Issuu on Google+

Recortes nº 049 Índice – 11 de Março de 2011 -

-

Portugal precisa de portos eficientes e competitivos Actividades ligadas ao mar representam apenas 2% do PIB nacional Portos nacionais estão a ganhar quota no mercado ibérico Custos portuários têm que ser afectados à operação executada Mais segurança e menores custos impulsionam contentorização Porto de Setúbal atinge movimentação recorde de mercadorias Náutica de recreio tem forte potencial de crescimento Reestruturação dos serviços de linha regular no Porto de Sines PSA acelera ampliação do Terminal XXI Porto de Sines servido pelos portos do Mediterrâneo durante expansão do Terminal XXI Porto de Aveiro vai investir 40 milhões Lançamento do concurso público internacional da empreitada para ampliação do Molhe Norte e aprofundamento do canal de navegação do Porto de Aveiro Porto de Aveiro lança obra para receber navios de 200 metros Aveiro com novas acessibilidades marítimas em 2013 Presidente da EMSA visita Leixões TCL já leva 6,3% de ganhos nos dois primeiros meses Figueira da Foz licencia serviço de reboques PE quer que Bruxelas apoie mais AEM atlânticas Exportadores de mármore trocam portos lusos por Vigo para poupar

1


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. I

2


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. II

3


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. III

4


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. IV

5


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. V

6


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. VI

7


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. VII

8


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. VIII

9


Newsletter APP – 10 de Março de 2011

Reestruturação dos serviços de linha regular no Porto de Sines A MSC (Mediterranean Shipping Company), principal armador a operar no terminal de contentores no Porto de Sines, anunciou que irá proceder, no 2º trimestre, a uma reestruturação dos serviços que ligam o Extremo-Oriente, ao Mediterrâneo e Norte da Europa, passando Sines a ser servido através dos portos do Mediterrâneo. Esta reestruturação coincide com o início dos trabalhos da empreitada de ampliação do molhe leste em 400 metros, que inclui o aprofundamento do canal de entrada para a batimétrica Zh = (- 17) metros, da responsabilidade da APS, implicando alguma limitação temporária na manobra para os navios de maior capacidade a operarem no terminal, facto que irá ser aproveitado para se garantir uma maior eficiência nos trabalhos. Ao mesmo tempo, a PSA Sines irá garantir a aceleração das obras do terminal que estão em curso e que envolvem, em termos de construção civil, a ampliação do cais em 350 metros (para um total de 730 metros), a ampliação da área de armazenagem de contentores em 5 hectares e, ainda, o aumento do número de pórticos de cais para 6. Em termos globais, o investimento previsto da PSA Sines nesta fase de desenvolvimento do Terminal XXI é de cerca de 78 Milhões de Euros e, no caso da APS, o investimento previsto é de cerca de 40 milhões de euros. A reestruturação de serviços, encetada pela MSC, constitui também uma oportunidade para a reestruturação da oferta do Terminal de Contentores do Porto de Sines (Terminal XXI) que, após as obras de ampliação em curso, estará em melhores condições para se abrir a novos armadores e a novos portos de origem e de destino.

10


Transportes & Negócios – 10 de Março de 2011

PSA acelera ampliação do Terminal XXI Afinal, o “Lion Service” da MSC vai mesmo deixar de escalar o Terminal XXI de Sines, quer à importação, quer à exportação. Mas os “transit times” saem melhorados, garantiu Carlos Vasconcelos ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS. A PSA Sines “aproveita” para acelerar a expansão do terminal para captar novos armadores. [+]

