Issuu on Google+

PREFEITURA BELO HORIZONTE Ano XVII • N. 3.962 R$ 0,80

BELO HORIZONTE Diário Oficial do Município - DOM

Projeto Pedala BH

Tiragem: 2.500 • 3/12/2011

52 novos paraciclos foram implantados na cidade entre setembro e novembro A população de várias regiões de Belo Horizonte ganha mais um reforço no estímulo ao uso da bicicleta com a implantação na cidade de 52 paraciclos, dispositivos para estacionamento de bicicletas instalados entre os meses de setembro e novembro. Os paraciclos estão inseridos no programa Pedala BH, que tem como objetivo promover o uso da bicicleta na capital, criando facilidades para quem optar por esse meio de transporte. Com esses dispositivos foram criadas 104 vagas de estacionamento para bicicletas na regiões hospitalar, central, Savassi, Nordeste,

Fotos: BHTrans

amplia vagas para estacionamento de bicicletas

Barreiro, Noroeste e Leste. Eles funcionam como um complemento do sistema cicloviário da capital, que já inaugurou quatro ciclovias no segundo semestre deste ano. A previsão é que mais uma seja instalada até o fim de 2011, a rota cicloviária Barreiro. Cada dispositivo tem a capacidade de estacionamento para duas bicicletas. Antes dessas vias, a avenida Otacílio Negrão de Lima, ao lado do Parque Guanabara, na Pampulha, a rua Pernambuco, na Savassi, e a rua Ceará com a avenida Francisco Sales (Restaurante Popular) já contavam com paraciclos.

Confira onde foram instalados os novos paraciclos • Avenida Professor Morais com rua Antônio de Albuquerque • Avenida Professor Morais com avenida Getúlio Vargas • Avenida Bernardo Monteiro com avenida Carandaí (na praça em frente ao Colégio Arnaldo) • Restaurante Popular do Barreiro • Avenida Américo Vespúcio com rua dos Pinheiros • Avenida Elísio de Brito com avenida Itaituba • Avenida Amazonas com rua dos Goitacazes (Mercado Central)

Bicicletários Com uma estrutura maior e com mais capacidade, o bicicletário é um espaço, fechado ou não, delimitado exclusivamente para o estacionamento de bicicletas, sinalizado, contendo um conjunto de paraciclos. As estações de integração de ônibus BHBUS São Gabriel, Venda Nova e Barreiro já contam com bicicletários. Estes, existentes há mais tempo, vão passar por reformulação em 2012. Para o ano que vem está prevista a instalação dessas estruturas para bicicletas nas estações BHBUS Diamante e Vilarinho e também em vias públicas e ambientes fechados. As estações de integração a serem construídas, a da Pampulha e a São José, na avenida Dom Pedro II, também receberão bicicletários. Como política para incrementar a criação de mais espaços de estacionamento das bicicletas, a BHTans já adota como diretriz das medidas minimizantes dos Relatórios de Impactos na Circulação, estabelecidos para grandes empreendimentos, a instalação de paraciclos ou bicicletários. A construção do Boulevard Shopping, por exemplo, atendeu a essa condicionante. Lá, os ciclistas contam com 20 vagas.

• Rua Rio de Janeiro, entre rua Tamoios e avenida Afonso Pena (Praça Sete) • Rua Rio de Janeiro, entre rua Tupinambás e avenida Afonso Pena (Praça Sete) • Rua Carijós, entre rua São Paulo e avenida Afonso Pena (Praça Sete) • Rua Carijós, entre rua Espírito Santo e avenida Afonso Pena (Praça Sete) • Avenida Risoleta Neves junto ao Centro de Cultura (bairro Aarão Reis, na região Norte)

Diversificação dos meios de transportes O planejamento estratégico da BHTrans definido para os próximos anos inclui ações para melhoria da mobilidade urbana da capital, entre elas a implementação de infraestrutura e o estímulo a modos diferenciados de locomoção. As ciclovias entram nesse cenário, criando a oportunidade para o uso das bicicletas, contribuindo para a qualidade ambiental e tornando a facilidade de deslocamento um fator de inclusão social. De julho a setembro foram inauguradas quatro ciclovias na capital mineira: na avenida Risoleta Neves (Via 240), na rua Professor Morais (Savassi), seguindo pela avenida Carandaí, na rua Piauí (Funcionários) até a sua conexão com a rota cicloviária leste (em implantação), na avenida Américo Vespúcio (bairro Aparecida) e a do Boulevard Arrudas, entre a rua Carijós e a avenida Barbacena.

Ações da PBH serão apresentadas no Uruguai nhecer estudantes de outras nacionalidades. Luciene da Silva, mãe de Graziele, contou que a estudante sempre foi muito dedicada e destacou que a viagem é um reconhecimento ao esforço da filha, que sempre sonhou em fazer uma viagem internacional.

Ansiedade A Escola Municipal Emídio Berutto, localizada no bairro Santa Inês, na região Leste da capital, tem motivos para comemorar. Glauber Maurílio da Silva Gomes, que tem 12 anos e é aluno do 5º ano da escola, teve bons resultados no Avalia-BH 2010 e também foi um dos premiados com a viagem para o Uruguai. O garoto con-

Breno Pataro

pantes do acampamento quais são as ações executadas em Belo Horizonte para o combate à dengue. A aluna da Escola Municipal Armando Ziller, que fica no bairro Mantiqueira, na região de Venda Nova, está animada com a viagem e acha que será divertido coDivino Advincula

