Page 1


COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE CENTRO

PROJETO PEQUENO ESCRITOR 6º ano / 2013

Professoras: Língua Portuguesa – Regina Estela Informática – Kátia Arte – Danila 2


Autor – Henrique Marçal Dias Cintra

6° E

APRESENTAÇÃO

Durante o ano de 2013 os alunos do 6º ano D e E do Colégio da Polícia Militar, Unidade Centro, participaram do Projeto Pequeno Escritor. A escrita é muito importante a qualquer ser humano, pois é através dela que conseguimos nos comunicar com os outros de modo claro e objetivo. O Projeto visa aperfeiçoar e valorizar o cidadão através das linguagens artística, literária e histórica, a partir da compreensão do seu papel enquanto sujeito histórico, enfocando o ato de escrever como ponto de partida para a construção do pensamento lógico, com isso, possibilitando a capacitação do aluno em construir suas relações diante do mundo. É fundamental, para produzir textos escritos, não guardar ideias, confiando, apenas, na lembrança, mas escrevê-las. Assim, acredita-se, quem escreve poderá exteriorizar com rigor pensamentos; trazer de volta à mente o que já foi registrado e viver, literalmente, a escrita.

3


“Por mais longa que seja a caminhada o mais importante é dar o primeiro passo.” Vinicius de Moraes

Recado da professora Regina Estela

No início do ano quando começamos as Oficinas de Redação percebi que alguns dos meus alunos eram inseguros, não sabiam nem por onde começar a escrever. Com o tempo foram percebendo, através da preparação para aquele tipo de texto, que nada é impossível quando se tem vontade de aprender. Vocês se lembram de quantas vezes eu dizia: “ Cuidado com a pontuação, façam parágrafos, lembrem-se dos elementos da narrativa, escrevam com letra legível...” Ufa! Quanta recomendação, não é mesmo? Tudo isso porque quero que vocês sejam cidadãos capazes de expressar seus pensamentos e sentimentos e, principalmente, que levem para toda vida que a leitura e a escrita é o bem mais precioso que temos. Muitos de vocês “torciam o nariz” quando eu pedia que reescrevessem o texto de forma correta, do modo como eu os tinha orientado. Sei que muitas vezes foi cansativo, parecia que as ideias não iam surgir e de repente eu me surpreendia com textos maravilhosos. A vocês todos, pequenos autores, deixo um beijo e os parabenizo pela força de vontade, tolerância e capacidade de imaginação. 4


AGRADECIMENTOS

Nossos sinceros agradecimentos às pessoas que nos apoiaram em todos os momentos do ano de 2013: nossa Diretora Cristina Luz Simões Galleti, nossa coordenadora Wânia, nossas professoras envolvidas no Projeto Pequeno Escritor e nossos pais.

5


Capítulo 1- “E por fim nasci...” Depois de ficar 9 meses na barriga de minha mãe, eu por fim... Nasci no dia 26 de outubro de 2002, na cidade de São Paulo onde moro até hoje, e recebi o nome de Henrique Marçal Dias Cintra, que foi escolhido pelos meus pais. Alguns meses depois, eu já podia comer frutas, eu comia muito, e deve ser por isso que eu era meio gordinho. Capítulo 2- “E 1º escola... Estou chegando” No ano de 2005, eu entrei para minha primeira escola, que desde quando eu entrei, até hoje se chama “Tagarelinha”. Foi lá que eu aos 4 anos aprendi a ler, pois sempre que eu entrava no ônibus tentava ler o cartaz, até que um dia consegui ler ele todo. Depois de algum tempo eu li meu primeiro livro. Alice no País das Maravilhas, que tem um pouco mais de 250 páginas. Nesta época ainda comia muito, e como atualmente, eu não emagreço de jeito algum. 6


Capítulo 3- “Minha família” Vou agora falar sobre a minha família. Minha mãe se chama Cleuza Marçal Dias Cintra. Meu pai se chama Janes Barbosa Cintra. E o meu irmão se chama Felipe Cavazotti Cintra Essas pessoas moram comigo. Capítulo 4- “Bem vindo, Colégio da Polícia Militar” Quando entrei no Colégio da Polícia Militar, eu li muitos livros nas férias, como a coleção Harry Potter. Também foi nestes tempos que li muitos e muitos livros.

