Page 1

Recortes nº 191 Índice – 7 de Outubro de 2011 • Porto de Setúbal: Movimento de contentores já bateu números de 2010 • Setúbal bate recorde de contentores • Carlos Lopes: ‘Natalia A permitirá estreitar a ligação do porto de Setúbal ao Médio Oriente’ • José Luís Cacho: Se algo correu bem nos últimos 10 anos, foram os portos’ • Artlant PTA iniciou operações no Porto de Sines • Porto de Sines preparado para receber navios ‘Triple-E’

1


Cargo News – 6 de Outubro de 2011

Porto de Setúbal: Movimento de contentores já bateu números de 2010 O Terminal Multiusos Zona 2 do Porto de Setúbal, concessionado à Sadoport, bateu o recorde absoluto de 2010 na movimentação de contentores ao atingir, de janeiro a setembro de 2011, 54 048 TEU, ultrapassando já em 6,5% o anterior máximo anual, de 50 744 TEU, quando ainda faltam três meses para o final do ano. Só no mês de setembro de 2011, foram movimentados 11 052 TEU, um crescimento de 161,5% comparativamente aos 4 227 TEU do mesmo mês, em 2010. O aumento na carga contentorizada que tem vindo a ser verificado, ao longo de 2011, demonstra uma vitalidade premiada com o crescente interesse por parte dos grandes armadores que escalam Setúbal, como a Maersk e a Tarros Line, que recentemente melhoraram a oferta nas suas linhas regulares. Recorde-se que o Porto de Setúbal é escalado regularmente por linhas de contentores da Portline, para África e Europa; da Great White Fleet, para a América; da Seatrade, para a Europa e América; da WEC Lines, para a Europa; da Eurocondor, para África e Europa, da Safmarine, para África e Europa; da Tarros Line, para a Europa, África e Médio Oriente; e da Maersk Lines, para a Europa, Mediterrâneo e África.

2


Transportes & Negócios – 4 de Outubro de 2011

Setúbal bate recorde de contentores A três meses do final do ano, o porto de Setúbal já superou o recorde de 2010 na movimentação de contentores.

3


Cargo News – 6 de Outubro de 2011

Carlos Lopes: “Natalia A permitirá estreitar a ligação do porto de Setúbal ao Médio Oriente" O porto de Setúbal passou a receber, desde o final de setembro, um novo navio com ligações ao Médio Oriente, tal como foi devidamente noticiamos na CARGO, de forma a aumentar “significativamente a oferta do porto aos clientes e operadores”. Carlos Lopes, presidente do Conselho de Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS), afirma que o novo serviço oferecido pelo “Natalia A” vai permitir “estreitar a ligação do porto de Setúbal ao Médio Oriente”. O “Natalia A” junta-se assim ao “Vento di Zéfiro”, Vento de Tramontana” e “Vento di Nortada” na lista de navios afetos à linha que liga a Turquia ao Egipto, à Síria e ao Líbano. O porto de Setúbal fica, com este novo navio, ligado a Beirute e Istambul, oferecendo uma “melhor alternativa para as empresas da região que pretendam exportar ou importar, não tendo de se deslocar a outros portos”, afirma Carlos Lopes. “Esta melhoria significa mais e melhor oferta, mais destinos e uma maior rentabilização das infra estruturas portuárias existentes”, admite Carlos Lopes, afirmando “ser ainda impossível avaliar o aumento do volume de carga que advirá do novo navio”. O presidente do Conselho de Administração da APSS declara ainda a intenção de “atrair investimento por parte dos operadores”, de forma a “reduzir o tempo de trânsito das mercadorias”. A oferta proporcionada pelo novo serviço, em termos de transbordo, vai englobar ligações com portos da Turquia, Itália, Grécia, Turquia, Egipto e Marrocos. Carlos Lopes afirma que “a vinda de novas ligações e a melhoria das já existentes servem os propósitos da APSS em dinamizar a atividade no porto de Setúbal”. O presidente da APSS declara a medida da Administração em “manter inalterados os valores de taxa de uso do Porto relativa à carga no ano de 2012, de forma a tornar ainda mais aliciante o Porto de Setúbal, tanto para armadores como clientes”.

