Issuu on Google+

Ano XVII • N. 3.874 • R$ 0,80

BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município - DOM

IAPI de cara nova

Tiragem: 2.500 • 23/7/2011

Fotos: Breno Pataro

PREFEITURA BELO HORIZONTE

com revitalização Dos nove prédios do conjunto habitacional, três estão com fachadas pintadas através de parceria da PBH, que trabalha para finalizar projeto em 2012 Quem passa pela avenida Antônio Carlos ainda não percebe as novas cores que começam a dar vida ao Conjunto Residencial São Cristóvão, o popular IAPI. Mas basta entrar no conjunto para admirar os tons que representam o ouro, minério e ferro utilizados nas fachadas dos blocos. A revitalização é uma parceria entre a Prefeitura de Belo Horizonte e as empresas AkzoNobel/Tintas Coral e Casa & Tinta, parte do programa Adote um Bem Cultural. Localizado na região Noroeste da capital, o IAPI é tombado pela Prefeitura como um bem patrimonial do município por sua importância histórica, social e arquitetônica. Dos nove prédios que compõem o conjunto habitacional, três já estão com as fachadas pintadas e recuperadas e quem mais comemora a nova fase são os moradores. Beatriz Ceraso é síndica, vive há 65 anos no local e não esconde a satisfação pela reforma. “Estou muito feliz por poder ver essa mudança tão significativa para a nossa comunidade. Além do mais, as cores são lindas”, elogiou. O presidente da Associação Comunitária do Conjunto IAPI, Carlos Alberto Pinheiro de Mendonça Júnior, revelou que os moradores lutavam há 30 anos pela revitalização. “Estamos em festa e muito contentes, pois conseguimos resgatar a nossa autoestima e alegria”, comemora. A revitalização de mais de 60 mil metros quadrados dos edifícios, iniciada em abril deste ano, faz parte do projeto Tudo de Cor para Você, desenvolvido pela Coral e beneficiará mais de 900 lares, com investimentos de R$ 500 mil com a pintura. A previsão de término é para junho de 2012, mas a expectativa dos moradores é de que a restauração seja concluída até o fim deste ano. “Estou confiante de que todos os blocos ficarão prontos em 2011 e faremos uma grande festa para comemorar”, contou Carlos de Souza Ferreira, que vive no local. Além da pintura das fachadas, estão previstas para o local a reforma das instalações, incluindo áreas como a quadra de esporte e outros espaços.

Conjunto IAPI é tombado por sua importância histórica, social e arquitetônica

Conjunto IAPI O Conjunto IAPI surgiu a partir da intenção do prefeito de Belo Horizonte, na década de 1940, Juscelino Kubitschek, de incrementar e dar maior atenção aos bairros populares, como forma de contrabalançar os investimentos no novo bairro residencial da Pampulha. A solução vislumbrada estaria na construção de grandes prédios de apartamentos, onde seria possível um aluguel ao alcance de todos. A Prefeitura decidiu então, em convênio com o Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Industriários (IAPI), pela construção do Bairro Popular, o primeiro empreendimento deste gênero em Belo Horizonte a utilizar blocos verticais de apartamentos. A Prefeitura doou os terrenos e urbanizou a área. Em fevereiro de 1951, seis edifícios já estavam prontos e vários já eram habitados desde 1950. A concepção original do conjunto habitacional IAPI previa a implantação de 11 blocos de apartamentos com cinco andares cada um, mas o projeto sofreu modificações e foram construídos apenas nove, com maior número de pavimentos, mas isso não alterou o número total de moradias previstas no projeto original, 928 apartamentos. Em 27 de novembro de 2006 foi encaminhado pela FMC à Gerência de Patrimônio Histórico Urbano um processo solicitando exame e prestação de informações para subsidiar a resposta ao Legislativo, referente a uma indicação aprovada pela Câmara Municipal de Belo Horizonte, que sugeria ao Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município o início do processo de tombamento do Conjunto Residencial IAPI. Em sessão realizada em abril de 2007, o conselho deliberou pela abertura do processo de tombamento do conjunto, que fica entre a avenida Antônio Carlos, a rua Araíba e a avenida José Bonifácio, no bairro São Cristóvão. A definição da proteção do IAPI tornou-se necessária uma vez que, cada vez mais, surgem propostas de novos usos e de intervenções na região. Em 22 de agosto de 2007 o conjunto residencial foi tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural do Município.

Moradores como Carlos lutavam há 30 anos pela revitalização do espaço

Proteção ao patrimônio Com o objetivo de incentivar a parceria entre o poder público e a iniciativa privada na restauração, conservação e promoção dos bens culturais, a Prefeitura de Belo Horizonte lançou em abril deste ano o Programa Adote um Bem Cultural, um dos mecanismos utilizados pela PBH para incentivar a proteção, restauração e conservação do acervo cultural da cidade. Além disso, a ação favorece o conhecimento destes pontos pela população. A política de proteção ao patrimônio cultural na capital começou na década de 1980, com ações voltadas para a salvaguarda de bens culturais pertinentes à história, memória e identidade da cidade. Atualmente, a PBH por meio da Fundação Municipal de Cultura (FMC) e de sua Diretoria de Patrimônio Cultural, além do Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município, estabelece diretrizes de proteção e monitora os bens culturais materiais e imateriais reconhecidos como patrimônios da cidade. Unidades culturais vinculadas à FMC, como o Museu Histórico Abílio Barreto, o Arquivo Público da Cidade, o Centro de Referência Audiovisual e o Museu de Arte da Pampulha, cuidam da proteção e da conservação do acervo documental, arquivístico, audiovisual e artístico, em vários suportes.

