Issuu on Google+

PREFEITURA BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município - DOM

Tiragem: 2.500 • 28/4/2011

Fotos: Divino Advincula

Ano XVII • N. 3.814 • R$ 0,80

BELO HORIZONTE

População de BH ganha novo espaço de convivência e promoção da saúde Praça da Saúde, no bairro Grajaú, será destinada à prática de atividades físicas e ao lazer

Projeto arquitetônico Um dos destaques do projeto arquitetônico é a acessibilidade do espaço, com a inclusão de rampas e pisos rebaixados, além de piso tátil para orientação de deficientes visuais. A acessibilidade também está presente em brinquedos especiais para cadeirantes e nos brinquedos projetados para diminuir o risco de acidentes. O projeto ainda contempla áreas verdes com árvores que permitirão a formação de sombra e luminárias modernas e resistentes. Para a segurança do local, a praça terá a presença da Guarda Municipal durante 24 horas. Em Belo Horizonte, a Praça Floriano Peixoto, no bairro Santa Efigênia, foi a primeira a ganhar brinquedos especiais, no final do ano passado, após a revitalização realizada pela Unimed-BH.

PBH inaugurou ontem a nova área verde

Os belo-horizontinos ganharam mais um espaço para descanso, lazer e prática de atividades físicas. A Prefeitura, em parceria com a Unimed-BH, inaugurou ontem a Praça da Saúde, localizada no cruzamento entre a avenida Silva Lobo e rua Viamão, no bairro Grajaú, na região Oeste da capital. A nova área verde de convivência e promoção da saúde recebeu investimentos de cerca de R$ 1,2 milhão. A solenidade de entrega da praça contou com as presenças da secretária regional Oeste, Neusa Fonseca, do secretário municipal de Meio Ambiente, Nívio Tadeu Lasmar, da presidente da Fundação Municipal de Cultura, Thaïs Pimentel, e do diretor-presidente da Unimed-BH, Heitor Freitas, entre outras autoridades. A Praça da Saúde oferece um espaço multiuso de atividades físicas coletivas, que poderão ser realizadas em circuitos com equipamentos especiais para ginástica de baixo impacto, favorecendo o uso pelos idosos e portadores de

necessidades especiais. Além disso, foram instaladas barras de alongamento para o aquecimento antes das caminhadas e corridas. Nos intervalos das atividades físicas, a comunidade terá à disposição uma fonte de água potável e mesas para jogos de tabuleiro. O espaço ainda contempla o Teatro da Arena, uma área especial destinada a intervenções culturais. “A praça será um espaço comunitário, de convivência, lazer e prática de esportes, principalmente para os idosos e portadores de necessidades especiais”, disse Neusa Fonseca. Segundo a secretária regional, é necessário que a comunidade ajude a preservar a nova área de diversão. Heitor Freitas ressaltou a importância de se ter um espaço de promoção da saúde para a população. “É com satisfação e orgulho que abrimos esta área para a cidade. A nova opção de convívio social e de espaço inclusivo foi preparada para as pessoas cuidarem da saúde de variadas formas”, ressaltou.

Local será comunitário e promoverá o lazer e a prática de esportes, inclusive para idosos e portadores de necessidades especiais


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

MAP exibe esculturas e instalações de José Bechara Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585). A entrada é gratuita e a promoção é da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura e do MAP. A visitação acontece de terça a domingo, das 9h às 19h. O público terá a chance de ver pinturas, esculturas e instalações produzidas pelo artista entre 2006 e 2010. Para o curador da mostra, Sérgio Rodrigo Reis, ao transitar

Maycon Lima

“Colisão e Trânsito” é a primeira mostra individual do artista plástico carioca José Bechara no Museu de Arte da Pampulha. Para ocupar o edifício modernista projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o artista trouxe um conjunto significativo de suas criações. A abertura acontece dia 30, às 11h, e a exposição fica em cartaz de 1° de maio a 5 de junho no Salão Nobre e Mezanino do Museu de Arte da

pelos mais diversos meios expressivos, confrontando o processo de elaboração de um trabalho a outro, a busca do artista é pela colisão de experiências autônomas. “A intenção é que apareçam leituras capazes de guiá-lo a um mirante privilegiado da própria obra. E olhando desse lugar, ele não se enxerga como alguém utilizando o trabalho para produzir uma experiência plástica em favor de uma crônica do cotidiano. Mas, sim, como um interessado em mergulhar nos temas mais profundos da existência, tirando daí o material para produzir uma atmosfera gráfica, tensa e silenciosa, capaz de provocar no outro não só o olhar como um pensamento”, afirmou.

