Page 1

Fotos: Breno Pataro

Ano XIX • N. 4.353• R$ 0,85

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município - DOM

Tiragem: 2.500 • 17/7/2013

PBH adota sistema de Parceria Público-Privada e amplia atendimento na educação municipal

Iniciativa inovadora resulta em 37 novas unidades de ensino e quase 19 mil vagas na educação infantil e no ensino fundamental A Prefeitura de Belo Horizonte, em uma iniciativa inovadora, adotou o sistema de Parceria Público-Privada

(PPP) para ampliar a estrutura da Rede Municipal de Educação. Até o final de 2014 Belo Horizonte terá 37 novas

unidades escolares, fruto de uma parceria entre a Prefeitura e a empresa Odebrecht. O primeiro prédio será entregue no segundo semestre deste ano e abrigará a Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) do bairro Belmonte, na região Nordeste. Outras 17 obras já estão em andamento. Ao

todo, serão construídas, por meio da PPP, 32 Umeis e cinco escolas de ensino fundamental, o que representa 14 mil novas vagas na educação infantil e 4.800 vagas no ensino fundamental. Desenvolvida pelas secretarias municipais de Educação e de Desenvolvimento, a PPP representa

Responsabilidade compartilhada Pelo contrato, firmado em junho de 2012, a Odebrecht será responsável pela construção e pela manutenção predial das novas unidades, além da operação de alguns serviços, como os de limpeza e segurança. A empresa terá a concessão pelo período de 20 anos e deverá investir R$ 190 milhões. As atividades pedagógicas, o serviço de merenda e a administração das novas unidades continuam sendo executados pela Prefeitura de Belo Horizonte. Neste modelo de contrato, além das garantias de qualidade, os ganhos em custo e prazo são grandes. A história deste tipo de parceria indica que a chance da obra atrasar ou sofrer alteração de custo é 80% menor do que em relação a uma obra de licitação comum. Para o gerente de Gestão de Parcerias Público-Privadas, Luciano Teixeira Cordeiro o projeto da PPP da Educação contribuiu para o aprendizado dos agentes públicos envolvidos. “Como a metodologia de operacionalização do projeto é bastante diferente do modelo tradicional de contratação, muito esforço é despendido na construção de uma sinergia operacional entre o público e o privado, visando à entrega do produto final, que são vagas de qualidade para os ensinos infantil e fundamental”, disse. Os projetos arquitetônicos das novas unidades foram desenvolvidos pela Prefeitura, por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap). Em padrão único, as Umeis terão 1.100 metros quadrados, com dois pavimentos, 20 salas de aula, berçário, refeitório e áreas de serviço e pode atender 440 crianças de zero a 6 anos. Já as escolas terão 3.500 metros quadrados de área construídas, três pavimentos com 16 salas e infraestrutura adequada para o atendimento de 960 estudantes do ensino fundamental, incluindo espaços para atividades do programa Escola Integrada. BOX 2

Saiba mais sobre a Parceria Público-Privada O que é Modelo de contratação de serviços públicos em que há cooperação entre os setores público e privado.

Projeto inovador

O projeto de PPP, desenvolvido pela Prefeitura com o apoio do Internacional Finance Corporation (IFC) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), foi relacionado pela publicação “Infrastructure 100” como um dos cem projetos de infraestrutura urbana mais inovadores e inspiradores do mundo. Comparado ao projeto de PPP da cidade de Nova York, o da capital mineira é pioneiro no Brasil e representa um grande impacto social positivo para a cidade. Outros nove projetos indicados pela publicação são brasileiros, como o projeto de consumo eficiente de energia da cidade de Búzios-RJ, o Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, e o Hospital do Subúrbio, em Salvador, na Bahia. A Prefeitura aponta como principais benefícios da implantação da PPP a concentração de atividades em um mesmo contrato de longo prazo, a redução de custos, ganhos de eficiência e nível de serviço, como menores prazos e melhor qualidade, além da desoneração do investimento e das contas públicas, entre outros fatores.

Onde estarão as novas escolas e Umeis Barreiro: 4 Umeis Região Leste: 2 Umeis e uma escola de ensino fundamental Região Nordeste: 5 Umeis e uma escola de ensino fundamental Região Noroeste: 6 Umeis Região Norte: 4 Umeis e uma escola de ensino fundamental Região Oeste: 3 Umeis Pampulha: 3 Umeis e uma escola de ensino fundamental Venda Nova: 5 Umeis e uma escola de ensino fundamental

