Page 1

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município - DOM

Ano XIX • N. 4.345 • R$ 0,85

Tiragem: 2.500 • 5/7/2013

Fotos: Frederico Franco

Quadrilhas do Grupo de Acesso e do Festival Estadual continuam com a festa em BH

Trinta grupos se apresentam a partir de amanhã na Via 240, no bairro Aarão Reis, e a programação só termina no próximo final de semana As festas juninas não param em Belo Horizonte. Por isso, damas e cavalheiros, continuem o balancê!  A programação do Grupo de Acesso e do Festival Estadual de Quadrilhas do Arraial de Belô deste final de semana começa amanhã e só termina no próximo final de semana, na Via 240, no bairro Aarão Reis. O concurso de quadrilhas contará com a participação de 30 grupos. Confira nesta página a programação completa, com os horários das apresentações. Neste fim de semana, oito grupos se apresentam pelo Grupo de Acesso e três pelo Festival Estadual de Quadrilhas. Amanhã o público poderá acompanhar o Arraiá do Me Larga Cumade, o Arraial do Vira Volta, o Arraial do Jiló com Mel e a Quadri-

lha Raízes de Minas. No domingo, dia 7, é a vez das quadrilhas Amendoim Torrado, de Vespasiano, Pé na Brasa (Santa Luzia), Chic Chic (Contagem) concorrerem pelo festival estadual. Já pelo Grupo de Acesso apresentam-se o Arraiá Palha Seca, a Quadrilha Trem D’Minas, o Arraiá do Amor Caipira e o Arraiá do Cambuquira. Na próxima semana, na sexta, dia 12, as quadrilhas Arraiá do Sol Nascente, Pipoca Doce, Arrasta Pé de Minas, Arraiá do Pé Vermelho e Arraiá do Sarapião animam a noite.  No sábado, dia 13, a festança fica por conta dos vestidos rodados das quadrilhas Pé Roxo, de Nova Lima, Perecolândia (Itabira), Nova Geração (Sabará) e Pequizá (Montes Claros), concorrendo pelo Festival Estadual. Já

Atrações musicais Além de muita quadrilha, o público presente poderá aproveitar várias atrações artísticas e culturais do Arraial de Belô. Dentre as atrações, a Banda Point e a dupla Ronaldo e Rafael se apresentarão neste fim de semana na Via 240.

Premiação

As quatro primeiras quadrilhas colocadas no Grupo de Acesso, além de subirem para o Grupo Especial, recebem como premiação R$ 10 mil, R$ 8 mil, R$ 6 mil e R$ 4 mil, respectivamente. As quadrilhas vencedoras do Festival Estadual receberão R$ 10 mil, R$ 7 mil e R$ 5 mil como premiação. O concurso é uma realização das regionais Norte e Nordeste, em parceria com a Belotur e a União Junina Mineira. A apuração das quadrilhas vencedoras acontecerá na segunda, dia 15, às 15h, no Parque Municipal. Serão avaliados cinco quesitos: conjunto, coreografia, caracterização, marcador e casal de noivos.

O Arraial de Belô Considerada uma das maiores festas juninas do país, há 35 anos o Arraial de Belô faz parte do calendário oficial de Belo Horizonte. O evento contempla manifestações culturais que resgatam o costume das festas juninas mineiras, reafirmando a importância das tradições populares brasileiras. As nove administrações regionais são representadas por cerca de 60 grupos de quadrilha que, a cada ano, nos meses de junho e julho, levam a dança aos quatro cantos da cidade. O concurso do Grupo Especial foi realizado na Praça da Estação na última semana, onde juntamente com as apresentações das quadrilhas, o público apreciou a rica gastronomia mineira, servida em barracas típicas e show artísticos. 

dom 4345.indd 1

Belo Horizonte será palco de apresentações de quadrilhas de diversas cidades do interior mineiro

pelo Grupo de Acesso, apresentam-se as quadrilhas Nossa Junina, Arraiá do Perna Bamba, Fogo na Perna e Luar do Sertão. Para finalizar o concurso do Festival Estadual de Quadrilhas, apresentam-se, no domingo, dia 14, a quadrilha Pueirinha, de Sete Lagoas, a Buscapé, de Brumadinho, e a São

Jururu, de Raposos. As quadrilhas Casa do Chapéu, Cangaço Mineiro e Paixão Junina fecham o concurso do Grupo de Acesso do Arraial de Belô 2013. De acordo com o presidente da Belotur, Mauro Werkema o Arraial de Belô inicia esta segunda fase avaliando as apresentações do Grupo

de Acesso e conhecendo quadrilhas de outras cidades mineiras. “É uma oportunidade para o belo-horizontino continuar curtindo a festa, aproveitando as cores, a tradição e a alegria das quadrilhas, que são um verdadeiro resgate da cultura de Minas Gerais”, disse.

