Page 1

PREFEITURA BELO HORIZONTE Ano XVII • N. 3.851 • R$ 0,80 Encontro faz parte da primeira etapa do programa “Gestão Compartilhada: ampliando a participação popular em Belo Horizonte”, que vai até março de 2012

Diário Oficial do Município - DOM

planejamento regionalizado Regionalizado. O encontro reuniu mais de 300 pessoas do setor público e lideranças comunitárias, além de representantes de movimentos sociais, do setor produtivo e da sociedade civil, que foram

Oficina de Planejamento Participativo Regionalizado reuniu mais de 300 pessoas

Prefeito apresentou aos vereadores no início do mês o planejamento regionalizado

convidados para conhecer o programa “Gestão Compartilhada: ampliando a participação popular em Belo Horizonte”, cujo objetivo do programa é dar oportunidade à comunidade de discutir e apontar propostas para o desenvolvimento da cidade tendo como base suas subdivisões territoriais. O encontro foi a primeira etapa de um processo que vai até março de 2012. Para a secretária municipal adjunta de Gestão Compartilhada, Maria Madalena Franco, o objetivo da Prefeitura é ampliar e reforçar os processos participativos já existentes, bem como a co-responsabilização do cidadão com o planejamento da cidade. “Vamos fomentar a criação de novos espaços de diálogo com a sociedade aproximando a Prefeitura do cidadão” afirmou. A representante da Federação das Associações Comunitárias de Minas Gerias (Facemg), Eulália Pires de Freitas, destacou a necessidade de discutir o planejamento da cidade. “Há 20 anos o Orçamento Participativo era um avanço em termos de políticas públicas. Hoje, avançar é discutir o planejamento. Não só discutir o território, mas também compartilhar os benefícios que a região poder oferecer aos seus moradores”, disse. As próximas reuniões na região Norte estão marcadas para os dias 28 de junho e 7 de julho, na Escola Municipal Tristão da Cunha e no BH Cidadania Brasilina Maria de Oliveira, respectivamente.

Participação da população Um dos pilares do planejamento é a participação popular. Por isso, o programa ganhou o nome de “Gestão Compartilhada: ampliando a participação popular em Belo Horizonte”. Para realizar o planejamento regionalizado, a Prefeitura subdividiu a cidade em 40 regiões com características semelhantes em termos de infraestrutura e condições socioeconômicas. As regionais Barreiro, Centro-Sul, Nordeste e Oeste serão subdivididas em cinco subregiões cada uma. Venda Nova, Norte, Pampulha, Noroeste e Leste, em quatro territórios. Cada sub-região terá entre 100 e 120 lideranças comunitárias que participarão de debates e apresentarão propostas para o planejamento urbano. Com o planejamento participativo regionalizado, os cidadãos irão propor soluções de médio prazo para a melhoria das sub-regiões onde moram. Para isso, serão realizadas oficinas de âmbito regional, sub-regional e municipal, incluindo diálogos diretos com o prefeito, secretários e outros gestores públicos. As propostas irão contribuir para o processo de decisão das obras a serem priorizadas no OP em 2012, subsidiar o planejamento setorial das secretarias, além de favorecer a integração das diversas políticas públicas nas sub-regiões. No primeiro ciclo, a população conhece a proposta e mobiliza outros representantes importantes para o processo. No segundo, fica sabendo o que a Prefeitura fez e está fazendo e propõe outras ações, além de escolher uma comissão representativa. No terceiro ciclo, a população apresenta as propostas e debate com o prefeito. No quarto, discute com os técnicos da Prefeitura e consolida as propostas. No quinto, as nove regionais se reúnem em um fórum da cidade para apresentar, de forma integrada, os resultados das propostas das 40 sub-regiões.

PBH recebe estudo sobre edital de licitação da ainda mais. “Para isso queremos que esse importante patrimônio da cidade seja constituído, de fato, por artesãos”, destacou. Na ocasião, os vereadores solicitaram ao prefeito a implantação do novo lay out da feira e que seja feito o sorteio para a colocação dos expositores. A nova formatação foi amplamente dis-

Divino Advincula

apontadas pelos vereadores. O prefeito reiterou que a administração está aberta ao diálogo. “Nós vamos avaliar e fazer novas consultas. Se necessário, vamos conversar com os vereadores novamente e também estamos abertos a sugestões vindas de outras áreas”, apontou. Segundo o prefeito o objetivo é manter a feira e melhorá-la

Técnicos da Prefeitura vão analisar propostas e questões levantadas por comissão especial de estudos

cutida em audiências públicas na Câmara Municipal e aprovada pelo Corpo de Bombeiros. SegunMarcílio Gazzinelli

Feira de Artesanato da Afonso Pena O prefeito Marcio Lacerda recebeu na sexta-feira, dia 17, um relatório com sugestões, análises e opiniões sobre o processo licitatório da Feira de Artes e Artesanato da Avenida Afonso Pena. O material foi entregue por vereadores de uma comissão especial de estudos sobre o tema. Técnicos da Prefeitura vão analisar as propostas e questões

Tiragem: 2.500 • 18/6/2011

Prefeitura realiza primeira reunião do

Fotos: Frederico Franco

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio das secretarias de Gestão Compartilhada e da Regional Norte, promoveu na quintafeira, dia 16, na Escola Municipal Tristão da Cunha, no bairro Planalto, a primeira reunião da Oficina de Planejamento Participativo

BELO HORIZONTE

do o prefeito, a Regional CentroSul já está tomando as providências para a implantação.


