Nos textos jornalísticos a impessoalidade é fundamental. Para escrever bem não é preciso saber todas as regras gramaticais aprendidas no banco escolar, mas saber procurar fontes certas para consultar e findar as dúvidas, respeitando-se ainda o acordo ortográfico vigente. No Brasil, o último acordo ortográfico entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2009. Com o intuito de auxiliar no dia a dia de quem fizer uso deste manual, aqui foram selecionadas algumas normas, regras e dicas – com base no atual acordo ortográfico. Os tópicos escolhidos têm como base seu maior uso nas produções textuais e por se tratarem de termos constantes em documentos de consulta de quem apura e trabalha com a informação.

ABREVIATURAS São recursos que permitem economia de tempo e espaço na comunicação falada e escrita. As abreviaturas podem ser tanto de palavras quanto de locuções. Importante ressaltar que apesar de serem listadas a seguir as abreviaturas mais comuns, a maioria não deve ser usada em textos jornalísticos, podendo causar sérios riscos no feedback do conteúdo. Desta forma, seguem aqui apenas como fonte de conhecimento e informação. Os três tipos de abreviaturas mais comuns são: A primeira letra de uma palavra: autor – A. A primeira e última letra de uma palavra: Companhia – Cia. Utilizando as letras iniciais de uma palavra: Deputado – Dep.

— 64 —


Observações importantes: • Geralmente as abreviaturas terminam em consoante, seguidas de ponto. • Símbolos científicos escrevem-se sem o ponto: K (potássio). • Existem abreviaturas que aparecem com variações: folha – f., fl., fol.; página – p., pág. • A acentuação da palavra conserva-se na abreviatura: apênd. (apêndice); créd. (crédito); catól. (católico). • No plural, acrescenta-se “s”, como em fls. (folhas) ou dobram-se as letras, se a abreviatura for constituída por letra maiúscula: autor: A.; autores: AA. • É importante não confundir abreviatura com abreviação. Abreviação é redução de uma palavra: foto (fotografia); cine (cinema); quilo (quilograma). A redução não pode comprometer o entendimento da palavra. • Sabe-se que a agilidade da internet promoveu a criação de diversas “abreviaturas” entre os internautas. Porém, é necessário ressaltar que nenhuma delas é reconhecida oficialmente dentro das regras ortográficas. Termos como sdd (saudade); tb (também); vc (você); abç (abraço); bj (beijo); msg (mensagem); obg (obrigado); pq (porque), entre outros, não devem ser usados em textos jornalísticos e nem em documentos oficiais.

MESES DO ANO Janeiro: jan. Fevereiro: fev. Março: mar. Abril: abr. Maio: não tem abreviatura Junho: jun. Julho: jul. Agosto: ago. Setembro: set. Outubro: out. Novembro: nov. Dezembro: dez. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DAS UNIDADES DE MEDIDAS Os símbolos de qualquer unidade de medida são escritos: a) com letra minúscula (exceto quando derivam de nomes próprios kelvin - K); b) sem ponto; c) sempre no singular; d) imediatamente após o número a que se refere. Observações: Quando escritos por extenso, os símbolos de qualquer unidade de medida começam sempre com letra minúscula, mesmo quando se tratar de nomes de cientistas: ampère, newton, kelvin etc.

— 65 —


Não se deve misturar escrita por extenso com símbolo: Ex.: 8km/h ou 8 quilômetros por hora (e não 8km/hora).

disc (CD), Companhia (Cia.), Conta aberta (c/a), Conta-corrente, com cópia(s), combinado com (c/c), Coronel (cel.), Crédito (créd.).

Em horas, não deixar espaços entre o número e o símbolo da unidade: Ex.: 15h (quinze horas); 9h30 (nove horas e trinta minutos).

D Débito (déb.), Decigrama(s) (dg), Decreto (Dec.), Decreto-Lei (Dec.-Lei), Departamento(s), (dep., dept.), Depois de Cristo (d.C.), Desconto(s) (desc.), Despesa(s), desporto(s) (desp.), Dicionário (dic.), Digital Versatile Disc (DVD), Diploma (dipl.), Distrito (D.), Divisão, divisões (div.), Documento, documentos (doc., docs.), Dom, dona (d.), Doutor (Dr.), Doutora (Dra.), Doutoras (Dras.), Doutores (Drs.), Dúzia(s) (dz.).

DEMAIS EXEMPLOS DE ABREVIATURAS A Alameda (Al.), Almirante (alm.), Alqueire (alq.), Altitude (alt.), Antes de Cristo (a.C.), Ao mês (a/m), Ao(s) cuidado(s) de (A/C), Apartamento (ap.), Apêndice (apênd.), Artigo (art.) / artigos (arts.), Aspirante (asp.), Atenciosamente (Att. / Atte.), Avenida (Av.). B Bacharel (bel.), Batalhão (btl.), Brigadeiro (brig.). C Caixa(s) (cx.), Capitão (cap.), Capitão-de-corveta (cap.corv.), Capitão-de-fragata (cap.frag.), Capitão-de-mar-e-guerra (cap.m.g.), Capitão-tenente (cap.ten.), Capítulo (cap.), Catálogo (cat.), Centilitro(s) (cl), Centímetro (cm), Circular (circ.), Círculo (círc.), Citação, citado(s) (cit.), Classe(s) (cl.), Código (cód.), coluna/ colunas (col., cols.), Com, cada, conta (c/), Comandante (com.), Compact

E E outras coisas, e os outros, e assim por diante (etc. - et cetera), Edição (ed.), Edifício (ed., edif.), Editor, editores (E., EE.), Educação (educ.), Em mão(s) (E.M.), Embaixador (emb.), Eminência (Ema.), Endereço (end.), Engenheiro (eng.), Escola (Esc.), Estabelecimento (est.), Estado-Maior (EM), Estrada (est.), Excelência (Exa.), Excelentíssimo (Exmo.) / Excelentíssima (Exma.), Exemplar(es) (ex.), Exemplo(s) (ex.). F Fac-símile (fs.), Fascículo (fasc.), Feminino (fem.), Figura (fg., fig.), Folha (fl.) / folhas (fls.), Frei (fr.).

— 66 —


G Galeria (Gal.), General (gal., gen.), Gênero(s) (gên.), Gigawatt (GW), Grama(s) (g), Grau centesimal, centígrado ou Celsius (°C), Grau Kelvin (°K), Greenwich Meridian Time - hora do meridiano de Greenwich (GMT). H Habitante(s) (hab.), Hectare(s) (ha), Hora(s) (h), Horse power (cavalovapor) (HP). I Idem, o mesmo, do mesmo autor (id.), Índice (ind.), Informação (inf., inform.). J Jardim (Jd), Júnior (Jr.) L Limitada (Ltda.), Litro(s) (l), Livro (l., liv.). M Major (maj.), Marechal (mal.), Megahertz (MHz), Megawatt (MW), Meritíssimo (MM.), Mês, meses (m.), Mestra (ma.), Mestre (me.), Metro(s) cúbico(s) (m³), Metro(s) por minuto (m/min), Metro(s) por segundo (m/s), Metro(s) quadrado(s) (m²), Milampère (mA), Miligrama(s) (mg), Milímetro(s) (mm), Milímetro(s) cúbico(s) (mm³), Milímetro(s), quadrado(s) (mm²), Milivolts (mV), Minuto (min), Monsenhor (mons.), Município (mun.).

N Nordeste (NE), Norte (N), Nosso Senhor (N. S.) / Nossa Senhora (N. Sa.), Nota da editora (N. da E.), Nota da redação/do redator (N. da R.), Nota do autor (N. do A.), Nota do editor (N. do E.), Novo Testamento (N.T.), Número (n.º ou n.) O Observação (Obs.:), Oeste (O), Ofício (of.), Organização (org.) P Padre (Pe., P., P.e), Pagamento (pgto.), Página, páginas (p., pp., pág.), Pago (pg.), Parque (Prq.), Pastor (Pr.), Peça(s) (pç.), Pede deferimento (P.D.), Peso bruto (P.B.), Peso líquido (P.L.), Polegada(s) (pol.), Ponto (pt), Por exemplo (p. ex), Por procuração (p.p.), Porque (pq.), Portaria (port.), Post meridiem (p.m. - depois do meio-dia), Post scriptum (depois de escrito, pós-escrito) (P.S.) Praça (Pça.), Praia (Pr.), Processo,procuração (proc.), Professor (prof.) Professora (profa.), Professoras (profas.) Professores (profs.) Q Quartel-general (Q.G.), Quilograma(s), (kg) Quilohertz (kHz), Quilômetro (km), Quilômetro por hora (km/h), Quilômetro quadrado (km²), Quilovolt(s) (kV), Quilovolt(s)-ampère(s) (kVA), Quilowatts (kW), Quilowatts-hora (kWh).

— 67 —


R Real (R$), Referência, referente (ref.), Registro (rg., reg.), Relatório (rel., relat.), Remetente (Remte.), Residência (res.), Resolução (Res.), Reverendíssimo (Revmo.), Revista (rev.), Rodovia (Rod.), Rotação por minuto (rpm), Rotação por segundo (rps), Rua (R.), Rubrica (rubr.). S Santa (sta.) Santo (sto.) São (S.), Sargento (sarg.), Seção (seç.), Secretaria, secretário, secretária (sec., secr.), Século (séc.) Século, séculos (séc., sécs.), Seguinte, seguintes (seg., segs., ss.), Segundo (horário) (s.), Sem data (s.d., s/d), Semana(s) (sem.), Semestre(s) (sem.), Senhor (Sr.), Senhora (Sra.), Senhorita (Srta.), Série (ser.), Sociedade Anônima (S.A., S/A), Sociedade Civil (S.C.). T Telefone (tel.), Telegrama (tel.), Tenente (ten.), Tenente-Coronel (ten.-cel.), Testamento (test.º, testo.), Testemunha (test.), Título(s) (tít.), Tonelada (t), Tratamento (trat.), Travessa (Trav.), Trimestral (trim., trimest., trimestr.). U Unidade (un.), Universidade (univ., univers.).

V Valor(es) (val.), Viaduto (Vd.), Vice-Almirante (v.-alm.), Videoteipe (VT), Volt(s) (V), Volt-ampère (VA), Volume, volumes (vol., vols.), Vossas Eminências (V.Em.as), Vossas Excelências (V.Ex. as), Vossas Reverendíssimas (V.Revm. as), Vossas Senhorias (V.S.as), Watt (W), Watt-hora (Wh).