Programação das apresentações do Festival Estadual e do Grupo de Acesso Amanhã • Grupo de Acesso 20h40 – Centro Cultural de Quadrilha Arraiá do Me Larga Cumade 21h20 – Grupo Folclórico Arraial do Vira Volta 22h00 – União Sócio Cultural Arraial do Jiló com Mel 22h40 – Núcleo Cultural Raízes de Minas 23h30 – Show Banda Point Domingo, dia 7 • Festival Estadual 17h40 – Amendoim Torrado, de Vespasiano 18h20 – Pé na Brasa, de Santa Luzia 19h00 – Chic Chic, de Contagem • Grupo de Acesso 19h40 – Grêmio Cultural e Recreativo Arraiá Palha Seca 20h20 – Núcleo Cultural de Quadrilha Trem D’Minas 21h00 – Quadrilha Junina Arraiá do Amor Caipira 21h40 – Grupo Folclórico Arraiá do Cambuquira 22h30 – Show Ronaldo e Rafael Dia 12 – sexta-feira • Grupo de Acesso 20h30 – Grêmio Recreativo Cultural Arraiá do Sol Nascente 21h10 – Grêmio Cultural Social Pipoca Doce 21h50 – Grupo Cultural Arrasta Pé de Minas

22h30 – Centro Cultural Arraial do Pé Vermelho 23h10 – Grêmio Recreativo Arraiá do Sarapião Dia 13 – sábado • Festival Estadual 18h00 – Pé Roxo, de Nova Lima 18h40 – Perecolândia, de Itabira 19h20 – Nova Geração, de Sabará 20h00 – Pequizá, de Montes Claros • Grupo de Acesso 20h40 – Grêmio Recreativo Escola de Tradições Juninas Nossa Junina 21h20 – Grêmio Recreativo Arraiá do Perna Bamba 22h00 – Grêmio Recreativo Cultural Mineiro de Quadrilha Fogo na Perna 22h40 – Grupo Cultural Luar do Sertão 23h30 – Show Dia 14 – domingo • Festival Estadual 17h40 – Pueirinha, de Sete Lagoas 18h20 – Buscapé, de Brumadinho 19h00 – São Jururu, de Raposos • Grupo de Acesso 19h40 – Grupo Cultural de Quadrilha Casa do Chapéu 20h20 – Grêmio Recreativo Cangaço Mineiro 21h00 – Associação Cultural e Recreativa Paixão Junina 21h50 – Show

04/07/2013 17:51:07


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

2

Pablo Saborido

Chico Saraiva e Susana Travassos lançam disco no MAP

Poder Executivo Sexta-feira, 5 de julho de 2013 poetas brasileiros e portugueses (Luiz Tatit, Clóvis Beznos, Brisa Marques e Tiago Torres da Silva) e releituras de obras de mestres (Villa-Lobos, Elomar e Carlos Paredes). Todas as faixas são interpretadas por Susana. O trabalho de Chico Saraiva é caracterizado por elementos da bossa nova, samba, choro, maracatu e baião. O compositor e violonista possui quatro CDs lançados, “Água”, “Trégua”, “Saraivada” e “Sobre Palavras”, este gravado com a cantora Verônica Ferriani. Vencedor da 6ª edição do prêmio Visa de MPB, Chico Saraiva é parceiro

de músicos como Luiz Tatit e Paulo César Pinheiro e já dividiu palco com Guinga e Francis Hime. A portuguesa Susana Travassos tem formação musical que vai do lírico ao jazz e sua carreira tem expressiva influência da MPB. Seu primeiro disco, lançado em 2008, é uma homenagem a Elis Regina, e preserva o sotaque português da cantora. Apesar da diferença de nacionalidade, Suzana tem uma estreita parceria e afinidade com artistas brasileiros como Zeca Baleiro, Toninho Horta, Chico César, Luis Felipe Gama, Zé Paulo Becker e Gabriel Grossi.

Série Domingo no Museu Tradicional no cenário cultural de Belo Horizonte e do estado, o projeto Domingo no Museu apresenta ao público ícones da música em um dos cartões postais da capital, o Museu de Arte da Pampulha. O projeto conta com o apoio das leis Municipal e Estadual de Incentivo à Cultura. Pelo palco do Domingo no Museu já passaram Maíra Freitas, Paulo Bellinatti, Weber Lopes, Thiago Delegado, Paulo Freire e André Mehmari, entre outros músicos de renome.

Compositor e violinista Chico Saraiva lança com a cantora portuguesa Susana Travassos o disco “Tejo-Tiete”

O Museu de Arte da Pampulha (MAP) recebe no domingo, dia 7, às 11h, mais uma apresentação do projeto Domingo no Museu. Desta vez o compositor e violonista Chico Saraiva e a cantora portuguesa Susana Travassos lançam o disco “Tejo-Tietê”. Os ingressos custam R$ 10 a inteira e R$ 5 (meia) e

podem ser adquiridos no próprio MAP (avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha) ou na loja Acústica CD’s (rua Fernandes Tourinho, 300, Savassi). A apresentação acontece no auditório. O show mostrará o encontro entre duas culturas que mesclam as heranças do fado e

da bossa nova, do erudito e do popular. Reflexo de uma parceria de quatro anos, o CD é o resultado de uma união musical entre Brasil e Portugal, com produção do consagrado Paulo Belinatti. “Tejo-Tietê” apresenta um diálogo poético entre os dois países. Músicas de Chico letradas por

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais se apresenta gratuitamente no Museu Inimá de Paula

dom 4345.indd 2

vis Salgado, voltada para a democratização do acesso do público à música erudita. “A série é uma excelente oportunidade de fruição da música clássica, uma vez que

se realiza em um ambiente menos formal e por apresentar um repertório mais leve, sem intervalos e com comentários do maestro”, comenta Marcelo Ramos.

