Issuu on Google+

Ano XIX • N. 4.312

R$ 0,85

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município - DOM

Edifício Acaiaca,

marco da arquitetura da capital e palco de muitas histórias Inaugurado em 1943, o prédio mais alto da cidade tem 120 metros de altura e 30 andares, abrigou emissora de TV, cinema e boate e funcionou como abrigo antiaéreo

Fotos: Isabel Baldoni

Do alto do Edifício Acaiaca, situado na avenida Afonso Pena, entre as ruas Espírito Santo e Tamoios, no Centro de Belo Horizonte, é possível ver quase toda a cidade. É o prédio mais alto de BH, com 120 metros de altura e 30 andares. Inaugurado em 1943, o Acaiaca foi projetado em formas

DOM 4312.indd 1

geométricas pontiagudas e angulares, estilo art déco, e possui duas faces de índios na fachada, esculpidas pelo engenheiro Luiz Pinto Coelho. Palco de muitas histórias, o edifício já abrigou cinema, lojas de roupas femininas, boate, escola e serviu de também como espaço para a criação de grupos políticos.

Hoje o local reúne escritórios de advocacia e de odontologia. O porão, atualmente usado apenas para carga e descarga, serviu como abrigo antiaéreo, já que a ideia era se defender de um suposto ataque alemão à cidade, uma vez que o edifício foi construído durante a Segunda Guerra Mundial. João Alves é um dos mais antigos funcionários do Acaiaca, ao qual dedicou mais de quatro décadas em diversas funções. João começou como faxineiro e hoje é ascensorista. Ele lembra a época em que o edifício abrigava a TV Itacolomi, na década de 1960,

Tiragem: 2.500 • 16/5/2013

quando o edifício reunia muitos artistas e curiosos. “Naquele tempo o Acaiaca também tinha uma boate que era frequentada, principalmente, pela alta sociedade e pela classe política”, conta. Otacílio Negrão de Lima, então prefeito da capital, era presença confirmada em quase todas as noites. Existia também o Cinema Acaiaca, que tinha capacidade para 900 pessoas, e para o qual se formavam grandes filas de espectadores. No espaço que abrigava o antigo cinema, hoje funciona uma igreja evangélica. O edifício também foi palco de acontecimentos políticos como o que foi registrado no 11º andar, onde surgiu os Novos Inconfidentes, grupo empresarial que se reunia para planejar um golpe de estado. O objetivo era acabar com a ameaça comunista que, segundo eles, estava próxima. No mesmo andar, funcionava o Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem. Além disso, a sede mineira do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) também funcionaram no Acaiaca, o que tornava o prédio um polo de cultura.

Lenda indígena

Próximo ao Arraial do Tejuco, hoje cidade de Diamantina, havia uma poderosa tribo de índios que vivia em constante luta com os tejuquenses e, inclusive, invadia o arraial em alguns momentos. No local havia um grande cedro que os índios, na sua língua, chamavam de “Acaiaca”. Contavam eles que, no começo do mundo, o rio Jequitinhonha e seus afluentes encheram-se tanto que transbordaram, inundando tudo. Os montes e as árvores mais altas ficaram cobertas e todos os índios morreram. Somente um casal escapou, subindo na Acaiaca. Quando as águas baixaram, eles desceram e começaram a povoar a terra de novo. Os índios tinham, portanto, grande veneração por essa árvore e acreditavam que se ela desaparecesse, a tribo também teria o mesmo fim. Os portugueses que habitavam o arraial, conhecedores daquela crença, esperavam uma oportunidade para derrubar a Acaiaca. No dia do casamento da índia Cajubi, enquanto os índios dançavam em comemoração, os portugueses derrubavam a árvore a golpes de machado. Quando os índios viram cair a árvore sagrada, ficaram aterrorizados. Pouco tempo depois da morte da Acaiaca surgiu uma grande desavença entre o cacique da tribo e os principais guerreiros. A desarmonia entre eles terminou em uma luta com muitas mortes. No dia seguinte, os tejuquenses não encontraram o menor sinal da Acaiaca. Diz a lenda que foi a partir dessa noite que os garimpeiros começaram a encontrar diamantes, que surgiram dos carvões e das cinzas daquela árvore sagrada.

15/05/2013 18:09:31


BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município

2

Poder Executivo Quinta-feira, 16 de maio de 2013

Alunos do BH Cidadania têm acesso a espetáculos de dança Mangabeiras. Divididos em três grupos, os estudantes tiveram a oportunidade de assistir as peças “Solos Stuttgart”, “Escrito Absurdo” e “Dô”. “É emocionante ver o fascínio das crianças durante as apresentações. Muitas delas nem

piscavam”, relatou Renata Martins, gerente de Esporte Educacional da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. No mês passado, os alunos já haviam assistido ao espetáculo “Hamlet”, interpretado pelo ator Thiago Lacerda, no Sesc Palladium, no Centro.

