Page 1

BELO HORIZONTE SLU

Ano XIX • N. 4.394 • R$ 0,85

Diário Oficial do Município - DOM

Tiragem: 2.500 • 14/9/2013

A Prefeitura investe, o ano todo, em

prevenção contra alagamentos Esforços concentrados na limpeza urbana, durante os meses de estiagem, visam proporcionar tranquilidade e proteção aos moradores da capital no período chuvoso O céu pode estar limpo e sem nenhum sinal de chuva. Mesmo assim, a Prefeitura de Belo Horizonte, por intermédio da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) e das nove Secretarias de Administração Regionais Municipais, não se descuida das intervenções rotineiras de varrição, coleta domiciliar de lixo, capina, limpezas de córregos e de bocas de lobo, além do recolhimento de resíduos provenientes de deposições clandestinas. Para o superintendente de Limpeza Urbana, Sidnei Bispo, os reflexos dessa atuação estratégica se traduzem em segurança para a população, com a qual a SLU sempre busca manter uma relação de parceria. “Procuramos fazer o melhor pelo cidadão, no qual está focado todo o nosso trabalho e compromisso. No caminho inverso, contamos com a participação e conscientização da sociedade para executar nossas tarefas. Afinal, a cidade muda a todo instante, e com a parceria da população temos condições de identificar as novas necessidades o quanto antes”, ressalta Bispo. O chefe do Departamento de Serviços de Limpeza, Wiliam Costa Pereira, explica que, a partir de monitoramentos estratégicos, a SLU mapeou

5.675 bocas de lobo em pontos de atenção, que recebem cuidados especiais, tendo em vista o histórico de alagamento. Esse número representa aproximadamente 9% do total de bueiros na cidade, hoje em torno de 60 mil. “Temos, pelos próximos seis meses, um trabalho intenso nas áreas de risco, quando esperamos retirar das bocas de lobo cerca de 600 toneladas de resíduos a mais que no ano passado”, salienta. Os dados são significativos. Só em descartes irregulares, a Seção de Estatística da SLU já contabiliza, neste ano, quase 61 mil (60.982,77) toneladas de resíduos retiradas em atividades de carregamento mecânico e manual. Mary Lina Costa da Silva, moradora do bairro Horto, na região Leste, elogia o trabalho realizado pela Prefeitura e observa que a população precisa fazer a sua parte: “Devemos nos policiar, evitando jogar qualquer tipo de lixo nas ruas, cuidando da limpeza da cidade da mesma forma como nos comportamos em nossa casa.”.

Mobilização Social

As equipes do Departamento de Políticas Sociais e Mobilização da SLU desenvolvem, em todas as regiões da capital, atividades integradas com a sociedade, especialmente aquelas ligadas à conscientização a respeito da geração de resíduos, seguindo os princípios da sustentabilidade. As ações, agrupadas em três frentes, contemplam a educação para limpeza urbana, mo-

bilização para o programa de manejo diferenciado de resíduos sólidos e mobilização em projetos específicos. Em lugares considerados críticos, são implantados os chamados Pontos Limpos, com instalação de placas alertando sob as penalidades previstas em lei para o infrator que insistir em degradar os locais que foram revitalizados. Também são oferecidas diversas atividades ao público, desenvolvidas em grande parte na Unidade de Educação Ambiental (UEA), um espaço interativo destinado à realização de dinâmicas com enfoque na educação para a limpeza urbana. O objetivo é transformar professores em multiplicadores, e estudantes em soldados da limpeza. A UEA fica na Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da BR-040. O local funciona com a chancela do Projeto Sala Verde, do Ministério do Meio Ambiente, que trabalha a temática ambiental. Em 2012, a UEA realizou atividades educativas com quase 4 mil pessoas, a maioria estudantes de escolas de Belo Horizonte, além de instituições públicas e privadas. Na UEA, são desenvolvidas oficinas de reutilização de materiais recicláveis, circuito orientado à Central de Tratamento de Resíduos Sólidos da BR-040 e ministradas oficinas para professores e capacitação de agentes ambientais (zoonoses, carroceiros, entre outros).