Sinfônica no Museu

A série Sinfônica no Museu promove o encontro de grandes maestros com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais no Museu Inimá de Paula, localizado na tradicional rua da Bahia, na região central de Belo Horizonte. O projeto integra as iniciativas da Fundação Clóvis Salgado de ocupação de espaços culturais, com o intuito de propiciar o acesso de diferentes pessoas à música erudita. Criado em 2010, o projeto possui programação permanente e já conta com um público cativo, sempre presente nas apresentações. Rafael Motta

A Fundação Clóvis Salgado realiza mais uma edição da série Sinfônica no Museu hoje, às 20h. A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG) interpretará serenatas de dois grandes compositores, Dvorak e Tchaikovsky, no Museu Inimá de Paula (rua da Bahia, 1.201, Centro). A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço. Regido por Marcelo Ramos, maestro titular da orquestra, o concerto revela para o público dois importantes naipes da OSMG: a obra de Dvorak foi composta para sopros e a de Tchaikovsky para cordas. “São obras mais leves e mais curtas, cada uma utilizando somente um desses grandes grupos internos”, explica Marcelo. As duas composições possuem inspiração folclórica e fazem forte referência a Mozart, grande divulgador das serenatas no classicismo. “Tchaikovsky tinha assumida admiração por Mozart e isso se reflete na forma do primeiro movimento, uma marca típica das sinfonias mais maduras do compositor austríaco. Já em Dvorak percebe-se claramente uma alusão ao movimento lento da famosa “Gran Partita”, de Mozart”, esclarece o maestro. A série Sinfônica no Museu é uma iniciativa da Fundação Cló-

04/07/2013 17:51:14


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Sexta-feira, 5 de julho de 2013

Fórum de Atenção à Criança e ao Adolescente debate combate ao trabalho infantil cia do tema debatido. A professora abordou ainda a complexidade e as consequências do trabalho infantojuvenil no processo de formação e na condição de cidadão

Gercom Norte

No mês em que foi comemorado o Dia Mundial do Combate do Trabalho Infantil, junho, o Fórum de Atenção à Criança e ao Adolescente da Regional Norte promoveu um debate de conscientização para identificar, prevenir e combater o trabalho infantil. O fórum aconteceu na semana passada, no auditório da Regional Norte (rua Pastor Muryllo Cassete, 85, bairro São Bernardo) e teve a presença de trabalhadores dos setores de Saúde e Educação e profissionais que atuam em programas sociais da Prefeitura de Belo Horizonte, além de representantes de ONGs. O debate teve como objetivo sensibilizar esses profissionais e orientá-los sobre a maneira de agir mediante a esta situação de vulnerabilidade. Em sua palestra sobre prevenção e enfrentamento ao trabalho infantil, a coordenadora e professora do curso de Serviço Social da PUC-MG e especialista em Políticas Públicas, Débora Maria David da Luz, ressaltou a importân-

pleno das crianças e adolescentes, ressaltando o impacto do trabalho infantil no afastamento da escola, na socialização e no processo de qualificação profissional.

Riscos

O trabalho infantil é caracterizado por toda e qualquer atividade econômica e/ou de sobrevivência, com ou sem fins lucrativos, realizada por crianças e adolescentes, com ou sem remuneração. O trabalho é permitido por lei apenas para maiores de 16 anos, em atividades que não prejudiquem seu desenvolvimento. O trabalho infantil traz grandes riscos para a saúde das crianças uma vez que ainda estão em processo de crescimento, podendo prejudicar o desenvolvimento de ossos, músculos, respiração e sistema nervoso, além do aumento do risco de acidentes de trabalho. Denúncias sobre o trabalho infantil podem ser feitas pelos telefones 100 e 0800-0311119. Riscos do trabalho infantil foram debatidos durante o evento

Reunião ampliada do Clas agrega mais de 120 pessoas em debate sobre política de Assistência Social Assistência Social (Clas) da região Norte. O encontro, realizado na sede da Regional Norte, no bairro

São Bernardo, teve como objetivo apresentar a organização da 10ª Conferência Municipal de Assis-

Fotos: Ânderson Brito

Mais de 120 pessoas participaram em junho da reunião ampliada do Conselho Local de

3

Organização da Conferência Municipal de Assistência Social foi um dos temas da reunião

tência Social de Belo Horizonte, cujo tema é “Gestão e Financiamento na Efetivação do Suas” e escolher 60 representantes da região para o evento municipal, que vai acontecer no dia 13 deste mês. Segundo a vice-presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Ralise Cássia Macedo, a reunião ampliada é uma das etapas preparatórias do processo. “É fundamental a participação da sociedade no fortalecimento do controle social para que a política fique cada vez mais efetiva e atenda as necessidades do serviço”. Para Ralise, é uma oportunidade do usuário se manifestar e avaliar a qualidade do atendimento. “A pré-conferência permite ao usuário interferir na política e propor diretrizes e ações para melhorar o atendimento”, concluiu. O gerente regional de Políticas Sociais, Ademilton Araújo, destacou a importância da ampliação do atendimento. Para ele, o sistema deve incluir e

proteger todas as pessoas que precisam do serviço. “Este é um momento importante para avaliar as ações, projetos e programas e, a partir daí, propor novas diretrizes”, disse. Ademilton destacou ainda que esses são espaços de valorização da democracia e da participação popular nos quais a sociedade se constitui como sujeito de construção da política. “Precisamos unir forças para continuar avançando. O Sistema Único de Assistência Social (Suas) BH já avançou muito, mas com o diálogo permanente poderemos melhorar ainda mais a qualidade de serviços prestados,” finalizou.

