Issuu on Google+

BELO HORIZONTE Ano XX • N. 4.473 • R$ 0,85

Diário Oficial do Município - DOM

Experiência realizada nos espaços BH Cidadania, Família Cidadã é referenciada em artigo divulgado pelo The New York Times Instituído em abril de 2012, o projeto Família Cidadã – BH sem Miséria foi destaque em artigo escrito por David Bornstein no jornal norte-americano The New York Times. O texto, veiculado em dezembro, trouxe a experiência da organização não governamental carioca Associação Saúde Criança e da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Políticas Sociais, que adequou a metodologia da ONG à realidade do poder executivo e das necessidades dos cidadãos belo-horizontinos. O projeto, que tem como objetivos promover o acompanhamento e o monitoramento sistematizado de famílias em alta situação de vulnerabilidade com a proposta de reorganizar, reestruturar e possibilitar o autossustento dessas famílias, é desenvolvido na capital por meio da articulação entre as políticas sociais, de saúde e de educação, possibilitando que as famílias sejam inseridas em serviços, projetos e ações dessas três políticas públicas. Atualmente, 750 famílias estão cadastradas no Família Cidadã, ofertado em 25 núcleos de BH Cidadania. Gerente do BH Cidadania, Miriam Oliveira explica que, por meio de uma equipe multidisciplinar, é possível reestruturar e promover o autossustento das famílias com maior necessidade a partir de uma proposta que implica em responsabilidade mútua. “Com uma concepção de corresponsabilidade entre o município e a família atendida pelo programa, conseguimos fazer com que essa família se desenvolva e passe a ser sustentável”, disse. Segundo a gerente, o Família Cidadã possibilita um recorte, como uma lupa nos territórios, das famílias de maior vulnerabilidade. A proposta é que a equipe de atendimento planeje conjuntamente as ações necessárias para aquela família nos âmbitos da assistência social, saúde e educação. “É feito então um Plano de Ação Familiar e o monitoramento e o acompanhamento das ações propostas, sendo verificadas como as partes têm respondido a cada uma delas. Dessa forma, é preciso ter o desejo e a ação da família daquilo que cabe a família realizar e os encaminhamentos necessários e intrínsecos ao poder público para viabilizá-los, fazendo desse projeto uma iniciativa que tem efetividade quando concretizada conjuntamente”, explica Miriam. Para Rosângela Maria Fonseca Alves, a participação no prograBeatriz Maciel

Divino Advincula

Projeto da PBH é destaque no maior jornal do mundo

Breno Pataro

Ricardo Antunes

Trabalho realizado com 750 famílias é ofertado em 25 núcleos do BH Cidadania espalhados pela cidade

dom 4473.indd 1

Tiragem: 2.500 • 9/1/2014

ma possibilitou diversas conquistas, entre elas a superação da desnutrição da sua filha mais nova e o retorno ao mundo do trabalho. “Desde abril eu trabalho como faxineira na Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) São João e me orgulho muito. Toda vez que eu precisava de alguma coisa eu ia ao BH Cidadania Vila Fátima e recebia ajuda das técnicas. Daqui para frente os meus objetivos são trabalhar bastante e cuidar dos meus filhos, seguindo a vida e superando as dificuldades com sabedoria”, comenta Rosângela. Já Serli da Silva Gonçalves, ainda em processo de acompanhamento pelo Família Cidadã, afirma ter realizado algumas conquistas, porém os objetivos não param por aí. “Hoje trabalho como balconista de lanchonete e arrumar emprego era uma das metas que precisava alcançar. Agora pretendo fazer cursos profissionalizantes para melhorar meu salário. Quero virar salgadeira”, afirmou.

Monitoramento

Além do monitoramento sistematizado realizado por meio do Grupo de Trabalho Intersetorial, a Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel) também é diretamente envolvida nesse projeto, viabilizando melhorias e reformas nas residências de algumas famílias, com vistas a possibilitar uma melhor qualidade de vida às mesmas. Para o próximo quadriênio, 2014 – 2017, a expectativa é atingir o número de 3 mil famílias acompanhadas pelo programa e realizar a melhoria de 25 casas por ano, totalizando 100 melhorias durante todo o período. Para o secretário Municipal Adjunto de Assistência Social, Marcelo Mourão, fonte oficial da Prefeitura de Belo Horizonte para a matéria veiculada no The New York Times, a proposta, desde o início, trouxe o desafio de implantar uma iniciativa que é originária de uma ONG ao poder executivo. “Para isso, foi fundamental que fizéssemos a articulação com as demais políticas, indo além das ofertas da assistência social. Foi preciso buscar um olhar ampliado ao usuário e articular uma forma mais unificada de atendê-lo. A ideia não era criar nada em paralelo ao que já se oferta, mas ferramentas para um uso conjunto de todas as políticas”, ressaltou Mourão.