11


Cargo News – 10 de Março de 2011

Porto de Sines servido pelos portos do Mediterrâneo durante expansão do Terminal XXI A MSC (Mediterranean Shipping Company), principal armador a operar no terminal de contentores no Porto de Sines, anunciou que irá proceder, no 2º trimestre, a uma reestruturação dos serviços que ligam o Extremo-Oriente, ao Mediterrâneo e Norte da Europa, passando Sines a ser servido através dos portos do Mediterrâneo. Esta reestruturação coincide com o início dos trabalhos da empreitada de ampliação do molhe leste em 400 metros, que inclui o aprofundamento do canal de entrada para a batimétrica Zh = (- 17) metros, da responsabilidade da APS, implicando alguma limitação temporária na manobra para os navios de maior capacidade a operarem no terminal, facto que irá ser aproveitado para se garantir uma maior eficiência nos trabalhos. Ao mesmo tempo, a PSA Sines irá garantir a aceleração das obras do terminal que estão em curso e que envolvem, em termos de construção civil, a ampliação do cais em 350 metros (para um total de 730 metros), a ampliação da área de armazenagem de contentores em 5 hectares e, ainda, o aumento do número de pórticos de cais para 6. Em termos globais, o investimento previsto da PSA Sines nesta fase de desenvolvimento do Terminal XXI é de cerca de 78 Milhões de Euros e, no caso da APS, o investimento previsto é de cerca de 40 milhões de euros. A reestruturação de serviços, encetada pela MSC, constitui também uma oportunidade para a reestruturação da oferta do Terminal de Contentores do Porto de Sines (Terminal XXI) que, após as obras de ampliação em curso, estará em melhores condições para se abrir a novos armadores e a novos portos de origem e de destino. MSC explica as alterações ao Lion Service A MSC lançou um comunicado ao fim da tarde em que refere que, "devido às presentes condições de mercado do Norte da Europa, (...) decidiu reestruturar os seus serviços de/para o Extremo Oriente, de forma a melhor servir aquele mercado", pelo que "as escalas do Lion Service em Sines (east & westbound) serão omitidas. Westbound a partir de Abril e eastbound a partir de Maio. Continuaremos, no entanto, a assegurar um excelente tempo de trânsito para Sines (via Valência | Dragon Service) e para Leixões (via Antuérpia | Silk Service) com as diferentes ligações semanais a estes HUB’s que hoje oferecemos". A empresa de Carlos Vasconcelos refere que os novos routings destes serviços no que respeita a Portugal são, quanto ao Dragon Service: Dalian, Xingang, Busan, Qingdao, Ningbo, Shanghai, Yantian, Hong Kong, Chiwan, Singapura, Gioia Tauro e Valência (T/S); o Silk Service faz: Ningbo, Shanghai, Xiamen, Hong Kong, Chiwan, Yantian, Singapura e Antuérpia (T/S).

12


Diário Económico – 11 de Março de 2011 – Pág. 52

13


Newsletter APP – 10 de Março de 2011 ESTA SEXTA-FEIRA, 11 DE MARÇO, COM A PRESENÇA DO MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

Lançamento do concurso público internacional da empreitada para ampliação do Molhe Norte e aprofundamento do canal de navegação do Porto de Aveiro Esta sexta-feira, dia 11 de Março, pelas 12:00, vai proceder-se ao lançamento do concurso público internacional da empreitada para ampliação do Molhe Norte e aprofundamento do canal de navegação do Porto de Aveiro. A cerimónia, a decorrer no Hotel de Ílhavo, será presidida pelo Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, contando também com a presença do Secretário de Estado dos Transportes, Correia da Fonseca. As obras estão orçadas em 35 milhões de euros, sendo o investimento financiado através de fundos comunitários, do orçamento do Porto de Aveiro e de verbas do Estado. O lançamento do concurso será antecedido por reunião de trabalho com empresas exportadoras da área de influência do Porto de Aveiro. A reunião, presidida também pelo Ministro das Obras Públicas, com início previsto para as 10:00, tem como tema central “Porto de Aveiro: Contributo para a Competitividade das Exportações das Indústrias da Região Centro”. O programa da visita ministerial contempla ainda um encontro com os jornalistas, que se iniciará após a cerimónia de lançamento do concurso público internacional.

