Issuu on Google+

Ano XIX • N. 4.263

R$ 0,85

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município - DOM

Tiragem: 2.500 • 5/3/2013

Fotos: Divino Advincula

Criado a partir da mobilização popular dos moradores da região, centro reúne atividades musicais, oficinas e diversos outros eventos

Espaço na rua Edna Quintel favorece o diálogo e a circulação da cultura

A mobilização da comunidade marcou o início das atividades do Centro Cultural São Bernardo (rua Edna Quintel, 320, bairro São Bernardo), que hoje tem um espaço especial reservado para a música e para mais diversas outras ações. Inaugurado em dezembro de 1994, o centro foi aberto depois de várias discussões, eventos culturais, oficinas e reuniões entre representantes da comunidade e do município. Integrado à Fundação Municipal de Cultura (FMC) desde 2005, o centro desenvolve ações dentro dos programas de formação cultural, valorização do patrimônio e identidades culturais, difusão cultural e incentivo à leitura, se constituindo em um espaço de diálogo e circulação da cultura. O centro abre espaço para o ensaio de grupos musicais de estilos diversos, com agendamento prévio. A sala foi utilizada, por exemplo, pelas bandas Verdade Seja Dita e Droma, e continua aberta ao agendamento de outras. Nas últimas terças do mês, o Centro Cultural São Bernardo sedia apresentações musicais de artistas autorais de estilos diversos. Os marcantes grafites da área externa do local, que chamam a atenção dos passantes, são renovados pelo evento anual de rap Atitude e Consciência Norte, que reúne música, dança e grafitagem. A área do centro, que tem 700 m2, também já foi utilizada para eventos como a reunião anual de bandas Periférico Rock ou a Mostra de Clipes Independentes. Uma atividade que surgiu do entrosamento dos frequentadores do centro cultural foi o grupo Rosas de São Bernardo, que apresenta canções folclóricas e cantigas de

dom 4263.indd 1

roda. Ieda Carvalho começou a frequentar o centro cultural há 4 anos, quando estava depressiva e com problemas de saúde. Ao final

Centro Cultural São Bernardo, um espaço aberto para a comunidade de dois projetos, começou a reunir os colegas para recitar poesias e cantar canções, o que deu início ao grupo. “Me descobri compositora e a arte mudou a minha vida. Hoje sou uma pessoa feliz, Graças a Deus”, contou.

Oficinas

O Centro Cultural São Bernardo tem oferecido, através do programa Arena da Cultura, da FMC, oficinas em módulos sobre temas como teatro, música e artes visuais duas vezes por semana, à tarde e à noite, com o mínimo de 20 alunos. Outra oficina deste programa é a de Brinquedos e Brincadeiras, que resgata brincadeiras de rodas, músicas populares, voltada para todas as idades. Marcílio Miguel Oliveira, técnico em transportes e trânsito, participou da oficina de iniciação musical. Ele explica que as oficinas trabalham com teoria musical, além de aulas práticas com instrumentos como violão, teclado e instrumentos de percussão. Marcílio faz parte de uma banda de rock, a Versão 8.0.5, e acredita que o curso tem contribuído para sua formação “É sempre interessante estar atualizando os conhecimentos”, comenta. As instalações internas do centro incluem uma sala com capacidade para 80 lugares e equipamento de som e biblioteca com cerca de 8 mil exemplares (de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 8h às 12h). Sala de oficinas e telecentro são as outras instalações do local, abertas de terça a sexta, das 9h às 17h.

Serviço

Centro Cultural São Bernardo Endereço: Rua Edna Quintel, 320, bairro São Bernardo Funcionamento: terça a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 8h às 12h Telefone: 3277-7416  Email: ccsb@pbh.gov.br

04/03/2013 18:16:25


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

2

Terça-feira, 5 de março de 2013

Evandro Fiúza

Welerson Athaydes

Fotografias premiadas no concurso Retratos de Minas formam exposição no BDMG Cultural

Evandro Fiúza foi o fotógrafo profissional que ficou em primeiro lugar

Welerson Athaydes ficou em primeiro lugar com a fotografia “Minério de Ferro”

Mostra aborda o Brasil e incentiva reflexões sobre o país

O Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital recebe até o dia 8 de abril a exposição “Lições Brasileiras: lições básicas para a construção de um país”, da artista Steffania Paola Costa di Albanez. A mostra, que tem entrada gratuita e é aberta ao público, fica em cartaz na galeria do Núcleo Caminhos do Futuro e (rua Santo Agostinho, 1.441, Horto) pode ser visitada das 9h às 21h de segunda a sexta-feira e das 9h às 13h aos sábados. A artista foi selecionada através do Edital Externo de Ocupação da Galeria do Núcleo Caminhos do Futuro de 2013. Criado e realizado na Finlândia em junho de 2012, no programa de residência artística do Arteles Creative Center, o projeto é uma instalação dividida em três peças, denominadas Lições Brasileiras, Revisão Brasil e What do you know

dom 4263.indd 2

about Brazil?. Com os trabalhos, a artista pretende colocar em discussão a elaboração de discursos oficiais como forma de construção de realidades. “Trato dos mecanismos de identidade que nos constituem enquanto Brasil”, disse a artista. O ponto de partida do projeto foi o encontro, ainda no Brasil, em uma feira de rua, com uma coleção de slides de um viajante, com imagens do mundo inteiro. “Usei como estratégia para condução do trabalho a criação de uma narrativa que foi orientada por vários pontos, como criar uma cartilha de lições do Brasil atual e saber o que outros povos sabem sobre o Brasil hoje em dia”, relata Steffania. Na Finlândia, a artista iniciou o primeiro passo do trabalho com uma série de entrevistas a outros artistas residentes estrangeiros. “Com as respostas e a constatação de que o