Em 1801, quando a Guerra dos Games estava ocorrendo, a princesa Amy foi raptada, e o Sonic, precisava de alguém para ajuda-la. E, eu fui escolhido, vou contar direito a história. “Era um dia frio, e eu comprei meu notebook e baixei o jogo do Sonic. De tanto jogar, o notebook me sugou e fui para a Central d Jogos, e cliquei no Sonic.” 7


“Cheguei no castelo do Mario, e ele me contou toda a história.” “Logo depois vimos uma tartaruga no vidro, outra e outra...” “A guerra havia recomeçado, eu peguei uma espada e todo mundo foi comer. Sonic me disse que estava na hora do almoço.” “Depois vimos Amy, como uma rainha, junto das tartarugas e disse que ela tinha ido ver o Mario, que não tinha sido raptada.” “Aí, quem foi embora foi eu.”

1) Escreva em que espaço o enredo acontece. Justifique sua resposta com uma descrição do local de alguma cena. O espaço é a floresta. Havia um arbusto, árvores, gramados e animais. 2) Em que tempo ocorrem os fatos? Como ficamos sabendo disso? O tempo ocorre na primavera. Verne anuncia aos outros animais a chegada da primavera.

8


3) Você leu acima algumas características psicológicas de quase todos os personagens. Faça a descrição psicológica de RJ. RJ: ambicioso, corajoso falso, manipulador, mentiroso, insatisfeito, esperto, habilidoso, ladrão, bom coração (final), guloso e traiçoeiro. 4) O exterminador ao se apresentar no condomínio diz: Dwayne La Fontaine. Qual a relação que fazemos do seu nome com o enredo do filme? La Fontaine era um escritor de fábulas. No filme, Dwayne La Fontaine exterminava os animais. Houve uma certa ironia do produtor do filme ao dar esse nome, a um exterminador de animais. 5) Durante a invasão dos animais na casa de Gladys, a personagem acorda e vai até a cozinha usando chinelo com cara de coelhinho. Explique o que podemos deduzir sobre os seres humanos a partir da imagem daquele tipo de chinelo. Que os humanos, muitas vezes, são egoístas porque não querem saber dos animais, mas usam acessórios, que lembram alguns animais. 6) RJ levou os animais para ver o que os humanos jogavam no lixo. Qual a critica que se aplica a todos nós? É criticado o consumismo e o fato de não reciclarmos o lixo.

9


7) Escreva sobre o ensinamento do filme “Os semfloresta”. O ensinamento é para não haver desperdício de alimentos; reciclar embalagens; não viver para comer, mas comer para viver; não trair os amigos e dar muito valor à nossa família.

Descrição: Um terreno gigante, com inúmeras árvores, uma cascata de 20 ou 30 metros de altura, de onde nasciam dois rios. Havia uma pequena churrascaria, um banheiro e uma trilha. O banheiro estava mal-preservado, não havia janelas, e sim, teias de aranha. “Cascata Bella” Jake é um jovem corajoso e inteligente. Um belo dia Jake estava na Cascata Bella. Mas neste local, um dia, três exploradores foram para lá e não voltaram. Lá, dizem também que foi enterrado o Monstro Abdomil, um monstro com três olhos, pele preta e com braços e pernas finas. Mas, apesar dessas histórias, o lugar é lindo. É gigante, tem inúmeras árvores, uma cascata enorme, uma beleza... Neste mesmo dia Abdomil despertou de sua morte, quando Jake destruiu o amuleto sagrado (o abajur da cozinha). 10


Um monstro começou a persegui-lo, mas um dia todos se uniram e o derrotaram.

Aventura Submarina Em um belo dia, um peixinho estava a procura de um menino (a), para salvar o “Castelinho de Pedra”, do polvo Splash, que era roxo, grande e mau e... gosta de comer queijo. Mas esse peixinho se transformou em um ratinho-sereia. Meio rato, meio peixe. E foi comer um queijo, mas quando saiu da água, virou rato por completo. Encontrou um jovem rapaz, Will, que aceitou colaborar. Tomou um suco e quando entrou na água virou um tritão. Foram até a caverna de Splash, que prendeu o ratinho, que chamava Splush. Will derrotou Splash, Splush virou humano e ficaram amigos para sempre.