Oito alunos da Rede Municipal de Educação vão apresentar no Uruguai os projetos e ações executados pela Prefeitura de Belo Horizonte para cumprir os oito Objetivos do Milênio estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). A apresentação fará parte das atividades do Acampamento Mercocidades 2011, que vai reunir entre os dias 8 e 12 de dezembro, em Montevidéu, 60 crianças e adolescentes brasileiros, argentinos e uruguaios. Os alunos da capital foram escolhidos pelo bom desempenho no Avalia-BH e pela participação efetiva no programa Câmara Mirim. Graziele Nazor de Oliveira, de 11 anos, está se preparando para mostrar a todos os partici-

tou que não teve dificuldades na prova e que ficou muito feliz quando soube do prêmio. “Estou muito animado com a viagem. É o primeiro prêmio que ganho aqui e ele serve como motivação para que eu me dedique cada vez mais”, afirmou. Glauber destacou que está ansioso, principalmente, com uma das atividades programadas para o acampamento em

Montevidéu: a visita ao estádio Centenário, palco da final da primeira Copa do Mundo, em 1930, vencida pelos uruguaios diante dos rivais argentinos. Durante o Acampamento Mercocidades 2011, Glauber vai falar sobre o terceiro Objetivo do Milênio, que trata da promoção da igualdade de gênero e da autonomia das mulheres. Vera Lúcia Alves Ferreira, diretora do Emídio Berutto desde 2007, destacou que a escola se sente premiada com a viagem do aluno. “Além de todos os alunos da turma se sentirem valorizados, o prêmio é um reconhecimento para os profissionais da escola”, afirmou. Vera disse ainda que acontecimentos como esse servem como estímulo para alunos e professores. “Esta é a prova de que ninguém nunca perde por se esforçar demais”, concluiu.


BELO HORIZONTE 2

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Sábado, 3 de dezembro de 2011

“Filme no Baile” de dezembro exibe clássicos de Glauber Rocha Fotos: Divulgação

Guerreiro”. Os interessados devem tirar as senhas 15 minutos antes das sessões. Na virada dos anos 1950, surgiu uma nova maneira de fazer cinema no Brasil. Subvertendo o estilo norte-americano, até então utilizado como modelo, os jovens brasileiros procuravam um cinema mais real, que falasse à sociedade da época e incorporasse novas formas de linguagem. Em 1964, o Festival de Cannes deu projeção internacional

ao movimento ao receber com grande entusiasmo “Deus e o Diabo na Terra do Sol”. Na época, os jornais brasileiros repercutiram a boa acolhida do filme pela imprensa europeia e pelos críticos, saudando a obra como o ápice do cinema brasileiro. Em 1967, “Terra em Transe”, proibido no Brasil pela ditadura, é exibido e, desta vez, premiado no Festival de Cannes. No final da década de 1960, o Cinema Novo lançou um de seus filmes mais importantes: “O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro”.

O projeto

A programação de dezembro

é franca. Estarão em cartaz os filmes “Deus e o Diabo na Terra do

Sábado, dia 3, às 17h – “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (Glauber Rocha, Brasil, 1964) Sábado, dia 10, às 17h – “Terra em Transe” (Glauber Rocha, Brasil, 1967) Sábado, dia 17, às 17h – “O dragão da maldade contra o santo guerreiro” (Glauber Rocha, Brasil, 1969)

Sol”; “Terra em transe”; “O Dragão da Maldade Contra o Santo

Palácio das Artes recebe montagem clássica do balé “A Flauta Mágica” A escola de dança do Centro de Formação Artística da Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefar) apresenta na quinta e na sexta da próxima semana, dias 8 e 9, no Grande Teatro do Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1.537, Centro), o ballet de repertório clássico “A Flauta Mágica”. As sessões acontecem às 17h, no dia 8, e às 20h30, na sexta, dia 9. Os ingressos para as apresentações estão à venda a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia) para a apresentação às 20h30 e R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia) para à apresentação das 17h. Com libreto e coreografia de Lev Ivanov e música de Richard Drigo, a montagem é fruto de uma parceria da Fundação Clóvis Salgado com a Cia. Brasileira de Ballet do Rio de Janeiro e traz a Belo Horizonte uma adaptação da peça apresentada pela companhia em novembro de 2010. Consultor da Escola de Dança do Cefar há dois anos, o diretor da Cia. Brasileira de Ballet do Rio de Janeiro, Jorge Texeira, assina a adaptação ao lado da professora de dança do Cefar, Juliana Couto. No palco estarão 130 alunos, do nível básico ao profissionalizante, entre 8 e 25 anos.

Apresentado pela primeira vez no pequeno Teatro da Escola Imperial de Bailados, em São Petesburgo, na Rússia, em 1893, “A Flauta Mágica” conta a história de amor do camponês Luc e de Lise, filha de um fazendeiro, em uma aldeia francesa durante o reinado de Luís XV. Trata-se de uma versão diferente da célebre ópera de Mozart. A primeira de todas as versões foi coreografada pelo metteur-en-scène Fortunato Bernardelli, estreando com o nome de “A Flauta Mágica” ou “Os dançarinos involuntários”. No papel dos protagonistas Luc e Lise estarão os bailarinos formandos Franciele Gomes e Gabrielle Salomão (dividindo o papel de Lise) e Josué Maciel, que divide o papel de Luc com Gustavo Carvalho, de 16 anos, bailarino convidado da Cia. Brasileira de Ballet do Rio de Janeiro. A montagem conta, ainda, com a participação de bailarinos do Ballet Jovem Palácio das Artes. Cenários e figurinos foram trazidos da montagem da Cia. Brasileira de Ballet do Rio de Janeiro, com adaptação e orientação do professor do Cefar, William Rausch.