DESCRIÇÃO DO INVESTIMENTO Melhoria das acessibilidades do Porto de Aveiro: prolongamento em 200 metros do molhe norte - consiste, em complemento com a execução das dragagens dos seus fundos à cota de -13,2m. Estes trabalhos têm como finalidade assegurar acrescidas condições de segurança nas manobras de entrada/saída dos navios do porto, em resultado das melhores condições de abrigo contra a agitação e as correntes marítimas desfavoráveis proporcionadas pelo prolongamento do molhe, bem como possibilitar a sua escala por navios de maior dimensão. Nestes termos, espera-se um reforço da sua capacidade para aumentar a sua conectividade e para oferecer serviços de maior qualidade às empresas localizadas no seu hinterland;

14


DESCRIÇÃO DO CONCURSO CONCURSO PUBLICO INTERNACIONAL “Reconfiguração da Barra do Porto de Aveiro” O projecto da “Reconfiguração da Barra do Porto de Aveiro” tem por objectivo a obtenção de uma configuração para a Barra do Porto de Aveiro e do canal exterior de navegação (canal de aproximação) que permita a melhoria das condições de navegação na zona da barra. Esta nova configuração da barra deverá, assim, permitir o tráfego, em condições de segurança e, tanto quanto possível, sem limitações de maré ou meteorológicas, de navios de maior dimensão do que os actuais, ou seja, deverá permitir o tráfego de navios com um comprimento até 200 m e um calado de 10,5 m. A solução definida a nível de Estudo Prévio e posteriormente desenvolvida no subsequente Projecto de Execução de base desta empreitada, inclui as seguintes obras e intervenções: - Prolongamento do molhe numa extensão de 200 m, segundo o alinhamento do troço final da obra existente. - Definição de um novo canal de navegação, com uma ligeira rotação para sul relativamente ao actual alinhamento, com uma largura de rasto de 200m e uma cota de serviço de -12,50 m (ZH). - Dragagem de um canal com as mesmas características do anterior na zona de aproximação, exteriormente aos molhes. Este canal, com um alinhamento de 060º/240º, será acrescido de faixas de segurança de 50 m para cada um dos lados, devendo ser dragado à cota -13,20 m (ZH) para garantir uma cota de serviço de -12,50 m (ZH); - Assinalamento marítimo para o novo enfiamento de entradas e saídas de navios; - Trabalhos complementares no corpo do molhe central e reconfigurações em retenções marginais ao longo do canal principal de navegação. - Deposição dos dragados em zonas de praia submersa compreendidas entre o Molhe Sul e o 1.º esporão e, ainda, entre os 3º e 5º esporões da Costa Nova. “A ÚLTIMA GRANDE OBRA A FECHAR UM CONJUNTO SIGNIFICATIVO DE INVESTIMENTOS” – ASSINALA O PRESIDENTE DO PORTO DE AVEIRO “Trata-se da última grande obra que fecha um conjunto significativo de investimentos realizados nos últimos dez anos no Porto de Aveiro” – afirma o Presidente da APA, S.A.). Esse conjunto de investimentos “compreendeu os novos terminais do porto, o fecho da via de cintura portuária e a ligação ferroviária ao Porto de Aveiro” – acrescenta José Luís Cacho, considerando a obra a lançar sexta-feira “um projecto fundamental para a viabilização de todos os investimentos já realizados”.