Revitalização de mais de 60 mil metros quadrados começaram em abril e deve terminar em junho de 2012


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Domingo é dia de parada LGBT em Belo Horizonte zonte realiza mais uma edição da Parada LGBT de Belô no domingo, dia 24, a partir das 11h, com concentração na Praça da Estação. O evento, organizado pelo Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual (Cellos-MG), traz esse ano o tema “Chega de Mortes e Violência! Por um Brasil sem Homofobia!”, e busca dar visibili-

SMADC

Com o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio do Centro de Referência pelos Direitos Humanos e Cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CRLGBT), da Coordenadoria de Direitos Humanos, órgão da Secretaria Municipal Adjunta de Direitos da Cidadania (Smadc), Belo Hori-

Sábado, 23 de julho de 2011

Parque das Mangabeiras recebe diversas atividades no período das férias Trilha ecológica com caça palavras, pintura facial, cama elástica e jogos de mesa. Estas são algumas atividades que o Parque das Mangabeiras oferece às crianças no período de férias escolares. A programação, que vai até o dia 31 de julho, faz parte do projeto Férias nos Parques, promovido pela Fundação de Parques Municipais (FPM). “Com brincadeiras e práticas ambientais, estamos sensibilizando as pessoas sobre a importância dos parques”, afirma o coordenador da Divisão de Eventos e Educação Ambiental da FPM, Robson Machado. Por meio de jogos de dado, da memória e amarelinha, as oficinas de educação socioambientais, também realizadas no parque, ensinam ao público presente sobre preservação ambiental e coleta seletiva. O estudante Welinton de Almeida, de 8 anos, participou das atividades e deixou sua frase na árvore da vida. “Eu escrevi que é para as pessoas não jogarem lixo no chão, se não pode entupir e alagar tudo”, disse o garoto.

Fotos: Glenda Souza

2

Geopark Concentração acontece às 11h na Praça da Estação

dade às conquistas e aos desafios do movimento lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) em sua luta pela liberdade, pela livre orientação sexual, contra discriminações e preconceitos relacionados à orientação sexual e identidade de gênero. Em decisão histórica nas Nações Unidas, no dia 17 de junho de 2011, em Genebra, o Conselho de Direitos Humanos aprovou resolução sobre a violação dos direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Expressando forte preocupação em relação a atos de violência e discriminação em todas as regiões do mundo, cometidos contra as pessoas por causa de sua orientação sexual e identidade de gênero, a ONU solicitou, entre outras medidas, que a Alta Comissária de Direitos Humanos encomende um estudo a ser concluído até dezembro de 2011, para documentar leis e práticas discri-

minatórias e atos de violência contra as pessoas por motivo de sua orientação sexual e identidade de gênero, em todas as regiões do mundo. Neste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou por unanimidade a equiparação dos direitos dos casais homossexuais aos de heteros. Uma decisão que beneficia milhares de casais LGBT. No entanto, a situação de violência constante que atinge a comunidade LGBT é preocupante. O preconceito homofóbico tem se manifestado diariamente e de formas diversas, que vai desde o xingamento, passando pela agressão física e até aos assassinatos. Em 2010, foram documentados pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) 260 assassinatos homofóbicos no país. O Brasil é o campeão mundial em número de assassinatos LGBT. Minas Gerais é o quinto estado mais violento, apresentando 18 assassinatos no ano passado.

Ações O secretário municipal adjunto de Direitos de Cidadania, José Wilson Ricardo, ressalta a importância de se potencializar as ações de enfrentamento da violência contra o segmento LGBT a partir dos esforços conjuntos do governo municipal e de toda comunidade em direção à construção de uma sociedade igualitária e livre de discriminação e preconceito. Neste sentido, reafirma o secretário, Belo Horizonte permanece atento ao seu compromisso de se tornar uma cidade para todos, alinhando-se com a histórica resolução da assembléia das Nações Unidas que conclama ao mundo, de forma prioritária, a por fim à violência e às violações dos direitos humanos cometidas por motivo de orientação sexual e identidade de gênero. A parada LGBT já é um fenômeno da mobilização social e de afirmação de direitos. Neste ano, o tema da parada é emblemático, pois coloca para a sociedade a situação da constante violência e de violações dos direitos que vivem a comunidade LGBT. “Neste sentido, nós do poder público, além de apoiadores, estamos juntos na construção e no enfrentamento à violência homofóbica, à efetivação da cidadania dos LGBT e por um cultura de paz, sem qualquer preconceito”, disse Carlos Magno, coordenador do CRLGBT.

