Issuu on Google+

Diário Oficial do Município - DOM

BH Cidadania:

Tiragem: 2.500 • 17/1/2012

Estruturado a partir dos princípios da descentralização, intersetorialidade, territorialidade e participação cidadã, o programa BH Cidadania foi implantado na capital em 2002, abrangendo áreas de grande vulnerabilidade social, identificadas por meio de diversos indicadores sociais. Desde 2009, Belo Horizonte ganhou 17 novos espaços do programa, seis deles em 2011, ampliando o número de famílias atendidas para 165 mil, um aumento superior a 80% do atendimento realizado em 2008. O BH Cidadania inaugurou um novo modelo de gestão das Políticas Sociais, integrando as ações das secretarias adjuntas de Assistência Social, Segurança Alimentar e Nutricional e Direitos de Cidadania, das secretarias de Educação, Esporte e Lazer e Saúde, da Fundação Municipal de Cultura e da Prodabel, de acordo com os princípios da intersetorialidade, e atuando com foco na família e não no indivíduo. O programa também vem atuando cada vez mais de forma integrada com a área urbana, por

Programa já atende mais de

160 mil famílias Capital ganhou seis novos espaços em 2011, ampliando o número de cidadãos beneficiados e expandindo as áreas atendidas pelo programa

meio do Orçamento Participativo, das obras decorrentes do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, e do Vila Viva. O município conta hoje com 33 núcleos, beneficiando cerca de 165 mil famílias. Desse total, 16 núcleos já contam com os Espaços BH Cidadania/Centro de Referência da Assistência Social (Cras), equipamentos que abrigam várias atividades e funcionam como um ponto de apoio para as famílias atendidas pelo programa, oferecendo telecentros, oficinas de cultura e atividades do programa Academia da Cidade, entre outras ações. Entre os principais resultados obtidos pelo BH Cidadania, destacam-se o aumento na cobertura de famílias atendidas nos territórios, a ampliação de vagas nos diversos programas, projetos e ações existentes, a ampliação do acesso da população aos bens e serviços públicos e o direcionamento da implantação de programas e projetos temáticos, como as Academias da Cidade, a Escola Integrada, as oficinas de segurança alimentar e nutricional, entre outros.

Principais serviços Entre os principais serviços oferecidos nos núcleos do programa BH Cidadania, destacam-se as atividades nas áreas de Assistência Social, como as oficinas de socialidade e os grupos de convivência de idosos, de segurança alimentar e nutricional, como o projeto Plantio Alternativo, e de Direitos de cidadania, que inclui a formação em Educação em direitos Humanos. Os programas Saúda da Família, Vida Ativa, Academia da Cidade, Esporte Esperança e Escola Integrada são algumas das outras ações desenvolvidas nos espaços BH Cidadania da capital.

Metas para 2012

Arquivo PBH Leandro Couri

Gercom Leste

Leandro Couri

Já tendo implantado 33 núcleos, a meta da Prefeitura de Belo Horizonte é a construção de mais 10 espaços BH Cidadania até o final deste ano e mais três que ficarão prontos em 2013, fortalecendo a implementação das ações dos diversos serviços. O BH Cidadania integra as ações desenvolvidas pela PBH em regiões carentes da capital, racionalizando o trabalho das equipes e os custos, permitindo assim um aumento do número de pessoas beneficiadas com iniciativas eficazes.

Adão de Souza

Adão de Souza

Ano XVIII • N. 3.991 • R$ 0,80

BELO HORIZONTE

Adão de Souza

PREFEITURA BELO HORIZONTE


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

2

Terça-feira, 17 de janeiro de 2012

2ª semana da campanha leva quase 85 mil pessoas aos teatros

Martha Gandarella

Programa Escola nas Férias reúne várias atividades nesta semana

A 38ª Campanha de Popularização Teatro e Dança continua a todo vapor. Entre os dias 4 e 15 de janeiro, quase 85 mil pessoas compraram ingressos para assistir aos espetáculos da programação. O número ultrapassou as vendas do ano anterior, em comparação ao mesmo período. Até o momento, as cinco peças mais procuradas foram “Acredite, um espírito baixou em mim”, “Comi a galinha e tô pagando o pato”, “10 Maneiras Incríveis de destruir seu casamento”, “As Barbeiras” e “Como sobreviver em festas e recepções com buffet escasso”. Neste ano, o projeto trouxe para Belo Horizonte 140 atrações de diversos gêneros, além de espetáculos de dança a preços populares. Hoje os fãs de teatro contemporâneo podem conferir o espetáculo “It”, em cartaz no Pátio Savassi (avenida do Contorno, 6.061, São Pedro). No palco, duas mulheres, em espaço e tempo indeterminados, falam sobre comunicação, solidão, morte, palavra e tempo. A peça foi indicada ao prêmio Usiminas Sinparc de melhor atriz pela atuação de Amanda Leite. A apresentação começa às 20h30 e o ingresso custa R$ 12 nos pontos de venda do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Sinparc).