dom 4353.indd 1

um esforço conjunto da PBH em ampliar a oferta de vagas nas escolas municipais e entregar serviços de qualidade para os alunos, especialmente na educação infantil. A escolha do investidor foi feita pelo menor valor da contrapartida apresentada por aqueles que atenderam aos requisitos do edital, publicado em março de 2012. “A PPP é um instrumento que viabilizará a diminuição do déficit do atendimento da educação infantil no menor tempo possível, garantindo o acesso das crianças a esse nível de ensino, o que é nosso principal objetivo”, destacou José Aloísio Gomes Freire de Castro, gerente do projeto sustentador Expansão da Educação Infantil, parte do programa BH Metas e Resultados. Para a secretária municipal de Educação, Sueli Baliza, a iniciativa representa o que há de mais moderno na relação entre o público e o privado e inova a parceria entre o primeiro e o segundo setores. “A rapidez e a eficiência no trabalho realizado até aqui demonstram o quanto a PPP está em consonância com as necessidades e demandas da área de Educação”, disse. Para Sueli, os resultados serão muito positivos, tanto na ampliação quanto na melhoria da qualidade do atendimento da rede municipal, uma vez que o projeto pedagógico é de responsabilidade da Prefeitura. Na opinião do secretário municipal de Desenvolvimento, Custódio Mattos, a maior vantagem de uma PPP em investimentos sociais é antecipar a disponibilidade de equipamentos públicos de qualidade para a população. “Serão 37 escolas de alta qualidade, com aproximadamente 20 mil vagas para alunos em apenas dois anos”, comentou.

Funcionamento Para o ente privado: • Construção e operação de um serviço público que lhe é concedido por um determinado período de tempo • Arca com os custos de construção e operação do serviço público concedido Para o ente público: • Remuneração parcial ou integral do parceiro privado pelo serviço prestado, conforme o desempenho obtido ao longo da concessão. • Garante o atendimento do interesse público.

Principal objetivo

Viabilização de obras e serviços de infraestrutura que não seriam possíveis somente com investimento e/ou esforço público, com economia e maior eficiência obtidos através da parceria com o setor privado.

16/07/2013 18:52:47


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

2

Poder Executivo Quarta-feira, 17 de julho de 2013

Centro Cultural São Bernardo leva arte para as ruas 9, na avenida Washington Luiz, na Praça da Solidariedade. Entre as apresentações merecem destaque a peça “O último copo d’água do mundo”, do Circo Alônico, e a dança do grupo Rosas do São Bernardo, formado por senhoras da região. O evento terminou com uma sessão de cinema de curtas infantis da Programadora Brasil. “É muito importante que as pessoas conheçam o trabalho dos centros culturais. É importante

também para a comunidade, que às vezes é carente deste tipo de atividade”, disse Ana Cristina, moradora do bairro. A partir de agora, toda segunda terça-feira do mês o Centro Cultural São Bernardo irá para as ruas e praças da região. Quem também recebeu o evento, ontem, foi o bairro Heliópolis.

Fotos: Luana Oliveira

Com o objetivo de aproximar a comunidade, o Centro Cultural São Bernardo (rua Edna Quintel, 370, bairro São Bernardo) inovou suas apresentações e levou para a rua as atrações do equipamento cultural. Teatro, biblioteca, atividades de brinquedos e brincadeiras, dança e exibição de filmes foram algumas das apresentações do projeto Centro Cultural na Rua, realizadas na terça-feira,

Avenida Washington Luiz recebeu diversas atividades culturais

Projeto Centro Cultural na Rua vai levar arte para vários bairros

Fotos: Guilherme Maciel

Exposição em homenagem ao modernista Arthur Arcuri entra em cartaz na Casa do Baile

Está em cartaz na Casa do Baile (avenida Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha), a exposição “Arthur Arcuri: um Pingente da Arquitetura”, que homenageia o centenário de nascimento do modernista responsável pelo projeto arquitetônico do campus da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A mostra traz proje-

tos do arquiteto divididos nas categorias arquitetura, paisagismo e interiores. Ela é gratuita e pode ser vista de terça a domingo, das 9h às 18h. A exposição tem curadoria dos arquitetos Marcos Olender, Bernardo da Silva Vieira, Ademir Nogueira de Ávila e Mônica Cristina Henriques Leite Olender e apresenta uma reunião de projetos arquitetônicos de Arcuri que vão desde o do campus da UFJF ao do Marco do Centenário de Juiz de Fora, passando pelo da Santa Casa e construções residenciais.

Arcuri

O engenheiro e arquiteto Arthur Arcuri nasceu em Juiz de Fora, filho caçula do comendador Pantaleone Arcuri e de Christina Spinelli Arcuri. Aos 10 anos, mudou-se para Niterói, onde foi estudar no Salesiano Santa Rosa, sendo posteriormente transferido para o Colégio Diocesano São José, no Rio de Janeiro. Começou o curso de Engenharia em Belo Horizonte, terminando no Rio de Janeiro, onde se formou pela Escola Politécnica em 1937. Em seguida, fez um curso de especialização em Cálculo de Concreto Armado e, por influência de seus sobrinhos, estudantes de Arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes, passou a frequentar a biblioteca da instituição e a acompanhar a arquitetura e as artes plásticas através de revistas e livros. Em 1948, o trabalho de Arcuri entra em uma fase mais madura com os projetos para as residências de João Villaça (1948), Romeu Arcuri (1949), Jorge Miana (1950), Horácio Loyola Pires (1950), Virgínia Mendes Torres (1951), Antônio Carlos Pereira (1951), Luiz Stheling (1952), Hugo Mescolin (1953), Frederico Assis (1955) e Geraldo Magela (1957), além de seu projeto mais famoso: o Marco do Centenário de Juiz de Fora (1950), que foi tombado pelo Instituto do Patimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2001 e é considerado o primeiro mural moderno realizado em praça pública no Brasil.