08/01/2014 18:21:21


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Peça faz parte da programação da 40ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, que oferece diversas atrações a preços populares para pessoas de todas as idades Lembranças, pensamentos e um livro da sorte. É por meio dessas memórias que a peça “Aonde está você agora?” conta a história de Pedro e Gabriel, dois meninos que constroem uma sólida amizade na infância e se separam na juventude. O espetáculo é uma das estreias da 40ª Campanha de Popularização de Popularização do Teatro e da Dança e um convite ao público para refletir sobre o valor da verdadeira amizade. Com ingressos a R$ 12, a peça está em cartaz no Teatro Sesi Holcim (rua Padre Marinho, 60, bairro Santa Efigênia) e pode ser vista de terça a quinta, sempre às 21h, até o dia

Quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Amizade e juventude são temas de drama em cartaz no Teatro Sesi Holcim

30 de janeiro. Escrita por Regiana Antonini e dirigida por Fernando Couto e Ari Nóbrega, a montagem foi livremente inspirada na música “Vento no Litoral”, da banda Legião Urbana. O enredo retrata os sete anos da vida de Pedro, que fica em Vila Velha, no Espírito Santo, e Gabriel, que se muda para Nova York. A história se passa nos final dos anos 1980, época em que a internet e as ligações internacionais não eram tão acessíveis. Mesmo com a distância, os jovens não esquecem as aventuras da adolescência, mostradas em flashback durante o espetáculo.

“Os Saltimbancos” é atração para a criançada

Com figurinos coloridos, Marcus Vinicius, Lindsay Paulino, Daniela Cassimiro e Raíssa Alves dão vida ao quarteto animal que decide ir à cidade para que todos se tornem músicos. Jumento, cachorro, galinha e gata tomam a cena no Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia) com muita cantoria e sapateado. Com adaptação musical de Chico Buarque, “Os Saltimbancos” foi vencedor dos prêmios de melhor espetáculo e melhor atuação no 1º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora. A peça pode ser vista de quinta a domingo, às 16h, e os ingressos custam R$ 12. Fotos: Divulgação

2

Confira a programação de hoje da campanha de popularização Teatro infantil

• “A Bruxinha que Era Boa” – Teatro da Biblioteca Pública (Praça da Liberdade, 21, Funcionários), às 16h. R$ 12. • “A Dama e o Vagabundo” – Pátio Savassi - Anfiteatro Piso L2 (avenida do Contorno, 6.061, São Pedro), às 16h. R$ 12. • “A Floresta Encantada” – Teatro A.M.I. (rua da Bahia, 1450, Lourdes), às 17h30. R$ 12. • “A Zeropeia” – Teatro Sesi Holcim (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia), às 16h. R$ 12. • “Alguém Viu Um Gato Amarelo de Patas Brancas Chamado Jerônimo?” – Teatro do NET (rua dos Timbiras, 1605, Lourdes), às 16h30. R$ 12. • “Branca de Neve e os Sete Anões” – Teatro do Colégio Sagrado Coração de Maria (rua Vitório Marçola, 360, Anchieta), às 17h15. R$ 12. • “Jojô e Palito em Dona Baratinha quer se Casar” – Teatro da Assembleia (rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho), às 16h30. R$ 12. • “Os Saltimbancos” – Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia), às 16h. R$ 12. • “Os Três Porquinhos” – Teatro do Colégio Sagrado Coração de Maria (rua Vitório Marçola, 360, Anchieta), às 16h. R$ 12.

Teatro adulto

• “7 Lições Para se Conquistar um Homem Quase Perfeito” – Teatro da Maçonaria (avenida Brasil, 478, Santa Efigênia), às 21h. R$ 12. • “10 Maneiras Incríveis De

dom 4473.indd 2

Destruir Seu Casamento” - Tea­tro Monte Calvário – Unidade Anchieta (avenida do Contorno, 9.384, Barro Preto), às 20h30. R$ 12. • “15 Minutos de Fama Com Dólar na Calcinha” – Espaço Pitágoras (rua Santa Madalena Sofia, 30, Cidade Jardim), às 20h. R$ 12. • “A Catarina é uma Comédia” – Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1.537, Centro), às 21h. R$ 12. • “A Loja - Como Encantar seu Cliente” - Tea­tro Shopping Estação BH (avenida Cristiano Machado, 11.833, Venda Nova), às 19h. R$ 12. • “Acredite, Um Espírito Baixou em Mim” – Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia), às 21h. R$ 12. • “Adultérios e Outras Pequenas Traições” – Teatro João Ceschiatti (avenida Afonso Pena, 1.537, Centro), às 21h. R$ 12. • “Alfredo virou a mão” –