Centro Cultural São Bernardo comemora 17 anos O Centro Cultural São Bernardo comemorou 17 anos na sexta-feira, dia 2, com um dia inteiro de atividades gratuitas e com direito a um grande encerramento comandado pelo compositor Márcio Borges. O compositor é um dos fundadores do Clube da Esquina, parceiro de Milton Nascimento e diretor do Museu Clube da Esquina. Márcio Borges realizou um batepapo ilustrado por suas composições e de seus parceiros nestes 40 anos de trajetória. As atividades começaram com apresentações das atividades realizadas em 2011 pelas escolas Maria Silveira e José Maria dos Mares Guia, tiveram também exibição teatral da

companhia de teatro Família do Garçom e musicais do Grupo Rosas do São Bernardo e de Léo Dias, com seus convidados. Nathália Turcheti

O projeto Filme no Baile deste mês destaca três obras clássicas do cineasta brasileiro Glauber Rocha. Com uma câmera na mão e uma ideia na cabeça, o também ator, escritor e jornalista foi um dos líderes da corrente artística nacional chamada Cinema Novo. As sessões do projeto acontecem sempre aos sábados, às 17h, na Casa do Baile (avenida Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha) e a entrada

Desde 2006, o Filme no Baile destaca temáticas que variam a cada mês, abordando sempre a cultura e a estética. Ao longo de 2011, o projeto exibiu longas e curtas brasileiros que fazem parte do programa da Secretaria Audiovisual do Ministério da Cultura, realizado pela Sociedade de Amigos da Cinemateca, sob a coordenação da Cinemática Brasileira. O objetivo principal do projeto é aumentar o acesso às produções recentes e aos filmes representativos do nosso cinema que não entram do circuito de exibição. A ação visa promover o encontro do público com o cinema brasileiro, assim como formar plateias e fomentar o pensamento crítico em torno da produção nacional.

O Centro Cultural São Bernardo foi construído através da mobilização da comunidade para transformar um antigo Posto de Policiamento Ostensivo (PPO) em um espaço cultural. Sua inauguração

aconteceu em 18 de dezembro de 1994. Desde então, o centro cultural é um espaço aberto e plural, que colabora decisivamente para a formação do indivíduo consciente e criativo. Aprovada pelo Orçamento Participativo, a nova sede, inaugurada em 2004, possui auditório para 100 pessoas, sala de oficinas, biblioteca, camarim, cozinha, administração e área externa. Gerente do centro cultural, Maria José Rodrigues disse que esses 17 anos foram de muitas alegrias. Segundo ela, o centro está aberto para novos artistas, grupos e para toda a população. “O espaço é muito respeitado pela comunidade”, declara, orgulhosa, Maria José.


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Sábado, 3 de dezembro de 2011

Servidores da Regional Barreiro assistem a vídeo que enfoca combate ao racismo Nunes. A discussão destacou a importância da autoestima como forma de conquistar reconhecimento e igualdade de direitos. “Que vocês problematizem essa questão, para que daqui a alguns anos não precisemos mais discutir igualdade de direitos e deveres” opinou o palestrante. O objetivo do Grupo Gestor da Promoção da Igualdade Racial Barreiro é promover a articulação intersetorial para implementação de ações integradas. Gerente de

Políticas Sociais da regional e integrante do grupo gestor, Dilson

José lembra que todos têm que a consciência do que são. “Com

isso, fica mais fácil vencer as barreiras do nosso dia a dia”, afirmou.

Érika Sanny

“Onde você guarda o seu racismo?” Essa é a chamada do vídeo apresentado na última semana pelo Grupo Gestor da Promoção da Igualdade Racial Barreiro, em evento no salão da Igreja Santa Luzia para os servidores da Gerência Regional de Limpeza Urbana. A exibição, com direito a comentário de Evandro Nunes, integrante do grupo Negraria Coletiva de Artistas Negros, fez parte da programação do Mês da Consciência Negra. A campanha “Onde você guarda o seu racismo?” tem o objetivo de conscientizar a população de que a luta contra o preconceito racial é responsabilidade de todos. “Temos os mesmos direitos e devemos ser tratados da mesma forma”, lembrou Evandro

3

Gercom Nordeste

Painel reforça combate à discriminação racial na região Nordeste Discussão na Igreja Santa Luzia destacou importância da autoestima como forma de conquistar reconhecimento e igualdade de direitos

A Gerência Regional de Políticas Sociais organizou na terça-feira, dia 29, o 5º Painel de Promoção da Igualdade Racial da Regional Nordeste, com o tema “Igualdade Racial: Direitos Humanos enquanto extensão dos direitos fundamentais”. Voltado para discutir temas relacionados à saúde, educação, políticas sociais e recursos humanos, o encontro recebeu a presença de dezenas de lideranças da região e de toda a cidade. A mesa de debates foi composta pelo secretário regional Nordeste, Jorge Espeschit, pela coordenadora de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de Belo Horizonte, Maria Inácia, além de Rosângela Pastana e Maria Auxiliadora Evaristo, representantes do Fórum Municipal de Igualdade Racial. Marcia Inácia disse que o painel foi importante ao proporcio-

nar dados sobre as políticas públicas de igualdade racial previstas no plano municipal bem como no Estatuto Federal de Promoção à Igualdade Racial. Para enriquecer o debate, foram convidados os advogados Felipe Martins, professor de Direito Processual Penal e coordenador da Divisão de Assistência Judiciária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Roberto Luiz Silva, professor de Direito Internacional Público e coordenador do Grupo de Estudos em Direito Internacional da UFMG. O secretário municipal adjunto de Direitos de Cidadania, José Wilson Ricardo, destacou a importância de ações afirmativas em prol da promoção da igualdade racial, da superação das desigualdades sócio-raciais e da preservação da identidade dos mais diversos grupos étnicos.

Alunos do programa Escola Integrada exibem trabalhos em Venda Nova A Gerência Regional de Educação Venda Nova promoveu durante a 1ª Mostra de Arte e Artesanato do Programa Escola Integrada, das 9h às 19h, na Estação BHBus Venda Nova (rua Padre Pedro Pinto, 2.277, Candelária). A mostra reuniu trabalhos produzidos pelos alunos do programa entre 2010 e 2011. Aproximadamente 14 escolas municipais de Venda Nova ofereceram oficinas de arte e de artesanato no programa Escola Integrada. A mostra apresentou peças de pintura em tecidos, quadros, artesanato produzido com material reciclado e enfeites natalinos.