Eventos

Um dos destaques é o trabalho realizado em vilas e aglomerados. Os mobilizadores percorrem a cidade, conversam com moradores, utilizando material educativo variado, orientam sobre os cuidados necessários para evitar a proliferação da dengue e outras doenças, em ações intersetoriais. Vale lembrar que a SLU promove eventos de grande porte, com o objetivo de chamar a atenção para a participação de todos na manutenção da limpeza urbana. Em 2012, por exemplo, foram realizados o desfile de modas Gari Fashion, no Centro Mineiro de Referência em Resíduos, e exposições em locais de grande circulação de pessoas, como shoppings. A Superintendência esteve presente no ICLEI, no Minas Trend Preview, no Limpa Brasil, na Andando de Bem com a Vida e em datas comemorativas como o Dia Mundial da Água. A instalação do Lixômetro, em três pontos da cidade – Praça Sete, Pampulha e Santa Tereza – também produziu resultados positivos, mostrando à população o volume de resíduos descartados irregularmente na cidade. Na avaliação da chefe do Departamento de Políticas Sociais e Mobilização da SLU, Clarissa Germana Pereira de Queiroz, para que os serviços executados pela Prefeitura alcancem os objetivos, a consciência e a participação popular são fundamentais. “Quando as pessoas se sentem parte desse processo, elas contribuem para a manutenção da limpeza e do asseio da cidade. A Belo Horizonte que queremos, limpa e bonita, é resultado das iniciativas dos órgãos públicos com o apoio do cidadão”, concluiu Clarissa.

Continua na página 2.

dom 4394.indd 1

13/09/2013 17:04:12

Esf lim me pro pro cap


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

2

Poder Executivo Sábado, 14 de setembro de 2013

SLU desenvolve trabalho preventivo a serviço da população A SLU estuda, planeja e implementa ações para minimizar os contratempos provocados pela chuva. Além da varrição e da desobstrução dos caminhos da água, a superintendência investe fortemente na conscientização e educação para a limpeza urbana. Veja:

Varrição Fotos: SLU

O serviço de varrição de ruas e avenidas ocorre, predominantemente, uma vez por semana, entre segunda-feira e sábado, durante o dia, sendo essa a frequência adotada para as áreas residenciais. A assiduidade é maior em vias com atividades comerciais. Na região central de Belo Horizonte – inclusive na área interna da avenida do Contorno e na própria via – a limpeza é diária, de segunda a sábado, variando de uma a quatro vezes por dia, em turnos diurnos e noturnos. Há também a varrição mecanizada nos canteiros centrais dos grandes corredores, executada à noite, em média duas vezes por semana, em todas as regiões. Na área central, ela ocorre de segunda a sábado. Existem, ainda, algumas turmas especiais de execução de varrição manual para atender às ruas da área central e a alguns pontos turísticos, aos domingos e nos feriados.

Dados da varrição:

• Todo dia, são retiradas cerca de 103 toneladas das ruas da cidade; • O número de sarjetas varridas totalizaram 692.000 km em 2012; • Resíduos recolhidos pela varrição em 2012 somaram 41.360,01 toneladas; • Em 2013, até o momento, foram varridos 408.757,09 km de sarjetas.

Bocas de lobo Seguindo um planejamento traçado de acordo com as necessidades de cada local, todas as bocas de lobo da cidade são limpas, de forma manual ou mecanizada. Algumas, no hipercentro, recebem esses cuidados até três vezes por semana. O gari retira os resíduos, utilizando pá e enxada. Os principais materiais recolhidos são papel, folhas de árvores, tocos de cigarros, barro e embalagens plásticas. Em alguns locais, próximo a restaurantes e lanchonetes, há muita gordura e restos de comida, descartados por comerciantes e pedestres. Em 2012, houve 467 mil ações de limpeza em bocas de lobo. Entre janeiro e julho deste ano, já são 215 mil.

Total de resíduos retirados das bocas de lobo, por ano:

• 2009: 2.676 toneladas • 2010: 3.966 toneladas • 2011: 4.910 toneladas • 2012: 4.400 toneladas • 2013: 5.000 (entre janeiro e julho)

Total de resíduos retirados das bocas de lobo:

• De 10 a 15 toneladas, por dia; • Cerca de 400 toneladas de resíduos, por mês; • Cerca de 5.000 toneladas, por ano.

Limpeza de córregos Quando a consciência desce por água abaixo, é possível encontrar nos córregos que cortam a cidade todo tipo de sujeira. É difícil acreditar, mas neles são depositados sofás, máquinas de lavar roupas, colchões, galhos, madeiras, latas, telhas, pias, portas, janelas, vasos sanitários, armários, camas, fogões, mesas, televisores, computadores, guarda-roupas, pneus, baldes, cadeiras, portões, tambores, caixas d’água, gaiolas, sapateiras, churrasqueiras, brinquedos, carrinhos de bebê e animais mortos. Para evitar que esses resíduos prejudiquem o escoamento da água da chuva, os córregos também recebem equipes de limpeza na frequência identificada caso a caso. Em vilas e aglomerados, devido à proximidade de muitas residências aos cursos d´água, a SLU redobra a atenção e reforça o trabalho de conscientização da população para que não despeje lixo nos leitos ou nas proximidades dos córregos.