Brasil é um país desconhecido, fiz uso desse ´espaço de desconhecimento´ para criar um outro país”, conta. Em um segundo momento, Steffania recortou o mapa do Brasil, retirando dele cada Estado para, em seguida, montá-lo ao lado de textos ficcionais criados a partir das informações básicas de cada Estado brasileiro. O terceiro e último momento do trabalho foi a criação de dois cartazes em que ela propôs uma correção na palavra Brazil, com Z, como se escreve na língua inglesa, para a grafia da mesma palavra em português, com S, supondo a necessidade de uma revisão. “Todo o procedimento do trabalho me levou a uma busca por uma representação pessoal de mim e de um Brasil em contraposição a uma memória compartilhada desse mesmo lugar”, explica a artista.

A partir de sexta, dia 8, o público poderá conferir na galeria de arte do BDMG Cultural (rua Bernardo Guimarães, 1.00, Lourdes) trabalhos de fotógrafos premiados pelo concurso Retratos de Minas, realizado pela entidade. Selecionados por uma comissão julgadora independente, composta pelos experientes Françoise Imbroise, Miguel Aun e Tibério França, 14 fotógrafos terão suas fotografias expostas até o dia 7 de abril, diariamente, das 10h às 18h. Nas imagens, olhares sensíveis sobre o desenvolvimento de Minas Gerais nos últimos 50 anos, principalmente voltados para a vocação mineradora do estado e a rica arquitetura de Minas Gerais. O acesso é gratuito. Nesta primeira edição do concurso, idealizada para integrar, inicialmente, as comemorações do cinquentenário do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, os participantes foram divididos nas categorias amadora e profissional. Os dez primeiros lugares de cada categoria receberam, como premiação, a participação na exposição, e os três primeiros colocados foram

premiados, também, em dinheiro. Na categoria amador, Welerson Athaydes ficou em primeiro lugar, com a fotografia “Minério de Ferro”. Os participantes Tom Doheler e José Rocha foram selecionados em segundo e terceiro lugares, respectivamente e, também, receberam premiação em dinheiro. Os candidatos Débora de Carvalho, Nancy Mora, Lara Toledo, Cleudes Onofre, Bruna Brandão, Leonardo Pontes e Vitor Menezes se classificaram e tiveram suas fotografias escolhidas para integrar a exposição dos premiados. Já a categoria profissional selecionou quatro participantes. No primeiro lugar, o fotógrafo Evandro Fiúza, que apresentou a fotografia “Minas Sempre Minerando”. Além deste trabalho, Fiuza também teve uma segunda foto selecionada para integrar a exposição deste projeto. Em segundo e em terceiro lugares ficaram Gabriel Salgado Oliveira e Priscila Rezende, que também teve duas fotos suas escolhidas para a mostra, junto com a fotografia de Geraldo Gomes, “Praça da Liberdade.

CRC promove curso de qualificação profissional básica em redes de computadores O Programa BH Digital e o Programa Municipal de Qualificação, Emprego e Renda (PMQUER) estão promovendo  um curso de qualificação profissional básica em redes de computadores. Os interessados podem fazer suas inscrições até hoje, no Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC), localizado na rua José Clemente Pereira, 440, bairro

Ipiranga, munidos de documento de identidade, CPF e comprovante de residência, das 8h às 17h. O curso, com duração de três semanas, será ministrado de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h. Será oferecido aos alunos residentes em Belo Horizonte passagem e lanche. São pré-requisitos para iniciar o curso conhecimentos em configurações de sistemas e instalação de software.

04/03/2013 18:16:29


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

BH realiza evento reparatório para encontro de secretários de Meio Ambiente Belo Horizonte será sede hoje de uma reunião preparatória para o 2º Encontro de Secretários de Meio Ambiente das Capitais Brasileiras, que será realizado em Porto Alegre no próximo mês. O encontro vai acontecer entre 9h30 e 12h45 na Sala Multiuso 2, na sede da Prefeitura de Belo Horizonte, no Centro, e vai reunir secretários da região sudeste, além do secretário municipal da capital gaúcha. As outras regiões do país também terão suas respectivas reuniões preparatórias. O primeiro encontro aconteceu em maio de 2012 no Rio de Janeiro e secretários de 21 capitais marcaram presença. O objetivo foi apresentar as experiências e ações dos municípios, discutir o desenvolvimento sustentável nas cidades e o papel dos governos locais para a governança da sustentabilidade local. No último dia do encontro

foi elaborada pelo Grupo de Capitais Brasileiras (CB-27) a Carta Rio pela Sustentabilidade, contendo as principais reivindicações dos secretários de Meio Ambiente das capitais. A carta foi, posteriormente, apresentada na Rio +20. Entre as propostas da carta estão o estabelecimento de um pacto federativo pela sustentabilidade que

disponha sobre as responsabilidades de cada ente federado e preveja os recursos necessários à sua implementação, incluindo a criação de fundos financeiros alavancados por meio da oneração de produtos e serviços não sustentáveis, além do estímulo aos financiamentos públicos que contemplem critérios de sustentabilidade nos empreendimentos.