Quinta-feira, 28 de abril de 2011 Julio Callado

2

Artista já expôs em importantes museus e traz a BH várias de suas criações

O artista José Bechara nasceu no Rio de Janeiro em 1957 e estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Participou da 25ª Bienal de São Paulo, na 29ª Panorama da Arte Brasileira no MAM em São Paulo, na 5ª Bienal do Mercosul em Porto Alegre e das mostras “Caminhos do Contemporâneo” e “Os 90”; ambas no Paço Imperial no Rio. O artista já realizou exposições individuais e coletivas em importantes museus e instituições como Culturgest, em Lisboa (Portugal), Meiac de Badajós (Espanha), Instituto Valenciano de Arte Moderno, Valencia (Espanha), MAM, no Rio de Janeiro, MAC, em Curitiba; MAM BA, em Salvador, MAC, em Niterói, Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, Museu Vale, em Vitória e Haus der Kilturen der Welt, em Berlim, (Alemanha), entre outros.

Inscrições abertas para a 9ª edição do Mumia Já estão abertas as inscrições para a 9ª Mostra Udigrudi Mundial de Animação (Mumia). Elas ficam abertas até o dia 31 de maio e podem ser feitas pelo site da Fundação Municipal de Cultura (www.pbh.gov.br/cultura), onde podem ser encontradas mais informações sobre o regulamento, ou pelo blog criado para a mostra (www.mostramumia.blogspot.com). Serão aceitas produções nacionais e internacionais para filmes em animação de qualquer formato, finalizados a partir de 2000. A escolha das produções levará em conta a inovação e a criatividade das obras. Segundo o organizador da mostra, Sávio Leite, o público mineiro poderá ter acesso a uma parcela significativa da produção nacional e internacional que, por não pertencer a grandes produtoras, dificilmente chegariam ao circuito comercial. “É um estímulo à cultura cinematográfica brasileira e à formação de novos espectadores e realizadores”, afirmou. Neste ano, o Mumia acontece de 7 a 30 de setembro em

Belo Horizonte e Betim. As animações selecionadas serão exibidas durante a mostra no Cine Humberto Mauro do Palácio das Artes, no Centro de Cultura Belo Horizonte, na Casa do Baile, no Cineclube Joaquim Pedro de Andrade, no Cineclube Uma Tela

no Meu Bairro, no Cineclube Sabotage na C.A.S.A. e no Auditório da Prefeitura Municipal de Betim. Os selecionados e a programação do evento estarão disponíveis a partir do dia 23 de agosto em www.mostramumia.blog spot.com

Histórico Segundo o cineasta e escritor francês René Clair, “cinema é aquilo que não pode ser contado”. Partindo desse princípio, o cineasta Sávio Leite, juntamente com outros profissionais de animação, criou, em 2003, a Mostra Udigrudi Mundial de Animação (Mumia), com a finalidade de incentivar novas produções audiovisuais de curtas-metragens em animação. Hoje, o Mumia é um evento consolidado entre os festivais de cinema e vídeo no Brasil e já faz parte do calendário turístico da cidade. O seu sucesso pode ser comprovado pelos convites internacionais que tem recebido para participar de festivais em locais como Finlândia, Chile, Colômbia e Holanda. No ano passado, esteve presente também em eventos na Eslovênia e no Equador. A mostra tem caráter competitivo e conta com apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, do Centro de Referência Audiovisual de Belo Horizonte (Crav), da Prefeitura Municipal de Betim, do Museu Histórico Abílio Barreto, da ABCA, da ABCA-MG, do Sesc/Laces/JK, da Leite Filmes, da Sinpro Minas, da Pimenta Filmes e da IT Filmes, Comunicação e Entretenimento.

Escola do bairro Ribeiro de Abreu festeja primeira década de vida A Escola Municipal Paulo Freire, que fica no bairro Ribeiro de Abreu, na regional Nordeste, festeja dez anos no sábado, dia 30. Para a comemoração, será realizado no prédio da escola (rua Paulo Campos Mendes, 311), às 9h, o lançamento do livro “Memorial Educação Além das Fronteiras”

e o CD “Dolín Dolá – Cantar, Tocar e ser Feliz” . Haverá também apresentações de estudantes do Ensino Fundamental Regular, da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei), Escola Integrada e da Escola Aberta, além de exposição dos trabalhos feitos pela Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Histórico A escola foi fundada no dia 14 de fevereiro de 2001, com o nome em homenagem ao educador e filósofo brasileiro Paulo Freire (1921-1997). Atendia apenas 1° e 2° ciclos e em 2003 começou a atender também alunos do 3° ciclo. Em 2004 a quadra poliesportiva passou por uma ampla reforma. Em 2007, foi a vez da cozinha ser reformada e foram inauguradas mais duas salas de aula. A diretora Edmeia Costa afirma que a escola desempenha papel fundamental na vida de toda a comunidade escolar. “Acho que esta escola contagia as pessoas com ideais e valores, transformando a vida de quem trabalha aqui. E é neste espírito que comemoramos estes dez anos de luta, dedicação e compromisso por uma educação de qualidade para todos”, completa.


