Issuu on Google+

Recortes nº 242 Índice –23 de Dezembro de 2011 • Terminal de exportação de automóveis do porto de Setúbal bate recorde em 2011 • Porto de Setúbal: Exportação Ro-Ro com o melhor ano desde 2006 • Porto de Setúbal: Exportação Ro-Ro com o melhor ano desde 2006 • Porto de Setúbal: Terminal Multiusos Zona 1 ultrapassou 1,7 milhões de toneladas • Portos de Lisboa e de Vigo preparam protocolo de cooperação técnica e comercial • Leixões permite p ‘track & tracing’ dos contentores • ETP de Aveiro sem 250 mil euros para pagar subsídios • J. Canão distinguida com estatuto de PME Excelência 2011

1


Diário Económico – 23 de Dezembro de 2011 – Pág. 29

2


Cargo News – 22 de Dezembro de 2011

Porto de Setúbal: Exportação Ro-Ro com o melhor ano desde 2006 O embarque de viaturas no porto de Setúbal ultrapassará as 115 mil unidades em 2011, número que constituirá o melhor valor da exportação do segmento Ro-Ro desde 2006. De janeiro a novembro, já foram embarcadas 104 mil viaturas, o que significa um crescimento de 44,5% face às 72 mil viaturas carregadas em igual período de 2010. Trata-se de um crescimento alavancado pela exportação de viaturas fabricadas na Autoeuropa, nomeadamente, pelos modelos Volkswagen Eos, Sharan e Scirocco e Seat Alhambra, que viram a sua produção atingir, de janeiro a novembro de 2011, as 126 mil unidades, um aumento de 38,5% face ao mesmo período de 2010. A Autoeuropa exporta cerca de 99% da sua produção, tendo como principais destinos a Europa, Estados Unidos e China. Relembre-se que, em Novembro, arrancaram as escalas quinzenais da NYK Line para embarque de viaturas da Autoeuropa para a China, posicionando o porto de Setúbal como um porto de primeira linha da rede logística da Wolkswagen, com ligações diretas para outros continentes sem passar pelo Porto de Emden, porto principal do grupo.

3


Newsletter APP – 23 de Dezembro de 2011

PORTO DE SETÚBAL

Exportação Ro-Ro com o melhor ano desde 2006 O embarque de viaturas no Porto de Setúbal ultrapassará as 115 mil unidades em 2011, número que constituirá o melhor valor da exportação do segmento Ro-Ro desde 2006. De Janeiro a Novembro, já foram embarcadas 104 mil viaturas, o que significa um crescimento de 44,5% face às 72 mil viaturas carregadas em igual período de 2010. Trata-se de um crescimento alavancado pela exportação de viaturas fabricadas na Autoeuropa, nomeadamente, pelos modelos Volkswagen Eos, Sharan e Scirocco e Seat Alhambra, que viram a sua produção atingir, de Janeiro a Novembro de 2011, as 126 mil unidades, um aumento de 38,5% face ao mesmo período de 2010. A Autoeuropa exporta cerca de 99% da sua produção, tendo como principais destinos a Europa, Estados Unidos e China. Relembre-se que, em Novembro, arrancaram as escalas quinzenais da NYK Line para embarque de viaturas da Autoeuropa para a China, posicionando o Porto de Setúbal como um porto de primeira linha da rede logística da Wolkswagen, com ligações directas para outros continentes sem passar pelo Porto de Emden, porto principal do grupo.

4


Cargo News – 22 de Dezembro de 2011

Porto de Setúbal: Terminal Multiusos Zona 1 ultrapassou 1,7 milhões de toneladas Quando ainda faltam algumas semanas para terminar o ano, a movimentação de mercadorias no Terminal Multiusos Zona 1 do porto de Setúbal, concessionado à Tersado, já atingiu 1,7 milhões de toneladas, o que faz de 2011 o segundo melhor ano de sempre, muito perto do recorde de 2007, em que foram movimentadas 1,85 milhões de toneladas. A carga geral fracionada, com produtos metalúrgicos e cimento ensacado, e os granéis sólidos, com a estilha de madeira, são os modos de acondicionamento mais expressivos das mercadorias movimentadas no terminal. Este bom resultado demonstra a competitividade deste terminal do porto de Setúbal que, dotado com excelentes infra-estruturas e acessos directos, quer rodoviários, quer ferroviários, aliados ao grande profissionalismo do operador, oferece aos clientes ímpares condições para o movimento das suas mercadorias.