Objetivo Segundo Anna Louzada, secretária executiva do Comitê Municipal Sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência e uma das coordenadoras da reunião preparatória, o objetivo principal do encontro será o encontrar formas para a regulamentação dessa carta e elaborar uma plataforma de colaboração entre os gestores chefes por meio da troca de experiências, visões e boas práticas. Outras metas são o apoio mútuo na implementação de medidas na redução de carbono e adaptação à mudança climática e na criação de espaços urbanos mais sustentáveis. A coordenação da reunião está a cargo da Prefeitura de Porto Alegre, com o apoio do Instituto Latino Americano de Desenvolvimento Econômico Sustentável (Ilades) e da Fundação Konrad Adenauer (FKA).

Idosos da região Norte se capacitam para participação em pré-conferência chama liderança. “É a habilidade de motivar e influenciar os liderados, de forma ética e positiva, para que contribuam voluntariamente e com entusiasmo para alcançarem os objetivos da equipe e da organização. Como o estado e a sociedade civil podem trabalhar juntos? Através de grupos que têm interesses e objetivos em comum, que se organizam e estabeleçam metas. A participação popular está diretamente ligada ao exercício da cidadania”, opinou. O assunto foi comentado para que os idosos pudessem dimensionar a importância de assumir um compromisso e cumprir com suas metas e resultados. Para José Ribamar, parti-

cipante do grupo Flor e Ser, do BH Cidadania Vila Biquinhas, a atividade é importante para apresentar a todos a importância da participação para a conquista de direitos e deveres da classe. “Já tivemos diversas conquistas nos últimos anos através do Fórum do Idoso e das conferências. Não podemos pensar individualmente e sim em grupo para tomar a melhor decisão”, destaca. Neste ano, a partir de maio, serão realizadas as pré-conferências regionais, preparatórias para as conferências municipais do Idoso, da Juventude, Criança e Adolescente, de Assistência Social e da Pessoa com Deficiência.

Gercom Norte

O BH Cidadania/Cras Vila Biquinhas, que fica na região Norte, sediou na última semana uma capacitação para o grupo de idosos Flor e Ser, com o intuito de preparar a população para as pré-conferências do Idoso e de Assistência Social, que vão acontecer a partir de junho. Durante o encontro, a coordenadora do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Vila Biquinhas, Soraia Pereira, comandou uma palestra sobre liderança e representação, atividade que envolveu cerca de 60 idosos. De acordo com Soraia Pereira, a condução de um grupo de pessoas, transformando-o em uma equipe que gera resultados, se

3

SMMA

Diário Oficial do Município

Terça-feira, 5 de março de 2013

Para Anna Louzada uma das metas do encontro é criar o apoio mútuo na implementação de medidas para a redução de carbono

Encontros e consultas gratuitas são oferecidos pelo curso de Enfermagem da PUC Minas Barreiro Gestantes e casais que desejam aprender mais sobre saúde materna podem se inscrever para os atendimentos gratuitos oferecidos pelos envolvidos com o curso de Enfermagem da PUC Minas no Barreiro. As inscrições estão abertas e podem ser feitas durante todo o semestre. Para isso, basta entrar em contato por meio do telefone 3328-9543 ou diretamente na Clinica de Nutrição (avenida Afonso Vaz de Melo, 1.200, prédio 5, sala 111, Barreiro de Baixo), das 7h às 17h ou das 18h às 20h. Para facilitar o aprendizado e promover a interação entre

os participantes, serão realizados atendimentos em grupo, com dinâmicas e demonstrações. As vagas são limitadas a 20 pessoas por grupo. Os próximos atendimentos coletivos acontecerão nos dias 5 de abril, 3 de maio e 7 de junho, sempre às sextas-feiras, das 10h às 12h. Serão abordados temas como gestação saudável, planejamento do parto, amamentação e cuidados com o bebê. Já as consultas individuais de pré-natal serão realizadas nas demais sextas-feiras do mês, das 11h às 15h, sendo uma hora para cada consulta.

legenda

Grupo de Idosos Flor e Ser participou de uma palestra no BH Cidadania/Cras Vila Biquinhas

dom 4263.indd 3

04/03/2013 18:16:35


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

22

Terça-feira, 5 de março de 2013

Indicadores Econômicos de Belo Horizonte Taxas de Juros – Janeiro de 2013

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1)

IPCR(2)

Taxas médias praticadas(1)

Setores Menor

Maior

Diferença (%)

Média

2,11

5,90

179,62

4,55

Prefixada (montadoras)

1,01

2,21

118,81

1,36

Prefixada (multimarcas)

1,48

1,94

31,08

1,66

Prefixada (montadoras)

1,17

1,97

68,38

1,54

Prefixada (multimarcas)

1,68

2,55

51,79

2,03

Cartão de Crédito

11,90

13,95

17,23

12,81

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Cheque Especial (2) (8)

4,12

9,69

135,19

7,66

(2) IPCR= Índice de Preços ao Consumidor Restrito: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 6 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Combustíveis

3,00

15,42

414,00

8,43

Imóveis Construídos

0,12

1,75

1.358,33

0,95

Imóveis na Planta

0,12

1,75

1.358,33

0,28

0,75

3,20

326,67

2,10

CDC - Financeiro (8)

1,80

5,24

191,11

3,16

CDC - Bens Alienáveis (8)

1,21

1,37

13,22

1,31

Eletroeletrônicos

2,59

4,83

86,49

3,72

Mobiliário

1,10

5,55

404,55

3,06

8,34

15,55

86,45

12,30

Nacional

0,94

2,40

155,32

1,67

Internacional

0,94

2,20

134,04

1,40

1,40

20,22

1.344,29

5,50

Período

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

set/12

382,51

0,32

4,15

Últimos 12 Meses 5,52

out/12

384,76

0,59

4,76

nov/12

386,42

0,43

dez/12

388,35

0,50

jan/13

397,59

2ª fev/13

403,38 (3)