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Quinta-feira, 28 de abril de 2011

Servidores e fiscais do Orçamento Participativo visitam canteiros de obras lização do Orçamento Participativo Noroeste (Comforça) realizaram na terça-feira, dia 26, inspeções em duas obras: o Centro Poliesportivo

Dom Bosco, que recebeu investimentos de aproximadamente R$ 2,5 milhões, e a Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei)

Gercom Noroeste

Uma equipe formada por servidores da Gerência Regional do Orçamento Participativo Noroeste e membros da Comissão de Fisca-

Nova Esperança, com valor estimado da obra em aproximadamente R$ 5 milhões, e que atenderá a aproximadamente 300 crianças. Ambas as obras têm previsão de inauguração para o início do segundo semestre de 2011 e foram escolhidas através do Orçamento Participativo. A visita teve como princi-

Curso Saúde Integral forma segunda turma nados à saúde e ampliar a compreensão de que o bem-estar individual está diretamente ligado a um ambiente saudável de relacionamento. Além disso, palestras enfocando reflexões sobre saúde e trabalho, atitudes proativas e ações socioambientais foram realizadas, assim como discussões sobre os riscos no cotidiano, seja na cidade, no trabalho ou na moradia e sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Uma das participantes, a técnica de enfermagem da Unida-

Filhos e netos de garis são qualificados pelo Sine Termina hoje o curso de Competências Básicas para filhos e netos de garis da Gerência de Limpeza Urbana Centro-Sul. Realizado pelo Sistema Nacional de Empregos (Sine), o curso qualifica adolescentes de 14 a 21 anos para a inclusão no mercado de trabalho, abordando temas como elaboração de currículo, relações de trabalho, como se portar em uma entrevista, ética e cidadania e planejamento familiar. A carga horária é de 12 horas-aula e o curso está sendo ministrado pelo professor Mauro Rodrigues, do Sine, na Gerência de Limpeza Urbana da Regional Centro-Sul, na avenida dos Andradas, 1.345. No início do próximo mês, o Sine emitirá as carteiras de trabalho digitalizadas dos alunos do curso.

Cerca de 20 servidores receberam o certificado de conclusão do curso

de de Pronto-Atendimento (UPA) de Venda Nova, Ione Ravacini de Oliveira, afirma que o momento foi mais que propício para a discussão desses assuntos. “A iniciati-

SLU

Cerca de 20 servidores receberam ontem no auditório da Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos (Smarh), o certificado de conclusão do curso “Saúde Integral - riscos, reflexões e ações no cotidiano”, promovido pela Smarh, por meio da Escola Virtual de Governo. Vídeo, brincadeiras e confraternização fizeram parte do evento que marcou o encerramento da segunda turma do curso. Durante dois meses, profissionais de diferentes áreas se reuniram para debater temas relacio-

SMARH

Equipe visitou obras do Centro Poliesportivo Dom Bosco e da Umei Nova Esperança, ambas escolhidas através do Orçamento Participativo

va foi excelente, pois estamos todos passando por um momento de estresse e dificuldade, seja por questões sociais, políticas ou pessoais. O curso irá ajudar a nos tor-

3

pais objetivos apresentar aos fiscais da Comforça o estágio das obras e acompanhar de perto os serviços que estão em execução. Para o assessor do Orçamento Participativo Noroeste, Bruno Cartier, a visita foi muito importante. “Os representantes das comunidades que selecionaram suas obras comprovaram a execução dos trabalhos e verificaram o andamento, que acontece de forma transparente, o que para eles significa a materialização de um sonho coletivo”, conta. Antônio Arcanjo, um dos fiscais da Comforça, falou com entusiasmo sobre a visita. “Percebi que está tudo correndo bem e que os trabalhadores atuam com afinco nas obras para que elas possam ser entregues com bom acabamento. Acredito, inclusive, que serão entregues no prazo pré-estabelecido”, ressalta. “Fico feliz em saber que essas obras são frutos de um processo democrático de discussões e embates e que aqueles que conseguiram no voto listar suas obras saberão que o Orçamento Participativo é uma coisa séria e que dá um resultado altamente positivo para a comunidade”, finaliza. Para o gerente do OP Noroeste, Nhém Ambrósio, a visita proporcionou aos representantes da Comforça conhecimento amplo das obras do OP que estão sendo realizadas em toda a regional.

narmos pessoas melhores, mais tranquilas e equilibradas”, disse. Para Ione, que trabalha diretamente com a população, a experiência refletirá em um atendimento mais humanizado e com maior disponibilidade. “Aprendendo a realizar uma melhora em nossa vida pessoal, estaremos mais alegres e satisfeitos, o que consequentemente reflete em um ambiente de trabalho mais agradável e saudável”, completa. Cursos sobre saúde, ambiente de trabalho e qualidade de vida são promovidos durante todo o ano pela Prefeitura, por meio da Smarh. Os interessados devem ficar atentos às informações veiculadas por meio do Diário Oficial do Município (DOM) ou na Sala do Servidor no portal da PBH (www.pbh.gov.br).