Dados da limpeza de córregos 2012:

• Área beneficiada: 2.309.613 metros quadrados • Entulho retirado: 900 metros cúbicos • Lixo retirado: 2.000 metros cúbicos • Mato retirado: 4.947 metros cúbicos

2013: (até o mês de julho):

dom 4394.indd 2

• Área beneficiada: 1.505.956 metros quadrados • Entulho retirado: 346 metros cúbicos • Lixo retirado: 808 metros cúbicos • Mato retirado: 3.208 metros cúbicos

Cuide da sua cidade • Não jogue lixo ou entulho nas vias públicas, córregos, lotes vagos e encostas.;

• Respeite os dias e horários de exposição do lixo para coleta, por isso evite deixá-lo na rua por mais tempo que o necessário;

• Embale corretamente o lixo em sacolas resistentes, bem fechadas e de tamanho adequado, para evitar que elas se abram e espalhem sujeira nas vias públicas.

13/09/2013 17:04:17


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Confraternização no Cras Vila Cemig comemora envelhecimento ativo A alegria e a disposição costumeiras dos integrantes do grupo de terceira idade Conviver foram ainda mais intensas no encontro promovido pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Vila Cemig (rua Faisão, 1071), no final de agosto, em homenagem aos aniversariantes do segundo semestre. Para essa turma, a idade não reduziu o fôlego. O encontro começou às 8h30, com um aulão de ginástica, coordenado por profissionais da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. Após os parabéns e as homenagens preparadas pela equipe do Cras, teve mais agito com a dupla sertaneja Pedro e Ademir. “Tocamos por mais de uma hora.

Quando pensei que já estavam cansados, eles pediram mais”, disse Ademir. “Vamos voltar mais vezes, não só porque prometi, mas porque é muito bom estar junto deles”, garantiu o cantor, que já fez diversos trabalhos sociais com idosos e tem uma intensa agenda de shows em Minas e em outros estados. A animação foi tanta que às 11h ainda tinha gente querendo dançar ao som do violão. Maria Júlia de Souza, de 75 anos, diz que gosta de todas as atividades do grupo, mas não tem dúvida de que o melhor da festa foi o forró. “Quando tem forró, o joelho pode estar doendo que sara na hora”, garantiu cheia de disposição.

Como essa turma não pede descanso, já tem outra comemoração agendada. Os grupos de terceira idade dos três Cras da região do Barreiro, Vila Cemig, Petrópolis e Independência, vão festejar o Dia Internacional do Idoso, no dia primeiro de outubro. O encontro será no Parque das Águas Roberto Burle Marx (Av. Ximango, 809, Flávio Marques Lisboa), a partir das 14h.

Os encontros são sempre festivos

Bingos, gincanas, dinâmicas e oficinas de memória e de prevenção de quedas, alimentação saudável, orientação para a correta utilização de medicamentos e até mesmo sobre doenças sexualmente transmissíveis são promovidas sempre com didática e linguagem especialmente pensadas para os idosos. O caráter lúdico permeia todas as atividades. “Eles aprende-

Secretaria Municipal Adjunta de Trabalho e Emprego divulga vagas de emprego e cursos de qualificação

A comemoração no Cras Vila Cemig contou com a participação da dupla sertaneja Pedro e Ademir

ram até uma música para ajudá-los a memorizar o horário de tomar a medicação de uso contínuo”, conta a assistente social que coordena o grupo, Thaís Dias. Diversas atividades de promoção do envelhecimento ativo são organizadas pelo Conselho Municipal do Idoso e envolvem setores da Prefeitura como as secretarias de Segurança Alimentar e Nutricional, Esporte e Lazer, Saúde e as fundações de Parques Municipais e de

Cultura. Passeios a lugares como o Palácio da Liberdade e Ouro Preto estão entre as atividades externas que o grupo realizou este ano. A coordenadora Thaís Dias destaca a riqueza das histórias de vida compartilhadas nos encontros semanais. “Temos cerca de 50 participantes, dentre eles a dona Jovelina, que está comemorando 94 anos de vida, e o senhor Rosário, que completa 61 anos de casamento”, destacou”.

Regional Venda Nova intensifica ações contra outdoors irregulares

A equipe de fiscalização integrada da Regional Venda Nova, atendendo determinação do Termo de Compromisso de Gestão (TCG) celebrado pela Secretaria Adjunta de Fiscalização e a Controladoria Geral do Município com as secretarias regionais, intensificou a fiscalização de engenhos de pu-

blicidade irregulares. O monitoramento é realizado quinzenalmente nas principais vias da região de Venda Nova, como as avenidas Vilarinho e Pedro I, a rua Padre Pedro Pinto e a MG-010. Na segunda quinzena de agosto, foram autuadas empresas responsáveis por outdoors e es-