Divulgação

Cerca de 170 alunos da Rede Municipal de Educação, integrantes do programa BH Cidadania, participaram no último final de semana do Vivadança Festival Internacional, que reuniu espetáculos teatrais e de dança no Teatro Oi Futuro Klauss Viana, no bairro

“Escrito Absurdo” foi uma das peças que os alunos acompanharam no Teatro Oi Futuro Klauss Viana

Escola Integrada da região Noroeste desenvolve programa inovador para seus alunos Atividades desenvolvidas

Fotos: Daniel Teixeira

Alunos do 2º ciclo do programa Escola Integrada da Escola Municipal João Pinheiro (rua Padre Manoel Bernardes, 303, bairro Alto dos Pinheiros, na região Noroeste) participam do projeto inovador Jovem Vigilante. O programa, coordenado pela professora Maria Geralda e pelas educadoras Magda Jeane e Nina França, possui como premissa a educação sanitária para o público infanto-juvenil. Os temas abordados são alimentos, medicamentos, higiene, saúde e vigilância ambiental. O objetivo principal é estimular a mudança de hábitos a partir de laboratórios e ações realizadas na comunidade escolar, visando à formação de cidadãos mais esclarecidos quanto ao uso responsável de medicamentos e aos cuidados com a saúde indi-

vidual e coletiva. Há também a preocupação de estimular atenção especial no que se refere à alimentação saudável, hábitos de higiene e orientação quanto à identificação dos riscos do consumo indiscriminado de medicamentos e de outros produtos sujeitos à inspeção da vigilância sanitária. “O programa Jovem Vigilante contribui para o entendimento da saúde como um valor pessoal e social”, afirma a professora Maria Geralda.

Programa Jovem Vigilante tem como foco a educação sanitária para o público infanto-juvenil

DOM 4312.indd 2

De olhos vendados, os alunos lavam as mãos que estavam borrifadas com tinta guache e, depois, observam as partes que não foram lavadas corretamente. Em seguida, é explicada a maneira adequada de se lavar as mãos, além dos danos que a má higienização pode causar ao organismo. A partir destas informações, o aluno pode ajudar a verificar o processo de assepsia, tanto das mãos quanto dos alimentos, em suas atividades diárias, transformando-se em um ‘jovem vigilante’. Nina Neves França e a educadora Magda Jeane Pereira, ambas da escola João Pinheiro, disseram que o espaço é lugar de adquirir novos conhecimentos e colocar em prática aqueles já interiorizados. “O projeto Jovem Vigilante vem mostrar, de maneira dinâmica, a importância da higienização, da alimentação e da medicação adequada, para que nossos alunos, através do conhecimento e da informação, possam manter uma vida saudável e divulgar os bons hábitos na comunidade”, disse. Os alunos Marcus Vinicius e Brenda de Souza comentaram que o projeto ajudou a entender ainda mais sobre os hábitos corretos para a conservação da própria saúde. Segundo eles, o Jovens Vigilantes é importante porque os ensinamentos contribuem para uma vida saudável, tanto das famílias quanto das outras pessoas que moram na mesma região.

Casa Una de Cultura realiza sessão comentada do filme “Tropicália” O projeto Luz, Câmera e História, do Centro Universitário Una, realiza mais uma sessão comentada e exibe o documentário “Tropicália” (2012), do diretor Marcelo Machado, no sábado, dia 18, às 10h, na Casa Una de Cultura (rua Aimorés, 1.451, bairro Lourdes). São oferecidas 50 vagas e os interessados podem se inscrever previamente pelo site http://luzcamerahistoria.blogspot.com.br/, do projeto, ou pelo telefone 3235-7314. “Tropicália” faz uma análise do movimento musical homônimo liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil no final dos anos 1960. O documentário resgata uma fase na história do Brasil em que a cena musical fervilhava e os festivais revelavam vários novos talentos. Ao mesmo tempo, o país sofria com a ditadura dos generais no poder, o que fez com que Caetano e Gil fossem exilados. 

15/05/2013 18:09:40


Poder Executivo Quinta-feira, 16 de maio de 2013 A Regional Centro-Sul, por meio da Gerência de Políticas Sociais, realizou na última semana a palestra “Direitos Humanos e Questões Raciais”, com o teólogo e filósofo Mauro Luiz da Silva,

BELO HORIZONTE

Diário Oficial do Município

Palestra no Centro da capital inclui debate sobre direitos humanos e questões raciais

Gercom Centro-Sul

que também é padre. A palestra foi realizada na sede da Regional Centro-Sul, no Centro da capital, e foi uma iniciativa do Grupo Gestor de Promoção de Igualdade Racial.