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

14

Quinta-feira, 28 de abril de 2011

INDICADORES ECONÔMICOS DE BELO HORIZONTE Taxas de Juros – Março de 2011

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

341,41

0,63

5,33

5,81

nov/10

Taxas médias praticadas(1)

Setores

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

349,35

0,75

4,79

5,19

Menor

Maior

Diferença (%)

Média

2,87

5,90

105,57

4,63

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

dez/10

342,54

0,33

5,68

5,68

350,74

0,40

5,20

5,20

Prefixada (montadoras)

1,15

2,40

108,70

1,59

jan/11

349,97

2,17

2,17

5,92

355,48

1,35

1,35

5,89

Prefixada (multimarcas)

1,42

2,55

79,58

1,83

fev/11

352,66

0,77

2,96

6,08

356,97

0,42

1,78

5,74

2,03

mar/11

354,89

3ª abr/11

361,99

(3)

0,63

3,61

6,50

0,81

4,33

6,78

359,61 366,49

(3)

Automóveis Usados

0,74

2,53

5,90

Prefixada (montadoras)

1,41

2,79

97,87

0,78

3,24

6,30

Prefixada (multimarcas)

1,56

2,58

65,38

2,03

11,40

13,70

20,18

12,60

6,71

9,15

36,36

8,07

4,81

8,03

66,94

6,42

Imóveis Construídos

0,12

1,80

1.400,00

1,29

Imóveis na Planta

0,14

1,56

1.014,29

0,48

1,12

4,20

275,00

2,22

2,18

4,80

120,18

3,40

1,59

1,83

15,09

1,73

8,63

229,39

4,27

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte

Cartão de Crédito

(2) IP CR= Índice de P reço s ao Co nsumido r Restrito : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 6 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (3) 3ª quadrissemana de julho /94 = 100

Cheque Especial

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Combustíveis Construção Civil

Índice de Confiança do Consumidor Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

Período

No mês

Últimos 12 Meses

No ano

(2) (8)

(3) (7)

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

ICCBH(1)

IEE(2)

IEF(3)

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

out/10

131,61

185,55

114,40

-0,12

3,90

-2,06

-4,25

-0,02

-6,29

-2,11

3,69

-4,85

CDC - Financeiro (8)

nov/10

136,23

194,06

117,75

3,51

4,59

2,93

-0,89

4,56

-3,54

-0,21

7,23

-3,72

CDC - Bens Alienáveis

dez/10

134,17

186,93

117,30

-1,51

-3,67

-0,38

-2,39

0,72

-3,91

-2,39

0,72

-3,91

Eletroeletrônicos

2,62

jan/11

137,53

193,41

119,69

2,51

3,47

2,04

2,51

3,47

2,04

-1,66

2,87

-3,84

Mobiliário

2,19

9,87

350,68

3,56

fev/11

135,92

195,96

116,70

-1,18

1,32

-2,49

1,30

4,83

-0,51

-1,06

7,31

-5,06

Financeiras Independentes

6,08

12,96

113,16

9,38

mar/11

138,91

196,09

120,64

2,21

0,07

3,37

3,54

4,90

2,84

5,88

11,44

3,21

Turismo

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

(1) ICCB H: Índice de Co nfiança do Co nsumido r de B elo Ho rizo nte: trata-se de um indicado r que tem po r finalidade sintetizar a o pinião do s co nsumido res em B elo Ho rizo nte quanto ao s aspecto s capazes de afetar as suas decisõ es de co nsumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Eco nô mica: retrata a expectativa do co nsumido r em relação ao s indicado res macro eco nô mico s

(8)

Nacional

0,94

3,95

320,21

2,12

Internacional

0,94

3,95

320,21

2,06

2,07

11,36

448,79

5,63

2,02

Vestuário e Calçados

(3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a co nfiança do co nsumido r a respeito de alguns indicado res micro eco nô mico s FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Empréstimos pessoa jurídica

Residenciais Período Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%) No mês

Últimos 12 Meses

No ano

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

No ano

(8)

1,72

2,40

39,53

Capital de Giro (8)

1,71

2,34

36,84

2,11

Conta Garantida (8)

2,29

8,23

259,39

5,68

Desconto de Duplicatas

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis

Captação

Últimos 12 Meses

out/10

365,90

0,37

11,00

13,01

476,72

1,24

14,67

18,59

nov/10

370,11

1,15

12,27

13,10

481,35

0,97

15,78

dez/10

372,63

0,68

13,04

13,04

484,33

0,62

jan/11

374,79

0,58

0,58

12,43

489,85

1,14

CDB 30 dias

(4)

0,88

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,78

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,45

0,75

66,67

17,43

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,68

0,82

20,59

16,50

16,50

Poupança (5)