Espaço Cultural Imaculada (rua Aimorés, 1.600, Lourdes), às 21h. R$ 12. • “Aonde Está Você Agora?” - Tea­tro Sesi Holcim (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia), às 21h. R$ 12. • “Cada Um Tem a Sogra que Merece” – Teatro da Assembleia (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia), às 21h. R$ 12. • “Casar Ou Comprar uma Bicicleta?” – Teatro do Crea (avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro), às 21h. R$ 12. • “Comédia di Buteco” – Tea­ tro Alterosa (avenida Assis Chateaubriand, 499, Floresta), às 21h15. R$ 12. • “Como fazer uma mulher feliz com apenas cinco reais!” - Tea­tro Santo Agostinho (rua Aimorés, 2.679, Santo Agostinho), às 21h. R$ 12. • “Como Se Livrar de Um Defunto” - Tea­tro do Colégio Arnaldo – Unidade Anchieta (rua Professor Estevão Pinto, 400, Serra), às 19h. R$ 12. • “Como sobreviver em festas e recepções com buffet

escasso” – Teatro Bradesco (rua Bahia, 2.244, Lourdes), às 21h. R$ 12. • “Divas no Divã” – Espaço Cultural Imaculada (rua Aimorés, 1.600, Lourdes), às 21h. R$ 12. • “Homem é Tudo Igual, Não Vale 1 Real” – Teatro da Maçonaria (avenida Brasil, 478, Santa Efigênia), às 19h. R$ 12. • “Meu Tio é... Tia” – Shopping Estação BH (avenida Cristiano Machado, 11.833, Venda No-

va), às 20h30. R$ 12. • “Meu Sogro é Pior que Sogra” – Teatro do Colégio Sagrado Coração de Maria (rua Vitório Marçola, 360, Anchieta), às 21h. R$ 12. • “Papo de Caipira” – Tea­ tro do Colégio Arnaldo – Unidade Anchieta (rua Professor Estevão Pinto, 400, Serra), às 21h. R$ 12. • “Segredos Íntimos” – Pátio Savassi - Anfiteatro Piso L2 (avenida do Contorno, 6.061, São Pedro), às 20h30. R$ 12. • “Se pode rir, pra quê chorar” – Teatro da Biblioteca Pública (Praça da Liberdade, 21, Funcionários), às 20h30. R$ 12. • “Samba, Amor e Malandragem” – Teatro da Cidade (rua da Bahia, 1341, Centro), às 20h30. R$ 12. • “Uma vez por semana” Tea­tro do Crea (avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro), às 19h. R$ 12. • “Velório à Brasileira” - Tea­ tro Nossa Senhora das Dores (avenida Francisco Sales, 77, Floresta), às 19h. R$ 12.

08/01/2014 18:21:31


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

3

Fotos: Danilo Silveira

Sofrimento mental é tema de Ciclo de Debate na Pampulha

Resultados de pesquisas, avaliações e estatísticas foram apresentados

Com o tema “Sofrimento Mental e Políticas Públicas: Interfaces, Manejos e Articulação em Rede”, foi realizado no final de dezembro pela equipe técnica do Centro de Referência Especializado em Assistência Social da Pampulha (Creas-P), o último Ciclo de Debates de 2013. O evento foi realizado no auditório da Regional Pampulha (avenida Antônio Carlos, 7.569, bairro São Luís) e contou com a participação de 22 pessoas. Psiquiatra, psicanalista, professora de Psicopatologia na PUC Minas e diretora clínica do Hospital Galba Veloso, Eliane Mussel da Sil-

va falou sobre o tema apresentando resultados de pesquisas, avaliações e estatísticas, além de dados sobre as internações dos portadores de sofrimento mental. “É importante ressaltar a importância das instituições que acolhem este público, o

que reduziu de forma considerável o número de internações. É um importante avanço nesta área”, disse. Para a técnica do Creas-P, Débora Araújo Gonçalves, a discussão é importante, pois no âmbito da execução das políticas públicas os técnicos se deparam em diversos momentos com a questão do sofrimento mental. “Os avanços e desafios das políticas públicas precisam ser sempre pensados e repensados para que os indivíduos sejam tratados sem exclusões e que os trabalhos possam ser mais bem executados e construídos pela equipe técnica”, afirmou.

preparado pelas mãos habilidosas de Elisamar Lisboa e Wagner, que foram auxiliados por trabalhadores do CAC. Para finalizar, houve o tradicional sorteio de brindes, o que animou bastante os participantes. Gerente do CAC São Francisco, Maria Célia Nogueira falou

sobre a importância de proporcionar estes momentos de confraternização. “Além de contribuir para a socialização dos participantes, fortalece os laços entre gestores e comunidade, fazendo com que o trabalho seja sempre realizado com maior efetividade”, disse.