Gercom Leste

Comissão de Orçamento Participativo da região Leste se reúne pela primeira vez

Comissão se reunirá mensalmente e produzirá um relatório com análise de desempenho

dom 4345.indd 3

A Comissão do Orçamento Participativo Leste se reuniu pela primeira vez em junho para discutir o andamento dos empreendimentos conquistados pela comunidade no Orçamento Participativo. A comissão é formada por Antônio Adônis Pereira, secretário regional adjunto, Almezinda Moreno de Moura, gerente regional do Orçamento Participativo, Andréa Pereira Froes, gerente regional de Limpeza Urbana, Maria Consuelita Oliveira, gerente regional de Manutenção, e Fátima Félix de Oliveira, gerente regional de Políticas Sociais. O encontro foi realizado no gabinete da Regional Leste, no bairro Floresta. O objetivo do encontro foi

fortalecer o trabalho desenvolvido pela regional e discutir internamente os entraves para execução das obras, otimizando o trabalho de todas as áreas da regional. “Trabalhávamos de forma isolada e muitas vezes enfrentávamos problemas nas obras relativos às outras áreas. Trabalhando de forma integrada podemos resolver mais rápido os problemas e atender os anseios da população”, disse Almezinda Moreno. A comissão pretende incrementar a divulgação das políticas públicas nas áreas de vilas e favelas, divulgar os trabalhos na comunidade, contribuir com a realização de campanhas educativas

e facilitar o acesso da comunidade às informações sobre as obras e políticas públicas. Também pautam as reuniões as discussões de casos e o agendamento de trabalhos sociais e de manutenção, limpeza e fiscalização nas áreas de obras do Orçamento Participativo. A Comissão de Orçamento Participativo foi instituída em 30 de maio pelo secretário regional Elson Matos da Costa. A comissão realizará reuniões na segunda semana de cada mês, às terças-feiras, das 16h às 18h, na sede da Regional Leste, no bairro Floresta, e encaminhará mensalmente um relatório com análise de desempenho e resultados ao secretário regional.  

04/07/2013 18:16:41


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

30

Sexta-feira, 5 de julho de 2013

Indicadores Econômicos de Belo Horizonte Taxas de Juros – Maio de 2013

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

jan/13

397,59

2,38

2,38

Últimos 12 Meses 5,51

fev/13

396,80

-0,20

2,18

mar/13

398,78

0,50

2,69

Taxas médias praticadas(1)

Setores

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

400,33

2,01

2,01

Últimos 12 Meses 5,68

5,39

398,73

-0,40

1,60

5,24

5,60

401,12

0,60

2,21

5,36

Menor

Maior

Diferença (%)

Média

3,00

5,90

96,67

4,76

Prefixada (montadoras)

0,90

1,69

87,78

1,30

Prefixada (multimarcas)

1,47

1,88

27,89

1,68

1,61

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

Automóveis Usados

abr/13

400,74

0,49

3,19

5,75

403,29

0,54

2,76

5,35

Prefixada (montadoras)

1,19

2,20

84,87

mai/13

401,90

0,29

3,49

5,71

404,42

0,28

3,05

5,09

Prefixada (multimarcas)

1,44

2,33

61,81

1,81

3ª jun/13

408,49 (3)

0,29

3,73

6,02

409,18

0,30

3,16

5,03

Cartão de Crédito

4,14

20,48

394,69

12,69

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Cheque Especial (2) (8)

3,97

10,21

157,18

7,84

(2) IPCR= Índice de Preços ao Consumidor Restrito: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 5 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Combustíveis

3,67

12,34

236,24

7,87

Imóveis Construídos

0,15

1,75

1.066,67

1,10

Imóveis na Planta

0,15

1,60

966,67

0,64

0,75

3,40

353,33

2,11

CDC - Financeiro (8)

2,75

4,63

68,36

3,79

CDC - Bens Alienáveis (8)

1,26

1,93

53,17

1,40

Eletroeletrônicos

2,06

4,96

140,78

3,89

Mobiliário

1,21

5,48

352,89

2,92

5,93

15,27

157,50

12,40

Nacional

1,16

2,38

105,17

1,57

Internacional

1,17

2,38

103,42

1,71

0,99

7,15

622,22

3,28

Construção Civil (3) (7)

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Período

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

Cesta Básica

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

IPCA(1)