Casa do Baile

Espaço em que as curvas características das obras de Niemeyer aparecem com maior desenvoltura, a Casa do Baile foi concebida pelo arquiteto e por Roberto Burle Marx, propondo uma integração total com o ambiente da lagoa. O local desenvolve exposições, divulga e produz publicações, mostras, seminários, encontros e eventos relacionados às áreas de urbanismo, arquitetura e design. Mostra apresenta projetos divididos em três categorias diferentes

dom 4353.indd 2

16/07/2013 18:53:33


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Quarta-feira, 17 de julho de 2013

Academia a Céu Aberto, espaço para a promoção da saúde na região Norte proporcionam saúde, diversão e interação. Esses são alguns dos be-

Fotos: Frederico Franco

Um espaço gratuito para a prática de atividades físicas que

Bairro Etelvina Carneiro recebeu os equipamentos na última semana

nefícios da Academia a Céu Aberto. Projeto desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, em áreas públicas abertas como praças e canteiros centrais, tem como objetivo a melhoria da qualidade de vida dos moradores. Na região Norte já foram instaladas sete unidades e a previsão é que outras sejam entregues até o final do ano. Na última semana, o bairro Etelvina Carneiro recebeu a instalação de uma unidade do programa. As unidades das academias a céu aberto foram feitas para o fortalecimento de grupos musculares sem prejudicar a saúde. Elas são instaladas em espaços inutilizados que são revitalizados com o intuito de proporcionar mais um local para a prática de atividades físicas com qualidade. A academia conta com aparelhos como simulador de ca-

minhada, simulador de cavalgada, pressão de pernas, supino, simulador de remo, alongador e outros. Os locais que já receberam a Academia a Céu Aberto na região Norte são o canteiro central da avenida Risoleta Neves com a avenida Saramenha no bairro Aarão Reis; a Praça Jorge Alves, na avenida Saramenha, no bairro Guarani; a rua Osório Duque Estrada, no bairro Campo Alegre; a avenida Cecília Pinto, no bairro São Bernardo; a Praça da rua Cheflera, no bairro Etelvina Carneiro, a rua Professor Carlos de Almeida, no bairro Monte Azul, e a rua Vereda Tropical, no bairro Cassange. Para a usuária Selma Lúcia, moradora do bairro Juliana, a Academia a Céu Aberto é de extrema importância. “Fiquei diabética e meu médico receitou atividades físicas. Venho aqui para cuidar da minha saúde. A praça ficou linda”, disse. De acordo com o gerente de Projetos da Regional Norte, Matheus Carvalho, o investimento na instalação de cada unidade da Academia a Céu Aberto, que reúne

Fórum na Secretaria de Educação  reúne cerca de 600 famílias SMED dom 4353.indd 3

Acontece hoje o terceiro sorteio, voltado para os servidores e promovido pela Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Informação (SMPL), dos pares de cortesias para a peça “10 Maneiras Incríveis de Destruir Seu Casamento”, em cartaz até o dia 27 de julho no Espaço Cultural Imaculada (rua Aimorés, 1.600, bairro Lourdes). As inscrições podem ser feitas até às 15h, pelo site da Prefeitura de Belo Horizonte (www.pbh.gov.br), no banner do sorteio localizado na Sala do Servidor. É necessário que um e-mail institucional da Prefeitura esteja aberto antes do cadastramento, para que o link seja corretamente direcionado. É possível escolher a data da apresentação. Serão sorteados 12 pares

o encontro as famílias tiveram a oportunidade de apresentar sugestões, críticas e demandas, contribuindo para a constante melhoria da educação.

Programa

O programa Família-Escola foi lançado em 2005 pela Prefeitura de Belo Horizonte para criar uma rede de colaboração, diálogo e parceria entre as famílias, escolas e comunidades, visando garantir o acesso, o retorno, a permanência, o aprendizado e o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens. Promove várias ações para fortalecer a parceria entre a família e a escola, tais como encontros regionalizados, visitas domiciliares, jornal Família-Escola, monitoramento da frequência e o Fórum Família-Escola, entre outras atividades.

de ingressos para as apresentações de sexta, sábado e domingo. Mais informações sobre as inscrições podem ser obtidas pelo telefone 3277-4449.

Fotos: Divulgação

Sueli Baliza, o secretário municipal adjunto de Educação, Afonso Celso Renan Barbosa, gestores, profissionais da Educação e famílias de alunos da rede municipal. Durante

um conjunto de 12 aparelhos, é de cerca de R$ 5 mil. Os próximos bairros a receberem a Academia a Céu Aberto na região Norte são Tupi, Ribeiro de Abreu, Novo Tupi, Tupi A, Vila Clóris e Planalto.