BELO HORIZONTE 2

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Sábado, 18 de junho de 2011

da região do Barreiro e Contagem. O encontro, realizado na sextafeira, dia 17, promoveu a troca de experiências entre sanfoneiros, violeiros, cantores e compositores de música caipira. Segundo o gerente do centro cultural, Oswaldo Marco Alves, a música caipira é um movimento cultural bem característico da região e já é tradição no Lindeia Regina. “Este evento comemora também, os três anos do ‘Noites do Sertão’, movimento que começou antes da criação do CCLR”, destacou. O público assistiu aos shows das duplas “Jacaré e Jacarandá”, “Rosa e João Canhoto”, “Pinheiro

Heitor Zagnoli

Artistas de diferentes estilos musicais, que vão do sertanejo caipira até os cânticos eruditos, se apresentam nos espaços culturais da Fundação Municipal de Cultura este mês. Durante três dias, a versatilidade de ritmos irá embalar as comunidades dos centros culturais Lindeia Regina (CCLR), Vila Marçola (CCVM) e Lagoa do Nado (CCLN). Todas as apresentações são gratuitas. O CCLR (rua Aristolino Basílio de Oliveira, 445, bairro Regina), em comemoração aos três anos da instituição, promove o “Noites do Sertão”, evento que reúne diversos artistas sertanejos

e Pinheirinho”, além da apresentação do sanfoneiro “Dedo Fino”. Já no CCVM (rua Mangabeira da Serra, 320, bairro Serra), a maestrina Elza do Val Gomes regerá o Coral Júlia Pardini, na 34º edição do projeto Inverno Musical. A apresentação acontece no sábado, dia 18, às 10h30, com músicas barrocas, sacras, clássicas e populares. Quatro tipos de vozes fazem parte do coral, que já se apresentou em países, como México, Portugal, França e Espanha. O Coletivo M.O.R, composto pelas bandas Mangassô, Ori Abá e o cantor Ronaldo Marques, mostrará a força de sua música no palco do CCLN (rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904, bairro Itapoã), no domingo, dia 19, às 10h. Com o objetivo de unir diferentes estilos musicais, o grupo lançou ano passado seu primeiro CD, que leva o mesmo nome do grupo. A mistura de sambarock, maracatu, black music e outros gêneros permeiam o painel artístico da banda, que apresenta ao público do centro cultural um show único e original.

Coletivo M.O.R. lança disco e apresenta shows em teatros e centros culturais de BH pelo Centro de Cultura Lagoa do Nado (rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904, bairro Itapoã), com o músico convidado Caio Plínio, no domingo, dia 19, às 10h, e no Centro Cultural Padre Eustáquio (rua Jacutinga, 821, no bairro Padre Eustáquio, ao lado da Feira Coberta), também com Caio Plínio. O repertório do show, totalmente autoral, reproduzirá as canções do disco e algumas outras canções selecionadas especialmente para a apresentação. O disco e os shows estão sendo realizados através dos benefícios da Lei

“Noites do Sertão” reúne diversos artistas sertanejos no Centro Cultural Lindéia Regina

Espaço Escadaria mostra Circuito Turístico Serras Verdes

Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Fotos: Divulgação

O Coletivo M.O.R. produziu seu primeiro disco após três anos de carreira como grupo. Gerado pela união das bandas Mangassô e Ori Abá e o cantor Ronnaldo Marques, os artistas se preparam para os shows de lançamento do álbum, em formato SMD, também intitulado “O Coletivo M.O.R.”, que teve direção musical de Felipe Fantoni e mixagem e masterização de André Cabelo. O show estreou em maio no teatro da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, na Praça da Liberdades e agora passará também

Nathália Turchetti

Centros culturais da capital recebem músicos de diferentes estilos

No domingo, dia 19, o Espaço Escadaria da Prefeitura de Belo Horizonte mostra, de 8h às 14h, o Circuito Turístico Serras Verdes, composto pelos municípios de Bom Repouso, Brazópolis, Bueno Brandão, Cachoeira de Minas, Camanducaia (Monte Verde), Cambuí, Conceição dos Ouros, Consolação, Córrego do Bom Jesus, Extrema, Gonçalves, Itapeva, Munhoz, Natércia, Paraisópolis, Pouso Alegre, Sapucaí Mirim, Senador Amaral, Tocos do Moji e Toledo. Este é o segundo ano que o Serras Verdes participa do Espaço Escadaria e traz diversos atrativos para representar as maravilhosas características do Sul de Minas. Entre os produtos que serão expostos estão geléias de frutas vermelhas, doce de leite Portão de Cambuí, artesanatos em tecido e fibra de bananeira e muita música de raiz com Ney da Viola. Com uma localização privilegiada, o Circuito Serras Verdes recebe cerca de 400 mil turistas por ano, com fluxo expressivo no período de maio a agosto.