Salário Mínimo

dez/12

388,35

960,02

Cesta Básica(2) 496,54

jan/13

397,59

1046,46

544,68

2,38

9,00

9,70

2,38

9,00

9,70

5,51

9,00

13,66

fev/13

396,80

1046,46

550,38

-0,20

0,00

1,05

2,18

9,00

10,84

5,39

9,00

20,64

Financeiras Independentes Turismo

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

0,50

0,00

1,21

5,74

14,13

7,84

5,74

14,13

7,84

mar/13

398,78

1046,46

563,60

0,50

0,00

2,40

2,69

9,00

13,51

5,60

9,00

25,42

abr/13

400,74

1046,46

578,77

0,49

0,00

2,69

3,19

9,00

16,56

5,75

9,00

29,20

mai/13

401,90

1046,46

578,52

0,29

0,00

-0,04

3,49

9,00

16,51

5,71

9,00

25,78

Vestuário e Calçados

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte (2) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

Empréstimos pessoa jurídica

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Desconto de Duplicatas (8)

0,85

2,51

195,29

1,88

Capital de Giro (8)

1,08

3,18

194,44

1,91

Conta Garantida (8)

1,90

3,98

109,47

2,73

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais Período

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

dez/12

Comerciais

Variação (%) No mês

442,95

No ano

0,80

7,60

Últimos 12 Meses 7,60

Índice de Base Fixa (Jul/94=100) 608,91

Captação

Variação (%) No mês 1,08

CDB 30 dias (4)

Últimos 12 Meses 10,77

No ano 10,77

0,58

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,66

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,13

0,47

261,54

0,32

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,40

0,57

42,50

0,49

jan/13

446,22

0,74

0,74

8,08

612,87

0,65

0,65

11,08

Poupança (5)

fev/13

447,56

0,30

1,04

7,79

617,77

0,80

1,46

10,71

Taxa SELIC (6)

mar/13

450,11

0,57

1,62

7,37

623,70

0,96

2,43

10,87

(1) Considera-se a média das taxas praticadas pelos informantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são consideradas vantagens progressivas

(6) Média ponderada pela vigência

abr/13

452,00

0,42

2,04

7,42

627,57

0,62

3,08

11,08

(3) Inclui a variação dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M

(7) Novo cálculo considerando o período dos índices que compõem a estimativa (8) Dados coletados a partir de informações consolidadas no Banco Central do Brasil

mai/13

454,72

0,60

2,66

6,78

631,39

0,61

3,69

10,31

0,43 0,61

(4) Taxa ANBID do primeiro dia útil do mês e projetada para 30 dias

.. Não se aplica dados numéricos

Tarifas Bancárias – Maio de 2013

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Maio de 2013

Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Imóveis

Apartamentos

Popular

Médio

Alto

Luxo

482,00 (15)

991,67 (6)

742,44 (28)

1278,89 (72)

Apartamento 2 Quartos

684,14 (81)

961,21 (112)

1115,50 (111)

2057,08 (154)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho

818,33 (36)

968,75 (16)

1185,65 (23)

1595,45 (11)

1175,12 (43)

1316,53 (95)

1567,19 (205)

2447,11 (380)

(Z)

(2)

2081,82 (11)

2944,44 (9)

2270,00 (5)

2082,22 (9)

2578,16 (49)

4520,06 (166)

427,06 (17)

581,54 (13)

712,50 (4)

(Z)

566,47 (17)

672,00 (5)

(2)

(Z)

(1)

(Z)

(2)

(1)

772,59 (27)

896,30 (27)

1200,00 (6)

(1)

956,50 (20)

1200,00 (10)

(Z)

(Z)

1287,50 (24)

1738,89 (18)

2782,00 (15)

6100,00 (9)

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos Barracão 1 Quarto Barracões Barracão 2 Quartos Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

20,68

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,60

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por cliente

5,30

10,00

88,68

6,60

por Operação

28,50

52,00

82,46

42,64

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

10,35

15,00

44,93

11,68

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por cheque

1,00

1,50

50,00

1,27

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

30,00

50,00

23,89 10,50

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

CHEQUE - Cheque Visado

por cheque

0,00

21,00

..

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,00

50,00

2,18

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,15

3,00

160,87

1,74

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,15

2,15

86,96

1,50

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por operação

0,00

3,00

..

1,90

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

2,00

6,00

200,00

3,09

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,35

3,00

122,22

2,02

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

1,20

1,45

20,83

1,32

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,16

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,35

4,00

196,30

2,17

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

1,20

4,00

233,33

1,83

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por operação

4,40

6,00

36,36

5,15

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

13,03

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

9,50

..

7,04

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

6,50

8,60

32,31

7,54

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,00

100,00

1,21

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

1,20

..

0,88

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

23,80

27,00

13,45

24,98

Transferência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,50

8,60

32,31

7,52

Transferência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,85

Transferência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,07

Transferência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,59

por operação

30,00

51,80

72,67

43,26

por evento

9,50

18,00

89,47

11,98

a cada 365 dias

24,00

54,00

125,00

44,00

Fornecimento de 2ª via de cartão com função crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,52

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

2262,50 (8)

(1)

(3)

(Z)

3154,55 (11)

(3)

4586,36 (11)

8223,26 (43)

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo são influenciados pela oferta de Flats.

Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA CARTÃO DE CRÉDITO (3) Anuidade - cartão básico nacional

Pagamento de contas utilizando a função crédito em espécie

por evento

1,99

16,00

704,02

9,75

Avaliação emergencial de crédito

por evento

15,00

18,00

20,00

15,63

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

86,67

por evento

7,90

30,00

279,75

15,27

Anuidade - cartão básico internacional Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

(2) Considera-se a média das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

(1) Não são consideradas vantagens progressivas

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundação IPEAD/UFMG

..