Teatro Infantil

EM CARTAZ NESTA TERÇA

A História de Tony e Clóvis – Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6.061, São Pedro), às 17h. R$ 12.

Teatro Adulto Absurdo No Pirex – Sesc Palladium- Grande Teatro (Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro), às 21h. R$ 10.

Comédia

Divulgação

2 Casais em maus lençóis – Teatro da Biblioteca Pública (Praça da Liberdade, 61, Funcionários), às 20h30. R$ 12. Comédia di Buteco no Teatro – Espaço Cultural Imaculada (Rua Aimorés, 1.600, Lourdes), às 21h. R$ 12. Concessa Pendura e Cai – Teatro da Maçonaria (Av. Brasil, 478, Santa Efigênia), às 21h. R$ 10. Mamãe, estou grávido! – Teatro Nossa Senhora das Dores (Av. Francisco Salles, 77, Floresta), às 21h. R$ 12. Marido, Matriz e Filial – Palácio das Artes – Sala Juvenal Dias (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro), às 20h. R$ 12.

SMED

Comédia

Uma empregada quase perfeita – Teatro Monte Calvário (Rua Bernardo Guimarães, s/nº, esquina com a rua Uberaba), às 20h30. R$ 10. Por Pouco – Teatro da Alterosa (Av. Assis Chateubriand, 499, Floresta), às 20h. R$ 12. Se os homens são todos iguais, por que as mulheres escolhem tanto? – Teatro Santo Agostinho (Rua Aimorés, 2.679, Santo Agostinho), às 21h. R$ 12. Tudo o que você sempre quis saber sobre sexo está na hora de perguntar – Centro Universitário UNA (Rua Aimorés, 1.451, Lourdes), às 21h. R$ 12.

As escolas municipais começaram ontem as atividades do programa Escola nas Férias, que é oferecido em 126 unidades que participam do programa Escola Aberta nas nove regiões de Belo Horizonte. As inscrições podem ser feitas inclusive durante esta semana. Para participar do programa, dedicado a crianças e adolescentes de 6 a 14 anos, moradores ou não de Belo Horizonte, basta que os pais, mães ou responsáveis procurem a escola mais próxima e preencham uma ficha de inscrição. A programação do Escola nas Férias inclui excursões e oficinas de lazer, recreação, esportes, dança, teatro e artes. As atividades serão realizadas até sexta-feira, dia 20, das 9h às 16h, com opção de participação em horário parcial ou integral. Todas as escolas oferecerão café da manhã, almoço e lanche da tarde. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3277-8850.

Drama Cuidado: Frágil – Palácio das Artes – Teatro João Ceschiatti (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro), às 21h. R$ 10. O Amor no Grande Sertão – Espaço Cultural Imaculada (Rua Aimorés, 1.600, Lourdes), às 19h. R$ 10.

Musical Nas Ondas do Rádio – Espaço Cultural Imaculada (Rua Aimorés, 1.600, Lourdes), às 20h30. R$ 12.

Contemporâneo It – Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6.061, São Pedro), às 20h30. R$ 10.

126 unidades que integram o programa escola aberta participam das atividades


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Com o objetivo de capacitar e profissionalizar a população da capital, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Segurança Alimentar e Nutricional (Smasan), abriu nesta semana a programação dos cursos de culinária gratuitos do Mercado da Lagoinha. Confira ao lado os detalhes dos cursos. Seis dos mais de 20 cursos estão com início programado ainda para este primeiro trimestre. Para se inscrever, é preciso ter mais de 16 anos, residir em Belo Horizonte e estar cadastrado no Sine Centro/Niat (rua Espírito Santo, 505), no Sine Venda Nova (avenida Padre Pedro Pinto, 1.055), ou no Sine BH Resolve (entradas pela av. Santos Dumont, 363 e rua dos Caetés, 342). Os interessados devem comparecer a uma das três unidades, munidos de carteira de

identidade original, CPF, PIS, carteira de trabalho e cópia do comprovante de residência no ato da inscrição. As vagas são destinadas preferencialmente a quem é atendido por programas sociais, como Pão Escola, Bolsa Família, Bolsa Escola e Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou residente em áreas do BH Cidadania. As aulas são oferecidas na Cozinha Pedagógica Josefina Costa e Padaria Escola Nicola Calicchio, no Mercado da Lagoinha, equipamentos do Mercado da Lagoinha (avenida Antônio Carlos, 821, São Cristóvão). Todos os cursos são gratuitos, com direito a vale transporte e integram o Programa Municipal de Qualificação, Emprego e Renda. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3277-6121.

