Issuu on Google+

Recortes nº 082 Índice – 30 de abril de 2013 • Porto de Setúbal: Contentores sobem no 1º trimestre • El tráfico en el Puerto de Setúbal cresce un 53% respecto al último trimestre de 2012 • Porto de Setúbal: Movimento de contentores subiu no primeiro trimestre • Setúbal tem potencial para hub Ro-Ro • Porto de Setúbal recupera carga • Viaturas do Rallye Açores embarcadas em Setúbal • Setúbal soma “apoios” para ser um hub ro-ro • Porto da Figueira da Foz pela primeira vez acima das 500 mil toneladas • Aveiro cresceu 20% para um quase-recorde • Especial 100 Maiores Empresas de Setúbal

APSS, SA Praça da República 2904-508 Setúbal Portugal Nº Reg. Comercial e NPC: 502256869

Tel.: +351 265 542000 Fax: +351 265 230992 Sítio Internet: www.portodesetubal.pt Email: geral@portodesetubal.pt


APP, 30 de abril de 2013 PORTO DE SETÚBAL

Contentores sobem no 1º trimestre O movimento de contentores no Porto de Setúbal atingiu, no 1º trimestre de 2013, os 13,2 mil TEU, superando em 53% os movimentos verificados no último trimestre de 2012 e em 1,7% os movimentos do período homólogo de 2012, o que significa o regresso aos números anteriores às greves, com tendência para aumentar. O Terminal Multiusos Zona 2 do Porto de Setúbal tem 20 hectares disponíveis para a movimentação de contentores, os 750 metros de cais têm 15 metros de fundos e 12 metros utilizáveis atualmente, operado por dois pórticos, um Panamax e outro post-Panamax. O terminal possui uma capacidade instalada para 300 mil TEU/ano, tendo registado o recorde de movimentos de 70 mil TEU em 2011. É servido por cinco Linhas de Serviço Regular de contentores, três da Safmarine, quinzenais, que escalam portos da Europa, Mediterrâneo e África Ocidental, uma da WEC, quinzenal, que escala portos da Europa, e outra da Tarros, a cada 10 dias, que liga Setúbal aos portos do Mediterrâneo, Norte de África e Médio Oriente.


El Vigia, 29 de abril de 2013 El tráfico en el Puerto de Setúbal crece un 53% respecto al último trimestre de 2012 29.04.13

En el primer trimestre de este año el enclave ha alcanzado los 13.200 teus El tráfico de contenedores en el Puerto de Setúbal ha alcanzado los 13.200 teus en el primer trimestre de 2013, superando en un 53% los movimientos del enclave en el último trimestre de 2012. Se confirma también la tendencia al aumento respecto al mismo periodo del año anterior, con un aumento del 1,7% en los movimientos. Según ha hecho público el puerto en un comunicado, estas cifras suponen un retorno a los números anteriores a las huelgas, con una tendencia al aumento. La Zona Terminal Polivalente 2 del Puerto de Setúbal dispone de 20 hectáreas disponibles para el manejo de contenedores. La terminal tiene una capacidad instalada de 300.000 teus al año, alcanzando un récord de movimientos de 70 000 TEU en 2011.


Cargo News, 29 de abril de 2013

Porto de Setúbal: Movimento de contentores subiu no primeiro trimestre Nos primeiros três meses do ano, a movimentação de contentores no porto de Setúbal atingiu os 13,2 mil TEU, o que significa um crescimento ténue de 1,7% face a período homólogo de 2012 e de 53% face ao último trimestre do ano passado, num período que ficou marcado pelas sucessivas greves. Recorde-se que o Terminal Multiusos Zona 2 do Porto de Setúbal é servido por cinco Linhas de Serviço Regular de contentores, três da Safmarine, quinzenais, que escalam portos da Europa, Mediterrâneo e África Ocidental, uma da WEC, quinzenal, que escala portos da Europa, e outra da Tarros, a cada 10 dias, que liga Setúbal aos portos do Mediterrâneo, Norte de África e Médio Oriente


Revista de Marinha, 29 de abril de 2013


Logística & Transportes Hoje, 29 de abril de 2013, pág. 10

Porto de Setúbal recupera carga por Ana Rita Costa 29 de Abril - 2013 O mês de março foi o melhor dos últimos 11 meses de movimentação de mercadorias no Porto de Setúbal, com um total de 621 mil toneladas, o que confirma a recuperação do movimento de cargas no porto.

No final do trimestre atingiram-se 1,6 milhões de toneladas de carga movimentada naquele porto. Nos modos de acondicionamento, a carga geral fracionada foi de 580 mil toneladas no primeiro trimestre de 2013, mais 4% face a igual período em 2012. Entre os principais parceiros do Porto de Setúbal estão a Portucel, na exportação de papel e importação de matéria-prima, a Autoeuropa VW, na exportação de veículos, a Somincor e a Almina, ambas na exportação de minério de cobre.