Escadaria O Escadaria é uma iniciativa da Belotur, em parceria com a Federação das Associações dos Circuitos Turísticos do Estado de Minas Gerais (Fecitur). Lançado em dezembro de 2009, ganhou em 2010 o prêmio Melhores Práticas, na categoria Cooperação Regional, oferecido pelo Ministério do Turismo às ações dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional no Brasil. O local de integra a área da Feira de Artesanato da Avenida Afonso Pena e permite que seus cerca de 80 mil visitantes, entre moradores e turistas, conheçam mais das riquezas de Minas Gerais. Repertório é totalmente autoral e discos e shows são realizados com benefícios da Lei Municipal de Incentivo à Cultura


Poder Executivo Sábado, 18 de junho de 2011

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

Concurso cultural premia profissionais da área de Educação e Ensino

3

até o dia 30 de junho, pelo site http://www.ecofuturo.org .br/ concursocultural. No site, os participantes podem acessar conteúdos e bibliografias especialmente seleciona-

dos. A competição tem abrangência nacional e seu objetivo é aproximar as pessoas dos livros e do prazer da escrita, a partir de temas que têm a ver com a conquista de qualidade de vida.

Premiação

Profissionais de biblioteca e educadores sociais podem participar neste ano da sétima edição do concurso cultural “Ler e Escrever é Preciso”, que incentiva o hábito da leitura e expressão autoral através da escrita. Essa é a primeira vez, em dez anos, que o concurso permite

a inscrição desses profissionais. Podem se inscrever, também, professores de escolas públicas e particulares de todos os níveis da Educação, além de estudantes, do ensino fundamental e médio, e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A equipe de jurados que faz a primeira leitura dos textos enviados é composta por mais de 120 pessoas, com idades, formações e profissões diversas. Serão avaliadas a adequação ao tema proposto, originalidade e autenticidade dos textos. Ao todo, serão 60 premiados, sendo dez vencedores por categoria, de acordo com suas colocações. Os prêmios variam de notebooks, para os primeiros lugares, a troféu e brindes para as demais colocações. Todos terão seus textos publicados em um livro coletivo. Também serão premiadas as instituições que viabilizaram a inscrição dos textos dos vencedores, seja escola, biblioteca ou Organização Não Governamental (ONG). Cada instituição receberá um acervo de cinco ou mais livros e certificado, dependendo da colocação. A premiação ocorrerá durante evento cultural em São Paulo no final do ano.

O tema do concurso este ano é “Vamos cuidar da vida”, que pode ser abordado sob os mais variados tipos de textos. Serão aceitas poesias, memórias, cartas, diálogos, páginas de diário, narrativas, artigos de opinião e outros gêneros. As inscrições devem ser feitas

Secretaria de Recursos Humanos promove comemoração de Dia dos Namorados

Servidor da Regional Centro-Sul recebe a medalha Alferes Tiradentes rado em receber a medalha”, disse Willian Nogueira. O evento, que marcou as comemorações dos 236 anos da Polícia Militar, também resultou na segunda homenagem que Willian

A Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos (SMARH) dedicou, na última semana, três dias para comemorar o Dia dos Namorados. Aproveitando a data especial, a equipe da Gerência de Acompanhamento Sociofuncional (Geasof) promoveu cortes de cabelo e oficinas de cuidados com a pele para os servidores e servidoras da secretaria e demais interessados. Mais de 60 pessoas participaram do evento. Pedro Paulo da Rocha, auxiliar de secretaria da Regional Noroeste, demonstrou interesse pelo tratamento facial ao ver um dos cartazes de divulgação durante as aulas de inglês que cursa na Smarh. Segundo ele, a oportunidade foi excelente para aprender técnicas pessoais sobre como cuidar melhor da pele. “Gostei muito dos produtos e também do tratamento e dedicação das instrutoras. As explicações foram muito boas e se mais iniciativas como essas fossem realizadas com certeza eu iria participar”, afirmou. “Ter um momento para cuidar de si, aprender algo novo, integrar-se com outras pessoas nos faz mais felizes, proporcionando uma maior qualidade de vida no trabalho e melhoria do clima organizacional. É perceptível a alegria das pessoas ao término das atividades, o que aponta que estamos no caminho certo” afirmou Maria Regina Vieira, coordenadora do Programa de Qualidade de Vida desenvolvido pela Gerência de Acompanhamento Sociofuncional.

Prodabel

serviço mais ágil”, salientou. Além da agilidade na prestação de serviços, outro ponto enfatizado pelos alunos é o de poder aplicar os conhecimentos adquiridos na manutenção dos seus próprios equipamentos em casa. “Se minha impressora apresentar algum problema, eu mesmo poderei consertá-la. E, caso chame um técnico para realizar o serviço, saberei avaliar se ele foi bem executado”, afirmou Washington Moreira, funcionário da Gerência de Atendimento a Desktop. O professor da capacitação Welson Bispo estava muito satisfeito com os participantes. “Todos que fizeram o curso se mostraram interessados. Tenho certeza que eles aumentaram o conhecimento e isso será refletido no trabalho deles”, concluiu.