Fotos: Gercom Venda

A Secretaria Municipal Adjunta de Trabalho e Emprego divulga diversas ofertas para quem procura uma oportunidade no mercado de trabalho. Estão abertas vagas para ajudante de estruturas metálicas, analista de folha de pagamento, auxiliar de depósito, auxiliar de limpeza, coordenador pedagógico, chefe de serviço de limpeza, embalador a mão, fiscal de loja, médico clínico geral, médico do trabalho, montador de estruturas metálicas, operador de caixa, pedreiro de acabamento, pedreiro de alvenaria, pizzaiolo, salgadeiro, servente de limpeza, supervisor comercial, vendedor interno e vitrinista, dentre outras. Para o trabalhador que procura oportunidade de se qualificar, os postos do SINE da PBH oferecem cursos de Panificação Industrial, Doces Finos, Cozinha Dietética, Comida de Boteco, Doces, Bombons e Trufas, Manicure, Padeiro Industrial, Pães Especiais e Cabeleireiro Afro Tranças. Pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC) são oferecidas formações em diversas áreas de atuação profissional. Os cursos do PRONATEC são destinados a cidadãos maiores de 16 anos, beneficiários do Programa Bolsa Família; pessoas com deficiência; estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive na Educação de Jovens e Adultos (EJA); adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas; povos indígenas ou comunidades quilombolas; pessoas que tenham concluído o ensino médio em escola pública ou privada na condição de bolsista integral; desempregados e trabalhadores. Nesta semana, as oportunidades podem ser conferidas nos postos do SINE. Os cursos da PBH são gratuitos e oferecem aos candidatos matriculados auxílio-transporte, lanche e material didático. Os candidatos interessados devem se dirigir a um dos quatro postos municipais do SINE, apresentando carteira de trabalho, CPF, carteira de identidade, PIS/Pasep/NIT/NIS e o comprovante de endereço.

3

CRAS Vila Cemig

Sábado, 14 de setembro de 2013

truturas de publicidade irregulares na avenida Pedro I e na MG 010. Além de autuar os infratores, a equipe de fiscalização faz a identificação dos engenhos de publicidade irregulares, com faixas, atendendo a dispositivo expresso no TCG, com o propósito de inviabilizar a publicidade pretendida. O gerente de Licenciamento e Fiscalização Integrada da Regional Venda Nova, Júlio César Ferreira, explica que o objetivo da ação é reduzir o impacto visual negativo desse tipo de publicidade. “Atendendo as diretrizes do Movimento Respeito por BH no combate à poluição visual e às propagandas irregulares, estamos colocando faixas alusivas às irregularidades, para que a sociedade tome conhecimento das empresas que insistem em desrespeitar o código de posturas”, explicou.

Confira os endereços dos SINES municipais:

• SINE Barreiro: Rua Barão de Coromandel, 982, Barreiro, das 8h às 17h • SINE BH Resolve: Rua Caetés, 342, Centro, das 8h às 18h • SINE NIAT: Rua Espírito Santo, 505, 1º andar, Centro, das 8h às 17h • SINE Venda Nova: Rua Padre Pedro Pinto, 1.055, Venda Nova, das 8h às 17h Para mais informações, a Prefeitura coloca à disposição dos cidadãos o telefone 156 e o site www.pbh.gov.br/melhoremprego.

dom 4394.indd 3

Engenhos de publicidade irregulares são identificados e as empresas responsáveis autuadas

13/09/2013 17:04:21


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

38

Sábado, 14 de setembro de 2013

Indicadores Econômicos de Belo Horizonte Taxas de Juros – Agosto de 2013

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

Taxas médias praticadas(1)

Setores Menor

Maior

Diferença (%)

Média

2,12

5,90

178,30

4,23

Prefixada (montadoras)

0,99

2,22

124,24

1,48

Prefixada (multimarcas)

1,20

2,32

93,33

1,79

1,71

Empréstimos pessoa física

mar/13

398,78

0,50

2,69

Últimos 12 Meses 5,60

401,12

0,60

2,21

Últimos 12 Meses 5,36

abr/13

400,74

0,49

3,19

5,75

403,29

0,54

2,76

5,35

mai/13

401,90

0,29

3,49

5,71

404,42

0,28

3,05

5,09

jun/13

402,94

0,26

3,76

5,87

405,11

0,17

3,23

4,99

Prefixada (montadoras)

1,27

2,32

82,68

jul/13

403,18

0,06

3,82

5,75

403,49

-0,40

2,81

4,38

Prefixada (multimarcas)

1,52

2,43

59,87

1,97

ago/13

403,59

0,10

3,92

5,85

403,00

-0,12

2,69

4,23

Cartão de Crédito

4,14

17,89

332,13

10,96

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Cheque Especial (2) (8)

4,04

9,99

147,28

7,93

(2) IPCR= Índice de Preços ao Consumidor Restrito: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 5 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Combustíveis