SIGLAS Sigla é o conjunto formado, geralmente, pelas letras ou sílabas iniciais de nomes de instituições, organizações, departamentos ou programas. As siglas devem ser colocadas entre parênteses, após sua explicação, sem pontos intermediários e sem ponto-final. Atenção para as regras: • Siglas de até três letras são grafadas em maiúsculas (ex: OAB, ONU). • As que possuem quatro letras ou mais e formam palavra pronunciável, apenas a inicial é maiúscula (Ex.: Ibama). • Quando cada letra é lida separadamente, mantêm-se todas em maiúsculas (Ex.: INSS).

— 68 —


• Algumas siglas possuem letras maiúsculas e minúsculas em sua estrutura, para diferenciá-las de outras. Ex.: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O “q” foi incluído pelo fato de que, na época de sua criação, denominava-se Conselho Nacional de Pesquisas e já existia a sigla CNP para Conselho Nacional do Petróleo. • Siglas em que haja leitura mista (parte é pronunciada pela letra e parte como palavra) podem ser grafadas com todas as letras maiúsculas. Ex: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT • Deve-se empregar as siglas e os acrônimos dos órgãos estrangeiros na sua versão em português, que corresponde à expressão original traduzida. Entretanto, adota-se a forma abreviada original quando o seu uso for disseminado internacionalmente. Exemplo: Organização dos Países Exportadores de Petróleo – Opep • Plural de siglas Com sigla empregada no plural, admite-se o uso de s minúsculo sem apóstrofo:

Ex: TREs (Tribunais Regionais Eleitorais), e não TRE’s. Esta regra não se aplica a siglas terminadas com a letra s, caso em que o plural é definido pelo artigo. Algumas observações sobre as siglas: • Não se deve fazer uso indiscriminado de siglas, criando novas formas. Seu uso deverá restringir-se às formas já existentes e consagradas. • As siglas devem ser escritas no mesmo corpo do texto, sem o uso de pontos intermediários ou finais. • Dispensa-se o uso da expressão designada por extenso unicamente para representar nome de partidos políticos e de empresas comerciais quando a forma abreviada já se tornou sinônimo do próprio nome. Quando se tratar de empresas públicas ou estatais, na primeira citação, a expressão designada deve vir escrita por extenso, de forma completa e correta, sempre antes de sua sigla ou acrônimo respectivo, com a sigla entre parênteses.

— 69 —


SIGLAS DE ESTADOS Sigla Estado Capital AC Acre Rio Branco AL Alagoas Maceió AM Amazonas Manaus AP Amapá Macapá BA Bahia Salvador CE Ceará Fortaleza DF Distrito Federal Brasília ES Espirito Santo Vitória GO Goiás Goiânia MA Maranhão São Luis MG Minas Gerais Belo Horizonte MS Mato Grosso do Sul Campo Grande MT Mato Grosso Cuiabá PA Pará Belém PB Paraíba João Pessoa PE Pernambuco Recife PI Piauí Teresina PR Paraná Curitiba RJ Rio de Janeiro Rio de Janeiro RN Rio Grande do Norte Natal RO Rondônia Porto Velho RR Roraima Boa Vista RS Rio Grande do Sul Porto Alegre SC Santa Catarina Florianópolis SE Sergipe Aracajú SP São Paulo São Paulo TO Tocantins Palmas Obs.: Não se abrevia nome de municípios (Ex.: Manaus, e não MAO. Porto Alegre, e não POA ou P. Alegre).

— 70 —


ESTRUTURAS FEDERAIS

ÓRGÃOS MUNICIPAIS

Agência Espacial Brasileira - AEB Advocacia-Geral da União - AGU Controladoria-Geral da União - CGU Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS Conselho Nacional do Esporte - CNE Defensoria Pública da União - DPU Gabinete de Segurança Institucional - GSI Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Mapa Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações - MCTI Ministério da Defesa - MD Ministério do Desenvolvimento Regional - MDR Ministério da Economia - ME Ministério da Educação - MEC Ministério da Justiça e Segurança Pública - MJSP Ministério da Infraestrutura - MInfra Ministério do Meio Ambiente – MMA Ministério de Minas e Energia - MME Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos - MMFDH Ministério das Relações Exteriores MRE Ministério da Saúde - MS Ministério do Turismo - Mtur Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE Secretaria Nacional de Segurança Pública - Senasp

Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) Casa Civil Casa Militar de Manaus Controladoria Geral do Município (CGM) Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi) Fundaçao Municipal de Apoio ao Idoso Doutor Thomas (FDT) Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) Fundo Manaus Solidária Manaus Previdência Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) Procuradoria Geral do Município (PGM) Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semacc) Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad) Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc) Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) Secretaria Municipal de Educação (Semed) Secretaria Municipal de Finanças e Tecnologia da Informação (Semef) Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf)

— 71 —


Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi) Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) * As estruturas municipais citadas acima referem-se até o período de 2020, podendo as gestões seguintes mudarem os nomes das pastas e suas respectivas siglas. OUTRAS SIGLAS: ABI – Associação Brasileira de Imprensa ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial ABL – Academia Brasileira de Letras ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas Aids - Acquired Immunological Deficiency Syndrome (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento Bird - Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento / Banco Mundial Capes - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CNPJ - Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica CNS - Conselho Nacional de Saúde DNIT – Departamento Nacional de

Infraestrutura de Transportes DOU - Diário Oficial da União DSEI - Distrito Sanitário Especial Indígena FGTS - Fundo de Garantia do Tempo de Serviço HIV - Human Immunodeficiency Virus (Vírus da Imunodeficiência Humana) Ibama –Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovavéis IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Ibope - Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços IDHM - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal INSS - Instituto Nacional do Seguro Social ICMBio - Instituto Chico Mendes de Biodiversidade Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) IPTU - Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPVA - Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores LBV – Legião da Boa Vontade OAB - Ordem dos Advogados do Brasil OMC – Organização Mundial do Comércio OMS - Organização Mundial da Saúde ONG – Organização Não Governamental ONU – Organização das Nações Unidas

— 72 —


Paif - Programa de Atenção Integral à Família PIB – Produto Interno Bruto PNE - Plano Nacional de Educação Pnud – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Pnaes -Programa Nacional de Assistência Estudantil Rename - Relação Nacional de Medicamentos Essencias RG – Registro Geral Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Senac - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senai - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Sesai - Secretaria Especial de Saúde Indígena Sesc – Serviço Social do Comércio Sesi – Serviço Social da Indústria STJ – Superior Tribunal de Justiça Suas - Sistema Único da Assistência Social Suframa – Superintendência da Zona Franca de Manaus SUS – Sistema Único de Saúde TCU - Tribunal de Contas da União TCE-AM – Tribunal de Contas do Estado do Amazonas TSE – Tribunal Superior Eleitoral TRE-AM – Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Unicef -Fundo das Nações Unidas para a Infância UPA – Unidade de Pronto Atendimento

CARGOS PÚBLICOS INTERINO E SUBSTITUTO O signatário é aquele que assina ou escreve o próprio nome num documento. Assim, na identificação do signatário, depois do nome do cargo, é possível utilizar os termos interino e substituto, mas é preciso saber empregar as palavras corretamente. Interino é aquele nomeado para ocupar transitoriamente cargo público durante a vacância; substituto é aquele designado para exercer as atribuições de cargo público vago ou no caso de afastamento e impedimentos legais ou regulamentares do titular. Esses termos devem ser utilizados depois do nome do cargo, sem hífen, sem vírgula e em minúsculo. Exemplos: Secretário-Executivo substituto/Diretor-Geral interino Signatárias do sexo feminino Na identificação do signatário, o cargo ocupado por pessoa do sexo feminino deve ser flexionado no gênero feminino. Exemplos: Ministra de Estado Secretária-Executiva interina Técnica Coordenadora Administrativa

— 73 —


GRAFIA DE CARGOS COMPOSTOS Escrevem-se com hífen: a) cargos formados pelo adjetivo “geral”: secretário-geral, diretor-geral, ouvidor-geral; b) postos e gradações da diplomacia: primeiro-secretário, segundo-secretário; c) as palavras compostas em que o adjetivo “executivo” é acoplado a substantivo que indica função, lugar de trabalho ou órgão: Secretaria-Executiva

GRAFIAS COMPOSTAS É preciso também usar hífen: a) nos adjetivos gentílicos (que indicam nacionalidade, pátria, país, lugar ou região de procedência) quando derivados de nomes de lugares (topônimos) compostos: Exemplos: belo-horizontino, norte-americano porto-riquenho, rio-grandense-do-norte

d) postos da hierarquia militar: tenente-coronel, capitão-tenente; Mas atenção: nomes compostos com elemento de ligação preposicionado ficam sem hífen: general de exército, general de brigada, capitão de mar e guerra;

b) nos compostos com os advérbios “bem” e “mal”, quando estes formam com a palavra seguinte uma unidade semântica e tal elemento começa por vogal ou “h”: Exemplos: bem-estar, bem-alinhado mal-estar, mal-alinhado bem-humorado, mal-humorado

e) cargos que denotam hierarquia dentro de uma empresa: diretor-presidente, diretor-adjunto, editor-chefe, editor-assistente, sócio-gerente, diretor-executivo;

c) nos compostos com os elementos “além”, “aquém”, “recém” e “sem”: Exemplos: além-mar, aquém-fronteiras, recém-nascido, sem-vergonha

f) cargos formados por numerais: primeiro-ministro, primeira-dama;

d) nas formações em que o segundo elemento começa por “h”: Exemplos: anti-higiênico, extra-humano, super-homem

g) cargos formados com os prefixos “ex” ou “vice”: ex-secretário, vice-prefeito.

e) nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma

— 74 —


vogal com que se inicia o segundo elemento: Exemplos: anti-ibérico, contra-almirante, auto-observação f) nas formações com os prefixos “circum-” e “pan-”, quando o segundo elemento começa por vogal, “m” ou “n”: Exemplos: circum-escolar, circum-murado, circum-navegação pan-africano, pan-mágico, pan-negritude g) nas formações com os prefixos tônicos acentuados graficamente “pós-”, “pré-” e “pró-”, quando o segundo elemento tem vida à parte (ao contrário do que acontece com as correspondentes formas átonas que se aglutinam com o elemento seguinte): Exemplos: pós-operatório, pré-natal, pró-europeu Vale ressaltar que o novo Acordo Ortográfico tornou opcional o uso de iniciais maiúsculas em palavras usadas reverencialmente, por exemplo para cargos e títulos (exemplo: o Presidente irlandês ou o presidente irlandês). Porém, em palavras com hífen, após se optar pelo uso da maiúscula ou da minúscula, deve-se manter a escolha para a grafia de todos os elementos hifenizados: portanto,

pode-se escrever “Vice-Presidente” ou “vice-presidente”, mas nunca “Vice-presidente”.