Fotos: Andrea Moreira

CAC São Francisco reúne mais de cem pessoas em confraternização de fim de ano

Participantes curtiram show musical e sorteio de brindes

O Centro de Apoio Comunitário (CAC) São Francisco realizou, no final de dezembro, em seu auditório (rua Aveiro, 191), um culto de ação de graças para comemorar o encerramento das atividades do ano. Compareceram cerca de 120 pessoas, entre integrantes dos grupos de convivência, alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), participantes dos cursos de cabeleireiro e de estética corporal, do programa Vida Ativa, alunos de lian gong e representantes da Regional Pampulha. O público interagiu durante a apresentação do cantor Roberto Carlos de Souza, que foi acompanhado ao teclado por Carlos Oliveira. A dupla cantou canções natalinas e logo após a apresentação, foi servido um delicioso almoço

Diário Oficial do Município de Belo Horizonte

Instituído pela Lei nº 6.470 de 06/12/1993 e alterado pela Lei nº 9.492 de 18/01/2008 • Endereço eletrônico: www.pbh.gov.br/dom Composição, Produção e Edição Assessoria de Comunicação Social - Prefeitura de Belo Horizonte Av. Afonso Pena, 1.212 - 4º andar - Tel.: (31) 3277-4246

dom 4473.indd 3

Impressão Distribuição e Assinaturas Gráfica 101 - Rua Francisco Soucasseaux, 220 Ricci Diários & Publicações Ltda - Rua Curitiba, 1.592 - Loja 01 Bairro Lagoinha - CEP 31110-310 - Belo Horizonte - MG - Tel.: (31) 3421-5000 Lourdes - Belo Horizonte - MG - Tel.: (31) 3274-4136

08/01/2014 18:21:38


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

14

Quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Indicadores Econômicos de Belo Horizonte Taxas de Juros – Novembro de 2013

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

jul/13

403,18

0,06

3,82

Últimos 12 Meses 5,75

403,49

-0,40

2,81

Últimos 12 Meses 4,38

ago/13

403,59

0,10

3,92

5,85

403,00

-0,12

2,69

4,23

set/13

404,56

0,24

4,17

5,76

404,09

0,27

2,97

4,24

No mês

No ano

Taxas médias praticadas(1)

Setores

No mês

No ano

Menor

Maior

Diferença (%)

Média

3,00

5,90

96,67

5,20

Prefixada (montadoras)

0,99

1,96

97,98

1,47

Prefixada (multimarcas)

1,15

2,83

146,09

1,98

1,73

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

out/13

406,05

0,37

4,56

5,53

405,26

0,29

3,27

4,07

Prefixada (montadoras)

1,36

2,21

62,50

nov/13

408,69

0,65

5,24

5,76

407,86

0,64

3,93

4,51

Prefixada (multimarcas)

1,10

4,48

307,27

2,23

3ª dez/13

417,42 (3)

0,95

6,00

6,00

414,64 (3)

0,84

4,54

4,54

Cartão de Crédito

4,14

17,89

332,13

10,96

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Cheque Especial (2) (8)

4,16

10,46

151,44

8,09

(2) IPCR= Índice de Preços ao Consumidor Restrito: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 5 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Combustíveis

3,86

17,86

362,69

8,58

Imóveis Construídos

0,02

2,52

12.500,00

1,56

Imóveis na Planta

0,24

1,62

575,00

0,46

0,75

2,65

253,33

1,96

CDC - Financeiro (8)

3,07

5,45

77,52

4,16

CDC - Bens Alienáveis (8)

1,41

1,94

37,59

1,57

Eletroeletrônicos

1,99

5,00

151,26

3,54

Mobiliário

0,68

5,38

691,18

2,70

12,40

15,52

25,16

13,72

Construção Civil (3) (7)

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

jun/13

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100) IPCA(1)

Salário Mínimo

402,94

1046,46

No mês

Cesta Básica(2) 571,42

No ano

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

0,26

0,00

-1,23

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

Últimos 12 Meses

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

3,76

9,00

15,08

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

5,87

9,00

23,38

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

jul/13

403,18

1046,46

537,31

0,06

0,00

-5,97

3,82

9,00

8,21

5,75

9,00

8,88

ago/13

403,59

1046,46

522,71

0,10

0,00

-2,72

3,92

9,00

5,27

5,85

9,00

4,42

Financeiras Independentes Turismo

set/13

404,56

1046,46

513,64

0,24

0,00

-1,73

4,17

9,00

3,45

5,76

9,00

0,63

out/13

406,05

1046,46

540,14

0,37

0,00

5,16

4,56

9,00

8,78

5,53

9,00

5,87

nov/13

408,69

1046,46

545,56

0,65

0,00

1,00

5,24

9,00

9,87

5,76

9,00

11,20

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais

Comerciais

Variação (%)

jun/13

457,44

0,60

3,27

Últimos 12 Meses 7,07

No mês

No ano

2,33

147,87

1,53

0,94

2,34

148,94

1,53

1,18

6,90

484,75

3,19

Empréstimos pessoa jurídica

(2) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

0,94

Internacional Vestuário e Calçados

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Período

Nacional

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

1,03

2,73

165,05

2,02

1,26

3,31

162,70

1,96

Conta Garantida (8)

1,84

4,25

130,98

2,76

Captação

Variação (%)

CDB 30 dias (4)

635,31

0,62

4,34

Últimos 12 Meses 10,09

No mês

Desconto de Duplicatas (8) Capital de Giro (8)