Curso Confeitaria Caseira Auxiliar de Cozinha Bombons e Ovos Páscoa Churrasqueiro Salgados e Pizzas Confeiteiro

Horas-aula 60 80 40 40 60 60

Dias de aula 15 20 10 10 15 15

Data 16/1 a 3/2 16/1 a 16/2 1/2 a 14/2 12/3 a 23/3 27/2 a 13/3 27/2 a 20/3

Horário da aula Das 13h às 17h Das 18h às 22h Das 13h às 17h Das 18h às 22h Das 13h às 17h Das 8h às 12h

Rodoviária de Belo Horizonte recebe apresentação de dança folclórica A primeira edição de 2012 do projeto Plataforma da Arte, parceria entre a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Regional Centro-Sul, e o Sesc-MG/ Laces JK, levou para o hall principal da rodoviária na sexta-feira, dia 13, o Grupo Folclórico Guararás, que apresentou demonstrações de dança, canto e a representação de uma tradicional manifestação religiosa do país, a Folia de Reis. Os dançarinos apresentaram aos passageiros e demais frequentadores do terminal as danças “Boi da Paraíba”, “Cavalo Marinho” e “Boi do Maranhão”, que fazem parte do espetáculo Festa ao Menino Deus. Criado em 2000 pelo professor Carlos Henrique Moreira, o Guararás tem participado de diversos festivais nacionais e internacionais com o objetivo de mostrar as riquezas das manifestações folclóricas de Minas e do país. O grupo participa da 38ª Campanha de Popularização Teatro e Dança e vai se apresentar no dia 24 de janeiro no Palácio das Artes. O projeto Plataforma da Arte é realizado quinzenalmente, sempre às sextas-

feiras, às 16h, no hall principal do terminal. As próximas edições estão previstas

para acontecerem nos dias 27 de janeiro, 10 e 24 de fevereiro.

Fotos:: Gercom Centro-Sul

Mercado da Lagoinha abre agenda de cursos

3

Divulgação

Terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Grupo Folclórico Guararás apresentou uma dança baseada na Folia de Reis


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

22

Terça-feira, 17 de janeiro de 2012

INDICADORES ECONÔMICOS DE BELO HORIZONTE Taxas de Juros – Dezembro de 2011

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

ago/11

361,31

0,31

5,48

set/11

362,50

0,33

out/11

363,55

0,29

nov/11

365,12

0,43

dez/11

367,27

1ª jan/12

389,67

(3)

Variação (%)

Maior

Diferença (%)

Média

3,00

7,17

139,00

5,34

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

7,63

366,42

0,31

4,47

7,27

5,83

7,55

367,44

0,28

4,76

6,86

Prefixada (montadoras)

1,32

2,10

59,09

1,62

6,14

7,16

367,66

0,06

4,82

6,03

Prefixada (multimarcas)

1,58

2,60

64,56

2,08

6,59

6,94

369,94

0,62

5,47

5,90

2,04

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

0,59

7,22

7,22

372,20

0,61

6,12

6,12

Prefixada (montadoras)

1,44

2,84

97,22

1,07

1,07

7,48

395,22 (3)

0,94

0,94

6,54

Prefixada (multimarcas)

1,62

3,21

98,15

2,30

11,90

13,95

17,23

12,81

Cartão de Crédito

(2) IP CR= Índice de P reço s ao Co nsumido r Restrito : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 6 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (3) 1ª quadrissemana de julho /94 = 100

Cheque Especial

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Combustíveis Construção Civil

Índice de Confiança do Consumidor Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100) ICCBH(1)

Menor

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte

Período

Taxas médias praticadas(1)

Setores

IEE(2)

No ano

No mês

IEF(3)

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

Últimos 12 Meses

IEE

IEF

ICCBH

IEE

(2) (8)

9,53

23,29

8,57

24,64

612,14

9,42

(3) (7)