“Sou um tigre”

11


Uma tia muito louca, chamada Josecleide, levou seus sobrinhos ao zoológico, embora, gostariam de ir ao shopping. Quando estavam lá, os sobrinhos tacaram algodão doce. E começou a dormir: “Era uma vez, Josecleide, uma tigresa que aonde chegava e, dava um grito, e dava um grito, todo mundo corria.” Quando acordou todos estavam em volta dela, ela gritou, todo mundo fugiu. Ela olhou para trás e viu um tigre, gritou e ele fugiu.

1- Onde acontece a história? No deserto do Saara. 2- Se você fosse um personagem, qual gostaria de ser? Por quê? O piloto, por que é corajoso e supera os obstáculos. 3- Por que o Pequeno Príncipe estranhou o planeta Terra? O Pequeno Príncipe mora em um lugar muito pequeno sem muitos animais. O planeta Terra é muito grande e com muitos bichos, flores e pessoas.

12


4- Em sua opinião, a serpente era amiga do Pequeno Príncipe? Justifique: Não, a serpente estava querendo matá-lo. 5- Escreva outro final para a história: O piloto encontra o Príncipe antes de ser picado e ele o levava para o avião e eles vão para o asteróide dele. 6- Em sua opinião com que tipo de pessoa poderia comparar... O piloto: Boa A rosa: Falsa A raposa: Tímida e desconfiada A serpente: Mentirosa O rei: Mandona O Pequeno Príncipe: Pessoa Ingênua 7- Escreva virtudes que você percebeu nestes personagens: Principezinho: Ingenuidade Piloto: Coragem Raposa: Desconfiança 8- O final da história transmite que: (X) o tempo, a distância e a ausência jamais farão esqueceremos das pessoas significativas em nossas vidas. ( ) as pessoas são significativas em nossas vidas somente quando estão juntas conosco. 9- Escreva outras mensagens que o final transmitiu para nossa vida:

13


Dar valor para as pessoas enquanto elas estão com a gente.

Profº Renilson vai para a Europa Profº Renilson sai do colégio e vai para a Europa. Profº. Renato o substitui. Renilson, professor de Educação Física, do 6º ao 9° ano, do período da tarde, saiu do Colégio da Polícia Militar, durante as férias de julho. Ele viajou para a Europa para treinar times de lá. O professor Renato, do período da manhã o substituirá, temporariamente ou talvez definitivamente.

A vida das crianças no passado. Neste relato, vou falar sobre a vida das crianças nas últimas décadas. As informações foram obtidas 14


em uma entrevista com: Janes Barbosa Cintra, 58 anos, advogado, nascido em 14/05/1955. Na década de 60 Janes tinha 10 anos e nessa época brincava de pega-pega, esconde-esconde, peão, pula-corda, bolinha de gude e muitas outras brincadeiras com seus amigos, porém tinha um bom comportamento em sala de aula, onde havia um bom relacionamento da turma com o professor. Nunca foi necessário levar reclamações para casa, porém se isso acontecesse levaria uma surra. Na época em que foi criado era imperdoável contestar a opinião dos mais velhos. Quem escolhia as roupas de Janes era sua mãe. Janes afirma que atualmente, com a evolução dos meios de comunicação o diálogo de pais e filhos é extremamente positivo. Afirma também que antigamente os professores tinham mais autoridade. Na minha opinião a decisão dos professores, desde que sejam justas, deveriam ser consideradas pelos professores.

ZZZZZZZZ... Em uma sala, na televisão: “Então, vamos agora entrevistar o senhor Sharif, que se tornou muito famoso por conseguir muito mais um milhão de assinaturas para se casar com uma personagem, Reyna, do jogo ‘Antiga Grécia’ como se sente...” 15


-Bah – diz um homem misterioso enquanto desliga a TV – Ele não vai se tornar tão famoso assim. Enquanto isso, Sharif, está em seu apartamento, assistindo sua TV. Sharif mora na Grécia, mais precisamente em Creta. Estava também jogando o jogo de Reyna. Até que de tanto jogar vai parar dentro do jogo, onde tem que enfrentar o homem misterioso. Reyna era uma mulher muito bonita e corajosa. Sharif... mais ou menos, mais ou menos... O homem misterioso é... é misterioso. Depois derrota o homem, casa com Reyna, ganha na loteria, vira famoso e acorda.