USO DO HÍFEN: DEMAIS REGRAS O hífen é um sinal usado para: • Unir pronomes átonos a verbos: agradeceu-lhe; • No final de uma linha, indicar a separação das sílabas de uma palavra em duas partes: com-/parar, gover-/no. • Compostos, locuções e encadeamentos vocabulares, como: • na composição de palavras em que os elementos constitutivos mantêm sua acentuação própria, compondo, porém, novo sentido: Exemplos: abaixo-assinado (abaixo assinado, sem hífen, tem o sentido de aquele que assina o documento em seu final: João Alves, abaixo assinado, requer...) Outros exemplos: decreto-lei, matéria-prima, papel-moeda e salário-família. Atenção: Certos compostos, em relação aos quais se perdeu, em certa medida, a noção de composição, grafam-se agrupados:

— 75 —


Exemplos: Girassol, madressilva, mandachuva, pontapé, paraquedas, paraquedista. O advérbio “bem”, ao contrário de “mal”, pode não se aglutinar com palavras iniciadas por consoantes: Exemplos: bem-criado, bem-visto malcriado, malvisto Não se usa hífen nas demais locuções de qualquer tipo: Exemplos: fim de semana, cor de café com leite, cor de vinho sala de jantar. Hífen nas formações por prefixação, recomposição e sufixação Grande parte das palavras da nossa língua é formada a partir da utilização de um prefixo associado a outra palavra. Em muitos desses casos, é de rigor o emprego do hífen, seja para preservar a acentuação própria (tônica) do prefixo ou sua evidência semântica, seja para evitar pronúncia incorreta do vocábulo derivado. Sendo assim, é comum o uso do hífen em: Formações com os prefixos: ante-, anti-, co-, contra-, entre-, extra, hiper-, infra-, intra-, sobre-, sub-, super-, supra-, ultra, etc. Formações por recomposição, isto é, com elementos não autônomos ou falsos prefixos, de origem

grega e latina, tais como: aero-, agro-, arqui-, auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter, macro-, maxi-, micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto-, pseudo-, retro-, semi-, tele- etc. Atenção: Não se usa o hífen em formações que contêm os prefixos “des-” e “in-” nas quais o segundo elemento perdeu o “h” inicial: Exemplos: desumano, desumidificar, inábil Nas formações com o prefixo “co-”, este aglutina-se em geral com o segundo elemento, mesmo quando iniciado por “o”, portanto sem hífen. Exemplos: coobrigação, coocupante coordenar, cooperar, cooperação

EMPREGO DOS PORQUÊS A palavra “porquê” aparece escrita de quatro maneiras diferentes, de acordo com sua posição e seu significado na frase. Por que - função de advérbio interrogativo, ficando subentendidas as palavras: razão, motivo, causa; ou pronome relativo equivalente a: pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais. Ex.: Por que (motivo) a compra não foi feita? O motivo por que (pelo qual) a

— 76 —


compra não foi feita é a falta de pagamento. Por quê - usado no final de frase. Ex.: A compra não foi feita, por quê? Porque - função de conjunção, que introduz uma explicação, causa ou consequência. Ex.: É necessária a reforma da escola porque ela apresenta problemas no teto e paredes. Porquê - precedido do artigo o, tem a função de substantivo e equivale a motivo ou indagação. Ex.: Gostaríamos de saber o porquê do cancelamento da compra.

• Nomes de instituições, repartições públicas e particulares, entidades, feiras, prêmios, festas, simpósios, seminários, congressos. Ex.: Presidência da República, Chefia do Gabinete, Secretaria Municipal de Comunicação, Associação de Pais e Mestres, Congresso Brasileiro de Educação, Feira Náutica, Prêmio Jabuti, Festa do Divino Espírito Santo, Simpósio Estadual de Transporte de Cargas. • Títulos de livros, jornais ou de qualquer criação do intelecto humano. Ex.: A Volta ao Mundo em 80 Dias, Jornal Dez Minutos, Veja etc. • Em datas oficiais, nomes de fatos históricos, festas religiosas, atos de empreendimentos públicos. Ex.: Páscoa, Natal, Sete de Setembro, Proclamação da República, Reforma Ortográfica, Bolsa Família, Plano Real etc.

EMPREGO DAS INICIAIS MAIÚSCULAS E MINÚSCULAS USO DE MAIÚSCULAS • Nomes próprios, incluindo nomes de entidades religiosas e de torneios e campeonatos, bem como de monumentos, prédios públicos ou privados, aeroportos, igrejas etc. Ex.: Hugo, Isabel, Virgem Maria, Espírito Santo, Jogos Escolares de Manaus, Olimpíada Brasileira de Matemática, Memorial dos Povos da Amazônia, Museu da Cidade de Manaus, Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, Igreja Perpétuo Socorro etc.

• Quando as palavras forem utilizadas como substantivos próprios (conceitos políticos). Exemplos: O PIB do País cresceu 10%. O Estado do Amazonas localiza-se na região Norte do país. Nosso estado localiza-se no Norte do Brasil. A Igreja é contra a legalização do aborto. (Igreja = Instituição) A igreja passa por reformas estruturais. (igreja = prédio) A candidatura foi confirmada na Justiça. O povo pede justiça pela morte da criança. A Câmara

— 77 —


Municipal entrou em recesso. Muitos estudantes participaram do congresso. • Em leis e normas. Ex.: Lei de Diretrizes e Bases, Lei Maria da Penha, Imposto de Renda, Decreto-Lei etc. • Nomes de partidos políticos, associações e similares. Ex.: Partido Social Cristão, Podemos, Liberal. • Nomes de acidentes geográficos, como rios, mar, ilhas, montanhas etc. Ex.: Ilha do Mel, Rio Negro, Pico da Neblina etc. • Nomes de regiões e pontos cardeais, quando estes se referem às grandes regiões do Brasil e do mundo. Ex.: Planalto Central, Norte, Nordeste, Leste Europeu, Ocidente etc.

-da-índia, bálsamo-do-peru etc. • Depois de dois-pontos, quando não se tratar de citação direta ou nome próprio. Ex.: Gostaria que providenciasse: lápis, caneta, borracha e outros materiais necessários. Observação importante: nomes de escolas, colégios e hospitais são iniciados com minúsculas, exceto se estiverem acompanhadas de siglas: escola municipal Sagrado Coração de Jesus; escola municipal Thomás Meireles; escola estadual Primeiro de Maio; escola estadual Isabel Barroncas; Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Nossa Senhora das Graças; Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM); Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV).

AMBIGUIDADE

USO DE MINÚSCULAS • Meses, estações do ano e dias da semana. Ex.: primavera, verão, janeiro, sexta-feira etc. • Adjetivos pátrios, nomes de povos. Ex.: brasileiros, alemães, gregos, russos, ingleses etc. • Substantivos próprios que passaram a fazer parte de substantivos compostos comuns. Ex.: ao deus-dará, joão-ninguém, castanha-do-pará, maria-mole, pau-brasil, chá-

Ambígua é a frase ou oração que pode ser tomada em mais de um sentido. Como a clareza é requisito básico de todo texto jornalístico, deve-se atentar para as construções que possam gerar equívocos de compreensão. Exemplo: Ambíguo: O secretário comunicou a seu subsecretário que ele seria exonerado. Claro: O secretário comunicou a própria exoneração a seu subsecretário.

— 78 —


Ou então, caso o entendimento seja outro: Claro: O secretário comunicou a seu subsecretário a exoneração deste (o pronome deste retoma o último elemento citado, no caso, o subsecretário). b) Ambiguidade com pronomes possessivos e oblíquos: Ambíguo: O prefeito saudou o Presidente da República, em seu discurso, e solicitou sua intervenção na sua cidade, mas isso não o surpreendeu. Observe-se que o excesso de ambiguidade no exemplo acima dificulta a compreensão da frase. Claro: Em seu discurso, o prefeito saudou o Presidente da República. No pronunciamento, solicitou a intervenção federal na cidade de Manaus, o que não surpreendeu o chefe do Poder Executivo. Há, ainda, a ambiguidade decorrente da dúvida sobre a que se refere a oração reduzida: Ambíguo: Sendo indisciplinado, o chefe advertiu o funcionário. Para evitar a ambiguidade do exemplo acima, deve-se deixar claro qual o sujeito da oração reduzida. Claro: O chefe advertiu o funcionário por ser este indisciplinado.

PONTUAÇÃO Os sinais de pontuação têm as seguintes finalidades: a) assinalar as pausas e a entoação na leitura; b) separar palavras, expressões e orações que, segundo o autor, devem merecer destaque; e c) esclarecer o sentido da frase, eliminando ambiguidades. VÍRGULA A vírgula serve para marcar as separações breves de sentido entre termos vizinhos, as inversões e as intercalações, quer na oração, quer no período. A seguir, indicam-se alguns casos principais de emprego da vírgula: a) Para separar palavras ou orações paralelas justapostas, isto é, não ligadas por conjunção: Exemplos: Chegou a Manaus, visitou os pais, levou os documentos à universidade, seguiu à prefeitura e cumpriu o restante da agenda do dia. b) As intercalações, por cortarem o que está sintaticamente ligado, devem ser colocadas entre vírgulas: Exemplos: O processo, creio eu, deverá ir logo à secretaria para análise. A democracia, embora (ou mesmo) imperfeita, ainda é o melhor sistema de governo.