Não se aplica dados numéricos

Valores (em R$)

No mês

Açúcar cristal

3,00 kg

4,29

0,03

Arroz

3,00 kg

7,02

-0,01 0,16

Produto

No ano

Últimos 12 Meses

Contribuição na variação (p.p.)

ICCBH(1)

IEE(2)

IEF(3)

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

Banana caturra

12,00 kg

24,93

dez/12

138,81

203,31

118,23

3,00

0,45

4,49

-0,04

5,05

-2,61

-0,04

5,05

-2,61

Batata inglesa

6,00 kg

25,92

0,99

jan/13

131,64

192,46

112,19

-5,16

-5,33

-5,10

-5,16

-5,33

-5,10

-3,39

-0,78

-4,75

Café moído

0,60 kg

7,78

-0,03

fev/13

127,73

188,57

108,28

-2,97

-2,02

-3,49

-7,98

-7,25

-8,41

-6,24

-4,44

-7,22

Chã de dentro

6,00 kg

104,80

0,54

Farinha de trigo

1,50 kg

3,86

0,02

Feijão carioquinha

4,50 kg

31,54

0,67

7,50 lt

16,77

0,11

750,00 gr

15,86

0,04

Óleo de soja

1,00 un

3,02

-0,08

Pão francês

6,00 kg

47,70

0,08

Tomate Santa Cruz

9,00 kg

41,65

-2,54

mar/13

127,44

182,14

117,42

-0,22

-3,41

8,44

-8,19

-10,41

-0,68

-7,00

-8,45

0,14

abr/13

127,26

186,24

114,73

-0,14

2,25

-2,30

-8,32

-8,40

-2,96

-4,50

-3,15

0,29

Leite pasteurizado

mai/13

126,66

178,20

118,29

-0,47

-4,32

3,10

-8,75

-12,35

0,05

-4,52

-6,82

3,81

Manteiga

(1) ICCBH: Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinião dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decisões de consumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Econômica: retrata a expectativa do consumidor em relação aos indicadores macroeconômicos (3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a confiança do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconômicos FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

dom 4345.indd 30

Quantidade

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

ND: não disponível

Custo da Cesta Básica(*) – Maio de 2013

Índice de Confiança do Consumidor

Período

Média(2) (R$)

CONTAS DE DEPÓSITOS

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%)

CADASTRO

Apartamento 1 Quarto

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos

Casas

ND - não disponível

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

(*) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38 FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

04/07/2013 17:51:23


Poder Executivo Sexta-feira, 5 de julho de 2013

Diário Oficial do Município

Inicialmente, a Copasa desenvolveu um trabalho investigativo, informalmente chamado de “operação caça-esgoto”, que identificou vários imóveis localizados na bacia hidrográfica da Pampulha que ainda não estão interligados à

PBH promove ações de conscientização voltadas para a educação ambiental

rede coletora de esgoto sanitário. Desde o mês de maio, a Regional Pampulha, por meio da Gerência de Vigilância Sanitária, notificou 34 imóveis nos bairros Trevo, Braúnas e Garças, orientando seus proprietários a entrar em contato com a Copasa a fim de obter informações técnicas sobre como efetuar a ligação da rede residencial à rede oficial. Na segunda etapa, aproximadamente 94 imóveis localizados nos bairros Jardim Alvorada, São José e Alípio de Melo, entre outros, deverão também receber a devida notificação.  Gerente de Vigilância Sanitária na Pampulha, Eduardo Lôbo explicou que os responsáveis pelos imóveis em situação irregular têm o direito a pedir prorrogação de prazo e/ou cancelamento da exigência, antes de serem autuados com a penalidade pecuniária, em caso de descumprimento das intimações preliminares. “Todos os direitos legais da ampla defesa e

Obras de urbanização e drenagem beneficiam comunidades da região Noroeste sistema de drenagem na rua Itororó entre as ruas Progresso e Francisco Bicalho, no bairro Padre Eustáquio, e a urbanização de um trecho na rua

Fotos: Gercom Noroeste

A Regional Noroeste, através da Gerência de Manutenção, entregou à população duas importantes obras em junho, a ampliação do

31

Ações do programa de despoluição da Lagoa da Pampulha são discutidas em evento no bairro Castelo

Andréa Moreira

Dando continuidade ao programa de despoluição da Lagoa da Pampulha, representantes das secretarias regionais Noroeste e Pampulha, por meio das gerências de Fiscalização e Vigilância Sanitária, e da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) se reuniram em junho no Centro de Educação Ambiental (CEA/Propam), no bairro Castelo, com o objetivo de definir estratégias de ações para cada órgão envolvido no programa.