De 18 a 22 de julho, um dos destaques foi o estande Rocha Amiga. Com jogos educativos e imagens, foram passadas informações sobre a evolução da Terra e dos sítios geológicos pertencentes ao Geopark Quadrilátero Ferrífero (Pico do Itacolomi, Serra do Rola Moça, Gnaisse Cachoeira do Campo, Pico do Itabirito e Serra do Caraça e Serra do Curral).

Programação acontece até o dia 31 deste mês

A partir do estande, os visitantes puderam compreender que a evolução da Terra é melhor entendida ao se observar serras, rochas e afloramentos. “As crianças saem

daqui com a curiosidade aguçada. Ficam olhando para serra tentando entender”, afirmou o biólogo e responsável pela Educação Ambiental do Geopark, André Rocha.

Mostra Artística e Cultural da Assistência Social A arte tem sido uma ferramenta fundamental no cotidiano de profissionais cujo desafio é enfrentar a questão social em Belo Horizonte. Parte desse trabalho será expresso na Mostra Promover, por meio de instalações, exposição de vídeos, pintura, fotografia e artesanato, nos dias 29 e 30 de julho, no Minascentro (rua Guajajaras, 1.022, Centro), durante a 9º Conferência Municipal da Assistência Social. A mostra é idealizada pela Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social de Belo Horizonte, com o objetivo de simbolizar os conteúdos dessa política, compartilhando sentidos e processos. A mostra é gratuita e aberta a pessoas de todas as idades, ficando aberta no dia 29, das 15h às 21h e no dia 30, das 8h às 18h. O evento acontece em um momento muito significativo, no mês em que a lei que regulamenta o Sistema Único de Assistência Social (Suas) foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff, onde aparece em destaque a política pública de Assistência Social como determinante para o êxito do programa Brasil Sem Miséria. A Assistência Social leva em conta três vertentes de proteção social: as pessoas, as suas circunstâncias e dentre elas seu núcleo de apoio primeiro, isto é,

a família. Nesse sentido, busca entender que seus usuários possuem necessidades, mas também possibilidades ou capacidades que devem e podem ser desenvolvidas. Na opinião da secretária municipal adjunta de Assistência Social, Elizabeth Leitão, uma análise de situação não pode ser somente a partir das ausências, mas também das presenças e até mesmo como desejos em superar a situação de vulnerabilidade. “A proteção social exige a capacidade de maior aproximação possível do cotidiano daqueles que dela necessitam”, ressalta. A mostra reúne diversos

desses elementos e os conecta por meio da arte, ferramenta utilizada para promover, porque consegue, em qualquer contexto social, alcançar a alma das pessoas, de acordo com Dulce Couto, curadora do evento. Segundo ela, é difícil mostrar os serviços da Assistência Social por sua própria natureza, pois atuam num território de sofrimento e violação dos direitos. “A partir da mostra, com produtos que são feitos pelo público da assistência social, a gente procura desvendar um pouco desse universo, mostrar que é um território realmente de sofrimento, de violação, mas um território de promoção também”, disse.


Poder Executivo Sábado, 23 de julho de 2011

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

Prodabel

Monitores de telecentros participam de formação na Prodabel

Objetivo do encontro é facilitar a inserção no mercado de trabalho

Com o objetivo de apresentar a estrutura da Prodabel e sua importância na política de inclusão digital da capital mineira, a Gerência de Formação da Diretoria de Inclusão Digital promoveu na última semana, no auditório da empresa, no bairro Caiçara, uma formação para 66 monitores que atuam nos telecentros do Programa BH Cidadania. Durante a capacitação, foram entregues certificados para jovens que atuaram nos telecentros como monitores de informática por dois anos. Os participantes também tiveram a oportunidade de se aproximar da realidade empresarial das equipes de desenvolvimento de sistemas, redes e voz, comunicação, administração e inclusão digital e, ainda, compartilhar experiências sobre o trabalho desenvolvido nas comunidades. Segundo o superintendente de Inclusão Digital, Samir Rodrigues Haddad, os monitores participaram de um curso com carga horária de 240 horas-aula, que teve o objetivo de facilitar a inserção no mercado de trabalho. “A formação é fundamen-

3

tal, pois oferece qualificação profissional e permite também um debate entre as práticas e as realidades de cada espaço, além das adequações ao programa BH Digital”, disse. O coordenador dos telecentros do BH Cidadania, Rafael Frois da Silva, destacou que as capacitações ampliam as possibilidades de emprego aos jovens. “Por ser sua primeira experiência profissional, é preciso que os monitores estejam dispostos a se relacionarem com diversas pessoas. A formação permite que se estabeleça uma rede de contatos entre os jovens, o que facilita a descoberta de novas oportunidades de emprego”, afirmou. De acordo com a monitora do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Novo Aarão Reis, Raika Teixeira Freire, a formação é interessante, pois ensina os participantes a lidarem com situações do dia a dia e com o público. “Adquiri conhecimento e aprendi com as experiências das pessoas. Com certeza todos os cursos acrescentaram muito na minha vida profissional e pessoal”, concluiu.