1,14

16,82

fev/11

378,98

1,12

1,71

12,55

497,44

1,55

2,71

16,29

382,43

0,91

2,63

12,29

500,88

0,69

3,42

15,70

0,75 0,62

Taxa SELIC (6)

0,93 (5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(1) Co nsidera-se a média das taxas praticadas pelo s info rmantes

mar/11

0,62

(2) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(6) M édia po nderada pela vigência

(3) Inclui a variação do s indexado res CUB , TR, INCC e IGP -M

(7) No vo cálculo co nsiderando o perío do do s índices que co mpõ em a estimativa (8) Dado s co letado s a partir de info rmaçõ es co nso lidadas no B anco Central do B rasil

(4) Taxa A NB ID do primeiro dia útil do mês e pro jetada para 30 dias

.. Não se aplica dado s numérico s

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

ND - não dispo nível

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Março de 2011 Imóveis

Popular

Médio

(2)

Apartamento 1 Quarto

Alto (1)

Tarifas Bancárias – Março de 2011 Produtos / serviços

Luxo

625,09 (57)

Forma de Cobrança

(1)

1507,69 (39)

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%) Média (2) (R$)

CADASTRO Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

24,11

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por evento

0,00

10,00

..

6,97

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por evento

0,00

10,00

..

6,63

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

por evento

20,00

52,00

160,00

36,01

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por evento

6,00

15,00

150,00

11,40

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por evento

0,60

1,70

183,33

1,33

CHEQUE - Cheque Administrativo

por evento

16,00

27,00

68,75

22,50

CONTAS DE DEPÓSITOS

Apartamento 2 Quartos

Apartamentos

Apartamento 3 Quartos 1 Banho Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

534,41 (34)

787,66 (77)

902,80 (93)

1735,25 (99)

605,00 (12)

735,00 (8)

959,29 (14)

1337,50 (4)

945,00 (24)

1103,23 (65)

1276,12 (121)

2060,50 (200)

-

(1)

1570,00 (5)

(3)

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

2175,00 (4)

(2)

2383,13 (16)

3812,44 (131)

Barracão 1 Quarto

338,57 (14)

392,00 (15)

(2)

-

Barracão 2 Quartos

408,00 (10)

560,00 (5)

(2)

-

Barracões

(2)

458,33 (6)

(3)

-

539,09 (11)

710,00 (13)

(3)

(3)

Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casas

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

744,62 (13)

1080,00 (10)

(3)

(2)

1196,88 (16)

1303,75 (8)

2200,00 (9)

4350,00 (4)

1550,00 (6) (2)

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

(1)

(3)

(1)

-

3950,00 (8)

7928,21 (39)

CHEQUE - Cheque de transferência bancária_(TB e TBG)

por evento

0,00

1,50

..

0,79

CHEQUE - Cheque Visado

por evento

0,00

21,00

..

11,60

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por evento

0,00

3,50

..

2,15

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por evento

0,00

3,00

..

1,73

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por evento

0,00

2,30

..

1,34

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por evento

0,00

5,00

..

1,95

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(P)

por evento

1,45

6,00

313,79

3,17

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(E)

por evento

0,00

3,00

..

1,86

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup. - EXTRATO(C)

por evento

0,00

2,00

..

1,06

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por evento

0,00

6,00

..

2,83

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por evento

1,00

5,00

400,00

2,20

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por evento

0,00

5,00

..

1,62

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por evento

3,00

7,00

133,33

5,42

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED pessoal

por evento

13,40

40,00

198,51

16,45

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED eletrônico

por evento

1,60

12,50

681,25

7,77

Transferência de recursos por meio de DOC/TED - DOC/TED internet

por evento

1,60

11,50

618,75

7,62

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por evento

0,00

40,00

..

14,11

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por evento

0,00

12,50

..

7,25

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por evento

0,00

11,50

..

6,87

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por evento

0,00

2,95

..

1,33

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por evento

0,00

2,70

..

0,94

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por evento

16,00

27,00

68,75

24,34

por evento

11,00

49,00

345,45

29,00

por evento

0,00

18,00

..

12,28

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE

(*) O valor entre parênteses representa o número de imó veis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maio ria das vezes, somente são publicados valo res médios o btido s a partir de quatro imó veis pesquisados. Os caso s em que não fo i pesquisado nenhum imóvel são indicados po r hífen (-). Os valo res médios referentes a apartamentos de 1e 2 quarto s da classe luxo são influenciados pela o ferta de Flats.