Imóveis Construídos

0,05

1,58

3.060,00

1,13

Imóveis na Planta

0,05

1,58

3.060,00

0,33

1,32

3,85

191,67

2,50

2,44

5,29

116,80

3,57

1,67

2,60

55,69

1,90

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

IEF

7,73 3,46

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

jul/11

135,94

188,70

119,09

0,08

0,76

-0,26

1,32

0,95

1,53

3,95

4,22

3,82

CDC - Financeiro (8)

ago/11

135,79

190,13

118,43

-0,12

0,76

-0,55

1,20

1,71

0,97

0,83

2,23

0,12

CDC - Bens Alienáveis

set/11

135,66

190,00

118,31

-0,10

-0,07

-0,10

1,11

1,64

0,86

2,95

6,39

1,29

Eletroeletrônicos

2,06

5,00

142,72

3,46

out/11

137,35

187,54

121,32

1,25

-1,30

2,54

2,37

0,32

3,42

4,36

1,07

6,05

Mobiliário

1,41

4,71

234,04

2,66

Financeiras Independentes

8,44

15,45

83,06

12,19

nov/11

138,86

193,50

121,42

1,10

3,18

0,08

3,50

3,51

3,51

1,93

-0,29

3,11

dez/11

138,86

193,54

121,40

0,00

0,02

-0,02

3,50

3,54

3,49

3,50

3,54

3,49

(8)

Turismo

(1) ICCB H: Índice de Co nfiança do Co nsumido r de B elo Ho rizo nte: trata-se de um indicado r que tem po r finalidade sintetizar a o pinião do s co nsumido res em B elo Ho rizo nte quanto ao s aspecto s capazes de afetar as suas decisõ es de co nsumo atual e futuro

Nacional

1,30

2,37

82,31

1,70

Internacional

1,31

2,38

81,68

1,70

1,49

11,53

673,83

4,71

(2) IEE: Índice de Expectativa Eco nô mica: retrata a expectativa do co nsumido r em relação ao s indicado res macro eco nô mico s

Vestuário e Calçados

(3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a co nfiança do co nsumido r a respeito de alguns indicado res micro eco nô mico s FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Empréstimos pessoa jurídica

Residenciais Período Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%) No mês

Últimos 12 Meses

No ano

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

No ano

(8)

1,38

2,49

80,43

2,01

Capital de Giro (8)

1,15

3,22

180,00

2,02

Conta Garantida (8)

2,13

9,04

324,41

5,76

Desconto de Duplicatas

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis

Captação

Últimos 12 Meses

jul/11

394,78

0,82

5,94

10,21

519,40

0,55

7,24

13,18

ago/11

398,53

0,95

6,95

10,30

526,10

1,29

8,62

set/11

401,12

0,65

7,65

10,03

530,26

0,79

out/11

403,97

0,71

8,41

10,40

536,25

nov/11

407,56

0,89

9,38

10,12

dez/11

411,68

1,01

10,48

10,48

CDB 30 dias

(4)

0,86

Cooperativas de Crédito (aplicação) 0,42

0,70

66,67

13,40

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,63

0,74

17,46

9,48

12,61

Poupança (5)

1,13

10,72

12,49

Taxa SELIC (6)

541,83

1,04

11,87

12,57

549,68

1,45

13,49

13,49

0,87 (5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(6) M édia po nderada pela vigência

(3) Inclui a variação do s indexado res CUB , TR, INCC e IGP -M

(7) No vo cálculo co nsiderando o perío do do s índices que co mpõ em a estimativa (8) Dado s co letado s a partir de info rmaçõ es co nso lidadas no B anco Central do B rasil .. Não se aplica dado s numérico s

ND - não dispo nível

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Tarifas Bancárias – Dezembro de 2011 Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Popular

Imóveis

Médio

Alto

Luxo

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%) Média (2) (R$)

CADASTRO

413,33 (12)

561,00 (10)

636,32 (57)

1535,37 (54)

Conf ecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

Apartamento 1 Quarto

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com f unção débito

por cliente

5,50

10,00

81,82

7,68

863,43 (83)

1014,73 (113)

1884,09 (102)

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com f unção mov. conta de poupança

por cliente

5,50

10,00

81,82

7,28

Apartamento 2 Quartos

587,60 (50)

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

por Operação

30,00

52,00

73,33

39,61

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

11,00

15,00

36,36

11,85

690,00 (14)

823,08 (13)

1060,00 (20)

1293,64 (11)

CHEQUE - Fornecimento de f olhas de cheque

por cheque

1,00

1,70

70,00

1,41

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

27,00

35,00

23,32

por cheque

0,00

21,00

..

14,50

1022,19 (32)

1171,52 (79)

1426,27 (177)

2262,28 (202)

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,50

75,00

2,33

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,30

3,00

130,77

1,92

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,30

2,30

76,92

1,83

(1)

(2)

1695,00 (10)

2724,17 (24)

DEPÓSITO - Depósito Identif icado

por operação

0,00

5,00

..

2,14

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

1,90

6,00

215,79

3,30

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,45

3,00

106,90

2,08

2225,00 (4)

-

2452,50 (20)

3979,22 (128)

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

0,00

2,00

..