Servidores ganham cortesias para

Parque Ecológico ao lado). O objetivo da ação é proporcionar bem estar, acesso à cultura e ao lazer para os servidores. Além de conhecerem as atrações permanentes do Vale Verde, como o espaço de preservação ambiental com mais de 1.400 espécies de aves e o Museu da Cachaça, os ganhadores do último sorteio poderão curtir a programação especial preparada para o mês de julho. Mais informações sobre as atrações do parque podem ser conferidas no site www.va leverde.com.br.

Cátia Fraga

Servidores de diferentes secretarias e unidades da Prefeitura foram contemplados na quarta-feira, dia 20, com pares de ingressos para o Vale Verde Alambique e Parque Ecológico. Desta vez, a promoção teve como objetivo incentivar os ganhadores a aproveitarem o período de férias escolares. Foram mais de 150 inscritos e dez pares de ingressos sorteados, sendo cinco para o parque ecológico, com atrativos de aventura e lazer, e cinco para o parque ecológico, incluindo entrada para o parque de pesca. (Veja premiados

Arraial reúne servidores de diversos setores na Regional Barreiro

Servidores capricharam na decoração do evento, que teve show e quadrilha improvisada

Ao som da sanfona e com direito a fogueira, pipoca, canjica e comidas típicas, o arraial dos servidores da Regional Barreiro foi pura animação. A festa, promovida na última semana, no estacionamento da sede administrativa, reuniu servidores de diversos setores, sendo que muitos estavam vestidos a caráter. A organização da festa começou no dia anterior, com a montagem das tendas. No dia seguinte, a turma se reuniu para caprichar na decoração, que contou com bandeirolas, balões e fogueira. Todos dançaram ao som

de Paulo Queiroga e Banda. O importante mesmo era se divertir. Os participantes foram surpreendidos com uma quadrilha improvisada. Após a quadrilha, o motorista Geraldo Patrício assumiu o lugar de DJ, no comando das pick-ups. “Tocamos de hip hop, dance e house aos hits dos anos 60, 70, 80”, conta. O sucesso do arraial se estendeu para as redes sociais. “Realmente nosso arraial foi demais, valeu a pena trabalhar com uma grande equipe. Todos estão de parabéns”, comentou a assistente administrativa Jaqueline Lucas.


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

26

Sábado, 23 de julho de 2011

INDICADORES ECONÔMICOS DE BELO HORIZONTE Taxas de Juros – Junho de 2011

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

fev/11

352,66

0,77

2,96

mar/11

354,89

0,63

abr/11

357,87

0,84

mai/11

359,94

0,58

359,83

-0,03

5,05

7,26

0,03

5,23

7,27

jun/11 2ª jul/11

366,62

(3)

Variação (%)

Maior

Diferença (%)

Média

4,50

5,90

31,11

5,45

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

6,08

356,97

0,42

1,78

5,74

3,61

6,50

359,61

0,74

2,53

5,90

Prefixada (montadoras)

1,32

2,40

81,82

1,68

4,48

6,95

362,56

0,82

3,37

6,28

Prefixada (multimarcas)

1,40

2,20

57,14

1,87

5,08

7,27

364,99

0,67

4,06

6,84

364,70

-0,08

3,98

6,76

Prefixada (montadoras)

1,52

2,36

55,26

1,90

0,01

4,25

6,75

Prefixada (multimarcas)

1,82

2,37

30,22

2,07

11,40

13,70

20,18

12,60

369,22

(3)

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

Cartão de Crédito

(2) IP CR= Índice de P reço s ao Co nsumido r Restrito : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 6 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte

Cheque Especial

(3) 2ª quadrissemana de julho /94 = 100

(2) (8)

Combustíveis

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

No mês

No ano

IEE(2)

IEF(3)

jan/11

137,53

193,41

119,69

2,51

3,47

2,04

2,51

fev/11

135,92

195,96

116,70

-1,18

1,32

-2,49

1,30

mar/11

138,91

196,09

120,64

2,21

0,07

3,37

3,54

abr/11

137,74

187,58

121,83

-0,84

-4,34

0,99

2,66

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

Últimos 12 Meses

IEE

IEE

3,97

3.509,09

1,60

3,62

1.240,74

2,08

1,15

2,80

143,48

1,91

2,25

4,69

108,44

3,46

1,61

1,88

16,77

1,77

Eletroeletrônicos

2,92

4,24

45,21

3,61

Mobiliário

1,93

5,56

188,08

3,05

Financeiras Independentes

6,08

17,37

185,69

10,96

Nacional

0,90

3,95

338,89

2,42

Internacional

0,90

3,95

338,89

2,42

1,48

7,14

382,43

3,69

1,98

3,47

2,04

-1,66

2,87

-3,84

CDC - Financeiro (8)

4,83

-0,51

-1,06

7,31

-5,06

CDC - Bens Alienáveis

4,90

2,84

5,88

11,44

3,21

0,35

3,86

6,70

5,16

7,48

133,44

180,41

118,43

-3,12

-3,82

-2,79

-0,54

-3,49

0,97

0,57

0,82

0,44

135,84

187,28

119,40

1,80

3,81

0,82

1,24

0,18

1,79

0,15

1,74

-0,62

8,49

0,11

ICCBH

jun/11

8,61

1.158,62

0,27

IEF

mai/11

22,83

18,25

Imóveis na Planta Cooperativas de Crédito (empréstimo)