Secretaria de Planejamento sorteia entre servidores ingressos para peça de teatro

Importância da articulação entre família e escola foi ressaltada no encontro

Cerca de 600 famílias comparecerem no início de julho ao 30º Fórum Família Escola, realizado na Secretaria Municipal de Educação (rua Carangola, 288, bairro Santo Antônio), quando foi discutida a importância da articulação entre a família e a escola na busca de uma educação de qualidade. O fórum integra o programa Família-Escola e tem o objetivo de promover a aproximação com as famílias, dando a oportunidade do diálogo direto da comunidade com a Secretaria Municipal de Educação. Participaram do evento a secretária municipal de Educação,

3

16/07/2013 18:53:42


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

38

Quarta-feira, 17 de julho de 2013

Indicadores Econômicos de Belo Horizonte Taxas de Juros – Junho de 2013

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1)

IPCR(2)

Taxas médias praticadas(1)

Setores Menor

Maior

Diferença (%)

Média

2,04

5,90

189,22

4,32

Prefixada (montadoras)

0,89

1,69

89,89

1,30

Prefixada (multimarcas)

1,20

2,40

100,00

1,63

Prefixada (montadoras)

1,16

1,90

63,79

1,50

Prefixada (multimarcas)

1,34

2,15

60,45

1,78

Cartão de Crédito

4,14

20,48

394,69

12,69

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Cheque Especial (2) (8)

3,98

10,21

156,53

7,87

(2) IPCR= Índice de Preços ao Consumidor Restrito: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 5 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Combustíveis

5,70

15,38

169,82

9,21

Imóveis Construídos

0,18

3,27

1.716,67

1,30

Imóveis na Planta

0,18

2,92

1.522,22

1,70

0,75

2,90

286,67

1,97

CDC - Financeiro (8)

3,00

4,57

52,33

3,75

CDC - Bens Alienáveis (8)

1,13

1,89

67,26

1,37

Eletroeletrônicos

2,06

4,93

139,32

3,66

Mobiliário

0,54

5,86

985,19

2,93

12,27

14,43

17,60

13,56

Nacional

0,89

2,37

166,29

1,49

Internacional

1,32

2,39

81,06

1,86

1,41

6,90

389,36

2,77

Período

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

fev/13

396,80

-0,20

2,18

Últimos 12 Meses 5,39

mar/13

398,78

0,50

2,69

abr/13

400,74

0,49

mai/13

401,90

jun/13

402,94

1ª jul/13

424,09 (3)

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

398,73

-0,40

1,60

Últimos 12 Meses 5,24

5,60

401,12

0,60

2,21

5,36

3,19

5,75

403,29

0,54

2,76

5,35

0,29

3,49

5,71

404,42

0,28

3,05

5,09

0,26

3,76

5,87

405,11

0,17

3,23

4,99

0,24

4,30

5,90

426,42 (3)

0,00

3,65

4,93

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

Construção Civil (3) (7)

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Período

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

Cesta Básica

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

IPCA(1)

Salário Mínimo

jan/13

397,59

1046,46

Cesta Básica(2) 544,68

fev/13

396,80

1046,46

550,38

-0,20

0,00

1,05

2,18

9,00

10,84

5,39

9,00

20,64

mar/13

398,78

1046,46

563,60

0,50

0,00

2,40

2,69

9,00

13,51

5,60

9,00

25,42

Financeiras Independentes Turismo

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

2,38

9,00

9,70

2,38

9,00

9,70

5,51

9,00

13,66

abr/13

400,74

1046,46

578,77

0,49

0,00

2,69

3,19

9,00

16,56

5,75

9,00

29,20

mai/13

401,90

1046,46

578,52

0,29

0,00

-0,04

3,49

9,00

16,51

5,71

9,00

25,78

jun/13

402,94

1046,46

571,42

0,26

0,00

-1,23

3,76

9,00

15,08

5,87

9,00

23,38

Vestuário e Calçados

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte (2) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

Empréstimos pessoa jurídica

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Desconto de Duplicatas (8)

0,86

2,53

194,19

1,91

Capital de Giro (8)

0,98

3,19

225,51

1,83

Conta Garantida (8)

1,86

3,90

109,68

2,71

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais Período

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

jan/13

Comerciais

Variação (%) No mês

446,22

No ano

0,74

0,74

Últimos 12 Meses 8,08

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Captação

Variação (%) No mês

612,87

0,65

CDB 30 dias (4)

Últimos 12 Meses 11,08

No ano 0,65

0,17

0,49

188,24

0,34

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,48

0,57

18,75

0,54

fev/13

447,56

0,30

1,04

7,79

617,77

0,80

1,46

10,71

Poupança (5)

450,11

0,57

1,62

7,37

623,70

0,96

2,43

10,87

Taxa SELIC (6)

abr/13

452,00

0,42

2,04

7,42

627,57

0,62

3,08

11,08

454,72

0,60

2,66

6,78

631,39

0,61

3,69

10,31

jun/13

457,44

0,60

3,27

7,07

635,31

0,62

4,34

10,09

0,54

Fundo de Investimento Curto Prazo

mar/13

mai/13

0,58

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,46 0,64

(1) Considera-se a média das taxas praticadas pelos informantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são consideradas vantagens progressivas

(6) Média ponderada pela vigência

(3) Inclui a variação dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M

(7) Novo cálculo considerando o período dos índices que compõem a estimativa (8) Dados coletados a partir de informações consolidadas no Banco Central do Brasil

(4) Taxa ANBID do primeiro dia útil do mês e projetada para 30 dias

.. Não se aplica dados numéricos

ND - não disponível

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Tarifas Bancárias – Junho de 2013