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

26

Sábado, 3 de dezembro de 2011

INDICADORES ECONÔMICOS DE BELO HORIZONTE Taxas de Juros – Outubro de 2011

Evolução dos Preços ao Consumidor IPCA(1) Período

IPCR(2) Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

jun/11

359,83

-0,03

5,05

Taxas médias praticadas(1)

Setores

Variação (%)

Índice de Base Fixa (4ª Jul/94=100)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

7,26

364,70

-0,08

3,98

6,76

Menor

Maior

Diferença (%)

Média

3,00

5,90

96,67

4,93

Empréstimos pessoa física Alimentício Automóveis Novos

jul/11

360,19

0,10

5,16

7,28

365,28

0,16

4,15

6,91

ago/11

361,31

0,31

5,48

7,63

366,42

0,31

4,47

7,27

set/11

362,50

0,33

5,83

7,55

367,44

0,28

4,76

6,86

out/11

363,55

0,29

6,14

7,16

367,66

0,06

4,82

6,03

Prefixada (montadoras)

1,47

2,84

93,20

2,05

0,40

6,48

6,94

373,99 (3)

0,47

5,35

5,92

Prefixada (multimarcas)

1,81

2,69

48,62

2,20

11,90

13,95

17,23

12,81

7,83

9,70

23,88

8,72

5,26

14,08

167,68

8,92

Imóveis Construídos

0,06

1,61

2.583,33

0,84

Imóveis na Planta

0,14

1,61

1.050,00

0,27

1,20

4,20

250,00

2,44

2,30

4,80

108,70

3,32

1,55

1,80

16,13

1,67 3,71

3ª nov/11

369,47

(3)

Prefixada (montadoras)

1,33

2,16

62,41

1,67

Prefixada (multimarcas)

1,63

2,58

58,28

1,98

Automóveis Usados

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte

Cartão de Crédito

(2) IP CR= Índice de P reço s ao Co nsumido r Restrito : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 6 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (3) 3ª quadrissemana de julho /94 = 100

Cheque Especial

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Combustíveis Construção Civil

Índice de Confiança do Consumidor Variação (%)

Índice de Base Fixa (Maio/04=100)

Período

ICCBH(1)

IEE(2)

No mês

No ano

Últimos 12 Meses

IEF(3)

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

IEF

ICCBH

IEE

(2) (8)

(3) (7)

Cooperativas de Crédito (empréstimo)

IEF

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

mai/11

133,44

180,41

118,43

-3,12

-3,82

-2,79

-0,54

-3,49

0,97

0,57

0,82

0,44

CDC - Financeiro (8)

jun/11

135,84

187,28

119,40

1,80

3,81

0,82

1,24

0,18

1,79

0,15

1,74

-0,62

CDC - Bens Alienáveis

(8)

jul/11

135,94

188,70

119,09

0,08

0,76

-0,26

1,32

0,95

1,53

3,95

4,22

3,82

Eletroeletrônicos

1,99

6,08

205,53

ago/11

135,79

190,13

118,43

-0,12

0,76

-0,55

1,20

1,71

0,97

0,83

2,23

0,12

Mobiliário

1,48

5,25

254,73

3,08

set/11

135,66

190,00

118,31

-0,10

-0,07

-0,10

1,11

1,64

0,86

2,95

6,39

1,29

Financeiras Independentes

8,82

11,46

29,93

10,14

out/11

137,35

187,54

121,32

1,25

-1,30

2,54

2,37

0,32

3,42

4,36

1,07

6,05

Nacional

1,26

2,43

92,86

1,67

Internacional

1,30

2,39

83,85

1,66

1,48

18,91

1.177,70

4,99

1,26

2,27

80,16

1,87

1,23

2,22

80,49

1,83

2,14

8,53

298,60

5,65

Turismo

(1) ICCB H: Índice de Co nfiança do Co nsumido r de B elo Ho rizo nte: trata-se de um indicado r que tem po r finalidade sintetizar a o pinião do s co nsumido res em B elo Ho rizo nte quanto ao s aspecto s capazes de afetar as suas decisõ es de co nsumo atual e futuro (2) IEE: Índice de Expectativa Eco nô mica: retrata a expectativa do co nsumido r em relação ao s indicado res macro eco nô mico s

Vestuário e Calçados

(3) IEF: Índice de Expectativa Financeira: retrata a co nfiança do co nsumido r a respeito de alguns indicado res micro eco nô mico s FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Empréstimos pessoa jurídica Desconto de Duplicatas

Evolução do Mercado Imobiliário: Aluguéis Residenciais Período Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

Comerciais

Variação (%) No mês

Capital de Giro

Últimos 12 Meses

No ano

Conta Garantida (8)

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

(8)

(8)

Captação

Últimos 12 Meses

No ano

mai/11

387,54

0,62

4,00

11,04

509,68

0,85

5,23

13,98

jun/11

391,57

1,04

5,08

10,78

516,56

1,35

6,65

jul/11

394,78

0,82

5,94

10,21

519,40

0,55

7,24

ago/11

398,53

0,95

6,95

10,30

526,10

1,29

8,62

13,40

CDB 30 dias

(4)

0,94

Cooperativas de Crédito (aplicação)

0,93

Fundo de Investimento Curto Prazo

0,44

0,72

63,64

14,16

Fundo de Investimento Longo Prazo

0,65

0,75

15,38

13,18

Poupança (5)

set/11

401,12

0,65

7,65

10,03

530,26

0,79

9,48

12,61

out/11

403,97

0,71

8,41

10,40

536,25

1,13

10,72

12,49

0,59 0,71 0,56

Taxa SELIC (6)

0,93

(1) Co nsidera-se a média das taxas praticadas pelo s info rmantes

(5) Taxa referente ao primeiro dia do mês subsequente

(2) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(6) M édia po nderada pela vigência