IEF

9,63

1,45

Imóveis Construídos

Variação (%)

ICCBH(1)

7,84

(3) (7)

Construção Civil

Índice de Confiança do Consumidor Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

(8)

Turismo

(1) ICCB H: Índice de Co nfiança do Co nsumido r de B elo Ho rizo nte: trata-se de um indicado r que tem po r finalidade sintetizar a o pinião do s co nsumido res em B elo Ho rizo nte quanto ao s aspecto s capazes de afetar as suas decisõ es de co nsumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Eco nô mica: retrata a expectativa do co nsumido r em relação ao s indicado res macro eco nô mico s

Vestuário e Calçados

(3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a co nfiança do co nsumido r a respeito de alguns indicado res micro eco nô mico s

Empréstimos pessoa jurídica

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Residenciais Período Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%) No mês

Últimos 12 Meses

No ano

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

No ano

374,79

0,58

0,58

12,43

489,85

1,14

1,14

16,82

fev/11

378,98

1,12

1,71

12,55

497,44

1,55

2,71

mar/11

382,43

0,91

2,63

12,29

500,88

0,69

abr/11

385,15

0,71

3,36

11,64

505,38

mai/11

387,54

0,62

4,00

11,04

509,68

1,04

5,08

10,78

1,45

2,50

72,41

1,34

2,41

79,85

1,99

Conta Garantida (8)

1,62

8,45

421,60

5,53

Captação

Últimos 12 Meses

jan/11

391,57

(8)

Capital de Giro (8)

Desconto de Duplicatas

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis

jun/11

Menor

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte

Período

Taxas médias praticadas(1)

Setores

516,56

CDB 30 dias

(4)

0,93

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,99

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,48

0,78

62,50

16,29

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,72

0,86

19,44

3,42

15,70

Poupança (5)

0,90

4,35

14,37

0,85

5,23

13,98

(2) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(6) M édia po nderada pela vigência

(3) Inclui a variação do s indexado res CUB , TR, INCC e IGP -M

14,16

(4) Taxa A NB ID do primeiro dia útil do mês e pro jetada para 30 dias

(7) No vo cálculo co nsiderando o perío do do s índices que co mpõ em a estimativa (8) Dado s co letado s a partir de info rmaçõ es co nso lidadas no B anco Central do B rasil

1,35

6,65

0,66 0,80 0,61

Taxa SELIC (6)

0,96 (5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(1) Co nsidera-se a média das taxas praticadas pelo s info rmantes

.. Não se aplica dado s numérico s

ND - não dispo nível

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Junho de 2011 Imóveis

Popular

Médio

(1)

Apartamento 1 Quarto

Alto

418,75 (8)

Tarifas Bancárias – Junho de 2011

Luxo

660,00 (31)

Forma de Cobrança

(1)

Produtos / serviços

1514,58 (48)

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%) Média (2) (R$)

CADASTRO Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

28,27

CONTAS DE DEPÓSITOS

Apartamento 2 Quartos

Apartamentos

552,40 (50)

831,14 (79)

934,70 (94)

1770,41 (98)

(1)

624,44 (18)

758,89 (9)

983,33 (12)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

961,54 (26)

1113,80 (79)

1334,76 (124)

2154,23 (220)

(3)

(1)

1560,00 (5)

(1)

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

2175,00 (4)

1658,33 (6)

2378,79 (33)

3838,90 (146)

Barracão 1 Quarto

346,25 (16)

398,18 (11)

(2)

-

Barracão 2 Quartos

419,50 (6)

612,50 (4)

(1)

Casa 1 Quarto

650,00 (4)

(1)

(3)

Barracões

568,75 (8)

Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casas

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

734,00 (15)

-

739,29 (14)

1024,55 (11)

(1)

(1)

1073,53 (17)

1391,67 (12)

2222,22 (9)

4433,33 (9)

(1)

(3)

-

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

(3)

(3)

3844,44 (9)

por evento

0,00

10,00

..

7,08

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por evento

0,00

10,00

..

6,72

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

por evento

20,00

52,00

160,00

37,88

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por evento

6,00

15,00

150,00

11,40

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por evento

0,60

1,70

183,33

1,35

CHEQUE - Cheque Administrativo

por evento

16,00

27,00

68,75

22,71

CHEQUE - Cheque de transferência bancária_(TB e TBG)

por evento

ND

ND

ND

ND

CHEQUE - Cheque Visado

por evento

0,00

21,00

..

11,60

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por evento

0,00

3,50

..

2,15

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por evento

0,00

3,00

..

1,77

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por evento

0,00

2,30

..

1,34

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por evento

0,00

5,00

..

1,95

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(P)

por evento

1,60

6,00

275,00

3,25

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(E)

por evento

0,00

3,00

..

1,91

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup. - EXTRATO(C)

por evento

0,00

2,00

..

1,06

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por evento

0,00

6,00

..

2,88

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por evento

1,00

5,00

400,00

2,25

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por evento

0,00

5,00

..

1,62

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por evento

3,00

7,00

133,33

5,56

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED pessoal

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED eletrônico

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência de recursos por meio de DOC/TED - DOC/TED internet

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por evento

0,00

19,00

..