Cotas A palestra partiu do pressuposto de que os direitos humanos e as questões raciais não podem ser desvinculados. A invisibilidade negra perante a sociedade também foi um dos pontos abordados durante a explanação. Outro assunto que ganhou enfoque durante o evento foram as cotas em universidades. Padre Mauro acredita que políticas diferentes devem ser aplicadas a quem sempre foi tratado de maneira diferente. O palestrante expôs sua ex-

Pré-Conferência da Juventude mobiliza centenas de jovens na Pampulha

Fotos: Gercom Centro-Sul

Municipal da Juventude. O gerente de Intercâmbio de Políticas para a Juventude, Mauro Costa Rodrigues, considerou positiva a participação dos jovens da região nos debates temáticos. “Somente por meio da criação e da garantia de espaços de participação democrática das diversas expressões juvenis é que iremos construir e efetivar propostas de políticas públicas para a juventude”, ressaltou. Na abertura do evento, o grupo Raízes do Sul apresentou danças folclóricas gaúchas, entre elas o xote carreirinho, o tatu com volta no meio, pezinho, a chula e a dança com boleadeiras. Após a apresentação cultural, o secretá-

rio regional Humberto Pereira de Abreu Júnior fez a abertura solene e destacou a importância da participação dos jovens no encontro. “Esta é uma oportunidade para o jovem apresentar suas propostas”, disse. A seguir, os participantes foram divididos em grupos de trabalho para discutir cinco eixos temáticos: cultura, direitos humanos, educação, qualidade de vida e trabalho e renda. Os grupos apresentaram cinco propostas com ações específicas, devidamente aprovadas pela plenária, que serão debatidas na 4ª Conferência Municipal da Juventude com a presença dos delegados eleitos na Pampulha. Representante do Fórum das

periência pessoal no Aglomerado Santa Lúcia, onde mora há 14 anos e desenvolve ações sociais. Alguns dos trabalhos voltados para a comunidade negra da capital são o Caminhada pela Paz, que visa transformar o aglomerado em um quilombo de paz e cidadania, e o Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos de Belo Horizonte. Integrante do Grupo de Promoção da Igualdade Racial na Regional Centro-Sul, Jane Porto explica que a palestra faz parte do Plano de Promoção da Igualdade Racial. “Esse trabalho tem como objetivo não só garantir a promoção da igualdade racial, mas acabar com o racismo e a intolerância. Além disso, buscamos preservar a memória, a cultura e a identidade dos grupos étnico-raciais”, ressaltou.

Gercom Pampulha

Palestra faz parte do Plano de Promoção de Igualdade Racial e foi comandada pelo teólogo Mauro Luiz da Silva

Com o tema “Jovem, sua voz pode fazer a diferença”, a 4ª Pré-Conferência da Juventude da Pampulha, realizada na Escola Municipal Dom Orione, no bairro São Luís, reuniu 140 jovens no sábado, dia 11. O objetivo era discutir e elencar propostas temáticas, além de eleger os delegados e o conselheiro que vão representar os jovens da Pampulha na 4ª Conferência Municipal da Juventude, que vai ser realizada nos dias 7 e 8 de junho. A pré-conferência, organizada com o apoio das gerências regionais de Políticas Sociais e de Promoções e Eventos Esportivos, de Recreação, Lazer e Feiras, foi conduzida pela Coordenadoria

3

Grupos de trabalho discutiram cinco eixos temáticos e apresentaram propostas de ações

Juventudes da Grande BH, Vanessa Beco ressaltou a importância de apresentar propostas amplas que contemplem jovens de 15 a 29 anos. “Lembramos que as propos-

tas apresentadas vão nortear as políticas municipais, estaduais e nacionais. Por isso, é preciso que os jovens pensem de maneira mais abrangente”, destacou.

Dia das Mães é marcado por confraternização na Regional Centro-Sul

DOM 4312.indd 3

As mães que trabalham na Regional Centro-Sul participaram de uma comemoração especial na última sexta-feira, dia 10, para celebrar o dia dedicado a elas. Uma confraternização, com direito a música ao vivo, reuniu todas as mulheres da secretaria, que fica no Centro. Foi uma forma descontraída para passar a tarde e conversar. O secretário regional, Ricardo Angelo, participou do evento, ressaltou o valor das mães e da família e dedicou um poema para as mulheres que carregam um amor incondicional por seus filhos. “As mães se dedicam à família com tanto amor que merecem ser homenageadas”, disse. A banda Acácia foi a atração

Banda Acácia foi a atração especial da comemoração

especial preparada para a comemoração. Para a assistente administrativa Rosilene Tetzl Costa, ser mãe é algo indescritível. “É difícil traduzir em palavras o que só o sentimento consegue explicar”, disse. Para a

auxiliar administrativa Poliane Almeida de Freitas, o reconhecimento por ser mãe é algo importante para ela. “É gratificante saber que somos valorizadas. Ser mãe é a maior emoção do mundo”, ressaltou.