No ano

0,68

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,64

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,28

0,64

128,57

0,53

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,53

0,67

26,42

0,59

jul/13

459,78

0,51

3,80

7,24

639,95

0,73

5,10

9,88

Poupança (5)

ago/13

461,16

0,30

4,11

6,25

643,47

0,55

5,68

9,60

Taxa SELIC (6)

set/13

463,14

0,43

4,56

6,40

646,62

0,49

6,19

9,32

(1) Considera-se a média das taxas praticadas pelos informantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são consideradas vantagens progressivas

(6) Média ponderada pela vigência

out/13

464,62

0,32

4,89

6,35

649,72

0,48

6,70

8,76

(3) Inclui a variação dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M

(7) Novo cálculo considerando o período dos índices que compõem a estimativa (8) Dados coletados a partir de informações consolidadas no Banco Central do Brasil

nov/13

466,81

0,47

5,39

6,23

652,91

0,49

7,23

8,38

0,51 0,76

(4) Taxa ANBID do primeiro dia útil do mês e projetada para 30 dias

.. Não se aplica dados numéricos

Tarifas Bancárias – Novembro de 2013

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Novembro de 2013 Imóveis

Apartamentos

Popular

Médio

Alto

Luxo

982,86 (7)

774,97 (32)

1.316,69 (145)

Apartamento 2 Quartos

712,26 (141)

986,54 (144)

1.150,23 (232)

2.056,98 (207)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho

862,29 (49)

1.010,27 (37)

1.238,53 (51)

1.644,23 (26)

1.231,19 (74)

1.368,73 (128)

1.627,22 (345)

2.435,48 (454)

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos

(1)

(3)

2.221,43 (7)

3.081,82 (22)

Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

(1)

2100,00 (6)

2666,51 (51)

4585,53 (228)

449,50 (20)

601,54 (13)

720,00 (4)

-

Barracão 2 Quartos

588,82 (17)

695,00 (10)

-

-

Casa 1 Quarto

606,00 (5)

-

-

Casa 2 Quartos

801,81 (48)

945,31 (32)

1243,57 (14)

(3)

Casa 3 Quartos e 1 Banho

1015,24 (21)

1300,00 (4)

(1)

-

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

1367,74 (31)

1785,43 (7)

2933,27 (15)

5962,73 (11)

(3)

(3)

4875,00 (4)

(2)

3000,00 (11)

4487,38 (8)

5599,95 (20)

8512,74 (47)

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

20,68

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,37

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,37

por Operação

28,50

52,00

82,46

42,58

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

10,35

15,00

44,93

11,68

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por cheque

1,00

1,50

50,00

1,27

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

30,00

50,00

23,89 10,50

CONTAS DE DEPÓSITOS

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

CHEQUE - Cheque Visado

por cheque

0,00

21,00

..

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,00

50,00

2,18

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,15

3,00

160,87

1,77

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,15

2,15

86,96

1,50

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por operação

0,00

3,00

..

1,90

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,04

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,35

3,00

122,22

2,01

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

1,20

1,40

16,67

1,29

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

2,00

6,00

200,00

3,18

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,35

4,00

196,30

2,17

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

1,20

4,00

233,33

1,81

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por operação

0,00

6,00

..

4,75

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

13,03

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

9,50

..

7,04

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

6,50

8,60

32,31

-

7,54

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,00

100,00

1,17

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

1,20

..

0,86

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

23,80

27,00

13,45

24,98

Transferência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,50

8,60

32,31

7,52

Transferência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,59

por operação

30,00

51,80

72,67

43,56

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos Casa 4 Quartos e 2 Banhos

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo são influenciados pela oferta de Flats.

Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

por evento

9,50

32,00

236,84

12,62

a cada 365 dias

24,00

54,00

125,00

44,00

Fornecimento de 2ª via de cartão com função crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,52

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

CARTÃO DE CRÉDITO (3) Anuidade - cartão básico nacional

Pagamento de contas utilizando a função crédito em espécie

por evento

1,99

16,00

704,02

9,75

Avaliação emergencial de crédito

por evento

15,00

18,00

20,00

15,63

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

73,33

por evento

10,00

30,00

200,00

15,86

Anuidade - cartão básico internacional Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

(2) Considera-se a média das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

(1) Não são consideradas vantagens progressivas

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundação IPEAD/UFMG

..

Não se aplica dados numéricos

(1)

(2)

Quantidade

Valores (em R$)

Açúcar cristal

3,00 kg

4,33

0,08

Arroz

3,00 kg

7,07

-0,03 -0,53

Produto

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

No mês (3)

ND: não disponível

Custo da Cesta Básica(*) – Novembro de 2013

Índice de Confiança do Consumidor

Últimos 12 Meses

No ano

Contribuição na variação (p.p.)