4,27

18,28

328,10

9,12

Imóveis Construídos

0,03

1,76

5.766,67

1,19

Imóveis na Planta

0,06

1,48

2.366,67

0,49

1,20

3,40

183,33

2,14

CDC - Financeiro (8)

3,06

4,76

55,56

3,98

CDC - Bens Alienáveis (8)

1,32

2,07

56,82

1,50

1,99

5,76

189,45

3,99

No mês

No ano

No mês

No ano

Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

Construção Civil (3) (7)

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

mar/13

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100) IPCA(1)

Salário Mínimo

398,78

1046,46

No mês

Cesta Básica(2) 563,60

No ano

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

0,50

0,00

2,40

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

Últimos 12 Meses

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

2,69

9,00

13,51

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

5,60

9,00

25,42

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

Eletroeletrônicos

abr/13

400,74

1046,46

578,77

0,49

0,00

2,69

3,19

9,00

16,56

5,75

9,00

29,20

Mobiliário

0,68

4,99

633,82

2,88

mai/13

401,90

1046,46

578,52

0,29

0,00

-0,04

3,49

9,00

16,51

5,71

9,00

25,78

Financeiras Independentes

12,06

12,63

4,73

12,33

Turismo

jun/13

402,94

1046,46

571,42

0,26

0,00

-1,23

3,76

9,00

15,08

5,87

9,00

23,38

jul/13

403,18

1046,46

537,31

0,06

0,00

-5,97

3,82

9,00

8,21

5,75

9,00

8,88

Nacional

0,92

2,46

167,39

1,60

ago/13

403,59

1046,46

522,71

0,10

0,00

-2,72

3,92

9,00

5,27

5,85

9,00

4,42

Internacional

0,92

2,32

152,17

1,55

1,18

9,62

715,25

3,93

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Vestuário e Calçados

(2) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

Empréstimos pessoa jurídica

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Desconto de Duplicatas (8)

0,95

2,55

168,42

1,95

Capital de Giro (8)

1,16

3,56

206,90

2,02

Conta Garantida (8)

1,92

4,20

118,75

2,88

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais Período

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Captação

Variação (%)

CDB 30 dias (4)

0,65

fev/13

447,56

0,30

1,04

Últimos 12 Meses 7,79

617,77

0,80

1,46

Últimos 12 Meses 10,71

mar/13

450,11

0,57

1,62

7,37

623,70

0,96

2,43

10,87

Poupança (5)

abr/13

452,00

0,42

2,04

7,42

627,57

0,62

3,08

11,08

Taxa SELIC (6)

mai/13

454,72

0,60

2,66

6,78

631,39

0,61

3,69

10,31

(1) Considera-se a média das taxas praticadas pelos informantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são consideradas vantagens progressivas

(6) Média ponderada pela vigência

jun/13

457,44

0,60

3,27

7,07

635,31

0,62

4,34

10,09

(3) Inclui a variação dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M

(7) Novo cálculo considerando o período dos índices que compõem a estimativa (8) Dados coletados a partir de informações consolidadas no Banco Central do Brasil

jul/13

459,78

0,51

3,80

7,24

639,95

0,73

5,10

9,88

No mês

No ano

No mês

No ano

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,71

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,23

0,62

169,57

0,47

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,53

0,70

32,08

0,58 0,48 0,69

(4) Taxa ANBID do primeiro dia útil do mês e projetada para 30 dias

.. Não se aplica dados numéricos

Tarifas Bancárias – Agosto de 2013

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Julho de 2013

Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Imóveis

Apartamentos

Popular

Médio

Alto

Luxo

493,64 (11)

990,00 (10)

761,76 (34)

1302,09 (91)

Apartamento 2 Quartos

696,16 (81)

977,01 (109)

1130,91 (181)

2045,68 (155)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho

838,89 (28)

995,24 (21)

1216,54 (39)

1613,33 (15)

1194,09 (46)

1343,62 (79)

1604,44 (274)

2410,88 (373)

(1)

-

2136,56 (9)

2977,38 (42)

2275,00 (10)

2139,80 (5)

2621,49 (53)

4620,13 (154)

432,00 (15)

592,22 (9)

715,71 (7)

-

569,29 (14)

(2)

(2)

-

(3)

-

-

-

780,59 (29)

906,82 (22)

1166,25 (8)

2177,78 (9)

988,83 (18)

1250,00 (4)

1675,00 (4)

(1)

1330,30 (23)

1763,13 (15)

2844,44 (9)

6237,50 (8)

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos Barracão 1 Quarto

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

por evento

0,00

59,00

..

20,68

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,37

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,37

por Operação

28,50

52,00

82,46

42,35

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

10,35

15,00

44,93

11,68

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por cheque

1,00

1,50

50,00

1,27

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

30,00

50,00

23,89 10,50

CONTAS DE DEPÓSITOS

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

CHEQUE - Cheque Visado

por cheque

0,00

21,00

..