Era uma vez, uma menina que morava nos Alpes Suíços. O nome dela era Rosa Di Angelo, mas gostava de ser chamada de Bonezinho Roxo, e tinha uma ovelha chamada Ovelha da Neve. Essa menina tinha o dom de transformar fios em ouro e tinha uma grande casa de doces. Um belo dia, um mensageiro muito pequeno disse que ela tinha que encontrar a fada madrinha para se casar com um rei. Ela foi à cidade, encontrou um espelho que queria fazê-la dormir por 777 dias. Porém, ela encontrou uma peruca de 35 metros e se disfarçou, fazendo o espelho cair no bueiro. Não teve nem tempo para ela tirar a peruca, quando a fada-madrinha disse: “o príncipe te espera”. 16


Então ela se casou com o príncipe, colou a peruca na cabeça e deu um mergulho no rio com uma calda de sereia de brinquedo.

O menino do bom coração Era uma vez um rapaz pobre. Todos riam dele na escola,por causa de suas roupas. Porém esse rapaz era bonito, mas todos riam dele. Ele era muito tímido e tinha um bom coração. Havia uma menina que gostava desse rapaz, porém ninguém podia saber, senão todos a excluiriam. Um dia ela estava escrevendo no seu diário, quando um menino passou e pegou o diário e leu para todo mundo o que estava escrito: “Querido diário, ninguém pode saber que eu gosto dele, senão ninguém nunca mais falará comigo.” Ela ficou muito triste, pois ninguém mais falava com ela. No mesmo instante ela só viu uma pessoa jogando um saco preto em cima dela. Quando o rapaz ficou sabendo, saiu correndo para ajudá-la, pois era uma pessoa boa. Quando chegou no lugar ele a salvou. Logo depois passou no jornal e ganhou uma recompensa, e descobriram os sequestradores: Eram as pessoas da escola dele. Logo depois eles foram presos e ameaçaram o rapaz. O rapaz riu deles, pois haviam tentado matar a menina e foram presos. 17


Os dois jovens passaram a se conhecer, a namorar e se casaram e viveram felizes para sempre.

1º Cena (Cenário de uma casa, decorada com bexigas, desenhos, cartazes e faixas “Feliz Aniversario”) Bia entra. Bia - Entrem pessoal (Alegremente 3 personagens entram). Mariana- Que bonito, quem decorou? Fernando- (Entregando um pacote) O aqui seu presente. Stephano- (procurando em volta) Cadê o bolo? Bia- (Batendo no Stephano) Fica quieto! Stephano- Ah (se esconde atrás de uma mesa). Mariana- Coitado do menino, que do. Bia- (Pega uma panela e começa a limpar) O que disse? Não escutei? Mariana- Nada não. 2° Cena (Cenário-Cozinha bem arrumado) Chega um homem com um bolo de papelão. Stephano- (Pulando e correndo atrás do homem, que também corre com o bolo) O booooolo Os outros 3 - FICA QUIETO! (Stephano encolhe) 3° Cena (Cenário= sala, com mesa do bolo e um espaço para brincar). (Todos brincando) 18


Mariana-Há Há !! A Bia paga mico! Todos-A Bia paga mico (3*) 4° Cena (Bia dança a dança da galinha, com a maquiagem de palhaço e roupa de elefante).

Entrevistado (a): Vitalina Sabaterra Entrevistador (a): Gabriel Newton Sabaterra de Oliveira Tipo de Entrevista: exclusiva Vitalina S. Sabaterra, corredora, casada, do lar, sua profissão anterior era auxiliar de limpeza e trabalhava quando criança e na fase da adolescência na roça. Fez o primário já com 60 anos até a 6º serie do 1º grau. 1)Qual a sua idade? 72 2)Onde você nasceu? Bahia, na cidade de Lamarão. 3)Com qual idade começou a correr? 63 4)Qual foi a sua motivação? Devido a depressão eu comecei a participar de campeonatos. 5)Qual é a sua profissão? Hoje, do lar. 6)Qual a sua preparação antes do campeonato? Eu treino, faço academia e alimentação equilibrada. 7)Você já correu em quantos campeonatos? Já corri em tantos que nem me lembro. 8)Quantas medalhas você têm? 22 9)Você tem uma equipe? Não, corro sozinha. 19


10)Você tem treinador? Sim 11)Qual foi sua melhor classificação? Ouro 12)Como você se sentiu na primeira corrida? Eu fiquei alegre e emocionada e fiquei tão ansiosa que pensei estar sonhando. 13)Você tem patrocinador? Não, mas gostaria. 14)Você quer correr até que idade? Enquanto viver. 15)Como se sente quando corre? Muito feliz.

20

Henrique  

Redações

Advertisement