1,27

367,50 (20)

446,36 (11)

(2)

-

Apartamento 3 Quartos 1 Banho Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos Barracão 1 Quarto

por evento

0,00

59,00

..

30,63

CONTAS DE DEPÓSITOS

CHEQUE - Cheque Visado

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,13

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,45

5,00

244,83

2,35

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

0,00

5,00

..

1,94

Fornecimento de cópia de microf ilme, microf icha ou assemelhado

por operação

4,50

7,00

55,56

5,78

Transf erência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

12,94

Transf erência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

12,50

..

7,76

Transf erência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

0,00

11,50

..

7,35

Transf erência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,95

195,00

1,45

Transf erência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

2,70

..

1,03

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

24,00

27,00

12,50

25,52

Transf erência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

13,40

20,00

49,25

14,70

Transf erência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

12,50

..

7,78

Transf erência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,00

11,50

91,67

7,99

Transf erência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

13,40

20,00

49,25

14,70

Transf erência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

12,50

..

7,78

Transf erência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,85

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

Barracões 455,00 (10)

Barracão 2 Quartos

560,00 (5)

(2)

Casa 1 Quarto

Casa 3 Quartos e 1 Banho Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

797,50 (12) 1085,00 (10)

(1)

(2)

606,43 (14)

Casa 2 Quartos

-

766,67 (6)

775,00 (14)

-

1081,25 (8)

1018,46 (13)

(2)

(2)

1510,00 (10)

2527,27 (11)

(3) 4511,11 (9)

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE

por operação

30,00

49,00

63,33

41,63

por evento

10,50

18,00

71,43

13,35

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

1833,33 (6)

(2)

(3)

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

(1)

(3)

3570,00 (10)

(3) 7558,82 (17)

(*) O valo r entre parênteses representa o número de imó veis utilizado s no cálculo da respectiva média. Na maio ria das vezes, so mente são publicado s valo res médio s o btido s a partir de quatro imó veis pesquisado s. Os caso s em que não fo i pesquisado nenhum imó vel são indicado s po r hífen (-). Os valo res médio s referentes a apartamento s de 1e 2 quarto s da classe luxo são influenciado s pela o ferta de Flats.

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA CARTÃO DE CRÉDITO (3) Anuidade - cartão básico nacional

a cada 365 dias

24,00

56,00

133,33

46,33

Fornecimento de 2ª via de cartão com f unção crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,54

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

Pagamento de contas utilizando a f unção crédito em espécie

por evento

1,99

15,00

653,77

10,40

Avaliação emergencial de crédito Anuidade - cartão básico internacional Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

por evento

0,00

15,00

..

13,13

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

65,00

por evento

0,00

30,00

..

16,00

(2) Co nsidera-se a média das tarifas praticadas pelo s banco s pesquisado s

(1) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas Fo nte: B anco Central do B rasil / B anco s - Dado s trabalhado s pela Fundação IP EA D/UFM G

.. Não se aplica dado s numérico s

IPCA(1)

Salário Mínimo

Cesta Básica (2)

Produto

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês IPCA

Últimos 12 Meses

No ano

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

ND: não dispo nível

Custo da Cesta Básica (*) – Dezembro de 2011

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

0,70

(1) Co nsidera-se a média das taxas praticadas pelo s info rmantes

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Dezembro de 2011

Casas

0,58

0,59

(4) Taxa A NB ID do primeiro dia útil do mês e pro jetada para 30 dias

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Apartamentos

0,81

Fundo de Investimento Curto Prazo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

Quantidade

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

Açúcar cristal

3,00 kg

5,62

-0,03

Arroz

3,00 kg

5,71

0,07

Banana caturra

12,00 kg

22,32

0,19

Batata inglesa

6,00 kg

7,62

0,30

jul/11

360,19

841,18

427,61

0,10

0,00

-0,77

5,16

6,86

2,47

7,28

6,86

15,50

Café moído

0,60 kg

7,56

0,09

ago/11

361,31

841,18

439,66

0,31

0,00

2,82

5,48

6,86

5,36

7,63

6,86

18,17

Chã de dentro

6,00 kg

103,50

1,93

set/11

362,50

841,18

435,81

0,33

0,00

-0,88

5,83

6,86

4,43

7,55

6,86

14,39

-0,02

out/11

363,55

841,18

437,34

0,29

0,00

0,35

6,14

6,86

4,80

7,16

6,86

nov/11

365,12

841,18

444,78

0,43

0,00

1,70

6,59

6,86

6,59

6,94

6,86

dez/11

367,27

841,18

460,44

0,59

0,00

3,52

7,22

6,86

10,34

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (2) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