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,00

50,00

2,18

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,15

3,00

160,87

1,74

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,15

2,15

86,96

1,50

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por operação

0,00

3,00

..

1,90

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,04

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,35

3,00

122,22

2,01

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

1,20

1,40

16,67

1,29

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

2,00

6,00

200,00

3,18

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,35

4,00

196,30

2,17

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

1,20

4,00

233,33

1,81

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por operação

4,40

6,00

36,36

5,15

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS

Barracões Barracão 2 Quartos

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

13,03

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

9,50

..

7,04

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

6,50

8,60

32,31

7,54

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,00

100,00

1,17

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

1,20

..

0,86

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

23,80

27,00

13,45

24,98

Transferência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,50

8,60

32,31

7,52

Transferência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,59

por operação

30,00

51,80

72,67

43,50

por evento

9,50

32,00

236,84

12,62

a cada 365 dias

24,00

54,00

125,00

44,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos Casa 4 Quartos e 2 Banhos

2250,00 (4)

-

3264,14 (7)

(3)

(2)

4875,00 (4)

CARTÃO DE CRÉDITO (3)

Fornecimento de 2ª via de cartão com função crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,52

4680,00 (5)

8339,47 (38)

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

Anuidade - cartão básico nacional

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo são influenciados pela oferta de Flats.

Pagamento de contas utilizando a função crédito em espécie

por evento

1,99

16,00

704,02

9,75

Avaliação emergencial de crédito

por evento

15,00

18,00

20,00

15,63

Anuidade - cartão básico internacional

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

73,33

por evento

10,00

30,00

200,00

15,86

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

(2) Considera-se a média das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

(1) Não são consideradas vantagens progressivas

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundação IPEAD/UFMG

..

Não se aplica dados numéricos

mar/13

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

No mês

ICCBH(1)

IEE(2)

IEF(3)

ICCBH

127,44

182,14

117,42

-0,22

IEE

Açúcar cristal

3,00 kg

3,91

-0,03

Arroz

3,00 kg

7,20

0,00

Banana caturra

12,00 kg

26,54

0,27

6,00 kg

17,95

-1,62

Produto

No ano IEF

ICCBH

-3,41

8,44

-8,19

IEE

Últimos 12 Meses IEF

ICCBH

IEE

IEF

-10,41

-0,68

-7,00

-8,45

0,14

Batata inglesa

abr/13

127,26

186,24

114,73

-0,14

2,25

-2,30

-8,32

-8,40

-2,96

-4,50

-3,15

0,29

Café moído

0,60 kg

7,53

-0,07

mai/13

126,66

178,20

118,29

-0,47

-4,32

3,10

-8,75

-12,35

0,05

-4,52

-6,82

3,81

Chã de dentro

6,00 kg

105,50

0,61

Farinha de trigo

1,50 kg

3,80

0,00

Feijão carioquinha

4,50 kg

23,67

-1,37

7,50 lt

17,75

0,15

750,00 gr

16,24

-0,06 -0,02

jun/13

119,83

171,07

110,48

-5,39

-4,00

-6,60

-13,67

-15,86

-6,55

-11,90

-15,26

-3,90

jul/13

120,17

166,15

113,94

0,28

ago/13

126,79

180,41

117,28

5,51

-2,88

3,13

-13,43

-18,28

-3,62

-11,12

-16,86

-0,52

Leite pasteurizado

8,58

2,93

-8,66

-11,26

-0,80

-4,98

-8,02

3,43

Manteiga

(1) ICCBH: Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinião dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decisões de consumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Econômica: retrata a expectativa do consumidor em relação aos indicadores macroeconômicos

dom 4394.indd 38

Quantidade

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

ND: não disponível

Custo da Cesta Básica(*) – Agosto de 2013

Índice de Confiança do Consumidor

Período

Média(2) (R$)

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%)

CADASTRO

Apartamento 1 Quarto

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos

Casas

ND - não disponível

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Óleo de soja

1,00 un

2,78

Pão francês

6,00 kg

48,63

0,25

Tomate Santa Cruz

9,00 kg

21,31

-0,84

(3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a confiança do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconômicos

(*) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

13/09/2013 17:04:24


Poder Executivo Sábado, 14 de setembro de 2013

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

Ações preventivas da PBH reduzem em 80% o número de edificações de risco bitação de Belo Horizonte (Urbel), nas áreas de risco de deslizamento de encosta nas vilas apresenta resul-

tados expressivos. Desde a criação do Programa Estrutural em Área de Risco (Pear), há 20 anos, o número