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

(1) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(2) Co nsidera-se a média das tarifas praticadas pelo s banco s pesquisado s

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Fo nte: B anco Central do B rasil / B anco s - Dado s trabalhado s pela Fundação IP EA D/UFM G

.. Não se aplica dado s numérico s

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

Custo da Cesta Básica (*) – Março de 2011

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

IPCA(1)

Quantidade

Valores (em R$)

Açúcar cristal

3,00 kg

5,83

0,00

Arroz

3,00 kg

5,59

-0,02

Banana caturra

12,00 kg

19,32

0,48

Batata inglesa

6,00 kg

13,08

1,98

Produto

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

Salário Mínimo

Cesta Básica (2)

IPCA

No ano

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

ND: não dispo nível

Últimos 12 Meses

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

Contribuição na variação (p.p.)

out/10

339,27

787,16

416,20

0,66

0,00

9,24

4,67

9,68

8,89

5,80

9,68

5,67

Café moído

0,60 kg

5,98

0,07

nov/10

341,41

787,16

432,87

0,63

0,00

4,01

5,33

9,68

13,26

5,81

9,68

9,37

Chã de dentro

6,00 kg

97,32

0,92

dez/10

342,54

787,16

417,30

0,33

0,00

-3,60

5,68

9,68

9,18

5,68

9,68

9,18

Farinha de trigo

1,50 kg

3,06

0,02

Feijão carioquinha

4,50 kg

12,74

0,38

jan/11

349,97

833,46

421,24

2,17

5,88

0,94

2,17

5,88

0,94

5,92

5,88

12,90

Leite pasteurizado

7,50 L

14,55

0,12

fev/11

352,66

833,46

429,26

0,77

0,00

1,91

2,96

5,88

2,87

6,08

5,88

10,51

Manteiga

750,00 g

13,05

-0,12

Óleo de soja

1,00 un

2,86

0,01

Pão francês

6,00 kg

36,48

0,14

Tomate

9,00 kg

33,84

2,06

mar/11

354,89

841,18

455,21

0,63

0,93

6,04

3,61

6,86

9,08

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (2) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

6,50

6,86

11,23

(*) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G


Poder Executivo Quinta-feira, 28 de abril de 2011

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

15

Projeto do Centro de Saúde São Geraldo debate saúde do homem de Saúde São Geraldo um projeto que tem como objetivo discutir a saúde do homem. A proposta prevê medidas que contribuirão para

o aumento da perspectiva de vida e para a redução do índice de doenças graves entre os homens. Cerca de 40 pessoas partici-

Gercom Leste

Através de uma parceria com estudantes do curso de Biomedicina do Centro Universitário UNI-BH, foi lançado pelo Centro

Objetivo é contribuir para o aumento da perspectiva de vida e para a redução do índice de doenças graves

param do encontro. De maneira descontraída, as estudantes apresentaram uma peça de teatro que alerta e conscientiza a população sobre a importância de cuidar da saúde, realizando exames periódicos, principalmente para se detectar precocemente o câncer de próstata. Ueliton Brito, de 43 anos, disse que a população necessita de ações especificas como essas. “Normalmente, o homem não se preocupa muito com isso. Pretendo melhorar neste sentido, pois meu pai, aos 65 anos, sofreu muito com problemas na próstata. Na sua época não havia muita informação, mas atualmente não há desculpas”, afirmou.

PBH oferece atendimento especial a responsáveis por projetos arquitetônicos e de parcelamento do solo canal de comunicação entre a Prefeitura e o cidadão. O agendamento é realizado através do e-mail agendagelu@pbh.gov.br. Os RTs devem comparecer ao atendimento munidos de cópia da Informação Básica da edificação e/ou do parcelamento; do registro/matrícula do imóvel se

a questão for do parcelamento do solo; e de croquis ou projetos em forma de rascunho com as idéias delineadas para discussão. O atendente Roberto Flávio Sant’Ana disse que grande parte das dúvidas se concentram nas questões de cálculo do potencial construtivo, afastamento frontal e estudos de via-

bilidade sobre que tipo de edificação pode ser erguido em determinada área. Para a RT Fabiana Freitas, esse atendimento personalizado amplia a perspectiva de diminuição do tempo de tramitação de projetos na Smaru, o que facilita a vida do empreendedor e também dos técnicos da Prefeitura”

SMARU

Diariamente, das 8h às 17h, técnicos da Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana (Smaru) tiram dúvidas de engenheiros e arquitetos com projetos arquitetônicos e de parcelamento do solo prestes a serem protocolados no BH Resolve (Central de Atendimento). A atividade, intitulada Atendimento Especial de Projetos, tem o objetivo de agilizar a tramitação de processos na Prefeitura, uma vez que os ajustes são promovidos nos projetos antes do procedimento de protocolo, fato que amplia a possibilidade de aprovação na primeira análise. Os técnicos da Smaru atendem os Responsáveis Técnicos (RTs) no terceiro andar da sede do órgão, que fica na avenida Afonso Pena, 4.000, no bairro Mangabeiras. O Atendimento Especial de Projetos, implantado em fevereiro, é mais um

Técnicos da Sacretaria de Regulação Urbana atendem diariamente engenheiros e arquitetos com dúvidas

Marília Romanelli, gerente do Centro de Saúde São Geraldo, disse que as estatísticas dão conta de que a cada três mortes de pessoas adultas, duas são de homens, e que de cada cinco pessoas que morrem entre 20 a 30 anos, quatro são homens. Além disso, eles vivem sete anos menos que as mulheres, em média. “Os homens não se cuidam. A equipe pretende incentivar a presença e o comprometimento dos homens através de informações passadas pelas mães, esposas e filhas. Para atingir o objetivo, serão disponibilizados horários que facilitem as consultas e a capacitação de médicos e funcionários”, disse Marília.