15/05/2013 18:09:48


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

42

Quinta-feira, 16 de maio de 2013

Indicadores Econômicos de Belo Horizonte Taxas de Juros – Abril de 2013

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

dez/12

388,35

0,50

5,74

Últimos 12 Meses 5,74

jan/13

397,59

2,38

2,38

Taxas médias praticadas(1)

Setores

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

392,44

0,56

5,44

Últimos 12 Meses 5,44

5,51

400,33

2,01

2,01

5,68

Menor

Maior

Diferença (%)

Média

3,95

6,00

51,90

5,56

Prefixada (montadoras)

0,89

2,02

126,97

1,40

Prefixada (multimarcas)

1,33

2,54

90,98

1,73

1,63

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

fev/13

396,80

-0,20

2,18

5,39

398,73

-0,40

1,60

5,24

mar/13

398,78

0,50

2,69

5,60

401,12

0,60

2,21

5,36

Prefixada (montadoras)

1,04

2,43

133,65

abr/13

400,74

0,49

3,19

5,75

403,29

0,54

2,76

5,35

Prefixada (multimarcas)

1,14

2,64

131,58

1,84

1ª mai/13

421,89 (3)

0,49

3,76

5,75

425,15 (3)

0,57

3,34

5,25

Cartão de Crédito

4,14

20,48

394,69

12,69

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Cheque Especial (2) (8)

3,95

10,04

154,18

7,84

(2) IPCR= Índice de Preços ao Consumidor Restrito: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 6 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte

Combustíveis

3,21

12,34

284,42

8,02

Imóveis Construídos

0,21

1,61

666,67

1,06

Imóveis na Planta

0,21

1,61

666,67

0,51

0,75

3,40

353,33

2,01

CDC - Financeiro (8)

2,93

4,72

61,09

3,85

CDC - Bens Alienáveis (8)

1,25

1,90

52,00

1,41

Eletroeletrônicos

1,99

5,05

153,77

3,48

Mobiliário

1,16

5,85

404,31

2,83

6,45

17,75

175,19

12,21

Nacional

0,90

2,34

160,00

1,46

Internacional

0,90

2,31

156,67

1,38

1,49

20,80

1.295,97

4,94

Automóveis Usados

Construção Civil (3) (7)

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Período

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

Cesta Básica

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

IPCA(1)

Salário Mínimo

nov/12

386,42

960,02

Cesta Básica(2) 490,60

dez/12

388,35

960,02

496,54

0,50

0,00

1,21

5,74

14,13

7,84

5,74

14,13

7,84

jan/13

397,59

1046,46

544,68

2,38

9,00

9,70

2,38

9,00

9,70

5,51

9,00

13,66

Financeiras Independentes Turismo

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

0,43

0,00

-3,84

5,21

14,13

6,55

5,83

14,13

10,30

fev/13

396,80

1046,46

550,38

-0,20

0,00

1,05

2,18

9,00

10,84

5,39

9,00

20,64

mar/13

398,78

1046,46

563,60

0,50

0,00

2,40

2,69

9,00

13,51

5,60

9,00

25,42

abr/13

400,74

1046,46

578,77

0,49

0,00

2,69

3,19

9,00

16,56

5,75

9,00

29,20

Vestuário e Calçados

(1) IPCA= Índice de Preços ao Consumidor Amplo: mede a evolução dos gastos das famílias com renda de 1 a 40 salários mínimos na cidade de Belo Horizonte (2) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38

Empréstimos pessoa jurídica

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Desconto de Duplicatas (8)

0,92

2,53

175,00

1,89

Capital de Giro (8)

0,87

2,65

204,60

1,69

Conta Garantida (8)

1,94

4,13

112,89

2,76

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais Período

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%)

out/12

436,90

0,37

6,13

Últimos 12 Meses 8,15

nov/12

439,43

0,58

6,74

dez/12

442,95

0,80

7,60

jan/13

446,22

0,74

0,74

No mês

No ano

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Captação

Variação (%)

CDB 30 dias (4)

0,51

8,68

Últimos 12 Meses 11,40

0,84

9,59

11,18

Poupança (5)

1,08

10,77

10,77

Taxa SELIC (6)

0,65

0,65

11,08

(1) Considera-se a média das taxas praticadas pelos informantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são consideradas vantagens progressivas

(6) Média ponderada pela vigência

(3) Inclui a variação dos indexadores CUB, TR, INCC e IGP-M

(7) Novo cálculo considerando o período dos índices que compõem a estimativa (8) Dados coletados a partir de informações consolidadas no Banco Central do Brasil

No mês

597,38

1,00

7,82

602,40

7,60

608,91

8,08

612,87

No ano

fev/13

447,56

0,30

1,04

7,79

617,77

0,80

1,46

10,71

mar/13

450,11

0,57

1,62

7,37

623,70

0,96

2,43

10,87

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,60

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,13

0,45

246,15

0,31

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,39

0,57

46,15

0,48 0,41 0,59

(4) Taxa ANBID do primeiro dia útil do mês e projetada para 30 dias

.. Não se aplica dados numéricos

Tarifas Bancárias – Abril de 2013

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Março de 2013

Forma de Cobrança

Produtos / serviços(1)