SMARH

William Nogueira, gerente de Regulação foi homenageado pela PMMG

Manutenção de impressoras é tema de curso na Prodabel A Prodabel promoveu no Centro de Recondicionamento de Computadores (rua José Clemente Pereira, 440, bairro Ipiranga), entre os últimos dias 3 e 10, o curso de manutenção de impressoras. Os participantes aprenderam sobre o funcionamento de diversos tipos de impressoras e como consertá-las. Mônica Cristina é funcionária da Gerência de Serviços e destacou a importância da capacitação para o seu trabalho. “Constantemente realizo atendimentos relativos a panes em impressoras. Agora, poderei adiantar ao técnico que fará a manutenção, possíveis soluções para o problema, tornando o

recebeu da corporação. Em maio deste ano, o gerente recebeu uma réplica da fachada do 1º Batalhão, como forma de agradecimento aos serviços prestados em parceria com a Polícia Militar.

Adão de Souza

A Polícia Militar de Minas Gerais prestou, durante a solenidade de comemoração dos 236 anos da corporação na terça-feira, dia 14, às 20h, uma homenagem a personalidades e entidades que prestaram relevantes serviços à instituição. As comemorações aconteceram na Academia de Polícia Militar, localizada na rua Diabase, 320, no Prado, e entre os agraciados estava o gerente de Regulação Urbana da Regional Centro-Sul, William Nogueira. Na solenidade foi entregue a medalha Alferes Tiradentes, que representa a mais alta comenda da corporação. A medalha é uma referencia ao mártir da Independência do Brasil, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, e foi inspirada na sua participação histórica. “Foi uma homenagem muito significativa e emocionante. É um grande reconhecimento a um serviço prestado. Me sinto muito hon-

Durante três dias, oficinas e cortes de cabelo foram promovidos para os servidores


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

66

Sábado, 18 de junho de 2011

INDICADORES ECONÔMICOS DE BELO HORIZONTE Taxas de Juros – Maio de 2011

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

349,97

2,17

2,17

5,92

jan/11

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

355,48

1,35

1,35

5,89

fev/11

352,66

0,77

2,96

6,08

356,97

0,42

1,78

5,74

354,89

0,63

3,61

6,50

359,61

0,74

2,53

5,90

abr/11

357,87

0,84

4,48

6,95

362,56

0,82

3,37

6,28

mai/11

359,94 379,51

(3)

0,58

5,08

7,27

0,30

5,41

7,28

364,99 384,95

Maior

Diferença (%)

Média

3,00

5,90

96,67

5,07

Prefixada (montadoras)

1,03

2,41

133,98

1,66

Prefixada (multimarcas)

1,64

2,34

42,68

1,99

(3)

2,16

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

0,67

4,06

6,84

Prefixada (montadoras)

1,55

3,61

132,90

0,40

4,46

6,87

Prefixada (multimarcas)

1,86

2,74

47,31

2,20

11,40

13,70

20,18

12,60

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte

Cartão de Crédito

(2) IP CR= Índice de P reço s ao Co nsumido r Restrito : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 6 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (3) 1ª quadrissemana de julho /94 = 100

Cheque Especial

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

(2) (8)

Combustíveis Construção Civil

Índice de Confiança do Consumidor Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

Período

Menor

Variação (%)

mar/11

1ª jun/11

Taxas médias praticadas(1)

Setores

ICCBH(1)

IEE(2)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

IEF(3)

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

7,46

9,59

28,55

8,53

1,71

17,85

943,86

8,06

(3) (7)

Imóveis Construídos

0,17

2,07

1.117,65

1,38

Imóveis na Planta

0,23

1,73

652,17

0,91

1,15

4,20

265,22

2,45

2,81

4,84

72,24

3,84

1,68

2,03

20,83

1,87

4,25

102,38

3,25

Cooperativas de Crédito (empréstimo) Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

dez/10

134,17

186,93

117,30

-1,51

-3,67

-0,38

-2,39

0,72

-3,91

-2,39

0,72

-3,91

jan/11

137,53

193,41

119,69

2,51

3,47

2,04

2,51

3,47

2,04

-1,66

2,87

-3,84

fev/11

135,92

195,96

116,70

-1,18

1,32

-2,49

1,30

4,83

-0,51

-1,06

7,31

-5,06

Eletroeletrônicos

2,10

CDC - Financeiro (8) CDC - Bens Alienáveis

(8)

mar/11

138,91

196,09

120,64

2,21

0,07

3,37

3,54

4,90

2,84

5,88

11,44

3,21

Mobiliário

1,49

5,76

286,58

2,84

abr/11

137,74

187,58

121,83

-0,84

-4,34

0,99

2,66

0,35

3,86

6,70

5,16

7,48

Financeiras Independentes

6,08

14,58

139,80

9,53

mai/11

133,44

180,41

118,43

-3,12

-3,82

-2,79

-0,54

-3,49

0,97

0,57

0,82

0,44

Turismo Nacional

0,90

3,95

338,89

2,41

Internacional

0,90

3,95

338,89

2,39

1,48

7,11

380,41

3,90

(1) ICCB H: Índice de Co nfiança do Co nsumido r de B elo Ho rizo nte: trata-se de um indicado r que tem po r finalidade sintetizar a o pinião do s co nsumido res em B elo Ho rizo nte quanto ao s aspecto s capazes de afetar as suas decisõ es de co nsumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Eco nô mica: retrata a expectativa do co nsumido r em relação ao s indicado res macro eco nô mico s (3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a co nfiança do co nsumido r a respeito de alguns indicado res micro eco nô mico s

Vestuário e Calçados

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Empréstimos pessoa jurídica

Residenciais Período Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%) No mês