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

387,66

0,26

4,15

Últimos 12 Meses 5,50

5,83

389,40

0,45

4,62

5,91

5,21

5,83

390,26

0,22

4,85

5,49

5,74

5,74

392,44

0,56

5,44

5,44

2,38

2,38

5,51

400,33

2,01

2,01

5,68

1,02

2,49

5,37

402,58 (3)

0,79

1,95

5,18

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

Construção Civil (3) (7)

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Período

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

Cesta Básica

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

IPCA(1)

Salário Mínimo

ago/12

381,29

960,02

Cesta Básica(2) 500,58

set/12

382,51

960,02

510,43

0,32

0,00

1,97

4,15

14,13

10,86

5,52

14,13

17,12

out/12

384,76

960,02

510,19

0,59

0,00

-0,05

4,76

14,13

10,80

5,83

14,13

16,66

Financeiras Independentes Turismo

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

0,01

0,00

1,44

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

3,82

14,13

8,72

5,53

14,13

13,86

nov/12

386,42

960,02

490,60

0,43

0,00

-3,84

5,21

14,13

6,55

5,83

14,13

10,30

dez/12

388,35

960,02

496,54

0,50

0,00

1,21

5,74

14,13

7,84

5,74

14,13

7,84

jan/13

397,59

1046,46

544,68

2,38

9,00

9,70

2,38

9,00

9,70

5,51

9,00

13,66

Vestuário e Calçados

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte (2) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

Empréstimos pessoa jurídica

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Desconto de Duplicatas (8)

0,93

3,09

232,26

1,73

Capital de Giro (8)

0,99

6,16

522,22

2,12

Conta Garantida (8)

1,29

7,78

503,10

4,14

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais Período

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

ago/12

Comerciais

Variação (%) No mês

434,03

No ano

1,23

5,43

Últimos 12 Meses 8,91

Índice de Base Fixa (Jul/94=100) 587,12

Captação

Variação (%) No mês 0,81

CDB 30 dias (4)

Últimos 12 Meses 11,60

No ano 6,81

0,50

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,60

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,12

0,44

266,67

0,32

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,30

0,56

86,67

0,46

set/12

435,29

0,29

5,73

8,52

591,47

0,74

7,60

11,54

Poupança (5)

out/12

436,90

0,37

6,13

8,15

597,38

1,00

8,68

11,40

Taxa SELIC (6)

nov/12

439,43

0,58

6,74

7,82

602,40

0,84

9,59

11,18

(1) Considera-se a média das taxas praticadas pelos informantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são consideradas vantagens progressivas

(6) Média ponderada pela vigência

dez/12

442,95

0,80

7,60

7,60

608,91

1,08

10,77

10,77

(3) Inclui a variação dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M

(7) Novo cálculo considerando o período dos índices que compõem a estimativa (8) Dados coletados a partir de informações consolidadas no Banco Central do Brasil

jan/13

446,22

0,74

0,74

8,08

612,87

0,65

0,65

11,08

0,41 0,58

(4) Taxa ANBID do primeiro dia útil do mês e projetada para 30 dias

.. Não se aplica dados numéricos

Tarifas Bancárias – Janeiro de 2013

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Janeiro de 2013

Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Imóveis

Popular

Médio

Alto

Luxo

685,00 (10)

712,61 (23)

1385,00 (70)

Apartamento 2 Quartos

672,91 (55)

941,71 (91)

1080,44 (147)

2055,84 (172)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho

799,57 (23)

953,13 (16)

1143,48 (23)

1425,00 (6)

1149,23 (39)

1291,94 (59)

1526,57 (177)

2431,94 (323)

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos

(1)

(1)

1992,86 (14)

2846,88 (16)

Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

(2)

2500,00 (4)

2487,93 (29)

4424,88 (166)

417,14 (14)

570,91 (22)

660,00 (5)

(Z)

541,54 (13)

650,00 (6)

(2)

(1)

556,00 (5)

(Z)

(Z)

(Z)

755,56 (18)

863,75 (16)

1131,25 (8)

2825,00 (4)

931,57 (16)

1200,00 (9)

1500,00 (4)

(Z)

1263,10 (29)

1706,83 (14)

2631,50 (20)

5809,09 (11)

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

Barracão 1 Quarto Barracões Barracão 2 Quartos Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casas

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

20,68

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por cliente

5,35

10,00

86,92

6,83

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por cliente

5,35

10,00

86,92

6,83

por Operação

28,50

52,00

82,46

42,19

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

10,35

15,00

44,93

11,75

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por cheque

1,00

1,55

55,00

1,31

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

30,00

50,00

23,89 10,50

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

CHEQUE - Cheque Visado

por cheque

0,00

21,00

..

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,00

50,00

2,18

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,15

3,00

160,87

1,74

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,15

2,15

86,96

1,57

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por operação

0,00

3,00

..

1,90

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

2,00

6,00

200,00

3,09

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,35

3,00

122,22

2,01

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

1,20

1,60

33,33

1,37

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,16

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,35

4,00

196,30

2,26

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

1,20

4,00

233,33

2,06

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por operação

4,40

6,00

36,36

5,29

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

13,07

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

9,50

..

7,16

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

6,50

8,60

32,31

7,66

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,00

100,00

1,24

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

1,20

..