Imóveis

Apartamentos

Popular

Médio

Alto

Luxo

490,91 (11)

980,56 (18)

731,00 (28)

1258,74 (103)

Apartamento 2 Quartos

681,30 (49)

951,52 (76)

1101,35 (114)

2080,39 (152)

Apartamento 3 Quartos 1 Banho

813,00 (20)

961,90 (21)

1153,23 (16)

(3)

1165,52 (29)

1300,85 (59)

1550,37 (154)

2424,39 (258)

(1)

(1)

2025,00 (14)

2919,44 (18)

2250,00 (6)

(3)

2536,11 (18)

4496,71 (137)

422,50 (16)

577,14 (14)

675,00 (4)

(1)

558,46 (13)

662,50 (4)

(2)

-

(1)

-

(1)

(1)

763,20 (25)

882,35 (17)

1137,50 (8)

-

948,44 (16)

1187,50 (4)

(3)

(3)

1276,79 (28)

1702,50 (16)

2694,29 (21)

5933,33 (6)

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos Barracão 1 Quarto Barracões Barracão 2 Quartos Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos Casa 3 Quartos e 1 Banho Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

20,68

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por cliente

5,35

10,00

86,92

6,83

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por cliente

5,35

10,00

86,92

6,83

por Operação

28,50

52,00

82,46

42,45

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por cheque

10,35

15,00

44,93

11,75

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por cheque

1,00

1,55

55,00

1,31

CHEQUE - Cheque Administrativo

por Cheque

20,00

30,00

50,00

23,89 10,50

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

CHEQUE - Cheque Visado

por cheque

0,00

21,00

..

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por operação

2,00

3,00

50,00

2,18

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por operação

1,15

3,00

160,87

1,74

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por operação

1,15

2,15

86,96

1,57

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por operação

0,00

3,00

..

1,90

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (P)

por operação

2,00

6,00

200,00

3,09

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (E)

por operação

1,35

3,00

122,22

2,01

Forn. de ext. de um periodo conta dep. à vista e poup. - EXTRATO (C)

por operação

1,20

1,60

33,33

1,37

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por operação

1,45

6,00

313,79

3,16

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por operação

1,35

4,00

196,30

2,26

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por operação

1,20

4,00

233,33

2,06

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por operação

4,40

6,00

36,36

5,29

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por operação

0,00

19,00

..

13,07

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por operação

0,00

9,50

..

7,08

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por operação

6,50

8,60

32,31

7,58

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por operação

1,00

2,00

100,00

1,24

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por operação

0,00

1,20

..

0,91

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por operação

23,80

27,00

13,45

24,98

Transferência por meio de DOC - DOC Pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,88

Transferência por meio de DOC - DOC eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,11

Transferência por meio de DOC - DOC internet (3)

por evento

6,50

8,60

32,31

7,56

Transferência por meio de TED - TED pessoal (3)

por evento

12,85

20,00

55,64

14,79

Transferência por meio de TED - TED eletrônico (3)

por evento

0,00

9,50

..

7,11

Transferência por meio de TED - TED internet (3)

por evento

0,00

8,60

..

7,59

por operação

30,00

51,80

72,67

43,09

por evento

9,50

18,00

89,47

12,22

a cada 365 dias

24,00

54,00

125,00

44,33

Fornecimento de 2ª via de cartão com função crédito

por evento

0,00

15,00

..

6,52

Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no país

por evento

4,00

15,00

275,00

8,16

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

2150,00 (8)

(2)

-

(2)

6155,56 (9)

3757,14 (7)

8127,27 (11)

(*) O valor entre parênteses representa o número de imóveis utilizados no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, somente são publicados valores médios obtidos a partir de quatro imóveis pesquisados. Os casos em que não foi pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamentos de 1 e 2 quartos da classe luxo são influenciados pela oferta de Flats.

Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA CARTÃO DE CRÉDITO (3) Anuidade - cartão básico nacional

Pagamento de contas utilizando a função crédito em espécie

por evento

1,99

16,00

704,02

8,57

Avaliação emergencial de crédito

por evento

15,00

17,00

13,33

15,25

a cada 365 dias

0,00

90,00

..

86,67

por evento

7,90

30,00

279,75

14,56

Anuidade - cartão básico internacional Utilização de canais de atend. para retirada em espécie - no exterior

(2) Considera-se a média das tarifas praticadas pelos bancos pesquisados

(1) Não são consideradas vantagens progressivas

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

Fonte: Banco Central do Brasil / Bancos - Dados trabalhados pela Fundação IPEAD/UFMG

..