Últimos 12 Meses

No ano

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

No ano

(8)

1,46

2,41

65,07

2,00

Capital de Giro (8)

1,23

2,52

104,88

2,05

Conta Garantida (8)

1,64

8,37

410,37

5,56

Desconto de Duplicatas

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis

Captação

Últimos 12 Meses

dez/10

372,63

0,68

13,04

13,04

484,33

0,62

16,50

16,50

jan/11

374,79

0,58

0,58

12,43

489,85

1,14

1,14

fev/11

378,98

1,12

1,71

12,55

497,44

1,55

mar/11

382,43

0,91

2,63

12,29

500,88

0,69

CDB 30 dias

(4)

0,93

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,84

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,49

0,81

65,31

16,82

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,74

0,85

14,86

2,71

16,29

Poupança (5)

3,42

15,70

abr/11

385,15

0,71

3,36

11,64

505,38

0,90

4,35

14,37

mai/11

387,54

0,62

4,00

11,04

509,68

0,85

5,23

13,98

0,67 0,81 0,66

Taxa SELIC (6)

0,95

(1) Co nsidera-se a média das taxas praticadas pelo s info rmantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(6) M édia po nderada pela vigência

(3) Inclui a variação do s indexado res CUB , TR, INCC e IGP -M

(7) No vo cálculo co nsiderando o perío do do s índices que co mpõ em a estimativa (8) Dado s co letado s a partir de info rmaçõ es co nso lidadas no B anco Central do B rasil

(4) Taxa A NB ID do primeiro dia útil do mês e pro jetada para 30 dias

.. Não se aplica dado s numérico s

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

ND - não dispo nível

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Tarifas Bancárias – Maio de 2011

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Maio de 2011 Imóveis

Popular

Médio

Alto

Forma de Cobrança

(1)

Produtos / serviços

Luxo

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%) Média (2) (R$)

CADASTRO

Apartamento 1 Quarto Apartamento 2 Quartos

Apartamentos

Apartamento 3 Quartos 1 Banho Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

420,00 (5)

(1)

631,25 (24)

1488,40 (50)

549,56 (45)

800,90 (81)

919,54 (91)

1770,22 (89)

614,55 (11)

Barracão 1 Quarto

1000,00 (18)

(1)

957,67 (30)

1110,44 (68)

1308,85 (130)

2122,63 (210)

(3)

(1)

1540,00 (5)

(2)

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

751,36 (11)

2180,00 (5)

1700,00 (4)

2380,00 (30)

3811,43 (147)

341,67 (18)

397,14 (7)

(3)

-

(3)

581,25 (8)

(1)

-

Barracões Barracão 2 Quartos

-

-

(2)

-

553,00 (10)

723,64 (11)

966,67 (6)

(2)

Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casas

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos Casa 4 Quartos e até 2 Banhos Casa 4 Quartos e 2 Banhos

727,69 (13)

1100,00 (11)

(1)

(1)

1112,50 (20)

1365,00 (10)

2271,43 (14)

4584,62 (13)

1540,00 (5)

(3)

1887,50 (8)

(1)

(3)

3972,73 (11)

(1) 7631,25 (32)

(*) O valor entre parênteses representa o número de imó veis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maio ria das vezes, so mente são publicados valo res médios o btido s a partir de quatro imó veis pesquisados. Os caso s em que não fo i pesquisado nenhum imóvel são indicados po r hífen (-). Os valo res médios referentes a apartamentos de 1e 2 quarto s da classe luxo são influenciados pela o ferta de Flats.

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

28,27

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por evento

0,00

10,00

..

7,08

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por evento

0,00

10,00

..

6,72

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

por evento

20,00

52,00

160,00

36,70

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por evento

6,00

15,00

150,00

11,40

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por evento

0,60

1,70

183,33

1,35

CHEQUE - Cheque Administrativo

por evento

16,00

27,00

68,75

22,71

CONTAS DE DEPÓSITOS

CHEQUE - Cheque de transferência bancária_(TB e TBG)

por evento

ND

ND

ND

ND

CHEQUE - Cheque Visado

por evento

0,00

21,00

..

11,60

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por evento

0,00

3,50

..

2,15

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por evento

0,00

3,00

..

1,75

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por evento

0,00

2,30

..

1,34

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por evento

0,00

5,00

..

1,95

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(P)

por evento

1,60

6,00

275,00

3,21

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(E)

por evento

0,00

3,00

..

1,87

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup. - EXTRATO(C)

por evento

0,00

2,00

..

1,06

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por evento

0,00

6,00

..

2,85

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por evento

1,00

5,00

400,00

2,21

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por evento

0,00

5,00

..

1,62

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por evento

3,00

7,00

133,33

5,42

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED pessoal

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED eletrônico

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência de recursos por meio de DOC/TED - DOC/TED internet

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por evento

0,00

19,00

..

11,76

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por evento

0,00

30,00

..

9,61

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por evento

0,00

30,00

..

9,24

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por evento

0,00

2,95

..

1,33

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por evento

0,00

2,70

..