(3) Inclui a variação do s indexado res CUB , TR, INCC e IGP -M

(7) No vo cálculo co nsiderando o perío do do s índices que co mpõ em a estimativa (8) Dado s co letado s a partir de info rmaçõ es co nso lidadas no B anco Central do B rasil

(4) Taxa A NB ID do primeiro dia útil do mês e pro jetada para 30 dias

.. Não se aplica dado s numérico s

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

ND - não dispo nível

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

Valores médios (em R$) dos aluguéis residenciais por classe de bairro(*) - Outubro de 2011 Imóveis

Popular

Apartamento 1 Quarto

Médio

412,50 (4)

Alto

548,46 (13)

Tarifas Bancárias – Outubro de 2011 Produtos / serviços

Luxo

649,51 (41)

Forma de Cobrança

(1)

1532,55 (55)

Menor (R$) Maior (R$) Diferença (%) Média (2) (R$)

CADASTRO Confecção de cadastro para início de relacionamento - CADASTRO

por evento

0,00

59,00

..

28,27

CONTAS DE DEPÓSITOS

Apartamento 2 Quartos Apartamento 3 Quartos 1 Banho Apartamentos

Apartamento 3 Quartos 2 ou mais Banhos

574,04 (47)

844,00 (80)

992,97 (114)

1829,53 (107)

663,08 (13)

793,08 (13)

1032,61 (23)

(3)

994,41 (34)

1150,75 (80)

1386,05 (171)

2195,62 (249)

(3)

(2)

1616,67 (6)

2711,54 (26)

Apartamento 4 Quartos e até 2 Banhos Apartamento acima de 4 Quartos e 2 Banhos

2295,00 (10)

1900,00 (8)

2430,93 (28)

3951,28 (141)

Barracão 1 Quarto

363,33 (18)

426,15 (13)

(2)

-

Barracão 2 Quartos

412,50 (8)

537,50 (8)

(1)

-

Barracões

(3)

(1)

(2)

-

598,00 (15)

748,57 (7)

1094,44 (9)

(2)

Casa 1 Quarto Casa 2 Quartos

764,29 (7)

(3)

(2)

-

Casa 3 Quartos e 2 ou mais Banhos

1092,00 (15)

1483,33 (6)

2508,33 (12)

4287,50 (8)

Casa 4 Quartos e até 2 Banhos

1806,25 (8)

(2)

(1)

(3)

(3)

(1)

3809,09 (11)

7468,57 (35)

Casa 3 Quartos e 1 Banho Casas

Casa 4 Quartos e 2 Banhos

(*) O valo r entre parênteses representa o número de imóveis utilizado s no cálculo da respectiva média. Na maioria das vezes, so mente são publicado s valores médio s obtido s a partir de quatro imó veis pesquisado s. Os caso s em que não fo i pesquisado nenhum imóvel são indicados por hífen (-). Os valores médios referentes a apartamento s de 1e 2 quarto s da classe luxo são influenciado s pela o ferta de Flats.

CARTÃO - Fornecimento de 2º via de cartão com função débito

por evento

0,00

10,00

..

7,08

CARTÃO - Fornec. de 2ª via de cartão com função mov. conta de poupança

por evento

0,00

10,00

..

6,72

CHEQUE - Exclusão do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundo (CCF)

por evento

20,00

52,00

160,00

38,10

CHEQUE - Contra-ordem e oposição ao pagamento de cheque

por evento

6,00

15,00

150,00

11,40

CHEQUE - Fornecimento de folhas de cheque

por evento

0,60

1,70

183,33

1,35

CHEQUE - Cheque Administrativo

por evento

16,00

27,00

68,75

22,71

CHEQUE - Cheque de transferência bancária_(TB e TBG)

por evento

ND

ND

ND

ND

CHEQUE - Cheque Visado

por evento

0,00

21,00

..

11,60

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE pessoal

por evento

0,00

3,50

..

2,15

Saque de conta de depósitos à vista e de poupança - SAQUE Terminal

por evento

0,00

3,00

..

1,77

Saque de conta de dep. à vista e de poupança - SAQUE correspondente

por evento

0,00

2,30

..

1,56

DEPÓSITO - Depósito Identificado

por evento

0,00

5,00

..

1,95

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(P)

por evento

1,90

6,00

215,79

3,27

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup.- EXTRATO(E)

por evento

0,00

3,00

..

1,92

Forn. de ext. mensal de conta de dep. à vista e de poup. - EXTRATO(C)

por evento

0,00

2,00

..

1,06

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período -EXTRATO(P)

por evento

0,00

6,00

..

2,88

Ext. mensal de conta de dep. à vista e Poup. p/um período - EXTRATO(E)

por evento

1,00

5,00

400,00

2,25

Ext. mensal de conta de dep. à vista e poup. p/um período - EXTRATO(C)

por evento

0,00

5,00

..

1,62

Fornecimento de cópia de microfilme, microficha ou assemelhado

por evento

3,00

7,00

133,33

5,56

TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED pessoal

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência por meio de DOC/TED - DOC/TED eletrônico

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência de recursos por meio de DOC/TED - DOC/TED internet

por evento

ND

ND

ND

ND

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(P)

por evento

0,00

19,00

..

11,76

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(E)

por evento

0,00

30,00

..

9,61

Transferência agendada por meio de DOC/TED - DOC/TED agendado(I)

por evento

0,00

30,00

..

9,24

Transferência entre contas na própria instituição- TRANSF. RECURSOS(P)

por evento

0,00

2,95

..

1,33

Transferência entre contas na própria instituição-TRANSF.RECURSOS(E/I)

por evento

0,00

2,70

..