— 79 —


c) Expressões corretivas, explicativas, escusativas, tais como “isto é”, “ou melhor”, “quer dizer”, data venia, “ou seja”, “por exemplo” etc., devem ser colocadas entre vírgulas: Exemplos: O secretário, a meu ver, deve sempre usar uma linguagem clara, ou seja, de fácil compreensão. Isto é um lápis, quer dizer, uma caneta. d) Conjunções coordenativas intercaladas ou pospostas devem ser colocadas entre vírgulas: Exemplos: Dedicava-se ao trabalho com afinco; não obtinha, contudo, resultados.O ano foi difícil; não me queixo, porém. e) Vocativos, apostos, orações adjetivas não-restritivas (explicativas) devem ser separados por vírgula: Exemplos: Amazonenses, é chegada a hora de buscar o entendimento. Aristóteles, o grande filósofo, foi o criador da Lógica. O homem, que é um ser mortal, deve sempre pensar no amanhã. f) A vírgula também é empregada para indicar a elipse (ocultação) de verbo ou outro termo anterior: Exemplos: O decreto regulamenta os casos gerais; a portaria, os particulares. (A vírgula indica a elipse do verbo

regulamenta.) Às vezes, procura assistência; outras, resolve sozinho. (A vírgula indica a elipse da palavra vezes.) g) Nas datas, separam-se os topônimos: Exemplos: Manaus, 29 de março de 2018. Boa Vista, 12 de dezembro de 2017. É importante registrar que constitui erro usar a vírgula entre termos que mantêm entre si estreita ligação sintática – por exemplo, entre sujeito e verbo, entre verbos ou nomes e seus complementos. PONTO E VÍRGULA O ponto e vírgula, em princípio, separa estruturas coordenadas já portadoras de vírgulas internas. É também usado em lugar da vírgula para dar ênfase ao que se quer dizer. Exemplos: Sem virtude, perece a democracia; o que mantém o governo despótico é o medo. As leis, em qualquer caso, não podem ser infringidas; mesmo em caso de dúvida, portanto, elas devem ser respeitadas. Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:I – cancelamento da naturalização por sentença transitada em julgado; II – incapacidade civil absoluta; III – condenação criminal transitada em

— 80 —


julgado, enquanto durarem seus efeitos; IV – recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou prestação alternativa, nos termos do art. 5o , VIII; V – improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4o . 11.9.3. DOIS-PONTOS Emprega-se este sinal de pontuação para introduzir citações, marcar enunciados de diálogo e indicar um esclarecimento, um resumo ou uma consequência do que se afirmou. Exemplos: Como afirmou o Marquês de Maricá em suas Máximas: “Todos reclamam reformas, mas ninguém se quer reformar.” Encerrado o discurso, o deputado perguntou: – Foi bom o pronunciamento? – Sem dúvida: todos parecem ter gostado. Mais que mudanças econômicas, a busca da modernidade impõe sobretudo profundas alterações dos costumes e das tradições da sociedade; em suma: uma transformação cultural.

PONTO DE EXCLAMAÇÃO O ponto de exclamação é utilizado para indicar surpresa, espanto, admiração, súplica etc. Seu uso na redação oficial fica geralmente restrito aos discursos e às peças de retórica: Exemplos: Povo desta grande nação! Com nosso trabalho avançaremos!

NÚMEROS O QUE ESCREVER POR EXTENSO E EM ALGARISMO: De zero a dez: escreva por extenso. De 11 a 999: use algarismos. A partir de mil: use algarismo + palavra para números redondos ou aproximados — 2 mil, 5,3 mil, 19,7 mil, 2 milhões, 10 milhões, 1,4 bilhão. Não use 1 mil, use apenas mil. Se for necessário registrar o número preciso (quando não inteiro), use algarismos: 12.357, 20.004.

PONTO DE INTERROGAÇÃO O ponto de interrogação é utilizado para marcar o final de uma frase interrogativa direta: Exemplos: Até quando aguardaremos um desfecho da novela? Quem deve ser o anfitrião? Não cabe ponto de interrogação em estruturas interrogativas indiretas (em geral em títulos): O que é linguagem oficial – Por que a inflação não baixa – Como vencer o medo.

Exemplos: Há em Manaus 3 mil casos de influenza A. Os exames e medicamentos somavam R$ 3 mil. Os rios da Amazônia, com 18,3 mil quilômetros de vias navegáveis, transportam 1,2 milhão de pessoas por mês. Mais de 100 postos de recarga do

— 81 —


cartão cidadão serão colocados à disposição dos usuários de transporte público. De cada 100 manauaras, 37,5 usam o instagram. Dos 131 usuários do programa, 23 morreram: 13 foram assassinados, seis morreram de complicações de aids e dois, de overdose. Os demais, de hepatite. A clínica tem nove psicólogos, cinco assistentes sociais, quatro enfermeiros. Entre os vereadores, dez defenderam o projeto e sete o criticaram. Dos dez pronunciamentos, sete abordaram a crise mundial. Observações: Em resultado de votações A indicação foi aprovada com 46 votos a favor, 9 contra e 1 abstenção

NÚMEROS DECIMAIS Em 1995, a renda do brasileiro equivalia a 2,57 vezes à do habitante dos países em desenvolvimento. MEDIDA, PESO, GRANDEZA, DISTÂNCIA Santa Catarina aprovou em 2011 um projeto, que reduz o limite de recomposição das APPs desmatadas para 5 metros nas propriedades com menos de 50 hectares e para 10 metros em todas as outras. O Fundo Manaus Solidária arrecadou 4 toneladas de alimentos em doações O estudioso lembrou que o rio percorre grande parte do estado em uma extensão de quase 3 mil quilômetros.

DIA, DÉCADA E SÉCULO TEMPERATURA 13 de fevereiro (em textos) ou 13/2/12 (em arte); anos 80; anos 1980, década de 1970; década de 70; século 21.

40 graus (40 ºC em título, legenda) IDADE

O Congresso Nacional se reúne de 1º de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro.

A bailarina mais jovem tem apenas 8 anos de idade.

PORCENTAGEM

ENDEREÇO

A produção agropecuária é hoje responsável por 27% do produto interno bruto (PIB) brasileiro.

Avenida Djalma Batista, 500

— 82 —


VALOR MONETÁRIO

Título: Patriota apresenta balanço de 100 dias da política externa

Acima de mil, use a forma mista para valores redondos. • R$ 3.180, R$ 2 mil, R$ 1,3 milhão, • Com número inteiro, não se usam zeros depois da vírgula: R$ 180 e não R$ 180,00. • Use espaço entre o símbolo e o valor monetário

Em aproximações, use apenas números inteiros. É errado dizer, por exemplo, “cerca de 43 pessoas”, pois, assim, se dá a informação exata (43) e não aproximada. O correto seria “cerca de 40 pessoas”. Neste domingo, cerca de 80 profissionais estarão envolvidos na transmissão das principais notícias sobre a votação e a apuração em todo o país.

PLACAR DE JOGOS Manaus F.C 2 x 0 Barueri ACOMPANHANDO A PALAVRA NÚMERO, MESMO QUE SUBENTENDIDA

Em início de parágrafo, escreva o número por extenso. Se possível, reescreva a frase.

Em audiência, entidades reclamaram da Anac por permitir que número de comissários de bordo nos aviões da Gol baixasse de 4 para 3.

Vinte e quatro anos depois, as vítimas reivindicam assistência médica adequada, ressarcimento financeiro e pesquisa científica sobre as consequências da radiação a longo prazo.

CRÉDITOS DE TV Por questão de clareza, use sempre algarismos.

Passados 24 anos, as vítimas reivindicam assistência médica adequada, ressarcimento financeiro e pesquisa científica sobre as consequências da radiação a longo prazo.

COMO USAR Em título, legenda e chamada de primeira página de periódicos, pode-se usar algarismos para destacar a informação ou quando for necessário economizar espaço: Título: Diploma para jornalistas é aprovado em 1º turno

Escrevem-se por extenso os números que fazem parte de nomes de avenidas, ruas, praças etc: praça Cinco de Setembro, avenida Sete de Setembro.

— 83 —


USO DE PONTOS E ZEROS

TELEFONE

Use ponto nos números acima de mil (Lei 8.666, de 1993, 1.342 pessoas), exceto para ano: 1997 e não 1.997. Use vírgula para o decimal.

Para grafar números de telefone, use hífen para separar o prefixo dos últimos quatro algarismos: 5303-3333.

Gabrielli explicou que o TCU considera inconstitucional o Decreto 2.745/1998, editado para regular a atuação da Petrobras no regime de concessões, entendendo que a estatal deveria cumprir a Lei Geral de Licitações (Lei 8.666, de 1993), bem mais rígida. Não use zero antes de números como data, hora, página. Em vez de 08h, 02/06/12, página 03, escreva 8h, 2/6/12, página 3. FRAÇÃO Frações são escritas com algarismos (7/12), exceto quando os dois elementos são menores que dez (dois terços). O verbo deve concordar com o numerador da fração. Uma PEC precisa do apoio de um terço dos senadores ou dos deputados para ser apresentada e, para ser aprovada, do voto de, no mínimo, três quintos dos parlamentares em cada Casa, em dois turnos.

Códigos de área de números telefônicos devem estar sempre entre parênteses. Para números 0800, use apenas espaço para separar o prefixo dos outros dígitos. Não use hífen: 0800 612211. Só use a abreviatura de telefone (tel.) seguida do número. Não use fone. NÚMEROS ORDINAIS Números ordinais seguem, de maneira geral, a mesma regra dos cardinais: escreva por extenso de primeiro a décimo; em algarismos a partir de 11º. Em alguns casos, no entanto, a regra é diferente. É o que acontece na numeração de artigos de leis. Neste caso, use o ordinal só até nove: artigo 1º, artigo 3º, artigo 9º. De dez em diante, use o cardinal: artigo 10, artigo 35, artigo 50. Não grafe por extenso numerais em nomes de eventos culturais, científicos, históricos e esportivos: Veja alguns exemplos:

— 84 —


Os coordenadores estaduais do 4º Concurso de Redação da Escola Municipal Eunice Chagas são responsáveis pelo contato com os participantes. A vereadora representou a Câmara no 7º Fórum Parlamentar Ibero-Americano.

Use algarismos arábicos em todos os outros casos, como séculos, capítulos de livros, nomes de eventos, guerras, usinas, endereços. Exemplos: Este ano, o fórum tem como objetivo avaliar a primeira década do século 21 e conta com pensadores franceses e brasileiros.

Os veteranos brasileiros da 2ª Guerra Mundial poderão participar de visita às cidades italianas onde atuou a Força Expedicionária Brasileira. O presidente da Câmara participou ontem da entrega do 14º Prêmio de Jornalismo Nilton Lins.

“Meu município, meu Brasil” é tema do 5º Concurso de Redação Público elogia participação de alunos da rede pública na 1º Bienal do Livro

ASPAS

NÚMEROS ROMANOS Use números romanos apenas em nomes de papas, reis e nobres e na transcrição de textos de lei. Em 2013 o evento poderá ser realizado no Rio de Janeiro, com a presença do papa Bento XVI. A Lei Áurea foi assinada pela princesa Isabel, em nome do imperador dom Pedro II. O Executivo alegou que a Constituição, em seu artigo 5º, inciso XIII, assegura o livre exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão.