Chat A Prefeitura de Belo Horizonte presta, em tempo real, orientações técnicas ao cidadão sobre os diversos serviços prestados pela Smaru. Esse serviço, intitulado Plantão Técnico via Chat faz parte das ações do projeto BH Resolve, que modernizou o serviço de atendimento ao cidadão. De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, seis técnicos da Smaru tiram dúvidas dos cidadãos sobre aprovação de projetos arquitetônicos, parcelamento do solo, baixa e habite-se das construções, alvarás de localização e funcionamento de atividades econômicas, entre outras. Dados da Gerência de Atendimento e Prestação de Serviços ao Cidadão (GPSC) apontam uma média diária de cem atendimentos, sendo o acesso realizado através do Portal da PBH na internet (www.pbh.gov.br) e nos computadores disponíveis na sala do plantão técnico da Smaru, no 3° andar da Central BH Resolve, que fica no Centro, com entradas pela rua dos Caetés, 342, e pela avenida Santos Dumont, 363.

Escola do bairro Tupi comemora 35 anos de vida A Escola Municipal Francisco Campos (rua Herlado Belisário, 190, bairro Tupi, na região Norte) completou 35 anos no mês de março. A data foi festejada pela comunidade escolar, que participou de uma programação especial com apresentações teatrais e musicais de alunos e parceiros, distribuição de brindes, barraquinhas de mostras de trabalhos

e exposição de fotos do histórico da escola desde a sua fundação. Marli Gonçalves, bibliotecária da escola, conta que todos participaram ativamente das festividades. “A comemoração foi um momento especial, pois apresentou a nova realidade da escola e mostrou a dedicação de todos pelos antigos colegas e diretores” analisou.

Histórico A Escola Municipal Francisco Campos foi inaugurada em 15 de março de 1976. No início, funcionava em um prédio pequeno que passou por reformas, garantindo novas alas. Hoje, a escola conta com uma estrutura de 16 salas de aula, biblioteca, sala de vídeo, cantina, laboratório de informática, sala de intervenção

pedagógica, quadra coberta e um amplo estacionamento. Atualmente, a escola atende aproximadamente 1.200 alunos, divididos em 32 turmas dos 1º, 2º e 3º ciclos, 350 alunos no programa Escola Integrada e conta com uma participação média mensal de 900 pessoas na Escola Aberta, aos finais de semana. À noite são quatro turmas da Educação de Jovens e Adultos (EJA),

três turmas de Floração e duas turmas de EJA externa. A escola possui atualmente 58 servidores, 22 funcionários da caixa escolar, 14 monitores de Escola Integrada e 10 voluntários da Escola Aberta. De acordo com as últimas avaliações sistêmicas, a escola teve um crescimento considerável no Ideb e vem buscando a cada dia melhorar a qualidade do ensino.


BELO HORIZONTE 16 16

Diário Oficial do Município

Poder Executivo Quinta-feira, 28 de de 2011 abril de 2011 Quinta-feira, 28 de abril

Érika PEreira

Secretaria de Esportes promove primeira caminhada No Domingo, a Rua é Nossa

Além da caminhada, apresentações artísticas e avaliações físicas fazem parte da programação no final de semana

SMAAS

Adolescentes do Projovem se aproximam da arte em passeio no Museu Inhotim

A Secretaria Municipal Adjunta de Esportes (Smaes) realiza no domingo, dia 1º de maio, a primeira caminhada do programa No Domingo, a Rua é Nossa, com o propósito de estimular e democratizar a prática de atividades físicas e de lazer no espaço urbano que normalmente é ocupado por veículos. A concentração está marcada para as 8h, na Barragem Santa Lúcia, com apresentação da Banda do Corpo de Bombeiros e queima de fogos de artifício. Às 9h, os participantes iniciam a caminhada de 1.600 metros, seguindo pelas avenidas Artur Bernardes e Prudente de Morais, até a altura do número 374, onde haverá nova concentração com diversas atrações para os presentes. O grupo musical Trem Chic, formado por integrantes do programa Vida Ativa, da Smaes, e a Escola de Dança 1º Ato ficarão por conta das apresentações artísticas, a equipe do Programa Caminhar, também da Smaes, fará avaliações físicas como testes de flexibilidade e de percentual de gordura,