BELO HORIZONTE

Trecho da rua Alicedro, no bairro Jardim Filadélfia, foi urbanizado

Alicedro, no bairro Jardim Filadélfia. A obra na rua Itororó foi de fundamental importância para dar mais vazão ao escoamento de água pluvial, evitando possíveis alagamentos dos imóveis localizados nas ruas adjacentes no período chuvoso. Foram implantados 126,20m de rede de concreto armado e seis bocas de lobo duplas. Já a reconstrução do trecho acidentado no bairro Jardim Filadélfia possibilitou a liberação de uma via obstruída após um desmoronamento de terra. Outros benefícios foram o impedimento da utilização do espaço para depósito incorreto de lixo e a segurança dos transeuntes. Foram realizados a reconstrução de parte de um muro de contenção que havia cedido, a

do contraditório do cidadão estão sendo respeitados. Entendemos que o trabalho é de enorme importância e compete à Vigilância Sanitária exercer seu papel fiscalizador a fim de garantir a preservação da qualidade de vida dos munícipes, atores dessa ação”, disse. A superintendente operacional da Copasa, Eneida Magalhães, destacou o caráter institucional do trabalho. “Esta operação não é arrecadatória. Nosso objetivo não é multar, mas resolver a questão, eliminando o lançamento de esgoto na lagoa”, disse. A expectativa da Copasa é de que as obras estejam concluídas até dezembro deste ano, para que 95% do esgoto que chega à Lagoa da Pampulha seja coletado e tratado. Para o secretário regional Pampulha, Humberto Pereira de Abreu Júnior, é fundamental que os órgãos públicos envolvidos façam um trabalho conjunto para que a população esteja consciente de seu papel neste processo.

manutenção de parte da pavimentação afetada e a troca de todo o

Conscientização

Com o objetivo de promover a conscientização popular, tanto a Copasa quanto a Prefeitura de Belo Horizonte vêm desenvolvendo ações de educação ambiental junto às comunidades na área de abrangência da bacia hidrográfica da Pampulha. Assessor para controle ambiental e professor especializado em meio ambiente, Márcio Lima, que trabalha no Centro de Educação Ambiental/Programa de Recuperação e Desenvolvimento Ambiental da Bacia da Pampulha (CEA/Propam), ressaltou que é necessário fazer um nivelamento entre os atores envolvidos para que todos compreendam a importância de colaborar com o programa de despoluição da lagoa da Pampulha.

guarda-corpo, danificado com o desmoronamento ocorrido no local.

Sistema de drenagem da rua Itororó foi ampliado

Usuários de serviços públicos de Venda Nova se preparam para Conferências Municipais de Assistência Social rio da Regional Venda Nova (rua Padre Pedro Pinto, 1.055, Venda Nova) um encontro preparatório

Fotos: Avanilton de Aguilar

Com a presença de cerca de 150 pessoas, foi realizado, no fim de junho, no auditó-

Pré-conferências vão acontecer nos dias 13 e 15 deste mês

dom 4345.indd 31

para os usuários das políticas públicas e para os funcionários da Assistência Social que participarão das pré-conferências municipais, que ocorrerão nos dias 13 e 15 deste mês. Estiveram presentes no encontro a gerente regional de Políticas Sociais, Agda Francisco, o presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Willians de Sá, o representante de Venda Nova no Conselho Municipal de Assistência Social, Humberto Antônio da Silva, e o gerente regional de Assistência Social, Gilson Pinheiro, além de funcionários e usuários dos programas sociais. Gilson Pinheiro propôs uma dinâmica para as discussões, a fim

de explicar o processo das conferências de Assistência Social e eleger os delegados para representar a região nas pré-conferências. Willians de Sá estimulou os usuários a se candidatar ao cargo de delegado na Pré-conferência Municipal dizendo que todos devem participar das ações do Sistema Único da Assistência Social (Suas). Eloína Mendes de Oliveira, moradora do bairro Lagoa, acredita na conquista de uma assistência social melhor. “As conferências existem para ampliar as conquistas da população. Através desta reunião chegamos até as pessoas em situação de risco social, para ajudá-las. Sem as conferências da Assistência

Social não avançamos, por isso a participação do usuário é muito importante”, ressaltou. No fim do encontro, foram eleitos 60 representantes para a pré-conferência de usuários, dez para a pré-conferência de funcionários e duas entidades para participar da Pré-conferência de entidades.

04/07/2013 18:16:49


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

32

Sexta-feira, 5 de julho de 2013

Márcio Martins

Museu Histórico Abílio Barreto recebe show em homenagem a Noel Rosa

O Museu Histórico Abílio Barreto (avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim) recebe no domingo, dia 7, às 11h30, o

espetáculo “Rosas para Noel”, apresentado pela banda de samba Fita Amarela. A entrada é franca e o show será em homenagem

ao sambista carioca Noel Rosa, conhecido como o Poeta da Vila, e contará com a participação especial dos músicos Chico Ama-

Praças da Pampulha recebem equipamentos do programa Academias a Céu Aberto

Voluntários dos Nudec visitam o Circuito Cultural Praça da Liberdade

        

Urbel

locais com todos os aparelhos instalados. Além dos quatro citados, a população pode utilizar também as academias localizadas no CAC Serrano (bairro Serrano) e nas praças Geralda Damata Pimentel (São Luís), Manoel de Souza Barros (Castelo), Engenheiro Iron Marra (Santa Amélia) e Brandão Amorim (Jaraguá). Até o final do ano, a meta é instalar mais 24 Academias a Céu Aberto na região. O projeto Academias a Céu Aberto, da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, visa proporcionar condições adequadas para a prática de atividades físicas para pessoas de todas as idades, mas, prioritariamente, para o público da terceira idade. Oferecem 12 aparelhos de ginástica adaptados e implantados em espaços de fácil acesso para a população, que podem ser utilizados por até 30 pessoas simultaneamente. Atualmente Belo Horizonte tem instaladas 53 academias.