Outro aspecto preventivo importante é a participação comunitária por intermédio dos Núcleos de Defesa Civil (Nudec), formados por voluntários residentes nas comunidades e capacitados por técnicos da Urbel. Seus integrantes aprendem

a identificar situações de risco e a agir em situações de emergência, participam da indicação de obras corretivas, e colaboram com os técnicos sociais no convencimento de famílias quando é necessário sair de moradias em perigo. Os removidos são assistidos pelo programa Bolsa Moradia ou, em caráter provisório, são encaminhados para o abrigo municipal Granja de Freitas. Segundo a diretora de Manutenção e Área de Risco da Urbel, Isabel Volponi, os Nudec são parceiros indispensáveis do poder público no trabalho preventivo. “Os voluntários conhecem bastante as comunidades em que vivem e nos ajudam no monitoramento de áreas instáveis”, disse. Hoje, existem 47 Nudec cadastrados na Urbel, abrangendo 54 vilas, que contam com cerca de 400 voluntários. Volponi assinalou que desde o término das chuvas no mês de março passado, a Urbel vem desenvolvendo várias ações para evitar transtornos e acidentes de deslizamento nas vilas e favelas no próximo período chuvoso. De acordo com a diretora, de abril até agora, já foram realizadas 963 vistorias de moradias em áreas de risco e finalizadas 188 obras de porte médio, além de outras 79 de menor porte executadas com mão de obra do próprio morador, mas com material e assistência técnica fornecidOS pela Urbel. Neste ano, os técnicos da Urbel registraram, até agora, a necessidade de remoção de 21 famílias por problemas de risco geológico.

Espero poder compartilhar todo meu conhecimento e poder voltar para o meu país com uma experiência memorável e enriquecedora”, disse a estudante. Durante a programação, o secretário municipal adjunto de Relações Internacionais, Rodrigo Perpétuo, destacou que “esta 5ª edição do Programa Municipal de Voluntariado Internacional marca o amadurecimento da iniciativa. Com o decreto que regulamenta o programa (nº15.319, de 3 de setembro de 2013), a PBH, por meio da Smari, busca formalizar convênios com Universidades Internacionais e consolida sua pareceria com a PUC e a UFMG. Trabalha também para que seja preservada e ampliada a essência do programa, que é a difusão do conhecimento acadêmico e o intercambio cultural”. Após a apresentação do planejamento do semestre, da rodada de apresentações dos voluntários e coordenadores, o gerente de estágios da Secretaria Municipal

Adjunta de Recursos Humanos, Helton Guerra, proferiu palestra sobre a estrutura da PBH, as funções de um agente público e atenção ao cidadão. Além disso, os participantes tiveram a oportunidade de fazer uma visita guiada à exposição permanente “A Fala das Roupas” e observar os detalhes do prédio em que funciona o Centro de Cultura Belo Horizonte/Centro de Referência da Moda, uma edificação neogótica, em estilo manuelino, construída em 1914, que em seus quase cem anos de existência, sediou importantes instituições da capital. Durante o período de serviço voluntário, os estudantes estrangeiros também terão a oportunidade de conhecer ações da PBH que são referência internacional, como o Vila Viva do Aglomerado da Serra, o Restaurante Popular e o Centro de Tratamento de Resíduos Sólidos, possibilitando maior aproveitamento do programa e ampliando a divulgação de Belo Horizonte no exterior.

de edificações em situação de risco alto e muito alto nas comunidades foi reduzido em cerca de 80%. Em 1994, havia 14.350 edificações em risco alto e muito alto nas vilas. De acordo com mapeamento do último diagnóstico da situação de risco geológico nesses locais, concluído em 2011, esse número diminuiu para 2.761 edificações. Ressalta-se, também, que nos últimos dez anos não houve acidentes graves de deslizamento de encosta com mortes nas vilas e aglomerados. As ações preventivas da Urbel são contínuas e são realizadas em todos os meses do ano, por meio do atendimento a todas as solicitações de vistoria feitas pelos cidadãos, do monitoramento das áreas instáveis, da realização de obras para minimizar e erradicar situações de risco, além da remoção preventiva de famílias.

Urbel

O trabalho preventivo desenvolvido pela Prefeitura, por meio da Companhia Urbanizadora e de Ha-

Nudec

PBH lança quinta edição do Programa Voluntariado Internacional A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Relações Internacionais (Smari), lançou na quarta-feira, dia 11, a 5ª Edição do Programa Voluntariado Internacional. O evento, realizado no Centro de Cultura Belo Horizonte/Centro de Referência da Moda (rua da Bahia, 1.149, Centro), contou com a par-

ticipação dos oito voluntários internacionais que integram o programa neste semestre, seus coordenadores e a equipe do projeto. O programa existe desde o segundo semestre de 2011 e já alocou 50 voluntários de 14 países em 22 órgãos da administração direta e indireta, para atuar em diversos programas da PBH.