uma equipe da Academia Corpore orientará sessões de alongamento e fará avaliação da composição corporal dos interessados pelo método da bioimpedância e, para a alegria da criançada, o Sesc irá montar uma rua de lazer, com cama elástica, balão pula-pula, pintura de rosto e oficina de trabalhos manuais. Nesta primeira caminhada No Domingo, a Rua é Nossa, a Smaes conta ainda com o apoio da Associação dos Moradores do Bairro Santo Antônio e Entorno (Amor Santo), do Carrefour e da Faculdade Pitágoras. A participação na caminhada No Domingo, a Rua é Nossa é livre, mas os 500 primeiros inscritos receberão o kit do evento, composto por uma bolsa, uma camisa, um boné e um squeeze. As inscrições, mediante a doação de uma lata de leite em pó, podem ser feitas até sexta-feira, dia 29, no Carrefour Bairro (avenida Prudente de Morais, 374) e na Academia Corpore (avenida Prudente de Morais, 755).

Para a adolescente Angla Fabíola, de 15 anos, que participa do programa há mais de um ano, o passeio foi maravilhoso. “De todos os passeios que fizemos, este foi o melhor”, afirmou. Integrante do programa há pouco tempo, Estela Sales, de 14 anos, relatou que antes ficava apenas dentro de casa e que o Projovem proporciona a ela a oportunidade de conhecer e aprender sobre lugares diferentes.

Cintia Cilene, orientadora social do Projovem Adolescente que acompanhou os jovens ao Museu de Inhotim, falou sobre a importância do programa e do passeio. “Os adolescentes do Pró-Jovem possuem um perfil vulnerável e o programa visa diminuir essa vulnerabilidade, contribuindo para a aprendizagem e a socialização. Os passeios são momentos de lazer e cultura, auxiliando no desenvolvimento de cada um deles”, disse.

Projovem Adolescente

Adolescentes do programa Projovem Adolescente, do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) Apolônia, visitaram o Museu de Arte Contemporânea Inhotim, onde tiveram a oportu-

nidade de conhecer instalações, intervenções artísticas contemporâneas e esculturas de todos os tipos. Um dos adolescentes leu para os colegas o poema que referencia uma obra do espaço Adriana

Varejão, artista contemporânea que possui um espaço próprio em Inhotim. O texto levou os adolescentes a refletirem a respeito das drogas e sobre como a arte pode gerar sonhos.

O Projovem Adolescente é um programa da Prefeitura de Belo Horizonte em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social, executado por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social, que atende jovens de 15 a 17 anos, moradores de regiões referenciadas pelos Cras. O programa contribui para a formação dos adolescentes e para o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, viabiliza a volta ou a permanência dos mesmos à escola, possui foco na formação cidadã e na preparação para o mercado de trabalho. Por meio do programa, os adolescentes podem participar de oficinas de arte, cultura, lazer e esportes, além de cursos de informática.

Jornalistas especializados em turismo visitam Belo Horizonte deixaram seus depoimentos sobre a cidade. “Sempre que venho a BH, me surpreendo e vejo coisas novas. Tenho certeza que Belo Horizonte depois da Copa será outra cidade. Fiquei impressionado de ver o crescimento de BH e sou fã dessa cidade”, afirmou Rogério Almeida, de João Pessoa, na Paraíba. José Carlos Araújo, cearense de 86 anos, registrava em suas fotos a marca da disposição, do conhecimento e da alegria. “Primeiramente, não é Belo Horizonte, é um horizonte belo, e belo está sendo o tratamento recebido aqui. Os belo-horizontinos estão com uma cidade linda e várias obras por toda parte. BH é um orgulho e exemplo para o povo brasileiro”, disse.

Presidente da Associação Brasileira de Jornalistas do Turis-

mo do Amazonas (Abrajet/Amazonas), Paulo Roberto Pereira tam-

Belotur

Um grupo de profissionais da imprensa de diversos estados do país visitou Belo Horizonte na segunda-feira, dia 25, para um passeio turístico pela cidade. Recepcionados pelo presidente em exercício da Belotur, Arthur Vianna e acompanhados pela historiadora e técnica de turismo da empresa, Neuma Horta, e pela equipe de comunicação da instituição, jornalistas do Amazonas, Ceará, Paraíba e Paraná conheceram os principais pontos turísticos de Belo Horizonte, com destaque para o Aquário da PBH, na Pampulha, que completou um ano no fim do ano passado, e o Museu de Artes e Ofícios, na Praça da Estação. Os profissionais conheceram pontos culturais, fatos históricos e

bém deixou a sua impressão sobre a cidade. “BH é uma cidade limpa, fácil de circular, tem boa mobilidade e tradição. Cada vez que venho aqui conheço um novo lugar. Todas as vezes me apaixono mais”, declarou.

Profissionais conheceram pontos culturais, fatos históricos e deixaram depoimentos sobre a cidade


DOM - 28/04/2011