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

Banana caturra

12,00 kg

27,86

jun/13

119,83

171,07

110,48

-5,39

-4,00

-6,60

-13,67

-15,86

-6,55

-11,90

-15,26

-3,90

Batata inglesa

6,00 kg

16,87

0,66

jul/13

120,17

166,15

113,94

0,28

-2,88

3,13

-13,43

-18,28

-3,62

-11,12

-16,86

-0,52

Café moído

0,60 kg

7,51

-0,01

ago/13

126,79

180,41

117,28

5,51

8,58

2,93

-8,66

-11,26

-0,80

-4,98

-8,02

3,43

Chã de dentro

6,00 kg

110,02

0,29

Farinha de trigo

1,50 kg

4,23

0,02

set/13

118,32

160,27

114,11

-6,68

-11,16

-2,70

-14,76

-21,17

-3,48

-10,58

-16,48

0,73

Feijão carioquinha

4,50 kg

17,39

-0,44

out/13

120,41

161,61

116,97

1,76

0,84

2,51

-13,26

-20,51

-1,06

-11,39

-19,19

1,36

Leite pasteurizado

nov/13

123,30

170,12

117,11

2,40

5,27

0,12

-11,17

-16,32

-0,94

-8,51

-15,95

3,51

ICCBH

IEE

IEF

(1) ICCBH: Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinião dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decisões de consumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Econômica: retrata a expectativa do consumidor em relação aos indicadores macroeconômicos

dom 4473.indd 14

Média(2) (R$)

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

Barracões

Período

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%)

CADASTRO

506,43 (14)

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Apartamento 1 Quarto

Barracão 1 Quarto

Casas

ND - não disponível

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

7,50 lt

17,93

-0,07

750,00 gr

16,64

0,03

Óleo de soja

1,00 un

2,80

0,00

Pão francês

6,00 kg

51,20

-0,03

Tomate Santa Cruz

9,00 kg

32,20

1,02

Manteiga

(3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a confiança do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconômicos

(*) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

08/01/2014 18:21:39


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Trecho entre a rua Capuraque e a avenida Cristiano Machado terá mão inglesa e alteração pretende melhorar a mobilidade e a circulação do BRT

15

Avenida Silviano Brandão tem mudança de circulação a partir de hoje

A partir das 10h de hoje será implantada a inversão de mão na avenida Silviano Brandão, no trecho entre a rua Capuraque e a avenida Cristiano Machado, com a circulação de veículos pela esquerda e o tráfego oposto pela direita (definição de “mão inglesa”). A mudança vai promover melhoria de mobilidade e circulação do BRT. Os locais serão sinalizados com faixas de tecido para orientação dos motoristas. Já os usuários do transporte coletivo serão informados sobre as alterações e os pontos de embarque e desembarque que serão remanejados por equipes de monitores da BHTrans e folhetos informativos serão distribuídos na região. Além disso, cartazes serão fixados dentro das linhas de ônibus, que deixam de passar por essas vias com circulação alterada. Na mão invertida, os pedestres precisarão ter atenção redobrada ao atravessar a avenida de mão dupla, devendo olhar primeiro para direita e depois para a esquerda. Uma travessia semaforizada para pedestres será implantada na avenida Silviano Brandão, próximo ao cruzamento com a rua Capuraque. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito e da Guarda Municipal irão operar o tráfego na região. Para a segurança de todos, a BHTrans orienta os motoristas para que redobrem a atenção e respeitem a sinalização implantada e as orientações dos agentes de trânsito durante a operação.

Acessos

Sentido avenida dos Andradas/Cristiano Machado

Ampliação do tempo semafórico

• Sentido bairro/Centro: Os veículos que transitam na avenida Silviano Brandão, sentido avenida dos Andradas/Cristiano Machado, irão trocar de pista na aproximação com a rua Capuraque, na abertura do canteiro central, utilizando a pista contrária até a avenida Cristiano Machado (contrafluxo da circulação atual), em direção ao Centro (Túnel da Lagoinha) ou acesso à rua Augito. • Sentido avenida Silviano Brandão/Venda Nova - Passa a ser feito pela avenida Silviano Brandão, à direita na rua Teodomira Diniz Lara, à esquerda na rua Stela de Souza, à direita na rua Silveira e à direita na avenida Cristiano Machado. • Saída do bairro Sagrada Família: Os veículos que utilizam a rua Stela de Sousa para sair do bairro Sagrada Família devem virar à esquerda na rua Itajubá e acessar a avenida Silviano Brandão.