0,91

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

23,80

27,00

13,45

24,98

Transferência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,88

Transferência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,18

Transferência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,50

8,60

32,31

7,63

Transferência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,79

Transferência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,18

Transferência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,69

por operação

30,00

49,00

63,33

42,84

por evento

9,50

18,00

89,47

12,22

a cada 365 dias

24,00

54,00

125,00

44,33

Fornecimento de 2ª via de cartão com função crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,20

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

2050,00 (6)

(1)

3800,00 (4)

(3)

(2)

5800,00 (8)

3628,57 (7)

8120,41 (49)

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo são influenciados pela oferta de Flats.

Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA CARTÃO DE CRÉDITO (3) Anuidade - cartão básico nacional

Pagamento de contas utilizando a função crédito em espécie

por evento

1,99

16,00

704,02

8,57

Avaliação emergencial de crédito

por evento

15,00

17,00

13,33

15,25

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

86,67

por evento

7,90

30,00

279,75

14,56

Anuidade - cartão básico internacional Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

(2) Considera-se a média das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

(1) Não são consideradas vantagens progressivas

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundação IPEAD/UFMG

..

Não se aplica dados numéricos

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

No mês

Açúcar cristal

3,00 kg

4,66

-0,05

Arroz

3,00 kg

7,44

-0,01

Banana caturra

12,00 kg

20,90

-0,23

Produto

No ano

Últimos 12 Meses

ICCBH(1)

IEE(2)

IEF(3)

ICCBH

ago/12

133,44

196,14

113,39

-1,31

-1,86

-1,01

-3,90

1,34

-6,60

-1,73

3,16

-4,26

Batata inglesa

6,00 kg

18,97

2,05

set/12

132,32

191,90

113,29

-0,84

-2,16

-0,09

-4,71

-0,85

-6,68

-2,46

1,00

-4,25

Café moído

0,60 kg

8,24

0,00

out/12

135,89

199,98

115,41

2,70

4,21

1,87

-2,14

3,33

-4,94

-1,06

6,64

-4,87

Chã de dentro

6,00 kg

103,47

0,42

Farinha de trigo

1,50 kg

3,55

0,05

Feijão carioquinha

4,50 kg

23,16

0,39

7,50 lt

15,94

-0,02

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

nov/12

134,77

202,40

113,14

-0,82

1,21

-1,96

-2,95

4,58

-6,80

-2,95

4,60

-6,82

dez/12

138,81

203,31

118,23

3,00

0,45

4,49

-0,04

5,05

-2,61

-0,04

5,05

-2,61

Leite pasteurizado

jan/13

131,64

192,46

112,19

-5,16

-5,33

-5,10

-5,16

-5,33

-5,10

-3,39

-0,78

-4,75

Manteiga

(1) ICCBH: Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinião dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decisões de consumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Econômica: retrata a expectativa do consumidor em relação aos indicadores macroeconômicos (3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a confiança do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconômicos FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

dom 4263.indd 22

Quantidade

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

ND: não disponível

Custo da Cesta Básica(*) – Janeiro de 2013

Índice de Confiança do Consumidor

Período

Média(2) (R$)

CONTAS DE DEPÓSITOS

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%)

CADASTRO

(2)

Apartamento 1 Quarto

Apartamentos

ND - não disponível

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

750,00 gr

15,33

0,13

Óleo de soja

1,00 un

3,67

0,00

Pão francês

6,00 kg

44,82

0,08

Tomate Santa Cruz

9,00 kg

45,39

6,89

(*) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38 FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

04/03/2013 18:16:36


Poder Executivo Terça-feira, 5 de março de 2013

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

23

Centro de Saúde Santa Rosa promove caminhada contra a dengue de saúde, integrantes do grupo de teatro Mobiliza SUS, professores e alunos da Academia da Cidade participaram da atividade. Os usuários do centro de saúde puderam se divertir com as histórias contadas por dois personagens criados pelo grupo Mobiliza SUS na apresentação teatral que

Fotos: Andrea Moreira

Para intensificar a campanha de conscientização para prevenção e controle da dengue, o Centro de Saúde Santa Rosa, no bairro Universitário, realizou na última semana uma caminhada nas ruas próximas à unidade. Aproximadamente 30 pessoas, entre agentes de combate a endemias, agentes comunitários

BHTrans realiza ação educativa com pais de alunos de escolas particulares Após o período de férias escolares, a BHTrans retomou suas atividades educativas com um trabalho direcionado aos pais dos alunos de escolas particulares. Durante as reuniões escolares, é reservado um espaço para que educadores abordem temas relativos ao comportamento no trânsito no entorno da escola. Essa ação, já realizada em cinco escolas, foi repetida ontem e acontecerá hoje. Durante 15 minutos, os pais são convidados a realizarem uma reflexão sobre comportamentos e atitudes que podem ser modificados e que irão contribuir para a melhoria das condições do tráfego próximo das escolas e para o estabelecimento de um convívio mais saudável e solidário entre todos.  Entre essas atitudes, estão aquelas que podem agilizar a parada dos motoristas e o embarque e o desembarque dos estudantes, liberando a via para o seu uso pelos outros condutores. Gestos simples podem fazer uma grande diferença,