11,76

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por evento

0,00

30,00

..

9,61

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por evento

0,00

30,00

..

9,24

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por evento

0,00

2,95

..

1,33

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por evento

0,00

2,70

..

0,95

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por evento

16,00

27,00

68,75

24,47

por evento

11,00

49,00

345,45

37,89

por evento

10,50

18,00

71,43

13,35

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

1006,25 (8)

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

(1) 7554,84 (31)

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

(*) O valor entre parênteses representa o número de imó veis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maio ria das vezes, somente são publicados valo res médios o btido s a partir de quatro imó veis pesquisados. Os caso s em que não fo i pesquisado nenhum imóvel são indicados po r hífen (-). Os valo res médios referentes a apartamentos de 1e 2 quarto s da classe luxo são influenciados pela o ferta de Flats.

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

(1) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(2) Co nsidera-se a média das tarifas praticadas pelo s banco s pesquisado s

Fo nte: B anco Central do B rasil / B anco s - Dado s trabalhado s pela Fundação IP EA D/UFM G

.. Não se aplica dado s numérico s

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

IPCA(1)

Salário Mínimo

Cesta Básica (2)

Quantidade

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

Açúcar cristal

3,00 kg

5,11

-0,15

Arroz

3,00 kg

5,33

-0,04

Banana caturra

12,00 kg

18,24

0,19

Batata inglesa

6,00 kg

10,20

-0,56

Produto

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês IPCA

Salário Mínimo

No ano Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

ND: não dispo nível

Custo da Cesta Básica (*) – Junho de 2011

Últimos 12 Meses Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

jan/11

349,97

833,46

421,24

2,17

5,88

0,94

2,17

5,88

0,94

5,92

5,88

12,90

Café moído

0,60 kg

6,50

0,03

fev/11

352,66

833,46

429,26

0,77

0,00

1,91

2,96

5,88

2,87

6,08

5,88

10,51

Chã de dentro

6,00 kg

92,28

-2,04

mar/11

354,89

841,18

455,21

0,63

0,93

6,04

3,61

6,86

9,08

6,50

6,86

11,23

Farinha de trigo

1,50 kg

3,09

0,01

Feijão carioquinha

4,50 kg

14,09

0,00 0,00

abr/11

357,87

841,18

433,20

0,84

0,00

-4,84

4,48

6,86

3,81

6,95

6,86

0,49

Leite pasteurizado

7,50 l

15,75

mai/11

359,94

841,18

446,42

0,58

0,00

3,05

5,08

6,86

6,98

7,27

6,86

7,60

Manteiga

750,00 g

13,20

0,02

Óleo de soja

1,00 un

2,84

-0,02

Pão francês

6,00 kg

36,36

-0,09

Tomate

9,00 kg

26,64

-0,80

jun/11

359,83

841,18

430,92

-0,03

0,00

-3,47

5,05

6,86

3,26

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (2) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

7,26

6,86

8,58

(*) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Sábado, 23 de julho de 2011

Funcionária da Regional Pampulha ensina colegas confecção de estilos com balões programação das ruas de lazer nos núcleos do BH Cidadania da Pampulha. Quem passou nas proximidades da Gerência de Eventos e Promoções, na manhã de terçafeira, dia 20, teve a oportunidade de ver como são confeccionados balões os estilos cachorrinho, espada, chapéu, macaco, flor, coração, ratinho e borboleta. Miriane informa que é fácil aprender a transformar os balões no

Comunidade do Granja de Freitas discute temas de interesse do bairro A Prefeitura, por meio da Regional Leste, realizou na última semana, na Unidade Municipal de Ensino Infantil (Umei) Granja de Freitas, na região Leste, uma reunião com parlamentares, lideranças comunitárias e moradores do bairro. O objetivo da reunião foi expor a dinâmica de trabalho desenvolvida pelas gerências de Limpeza Urbana, Saúde, Políticas Sociais, Manutenção e Orçamento Participativo para o público do bairro, além de diagnosticar demandas dos moradores da localidade. Na primeira parte da reu-

estilo escolhido. “O que é preciso é perder o medo dos balões”, explicou. Seu aprendizado está valendo, além do trabalho durante a semana na Regional Pampulha, apresentações em festas infantis, juntamente com o primo Victor e a colega Leiciane, o que aumenta seu rendimento. As trabalhadoras nos núcleos da Pampulha do BH Cidadania são coordenadas por Ranalisy Quirino Bregalda.

nião, que foi coordenada pela secretária regional Leste, Rita Margarete Rabelo, os gerentes expuseram as diversas ações que estão em curso no bairro e as que estão planejadas. A gerente de Limpeza Urbana Leste, Andréa Pereira Fróes, fez uma breve apresentação de quais serviços são prestados, como varrição, capina e coleta domiciliar, e ressaltou a importância da participação da comunidade na conservação e limpeza do entorno dos conjuntos do Granja de Freitas. “Além de todos os serviços de limpeza urbana que são realizados na comunidade, apoiamos as ativida-