Sinal gráfico que delimita uma citação: “Raça de víboras, arrependei-vos!”, bradava João Batista no deserto.Use aspas simples em títulos, ou quando a palavra ou expressão destacada fizer parte do período já entre aspas. Use também para destacar títulos de livros, obras artísticas (filmes, programas de TV, peças de teatro, música etc.), revistas e jornais. A Semcom utiliza aspas também para destacar projetos e programas da Prefeitura Municipal de Manaus (“Prefeitura + Presente”; programa “Bolsa Universidade”; programa “Bolsa Idiomas”; projeto “Decolar”). Mas, evite usar aspas para enfatizar palavras que imprimam tom irônico.

— 85 —


VERBOS DECLARATIVOS Usado para finalizar falas dos personagens da notícia. Evite, assim, verbos como admitir, reconhecer, lembrar, salientar, ressaltar, confessar, garantir, a não ser quando usados em sentido estrito. Prefira os verbos dizer, declarar e afirmar, os mais neutros, quando o objetivo for apenas indicar autoria de uma declaração: O estudante disse que participou de um encontro com o reitor, em vez de O estudante confessou que teve um encontro com o reitor. Evite verbos que possam denotar apreciação do repórter a respeito da declaração, como disparar e ironizar.

ADJETIVOS GENTÍLICOS ESTADOS BRASILEIROS Acre (AC): acriano (a forma acreano não é mais aceita) Alagoas (AL): alagoano Amapá (AP): amapaense Amazonas (AM): amazonense Bahia (BA): baiano Ceará (CE): cearense Distrito Federal (DF): brasiliense ou candango Espírito Santo (ES): capixaba, espírito-santense Goiás (GO): goiano

Maranhão (MA): maranhense Mato Grosso (MT): mato-grossense Mato Grosso do Sul (MS): sul-mato-grossense Minas Gerais (MG): mineiro Pará (PA): paraense Paraíba (PB): paraibano Paraná (PR): paranaense Pernambuco (PE): pernambucano Piauí (PI): piauiense Rio de Janeiro (RJ): fluminense (carioca é quem é da cidade do Rio de Janeiro) Rio Grande do Norte (RN): potiguar ou norte-rio-grandense Rio Grande do Sul (RS): gaúcho ou sul-rio-grandense Rondônia (RO): rondoniano ou rondoniense Roraima (RR): roraimense Santa Catarina (SC): catarinense ou barriga-verde São Paulo (SP): paulista (quem é da capital é paulistano) Sergipe (SE): sergipano Tocantins (TO): tocantinense

DEMAIS NORMAS E REGRAS bi – Prefixo que significa dois, duas vezes; use sempre sem hífen: bicameral, bicampeonato, bicampeão, bipartidário, bissexual. Pode-se usar como abreviatura de bilhão apenas em títulos, para referir-se a dinheiro. blitz – Plural: blitze

— 86 —


bola da vez – Por se tratar de modismo, não use em texto jornalístico.

nome no meio do verbo): evite ao máximo: Dir-lhe-ei; Contar-me-ás.

Assembleia Legislativa – Independente de ser a do Amazonas, escreva sempre em caixa alta e baixa, inclusive depois da primeira citação

disciplinas/cursos – sempre com inicial minúscula quando grafar disciplinas, cursos e áreas do conhecimento: Durante toda a licenciatura (formação que habilita o estudante a ser professor de matemática, física, química, biologia etc.), eles fazem estágio em escolas públicas; Graduado em administração e em direito, tem especialização em direito público e mestrado em direito e políticas públicas. Apenas quando cursos, seminários e afins tiverem nome próprio, use maiúscula: O seminário Ferramentas para Alavancar as Vendas no Verão foi adiado; O convênio prevê ainda o curso Como Confeccionar Fantasias Carnavalescas.

Câmara dos Deputados – Use caixa alta e baixa: O presidente da Câmara dos Deputados vai apreciar o projeto; O presidente da Câmara vai apreciar o projeto. Câmara Municipal/de Vereadores Use caixa alta e baixa: O presidente da Câmara Municipal vai apreciar o projeto; O corregedor da Câmara de Vereadores vai analisar a denúncia. capital – Inicial minúscula, seja a referência a Manaus ou a qualquer outra capital do país. Cargos/função – sempre com minúscula: governador, desembargador, vereador, prefeito, vice-prefeito, secretário, subsecretário, doutor, juiz, papa, procurador, advogado. coletiva – Use entrevista coletiva. colocação de pronomes – Dê preferência à próclise (pronome antes do verbo). Eu o reconheci na exposição; Ele se declarou satisfeito com o resultado. Use a ênclise (pronome depois do verbo) para evitar começar frase com pronome. Mesóclise (pro-

distância – só admite crase quando se determina a distância: O carro parou à distância de 500 metros da feira; A Guarda Municipal ficou à distância de cinco metros dos vândalos. Mas, observe: O curso será ministrado pela modalidade “ensino a distância”. doutor – evite título acadêmico como tratamento. Quando for necessário citar o doutorado, mencione a universidade responsável pelo título: O seminário será coordenado pelo médico Fulano de Tal, doutor em Infectologia pela Universidade de Campinas (Unicamp).

— 87 —


epidemia – doença contagiosa que ataca grande número de pessoas ao mesmo tempo, em determinada área geográfica. escolas artísticas – use inicial minúscula: modernismo, impressionismo, barroco, neoclassicismo. Estado/estado –maiúscula quando se referir a torrão geográfico, ainda que no plural: O Estado do Amazonas vai receber 30% e os demais Estados, apenas 1%. Minúscula quando for sinônimo de situação, disposição: Ele se encontrava em um estado deprimente. exterior – sempre minúsculo. Exceto se compor nome próprio: Ministério das Relações Exteriores. face a – Forma incorreta. Grafe em face de ou ante no lugar de face a: Em face da manifestação, o show foi cancelado; Ante a manifestação, o show foi cancelado. faleceu – Evite esse eufemismo em texto jornalístico. Use morreu: O empresário morreu às 15h. fazer – com ideia de tempo ou fenômenos da natureza, o verbo é impessoal e fica no singular: Faz sete anos que trabalho aqui; se houver um verbo auxiliar, permanece no singular: Vai fazer cinco anos que o empresário morreu; se tiver sujeito, deve concor-

dar com o verbo: João e Maria fizeram 20 anos de casados; João fez cinco anos de idade. Federação – Use maiúscula apenas para designar o conjunto de Estados: O dinheiro será distribuído para todos os membros da Federação. Nos demais casos, use minúscula: A federação espírita vai enviar nota sobre o ocorrido. Fim/final – fim indica término, conclusão: fim de semana, fim de jogo, fim do ano, fim de tarde; use final para definir a parte final ou decisão de alguma coisa: O final da ópera é emocionante; A final do campeonato será no próximo sábado. Finalmente – quando estiver substantivado tem plural: Precisavam chegar aos finalmentes. Fisco – Sempre com inicial maiúscula. Mesma regra vale para Previdência; Previdência municipal; Previdência estadual. Forças Armadas – Sempre maiúscula,para designar o conjunto de instituições formado por Exército, Marinha e Aeronáutica. Gentílico – adjetivo para designar pessoa ou coisa de um determinado lugar. Gíria – evite em texto jornalístico.

— 88 —


Use apenas em reprodução de declarações. governo – sempre minúsculo: governo municipal, governo federal, governo do Estado.

ça da Matriz, parque municipal lagoa Senador Arthur Virgílio Filho, parque municipal do Mindu, parque da Juventude, avenida Padre Agostinho Caballero Martin, rua 10 de Julho.

guerra – Use maiúscula ao se referir a um conflito: Guerra do Golfo, Guerra Civil Espanhola, Primeira Guerra Mundial, Segunda Guerra Mundial.

lei/Lei – Se tiver nome, use maiúscula: Lei Maria da Penha; idem para citar o número da lei: Lei nº 2.320/2019; mas, ao grafar somente a palavra lei, use minúscula.

haja vista – Nunca use haja visto: Haja vista a convocação repentina para o trabalho, resolvi voltar. O termo também não varia no plural: Haja vista as inúmeras mensagens recebidas, resolvi voltar.

lua/Lua – ao se referir ao satélite natural da terra use maiúscula: Os astronautas chegaram à Lua; ao elemento da paisagem, use minúscula: O casal aproveitou para contemplar a lua nova.

idoso – use o termo apenas quando não for possível informar a idade exata do personagem da notícia.

maquiagem/maquiar – prefira estas formas, em vez de maquilagem/maquilar.

indígenas – Grafe: os barés, os ianomâmis, os tupis.

mascote – o termo é um substantivo feminino, logo, em qualquer circunstância use: Aquele vira-lata encontrado na rua permanece até hoje como a mascote da secretaria; O marinheiro Popeye foi a primeira mascote do Flamengo.

interior – sempre minúsculo. Exceto se compor nome próprio: Ministério do Interior. justiça – quando se referir à instituição, grafe com maiúscula: A decisão agora depende da Justiça; como substantivo feminino, grafe com minúscula: A aprovação fez justiça à sua dedicação aos estudos. lugares públicos – devem ter a inicial minúscula: largo São Sebastião, pra-

medida provisória – com iniciais maiúsculas apenas quando constar o número: Medida Provisória nº 432. Nos demais casos, use minúsculas. menor – não use o termo para criança ou adolescente.