15


Cargo News – 10 de Março de 2011

Porto de Aveiro lança obra para receber navios de 200 metros Esta sexta-feira vai proceder-se ao lançamento do concurso público internacional da empreitada para ampliação do molhe norte (à esquerda, na foto) e aprofundamento do canal de navegação do porto de Aveiro. As obras estão orçadas em 35 milhões de euros, sendo o investimento financiado através de fundos comunitários, do orçamento do porto de Aveiro e de verbas do Estado. O projecto da “Reconfiguração da Barra do Porto de Aveiro” tem por objectivo a obtenção de uma configuração para a barra do porto de Aveiro e do canal exterior de navegação (canal de aproximação) que permita a melhoria das condições de navegação na zona da barra. Esta nova configuração da barra deverá permitir o tráfego, em condições de segurança e, tanto quanto possível, sem limitações de maré ou meteorológicas, de navios de maior dimensão do que os actuais, ou seja, deverá permitir o tráfego de navios com um comprimento até 200 metros e um calado de 10,5 metros. A obra permitirá definir um novo canal de navegação, com uma ligeira rotação para sul relativamente ao actual alinhamento, ficando o canal com uma largura de rasto de 200m e uma cota de serviço de -12,50 m (ZH). Proceder-se-á à dragagem de um canal com as mesmas características do anterior na zona de aproximação, exteriormente aos molhes. Este canal, com um alinhamento de 060º/240º, será acrescido de faixas de segurança de 50 m para cada um dos lados, devendo ser dragado à cota -13,20 m (ZH) para garantir uma cota de serviço de -12,50 m (ZH).

16


Transportes & Negócios – 10 de Março de 2011

Aveiro com novas acessibilidades marítimas em 2013 A ampliação do Molhe Norte e o aprofundamento do canal de navegação serão o culminar da construção do “novo” porto de Aveiro, um processo que leva uma década e soma investimentos de 200 milhões de euros, afirmou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS o presidente da APA, José Luís Cacho. [+]

17


Newsletter APP – 11 de Março de 2011

Presidente da EMSA visita Leixões Por ocasião da Apresentação do Projecto MIELE (Multimodal Interoperability E-Services for Logistics and Environment Sustainability), no qual participam os portos de Leixões, de Lisboa e o IPTM – Instituto Portuário dos Transportes Marítimos, o Presidente da EMSA (European Maritime Safety Agency), Sr. Willem de Ruiter visitou, a 10 de Março, o Porto de Leixões. Esta visita teve como principal objectivo apresentar à EMSA o conteúdo do projecto MIELE bem como avaliar oportunidades de colaboração no âmbito das Auto-Estradas do Mar. A agenda contou com uma visita ao Centro de Coordenação e Segurança e à Portaria Principal de Leixões. Aproveitou-se a ocasião para descrever os resultados do projecto JUP (Janela Única Portuária) e o seu contexto de integração na JUL (Janela Única Logística). O projecto MIELE é um projecto comunitário co-financiado pelas Redes Transeuropeias de Transportes (TEN-T) e tem como objectivo desenvolver do lado português a Janela Única Logística, com idênticas iniciativas desenvolvidas em Itália, Chipre, Espanha e Alemanha.

18


Cargo News – 10 de Março de 2011

TCL já leva 6,3% de ganhos nos dois primeiros meses Cumpridos os dois primeiros meses de 2011, o Terminal de Contentores de Leixões (TCL) soma 79.167 teu movimentados, o que representa um crescimento de 6,3% relativamente ao período homólogo de 2010. O terminal gerido por Lopo Feijó realça, na sua página da rede, que "considerando o número de contentores movimentados – 50.234 -, a subida relativamente ao ano transato é ainda mais, atingindo os 7%. Em fevereiro, o TCL movimentou 22.118 contentores, equivalentes a 35.132 teu. Nesse mês o TCL foi “visitado” por 18.368 camiões e a produtividade líquida no navio atingiu os 35 movimentos/hora", segundo a mesma fonte.

19


Transportes & Negócios – 10 de Março de 2011

Figueira da Foz licencia serviço de reboques A Administração do Porto da Figueira da Foz acaba de lançar o procedimento para o licenciamento da prestação de serviços de reboque, em regime de não exclusividade, pelo prazo de um ano, prorrogável. [+]

20


Transportes & Negócios – 10 de Março de 2011

PE quer que Bruxelas apoie mais AEM atlânticas A criação de mais auto-estradas do mar é uma das propostas do Parlamento Europeu para integrar a estratégia europeia para a região atlântica, que a Comissão deverá apresentar até Junho. [+]

21


Vida Económica – 4 de Março de 2011 – Pág. 28

22


Recortes Nº049 de 2011