como separar com antecedência o dinheiro do lanche, transportar a mochila ou o material escolar junto do filho e desembarcar sempre no lado da calçada. “O objetivo é envolver os pais e os colégios na compreensão de que o contexto do lado de fora do portão escolar também deve merecer a atenção e a colaboração de todos. É importante ressaltar que a discussão promovida pela BHTrans nas reuniões escolares é adaptada aos problemas apresentados no entorno de cada escola”, disse César Teixeira Lopes, gerente de Educação para o Trânsito da BHTrans. A ideia surgiu a partir de parceria firmada com o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), em janeiro, para um trabalho conjunto de conscientização da comunidade escolar em prol da educação no trânsito e da mobilidade urbana. Pais de alunos de cinco escolas (Escola Algodão Doce, COC Efigênia Vidigal, Co-

abordou de maneira lúdica a importância de se manter limpos quintais e lotes vagos. Após a apresentação, os espectadores foram convidados a acompanhar a equipe em uma caminhada no entorno da unidade de saúde. Utilizando um megafone durante a caminhada, a equipe do Mobiliza SUS informou os dados estatísticos da dengue no bairro, distribuiu panfletos nas caixas de correio e orientou os moradores sobre a importância de não acumular materiais inservíveis nos quintais, como latas, pneus, garrafas e qualquer outro recipiente que acumule água. Para a encarregada de Zoonoses, Flávia Beatriz Cota Duarte, a ação foi de grande importância porque envolveu a comunidade, os usuários do centro de saúde e da Academia da Cidade. “Foi uma forma criativa e descontraída de informar e alertar sobre a dengue”, disse. Ana Paula Machado

Tancredi, bióloga e apoio técnico da Coordenação de Zoonoses na área de abrangência do centro de saúde, falou sobre a necessidade de alertar a população para a responsabilidade de cada um. “O trabalho de combate à dengue é permanente e diário. Evitar o acúmulo de água parada e lixo faz toda a diferença”, disse.

Morador do bairro Universitário há 14 anos e aluno da Academia da Cidade, Milton Rodrigues da Silva aprovou a ação. “A iniciativa é ótima. As pessoas precisam ter mais consciência”, disse. “É a primeira vez que vejo o pessoal dessa forma na rua. Achei bacana e diferente e excelente”, disse José Ronaldo Gomes.

légio CEM, Colégio Nossa Senhora das Dores e Colégio Santa Dorotéia) já participaram do momento de reflexão com a equipe da BHTrans.  Além dos pais, promover a conscientização dos futuros motoristas é uma das preocupações do

sindicato e da BHTrans. “Queremos conscientizar os alunos para que eles saibam se comportar quando se tornarem motoristas e tenham comportamentos de preservação da vida”, afirmou o diretor de Planejamento da BHTrans, Célio Freitas.

Um total de 670 escolas, entre elas as 280 associadas ao sindicato na capital e outras da Região Metropolitana de Belo Horizonte, receberam, na primeira semana da volta às aulas, uma circular com as diretrizes da parceria.

Moradores foram orientados sobre a importância de não acumular materiais inservíveis

Programa Transitando Legal

O programa Transitando Legal, que havia sido interrompido devido às férias escolares, iniciou na última semana sua temporada 2013, com o foco na mobilidade urbana sustentável, cujas diretrizes apontam para a utilização racional do transporte particular e o estímulo aos meios coletivos e menos poluentes. O programa é permanente e voltado para crianças do ensino fundamental de Belo Horizonte, das redes de ensino municipal, estadual e particular. Ele é dividido nas modalidades Circo Transitando Legal, Caravana Transitando Legal, O Jovem e a Mobilidade e Formação para Professores. No Circo Transitando Legal, destinado a crianças entre 8 e 10 anos, as ações são constituídas  de uma esquete, encenada de uma forma alegre e muito divertida, e uma série de atividades  pedagógicas que objetivam educar para o trânsito, ensinando as crianças a se locomoverem em sua comunidade, na cidade, entre a casa e a escola. Já a Caravana Transitando Legal atua nas escolas,

com alunos entre 13 e 14 anos, com palestras e esquetes teatrais, adequando a abordagem do trânsito à linguagem jovem. O Jovem e a Mobilidade é um projeto para estudantes do ensino médio, realizado por meio de encontros nas escolas, palestras, debates, filmes, gincanas, experimentos e muito mais. O objetivo é torná-los conscientes de sua responsabilidade na construção de uma cidade mais humana e com um trânsito mais seguro, além de incentivar atitudes de respeito e solidariedade que preservem a vida e o meio ambiente enquanto pedestres, passageiros, ciclistas e futuros candidatos à Carteira Nacional de Habilitação. O projeto Formação de Professores, por sua vez, visa fornecer conteúdos necessários para discutir e refletir sobre práticas, experiências e projetos relacionados à educação para o trânsito, por meio de uma capacitação para os professores das escolas participantes do programa Transitando Legal. O curso fornece sugestões de atividades para trabalhar o tema associado às aulas das disciplinas consideradas tradicionais, como Língua Portuguesa, Matemática e Geografia, entre outras.