Não se aplica dados numéricos

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

No mês

Açúcar cristal

3,00 kg

4,19

-0,04

Arroz

3,00 kg

7,04

-0,06

Banana caturra

12,00 kg

24,39

0,65

Produto

No ano

Últimos 12 Meses

ICCBH(1)

IEE(2)

IEF(3)

ICCBH

nov/12

134,77

202,40

113,14

-0,82

1,21

-1,96

-2,95

4,58

-6,80

-2,95

4,60

-6,82

Batata inglesa

6,00 kg

22,61

0,82

dez/12

138,81

203,31

118,23

3,00

0,45

4,49

-0,04

5,05

-2,61

-0,04

5,05

-2,61

Café moído

0,60 kg

7,89

-0,06

jan/13

131,64

192,46

112,19

-5,16

-5,33

-5,10

-5,16

-5,33

-5,10

-3,39

-0,78

-4,75

Chã de dentro

6,00 kg

103,00

0,27

Farinha de trigo

1,50 kg

3,81

0,03

Feijão carioquinha

4,50 kg

29,31

0,86

7,50 lt

16,41

0,08

750,00 gr

15,71

0,00

Óleo de soja

1,00 un

3,30

-0,08

Pão francês

6,00 kg

47,44

0,17

Tomate Santa Cruz

9,00 kg

50,17

0,05

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

fev/13

127,73

188,57

108,28

-2,97

-2,02

-3,49

-7,98

-7,25

-8,41

-6,24

-4,44

-7,22

mar/13

127,44

182,14

117,42

-0,22

-3,41

8,44

-8,19

-10,41

-0,68

-7,00

-8,45

0,14

Leite pasteurizado

abr/13

127,26

186,24

114,73

-0,14

2,25

-2,30

-8,32

-8,40

-2,96

-4,50

-3,15

0,29

Manteiga

(1) ICCBH: Índice de Confiança do Consumidor de Belo Horizonte: trata-se de um indicador que tem por finalidade sintetizar a opinião dos consumidores em Belo Horizonte quanto aos aspectos capazes de afetar as suas decisões de consumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Econômica: retrata a expectativa do consumidor em relação aos indicadores macroeconômicos (3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a confiança do consumidor a respeito de alguns indicadores microeconômicos FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

DOM 4312.indd 42

Quantidade

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

ND: não disponível

Custo da Cesta Básica(*) – Abril de 2013

Índice de Confiança do Consumidor

Período

Média(2) (R$)

CONTAS DE DEPÓSITOS

PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%)

CADASTRO

Apartamento 1 Quarto

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos

Casas

ND - não disponível

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

(*) Cesta Básica: representa os gastos de um trabalhador adulto com a alimentação definida pelo Decreto-lei 399/38 FONTE: Fundação IPEAD/UFMG

15/05/2013 18:09:50


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Alunos da Umei Delfim Moreira conscientizam população sobre os riscos da dengue

43

Gercom Centro-Sul

Quinta-feira, 16 de maio de 2013

Na última semana os alunos da Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Delfim Moreira, localizada no Centro, participaram de passeatas para conscientizar a população sobre os riscos da dengue. Crianças de 3 a 5 anos, estudantes dos turnos da manhã e da tarde, passaram pelas ruas Goitacazes, Rio de Janeiro, Tupis e Espírito Santo em manifestação. Para integrar a passeata, os alunos usaram máscaras representando o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue.

Avanilton Aguilar

Venda Nova escolhe representantes para o Conselho Municipal do Idoso

Reunião atraiu cerca de 50 idosos integrantes dos grupos de terceira idade

A Gerência de Políticas Sociais de Venda Nova realizou na última semana, no auditório da rua Padre Pedro Pinto, 1. 055, o Fórum Mensal do Idoso, que teve como objetivo eleger um representante

e um suplente da região para o Conselho Municipal do Idoso, que são Anália Eulália, do grupo Fogo Novo, e Ana Maria Rocha, do grupo Traços da União. A reunião atraiu cerca de 50 idosos,

integrantes dos grupos de terceira idade da região. Mario Lucio Moreira, gerente de Programas Sociais, abriu o evento, explicou o processo de eleição e reforçou a importância do representante regional. “Discutimos também as situações vivenciadas pelos idosos, principalmente o combate à violência contra eles. Falamos ainda sobre a questão da saúde e os aspectos voltados para a população dessa faixa etária, bem como a garantia dos direitos da pessoa idosa”, ressaltou. Para incentivar os candidatos a se inscreverem, o atual conselheiro Dalmi de Almeida explicou a função do representante do conselho, que funciona como a voz dos idosos de Venda Nova nas instâncias superiores da Justiça. Luzia Maria, de 64 anos, representante do grupo de idosos Zélia Macedo, do bairro Minas Caixa, foi uma das inscritas. “Dá para perceber o que está acontecendo com o idoso, como a aplicação do Estatuto. Comecei a participar do fórum recentemente e já estou participando da eleição do nosso representante. É muito importante o idoso lutar por seus direitos”, concluiu.