No cruzamento das avenidas Cristiano Machado com Silviano Brandão será reduzido de três para dois estágios semafóricos, ampliando o tempo em verde para os veículos e melhorando as condições de travessia para os pedestres. Com essa mudança o BRT na avenida Cristiano Machado terá maior agilidade. É importante frisar que esses ajustes semafóricos, para veículos e pedestres, serão realizados gradativamente e necessitam que as obras estejam concluídas para que os benefícios sejam percebidos pela população. Veja quanto tempo de verde cada uma das vias irá ganhar com essas intervenções, no horário de pico na parte da tarde: • Cristiano Machado, sentido Centro/ bairro: Atualmente os veículos possuem 48 segundos de verde e passarão a ter 65 segundos, aumento de 35%. Esses 17 segundos a mais possibilitarão a passagem de mais 510 veículos por hora na via, neste sentido. • Cristiano Machado, sentido bairro/Centro: Atualmente os veículos possuem 29 segundos de verde e passarão a ter 53 segundos, aumento de 82%. Esses 24 segundos a mais possibilitarão a passagem de mais 720 veículos por hora na via, neste sentido. • Cristiano Machado, sentido bairro / Silviano Brandão: Atualmente os veículos possuem 29 segundos de verde e terão 49 segundos, aumento de 68%. Esses 20 segundos a mais possibilitarão a passagem de mais 300 veículos por hora na via, neste sentido. • Silviano Brandão, para ambos os sentidos da Cristiano Machado: Atualmente os veículos possuem 31 segundos de verde e terão 39 segundos, aumento de 25%. Esses 8 segundos a mais possibilitarão a passagem de mais 360 veículos por hora na via, neste sentido.

Sentido Cristiano Machado/avenida dos Andradas • Sentido bairro/Centro: Os veículos que estão na avenida Cristiano Machado e que desejam fazer a conversão à esquerda para a avenida Silviano Brandão deverão fazê-la utilizando a pista da esquerda da avenida Silviano Brandão (contrafluxo da circulação atual). Esse fluxo trocará de pista à altura da aproximação da avenida Silviano Brandão com a rua Capuraque. • Sentido Centro/bairro: Os veículos podem acessar a avenida Silviano Brandão em ambos os sentidos utilizando a rua Pitangui, assim que saírem do Túnel da Lagoinha.

Alteração de circulação • A rua Capuraque passa a operar em mão única entre a avenida Silviano Brandão e a rua Pitangui, nesse sentido.

Pedestres Com a mudança de circulação a ser implantada hoje, serão iniciadas obras para construção de ilhas no cruzamento das avenidas Cristiano Machado e Silviano Brandão que vão ampliar as condições de segurança para os pedestres e melhorar o tempo de travessia no local. Atualmente, o pedestre possui 12 segundos para atravessar uma pista da avenida Cristiano Machado (sentido bairro/Centro) e precisa aguardar na calçada para continuar a travessia da pista exclusiva de ônibus e a pista no outro sentido de circulação. Com a nova configuração, após a conclusão das obras das ilhas, os usuários vão realizar a travessia de uma só vez e terão 59 segundos para fazê-la.

Linha

Transporte coletivo Com a mudança, os itinerários e os pontos duas linhas de ônibus (62 - Estação Venda Nova/Savassi via Hospitais e 66 - Cidade Administrativa/Savassi via Hospitais) serão alteradas, a partir das 10h de hoje. Veja ao lado as linhas que serão alteradas:

dom 4473.indd 15

62 e 66

Novo itinerário

Pontos desativados

Novos pontos

Centro / bairro: ...rua Itajubá, rua Salinas, rua Jacuí, avenida Cristiano Machado. Bairro / Centro: inalterado.

Avenida Silviano Brandão, 289, 427 e 753

Rua Salinas, 67, e rua Jacuí, 692 e 974

08/01/2014 18:21:40


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

16

Poder Executivo Quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Brasileiros, estrangeiros e intercambistas compartilharam impressões e experiências em encontro no bairro Flávio Marques Lisboa

Kátia Gaspar dom 4473.indd 16

Plano de trabalho

Kátia Gaspar

Durante o encontro também foram apontadas as dificuldades e as necessidades e traçado o plano de trabalho para 2014. “Vamos identificar o que precisa ser feito para avançarmos cada vez mais na qualidade da saúde. O objetivo é aprimorar o atendimento”, frisou a gerente regional de saúde, Renata Mascarenhas, sem esconder a sa-

Dos 20 centros de saúde do Barreiro, mais da metade já conta com um profissional do Mais Médicos Leandro Henrique

Os médicos do programa Mais Médicos que atuam nas unidades de saúde do Barreiro se reuniram no final de dezembro no Point Barreiro (avenida Menelick de Carvalho, s/nº, bairro Flávio Marques Lisboa). Os 18 profissionais brasileiros, intercambistas (brasileiros formados no exterior) e estrangeiros puderam se conhecer e compartilhar impressões e experiências. O encontro foi iniciado com uma aula de lian gong, prática chinesa oferecida pela Prefeitura de Belo Horizonte que tem o intuito de promover a saúde, complementar o tratamento de doenças crônicas como hipertensão e diabetes e aliviar o estresse e as dores articulares. A seguir, em uma roda de conversa, que também contou com a presença de gerentes dos centros de saúde nos quais os novos profissionais estão atendendo, eles se apresentaram, ressaltando suas experiências e o motivo de terem aceitado prestar atendimento no Brasil. “Quero colaborar para a melhora da qualidade do serviço de saúde”, disse a médica cubana Agustina Lourdes Vargas, que atende no centro de saúde do Bairro das Indústrias. Agustina é médica há 27 anos e já trabalhou no Haiti e na Venezuela, experiência considerada excelente por ela. “Fui para ajudar as pessoas que necessitavam, pois esses países, principalmente o Haiti, têm alta demanda de médicos e a saúde das pessoas é muito vulnerável”, disse. O brasileiro Fausto Carvalho se formou na Bolívia e exerceu a profissão por oito anos na Argentina. O médico, que aos 15 anos foi para o exterior, quis participar do Mais Médicos por ver no programa um incentivo para retornar ao seu país. “Pude associar o gosto por ajudar as pessoas com a vontade de voltar”, conta. Carvalho presta serviços no Centro de Saúde Vila Cemig. “Estou muito feliz em trabalhar em uma região com tanta necessidade de atendimento. Está sendo muito melhor do que pensava”, disse. “Os pacientes sempre me pedem para eu não ir embora, pois os médicos geralmente chegam e permanecem por pouco tempo”, comentou.