7,22

6,86

Farinha de trigo

1,50 kg

3,01

Feijão carioquinha

4,50 kg

16,56

0,63

5,08

Leite pasteurizado

7,50 l

15,08

-0,14

2,75

Manteiga

750,00 g

14,40

0,06

Óleo de soja

1,00 un

2,89

-0,01

Pão francês

6,00 kg

37,26

0,23

Tomate

9,00 kg

25,20

0,21

10,34

(*) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G


Poder Executivo Terça-feira, 17 de janeiro de 2012

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

Gerência de Limpeza Urbana Centro-Sul faz balanço positivo das ações realizadas em 2011 executados pela equipe tiveram um balanço positivo em 2011, o que contribuiu para deixar a cidade mais limpa e agradável para a população.

Um dos serviços realizados durante o último ano foi o de limpeza de dez córregos da região Centro-Sul. Foram recolhidos 623 pneus, 70 sofás, 36 fogões, 27.857

garrafas, 8.245 latas, 24 caixas d’água, 54 geladeiras, 4.349 peças de madeiras, 326 tambores, 73 tanquinhos e 95 malas de viagem. Em 2011 também acontece-

Fotos: Gercom Centro-Sul

No último ano, a Gerência de Limpeza Urbana da Regional Centro-Sul manteve o bom desempenho no trabalho de limpeza das vias públicas. Os serviços

Mais de seis mil quilômetros de sarjetas, ruas e córregos foram limpos, quando foram recolhidos diversos materiais inservíveis

23

ram diversos mutirões de combate à dengue. Nos bairros onde ocorreram as ações, além de objetos que sujavam as ruas, foram recolhidos materiais que acumulavam água e contribuíam para a proliferação do Aedes Aegypti. Durante esse trabalho, foram recolhidos 407 pneus, 28 sofás, 22 fogões, 10.413 garrafas, 2.998 latas, 10 geladeiras, 4.488 pedaços de madeiras, 175 tambores, 66 tanquinhos e 40 pratos de vasos de plantas. Os mutirões de limpeza beneficiaram uma área de 75.450 m². Outra ação de extrema importância, executada diariamente pela Gerência de Limpeza Urbana, é a limpeza dos logradouros públicos. Nos últimos 12 meses foram varridos mais de seis mil quilômetros de sarjetas. Além disso, houve a limpeza de 105.116 bocas de lobo, outro serviço rotineiro da equipe. O trabalho de lavar as ruas contribui para a limpeza da cidade, sendo realizado diariamente. Em 2011, beneficiou uma área de 6.169.981 m², que inclui viadutos e ruas da região Centro-Sul. Além de todos esses serviços, também foram capinados cerca de 4420,693 km², auxiliando na drenagem rápida das águas pluviais para bueiros e sarjetas. O número de serviços executados em 2011 demonstra como o trabalho foi produtivo para a cidade. De acordo com o gerente regional de Limpeza Urbana, Denílson Freitas, a qualidade do trabalho pode ser avaliada pelo cidadão, que também pode colaborar para manter a cidade limpa. “Esperamos que em 2012 nosso trabalho continue com a mesma eficácia. Além dos serviços executados pela gerência, o cidadão também pode e deve colaborar com a limpeza jogando lixo no local adequado”, ressaltou.

Gercom Leste

Região Leste festeja bons resultados no Proalfa

Resultados foram apresentados em reunião

O gerente regional de Educação Leste, José Eduardo Silva Vidigal apresentou na última semana os dados relativos ao Proalfa na região, que indicam resultado positivo na avaliação de alunos locais, com uma média de 72% dos estudantes no nível recomendável. O Proalfa é um programa integrante do Sistema Mineiro de Avaliação (Simave) que verifica o

Formado por comissões de moradores e pessoas que residem ou trabalham em áreas com risco de inundação, identificadas pela Carta de Inundações, o Núcleo de Alerta de Chuvas (NAC) é um projeto coordenado pela Sudecap e foi implantado na região Leste em agosto de 2009. O objetivo é alertar, monitorar e orientar famílias que se encontram nestas áreas em caso de chuvas fortes. Belo Horizonte possui 40 núcleos, que mobilizam cerca de 408 voluntários. Na região Leste são 32 membros e três núcleos. Este trabalho de prevenção tem evitado maiores acidentes, pois as áreas mais

críticas são monitoradas durante todo o ano e são detectadas com antecedência necessidades pontuais como limpeza de córregos, retirada de lixos e execução de pequenas obras. Segundo Solange Araújo, coordenadora de Formação dos NACs de Belo Horizonte, uma das estratégias utilizadas em caso de previsão de chuva forte é o alerta encaminhado, através de mensagens para cerca de 110 celulares cadastrados, quando a previsão de chuvas é de até 30 mm. A partir de 30 mm a equipe telefona também para pelo menos um dos representantes de cada núcleo.