Linha executiva Cidade Administrativa/ Savassi tem mudança no itinerário Foi modificado ontem o itinerário da linha executiva Cidade Administrativa/Savassi (SE01), que deixa de passar pela avenida Cristiano Machado e vai usar a avenida Antônio Carlos. A alteração tem o objetivo de atender maior número de usuários e reduzir o tempo de viagem. A linha no sentido Savassi/ Cidade Administrativa vai passar pelas seguintes vias: rua Alagoas (ponto final em frente ao número 1.485), avenida Cristóvão Colombo, Praça da Liberdade, rua Gonçalves Dias, avenida João Pinheiro, avenida Álvares Cabral, avenida Afonso Pena, rua Espírito Santo, avenida do Contorno, Viaduto Leste, avenida Antônio Carlos (pista central), avenida Dom Pedro I e Rodovia Prefeito Américo Gianetti (MG-10, acesso ao túnel e vias internas da Cidade Administrativa). No sentido inverso, Cidade

dom 4263.indd 23

Administrativa/ Savassi, o itinerário será realizado pela Rodovia Prefeito Américo Gianetti, avenida Dom Pedro I, avenida Antônio Carlos (pista central), Viaduto Leste, avenida Oiapoque, rua São Paulo, avenida Afonso Pena, avenida Álvares Cabral, avenida João Pinheiro, rua Gonçalves Dias, Praça da Liberdade, avenida Cristóvão Colombo, avenida do Contorno e rua Alagoas (em frente ao número 1.485). Cartazes informativos foram afixados dentro dos ônibus e cinco mil folhetos informativos serão distribuídos para reforçar a divulgação da mudança. O quadro de horários permanece inalterado e os pontos de embarque e desembarque desativados ao longo da avenida Cristiano Machado serão devidamente sinalizados. Os pontos de parada na área central permanecem os mesmos.

Histórico Em setembro de 2012, foram inauguradas duas linhas executivas, a Cidade Administrativa/Savassi (SE01) e a Buritis/Savassi (SE02), como estímulo ao uso do transporte coletivo por aqueles que se deslocam em carros próprios ou passageiros de ônibus que desejam migrar para uma modalidade de transporte que agregue mais atributos de conforto e facilidades. As linhas executivas serão operadas por ônibus com características diferenciadas dos convencionais, como bancos estofados, ar condicionado, internet (rede wi-fi) e televisão a bordo, janelas maiores e vidros escuros, layout interno que também proporciona mais conforto, além de elevador universal (para cadeirantes e pessoas com mobilidade

reduzida). A capacidade dos ônibus é de 43 passageiros assentados. Segundo Daniel Couto, diretor de Desenvolvimento e Implantação de Projetos da BHTrans, um dos diferenciais mais importantes é que os ônibus foram dimensionados para que as pessoas viajem assentadas. A legislação deste tipo de serviço, que permite operar sem a presença de agente de bordo, estabeleceu uma tolerância de seis pessoas, no máximo, viajando em pé. “Se houver necessidade as concessionárias devem inserir mais viagens para que o serviço não perca suas características”, disse. Como o serviço é especial, ou seja, o usuário faz a opção por escolhê-lo, sua operação não contempla gratuidades, exceto criança de 5 anos no colo. Já a integração tarifária fica mantida para o serviço executivo, seja entre as duas linhas

implantadas, com as outras linhas do sistema convencional ou com o metrô. Em todas essas situações, o desconto, válido para os usuários do Cartão BHBUS, de 50%, é aplicado na tarifa de menor valor.

Novas linhas

Estão previstas a criação de outras cinco linhas executivas, sendo que três vão ligar regiões importantes da cidade com a área dos hospitais: Belvedere/ Hospitais via Serra; Sion/Hospitais/ Via Praça Liberdade e Estação Carlos Prates/Hospitais. As duas restantes serão turísticas, na região Centro-Sul (prevista para julho de 2013) e na Pampulha, que será implantada até junho de 2014.

04/03/2013 18:16:39


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

Aluna da rede municipal é medalhista dos Jogos Mundiais de Inverno participando de treinos de natação e patinação. A estudante também esteve presente em eventos como o Festival Superar, jogos locais e

nacionais da Special Olympics e participa de apresentações para as quais o programa é convidado. “Gostei muito de participar e pretendo continuar patinando. Treino no Superar duas vezes por semana e não vou parar”, disse Tatiana.

Programa Superar

com a colaboração das secretarias municipais de Saúde, Direitos de Cidadania e Assistência Social, além da Fundação Municipal de Cultura, de associações esportivas e escolas especiais. O Superar se dedica à inclusão das pessoas com deficiência em programas e eventos de esporte e lazer. O programa Superar oferece atendimento direto e permanente à sua clientela no Centro de Referência Esportiva para a Pessoa Portadora de Deficiência, que fica na avenida Nossa Senhora de Fátima, 2.283, no bairro Carlos Prates. Atualmente, o centro oferece aos seus 600 alunos as seguintes modalidades esportivas: natação, futsal, basquetebol, basquetebol em cadeira de rodas, patinação, judô, tênis de mesa, bocha paraolímpica, rugby em cadeira de rodas, goal ball, musculação, hidroginástica, dança e esgrima em cadeira de rodas, esta em parceria com o Barroca Tênis Clube.

Tatiana Horta é aluna do programa Superar e participa de treinos de natação e patinação

CPIR propõe criação de rede metropolitana para tratar das questões dos indígenas de BH SMPS

A aluna Tatiana Horta, que estuda na Escola Municipal Santo Antônio, conquistou em janeiro duas medalhas nos Jogos Mundiais de Inverno da Special Olympics, realizado na Coreia do Sul. Foi ouro nos 55 metros da patinação de velocidade e prata nos 25 metros. Tatiana é atleta do programa Superar no bairro Carlos Prates e treina patinação com a professora Elizabeth. Sua mãe, Maria Aparecida Horta, ficou muito orgulhosa. “Seu gosto pela patinação foi despertado por um programa de TV. Ela viu e me pediu pra comprar um par de patins. Quando fui ver, ela já estava patinando por todo o quintal”, comentou. Em 2012, em uma competição no Rio de Janeiro, Tatiana ganhou duas medalhas: foi prata nos 777 metros e ouro nos mil metros. Por ser medalhista, ela teve o direito de participar do sorteio que levaria à competição na Coreia. “Quando ela foi sorteada, fiquei com receio, porque ela nunca tinha viajado sozinha, nem saído de Belo Horizonte, mas conhecei as pessoas da organização, que são simpáticas, e fiquei muito satisfeita com o resultado. O importante para mim é ela gostar e estar feliz”, afirma a mãe. Ela é aluna do programa Superar há aproximadamente 6 anos,