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Junho de 2013

Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Imóveis

Apartamentos

Popular

Médio

Alto

Luxo

Apartamento 1 Quarto

480,71 (14)

988,89 (9)

744,74 (19)

1286,00 (30)

Apartamento 2 Quartos

686,23 (77)

966,88 (128)

1122,19 (128)

2058,84 (172)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho

830,36 (28)

976,32 (19)

1203,85 (26)

1578,13 (16)

1175,85 (53)

1324,65 (86)

1574,73 (224)

2458,54 (376)

(3)

(1)

2100,00 (9)

2943,75 (8)

2270,00 (5)

2068,00 (5)

2585,38 (39)

4590,72 (194)

429,29 (14)

588,13 (16)

690,00 (5)

-

567,78 (18)

676,67 (6)

(3)

-

571,67 (6)

637,50 (4)

(3)

-

774,32 (37)

896,15 (26)

1204,29 (7)

-

971,15 (26)

1220,00 (5)

1587,50 (4)

-

1306,25 (24)

1757,69 (13)

2864,29 (7)

6300,00 (12)

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos Barracão 1 Quarto

Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casas

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

20,68

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,60

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,60

por Operação

28,50

52,00

82,46

42,64

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

10,35

15,00

44,93

11,68

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por cheque

1,00

1,50

50,00

1,27

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

30,00

50,00

23,89 10,50

CONTAS DE DEPÓSITOS

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

CHEQUE - Cheque Visado

por cheque

0,00

21,00

..

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,00

50,00

2,18

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,15

3,00

160,87

1,74

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,15

2,15

86,96

1,50

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por operação

0,00

3,00

..

1,90

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

2,00

6,00

200,00

3,09

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,35

3,00

122,22

2,02

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

1,20

1,45

20,83

1,32

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,16

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,35

4,00

196,30

2,17

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

1,20

4,00

233,33

1,83

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por operação

4,40

6,00

36,36

5,15

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

13,03

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

9,50

..

7,04

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

6,50

8,60

32,31

7,54

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,00

100,00

1,21

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

1,20

..

0,88

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

23,80

27,00

13,45

24,98

Transferência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,50

8,60

32,31

7,52

Transferência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,59

por operação

30,00

51,80

72,67

43,26

por evento

9,50

18,00

89,47

11,98

a cada 365 dias

24,00

54,00

125,00

44,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos Casa 4 Quartos e 2 Banhos

(3)

(1)

4216,67 (6)

4960,00 (5)

CARTÃO DE CRÉDITO (3)

Fornecimento de 2ª via de cartão com função crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,52

3275,00 (4)

6237,50 (8)

4655,88 (17)

8256,25 (48)

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo são influenciados pela oferta de Flats.

Anuidade - cartão básico nacional

Pagamento de contas utilizando a função crédito em espécie

por evento

1,99

16,00

704,02

9,75

Avaliação emergencial de crédito

por evento

15,00

18,00

20,00

15,63

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

86,67

por evento

7,90

30,00

279,75

15,27

Anuidade - cartão básico internacional Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

(2) Considera-se a média das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

(1) Não são consideradas vantagens progressivas

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundação IPEAD/UFMG

..

Não se aplica dados numéricos

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

No mês

Açúcar cristal

3,00 kg

4,05

-0,07

Arroz

3,00 kg

7,22

0,06

Banana caturra

12,00 kg

24,16

-0,23

Produto

Últimos 12 Meses

No ano

ICCBH(1)

IEE(2)

IEF(3)

ICCBH

jan/13

131,64

192,46

112,19

-5,16

-5,33

-5,10

-5,16

-5,33

-5,10

-3,39

-0,78

-4,75

Batata inglesa

6,00 kg

25,62

-0,09

fev/13

127,73

188,57

108,28

-2,97

-2,02

-3,49

-7,98

-7,25

-8,41

-6,24

-4,44

-7,22

Café moído

0,60 kg

7,84

0,02

mar/13

127,44

182,14

117,42

-0,22

-3,41

8,44

-8,19

-10,41

-0,68

-7,00

-8,45

0,14

Chã de dentro

6,00 kg

106,14

0,40

Farinha de trigo

1,50 kg

3,89

0,01

Feijão carioquinha

4,50 kg

30,32

-0,37 0,06

IEE

abr/13

127,26

186,24

114,73

-0,14

2,25

mai/13

126,66

178,20

118,29

-0,47

-4,32

jun/13

119,83

171,07

110,48

-5,39

-4,00

IEF

-2,30

ICCBH

IEE

IEF

-2,96

ICCBH

-4,50

IEE

-3,15

IEF

-8,32

-8,40

0,29

3,10

-8,75

-12,35

0,05

-4,52

-6,82

3,81

Leite pasteurizado

-6,60

-13,67

-15,86

-6,55

-11,90

-15,26

-3,90

Manteiga

(1) ICCBH: Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinião dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decisões de consumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Econômica: retrata a expectativa do consumidor em relação aos indicadores macroeconômicos (3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a confiança do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconômicos FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

dom 4353.indd 38

Quantidade

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

ND: não disponível

Custo da Cesta Básica(*) – Junho de 2013

Índice de Confiança do Consumidor

Período

Média(2) (R$)