Gabriela Araújo

Praticar atividades físicas traz melhorias para o corpo e para a mente. Com o objetivo de incentivar esta prática, a Regional Pampulha implantou, durante o mês de junho, mais quatro Academias a Céu Aberto em praças da região para beneficiar a população do entorno. As praças da Seresta (divisa dos bairros Santa Amélia e Santa Branca), Sete (no Garças), Olga Gatti Barbosa e Nair Vilela Rabelo (ambas no bairro Ouro Preto) receberam o conjunto de equipamentos para a prática de exercícios físicos ao ar livre. O secretário regional Humberto Pereira de Abreu Júnior destacou a importância da ação. “Estamos beneficiando diversos públicos, como jovens e grupos da terceira idade. Nossa proposta é incentivar hábitos saudáveis e promover a saúde da população, facilitando o acesso a estes aparelhos”, disse. Na Pampulha, já são nove

ral, responsável pelo saxofone e pela flauta, e Leo Assunção, que se apresentará ao violão de sete cordas.

O show faz parte da abertura do projeto Inverno no MHAB, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura. O evento reúne uma série de cursos e oficinas que serão ministradas neste mês no próprio Abílio Barreto e também no Centro de Cultura de Belo Horizonte e no Crav. Mais detalhes sobre a programação podem ser conferidos no site www.bhfazcultura.pbh.gov.br. A Fita Amarela foi formada em maio de 2012 com o intuito de interpretar o tradicional samba de raiz, porém utilizando recursos modernos e de várias vertentes do samba. O nome do grupo foi inspirado na música “Fita Amarela”, de Noel Rosa, clássico do samba que fez muito sucesso no Carnaval de 1933. A Fita Amarela é formada por Guilherme Leão (voz, violão e cavaquinho), Rayana Toledo (voz), Camila Rocha (contrabaixo), Paulo Fróis e Alexandre Santos (percussão). O repertório terá cerca de 15 músicas, escolhidas com critério entre as várias obras do autor, com nova roupagem e arranjos próprios. O show contará com figurino de época (décadas de 1920 e 1930), e grande preocupação artístico-cultural, com intervenções de textos que contarão um pouco da história de Noel e a relação dele e de suas letras com a sociedade.

Passeio começou pelo Palácio da Liberdade

Explorando tradições e memórias de Minas Gerais, 45 voluntários de Núcleos de Defesa Civil (Nudec), organizados nas vilas e aglomerados, visitaram no domingo, dia 30, o Palácio da Liberdade e o Memorial Minas Gerais - Vale, espaços que fazem parte do Circuito Cultural Praça da Liberdade. O evento foi organizado pela Diretoria de Manutenção e Área de Risco da Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte (Urbel). Ao iniciar o passeio pelo Palácio da Liberdade, os voluntários contemplaram a arquitetura eclética das amplas salas do prédio, com estilos

de forte influência europeia. Ao mesmo tempo, sob as orientações e assistência dos guias do local, conheceram também um pouco da história do palácio que foi moradia e sede do Governo do Estado e que atualmente se prepara para se tornar museu. “Se eu entrar aqui sozinho, fico perdido”, disse João Pereira de Sousa, morador da Vila Novo São Lucas, uma das seis que formam o Aglomerado da Serra, ao adentrar o imponente Salão do Banquete, um dos maiores recintos do prédio. Foi a primeira vez que ele e a maioria dos voluntários visitaram o palácio. Para Ana Paula Boroni, do Nudec do Conjunto Paulo VI, na região Nordeste, a visita possibilitou

conhecer mais sobre Belo Horizonte e os detalhes escondidos nos séculos. “Aqui estamos na raiz da história”, contou. Em seguida, os voluntários se dirigiram para o Memorial Minas Gerais – Vale, que fica ao lado do Palácio da Liberdade, e assistiram admirados os espaços multimídia que contam a história do século 18. Através de projeções audiovisuais, o grupo adentrou nos cenários da sociedade mineradora do período, do barroco mineiro, e das lendas de fantasmas que sobrevivem desde o surgimento da capital. Nas últimas salas visitadas, os voluntários entraram em contato com o rico artesanato produzido no Vale do Jequitinhonha. De acordo com o geógrafo e técnico social da Urbel, Flávio Sales, os locais foram escolhidos pelos próprios voluntários e são fontes de aprendizagem e integração. “Os lugares visitados são gratuitos e públicos, mas a gente dá um estímulo para que conheçam a história da cidade, pois por conta própria eles não viriam. É importante que eles entendam que fazem parte dessa história, que quase 20% do território de Belo Horizonte é ocupado por vilas e favelas. Além disso, essa visita reforça os laços de interação entre os Nudec ”, afirmou.

Quatro praças ganharam os equipamentos em junho

dom 4345.indd 32

04/07/2013 17:51:35

DOM - 05/07/2013  
DOM - 05/07/2013  

Diário Oficial do Município

Advertisement