Setubalense (online), 29 de abril de 2013


Transportes & Negócios, 30 de abril de 2013

Setúbal soma “apoios” para ser um hub ro-ro O porto de Setúbal tem “potencial” para se desenvolver “como um porto hub ro-ro de referência”, reconhece o director para Portugal do Groupe CAT. Mas o caminho é “estreito” e são precisas “medidas efectivas” de reforço da competitividade, avisa Pedro Lemos. Agora sob a liderança de Vítor Caldeirinha, o porto de Setúbal parece mais apostado que nunca em afirmar-se como hub para a indústria automóvel, e para isso parece contar com o apoio declarado dos seus clientes-âncora. Depois das notícias sobre a parceria com a VW para o desenvolvimento de uma plataforma giratória intercontinental, surge agora o country manager para Portugal do Groupe CAT a reconhecer as potencialidades do porto sadino. Um comunicado da APSS cita Pedro Lemos dizendo que o porto tem uma “centralidade no contexto das grandes rotar marítimas internacionais, que deve ser obrigatoriamente potenciada para que o Porto de Setúbal se torne uma referência na ligação do Mediterrâneo e Atlântico Norte com os continentes americano e africano”. Por isso, pela disponibilidade de terrenos, pelas facilidades dos acessos e porque Setúbal já é o centro de um cluster logístico automóvel, o director do Groupe CAT conclui que “apesar do caminho ser estreito, existe efectivamente potencial para desenvolver Setúbal como um porto hub ro-ro de referência”. Mas como não bastam as intenções nem as boas-vontades, Pedro Lemos defende, sem especificar, que “urge avançar rapidamente com medidas efectivas que lhe peermitam [ao porto de Setúbal] reforçar a sua competitividade a nível internacional”. Recorde-se que nos últimos tempos, por mais de uma vez, se falou nos media da possibilidade de a AutoEuropa trocar Setúbal por Sines para garantir o escoamento da sua produção.


Cargo News, 29 de abril de 2013

Porto da Figueira da Foz pela primeira vez acima das 500 mil toneladas num trimestre Pela primeira vez na história, o porto da Figueira da Foz ultrapassou a fasquia das 500 mil toneladas movimentadas num trimestre, feito alcançado nos três primeiros meses deste ano quando processou 521 mil toneladas.

Este número representa um crescimento de 21,7% face a período homólogo de 2012, movimentando mais 93 mil toneladas neste período, com forte impacto do crescimento verificado na carga geral, segmento no qual cresceu 35%, num total de 332 mil toneladas processadas. Os granéis sólidos também cresceram (+9%), para as 152 mil toneladas, enquanto que a carga contentorizada caiu 7%, para as 37 mil toneladas.

No período em questão, o porto de Aveiro recebeu 133 navios, valor que representa um crescimento homólogo de 11%. A arqueação bruta cresceu 18%.


Transportes & Negócios, 30 de abril de 2013

Aveiro cresceu 20% para um quase-recorde Faltaram pouco mais de 700 toneladas para que o primeiro trimestre fosse o melhor de sempre no porto de Aveiro. Entre Janeiro e Março, movimentaram-se ali 903 mil toneladas, mais 148 mil, ou 20%, que há um ano. A carga geral deu o maior contributo para o quase-recorde de Aveiro, com 360 mil toneladas processadas. Comparativamente com o período homólogo de 2012, o ganho foi de 63%, ou 139 mil toneladas. Em alta esteve também a movimentação de granéis sólidos, que atingiu as 299 mil toneladas. Mais 6%, ou 17 mil toneladas, que há um ano. A impedir o recorde do primeiro trimestre, a movimentação de granéis líquidos recuou 3% em termos homólogos, para a casa das 244 mil toneladas. Em termos globais, as cargas de exportação cresceram 52%, para as 463 mil toneladas, e superaram as mercadorias de importação, que se ficaram pelas 440 mil toneladas (menos 2%). Entre Janeiro e Março, Aveiro foi escalado por mais navios (219, ou mais 15%) e de maiores dimensões (mais 19% de arqueação bruta, mais 16% de comprimento). A ferrovia movimentou mais de 166 mil toneladas de/para o porto de Aveiro, o que representou um aumento de quase oito pontos percentuais na sua importância relativa no tráfego total do porto.


Correio da ManhĂŁ, 30 de abril de 2013 (Caderno Especial: 100 Maiores Empresas de SetĂşbal)



Recortes 082 30-04-2013