Gercom Leste

Gercom Pampulha

Após o curso de capacitação em estilo de balões, oferecido pela Secretaria Municipal Adjunta de Esportes, a funcionária da Gerência de Promoções e Eventos da Regional Pampulha, Miriane Aparecida Bartolomeu, passou seu aprendizado a colegas interessados. Ela e as colegas Gláucia Guimarães de Oliveira, Natália Iannarelli Caldeira e Auria Pimenta fizeram uma demonstração de como atuam na

27

Ações que estão em curso na região foram apresentadas pela PBH

Servidores fizeram demonstração de como atuar na programação das ruas de lazer

Sistemas de conectividade da Prodabel são destaques no 5º Porto Alegre Wireless da Informação e Comunicação (Abemtic), contou com a presença de executivos do governo do estado do Rio Grande do Sul e da área de tecnologia do Governo Federal, de prefeituras municipais, secretarias e associações, entre outros. O assessor apresentou o projeto do Sistema de Rádio Comunicação, que integrará serviços prestados pela Prefeitura de Belo Horizonte ao cidadão, bem como o projeto da Rede Metro Ethernet de Comunicação de Dados, que

aumentará a velocidade da internet de toda a PBH, principalmente nas escolas e órgãos da Secretaria Municipal de Saúde. “Esta rede tem um núcleo projetado para 40 Gigabites por segundo (Gbps) e esses sistemas de conectividade atenderão parte dos serviços demandados durante a Copa do Mundo e serão um grande legado para o município. Além disso, a Rede Metro Ethernet permitirá o tráfego de voz, de dados e de imagens entre os órgãos da PBH”, explicou o assessor.

Fotos: Prodabel

As iniciativas municipais de conectividade para a Copa 2014 foram temas da palestra do assessor de Planejamento da diretoria da Prodabel, Luciano Pimenta, no 5º Porto Alegre Wireless, realizado na última semana, no Hotel Deville, em Porto Alegre. O evento, organizado pela Network Eventos e pela Empresa Municipal de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa), com apoio institucional da Associação Brasileira de Entidades Municipais de Tecnologia

Assessor apresentou Sistema de Rádio Comunicação que integrará serviços prestados pela PBH

des desenvolvidas no Galpão de Reciclagem, que já emprega mais de 30 famílias com renda mensal que chega aos R$ 600. A meta é atingir 100 famílias e por isso apoio este projeto”, disse Andréa. A segunda etapa da reunião foi dedicada à manifestação dos moradores que fizeram colocações com respeito a vários assuntos, entre eles a política de habitação, principalmente no que se refere à titularização dos apartamentos e ainda questões relativas ao transporte público, áreas de risco, hidrômetro de

água individual, saúde e educação. “É muito gratificante receber a equipe da Regional Leste aqui, pois demonstra consideração conosco. Queremos buscar soluções conjuntas para resolver os nossos problemas”, disse a moradora Gisele. Todas as demandas foram registradas e colocadas para as gerências competentes quando forem do âmbito da Regional Leste. As que dependem do envolvimento de outros órgãos da Prefeitura serão processadas e encaminhadas.

Bairro O bairro Granja de Freitas é formado por conjuntos habitacionais criados por meio do Orçamento Participativo de Belo Horizonte, que beneficiou famílias do movimento dos sem casa removidas em função de situação de risco ou implantação de obras públicas e encaminhadas através dos programas das políticas sociais da Prefeitura.

Integração De acordo com Luciano Pimenta, o Sistema de Rádio Comunicação possibilitará a integração desses serviços de forma eficiente e confiável. “Se acontecer, por exemplo, um acidente grave, o sistema fará com que sejam alocados os recursos necessários para aquela região, solucionando o problema com

rapidez e exatidão”, disse. Para o assessor, a participação no evento foi válida, já que os municípios de outros estados brasileiros também estão em busca de sistemas que reúnam serviços oferecidos à população e que tenham alto desempenho. “Foi bom perceber que estamos caminhando na direção certa para um atendimento cada vez mais qualificado aos cidadãos, concluiu.

Iniciativas de conectividade para a Copa de 2014 foram apresentados


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

28 28

Poder Executivo de julho de 2011 Sábado, 23 deSábado, julho de232011

Regional Centro-Sul inicia tratamento em Paineira centenária quando começaram a cair os primeiros galhos. Diante da situação, os moradores preocupados com a saúde da árvore, fizeram o primeiro contato com a administração municipal e decidiram trabalhar em conjunto com a Prefeitura para solucionar o caso.

