Issuu on Google+

Recortes nº 86 Índice – 3 de maio de 2012 • APSS reúne com acionista Estado e aprova contas • Sines bate recorde histórico nas exportações • Venda de carros em Portugal volta a cair 42% em Abril pelo 16º mês consecutivo • João Fugas lidera Comunidade Portuária de Aveiro • Douro navegável perde tráfego de mercadorias • Erro de cálculo na origem de explosão fatal em Leixões

APSS, SA Praça da República 2904-508 Setúbal Portugal Nº Reg. Comercial e NPC: 502256869 Tel.: +351 265 542000 Fax: +351 265 230992 Sítio Internet: www.portodesetubal.pt Email: geral@portodesetubal.pt


Transportes em Revista – 18 de abril de 2012 Assembleia Geral

APSS reúne com acionista Estado e aprova contas

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra já reuniu com o acionista, Estado, e aprovou as contas relativas ao exercício de 2011. A administração portuária teve a sua Assembleia Geral no dia 30 de março. Na reunião foi aprovado o Relatório de Gestão e Contas de 2011, cumprindo, desta forma, o prazo legalmente definido. De acordo com a administração, “A APSS, SA, foi ainda a primeira administração portuária a divulgar, pelo quinto ano consecutivo, o Relatório de Sustentabilidade relativo ao ano de 2011, de acordo com as normas GRI (Global ReportingIniciative)”. por: Andreia Amaral


Público.Online – Carga & Transportes – 28 de abril de 2012 No primeiro trimestre

Sines bate recorde histórico nas exportações 28.04.12 - 10:10 O porto de Sines fechou o primeiro trimestre de 2012 com um crescimento global de 22,2% no movimento de mercadorias relativamente a igual período do ano anterior. Nos primeiros três meses do corrente ano foram movimentadas 6,96 milhões de toneladas de mercadorias. Os granéis sólidos cresceram 25,2% e registaram um total de 1,15 milhões de toneladas movimentadas, os granéis líquidos cresceram 21,9% e atingiram o total de 4,27 milhões de toneladas de mercadorias e a carga contentorizada registou um crescimento de 21,1% correspondente a 1,54 milhões de toneladas de mercadorias. Na análise do desempenho dos primeiros três meses do ano, destaca-se ainda o forte aumento das exportações que registou um crescimento de 63,3% e permitiu obter o melhor trimestre de sempre na história do porto de Sines quanto a exportações, ao atingir 1,67 milhões de toneladas. Foi neste período que foram inaugurados os serviços para a costa Oeste dos Estados Unidos e Canadá, através do Canal do Panamá e para a América do Sul abrangendo o Brasil, o Uruguai e a Argentina, serviços da responsabilidade da MSC, segundo operador mundial, que permitiram incorporar novas origens e destinos no tráfego de contentores por Sines. A Administração do Porto de Sines deu, igualmente, as boas vindas à CMA-CGM, terceiro operador mundial de contentores, que iniciou, no final deste trimestre, a actividade de transporte marítimo regular em Sines, com um novo serviço de ligação a África.


Diário Económico – 3 de maio de 2012 – Pág. 25


Público.Online – Carga & Transportes – 28 de abril de 2012

CUF apresentou lista única

João Fugas lidera Comunidade Portuária de Aveiro 28.04.12 - 09:52 Em representação do grupo CUF, João Fugas foi eleito novo Presidente da Comunidade Portuária de Aveiro, depois de Nogueira Leite ter ido para administrador da Caixa Geral de Depósitos. Como Presidentes da Mesa da Assembleia Geral mantêm-se o Presidente da Câmara Municipal de Aveiro, Élio Maia, e do Conselho Fiscal Aníbal Paião, em representação da Pascoal e Filhos, SA). A Assembleia Geral que elegeu os órgãos sociais da Comunidade Portuária de Aveiro para o biénio 20122013 realizou-se segunda-feira passada e só foi apresentada uma lista, pela CUF, que teve votação unânime.


Transportes & Negócios – 2 de maio de 2012

Douro navegável perde tráfego de mercadorias Cada vez são menos, e mais pequenos, os navios a sulcarem o Douro para o transporte de mercadorias. E cada vez há menos movimento de cargas nos dois únicos portos em actividade. Se o transporte de mercadorias foi um dos impulsionadores da aposta na navegabilidade do Douro e uma das justificativas para a construção dos molhes da foz, hoje a actividade é claramente acessória relativamente ao tráfego de turistas. No ano passado, de acordo com os dados do IPTM, o movimento de mercadorias no Douro ficou-se pelas 84 169 toneladas. Menos 10,4% que o registado em 2010, exclusivamente à exportação, porquanto a importação ficou a zeros. 2011 foi, assim, o terceiro ano consecutivo de quebra da actividade, depois do aumento marginal registado em 2008, quando se superaram as 113 mil toneladas. De granitos extraídos nas pedreiras da região. O porto de Sardoura, o mais antigo, e durante muitos anos o único, movimentou cerca de 51 mil toneladas, mais cinco mil do que no ano anterior. Mas o de Várzea do Douro, construído na margem oposta e para fazer concorrência àquele, quebrou cerca de 15 mil toneladas, sensivelmente o mesmo que tinha ganho em 2010. O porto da Régua-Lamego, localizado na margem Sul do rio, construído e inaugurado vai para uma década, continua sem registar qualquer movimento. Apesar dos muitos projectos para ali anunciados, e das potencialidades vastas vezes enaltecidas. Num momento em que a Europa aposta em dinamizar o tráfego de mercadorias nas vias fluviais, o Douro navegável não dá sinais de conseguir ir além do tráfego de blocos granitos (quando não são expedidos por camião até Leixões). Ao invés, a actividade turística, e em particular a operação dos barcos-hotel está em franca expansão, com um aumento de 20% no número de turistas registados em 2011, tendo superado os 26 mil.


Jornal de Notícias – 3 de maio de 2012 – Pág. 24


Recortes Nº 86 de 2012