Sistema de Gestão Compartilhada é apresentado aos membros da Comforça no Barreiro

DOM 4312.indd 43

taocompartilhada.pbh.gov.br). que tem como proposta socializar a informação dos serviços da Prefeitura, incentivando o cidadão a participar da gestão da cidade. Ao acessar o sistema o morador terá acesso a mapas, gráficos e tabelas com informações sobre Belo Horizonte. Além disso, poderá se informar sobre os espaços e processos participativos existentes na cidade, como canais de participação, instâncias de mobilização social e iniciativas de corresponsabilidade. O portal fortalece o acesso à informação de forma que governo e sociedade compartilhem conhecimento e avaliem conjuntamente os resultados alcançados pelas políticas públicas e avancem nos processos de planejamento parti-

cipativo. Para Pier Senesi, o novo portal vai facilitar que o usuário, morador ou liderança comunitária acompanhe as obras do Orçamento Participativo de todas as regiões. “As informações que eram recebidas nas reuniões agora estarão disponíveis a todo momento e podem ser acessadas pela internet, em casa, na lan house ou de setores da PBH destinados para este fim”, afirmou Senesi. Ainda de acordo com o secretário, todas as obras terão fotos atualizadas que demonstrarão seu estágio de desenvolvimento.

ele, o novo portal está estruturado, pois atende ao propósito de facilitar o acesso às informações das obras e informações gerais da Prefeitura e ajuda a mobilizar e dar mais força ao Orçamento Participativo.

Kátia Gaspar

Mais de 70 membros da Comissão de Acompanhamento e Fiscalização da Execução do Orçamento Participativo (Comforça) participaram na última semana, na sede da Regional Barreiro (rua Flávio Marques Lisboa, 345, Barreiro), de uma reunião que teve como objetivo apresentar o portal de Gestão Compartilhada da Prefeitura de Belo Horizonte e a nova equipe de trabalho da regional, formada pelo secretário Wanderley Porto, pelo secretário regional adjunto, Cláudio Vilela, pelo chefe de gabinete Luiz Starling e pelo gerente do Orçamento Participativo, Igor Marques. O secretário municipal adjunto de Gestão Compartilhada, Pier Senesi, apresentou o Portal da Gestão Compartilhada (www.ges-

ressalta Elias Lourenço Souza, presidente do Núcleo de Ação Social do Bairro das Indústrias, secretário do Conselho Distrital de Saúde e membro da Comforça Distrital e Regional do Bairro das Indústrias. Para

Acesso

“Um sistema como este vai ser bom para termos acesso às informações com mais facilidade”,

Informações estão disponíveis a todo momento pela internet

15/05/2013 18:09:57


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

44

Participação cidadã na gestão pública ganha força com capacitação de conselheiros municipais os instrumentos de gestão pública para que eles possam contribuir de forma mais concreta e objetiva”, destacou. O PPAG, importante instrumento de planejamento das ações de governo, contém metas e ações em diversos níveis de gestão e sua concepção ocorre a cada quatro anos. “Essa participação é, de fato, muito nobre e significa um passo importante no processo de consolidação, aperfeiçoamento e

avanço da democracia”, completou o prefeito. Ao longo deste ano ocorrerão outras etapas e a previsão de conclusão é em meados de dezembro. Aproximadamente 30 encontros estão no cronograma. A realização dessa etapa visa possibilitar resultados mais efetivos ao processo de elaboração participativa do PPAG, com a realização de módulos gerais e específicos de cada área de atuação do respectivo conselho.

Divino Advincula

Após o processo de escolha dos conselheiros de políticas públicas, eleitos para compor os 23 conselhos municipais, chegou agora a etapa de preparação. Os agentes passarão por uma série de encontros que têm como objetivo sua capacitação para a discussão e produção do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 20142017 e fortalecer a participação da sociedade nas decisões de governo. O primeiro encontro foi realizado na terça, dia 14, na sede da Prefeitura, no Centro. Esses seminários integram a programação de capacitação dos conselheiros elaborada pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Gestão Compartilhada, e desenvolvida em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf). Aproximadamente 200 representantes de conselhos municipais participam do projeto. Compõem os conselhos municipais representantes da sociedade civil e servidores do executivo municipal. Para o prefeito Marcio Lacerda, compreender o processo da administração municipal é fundamental para o sucesso dessa integração. “Os conselhos municipais existem para deliberarem e assessorarem a administração em mais de 20 áreas. É importante que esses cidadãos e cidadãs conheçam

Importância dos conselhos municipais foi ressaltada em encontro na PBH

BH Cidadania Vila Marçola comemora o Dia das Mães com várias atividades ponsável por animar todos os participantes com a sua música. Uma aula de dança sênior, surgida na Alemanha, também movimentou os convidados. A programação para as mães contou ainda com um “aulão” de ginástica. As mães receberam uma mensagem especial e flores artesanais confeccionadas pelas equipes do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Vila Marçola e da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel). As ati-

vidades foram desenvolvidas em parceria com o Centro de Saúde Cafezal e a Smel. Coordenadora do BH Cidadania Vila Marçola, Andréa Barreto do Couto Drager avaliou o evento como uma forma de interação importante para a comunidade, uma vez que houve a participação dos grupos que frequentam o espaço. Ela considera ainda que a realização de atividades físicas é positiva, pois auxiliam na saúde e são mais uma forma de descontração.

