Issuu on Google+

Recortes nº 205 Índice – 27 de Outubro de 2011 • Setúbal recebeu primeira escala do ‘Vento di Masestrale’ • InIR e IPTM desaparecem, IMTT acumula funções • Ligação ferroviária Poceirão-Caia com encargo inscrito de 73 milhões em 2012 • Capitão do Porto faz balanço de mandato em hora de rendição • Cargas em Lisboa recuam 5% até Setembro • Investidores brasileiros visitam porto de Sines • Sines movimentou 7,5 milhões de toneladas no trimestre • Conferência na Comunidade de Sines – Impacto de novo canal do Panamá nos portos nacionais • Autoeuropa mantém previsão de aumento de produção de 30%


Transportes em Revista . Online – 20 de Outubro de 2011 Novo navio da Tarros Line

Setúbal recebeu primeira escala do “Vento di Maestrale” O maior navio de contentores da Tarros Line, “Vento di Maestrale”, efetuou a primeira escala no Terminal Multiusos Zona 2 do porto de Setúbal, concessionado à Sadoport. Com 166 metros de comprimento, 25 metros de largura, calado máximo de 9,5 metros, navega a uma velocidade de 19 nós. O navio tem uma capacidade até 975 contentores e possui 390 tomadas para contentores frigoríficos. O armador Tarros Line, agenciado pela Atlantic-Lusofrete, tem vindo a reforçar a linha de serviço regular que escala o porto de Setúbal. O acréscimo de capacidade veio juntar-se a outras melhorias introduzidas recentemente, como a afetação à linha do navio “Natalia A”, que possibilitou aumentar a frequência das escalas para uma semana e ligar o porto de Setúbal ao Líbano, assim como, a ligação ao porto de Mersin, na Turquia. A oferta de serviços da Tarros Line engloba, com transbordo, ligações para os portos de Gemlik, Gebze e Izmir, na Turquia; Alger, Oran e Annaba, na Algéria; Trapani, na Itália; Lattakia, na Síria; Odessa, na Ucrânia; Novorossik, na Rússia, Beirute, no Líbano e, ainda, serviços para Malta e Tunísia, e sem transbordo, ligações para os portos de La Spezia e Salerno, na Itália; Piraeus e Salónica, na Grécia; Istambul e Mersin, na Turquia, e, para Oeste, desde Mersin, os portos de Alexandria, no Egipto; Nápoles e La Spezia, na Itália, e Casablanca, em Marrocos. por: Carlos Moura


Transportes em Revista . Online – 20 de Outubro de 2011

Estrutura do Estado

InIR e IPTM desaparecem, IMTT acumula funções O Plano Estratégico de Transportes pressupõe a extinção do Instituto Nacional de Infraestruturas Rodoviárias (InIR) e do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos (IPTM). No primeiro caso, o Governo entende que há um desperdício de recursos, uma vez que o InIR funciona, tal como o Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres (IMTT), como uma entidade reguladora, fiscalizadora e gestora. Centrando-se unicamente na Rede Rodoviária Nacional, as funções do InIR acabam por se integrar no âmbito da existência do IMTT. Numa lógica de emagrecimento da estrutura do Estado e com vista à redução dos custos fixos e da despesa global, o PET prevê “a fusão do IMTT com o InIR, dando lugar a um instituto público que passará a congregar a missão, as competências e as atribuições daqueles dois institutos”, que em muitos pontos eram comuns. Por seu lado, o IPTM ficou sujeito a dupla tutela, uma vez que as suas competências vão para lá do setor portuário e do transporte marítimo. Por esse motivo, as atribuições que não forem deste âmbito passarão para organismos da administração direta do Estado Tutelados pelo Ministério da Agricultura, do Mar e do Ordenamento do Território. O que estiver no âmbito do setor «ficará numa unidade de regulação marítima e dos portos a ser integrada no instituto resultante da fusão do IMTT com o InIR», revelou fonte da secretaria de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações. «Queremos racionalizar recursos, simplificar procedimentos e aumentar a eficiência», revelou a mesma fonte. por: Andreia Amaral


Cargo News– 26 de Outubro de 2011

Ligação ferroviária Poceirão-Caia com encargo inscrito de 73 milhões em 2012 O projeto do troço ferroviário Poceirão-Caia mantém-se nos planos do Governo, embora reformulado. O Jornal de Negócios refere, na sua edição desta quarta-feira, que um corte no investimento e os fundos do QREN irão permitir que se avance para esta obra sem encargos para o Estado. O Negócios avança mesmo que o Governo tem previsto um encargo em 2012 de 73,3 milhões de euros com a concessão ferroviária do troço Poceirão-Caia, adjudicada em maio de 2010 ao consórcio Elos. Este valor surge referido no relatório das PPP da DGTF agora atualizado, que representa mais de 90% do total de encargos previstos para 2012 no setor ferroviário, e que tem por base os pressupostos do contrato assinado.