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

Barracões Barracão 2 Quartos

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%)

CADASTRO

7,50 lt

16,97

750,00 gr

16,04

0,05

Óleo de soja

1,00 un

2,89

-0,04

Pão francês

6,00 kg

47,82

0,04

Tomate Santa Cruz

9,00 kg

38,06

-1,07

(*) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38 FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

16/07/2013 18:53:43


Poder Executivo Quarta-feira, 17 de julho de 2013

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

39

Fundação de Parques Municipais participa de encontro estadual de conscientização sobre ações a favor do meio ambiente e trocar experiências sobre ações a favor do meio ambiente que podem ser aplicadas no dia a dia de trabalho e que geram benefícios econômicos, ambientais e sociais

Mônica Salum

A Fundação de Parques Municipais (FPM) e outras 11 instituições públicas se reuniram no Centro Mineiro de Referência em Resíduos, no bairro Esplanada, para discutir

Experiências e ações aplicadas no dia a dia foram debatidas

por e-mail e por um quadro de aviso e a digitalização dos documentos, imprimir também no verso do papel, montar blocos de rascunhos com papeis que ainda podem ser utilizados, aproveitar as aparas e realizar oficinas de artesanato com papeis já usados. A implantação de cotas de papel foi uma sugestão apresentada pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). De acordo com a instituição, cada um dos setores tem uma quantidade definida de papel para ser gasta. Quando essa cota termina, só é possível conseguir mais papel com a autorização da chefia. Já no Instituto de Metrologia e Qualidade do Estado de Minas Gerais, todo funcionário que entra na empresa assina um termo de utilização da impressora. Com relação à economia de água, foram destacadas ações como a colocação de adesivos nos banheiros alertando para o não desperdício, planilhas de consumo

para todos. Economia de papel A4, água, energia e resíduos sólidos foram as quatros frentes de ação colocadas em destaque. O evento, intitulado 1º Encontro das Comissões Setoriais, foi promovido pela Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) para as instituições que participam do AmbientAÇÃO, programa de comunicação e educação socioambiental voltado para a sensibilização e conscientização dos funcionários públicos. “Este tipo de encontro serve para dar ‘gás’ para conduzir o programa dentro da FPM. O encontro com outros técnicos nos mostra que as dificuldades não são só nossas e que sempre são encontradas soluções viáveis”, disse a educadora da Divisão de Eventos e Educação Ambiental da FPM, Sônia Rabelo. Entre as dicas para economizar papel A4 que foram debatidas no encontro estão priorizar comunicações

mensal, aproveitamento de água das chuvas para, por exemplo, lavar chão e aguar jardins, manutenção de equipamentos antigos e instalação de torneira programada. Para economizar energia, a instalação de censor de presença, manutenção e substituição de equipamentos antigos e constante limpeza das luminárias são ações que contribuem. Manter uma única chave para a energia do local é algo que deve ser evitado. Além disso, aproveitar a iluminação das janelas e desligar monitores quando o computador não estiver sendo utilizado podem ser tarefas diárias. O descarte consciente e a coleta seletiva são atitudes fundamentais para a redução de resíduos sólidos destinados aos lixões. Um calendário de ações motivacionais para cada instituição deve também ser seguido para que ocorra mudança de comportamento e a internalização de atitudes ecologicamente corretas.

Cátia Fraga

Café Literário marca entrega de obras de reforma do CAC Barreiro

Evento contou com apresentações dos corais da terceira idade e da saúde mental

Para confraternizar com a comunidade, divulgar o acervo de mais de mil livros da biblioteca e ainda comemorar a entrega das obras de

reforma no Centro de Apoio Comunitário Barreiro (CAC) Barreiro (rua Pinheiro Chagas, 252, Barreiro), o espaço recebeu o Café Literário,

O CAC foi criado em 1979 para a realização de eventos comunitários e para promover políticas públicas de Assistência Social, Esporte, Lazer, Arte e Cultura. Na unidade são desenvolvidas, prioritariamente, ações para grupos de convivência da pessoa idosa, que funcionam na unidade há 18

evento que contou com a presença de aproximadamente 300 pessoas que assistiram as apresentações dos corais da terceira idade e da saúde mental. Durante o evento foi apresentado para os participantes o projeto Bem Viver Barreiro, que consiste na realização de oficinas que têm foco na conservação da natureza e na defesa do verde. Através desse projeto já foram realizadas com a comunidade oficinas de jardinagem, horta e de customização de roupas. Os integrantes do projeto fizeram uma homenagem ao líder comunitário Divino Medeiros, já falecido. A trajetória de Divino, ícone da região na luta pela justiça, pela qualidade de vida e pelo ambiente sustentável, foi relembrada. De acordo com Tânia Magda de Souza, funcionária do CAC Barreiro e uma das organizadoras do Café Literário, o evento superou as expectativas.

anos. Enelson Maia, gerente regional de Políticas Sociais, ressalta a necessidade do outro para o crescimento das pessoas e da melhoria do seu local de trabalho. “Cada pessoa que trabalha e frequenta o local é essencial e por isso temos esses resultados tão visíveis”, comentou.