4


Cargo News – 6 de Outubro de 2011

José Luís Cacho: “Se algo correu bem nos últimos 10 anos, foram os portos" O presidente da Administração do Porto de Aveiro (APA), concedeu uma entrevista ao "Diário das Beiras", onde frisou que o crescimento dos últimos dois anos é um bom sinal, realçando, porém, que restam ainda projetos para concretizar. José Luís Cacho destacou "o importante pacote de investimentos" nos últimos 10 anos, que já se espelha "no desenvolvimento do porto e até na economia da região Centro", salientando, porém, que "o porto de Aveiro é um porto novo". Sobre os resultados recentes dos portos de Aveiro e da Figueira da Foz, o presidente da APA mostrou-se, como é óbvio, agradado com "os melhores anos de sempre em termos de movimentação de carga", enaltecendo que "com estas infraestruturas podemos alargar a nossa área de influência, quer de Aveiro, quer da Figueira da Foz à região de Castela e Leão, o que estamos a conseguir, com as infraestruturas ferroviárias que temos hoje, que embora possam ser melhoradas, já nos permitem penetrar de forma evidente nesses mercados". Neste âmbito, José Luís Cacho pronunciou-se, ainda, sobre a "transformação do Aveiro-Salamanca em bitola europeia" como contributo futuro para esse mesmo crescimento. "Costumo dizer que se alguma coisa correu bem nos últimos 10 anos, foram os portos. Há 10 anos ninguém falava nos portos e hoje toda a gente fala", referiu José Luís Cacho, que também desempenha o cargo de presidente da Associação de Portos de Portugal, salientando que "as empresas desendividaram-se, dão resultados positivos, dão retorno para o acionista, conseguem viabilizar os investimentos".

5


Transportes & Negócios – 30 de Setembro de 2011

Receção do navio “Atlantis Alhambra”

Artlant PTA iniciou operações no Porto de Sines O Terminal de Granéis Líquidos do Porto de Sines recebeu o navio “Atlantis Alhambra” para proceder à primeira operação de descarga de Paraxileno destinado à produção de ácido tereftálico purificado (PTA) na fábrica da Artlant PTA em Sines. Esta matéria-prima base, teve como origem a refinaria da Galp Energia em Matosinhos e como destino a instalação de armazenagem que a Artlant PTA detém na área do Terminal de Granéis Líquidos, estando a ser ultimados os trabalhos de construção da fábrica situada na ZILS (Zona Industrial e Logística de Sines), cuja entrada em produção está prevista para o final do ano. Na zona portuária, a Artlant procederá às operações de descarga de Paraxileno e Ácido Acético, suportando-se no terminal portuário especializado na movimentação de granéis líquidos, bem como à subsequente armazenagem dos mesmos, em três tanques de construção metálica, para posterior expedição para a sua fábrica na ZILS, através de pipeline. O produto resultante das operações de transformação na fábrica da Artlant PTA constitui a matéria-prima para a produção de poliésteres, onde se incluem as garrafas de PET - Politereftalato de etileno (polímero termoplástico utilizado em embalagens para bebidas), e será expedido a partir do Terminal de Contentores do Porto de Sines (Terminal XXI). Para assinalar a ocasião, a Administração do Porto de Sines entregou uma placa alusiva à primeira operação deste produto no porto. por: Carlos Moura

6


Transportes & Negócios – 6 de Outubro de 2011

Com capacidade de 18.000 TEU Porto de Sines preparado para receber navios “Triple-E” O Terminal XXI do porto de Sines terá acessos marítimos com fundos de – 17,5 metros, o que permitirá receber, sem restrições, navios da classe “Triple-E”, com capacidade de 18.000 TEU, no final de novembro. “Igual a Sines, na Europa, só teremos Roterdão”, afirmou Lídia Sequeira, presidente da Administração do Porto de Sines, no Congresso da APAT, que decorreu em Tróia. A melhoria das acessibilidades marítimas ao Terminal XXI implicou um investimento de 40 milhões de euros por parte da administração portuária, “sem recurso ao Orçamento de Estado nem a financiamento bancário”, salientou a responsável. A obra contempla ainda o prolongamento do molhe de proteção do terminal. A Maersk Line, que encomendou navios da Classe “Triple E”, já admitiu olhar para Sines com interesse, bem como conversações para utilização do porto de Sines, embora neste momento não exista nada de concreto. “A Maersk tem como política nunca fechar portas”, afirmou o country manager da Maersk Portugal, Alessandro Maldina, em declarações à Transportes em Revista. “Procuramos opções e possibilidades”. Nesta altura, porém, por razões de intermodalidade e de proximidade, a combinação Leixões, Lisboa e Setúbal é aquela que permite “servir melhor os clientes”. O responsável adiantou que “neste momento não existem planos”, mas a situação poderá vir a modificar-se no futuro. A evolução da Janela Única Portuária para a Janela Única Logística é outro projeto que está a ser desenvolvido pelo porto de Sines, em colaboração com a PSA Sines, a MSC, a CP Carga. por: Carlos Moura

7

Recortes Nº191 de 2011  

• Porto de Setúbal: Movimento de contentores já bateu números de 2010• Setúbal bate recorde de contentores• Carlos Lopes: ‘Natalia A permiti...