Terça-feira, 5 de março de 2013 Fotos: SMED

24

Poder Executivo

Indígenas no meio urbano

O programa Superar é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer e conta

Aberto edital de licitação para a dragagem de desassoreamento da Lagoa da Pampulha A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, publicou na última semana o edital de licitação do empreendimento “Dragagem para Desassoreamento da Lagoa da Pampulha”. A intervenção complementa as ações de saneamento integrado, em implementação pela PBH e pela Copasa, no âmbito do programa Pampulha Viva, que integra o Programa de Recuperação e Desenvolvimento Ambiental da Bacia Hidrográfica da Pampulha (Propam). A modalidade da licitação é a concorrência e a data de julgamento das propostas será no dia 4 de abril. O termo dragagem define a escavação ou remoção de solo ou rochas do fundo de rios e lagos através de equipamento. A dragagem para desassoreamento da Lagoa da Pampulha consistirá na retirada de materiais orgânicos e inorgânicos sedimentados, carreados ao longo dos anos

dom 4263.indd 24

pelos afluentes da bacia hidrográfica da Pampulha, composta por oito cursos d’água, os córregos Mergulhão, Tijuco, Ressaca, Sarandi, Água Funda, Braúna, Olhos d’água e AABB. Os serviços de dragagem para desassoreamento da Lagoa da Pampulha contemplarão as áreas da lagoa denominadas como Enseada do Clube AABB, Enseada das Garças, Enseada do Mineirão, Enseada da Praça dos Esportes, Entorno da Ilha dos Amores e Canal do Córrego Ressaca. A previsão é retirar um total de 800 mil metros cúbicos de sedimentos até o inicio da Copa do Mundo de 2014. O que se pretende é que o material seja dragado, succionado e transportado através de tubulações para um local próximo, no entorno da lagoa, onde deverá ser desidratado mecanicamente, facilitando o transporte para algum local mais distante, licenciado pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente.

Objetivo é implantar ações e políticas públicas articuladas

A Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial de Belo Horizonte propôs a criação de uma rede metropolitana para tratar da questão indígena e implementar ações e políticas públicas articuladas, da qual farão parte os órgãos governamentais. O objetivo da rede é otimizar os recursos e construir políticas públicas que considerem as especificidades apresentadas pela população indígena que vive no meio urbano. A decisão foi tomada em uma reunião realizada na semana passada, na sede da Secretaria Municipal de Políticas Sociais, no Centro, com representantes da Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial (CPIR), da Funai, da Coordenadoria Especial de Políticas Pró-Igualdade Racial do Estado de Minas Gerais, da Defensoria Pública, da Associação dos Povos Indígenas de Belo Horizonte e Região Metropolitana, além de outras lideranças indígenas. Tendo em vista que as demandas levantadas extrapolam o âmbito da gestão municipal, é necessária uma maior articulação

entre as três instâncias governamentais (União, Estado e municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte) para garantir a elaboração de políticas efetivas. A Funai, que até então prestava assistência apenas aos índios aldeados, passa a partir da nova gestão a atender também os índios que vivem no meio urbano. Rosângela Silva, coordenadora de Promoção da Igualdade Racial em Belo Horizonte, resaltou a necessidade de uma melhor compreensão sobre a realidade dos 3.477 indígenas que residem na capital, pois das ações já realizadas, essas lideranças representariam apenas uma parcela, talvez menos de um terço da população indígena na cidade. Para tanto, está previsto no projeto sustentador da Prefeitura de Belo Horizonte a realização de um diagnóstico da situação indígena em Belo Horizonte. Para a Funai, também é de extrema relevância mapear, identificar e reconhecer os indígenas que vivem em Belo Horizonte e na Região Metropolitana.

Segundo dados do IBGE (2010), 36,2% da população indígena do Brasil vive no meio urbano. Em 2000 o número correspondia a cerca de 52% da população total. Em Belo Horizonte, também segundo dados do IBGE, os 3.477 indígenas vivem de forma dispersa em diversos bairros das nove regiões da cidade. Há também um número significativo de indígenas vivendo em cidades da região metropolitana como Ibirité, Vespasiano e Juatuba, entre outras. Indígenas das etnias Pataxó Hã Hã Hãe, Aranã, Pataxó, Maxacali, Xacriabá e Krenak, fazem parte da Associação dos Povos indígenas de Belo Horizonte e Região Metropolitana (APIBHRM), que possui representação no Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir) desde março de 2011. Além desses povos, tem-se conhecimento de indígenas das etnias Pankararu, Tupiniquim, Ticuna e Peri vivendo em Belo Horizonte. A partir da lei 9.934, de 21 de junho de 2010, a Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial (CPIR) é o órgão da Prefeitura responsável por elaborar e articular políticas públicas para a população indígena em Belo Horizonte. Em abril de 2012 foi realizado, pela CPIR, o evento “Diálogo com os Povos Indígenas de Belo Horizontes” e, no segundo semestre, o encontro “Grupos Focais com as lideranças das diversas etnias”.

04/03/2013 18:16:44


DOM - 05/03/2013