5


Diário Económico – 23 de Dezembro de 2011 – Pág. 30

6


Transportes & Negócios – 22 de Dezembro de 2011

Leixões permite o ‘track & tracing’ dos contentores A partir de agora já é possível conhecer, em tempo real, a localização e pormenores da viagem dos contentores que passam por Leixões. O “Siga contentor” está disponível no site da APDL. O “Siga Contentor” foi desenvolvido no âmbito do projecto europeu MIELE e apresentado como “a primeira prova do conceito em real e produtivo”. Na prática, e utilizando quase e só dados já processados com a Janela Única Portuária e a Portaria Única, trata-se de disponibilizar, de forma simples e intuitiva, informação sobre o “estado” dos contentores que partem ou chegam a Leixões. Dispondo apenas do número do contentor, é então possível saber se já chegou ao porto (por via terrestre ou marítima, conforme os casos), há quanto tempo está no parque de contentores, em que navio foi/vai ser carregado/descarregado, datas e horas das operações de embarque/desembarque, se já tem autorização para sair do porto (por via terrestre) ou quando irá fazê-lo (por via marítimo), etc.. O público-alvo desta aplicação são os clientes externos do porto de Leixões, e em particular os carregadores. O objectivo, disse-o João Pedro Matos Fernandes, é facilitar a optimização dos fluxos de mercadorias, e também reforçar a transparência e a possibilidade de avaliação da performance do porto. O “Siga Contentor” foi desenvolvido em parceria pela APDL e pela TCL, com a colaboração da Alfândega. A ferramenta deverá ficar disponível também no site da concessionária do terminal de contentores. E já há planos para fazer o seu upgrade, nomeadamente com a integração das autorizações dos agentes do contentor. Segundo dados da APDL, a Janela Única Portuária conta actualmente 766 utilizadores e processa cerca de 200 mil mensagens/mês. A Portaria Única regista este ano um fluxo médio diário de 2 800 camiões (entradas/saídas) e um acumulado de 152 mil contentores entrados em camião e de 165 mil contentores saídos por camião.

7


Transportes & Negócios – 22 de Dezembro de 2011

ETP de Aveiro sem 250 mil euros para pagar subsídios A ETP de Aveiro deverá encerrar o ano corrente com um resultado negativo de entre 230 mil e 250 mil euros, apurou o TRANSPORTES & NEGÓCIOS. O pedido de insolvência apresentado visará a reestruturação. A empresa que gere a mão-de-obra portuária em Aveiro não terá dívidas ao fisco nem à Segurança Social. Mas este ano não pagou o subsídio de férias e o subsídio de Natal. Faltam cerca de 250 mil euros. A situação não é nova. Já em 2009, o atraso no pagamento do subsídio de férias motivou a paralisação dos trabalhadores. Repete-se agora porque as causas que ditaram então a falta de dinheiro mantiveram-se ou agravaram-se. A alteração no tipo de mercadorias movimentadas em Aveiro e o melhor apetrechamento das empresas que ali operam são apontadas como razões para o menor recurso aos trabalhadores da ETP. Como se isso não bastasse, a crise e a diminuição do movimento portuário deram mais uma machadada nas receitas. Que terão caído dos cerca de 300 mil euros mensais, ainda em 2007, para a casa dos 180 mil euros, agora. Nas circunstâncias actuais, com pouco mais de 60 trabalhadores portuários efectivos (e perto de duas dezenas eventuais), o quadro de pessoal é excessivo, é dito. Soluções haverá várias, conjugadas ou não: a rescisão com trabalhadores, a revisão das cláusulas contratuais, o aumento da contribuição das empresas utilizadoras. A intransigência de trabalhadores e empresas portuárias têm-nas inviabilizado a todas. O pedido de insolvência, apresentado pelas empresas portuárias, é, assim, visto como uma saída para reestruturar a ETP. A menos que se dê o “milagre” do entendimento entre as partes, o passo seguinte será a nomeação de um gestor judicial, que ficará encarregado de apresentar uma proposta para viabilizar a empresa (ninguém quer admitir sequer outro cenário). No entretanto, o sindicato dos trabalhadores do porto de Aveiro anuncia uma greve total para o início de Janeiro. E confia que, na sequência do recente encontro nacional da Figueira da Foz, de onde saiu a decisão de avançar para um sindicato único para todo o país, terá a solidariedade dos demais portos, à excepção de Leixões. Na verdade, di-lo quem sabe, o “caso” de Aveiro corre o risco de tornar-se um “balão de ensaio” de sindicatos, comunidades portuárias e Governo para o processo (que se adivinha conflituoso) de revisão da legislação do sector portuário que Portugal está obrigado a fazer nos próximos meses.

8


Cargo News – 22 de Dezembro de 2011

J. Canão distinguida com estatudo de PME Excelência 2011 A J. Canão, líder no desenvolvimento e implementação de soluções inovadoras de gestão Portuária e Logística, foi recentemente distinguida com o estatuto PME Excelência 2011, por se destacar pelo seu desempenho superior aos níveis económico-financeiros e de gestão. Após, durante dois anos consecutivos, receber o galardão PME Líder, a J. Canão é, agora, distinguida com o estatuto PME Excelência 2011, pelo IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação), por “apresentar rácio de solidez financeira e de rendibilidade acima da média nacional”; por ter sabido “manter altos padrões competitivos num contexto particularmente exigente” e por estar a “conseguir ultrapassar a crise com crescimento, consolidação de resultados, e contributos activos na criação de riqueza e de emprego na região onde se insere". Para José Cipriano Canão, CEO da J. Canão, é com grande satisfação que a empresa recebe esta importante distinção, que resulta do trabalho de excelência realizado pela equipa da J. Canão, mesmo em momentos menos fáceis. O Estatuto PME Excelência foi criado pelo IAPMEI com o objetivo de sinalizar, através de um instrumento de reputação, o mérito de pequenas e médias empresas com perfis de desempenho superiores.

9


Recortes Nº 242 de 2011