Fotos: Gercom Centro-Sul

Uma paineira com quase 100 anos de idade, símbolo de força e beleza no bairro Santo Agostinho, mesmo com todos os cuidados, estava sendo destruída aos poucos pela ação do tempo. Aproximadamente há quatro anos, a árvore começou a dar sinais de fraqueza

Moradores trabalham em conjunto com a Prefeitura

Até então, haviam sido feitos apenas podas na paineira, mas esse tipo de serviço não era mais possível devido ao estado enfraquecido da árvore. No dia 6 de julho, a árvore passou por inspeções de um técnico da Gerência de Jardins e Áreas Verdes, que avaliou o grau de deterioração causado pela ação de insetos. Foi aplicado cupinicida em toda a sua estrutura, a fim de evitar a proliferação de cupins. Para manter a árvore saudável, a Regional Centro-Sul, em parceria com uma empresa especializada, está avaliando uma maneira de implementar um tratamento contínuo na árvore. Tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal em 1986, a Paineira é imune a corte ou derrubada, de acordo com o Decreto Municipal 2.940, de 29 de setembro de 1977. A árvore é referência no bairro Santo Agostinho, onde recebe proteção e cuidados de todos da região, em especial de João Heringer, morador há quase 30 anos na rua onde está localizada a árvore centenária. Heringer conta que, por iniciativa própria, fez um pequeno jardim ao redor da árvore e cuida dele dia-

Paineira é tombada pelo Patrimônio Histórico Municipal

riamente. O morador informou também que a árvore é muito importante para o bairro, pois traz diversos benefícios, entre eles inibir a velocidade dos motoristas. “A árvore é um redutor natural de velocidade por

ocupar uma boa parte da esquina, com isso obriga os motoristas a reduzir a velocidade, favorecendo o grande número de pedestres que circulam por ali, especialmente as crianças”, disse Heringer.

Defesa Civil entrega colchões e cestas básicas às vitimas de incêndio na Vila da Luz cêndio ocorrido na Vila da Luz, na região Nordeste da cidade. O incêndio ocorreu no fim da tarde de domingo, dia 17, e atingiu os barracos que ficavam

Fotos: SMSEG

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) de Belo Horizonte realizou a entrega de colchões, cobertores e cestas básicas às vítimas do in-

Colchões, cobertores e cestas básicas foram entregues às vítimas

sob o viaduto no Anel Rodoviário, às margens da BR-381. Segundo o gerente operacional da Defesa Civil, Valdir Figueiredo, 11 famílias foram atingidas pelo fogo. “Elas moravam nesta região de forma precária e a perda material foi total. Após terem sidos prestados os socorros imediatos às vítimas, no sentido de controlar o incêndio, estamos tentando dar o mínimo de dignidade a estas famílias para que elas tenham pelo menos um colchão para dormir e uma cesta básica para se alimentar”, disse. Valdir esclareceu que as famílias optaram por ficar em casas de parentes e vizinhos. “Elas não manifestaram desejo de ir para um abrigo público, por isso viemos fazer a entrega destes suprimentos”. Este é o caso de parentes de Michelle Camila, que foram vítimas do incêndio. Michelle foi re-

Moradores elogiaram ação da Prefeitura

ceber os donativos para uma tia, que não podia estar presente no ato da entrega. “Minha tia não veio por estar trabalhando neste horário. Estou achando muito bacana esta ação de entrega de suprimentos. Nestas horas, a gente tem que contar com a Prefeitura e com a Defesa Civil. É uma coisa muito humana. Meus parentes vão ter que ficar lá em casa até

resolverem esta situação”. Alírio da Silva, que mora na região, estava muito comovido com o que aconteceu com os vizinhos. “Foi tudo muito rápido e meus amigos perderam tudo. Todos aqui são trabalhadores e lutam com muito esforço no dia a dia. Esta ajuda da Prefeitura é muito importante para eles”.

Conferência Municipal de Assistência Social discute valorização das políticas do setor

Nos dias 29 e 30 de julho, Belo Horizonte, no Minascentro, recebe a 9º Conferência Municipal de Assistência Social, o evento mais precioso para a política de Assistência Social no município, já

que promove a participação popular, estimula o controle social, reúne usuários, trabalhadores, entidades e gestores do Sistema Único de Assistência Social (Suas) na busca por soluções democráticas e estratégias para o aprimoramento e a consolidação dessa política. A conferência é realizada pelo Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) e pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social, e tem como tema central “Consolidar o Suas e valorizar seus trabalhadores”. O evento tem como

objetivo avaliar e propor diretrizes para o aprimoramento da gestão do Suas, na perspectiva da valorização dos trabalhadores e da qualificação dos serviços, programas, projetos e benefícios. Em 2011, a conferência debaterá, entre outras questões, a centralidade da política pública de Assistência Social no combate à extrema pobreza, questão norteadora do atual programa de governo em nível federal. O assunto tem sido amplamente divulgado em todo o Brasil e em especial em Belo Horizonte, capital que carrega o status de

pioneira em diversas frentes das políticas públicas de Assistência Social. Espera-se que durante a conferência o município apresente propostas que contribuam para as discussões da conferência nacional, que acontecerá em Brasília, em dezembro. A abertura do evento acontece às 16h30 do dia 29 de julho, e contará com a presença de diversas autoridades, como os secretários municipais de Políticas Sociais, Jorge Nahas, e de Assistência Social, Elizabeth Leitão, da presidente do CMAS, Ana Paula Simões Hilário,

e das conselheiras municipais Andreia Coelho e Maria Aparecida Mendes, representantes dos usuários e trabalhadores, respectivamente.

Mostra Simultaneamente à conferência acontecerá a Mostra SuasBH, com a exposição de trabalhos artísticos realizados nos equipamentos, entidades conveniadas e por serviços, programas e projetos do Sistema Único de Assistência Social no município.


DOM - 23/07/2011