Solange disse que os voluntários recebem capacitação contínua para prevenir, mo nitorar e combater os riscos e desempenham papel muito importante para o desenvolvimento dos trabalhos. “A participação dos voluntários é de fundamental importância no sentido de preservar a vida dos moradores, além de prevenir contra perdas materiais”, reafirma Solange. A coordenadora ressalta que conta com a colaboração, o sentimento de solidariedade, o compromisso e a sensibilidade destes agentes comunitários. Antes do período de chu-

educação na região em 2011. “Acredito que a reorganização da equipe, a interlocução e o apoio da Secretaria Municipal de Educação, a determinação e o empenho dos diretores e professores das escolas contribuíram para que o resultado fosse positivo. Agradeço, parabenizo e reconheço o esforço e a dedicação de toda a equipe”, disse Rita Margarete.

vas é realizada vistoria coletiva que envolve a limpeza urbana regional, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Copasa, equipes de manutenção das regionais, mem-

bros dos Nacs e efetivo envolvimento dos agentes comunitários que auxiliam na elaboração do Plano de Contigência da Defesa Civil.

Gercom Leste

Núcleo de Alerta de Chuvas investe em capacitação e monitoramento e evita acidentes na região Leste

desenvolvimento e a evolução dos alunos que estão no terceiro ano da escola pública e tem o objetivo de avaliar o conhecimento dos alunos em relação à escrita e leitura. Durante a apresentação, que aconteceu no auditório da Regional leste, no bairro Floresta, a secretária regional Leste, Rita Margarete Rabelo, elogiou o desempenho dos envolvidos com a

NAC alerta e monitora famílias que moram em áreas com risco de inundação


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Eleição da Corte Real Momesca revela novidade no Carnaval de BH O Carnaval de Belo Horizonte foi aberto oficialmente no sábado, dia 14, com a eleição da nova Corte Real Momesca, em evento que aconteceu no galpão da avenida Cristiano Machado, 3.450. A escolha do rei, da rainha e da princesa do Carnaval reuniu cerca de 500 pessoas. A programação incluiu show da bateria do bloco Por Acaso, bicampeã dos desfiles da capital, barraquinhas e torcidas formadas por adultos e crianças. O anúncio dos resultados revelou uma grande novidade: a escolha do primeiro rei momo magro de Belo Horizonte. Rafael Eduardo, 21 anos, 67 quilos e muito samba no pé, se destacou na passarela cativando os jurados e todo o público presente. “Saber que agora faço parte da história do Carnaval de Belo Horizonte me deixa emocionado. O samba é minha grande paixão e estarei à altura da responsabilidade que tenho a partir de hoje”, comemorou Rafael, que concorreu com outros quatro candidatos de peso. A vencedora da acirrada disputa entre as 13 concorrentes ao título de rainha foi Renata Ribeiro de Souza, de 32 anos. “Com o coração na ponta dos pés vou honrar esse título com muita alegria, representando o Carnaval de Belo Horizonte, conhecido pelo alto nível das candidatas que participam da eleição”, declarou a rainha. O segundo lugar na disputa da rainha

Terça-feira, 17 de de janeiro Terça-feira, 17 de janeiro 2012de 2012 Robson Vasconcelos

24 24

rendeu a Yaralis Renata Teles, de 22 anos, o título de princesa da corte. Yaralis vibrou com o resultado. “Sou parte de uma família que há várias gerações elegeu o samba como sua grande paixão. Hoje, princesa do Carnaval 2012, represento a cidade e todos que amam a arte de sambar”, disse. Os vencedores recebem uma premiação total de R$ 13 mil, sendo R$ 5 mil para o rei momo e para a rainha e R$ 3 mil para a princesa. A nova Corte Real Momesca tem a responsabilidade de comandar a folia em todas as programações pré-carnavalescas e oficiais do Carnaval de BH 2012. O concurso para eleger a Corte Momesca acontece em Belo Horizonte desde 1980, quando os desfiles das escolas de samba foram oficializados pela Prefeitura, por meio de decreto municipal. Os candidatos são avaliados nos quesitos alegria, simpatia e facilidade de expressão, além do domínio da arte de sambar e do espírito carnavalesco. Além desses critérios, as candidatas a rainha também são pontuadas pela beleza do rosto e harmonia das formas físicas. Personalidades do meio artístico e cultural da capital mineira formaram o júri na final deste ano. A Prefeitura de Belo Horizonte prevê a realização de aproximadamente 60 eventos em 2012, com programação para os públicos infantil, adulto e da terceira idade. Shows, concursos de fantasias e homenagens aos sambistas, além dos desfiles das escolas de samba e blocos caricatos no Boulevard Arrudas, prometem tornar o Carnaval da capital muito animado.