Reforma

A obra de reforma do CAC Barreiro foi entregue para a comunidade no final de 2012. O CAC agora tem o bloco dos vestiários reformado e duas salas multiuso, dois vestiários e um banheiro unissex. No edifício principal todas as instalações sanitárias foram reformadas e adaptadas para pessoas com deficiência. Além disso, as quadras poliesportivas receberam novo piso e alambrado e o campo de futebol ganhou nova arquibancada. As instalações elétricas foram revisadas e houve pintura e implantação de rampas de acesso nas áreas externas, além da colocação de grades na sala de informática.

Funcionários da Urbel visitam intervenções do Vila Viva São Tomás/Aeroporto

dom 4353.indd 39

social e urbanístico do Vila Viva São Tomás/Aeroporto, Ana Flávia Martins e Jefferson Thiago, fizeram uma apresentação geral sobre a concepção do programa, assim como sobre as intervenções previstas e o que já foi executado até o momento. A economista e assessora da Diretoria Administrativa e Financeira, Fernanda Monteiro de Barros Ulhoa, confessou ter ficado encantada com os serviços prestados à comunidade pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Urbel. Com apenas um mês e meio de trabalho na empresa, afirmou que a visita lhe proporcionou melhor visão sobre o público e as ações da empresa. Depois de conhecer as unidades habitacionais em construção, Ulhoa opinou que elas significam um salto de qualidade de vida para as famílias removidas. “Antes elas moravam em habitações precárias, sujeitas às inundações, e agora vão mudar

para apartamentos com os quartos bem divididos, varandinha e cozinha americana”, assinalou. A gerente de Apoio ao Fundo Municipal de Habitação Popular, Fernanda Muniz, também gostou muito de ter ido ao Vila Viva São Tomás/ Aeroporto. Segundo ela, é a primeira vez que fez este tipo de visita. “Achei tudo extremamente organizado, tanto as obras físicas quanto o trabalho social”, disse. Para Muniz é gratificante ver um lugar sendo urbanizado, saindo da pobreza. “Nós que ficamos dentro do escritório passamos a ter outra dimensão destas intervenções, com as quais contribuímos também”, completou. Outro participante, o diretor administrativo-financeiro da Urbel, Nourival de Souza Resende Filho, também fez elogios. “Fomos bem recebidos e pudemos ver que os coordenadores e técnicos do Vila Viva são pessoas comprometidas e

que têm amor por aquilo que fazem”, declarou. Para Nourival, o município tem mostrado preocupação com o bem estar das famílias carentes, pois os apartamentos são de boa qualidade, competindo em pé de igualdade

com os ofertados pelo mercado imobiliário. O diretor acrescentou que é muito positivo levar os colaboradores da empresa nos canteiros de obras e que este tipo de atividade vai permanecer.

Urbel

Um grupo de funcionários, assessores e diretores da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) participou na sexta-feira, dia 12, de uma visita monitorada às intervenções do programa Vila Viva que estão sendo realizadas no Aglomerado São Tomás/Aeroporto. A atividade, denominada Urbel Mostra o Que Faz, foi organizada pelo Núcleo de Comunicação Social e pela Divisão de Recursos Humanos. Ela propicia aos empregados, principalmente aos que trabalham internamente em escritórios, conhecer de perto as ações desenvolvidas pelo poder público para melhorar as condições de vida nas vilas e aglomerados. Antes de percorrerem alguns locais com obras e o viveiro de mudas, os coordenadores

Empregados conheceram de perto as ações desenvolvidas pelo poder público

16/07/2013 18:53:51


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Exposição ficará em cartaz cerca de dois meses

Museu Histórico Abílio Barreto mostra ao público os acervos de Lia e Clóvis Salgado Fotografias

d’Honneur, a Grã-Cruz da República Federal da Alemanha, a Gran-Cruz de Alfonso X e a Grã-Cruz de Isabel, a Católica, entre outras. Por meio da leitura dos discursos, palestras, entrevistas e aulas de Clóvis Salgado será possível tomar conhecimento, em profundidade, do seu pensamento nas diversas áreas em que atuou. O acervo de Lia Salgado reúne toda a sua vida artística, com praticamente todos os programas, críticas, cartas e autógrafos de grandes nomes nacionais e internacionais da música. Há várias partituras com belas dedicatórias de Villa-Lobos e Camargo Guarnieri. Por meio desse rico material, pesquisadores, mestrandos e doutorandos poderão desenvolver variados trabalhos, enfocando tanto a história da música erudita no Brasil como fazendo a análise crítica da época.