0,95

Ordem de Pagamento - ORDEM PAGAMENTO

por evento

16,00

27,00

68,75

24,65

por evento

11,00

49,00

345,45

38,05

por evento

10,50

18,00

71,43

13,35

OPERAÇÕES DE CRÉDITO Concessão de adiantamento a depositante - ADIANT. DEPOSITANTE PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA PACOTE PADRONIZADO PESSOA FÍSICA

FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

(1) Não são co nsideradas vantagens pro gressivas

(2) Co nsidera-se a média das tarifas praticadas pelo s banco s pesquisado s

Fo nte: B anco Central do B rasil / B anco s - Dado s trabalhado s pela Fundação IP EA D/UFM G

.. Não se aplica dado s numérico s

Evolução da inflação, salário mínimo e cesta básica

Período

Quantidade

Valores (em R$)

Contribuição na variação (p.p.)

Açúcar cristal

3,00 kg

5,63

-0,04

Arroz

3,00 kg

5,44

0,01

Banana caturra

12,00 kg

23,40

0,00 0,67

Produto

Variação (%)

Índice de Base Fixa (Jul/94=100)

No mês

ND: não dispo nível

Custo da Cesta Básica (*) – Outubro de 2011

No ano

Últimos 12 Meses

IPCA(1)

Salário Mínimo

Cesta Básica (2)

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

IPCA

Salário Mínimo

Cesta Básica

Batata inglesa

6,00 kg

8,22

mai/11

359,94

841,18

446,42

0,58

0,00

3,05

5,08

6,86

6,98

7,27

6,86

7,60

Café moído

0,60 kg

7,07

0,13

jun/11

359,83

841,18

430,92

-0,03

0,00

-3,47

5,05

6,86

3,26

7,26

6,86

8,58

Chã de dentro

6,00 kg

97,02

0,95

jul/11

360,19

841,18

427,61

0,10

0,00

-0,77

5,16

6,86

2,47

7,28

6,86

15,50

ago/11

361,31

841,18

439,66

0,31

0,00

2,82

5,48

6,86

5,36

7,63

6,86

18,17

Leite pasteurizado

set/11

362,50

841,18

435,81

0,33

0,00

-0,88

5,83

6,86

4,43

7,55

6,86

14,39

Manteiga Óleo de soja

out/11

363,55

841,18

437,34

0,29

0,00

0,35

6,14

6,86

4,80

(1) IP CA = Índice de P reço s ao Co nsumido r A mplo : mede a evo lução do s gasto s das famílias co m renda de 1a 40 salário s mínimo s na cidade de B elo Ho rizo nte (2) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G

7,16

6,86

5,08

Farinha de trigo

1,50 kg

3,01

-0,02

Feijão carioquinha

4,50 kg

14,90

-0,16

7,50 l

15,75

-0,09

750,00 g

13,99

0,03

1,00 un

2,91

0,03

Pão francês

6,00 kg

36,30

-0,12

Tomate

9,00 kg

19,71

-1,03

(*) Cesta B ásica: representa o s gasto s de um trabalhado r adulto co m a alimentação definida pelo Decreto -lei 399/38 FONTE: Fundação IP EA D/UFM G


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

Lendas brasileiras são temas de exposição no Centro Cultural São Geraldo posição acontece por causa da parceria firmada com o Centro Cultural São Geraldo. “Nossos monitores estimulam os usuários por meio de oficinas de pintura, musica e poesia. Pelo resultado dos trabalhos podemos comprovar que eles têm muita capacidade de aprendizado e os trabalhos bonitos que eles podem fazer”, disse. O projeto envolve musica, poesia e pintura e a resposta dos alunos é bem positiva a esse estímulo. Muitos encontram na arte uma forma de terapia para seus traumas e problemas pessoais. Um dos expositores, o usuário e aluno das oficinas Frederico Evald Rezende, de 56 anos, ressaltou a importância da arte em sua vida. “A arte é essencial. É tão prioritária quanto um alimento. Ficamos alegres e felizes em fazer estes trabalhos”, afirmou.

Centro de Convivência Arthur Bispo do Rosário O Centro de Convivência Arthur Bispo do Rosário presta assistência aos pacientes em sofrimento mental, seguindo a lógica antimanicomial, que valoriza o cuidado em liberdade, busca a conquista da cidadania e a reinserção social. A perspectiva é a construção de ações coletivas e intersetoriais. O nome do centro é uma homenagem ao Arthur Bispo do Rosário, um paciente psiquiátrico que morreu no Hospital Juliano Moreira e foi um grande artista. A matéria prima de seu trabalho era o lixo recolhido no hospital, sucatas, restolhos e trapos de pano, que eram desfiados e posteriormente utilizados em seus bordados.

Secretário regional Norte visita instituição beneficente O secretário regional Norte, Haldley Campolina Vidal, visitou durante a semana a instituição beneficente Legião da Boa Vontade (LBV), com o intuito de conhecer de perto o trabalho social desenvolvido na unidade. A LBV é uma associação civil de direito privado, beneficente, filantrópica, educacional, cultural, filosófica, ecumênica e altruística, sem fins econômicos, reconhecida no Brasil e no exterior por seu trabalho socioeducacional. Acompanhado pela gerente social do centro comunitário da LBV, Sandra Almeida, e por demais

gestores, o secretário visitou as salas de atendimento, informática, copa e cozinha, e ainda conheceu os trabalhos do grupo de idosos Lição de Vida, que participa de aulas de música, palestras educativas, bingo e dança. A LBV promove diversas ações socioeducativas em prol da população na capital mineira, como o programa Criança: Futuro no Presente, que atende crianças de 6 anos a 11 anos e 11 meses. Para a gerente social Sandra Almeida, é de fundamental importância a parceria entre a PBH e a

LBV. “A visita do secretário estreita os laços e facilita a atuação da instituição. A partir deste momento temos a oportunidade de abrir várias parcerias”, disse. Haldley afirmou estar muito feliz com o trabalho da LBV na região Norte. “Parabenizo toda a equipe da LBV. O trabalho social que a instituição realiza na localidade e a alegria e o compromisso de todos me chamou a atenção. Isso representa o resgate da cidadania de muitas pessoas. Estamos em uma área socialmente vulnerável e todo apoio é bem vindo”, enfatizou.