Estão previstas atividades até o fim do ano. “A Prefeitura entende que formando o conselheiro e realizando reciclagens de conhecimento se fortalece a participação popular na administração municipal”, assegurou o secretário municipal adjunto de Gestão Compartilhada, Pier Senesi. Dikota Djanganga Keuzanbi é representante da sociedade civil no Conselho Municipal de Promoção de Igualdade Racial (Compir) e, para ela, a preparação é relevante para o papel dos conselheiros. “Esse primeiro seminário abriu uma visão inicial sobre a responsabilidade dos conselheiros e acredito que o curso como um todo vai abrir fronteiras”, disse. Entre os objetivos do projeto de capacitação estão a ampliação da percepção sobre o papel social desempenhado pelos conselheiros, a promoção e o aperfeiçoamento do desenvolvimento, habilidades e atitudes necessárias ao desempenho desses agentes com o aprimoramento de temas técnicos da gestão pública e a adequação das competências dos conselheiros aos objetivos das instituições que representam.

PPAG

O Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) planeja as ações a serem cumpridas no período de quatro anos. É elaborado sempre no primeiro ano de uma gestão e vale pelos quatro anos seguintes. É um instrumento que contempla programas de governo, assim como metas e objetivos a serem atingidos. A partir dele, são derivadas, por exemplo, as Leis de Diretrizes Orçamentárias (LDOs) e as Leis de Orçamento Anuais (LOAs). O PPAG municipal constitui-se como uma importante tarefa de pensar o futuro, pois, com este instrumento se decide quais são os investimentos prioritários para os projetos de desenvolvimento da cidade. Após a elaboração do plano pelo poder executivo e aprovado pelo legislativo, ele segue para ser sancionado pelo prefeito até o fim do ano anterior ao período de sua execução.

Pré-Conferência inaugura modelo de prevenção e combate às drogas na região Nordeste Belo Horizonte tem uma reconhecida trajetória de participação popular e diálogo entre a população e a Prefeitura na gestão das políticas públicas implantadas na cidade. Em 2013, uma nova etapa desta união de esforços será inaugurada pela 1ª Conferência Municipal de Políticas Sobre Drogas, que será realizada nos dias 28 e 29 de junho. No sábado, dia 11, mais de 200 pessoas se reuniram no Centro de Apoio Comunitário (CAC) do bairro São Paulo para acompanhar a Pré-Conferência da Regional Nordeste. Durante todo o dia, gestores públicos, moradores, médicos e estudantes discutiram de forma conjunta ações destinadas a potencializar o Recomeço, programa implantado na cidade em 2012 com o objetivo de construir respostas intersetoriais que proponham soluções interdisciplinares ao enfrentamento do uso de drogas por meio de iniciativas estruturantes de tratamento, prevenção, reinserção social e redução de danos dos dependentes químicos. Após a abertura, que contou com a participação de Geraldo Magela, secretário regional Nordeste, e de representantes das áreas de Saúde, Educação e Assistência Social, os participantes se dividiram em quatro grupos de trabalhos intersetoriais com os seguintes eixos temáticos: tratamento, prevenção, redes locais e marcos regulatórios (legislação). Cada grupo elegeu os desafios e as ações a serem implantadas para cada tema. A Pré-Conferência de Políticas Sobre Drogas da região Nordeste elegeu também os delegados que irão representar a região na Conferência Municipal, que terá como tema “Desafios e Perspectivas na construção da Política Municipal sobre Drogas”. Gercom Nordeste

Gercom Centro-Sul

O Espaço BH Cidadania/Cras Vila Marçola, localizado na rua Engenheiro Lucas Júlio de Proença, 73, no bairro Serra, promoveu na última semana uma série de atividades para comemorar o Dia das Mães. Mais de 80 pessoas que frequentam os grupos de caminhada, de mulheres, de idosos e de lian gong, além do grupo de alongamento do Centro de Saúde Nossa Senhora de Fátima, participaram das comemorações. O grupo Trem Chic foi res-

Quinta-feira, 16 de maio de 2013

Mais de 80 pessoas representantes de diversos grupos do BH Cidadania, participaram das comemorações

DOM 4312.indd 44

Delegados que vão representar a região Nordeste na Conferência Municipal foram eleitos

15/05/2013 18:10:01


DOM - 16/05/2013