0,95

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por evento

16,00

27,00

68,75

24,47

por evento

11,00

49,00

345,45

37,12

por evento

10,50

18,00

71,43

13,35

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

(1) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(2) Co nsidera-se a média das tarifas praticadas pelo s banco s pesquisado s

Fo nte: B anco Central do B rasil / B anco s - Dado s trabalhado s pela Fundação IP EA D/UFM G

.. Não se aplica dado s numérico s

Custo da Cesta Básica (*) – Maio de 2011

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

IPCA(1)

No mês

Salário Mínimo

Cesta Básica (2)

IPCA

No ano

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Últimos 12 Meses

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

dez/10

342,54

787,16

417,30

0,33

0,00

-3,60

5,68

9,68

9,18

5,68

9,68

9,18

jan/11

349,97

833,46

421,24

2,17

5,88

0,94

2,17

5,88

0,94

5,92

5,88

12,90

fev/11

352,66

833,46

429,26

0,77

0,00

1,91

2,96

5,88

2,87

6,08

5,88

10,51

mar/11

354,89

841,18

455,21

0,63

0,93

6,04

3,61

6,86

9,08

6,50

6,86

11,23

abr/11

357,87

841,18

433,20

0,84

0,00

-4,84

4,48

6,86

3,81

6,95

6,86

0,49

mai/11

359,94

841,18

446,42

0,58

0,00

3,05

5,08

6,86

6,98

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (2) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Quantidade

Valores (em R$)

Açúcar cristal

3,00 kg

5,51

0,04

Arroz

3,00 kg

5,44

-0,04

Banana caturra

12,00 kg

17,76

-0,72

Batata inglesa

6,00 kg

11,64

-0,55

Café moído

0,60 kg

6,43

0,06

Chã de dentro

6,00 kg

97,56

1,34

Produto

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

ND: não dispo nível

7,27

6,86

7,60

Contribuição na variação (p.p.)

Farinha de trigo

1,50 kg

3,06

0,00

Feijão carioquinha

4,50 kg

14,09

0,09 0,30

Leite pasteurizado

7,50 l

15,75

Manteiga

750,00 g

13,16

0,01

Óleo de soja

1,00 un

2,90

0,00

Pão francês

6,00 kg

36,60

0,07

Tomate

9,00 kg

28,71

2,44

(*) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Atendimento ao usuário de drogas é tema de fórum na Regional Norte Política de atendimento aos usuários de álcool e outras drogas no município de Belo Horizonte. Este foi o tema da mesa redonda apresentada no sétimo Fórum Integrado de Saúde, promovido pela Gerência de Atenção à Saúde Norte na terça-feira, dia 14. O encontro contou com a participação de mais de 60 profissionais das áreas de Saúde, Educação e Assistência Social. Para abordar o tema foram convidados representantes da Coordenação de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, da Coordenação do programa Rede pela Paz, da Secretaria Municipal

de Educação e da Gerência de Promoção Social da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social, além da coordenadora do Centro de Referência em Saúde Mental - Álcool e Drogas (Cersam – AD). A psicóloga e referência técnica da Coordenação de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, Rosemeire Aparecida da Silva, chamou a atenção para a necessidade de regulamentação social do uso das drogas. “Ao encarar o uso de droga como uma patologia, a sociedade produz um discurso excludente e de desresponsabilização. É preciso criar

estratégias que reconheçam e incluam o laço que cada um estabelece com a droga, convidando os sujeitos a buscar saídas e a responsabilizar-se pelo uso”, afirmou. Para a psicóloga, a criminalização e a exclusão destas pessoas são as respostas mais frequentes da sociedade. Para superar esta situação de criminalização e de exclusão, a qual são submetidos os usuários de drogas lícitas ou ilícitas, será necessário trabalhar em rede, consolidar a proteção social como um direito válido e efetivo na cultura brasileira. O Fórum Integrado de Saú-

67

Gercom Norte

Sábado, 18 de junho de 2011

Cerca de 60 profissionais das áreas de Saúde, Educação e Assistência Social participaram do evento

de é realizado a cada dois meses e reúne profissionais das diversas áreas para tratar de temas que

necessitam de uma articulação das políticas públicas para alcançar melhores resultados.

Escola Tenente Manoel Magalhães Penido comemora 40 anos A Escola Municipal Tenente Manoel Magalhães Penido (rua Amur, 48, bairro Betânia), na região Oeste, comemora 40 anos em 2011. Fundada em 9 de março de 1971, a escola recebeu o

nome em homenagem ao cirurgião dentista e professor Manoel Teixeira de Magalhães Penido. Para celebrar a data, a escola desenvolve, nos meses de junho e julho, uma série de atividades

com os estudantes, incluindo uma passeata pelo bairro, oficinas de jogos e brincadeiras, além de um jantar com toda a comunidade escolar. A programação cultural inclui apresentações de capoeira,