Belotur

Taxistas passam por curso de qualificação em Belo Horizonte

Com o curso, taxistas melhoram conhecimento sobre a história de Belo Horizonte

Exposição mostra trabalhos feitos por usuários do Centro de Convivência Arthur Bispo

Gercom Leste

O Centro Cultural São Geraldo recebeu na quarta-feira, dia 30, a exposição “Doze Lendas Brasileiras e Outros Trabalhos”, realizado por usuários do Centro de Convivência Arthur Bispo, um dos equipamentos de atendimento à Saúde Mental da região Leste. Os trabalhos realizados buscam, por meio da arte, desmistificar o preconceito da sociedade em relação aos portadores de sofrimento mental e oferecer ainda uma convivência comunitária e momentos de prazer e aprendizado de técnicas manuais e artísticas. Os trabalhos podem ser visitados de terça a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados, das 9h às 13h. O centro cultural fica na rua Silva Alvarenga, 548, no bairro São Geraldo. Para a idealizadora do projeto, a psicóloga e gerente do Centro de Convivência Arthur Bispo do Rosário, Karen Kzacche, a ex-

27

Gercom Leste

Sábado, 3 de dezembro de 2011

Parceria entre PBH e LBV foi destacada durante encontro

Começou na quintafeira, dia 1º, o curso para a segunda turma de taxistas de Belo Horizonte, iniciativa da Belotur, em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte, que visa oferecer mais capacitação para esses profissionais no mercado de trabalho e, além disso, proporcionar melhores condições para a população e os turistas. O curso é ministrado pela mestre em turismo da Belotur, Neuma Horta, acontece no auditório da rodoviária e tem diversos horários. A primeira turma fez o curso em novembro e já recebeu certificado de participação. Com o curso, os taxistas melhoram seus conhecimentos sobre a história e aprendem curiosidades de Belo Horizonte, além de qualificar o atendimento. Durante o curso eles assistiram ao documentário “Ruas Ilustres”, do diretor mineiro Alexandre Perdigão, que conta a história da formação da capital de Minas Gerais.

Bairro Vista Alegre tem circulação de ruas alterada O sentido de circulação de trechos das ruas Juatuba e Aguanil, no bairro Vista Alegre, que fica na região Oeste, foi alterado na quinta-feira, dia 1º. A rua Juatuba, entre as ruas Padre José Maurício e Aguanil, passa a operar em mão única direcional neste sentido. Já a rua Aguanil, entre as ruas Juatuba e Virgem da Lapa, passa a operar em mão única direcional neste sentido. As alterações têm como objetivo proporcionar mais segurança aos pedestres e condutores de veículos. O local está sinalizado com faixas de tecido para orientar os motoristas e pedestres.


BELO HORIZONTE

Poder Executivo

Diário Oficial do Município

28 28

3 de de dezembro Sábado, 3 Sábado, de dezembro 2011 de 2011

A Escola Municipal Antonio Aleixo, que fica na região do Barreiro, reuniu a comunidade escolar em torno da arte durante a Festa da Família, promovida no último final de semana. Os participantes puderam conferir pinturas dos alunos inspiradas nas visitas feitas a quatro museus feitas por meio do projeto Arte na Escola. A exposição, intitulada “Manacá”, foi inspirada nas exposições “Tarsila do Amaral e o Brasil dos Modernistas” e “Roma - A Vida e os Imperadores”, ambas visitadas na Casa Fiat de Cultura. Os benefícios do trabalho se estendem além do conhecimento artístico. “Tivemos uma

excelente participação dos meninos. Os que estavam com dificuldade nas outras matérias se destacaram nas aulas de artes e também melhoraram nas outras disciplinas”, avalia Ana Lúcia Teixeira Dias, coordenadora do primeiro ciclo e do projeto Arte na Escola. Os pintores mirins mesclaram a inspiração em obras de grandes artistas com a paisagem em torno da escola. As fotos de um ipê rosa da avenida Olinto Meirelles chamaram a atenção de Vitor Hugo Cardoso. “Adorei fazer desenhos do bairro e pude representar do meu jeito”, contou, empolgado o aluno, de apenas 9 anos.

Fotos: Érika Sanny

Festa da Família reúne pinturas feitas por alunos de escola do Barreiro

Exposição foi inspirada em exposições vistas pelos alunos da Escola Municipal Antôno Aleixo

Novo trator facilita os trabalhos na Fundação Zoo-Botânica

Secretaria de Meio Ambiente inaugura ponto de coleta de óleo na Regional Centro-Sul

que, por seu menor porte (possui 2.790 kg, com uma capacidade de carga de 670 kg) tem condições de permitir a execução de tarefas que exigem maior precisão e delicadeza. Entre as principais vantagens do equipamento estão a maior

Suziane Fonseca

Ao longo dos últimos meses, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), através da Gerência de Educação Ambiental, está desenvolvendo um ambicioso e importante trabalho de informação sobre a delicada questão da coleta e destinação do óleo de cozinha saturado, o programa O Óleo Nosso de Cada Dia. Dentro desse trabalho, a SMMA inaugurou na quinta, dia 1º, mais um ponto de coleta, desta vez na sede da Regional Centro-Sul, na rua Tupis. O evento contou com a presença do secretário municipal adjunto de Meio Ambiente, Vasco Araújo, do secretário regional Centro-Sul, Harley Carvalho, e representantes da Recóleo, empresa parceira da Prefeitura de Belo Horizonte no programa Óleo Nosso de Cada Dia.