Completam as coleções 365 fotografias de Lia Salgado e 212 de Clóvis Salgado. Lia aparece nos papéis principais das 20 óperas que interpretou, em momentos de sua vida pessoal e como mulher desse político e amigo das artes. Clóvis é visto ao lado de médicos, políticos, artistas, educadores e amigos, na sua trajetória desde a cidade de Leopoldina-MG, onde nasceu, passando pelo Rio de Janeiro, onde estudou no Colégio Militar e na Faculdade de Medicina, e em Belo Horizonte, cidade que o acolheu e onde morou a maior parte da sua vida. Ao examinar a vida do casal Lia e Clóvis Salgado, nota-se imediatamente a colaboração íntima de ambos tanto na vida privada como na pública. Ela estava sempre ao seu lado, dando-lhe apoio em suas ações e, sempre que possível, levando música a promoções filantrópicas e festividades. Ele foi seu maior incentivador no desenvolvimento de sua carreira artística. Juntos, fizeram muito pela música em Minas Gerais e no Brasil. A exposição “Uma história, dois personagens” é o marco de abertura das coleções ao público. A partir de agosto serão postos à disposição de pesquisadores e interessados os catálogos das coleções, instrumento que enriquecerá o conhecimento de parcela significativa da história do Brasil do século passado. Os catálogos descrevem cada documento que muitas vezes trazem explicação do fato que registram. Além disso, apresenta dados gerais da coleção, contextualização dos acervos, indicação dos critérios de organização e textos reflexivos sobre os dois personagens dessa história. Gabriel Bittencourtt

projeto ao Ministério da Cultura para aprofundar a análise de todos os itens, mobilizando equipe específica composta por historiador, museólogo e estagiários, com a assídua colaboração de dois membros da família: a filha Marilia e o neto Clóvis. Desta maneira, foi elaborado um cuidadoso estudo de todos os documentos, fotografias e objetos, contextualizando-os na história do Brasil do século 20. O acervo de Clóvis Salgado inclui documentos únicos como o radiograma do presidente Juscelino Kubitschek ao seu ministro da Educação e Cultura, 19 dias antes da inauguração de Brasília, determinando a elaboração de projeto de criação de universidade na capital federal; carta do professor Hans Hinselmann, pai da coloscopia (técnica de prevenção de câncer uterino); cartas do compositor Camargo Guarnieri e do musicólogo Francisco Curt Lange; cartas de JK e de vários políticos; comendas importantes, tais como a Légion

Reprodução

A Fundação Municipal de Cultura apresenta ao público no Museu Histórico Abílio Barreto (avenida Prudente de Morais, 202, bairro Cidade Jardim) a exposição “Uma História, Dois Personagens”, com os acervos de Lia e Clóvis Salgado, doados ao museu pela família. A mostra apresenta correspondências, documentos, fotografias, comendas, programas musicais e objetos pessoais do casal. A exposição fica em cartaz por aproximadamente seis meses e pode ser vista às terças, sextas, sábados e domingos, das 10h às 17h, e às quartas e quintas, das 10h às 21h. A entrada é gratuita. A equipe técnica do Museu Histórico Abílio Barreto, ao receber as coleções, como de costume, seguiu as especificações apropriadas nos procedimentos usuais de higienização, organização, arranjo, catalogação e digitalização. Ao verificar a importância dos documentos e fotografias doados, a direção do museu decidiu encaminhar

Quarta-feira, 17 de julho de 2013

Gabriel Bittencourtt

40

Recreio Cultural mobiliza mais de 700 alunos na Escola Municipal Israel Pinheiro Fotos: Gercom Leste

Em agosto serão abertas novas vagas. Nas quartas acontecem torneios de futsal e queimada. Nas quintas são realizadas apresentações chamadas “pratas da casa”. Somente alunos, funcionários e professores da escola podem se inscrever. Nas sextas-feiras são organizadas festas temáticas. A professora Adriana Moura e os monitores da Escola Integrada são os responsáveis pela comemoração. Em abril aconteceram as brincadeiras de índios. Em maio houve

torta na cara da dengue. No mês de junho foi comemorado o Dia dos Namorados e uma animada quadrilha ocupa o calendário no mês de julho. Para Adriana Moura, organizadora do projeto, o Recreio Cultural tem sido importante, pois ajuda na formação dos alunos. “Estamos felizes com os resultados que o projeto está alcançando. Os alunos se divertem e há uma grande interação. Espero que mais pessoas se apresentem”, disse. O recreio acontece na

parte da manhã, entre 9h10 e 9h30, e na parte da tarde em dois períodos, das 14h30 às 14h50 e das 15h às 15h20.

Projeto tem auxiliado na formação e na interação dos alunos

Muita cultura, entretenimento e diversão para os alunos fazem parte dos recreios na Escola Municipal Israel Pinheiro (rua Desembargador Bráulio, 2.250, bairro Alto Vera Cruz), na região Leste. A iniciativa, intitulada Recreio Cultural, começou no mês de abril e já mobilizou mais de 700 alunos em apresentações de dança e comemorações temáticas. Nas segundas-feiras os alunos da Escola Integrada que praticam oficina de dança

dom 4353.indd 40

apresentam as coreografias que foram ensaiadas com os monitores. No repertório, estilos como hip hop e axé. As terças são de apresentações artísticas de visitantes. Já se apresentaram os grupos Meninas de Sinhá, do bairro Alto Vera Cruz, e Maculelê, da Escola Municipal Benjamim Jacob, localizada no bairro Sion. A Escola Municipal Domiciano Vieira, do bairro Horto, apresentou dança dos anos 1960 e street samba, entre outras atrações. O sucesso é tão grande que a agenda estava completa no primeiro semestre.

16/07/2013 18:54:07

DOM - 17/07/2013  

Diário Oficial do Município