A prática da pichação e do grafite foram temas do debate ocorrido na quarta-feira, dia 15, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, na Praça da Liberdade. O evento fez parte de uma demanda complementar à mostra de fotos “Cidadão Cuidando do que é de todos” sobre ações de remoção de pichações promovidas pelo Movimento Respeito por BH, que estarão expostas na biblioteca até o dia 22 de junho. Foi discutida no encontro a lei federal 12.408, que descriminaliza o ato de grafitar. Os debatedores foram Cristianne Moreira, delegada da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, Rosane Corgosinho, analista de Políticas Públicas da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Patrimonial, e Fred Negro, grafiteiro e arte-educador. Rosane Corgosinho enfatizou a necessidade de se educar o olhar e os demais sentidos. Segundo a analista, Belo Horizonte desenvolve uma série de iniciativas educativas. “Além das estratégias de repressão qualificada e remoção de pichações implementadas na cidade desde o ano passado, o projeto piloto em desenvolvimento na Regional Pampulha, com a participação dos alunos da Escola Municipal Integrada Alice Nacif, juntamente com o Centro de Cultura Pampulha, irá contribuir decisivamente para a sensibilização e educação patrimonial das crianças e jovens”. “É um ato de vandalismo e que polui visualmente a cidade. As denúncias sobre pichadores são fundamentais para colocarmos fim nesta prática de crime”, disse Cristianne Moreira. A delegada discutiu também a questão do grafite. “É uma forma de intervenção e expressão artística, mas temos de respeitar os direitos dos outros. Ao grafitar, temos que saber se o poder público ou o espaço particular permite esta manifestação”. O papel da educação no combate à pichação foi destacado pelo artista Fred Negro. “Ela tem importância fundamental para que novos pichadores não surjam todos os dias. Eu mesmo fui pego pichando em 1995. Graças às oportunidades e ao apoio que recebi, pude me reeducar e estou concluindo o curso de designer gráfico”. Fred afirmou que os grafiteiros querem propor um diálogo com a cidade. “Queremos expressar nossas ideias, mas sempre respeitando as leis”, afirmou.

som instalada na garupa que transmite as mensagens gravadas em estúdio pelos alunos. De acordo com Daniela, os adolescentes já haviam organizado uma iniciativa semelhante com a Rádio Recreio, idealizada para divulgar notícias de interesse dos próprios alunos durante os intervalos entre as aulas. Para a Rádio Pedal, os mais de 200 estudantes inscritos no Escola Integrada decidiram tratar de temas mais amplos nos programas que veiculam através do triciclo durante o tempo que passam fora da escola. Coleta seletiva, combate à dengue e campanhas de vacinação são alguns dos assuntos divulgados pelo projeto. A logomarca inserida no triciclo também é fruto da iniciativa dos alunos. O desenho foi feito por José Danilo, 11 anos, estudante do segundo ciclo. Segundo a coordenadora do Rádio Pedal, o objetivo agora é divulgar o projeto e estimular sua ampliação na região e em toda a cidade.

Carlos Alberto Carli

Rádio Pedal é uma atividade extracurricular que une comunicação, utilidade pública e integração com a sociedade

Unir comunicação, utilidade pública e integração com a sociedade. Foi pensando em como colocar essa ideia em prática que a coordenadora do programa Escola Integrada da Escola Municipal Hugo Pinheiro Soares, a pedagoga Daniela Terra, começou em 2007 a discutir com os alunos uma forma de ampliar as atividades extracurriculares desenvolvidas na unidade para além dos muros da escola. Na quarta-feira, dia 16, quatro anos após a implantação do Escola Integrada, Daniela acompanhou uma turma de alunos à sede da regional para apresentar o Rádio Pedal – Informação em Movimento, em execução desde o início do mês de junho. Após estabelecer parcerias com a regional, com uma empresa de áudio e com uma faculdade de jornalismo, a escola, que fica no bairro Concórdia, um dos mais antigos da região, conseguiu dar início a este curioso projeto. Trata-se de um triciclo adaptado com uma caixa de

sição de trabalhos confeccionados no programa Escola Aberta. No dia 13 de julho, finalizando as comemorações, haverá apresentações para relembrar a história da escola.

Grafite e pichação são temas de debate na Biblioteca Pública

Gercom Nordeste

Escola Integrada da região Nordeste inaugura projeto de rádio itinerante

maculelê e músicas diversas com o uso de flauta e instrumentos de percussão, apresentados pelos alunos do programa Escola Integrada. Além das apresentações, o evento conta também com expo-


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

A defesa da ecologia e a melhoria do meio ambiente da cidade podem estar atreladas ao seu crescimento econômico e social. Um bom exemplo são as Medidas Compensatórias Ambientais, uma das prerrogativas do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam), que tem como principal missão analisar e conceder as licenças para imple mentação dos grandes empreendimentos na capital. Segundo a lei, todos os grandes projetos são analisados pelos conselheiros do Comam e, durante as três etapas de licenciamento (Licença Prévia, Licença de Implantação e Licença de Operação), são determinadas estas Medidas Compensatórias Ambientais. Elas são estabelecidas de acordo com os impactos ambientais gerados pelo processo de instalação dos empreendimentos, mas geralmente giram em torno de 0,5% do valor total das obras. Dependendo das circunstâncias, elas se revertem em melhorias ambientais e sociais

satórias ambientais sejam aplicadas em áreas que demandam maior atenção. Entre os valores destinados para as medidas compensatórias, está a contratação de serviço especializado de aerolevantamento a laser de todas as áreas administradas pela Fundação de Parques Municipais, um total de 12,64 quilômetros quadrados de área, incluindo a Serra do Curral. Grande parte dos recursos arrecadados em 2011 vem sendo aplicada nos parques da capital. No Parque Municipal, por exemplo, os recursos de compensações foram aplicados em ações como a recuperação das margens da Lagoa dos Barcos, reforma do auditório e instalação de divisórias nos banheiros masculinos, reforma do brinquedo Castelão, reforma do gramado e dos jardins da Praça dos Brinquedos, revitalização paisagística do Coreto, revitalização da Fonte das Jaqueiras e canteiros no entorno, além do combate a pragas e cupins nas árvores e no solo.