A aquisição de uma mini retroescavadeira Valence JCB modelo 1CX tem sido motivo de comemoração para os funcionários da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (FZB-BH). O novo equipamento beneficiará todos os departamentos da fundação, já

Trabalho

Destinação correta A correta destinação do óleo saturado é de fundamental importância para a preservação do meio ambiente. O óleo de cozinha jogado na pia ou diretamente no solo é um dos maiores vilões ambientais nos grandes centros urbanos. Segundo a Oil World, o Brasil produz 3 bilhões de litros de óleos vegetais comestíveis por ano. Como atualmente são coletados apenas 1% do resíduo produzido, a cada mês, mais de 200 milhões de litros de óleo saturado vão parar na rede pública de esgotos, nas estações de tratamento ou nos córregos e rios. “Um verdadeiro crime ecológico, pois cada litro de óleo saturado contamina cerca de 20 mil litros de água potável, sem contar na contribuição para as enchentes cada vez piores, pois o óleo tem o poder de impermeabilizar o solo”, disse Saulo Ataíde, chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Descarte correto Após o uso, espere o óleo esfriar e o acondicione no recipiente de origem, em vasilhame de vidro ou garrafa pet. Dirija-se a um ponto de coleta mais próximo e o despeje no coletor. Caso ainda não possua um ponto de coleta, você mesmo poderá organizar um. Solicite em sua regional sua instalação. Nunca jogue o óleo de cozinha usado em pias ou vasos sanitários.

Mini retroescavadeira permite execução de tarefas que exigem precisão e delicadeza

Copa Centenário premia destaques em noite de gala Cerca de 700 convidados compareceram ao salão de festas do Minas II, no bairro Serra, na quarta-feira, dia 30, para assistir à premiação dos destaques da 14ª da Copa Centenário de Futebol Amador Wadson Lima. O primeiro homenageado foi o patrono da competição, o senhor Teodoro dos Reis Silva, de 65 anos, veterano torcedor e dirigente do São Luiz Futebol Clube, que participou de todas as edições da copa. Seguiram-se as homenagens aos membros do Tribunal Disciplinar da Copa e a entrega de troféus e medalhas aos melhores de cada categoria, casos de artilheiros, goleiros menos vazados, técnicos e seleções das categorias infantil, juvenil, feminina e masculina nos módulos A, B e C, além dos melhores trios de arbitragem. Integrantes da equipe infantil do Tupinambás, campeão da categoria, e três jogadores do programa BH Descobrindo Talentos no Futebol, que representaram

Belo Horizonte e o Brasil na quarta Copa Internacional de Futebol de El Salvador, realizada em novembro, receberam certificados de participação no torneio. As equipes que terminaram a copa nas três primeiras colocações de cada categoria receberam seus troféus

Henrique Chendes

De acordo com Ana Nagem, coordenadora do programa O Oléo Nosso de Cada Dia, o trabalho será guiado por dois enfoques diferentes. “Primeiro, junto aos empresários, especialmente os da área de alimentação, com uma campanha incentivando a doação do óleo saturado. Já o cidadão comum será beneficiado pelas diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos, com a promoção da inclusão social e geração de emprego e renda”, explicou. Quanto à destinação final deste refugo, vale lembrar que existem várias maneiras de reaproveitar o produto sem dar prejuízos ao meio ambiente. Para ficar em alguns exemplos, ele pode ser utilizado na fabricação de ração animal ou na produção de biodiesel. Segundo Ana Nagem, o objetivo final do programa seria a construção de uma rede para coleta, reciclagem e destinação final do resíduo óleo de cozinha saturado, a Rede Gari do Óleo, com a criação de um grande cadastro, além do estudo de uma legislação pertinente.

e medalhas logo após as partidas decisivas. E cada uma delas recebeu, também, jogos de uniformes e bolas de futebol. Os campeões de 2011 foram Tupinambás (infantil), Campo Verde (juvenil), Nacional (feminino), Aldeia S. F. (masculino módulo C), Princesa Isabel (masculino módulo B) e Inconfi-

agilidade na execução dos trabalhos (especificamente no que diz respeito à movimentação da compostagem produzida no Jardim Botânico), facilidade de entrada nos recintos dos animais, auxílio na retirada e recomposição de passeios e facilidade de acesso às áreas onde só era possível a execução de trabalhos manuais, como capineiras, horta e estufas. De acordo como o diretor de Administração e Finanças da fundação, Eriverto Reis, o trator representa um enorme ganho para a instituição. “É um facilitador dos trabalhos e um instrumento que vai agilizar as atividades executadas pelos profissionais da manutenção e conservação da FZBBH”, comentou. Eriverto informou também que quatro tratoristas passaram por treinamento para operar a retroescavadeira e que a máquina irá complementar as funções de outros equipamentos já existentes na fundação, como retroescavadeiras de grande porte, tratores (tipo jerico), microtrator aparador de grama e microtratores para coleta de lixo e resíduos.

dência (masculino módulo A e campeão geral da copa). O secretário municipal de Esporte e Lazer, Zito Vieira, que tem grande identidade com o futebol amador, disse que não medirá esforços para incrementar, ainda mais, as próximas edições da competição. “Entendo que é no futebol amador que desponta grande parte do enorme talento do futebol brasileiro. Por isso, temos que dar força às políticas públicas voltadas a esse esporte. No futebol de várzea, além de formar jogadores, formam-se cidadãos”, concluiu. A Copa Centenário de Futebol Amador de 2011 foi disputada entre agosto e novembro e teve a participação de 160 equipes, sendo 96 masculinas adultas divididas nos módulos A, B e C, 16 equipes femininas, 16 juvenis e 32 infantis. A competição movimentou quatro mil atletas, que disputaram 380 jogos em 60 campos de várzea de Belo Horizonte. Lançada em 1998, na sequência das comemorações pelo aniversário de 100 anos de Belo Horizonte, em 1997, a Copa Centenário termina a sua 14ª edição consolidada como o maior campeonato de futebol amador do Brasil.


DOM - 03/12/2011