— 89 —


meritíssimo – termo equivalente a mérito. Não use “meretíssimo”. meses – com minúscula e sem abreviatura, exceto em arte/tabela ou crédito de fotografia. ministério/Ministério –maiúscula para órgãos do governo federal: Ministério da Cidadania; minúscula quando apenas citar a palavra ministério. ministro – sempre com inicial minúscula, por se enquadrar na regra de cargos/função. nomes próprios – grafe de acordo com o registro oficial ou com a forma que a pessoa usa profissionalmente. Nova York – forma correta. Evite Nova Iorque. outrossim – descarte-a do seu vocabulário. Está em desuso. país – use minúscula. Não é sinônimo de Brasil. palavrão – não use. Ainda que seja uma transcrição. pandemia – Ela acontece quando uma epidemia se espalha por diversas regiões do planeta. Poderes da República – Escreva Poder Executivo, Poder Legislativo, Po-

der Judiciário, mesmo em segunda menção: Executivo, Legislativo, Judiciário, os três poderes. Mas use poder público, sempre em caixa baixa. Observação importante – use sempre minúscula para transporte, linhas e afins: ônibus executivo, transporte alternativo, linha executiva. prefeitura/Prefeitura – somente quando houver designação, use maiúsculas: Prefeitura Municipal de Manaus; Prefeitura de Iranduba. que – evite o excesso de que em textos jornalísticos. Se for possível, e para eliminá-lo, use ponto e divida o período em dois: O feirante disse que vai convocar os colegas para limpar a feira. Prometeu denunciar aqueles que sujarem as calçadas do entorno. Em vez de: O feirante disse que vai convocar os colegas para limpar a feira e que vai denunciar aqueles que sujarem as calçadas do entorno. república/República – use maiúscula para a instituição política: O presidente da República vai participar da reunião. Como forma de governo use minúscula: A monarquia sempre detestou a república. são/santo – sempre inicial minúscula. socio – o prefixo refere-se a fator social e não a parceria ou sociedade, portanto, sempre sem hífen e sem

— 90 —


acento: sociocultural, socioambiental, socioeconômico. título de nobreza – sempre com inicial minúscula: a duquesa de Orleans e Bragança. tratamento do leitor – em texto jornalístico, refira-se ao leitor sempre no singular: Leia mais sobre o assunto...; em vez de Leiam mais sobre o assunto. União – maiúscula quando se referir ao Brasil: O orçamento da União será votado ainda neste mês.

PARA NÃO ERRAR a/há: O presidente vem a Manaus daqui a um mês. Indicando futuro; O presidente esteve há um mês em Manaus. Indicando passado. Abaixo assinado: signatário. Abaixo-assinado:documento Absolver: inocentar, relevar da culpa imputada. Absorver: embeber em si, esgotar. Exemplos: O júri absolveu o réu. O solo absorveu lentamente a água da chuva. Acender: atear (fogo), inflamar. Ascender: subir, elevar-se.

Acerca de: sobre, a respeito de. A cerca de: a uma distância aproximada de ou a um tempo aproximado de. Há cerca de: faz aproximadamente (tanto tempo), existe aproximadamente. Cerca de: deve ser usada para indicar números aproximados, arredondamento de valores. Não deve aparecer em números que não sejam redondos. Acidente: acontecimento casual; desastre. Incidente: episódio; que incide, que ocorre. Adotar: escolher, preferir; assumir; pôr em prática. Dotar: dar em doação, beneficiar. Afim: que apresenta afinidade, semelhança, relação (de parentesco). A fim de: para, com a finalidade de. Alto: de grande extensão vertical; elevado, grande. Auto: ato público, registro escrito de um ato, peça processual. Aleatório: casual, fortuito, acidental. Alheatório: que alheia, alienante, que desvia ou perturba. À medida que: (locução proporcional) – à proporção que, ao passo que, conforme. Na medida em que: (locução causal) – pelo fato de que, uma vez que.

Acento: sinal gráfico; inflexão vocal. Assento: banco, cadeira.

— 91 —


Amoral: desprovido de moral, sem senso de moral. Imoral: contrário à moral, aos bons costumes, indecente. Ante (preposição): diante de, perante. Ante- (prefixo): expressa anterioridade. Anti- (prefixo): expressa contrariedade; contra. Ao encontro de: para junto de; favorável a. De encontro a: contra; em prejuízo de. Ao invés de: ao contrário de. Em vez de: em lugar de. A par: informado, ao corrente, ciente. Ao par: só é usado para indicar equivalência entre valores cambiais. Aparte: interrupção, comentário à margem. À parte: em separado, isoladamente, de lado. A princípio: no começo, inicialmente. Em princípio: antes de qualquer consideração; de maneira geral; em tese. Aresto: acórdão, caso jurídico julgado. Arresto: apreensão judicial, embargo.

Aferir: avaliar, cotejar, medir, conferir. Caçar: perseguir, procurar, apanhar (geralmente animais). Cassar: tornar nulo ou sem efeito, suspender, invalidar. Censo: alistamento, recenseamento, contagem. Senso: entendimento, juízo, tino. Cessão: ato de ceder. Seção: setor, subdivisão de um todo, repartição, divisão. Sessão: espaço de tempo que dura uma reunião, um congresso; espaço de tempo durante o qual se realiza uma tarefa. Cheque: da agência bancária. Xeque: do xadrez, ou título de sabedoria árabe, algo posto “em xeque”. Cível: relativo à jurisdição dos tribunais civis. Civil: relativo ao cidadão; cortês, polido (daí civilidade); não militar nem, eclesiástico. Colidir: trombar, chocar; contrariar. Coligir: colecionar, reunir, juntar.

Atuar: agir, pôr em ação; pressionar. Autuar: lavrar um auto; processar.

Comprimento: medida, tamanho, extensão, altura. Cumprimento: ato de cumprir, execução completa; saudação.

Auferir: obter, receber.

Concelho: circunscrição administra-

— 92 —


tiva ou município (em Portugal). Conselho: aviso, parecer, órgão colegiado.

Derrogar: revogar parcialmente (uma lei), anular. Derrocar: destruir, arrasar, desmoronar.

Concerto: sessão musical, formada pela união harmoniosa de vários sons. Conserto: reparo, remendo, restauração.

Descrição: ato de descrever, representação, definição. Discrição: discernimento, reserva, prudência, recato.

Conje(c)tura: suspeita, hipótese, opinião. Conjuntura: acontecimento, situação, ocasião, circunstância. Contravenção: transgressão ou infração a normas estabelecidas. Contraversão: versão contrária, inversão.

Descriminar: absolver de crime, tirar a culpa de. Discriminar: diferençar, separar, discernir. Despensa: local em que se guardam mantimentos, depósito de provisões. Dispensa: licença ou permissão para deixar de fazer algo a que se estava obrigado; demissão.

Costear: navegar junto à costa, contornar. Custear: pagar o custo de, prover, subsidiar. Custar: valer, necessitar, ser penoso.

Despercebido: que não se notou, para o que não se atentou. Desapercebido: desprevenido, desacautelado.

Deferir: consentir, atender, despachar favoravelmente, conceder. Diferir: ser diferente, discordar; adiar, retardar, dilatar.

Dessecar: secar bem, enxugar, tornar seco. Dissecar: analisar minuciosamente, dividir anatomicamente.

Degradar: deteriorar, desgastar, diminuir, rebaixar. Degredar: impor pena de degredo, desterrar, banir.

Destratar: insultar, maltratar com palavras. Distratar: desfazer um trato, anular.

Delatar (delação): denunciar, revelar crime ou delito, acusar. Dilatar (dilação): alargar, estender; adiar, diferir.

Deus/deus: Use maiúscula para designar o Ser Supremo. Inicial minúscula nos demais casos.

— 93 —


Distensão: ato ou efeito de distender, torção dos ligamentos de uma articulação. Distinção: elegância, nobreza, boa educação.

Espectador: aquele que assiste a qualquer ato ou espetáculo, testemunha. Expectador: que tem expectativa, que espera.

embaixadora/embaixatriz: a primeira desempenha o cargo de representante diplomático; a outra é a mulher do embaixador.

Esperto: inteligente, vivo, ativo. Experto: perito, especialista.

Emenda: correção de falta ou defeito, regeneração, remendo. Ementa: apontamento, súmula de decisão judicial ou do objeto de uma lei. Emergir: vir à tona, manifestar-se. Imergir: mergulhar, afundar (submergir), entrar. Emigrar: deixar o país para residir em outro. Imigrar: entrar em país estrangeiro para nele viver. Eminente (eminência): alto, elevado, sublime. Iminente (iminência): que está prestes a acontecer, pendente, próximo. Emitir (emissão): produzir, expedir, publicar. Imitir (imissão): fazer entrar, introduzir, investir. Empoçar: reter em poço ou poça, formar poça. Empossar: dar posse a, tomar posse, apoderar-se.

Espiar: espreitar, observar secretamente, olhar. Expiar: cumprir pena, pagar, purgar. Estada: ato de estar, permanência. Estadia: prazo para carga e descarga de navio ancorado em porto. Obs.: Contudo, em virtude do dinamismo da língua portuguesa, o vocábulo “estada” passou a assumir as mesmas acepções semânticas atribuídas a “estadia”. Significando a permanência de pessoas, animais, veículos, entre outros, num determinado local. A referida afirmativa é retratada por pelo menos dois dicionaristas brasileiros – Houaiss e Francisco Borba. Estância: lugar onde se está, morada, recinto. Instância: solicitação, pedido, rogo; foro, jurisdição, juízo. Estrato: cada camada das rochas estratificadas. Extrato: coisa que se extraiu de outra; pagamento, resumo, cópia; perfume. Flagrante: ardente, acalorado; diz-se

— 94 —


do ato que a pessoa é surpreendida a praticar (flagrante delito). Fragrante: que tem fragrância ou perfume; cheiroso. Folhar: produzir folhas, ornar com folhagem, revestir lâminas. Folhear: percorrer as folhas de um livro, compulsar, consultar. Incerto: não certo, indeterminado, duvidoso, variável. Inserto: introduzido, incluído, inserido. Incipiente: iniciante, principiante. Insipiente: ignorante, insensato. Induzir: causar, sugerir, aconselhar, levar a. Aduzir: expor, apresentar. Inflação: ato ou efeito de inflar; aumento persistente de preços. Infração: ato ou efeito de infringir ou violar uma norma. Infligir: cominar, aplicar (pena, castigo, repreensão, derrota). Infringir: transgredir, violar, desrespeitar (lei, regulamento, etc.). Inquerir: apertar (a carga de animais), encilhar. Inquirir: procurar informações sobre, indagar, investigar, interrogar.

cortar; ponto em que se encontram duas linhas ou superfícies. Inter- (prefixo): entre; preposição latina usada em locuções. Intra- (prefixo): interior, dentro de. Liberação: ato de liberar, quitação de dívida ou obrigação. Libertação: ato de libertar ou libertar-se. Lista: relação, catálogo; Listra: risca de cor diferente num tecido. Locador: que dá de aluguel, arrendador. Locatário: alugador, inquilino. Magistrado: juiz, desembargador, ministro. Magistral: relativo a mestre (latim: magister); perfeito, completo; exemplar. Mandado: garantia constitucional para proteger direito individual líquido e certo; ato de mandar; ordem escrita expedida por autoridade judicial ou administrativa: um mandado de segurança, mandado de prisão. Mandato: autorização que alguém confere a outrem para praticar atos em seu nome; procuração; delegação: o mandato de um deputado, senador, do Presidente.