Rafael Eduardo, com a princesa Yaralis e a rainha Renata, é o primeiro rei momo magro de BH

O auditório da Regional Leste, no bairro Floresta, recebeu na última semana uma reunião com a presença de comerciantes, moradores, responsáveis por blocos carnavalescos do bairro Santa Tereza e gerentes das áreas de licenciamento urbanístico, fiscalização integrada e eventos. O encontro teve como objetivo discutir procedimentos de licenciamento para a realização do Carnaval no bairro. A secretária regional Leste, Rita Margarete Rabelo, abriu a reunião informando que em 2011 o Ministério Público notificou a regional após ter recebido denúncias de moradores e da Polícia Militar sobre os transtornos causados no trânsito e à segurança da comunidade, em virtude do Carna-

Gercom Leste

Organizadores do Carnaval de Santa Tereza se reúnem na Regional Leste

Encontro tem objetivo de discutir procedimentos de licenciamento para a festa do bairro

val dos blocos caricatos na comunidade. Por recomendação do Ministério Público, a Gerência de Fiscalização Integrada da Regional Leste realiza trabalho educativo que orienta os organizadores de eventos sobre a necessidade de procurarem a regional para requerimento do devido licenciamento. Vários participantes falaram da importância da realização do Carnaval no bairro, ponto turístico da cidade por suas peculiaridades, inclusive bailes e blocos carnavalescos tradicionais desde a década de 1950. Elias Brito, presidente da Associação dos Bares e Restaurantes do Bairro Santa Tereza, criada recentemente, falou da importância da manutenção destes eventos

na comunidade, o que traz a oportunidade de mostrar o valor cultural do Santa Tereza. “A regional está à disposição, através das gerências, que se empenharão para que tudo ocorra dentro da normalidade”, disse Rita Margarete. Para emitir a licença, os organizadores apresentam comunicado à Polícia Militar e à BHTrans, o que pode proporcionar mais conforto e tranqulidade aos participantes. A obrigatoriedade da licença para eventos em logradouro público está prevista no artigo 309 da lei 8.616/03 e as informações podem ser obtidas na Regional Leste (rua Lauro Jacques, 20, 9º andar, bairro Floresta) ou pelo telefone 3277-4321

Belotur abre inscrições para novo edital de apoio a eventos turísticos A Belotur abriu inscrições para o 5º Edital de Seleção para Concessão de Subvenção a Eventos com Potencial Turístico em Belo Horizonte, que contempla eventos a serem realizados entre 1º de fevereiro a 31 de março deste ano. Iniciativa pública com o objetivo de apoiar, incentivar e promover atividades que proporcionem visibilidade para a imagem turística da capital mineira, os editais são dirigidos às

empresas que apresentam ações culturais, esportivas, turísticas e sociais. Os interessados deverão se inscrever até quinta-feira, dia 19, na sede da Belotur (rua Aimorés, 981, 6° andar, Funcionários), de 9h às 18h. Em 2011, primeiro ano de realização dos editais da Belotur, foram investidos R$ 5.350.077,75 em 82 eventos distribuídos em 21 categorias. O regulamento está disponível no Diário Oficial do Município (DOM) do dia 14 de janeiro, no site da Prefeitura de

Belo Horizonte: www.pbh.gov.br As propostas são avaliadas por uma comissão formada por representantes da Prefeitura e da sociedade civil. Entre os aspectos a serem pontuados estão a capacidade de fortalecimento da imagem turística de Belo Horizonte em nível estadual, nacional e internacional e a valorização das características da cultura de Minas Gerais. Os eventos selecionados recebem valores que variam de acordo com as seguintes categorias ao lado:

Eventos A Projetos cujo custo total do evento seja acima de R$ 16.000 e até R$ 60.000, observado o valor de apoio de 35% do valor total do projeto.

Eventos B

Projetos cujo custo total do evento seja acima de R$ 60.000,01 e até R$ 120.000, observado o valor de apoio de 35% do valor total do projeto.

Eventos C

Projetos cujo custo total do evento seja acima de R$ 120.000,01, observado o valor de apoio de 45% do valor total do projeto ou limite máximo de apoio de R$ 100.000, prevalecendo o menor valor.


DOM - 17/01/2012