localizadas na própria região do empreendimento ou em outras regiões de Belo Horizonte. Em reunião realizada na última semana, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) apresentou relatório de medidas compensatórias com os valores arrecadados, cerca de R$ 1 milhão até aqui em 2011, e sua destinação. O trabalho foi realizado por técnicos e assessores da secretaria. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Nivio Lasmar, a decisão sobre onde serão aplicados os recursos das compensações é feita em conjunto. “Antes, as decisões sobre a destinação dos recursos eram tomadas durante o licenciamento ambiental, realizado pelo Comam. Agora, este grupo é encarregado de fazer a intermediação entre o empreendedor e o responsável pela área onde a verba será aplicada”, destacou o secretário. Essa mudança, segundo Nívio Lasmar, garante que as medidas compen-

Divulgação

Medidas Compensatórias Ambientais trazem benefícios para a capital

18 2011 de junho de 2011 Sábado, 18 deSábado, junho de

Recursos arrecadados pela compensação ambiental estão sendo aplicados nos parques da capital Divulgação

68 68

Intervenções proporcionam um novo olhar da

Casa do Baile Nathália Turchetti

Palestras O evento Coarquitetura promove quatro palestras com professores, arquitetos e artistas. Todas são gratuitas e abertas ao público em geral. Para participar não é necessário fazer inscrição antecipadamente. No dia 28 de junho, às 19h30, o professor e pesquisador Stéphane Huchet e o escritório de arquitetura colombiano Paisajes Emergentes abordam as relações entre arquitetura, arte e paisagem. No dia 30, a partir das 19h30, o arquiteto Carlos Teixeira apresenta o trabalho que desenvolve no escritório Vazio S/A com ênfase na articulação de sua obra com as artes visuais e as artes cênicas. No mesmo dia, o artista gráfico Marcelo Drummond ministra a palestra “Arquitetura Gráfica: espaços de inflexão”. Na sequência, fechando o ciclo de palestras, a artista Rivane Neuenschwander apresentará diversos trabalhos com ênfase na relação de sua arte com a arquitetura.

Oficina Coarquitetura apresenta instalações temporárias, exposição de projetos, palestras e oficina

Intervenções A instalação “Deriva” localiza-se no pátio da Casa do Baile, junto ao jardim de Burle Marx. A intervenção tem como conceito principal proporcionar novas maneiras de se apropriar do ambiente externo da Casa do Baile. Já o projeto “Soma” propõe uma reflexão sobre a relação entre preservação e uso de edificações que constituem nosso patrimônio cultural. A instalação proposta consiste na duplicação dos elementos existentes e propõe um uso menos limitado, ou irrestrito, de seus espaços pelos visitantes.

Divulgação

Referência em urbanismo, arquitetura e design, a Casa do Baile (avenida Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha) abre suas portas para o Coarquitetura, evento com instalações temporárias, exposição de projetos, palestras e oficina. Serão executadas duas instalações, “Deriva” e “Soma”, além da exposição dos projetos resultantes de uma experiência acadêmica na Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em que foi abordado o tema “Intervenção Arquitetônica Temporária na Casa do Baile”. Coarquitetura traz também a Belo Horizonte uma oficina do grupo colombiano Paisajes Emergentes, além de palestras dos renomados artistas e arquitetos Rivane Neuenschwander, Carlos Teixeira, Stéphane Huchet e Marcelo Drummond. O evento pode ser conferido entre sábado, dia 18, e o dia 17 de julho, das 9h às 19h. A idealização do evento é do arquiteto Fernando Maculan, do escritório MACh Arquitetos, que também foi o professor e orientador dos projetos que participam da exposição. Coarquitetura foi contemplado pelo Fundo de Projetos Culturais e é também vencedor do edital de ocupação da Casa do Baile, ambas iniciativas da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura. O projeto da exposição envolve diretamente a produção de 27 estudantes da disciplina Projeto Arquitetônico, da Escola de Arquitetura da UFMG, ministrada no segundo semestre de 2010. A disciplina tinha como objetivo a criação de projetos que pudessem ampliar o potencial de uso do espaço, ao mesmo tempo visando uma nova configuração, em caráter experimental e temporário, do conjunto edificado. Espera-se que os projetos apontem para a afirmação da Casa do Baile como Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte.

Poder Executivo

Além da palestra, o grupo Colombiano Paisajes Emergentes promove uma oficina entre os dias 23 e 26 de junho, das 9h às 19h. Ministrada pelo arquiteto colombiano Edgar Mazo, a oficina tem como proposta realizar uma nova leitura sobre o sistema de forças que suporta a formação da arquitetura, sintetizando as três bases principais de suas reflexões: o lugar, o homem e a técnica. A inscrição deve ser feita no site do evento (www.co.arq.br) e terá o custo de R$ 100 por participante. Serão emitidos certificados aos participantes que cumprirem integralmente a carga horária, de 40 horas-aula. São oferecidas 36 vagas, com foco para estudantes e profissionais de arquitetura, artes plásticas e design.

DOM - 18/06/2011  

Diário Oficial do Município

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you