Esveydi Lara, estudante de relações internacionais da Universidade de Guadalajara, no México, e intercambista da UFMG, se diz muito agradecida por fazer parte deste grupo e ressalta que “como estudante de relações internacionais, considero que este programa será de muita valia para a minha formação.

Os participantes do Voluntariado Internacional são preparados para atuar em programas da PBH

dom 4394.indd 39

Fotos: Breno Pataro

Obras como este muro de conteção na rua JK, no Taquaril, ajudam a reduzir os riscos de deslizamentos de encostas

39

13/09/2013 17:04:29


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

40

Poder Executivo Sábado, 14 de setembro de 2013

O Centro de Saúde Santa Lúcia (rua Murilo Morais de Andrade, 125, Santa Lúcia) aposta na prática de atividades físicas para promover a saúde dos seus usuários, que são estimulados a aderir aos programas de caminhada, alongamento e Liang Gong, uma ginástica de origem oriental, com movimentos suaves e firmes, que contribuem para aliviar as tensões musculares, trabalhando as articulações, a postura e a percepção dos sentidos. A sessões de Liang Gong são oferecidas às segundas e quartas-feiras, das 7h30 às 8h30. De acordo com a assistente social Maria Tereza Rodrigues, responsável pela implementação da prática do Liang Gong no centro de saúde, são visíveis as mudanças no corpo e na disposição dos usuários. “Eu sinto que eles estão mais motivados, e tomando consciência corporal melhor. No inicio era muito difícil, pois eu pedia pra levantar o braço direito e algumas senhoras levantavam a perna esquerda. Elas não tinham essa noção corporal”, explica. Ainda segundo a assistente social, essas atividades melhoram não somente o condicionamento físico, mas também ajudam na socialização e interação entre os participantes. “Percebo que o humor é outro e a disposição para a vida também. Sinto que para eles esses momentos são importantes. E o Lian Gong proporciona tudo isso”, ressaltou.

Fotos: Gercom Centro-Sul

Centro de Saúde Santa Lúcia estimula seus usuários à prática de atividades físicas

O Lian gong é uma das atividades oferecidas aos usuários do Centro de Saúde Santa Lúcia

Caminhar

Outro programa que vem contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos frequentadores do Centro de Saúde Santa Lúcia é o Caminhar, coordenado pela Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. Voltado à educação para a saúde por meio da prática regular da caminhada e do alongamento, o Caminhar disponibiliza uma equipe técnica que realiza avaliações físicas e orienta as pessoas sobre os benefícios e a importância da atividade física como instrumento de promoção da saúde. Exemplos de bons resultados não faltam. A dona de casa Cruzelina Lúcia da Conceição Oliveira,

dom 4394.indd 40

de 50 anos, teve sua realidade transformada. Ela pesava mais de 100 quilos e andava com o auxílio de muletas. Depois de duas cirurgias no joelho para corrigir o desgaste causado pelo excesso de peso, foi orientada pelo seu médico a participar das atividades físicas oferecidas pelo Centro de Saúde Santa Lúcia. Ela aderiu ao programa há pouco mais de um ano e desde então se exercita com regularidade. Conseguiu perder 45 quilos e já não precisa mais das muletas para se locomover. “Antes, eu sentia muita dor. Agora, minha vida mudou para bem melhor. Além das caminhadas, estou fazendo teatro e me sinto disposta a fazer muito mais”, comemora a dona de casa. Para a professora de educação física do Centro Saúde Santa Lúcia, Renata dos Reis Coelho, as atividades promovem melhorias na saúde e, principalmente, na forma com que as pessoas frequentam as unidades de saúde. Segundo ela, os relatos dos próprios usuários e da equipe de Saúde da Família demonstram que houve uma

significativa redução no número de prescrições de medicamentos controlados. “Outra mudança muito importante é que os usuários passam a ver este local como um centro de saúde e não como um centro de doença”, explica. Aos 75 anos, a dona de casa Altair França participa efetivamente das atividades de alongamento há cerca de um ano, duas vezes por semana. Ela afirma que, com os exercícios, não sente tantas dores como antes e a disposição geral melhorou muito. Em plena forma, ela ainda se dá ao luxo de praticar dança. “Eu não fazia quase nada, hoje só fico em casa na sexta-feira. Durante o resto da semana participo de vários encontros e atividades ”, relata dona Altair. Para participar das atividades de caminhada e alongamento o paciente precisa passar por uma avaliação médica. Se aprovado, o médico o encaminhará para o professor de educação física, e este determinará o tipo e a intensidade de atividade a que o usuário se adapta melhor.

13/09/2013 17:04:38

DOM - 14/09/2013  

Diário Oficial do Município

Advertisement