O Setubalense – 26 de Outubro de 2011 – Pág. 4


Transportes em Revista . Online – 26 de Outubro de 2011

Cargas em Lisboa recuam 5% até Setembro Nos primeiros nove meses do ano, o porto de Lisboa movimentou 8,4 milhões de toneladas, de acordo com os números preliminares disponíveis. Todos os tipos de cargas sofreram perdas homólogas. Entre Janeiro e Setembro do ano passado o porto da capital processou 8,9 milhões de toneladas, pelo que o resultado de agora representa um retrocesso de 7%. Que contrasta com o comportamento positivo dos principais portos nacionais, casos de Leixões e de Sines. A carga contentorizada, que lidera os volumes movimentados em Lisboa, registou uma quebra homóloga de 3,7%, com um total acumulado de 3,7 milhões de toneladas. Considerando o número de TEU processados, a performance de 2011 está a revelar-se ainda pior, com uma quebra acumulada de 7%, para os 355 855 TEU (contra 383 609 há um ano). A Liscont soma 161 mil (173 mil no final de Setembro de 2011) e a Sotagus 146 mil (151 mil). Os granéis sólidos representaram 3,2 milhões de toneladas, menos 6,2% que há um ano. E os granéis líquidos cederam 3,6% para os 1,3 milhões de toneladas. A carga geral fraccionada afundou 26,5% para as 172 mil toneladas e a carga ro-ro manteve-se residual.


Transportes em Revista . Online – 25 de Outubro de 2011

Setor portuário

Investidores brasileiros visitam porto de Sines O porto de Sines recebeu a visita de um grupo de investidores brasileiros, cujo principal objetivo foi “conhecer as potencialidades de desenvolvimento de novas infra-estruturas portuárias vocacionadas para a movimentação de contentores, assim como as áreas disponíveis para a instalação de unidades industriais e logísticas” revelou a APS – Administração do Porto de Sines, em comunicado. Segundo a APS “o porto de Sines tem disponível uma vasta área para a implantação de um novo terminal de contentores vocacionado para receber os novos megacarriers projetados para transportar 18.000 TEU, cuja entrada em operação está prevista para breve”. Este grupo de empresários mostrou também o maior interesse nas potencialidades da ZILS – Zona Industrial e Logística de Sines que, numa área contígua ao porto, oferece condições para a instalação de projetos industriais e logísticos. por: Pedro Pereira


Transportes em Revista . Online – 20 de Outubro de 2011 Crescimento de 22%

Sines movimentou 7,5 milhões de toneladas no trimestre O movimento de mercadorias no porto de Sines ultrapassou os 7,5 milhões de toneladas no terceiro trimestre deste ano, um crescimento de 21 por cento relativamente a período homólogo de 2010. O aumento deveu-se sobretudo ao comércio externo, com o movimento de mercadorias com portos de países fora da União Europeia a crescer 26 por cento, destacando-se as exportações com uma variação de 24 por cento no trimestre. O porto de Sines refere que o movimento de contentores continua a ser um segmento com forte crescimento, que nos primeiros nove meses de 2011 atingiu os 26 por cento, totalizando mais de quatro milhões de toneladas e um movimento de 336.420 TEU. O terceiro semestre de 2011 já é apontado como o mais forte de sempre, com Sines a reforçar o seu papel como Hub entre a Ásia e a América do Norte e do Sul. O principal destaque vai para o início do serviço semanal entre Sines e os principais portos brasileiros, que permite ao porto reforçar a sua presença no principal mercado do Atlântico Sul, complementando a sua extensa rede de serviços que operam no eixo Este-Oeste. De Janeiro a Setembro de 2011 e a par da Carga Geral que globalmente aumentou 27 por cento, cresceram também os Graneis Sólidos com uma excelente performance, os quais registaram um incremento de 57 por cento totalizando 2.949.181 toneladas movimentadas. Já os Graneis Líquidos registaram nos primeiros nove meses do ano um total de 12, 1 milhões de mercadorias, que, apesar da recuperação, se mantem ainda dez por cento abaixo do registado em 2010 em consequência da paragem da Refinaria de Sines no inicio do ano. Globalmente, o porto de Sines movimentou mais de 19,2 milhões de toneladas de mercadorias de janeiro a setembro de 2011, o que lhe permite registar um incremento de três por cento face a 2010. O último mês deste período, para além de ter sido o melhor mês do ano com 2,7 milhões de toneladas movimentadas, ficou ainda marcado pelo início de operações da Artlant PTA no Porto de Sines, com a operação de descarga de Paraxileno do navio “Atlantis Alhambra” no passado 29 de setembro, sendo que a entrada em produção da fábrica localizada na ZILS – Zona Industrial e Logística de Sines deverá acontecer a curto prazo. por: Carlos Moura


Transportes em Revista . Online – 21 de Outubro de 2011

Conferência da Comunidade de Sines Impacto do novo canal do Panamá nos portos nacionais A Comunidade Portuária de Sines vai realizar no próximo dia 14 de novembro a sua primeira conferência, que será subordinada ao tema “O impacto do novo canal do Panamá nos portos portugueses”. Na sessão, que decorrerá no Auditório do Porto de Sines, será discutida a questão do alargamento do Canal do Panamá e as oportunidades que o novo canal irá proporcionar aos portos nacionais. O debate contará com a presença de um responsável do Canal do Panamá e de especialistas da Universidade da Corunha, que apresentarão a respetiva visão internacional acerca do alargamento daquela importante infraestrutura que proporciona uma passagem aos navios entre os oceanos Pacífico e Atlântico, evitando a utilização do estreito de Magalhães, no extremo sul da América do Sul. Neste primeiro evento da Comunidade Portuária de Sines também participarão diversos analistas e representantes de “stakeholders” ligados ao setor marítimo-portuário. A Transportes em Revista associou-se à conferência como “media partner”. por: Carlos Moura


Transportes em Revista . Online – 27 de Outubro de 2011


Recortes Nº 205 de 2011