Raíssa Fernandes

Barreiro avalia atuação dos profissionais do programa Mais Médicos

Adaptação e melhoria Os profissionais das u­ nidades nas quais os médicos são lotados acompanham e auxiliam os novos colegas. Com a experiência de quem já recebeu quatro médicos do programa, a gerente do Centro de Saúde do Vale do Jatobá garante que a adaptação dos novatos é tranquila. “A maioria já pegou o ritmo de atendimento e os que não pegaram estão recebendo auxílio de enfermeiros e de outros profissionais da unidade”, garante Juliana Laguardia Rocha. A chegada dos dois cubanos, um argentino e um brasileiro na equipe, segundo a gerente, beneficia a todos. “Antes tínhamos apenas um médico. O impacto de ter cinco profissionais à disposição para atendimento é muito grande para nós e para os usuários. Os pacientes elogiam o atendimento, mesmo encontrando um pouco de dificuldade na fala de alguns dos profissionais, o que se resolve com o tempo”, avalia. Na opinião do presidente do Conselho Distrital de Saúde Barreiro, Antônio Agostinho Ferreira, a melhoria já é visível. “Só a chegada dos médicos já é um grande avanço. Os profissionais ainda estão em fase de adaptação e aprendizagem, mas já estamos colhendo muitos benefícios. A expectativa é que contribuam muito a partir do momento que se adaptarem”, relata. O conselho mantém contanto permanente com os usuários e, segundo Antônio, as reclamações referentes à dificuldade para receber atendimento já diminuíram. “Ainda há reclamações, mas não como antes. Esperamos que diminuam ainda mais”, completou. A gerente regional de Atenção à Saúde, Clarissa Leão Cardoso, explica os motivos pelos quais a falta de médicos em diversos centros de saúde do Barreiro era recorrente. “Havia divulgação das vagas, mas o preenchimento era difícil, pois não encontrávamos profissionais interessados em assumir”, justifica.

Encaminhamento

tisfação de poder contar com mais médicos na equipe. Todos os profissionais do programa recebem treinamento

sobre o sistema de saúde do país, processos e formas de atendimento. A programação inclui a apresentação da cultura do país, aulas de português e abordagem da saúde da gestante, da criança e do idoso. Para conhecerem de perto o processo de atendimento e os fluxos de encaminhamentos, são realizadas visitas técnicas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e centros de especialidades médicas. Na farmácia distrital, eles conhecem o processo de indicação e dosagem dos medicamentos distribuídos pelo Sistema Único de Saúde e recebem informações sobre doenças de notificação compulsória. A expectativa das equipes dos centros de saúde em relação aos médicos do programa,

em geral, é grande. “Precisamos muito de mais profissionais para prestar um melhor atendimento aos usuários”, disse o gerente adjunto do centro de saúde do bairro Miramar, Wenderson Gonçalves Fernandes. A unidade aguarda seu primeiro profissional do programa, atualmente na fase de treinamento. No Centro de Saúde Bairro das Indústrias, o novo médico está alternando o treinamento com os atendimentos, mas a gerente, Selmaria Santos Mourão, já comemora a chegada do profissional. “Poder contar com mais um reforço na equipe é muito bom. Apesar de terem um pouco de dificuldade na compreensão da fala do médico, os pacientes têm gostado muito do atendimento”, avalia.

O encaminhamento dos novos médicos às unidades foi iniciado em outubro. Dos 20 centros de saúde do Barreiro, mais da metade já conta com um profissional do Mais Médicos. Os centros de saúde que já receberam reforço na equipe médica são os seguintes: Tirol, Bairro das Indústrias, Diamante, Vila Pinho, Lindéia, Milionários, Urucuia, Santa Cecília, Túnel Ibirité e Miramar, Independência, Vila Cemig e Vale do Jatobá. Os critérios para lotação dos médicos foram estabelecidos pelo Ministério da Saúde. São priorizadas as unidades cuja população tenha maior vulnerabilidade e pobreza, bem como aquelas há mais de 60 dias sem médicos suficientes para o atendimento da demanda.

08/01/2014 18:21:47


DOM - 09/01/2014