Intercessão: ato de interceder. Interse(c)ção: ação de se(c)cionar,

— 95 —


Mandatário: aquele que recebe um mandato, executor de mandato, representante, procurador. Mandatório: obrigatório.

cia; palavra invariável que liga constituintes da frase. Proposição: ato de propor, proposta; máxima, sentença; afirmativa, asserção.

mau/mal: Observe: mau = bom; mal = bem. Era um menino mau (bom); O mal (bem) ainda predominava.

Prescrever: fixar limites, ordenar de modo explícito, determinar; ficar sem efeito, anular-se. Proscrever: abolir, extinguir, proibir, terminar; desterrar.

Ordinal: numeral que indica ordem ou série (primeiro, segundo, milésimo, etc.). Ordinário: comum, frequente, trivial, vulgar. Original: com caráter próprio; inicial, primordial. Originário: que provém de, oriundo; inicial, primitivo. Preceder: ir ou estar adiante de, anteceder, adiantar-se. Proceder: originar-se, derivar, provir; levar a efeito, executar. Pós-(prefixo): posterior a, que sucede, atrás de, após. Pré-(prefixo): anterior a, que precede, à frente de, antes de. Pró (advérbio): em favor de, em defesa de. Preeminente: que ocupa lugar elevado, nobre, distinto. Proeminente: alto, saliente, que se alteia acima do que o circunda. Preposição: ato de prepor, preferên-

Prever: ver antecipadamente, profetizar; calcular. Prover: providenciar, dotar, abastecer, nomear para cargo. Provir: originar-se, proceder; resultar. Prolatar: proferir sentença, promulgar. Protelar: adiar, prorrogar. Ratificar: validar, confirmar, comprovar. Retificar: corrigir, emendar, alterar. Reincidir: tornar a incidir, recair, repetir. Rescindir: dissolver, invalidar, romper, desfazer. Remição: ato de remir, resgate, quitação. Remissão: ato de remitir, intermissão, intervalo; perdão, expiação. Repressão: ato de reprimir, contenção, impedimento, proibição. Repreensão: ato de repreender, censura, advertência.

— 96 —


Sanção: confirmação, aprovação; pena imposta pela lei ou por contrato para punir sua infração. Sansão: nome de personagem bíblico; certo tipo de guindaste. Sedento: que tem sede; sequioso. Cedente: que cede, que dá. Sobrescritar: endereçar, destinar, dirigir. Subscritar: assinar, subscrever. Subentender: perceber o que não estava claramente exposto; supor. Subintender: exercer função de subintendente, dirigir. Subtender: estender por baixo. Sustar: interromper, suspender; parar, interromper-se (sustar-se). Suster: sustentar, manter; fazer parar, deter. Tacha: pequeno prego; mancha, defeito, pecha. Taxa: espécie de tributo, tarifa. Tachar: censurar, qualificar. Taxar: fixar a taxa de; regular, regrar.

Vultoso: de grande vulto, volumoso. Vultuoso: atacado de vultuosidade (congestão da face).

PALAVRAS E EXPRESSÕES PARA USAR/EVITAR O esforço de classificar expressões como de uso a ser evitado ou como de uso recomendável atende, primordialmente, aos princípios da clareza e da transparência que deve nortear a elaboração de todo texto oficial ou jornalístico. Não é aceitável, portanto, que, nesses textos, constem coloquialismos ou expressões de uso restrito a determinados grupos, que poderiam vir a comprometer sua própria compreensão pelo público. Além disso, devem ser evitados cacófatos, ou seja, “o encontro de sílabas que formam um novo termo com sentido torpe. Vejamos alguns exemplos selecionados:

Tráfego: trânsito de veículos, percurso, transporte. Tráfico: negócio ilícito, comércio, negociação.

A partir de: deve ser empregado preferencialmente no sentido temporal. Evite repeti-lo com o sentido de com base em. Exemplo: A cobrança do imposto entra em vigor a partir do início do próximo ano.

Trás: atrás, detrás, em seguida, após. Traz: 3.ª pessoa do singular do presente do indicativo do verbo trazer.

Ambos/Todos os dois: “ambos” significa os dois ou um e outro. Evite expressões pleonásticas como “am-

— 97 —


bos dois”, “ambos os dois”, “ambos de dois”, “ambos a dois”. Quando for o caso de enfatizar a dualidade, empregue “todos os dois”. Exemplo: Todos os dois ministros assinaram a portaria. Anexo: o adjetivo “anexo” concorda em gênero e em número com o substantivo ao qual se refere. Use também os termos junto, apenso. Em anexo: a locução adverbial “em anexo”, como é próprio aos advérbios, é invariável. Empregue também os termos conjuntamente, juntamente com. Exemplos: Encaminho as minutas anexas. Dirigimos os anexos projetos à chefia. Ao nível de: a locução tem o sentido de ”à mesma altura de”. Evite seu uso com o sentido de em nível, com relação a, no que se refere a. Em nível (de): significa nessa instância. “A nível (de)” constitui modismo que é melhor evitar. Exemplos: A decisão foi tomada em nível ministerial. Em nível político, será difícil chegar-se ao consenso. Assim: Use após a apresentação de alguma situação ou proposta para ligá-la à ideia seguinte. Alterne com: dessa forma, desse modo, diante do exposto, diante disso, consequentemente, portanto, por conseguinte, assim sendo, em consequência, em vista disso, em face disso. Através de: significa de lado a lado, de atravessado, de través: O sangue

circula através das veias. Portanto, evite usar em sentido diferente. Substitua-o. Bem como: evite o uso, pois é polêmico para certos autores. Neste sentido, prefira usar: e, como (também), igualmente, da mesma forma. Cada: este pronome indefinido deve ser usado em função adjetiva. Evite a construção coloquial “foi distribuída uma cesta básica a cada”. Exemplo: Quanto às famílias presentes, foi distribuída uma cesta básica a cada uma. Causar: evite repetir. Use também: originar, motivar, provocar, produzir, gerar, levar a, criar. Chegar a/chegar em: Nunca escreva chegar em. O correto é chegar a algum lugar: Delegação amazonense chega hoje a (e não “em”) São Paulo; A chegada do ministro ao (e não “no”) Brasil está marcada para terça-feira. Só se usa chegar em na designação de tempo ou com a palavra casa: Chegará em uma hora; Chegou ontem em casa. Constatar: evite repetir. Alterne com: atestar, apurar, averiguar, certificar-se, comprovar, evidenciar, observar, notar, perceber, registrar, verificar. De forma que, de modo que/de forma a, de modo a: “De forma (ou maneira, modo) que” nas orações desenvolvi-

— 98 —


das. “De forma (maneira ou modo) a” nas orações reduzidas de infinitivo. São descabidas na língua escrita as pluralizações “de formas (maneiras ou modos) que...” Exemplos: Deu amplas explicações, de forma que tudo ficou claro. Deu amplas explicações, de forma (maneira ou modo) a deixar tudo claro. Devido a: evite repetir. Utilize igualmente: em virtude de, por causa de, em razão de, graças a, provocado por. Dirigir: quando empregado com o sentido de encaminhar, alterne com transmitir, mandar, encaminhar, remeter, enviar, endereçar. Ele/ela “foi comunicado(a)” do fato: O fato é comunicado a alguém, mas ninguém é comunicado do fato. Portanto, ela foi informada, avisada, cientificada. Está errada a construção: A direção da empresa comunicou os funcionários da nova medida. O correto é: A direção da empresa comunicou a nova medida aos funcionários. Enquanto: conjunção proporcional equivalente a “ao passo que”, “à medida que”. Evitar a construção coloquial “enquanto que”. Especialmente: use também: principalmente, notadamente, sobretudo, nomeadamente, em especial, em particular.

Informar: alterne com: comunicar, avisar, noticiar, participar, inteirar, cientificar, instruir, confirmar, levar ao conhecimento, dar conhecimento. Junto a: significa proximidade física. Embora usual nos meios forenses, é impróprio o uso das expressões “junto a” e “junto o”, em frases como: Declaramos junto à Receita Federal do Brasil. Use Declaramos à Receita Federal do Brasil. Exemplo: Ele está sentado junto à porta. (próximo à porta) Mesmo: quando equivale a “próprio”, “idêntico” ou “igual” é variável. Exemplos: Ela mesma (própria) entregou o documento. O mesmo fato (fato idêntico) ocorreu comigo. Eles debateram os mesmos problemas. (problemas iguais, idênticos). Como advérbio, equivalente a de fato, realmente. Exemplos: Eles não virão mesmo (realmente) à reunião. Ele apresentou mesmo (de fato) o relatório. Substantivado no singular, precedido do artigo definido, equivalente a mesma coisa. Exemplo: Aceitar não é o mesmo que permitir. A expressão “o(a) mesmo(a)” , “os(as) mesmos(as)” pode gerar ambiguidade na frase. Exemplo: Doou em vida seu coração. Espero que o mesmo possa salvar uma pessoa. Doou em vida seu coração. Espero que o órgão/o gesto/o doador possa salvar uma pessoa. Para evitar esse uso, prefira: a) eliminá-lo: Exemplo: Os diretores se reuniram e (os mesmos) decidiram aceitar a propos-

— 99 —


ta. b) substituí-lo por uma palavra ou expressão equivalente: Exemplo: Eram duas metralhadoras. As (mesmas) armas foram deixadas no porta-malas. c) substituí-lo por pronome. Exemplos: O réu foi até a vítima e falou (com a mesma) com ela. Leu o relatório e tirou (do mesmo) dele várias conclusões. O advogado ofereceu ajuda ao réu, mas (o mesmo) este não aceitou. Não se deve empregar a expressão “o(a) mesmo(a)”, “os(as) mesmos(as)” no lugar de pronome pessoal. Exemplo: Chamei a secretária e a mesma não atendeu. Prefira: Chamei a secretária e ela não atendeu. Nem: conjunção aditiva que significa “e não”, “e tampouco”, dispensando, portanto, a conjunção “e”. Evite a dupla negação “não nem”, “nem tampouco”, etc. Exemplo: Não foram feitos reparos à proposta inicial, nem à nova versão do projeto. Uso equivocado: Não pode encaminhar o trabalho no prazo, nem não teve tempo para revisá-lo. O correto é: Não pode encaminhar o trabalho no prazo, nem teve tempo para revisálo. No sentido de: empregue também: com vistas a, a fim de, com o fito (objetivo, intuito, fim) de, com a finalidade de, tendo em vista ou mira, tendo por fim. Objetivar/ter por objetivo: ter por objetivo pode ser alternado com pretender, ter por fim, ter em mira, ter como propósito, no intuito de, com o

fito de. Objetivar significa antes materializar, tornar objetivo (objetivar ideias, planos, o abstrato), embora possa ser empregado também com o sentido de ter por objetivo. Evite o emprego abusivo alternando-o com sinônimos como os referidos. Onde: como pronome relativo significa “em que (lugar)”. Evite construções como: “a lei onde é fixada a pena” ou “o encontro onde o assunto foi tratado”. Nesses casos, substitua “onde” por “em que”, “na qual”, “no qual”, “nas quais”, “nos quais”. O correto é, portanto: “a lei na qual é fixada a pena”, “o encontro no qual (em que) o assunto foi tratado”. Exemplo: A cidade onde nasceu. O país onde viveu. Opor veto (e não apor): Vetar é opor veto. Apor é acrescentar (daí aposto, que significa (o) que vem junto). O veto, a contrariedade são opostos, nunca apostos. Pertinente: (derivado do verbo latino pertinere) significa pertencente ou oportuno. Pertencer: se originou do latim pertinescere, derivado sufixal de pertinere. Esta forma não sobreviveu em português; não empregue, pois, formas inexistentes como “no que pertine ao projeto”; nesse contexto use no que diz respeito, no que respeita, no tocante, com relação.

— 100 —


Posição: pode ser alternado com: postura, ponto de vista, atitude, maneira, modo. Posicionamento: significa “disposição”, “arranjo”, e não deve ser confundido com posição. Posto que: é conjunção concessiva (sinônimo de embora, apesar de que, ainda que, se bem que). O uso da locução “posto que” como causal não é registrado em Aurélio, e Houaiss registra como regionalismo brasileiro de uso informal, observando que é rejeitado pelos gramáticos, o que desaconselha o seu uso nesta acepção na linguagem formal. Exemplo: Vivia modestamente, posto que (embora) tivesse muito dinheiro . Relativo a: empregue também: referente a, concernente a, tocante a, atinente a, pertencente a, que diz respeito a, que trata de, que respeita. Ressaltar: varie com: destacar, sublinhar, salientar, relevar, distinguir, sobressair. Tratar (de): empregue também: contemplar, discutir, debater, discorrer, cuidar, versar, referir-se, ocupar-se de. um dos que: A concordância é sempre no plural: Ele foi um dos que perderam a aposta; Maria foi uma das que ganharam a aposta.

Viger: significa “vigorar”, “ter vigor”, “funcionar”. Verbo defectivo, sem forma para a primeira pessoa do singular do presente do indicativo, nem para qualquer pessoa do presente do subjuntivo, portanto. Exemplos: O Decreto prossegue vigendo. A portaria vige. A lei tributária vigente naquele ano.

ESCREVA CERTO A àla carte alta-tensão alter ego amigo-oculto aneizinhos ano-base Ano-Novo antediluviano ante-histórico antessala antiético anti-herói anti-imperialista antirrábico B baixo-astral banana-da-terra bangue-bangue banho-maria bate-boca bate-papo beira-mar bem-acabado bem-aventurado

— 101 —


bem-feito bem-humorado bem-vindo bugiganga

efeito cascata efeito estufa eletroacústica erva-de-passarinho

C cabeça-dura cabo de guerra caça-níqueis caixa-d’água caixa-preta (de aeronave) cana-de-açúcar cardiorrespiratório carro-chefe cartão-postal castanha-do-pará centro (da cidade; centro histórico) Centro (bairro) cirurgião-dentista coautor cor-de-rosa contrassenso

F fã-clube fac-símile factual fanzoca fascista fazenda-modelo faz-tudo feedback ferro-velho flashback fotolegenda

D dáblio darwiniano data-base decreto-lei deixa-disso descarrilar desenxabido despretensioso deus-dará disenteria E ecossistema eczema edifício-garagem

G galinha-d’angola gandhismo gângsteres ganha-pão garçom garoto-propaganda general de Exército gato-pingado gênese geringonça grã-fino guarda-civil (policial) Guarda Civil (entidade) guarda-volumes H habeas corpus habeas data habitat Halloween

— 102 —


hemorroidas herege homem-chave homoafetivo I ibero-americano idiossincrasia imbróglio imundície imunodepressão incipiente (principiante) infantojuvenil infectocontagioso in memoriam intervivos J jabuti jabuticaba jazigo jenipapo jerimum jiboia jogo da velha jogo do bicho jurisdição justaposição

K kafkiano kardecista know-how Kuwait kuwaitiano

L lacrimejar lambe-lambe lambuzar lança-chamas lantejoula lasanha lateral direito latino-americano lato sensu lava-pés lero-lero licença-prêmio lua de mel M macroambiente macrorregião má-fé mal-acabado malcheiroso mal-entendido mal-estar mal humor mal-humorado megassucesso meia-entrada mesa-redonda microcirurgia micro-ônibus minissaia multirracial muçarela N nariz de cera natureza-morta navio-escola navio-tanque

— 103 —


neurorradiologia Nova York novo-rico noz-moscada O Obra de arte Obra-prima Obsolescência Odisseia Olho-d’água Ordem do dia P país-membro país-símbolo palavra-chave papo-furado paramédico para-lama paraquedas peixe-boi pente-fino personagem-título plano-piloto pluripartidário pôr do sol Q Quarta-Feira de Cinzas quebra-cabeça queda de braço quiproquó quitinete R rabo-de-arraia rabo de saia radioamador

radiorrelógio radiotáxi rato-de-esgoto recém-aberto retrato falado roda-viva S sabe-tudo saca-rolhas saci-pererê saia justa salário-base salário mínimo salário-família salva-vidas salvo-conduto secretário-geral seguro-desemprego semiaberto semianalfabeto sem-vergonha Sexta-Feira Santa sicrano T tapa-olho táxi-aéreo teatro-revista terraplenagem testa de ferro texto-legenda tim-tim por tim-tim tíquete-refeição tira-teimas todo-poderoso tupi-guarani

— 104 —


U uísque ultra-apressado ultrarrealista ultrassecreto ultrassom ultravioleta umbigo urubu-rei V vagalume vagão-leito vaivém vale a pena vale-compra vale-refeição vasectomia vasodilatador viacrucis via-sacra videojogo vira-casaca W workshop X xaxado xeque-mate xodó xote Y York Z zarabatana zé-povinho

zero-quilômetro zigue-zague zigue-zaguear zíper zoada zoeira zum-zum-zum

PALAVRAS ESTRANGEIRAS QUE NÃO NECESSITAM DE ITÁLICO Na produção de textos em língua portuguesa a recomendação é que sejam grafadas em itálico as palavras estrangeiras. Porém, há uma série delas que não requerem mais o uso do itálico, uma vez que já foram incorporadas ao português. Veja quais são: A a posteriori a priori abstract affaire airbag antidoping B baby baby-doll baby-sitter backup bacon banner barman

— 105 —


beagle best-seller bit blitz blog blues blush boom breakfast brie briefing brownie browser brunch buffet bug bureau byte

copyright corpus

C camping campus caput carpaccio chantilly chat checklist check-in check-out check-up cheddar chef chester chip clipping close closet coffee-break commodity

F factoring fast-food feedback feeling flash flashback flat fondue freelancer free shop freezer funk

D deadline design designer desktop display doping download drink E e-book e-mail expert expertise

G game gay gentleman gigabyte glamour

— 106 —


golf gospel gourmet grill H habeas corpus habeas data hacker hall hamster happy hour hardware hit hobby I iceberg influenza in natura in vitro input insight J jazz jeans jingle jogging K kart ketchup know-how L lady laptop laser

latosensu leasing light link lobby log in log off logon M make-up marketing marshmallow mignon milk-shake miss mister mouse N nécessaire net notebook nylon O off office-boy off-line on-line outdoor outlet overbooking P paella pedigree pen drive per capita

— 107 —


performance pickup piercing pin-up pixel pizza playback playboy playground pole-position poodle pub punk Q quiche quórum R rack rafting ranking rap rapper rave recall record reggae relax release remake replay resort Réveillon revival rock round royalty rush

S script self-service set shopping show showroom shoyu site slide slogan smoking smartphone spam spray staff standard stand-by status stretch stricto sensu sushi T tablet teflon telemarketing ticket timer top tour trailer transfer trash tsunami

— 108 —


U underground upgrade upload V van versus videogame W waffle web webmaster wi-fi whisky workaholic workshop Y yakisoba yang yorkshire-terrier Z zoom

— 109 —


Referências ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp). Disponível em: https://www.academia.org.br/nossa-lingua/ busca-no-vocabulario ARAÚJO, R.A.; VALLE, M.I.M. De Assessoria Multimídia à Fonte Oficial: Um Breve Panorama de Estratégias de Produção Jornalística da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Manaus. Intercom, 2019. Disponível em: https:// portalintercom.org.br/anais/nacional2019/resumos/R14-1760-1.pdf BECHARA, Evanildo; CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da Língua Portuguesa. 14. ed. rev. e atual. São Paulo: Nacional, 1976. BRASIL. Presidência da República. Manual de Redação da Presidência da República. 2. ed. Brasília: Presidência da República, 2002. Disponível em http:// www4.planalto.gov.br/centrodeestudos/assuntos/manual-de-redacao-dapresidencia-da-republica/manual-de-redacao.pdf BRASIL. Senado Federal. Manual de Comunicação da Secom. Disponível em https://www12.senado.leg.br/manualdecomunicacao BRASIL. Câmara dos Deputados. Manual de Redação da Câmara dos Deputados, 2004. Disponível em http://bd.camara.gov.br/bd/handle/bdcamara/5684 SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Manual de Redação e Procedimentos UnB Secom. Disponível em https://noticias.unb. br/images/Noticias/manual_secom.pdf

— 110 —


BRASIL. Departamento Estadual de Arquivo Público. Manual de comunicação escrita oficial do Estado do Paraná. Curitiba: Deap, 2001. (Disponível em http://www.efaz.fazenda.pr.gov.br/modules/noticias/article. php?storyid=103&tit=MANUAL-DE-COMUNICACAO-ESCRITA-OFICIALDO-ESTADO-DO-PARANA MANUAL de redação e estilo: O Estado de S. Paulo. São Paulo: O Estado de S. Paulo, 2004.


Profile for Prefeitura de Manaus

Manual de Redação - Semcom  

Manual de Redação - Semcom  

Advertisement